Você está na página 1de 4

Cópia não autorizada

NOV 1993 NBR 13060


Fechadura de em butir auxiliar
ABNT-Associação
Brasileira de
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR
EndereçoTelegráfico:
NORMATÉCNICA

Especificação

Origem: Projeto 02:002.01-049/1993


CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção Civil
CE-02:002.01 - Comissão de Estudo de Ferragens para Esquadrias
NBR 13060 - Auxiliary lock - Specification
Descriptor: Lock
Copyright © 1990,
ABNT–Associação Brasileira
Válida a partir de 30.12.1993
de Normas Técnicas
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavra-chave: Fechadura 4 páginas
Todos os direitos reservados

SUMÁRIO NBR 6006 - Classificação por composição química


1 Objetivo de aços para construção mecânica - Procedimento
2 Documentos complementares
3 Definições NBR 6158 - Sistema de tolerância e ajustes - Proce-
4 Condições gerais dimento
5 Condições específicas
6 Inspeção NBR 6180 - Ligas de zinco - Classificação
7 Aceitação e rejeição
NBR 6186 - Chapa e tira de ligas cobre-zinco e co-
bre-zinco-chumbo - Especificação
1 Objetivo
NBR 8208 - Fechaduras - Ensaio de campo - Método
Esta Norma fixa as condições mínimas exigíveis na fa- de ensaio
bricação, dimensionamento, segurança e funcionamento
de fechadura auxiliar para ser empregada nas portas NBR 8489 - Fechaduras - Ensaio de laboratório -
externas de edificações. Método de ensaio

2 Documentos complementares NBR 12927 - Fechaduras - Terminologia

Na aplicação desta Norma é necessário consultar: NBR 12928 - Cilindro para fechaduras - Especifica-
ção
NBR 5007 - Tiras relaminadas de aço de baixo teor
de carbono - Especificação 3 Definições
NBR 5023 - Barra e perfil de ligas cobre-zinco-chum- Os termos técnicos utilizados nesta Norma estão defini-
bo - Especificação dos na NBR 12927.

NBR 5426 - Planos de amostragem e procedimen- 4 Condições gerais


tos na inspeção por atributos - Procedimento
4.1 Materiais
NBR 5906 - Chapas finas a quente de aço-carbono
para estampagem - Especificação 4.1.1 As diversas peças do conjunto fechadura de em-
butir devem ser construídas com os materiais que cons-
NBR 5915 - Chapas finas a frio de aço-carbono para tam na Tabela, e com materiais equivalentes ou supe-
estampagem - Especificação riores.
Cópia não autorizada
2 NBR 13060/1993

Tabela - Características das peças do conjunto fechadura de embutir para batente estreito para portas de correr

Peças Material Dimensão (mm) Acabamento

Caixa Aço ABNT 1010/1020 1,2 Zincado ou pintado

Tampa Aço ABNT 1010/1020 1,2 Zincado ou pintado

Chapa-testa Aço ABNT 1010/1020 2,0 Niquelado

Contratesta Aço ABNT 1010/1020 1,5 Niquelado

Lingüeta Zamac/Aço ABNT 1010/1020 10 x 35 Niquelado

Mecanismo interno Zamac/Aço ABNT 1010/1020 ——— Oleado

Parafuso de fixação Aço ABNT 1008/1010 ——— Zincado

Entrada Aço ABNT 1010/1020 Repuxado - 0,4 Cromado

Cilindro Latão ——— ———

Canhão Latão ø 13,0 mín. ———

Chave Latão duro ——— Niquelado

Mola Aço ABNT 1070 ——— Oleado

4.1.2 O aço a ser empregado, conforme NBR 6006, deve 4.4 Fornecimento
ser ABNT 1010/1020 ou ABNT 1070 para molas, de acor-
do com a aplicação da peça, conforme NBR 5007, O conjunto fechadura de embutir deve ser fornecido com
NBR 5906 ou NBR 5915. fechadura, contratesta, guarnição e respectivos parafusos
auto-atarraxantes de fixação.
4.1.3 O zamac fundido sob pressão deve ter resistência
mínima à tração de 260 MPa e deve enquadrar-se na 4.5 Embalagem
NBR 6180.
O conjunto fechadura de embutir deve ser acondicio-
4.1.4 O latão empregado deve ser utilizado conforme nado em embalagem protetiva, de modo a garantir a pre-
NBR 5023 ou NBR 6186, de acordo com a aplicação da servação de suas características.
peça.
5 Condições específicas
4.2 Identificação
5.1 Caixa
Todas as fechaduras devem possuir de forma indelével
e visível: A caixa deve ser construída com as extremidades fecha-
das, de modo a evitar o acesso aos mecanismos internos
a) marca ou símbolo do fabricante; da fechadura.

b) número desta Norma; 5.2 Tampa

c) data de fabricação (semestre/ano); A fixação desta peça na caixa deve ser feita, no mínimo,
por dois pontos.
d) indústria brasileira.
5.3 Lingüeta
4.3 Acabamento
5.3.1 A lingüeta, quando recuada, não pode salientar-se
4.3.1 Por acabamento, entendem-se a proteção e o em- mais que 0,8 mm da chapa-testa.
belezamento aplicados à superfície das peças.
5.3.2 A lingüeta deve avançar dois passos, no total míni-
4.3.2 As peças aparentes, montadas na porta, devem mo de 18 mm.
apresentar acabamento, protetivo conforme Tabela, ou
com características superiores. 5.3.3 A lingüeta, quando submetida a esforço lateral de
150 N exercido pela contratesta, deve recolher-se nor-
4.3.3 As peças não devem apresentar rebarbas e de- malmente pela ação da chave.
vem possibilitar a montagem entre elas, resultando em
conjunto esteticamente agradável com maciez em seu 5.3.4 A lingüeta deve suportar esforço de 2 kN, contrário
funcionamento. ao seu avanço, durante 10 s.
Cópia não autorizada
NBR 13060/1993 3

5.3.5 A lingüeta deve suportar esforços lateral e frontal de 5.9 Dimensões


3 kN, exercidos pela contratesta, durante 10 s.
5.9.1 As fechaduras devem ter as dimensões especifica-
5.3.6 A lingüeta deve resistir a 60000 operações, com fre- das na Figura 1, devendo-se observar a NBR 6158.
qüência de 0,7 Hz a 1,2 Hz (de 40 a 70 ciclos por minuto)
acionada pela chave. 5.9.2 A espessura mínima dos componentes deve ser de
materiais padronizados conforme Tabela. Para demais
5.4 Chapa-testa dimensões, ver Figura 1.

5.9.3 A guarnição deve ter a dimensão especificada na


5.4.1 A chapa-testa deve ter os cantos vivos e ser isenta
Figura 2, devendo-se observar a NBR 6158.
de rebarbas.
6 Inspeção
5.4.2 A chapa-testa deve suportar esforço lateral de 3 kN,
no encaixe da lingüeta, durante 10 s. 6.1 Ensaios

5.5 Contratesta Todos os ensaios citados nesta Norma encontram-se


descritos segundo NBR 8208 e NBR 8489.
5.5.1 A contratesta deve ter os cantos vivos e ser isenta
de rebarbas. 7 Aceitação e rejeição

5.5.2 A contratesta deve suportar esforço lateral de 3 kN, 7.1 Toda fechadura que não atender aos requisitos des-
no encaixe da lingüeta, durante 10 s. ta Norma deve ser rejeitada.

7.2 Para a amostragem, utilizada em todos os ensaios des-


5.6 Cilindro (ver NBR 12928)
ta Norma, devem ser adotados plano de amostragem
simples - normal, apresentado na NBR 5426, nível de qua-
5.6.1 O cilindro deve ser do tipo monobloco, interno à fe-
lidade aceitável (N.Q.A.) 6,5 e nível de inspeção S2.
chadura, com quatro grupos de segredos.
7.3 Quando a amostra for representativa de um lote, a
5.6.2 O tipo de cilindro empregado na fechadura deve sua rejeição por não atender às condições especifica-
permitir a confecção de 3000 combinações diferentes, das nesta Norma implica a rejeição do lote que ela repre-
tendo, no mínimo, dois pinos por grupo de segredos. senta.

5.7 Chave 7.4 No lote rejeitado é permitido ao fabricante realizar re-


paros necessários, adequando os produtos às condi-
5.7.1 A chave deve ter quatro grupos de segredos. ções estabelecidas por esta Norma. Este lote deve ser
submetido novamente aos ensaios especificados em 5
5.7.2 A chave deve resistir a um momento de 3 N.m, apli- e 6; se nesses ensaios os resultados forem insatisfatórios,
cado em sua cabeça, durante 30 s. o lote deve ser rejeitado.

5.8 Entrada 7.5 Em caso de dúvida referente à legitimidade dos re-


sultados, todo o lote correspondente é rejeitado. Sendo,
A entrada deve ter obturador para preservar a privacida- neste caso, permitido ao fabricante a realização de todos
de do usuário, devido ao modelo de cilindro. os ensaios, na presença do comprador.

/FIGURAS
Cópia não autorizada
4 NBR 13060/1993

Figura 1 - Dimensões da fechadura

Figura 2 - Dimensões da guarnição