Você está na página 1de 1

Adolescência e ansiedade

oficinadepsicologia.com /adolescencia-e-ansiedade

Deste modo, a adolescência afigura-se como um período da vida onde a ansiedade


patológica ocorre com frequência, começando muitas vezes a estruturar-se nesta
idade para o resto da vida. Falamos, então, de ansiedade patológica quando os
seus sintomas provocam mal-estar e interferem com o ajustamento social,
profissional, familiar e/ou escolar da pessoa que a sofre.

Na adolescência, é comum encontrarmos jovens estudantes com altos níveis de


ansiedade que perturbam a concentração e a memória, conduzindo depois a
dificuldades e ao insucesso escolar. O medo da morte também pode manter-se
como parte da angústia existencial de alguns adolescentes, revelando níveis de
ansiedade que provocam a desestruturação do comportamento. Ou o evitamento
de situações sociais que levam o/a jovem a isolar-se cada vez mais pode conduzir
ao desenvolvimento de uma fobia social.

São várias causas que podem despoletar aquilo que Santos Pereira (1998) chama
de “medo sem sentido”: “(…) um medo que se alimenta do medo que o medo é –
Andreia Cabral
uma incerteza, uma angústia”. A adolescência é, pois, um terreno fértil para o seu
aparecimento, sendo importante proporcionar aos/às jovens as ferramentas
necessárias para a sua resolução, para que a ansiedade não permaneça nas suas vidas enquanto fator
incapacitante.

1/1