Você está na página 1de 5

Módulo de Benefícios

Os seguintes passos irão ajudá-lo definitivamente ...


1) Definir áreas de benefícios
Nesta etapa, você define as áreas de benefícios. As áreas de benefícios permitem que
você tenha administração separada de diferentes pools de planos de benefícios. Esta
divisão é principalmente para fins administrativos e normalmente não seria usada para
elegibilidade.
2) Atribuir Moeda para Beneficiar Área
Nesta etapa, você especifica a moeda da área de benefícios.
3) Definir provedores de benefícios
Nesta etapa, você insere os provedores dos planos de benefícios que você oferece.
Exemplo
Pode ser a Seguradora ou a Organização de Manutenção de Saúde que recebe os custos
do plano de benefícios.
4) Definir área de benefício atual
Nesta etapa, você define a área de benefícios relevante para as atividades do
Customizing.
Se você tiver mais de uma área de benefícios para configurar, deverá configurar cada uma
separadamente. Depois de configurar todos os planos em uma área, você deve alternar a
área de benefícios nesta etapa e trabalhar novamente no IMG, definindo as configurações
para a nova área de benefícios.
5) Definir os tipos de plano de benefícios
Nesta etapa, entrar os tipos de plano de benefícios necessários para as categorias de
plano predefinidas no sistema. Essas categorias são predefinidas porque o sistema
manipula cada uma de maneira diferente. Para refletir suas próprias necessidades em
relação à categorização de planos, você define os tipos de plano dentro dessas categorias.
Os tipos de plano são um mecanismo de controle para inscrição, pois o sistema não
permite que um funcionário se inscreva em mais de um plano de benefícios por tipo de
plano. Isso permite que você, por exemplo, ofereça uma opção de cuidados de saúde
regulares de diferentes prestadores em um tipo de plano, sem o risco de inscrever
acidentalmente um funcionário em mais de um desses planos de benefícios.
Dentro de cada categoria de plano (por exemplo, Planos de Seguro), você deve definir um
tipo de plano para cada tipo de plano de benefícios que o empregado possa escolher (por
exemplo, Seguro de Vida, Vida do Cônjuge, Vida Suplementar). Assim, um empregado
pode eleger um plano do seguro de vida, bem como do tipo de plano de vida do cônjuge.
6) Definir o status do plano de benefícios
Nesta etapa, você define os status do plano necessários para a administração de
benefícios. Posteriormente, você atribui esses status aos seus planos em seus dados
gerais.
É importante atribuir status para poder controlar a disponibilidade de planos com o mínimo
de esforço. Por exemplo, você pode controlar se os funcionários podem ou não se
inscrever em um plano simplesmente alterando seu status.
7) Definir grupos de critérios de empregado
Nesta seção, você pode definir grupos de critérios de empregados para determinar como
os valores relacionados ao plano devem diferir de acordo com a idade, salário e / ou
antiguidade do funcionário (ou a idade do cônjuge ou do parceiro doméstico do
funcionário). Esses grupos são, posteriormente, na customização de planos, na definição
de montantes relacionados ao plano.
Você define os grupos de critérios do empregado da seguinte forma:
1. Defina grupos de parâmetros que incluirão grupos de critérios individuais.
2. Para cada grupo de parâmetros, atribua os grupos salariais individuais, grupos etários e
grupos de antiguidades de que você precisa.
8) Definir agrupamentos de custos
Nesta etapa, você pode definir agrupamentos de custos e determinar como os
empregados são alocados a esses agrupamentos. Você só precisa fazer isso se quiser
diferenciar os custos dos funcionários usando critérios adicionais aos disponíveis na
variante de custo. Por exemplo, você pode querer usar localização geográfica,
classificação de trabalho ou estado civil como critério. Você determina como os
funcionários são alocados aos agrupamentos de custos usando o recurso CSTV1
9) Definir agrupamentos de créditos
Nesta etapa, você pode definir agrupamentos de créditos e determinar como os
funcionários são alocados a esses agrupamentos. Você só precisa fazer isso se quiser
diferenciar os créditos dos empregados usando critérios adicionais aos disponíveis na
variante de crédito. Por exemplo, você pode querer usar localização geográfica,
classificação de trabalho ou estado civil como critério. Você determina como os
funcionários são alocados aos agrupamentos de créditos usando o recurso CRDV1
10) Definir agrupamentos de cobertura
Nesta etapa, você pode definir agrupamentos de cobertura e determinar como os
funcionários são alocados a esses agrupamentos. Você só precisa fazer isso se quiser
diferenciar as coberturas dos empregados usando critérios adicionais àqueles disponíveis
na variante de cobertura. Por exemplo, você pode querer usar localização geográfica,
contrato de trabalho ou status de residência como critérios. Você determina como os
funcionários são alocados aos agrupamentos de cobertura usando o recurso COVGR
11) Definir agrupamentos de contribuição de funcionários
Nesta etapa, você pode definir agrupamentos de contribuição de funcionários e determinar
como os funcionários são alocados a esses agrupamentos. Você só precisa fazer isso se
quiser diferenciar as contribuições dos funcionários para funcionários usando critérios
adicionais àqueles disponíveis na variante de contribuição do empregado. Por exemplo,
você pode querer usar localização geográfica, horas semanais ou status de residência
como critérios. Você determina como os funcionários são alocados aos agrupamentos de
contribuição dos funcionários usando o recurso EECGR
12) Definir Agrupamentos de Contribuições do Empregador
Nesta etapa, você pode definir agrupamentos de contribuição do empregador e determinar
como os funcionários são alocados a esses agrupamentos. Você só precisa fazer isso se
quiser diferenciar as contribuições do empregador para os funcionários usando critérios
adicionais àqueles disponíveis na variante da regra de contribuição do empregador. Por
exemplo, você pode querer usar localização geográfica, horas semanais ou status de
residência como critérios. Você determina como os funcionários são alocados aos
agrupamentos de contribuição do empregador usando o recurso ERCGR
ESTABELECIMENTO DE PLANOS (EG: PLANOS DE SAÚDE)
1) você define os detalhes de seus planos de saúde. 2) Você define diferentes opções
dentro de um plano de saúde
3) possíveis coberturas dependentes para planos de saúde.
4) Você define como os custos podem variar para diferentes funcionários, dependendo de
seus dados pessoais,
5) você define os custos reais para esses vários grupos de empregados.
6) O passo final é reunir em cada plano de saúde todas as informações que você definiu
separadamente nas etapas precedentes.
7) Definir evidências de condições de segurabilidade
Para determinados níveis de cobertura, os funcionários podem ser solicitados a fornecer
evidências de sua segurabilidade. Nesta etapa, você define os requisitos de evidência de
segurabilidade (EOI) de acordo com as políticas dos planos que você oferece.
Administração flexível
1) Definir parâmetros administrativos
Nesta etapa, você insere parâmetros que se aplicam ao processamento dentro de uma
área de benefícios inteira, incluindo:
u2022 Datas de período de inscrição abertas
u2022 Datas de validade padrão para registros de ajuste / plano padrão
u2022 Disponibilidade antecipada de planos futuros
u2022 Limites de idade dependentes
2) Definir planos de pré-requisitos
Nesta etapa, você define os planos de pré-requisitos.
Para se inscrever em um plano para o qual outro plano é exigido como um pré-requisito,
um funcionário deve estar participando do plano de pré-requisitos no dia anterior à sua
participação no novo plano.
O sistema verifica se essa condição é atendida durante o registro inicial apenas no novo
plano.
Exemplo
Um funcionário deseja participar do plano Standard Dental. Ele já deve estar participando
do plano de saúde padrão ou do plano de saúde de luxo no dia anterior à data de início do
plano padrão de atendimento odontológico.
3) Definir Planos de Corequisite
Nesta etapa, você define os planos de co-requisito.
Para se inscrever em um plano para o qual outro plano é um requisito básico, um
funcionário deve estar inscrito no plano de co-requisito na data de início do novo plano. A
inscrição no requisito básico deve ser registrada até o final do processo de inscrição, o
mais tardar. Portanto, é possível que um funcionário se inscreva em um plano e em seu
pré-requisito simultaneamente.
A condição de co-requisito está em andamento. O sistema verifica se ele é atendido
durante a inscrição e sempre que o monitor de benefícios é executado.
Exemplo
Um funcionário deseja participar do plano Standard Dental. Ela já deve estar inscrita ou ter
selecionado o plano de saúde padrão ou o plano de saúde de luxo no início da
participação no plano padrão de produtos odontológicos.
4) Razões de Ajuste de Benefícios
Nesta seção, você determina como as mudanças para o benefício das inscrições devem
ser controladas dentro de sua organização. Você faz isso da seguinte maneira:
1. Se você quiser que permissões diferentes sejam aplicadas a diferentes grupos de
funcionários, configure um agrupamento de ajustes para fazer isso.
2. Você define as razões de ajuste para as quais alterações específicas são permitidas.
3. Você define as permissões de ajuste para determinar quais ajustes são permitidos por
tipo de plano, motivo de ajuste e, se necessário, agrupamento de ajustes.
Na inscrição, a lista de motivos de ajuste válidos para um empregado é exibida e o
funcionário (usando a transação de inscrição padrão) ou o empregado (usando o
Employee Self-Service) seleciona um motivo para inscrição, de acordo com o qual uma
oferta de benefícios deve ser gerado. O sistema cria uma oferta com base nas permissões
de ajuste atribuídas a cada plano.
5) Definir o primeiro agrupamento de programas
Nesta etapa, você define os primeiros agrupamentos de programas. Posteriormente, você
define programas para uma combinação de primeiro e segundo agrupamentos de
programas.
Atributos idênticos estão disponíveis para a configuração do primeiro e do segundo
agrupamentos de programas e, portanto, são intercambiáveis. O fato de você determinar a
macro-elegibilidade para um programa usando duas dimensões significa que você é capaz
de fazer distinções mais refinadas entre grupos de funcionários.
Exemplo
Uma organização oferece um conjunto de planos de benefícios para empregados
remunerados por hora e um conjunto diferente para empregados
assalariados. Funcionários remunerados por hora podem se inscrever em planos de
seguro médico, odontológico e de vida após um período de espera de quatro meses. Os
funcionários assalariados podem se inscrever nos planos médico, odontológico, de vida e
de visão após um período de espera de um mês.
6) Definir o segundo agrupamento de programas
Nesta etapa, você define os segundos agrupamentos de programas. Posteriormente, você
define programas para uma combinação de primeiro e segundo agrupamentos de
programas.
Atributos idênticos estão disponíveis para a configuração do primeiro e do segundo
agrupamentos de programas e, portanto, são intercambiáveis. O fato de você determinar a
macro-elegibilidade para um programa usando duas dimensões significa que você é capaz
de fazer distinções mais refinadas entre grupos de funcionários.
Exemplo
Uma organização oferece um conjunto de planos de benefícios para funcionários em
tempo integral e um conjunto diferente para empregados em meio período. Funcionários
em tempo integral podem se inscrever em planos de seguro médico, odontológico e de
vida após um período de espera de quatro meses. Funcionários de meio período podem
se inscrever em planos médicos, odontológicos, de vida e de visão após um período de
espera de um mês.
7) Elegibilidade do empregado
Nesta etapa, você define os critérios de acordo com os quais você controla a elegibilidade
para planos de benefícios individuais dentro de um programa de benefícios (definição de
micro-elegibilidade). Você executa as seguintes etapas para configurar os requisitos de
elegibilidade:
1. Você define o agrupamento de elegibilidade para identificar grupos de funcionários para
os quais determinados critérios de elegibilidade se aplicam.
2. Você cria variantes de elegibilidade, que você usa posteriormente para vincular as
regras de elegibilidade aos programas.
3. Se necessário, você define condições de elegibilidade dinâmica relacionadas
especificamente a horas reais trabalhadas / tempo de serviço ou códigos postais.
4. Você reúne suas definições na regra de elegibilidade, onde também é possível
especificar outras condições para inscrição.