Você está na página 1de 3

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ

Núcleo de Educação a Distância


____________________________________________________________________________________
CURRÍCULO SÉRIE / ANO
PLANO DE ENSINO 2016 3º ANO - 2017
CURSO LETRAS
DISCIPLINA LIBRAS
CARGA HORÁRIA - (100h)
TEÓRICA PRÁTICA TOTAL TURMA
100 0 100 LET 9,10,11 e 12
COORDENADOR TITULAÇÃO
FABIANE CARNIEL MESTRE

1) EMENTA
Noções básicas de libras e a abordagem socioantropológica da surdez com vistas à inclusão educacional do surdo.
Apresentação da história da surdez como um discurso produzido pelas representações culturais de sua época, entendendo
a noção de historicidade, cultura e identidade como campo de lutas em torno da significação do social e inserção da pessoa
com deficiência auditiva e/ou surdo na sociedade.

2) OBJETIVO DA DISCIPLINA NO CURSO


 Conhecer o percurso histórico da educação de surdos.
 Entender a legislação e as políticas públicas para educação dos surdos brasileiros.
 Discutir e refletir sobre as propostas de inclusão da Libras nos cursos de licenciatura.
 Instrumentalizar os futuros professores para o estabelecimento de uma comunicação funcional com educandos
surdos.

3) JUSTIFICATIVA DA DISCIPLINA NO CURSO


A inclusão da disciplina de Libras no curso de Letras atende tanto a aspectos educacionais quanto legais. No que se refere
aos aspectos educacionais, esta disciplina favorece a formação de um profissional ético, competente e comprometido com
a sociedade em que vive, ao proporcionar vivências reais em situação de diversidade. Além disso, considerando o momento
atual da educação brasileira, o estudo de libras possibilita a capacitação do futuro professor para atuar pedagogicamente
com estudantes surdos na escola inclusiva.

Quanto aos aspectos legais, a inclusão da disciplina de Libras atende ao disposto em:

 Constituição Federal, artigo 208, inciso III;


 Portaria federal 1679, de 02/12/1999;
 Lei Federal 10.098 de 19/12/2000,artigo 18º;
 Resolução CNE/CEB de 02/2001, artigo 3º;
 Lei Federal 10.436 de 24/04/2002;
Decreto Federal nº 5.626 de 22/12/2005.

4) CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

UNIDADE I
O surdo, a surdez, a educação, a cultura e as identidades surdas
História da educação de surdos
Abordagens educacionais para surdos: oralismo, comunicação total e bilinguismo
Cultura e identidades surdas

UNIDADE II
Legislação e políticas públicas para a educação de surdos.
Inclusão: O difícil caminho até aqui
A legislação brasileira atual referente a educação de surdos
A educação de surdos e as políticas públicas do Brasil
CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ
Núcleo de Educação a Distância
____________________________________________________________________________________
História dos movimentos dos surdos e o reconhecimento da Libras no Brasil
Histórico dos movimentos dos surdos nas escolas
Histórico da fundação das associações de surdos
Os movimentos dos surdos a partir de 1990
O surgimento da declaração de Salamanca na época do bilinguismo
Programa Nacional de apoio à educação do surso – MEC/ FENEIS – RJ

UNIDADE III
Aspectos gerais da Libras
Paralelos entre libras e língua portuguesa
Parâmetros da língua brasileira de sinais
Intensidade
Tamanho
Números
Tempo: Calendário, horas, estações do ano, estados do tempo, natureza
Espaço gramatical na Libras
Modulações de sinais

UNIDADE IV
Léxico de categoria semântica l
Família: Identificação Pessoal – saudações cotidianas – relações familiares
Lar: espaço físico – móveis e eletrodomésticos – objetos – vestimentas – cores
Alimentos e bebidas
Animais domésticos e silvestres - aves – insetos – animais marinhos e peixes
Classificadores

UNIDADE V
Léxico de categorias semânticas ll e verbos
Corpo humano, higiene corporal, saúde, deficiência, emoções e religiões
Adjetivos e advérbios usados no cotidiano
Educação: escola – níveis de ensino – espaço físico – disciplinas – material escolar
Atividades humanas: esportes e profissões
Meios de transporte, atividades e locais públicos
Bancos e economia
Localização: pontos cardeais – estados brasileiros e suas capitais
Mundo: continentes, países e capitais
Verbos: tipos de verbos – marcação de tempos verbais – principais verbos usados no cotidiano

5) METODOLOGIA DE TRABALHO DA DISCIPLINA


A disciplina conta com aulas conceituais que são disponibilizadas aos alunos no AVA (ambiente virtual de aprendizagem).
Em cada disciplina há um livro didático com unidades de estudo que apresentam o conteúdo conforme programa da
mesma e atividades de autoestudo. Além disso, ainda ocorrerão aulas ao vivo, em dias específicos, nas quais tais conteúdos
serão ministrados e os acadêmicos poderão interagir com professor formador, tutor mediador e os demais alunos por meio
do chat. Fica disponível também aula de estudo de caso que tem como objetivo fazer com que o aluno estabeleça a relação
entre a teoria e a prática possibilitando que compreenda a importância da disciplina para sua profissão. O acadêmico terá
ainda a sua disposição a Mídia Interativa Digital (MID) que contribui para a aquisição e assimilação do conteúdo. Também
integra a metodologia da disciplina atividades on-line e provas presenciais. Nesse contexto, o aluno terá à sua disposição
tutores mediadores para esclarecimento de dúvidas acerca dos conteúdos trabalhados, bem como para a discussão dos
mesmos quando julgar necessário.

6) AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA
O sistema de avaliação da disciplina é composto por diferentes atividades que integralizam a média final do aluno.
1. Prova Presencial: É obrigatória, sem consulta e deve ser realizada no Polo de apoio presencial. O período de realização
dessa prova ocorre conforme calendário acadêmico.
2. Atividades de Estudo: Para cada disciplina são previstas atividades de estudo, realizadas conforme calendário acadêmico
e compostas por questões objetivas.
3. Atividades de Conhecimentos Gerais: Referem-se ao conteúdo abordado na palestra da Semana de Conhecimentos
CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ
Núcleo de Educação a Distância
____________________________________________________________________________________
Gerais e são disponibilizadas no dia da aula do curso.
4. Fórum: Atividade que promove a interação do aluno com seus colegas de curso, professores e tutores mediadores por
meio do debate de um tema proposto.
5. MAPA – Material de Avaliação Prática de Aprendizagem: É uma atividade avaliativa, composta por diferentes
instrumentos, que possibilita ao aluno colocar em prática os conhecimentos adquiridos na disciplina.
A média final para aprovação é igual ou superior a 6,0.

7) BIBLIOGRAFIA BÁSICA DA DISCIPLINA NO CURSO

CARNEIRO, Marília Ignatius Nogueira; NOGUEIRA, Clélia Maria Ignatius; NOGUEIRA, Beatriz Ignatius. Linguagem Brasileira
de Sinais. Maringá: Cesumar, 2011.

GESSER, Audrei. Libras? que língua e essa?. São Paulo: Parábola, 2009.

QUADROS, Ronice Müller de. Educaçao de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artmed, 1997.

GUEBERT, Mirian Célia Castellain. Inclusão: uma realidade em discussão. Curitiba, Ibpex, 2007.

8) BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR DA DISCIPLINA NO CURSO


CHALHUB, Samira. Funções da linguagem. São Paulo: Ática, 2006.
FERNANDES, Sueli. Fundamentos para Educação Especial. 2 ed. Curitiba: Ibpex, 2011.
FERNANDES, Sueli. Educação de surdos. Curitiba: Ibpex, 2011.
LUCHESI, Maria Regina Chirichella. Educação de pessoas surdas: experiências vividas, histórias narradas. Campinas: Papirus,
2012.
PEREIRA, Maria Cristina da Cunha; CHOI, Daniel; VIEIRA, Maria Inês; GASPAR, Priscilla; NAKASATO, Ricardo. Libras:
conhecimentos além dos sinais. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

9) PERIÓDICOS QUE PODEM SER CONSULTADOS PARA A DISCIPLINA NO CURSO


EDUCAÇÃO E PESQUISA. ISSN 1517-9702. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issues&pid=1517-
9702&lng=pt&nrm=iso

REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL. ISSN 1413-6538. Disponível em:


http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1413-653820120003&lng=pt&nrm=iso

REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO. ISSN 1413-2478. Disponível em:


http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issues&pid=1413-2478&lng=pt&nrm=iso