Você está na página 1de 2

19/06/2018 15:49

Ministério da Educação - Universidade Federal da Grande Dourados


PROGRAD - Pró-Reitoria de Ensino de Graduação
CAAC - Coordenadoria de Assuntos Acadêmicos

Plano de Ensino

Curso: 0642 - CIÊNCIAS SOCIAIS - LICENCIATURA - CREDITOS Período Letivo: 2018 / 1


Acadêmico: DIEGO VILAS BOAS RGA: 2014064246182
Disciplina: 03009477 - TÓPICOS EM ENSINO DE CIÊNCIAS SOCIAIS Depto: FCH
Professor(es): MARIA GABRIELA GUILLEN CARIAS
Turma: P1 C.H.: 144 horas Duração: 1 Semestre

1. Objetivos:
1) Refletir sobre as conexões entre sociedade e produção e transmissão de conhecimento nas ciencias sociais.

2) Examinar a gênese sócio histórica, natureza e a função social das correntes pedagógicas que permeiam a
educacao brasileira e suas conexoes com o ensino de ciencias socias

3) Examinar a natureza da LDB 1996 e do Plano Nacional de Educação 2014 - 2024 articuladas à crise sistêmica
do capital

4) Examinar a Base Nacional Comum Curricular e suas conexoes com a Reforma do Ensino Médio e como
impactam o ensino de ciencias sociais

5) Discutir experiências de alternativas educacionais

6) Realizar uma pesquisa sobre a problematica elencada e fazer uma intervencao publica.

2. Ementa:

Conceitos de Educação. Filosofia, Educação e Ideologia. Correntes filosóficas e educacionais da


Educação Brasileira. Legislação Educacional da Educação Básica e Ensino Médio. Lei de
Diretrizes de Base da Educação (LDB). Planos Nacionais de Educação.

3. Conteúdo Programático:
UNIDADE 1

Qual é a natureza da concepção burguesa de sociedade e de educação e como influenciam o ensino e a pesquisa
nas ciências sociais? Qual é o papel da filosofia na abordagem ontológica marxista para a compreensão da
sociedade do capital? Porque a ciência moderna abandonou os questionamentos filosóficos e quais as
consequências disso para a apreensão da realidade? Estes e outras temas serão discutidos para refletir sobre as
conexões entre sociedade e a problemática de produção e transmissão de conhecimento, articuladas ao processo
histórico e seu vínculo a determinados interesses sociais.

UNIDADE 2

Historicamente o sistema educacional brasileiro tem sido permeado por correntes filosóficas funcionais à
reprodução de determinados interesses e de uma ordem social dividida em classes, subordinada e excludente. A
que projeto servem os acelerados retrocessos na educação e qual é a essência das correntes filosóficas que os
sustentam? Construtivismo ou escola tradicional? Novas tecnologias e metodologias, transmissão convencional de
conhecimento ou educação para a emancipação? Examinaremos a gênese sócio histórica, a natureza e a função
social dessas correntes, atuais formas de expressão da decadência ideológica burguesa, no âmbito da constituição
do capitalismo dependente brasileiro e suas mais recentes configurações.

Este Plano de ensino consta como oficial em nossos registros. Sua autenticidade pode ser confirmada na página de internet da
Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), no endereço http://sistemas.ufgd.edu.br/webdoc, por meio do
Código de Controle: 145.237.709.900 - Data: 19/06/2018 - Hora: 15:49.

UFGD - CEP: 79825-070 - Caixa Postal 322, Fone: (67) 3410-2820/2825/2826, Fax: (67) 3421-9493
secac@ufgd.edu.br - www.ufgd.edu.br - Dourados/MS Pg. 1 de 2
19/06/2018 15:49
Ministério da Educação - Universidade Federal da Grande Dourados
PROGRAD - Pró-Reitoria de Ensino de Graduação
CAAC - Coordenadoria de Assuntos Acadêmicos

UNIDADE 3

Qual é natureza da LDB 1996 e do Plano Nacional de Educação 2014 - 2024 nesta fase histórica e como se
articulam à crise sistêmica do capital? Como se conecta a Base Nacional Comum Curricular à Reforma do Ensino
Médio? Qual é o impacto de todos estes retrocessos no ensino de Ciências Sociais? Baseada em correntes
filosóficas educacionais que buscam reproduzir o padrão de sociabilidade individualista burguês, a legislação
padroniza e direciona a educação brasileira e os conteúdos escolares em função das transformações do mundo do
trabalho. Por ser um processo não homogêneo e saturado de contradições, não basta conhecer em profundidade
as leis sem estabelecer os nexos do seu enraizamento social. Ao ignorar as conexões do plano formal com o modo
de produção dominante e com as lutas por uma educação emancipadora, perde-se de vista o caráter contraditório
da legislação educativa e confundem-se marcos legais regressivos com avanços.

UNIDADE 4

As experiências revolucionarias apontam para a necessidade de alternativas que superem a parcialidade das
políticas públicas e o reformismo estatal e nos deixam algumas lições que podem servir como princípios
norteadores para conduzir mudanças no contexto atual. Dessa vez trataremos das transformações educacionais
em inicios da Revolução Russa através de Nadezhda Krupskaya e os legados fecundos que nos deixou para refletir
sobre a função que a educação e a escola tem no desenvolvimento de uma concepção de sociedade sem classes,
para além da preparação profissional e do controle social.

4. Procedimentos de Ensino:
Aula expositiva, discussoes, pesquisa biliografica, intervencoes públicas en centros escolares.

5. Recursos (Humanos, técnicos e materiais):


Louca, Giz, datashow

6. Bibliografia Básica:
DUARTE, N. As pedagogias do "aprender a aprender" e algumas ilusões da assim chamada sociedade do
conhecimento. In: Rev. Bras. Educ. [online]. 2001, n. 18, pp. 35 - 40
SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007. 472 p.
SAVIANI, DERMEVAL. Da nova LDB ao novo plano nacional de educacao: por uma outra politica
educacional. . Campinas: Autores Associados, 1998. 169p.
KRUPSKAYA, N. K. A construção da pedagogia socialista. São Paulo: Expressão Popular, 2017.
TONET, I. Método Científico. Uma abordagem ontológica. São Paulo: Instituto Lukács, 2013
SAVIANI, Dermeval. Educação: do senso comum a consciência filosófica. 5. ed. São Paulo, SP: Cortez,
1985. 224p.

Bibliografia Complementar:
MÉSZÁROS, I. Ideologia e Ciência Social. In: MÉSZÁROS, I. Filosofia, ideologia e Ciência Social. São Paulo; Trad.
Ester Vaisman, São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

MÉSZÁROS. I. A Teoria da alienação em Marx. Trad. Nélio Schneider, São Paulo: Boitempo Editorial, 2016.

7. Avaliação:
pesquisa e elaboracao de trabalho escrito
Apresentacao

Este Plano de ensino consta como oficial em nossos registros. Sua autenticidade pode ser confirmada na página de internet da
Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), no endereço http://sistemas.ufgd.edu.br/webdoc, por meio do
Código de Controle: 145.237.709.900 - Data: 19/06/2018 - Hora: 15:49.

UFGD - CEP: 79825-070 - Caixa Postal 322, Fone: (67) 3410-2820/2825/2826, Fax: (67) 3421-9493
secac@ufgd.edu.br - www.ufgd.edu.br - Dourados/MS Pg. 2 de 2