Você está na página 1de 2

Planejamento estratégico: um modelo para clubes de futebol

Marcos Moraes



Com os pés no presente e os olhos no futuro

Há muito tempo o meio esportivo discute a validade de se fazer planejamento em futebol, estabelecendo-se metas e ações de curto,
médio e longo prazos. Se, por um lado, não se pode comparar friamente um clube de futebol com uma empresa, por outro, é preciso
entender que o futebol, como instituição, não é uma ilha isolada das demais instituições brasileiras.
Portanto, não está imune ao conjunto de forças que se organizam em nossa sociedade. Tal qual empresas, os clubes de futebol
necessitam pensar e executar seus planos imediatos e para os anos vindouros, se quiserem alcançar performances sustentáveis e
reprodutíveis.
A título de exemplo, listamos algumas etapas que caracterizam um planejamento para um departamento de futebol de uma grande
equipe.
Plano de modernização e profissionalização do futebol
Etapas do processo
Planejamento de curto prazo
Identificação das necessidades e implantação da infra-estrutura básica;
Diagnóstico do Departamento de Futebol;
Definição do grupo de atletas que estaja compatível com o novo modelo de trabalho implantado, conforme orçamento;
Planejamento Estratégico do Departamento de Futebol: definição conjunta e global das linhas gerais do plano e descrição das metas
do processo e do rendimento de curto, médio e longo prazos;
Definição e divulgação interna da identidade futebolística do clube e do perfil de suas equipes;
Definição dos projetos arquitetônicos de reformas no estádio e centro de treinamento;
Instrumentalização e modernização dos processos (informatização etc.);
Contratação de profissionais que atendam as necessidades do novo organograma de trabalho;
Formação de rede profissional de observadores (“olheiros”) em todo o território brasileiro;
Formação de equipe profissional competitiva dentro de recursos existentes e possíveis;
Cumprimento rigoroso dos compromissos financeiros assumidos, mudando-se o perfil e o nível de credibilidade atual dos clubes e
dirigentes;
Participação das equipes de base em campeonatos, torneios e jogos no estado, país e exterior.
Planejamento de médio prazo
Fase de análise de resultados, correção dos planos e implantação dos processos complementares;
Completar obras básicas no estádio e no centro de treinamento;
Implementação da equipe profissional competitiva;
Disputar em igualdade de condições os principais campeonatos de futebol do Brasil;
Capacitar e desenvolver os recursos humanos, através de projetos e programas permanentes de treinamento para atletas, comissões
técnicas e funcionários;
Desenvolver convênios técnico-esportivos e parcerias diversas;
Implementação de rede profissional de observadores (“olheiros”) em todo o território brasileiro.
Planejamento de longo prazo
Fase de consolidação do plano de modernização e profissionalização do futebol
Posicionar o clube entre os mais organizados do país;
Possuir um dos mais funcionais complexos futebolísticos do Brasil (estádio e centro de treinamento);
Disputar em igualdade de condição os principais campeonatos do futebol brasileiro, sul-americano e mundial;
Formar atletas diferenciados e de alto nível em seu Centro Técnico de Treinamento de Excelência, fornecendo 70% a 80% dos atletas
que compõem a equipe principal;
Estabelecer convênios técnico-comerciais com os principais mercados do futebol mundial.
Metodologia utilizada no Planejamento Estratégico da Vice-presidência de Futebol
Visão de Futuro:
Ameaças e oportunidades
Pontos fortes e pontos fracos
Missão
Valores
Cenários
Posturas estratégicas
Macro-políticas
Macro-estratégias
Objetivos gerais
Objetivos por setor
Projetos por setor
Resulta em: Planos de ação + instrumentos de controle de resultados