Você está na página 1de 17

Etapa 2: Direcionadores

Estratégicos -
ANÁLISE ESTRATÉGICA SWOT

Implantação do Planejamento
Estratégico – UFCA

Juazeiro do Norte, março de 2015.


Apresentação
O presente documento corresponde a etapa 2, Direcionadores Estratégicos – Análise Estratégica SWOT do
contrato firmado entre a Universidade Federal do Cariri - UFCA e a GDconsult. Ele consiste no levantamento
de informações do cenário atual da organização, ou seja, quais são os principais aspectos, internos e
externos, que condicionam e influenciam o desempenho institucional hoje.

Com este fim, foram utilizadas algumas ferramentas de coleta e análise das informações:
 Entrevistas com as lideranças e servidores da UFCA; e
 Matriz SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats, em português - Forças, Fraquezas,
Oportunidades e Ameaças);

Este documento consolida as informações obtidas através da realização da oficina de trabalho dos dias 16 e
17 de março de 2015, que contou com a participação das principais lideranças da UFCA. O trabalho
realizado se insere no contexto da implantação do Planejamento Estratégico com o papel de
instrumentalizar a instituição para a escolha e definição da sua estratégia. Os resultados alcançados,
apresentados neste documento em sua abrangência e profundidade, são fruto do trabalho participativo,
envolvendo definições, discussões e acordos entre as pessoas envolvidas.
1.1 - Análise do Ambiente Interno e Externo
ETAPA 1
Análise Ambiental e Formulação da Estratégia
Sumário
Apresentação .............................................................................................................................................. 3
1. Resumo Executivo ............................................................................................................................... 7
2. Base Teórica ........................................................................................................................................ 8
2.1 ENTREVISTAS 8
2.2 MATRIZ OU ANÁLISE SWOT 8
3. Descrição das Atividades Executadas ................................................................................................ 10
3.1 OFICINA SWOT 10
3.1.1 Produto da Oficina .......................................................................................................................... 10
3.1.2 Programação da oficina .................................................................................................................. 11
4. Matriz SWOT Construída ................................................................................................................... 12
Referências Bibliográficas ......................................................................................................................... 15
1. Resumo Executivo

O presente documento corresponde a etapa 02 “Direcionadores Estratégicos” , entrega 01 – Análise


Estratégica SWOT, do contrato firmado entre a Universidade Federal do Cariri - UFCA e a GDconsult. Ele
consiste no levantamento de informações do cenário atual da organização, ou seja, quais são os principais
aspectos, internos e externos, que condicionam e impõem o desempenho institucional hoje.

Para isso foi utilizada a ferramenta de Planejamento Institucional denominada Matriz SWOT. A Matriz
SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats, em português - Forças, Fraquezas,
Oportunidades e Ameaças) é uma maneira bastante eficiente de identificar os pontos fortes e fracos de
uma organização, bem como examinar as oportunidades e as ameaças que poderão ser enfrentadas no seu
ambiente de atuação.

A matriz estratégica foi elaborada de forma participativa, em um evento de dois dias (16 e 17 de marcço de
2015) que contou com participação das principais lideranças e grupo de trabalho destacado para o processo
de planejamento estratégico da UFCA. Esse trabalho se insere no contexto do planejamento estratégico
com o papel de instrumentalizar os participantes na escolha e definição da estratégia institucional. Os
resultados alcançados em sua abrangência e profundidade, apresentados neste documento, são frutos do
trabalho participativo, definições, maturidade e acordos entre as pessoas envolvidas.

7
2. Base Teórica
2.1 Entrevistas

Alinhada à Matriz SWOT e à Cadeia de Valor, é de fundamental importância a captação da visão das
lideranças e das principais partes interessadas sobre a UFCA. Para isso, a GDconsult realizou entrevistas
semiestruturadas com as principais lideranças da instituição para formar, por meio de percepções
individuais, um consolidado sobre qual é a proposta de futuro para a UFCA. As entrevistas realizadas são de
grande valia para a formulação dos Direcionadores Estratégicos e da estratégia, uma vez que, confrontando
com as outras análises feitas, podem-se deduzir posicionamentos estratégicos. Além disso, é possível
identificar a percepção individual dos atores estratégicos acerca dos principais desafios para a UFCA
considerando o horizonte de planejamento estabelecido.

As entrevistas foram individuais, com duração média de 60 (sessenta) minutos cada. O questionário
utilizado foi sistematizado de acordo com o método do Balanced Scorecard (BSC), dividido em 9 (nove)
temas para o público-alvo, atendendo as perspectivas do Mapa Estratégico. As perguntas versaram sobre os
seguintes tópicos: Razão de ser; Visão de Futuro; Resultados; Partes Interessadas; Processos Internos;
Comunicação; Pessoas; Infraestrutura e Tecnologia; Financeiro.

É importante salientar que as entrevistas realizadas possuem caráter sigiloso e somente serão
disponibilizadas para consultas a tabulação e consolidação das mesmas.

2.2 Matriz ou análise SWOT

A análise SWOT tem como objetivo a avaliação dos fatores internos e externos que geram influência sobre a
organização. A análise das características internas revela, sob um ponto de vista estratégico, as forças e
fraquezas da organização, bem como permite identificar as suas causas. Forças são fenômenos ou
condições internas capazes de auxiliar, por longo tempo, o desempenho ou o cumprimento da missão e dos
objetivos da instituição. Já as fraquezas são situações, fenômenos ou condições internas, que podem
dificultar a realização da missão e o cumprimento dos objetivos da instituição.

Já o entendimento sobre o ambiente externo permite construir uma visão integrada das principais
tendências de curto, médio e longo prazos do contexto de atuação da organização, sinalizando as
oportunidades e ameaças, no cumprimento de sua missão e na construção de sua visão de futuro. As
oportunidades são “tendências de situações ou acontecimentos externos à organização, que podem auxiliá-
la no alcance de seus objetivos e de sua missão”. As ameaças são “tendências de situações ou
acontecimentos que podem prejudicar a organização na busca de seus objetivos e de sua missão” (Leitão,
1996).

A análise SWOT é uma ferramenta utilizada para análises de cenários organizacionais, servindo como base
para a gestão e o planejamento estratégico de uma organização, mas podendo, devido a sua simplicidade,
ser utilizada para qualquer tipo de análise de cenário. É uma “fotografia” tirada do ambiente global da
organização, uma visão do terreno em que ela se encontra, além de servir de apoio para que as fraquezas
sejam minimizadas, os pontos fortes maximizados e melhor aproveitados, por meio de uma estratégia que
contemple, ao mesmo tempo, as oportunidades do ambiente externo e o que a organização poderá fazer
para aproveitá-las da melhor forma, repelindo também as principais ameaças que podem prejudicar a sua
atuação.

8
Figura 01 – Matriz SWOT.

9
3. Descrição das Atividades Executadas
Além das entrevistas internas e externas realizadas com as lideranças indicadas pela UFCA, apresentadas no
item 3 deste documento, foram realizadas também 2 (duas) Oficinas de Trabalho para levantamento das
informações sobre a Análise SWOT e sobre a Cadeia de Valor da Secretaria.

3.1 Oficina SWOT

A Oficina foi realizada nos dias 16 e 17 de março de 2015, com a duração de 12 (doze) horas, no Campus da
UFCA de Barbalha. Conduzida pelo consultor Bruno Viotti, da GDconsult, e com a presença das principais
lideranças da UFCA (a Lista de Presença do evento está no Anexo I deste documento), os participantes
receberam um nivelamento conceitual no workshop na qual todos os passos e conceitos introdutórios a
serem adotados no planejamento estratégico da instituição foram cuidadosamente detalhados. Após o
alinhamento conceitual, as atividades se destinaram a construir e levantar subsídios para a construção do
Planejamento Estratégico Institucional, a partir da visão das principais lideranças da UFCA e participantes
convidados para colaborar com o processo de construção coletiva do planejamento institucional.

3.1.1 Produto da Oficina

O produto corresponde à entrega que é obtida ao final do evento. A oficina de trabalho gerou os seguintes
elementos:
 Nivelamento conceitual dos participantes da oficina sobre a Matriz SWOT;
 Elaboração da Matriz SWOT (Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças).

10
3.1.2 Programação da oficina

A programação da oficina seguiu o roteiro a seguir:

PROGRAMAÇÃO
ATIVIDADES RESPONSÁVEL PRODUTO
DIA HORÁRIO
Abertura da Oficina
9h–9h15 Consultor GD -
 Boas-vindas aos participantes
NIVELAMENTO
Atividade I – Alinhamento conceitual CONCEITUAL SOBRE OS
9h15–10h Consultor GD
dos participantes - SWOT PRODUTOS A SEREM
GERADOS
10h–12h00 Atividade II – Trabalho dos grupos Consultor GD ANÁLISE SWOT
16/Março

Atividade III – Priorização – Analise ANÁLISE SWOT


12h–12h30 Consultor GD
SWOT FINALIZADA
12h30-14h ALMOÇO
NIVELAMENTO
Atividade IV – Alinhamento CONCEITUAL SOBRE OS
14h-14h45 Consultor GD
conceitual dos participantes- CANVAS PRODUTOS A SEREM
GERADOS
MODELO DE
14h45-17h Atividade V – Trabalho dos grupos Consultor GD
NEGÓCIOS - CANVAS
17h-17h30 Encerramento das atividades Consultor GD CANVAS FINALIZADO
PROGRAMAÇÃO
ATIVIDADES RESPONSÁVEL PRODUTO
DIA HORÁRIO
Atividade VI – Apresentação dos
9h–10h15 Grupos SWOT VALIDADO
resultados SWOT
17/Março

Atividade VII– Apresentação dos


10h15–
resultados Modelo de Negócios Consultor GD CANVAS VALIDADO
11h30
CANVAS
11h30– SWOT E CANVAS
Encerramento das atividades Consultor GD
12h00 VALIDADOS

Os responsáveis pela validação das atividades eram as próprias lideranças da UFCA, uma vez que o trabalho
deve representar a realidade da instituição, com base nos produtos estabelecidos em consenso durante a
realização da Oficina.

11
4. Matriz SWOT Construída
A elaboração da matriz SWOT da UFCA foi realizada com base nas percepções individuais e de equipe das
principais lideranças da Universidade Federal do Cariri. Ou seja, a partir da visão dos participantes sobre os
pontos fortes, fraquezas, oportunidades e ameaças de cada área da UFCA foi gerada, assim, a matriz
corporativa. Essa construção foi obtida a partir dos consensos sobre os aspectos institucionais e, na
sequência, serão apresentados os resultados da oficina.

Ao final da oficina, foram distribuídos instrumentos para a priorização das questões mais importantes
identificadas. Cada pessoa poderia escolher 3 (três) questões, dando-lhes a oportunidade de inclusão de
sua percepção individual dos pontos definidos em cada grupo de trabalho. Os pontos mais relevantes na
priorização estão evidenciados em negrito na Matriz SWOT apresentada a seguir.

MATRIZ SWOT – UFCA


FORÇAS FRAQUEZAS
 Equipe jovem;  Processos não identificados,
 Adaptabilidade organizacional mapeados e customizados;
(desenvolvimento pessoal);  Baixa capacitação técnica em
 Estrutura organizacional em gestão;
desenvolvimento;
 Infraestrutura inadequada
 Identidade para pesquisa aplicada;
 Vocação para o desenvolvimento insuficiente;
regional sustentável;  Pouca inserção científica nacional
 Predisposição e iniciativas em e internacional;
relação ao desenv. regional  Deficiência na comunicação
sustentável; interna e externa;
 Potencial para extensão;
 Falta definição de processos
 Extensão alinhada as necessidades
internos;
regionais;
 Potencialização do quadripé  Deficiência na parte de pesquisa;
institucional (pesquisa, ensino,  Quantidade insuficiente de
extensão e cultura); servidores;
 Vocação extensionista;  Deficiência na gestão (capacitação;
 Cultura como eixo formador; integração, desenho de cargos);
 Motivação dos servidores;
 Deficiência no desenvolvimento e
 Formação profissional e cidadã;
implementação de gestão e
 Gestão participativa;
 Iniciativa interdisciplinar; governança;
 Corpo docente qualificado  Baixo nível de automatização;
(mestres/doutores);  Falta de conhecimento de gestão
 Valorização do servidor técnico pública (experiência e resultado);
administrativo;  Deficiência no reconhecimento do
 Assistência estudantil atuante e ambiente (leitura);
com recursos (auxilio bolsa);
 Insuficiência de projetos
 Expansão para Icó e Brejo e futuras

12
expansões para interior; sustentáveis na manutenção e
gestão da instituição;
 Insuficiência de interação com a
comunidade externa;
 Deficiência em serviços (xerox,
cantina e outros);
 Falta de uma maior participação
acadêmica da comunidade em
discussões;
 Dependência da UFC;
 Necessidade de capacitação
acadêmica de professores;
 Ausência de ações de
endomarketing.
OPORTUNIDADES AMEAÇAS
 Novas técnicas e tecnologias  Política salarial (baixa atratividade
educacionais; das carreiras educacionais);
 Crescimento econômico da região;  Crise econômica (cenário nacional
 Fortalecimento das políticas públicas e internacional desfavorável);
para ensino superior;
 ENEM/SISU (metodologia atrasa
 Alta demanda por educação superior
na região; cronograma universidade);
 Localização geográfica;  Burocracia do setor público;
 Mercado de trabalho/baixa capacitação  Falta de infraestrutura (acesso) e
dos funcionários; transporte público na região;
 Infraestrutura rodoviária, ferroviária e  Fragilidade nos relacionamentos
aérea;
com gestores públicos
 Potencial para desenvolvimento de
(municipais);
pesquisas;
 Expressão cultural regional;  Concorrência privada;
 Região como polo educacional;  Baixa identificação com os cursos
 Políticas públicas e cenário político oferecidos (aluno);
favoráveis a sustentabilidade;  Baixa disponibilidade e atratividade
 Iniciativas de apoio ao processo de de recursos humanos qualificados
internacionalização;
na região;
 Parcerias com setor privado para
 Falta de segurança pública;
financiamento;
 ENEM (facilidade de acesso);  Interesses políticos partidários;
 Desenvolvimento da proficiência;  Fatores políticos (nacionais e
 Formação de redes colaborativas. internacionais);
 Grande evasão de alunos;
 Falta de autonomia da

13
Universidade.

Figura 03 – Matriz SWOT da UFCA.

Figura 04 – Produto da Oficina Análise Swot - UFCA.

14
Referências Bibliográficas
GAUSEMEIER, J.; FINK A.; SCHLAKE, O.: Scenario Management: An Approach to Develop Future
Potentials. Technological Forecasting and Social Change, nº 59. New York, 1998.
GODET, M.: Scenários and Strategic Management. Butterworths Scientific, Ltd. London, 1987.
GODET, M; ROUBELAT, F.: Creating the future: The use and misuse of scenarios. Long Range
Planning, nº 2, vol. 29. 1996.
HANSEN, D.R. & MOWEN, M.N. Gestão de custos: contabilidade e controle. São Paulo:
Pioneira Thomson Learning, 2001.
KAPLAN, R. S. & NORTON, D. P.: A Estratégia em Ação – Balanced Scorecard. Editora Campus.
Rio de Janeiro, 1997.
KIM, S.H.; JEONG, G.H.: A Qualitative Cross-Impact Approach to Find the Key Technology.
Technological Forecasting and Social Change, nº 55. New York, 1997.
LEITÃO, D. M.: Administração Estratégica; abordagem conceitual e atitudinal. SENAI/DN,
PETROBRÁS. Rio de Janeiro, 1996.
PAIM, R., CARDOSO, V., CAULLIRAUX, H., & CLEMENTE, R.: Gestão de Processos: Pensar, Agir e
Aprender. Editora Bookman. Porto Alegre, 1999.
PORTER, M.: Vantagem Competitiva; criando e sustentando um desempenho superior. 7ª ed.
Editora Campus. Rio de Janeiro, 1992.
PORTER, M.E.: Estratégia Competitiva: Técnicas para Análise de Indústrias e da Concorrência.
Editora Campus. 7ª edição. Rio de Janeiro, 1989.
ROCHA, W. Contribuição ao Estudo de um Modelo Conceitual de Sistema de Informação de
Gestão Estratégica. São Paulo: USP, 1999.
SCHNAARS, S.P.: How to Develop and user scenarios. Long Range Planning, nº 20. 1987.
SCHWARTZ, P.: The Art of the Long View – Planning for the future in a Uncertain World.
Currency/Doubleday. New York, 1996.
SHANK, J.K. & GOVINDARAJAN, V. Strategic cost management: the new toll for competitive
advantage. New York: The Free Press, 1993.
VAN DER HEIJDEN, K.: Scenarios: the art of strategic conversation. John Wiley and Sons. New
York, 1997.

15
ANEXO I
LISTAS DE PRESENÇA DAS OFICINAS

16
ANEXO II
SLIDES UTILIZADOS
APRESENTAÇÃO REALIZADA NA OFICINA

17