Você está na página 1de 3

Por que ler biografias para as crianças?

Em seu desenvolvimento social, moral e espiritual, a criança precisa de


modelos que a inspirem. E, para povoar a imaginação com exemplos de vida
admiráveis, a leitura de biografias poderá prestar uma inestimável
contribuição.

Quando a criança atinge a idade da razão (por volta dos sete anos), sua
formação literária e moral ganhará muito com o conhecimento da história de
homens e mulheres que, por sua abnegação e força de vontade, deixaram um
legado valioso para a pátria, para a cultura, para a ciência ou para a
Humanidade. A leitura de biografias é, assim, uma forma de cultivar a
imaginação moral da criança, que aprenderá, com os erros e acertos, vitórias
e fracassos de outras pessoas, que as grandes realizações dependem do
esforço, da perseverança e da fidelidade a um ideal.

Dentre as biografias que podem interessar às crianças, destacam-se aquelas


de grandes inventores, descobridores, navegadores, santos, escritores e
artistas, cientistas, estadistas, enfim: pessoas cujas vidas frutificaram para o
bem de seus semelhantes. A seleção das biografias exige cuidado. Como a
intenção não é simplesmente conhecer uma biografia, mas inspirar-se com
vidas exemplares, é bom ter em mente o alerta do professor e escritor Vigen
Guroian acerca dos perigos da “imaginação idólatra”:

“Por todo lado, em nossa sociedade, vemos as marcas profundas da


imaginação idólatra. Os meios de comunicação promovem falsos deuses
cujas vidas e histórias tomam o lugar da vida de santos e dos verdadeiros
heróis. (...) Quando eu era menino, livros sobre grandes cientistas,
exploradores e estadistas abarrotavam as prateleiras de biografias. Hoje,
predominam livros mal escritos sobre atletas e estrelas do rock e do cinema.
A imaginação idólatra floresce em meio à cultura jovem (...)”.

Se uma criança é capaz de se interessar pelos fatos da vida de um artista de


cinema ou de uma estrela dos esportes, por que não se interessaria pela
história de personalidades cujas ações ajudaram a moldar o mundo em que
vivemos?

Os benefícios de ler biografias


A leitura de obras biográficas auxilia a criança a:

* Colocar-se no lugar do outro: lendo sobre as circunstâncias de vida de


outras pessoas, suas dificuldades e obstáculos que tiveram de superar, a
criança será levada a colocar-se imaginativamente no lugar do outro. Assim
se desenvolvem a imaginação moral e a empatia, isto é, a capacidade de se
colocar “na pele” de outra pessoa – uma habilidade fundamental para o bom
relacionamento com o próximo;
* Interessar-se pela História: por tratar de indivíduos que efetivamente
existiram, a biografia leva a criança a aprender sobre momentos históricos
importantes, podendo despertar seu interesse pelo país onde os fatos se
passaram, as condições culturais e materiais da época etc., tornando o
aprendizado de História e Geografia uma experiência viva, e não mero dever
escolar;
* Conhecer-se melhor: a biografia é uma exposição das motivações e ações
humanas. Quanto maior for o conhecimento da criança acerca dessas
motivações, mais ferramentas ela terá para identificar seus próprios
movimentos interiores, anseios, desejos, e, assim, conhecer-se melhor;
* Exercitar o treino literário: o hábito de ler narrações sobre a vida de
outras pessoas treinará a criança para que, no futuro, ela seja capaz de contar
sua própria história (mesmo que seja de si para si), conquistando uma
consciência mais clara sobre sua própria biografia;
* Inspirar-se e visualizar o que se quer ser: o conhecimento de diferentes
biografias ampliará o conhecimento da criança sobre as possibilidades de
ação no mundo. As biografias fornecem exemplos de vidas possíveis,
ajudando a criança a visualizar, mais concretamente, possibilidades que
podem se atualizar em sua própria vida;
* Construir o seu “tribunal interior”: caso haja uma profunda
identificação da criança com a pessoa biografada, esta poderá tornar-se uma
espécie de “mentor à distância” da criança, que irá, assim, formando um
“tribunal imaginário” composto das pessoas que realizaram aquilo que ela
mesma gostaria de realizar. Na impossibilidade de consultá-los em carne e
osso, será sempre possível consultá-los imaginativamente, perguntando-se o
que aquela pessoa faria em tal ou qual circunstância, ou que conselho daria
nesta ou naquela situação.

Uma história bem contada

Bons biógrafos são bons escritores. Para que a leitura de biografias seja
prazerosa, é importante que a narrativa seja envolvente e fidedigna, evitando
o mero esquematismo de fatos e datas. Afinal, a intenção é inspirar a
criança, o que só pode ser obtido por meio de uma narrativa que cative ao
mesmo tempo a mente e o coração.

Observações:

Há uma coleção portuguesa de biografias de santos, voltada para crianças,


chamada Breves Biografias Ilustradas, da Editorial Missões.

Há também “Os Santos que Abalaram o Mundo”, do René Fülöp-Miller.


Creio ser uma boa leitura para crianças por volta dos doze anos.

Uma biografia encantadora (na verdade, uma autobiografia) é a de Hans


Christian Andersen, “My life as a fairy-tale”. Mas me parece que não tem
tradução para o português ☹

Se você digitar “biografias para crianças” no Google, vai encontrar muita


coisa interessante: biografias de Che Guevara, Karl Marx, Frida Kahlo,
Carmem Miranda, kkkkk

Tem este vídeo da Margarita Noyes sobre a importância de ler biografias


para crianças: https://www.youtube.com/watch?v=WkDMEGoKtNQ
Vale a pena perguntar à Mariana Discacciati se ela conhece boas biografias
para crianças.