Você está na página 1de 132

DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO

ESTADO DO CEARÁ

10 de outubro de 2000
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE


DO ESTADO DO CEARÁ

EQUIPE TÉCNICA

FRANCISCO MAVIGNIER CAVALCANTE FRANÇA


Coordenador, Banco do Nordeste

TANIA MARIA LACERDA MAIA – Consultora

RODRIGO MAGALHÃES NEIVA SANTOS – Banco do Nordeste

ROBÉRIO GRESS DO VALE - Banco do Nordeste

MÁRCIO MAIA SILVA – Estagiário de informática do Banco do Nordeste

MARIA DO CARMO BEZERRA - Secretária executiva da Comissão de Políticas


de Desenvolvimento Sustentável e Agenda 21

1
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO........................................................03

2. ANTECEDENTES...................................................05

3. SUGESTÕES APRESENTADAS...........................09

3.1. Tema 1: Gestão de Recursos Naturais


3.2. Tema 2: Agricultura Sustentável
3.3. Tema 3: Cidades Sustentáveis
3.4. Tema 4: Infra-estrutura e Integração Regional
3.5. Tema 5: Redução das Desigualdades Sociais
3.6. Tema 6: Ciência e Tecnologia para o
Desenvolvimento Sustentável

4. MACROTENDÊNCIAS IDENTIFICADAS NO
DEBATE..................................................................81

5. REGISTRO FOTOGRÁFICO...................................85

6. RELAÇÃO DOS PARTICIPANTES DO DEBATE...88

2
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

1. INTRODUÇÃO

Este documento reflete o esforço conjunto do Ministério do Meio Ambiente, da


Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21, da SUDENE,
do Banco do Nordeste e da Superintendência do Meio Ambiente do Ceará - SEMACE,
oficializado por meio de Termo de Cooperação Técnica, assinado no dia 08 de junho
no Palácio do Planalto, na presença do Presidente da República, objetivando preparar
e sedimentar o entendimento dos diversos setores da sociedade organizada sobre a
correlação entre os temas ambientais, sociais e econômicos, visando à construção de
um modelo de desenvolvimento sustentável para o País.

Procura-se, dessa forma, registrar todo o processo de consulta à sociedade com


o objetivo de aprimorar e validar as estratégias e ações propostas para a Agenda 21 –
Brasileira, constantes no documento “Agenda 21 Brasileira – Bases para Discussão”,
no capítulo 4, páginas 120 a 169.

As várias ações desenvolvidas pela equipe de trabalho do Estado do Ceará


objetivaram a participação dos diferentes segmentos da sociedade organizada e a
mútua cooperação em torno de um pacto ético pela sustentabilidade, tornando possível
a elaboração de 248 propostas, apresentadas e discutidas durante o Debate Estadual
da Agenda 21 Brasileira, para uma platéia composta de 295 representantes de
entidades governamentais, não governamentais, empresas privadas e de lideranças da
comunidade local.

Como objetivo secundário, este relatório poderá ser, também, utilizado como
subsídio metodológico, para aprimoramento e validação, junto ao público de interesse,
de programas e projetos públicos e privados.

O documento de relatoria, que no Termo de Cooperação Técnica citado, ficou a


cargo do Banco do Nordeste, sob a coordenação da consultora Tania Maria Lacerda
Maia, compõe-se de três partes. Na primeira, relatam-se os antecedentes e a
estratégia utilizada para o processo de discussão do documento “Agenda 21 Brasileira
– Bases para Discussão”.

Na segunda parte, encontram-se as contribuições formuladas pela sociedade


local e o relato do consenso, refletindo a posição predominante dos grupos presentes
ao debate.

Para maior clareza, o documento de relatoria das propostas foi construído em


quadros, com o nome da entidade, a descrição das propostas de reformulação e
inclusão, na cor vermelha, e as propostas de exclusão em letras azuis. Para expressar
a tendência do debate, tornando mais compreensível a leitura do texto, escolheu-se a
cor verde. O termo “Incorporada”, constante em algumas propostas, refere-se a uma
decisão da Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21
para aproveitar, automaticamente, todas as sugestões que vierem a contribuir para o
aprimoramento do texto.

3
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Por fim, são apresentadas as macrotendências identificadas no debate,


expressas pelo consenso dos participantes, listados no final deste documento.

Como complemento, está inserido, no final desta relatoria, o registro fotográfico


do dia da realização do Debate Estadual.

4
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

2. ANTECEDENTES

O Estado do Ceará realizou o Debate Estadual da Agenda 21 Brasileira,


apresentando as propostas e recomendações encaminhadas pelos diversos
segmentos da sociedade organizada do Estado, objetivando discutir e validar as
sugestões que visam a construção de um modelo de desenvolvimento sustentável para
o País. As contribuições estaduais proporcionarão um planejamento estratégico e
participativo, voltado para a implementação de um novo paradigma de
desenvolvimento, cujo arcabouço conceitual é baseado na eqüidade social, na
eficiência econômica e na racionalidade no uso dos recursos naturais.

O evento aconteceu no dia 09 de novembro de 2000, no Auditório do Centro de


Treinamento do Banco do Nordeste, em Fortaleza, com a participação do
representante da Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e Agenda 21,
Dr. Fernando Almeida, das representantes do Ministério do Meio Ambiente e da
Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e Agenda 21, Dra. Maria do
Carmo Bezerra e Vanessa Brito, do representante da SUDENE, Dr. Dagoberto Coelho
de Araújo e do representante do Banco do Nordeste, Dr. Francisco Mavignier
Cavalcante França. O superintendente da SEMACE, Dr. Antonio Renato Aragão,
representou o Governo do Estado e o Conselho Empresarial Brasileira para o
Desenvolvimento Sustentável – CEBDS foi representado pela Dra. Beatriz Bulhões.

O grupo de trabalho local, constituído dos representantes da SUDENE, Dr.


Francisco Ésio de Sousa , do Banco do Nordeste, Dr. Isaías Matos Dantas, e da
Superintendência do Meio Ambiente do Ceará - SEMACE , Dra. Cleonice Almeida
Pinto, apresentou as etapas do processo de divulgação e o envolvimento da
sociedade, enfocando: (a) estabelecimento de metodologia de trabalho; (b) reuniões de
negociações sobre a forma de ampliar o processo de participação com envolvimento de
todos os setores da sociedade civil organizada e (c) identificação dos setores da
sociedade que devem estar representados, em função das particularidades locais.

Os representantes do Banco do Nordeste, da SEMACE e da SUDENE


apresentaram o processo de discussão da Agenda 21 Brasileira, desenvolvido no
Estado do Ceará, que foi desencadeado no dia 12 de julho, com a instalação, pela
secretaria executiva da Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e
Agenda 21, de um grupo interinstitucional, composto por representantes do Banco do
Nordeste, da Superintendência do Meio Ambiente do Ceará - SEMACE e da SUDENE,
com a finalidade de dar apoio logístico aos trabalhos de divulgação da Agenda 21 no
Estado.

Após a definição da metodologia de trabalho, o grupo deu início às atividades


de convocação da sociedade local, para coleta de sugestões e formulação de
propostas que seriam discutidas e validadas no debate estadual, objetivando a
construção de um modelo de desenvolvimento sustentável para o País.

Para se estabelecer uma ampla participação, em função do prazo disponível,


ficou estabelecido que a divulgação seria realizada por meio de palestras, reuniões e
da imprensa falada e escrita, visando um processo participativo, envolvendo os
diferentes segmentos da sociedade civil organizada.

5
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Após o estabelecimento dessa estratégia, foram distribuídos documentos da


“Agenda 21 Brasileira – Bases para a Discussão”, juntamente com os formulários
para apresentação das contribuições, para 700 representantes de entidades
governamentais e não governamentais, empresariais e sindicais, da capital e do
interior do Estado, conforme o quadro:

ESTATÍSTICAS DA DISTRIBUIÇÃO DOS DOCUMENTOS DA AGENDA 21

ENTIDADES CAPITAL INTERIOR TOTAL


(Órgãos Governam.,Empresas
Privadas e 3º Setor )

TOTAL 455 245 700

Distribuição de Publicações

25%

41%

Setor Privado
Setor Público
ONGs
34%

Antecedendo a data estabelecida pela Comissão para o debate estadual, foram


organizados vários eventos e reuniões individuais com representantes de
universidades, fundações, empresas estatais, ONGs, para divulgação e organização
de multiplicadores das ações, destacando-se:

13/07 - Encontro inicial - Fortaleza


05 a 15/08 - Recebimento e distribuição das publicações
15/09 -Encontro na Câmara de Dirigentes Lojistas (Prazo inicial para
entrega de sugestões)
18/09 - Apresentação no Pacto de Cooperação
22/09 -Apresentação no Fórum de Clientes (Banco do Nordeste) do
Ceará

6
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

28/09 - Apresentação na Secretaria de Infra-estrutura


31/10 - Apresentação no Pacto de Cooperação da região do Cariri -
Juazeiro do Norte
01/11 - Apresentação para Equipe técnica e de articulação do Pólo Baixo
Jaguaribe - Russas

Objetivando facilitar a formulação de sugestões à Agenda 21 Brasileira,


organizou-se, em Fortaleza, seis grandes oficinas, com a colaboração de técnicos de
diversas instituições, conforme discriminação:

04/10 - Infra-estrutura e Integração Regional


06/10 – Redução das Desigualdades Sociais
10/10 – Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Sustentável
16/10 – Cidades Sustentáveis
18/10 – Gestão dos Recursos Naturais
20/10 – Agricultura Sustentável.

Para finalizar essa etapa de mobilização, no dia 27 de outubro foi realizado um


Painel para apresentação e discussão das propostas sugeridas durante as oficinas.

Ao concluir esse primeiro momento, o grupo de trabalho local recebeu as


contribuições do Estado para a Agenda 21 Brasileira, apresentando o seguinte
resultado:

ESTATÍSTICAS DAS CONTRIBUIÇÕES


Nº DE PERCENTUAL
TEMAS CONTRIBUIÇÕES %
1. Gestão de Recursos Naturais 49 20
2. Agricultura Sustentável 49 20
3. Cidades Sustentáveis 17 6,8
4. Infra-Estrutura e Integração Regional 70 28
5. Redução das Desigualdades Sociais 45 18
6. Ciência e Tecnologia 18 7,2

TOTAL 248 100

Tipos de Proposições
Exclusão
1%

Alteração
42%

Inclusão
57%

7
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Após esse breve relato, foi iniciado o debate com a discussão das propostas do
Estado do Ceará, conduzido e mediado pelo Dr. Fernando Almeida e apresentado pela
Dra. Maria do Carmo.

8
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

3. SUGESTÕES APRESENTADAS

9
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

3.1. TEMA 1: GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS

10
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Estratégias

Tema: RECURSOS NATURAIS

Nenhuma Reformulação Proposta

Inclusão de
Estratégias

Tema: RECURSOS NATURAIS

Nenhuma Inclusão Proposta

Exclusão de
Estratégias

Tema: RECURSOS NATURAIS

Nenhuma Exclusão Proposta

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

11
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Ações

Tema: RECURSOS NATURAIS

Estratégia 1 -

Proposta 4.1.1.1 – INCORPORADO Entidade


TÍTULO: Apoio à elaboração e implementação de SEMACE, UFC, PMF
UNIFOR, SRH, EMATERCE,
zoneamentos ambientais SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
IDACE, UECE, IBAMA, Centro
Sugerida a modificação do texto para: de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
Apoiar a elaboração e a implementação de zoneamento econômico Docas do Ceará, SDR, Sind.
Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
ecológico. IEPRO
Proposta 4.1.1.2 – INCORPORADO Entidade
Complementar e concluir os planos existentes e implementar os programas SEMACE, UFC, PMF
propostos de gerenciamento costeiro nos municípios litorâneos do país, UNIFOR, SRH, EMATERCE,
promovendo o ordenamento do espaço nas regiões costeiras e nos SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
IDACE, UECE, IBAMA, Centro
ambientes aquáticos adjacentes, de acordo com a capacidade de suporte de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
dos mesmos. Prevê-se: identificar e implantar reservas estratégicas Docas do Ceará, SDR, Sind.
conforme a Lei Federal 9.636/98; aperfeiçoar a definição legal de praia e Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
as delimitações biogeográficas efetivas em relação aos complexos IEPRO
estuarinos, manguezais, áreas de apicum, dunas, restingas, falésias
e todas as suas formas de representação, possibilitando a
aplicação da legislação pertinente para a proteção e utilização sustentável
desses recursos visando à regulamentação do uso e garantia do livre
acesso; realizar o zoneamento das áreas propícias à aqüicultura em águas
públicas; regulamentar e regularizar as instalações aquáticas e as
localizadas em terrenos do patrimônio da União, conforme a capacidade de
suporte dos ecossistemas.

12
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.1.1.3 – Recuperação, revitalização, conservação e gestão


de bacias hidrográficas e de seus recursos vivos Entidade
INCORPORADO
INCORPORADO SEMACE, UFC, PMF
UNIFOR, SRH, EMATERCE,
Evitar ou atenuar a degradação de bacias hidrográficas a partir do SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
desenvolvimento de atividades integradas de gestão sustentável dos IDACE, UECE, IBAMA, Centro
recursos naturais. Prevê-se: promover o planejamento integrado de de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
intervenções; implementar o uso de instrumentos econômicos para Docas do Ceará, SDR, Sind.
incentivar práticas adequadas e punir práticas inadequadas; criar e Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO
aprimorar o uso de instrumentos de regulamentação; favorecer a
mobilização social para o trato local da questão; implementar ações de
fiscalização e monitoramento; e desenvolver indicadores de avaliação de
escassez de água.

Proposta 4.1.1.4 – Implantação de corredores ecológicos Entidade


Implantar corredores ecológicos nas regiões de interesse estratégico para a SEMACE, UFC, PMF
conservação da diversidade biológica do país. Iniciar pela implantação dos UNIFOR, SRH, EMATERCE,
sete corredores definidos no Programa-Piloto para a Proteção das Florestas SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
IDACE, UECE, IBAMA, Centro
Tropicais do Brasil: Corredor da Caatinga, Corredor da Amazônia de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
Central, Corredor Norte da Amazônia, Corredor Oeste da Amazônia, Docas do Ceará, SDR, Sind.
Corredor Sul da Amazônia, Corredor dos Ecótones Sul-Amazônicos, Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
Corredor Norte da Mata Atlântica e Corredor da Serra do Mar. Essa IEPRO
implantação deverá se dar a partir da compatibilização das atividades
econômicas e sociais e da adesão dos estados e municípios e comunidades
abrangidos pelas áreas dos Corredores Ecológicos, promovendo a conexão
de fragmentos florestais, com o objetivo de conservação e uso sustentável
da biodiversidade.
Por consenso, sugerida a incorporação da caatinga como corredor
ecológico.
Implantar corredores ecológicos nas regiões de interesse estratégico para a URCA
conservação da diversidade biológica do país. Iniciar pela implantação dos
sete corredores definidos no Programa-Piloto para a Proteção das Florestas
Tropicais do Brasil: Corredor da Amazônia Central, Corredor Norte da
Amazônia, Corredor Oeste da Amazônia, Corredor Sul da Amazônia,
Corredor dos Ecótones Sul-Amazônicos, Corredor Norte da Mata
Atlântica, Corredor da Serra do Mar e Corredor da Chapada do
Cariri. Essa implantação deverá se dar a partir da compatibilização das
atividades econômicas e sociais e da adesão dos estados e municípios e
comunidades abrangidos pelas áreas dos Corredores Ecológicos,
promovendo a conexão de fragmentos florestais, com o objetivo de
conservação e uso sustentável da biodiversidade.
Por consenso, sugerida a inclusão dessa reformulação no item anterior.

13
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.1.1.5 - INCORPORADO Entidade


Criar novas Unidades de Conservação de uso direto e indireto e SEMACE, UFC, PMF
implementar efetivamente aquelas existentes de modo a formarem um UNIFOR, SRH, EMATERCE,
conjunto significativo que corresponda a, pelo menos, 10% da área de cada SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
IDACE, UECE, IBAMA, Centro
um dos principais ecossistemas (biomas) terrestres, costeiros e oceânicos, de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
presentes no território nacional, que são: Amazônia, a Mata Docas do Ceará, SDR, Sind.
Atlântica, Cerrado (Pantanal) e Caatinga (Semi-árido). Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO
Por consenso, proposta aprovada.

Criar novas Unidades de Conservação de uso direto e indireto com base URCA

no levantamento de espécies endêmicas e outras


metodologias adequadas e implementar efetivamente aquelas
existentes de modo a formarem um conjunto significativo que corresponda
a, pelo menos, 10% da área de cada um dos principais ecossistemas
(biomas) terrestres, costeiros e oceânicos, presentes no território nacional.
Por consenso, proposta não aprovada.

Estratégia 2

Proposta 4.1.2.6 – INCORPORADO Entidade


Combater a comercialização ilegal de animais e plantas nativas em todo o URCA
território nacional. Prevê o estabelecimento de medidas punitivas que
resultem na diminuição do tráfico de espécies animais e vegetais nativos e
fósseis, inclusive as espécies de valor medicinal e ornamental, que hoje
constituem preocupação nacional no que se refere à conservação da
diversidade biológica. Implica o estabelecimento de parcerias para a
efetivação do combate ao tráfico e o estabelecimento de critérios
que diferenciem ação predatória para diferentes fins e
coleta com objetivo científico.
Por consenso, proposta aprovada com a inclusão: ...espécies animais e
vegetais nativos e fósseis....

Estratégia 3

Proposta 4.1.3.14 – Integração, fortalecimento e/ou implantação de


centros de excelência em pesquisa sobre gestão Entidade
dos recursos naturais
Promover a integração, o fortalecimento e/ou a implantação de centros de Fórum Araripense de Prevenção e
excelência em gestão dos recursos naturais para o desenvolvimento Combate a Desertificação
sustentável nas diferentes regiões do país, implantando banco de
dados sobre a biorregião, acessível a todos os municípios.
Por consenso, proposta aprovada com a retirada do texto:
sobre a biorregião

14
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Estratégia 4

Proposta 4.1.4.2 – INCORPORADO Entidade

Apoiar o estabelecimento de normas e regulamentos que promovam o uso SEMACE, UFC, PMF
racional de energia. Implica encontrar um meio direto de transferir ao UNIFOR, SRH, EMATERCE,
SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
consumidor as orientações e as escolhas decididas no nível técnico e IDACE, UECE, IBAMA, Centro
científico, no que se refere ao uso racional de energia. Poderá incluir de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
atividades como: limitação das velocidades nas estradas, Docas do Ceará, SDR, Sind.
Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
exigência de um determinado nível de eficiência dos IEPRO
equipamentos e veículos, estabelecimento de padrões de
isolamento de equipamentos, entre outras.

Proposta 4.1.4.7 – INCORPORADO Entidade

Dotar o país de uma política eficaz e sustentável na área de proteção dos SEMACE, UFC, PMF
mananciais superficiais e subterrâneos usados para abastecimento público UNIFOR, SRH, EMATERCE,
SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
de água, promovendo e difundindo uma ampla avaliação relativa às IDACE, UECE, IBAMA, Centro
práticas/experiências na área; implementando mecanismos compensatórios de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
e punitivos; incentivando a criação e a implementação de unidades de Docas do Ceará, SDR, Sind.
conservação; buscando responsabilizar usuários da água por práticas de Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
proteção; favorecendo a proteção de áreas de recarga de aqüíferos e IEPRO

protegendo as nascentes e matas ciliares.

15
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.1.4.8 – Conservação dos recursos hídricos visando ao Entidade


aumento da disponibilidade hídrica
Desenvolver ação no âmbito de bacias hidrográficas e áreas de aqüíferos, SEMACE, UFC, PMF
UNIFOR, SRH, EMATERCE,
priorizando o consumo humano, agrícola e industrial, com SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
o objetivo de prevenir a escassez de água nos mananciais ou, ao menos, IDACE, UECE, IBAMA, Centro
atenuar os efeitos de sua ocorrência nas distintas regiões do Brasil. São de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
previstas as seguintes atividades: implementar cobrança pelo uso da água Docas do Ceará, SDR, Sind.
como instrumento de controle de conservação (prevista na Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO
Lei 9.433); estudar tecnologias de reuso da água; promover, se necessária,
a criação de novas reservas de água; favorecer a mobilização social para o
trato local da questão; aperfeiçoar os critérios de formação de comitês e
consórcios de bacias hidrográficas e outorga de água; incentivar o uso mais
eficiente das reservas existentes (represas, açudes); desenvolver técnicas de
previsão de ocorrência de situações de escassez de água e incentivar a
interligação de bacias hidrográficas, especialmente na
região Nordeste.
Por consenso, proposta aprovada com a retirada de: agrícola e
industrial, deixando a reformulação com o texto:
Desenvolver ação no âmbito de bacias hidrográficas e áreas de
aqüíferos, priorizando o consumo humano, com o objetivo de prevenir
a escassez de água nos mananciais ou, ao menos, atenuar os efeitos de
sua ocorrência nas distintas regiões do Brasil. São previstas as
seguintes atividades: implementar cobrança pelo uso da água como
instrumento de controle de conservação (prevista na Lei 9.433);
estudar tecnologias de reuso da água; promover, se necessária, a
criação de novas reservas de água; favorecer a mobilização social para
o trato local da questão; aperfeiçoar os critérios de formação de
comitês e consórcios de bacias hidrográficas e outorga de água;
incentivar o uso mais eficiente das reservas existentes (represas,
açudes e outros); desenvolver técnicas de previsão de ocorrência de
situações de escassez de água e incentivar a interligação de bacias
hidrográficas, especialmente na região Nordeste.

Proposta 4.1.4.13 – INCORPORADO Entidade


Ação voltada à implementação de programas de monitoramento da SEMACE, UFC, PMF
qualidade do ar nos âmbitos local e regional. Implica atividades UNIFOR, SRH, EMATERCE,
governamentais e incentivo a procedimentos de automonitoramento de SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
IDACE, UECE, IBAMA, Centro
plantas industriais e veículos automotores onde se fizerem de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
necessários e oportunos. Docas do Ceará, SDR, Sind.
Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO

16
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.1.4.16 – Divulgação da sistemática dos mecanismos de Entidade


desenvolvimento limpo e definição de critérios
para eleição de projetos
Divulgar e disseminar de forma sistemática os mecanismos de SEMACE, UFC, PMF
desenvolvimento limpo (CDM) e definição de critérios de elegibilidade de UNIFOR, SRH, EMATERCE,
SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
projetos ambientalmente sustentáveis passíveis de IDACE, UECE, IBAMA, Centro
certificação, que ofereçam garantia de redução de de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
Docas do Ceará, SDR, Sind.
emissões de CO2 de modo a incentivar o controle Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
ambiental. IEPRO
Por consenso, proposta aprovada.

Estratégia 5

Proposta 4.1.5.1 – Promoção e valorização do papel dos atores sociais Entidade


na gestão dos recursos naturais
Promover e valorizar o papel dos organismos locais, como associações SEMACE, UFC, PMF
UNIFOR, SRH, EMATERCE,
comunitárias, cooperativas, agentes financiadores, associações de SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
produtores, sindicatos, ONGs, na gestão dos recursos naturais. IDACE, UECE, IBAMA, Centro
Por consenso, proposta não aprovada, deixar o texto original. de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
Docas do Ceará, SDR, Sind.
Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO
Promover e valorizar o papel dos organismos locais, como associações
SACPROD – Serviço de apoio ao
comunitárias, cooperativas, associações de produtores, consumidores e cooperativismo de prossumidores
prossumidores, sindicatos, ONGs, associações de apoio ao para o desenvolvimento local
cooperativismo de prossumidores para o desenvolvimento integrado e sustentável do Ceará
local, integrado e sustentável (SACPROD), destinado ao
planejamento e à gestão de projetos de desenvolvimento
sustentável com base em empreendimento privados,
rurais e/ou urbanos.
Por consenso, proposta não aprovada.
Proposta 4.1.5.2 – INCORPORADO Entidade
Fortalecer os organismos públicos que atuam na gestão dos recursos SEMACE, UFC, PMF
naturais. Implica capacitação e eventual restruturação dos OEMAs e UNIFOR, SRH, EMATERCE,
SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
criação de organismos municipais envolvidos na gestão dos recursos IDACE, UECE, IBAMA, Centro
naturais. Prevê-se o fortalecimento dos programas existentes em nível de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
federal, estadual e local. Docas do Ceará, SDR, Sind.
Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO
Proposta 4.1.5.3 – Capacitação dos recursos humanos para o Entidade
desenvolvimento sustentável
Promover a capacitação técnica e profissional de recursos humanos de SEMACE, UFC, PMF
UNIFOR, SRH, EMATERCE,
organismos públicos, privados, instituições de ensino, associações SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
comunitárias e ONGs para a gestão integrada dos recursos naturais IDACE, UECE, IBAMA, Centro
consoante com o desenvolvimento sustentável. de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
Por consenso, proposta aprovada Docas do Ceará, SDR, Sind.
Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO

17
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.1.5.4 – Promoção de Campanhas de Conscientização Entidade


Título: Estabelecer estratégias de conscientização
SEMACE, UFC, PMF
contínua UNIFOR, SRH, EMATERCE,
Por consenso, sugerida a modificação para: SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
Estabelecimento de estratégias de informação e sensibilização IDACE, UECE, IBAMA, Centro
contínua. de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
Docas do Ceará, SDR, Sind.
Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO

Proposta 4.1.5.5 – INCORPORADO Entidade


Apoiar e criar mecanismos para a implementação de política de
SEMACE, UFC, PMF
educação ambiental, em todo o território nacional, em particular o UNIFOR, SRH, EMATERCE,
Programa Nacional de Educação Ambiental (Pronea). SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
IDACE, UECE, IBAMA, Centro
de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
Docas do Ceará, SDR, Sind.
Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO

18
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Apoiar a implementação de política de educação ambiental, em todo o


território nacional, em particular o Programa Nacional de Educação Fórum Araripense de Prevenção e
Combate a Desertificação
Ambiental (Pronea);
 envolver órgãos governamentais e não
governamentais, no processo de capacitação para
educação ambiental formal e não formal;
Por consenso, proposta aprovada.

 realizar encontros periódicos (semestrais)


envolvendo pessoas e instituições integrantes da
RAREA.

Por consenso, proposta modificada para:


 fomentar a criação de rede de educação ambiental.
 captar recursos públicos e privados para a
viabilização de ações, projetos e programas de
educação ambiental;
Por consenso, proposta aprovada.

 desenvolver métodos e técnicas adequadas à


pesquisa em educação ambiental;
Por consenso, proposta aprovada.

 construir uma matriz curricular apropriada à


biorregião que permita o desenvolvimento da
educação ambiental;

Por consenso, proposta modificada para:


 construir uma matriz curricular apropriada às
diversidades regionais;

 priorizar, na prática da educação ambiental,


recursos literários, artísticos paisagísticos e
culturais do local;
Por consenso, proposta aprovada.

 produzir vídeos, áudios e literatura adequada à


educação ambiental;
Por consenso, proposta aprovada.

 desenvolver mecanismos e metodologias de


avaliação em educação ambiental.
Por consenso, proposta aprovada.

19
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.1.5.6 – Estabelecimento de uma rede de cooperação sobre Entidade


mudanças climáticas, entre centros de pesquisa
internacionais, nacionais e regionais.
Por consenso, proposta modificação para:
Estabelecimento de uma rede de informações de variáveis
climatológicas e hidrológicas e de cooperação para o estudo da
detecção de variáveis, alterações e mudanças climáticas, entre centros
de pesquisa internacionais, nacionais e regionais.

Estabelecer uma rede de colaboração de centros de pesquisa internacionais, SEMACE, UFC, PMF
nacionais e regionais sobre mudanças climáticas para intercâmbio e UNIFOR, SRH, EMATERCE,
SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
difusão do conhecimento técnico-científico extensivas aos OEMAs IDACE, UECE, IBAMA, Centro
e instituições de ensino e pesquisa, sobre mudanças climáticas e de Des. Infantil, CEFET, SETUR,
poluição do ar, bem como de tecnologias ambientalmente adequadas para Docas do Ceará, SDR, Sind.
redução das emissões de poluentes atmosféricos, de forma a subsidiar a Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO
tomada de decisão.
Por consenso, proposta modificação para:
Estabelecer uma rede de colaboração de centros de pesquisa
internacionais, nacionais e regionais sobre alterações, flutuações e
mudanças climáticas para intercâmbio e difusão do conhecimento
técnico-científico extensivas aos OEMAs e instituições de ensino e
pesquisa, sobre mudanças climáticas e poluição do ar, bem como de
tecnologias ambientalmente adequadas para redução das emissões de
poluentes atmosféricos, de forma a subsidiar a tomada de decisão.

Inclusão de Ações

Tema: RECURSOS NATURAIS

Estratégia 1

Proposta 4.1.1.1 – Apoio a elaboração de zoneamento ambientais Entidade


Por consenso, proposta modificação para:
Apoio à elaboração de zoneamento econômico-ecológico.

Fazer o mapeamento morfo-genético dos solos como Banco do Nordeste


forma de ampliar o conhecimento da base física e
subsidiar o planejamento.
Por consenso, proposta não aprovada.

20
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.1.1.2 – Implementação do programa nacional de Entidade


Gerenciamento costeiro
Desenvolver uma modelagem participativa para a gestão Banco do Nordeste

dos recursos costeiros e marítimos, envolvendo inclusive


a construção de consciência ambiental, identificação de
espécies em ameaça de extinção, regulamentação da
pesca, proteção nas épocas de reprodução e crescimento,
objetivando a proteção dos ecossistemas e grupos sociais
dependentes destes recursos.
Por consenso, proposta não aprovada.

Proposta 4.1.1.3 – Recuperação, Revitalização e conservação de Entidade


Bacias Hidrográficas e de seus recursos vivos
Utilizar a bacia hidrográfica e suas subdivisões Banco do Nordeste

(subbacia e microbacias) como unidade de


planejamento, implementação de ações e gerenciamento
ambiental, justificada pela convergência dos impactos e
inter-relação à montante e à jusante;
Por consenso, proposta aprovada.

Proposta 4.1.1.4 – Implantação de Corredores ecológicos Entidade


Incluir a caatinga e os cerrados na implantação de Banco do Nordeste

corredores ecológicos, bem como implementação de


ações para ampliar o conhecimento desses ecossistemas e
combate à desertificação;
Por consenso, proposta aprovada.

21
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Estratégia 2

Proposta 4.1.2.1 – Promoção do Manejo Sustentável da Entidade


Biodiversidade
Promover o patenteamento e a incubação biotecnológica Banco do Nordeste
(fitoterápicos, cultivares, defensivos biológicos,
antibióticos naturais, princípios ativos de interesse
industrial), como forma de incrementar a conservação
das espécies e dos ecossistemas;
Por consenso, proposta aprovada.

Proposta 4.1.2.5 – Fomento às iniciativas de produção de sementes e Entidade


mudas de essências florestais
Incentivar a geração de tecnologia para utilização da Banco do Nordeste

micropropagação, como ferramenta de multiplicação de


material genético para reflorestamento;
Sem comentário do público.

Proposta 4.1.2.6 – Combate o tráfego de animais e plantas nativas Entidade


Inserir o critério da responsabilidade compartilhada Banco do Nordeste

com os países consumidores de animais, plantas e


madeira traficada para o combate do comércio ilícito;
Por consenso, proposta aprovada.

Proposta 4.1.2.7 – Prevenção do efeito nocivo de espécies Entidade


introduzidas
Implantar viveiros florestais, em todos os municípios Fórum Araripense de Prevenção e
Combate a Desertificação
incluídos em APAs, para a produção de espécies
frutíferas, essências florestais, plantas ornamentais e
medicinais.
Por consenso, proposta aprovada com modificação:
Implantar viveiros florestais, em todos os municípios, ou consórcios
municipais, para a produção de espécies frutíferas, essências
florestais, plantas ornamentais e medicinais.

Proposta 4.1.2.8 – Entidade


Alavancar negócios ambientais (ecoturismo, pesca Banco do Nordeste

esportiva, certificação ecológica, agricultura orgânica,


produção de filmes que retratam os hábitos biológicos
das espécies, apoio aos grupamentos indígenas, através
da valorização cultural, artesanato e outros produtos),
que incrementem a conservação ambiental sustentável;
Por consenso, proposta aprovada com o texto:
Alavancar negócios ambientais que incrementem a conservação
ambiental sustentável.

22
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Estratégia 3

Proposta 4.1.3.10 – Desenvolvimento de Técnicas de recuperação Entidade


de ambientes degradados
Estimular a criação de um fundo de reserva para SEMACE, UFC, PMF
UNIFOR, SRH, EMATERCE,
assegurar a recuperação de áreas degradadas por SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
empreendimentos que alteram os recursos naturais. IDACE, UECE, IBAMA, Centro de
Des. Infantil, CEFET, SETUR,
Docas do Ceará, SDR, Sind.
Por consenso, proposta não aprovada. Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
IEPRO
Proposta 4.1.3.15 – Desenvolvimento da capacidade de convivência Entidade
com a seca
Por consenso, proposta aprovada com a modificação:
Desenvolvimento da capacidade de convivência com a seca.

23
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

 elaborar um plano permanente de combate aos Prefeitura Municipal de Caririaçu


efeitos da seca, utilizando-se medidas preventivas
de convivência com esse fenômeno, por meio da
construção de açudes, barragens, poços profundos,
culturas alternativas e outros;
Por consenso, proposta não aprovada.

 difundir a tecnologia de captação de água de


chuvas para o semi-árido rural e urbano, como Banco do Nordeste
fonte complementar de suprimento de água de boa
qualidade para consumo humano e animal, além
da redução de gastos com carros-pipas,
minimização da disseminação de doenças de
veiculação hídrica no meio rural e incremento da
sustentabilidade.
Por consenso, proposta não aprovada.

 gerar tecnologias e estimular programas


governamentais voltadas à convivência com a seca
em detrimento ao combate à seca.
Por consenso, proposta aprovada.

 aproveitar o máximo das águas das chuvas por


meio da implementação de pequenas barragens
sucessivas e “cisternas”;
Por consenso, proposta não aprovada.

Sugerida pela Petrobrás e Dnocs a inclusão de outras ações, aprovadas


por consenso:
 garantir formas de acesso ao bem público água;
 incentivar a fixação do homem no semi-árido, por meio da
reforma agrária;
 elaborar um sistema de gestão ambiental participativo,
disponibilizando equipe multidisciplinar e recursos tecnológicos
capazes de fornecer modelos matemáticos e estocásticos de
previsibilidade da seca e orientar a administração de estoque
hídrico. Dar soluções de manejo destes recursos, apropriados às
condições geológicas de cada região;
 capacitar líderes comunitários integrantes dos comitês de bacia
para a gestão dos recursos hídricos, por meio das universidades e
centros tecnológicos;
 incluir, no ensino formal, os aspectos relevantes capazes de
sensibilizar para o correto manejo dos recursos hídricos.

24
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Estratégia 4

Proposta 4.1.4.7 – Proteção do mananciais superficiais e Entidade


subterrâneos
Criar política integrada de gerenciamento da qualidade SEMACE, UFC, PMF
UNIFOR, SRH, EMATERCE,
da água de corpos hídricos, e classificação pretendida, SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
baseada na resolução nº 20 do CONAMA para cada IDACE, UECE, IBAMA, Centro de
Des. Infantil, CEFET, SETUR,
manancial, adequando a isto os padrões de lançamento Docas do Ceará, SDR, Sind.
permitidos, bem como tarifas baseadas no princípio Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
poluidor-pagador. IEPRO
Por consenso, proposta aprovada.
Proposta 4.1.4.8 – Conservação dos recursos hídricos visando o Entidade
aumento da disponibilidade de água
Definir critérios de licenciamento e outorga para uso dos Banco do Nordeste

recursos hídricos, bem como regras de perdas desses


direitos e formas compensatórias.
Por consenso, proposta aprovada.
Banco do Nordeste
Promover a segurança (manutenção de suficiência do
recurso ou meios para reduzir os danos da escassez) e
solidariedade hídrica à montante e à jusante, como forma
de compartilhar disponibilidades e mitigar conflitos;
Por consenso, proposta aprovada.
Proposta 4.1.4.23 – Entidade
Realizar o inventário situacional, recuperação e Banco do Nordeste
preservação das matas ciliares ao longo dos rios, riachos
e suas nascentes, lagos, lagoas e outros mananciais,
visando sua conservação e dos ecossistemas associados;
Por consenso, proposta aprovada.

Estratégia 5

Proposta 4.1.5.2 – Fortalecimento das organizações públicas que Entidade


atuam na gestão dos recursos
Aplicar severamente a legislação ambiental com Prefeitura Municipal de Paramoti
reestruturação dos órgãos ambientais existentes.
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto para:
Reestruturar os órgãos ambientais existentes para aplicação da
legislação ambiental, garantindo a efetiva participação dos conselhos
estaduais e municipais.

25
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.1.5.5 – Implementação de política nacional de educação Entidade


ambiental
Implementar Políticas e Programas Nacionais de URCA

Educação Ambiental como instrumentos estratégicos


promotores de Desenvolvimento Sustentável da Agenda
21 Brasileira.
Por consenso, proposta aprovada.

Proposta 4.1.5.8 – Apoio e fortalecimento dos conselhos


municipais de defesa do meio Entidade
ambiente.
Por consenso, proposta aprovada.
Criar mecanismos eficazes de apoio aos conselhos CODEMA – Conselho municipal de
defesa do meio ambiente
municipais, objetivando fortalecer suas bases no sentido
de policiarem seus recursos naturais.

Por consenso, proposta aprovada com o texto:


Criar mecanismos eficazes de apoio que possam garantir a efetiva
participação dos conselhos estaduais e municipais.

Proposta 4.1.5.9 – Entidade


Instituir ouvidorias ambientais Ouvidoria Geral do Estado do Ceará

Por consenso, proposta aprovada.

26
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Exclusão de
Ações

Tema: RECURSOS NATURAIS

Estratégia 4 –
Proposta 4.1.4.19 – Criação do imposto verde Entidade
Estabelecer impostos e/ou recolhimentos incidentes SEMACE, UFC, PMF
UNIFOR, SRH, EMATERCE,
sobre veículos automotores e relativos ao consumo de SEINFRA, FUNCEME, SUDENE,
combustíveis alternativos. Implica adoção de valores IDACE, UECE, IBAMA, Centro de
Des. Infantil, CEFET, SETUR,
variáveis, segundo o combustível utilizado, de forma a Docas do Ceará, SDR, Sind.
punir o uso de combustíveis convencionais e promover a Laticínios, Ouvidoria, INCRA,
utilização de combustíveis alternativos menos poluentes. IEPRO
Os recursos arrecadados deverão ser direcionados a
investimentos em transportes coletivos, inclusive a gás, e
à implantação de sistemas de controle de qualidade do ar
em grandes e médios centros urbanos.
Por consenso, proposta aprovada.

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

27
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

3.2. TEMA 2: AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

28
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Estratégias

Tema: AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

Estratégia 1 - INCORPORADO Entidade

Fortalecer mecanismos e instâncias paritárias de negociação entre EMATERCE, UNIFOR,


FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
governo e sociedade civil. SDR, SRH, FAEC/SENAR,
PRODEMA/UFC, CAA/AQUIRAZ,
FUND. CIS/COREAÚ, CIA
DOCAS CEARÁ, UECE,
CARITAS REGIONAL, IBAMA,
SMDT-PMF, OUVIDORIA
GERAL, SEMACE, AEAC -
Depart. Téc. Cient.

Estratégia 2 – Fortalecer a agricultura familiar frente aos desafios da Entidade


sustentabilidade

Fortalecer a agricultura familiar e demais formas de agriculturaEMATERCE, UNIFOR,


FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
frente aos desafios da sustentabilidade agrícola. SDR, SRH, FAEC/SENAR,
PRODEMA/UFC, CAA/AQUIRAZ,
Por consenso, proposta aprovada: FUND. CIS/COREAÚ, CIA
Fortalecer a agricultura familiar dos pequenos agricultores frente DOCAS CEARÁ, UECE,
aos desafios da sustentabilidade agrícola. CARITAS REGIONAL, IBAMA,
SMDT-PMF, OUVIDORIA
GERAL, SEMACE, AEAC -
Depart. Téc. Cient.
Fortalecer as agriculturas familiar, alternativas e URCA
agrosilvopastoris, frente aos desafios da sustentabilidade agrícola.
Por consenso, proposta não aprovada.

29
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Estratégia 3 – Incentivar o manejo sustentável dos sistemas Entidade


produtivos

SEINFRA, SETAS, IDACE,


COGERH, EMATERCE, SDE,
INCORPORADO Pacto de Cooperação, FIEC/IEL
Incentivar e propagar o manejo sustentável de todos os sistemas Assembléia Legislativa, INCRA,
produtivos UECE, SEAGRI, Docas do Ceará,
Ouvidoria, SEMACE, SEBRAE,
FUNCI-Fund. Da Criança Família
Cidadã, LABOMAR, CETRA-
Centro de Est. de Trabalho e
Assessoria, IICA, Associação
Cearense dos Engenheiros
Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol. e
Vocacional de Aquiraz,
METROFOR, SUDENE, IBAMA,
UFC, Cáritas Brasileira, FUNCAP,
CEFET, FUNCEME, Fundação
Araripe, CAA, Círculo de Vivência.

Inclusão de
Estratégias

Tema: AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

Nenhuma Inclusão proposta

Exclusão de
Estratégias

Tema: AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

Nenhuma Exclusão Proposta

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

30
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Ações

Tema: AGRICULTURA SUSTENTAVEL

Estratégia 1 –

Proposta 4.2.1.1 - INCORPORADO Entidade


Propor novos mecanismos de negociação e articulação entre sociedade EMATERCE, UNIFOR,
FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
civil e governo e valorização dos mecanismos já existentes (comitês de SDR, SRH, FAEC/SENAR,
bacias, conselhos municipais, Agenda 21 local e regional, dentre outros), PRODEMA/UFC,
assegurando sua representação paritária. CAA/AQUIRAZ, FUND.
CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
CEARÁ, UECE, CARITAS
REGIONAL, IBAMA, SMDT-
PMF, OUVIDORIA GERAL,
SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
Cient.
Propor novos mecanismos de articulação entre sociedade civil e governo e URCA
valorização dos mecanismos já existentes (comitês de bacias, conselhos
municipais, Agenda 21 local e regional, sindicatos rurais, ligas
camponesas e comunitárias, dentre outros);
dentre outros).
Por consenso, proposta não aprovada.
Proposta 4.2.1.2 - Entidade
Identificar e estimular metodologias e práticas participativas. EMATERCE, UNIFOR,
FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
Sem comentário do público presente. SDR, SRH, FAEC/SENAR,
PRODEMA/UFC,
CAA/AQUIRAZ, FUND.
CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
CEARÁ, UECE, CARITAS
REGIONAL, IBAMA, SMDT-
PMF, OUVIDORIA GERAL,
SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
Cient.

31
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.2.1.3
Texto Original: Estimular a formação de organizações civis (de
Entidade
produtores, consumidores etc.) e desenvolvimento de recursos humanos
para gestão e fortalecimento institucional.
EMATERCE, UNIFOR,
Estimular a formação de organizações civis, como produtores e FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
SDR, SRH, FAEC/SENAR,
consumidores, apoiar as existentes e desenvolver recursos PRODEMA/UFC,
humanos para o planejamento e gestão participativa. CAA/AQUIRAZ, FUND.
Por consenso, proposta não aprovada. CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
CEARÁ, UECE, CARITAS
REGIONAL, IBAMA, SMDT-
PMF, OUVIDORIA GERAL,
SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
Cient.

32
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

SEINFRA, SETAS, IDACE,


Estimular a formação de organizações civis, como produtores e COGERH, EMATERCE, SDE,
Pacto de Cooperação, FIEC/IEL
consumidores, apoiar as existentes e desenvolver recursos Assembléia Legislativa, INCRA,
humanos para o planejamento e gestão participativa, UECE, SEAGRI, Docas do Ceará,
Ouvidoria, SEMACE, SEBRAE,
institucional e comunitária. FUNCI-Fund. Da Criança Família
Cidadã, LABOMAR, CETRA-
Por consenso, proposta aprovada. Centro de Est. de Trabalho e
Assessoria, IICA, Associação
Cearense dos Engenheiros
Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol.
e Vocacional de Aquiraz,
METROFOR, SUDENE, IBAMA,
UFC, Cáritas Brasileira, FUNCAP,
CEFET, FUNCEME, Fundação
Araripe, CAA, Círculo de
Vivência.
Proposta 4.2.1.4
Texto Original: Promover a revisão institucional dos órgãos públicos
Entidade
tanto no âmbito interno quanto no que se refere aos instrumentos de
participação local e a descentralização de responsabilidades.
Promover a revisão institucional dos órgãos públicos no âmbito EMATERCE, UNIFOR,
FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
interno, no que se refere aos instrumentos de SDR, SRH, FAEC/SENAR,
descentralização de responsabilidade e de gestão PRODEMA/UFC,
CAA/AQUIRAZ, FUND.
participativa. CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
Por consenso, proposta não aprovada. CEARÁ, UECE, CARITAS
REGIONAL, IBAMA, SMDT-
PMF, OUVIDORIA GERAL,
SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
Cient.
SEINFRA, SETAS, IDACE,
COGERH, EMATERCE, SDE,
no âmbito
Promover a revisão institucional dos órgãos públicos Pacto de Cooperação, FIEC/IEL
interno, no que se refere aos instrumentos de Assembléia Legislativa, INCRA,
descentralização do poder decisório e de gestão UECE, SEAGRI, Docas do Ceará,
Ouvidoria, SEMACE, SEBRAE,
participativa. FUNCI-Fund. Da Criança Família
Por consenso, proposta aprovada. Cidadã, LABOMAR, CETRA-
Centro de Est. de Trabalho e
Assessoria, IICA, Associação
Cearense dos Engenheiros
Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol.
e Vocacional de Aquiraz,
METROFOR, SUDENE, IBAMA,
UFC, Cáritas Brasileira, FUNCAP,
CEFET, FUNCEME, Fundação
Araripe, CAA, Círculo de
Vivência.

33
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Estratégia 2 - Fortalecer mecanismos e instâncias de articulação entre governo e sociedade civil

Proposta 4.2.2.1 - INCORPORADO Entidade


Promover a inserção da agricultura sustentável nas esferas de atuação do EMATERCE, UNIFOR,
FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf) e outros
SDR, SRH, FAEC/SENAR,
programas de crédito rural visando o apoio à agricultura , PRODEMA/UFC,
com ênfase nos seguintes aspectos: CAA/AQUIRAZ, FUND.
CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
CEARÁ, UECE, CARITAS
REGIONAL, IBAMA, SMDT-
PMF, OUVIDORIA GERAL,
SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
Cient.

Estratégia 3 – Incentivar o manejo sustentável dos sistemas produtivos

Proposta 4.2.3.1 – No planejamento e gestão ambiental Entidade


 desenvolver e divulgar os sistemas agroflorestais URCA

agrosilvopastoris, conciliando a recuperação florestal e as


atividades agrícolas. (item 8)
Por consenso, proposta aprovada com o texto:
desenvolver e divulgar os sistemas que conciliam a recuperação
florestal e as atividades agrícolas.

Proposta 4.2.3.2 – INCORPORADO Entidade


 identificar plantas úteis para fins comestíveis, medicinais, URCA
industriais e ornamentais; (item 3)
 estimular o desenvolvimento de tecnologias e práticas de produção
agrícola que não somente aumentem a produtividade, mas evitem a
degradação e restabeleçam ou aumentem a diversidade biológica.
Essas práticas incluem, entre outras: manejo integrado de pragas,
controle biológico de pragas e doenças, plantio direto, policulturas,
culturas consorciadas, rotação de culturas e sistemas
agrosilvopastoris; (item 4)

Proposta 4.2.3.3 – Quanto aos produtos transgênicos: Entidade


EMATERCE, UNIFOR,
 Suprimir o uso de transgênicos vegetais e animais, até que se FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
tenham informações científicas claras e precisas sobre todos os SDR, SRH, FAEC/SENAR,
PRODEMA/UFC,
aspectos ambientais e de saúde, além de promover ampla CAA/AQUIRAZ, FUND.
discussão com toda a sociedade sobre o consumo CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
CEARÁ, UECE, CARITAS
desses produtos. REGIONAL, IBAMA, SMDT-
Por consenso, proposta aprovada. PMF, OUVIDORIA GERAL,
SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
Cient.

34
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.2.3.4 - No manejo dos sistemas produtivos Entidade


INCORPORADO Banco do Nordeste
 fomentar práticas agrícolas sustentáveis, como: policultivo,
agroflorestas e integração da produção animal e vegetal,
rotação de culturas, consorciação, práticas de conservação e
recuperação de solos; adubação verde, adubação orgânica, plantio
direto sem herbicidas, uso de biofertilizantes, manejo integrado e
controle biológico de pragas etc. (item 1).

 efetuar pagamentos compensatórios anuais e/ou conceder URCA


bônus conservacionistas por hectare aos produtores que
adotam sistemas produtivos sustentáveis. (item 6)
Por consenso, proposta aprovada com o texto modificado para:
 efetuar pagamentos compensatórios anuais, como bônus
conservacionistas por hectare aos produtores que adotam
sistemas produtivos sustentáveis.

Proposta 4.2.3.5 - Na conservação e recuperação dos solos e sobre o Entidade


uso de fertilizantes químicos:
EMATERCE, UNIFOR,
 Cumprir os programas estatais já existentes (combate à erosão, FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
SDR, SRH, FAEC/SENAR,
desertificação etc.); e conceder incentivos aos PRODEMA/UFC,
programas de crédito rural para produtores que se CAA/AQUIRAZ, FUND.
CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
ajustarem às normas do programa. (item 1) CEARÁ, UECE, CARITAS
Por consenso, proposta aprovada com o texto modificado para: REGIONAL, IBAMA, SMDT-
 Cumprir os programas estatais já existentes (combate à erosão, PMF, OUVIDORIA GERAL,
desertificação etc.) e conceder incentivos para SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
produtores que se ajustarem às normas do programa. Cient.

Proposta 4.2.3.6 - Sobre o uso de agrotóxicos: Entidade


EMATERCE, UNIFOR,
 efetivar programas já disponíveis (ex.: Protocolo Verde ou FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
Programa Nacional para Racionalização do Uso de Agrotóxicos, SDR, SRH, FAEC/SENAR,
PRODEMA/UFC,
por iniciativa da Casa Civil da Presidência da República – em CAA/AQUIRAZ, FUND.
desenvolvimento, sob coordenação do Ibama), com ênfase CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
para a agricultura orgânica, por meio de CEARÁ, UECE, CARITAS
REGIONAL, IBAMA, SMDT-
investimentos elevados destinados a pesquisa e PMF, OUVIDORIA GERAL,
difusão. (item 1) SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
Por consenso, proposta não aprovada. Cient.

35
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

 Efetivar programas de controle e substituição do uso dos SEINFRA, SETAS, IDACE,


COGERH, EMATERCE, SDE,
agrotóxicos (ex.: Protocolo Verde ou Programa Nacional para Pacto de Cooperação, FIEC/IEL
Racionalização do Uso de Agrotóxicos, por iniciativa da Casa Civil da Assembléia Legislativa, INCRA,
Presidência da República – em desenvolvimento, sob coordenação do UECE, SEAGRI, Docas do Ceará,
Ouvidoria, SEMACE, SEBRAE,
Ibama), com ênfase para a agricultura orgânica, por
FUNCI-Fund. Da Criança Família
meio de investimentos elevados destinados à pesquisa e Cidadã, LABOMAR, CETRA-
à difusão. (item 1) Centro de Est. de Trabalho e
Por consenso, proposta aprovada. Assessoria, IICA, Associação
Cearense dos Engenheiros
Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol.
e Vocacional de Aquiraz,
METROFOR, SUDENE, IBAMA,
UFC, Cáritas Brasileira, FUNCAP,
CEFET, FUNCEME, Fundação
Araripe, CAA, Círculo de
Vivência.

Estratégia 4 – Incentivar a geração e a difusão de informações e de conheciementos que garantam a


sustentabilidade da agricultura

Proposta 4.2.4.1 - INCORPORADO Entidade


 analisar a viabilidade técnica, econômica e sócioambiental das EMATERCE, UNIFOR,
FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
práticas sustentáveis; (item 7) SDR, SRH, FAEC/SENAR,
Por consenso, proposta aprovada. PRODEMA/UFC,
CAA/AQUIRAZ, FUND.
CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
CEARÁ, UECE, CARITAS
REGIONAL, IBAMA, SMDT-
PMF, OUVIDORIA GERAL,
SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
Cient.
Proposta 4.2.4.2 – Difusão, capacitação, assitência técnica Entidade
 apoiar e fomentar as experiências existentes e em constituição, EMATERCE, UNIFOR,
FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
quer de pequenos agricultores ou instituições SDR, SRH, FAEC/SENAR,
formais de pesquisas, na área da formação de recursos PRODEMA/UFC,
humanos em diferentes níveis: universitário (graduação e pós- CAA/AQUIRAZ, FUND.
graduação), técnico e formação de produtores; (item 1). CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
CEARÁ, UECE, CARITAS
Por consenso, proposta aprovada.
REGIONAL, IBAMA, SMDT-
PMF, OUVIDORIA GERAL,
SEMACE, AEAC - Depart. Téc.
Cient.

36
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.2.4.3 - INCORPORADO Entidade


Sistematização de informações. SEINFRA, SETAS, IDACE,
COGERH, EMATERCE, SDE,
Reforçar a proposta de algumas instituições públicas Pacto de Cooperação, FIEC/IEL
de se criar um cadastro único de imóveis rurais . De acordo Assembléia Legislativa, INCRA,
com o termo de referência elaborado por esses órgãos, o cadastro seria UECE, SEAGRI, Docas do Ceará,
administrado por um Instituto Nacional de Cadastro, que disporia de todas Ouvidoria, SEMACE, SEBRAE,
as informações, equipamentos, tecnologia e recursos humanos existentes FUNCI-Fund. Da Criança Família
Cidadã, LABOMAR, CETRA-
nas várias áreas federais de cadastro rural, tornando obrigatório o Centro de Est. de Trabalho e
cadastramento como pré-requisito para o registro do imóvel em cartório e o Assessoria, IICA, Associação
pagamento de uma taxa de cadastro, que financiaria o Cearense dos Engenheiros
geo-referenciamento de todos os imóveis rurais do país. Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol.
e Vocacional de Aquiraz,
Esse cadastro nacional permitiria o acesso de vários usuários a METROFOR, SUDENE, IBAMA,
informações necessárias ao desempenho de suas atividades. UFC, Cáritas Brasileira, FUNCAP,
CEFET, FUNCEME, Fundação
 sistematizar e divulgar as experiências exitosas no campo das Araripe, CAA, Círculo de
políticas públicas, práticas agrícolas, metodologias participativas, Vivência.
fortalecimento da agricultura familiar, dentre outros temas de
interesse para a agricultura sustentável. Essas informações podem
ser disponibilizadas a produtores, instituições e profissionais da
área, por meio de redes eletrônicas de comunicação.

Inclusão de Ações

Tema: AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

Estratégia 1 – Fortalecer mecanismos e instâncias e articulação entre governo e sociedade civil

Proposta 4.2.1.5 – Entidade


Fomentar a criação de sindicatos rurais, associações de UECE- Faculdade de Educação,
Ciências e Letras de Iguatu
moradores e cooperativas rurais, com o objetivo de
implementar uma política de recursos hídricos.
Por consenso, proposta aprovada com o texto:
Fomentar a criação de sindicatos rurais, associações de moradores e
cooperativas rurais.

37
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Estratégia 2 –

Proposta 4.2.2.1 – Entidade


 apoiar o desenvolvimento de atividades agrícolas que Banco do Nordeste
demandem grande mão-de-obra, sem perda de
competitividade, e de atividades rurais não-agrícolas,
como forma de fixação do homem no campo.
Por consenso, proposta aprovada.

Estratégia 3 –

Proposta 4.2.3.1 – No planejamento e gestão ambiental Entidade


SEINFRA, SETAS, IDACE,
COGERH, EMATERCE, SDE,
 incluir na grade curricular dos cursos Pacto de Cooperação, FIEC/IEL
profissionalizantes e universitários matérias que Assembléia Legislativa, INCRA,
UECE, SEAGRI, Docas do Ceará,
abordem a questão da educação ambiental. Ouvidoria, SEMACE, SEBRAE,
Por consenso, proposta não aprovada. FUNCI-Fund. Da Criança Família
incluir na grade curricular de todos os níveis de Cidadã, LABOMAR, CETRA-
Centro de Est. de Trabalho e
ensino e dos cursos profissionalizantes e Assessoria, IICA, Associação
universitários matérias que abordem a questão da Cearense dos Engenheiros
educação ambiental. Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol.
e Vocacional de Aquiraz,
Por consenso, proposta não aprovada. METROFOR, SUDENE, IBAMA,
UFC, Cáritas Brasileira, FUNCAP,
CEFET, FUNCEME, Fundação
Araripe, CAA, Círculo de
Vivência.

 apoiar a implantação de unidades demonstrativas de Fórum Araripense de


agrofloresta, apicultura, e ovinocaprinocultura; Prevenção e Combate a
Por consenso, proposta não aprovada. Desertificação
 incentivar economicamente, inclusive com recursos a
fundo perdido, a recuperação de áreas degradas nas
pequenas propriedades rurais;
Por consenso, proposta não aprovada.
 criar mecanismos de desestímulo a atividades
agrícolas inapropriadas à região e apoiar as Banco do Nordeste
atividades vocacionadas;
Por consenso, proposta aprovada.
 realizar procedimentos de licenciamento ambiental
diferenciado para os projetos de assentamento de INCRA
reforma agrária, adequando-os as suas
peculiaridades enquanto políticas públicas.
Por consenso, proposta não aprovada

38
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.2.3.2 – Na conservação da biodiversidade Entidade


 incentivar a utilização econômica de lavouras Banco do Nordeste
xerófilas e ao reflorestamento de áreas desmatadas
ou em processo de desertificação
Por consenso, proposta aprovada

 conservar in situ e ex situ espécies importantes


para ecossistemas fragilizados ou espécies ameaçadas
de extinção
Por consenso, proposta aprovada com o texto:
 conservar in situ e ex situ espécies nativas importantes para
ecossistemas fragilizados ou espécies ameaçadas de extinção.

Proposta 4.2.3.4 – No manejo dos sistemas produtivos Entidade


 trabalhar a organização de produtores na linha Fórum Araripense de
Prevenção e Combate a
orgânica e de agroindústrias; Desertificação
Sem comentário do público

 mobilizar as ONGs na elaboração e execução de Banco do Nordeste


programas de fundos rotativos para a agricultura
orgânica, agrofloresta, apicultura, artesanato e
criação de pequenos animais;
 utilizar plantas nativas para pastagens naturais.
O público presente ao debate sugeriu que fossem criados mecanismos que
facilitassem o acesso ao crédito para produtores que utilizam plantas
nativas para pastagens.

Proposta 4.2.3.6 – Sobre o uso de agrotóxicos Entidade


 viabilizar mercado para os produtos orgânicos, Fórum Araripense de
através de ações junto ao poder público e as ONGs; Prevenção e Combate a
Desertificação
Por consenso, proposta aprovada.

 instituir em cada município, com apoio dos órgãos


federais e estaduais de meio ambiente, saúde, CREA,
Ministério Público, dentre outros, uma equipe para
levantar o uso de biocidas (agrotóxicos, antibióticos,
etc.), bem como monitorar, controlar e fiscalizar a
sua utilização.
Por consenso, proposta não aprovada.

39
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

 monitorar contaminações do lençol freático por Banco do Nordeste


agrotóxicos;
Por consenso, proposta aprovada.

Estratégia 4 – Incentivar a geração e a difusão de informações e de conhecimentos que garantam a


sustentabilidade da agricultura

Proposta 4.2.4.1- Pesquisa, geração de conhecimentos e de novas Entidade


práticas
INCORPORADO SEINFRA, SETAS, IDACE,
COGERH, EMATERCE, SDE,
 integrar os programas de educação ambiental (MEC, Pacto de Cooperação, FIEC/IEL
IBAMA, MMA, EMATER) Assembléia Legislativa, INCRA,
UECE, SEAGRI, Docas do Ceará,
Ouvidoria, SEMACE, SEBRAE,
Por consenso, proposta aprovada. FUNCI-Fund. Da Criança Família
Cidadã, LABOMAR, CETRA-
Centro de Est. De Trabalho e
Assessoria, IICA, Associação
Cearense dos Engenheiros
Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol.
E Vocacional de Aquiraz,
METROFOR, SUDENE, IBAMA,
UFC, Cáritas Brasileira, FUNCAP,
CEFET, FUNCEME, Fundação
Araripe, CAA, Círculo de
Vivência.

 reformular currículos de cursos profissionalizantes Banco do Nordeste


de nível médio ou superior visando adequação às
exigências atuais;
Por consenso, proposta aprovada com a modificação do texto:
 reformular currículos de cursos profissionalizantes de nível
médio ou superior, visando sua adequação às exigências da
agricultura sustentável;

 capacitar técnicos extensionistas nos elos de


produção pós-colheita e comercialização dos
agronegócios, visando à difusão dos conceitos e
práticas da agricultura sustentável.
Por consenso, proposta aprovada

40
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.2.4.2- Difusão, capacitação, assistência técnica Entidade


 divulgar a legislação ambiental e os trabalhos do Fórum Araripense de
IBAMA, para que o trabalhador rural conheça e Prevenção e Combate a
Desertificação
participe.
Por consenso, proposta aprovada com o texto:
 divulgar a legislação ambiental, para que o trabalhador rural
conheça e participe.

Exclusão de
Ações

Tema: AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

Nenhuma Exclusão Proposta

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

41
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

3.3. TEMA 3: CIDADES SUSTENTÁVEIS

42
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Estratégias

Tema: CIDADES SUSTENTÁVEIS

Nenhuma Reformulação Proposta

Inclusão de
Estratégias

Tema: CIDADES SUSTENTÁVEIS

Nenhuma Inclusão Proposta

Exclusão de
Estratégias

Tema: CIDADES SUSTENTÁVEIS

Nenhuma Exclusão Proposta

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

43
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Ações

Tema: CIDADES SUSTENTÁVEIS

Estratégia 3

Proposta 4.3.3.5 Entidade


Reduzir o consumo de energia nas cidades a partir de programas de SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
racionalização do uso do solo urbano, promovendo intervenções e SEPLAN, Pref. de Canindé,
UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
projetos arquitetônicos que priorizem a obtenção de conforto e
CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
funcionalidade com o mínimo investimento energético e o máximo Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
aproveitamento dos recursos climático-ambientais locais, excluindo Pref. de Maranguape, IBAMA,
o Nordeste do horário de verão. SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
IPHAN
Por consenso, proposta aprovada.

Proposta 4.3.3.8 Entidade


Melhorar os padrões de uso e gestão dos recursos hídricos destinados ao SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
abastecimento das cidades, buscando menor custo e maior qualidade da SEPLAN, Pref. de Canindé,
UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
água oferecida à população. Considerando especialmente a CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
escassez de água no semi-árido, incluindo a Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
Pref. de Maranguape, IBAMA,
possibilidade de reaproveitamento da água. SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
Por consenso, proposta aprovada. IPHAN

Proposta 4.3.3.9 - INCORPORADO Entidade


Apoiar programas de redução do volume de perdas dos sistemas de SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
SEPLAN, Pref. de Canindé,
saneamento e distribuição de energia, qualquer que seja o agente UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
operador (público ou privado) favorecendo o redirecionamento de CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
recursos economizados para outras áreas prioritárias como saúde, Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
educação e moradia; Pref. de Maranguape, IBAMA,
SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
IPHAN
Proposta 4.3.3.13 - INCORPORADO Entidade
Promover a integração de políticas agrícolas e ambientais nos planos SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
SEPLAN, Pref. de Canindé,
nacional, regional, local e nas franjas peri-urbanas, sem UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
comprometer as especificidades culturais das populações, por meio dos CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
chamados pactos territoriais; Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
Pref. de Maranguape, IBAMA,
SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
IPHAN

44
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.3.3.14 Entidade


Incentivar a geração de empregos não agrícolas no meio rural tendo SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
como perspectiva a complementaridade e a integração estratégica de SEPLAN, Pref. de Canindé,
UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
funções e atividades econômicas, priorizando a geração de CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
emprego e renda através da produção rural e industrial Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
Pref. de Maranguape, IBAMA,
em pequena escala, atendendo as demandas dos SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
programas sociais oficiais, a exemplo da merenda IPHAN
escolar.
Por consenso, proposta aprovada excluindo-se o texto: ... a exemplo
da merenda escolar.

Proposta 4.3.3.15 - INCORPORADO Entidade


Estimular programas de agricultura e piscicultura urbana, vista SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
SEPLAN, Pref. de Canindé,
como atividade importante para o combate à pobreza urbana, associada UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
a atividades de educação ambiental. CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
Pref. de Maranguape, IBAMA,
SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
IPHAN

45
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Estratégia 4

Proposta 4.3.4.1 - INCORPORADO Entidade


Promover o uso eqüitativo dos recursos ambientais, cobrando pelo seu SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
SEPLAN, Pref. de Canindé,
uso, preferencialmente com o retorno em investimentos UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
no próprio local onde o imposto é gerado, de maneira a CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
reduzir o comprometimento dos orçamentos governamentais e permitir Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
seu direcionamento para ações redistributivas; Pref. de Maranguape, IBAMA,
SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
IPHAN
Proposta 4.3.4.2 - INCORPORADO Entidade
Promover o aperfeiçoamento do sistema tributário brasileiro, SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
SEPLAN, Pref. de Canindé,
apontando as falhas a serem corrigidas e os acertos UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
fortalecidos, nos três níveis de governo visando à incorporação e à CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
viabilização de instrumentos econômicos que promovam o uso Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
sustentável dos recursos naturais e culturais a adoção de princípios Pref. de Maranguape, IBAMA,
SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
de extrafiscalidade que estimulem ações, empreendimentos e IPHAN
comportamentos sustentáveis dos agentes públicos e privados;
Proposta 4.3.4.3 Entidade
Promover o crescimento e a competitividade da indústria brasileira em SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
consonância com as restrições ambientais associadas ao comércio SEPLAN, Pref. de Canindé,
exterior e aos acordos globais via internalização dos custos ambientais, UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
considerando a implantação dos complexos industriais Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
submetidas às leis de uso e ocupação do solo urbano e Pref. de Maranguape, IBAMA,
SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
rural das localidades, bem como que estes complexos IPHAN
devem se constituir em instrumentos geradores, de
forma significativa, de emprego e renda, assim
contribuindo para a infra-estruturação e para o
desenvolvimento social e econômico da porção do
território em que se implantam.
Por consenso, proposta aprovada com a modificação:
Promover o crescimento e a competitividade da indústria brasileira
em consonância com as restrições ambientais associadas ao
comércio exterior e aos acordos globais, via internalização dos
custos ambientais, considerando a implantação dos complexos
industriais submetidas às leis de uso e ocupação do solo urbano e
rural das localidades.

46
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.3.4.4 Entidade


Rever os critérios técnicos de financiamento existentes para o setor SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
transporte – considerando as diferenças de tamanho, demanda e SEPLAN, Pref. de Canindé,
capacidade das cidades, bem como os critérios de investimento no UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
sistema viário, levando-se em conta a porção do território Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
em que vai ser implantado, para que não se Pref. de Maranguape, IBAMA,
SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
sobreponha, abstratamente, à própria cidade, IPHAN
constituindo-se em um obstáculo ao desenvolvimento
urbano – e assegurar a criação de fontes claras de financiamento
dentro de Planos Nacionais e Regionais de Transporte Urbano;
Por consenso, proposta não aprovada.

Proposta 4.3.4.5 – INCORPORADO Entidade


Introduzir critérios socioambientais no aparato técnico-legal que SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
disciplina a compra de bens e serviços por parte do Poder Público, em SEPLAN, Pref. de Canindé,
todos os níveis hierárquicos e esferas de competência, onde e quando UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
for oportuno, estimulando e fortalecendo o envolvimento Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
de outros parceiros à ação do Estado. Pref. de Maranguape, IBAMA,
SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
IPHAN
Proposta 4.3.4.6 Entidade
SRH, GTZ, SEMACE, SEINFRA,
Implementar instrumentos de recuperação, pelo Poder Público, de
SEPLAN, Pref. de Canindé,
parcela da valorização fundiária, resultante dos investimentos em infra-
UFC/PRODEMA, UFC/PLANEFOR,
estrutura e melhorias urbanas, além de programas CETRA, CEFET, UFC/Mestrado em
relacionados à preservação do patrimônio cultural e às Saneamento, FUNCAP, SEAGRI,
ações de educação formal e informal associados a Pref. de Maranguape, IBAMA,
SMDT, Ouvidoria Geral, SETUR,
instrumentos fiscais de recuperação e incentivo, visando IPHAN
gerar recursos para programas habitacionais e de melhorias do meio
ambiente.
Por consenso, proposta não aprovada.

Durante o debate foi sugerida a reformulação do item 4.3.1.11, inserindo ao texto original do
documento Agenda 21- Bases para a discussão, logo após: ...degradação dos recursos naturais...:
“incluindo a dimensão sóciocultural, que contempla a paisagem urbana, com seus signos e
significados”.

47
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Inclusão de Ações

Tema: CIDADES SUSTENTÁVEIS

Estratégia 1 – Uso e Ocupação do Solo

Proposta 4.3.1.16 Entidade


Utilizar plantas, preferencialmente, nativas na Fórum Araripense de
arborização de logradouros públicos, principalmente em Prevenção e Combate a
Desertificação
escolas praças e avenidas.
Por consenso, proposta aprovada.

Proposta 4.3.1.17 Entidade


Desenvolver legislação e promover o monitoramento de UNIPAZ
proteção aos lugares habitados ou transitados em relação
a contaminação por campos eletromagnéticos artificiais,
de alta e baixa freqüência, controlando a sua instalação e
proliferação.
Por consenso, proposta aprovada.

Proposta 4.3.1.18 Entidade


Instituir a dimensão territorial no planejamento Secretaria Municipal de Infra-
municipal, promovendo uma política efetiva de estrutura de Canindé
ordenamento territorial urbano, através da regularização
de loteamentos irregulares e clandestinos. (ver 4.3.1.6)
(ver 4.3.1.7)
Por consenso, proposta não aprovada.
Proposta 4.3.1.19 Entidade
Criar agência reguladora de uso e ocupação do solo Secretaria Municipal de Infra-
municipal de modo a instituir uma efetiva fiscalização e estrutura de Canindé
controle das obras urbanas, dissociadas do
apadrinhamento político, assegurando dessa forma o uso
racional do solo que irá evitar a degradação do meio
ambiente ao nível macroespacial. (ver 4.3.1.1)
(ver 4.3.2.5)
Por consenso, proposta não aprovada.

48
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Estratégia 2 – Promover o desenvolvimento institucional e o fortalecimento da


capacidade de planejamento e gestão democrática da cidade,
incorporando no processo a dimensão ambiental e assegurando a efetiva
participação da sociedade.

Proposta 4.3.2.16 Entidade


Formar grupos de multiplicadores para realização de NUCOM-UFC: Núcleo de
oficinas, que trabalhem o sentimento de pertinência e Psicologia Comunitária
apropriação do local/cidade onde vivem, visando a
participação da sociedade no desenvolvimento
sustentável.
Por consenso, proposta aprovada.

Proposta 4.3.2.17 Entidade


Preservar e restaurar os patrimônios histórico, cultural e Ouvidoria Geral do Estado do
ambiental, promovendo a dinamização do seu Ceará
aproveitamento pela sociedade;
Por consenso, proposta aprovada.

Proposta 4.3.2.18 Entidade


Aprimorar os instrumentos de monitoramento e controle Ouvidoria Geral do Estado do
do crescimento e do desenvolvimento das cidades, Ceará
garantindo a permanente melhoria da qualidade de vida
da população;
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto:
Aprimorar os instrumentos de monitoramento e controle do
crescimento e do desenvolvimento de comunidades sustentáveis,
garantindo a permanente melhoria da qualidade de vida da
população;

Exclusão de
Ações

Tema: CIDADES SUSTENTÁVEIS

Nenhuma Exclusão proposta

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

49
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

3.4. TEMA 4: INFRA-ESTRUTURA E INTEGRAÇÃO


REGIONAL

50
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Estratégias

Tema: INFRA-ESTRUTURA E INTEGRAÇÃO REGIONAL

Nenhuma Reformulação Proposta

Inclusão de
Estratégias

Tema: INFRA-ESTRUTURA E INTEGRAÇÃO REGIONAL

Nenhuma Inclusão Proposta

Exclusão de
Estratégias

Tema: INFRA-ESTRUTURA E INTEGRAÇÃO REGIONAL

Nenhuma Exclusão Proposta

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

51
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Ações

Tema: INFRA-ESTRUTURA E INTEGRAÇÃO REGIONAL

Agenda 5 – Estratégias setoriais


Proposta 4.4.5.5 – No setor de saneamento:
Macroobjetivo 1 – Abastecimento de água e esgotamento sanitário Entidade
 consolidar os papéis do governo nas suas funções de SEINFRA, SETAS, IDACE,
COGERH, EMATERCE, SDE, Pacto
definição política e planejamento, de regulação e de Cooperação, FIEC/IEL Assembléia
fiscalização e da prestação de serviços. (item 2); Legislativa, INCRA, UECE, SEAGRI,
Por consenso, proposta não aprovada. Docas do Ceará, Ouvidoria,
SEMACE, SEBRAE, FUNCI-Fund.
Da Criança Família Cidadã,
 consolidar os papéis do poder público nas suas LABOMAR, CETRA- Centro de Est.
funções de definição política e planejamento, de de Trabalho e Assessoria, IICA,
Associação Cearense dos Engenheiros
regulação e fiscalização e da prestação de serviços. Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol. e
(item 2); Vocacional de Aquiraz, METROFOR,
Por consenso, proposta não aprovada. SUDENE, IBAMA, UFC, Cáritas
Brasileira, FUNCAP, CEFET,
FUNCEME, Fundação Araripe, CAA,
 regulamentar e controlar, pelo estabelecimento de estruturas Círculo de Vivência.
adequadas de regulação e controle: (i) revisão e aprovação do PLS
266/96; (ii) estabelecimento de normas relativas ao direito
econômico e direitos dos usuários; (iii) estabelecimento de normas e
criação de agência reguladora no âmbito estadual; (iv)
cumprimento das normas e legislação ambiental;
(v) incentivo aos municípios para a delegação da atividade de
regulação às agências estaduais; (Item 3)
Por consenso, proposta aprovada com o texto:
 regulamentar e controlar, pelo estabelecimento de estruturas
adequadas de regulação e controle: (i) revisão e aprovação do
PLS 266/96; (ii) estabelecimento de normas relativas ao direito
econômico e direitos dos usuários; (iii) estabelecimento de
normas e criação de agência reguladora no âmbito estadual; (iv)
atendendo aos requisitos da legislação ambiental; (v) incentivo
aos municípios para a delegação da atividade de regulação às
agências estaduais; (Item 3)

regulamentar e controlar, pelo estabelecimento de estruturas


adequadas de regulação e controle: (i) revisão e aprovação do PLS
266/96; (ii) estabelecimento de normas relativas ao direito
econômico e direitos dos usuários; (iii) estabelecimento de normas e
criação de agência reguladora no âmbito estadual; (iv)
estabelecimento de normas ambientais factíveis ;
(v) incentivo aos municípios para a delegação da atividade de
regulação às agências estaduais; (Item 3)
Por consenso, proposta não aprovada.

52
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

 Estruturar a prestação de serviços, buscando o aumento da SEINFRA, SETAS, IDACE,


COGERH, EMATERCE, SDE, Pacto
competitividade, da eficiência e do nível de investimentos e de Cooperação, FIEC/IEL Assembléia
promover a revisão de modelos tarifários, prevendo Legislativa, INCRA, UECE, SEAGRI,
tarifas sociais e explicitando os subsídios cruzados Docas do Ceará, Ouvidoria,
SEMACE, SEBRAE, FUNCI-Fund.
praticados. (item 4) Da Criança Família Cidadã,
Por consenso, proposta aprovada. LABOMAR, CETRA- Centro de Est.
 obter financiamento e ações compensatórias, definindo critérios e de Trabalho e Assessoria, IICA,
metodologia para a destinação dos recursos de financiamento e de Associação Cearense dos Engenheiros
Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol. e
ações compensatórias, de modo que os recursos não onerosos Vocacional de Aquiraz, METROFOR,
sejam destinados a sistemas que não apresentem viabilidade SUDENE, IBAMA, UFC, Cáritas
financeira, onde, em geral, existem maiores déficits dos serviços e Brasileira, FUNCAP, CEFET,
menor renda; (item 5) FUNCEME, Fundação Araripe, CAA,
Por consenso, proposta aprovada. Círculo de Vivência.
 aprimorar técnicas e processos, estabelecendo metas factíveis
para a solução do passivo ambiental, no que se refere à exigência de
tratamento de esgotos; incentivando a reutilização da água de
lavagem dos filtros, tendo como objetivo o uso racional da
energia; e instituindo metas para que as estações de tratamento de
água implantem sistemas de secagem do lodo dos decantadores,
evitando o lançamento direto ao corpo receptor. (item 6)
Por consenso, proposta aprovada.

Macroobjetivo 2 – Resíduos Sólidos Entidade


 estudar a questão legal sobre a cobrança da SEINFRA, SETAS, IDACE,
COGERH, EMATERCE, SDE, Pacto
prestação de serviços, visando sua auto-sustentação, de Cooperação, FIEC/IEL Assembléia
possibilitando a concessão privada dos serviços; Legislativa, INCRA, UECE, SEAGRI,
Docas do Ceará, Ouvidoria,
(item 1) SEMACE, SEBRAE, FUNCI-Fund.
Por consenso, proposta de retirada do texto aprovada. Da Criança Família Cidadã,
LABOMAR, CETRA- Centro de Est.
 implementar programa de educação ambiental contínuo, visando de Trabalho e Assessoria, IICA,
Associação Cearense dos Engenheiros
evitar o desperdício e mal uso da água no meio ambiente. Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol. e
(item 5) Vocacional de Aquiraz, METROFOR,
Por consenso, proposta não aprovada, deixar o original. SUDENE, IBAMA, UFC, Cáritas
Brasileira, FUNCAP, CEFET,
 implementar programa de educação ambiental contínuo, visando, FUNCEME, Fundação Araripe, CAA,
Círculo de Vivência.
dentre outros, evitar o desperdício e mau uso da água
no meio ambiente. (item 5)
Por consenso, proposta não aprovada, deixar o original.

INCORPORADO
 apoiar projetos integrados a um planejamento de longo prazo,
compatível com Plano Diretor, com visão de proteção do meio
ambiente, tendo como objetivo final a universalização dos serviços;
(item 3)

53
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Macroobjetivo 3 – Drenagem Urbana Entidade


INCORPORADO
 promover a revisão da legislação relativa ao uso e parcelamento do SEINFRA, Fed. Emp. Transp.,
solo, contemplando critérios mais rigorosos quanto à utilização de SEBRAE-CE, UECE, METROFOR,
SUDENE, SRH, FUNCAP,
áreas marginais a mananciais hídricos e regiões SINDUSCON, SINDITEXTIL,
litorâneas. (item 3) IBAMA, SETAS, OUVIDORIA,
PRSCEL, SACPROO, CIA DOCAS
CE, UNIFOR.

Inclusão de Ações

Tema: INFRA-ESTRUTURA E INTEGRAÇÃO REGIONAL

Agenda 1 – Gestão do Estado e Parcerias com outros Agentes Econômicos e Atores


Sociais
Macroobjetivo 1 –Regulação das Relações Estado e Sociedade Entidade
 promover a formação de competências em nível Banco do Nordeste
local para o gerenciamento dos investimentos em
infra-estrutura;
 implementar e potencializar mecanismos de controle
social dos recursos liberados para investimento em
infra-estrutura;
Por consenso, proposta aprovada.

Macroobjetivo 2 – Desenvolvimento Integrado da Infra-estrutura Entidade


 planejar de forma integrada os diversos programas Banco do Nordeste
governamentais que contemplam investimentos em
infra-estrutura, a fim de evitar superposição de
ações e desperdícios; (ver item 3 e 4)
Por consenso, proposta não aprovada por já estar contemplada.
 disponibilizar recursos para elaboração de projetos
de investimentos em infra-estrutura destinados à
captação de recursos privados para execução dos
projetos;
Por consenso, proposta aprovada.
 implementar a exigência de avaliação
socioeconômica e ambiental dos projetos de
investimentos em infra-estrutura;
Por consenso, proposta aprovada.

54
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Agenda 2 – Uso Sustentável dos Recursos Naturais

Macroobjetivo 3 –Desenvolver Instrumentos Econômicos ... Entidade


 facilitar a importação de equipamentos destinados à Banco do Nordeste
geração de energia elétrica renovável;
Por consenso, proposta aprovada com o texto modificado para:
 fomentar o desenvolvimento de tecnologias para a produção
de equipamentos destinados à geração de energia elétrica
renovável.

Agenda 5 – Estratégias setoriais

Proposta 4.4.5.2 – Subsetor de transporte urbano: Entidade

55
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

1 – Formulação de uma política nacional de SEINFRA, Fed. Emp. Transp.,


SEBRAE-CE, UECE, METROFOR,
transportes, que contemple: SUDENE, SRH, FUNCAP,
SINDUSCON, SINDITEXTIL,
 definição da matriz institucional, levando-se em IBAMA, SETAS, OUVIDORIA,
conta a atual realidade das regiões metropolitanas no PRSCEL, SACPROO, CIA DOCAS
CE, UNIFOR.
Pais;
 estabelecimento prioritário da integração
intermodal de passageiros e cargas, com definição da
participação dos diversos modais no sistema;
Por consenso, propostas aprovadas
No planejamento das cidades traduzido na elaboração
ou avaliação dos planos diretores de desenvolvimento
urbano, dar enfoque a harmonia entre transportes e o
uso do solo. Que o transporte seja visto como uma
função urbana que deve ser intimamente conjugada à
questão físico-territorial, sobretudo na sua dimensão
ambiental;
Por consenso, proposta não aprovada.
 estabelecimento de prioridades na circulação do
transporte urbano, evidenciado pelo quadro nacional,
que em média 60% das viagens diárias são realizadas
pelo modo ônibus, contando-se apenas com cerca de
100,00 km de faixas e vias exclusivas nas diversas
capitais metropolitanas do País;
Por consenso, proposta aprovada.
 alternativas energéticas (dentre as quais o gás
natural) no transporte urbano, de tal forma que
impliquem na redução do custo operacional e
conseqüente impacto tarifário, a ser acolhido pelo
usuário;
Por consenso, proposta aprovada com o texto modificado:
 priorizar o uso de combustíveis alternativos no transporte
urbano.

 estimular o uso de bicicletas nos deslocamentos Banco do Nordeste


urbanos, associado a medidas físicas, operacionais e
institucionais recomendadas em estudos específicos;
Por consenso, proposta aprovada.

 promover companhas para maior conforto e


segurança dos pedestres nas calçadas, logradouros e
travessias viárias, com ênfase nas necessidades dos
deficientes físicos;
Por consenso, proposta aprovada.

56
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.4.5.3 – No setor de comunicações: Entidade


 promover, por meio de rádios comunitárias a SEINFRA, Fed. Emp. Transp.,
SEBRAE-CE, UECE, METROFOR,
divulgação de programas na área de Educação e Saúde; SUDENE, SRH, FUNCAP,
Por consenso, proposta aprovada com o texto: SINDUSCON, SINDITEXTIL,
 garantir um espaço nos meios de comunicação para a IBAMA, SETAS, OUVIDORIA,
divulgação de programas nas áreas de educação e saúde, PRSCEL, SACPROO, CIA DOCAS
CE, UNIFOR.
que promovam a cidadania para o desenvolvimento
sustentável;

Proposta 4.4.5.4 – No setor de energia: Entidade


SEINFRA, SETAS, IDACE,
 desenvolver instrumentos, na sociedade, de COGERH, EMATERCE, SDE, Pacto
de Cooperação, FIEC/IEL Assembléia
acompanhamento de políticas em desenvolvimento Legislativa, INCRA, UECE, SEAGRI,
pelo poder público, com a criação de conselhos e Docas do Ceará, Ouvidoria,
aproximação desse com as agências de serviços SEMACE, SEBRAE, FUNCI-Fund.
Da Criança Família Cidadã,
delegados; LABOMAR, CETRA- Centro de Est.
Por consenso, proposta não aprovada. de Trabalho e Assessoria, IICA,
criar conselhos representativos da sociedade, como Associação Cearense dos Engenheiros
Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol. e
instrumento de controle das políticas em Vocacional de Aquiraz, METROFOR,
desenvolvimento pelo poder público; SUDENE, IBAMA, UFC, Cáritas
Por consenso, proposta aprovada. Brasileira, FUNCAP, CEFET,
FUNCEME, Fundação Araripe, CAA,
 incentivar a substituição do uso da lenha como Círculo de Vivência.
combustível, promovendo a utilização de
biodigestores e do gás natural no meio urbano;

incentivar a substituição do uso da lenha como


combustível, promovendo a utilização de gás natural
no meio urbano; (ver macroobjetivo 2)
Por consenso, proposta não aprovada.
 desenvolver estudos de complementaridade e de
regimes eólicos e hídricos, visando a otimização do
aproveitamento desses potenciais;
(ver macroobjetivo 2)
Sem comentários do público.

Macroobjetivo 2 –Desenvolver e incorporar tecnologias de fontes Entidade


novas e renováveis de energia
 implantar ações que fortaleçam instituições, SEINFRA, SETAS, IDACE,
COGERH, EMATERCE, SDE, Pacto
valorizando os recursos humanos e preservando o de Cooperação, FIEC/IEL Assembléia
meio ambiente; Legislativa, INCRA, UECE, SEAGRI,
Por consenso, proposta aprovada. Docas do Ceará, Ouvidoria,

57
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

 incentivar a implantação de projetos de produção SEMACE, SEBRAE, FUNCI-Fund.


Da Criança Família Cidadã,
de energia elétrica que utilizem recursos LABOMAR, CETRA- Centro de Est.
disponíveis e de preferência abundantes; de Trabalho e Assessoria, IICA,
Associação Cearense dos Engenheiros
Por consenso, proposta não aprovada. Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol. e
Vocacional de Aquiraz, METROFOR,
SUDENE, IBAMA, UFC, Cáritas
 incentivar a implantação de projetos de produção de Brasileira, FUNCAP, CEFET,
FUNCEME, Fundação Araripe, CAA,
energia elétrica que utilizem recursos renováveis Círculo de Vivência.
disponíveis;
Por consenso, proposta aprovada.

 desenvolver mecanismos de acompanhamento SEINFRA, SETAS, IDACE,


COGERH, EMATERCE, SDE, Pacto
dessas iniciativas, com base no planejamento que de Cooperação, FIEC/IEL Assembléia
leva em conta os recursos disponíveis indicados Legislativa, INCRA, UECE, SEAGRI,
Docas do Ceará, Ouvidoria,
pela matriz energética e o planejamento energético SEMACE, SEBRAE, FUNCI-Fund.
do país, com foco principal na diminuição da Da Criança Família Cidadã,
LABOMAR, CETRA- Centro de Est.
dependência de fontes externas; de Trabalho e Assessoria, IICA,
Sem comentários do público. Associação Cearense dos Engenheiros
Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol. e
 implantar um Plano de Eficiência Energética para Vocacional de Aquiraz, METROFOR,
SUDENE, IBAMA, UFC, Cáritas
o Estado do Ceará visando à redução do consumo Brasileira, FUNCAP, CEFET,
de energia, por meio do combate ao desperdício, FUNCEME, Fundação Araripe, CAA,
Círculo de Vivência.
desenvolvendo ações no meio público e
posteriormente no meio privado;
Por consenso, proposta não aprovada.

ampliar e implementar o Plano de Eficiência


Energética do país, visando a redução do consumo
de energia por meio do combate ao desperdício,
desenvolvendo ações no meio público e privado;
Por consenso, proposta aprovada.

 universalizar o atendimento de energia elétrica,


promovendo investimentos em infra-estrutura
convencional ou viabilizando essa universalização
por meio da utilização de tecnologias que utilizem
recursos renováveis tais como solar e eólicos;
Por consenso, proposta aprovada com o texto modificado para:
 universalizar o atendimento de energia elétrica,
promovendo investimentos em infra-estrutura convencional
ou na utilização de tecnologias que viabilizem recursos
renováveis tais como solar e eólicos.

58
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

SEINFRA, SETAS, IDACE,


COGERH, EMATERCE, SDE, Pacto
 promover a divulgação do interesse no de Cooperação, FIEC/IEL Assembléia
desenvolvimento da utilização de projetos que Legislativa, INCRA, UECE, SEAGRI,
Docas do Ceará, Ouvidoria,
utilizem mecanismos limpos, parametrizando os SEMACE, SEBRAE, FUNCI-Fund.
critérios para a eleição desses projetos; Da Criança Família Cidadã,
Por consenso, proposta não aprovada LABOMAR, CETRA- Centro de Est.
de Trabalho e Assessoria, IICA,
Associação Cearense dos Engenheiros
 estimular o desenvolvimento de projetos que Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol. e
Vocacional de Aquiraz, METROFOR,
utilizem mecanismos limpos, parametrizando os SUDENE, IBAMA, UFC, Cáritas
critérios para a eleição desses projetos; Brasileira, FUNCAP, CEFET,
Por consenso, proposta aprovada FUNCEME, Fundação Araripe, CAA,
Círculo de Vivência.

 habilitar mecanismos econômicos-financeiros com


linhas de crédito que apóiem especificamente
projetos que utilizem energias renováveis;
Por consenso, proposta aprovada com nova redação:
 habilitar mecanismos econômicos financeiros, criando linhas
de crédito e vinculando as existentes, de forma a contemplar e
apoiar especificamente projetos que utilizem energias renováveis;

 incentivar a substituição do uso de lenha como


combustível com a substituição por gás natural
proveniente de biodigestores domésticos e em maior
escala para produção da indústria ceramista
diminuindo, assim, sua participação como
combustível na matriz;

 incentivar a substituição do uso de lenha como


combustível por gás natural;
Por consenso, proposta não aprovada.

 promover o desenvolvimento e a produção de


equipamentos para produção de energia, a partir de
fontes renováveis, e incentivar o surgimento de pólos
de desenvolvimento tecnológico de ponta na
produção de bens para a produção de energias
dessas fontes;
Por consenso, proposta não aprovada

59
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

 promover o desenvolvimento e a fabricação de SEINFRA, SETAS, IDACE,


COGERH, EMATERCE, SDE, Pacto
equipamentos para geração de energia a partir de de Cooperação, FIEC/IEL Assembléia
fontes renováveis; Legislativa, INCRA, UECE, SEAGRI,
Por consenso, proposta não aprovada Docas do Ceará, Ouvidoria,
SEMACE, SEBRAE, FUNCI-Fund.
Da Criança Família Cidadã,
 desenvolver estudos de complementariedade de LABOMAR, CETRA- Centro de Est.
de Trabalho e Assessoria, IICA,
regimes eólicos e hídricos visando à otimização da Associação Cearense dos Engenheiros
utilização desses recursos ao seu tempo; Agrônomos, ITEVA-Inst. Tecnol. e
Por consenso, proposta não aprovada Vocacional de Aquiraz, METROFOR,
SUDENE, IBAMA, UFC, Cáritas
Brasileira, FUNCAP, CEFET,
FUNCEME, Fundação Araripe, CAA,
Círculo de Vivência.

Proposta 4.4.5.5 – No setor de Saneamento Entidade


 incentivar e difundir a adoção de tecnologias de Banco do Nordeste
baixo custo para projetos de saneamento ambiental
(esgotos condominiais, aterros manuais, etc.);
Por consenso, proposta aprovada

Exclusão de
Ações

Tema: INFRA-ESTRUTURA E INTEGRAÇÃO REGIONAL

Agenda 5 – Estratégias setoriais

Proposta 4.4.5.1 – Subsetor de transporte de carga:


Macroobjetivo 6 - Superação das disfunções no transporte Entidade
multimodal e sua regulação para redução do custo
logístico de transportes de carga.
 redimensionar o chamado imposto verde, devido à EMATERCE
provável diminuição do papel das rodovias brasileiras
na função de modalidade de transporte preferencial
para o comércio interestadual de longa distância;
Por consenso, proposta aprovada.

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

60
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

3.5. TEMA 5: REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES


SOCIAIS

61
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Estratégias

Tema: REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS

Nenhuma reformulação proposta

Inclusão de
Estratégias

Tema: REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS

Nenhuma inclusão proposta

Exclusão de
Estratégias

Tema: REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS

Nenhuma exclusão proposta

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

62
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Ações

Tema: REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS

4.5.1 – Agenda mínima centrada nas áreas de educação, saúde e trabalho:

Proposta 4.5.1.1 – Entidade


Promover mecanismos de descentralização da oferta e monitoramento da SEMACE, SUDENE, Círculo de
qualidade da educação infantil e fundamental de modo a garantir que Vivência, SEDUC, FUNCAP,
IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
as crianças tenham condições de completar, no mínimo, sua educação IBAMA, IDT, Precel, Conselho
fundamental. Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
Por consenso, proposta aprovada.
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Promover mecanismos de descentralização e flexibilidade, com URCA
qualidade da oferta e monitoramento da qualidade da educação
fundamental de modo a garantir que as crianças tenham condições de
completar, no mínimo, as oito séries do ensino fundamental;
Por consenso, proposta não aprovada.
Proposta 4.5.1.3 Entidade
Fortalecer, dentro do SUS, as ações integradas de vigilância e atenção à URCA
saúde do trabalhador da população em geral com o objetivo
de garantir condições de saúde favoráveis para todos os trabalhadores,
incluindo os que se encontram em situação de trabalho informal;
Por consenso, proposta não aprovada.
Fortalecer, dentro do SUS, as ações integradas de vigilância e atenção à Banco do Nordeste
saúde do cidadão com o objetivo de garantir condições de saúde
favoráveis para todos os cidadãos, incluindo os que se encontram em
situação de trabalho informal;
Por consenso, proposta aprovada.
Proposta 4.5.1.6 Entidade
Ampliar o escopo da política nacional de qualificação profissional, bem Banco do Nordeste
como sua abrangência, integrando na mesma os recursos atualmente
geridos pelo Sistema S (Sesi, Senai, Senac, Sebrae, Senar);
Por consenso, proposta não aprovada.

63
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Ampliar o escopo da política nacional de qualificação profissional, bem SINDVERDE – Sind. das Emp.
como a sua abrangência, preservando e integrando as de Reciclagem de Res. Sólidos
entidades do Sistema S (SESI, SENAI, SENAC, Domésticos e Industriais
SEBRAE) que já atendem uma parcela considerável da
demanda por formação técnica no país.
Por consenso, proposta aprovada com nova redação:
Ampliar o escopo da política nacional de qualificação profissional,
bem como a sua abrangência, preservando e integrando as entidades
do Sistema S (SESI, SENAI, SENAC, SEBRAE, SENAR, SENAT,
SESCOP e outros) , como também as instituições de formação
técnico-profissional.

64
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

4.5.2 – Fortalecer a dimensão local: Agenda 21 local e desenvolvimento local integrado


e sustentável (DLIS)

Proposta 4.5.2.2 – INCORPORADO Entidade


Criar, no âmbito municipal, um fundo especial com vistas à SEMACE, SUDENE, Círculo de
implementação do plano de ação da Agenda 21 Local e de projetos Vivência, SEDUC, FUNCAP,
oriundos de processos de DLIS e orçamento participativo, e IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
IBAMA, IDT, Precel, Conselho
organizações sociais; Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.2.3 – Entidade
Difundir as boas práticas que reforcem o potencial das comunidades em NUCOM-UFC: Núcleo de
benefício próprio, por meio de campanhas periódicas e de programações Psicologia Comunitária
permanentes nos meios de comunicação de massa para facilitar sua
replicabilidade e impulsionar a nova mentalidade participativa, dando
ênfase aos aspectos psicossociais da participação
comunitária. Formar redes de apoio social compostas
por grupos operativos que envolvam os diversos
segmentos sociais, para fomentar discussões e garantir a
atuação destas, por meio da facilitação do processo de
desenvolvimento social e pessoal.
Por consenso, proposta não aprovada sugerida a formulação de uma nova
proposta com o texto:
Formar redes de apoio social compostas por grupos operativos que
envolvam os diversos segmentos sociais, para fomentar discussões e
garantir a atuação destas, por meio da facilitação do processo de
desenvolvimento social e pessoal.

Proposta 4.5.2.8 – Entidade


Incentivar a organização associativa de instâncias supralocais Secretaria da Saúde do Estado
(consórcios, associações, comitês de bacias, inclusive do Ceará
interestaduais) para produzir respostas às demandas que se
apresentam no tratamento integrado dos recursos hídricos e de resíduos
sólidos, assim como em atenção a demandas outras de
conservação ambiental, saúde, educação, etc., as quais
podem também indicar uma possibilidade de continuidade das políticas
públicas e alguma homogeneidade no tratamento regional das questões
urbana, sanitária e ambiental.
Por consenso, proposta não aprovada. Sugerido que o termo “inclusive
interestaduais” seja anexado à proposta seguinte.

65
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Incentivar a organização associativa de instâncias supralocais Banco do Nordeste


(consórcios, associações, comitês de bacias) para produzir respostas às
demandas que se apresentam no tratamento integrado das questões
econômicas de recursos hídricos e de resíduos sólidos, as quais podem
também indicar uma possibilidade de continuidade das políticas públicas
e alguma homogeneidade no tratamento regional das questões urbana,
sanitária e ambiental.
Por consenso, proposta aprovada com a inclusão no texto da citação
acima:
Incentivar a organização associativa de instâncias supralocais
(consórcios, associações, comitês de bacias, inclusive interestaduais)
para produzir respostas às demandas que se apresentam no
tratamento integrado das questões econômicas de recursos hídricos e
de resíduos sólidos, as quais podem também indicar uma
possibilidade de continuidade das políticas públicas e alguma
homogeneidade no tratamento regional das questões urbana,
sanitária e ambiental.

4.5.3 – Propostas para a promoção de grupos socialmente vulneráveis:

Proposta 4.5.3.1 – INCORPORADO Entidade


Articular uma rede envolvendo órgãos governamentais, organizações do SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
terceiro setor, instituições privadas, filantrópicas e religiosas IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
voltadas para o resgate de experiências variadas de capacitação para IBAMA, IDT, Precel, Conselho
cidadania e para a sustentabilidade. Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.3.2 – Entidade
Implantar nacionalmente o serviço civil voluntário para jovens de 18 Banco do Nordeste
anos, de ambos os sexos, de qualquer segmento social mas,
preferencialmente, aqueles em situação de risco de marginalidade
e de exclusão social, que não tenham terminado o ensino fundamental;

Durante o debate foi sugerida e aprovada por consenso, a inclusão na proposta 4.5.3 dos itens:
 garantir a demarcação das terras dos povos indígenas;
 garantir a efetiva implementação do estatuto do índio (Lei nº 6.001).

66
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

SEMACE, SUDENE, Círculo de


Implantar nacionalmente o serviço civil voluntário para jovens de 18
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
anos, de ambos os sexos, em situação de risco de marginalidade e IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
de exclusão social, que não tenham terminado o ensino fundamental; IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Implantar nacionalmente o serviço civil voluntário para jovens, de SEMACE, SUDENE, Círculo de
ambos os sexos, em situação de risco de marginalidade e de Vivência, SEDUC, FUNCAP,
IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
exclusão social, que não tenham terminado o ensino IBAMA, IDT, Precel, Conselho
fundamental; Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Por consenso, proposta aprovada.
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
obrigatório que vise URCA
Implantar nacionalmente um serviço civil
integrar a população dentro de uma sociedade mais
justa e solidária para um melhor conhecimento dos
aspectos diversos da realidade nacional
Por consenso, proposta não aprovada.
Implantar nacionalmente o serviço civil voluntário para jovens de 18 SEDUC – Secretaria de
anos, de ambos os sexos, em situação de risco de marginalidade e de educação do Estado do Ceará
exclusão social, que não tenham terminado o primeiro grau,
oportunizando aos mesmos espaços para lazer por meio
de atividades culturais e/ou esportivas, que fomentem
sua participação ativa na comunidade.
Por consenso, proposta não aprovada.
Proposta 4.5.3.3 – Entidade
Incentivar a reforma agrária e promover práticas Banco do Nordeste
agrícolas e não-agrícolas ambientalmente sustentáveis no
meio rural.
Por consenso, proposta aprovada com modificações no texto:
Promover uma reforma agrária com práticas agrícolas, ambientalmente
sustentáveis, integradas às demais políticas públicas.
Proposta 4.5.3.5 – Entidade
Garantir o exercício dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres por SEDUC – Secretaria de
meio de ações integradas no âmbito do governo e da sociedade civil, por educação do Estado do Ceará
meio da promoção preliminar de campanhas
conscientizadoras e mobilizadoras, alertando para o
perigo das DSTs, bem como abordando a necessidade de
um planejamento familiar para se adequar às condições
sócio-econômicas da família.
Por consenso, proposta não aprovada.

67
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Promover uma reforma agrária integrada com políticas agrícolas e SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
demais políticas públicas (saúde, educação, IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
financiamentos) ambientalmente sustentáveis. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Por consenso, proposta não aprovada. Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Promover uma reforma agrária integrada com políticas agrícolas URCA
ambientalmente sustentáveis que contemplem assentados com
recursos humanos e financeiros.
Por consenso, proposta não aprovada.
Proposta 4.5.3.4 – Entidade
Adaptar os conceitos – chave da agenda 21 às peculiaridades
das SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
minorias socialmente discriminadas, a saber: índios, IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
negros, homossexuais, mulheres, adolescentes, crianças, IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
deficientes, idosos, drogados, presos. Associação Caatinga, IDACE,
Por consenso, proposta aprovada. SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.3.5 –
Texto Original: garantir nas políticas públicas básicas a incorporação de
Entidade
ações e recursos de atenção e de promoção dos direitos da população
infanto-juvenil em situação de risco psicossocial.
SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
e dos direitos sexuais e
Garantir o exercício da cidadania IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
reprodutivos das mulheres, por meio de ações integradas IBAMA, IDT, Precel, Conselho
no âmbito do governo e da sociedade civil. Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Por consenso, proposta aprovada.
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.3.6 – Entidade
Garantir a efetiva implementação do Estatuto da SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
Criança e do Adolescente. IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Por consenso, proposta aprovada. Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.

68
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.5.3.7 – Entidade


Implementação ações de participação, ocupação e convívio do SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
idoso propiciando sua integração na vida familiar, IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
comunitária e social. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Por consenso, proposta aprovada. Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.3.8 – Entidade
Criar mecanismos de incorporação da pessoa portadora de deficiência nas SEMACE, SUDENE, Círculo de
diferentes ações de desenvolvimento sustentável e cidadania com Vivência, SEDUC, FUNCAP,
IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
ênfase ao acesso ao mercado de trabalho. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Por consenso, proposta aprovada com a substituição da palavra pessoas Associação Caatinga, IDACE,
portadoras de deficiências por: “pessoas portadoras de necessidades SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
especiais”. Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.

Inclusão de Ações

Tema: REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS

4.5.1 – Agenda mínima centrada nas áreas de educação, saúde e trabalho:

Proposta 4.5.1.7 Entidade


Fortalecer as ações de prevenção e promoção, por meio Secretaria da Saúde do Estado
da vigilância à saúde (vigilâncias epidemiológica, do Ceará
sanitária e ambiental) no nível da atenção primária,
prioritariamente voltadas aos grupos sociais sob maior
risco de adoecimento e morte.
Por consenso, proposta aprovada.
Proposta 4.5.1.8 Entidade
Promover mecanismos de desenvolvimento do ensino pré- URCA
escolar.
Por consenso, proposta não aprovada.

69
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

4.5.2 – Fortalecer a dimensão local: Agenda 21 local e desenvolvimento local integrado


e sustentável (DLIS)

Proposta 4.5.2.9 Entidade


Basear as gestões públicas locais na implementação de SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
planejamento e orçamentos participativos. IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Por consenso, proposta aprovada. Tutelar, NUCOM, SETAS,
CDVHS, Associação Caatinga,
IDACE, SINDIVERDE, éc. De
Saúde do Estado, CESAU, Assoc.
dos Defensores Públicos, SEAD,
SMDT.

Proposta 4.5.2.10 Entidade


Incrementar a valorização da cultura local ( auto-estima).
SEMACE, SUDENE, Círculo de
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto: Vivência, SEDUC, FUNCAP,
Incrementar a valorização da cultura local, visando a cultura da IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
sustentabilidade IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS,
CDVHS, Associação Caatinga,
IDACE, SINDIVERDE, éc. De
Saúde do Estado, CESAU, Assoc.
dos Defensores Públicos, SEAD,
SMDT.

Proposta 4.5.2.11 Entidade


Promover a cultura de paz junto às comunidades,
SEMACE, SUDENE, Círculo de
estimulando os valores das pessoas para a procura de Vivência, SEDUC, FUNCAP,
soluções para a violência. IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS,
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto: CDVHS, Associação Caatinga,
Promover a cultura de paz junto à sociedade, estimulando os valores IDACE, SINDIVERDE, éc. De
das pessoas para a procura de soluções contra a violência e a Saúde do Estado, CESAU, Assoc.
impunidade. dos Defensores Públicos, SEAD,
SMDT.

Proposta 4.5.2.12 Entidade


Incentivar a criação de novas organizações em instâncias URCA
locais voltadas para promoção do bem público.
Por consenso, proposta aprovada com a transferência do texto para o tema
Ciência e Tecnologia.

Proposta 4.5.2.13 Entidade


Oportunizar mecanismos de solidariedade, aproximando URCA
as Universidades e/ou centros de pesquisas da população.
Por consenso, proposta aprovada com a transferência do texto para o tema
Ciência e Tecnologia.

70
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.5.2.14 Entidade


Fortalecer e estimular entidades da sociedade civil EMATERCE, UNIFOR,
FUNCEME, IDACE, IPLANCE,
(conselhos, comitês e associações) atuantes, para que SDR, SRH, FAEC/SENAR,
propiciem a descentralização e parceria da gestão PRODEMA/UFC,
CAA/AQUIRAZ, FUND.
pública, bem como atuem na fiscalização direta das ações CIS/COREAÚ, CIA DOCAS
dos gestores públicos. CEARÁ, UECE, CARITAS
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto para: REGIONAL, IBAMA, SMDT-
Fortalecer e estimular entidades da sociedade civil organizada, para PMF, OUVIDORIA GERAL,
que propiciem a descentralização e parceria da gestão pública, bem SEMACE, AEAC – Depart. Téc.
Cient.
como atuem na fiscalização direta das ações dos gestores públicos.
Proposta 4.5.2.15 Entidade
Promover a ampliação do capital humano no meio rural e Banco do Nordeste
social, investindo em infra-estrutura, educação e
capacitação para a participação e organização.
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto, unindo-a a
proposta 4.5.2.19:
Promover e fortalecer parcerias com os setores públicos e privados na
qualificação do capital humano, assegurando investimentos em infra-
estrutura física para o desenvolvimento social e produtivo.
Proposta 4.5.2.16 Entidade
Adotar prática administrativa que possibilite a Ouvidoria Geral do Estado do
descentralização das decisões e das ações de governo no Ceará
atendimento à população;
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto:
Implantar modelos de gestão e planejamento do desenvolvimento local
que possibilitem a democratização de ações no atendimento à
população.
Proposta 4.5.2.17 Entidade
Desempenhar o papel de indutor na geração de ocupação Ouvidoria Geral do Estado do
produtiva, promovendo a redução das desigualdades Ceará
sociais;
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto:
Implementar, por meio de instituições socioeconômicas e financeiras
locais, ações que visem a geração de ocupação produtiva e que
combatam modelos concentradores de renda.
Proposta 4.5.2.18 Entidade
Facilitar o acesso do cidadão à justiça, à segurança e Ouvidoria Geral do Estado do
promover o exercício da cidadania com o respeito aos Ceará
direitos humanos;
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto:
Garantir o acesso do cidadão à justiça, à segurança e promover o
exercício da cidadania com o respeito aos direitos humanos, por meio
da celeridade e eficiência da justiça.

71
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.5.2.19 Entidade


Estabelecer parcerias com os setores púbicos e privados, Ouvidoria Geral do Estado do
assegurando investimentos necessários ao Ceará
desenvolvimento dos municípios;
Por consenso, proposta junção desta proposta à 4.5.2.15

Por consenso, aprovado, durante o debate, a inclusão de ações na estratégia 4.5.2:

 favorecer a descentralização de renda, por meio de Programas Renda Mínima e Bolsa


Escola;
 promover programas de geração de trabalho e renda, baseado na economia solidária,
por meio de instrumentos como microcrédito, cooperativismo e consumo eco-solidário,
em parceria com a sociedade civil, governos e empresários.

4.5.3 – Propostas para a promoção de grupos socialmente vulneráveis

Proposta 4.5.3.9 – Entidade


Priorizar o atendimento ao idoso na área da saúde, SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
destinando equipe multiprofissional habilitada. IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Por consenso, proposta aprovada. Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.3.10 – Entidade
Garantir o efetivo funcionamento de centros de apoio SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
psicossocial para pessoas em situação de risco e exclusão IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
social, suas famílias e comunidades de baixa renda. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Por consenso, proposta aprovada. Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.3.11 – Entidade
Ampliar, capacitar e valorizar os Recursos Humanos SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
Públicos, para prestar atendimento de qualidade à IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
população demandatária. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Por consenso, proposta aprovada. Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.

72
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.5.3.12 – Entidade


Criar no âmbito do serviço público retaguardas que SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
assegurem prevenção e tratamento dos drogaditos e IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
dependentes químicos. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Por consenso, aprovado com alterações no texto: Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Criar no âmbito do serviço público retaguardas que assegurem Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
prevenção e tratamento dos drogados, com ênfase a crianças e Estado, CESAU, Assoc. dos
adolescentes, e dependentes químicos. Defensores Públicos, SEAD, SMDT.

Proposta 4.5.3.13 – Entidade


Garantir o acesso à justiça gratuita e de qualidade, por SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
meio da implementação e expansão das defensorias IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
públicas. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Por consenso, proposta não aprovada, sugerida a inclusão do trecho: Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Associação Caatinga, IDACE,
“Implementação e expansão das defensorias públicas” na proposta
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
4.5.3.18. Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.3.14 – Entidade
Incentivar e apoiar o fortalecimento das organizações SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
populares, reforçando o potencial associativo e IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
participativo das comunidades. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Por consenso, proposta não aprovada. Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.3.15 – Entidade
Implementar políticas públicas de combate à violência SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
doméstica, exploração e abuso sexual de mulheres, IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
crianças e adolescentes. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Por consenso, proposta aprovada. Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
Proposta 4.5.3.16 – Entidade
Rever as políticas nacionais no âmbito do sistema SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
penitenciário, assegurando a dignidade do preso e a IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
reinserção social dos egressos. IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Por consenso, proposta aprovada com modificação do texto para: Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Rever as políticas nacionais no âmbito do sistema penitenciário, Estado, CESAU, Assoc. dos
assegurando a dignidade do preso com a colocação de unidades Defensores Públicos, SEAD, SMDT.
produtivas dentro dos sistemas penitenciários , desenvolvendo
projetos sociais em parceria com ONG’s, empresas privadas e outros,
contribuindo para a reinserção social dos egressos.

73
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Proposta 4.5.3.17 – Entidade


Promover a igualdade social e econômica entre homens e INCRA
mulheres nos programas e projetos de reforma agrária.
Por consenso, proposta aprovada.

Exclusão de
Ações

Tema: REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS

4.5.1 – Agenda mínima centrada nas áreas de educação, saúde e trabalho:

Proposta 4.5.1.5 – Entidade


Criar um serviço eficiente de intermediação de mão-de- SEMACE, SUDENE, Círculo de
Vivência, SEDUC, FUNCAP,
obra, de caráter público não-estatal, concebido em IICA/SDR, SEINFRA, Ouvidoria,
termos nacionais, a ser implementado em nível local; IBAMA, IDT, Precel, Conselho
Tutelar, NUCOM, SETAS, CDVHS,
Por consenso, proposta de exclusão aprovada. Associação Caatinga, IDACE,
SINDIVERDE, Sec. De Saúde do
Estado, CESAU, Assoc. dos
Defensores Públicos, SEAD, SMDT.

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

74
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

3.6. TEMA 6: CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA O


DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

75
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Estratégias

Tema: CIÊNCIA E TECNOLOGA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Nenhuma Reformulação Proposta

Inclusão de
Estratégias

Tema: CIÊNCIA E TECNOLOGA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Nenhuma Inclusão Proposta

Exclusão de
Estratégias

Tema: CIÊNCIA E TECNOLOGA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Nenhuma Exclusão Proposta

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

76
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Reformulação de
Ações

Tema: CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

4.6.4 – C&T para gestão ambiental Entidade


 Divulgar, nos municípios, o conjunto dos recursos UECE- Faculdade de
tecnológicos básicos, visando o conhecimento das Educação, Ciências e Letras
de Iguatu
diversas camadas sociais, o incentivo e a conseqüente
utilização desses recursos. (item 5)
Por consenso, proposta não aprovada.

 Desenvolver uma política integrada para o conjunto


dos recursos naturais nacionais; (item 5)
Por consenso, proposta não aprovada.

 Capacitar em nível técnico-científico os órgãos de gestão ambiental, CENTEC, SUDENE, UECE,


instituições educacionais e de pesquisa; (item 3) SENAI, EMBRAPA, UFC,
Por consenso, proposta aprovada. Ouvidoria, SECTECE, CNPF
4.6.5 – Instrumentos de C&T - INCORPORADO Entidade
 Incentivo a organismos setoriais, regionais, estaduais e locais de Banco do Nordeste
apoio a pesquisas científicas e tecnológicas. (item 14)
Por consenso, proposta aprovada.

Inclusão de Ações

Tema: CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

4.6.2 – Dinâmica Institucional de C&T Entidade


 Instituir prêmios regionais de gestão e preservação do Banco do Nordeste
meio ambiente, como forma de estimular e difundir
práticas saudáveis de desenvolvimento sustentável nos
seus múltiplos aspectos, tais como: manejo florestal,
preservacão de fauna e flora, recuperação de áreas
degradadas, preservação de matas ciliares e de lagoas
e rios, reaproveitamento de resíduos industriais e
outros;
Por consenso, proposta aprovada.

77
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

4.6.3 – C&T para processos produtivos Entidade


 considerar o critério ambiental como um dos itens Banco do Nordeste
prioritários no processo de seleção de projeto de C&T,
quer sob a forma de editais ou outros processos;
Por consenso, proposta aprovada com modificações:
considerar o critério ambiental como um dos itens prioritários no
processo de seleção de projeto de pesquisa e de desenvolvimento em
Ciência e Tecnologia.
 realizar levantamento do acervo tecnológico existente CENTEC, SUDENE, UECE,
com seleção das tecnologias adequadas ao SENAI, EMBRAPA, UFC,
desenvolvimento sustentável; Ouvidoria, SECTECE, CNPF
Por consenso, proposta não aprovada.
 valorar os recursos naturais implicados nas
tecnologias;
 estimular o crédito ao desenvolvimento e a importação
de tecnologias facilitadoras da sustentabilidade;
Por consenso, proposta aprovada.
 introduzir tecnologias de despoluição condicionadas à
capacitação e à adaptação às necessidades nacionais,
regionais e locais;
Por consenso, proposta aprovada com modificações:
Apoiar a introdução de tecnologias de despoluição, bem como a
capacitação de recursos humanos, adaptando-as às necessidades
nacionais, regionais e locais.

 incentivar os processos produtivos que reutilizam,


reciclam e reduzam os efeitos nocivos dos resíduos
industriais;
Por consenso, proposta aprovada.

 fomentar as instituições com melhores condições de


geração, adaptação, inovação, e difusão de tecnologias
em setores prioritários, observando as questões
regionais e locais.
Por consenso, proposta aprovada

 mobilizar os recursos humanos e financeiros para


desenvolver tecnologias e processos que tornem
competitivos os produtos naturais da região.
Por consenso, proposta aprovada.

78
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

4.6.4 – C&T para gestão ambiental Entidade


 estimular o surgimento de lideranças da área de C&T CENTEC, SUDENE, UECE,
e promover a capacitação técnica local; SENAI, EMBRAPA, UFC,
Por consenso, proposta aprovada. Ouvidoria, SECTECE, CNPF

 promover o levantamento de aspectos e impactos


ambientais para a formação de um Banco de Dados;
Por consenso, proposta não aprovada.

 implementar uma política de formação e capacitação


de recursos humanos;
Por consenso, proposta aprovada

4.6.5 – Instrumentos de C&T Entidade


 estabelecer instrumentos de cooperação entre as CENTEC, SUDENE, UECE,
instituições nos vários níveis de governo no que diz SENAI, EMBRAPA, UFC,
Ouvidoria, SECTECE, CNPF
respeito à promoção, geração e utilização de C&T;
Por consenso, proposta aprovada.

4.6.6 – Legislação de C&T Entidade


 destinar os recursos oriundos dos “royalties” Banco do Nordeste
provenientes da produção de petróleo e gás natural,
preferencialmente para o apoio a pesquisa científica e
tecnológica, por meio dos agentes de desenvolvimento
regionais, a exemplo do Banco do Nordeste e Banco da
Amazônia.
Por consenso, proposta aprovada com modificação no texto:
Destinar os recursos oriundos dos “royalties” provenientes da
produção de petróleo (lei 9478 de agosto de 97) e gás natural, para o
apoio à pesquisa científica e tecnológica da indústria do petróleo,
voltados para a proteção ambiental.

79
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Exclusão de
Ações

Tema: CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Nenhuma Exclusão Proposta

Legenda: Incorporado – proposta incorporada ao documento por não necessitar de validação


Entidade – entidade que apresentou a proposta
Letra Preta – proposta original, contida no documento Base para Discussões
Letra Vermelha – sugestões de reformulação
Letras Azul – propostas de exclusão
Letra Verde – resultado do debate

80
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

4. MACROTENDÊNCIAS IDENTIFICADAS NO DEBATE

81
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

4. MACROTENDÊNCIAS IDENTIFICADAS NO DEBATE

4.1. Tema 1: Gestão de Recursos Naturais


 Corredores Ecológicos:
- incluir o Corredor da Caatinga e da Chapada do Cariri.
 Recursos Hídricos:
- incentivar a interligação de bacias hidrográficas.
 Educação Ambiental:
- envolver os ONGs e construir uma matriz curricular compatível às diversidades
regionais.

 Zoneamento Ambiental:
- apoiar e implementar o ZEE.
 Bacias Hidrográficas:
- usar como base para o planejamento a bacia hidrográfica e suas subdivisões.
 Recursos Ambientais:
- alavancar negócios ambientais que incrementem a conservação ambiental
sustentável.
- Criar o imposto verde.
 Convivência com a seca:
- elaborar planos permanentes de combate aos efeitos da seca;
- garantir formas de acesso ao bem público água.
 Fortalecimento das organizações públicas que atuam na gestão dos recursos:
- instituir ouvidorias ambientais;
- fortalecer os conselhos municipais de defesa do meio ambiente.

4.2. Tema 2: Agricultura Sustentável


 Gestão e fortalecimento institucional:
- promover a descentralização do poder judiciário e fomentar a gestão participativa.
 Manejo dos sistemas produtivos:
- instituir bônus conservacionistas.
 Uso de agrotóxicos:
- incentivar a agricultura orgânica.
 Sistema de informações:
- criar o sistema único de cadastro de imóveis rurais.
 Geração de emprego e renda:
- fomentar atividades não agrícolas no meio rural.
 Biodiversidade:
- utilizar economicamente as lavouras xerófilas.

82
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

 Educação rural:
- reformular os currículos dos cursos profissionalizantes e superiores, objetivando sua
adequação às exigências da agricultura sustentável;
- capacitar recursos humanos em todas os elos da cadeia produtiva;
- dar acesso à legislação ambiental a todas os agricultores.

4.3. Tema 3: Cidades Sustentáveis


 Água e energia:
- excluir o Nordeste do horário de verão;
- promover mecanismos de reaproveitamento da água servida.
 Poluição:
- criar marco legal para regulamentação e fiscalização do uso de equipamentos
geradores de campos eletromagnéticos.

 Participação social:
- fomentar o sentimento de pertinência e apropriação do local onde se vive;
- fomentar o aproveitamento do patrimônio histórico, cultural e ambiental por parte da
sociedade.

4.4. Tema 4: Infra-estrutura e Integração Regional


 Política de tarifas:
- instituir tarifas sociais.
 Gestão do Estado:
- formar competências locais;
- planejar de forma integrada os diversos programas governamentais.
 Energia alternativa:
- fomentar o desenvolvimento tecnológico.
 Gestão do Estado:
- viabilizar mecanismos de controle social dos recursos liberados para investimento.
 Instrumentos econômicos:
- gerar tecnologias para geração de energia renovável.
 Transportes:
- priorizar a adoção de combustível alternativo;
- estabelecer uma política que priorize a integração intermodal de passageiros e
cargas;
- incentivar o uso de bicicletas;
- proporcionar mais conforto e segurança para o pedestre.
 Energia:
- substituir o uso da lenha como combustível;
- privilegiar iniciativas de geração de energia renovável;
- universalizar a oferta de energia elétrica.
 Ecoeficiência:
- estimular projetos que utilizem a “produção mais limpa”;
- adotar tecnologias de baixo custo para projetos de saneamento ambiental.

83
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

4.5. Tema 5: Redução das Desigualdades Sociais


 Agenda Mínima:
- integrar o Sistema S às demais instituições de formação técnico-profissional.
 Grupos socialmente vulneráveis:
- promover a reforma agrária com adoção de práticas ambientalmente sustentáveis;
- garantir a efetiva implementação do estatuto da criança e do adolescente;
- criar mecanismos para que o idoso melhor se integre na vida familiar, comunitária e
social;
- implementar e expandir os defensivos públicos;
- combater a violência doméstica e o abuso sexual;
- implementar unidades produtivas nas comunidades penitenciárias;
- promover a igualdade de oportunidades para o melhoramento dos projetos de
reforma agrária.

 Dimensão local:
- induzir a implementação do planejamento e do orçamento participativo;
- valorizar a cultura local e a cultura da paz.;
- criar programas de microfinanças;
- criar programas de renda mínima e bolsa-escola;
- qualificar a população, objetivando melhorar a qualidade do capital humano.

4.6.Tema 6: Ciência e Tecnologia para o


Desenvolvimento Sustentável
 Ciência e Tecnologia e Gestão Ambiental:
- criar prêmios regionais de gestão e preservação do meio ambiente.
 Ciência e Tecnologia e Processos Produtivos:
- inserir a variável ambiental nos critérios de seleção de projetos de pesquisa e
econômicos.
- incentivar e premiar as empresas que adotam tecnologias limpas.

84
5. REGISTRO FOTOGRÁFICO
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Plenária do Debate Estadual da Agenda 21 em Fortaleza.

Mesa dos representantes da SUDENE, do Banco do Nordeste, da Comissão de Políticas de


Desenvolvimento Sustentável e Agenda 21 e da SEMACE.

86
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

Dr. Fernando Almeida, vice-presidente do


CEBDS, representando a Comissão de Políticas
de Desenvolvimento Sustentável e Agenda 21.

Participantes do Debate Estadual da Agenda 21 em Fortaleza.

87
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

6. RELAÇÃO DOS PARTICIPANTES DO DEBATE

88
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X

Pública Privada Setor Capital Interior
1.Hugo Estenio Rodrigues Bezerra Companhia de gestão dos recursos X X
Av. Aguanambi, 1770 hídricos

257-6538 / 272-6614
2.Rosa Cruz Macedo Organização de Biólogos do Cariri- X X
Rua Maria Vicência, 186 OBC

Juazeiro do Norte-CE
3.Nelson Francisco Vidal da Cunha Prefeitura Municipal de São Benedito X X
Caixa Postal, 03. São Benedito

4.Walmir Severo Magalhães Ematerce X X


Rua Melo César, 151

(085) 279-4723
5.Esio do Nascimento Silva AEAC X X
Rua Paula Rodrigues, 304 Bairro de Fátima

6.Joceli Apoliano Rua 25 de março, 882 FCDL X X

7.Isaías Matos Duarte Banco do Nordeste X X


DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
8.Raimundo Ribeiro da Silva X X
Canindé – 343-2125 Banco do Nordeste

9.Eline Rosa A . Frutuoso X X


Av. Paranjana, 5700. Passaré Banco do Nordeste -CENAG

10. Maria de Fátima Girão Oliveira X X


Banco do Nordeste – CENAG-FOR
Av. Paranjana, 5700. Passaré

11. Elizabeth Castelo Branco X X


Av. Paranjana, 5700. Passaré Proj. Capacitação

Bloco A 2 . Superior
12. Francisca Jeania R. Bezerra X X
Banco do Nordeste. Sobral Banco do Nordeste

13. Maria do Livramento X X


Sindicatos dos Trab. Sobral

90
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
14. Priscila Carvalho Holanda Antônio da Costa Gadelha s/n. Genipabú. Centro de Pesquisa e Vivência X X
Caucaia Ecológica - CEPEVIVE
Fone: 342-6167 Centro Vocacional Tecnológico –
Celular: 9976-6372 CVT. São Gonçalo

15. Idelmar Pires Banco do Nordeste Banco do Nordeste X X

16. Luciano Guerra X X


Banco do Nordeste Proj. Estruturantes

A 1. Superior
17. Eveline Barbosa X X
Banco do Nordeste Banco do Nordeste

18. Antônio Carlos Fradique Accioly X X


Prefeitura Municipal de Guaiúba Prefeitura

19. José Nilo Meira X X


Banco do Nordeste Banco do Nordeste

20. Eduardo Mendonça X X


Av. Jovita Feitosa, 3255 Banco do Nordeste

91
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
21. Maria Evaneide P. Diógenes X X
Banco do Nordeste Banco do Nordeste

São Benedito
22. Klevelando F. Brito X X
Agência Aracati - CE Banco do Nordeste

23. Ricardo Lima de Medeiros Marques X X


Banco do Nordeste Banco do nordeste

A 1. Superior.
24. Gabrie Azevedo Amorim X X
Banco do Nordeste Banco do Nordeste

25. José Levi Furtado Sampaio X X


DEPTO. Geografia UFC
Fone: (085) 235-0085

26. Lúcia Cidrão X X


Av. Dom Luís, 609 Funcap

100 Andar. Fortaleza-CE


27. Eduardo Moura X X
Rua Leste 3, n0 300 Ceplal

Distrito Industrial. Fortaleza-CE

92
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
28. Lorenço Humberto Portela X X
Washington Soares, 1321 Unifor

Fortaleza-CE
29. Reginaldo Braga X X
Fortaleza-CE Sebrae-CE

30. Augusto Capibaribe X X


Juazeiro do Norte Prefeitura Municipal de

Fone: 566-1004 Juazeiro do Norte


31. Raul Monteiro X X
Av. Visconde do Rio Branco, 3260 Círculo de vivência
Inst. consc. ecologia social e global
Fortaleza-CE
32. Ana Cláudia Moura Lemos X X
Banco do Nordeste Banco do Nordeste

33. João José da Rocha Filho X X


Ag. Fortaleza Centro Banco do Nordeste

34. Marcelo Cavalcante Av. Monsenhor Tabosa, 1341 (Meireles) Sinduscon - CE X X


Sindicato da indústria da
construção civil do Ceará

93
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
35. Marizete Nogueira X X
Rua Rodrigues Júnior, 40 UECE

Fone: (085) 231-0062


36. Glayco Sales X X
TV Ceará – Canal 5

37. Antônio de Albuquerque Sousa Filho X X


Rua Fonseca Lobo, 1154

38. Eduardo Girão X X


A v. Universidade, 2596 IDT/CE

39. Prof. Dr. Maia X X


Av. Paranjana, 1700. Campus do Universidade Estadual do

Itaperi. Fortaleza-CE Ceará - UECE


40. Cleonice Almeida X X
Jaime Benévolo, 1400 Semace

41. Ricardo Parente X X


Viriato de Medeiros, 1250 Prefeitura de Sobral

94
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
42. Alberto Bernaldo X X
Cambeba Sinfra

43. Sílvia Cristina Secretaria de Desenvolvimento Rural X X


Av. Bezerra de Menezes, 1820

44. João Nicédio X X


Idelfonso Albano, 1585 OCEC

45. Pedro Augusto X X


UECE IEPRO

46. Clodionor Araújo X X


Av. Santos Dumont, 7700 CPRM / ABAS

47. Robson Lopes X X


Coronel Pompeu, 894 Ematerce

48. Jurandir Maia X X


Av. Cel. Correia,289 Prefeitura de Itaiçaba

95
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
49. José Américo X X
Guilherme Rocha, 218. Sala 304 Copasat

50. Maria da Conceição X X


Rua André Tomaz s/n Secretaria de Educação

Croatá
51. Francisco José X X
Gilberto Studart, 630 Centec -Instituto

52. Milton Gurgel X X


Brasil Oiticica, 241 / Sobral Centec

53. Francisco Nunes de Paula X X


Distrito de América Assoc. dos Moradores de

América - AMA
54. Ivete Maria Antunes Matos X X
ONG. Juriti – Rua Padre Cícero ONG. Juriti

N0: 1121.
55. Maria da Paz Gadelha Prefeitura Municipal de Itapiuna X X
Almirante Rufino, 294 – Vila União

96
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
56. Cristiano Cardoso Gomes X X
Rua Coronel Raimundo Lobo, 161 ACB –Assoc. Cristã de Base

Crato.
57. Júlio César de Sales X X
Rua Plácido Adelardo Castelo s/n Centec

Juazeiro
58. Kátia Rejane Anastácio X X
Rua Padre Pedro Ribeiro, 402 OBC

Juazeiro
59. Cristiano Teixeira de Souza X X
Trav. Rui Monte, 941. Paraíba Estudante

60. Maria de Lima X X


Av. General Silva Júnior, 800 / Agência de Desenvolvimento

Apto. 104
61. Tereza Lisieux Prefeitura de Tabuleiro do Norte X X
Rua Padre Clicério, 4506

62. Vanusa Maria de Oliveira Prefeitura de Tabuleiro do Norte X X


Rua Padre Cícero, 4506

97
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
63. João Honorato Câmara Municipal de Quixeré X X
Rua José Gonçalves Lima, 1190

64. Yara Macedo X X


Rua Padre Luís Figueira, 515/102 PAI - SEAD

65. José Sarto Correia Lima X X


Rua Antônio Augusto, 1404/503 CBH

66. Eduardo Mendonça X X


Av. Jovita Feitosa, 3255 Banco do Nordeste

67. Morsyleide de Freitas X X


Rua Idelfonso Albano, 441 Embrapa

Apto. 203. Fone: (085) 219-1696


68.Luciana Gomes Portácio Prefeitura Municipal de Ocara X X
Av. Cel João Felipe s/n

Ocara – CE. Fone: 322-1002

98
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
69. Jossuleide A . Cavalcante Souza CRESS – Conselho regional de X X
Av. Bernado Manoel, 8500 Serviço Social

Apto. B-05. Fone: 493-1442


70. Jaime Oliveira Sítio Tabuleiro Alto Limoeiro do Norte X X
Fone: 423-4876

71. Maria Eunice Rebouças Gondim São Bernado, 214 C/121 Secretaria de educação básica - CE X X
Álvaro Weyne. CEP: 60.336-250

72. Manuel Osório de Lima Viana Rua Barbosa de Freitas, 130/1100 UFC - PRODEMA X X

73. Manuel Messias Moreira da Silva Rua Fernando Augusto, 987 –Santo Amaro X X

74. Maria da Conceição X X


Rua Amaro Cavalcanti, 194 Presel

99
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
75. José Arlindo X X
Av. Abolição, 1320 UFC - Labomar

76. Élber Braga X X


Av. Rui Barbosa Funceme

77. José Hamilton X X


Av. Santos Dumont, 1168 Prefeitura de Aracati

78. Cyro Régis X X


Rua 24 de Maio, 60. Centro Metrofor

79. Márcia dos Santos X X


Rua Capitão Aragão, 863. Centro de Desenvolvimento
Infantil
Aerolândia
80. Adalto Miranda X X
Miguel Arraes, 56. Araripe Cooperaar

81. Valdeci da Costa X X


Rua Paulo Meireles, s/n - Centro de Defesa dos
Senador Pompeu Direitos Humanos

100
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
82.Josafá Silva X X
Av. 4 de setembro, 1720 Colégio Correia Lima

83.Tânia de Matos X X
Cambeba Secretaria de Infra-estrutura

84.Maria Salete X X
Cambeba Seinfra

85.Antônio Demontieu X X
Rodovia Iguatu – Várzea Alegre Escola Agrotécnica de Iguatu

Km 5
86.Sandra Helena X X
Campus do Pici UFC - Prodema

87.César Heros Júnior X X


Av. da Universidade, 3264. Prefeitura de Jijoca
Apto 501

88.Jorge Parente X X
FIEC FIEC

101
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
89.V. G. Bonaffini X X
Av. Porto Velho, 401. Jóquei Clube Universidade Gama Filho

90.Aroldo Aguiar Holanda Secretaria de Desenvolvimento Rural X X


Av. Bezerra de Menezes, 1820

91 Emílio Augusto Campus do Pici UFC X X

92. Rogério Sabóia Rua 24 de Maio, 862 Secretaria de Turismo – Camocim X X

93. Margarida Lopes Av. Soriano Albuquerque, 230 Secretaria do Trabalho e Ação Social X X

94. Leila Leal Melo Av. Santos Dumont, 1687 8º andar Procuradoria de Justiça X X
Sala 210

95. Maria Jaqueline Ferreira da Silva Rua José Henrique Brasileiro, 103 OBC – Organização de Biólogos do X X
Cariri

102
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
96. Rita Gouveia da Silva X X
Juazeiro do Norte Banco do Nordeste

97. José Airton Ribeiro Portela X X


Rua Dep. Alves Soares, 350 ASPAT – Ibiapina -CE

98. J.R. Torres de Melo X X


Rua Esite Braga, 50 FAEC

99 Carmen do Vale X X
Juvenal Gondim, 169 Prefeitura de Pindoretama

100. Valdelande X
Banco do Nordeste - Brejo
Santo

101. Olgavalgrid Barbosa Teixeira X X


Centro Adm. Cambeba SEINFGRA

103
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
102. Messias Holanda Dieb X X
Av. Vale Albino s/n Prefeitura Municipal

Pindoretama
103. Hamilton Teixeira Viana X X
Caio Prado, 799. Itapipoca PROTAL

104. Agenor Albano dos Santos X X


Trav. José Cláudio, 32. Itapajé Autônomo ( Engenheiro
Agrônomo)

105. José Iran Ribeiro X X


Rua 25 de março, 882 - Centro CDL

106. Ana Christine Araújo X X


CE 090 km 3 s/n. Caucaia - CE Parque Botânico

Fone: 342-3060
107. Rose Maria Freitas Holanda X X
Av. Barão de Studart, 1980 FIEC

108. Teócrito S. B. Ramos X X


Rua Barão do rio Branco, 2928 CREA - CE

104
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
109. Raimundo José de Oliveira X X
Rua escrivão Azevedo, 811. Apto. Companhia Docas do Ceará
111, bloco 2. Cidade dos Funcionários

110. João Otávio M. Av. Barão de Studart – FIEC 80 andar Sindiverde X X

111. Roberto Albuquerque Banco do Nordeste - Passaré X X

112. Alexandre Aires de Freitas Av. São Francisco s/n – Boa Vista Prefeitura Municipal X X
Canindé

113. Maria Salvelina Marques Lourenço Rua Manoel Marinho de Andrade, Prefeitura Municipal X X
05. Sobral

114. Francisco Magno Rodrigues Rua José Alves, 558 Sindicato dos Trabalhadores X X
Rurais

115. João Humberto Silva Rua Major Facundo, 388. Sobral CMDS X X

105
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
116. José Magalhães Filho Rua Viriato de Medeiros, 1250 Prefeitura de Sobral X X
Sobral - CE

117. Fabíola Silva Gomes Av. José Bastos, 4700. Couto Fernandes INCRA X X

118. Vicente Furtado Guedes Rua Hilda Augusto,134. Lavras Secretaria Municipal de Educação X X
CE

119. João Sílvio Dantas de Moraes Rua centro Administrativo. Prédio Iplance X X
da Seplan. Gov. Virgílio Távora
Cambeba.

120. Ivanilda Domingos Queiroz Rua Dom Manoel, 38. Centro. Secretaria de Ação Social X X
Aracati

121. Cícero Wilton de Melo Oliveira Rua Tabelião Enéas, 327 Feclesc X X

122. Mavignier França Passaré Banco do Nordeste X X

106
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
123. Leonardo França Faculdade de Economia UFC X X

124. Raimundo Cassimiro da Silva Rua Coronel Pompeu, 612. Faecoma X X


Aracati

125. Cristina Maria Açeme Romcy República do Líbano, 300 Seinfra X X


Apto. 104. Bl B.

126. Flávio Alves Rua Paulo Meireles s/n. Senador Centro de Defesa dos Direitos X X
Pompeu Humanos

127. Raimundo Coelho Av. Dr. Antônio da Rocha Freitas, Secretaria de Educação X X
1517. Jaguaruana

128. Alberto Goes Ministério do Meio Ambiente. Ministério do meio Ambiente X X


Brasília - DF

129. Maria José de Sousa Holanda Av. Barão de Studart, 505. Ouvidoria Geral do Estado X X
Meireles. Fortaleza

107
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
130. Meirisberto Oliveira Barros Fazenda Santa Rosa. APAO X X
Amontada - CE

131. Tatiana Maria Oliveira Centro Adm. Do Cambeba Secretária da Infra-Estrutura X X

132. Luciene Strada de Oliveira Rua Alberto de Campos 10 Instituto Segumar X X


A. 1107. Rio de Janeiro -RJ

133. Jeons Oliveira Moreira Rua Antônio Augusto, 1571 Instituto Centro de Ensino X X
Tecnológico – Centec 05

134. Liano Silva Veríssimo Av. Santos Dumont, 7700 ABAS -CPRM X X

135. Sebastião Felipe do nascimento Rua José Carlos, 208. CDDHAC X X


Senador Pompeu

136. Lúcio Otávio Rua Rodrigues Júnior, 840 SUDENE X X

108
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
137. Diarley Almeida Rua Adolfo Pinheiro, 367. AJE X X
Fortaleza

138. Francisco Alberto Gerônimo de Freitas Rua 19, n0 95. Conj. Riacho Doce Confecções X X
Passaré. Fortaleza

139. Raimunda Conceição de Lima Travessa Baraúna, 45. Fortaleza. Micro empresa X X
Ceará

140. Tarcísio Holanda Costa CE – 040, km –34,9. Pindoretama COMUT X X


Ceará

141. Sebastião Guedes Nunes Av. 8 de novembro, 301. Ematerce X X


Jaguaribe - CE

142. Fábia Sales Nogueira Rua Bismark,326. Parangaba Prefeitura de Canindé X X

143. Maria Tereza Bezerra Farias Sales Rua Jaime Benévolo, 1400 Semaci X X

109
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
144. Jesus Moreira de Andrade Rua Ecílio Pinheiro, 315 - A Femaje. CUT X X
Tabuleiro do Norte

145. Francisco Holanda de Cabral Rua Capitão José Rodrigues, 19. FNS X X
São João do Jaguaribe

146. Francisco de Almeida Chaves Rua Antônio Joaquim, 1296 Cogerh X X


Limoeiro do Norte

147. Elizabeth Rebouças de Albuquerque Rua Jaime Benévolo, 1400 Semace X X

148. Ademir da Silva Costa Rua castro Alves, 180. Joaquim Banco do Nordeste X X
Távora

149.Maria Vicentina Rua Prof. Solon Farias, 110. SEAT - PAI X X


Fortaleza

150. José Bonfim Frota Centro Adm. Cambeba Secretária de Recursos X X


Hídricos

110
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
151. Darlam Moreira 242 – 1546 / 9171 - 4121 Gazeta Mercantil X X
Rua Osvaldo Cruz, 1.
Edifício Beira Mar Treide Center CEP: 60125-150
Sala 1805. 180 andar.
152. Antônio Francisco Arruda Banco do Nordeste X X
299-3405
Recursos Humanos

153. Cândido Neto Prefeitura de Maracanaú X X


Av. 2. n0 150

154. Ana Rosa Sales Cabral Prefeitura de Maracanaú X X


Av 2. n0 150

155. Maria de Graça Reis Rua Eng. Ant. Ferreira Antero,480 Associação de Defensoria Pública X X
CEP: 60834-230. Bairro: Edson
Queiroz. Fortaleza -CE

156. Maria Moreira da Silva (Mazé) Rua São Pedro, 183. Caucaia. Fecacmc X X
Fone: 342-6987/ 342-8164

157. João Serafim de Sousa Rua Sgto. Fco. F. Pinho. Prefeitura Municipal X X
Madalena - CE

111
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
158. Fátima Evaneide Barbosa de Almeida Av. Mendel Steimbruch s/n Sindicato das Bebidas do X X
Distrito Industrial. Maracanaú -CE Estaco do Ceará

159. Maria do socorro Rocha das Chagas Av. Dedé Brasil , 6400. Bl A. FUNCI- Fundação da Criança Cidadã X X
Apto. 107. Fortaleza – CE.
Fone: 295-5043

160. Francisco Vidal de Lima Senador Pompeu - CE CDDH -- AC X X

161. Maria de Lourdes Martins Gomes Rua Abelardo Ferreira, 204. Coeduc – Coordenadoria de X X
Jardim Iracema Educação - PMF

162. Paulo Celso de Mello Oliveira Av. Soriano Albuquerque, 230. Secretaria do Trabalho e da Ação X X
Bairro: Joaquim Távora Social

163. Raquel Cristina B. V. Pontes Rua Prof. Dias da Rocha, 482/31 DNOCS – Departamento Nacional de X X
Ed. Gênova Obras Contra
As Secas.

164. Miguel Alves de Almeida Rua João Pitombeira, 11. CDDH -AC-Centro de Defesa dos X X
Senador Pompeu - CE Direitos
Humanos

112
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
165. Jeannette Willekens Ramalho da Silva Rua Manoel Galdino, 4417. Bom PMF – Prefeitura Municipal de X X
Jardim. Fortaleza. Regional V

166. Maria de Fátima Lourenço Av. Soriano Albuquerque, 230 SETAS – Secretaria do Trabalho e X X
Joaquim Távora Ação Social

167.Benedito Lourenço Lagoa do Junco Centro de Aprendizado X X


Agroecológico - CAA
Fone: 249-1855/231-0152

168. Maria do Carmo da Costa Oliveira Rua São Paulo, 32. Sala 803. Hoje- Assessoria em Educação X X
Fone: 249-1855

169. Djalma Lima Paiva Filho Rua Visconde do Rio Branco, 3900. Fone: Instituto Brasileiro Meio Ambiente e X X
272-1600 Recursos Naturais Renováveis

170. Margareth Nunes da Costa Av. Leite Barbosa s/n. Mucuripe Petrobras/Lubnor X X

171. Omar Jesus Ferreira UFC. Fone: 288-9762 UFC – Universidade Federal do Ceará X X

113
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
172. Eunice Maia de Andrade Caixa Postal, 6003. UFC – Universidade Federal do Ceará X X
CEP: 60.455-970. Fortaleza-CE
Fone: 288-9762

173. João Lucas M. Barbosa Rua Idelfonso Albano, 200. UFC/Planefor X X


Apto. 800

174. Mônica Barroso Av. Santos Dumont, 1740 Defensoria Pública X X


Sala 1008

175. Maria Gorete Alves Av. 13 de maio, 2081. Fortaleza- CEFET - CE X X


CE

176. Yoshio Centro Adm. Fortaleza-CE Iplance X X

177. Abdias Monteiro Filho Morada Nova Ematerce X X

178. Maria do Socorro Silva Ribeiro Aracati-CE. José de Alencar, 1018 STR.Aracati X X

114
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
179. Maria Lúcia Costa Teles GAPRE Banco do Nordeste X X

180. Robério Gress do Vale Banco do Nordeste Banco do Nordeste X X

181. Cláudio Rodrigues de Lima Rua Moura Matos, 1700 X X

182. Antônio Luciano Guimarães Rua Fiúza de Pontes, 333 Planefor – Planejamento Estratégico X X
Fax: 226-9696. da RMF
Fone: 252-1534

183. Mansour Fortaleza-CE SER II X X

184. Manoel Cipriano de Alencar Rua Armando Feitosa, 524. Ass. Dos Criadores de Ovinos e X X
Aiuaba-CE Caprinos de
Aiuaba-CE

185. Alberto Ferreira de Sousa Av. João Barbosa Lima, 554. Centro. ORGAPE X X
Itaiçaba-CE

115
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
186. Francisco Sérgio Barreto Ribeiro BR 116. Km 300 s/n. EEFM – Cornélio Diógenes X X
Jaguaribe-CE

187. Francisco José Menezes Centro Administrativo SRH - CE X X

188. Francisco Elisário Rodrigues de Andrade Rua José de Alencar, 1018 STR – Aracati -CE X X

189. Raimundo Nonato da Silva Av. Simões de Goes, 1121. Sec. de Ação Social X X

190. Maria Selma da Silva Rua Antonia Acioli, 120 Prefeitura de Guaiúba - CE X X

191. Paulo Peixoto ( Diretor) BR 116. Km 30. Bairro: Cruzeiro. Jaguaribe- EEFM (C. Diógenes) X X
CE

192. Demostenes Pereira Av. Herculino Marrocos, 407 Prefeitura de Potengir - CE X X

116
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
193. Francisca Gomes de Holanda Rua Maria Vicemir, s/n Secretaria de Obras em Urbanismo X X
Lavras da Mangabeira - CE

194. Francisco de Souza Rua Braz de Francesco, 300. UFC X X


Apto. 221. São Gerardo

195. José Xavier de Oliveira Rua Almirante Barroso, 600. Secretaria da Saúde -CE X X
Fortaleza-CE

196. Luís Carlos Av. Cap. José Pessoa, 25. FUNAI-PB X X


João Pessoa-PB. Juazeiro

197. Francisco Araújo Guimarães Av. Central s/n. Icaraí FUNAI-CE X X


Caucaia-CE

198. Francisca Franquelene Jaguaruana-CE Prefeitura X X


Rua Antônio José de Freitas

199. Rogério da Costa Araújo Rua Manoel Galdino,4417 Prefeitura X X


Fone: 497-4150

117
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
200. Maria Dias de Menezes Rua São Bernado,32 CEFET-CARIRI-CE X X
Fone: 512-7718

201. Marcius Flaure Ambiente de Políticas Banco do Nordeste X X


Fone: 299-3486

202. Vânia Maria Simões R. Teixeira Fone: 482-8508 Secretaria de Recursos Hídricos X X

203. Maria do socorro de Lima Rua Estevão Remígio,1145 Instituto Centro de Ensino tecnológico X X
-CENTEC
Limoeiro do Norte
Fone: (0xx88) 423-2264

204. Selma Magalhães Av. José Bastos, 2500 X X

205. Gustavo Bezerra Carvalho Rua Irmã Simas, 100/602 Banco do Nordeste X X
Fortaleza-CE
Fone: 267-1193

206. Thiago Soares da Silva Rua Teodoro de Castro, 1883-B Banco do Nordeste X X
Fone: 294-2204

118
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
207. Alan Andrade Luz Rua Canuto de Aguiar, 1285 Banco do Nordeste X X
Cel. 9109-6021/299-3312

208. Antônio Serra Banco do Nordeste Banco do Nordeste X X


Etene

209. Regina Praciano Soriano Albuquerque, 230 SETAS X X


Fone: 488-5152

210. Catarina Feliciano Rua Rodrigues Júnior, 840 SUDENE X X

211. Elenimar B. Castro Rua Estevão Remígio, 1091. Seagri X X


Limoeiro do Norte - CE
Fone: (0xx88) 423-4990

212. Ellana Callyer Lima Amb. Neg. Financ. Banco do Nordeste X X

213. Magda Maria Mourão de Aguiar Amb. Impl. de Programas Banco do Nordeste X X

119
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
214. Rita Josina Feitosa da Silva Projeto de Capacitação Banco do Nordeste X X

215. José Alci Lacerda de Jesus Projeto de Capacitação Banco do Nordeste X X

216. Vanessa Brito Ministério Meio Ambiente Ministério Meio Ambiente X X


Fone: (0xx61) 317-1142

217. Maria Tertuliana Maia Araripe Ambiente de Negócios Banco do Nordeste X X


Financeiros

218. Carlos Alberto de O . Leitão Gabinete da Presidência, 3373 X X

219. Francisco Fernandes Júnior Rua Suécia, 951. Vila Betânia X X


Fone: 225-9074

220. Gilson Carlos Cabral Pereira Ambiente recursos Logísticos Banco do Nordeste X X

120
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
221. Francisco da Silva Oliveira Agência Metro Montese Banco do Nordeste X X

222. Tereza Cristina Holanda Crispim Silva Ambiente de Implementação de Programas Banco do Nordeste X X

223. Carlos Henrique Alves de Sousa Ambiente Estratégia de Banco do Nordeste X X


Tecnologia

224 Francisco Bianor Cordeiro Karau Ag. Quixeramobim X X

225. Jossandra do Carmo Sampaio Rua Orgon, 134. Itaperi Banco do Nordeste X X

226. Katiany Torquato Ferrer Vila Santa Terezinha. Rua T-5, 76 Universidade Regional do Cariri X X
Tel. 532-0146. Barbalha

227. Ernani Deloso Av. Paulino Rocha, 1.001. SQ O Instituto de Desenvolvimento X X


Bloco 1-Apto. 202. Fortaleza-CE Agrário do Ceará

121
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
228. João de Deus Rocha Rua Padre Rocha, 1150 Câmara Municipal de Jaguaruana X X
Fone: 418-1280

229. Francisco Cláudio Rodrigues Av. Barão de Studart, 1980 X X


40 andar

230. Antônio Elgma Araújo Rua Braz de Francesco, 475. X X


Apto. 504. São Gerardo.
CEP; 60.325-010

231. Miguel Macedo Av. Dom Luís, 880 –sala 601 Konradadenauer. Fundação Alemã X X
Aldeota. Fone: 261-9293

232. Francisco Teixeira Pinheiro Rua Pedro Jardim, 96. X X


Senador Pompeu -CE
Fone(0xx88) 449-1358

233. Fernanda Coelho Av. J, 1607. Barra do Ceará UFC-PRODEMA X X


Fone: 228-2902
Peocal@com.br

234. Regina Célia Passaré. Banco do Nordeste X X


Rua Arabé, 74.

122
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
235. Adelita Carleial Rua Bento Albuquerque, 1500/602 Unifor / Extensão X X

236. Carlos Alberto F. Pinheiro Rua Cel. Correia, 1527. Caucaia Ematerce X X
Ceará

237. Gervásio Teixeira Júnior Sítio Uruguai- Guaiúba -CE Prefeitura – Vice- Prefeito X X

238. Cláudio Ribeiro Coutinho Faz. Flores. Quixeramobim-CE As. Agropec. Sertão X X
Central

239. Sebastião Cavalcante de Sousa Conj. Esplanada s/n. Paramoti. Prefeitura Municipal de Paramoti X X
Ceará. CEP: 62.736-000

240. Renato Prata Av. Godofredo Maciel, 2160. Hirobrás – Imp. Exp. Repres. X X
Apto. 202. Maroponga

241. Beatriz Bulhões Av. das Américas, 1155. Conselho Empresarial Brasileiro para X X
Sala 608. Barra da Tijuca. o
Rio de Janeiro - RJ Desenvolvimento Sustentável

123
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
242. Fernando Almeida Av. das Américas, 1155. Conselho Empresarial Brasileiro para X X
Sala 608. Barra da Tijuca. o
Rio de Janeiro - RJ Desenvolvimento Sustentável

243. José Moraes de Noronha X X

244. Cleber José Pontes Muniz Rua Francisca Rodrigues, 33. Associação dos Produtores Rurais X X
Fone: (0xx88) 420-1329
São João do Jaguaribe -CE

245. Fernando M. de Paula Rua Raul Nogueira. Ematerce X X


Morada Nova - CE

246. Terezinha de Maria Bezerra F. Xavier Osvaldo Cruz, 176/400. Meireles. UFC – Centro de X X
Fortaleza-CE Tecnologia/Academia
Cearense de Ciências

247. José Luciano Martins e Sá Av. Paranjana, 5700. Bl C-1 Banco do Nordeste X X
Superior. Fortaleza-CE

248. Iracy Soares R. Maciel Metro Montese X X

124
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
249. Gláucia F. Brasil de Almeida Sup X X

250. Kívia B. Queiroz Cliente Consulta X X


Banco do Nordeste

251. Cláudia Matos Rua Júlio Pinto, 1873 SENAI-Parque Botânico X X


Jacarecanga

252. Rogério Amâncio Rangel Pestana X X

253. Anísio de Carvalho Júnior Rua Edite Braga, 50 X X


Jardim América

254. Elisa Girão Silva Rua Frei Mansueto 1240/1102 Banco do Nordeste X X

255. Esly Almeida Melo Filho Jaguaribe Banco do Nordeste X X

125
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
256. Severino Pires de S. Filho BN-Agência Dif Banco do Nordeste X X

257. Vânia Porto Joventino Av. Barão de Studart, 2917, sl 38. X X


Aldeota. Fortaleza-CE

258. Luisa Helena Freitas de Sá Cavalcante Rua Canuto de Aguiar, 1212. SEAGRI- Secretaria da Agricultura X X
Apto. 200. Meireles. Fortaleza-CE Irrigada

259. Cláudio Luís Freire Lima Ambiente de Infra-Estrutura Banco do Nordeste X X

260. Ineide Maria Sarmento Nunes Ambiente de Infra-Estrutura Banco do Nordeste X X

261. Valdemar Barros Filho Av. Paranjana, 5700. Bloco C 1 Banco do Nordeste X X

262. Jacson Dantas Coelho Av. Paranjana, 5700. Bloco A 2 Banco do Nordeste X X

126
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
263. Manuel Macedo de Melo Av. Duque de Caxias, 20 X X
685-1114

264. Maria Ednalda Silva Melo Av. Dedé Brasil UECE-Universidade Estadual do X X
Ceará

265. Joaquim Cartaxo Travessa Pará, 12. Sala 705. CETRA – Centro de Estudos do X X
Trabalho

266. Samuel Carvalho de Lima Av. Virgílio Távora, 704. Companhia de Polícia Militar X X
Juazeiro do Norte Ambiental

267. Wagner Chaves Rua Guarany, 600 X X


Pacajus

268. Geovana cartaxo arruda Rua Bill Cartaxo, 165. Instituto Ambiental X X
CEP: 60.831-291.
Alagadiço Novo. Fortaleza-CE

269. Pedro Raimundo Neto Rua 25 de março, 200 SMDT-Prefeitura de Fortaleza X X

127
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
270. Mário Sérgio Nova Russas Prefeitura X X

271. Raulino Nova Russas Banco do Nordeste X X

272. Ana Cristina Diogo Melo Rua Padre Cícero, 1121 ONG-Juriti X X
Juazeiro do Norte

273. Ilvis Ponciano Araújo Lima Rua Fausto Cabral, 1243. Papicu Unipaz X X
Fortaleza-CE

274. Eline Passaré Banco do Nordeste X X

275. Neyla Moreira Av. Mister Hall s/n UFC X X

276. Dagoberto Coelho Praça Ministro João Gonçalves SUDENE X X


S/n

128
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior

277. Célio Pinheiro Maia Alacon. Tabuleiro do Norte CVT- Centro Vocacional Tecnológico X X

278. Pierre Gervaisgau Crato ONG X X

279. Sebastião Duarte Rua Noca Bezerra, 99 Produtor Rural X X


Itaperuaba – Sobral

280. Ozireu Carvalho UFC e UECE X X

281. Maria Auxiliadora SENAG X X

282. Juraci Gutienes SETUR X X

283. Ronald Albuquerque URCA X X

129
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
284. Maria Conceição Apoliano Metro - Bezerra Banco do Nordeste X X

285. Damião Estevão Associação Comunitária X X


Assentamento Acoci

286. Elisangela Rocha Aguiar João Tinoco, 165 UECE X X

287. Inês Cals Theophilo Maciel Rua Eng. Antônio F. Antero,154. SEDUC X X
Parque Manibura

288. Antônio Belfort Rua Antônio Augusto, 1571 CENTEC X X

289. Edna Lúcia Brito Rua Brasil Oiticica, 257 ONG - Cajacit X X

290. Márcia Maria Medeiros Dutra Sec. Trabalho ação Social X X

130
DOCUMENTO DE RELATORIA DO DEBATE DO ESTADO DO CEARÁ

ENTIDADE
NOME DO PARTICIPANTE ENDEREÇO/FONE
Nome (por extenso) Assinalar com um X
Pública Privada 3º
Setor Capital Interior
291. Marcos Antônio Gurgel Moreira Av. Barão de Studart, 1980 Sindtextil X X

282. Luís Carlos Av. Aguanambi Am do Povo (rádio) X X


(0xx85) 255-6154

293. Soraya Venini Rua Aracati, 129 X X

294. Benedito Teixeira Av. Aguanambi, 282 Jornal O Povo X X


Fortaleza-CE
Fone: 255-6117

295. Luciano Comin Vicente Leite, 1930/101 X X


Fone: (0xx85) 244-5524

131

Você também pode gostar