Você está na página 1de 1

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ-UNIOESTE

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS


GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA
PROVA DA DISCIPLINA TÓPICOS ESPECIEIAS EM HISTÓRIA DA FILOSOFIA
CONTEMPORÂNEA (TOO1402)
PROFESSOR: SAULO SBARAINI AGOSTINI
DISCENTE: ________________________________________

Explique, justifique e compare – semelhanças e diferenças – as seguintes citações com o objetivo


de explicitar a filosofia de cada um dos filósofos:
Citação 1: Adorno e Horkheimer.
“Apesar de seu alheamento à matemática, Bacon capturou bem a mentalidade da ciência que se
fez depois dele. O casamento feliz entre o entendimento humano e a natureza das coisas que ele
tem em mente é patriarcal: o entendimento que vence a superstição deve imperar sobre a
natureza desencantada. O saber que é poder não conhece nenhuma barreira, nem na
escravização da criatura, nem na complacência em face dos senhores do mundo. Do mesmo
modo que está a serviço de todos os fins da economia burguesa na fábrica e no campo de
batalha, assim também está à disposição dos empresários, não importa sua origem. Os reis não
controlam a técnica mais diretamente do que os comerciantes: ela é tão democrática quanto o
sistema econômico com o qual se desenvolve. A técnica é a essência desse saber, que não visa
conceitos e imagens, nem o prazer do discernimento, mas o método, a utilização do trabalho de
outros, o capital.” (ADORNO; HORKHEIMER, 1991, p.20)
ADORNO, T. W; HORKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução de Guido
Antonio de Almeida – Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1991.

Citação 2: Heidegger.
“Permanece verdade: o homem da idade da técnica vê-se desafiado, de forma especialmente
incisiva, a comprometer-se com o desencobrimento. Em primeiro lugar, ele lida com a natureza,
enquanto o principal reservatório das reservas de energia. Em conseqüência, o comportamento
dis-positivo do homem mostra-se, inicialmente, no aparecimento das ciências modernas da
natureza. O seu modo de representação encara a natureza, como um sistema operativo e
calculável de forças. A física moderna não é experimental por usar, nas investigações da
natureza, aparelhos e ferramentas. Ao contrário: porque, já na condição de pura teoria, a física
leva a natureza a ex-por-se, como um sistema de forças, que se pode operar previamente, é que
se dis-põe do experimento para testar, se a natureza confirma tal condição eo modo em que o
faz.” (HEIDEGGER, 2001, p.24)
HEIDEGGER, M. A Questão da Técnica. Trad.Emmanuel Carneiro Leão. In: Ensaios e Conferências. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2001.