Você está na página 1de 3

UNISAL

Introdução a Eletrônica Embarcada

Resumo do Livro Real Time Concepts for Embedded Systems

Alex Barbosa Camilo

Érika Souza

Leonardo Pereira

2018

Sistemas Embarcados modificaram a maneira como as pessoas vivem, trabalham e jogam. Estes representam uma classe de sistemas computacionais desenvolvidos para propósitos específicos e uma classe especial de Sistemas Embarcados, que se diferenciam das outras por responderem a eventos em tempo real, são uma categoria classificados como “Sistemas Embarcados em Tempo Real”.

Todos os dias as pessoas tem contato com a tecnologia embarcada, porém ela

é invisível, mas está presente nos mais diferentes itens dos dia a dia como carros, aparelhos de TV Smartphones etc.

Nos ambientes corporativos ela está presente nos sistemas de controle de rede

e sensoriamento industrial por exemplo. No dia a dia encontramos ela em tablets, mp3 player e sistemas de navegação GPS.

Alguns textos definem Sistemas Embarcados como Sistemas Computacionais

ou dispositivos sem teclado, displays ou mouse, este conceito define as características de um sistema embarcado diferente de um computador pessoal

e sim como uma torradeira, câmeras digitais, porém estas afirmações estão erradas.

Uma definição geral de Sistemas Embarcados é que: Sistemas Embarcados são sistemas computacionais com uma forte integração entre hardware e software, desenvolvidos para executar uma função dedicada. O mundo embarcado reflete o fato de que estes sistemas são usualmente uma parte de um grande Sistema Incorporado e múltiplos Sistemas Embarcados coexistem em um Sistema Incorporado.

Esta definição é boa, porém subjetiva, na maioria dos casos Sistemas Embarcados são realmente embarcados, por exemplo, são sistemas dentro de Sistemas, eles não podem ou não funcionam sozinhos em outros casos Sistemas Embarcados funcionam por si só.

Devido ao salto quântico no avanço da tecnologia de processadores nos últimos anos, Sistemas Embarcados usam processadores embarcados ao invés de processadores de uso geral.

Estes processadores são dedicados a uma classe de aplicações específicas, a chave é o objetivo da aplicação, conhecendo a natureza da aplicação e os requisitos em que esta aplicação é designada a rodar.

Processadores SOC (Sistemas em um chip) são especialmente atrativos para aplicações em Sistemas Embarcados. O processador SOC contém uma CPU com seus módulos periféricos, como interruptores programáveis DMA (Acesso Direto à Memória), timer programável em tempo real e possivelmente interfaces Ethernets. Estes processadores são usados para construir uma

variedade de aplicações sem a necessidade de periféricos externos, reduzino o tamanho da aplicação final do produto.

Normalmente o Hardware e o Software Embarcado são desenvolvidos em paralelo, feedback constante de design entre dois times de design costuma ocorrer neste modelo de desenvolvimento.

Outra característica típica de Sistemas Embarcados é o método do desenvolvimento de software, chamado de plataforma de desenvolvimento cruzada, para ambos, sistema e software de aplicação embarcada. Softwares para Sistemas embarcados são desenvolvidos em um sistema feitos para rodar em outro. Neste contexto, a plataforma é a combinação de Hardware, sistema operacional e ferramentas de software usadas para aplicações adicionais.

De uma forma simples Sistemas em Tempo Real são definidos como sistemas que respondem a um evento externo em tempo hábil. O tempo de resposta é garantido.

O ambiente dos Sistemas em tempo real cria eventos externos. Estes eventos

são recebidos por um ou mais componentes do sistema em tempo real. A resposta do sistema em tempo real é injetada neste ambiente através de um ou mais de seus componentes.

O sistema de controle interage com o sistema controlado de diversas maneiras,

a iteração pode ser periódica, periódica ou uma combinação dos dois. O

sistema de controle deve processar e responder aos eventos, a informação gerada é garantida dentro de um limite de tempo.

Outra característica de um sistema em tempo real é a sua exatidão logica ou funcional, e os cálculos destes devem ser concluídos em um tempo definido chamado tempo de correção.

Sistemas em tempo real podem ser de nível rígido e relaxado. Nos de sistemas em tempo real de nível rígido o tempo determinado para uma resposta não pode ser ultrapassado e a variação do tempo de resposta deve ser zero. Já nos sistemas em tempo real de nível relaxado este tempo de variação do tempo de resposta é maior que zero.

Nos Sistemas em tempo real de nível rígido ao se ultrapassar o tempo de resposta catástrofes podem ocorrer como perda de idas, equipamentos e dinheiro. Nos sistemas em tempo real de nível relaxado já não ocorrem catástrofes, mas incômodos como reiniciar aparelhos e delas de respostas em telas.