Você está na página 1de 7

Molusco contagioso é uma infecção viral relativamente comum da pele,

caracterizada por pequenas bolhas rosadas ou brancas, que podem variar de tamanho e,
muitas vezes, serem confundidas com pequenas verrugas.
Embora seja mais comum em crianças, devido ao sistema imunológico ainda não
estar totalmente desenvolvido, também pode afetar adultos, principalmente aqueles
que têm o sistema imunológico enfraquecido com certas doenças, como a AIDS, ou que
passaram por algum transplante. A doença geralmente se desenvolve onde a pele é mais
fina.

Figura 1- Molusco contagioso

Transmissão
Esse vírus se desenvolve em climas muito quentes ou úmidos, e a infecção pode
ocorrer de diferentes maneiras.
Você pode obter o vírus tocando as lesões na pele de uma pessoa infectada ou
algum objeto que também tenha sido utilizado por essa pessoa. Alguns exemplos desses
objetos são:
 Roupas de cama;
 Toalhas
 Brinquedos;
 Roupas.
O vírus também pode ser contraído através de água que esteja infectada, como
no caso de piscinas e hidromassagens.
Também é possível que ocorra uma contaminação através de relações sexuais.
As lesões na genitália costumam ter o mesmo aspecto de outras doenças contagiosas,
como herpes, ou até mesmo de pequenas verrugas. Isso pode acabar dificultando o
tratamento e diagnóstico do molusco contagioso, pelo fato das pessoas não buscarem
ajuda médica por acreditarem não ser nada grave.

Grupos de risco
Todas as pessoas correm o risco de contrair molusco contagioso, porém alguns
grupos são mais propensos do que outros.
Esses grupos são:
 Crianças com idade entre 1 e 10 anos;
 Pessoas que vivem em climas tropicais;
 Pessoas com o sistema imunológico enfraquecido, causado por HIV,
transplantes ou tratamento para câncer;
 Pessoas que tem dermatite atópica;
 Pessoas que participam de esportes que tem muito contato.

Sintomas
Quando o vírus infecta a pele, existe um período de incubação que dura em
torno de 2 a 8 semanas e, após isso, os sintomas vão começar a aparecer.
Por ser uma doença da pele, o sintoma mais comum são as pequenas
protuberâncias com algumas características específicas:
 São pequenas, tem em torno de 2 a 5 milímetros de diâmetro;
 Tem uma covinha no centro;
 São inicialmente firmes, em forma de cúpula e com cor de carne;
 Geralmente são indolores, mas podem vir a coçar;
 Pode se tornar vermelho e acabar com uma inflamação.
É importante ressaltar também que as pequenas protuberâncias podem ser
facilmente removidas quando arranhadas e/ou esfregadas, facilitando a contaminação
em outras partes do corpo. Algumas delas podem conter pus, o que acaba tornando-as
mais doloridas e altamente infecciosas.
O molusco contagioso pode se desenvolver em grandes quantidades e na
mesma ou em diferentes partes do corpo. Os lugares mais comuns de acontecer em
crianças são:
 Mãos;
 Braços;
 Rosto;
 Pescoço;
 Peito;
 Região do estômago e abdômen.
Em adultos que mantêm uma vida sexualmente ativa, quando contaminados, os
lugares mais propensos, são:
 Virilha, espalhando-se para cima, na região do abdômen;
 Órgãos genitais;
 Parte interna das coxas.
Em alguns casos raros, a doença pode se desenvolver em outros lugares, como:
 Palmas das mãos;
 Solas dos pés;
 Interior da boca;
 Em torno da pálpebra.
O vírus da doença é altamente contagioso, por isso, caso a pessoa infectada
venha a encostar em outras partes do corpo, a doença pode se desenvolver novamente.
O molusco contagioso desaparece após um período de 12 a 18 meses e, embora
não deixe grandes cicatrizes, pode ocorrer de algumas partes da pele ficarem mais claras
ou com uma pequena marca sem caroço.
Diagnóstico
Os médicos que conseguem diagnosticar a doença são os clinico gerais,
dermatologistas e infectologistas.
Geralmente, o diagnóstico é feito de maneira rápida e o médico pode saber o
que é apenas de olhar para as pequenas bolhas no corpo, pelo fato de serem fáceis de
reconhecer. Porém, caso ainda exista alguma dúvida, ele pode fazer uma curetagem da
pele na área infectada e levar para biópsia, que irá confirmar o resultado.

Tratamentos tópicos
Existem vários tratamentos tópicos (cremes, loções e pomadas) que podem ser
usados para tratar o molusco contagioso. Esses tratamentos geralmente são
acompanhados por um dermatologista.

Podofilotoxina
Podofilotoxina vem em forma líquida e envenena as células das bolhas causadas
pelo molusco contagioso. Uma seringa é utilizada para obter a dosagem correta do
medicamento que, então, é pingada sobre cada bolha.
O tratamento é realizado através de ciclos, grande parte das pessoas necessita
de quatro a cinco ciclos para obter uma melhora da doença.

Crioterapia
Esse tipo de tratamento envolve o congelamento da bolha com nitrogênio
líquido para que seja possível removê-la.
Você pode necessitar de várias sessões antes de cada bolha do vírus sumir
completamente e é necessário dar uma pausa de duas a três semanas entre as sessões.

Diatermia
Depois de utilizar um anestésico local para amortecer a área a ser tratada, esse
tratamento utiliza o calor para remover as bolhas causadas pela doença. O médico, ou
enfermeiro, irá utilizar um dispositivo elétrico aquecido para queimá-las.
Tratamentos caseiros
Existem também alguns tratamentos caseiros para a cura do molusco
contagioso, são eles:

Alho
Devido a presença da alicina, o alho é um alimento que apresenta propriedades
antivirais e antifúngicas. Por esse motivo, pode ser favorável no combate ao vírus do
molusco contagioso.
Durante a manhã, amasse o alho até que ele pegue uma consistência de pasta,
depois aplique em cima da zona que foi infectada e coloque o curativo. Durante o banho
remova e lave bem. Repita esse processo durante alguns dias e você irá sentir uma
melhora nos sintomas.
É importante ressaltar que o excesso de tempo do alho na pele pode causar
vermelhidão, ardência, irritação ou queimaduras. Por este motivo, antes de adotar esta
e qualquer outra medida caseira, consulte seu dermatologista.

Óleo de limão australiano murta


Faça uma mistura de óleo de limão e azeite de oliva e mexa até ficar uma
substância uniforme. Aplique sobre a pele, uma vez ao dia, com o auxílio de algodão.

Óleo de tea tree


O óleo de tea tree (melaleuca) possui propriedades antibacterianas e
antissépticas que conseguem combater o vírus da doença. Pode ser aplicado diretamente
nas bolhas, o que irá diminuir o tamanho da secreção, ou utilizado na hora do banho.

Vinagre de cidra de maçã


É conhecido por combater as bactérias e acabar naturalmente com os moluscos.
Deve ser aplicado antes de dormir em toda a área afetada com um algodão e depois um
curativo em cada bolha deve ser colocado.
Tratamento para pessoas imunodeprimidas
Grande parte dos tratamentos também serve de maneira eficaz para os
pacientes que têm o sistema imunológico enfraquecido, porém, os pacientes que são
soropositivos podem não responder aos tratamentos tradicionais. Além disso, esses
tratamentos são ineficazes no controle a longo prazo nos pacientes com HIV. Até
o momento, as terapias que estimulam o sistema imunitário provaram ser mais eficazes
no tratamento do molusco contagioso nesses pacientes.

Cicatriz
É possível que pequenas manchas fiquem na sua pele depois de o molusco
contagioso ser curado. Isso é mais provável de acontecer em regiões do corpo onde há
mais tecido adiposo, como, por exemplo, nas coxas.

Prevenção
 Não compartilhe itens pessoais: Isso inclui roupas, toalhas, escovas de
cabelo e outros itens.
 Lave suas mãos: Mantenha suas mãos sempre limpas, isso pode ajudar na
prevenção do vírus.
 Evite tocar nas partes infectadas: Ao tocar nas partes infectadas e, logo em
seguida, tocar em outras partes do corpo que estão limpas, pode ser que o
vírus se espalhe ainda mais.
 Evite manter relações sexuais: Se você tiver a doença perto das regiões
íntimas, procure abster-se das relações sexuais por um período até a
doença sumir. Caso resolva fazer, é importante lembrar que o preservativo
pode não cobrir toda a área afetada pelo vírus.
 Cubra os lugares onde existem os moluscos: Use esparadrapos ou outros
curativos para cobrir as áreas afetadas pelo vírus, caso outra pessoa vá
entrar em contato com sua pele. Porém, deixe a área descoberta quando
não estiver mais exposto ao contato.
 Prevenção nas piscinas: evite compartilhar objetos pessoais, como toalhas,
brinquedos ou demais equipamentos utilizados para a natação. Caso vá a
alguma piscina e já esteja infectado com o vírus, cubra todas as lesões com
esparadrapos.
 Prevenção no esporte: caso esteja infectado, não participe de esportes que
necessitem de contato, como o basquete e futebol. Também evite
compartilhar seus equipamentos, como capacetes, luvas e bolas.

Fonte:
https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-molusco-contagioso-tratamento-remedios-e-
sintomas/