Você está na página 1de 43

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE

Instituto Superior de Educação – ISE/FAEMA

QUÍMICA FARMACÊUTICA
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

Profº Ms. André Tomaz Terra Júnior


HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 Sedativo  medicamentos capazes de diminuir a atividade do cérebro,
quando esta em estado de excitação acima do normal. Sedativo é
sinônimo de calmante ou sedante;

 Analgésico  quando um sedativo é capaz de diminuir a dor;

 Hipnótico  quando o sedativo é capaz de afastar a insônia, produzindo


o sono;

 Ansiolítico  quando um calmante tem o poder de atuar mais sobre


estados exagerados de ansiedade;

 Epiléticos  drogas capazes de acalmar o cérebro hiperexcitado.


HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 São depressores gerais ou não-seletivos do SNC, utilizados para reduzir a

inquietação e tensão, induzir a sedação e para combater a insônia.

 São usados para acalmar pacientes nervosos, ansiosos ou excitados.

 Os agentes sedativo-hipnóticos estão entre as drogas mais largamente

prescritas em todo o mundo.


HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 A diferença entre a ação hipnótica e a sedativa depende da dose  doses

maiores causam efeitos hipnóticos e doses menores produzem somente

sedação.

 As reações adversas mais comuns são: sonolência, letargia e ressaca,

coma e até a morte (superdosagem).

 Uso prolongado  Deficiência física e psíquica.


HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 Hipnóticos e Sedativos são fármacos depressores gerais e não-seletivos do


SNC;
 Indicação:
 Quadros de inquietação
 Indução de sono ou Sedação
 Insônia atinge 20% da população  Distúrbios físicos e emocionais;
 Antes da terapia medicamentosa deve determinar a causa da insônia;

 Tratamentos alternativos (Insônia Aguda)


 Exercício físico
 Leitura
 Ingestão de alimentos ricos em triptofano (leite, queijo, carne).
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 Emprego:
 EUA: 25.000.000 de receitas anualmente;
 8.000 americanos utilizam pelo menos 1x durante o ano;
 Cada americano consome em média 33 comprimidos de
Barbitúricos/ano.

 Ação Hipnótica e Sedativa  diferença está na dose


 Altas doses  Hipnótico
 Baixas doses  Sedativo
 Doses especificas  Induzir Anestesia Cirúrgica
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 Efeitos Adversos:
 Sonolência, letargia e ressaca, coma e até a morte, causadas pela
depressão dos centros medulares vitais do cérebro, resultam de
superdose.
 Uso prolongado, mesmo em doses terapêuticas, pode causar
dependência física e psíquica.
 Retirada abrupta desses fármacos pode ressaltar em grave Síndrome
de Abstinência, caracterizada por convulsões e delírio, podendo
ocorrer também, coma e morte.
 Intoxicação é tratada por indução ao vômito, se possível; se não, por
lavagem estomacal e manutenção da respiração e circulação
adequados.
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 CLASSIFICAÇÃO:

 Álcoois
 Brometos
 Amidas
 Sulfonas
 Aldeídos e derivados
 Carbamatos
 Barbitúricos
 Benzodiazepínicos
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 Histórico:
 Na antiguidade o Etanol, Ópio e Beladona  efeitos similares;

 Descoberta das classes foram feitas paulatinamente:


 1869 – Liebreich  Hidrato de cloral, utilizado através da crença
 Infundada através da reação in vivo halofórmio que liberava
Clorofórmio que tem atividade hipnótica;
 Reação de tricloroetanol  Atividade hipnótica
 Alterações na formulação  mascarar o sabor desagradável e
Irritação gástrica – Betaina de cloral, Cloralodol, Petricloral,
Tricofos.
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 Histórico
 1857 – Locock : usou Brometos pela primeira vez
 1829 – Wildenbusch : Paracetaldeido foi descoberto
 1864 – Adolf Von Baeyer: sintetizou o Ácido barbitúrico (sem
atividade) após fazer a síntese dessas substâncias, o cientista foi
comemorar seu novo feito em um bar, e como a garçonete se chamava
Bárbara, ele resolveu dar o nome de barbitúrico, à sua nova
experiência.
 1882 – Gonrad e Guthzeit : sintetizou o Barbital a partir do Ácido
barbitúrico
 Fischer descobriu os efeitos hipnóticos  Veronal (Verona – cidade
italiana)
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 Histórico
 1912 – Alfred Hauptmann, que tratou pacientes epiléticos com o
Fenobarbital, mas cujo objetivo era somente acalmar os pacientes,
observando que as crises epiléticas diminuíam com o uso do fármaco;
 1934 – 1945 – Usado para eutanásia obrigatória eliminar crianças
com deficiências físicas e/ou mentais, doentes incuráveis ou com
idade avançada.
 1954 – Talidomida foi sintetizada (N-ftaliglutâmico)
 1957 – Lançado na Europa e Brasil, mas não nos EUA
 1961 – Talidomia é retirada no mercado  Efeitos teratogênicos.
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 Histórico
 1963 – Benzodiazepínicos são sintetizados  Nitrazepam
 1960 – Fenobarbital foi largamente prescrito como sedativo e
hipnótico. Ele é o anticonvulsivante mais utilizado em todo o mundo e
o fármaco mais antigo empregado para este fim;
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 ÁLCOOIS (HIPNÓTICOS)
 O primeiro membro da família , o metanol, não é usado como hipnótico e
sedativo porque causa cegueira.
 Álcoois usados como hipnóticos são:
 Hidrato de amileno,
 Bromometil-pentinol,
 Carbamato de meparfinol,
 Centalun,
 Clorobutanol,
 Etclorvinol
 Metilpentinol.
 Para o tratamento de alcoolismo crônico usa-se o Dissulfiram.
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 ÁLCOOIS (HIPNÓTICOS)

 REA:
 Atividade hipnótica aumenta com o aumento da cadeia carbônica, até
n-hexanol ou n-octanol;
 Instauração aumenta tanto a atividade, quanto a toxicidade;
 Álcoois terciários são mais ativos que secundários, e estes mais ativos
que os primários;
 Ramificação resulta em maior depressão;
 Introdução de um grupo hidroxila tende a diminuir a toxicidade e
também a atividade;
 Substituição de Hidrogênio por Halogênio realça a atividade;
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 BROMETOS:
 São sedativos inorgânicos;
 Os mais receitados eram: NaBr, KBr, NH4Br, CaBr2 . 2 H2O,
SrBr2 . 2 H2O
 Não são mais utilizadas devido a intoxicação
 Bromismo
 Intoxicação por acumulo Bromo que caracterizam-se por
dermatites, distúrbios gastrintestinais e mentais.
 Pode ser tratado com Cloreto de sódio ou Cloreto de amônio.
 Sintomas: Delírio, com desorientação; Alucinações com reações
de medo; Psicose ou Pseudo-epilepsia.
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 AMIDAS:
 Apresentam ação sedativa, mas são utilizada como Miorrelaxantes ou
Ansiolíticos.
 Sulpirida(Dogmatil), Tricetamida, Valnoctamida (Nirvanil)
 SULFONAS:
 Obsoletos e não se utilizada devido sua alta toxicidade. Sulfanolona e
Trionalona.
 CARBAMATOS:
 São pouco utilizados devido sua alta toxicidade e baixa potência
sedativa;
 Carbamato de amila, Carbocloral, Etinamato, Oxanamida
 Mebutamato, Meprobamato  usados como ansiolítico.
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 UREIAS ACÍCLIAS:

 São derivados da Ureia e Ácidos monocarboxílicos

 Formula Geral: R-CONHCONH2

 Ação Hipnótica e Sedativa: Acecarbromal, Apronal, Bromisoval,

Capurida.

 Exercem efeito depressor fraco e são usados como sedativos diurnos.


HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 ALDEÍDOS E DERIVADOS
 Betaína de cloral, Paraldeído, Triclofos, Hidrato de cloral (+ usado)
 Líquido oleoso e de difícil manipulação farmacotécnica.
 São todos derivados do cloral, exceto Paraldeído
 Hipnótico e sedativo relativamente seguro;
 Muito utilizado para crianças e idosos;
 Administrados por via oral ou retal.
 Não tem efeito analgésico, mas deprime o sistema respiratório
 Efeito hipnótico inicial do cloral seguido de um efeito prolongado do
metabólito tricloroetanol  Receptor GABAA
 Doses recomendadas:
 Sedação – 8mg/kg;
 Hipnose – 70mg/kg
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 ALDEÍDOS E DERIVADOS

+ H20

Cloral (Óleo) Hidrato de cloral


(sólido)

Álcool Desidrogenase

 Halogenação do Etanol
 Hipnótico de curta duração.
 Sedativo de rotina no pré-operatório
 Diminui ansiedade e causa sedação,
Tricloroetanol depressão respiratória ou reflexo de
tosse
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 ALDEÍDOS E DERIVADOS
 Obtenção de Fármacos mais fáceis de manipular  Alterações na
estrutura:
 Latenciação : Cloralamida, Cloralodol, Cloralose, Triclofos;
 Adição Molecular: Betaína de cloral, Cloralfenazona,
Dicloralfenazona;
 Replicação Molecular: Petricloral (4X), Toloxiclorinol (2x)
 Hibridação Molecular: Carboclorol (com uretana), Cloracetadol
(com paracetamol), Mecloaluréia (com uréia), Triclofilina (com
Teofilina)
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 BENZODIAZEPÍNICOS
 Quase todos os efeitos resultam em atividades sobre o SNC;
 Causam sedação, hipnose, redução da ansiedade, relaxamento
muscular e atividade anticovulsivante;
 Não produzem o mesmo grau de depressão como os barbitúricos e
Anestésicos voláteis;
 A consciência geralmente persistem, por isso não podem ser
utilizados como anestésicos;
 Todos os Benzodiazepínicos apresentam perfil farmacológico similar;
 Diferem na seletividade;
 São dose dependentes
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 BENZODIAZEPÍNICOS
 Embora apresentam Ação hipnótica e Sedativa, são mais utilizados
como Ansiolíticos;
 Exemplos: Alprazolan, Diazepan, Midazolan, Lorazepan, Flurazepan.
 Diazepam: Tensil® , Dienpax ®, Valium ®
 Triazolam: Halcion®
 Lorazepam: Lorium® , Lorax®
 Nitrazepam: Sonebom®, Sonetrat®
 Midazolam: Dormonid®
 Alprazolam : Frontal®
 Clonazepam : Rivotril®
BENZODIAZEPÍNICOS

Diazepam Nitrazepam Flunitrazepam

Flurazepam Lorazepam Midazolam


BENZODIAZEPÍNICOS

Estazolam

Flumazenil
(Antagonista)

Triazolam
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 FARMACOCINÉTICA X CLASSIFICAÇÃO

 Bem absorvidos por via oral;

 Pico de concentração plasmática: 1 hora;

 Duração do efeito variável em função do metabólito formado:

 Curta duração : (6 horas) – Midazolam

 Média duração : (12 horas) – Alprazolam

 Longa duração : (40 horas) – Diazepam


HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 Outras indicações terapêuticas dos BDZ:

 Pré-anestésico: BDZ de curta duração;

 Tratamento da ansiedade: BDZ de longa duração;

 Indutor do sono: BDZ de curta duração;

 Insônia matutina: BDZ de média duração;

 Espasticidade crônica: BDZ longa duração;

 Síndrome de abstinência: BDZ longa duração;


HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 BARBITÚRICOS:

 Estas drogas foram descobertas no começo do século XX;

 Diz a história que o químico europeu que fez a síntese de uma delas

pela primeira vez - grande descoberta - foi fazer a comemoração em um

bar e lá, encantou-se com a garçonete, linda moça que se chamava

Bárbara;

 Num acesso de entusiasmo, o nosso cientista resolveu dar ao composto

recém-descoberto o nome de Barbitúrico.


HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 BARBITÚRICOS:
Fenobarbital
 São classificados quanto a duração de efeito ou ação:

 Efeito Prolongado  9 a 12 horas;

 Usados com anticonvulsivantes (epilepsia);

 Fenobarbital e Barbital;

 Efeito Intermediário  6 a 8 horas;


Amobarbital
 Hipnóticos e Sedativos (Insônia);

 Amobarbital
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

BARBITÚRICOS
Pentobarbital

 Efeito Curto  até 3 horas


 Hipnóticos e Sedativos
 Pentobarbital

 Efeito Ultracurto  menos de 3 horas


Tiopental
 Anestésicos Intravenosos
 Tiopental e Hexobarbital
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 1902 – Emil Fisher e Joseph Von Mering  sintetizaram o primeiro
barbitúrico (Barbital), através de uma reação de condensação entre a
Uréia e um derivado do Malonato de etila.

 1904 – Vários derivados do Ácido barbitúrico foram sintetizados,


dentre eles o Fenobarbital.
 1912 – Bayer lança o Luminal.
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 BARBITÚRICOS:
 REA: Fórmula Geral:
 Apresentam caráter ácido;
 A duração do efeito depende do substituinte na C5;
 Confere lipossolubilidade;
 Podendo chegar até 8 átomos de carbono;
 Acima disso apresentará ação inativa ou convulsivante;
 Grupos alquílicos ligados nas posições 1 e 3 diminuem o
efeito e dão propriedades estimulantes;
 A metilação no átomo de N (nitrogênio) tende a diminuir
a ação;

Hexobarbital
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
BARBITÚRICOS.
1 3

Geral 5

-CH3 – GRUPO METILO


GRUPOS ALQUILOS
- C2H5 – GRUPO ETILO
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 BARBITÚRICOS:
 REA: Tiopental

 O átomo de S (enxofre) na posição 2 diminui o


tempo de latência devido passagem rápida
SNC e diminui ainda o tempo de ação devido a
rápida redistribuição no tecido adiposo.
 Grupo fenila na posição 5 confere
propriedades anticonvulsivantes;

Fenobarbital
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 BARBITÚRICOS:
 REA: Tiopental

 S na posição de X (tiobarbitúricos)
 Ação curta;
 Elevada lipossolubilidade;
 Maior potência hipnótica;
 Maior degradação.
 Fenila e Etila na posição do C5
 Propriedades anticonvulsivantes
 Grupo Alquil ou Aril no C5
 Propriedades Sedativas

Fenobarbital
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

Alquilas em R3 – Encurtam ação

Alquilas nos 2 N – Inativa molécula

 Alto numero de C5 S – encurta ação


 Alta Lipossolubilidade
 Aumenta o efeito até 8C

 Aumenta atividade e encurta ação


 Ramificação, Insaturação,  Ação longa – Grupos fenila / Saturados em C5 e O em C2
Substituição de aromáticos e  Ação curta – O em C2 e cadeia longa em 5
ciclos alifáticos
 Ação intermediária – O em C2 e cadeias menores e menos
 Halogênio em R1 e R2  aumenta a ramificados em C5
potência
 Ação ultra-curta – S em C2 e cadeia longa em C5
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 BARBITÚRICOS:
 Aspectos gerais
 Causam dependência;
 Causam tolerância – são doses dependentes;
 Estes fenômenos se desenvolvem com maior rapidez quando doses
iniciais grandes são usadas desde o início;
 Causam síndrome de abstinência;
 Causando insônia, irritação, agressividade, delírios, ansiedade,
angústia, até convulsões generalizadas;
 Síndrome de Abstinência requer obrigatoriamente tratamento
médico e hospitalização  Risco de óbito;
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 BARBITÚRICOS:
 Efeitos no Cérebro:
 São capazes de deprimir várias áreas do nosso cérebro;
 Promove sonolência, diminui a tensão, acalma e relaxa;
 Doses maiores do que as recomendadas, provoca sensação de
embriaguez;
 Uso desses medicamentos diminuem a atenção e as faculdades
psicomotoras ficam prejudicadas;
 Ficando totalmente proibido operar máquina, dirigir automóvel, ou
qualquer outra atividade que exija atenção;
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 BARBITÚRICOS:
 Efeitos Tóxicos:
 São perigosos porque são drogas de baixo índice terapêutico;
 Doses tóxicas:
 Começam a surgir sinais de incoordenação motora;
 Estado de inconsciência;
 Por fim aparece um estado de coma;
 A pressão sanguínea fica muito baixa e a respiração é tão
lenta que pode parar;
 A morte ocorre exatamente por parada respiratória.
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS

 BARBITÚRICOS:
 Efeitos Tóxicos:
 Potencializados com a ingestão de álcool ou outros sedativos;
 Têm potencial teratogênico;
 Podem provocar sinais de abstinência;
 Dificuldades respiratórias
 Irritabilidade
 Distúrbios de sono
 Dificuldade de alimentação
HIPNÓTICOS E SEDATIVOS
 HIPNÓTICO IDEAL:
 Lipofilicidade
 Ação nos receptores específicos
 Efeito rápido
 Duração de efeito
 Sono normal
 Eficácia em todas as idades
 Sem causar:
 Tolerância
 Depressão respiratória
 Alteração da memória
 Dependência física
 Efeito residual
EXERCÍCIOS
 Descrever sobre os fármacos:
 Mecanismo de ação;
 Características farmacocinéticas:
 Absorção, metabolização e excreção;
 Tempo de meia vida;
 Efeitos terapêuticos;
 Efeitos colaterais;

 Benzodiazepínicos Clordiazepóxido, Diazepan, Alprazolan,


Midazolan, Clonazepan, Cloxazolan e Lorazepan;

 Barbitúricos Fenobarbital, Tiopental, Amobarbital e Pentobarbital;