Você está na página 1de 9

PROBLEMAS RESOLVIDOS

QUESTÃO 01 (ELGERD EX 3.2) – Calcule as potências nos diversos pontos do sistema,


trabalhando com base nos seguintes dados e hipóteses:
 O perfil de tensão é unitário. As duas tensões devem ser mantidas nos valores: |E1| = |E2| =
1,0 pu.
 A reatância da linha vale 0,03 pu. A resistência é desprezada.
 As cargas nas duas barras são: SD1 = 10,0 + j3,0 pu e SD2 = 20,0 + j10,0 pu
 Da carga ativa total (30,0 pu), só 10,0 pu podem ser gerados em G2, devido ao tamanho do
gerador. Portanto, uma potência ativa de 10,0 pu deverá vir de G1 pela linha. Uma vez que
as perdas ativas na linha são nulas, a potência total gerada em G1 será de 20,0 pu.

SOLUÇÃO:

Conhecendo a potência ativa da linha e o módulo das tensões, obtemos a abertura angular
entre as barras 1 e 2 por:

V1  V2 x P   0,03  10 
P12  sen12  12  arcsen 12 12   arcsen   17,5º
x12  V1  V1   1 1 

Como E1 é tensão de referência, temos E2 = 1,0–17,5º pu.


Conhecendo a abertura angular, podemos calcular o fluxo de potência reativa na linha.
Portanto.

V1 1
Q12   1  V2  cos12   1  cos 17,5  1,54 pu
x12 0,03
V 1
Q21  2  1  V1  cos 21   1  cos17,5  1,54 pu
x12 0,03

As potências reativas saem das barras em ambos os extremos. Isso significa que as perdas
reativas a linha valem.

Q perdas  Q12  Q21  1,54  1,54  3,08 pu

Finalmente, obtemos as potências reativas geradas em ambas as barras, simplesmente


somando a carga reativa e o fluxo na linha, isto é

QG1  Q D1  Q12  3,0  1,54  4,54 pu


QG 2  QD 2  Q21  10,0  1,54  11,54 pu

QUESTÃO 02 – O diagrama unifilar da figura abaixo mostra um sistema elétrico de 3 barras. As


respectivas reatâncias das linhas são mostradas no diagrama e estão em pu na base 120 kV, 50
MVA.

Tem-se também o resultado do fluxo de carga onde mostra somente os valores de tensão em
termos de fasores nas respectivas barras.
a) Encontre os fluxos de potência ativa e reativa em pu nas respectivas linhas.
b) Com base nesses valores, dimensione o banco de capacitor ligado à barra 3 para estas
condições.

SOLUÇÃO:

a) Tratando-se de um sistema ideal sem perdas, têm-se as equações simplificadas para os


fluxos ativos e reativos.

Fluxos de Potência Ativa:


V V 11
P12   P21  1 2 sen1   2    sen0  3,8216  0,667 pu
x12 0,1
11
P13   P31   sen0   0,9568  0,167 pu
0,1
11
P23   P32   sen3,8216   0,9568  0,833 pu
0,1

Fluxos de Potência Reativa:

V12  V1  V2  cos1   2  12  1  1  cos0  3,8216


Q12  Q21    0,022 pu
x12 0,1
12  1  1  cos0   0,9568
Q13  Q31   0,001 pu
0,1
12  1  1  cos3,8216   0,9568
Q23  Q32   0,035 pu
0,1

Tem-se abaixo o diagrama mostrando o sentido dos fluxos de potência complexa.

b) Para o dimensionamento do capacitor C3, deve-se estimar a potência reativa injetada por ele.
Aplicando o balanço de potência injetada na barra 3 tem-se:

Q31  Q32  QC 3  QL 3  QC 3  Q31  Q32  QL 3  0.001  0.035  1.000  1.036 pu

Se a tensão-base do sistema é igual a 120 kV de linha, tem-se o cálculo da reatância do


capacitor C3.

V32 (1,00 pu  120 kV ) 2


XC    277,99 
QC 1,036 pu  50 MVA

QUESTÃO 03 (SAADAT, PR. 6.6) – Com base na rede abaixo, calcule os fluxos de potência na
linha e as perdas.

SOLUÇÃO:

Convertendo a impedância da linha em admitância, tem-se:

1
y12   10  j 20
0,02  j 0,04

A carga na barra 2 em pu é dada por:


280  j 60
S2    2,8  j 0,60
100

Com base nos valores de tensões nas barras 1 e 2, tem-se os cálculos para os fluxo nas
linhas.

I 12  y12 E1  E 2   10  j 201,0  j 0   0,9  j 0,10  3,0  j1,0


I 21   I 12  3,0  j1,0

S12  E1  I 12  1,0  j 0,0 3,0  j1,0   3  j1 pu  300,0 MW  j100,0 MVAr



S 21  E 2  I 21  0,9  j 0,1 3,0  j1,0  2,8  j 0,6 pu  280,0 MW  j 60,0 MVAr

A perda na linha é

S12perdas  S12  S 21  3  j1   2,8  j 0,6  0,20  j 0,40 pu  20 MW  j 40 MVAr

QUESTÃO 04 (SAADAT, 1994, EX. 6.7) – A Figura (a) mostra um diagrama unifilar de um
sistema elétrico de 3 barras com geração na barra 1. O módulo da tensão na barra 1 é ajustado para
1,06 pu. Os valores de cargas nas barras 2 e 3 são mostrados no diagrama unifilar. As impedâncias
das linhas são marcadas em pu na base 100 MVA, e o carregamento shunt de tais linhas é
desprezado.

FIGURA 6.9 – Diagrama unifilar (impedâncias em pu na base 100 MVA)

Após a execução de um fluxo de carga para o sistema acima, tem-se o resultado dos valores
de tensão nodal nas barras:

Onde:

E1 = 1,05 + j0,00 = 1,050º


E2 = 0,98 – j0,06 = 0,98183–3,5035º pu
E3 = 1,00 – j0,05 = 1,00125–2,8624º pu

FIGURA 6.9 – Diagrama unifilar (impedâncias em pu na base 100 MVA)

a) Determine os fluxos e as perdas de potência nas linhas. Construa o diagrama de fluxo de


potência, mostrando a direção real dos fluxos nas linhas.
SOLUÇÃO

a) As impedâncias das linhas são convertidas para admitâncias

1
y12   10  j 20
0,02  j 0,04
1
y13   10  j 30
0,01  j 0,03
1
y 23   16  j 32
0,0125  j 0,025

Tem-se abaixo o diagrama unifilar com suas respectivas admitâncias discriminadas:

Com base nos valores de tensões complexas nas barras, tem-se os cálculos dos respectivos
fluxos.

Para o gerador na barra 1, a potência complexa injetada é dada por:

P1  jQ1  E1 E1  y12  y13    y12 E 2  y13 E3 


 1,051,0520  j 50  10  j 200,98  j 0,06  10  j 301,00  j 0,05
 4,095  j1,890
Portanto, as potências Ativa e Reativa são: P1 = 4,085 pu = 409 MW e Q1 = 1,890 pu = 189
MVAr.

Para encontrar o fluxo nas linhas, calculam-se primeiramente as correntes nas respectivas
linhas. Desprezando o carregamento shunt das linhas, têm-se as correntes:

I 12  y12 E1  E 2   10  j 201,05  j 0  0,98  j 0,06  1,9  j 0,8


I 21   I 12  1,9  j 0,8
I 13  y13 E1  E 3   10  j 30 1,05  j 0   1,00  j 0,05  2,0  j1,0
I 31   I 13  2,0  j1,0
I 23  y 23 E 2  E 3   16  j 32 0,98  j 0,06   1,00  j 0,05  0,64  j 0,48
I 32   I 23  0,64  j 0,48

Portanto, têm-se os fluxos de potência das linhas.

S12  E1  I 12  1,05  j 0 1,9  j 0,8  1,995  j 0,84 pu  199,5 MW  j84,0 MVAr

S 21  E 2  I 21  0,98  j 0,06 1,9  j 0,8  1,91  j 0,67 pu  191,0 MW  j 67,0 MVAr
S13  E1  I 13  1,05  j 0 2,0  j1,0   2,1  j1,05 pu  210,0 MW  j105,0 MVAr

S13  E1  I 13  1,05  j 0 2,0  j1,0   2,1  j1,05 pu  210,0 MW  j105,0 MVAr

S 31  E 3  I 31  1,0  j 0,05 2,0  j1,0   2,05  j 0,09 pu  205,0 MW  j 90,0 MVAr

S 23  E 2  I 23  0,98  j 0,06  0,64  j 0,48  0,656  j 0,4322 pu  65,6 MW  j 43,2 MVAr

S 32  E 3  I 32  1,0  j 0,050,64  j 0,48  0,664  j 0,448 pu  66,4 MW  j 44,8 MVAr

As perdas nas linhas são:

S12perdas  S12  S 21  0,085  j 0,17 pu


S13perdas  S13  S 31  0,050  j 0,15 pu
S 23perdas  S 23  S 32  0,008  j 0,016 pu

O diagrama de fluxo de potência é mostrado na figura abaixo, onde a direção da potência


ativa é indicada por () e a direção da potência reativa é indicada por (). Os valores em
parênteses são as perdas ativas e reativas na linha.

PROBLEMAS PROPOSTOS

QUESTÃO 01 (SAADAT, PR. 6.6) – Com base na rede abaixo, calcule os fluxos de potência na
linha e as perdas.

RESP.:
QUESTÃO 02 – A Figura mostra um diagrama unifilar de um sistema elétrico de 3 barras com
geração nas barras 1 e 2.

As tensões complexas nas barras são discriminadas no diagrama. Os valores de carga na


barra 3 é mostrados no diagrama unifilar. As impedâncias das linhas são marcadas em pu na base
100 MVA, e o carregamento shunt de tais linhas é desprezado. Determine os fluxos e as perdas de
potência nas linhas. Construa o diagrama de fluxo de potência, mostrando a direção real dos fluxos
nas linhas.

RESP.:

QUESTÃO (SAADAT, 1994, PR. 6.7) – A Figura abaixo mostra um diagrama unifilar de um
sistema elétrico de 3 barras com geração na barra 1. O módulo da tensão na barra 1 é ajustado para
1,00 pu. Os valores de cargas nas barras 2 e 3 são mostrados no diagrama unifilar. As impedâncias
das linhas são marcadas em pu na base 100 MVA, e o carregamento shunt de tais linhas é
desprezado.
FIGURA – Diagrama unifilar (impedâncias em pu na base 100 MVA)

Após a execução de um fluxo de carga para o sistema acima, tem-se o resultado dos valores
de tensão nodal nas barras:

Onde:
V1 = 1,00 + j0,00 = 1,000º
V2 = 0,90 – j0,10 = 0,905554–6,34º pu
V3 = 0,95 – j0,05 = 0,9513–3,0128º pu

Determine os fluxos e as perdas de potência nas linhas. Construa o diagrama de fluxo de


potência, mostrando a direção real dos fluxos nas linhas.

RESP.: