Você está na página 1de 30

Hospital Geral de Jacarepaguá

Serviço de Cirurgia Geral


Dr Antonio Marcílio
Chefe do Serviço

FIOS
CIRÚRGICOS

Diego Sarty Vianna


Residente
Histórico
3500 A.C. Egito - Fechamento de múmias com fios de couro

1000 A.C. India - Mandíbulas de formiga

400 A.C. Fios de Tendões de animais

200 A.C. Claudius Galeno – Intestino de herbívoros

Séc IX Rhazes – Sutura abdominal


Histórico
Séc X Linho rompe com infecção

Ambroise Paré – aproxiamação de feridas na face


Séc XVI com fitas

Séc XVIII John Hunter – Pontos separados

Joseph Lister – esterilização química dos fios,


Sec XIX introdução do catgut com crômo

Séc XX Industrialização dos fios de sutura: George Merson


Características dos Fios Cirúrgicos

•Força de tensão •Memória

•Absorção Tecidual •Manipulação

•Diâmetro •Reatividade Tecidual

•Coeficiente de •Origem
Fricção
•Capilaridade
•Segurança do nó
•Absorção de Fluidos
•Elasticidade
•Configuração Física
•Plasticidade
•Cor
FIO IDEAL
•SER RESISTENTE NO MEIO NO •BAIXA REAÇÃO TECIDUAL
QUAL ATUA
•NÃO POSSUIR AÇÃO CARCINOGÊNICA
•RESISTENTE À TRAÇÃO E
TORÇÃO •NÃO PROVOCAR OU MANTER
INFECÇÃO
•DE CALIBRE UNIFORME

•BAIXO ÍNDICE DE FRICÇÃO •MANTER AS BORDAS DA FERIDA


APROXIMADAS ATÉ A CICATRIZAÇÃO DA
•NÃO SER CORTANTE FERIDA

•RESISTENTE À •BAIXO CUSTO


ESTERILIZAÇÃO
•ADEQUADA RESISTÊNCIA TÊNSIL
•BOA SEGURANÇA NO NÓ
•FÁCIL MANUSEIO
NÃO
ABSORVÍVEIS ABSORVÍVEIS
ABSORVÍVEIS

BIOLÓGICO SINTÉTICO
Catgut
•Simples, cromado e rápida absorção

•Fitas de colágeno Sub mucosa de


intestino delgado de carneiro ou da serosa
do gado(quanto mais puro melhor)

•Simples: mantém força tensil por 7 dias e


absorção em 10 – 14 dias

•Cromado: ( sais de cromo) resistente a


enzimas do corpo; força tensil por 14 dias
máx 21 dias absorção em 90 dias

•Rápida absorção: tratado com calor ;


absorvido de 5 – 7 dias ( não é indicado
seu uso interno).
Poliglactina 910 (Vicryl)
 Absorção completa em 60 – 90 dias por hidrolise
 Poliglatina 910 + copolimero de L-lactidieo e glicolideo (poliglactina 370)

Vicryl Rapide

parcialmente hidrolizado
esterelizado com raios gama. Em
5 dias 50% da força tênsil e em 2
semanas 0% absorção em 7 – 14
dias.

Vicryl Plus

envolvido com uma camada de


triclosan efetivo contra
staphylococcus aureus,
epidermidis , MRSA e MRSE
(Cirurgiões pediátricos notaram
menos dor pós operatória)
Poliglactina 910 (Vicryl)

2 semanas 75% da força tênsil é mantida

3 semanas 50% da força tênsil é mantida

4 semanas 25% da força tênsil é mantida

5 semanas A força tênsil é perdida


Ácido Poliglicólico (Dexon II)

•Ac. Poliglicólico + polycaprolato

•Mantém 89% da força tênsil em 7 dias, 63% em 2 semanas, 17%


em 3 semanas

•Vicryl mostrou-se com maior segurança de nó, uma perda de


função mais lenta e menor plasticidade

•Absorção completa ocorre usualmente em 100 a 120 dias


PGA VICRYL

2 semanas 63% 75%

3 semanas 17% 50%

Absorção 100-120 dias 60-90 dias


Poliglecaprone (Monocryl)

•Copolimero de glicolide + e-capralactone (monofilamentar)

•30 – 40% da força tênsil em 2 semanas 0% em 21 dias

•Absorção completa em 90 – 120 dias

•Comparado com vicryl rapide monocryl apresenta menor


tendência a cicatriz hipertrófica e reações
Polidioxanona (PDS II)
•Polyester + p-dioxanona monofilamentar

•70% força tênsil em 2 semanas; 50% em 4 semanas; 25 % em 6


semanas

•Absorção é mínima em 90 dias e total em 6 – 7 meses

•Difícil manuseio
BIOLÓGICO
INABSORVÍVEIS

SINTÉTICO
Seda
•Provém do casulo do bicho-da-seda de onde o fio é processado
limpo e esterelizado.

•Apesar de ser classificado como inabsorvível experimentos


mostram que perde quase que totalmente sua força em 1 ano e
que após 2 anos não é mais possível detectá-lo no tecido.
Algodão
•O algodão possui fibras
naturalmente torcidas. Foi
introduzido no final da década de
1930

•Melhor segurança nos nós que a


seda, perda lenta da tensão de
estiramento (50% em 6 meses e
70% em dois anos).

•Provoca uma reação tecidual


semelhante à da seda, potencializa
infecções, é muito capilar
Nylon

•Polimero de poliamida

•Baixa reação tecidual

•Alta força tênsil em 2 semanas

•Degrada por hidólise 15 – 20% ao ano in vivo

•Boa memória sendo necessário mais do que três nós para


garantia de manutenção do nó

•“Nurolon” nylon trançado substituto da seda


Polyester (Mersilene)
Primeiro material que se mostrou
permanecer indefinidamente no corpo
humano

Ethibond: poliester revestido com


polibutilato, facilita a passagem pelo
tecido e o manuseio, mantém força
tensil por longo período.

Já foi muito usado em cirurgia


cardiovascular para colocação de
próteses.

Não é revestido, portanto menos chance de remoção de


material irritante no pós operatório e maior coeficiente de
fricção que os fios monofilamentares, os quais têm pobre
segurança no nó necessitando de mais nós para segurança
da sutura.
ePTFE ( Gore-Tex CV4)
•Politetrafluoroetileno (PTFE)

•50% do volume é de ar

•Fio macio e de excelente manuseio

•Não se degrada com infecções e não sofre


efeitos de enzimas

•Muito usado em cirurgia cardiovascular tento


como seu concorrente Ethibond excel ( Ethibond
com TFE)
Polipropileno (Prolene)

•Istereoisômero isostático e cristalino de polímero de


hidrocarbono linear que não degrada com ação enzimática
corpórea causando reação tissular mínima.

•Os nós são mais seguros que outros materiais monofilamentares


sintéticos.
Aço

•O aço inoxidável disponível é do tipo autêntico


contendo ferro, cromo, níquel e molibdênio

•não promove reação inflamatória nos tecidos, possui


maior tensão de estiramento de todos os materiais
quando implantado nos tecidos, possui a maior
segurança nos nós de todos os materiais, pode ser
autoclavado, e é recomendado para tecidos com
cicatrização lenta. A forma monofilamentosa pode ser
usada em feridas contaminadas e infectadas

•tendência a cortar os tecidos, manuseio pobre


(principalmente para atar os nós), quebra quando
torcido muitas vezes no mesmo ponto e promove
necrose tecidual pelo movimento dos tecidos contra as
pontas não flexíveis
Hexafluoropropylene – VDF (Pronova)

•Polímero de fluorido de viniliden + cohexafluoropropileno

•Resiste a envolvimentos em infecções evitando:

Fístulas Extrusão da
sutura
Deiscências
QUILL SRS
•Sutura bidirecional sem nó distribui a tensão por todo o
ferimento

•Utilizado atualmente apenas em cirurgia plástica para


fechamento de subcutâneo e pele com possibilidade de
fechamento muscular

•Ainda em fase de melhorias


ADESIVOS TECIDUAIS
Adesivos de Fibrina

Fibrina Fator VIII Trombina Humana

Cianocrilato

autoesterelisáveis (liberação dos


produtos de degradação) Dermabond

 Adesivo de colágeno: não causa histotoxicidade


GRAMPEADORES

Descartável

Grampos
retangulares

Fechamento de rotina
“A responsabilidade pela escolha do melhor
material cai sobre o cirurgião. O custo de uma
complicação como deiscência, fístula,
reoperação, dor e até morte nunca justificará
o uso de um material mais barato e de pior
qualidade”
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

HOCHBERG J, MEYER KM, MARION MD. Suture choice and methods of skin closure.
Surg Clin N Am 89; 627 a 641, 2009.

SILVA LS, FIGUEIRA NETO JB, SANTOS ALQ. Utilização de adesivos teciduais em
cirurgias. Biosci J 23, 108-19, 2007.

SARDENBERG T, MULLER SS, SILVARES PRA, MENDONÇA AB, MORAES RRL.


Avaliação das propriedades mecânicas e dimensões de fios de sutura utilizados em
cirurgias ortopédicas. Acta Ortop Bras 11 (2), Abr/Jun, 2003.

Sabiston, textbook of surgery 17th edition. Ed Elsevier, 2005.

Fischer, J E. Mastery of surgery 5 th edition, Ed Lippincott Williams & Wilkins, 2007.

GRECA FH, REPKA JCD, FILHO ZAS et al. Estudo comparativo de anastomoses
intestinais realizadas com fio catgut cromado empregnado ou não com glicerina: estudo
experimental em cães. Acta Cirúrgica Brasileira 11(4), 1996.

Ethicon. wound closure manual 2008.

http://www.ufsm.br/tielletcab/HVfwork/apoptcv/cap5.htm Site