Você está na página 1de 14

Termorregulação

• Animais homeotérmicos (mamíferos e aves)


– Sistema controle para manter o calor constante
– Homeotérmicos estão em vantagem

Termorregulação

Animais poiquilotérmicos não controlam sua


Tcorporal

Termorregulação Termorregulação
Manutenção da temperatura corporal por
mecanismos autonômicos e
comportamentais em uma faixa • Temperatura central
compatível com a sobrevivência. – Tecidos profundos
– Constante (variação ± 0,6 oC)

• Temperatura cutânea
– Aumenta ou diminui com a Tamb

O que é T normal? Controle Tcorporal


• “normal” refere-se à T de áreas definidas Variações circadianas
do corpo
• Tcorporal não é cte
– Retal – mais representativa – 37,1 oC
– Oral (Sublingual) – 0,6 oC abaixo da retal • Fatores externos e
– Axilar - 0,7 oC abaixo da retal internos
– Pele – Tamb - 24-25 oC • Sono – T diminui
– Cabeça, tórax e abdomen – 34-36 oC – Mínimo : 4h manhã
– Braços e pernas – 31-32 oC – Máximo : final da
– Pés e mãos – 28-29 oC tarde
– Exercício – 40-41 oC (maratona) • Trabalho noturno –
inversão curva
térmica
www.icb.ufmg.br/.../ processos%20biologicos.htm

1
Controle Tcorporal Temperatura Interna
Variações X
Temperatura Externa
60

50

C
°

temp corporal
40

30

www.uc.cl/.../enferm/ 20
metodos/gen/html/h20_2.htm

Variação da Temperatura no Ciclo Menstrual. 10

Pode haver aumento de até 0,5°C de acordo com ciclo menstrual.


0
1 10 21 32 43 54 65
Alta da temperatura acompanha alta da progesterona (pós-ovulação).
temp atmosférica °C
Progesterona → SN Simpático → Noradrenalina → ↑ metabolismo. Fonte: Guyton;1991, Guanabara Koogan

Termorregulação
• Temperatura corporal Termorregulação
– Tinterna 36,7 e 37 oC (boca)
– Tinterna 37,3 e 37,6 oC (retal) • Equilíbrio entre a produção e a perda de
calor

• Produção > perda : Tcorporal ↑


Exercício físico – T ↑ - 38,3 a 40 oC
• Perda > produção : Tcorporal ↓

Exposição ao frio – T ↓ - < 35,5 oC

Produção de calor POR METABOLISMO BASAL


Termogênese Aumento do metabolismo basal pela tiroxina:

• Subproduto do metabolismo
Resfriamento da área pré-óptica do hipotálamo
• Fatores que determinam a intensidade da
produção Hormônio de liberação da tireotropina (TRH)
– Intensidade basal do metabolismo celular (TMB)
– Intensidade adicional do metabolismo – Hipófise anterior
atividade muscular
– Metabolismo adicional devido à T4 Hormônio tíreo-estimulante (TSH)
– Metabolismo adicional devido à epi, norepi e
estimulação simpática Gl. Tireóide
– Aumento do metabolismo ativ química celular Tiroxina

2
PRODUÇÃO:
POR METABOLISMO BASAL Termogênese biológica
• Claude Bernard (1876)
TIROXINA (T4) E TRIIODOTIRONINA (T3)
• Animais expostos ao frio produzem
calor por –
– Termogênese mecânica - contrações
Sítios de ligação envolvidos na regulação de genes musculares involuntárias
– Termogênese química - reações
bioquímicas exotérmicas
AUMENTO DA TRANSCRIÇÃO DOS GENES

Termogênese mecânica Termogênese química


• Sellers (1954)- ratos aclimatados ao
frio produzem calor sem termogênese
• Produção de calor - calafrio
mecânica
• Resposta muscular
– após exposição súbita ao frio
• Homem compensa demanda calor
aumentando metabolismo interno sem
• Caracterizado por contração
desorganizada dos músculos termogênese mecânica
esqueléticos
• Resposta involuntária
• Consumo de O2 eleva-se 2 a 5 vezes

Termogênese química Termogênese química


• Meio mais importante para • Gorduras
manutenção da Tcorporal – Fonte energia térmica http://www.sportsci.org/encyc/adipose/adipose.html

– Tec adiposo marrom –


• Mais lenta que a termogênese • Camundongo, hamster,
mecânica macacos, homem (feto,
RN e adulto)
• Calor produzido – • Homem: regiões
interescapulares,
– Reações exotérmicas metabolismo subescapulares e axilares
gorduras, açúcares e proteínas • Céls. Inervadas simpático
+ numerosas mitocôndrias

http://www.kufm.kagoshima-u.ac.jp/~anatomy2/ADIP/ADIP.html

3
Recém-Nascido e a Temperatura Corporal.
Amplitude térmica maior por mecanismos regulatórios falhos. Produção basal de calor
Área de Superfície grande em relação à Massa.

Rápida perda de calor pelo corpo. • Metabolismo basal – 1,5 kcal/min


Cuidado adicional com prematuros. – Homem adulto 70 kg e 1,8 m2 sup
corporal
• Geração calor :
– fígado
– cérebro
– coração
– músc. esquelético

Perda de calor
Fatores que afetam a termogênese Músculo
Fígado Cérebro Coração
esquelético
• Relacionados ao metabolismo dos alimentos C
A
L
• Sono, subnutrição e hipofunção tireoidiana O
– metabolismo R

• Hiperfunção tireoidiana, tensão muscular P E L E


permanente, calafrios, alimentação e Perdido para o ar e o meio ambiente
exercício – metabolismo
Intensidade :
1- rapidez de condução entre órgão profundos e pele
2- rapidez de transferência entre pele e ambiente

Sistema isolante Transferência de calor


Pele
Tec subcutâneo
pelo fluxo sangüíneo
Isolante térmico
Gorduras
Vasos sangüíneos
Conduz 1/3 do calor Plexo venoso contínuo

Meio eficaz para manutenção da


temperatura interna normal

Pele sistema irradiação de calor controlado

4
Transferência de calor Transferência de calor
pelo fluxo sangüíneo pelo fluxo sangüíneo
Condução de calor
Velocidade fluxo sangüíneo
Vasoconstrição
varia
Fluxo elevado – calor Controle SN simpático
conduzido interior para pele Em resposta a :
-mudança Tcorporal int
Redução fluxo – diminui a
-Mudança Tamb
condução calor

Mecanismos físicos de perda


Radiação
de calor – Calor dissipado por
emissões eletromagnéticas
• Termocinética –
transferência de – 60% perda calor corporal
calor – Emissão raios térmicos IV
(λ = 5 a 20 nm) em todas as
– Radiação direções
– Condução
– Convecção – Fluxo de calor
• corpo mais quente para o mais
– Evaporação frio
• diretamente proporcional área
emissora e o grad térmico

Radiação Condução

• Perda de calor por radiação (pele como


irradiador)
– Extremidades –
• muitas comunicações entre artérias e veias pq calibre
• Criando condições formação fluxo sanguíneo • Transferência calor por contato direto
(resistência baixa) entre um corpo frio e um corpo quente
• Troca de calor extremidades X meio ambiente
• Dependente do gradiente térmico
• 3% perda de calor - para obj sólidos
• 15% perda de calor – ar
– Calor = Energia cinética movimento moléculas

5
Convecção Condução e Convecção
–Transferência Etérmica através
movimento de massas de fluido pele Aquecidas
Moléculas ar
condução
Ar aquecido Expande
Aumenta V
Reduz densidade Expandem
Gradiente pressão
Menos densas
Empuxo > peso massa de ar expandido

Camada de ar é empurrada para cima Correntes de convecção

Ar resfriado – ocorre o contrário

Convecção Evaporação
• convecção natural:
diferenças na densidade • Transferência de calor por meio de
criada pelas mudanças na T. uma mudança de estado físico
• convecção forçada :
depende da velocidade do ar • Transformação de água em vapor de
que flui sobre o objeto. água requer energia
– > velocidade do fluido em • Calor de vaporização latente – 1g água
relação ao sólido
– > a transferência de calor por 0,58 kcal ou 2,86 kJ
convecção • Evaporação constante : 50 ml/h
• Exercício : 1000 ml/h

Evaporação
Evaporação
fatores que afetam
• Perda insensível (pele/pulmões): 450 a • Umidade do ar –
600 ml/d – Ar seco aumenta
• Não pode ser controlada – Ar úmido diminue
• Controle – evaporação do suor • Correntes de convecção –
– sudorese – carrega a camada de ar saturado
próximo à pele
T pele > Tamb → perda de calor irrad/condução
T pele < Tamb → ganho de calor irrad/condução
Perda : evaporação

6
elétrico Sudorese Mecanismos de perda de calor
hipotálamo
calor Impulso nervoso • Perda de calor pela pele
– Produção constante de calor
Vias autonômicas – T interna acima da Tamb
– Pele ocorre a dissipação do calor
Medula espinhal – Gradiente de temperatura (interior para
Via simpática superfície)
• Alterado por mudanças na condutividade térmica das
Pele Gland sudoríparas
camadas subcutâneas
– isolamento
• Alterações fluxo sanguíneo
Fibras colinérgicas (Ach)
Fibras adrenérgicas (epi, norepi)

Mecanismos de perda de calor Mecanismos de perda de calor

• Fluxo sanguíneo na pele • Fluxo sanguíneo na pele


– Hipotermia (ação minimizar as – Hipertermia (ação aumentar as perdas
perdas de calor) de calor)
• Fluxo sangue superfície é reduzido • Fluxo sangue superfície é aumentado
• Transferência de calor • Transferência de calor
• Temperatura da superfície • Temperatura da superfície
• Redução da perda por convecção e • Favorece a perda por convecção e radiação
radiação

Mecanismos de perda de calor


Mecanismos de perda de calor

• Fluxo sanguíneo na pele • Isolamento externo


– Intercâmbio de calor por – Sistema nervoso simpático
contra-corrente – Eficácia do isolamento
– Disposição anatômica dos externo (pêlos)
vasos sanguíneos – Ar péssimo condutor de calor
– Camada de ar parado sobre
Sangue arterial (Talta) fluxo uma superfície – barreira à
interior periferia perda de calor
Sangue venoso (resfriado na – Pêlos retêm o ar na superfície
periferia) fluxo inverso – Alteração do ângulo formado
Calor passa do sangue arterial com a pele - variação da
para o sangue venoso – esfria espessura da camada de ar
sg arterial e aquece o sg (piloereção)
venoso • Isolantes artificiais

7
Mecanismos de perda de
calor
Condução e convecção
Resumindo... • Condução – gradiente térmico (pele e
ambiente) e extensão da área de
contato
• Menos importante – baixa
condutividade térmica do ar e da
limitada área de contato
• Significativa – imersão em água

Mecanismos de perda de Mecanismos de perda de


calor calor
• Convecção – • Radiação
– ar (baixo calor específico) aquecido pela pele – Calor radiante é transmitido por ondas
rapidamente eletromagnéticas
– ar quente é menos denso e sobe – convertidas em calor quando incidem sobre
– substituído por ar frio objetos frios (absorção)
– correntes de convecção – Corpo quente perde calor por emissão energia
– mantendo gradiente de temperatura pele e o ar radiante
• Perda de calor diminuída –por fatores • Mecanismo fisiológico – regulação do fluxo
impedem o movimento de ar na superfície sanguíneo
(pêlos, roupas, mudança na postura, abrigo) • Corpo despido a superfície de radiação
eficaz – 60%

Mecanismos de perda de Mecanismos de perda de


calor calor
• Evaporação • Evaporação
– Duas categorias
• Perda insensível de água
– Perda regulada de calor
– Condições normais – não há produção de suor • Ofego – animais que não possuem (ou peq
– Resultante da difusão água pela pele (vapor) e perda no quant) gl sudoríparas
ar expirado sist respiratório
• Perda regulada de calor • Perda de calor por evaporação – aumento no
– Suor térmico movimento do ar pelas superfícies úmidas
» pouca valia para a refrigeração a menos que seja (mucosa bucal e nasal)
evaporado
» Fatores ambientais (umidade relativa do ar e
velocidade do movimento do ar)
» Sudorese homem começa aos 29 oC

8
Sistemas de controle
termorregulador
Hipotálamo
• Manutenção temperatura interna
estável – produção e perda de calor
iguais
• Centro de controle integrador
– influxo de informação sensorial sobre a
temperatura interna
– modificação dos mecanismos de produção
e perda de calor
Fonte: Bear, 2002. Ed. Artemed, 2ªed

Hipotálamo
Termoreceptores

• Receptores de temperatura na superfície corporal


• Enviam informações para centros de controle –
resposta às alterações na Tinterna

–Periféricos
•pele, boca, canal alimentar superior
•Fornecem sensações conscientes
•Influenciam centro hipotalâmico

–Centrais - hipotálamo
Fonte: Sobotta, volume 1, 2000. Editora Guanabara Koogan

Controle Tcorporal
Sistemas de controle Hipotálamo
termorregulador
2 regiões ligadas à reg temperatura
• Receptores de temperatura na superfície • Centro anterior
corporal • Centro posterior
– Centrais – hipotálamo •Manutenção do equilíbrio produção e eliminação calor
• Regulação interna das funções corporais
• Anterior e posterior -funções • Lesões região anterior • Lesões região posterior
– Atividade endócrina – Hipertermia – Hipotermia
– Sist nervoso autônomo – controle termólise – controle termogênese
– Regulação ingestão alimentos e água • Termólise • Termogênese
– Comportamento sexual
– Vasodilatação – Hormônios – aumento do
– Sono
periférica metabolismo
– Medo/raiva
– Regulação da T corporal – sudorese – calafrio/horripilação

9
Sistemas de controle termorregulador
Sistemas de controle termorregulador Hipotálamo
Hipotálamo
Centro posterior
Centro anterior • Produção e conservação de calor
– Ativado – receptores periféricos de frio
• Perda de calor » Receptores hipotalâmicos
– vasodilatação cutânea (convecção, condução e » Ação recíproca c/ centro anterior
radiação) – Inibido – centro anterior entra em atividade (aum T)
– Evaporação – aumento sudorese e ofego • Promove conservação calor
– Lesão – ausência de proteção ao superaquecimento – Diminuição fluxo sangue
– Ativado – aumento Thipotalâmica – Piloereção
– Calafrios
– Inibido – impulsos recept periféricos de frio – Inibe a sudorese e ofego
» Age sobre o centro posterior • Promove produção calor
– Aumenta produção T4 – tireóide (TRH)
– Secreção epinefrina e norepinefrina – adrenal(CRH)
• Aumenta TMB

SET POINT VARIAÇÕES NO SET


Referência hipotética comparada à variável POINT
regulada.
Há diferentes set points para os diversos
Comparação da temperatura corporal com o set mecanismos termorreguladores.
point termorregulador (um valor ou faixa de
valores) gera uma mensagem de erro. Sinais periféricos alteram o ponto fixo.
Em temperatura cutânea = 29°C
Erro não detectado: ausência de compensação. set point = 37,4°C
Erro existente: ativação de mecanismos
Em temperatura cutânea = 33°C
termorreguladores que alteram produção e perda
de calor. set point = 36,7°C

Balanço GANHO X PERDA de calor


= Eutermia

• Descompensações: Hipotermia
Hipertermia

10
Descompensação
HIPOTERMIA
perda x ganho de calor
Diminuição da temperatura
• Hipotermia corporal para valores
inferiores a 35ºC
• Hipertermia

Mecanismos fisiológicos de proteção

• Febre
• Anapirexia
Fonte:www.el-mundo.es

HIPOTERMIA: HIPOTERMIA:
ETIOLOGIA CONSEQÜÊNCIAS
• Abrandamento da atividade enzimática
• Relacionados com a pessoa
• Ineficiência das vias metabólicas
• Drogas dependentes de O2

• Estado de saúde • Vasoconstrição periférica

• Queimaduras pelo frio

CONSERVAÇÃO DE CALOR:
TIPOS DE RESPOSTAS: PILOEREÇÃO INIBIÇÃO DA SUDORESE

-TREMOR
PRODUÇÃO:-METABOLISMO BASAL
-METABOLISMO NO TECIDO ADIPOSO

CONSERVAÇÃO: -PILOEREÇÃO
-INIBIÇÃO DA SUDORESE
-VASOCONSTRIÇÃO PERIFÉRICA
-CONTROLE COMPORTAMENTAL

VASOCONSTRICÇÃO PERIFÉRICA

11
CONSERVAÇÃO DE CALOR:
ANAPIREXIA
CONTROLE COMPORTAMENTAL

É uma redução na temperatura corporal


de forma regulada frente a baixos
níveis de O2 ( hipóxia)

Adaptações ambientais apropriadas

ANAPIREXIA
ANAPIREXIA X HIPOTERMIA
A anapirexia pode ser induzida para
atenuar os efeitos do choque circulatório, Anapirexia: É uma redução na temperatura
corporal de forma regulada frente
hemorragia, anemia, entre outros que
a baixos níveis de O2
causem a falta de oxigênio na célula

Hipotermia: É uma falha dos mecanismos


termorreguladores em manter
a eutermia

HIPERTERMIA
HIPERTERMIA
É o resultado da falha dos mecanismos
termorreguladores em
manter a eutermia.
Estresse demasiadamente
grande (acima de 40º C) :
heat stroke

http://www1.folha.uol.com.br/folha/esporte/images/20041231-lucelia.jpg

12
HIPERTERMIA:
TIPOS DE RESPOSTAS:
ETIOLOGIA
• Sobrecarga excessiva de calor
-CONTROLE COMPORTAMENTAL
• Aumento da taxa metabólica PERDA: -OFEGAÇÃO (ANIMAIS INFERIORES)
-VASODILATAÇÃO
• Lesões do SNC ou periférico -INIBIÇÃO DA TERMOGÊNESE
-SUDORESE

• Alterações dérmicas

Perda de Calor Perda de Calor


Controle Comportamental: Vasodilatação:

• Aumento do fluxo sanguíneo para pele =


aumento de troca com o meio.
• Procura por ambientes ventilados;
• Inibição dos centros que causam a
vasoconstrição.
• Posição estirada;

• Vestimenta.

images.google.com.br/images?q=vaso+sanguineo&svnum=10&hl=pt-BR&lr=&start=40&sa=N

Perda de Calor: Perda de Calor:


INIBIÇÃO DA TERMOGÊNESE SUDORESE

CALOR

• Diminuição da atividade metabólica APO

• Ausência de tremores MEDULA

VIA
SIMPÁTICA

13
FEBRE
Febre
Elevação da temperatura corporal
devido a uma alteração do • Calafrio, tremor, “rubor”, aumento do
ponto de regulação térmica metabolismo celular,vasoconstrição

• Induz condições desfavoráveis para o


crescimento de microorganismos
patológicos

HIPERTERMIA X FEBRE
alteração do ponto de Febre: é uma elevação regulada
regulação térmica
da temperatura corporal, devido
a uma alteração do ponto de regulação
térmica

calafrios
aumento do metabolismo celular Hipertermia : é a falha dos mecanismos
termoreguladores na
manutenção da eutermia.

Induz condições desfavoráveis para o


crescimento de microorganismos patológicos

14