Você está na página 1de 44

Ensino de

Português como
Língua de
Acolhimento para
Imigrantes
Deslocados
Forçados no Brasil:
Boas vindas, professor(a)!

1
Intitulada “Subsídios para o planejamento de cursos de Português como Língua
de Acolhimento para Imigrantes Deslocados Forçados no Brasil”, da pós-
graduação de Letras da UFMG.
O que você vai encontrar neste guia?

1. Antes de começarmos

2. Subsídios para o ensino de PLA

3. Alguns exemplos para sala de aula

4. O fim do início

2
Projeto de extensão da Universidade Federal de Minas Gerais “Português para
estrangeiros em regime especial de permanência no Brasil”.
Antes de começarmos
Iniciado em 2016, nosso projeto realizou um
curso de português como língua de
acolhimento em parceria com o Centro Zanmi,
além de promover a primeira jornada
acadêmica com pesquisadores da área sobre o
ensino de português para deslocados forçados
no Brasil na Faculdade de Letras da UFMG,
contando com mais de sessenta participantes
de várias instituições de Minas Gerais, bem
como especialistas da Secretaria De Educação
de Minas.
A pesquisa

3
A dissertação se encontra disponível gratuitamente e na íntegra no seguinte
endereço da biblioteca digital da UFMG:
<http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/RMSA-
AJTNHQ>. Acesso em: 15 jan. 2018.
O Centro Zanmi – Serviço Jesuíta a
Migrantes e Refugiados (CZ) – é uma
organização não-governamental e sem
fins lucrativos que atende imigrantes
deslocados forçados em Belo
Horizonte/MG e sua região
metropolitana. Além de ser uma
grande referência em prestação de
acolhimento a esses imigrantes, o CZ
realiza um curso gratuito de PLAc.
4
A referência bibliográfica pode ser conferida ao fim da dissertação de Lopez,
citada na nota de número 3.
• • •


5
Lopez, 2017, pág. 37
6
Lopez, 2017, pág. 42
7
Leia o trecho completo na página 53 da dissertação a qual adaptamos.
Subsídios para o ensino de PLAc


8
Outras discussões e argumentos são levantados na dissertação original na
íntegra.
9
Lopez, 2017, p. 175-176
10
Lopez, 2017, p. 177
Segundo a autora, Portugal, Alemanha e França
possuem programas do governo voltados, entre
outras ações, para o ensino do idioma nacional
para os imigrantes deslocados forçados. O
Programa Portugal Acolhe – Português para
Todos, por exemplo, além de ser gratuito,
oferece auxílio transporte a alimentação para os
participantes. Enquanto o Brasil não dispõe de
um programa como esse, acreditamos que é as
universidades que dispõem de cursos de Letras
ou de PLA, principalmente, devem desenvolver
algum apoio nessa área. Além disso, a autora
acredita que ONGs, instituições de cunho
religioso e demais organizações da sociedade
civil que trabalhem com o acolhimento desses
imigrantes e que já ofereçam ou que queiram
oferecer cursos de PLAc devam buscar apoio
em parcerias com Instituições de Ensino
Superior (IES) ou, ainda, que as próprias IES,
busquem apoiar as instituições de acolhimento
de imigrantes.
11
Lopez, 2017, p. 180
Apesar desses ótimos
exemplos, acreditamos que
essas iniciativas não
substituem outras mais
formais, como um curso de
extensão ou o desenvolvimento
de pesquisas na área.
12
Disponível em: <http://portal.mte.gov.br/trab_estrang/cartilha-crioulo-
haitiano-portugues.htm>. Acesso em: 11 fev. de 2018.
13
Autoria de Gonçalves, Marcelo Siqueira; Gonçalves, Filipe Ernesto Siegrist;
Gonçalves, Manuela V. Corrêa. Disponível em:
<http://www.clicrbs.com.br/pdf/17421168.pdf> Acesso em: 11 fev. de 2018.
14
Lopez, 2017, p. 183-184
15
Para mais informações, confira a dissertação na íntegra.
16
Lopez, 2017, p. 185



17
Alguns exemplos de iniciativas nesse sentido, como palestras para esses
imigrantes, podem ser consultados na dissertação na íntegra.
18
Lopez, 2017, p. 187-188
Alguns exemplos para sala de aula
O fim do início