Você está na página 1de 8

Estudos no Evangelho de João (3)

“EU LHES TENHO DADO A TUA PALAVRA....” (Jo 17.1-26) [14]


Rev. Hermisten Maia Pereira da Costa

3. PRODUZ UMA TRANSFORMAÇÃO ESPÍRITUAL: (6,8,14)

A transformação espiritual passa pelo guardar (6), receber (8),


reconhecer/conhecer (7,8) e crer (8) em Jesus Cristo e na Sua Palavra. É
importante entender e enfatizar que a Palavra de Deus não tem poder mágico. De
fato Deus opera por meio da Palavra; contudo, não é por contaminação, osmose ou
radiação, antes é pela persuasão e regeneração Por isso é que precisamos
entender a Palavra para que revelemos já por isso o poder de Deus e, continuemos
em nossa edificação, também por graça.

A Bíblia fechada não tem poder algum; nem mesmo aberta ela funciona como
talismã em nossa sala, paletó ou bolsa. Ela precisa ser lida, meditada e praticada.
(trataremos deste ponto mais à frente).

Jesus diz: “Manifestei (fânero/w) o teu nome (o)/noma) aos homens que me deste
do mundo. Eram teus, tu mos confiaste, e eles têm guardado (thre/w) a tua palavra.
Agora, eles reconhecem (ginw/skw) que todas as coisas que me tens dado provêm
de ti; porque eu lhes tenho transmitido as palavras que me deste, e eles as
receberam (lamba/nw), e verdadeiramente conheceram ( que
saí de ti, e creram (pisteu/w) que tu me enviaste” (Jo 17.6-8).

Destaquemos algumas das palavras usadas pelo Senhor que indicam a


transformação espiritual deles:

A) Guardar (thre/w) (6):

Os discípulos de Cristo se revelam no fato de guardar a Palavra. No verso 6,


Jesus observou que eles têm guardado a Palavra de Deus (), indicando a
prática dos discípulos não apenas ocasional ou circunstancial antes, contínua. Ou
seja: eles têm revelado em seus atos que guardaram a Tua Palavra.

Neste mesmo versículo (6) Jesus Cristo diz que eles pertencem a Deus desde a
eternidade. Notemos então, que Deus chama os Seus através da Palavra. A
transmissão da Palavra faz parte do propósito eterno de Deus; é um elo fundamental
dentro da consecução do Pacto da Graça, tendo em Jesus Cristo o seu fiel
despenseiro. As Escrituras apontam para Cristo fornecendo-nos um conhecimento
fidedigno. Ele nos conduz ao Pai: pertencemos a Deus; fomos chamados por
Estudos no Evangelho de João 17 (3)– Rev. Hermisten M.P. Costa - 3/4/2008 - 2

intermédio da Palavra. Esta é também a mais nobre tarefa da Igreja: glorificar a


Deus por meio de sua obediência, anunciando fielmente a Palavra para que os que
pertencem a Deus sejam reunidos e possam, juntamente conosco, glorificar a Deus.

Mas, o que significa guardar a Palavra? No texto que estamos analisando a


palavra aparece quatro vezes: Além do verso 6, encontramos Jesus orando: “Já não
estou no mundo, mas eles continuam no mundo, ao passo que eu vou para junto de
ti. Pai santo, guarda-os (thre/w) em teu nome, que me deste, para que eles sejam
um, assim como nós. Quando eu estava com eles, guardava-os (thre/w) no teu
nome, que me deste, e protegi-os, e nenhum deles se perdeu, exceto o filho da
perdição, para que se cumprisse a Escritura. (...) Não peço que os tires do mundo, e
sim que os guardes (thre/w) do mal” (Jo 17.11,12,15).

1) USOS EUFEMÍSTICOS:

Em nossa cultura, ainda que não exclusivamente, a palavra guardar tem vários
empregos eufemísticos. Cito alguns exemplos:

a) Perder: “Aquele documento está tão bem guardado que não consigo
achá-lo”.

b) Esquecer: Guardar na gaveta, “engavetar”.

c) Matar: Guardar a peixeira, referindo-se ao ato de enfiá-la no seu


oponente e, concomitantemente, dizer com um tom tragicamente irônico: “guarda
esta peixeira aí para mim”.

d) Reservar: Guardar lugar na fila; reservar algo para um amigo: “guardei


para você um cachorro quente da igreja”.

e) Ressentir: “Guardei o que você fez comigo”.

f) Vingança: “O que é seu está guardado”.

g) Proteger: Guardar o carro. Daí o “guarda noturno” que, se não for


vigilante, não “guardando” o sono de dia, termina por dormir à noite.

h) Prender/Deter: “Guardar o meliante”.

2) SENTIDO DO NOVO TESTAMENTO:

O verbo thre/w, além guardar, tem o sentido de “deter”, “preservar”,


“conservar”, “observar”, “reservar”, “proteger”, guardar com um propósito ou por um
tempo determinado (At 25.21;1Pe 1.4; 2Pe 2.4,9,17; 3.7).
Estudos no Evangelho de João 17 (3)– Rev. Hermisten M.P. Costa - 3/4/2008 - 3

a) Manter seguro, preso:

Lucas assim narra o episódio da prisão de Pedro: “Pedro, pois, estava


guardado (thre/w) no cárcere; mas havia oração incessante a Deus por parte da
igreja a favor dele. Quando Herodes estava para apresentá-lo, naquela mesma
noite, Pedro dormia entre dois soldados, acorrentado com duas cadeias, e
1
sentinelas à porta guardavam (thre/w) o cárcere” (At 12.5-6).

2
b) O Guardar os Mandamentos de Deus:

1) Jesus Cristo guarda a Palavra do Pai:

Jesus revela conhecer o Pai guardando a Sua Palavra: “Entretanto,


vós não o tendes conhecido (ginw/skw); eu, porém, o conheço. Se eu disser que
não o conheço, serei como vós: mentiroso; mas eu o conheço e guardo (thre/w) a
sua palavra” (Jo 8.55). O conhecimento de Deus se manifesta em nossa obediência
(guardar) à Palavra.

2) A prática da Palavra revela a nossa comunhão amorosa e perseverante


com Deus, seguindo o exemplo de Jesus Cristo:

Jesus Cristo demonstra que o guardar os Seus mandamentos é uma


prova de amor e de discipulado. Ele relaciona a obediência ao amor. Diz que o
amor revela-se em obediência. O Filho obedece ao Pai permanecendo no Seu
amor: “Se guardardes (thre/w) os meus mandamentos, permanecereis no meu
amor; assim como também eu tenho guardado (thre/w) os mandamentos de meu
Pai e no seu amor permaneço” (Jo 15.10).

Ainda no contexto de Sua despedida, o Senhor fala aos discípulos: “Se me amais,
guardareis (thre/w) os meus mandamentos. (...) Aquele que tem os meus
mandamentos e os guarda (thre/w), esse é o que me ama; e aquele que me ama
será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele. Disse-lhe
Judas, não o Iscariotes: Donde procede, Senhor, que estás para manifestar-te a nós
e não ao mundo? Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará (thre/w) a minha
palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada. Quem não

1
Relatando a situação de Paulo e Silas presos, Lucas descreve: “E, depois de lhes darem muitos
açoites, os lançaram no cárcere, ordenando ao carcereiro que os guardasse (thre/w) com toda a
segurança” (At 16.23). Félix orienta o Centurião no que se refere a Paulo: “E mandou ao centurião
que conservasse a Paulo detido (thre/w), tratando-o com indulgência e não impedindo que os seus
próprios o servissem” (At 24.23). “Festo, porém, respondeu achar-se Paulo detido (thre/w) em
Cesaréia; e que ele mesmo, muito em breve, partiria para lá” (At 25.4). Festo narrando ao rei Agripa o
ocorrido com Paulo, diz: “Mas, havendo Paulo apelado para que ficasse em custódia (thre/w) para o
julgamento de César, ordenei que o acusado continuasse detido (thre/w) até que eu o enviasse a
César” (At 25.21).
2
Na LXX thre/w aparece em especial no Livro de Provérbios. Vejam-se, por exemplo: Pv 3.1,21; 4.23;
19.16; 23.26.
Estudos no Evangelho de João 17 (3)– Rev. Hermisten M.P. Costa - 3/4/2008 - 4

me ama não guarda (thre/w) as minhas palavras; e a palavra que estais ouvindo não
3
é minha, mas do Pai, que me enviou” (Jo 14.15,21-24).

A genuína fé é conduzida pela Palavra à obediência. “A fé, quando é


conduzida à obediência a Deus, mantém nossas mentes fixas em sua
4
palavra”. Este guardar envolve o homem todo: estamos comprometidos em
crer/pensar (meditar) na Palavra, experimentá-la e praticá-la. Guardar a Palavra é
transformá-la na palavra final de nossa mente, emoção e vontade. Guardamos a
Palavra quando Ela se torna o padrão de nosso pensar, sentir e agir. Como nos diz
Lloyd-Jones (1899-1981): guardar é obedecer. “Vocês não guardarão realmente
a Palavra se não a obedecerem. É uma palavra que não pode ser
guardada só em seu intelecto; também tem que ser colocada em seu
coração e em sua vontade. O homem que guarda a Palavra de Deus é o
homem cuja personalidade a está guardando, o homem que medita e se
5
regozija nela e cujo coração se inflama por ela, e assim ele a obedece”.

3) São bem-aventurados aqueles que guardam até o fim as palavras


reveladas por Deus:

No Apocalipse lemos: “Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles


que ouvem as palavras da profecia e guardam (thre/w) as coisas nela escritas, pois
o tempo está próximo” (Ap 1.3/Ap 3.3,8,10; 22.7,9). Ao jovem que pergunta a Jesus,
“Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna?”, tem a resposta: “Se
queres, porém, entrar na vida, guarda (thre/w) os mandamentos” (Mt 19.16,17).
Paulo no ocaso de sua vida, diz que guardou (conservou) a fé: “Combati o bom
combate, completei a carreira, guardei (thre/w) a fé” (2Tm 4.7). Durante o seu
combate e carreira, que agora se aproximavam do final, ele preservou e fortaleceu a
sua fé. O bom combate da fé só é completado se perseverarmos até o final na fé:
“Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam (thre/w) os mandamentos
de Deus e a fé em Jesus” (Ap 14.12).

4) Deus tem uma herança reservada para os seus: “Bendito o Deus e Pai
de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos
regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre
os mortos, para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada
(thre/w) nos céus para vós outros” (1Pe 1.3-4). Pedro conforta a Igreja perseguida
com a certeza de que Deus, Deus mesmo tem preservado (guardado) para os seus
uma herança maravilhosa que ultrapassa em muito a nossa capacidade de
exaustiva percepção (Ef 3.20).

3
Vejam-se também: 1Tm 6.14; 1Jo 2.3,4,5; 3.22,24; 5.2-3; Ap 3.8, 10; 12.17; 14.12; 22.7,9).
4
João Calvino, O Livro dos Salmos, São Paulo: Edições Parakletos, 1999, Vol. 2, (Sl 38.10), p. 184.
5
D.M. Lloyd-Jones, Seguros Mesmo no Mundo, São Paulo: Publicações Evangélicas Selecionadas,
2005 (Certeza Espiritual: Vol. 2), p. 89.
Estudos no Evangelho de João 17 (3)– Rev. Hermisten M.P. Costa - 3/4/2008 - 5

c) A Igreja e sua Missão:

Após a ressurreição de Jesus Cristo, Ele confia esta missão à Igreja: “Ide,
portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do
Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar (thre/w) todas as coisas que vos
tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do
século” (Mt 28.19-20). Portanto, a Igreja ensina ao mundo a Palavra e demonstra em
sua vida o como, por inteira graça, é possível guardar os mandamentos de Deus.
Percebam então, ainda que de passagem, a função “ensinadora” da Igreja. Ela tem
a responsabilidade de ensinar aos crentes, aqui chamados de discípulos, a guardar,
ou seja, obedecer aos ensinamentos de Cristo. Portanto, a Igreja é constituída por
aqueles que receberam a Palavra e a guardam (praticam). Os novos discípulos por
aprenderem gradativamente esta Palavra se tornarão também mestres evangelistas
que anunciarão e ensinarão a outros e outros.

No ato contínuo de guardar a Palavra revelamos o nosso amor a Deus que se


materializa em obediência confiante. No guardar a Palavra de Deus como fonte e
filtro de todas as nossas decisões, evidenciamos a nossa comunhão com o Deus
que nos ama, fala e nos preserva. Guardar a Palavra significa preservar nossa
mente, nosso coração e, consequentemente, os nossos atos, do pecado: "Guardo
[}apfc (çãphan) = “esconder”, “ocultar”, “entesourar”, “armazenar”] no coração as
6 7

8
tuas palavras, para não pecar contra ti” (Sl 119.11).

B) Receber (lamba/nw) (8):

“.... e eles as receberam (lamba/nw)....” (Jo 17.8).

Receber significa também, tomar (Mt 13.31,33; 14.19); trazer (Mt 16.7); agarrar
(Mt 21.35,39); levar (Mt 25.4); assumir (Fp 2.7; Ap 11.17); aceitar (Jo 3.11), etc. Os
discípulos receberam a Palavra de Deus conforme transmitida por Jesus Cristo e a
assumiram como norma autoritativa de seu procedimento. Analisemos alguns textos:

6
Na LXX o verbo usado é kru/tw, que tem o sentido de “esconder”, “ocultar”.
7
Vejam-se: Sl 37.31;119.2,57,69; Pv 2.10-12. O verbo “guardar” tem o sentido de guardar com
atenção, levando-a em consideração no seu agir (Vd. no sentido negativo: Sl 10.8; 56.6; Pv 1.11,18);
esconder algo considerado precioso ou importante a ponto de arriscar a sua própria vida para poder
ocultar (Ex 2.2-3; Js 2.4) – Deus também nos “esconde”, nos “protege” dos inimigos (Sl 27.5; 31.19,
20; 83.3) –; ou algo precioso para alguém (Ct 7.13), tendo em vista sempre algum propósito.
Portanto, guardar a Palavra no coração significa considerá-la em todo o nosso ser, sendo ela a
norteadora do nosso sentir, pensar, falar e agir; o lugar da Palavra deve ser sempre no cerne
essencial do homem. A Palavra é guardada em nosso coração quando está presente continuamente,
não meramente como um preceito exterior, mas, sim, como um poder interno motivador, que se opõe
ao nosso pensar e agir egoístas. A santidade inicia-se no coração, imbuída de um espírito
agradecido, tendo como motivação final agradar a Deus.
8
“A mente que entesoura as Escrituras tem seu gosto e juízo educados por Deus” [Derek
Kidner, Salmos 73-150: introdução e comentário, São Paulo: Vida Nova/Mundo Cristão, 1981, (Sl
119.11), p. 437].
Estudos no Evangelho de João 17 (3)– Rev. Hermisten M.P. Costa - 3/4/2008 - 6

1) RECEBER A CRISTO:

“Mas, a todos quantos o receberam (lamba/nw), deu-lhes o poder de serem


feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome” (Jo 1.12).

2) ACEITAR O TESTEMUNHO DE CRISTO:

“Em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e


testificamos o que temos visto; contudo, não aceitais (lamba/nw) o nosso
testemunho” (Jo 3.11/Jo 3.32; Jo 5.43).

a) Somente quem aceita o testemunho de Jesus Cristo poderá


certificar-se da veracidade de Deus e da Sua Palavra:

“Quem, todavia, lhe aceita (lamba/nw) o testemunho, por sua vez,


certifica (sfragi/zw) que Deus é verdadeiro” (Jo 3.33). A fé cristã não é um simples
9

teste, um jogo, uma brincadeira com Deus. Não posso brincar com Deus; fazer de
conta que aceito para testá-Lo. Para nos “certificar” de Deus temos que aceitar o
testemunho de Cristo; e isto é graça. Somente os que aceitam o testemunho, a
Palavra de Cristo, poderá, em sua obediência, se certificar de quão verdadeiro Deus
é em majestade e em Suas promessas.

b) As Pessoas tendem a valorizar a palavra do homem em detrimento


da Palavra de Deus:

“Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis (lamba/nw); se outro


vier em seu próprio nome, certamente, o recebereis (lamba/nw). Como podeis crer,
vós os que aceitais (lamba/nw) glória uns dos outros e, contudo, não procurais a
glória que vem do Deus único?” (Jo 5.43-44).

c) Rejeitar a Palavra de Cristo é o mesmo que rejeitar o próprio Cristo.


O nosso julgamento será à luz desta Palavra:
10
“Quem me rejeita (a)qete/w) e não recebe (lamba/nw) as minhas
palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no
último dia” (Jo 12.48).

9
A palavra tem o sentido de “atestar”, “confirmar”, “selar”. Ela é especialmente usada para se referir
ao selo do Espírito (2Co 1.22; Ef 1.13; 4.30).
10
* Mc 6.26; 7.9; Lc 7.30; 10.16 (4 vezes); Jo 12.48; 1Co 1.19; Gl 2.21; 3.15; 1Ts 4.8 (2 vezes); 1Tm
5.12; Hb 10.28; Jd 8.
Estudos no Evangelho de João 17 (3)– Rev. Hermisten M.P. Costa - 3/4/2008 - 7

3) AQUELE QUE RECEBE O SERVO DE CRISTO, O RECEBE. E QUEM


RECEBE A CRISTO RECEBE O PAI.

Em verdade, em verdade vos digo: quem recebe (lamba/nw) aquele que eu


enviar, a mim me recebe (lamba/nw); e quem me recebe (lamba/nw) recebe


(lamba/nw) aquele que me enviou” (Jo 13.20).

ALGUMAS APLICAÇÕES:

1. A Igreja não tem poder para fazer com que as pessoas recebam e guardem a
Palavra; no entanto, é sua missão facultar esta oportunidade através da
pregação fiel da Palavra;

2. A proclamação da Palavra faz parte do propósito eterno de Deus. Os escolhidos


de Deus, confiados a Cristo, foram chamados através da Palavra transmitida por
Cristo;

3. A Missão da Igreja não termina na proclamação referente à salvação, antes,


continua no ensino: A Educação cristã é missão essencial da Igreja: “Ide,
portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e
do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os (dida/skw) a guardar (thre/w) todas
as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à
consumação do século” (Mt 28.19-20).

4. Revelamos o nosso amor a Deus por meio de nosso apego à Palavra como
norma de todo o nosso pensar e agir;

5. Há uma relação inseparável: O Pai, o Filho, o Espírito e a Palavra. Ninguém


conhecerá o Pai se não for por meio de Cristo, o Logos eterno (a Palavra
encarnada) que nos dá a Palavra de Deus. Por isso, ninguém pode dizer que crê
em Deus e não crê em Jesus ou que crê em Deus, mas não aceita a Palavra.

6. O que caracteriza o cristão não é simplesmente os seus bons sentimentos e


intenções, mas, ter uma relação direta com Deus por meio da recepção da
Palavra: “O essencial é estar definitivamente relacionado com esta
11
mensagem, com esta palavra – “(eles) guardaram a Tua Palavra”.

7. O desafio para nós cristãos, é guardar, nos agarrar à Palavra em todos os


nossos caminhos, guardando, zelando e perseverando nela até o fim.

8. A Palavra de Deus, meditada e guardada no coração, é preventiva contra o


pecado: "Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” (Sl
119.11).

11
D.M. Lloyd-Jones, Seguros Mesmo no Mundo, São Paulo: Publicações Evangélicas Selecionadas,
2005 (Certeza Espiritual: Vol. 2), p. 80.
Estudos no Evangelho de João 17 (3)– Rev. Hermisten M.P. Costa - 3/4/2008 - 8

9. A nossa relação com a Palavra deve ser de recebê-la e guardá-la integralmente,


visto ser toda ela inspirada por Deus (2Tm 3.16). Não guardamos apenas
partículas que circunstancialmente podem me ser úteis para os meus interesses
duvidosos. Portanto, toda a Palavra de Deus é um tesouro precioso para o servo
12
de Deus.

São Paulo, 17 de março de 2008.


Rev. Hermisten M.P. Costa

12
Vd. C.H. Spurgeon, The Treasury of David, Peabody, Massachusetts: Hendrickson Publishers,
(s.d), Vol. III, (Sl 119.11), p. 159.