Você está na página 1de 14

9/18/2010

NR10: 10.11 Procedimentos de


ROTINAS DE TRABALHO
Trabalho
PROCEDIMENTOS
NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

10.11.1 Planejados

 Os serviços em instalações elétricas devem ser


PLANEJADOS e realizados em conformidade com
procedimentos de trabalho específicos,
PADRONIZADOS, com descrição detalhada de Serviços em Conformidade
com
Descrição
cada tarefa, passo a passo, assinados por Detalhada Instalações Procedimentos
de trabalho

profissional que atenda ao que estabelece o item Elétricas específicos

10.8 desta NR.

Padronizados

10.11.1
 Um aspecto importante é que o procedimento
técnico não é mais separado do procedimento de
segurança.

1
9/18/2010

10.11.2 10.11.3
 Os serviços em instalações elétricas devem ser  Os procedimentos de trabalho devem conter, no
precedidos de ordens de serviço especificas, mínimo, objetivo, campo de aplicação, base técnica,
aprovadas por trabalhador autorizado, contendo, competências e responsabilidades, disposições
no mínimo, o tipo, a data, o local e as referências gerais, medidas de controle e orientações finais.
aos procedimentos de trabalho a serem adotados.

 a08.1 - OS.pdf

Objetivo: Campo de Base técnica:


aplicação:
• Alvo que se • Limite ou • Fundamentação Medidas de controle:
pretende situação para o e embasamento
atingir emprego do técnico adotado
documento • Coletivo das ações estratégicas de
prevenção destinadas a eliminar ou reduzir,
sob controle, as incertezas com capacidade
potencial para causar lesões ou danos à
Competências e Disposições gerais: saúde dos trabalhadores e ao patrimônio,
responsabilidades: na atividade e ambiente objeto da análise.
• Indicação das atribuições • Distribuição organizada
e responsabilidades em dos assuntos tratados no
todos os níveis envolvidos documento
a08.1 - Procedimento.pdf

10.11.4 10.11.5
 Os procedimentos de trabalho, o treinamento de  A autorização referida no item 10.8 deve estar em
segurança e saúde e a autorização de que trata o conformidade com o treinamento ministrado,
item 10.8 devem ter a participação em todo previsto no Anexo II desta NR.
processo de desenvolvimento do Serviço
Especializado de Engenharia de Segurança e
Medicina do Trabalho - SESMT, quando houver.

2
9/18/2010

10.11.6 10.11.7
 Toda equipe deverá ter um de seus trabalhadores  Antes de iniciar trabalhos em equipe os seus
indicado e em condições de exercer a supervisão e membros, em conjunto com o responsável pela
condução dos trabalhos. execução do serviço, devem realizar:
 Uma avaliação prévia;
 Estudar; e
 Planejar as atividades e ações a serem desenvolvidas
no local,
 de forma a atender os princípios técnicos básicos e
as melhores técnicas de segurança aplicáveis ao
serviço.

10.11.8
 A alternância de atividades deve considerar a
análise de riscos das tarefas e a competência dos
trabalhadores envolvidos, de forma a garantir a
segurança e a saúde no trabalho.

Rotinas de trabalho – Procedimentos

NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

Rotinas de trabalho – Procedimentos


 Instalações desenergizadas;
 Liberação para serviços; Instalações desenergizadas
 Sinalização;
 Inspeções de áreas, serviços, ferramental e
equipamento;

3
9/18/2010

Objetivo Campo de aplicação


 Definir procedimentos básicos para execução de  Aplica-se às áreas envolvidas direta ou
atividades/trabalhos em sistema e instalações indiretamente no planejamento, programação,
elétricas desenergizadas. coordenação e execução das atividades, no sistema
ou instalações elétricas energizadas.

Impedimento de equipamento
 Isolamentos elétricos do equipamento ou
instalação, eliminando a possibilidade de
energização indesejada, indisponibilizando à
operação enquanto permanecer a condição de
impedimento.

Conceitos Básicos  Desenergização

NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

Responsável pelo serviço PES – Pedido para Execução de Serviço

 Empregado da empresa ou de terceirizada que  Documento emitido para solicitar a área


assume a coordenação e supervisão efetiva funcional responsável pelo sistema ou instalação,
dos trabalhos. o impedimento de equipamento, sistema ou
 É responsável pela viabilidade da execução instalação, visando a realização de serviços.
da atividade e por todas as medidas
necessárias à segurança dos envolvidos na
execução das atividades, de terceiros, e das
instalações.

4
9/18/2010

AES – Autorização para Execução de Serviço Desligamento programado


 É a autorização fornecida pela área funcional,  Toda interrupção programada do
ao responsável pelo serviço, liberando e fornecimento de energia elétrica, deve ser
autorizando a execução dos serviços. comunicada aos clientes afetados
 A AES é parte integrante do documento formalmente com antecedência contendo:
PES.  Data;

 Horário;
 Duração pré-determinados do desligamento.

Desligamento de emergência
 Interrupção do fornecimento de energia
elétrica sem aviso prévio aos clientes
afetados, se justifica por motivo de força
maior.

Bairro do Valentina – jul/2010

5
9/18/2010

Interrupção momentânea Interrupção momentânea???


 Toda interrupção provocada pela atuação de  O sistema de distribuição de energia elétrica está
equipamentos de proteção com religamento sujeito a perturbações de várias origens tais como:
 Sobretensões
automático.  Descargas atmosféricas
 Comutação (maquinas de grande potência ou Manobras
e/ou defeitos na alimentação elétrica)
 Problemas mecânicos na rede;
 Problema de natureza térmica;
 Atos de vandalismo; e
 Curto-circuito.

Religadores
 Por sua versatilidade podem proporcionar  Estudos estatísticos revelam que cerca de 96% dos curtos
circuitos são temporários e que são eliminados quase que
religamentos automáticos dando maior em sua totalidade no primeiro religamento.
versatilidade ao sistema elétrico.  Estes defeitos têm como causa os seguintes agentes:
 Maior continuidade;  Umidade;
 Galhos de árvores;
 Grande parte dos defeitos serem temporários  Fauna;
(fortuitos).  Fortes ventos;
 Salinidade;
 Contaminação dos isoladores;
 Sobretensões na rede que podem romper o isolamento causando
a ionização do ar, provocando o arco-elétrico dando origem a
curtos-circuitos.

Procedimentos gerais de
video
segurança
0055.avi

NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

6
9/18/2010

Procedimentos gerais para serviços


Procedimentos gerais de segurança programados
 Todo serviço deve ser planejado  O empregado que coordenar a execução das
antecipadamente e executado por equipes atividades/trabalhos em sistema e instalações elétricas
desenergizadas, terá como responsabilidades:
devidamente treinadas e autorizadas de
 Apresentar os projetos a serem analisados, com os
acordo com a NR-10. respectivos estudos de viabilidade, tempo necessário para
execução das atividades/trabalhos;
 Definir os recursos materiais e humanos para cumprimento
do planejado;
 Entregar os projetos que envolverem alteração de
configuração do sistema e instalações elétricas à área
funcional responsável.

Emissão do PES Etapas de Programação


 Deverá ser emitido para cada serviço, quando de  Elaboração da Manobra Programada
impedimentos distintos. Seqüência das manobras
necessárias para garantir a Seqüência de manobras
Data, horário previsto para
ausência de tensão no para retorno à situação
 Quando houver dois ou mais serviços que envolvam o inicio e fim do serviço;
trecho do serviço e a inicial;
segurança nas operações;
mesmo impedimento:
 Apenas um PES;
 Emitido um para cada responsável. Trecho elétrico a ser Divulgação do
Descrição sucinta da
atividade; desligado, identificado por desligamento programado,
pontos significativos; aos envolvidos;

As áreas/clientes afetados
Dados dos clientes pelo desligamento
Nome do responsável pelo programado devem ser
serviço; interrompidos, área ou linha informadas com
de produção;
antecedência da data do
desligamento.

Etapas de Programação Etapas de Programação


 Aprovação do PES  Procedimentos Gerais
 Procedimentos Gerais  Para todo PES deverá ser gerada uma Ordem de Serviço –
OS.
 Caso o responsável pelo serviço não esteja de posse do
 A área funcional responsável autorizará o início da
PES/AES, a área funcional responsável não autorizará a
execução da atividade após confirmar com o responsável
execução do desligamento. pelo serviço, os dados constantes no documento em campo,
 O impedimento do equipamento/instalação depende da certificando-se de sua igualdade.
solicitação direta do responsável pelo serviço à área  Após a conclusão das atividades e liberação do
funcional responsável, devendo este já se encontrar no responsável pelo serviço, a área funcional responsável,
local onde serão executados os serviços. coordenará o retorno à configuração normal de
operação, retirando toda a documentação vinculada à
execução do serviço.

7
9/18/2010

Etapas de Programação Serviços de Emergência


 Procedimentos Gerais  Registro de Reclamação no Callcenter
 Caso haja mais de uma equipe trabalhando em um  Callcenter  área funcional responsável
mesmo trecho, a normalização somente poderá ser
 Envio de equipe para o local
autorizada pela área funcional responsável após a
liberação do trecho por todos os responsáveis.  Informações:
 Nos casos em que os serviços não forem executados ou  O motivo do impedimento;
executados parcialmente conforme a programação, o  O nome do solicitante e do responsável pelo serviço;
responsável pelo serviço deverá comunicar à área funcional  Descrição sucinta e localização das atividades a serem
responsável, para adequação da base de dados e executadas;
reprogramação dos serviços.  Tempo necessário para a execução das atividades;
 Elemento a ser impedido.

Etapas de Programação
 Procedimentos para serviços de emergência
 A área funcional responsável deverá gerar uma Ordem de Liberação para serviços
Serviço – OS e comunicar, sempre que possível, os clientes
afetados.
 Após a conclusão dos serviços e conseqüente liberação do
sistema por parte do responsável pelo serviço, à área
funcional responsável coordenará o retorno à configuração
normal de operação, retirando toda a documentação
vinculada à execução do serviço.

Objetivo Campo de Aplicação


 Definir procedimentos básicos para liberação da  Aplica-se às áreas envolvidas direta ou
execução de atividades/trabalhos em circuitos e indiretamente no planejamento, programação,
instalações elétricas desenergizadas. liberação, coordenação e execução de serviços no
sistema ou instalações elétricas.

8
9/18/2010

Falha
 Irregularidade total ou parcial em um
equipamento, componente da rede ou instalação,
com ou sem atuação de dispositivos de proteção,
supervisão ou sinalização, impedindo que o
mesmo cumpra sua finalidade prevista em caráter
permanente ou temporário.

Conceitos Básicos

NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

Defeito Interrupção
 Irregularidade em um equipamento ou componente  Programada
do circuito elétrico, que impede o seu correto  Interrupção no fornecimento de energia elétrica por
funcionamento, podendo acarretar sua determinado espaço de tempo, programado e com
indisponibilidade. prévio aviso aos clientes envolvidos.
 Não Programada
 Interrupção no fornecimento de energia elétrica sem
prévio aviso aos clientes.

Procedimentos gerais Procedimentos gerais


 Definição das equipes e dos recursos alocados  Definição e liberação dos serviços, serão
serão considerados todos os aspectos, tais como: considerados:
 comprimento do circuito;  os pontos estratégicos dos circuitos;
 dificuldade de acesso;
 tipo de defeito;
 tempo de restabelecimento;
 período de chuvas;
 importância do circuito;
 existência de cargas; e
 comprimento do trecho a ser liberado;
 clientes especiais.
 cruzamento com outros circuitos;
 seqüência das manobras necessárias para liberação
dos circuitos envolvidos.

9
9/18/2010

Procedimentos gerais Procedimentos gerais


 Antes de iniciar qualquer atividade o responsável  Transmitir claramente as normas de segurança
pelo serviço deve reunir os envolvidos na aplicáveis, dedicando especial atenção à execução
liberação e execução da atividade e: das atividades fora de rotina;
 Certificar de que os envolvidos estão conscientes do
 Certificar-se de que os empregados envolvidos na
liberação e execução dos serviços estão munidos de que fazer, onde fazer, como fazer, quando fazer e
todos os EPI’s necessários; porque fazer.
 Explicar aos envolvidos as etapas da liberação dos
serviços a serem executados e os objetivos a serem
alcançados;

Sinalização de segurança
 A sinalização de segurança consiste num
Sinalização procedimento padronizado destinado a:
 Orientar;
 Alertar;
 Avisar; e

 Advertir

 Pessoas quanto aos riscos ou condições de perigo


existentes, proibições de ingresso ou acesso e
cuidados e identificação dos circuitos ou parte dele.

Placas Placas

 Destinada advertir as  Destinada a advertir


pessoas quanto ao para o fato do
perigo de ultrapassar equipamento em
áreas delimitadas referência, mesmo
onde haja a estando no interior da
possibilidade de área delimitada para
choque elétrico, trabalhos, encontrar-se
devendo ser instalada energizado.
em caráter
permanente.

10
9/18/2010

Placas Placas
 Destinada a alertar  Destinada a advertir
quanto a possibilidade quanto ao perigo de
de exposição a ruído explosão, quando do
excessivo e partes contato de fontes de
volantes, quando de calor com os gases
partida automática de presentes em salas de
grupos auxiliares de baterias e depósitos de
emergência. inflamáveis, devendo a
mesma ser afixada no
lado externo.

Placas Placas

 Destinada a alertar  Destinada a alertar


quanto à quanto a necessidade
obrigatoriedade do do acionamento do
uso de determinado sistema de exaustão
equipamento de das salas de baterias
proteção individual. antes de se adentrar,
para retirada de
possíveis gases no
local.

Placas Placas
 Destinada a alertar a  Advertir terceiros
Operação, quanto aos perigos de
Manutenção e choque elétrico nas
Construção quanto a
necessidade de instalações dentro da
espera de um tempo área delimitada.
mínimo para fazer o  Instalada nos muros e
Aterramento Móvel cercas externas das
Temporário de forma
segura e iniciar os subestações.
serviços.

11
9/18/2010

Placas Identificação de circuitos elétricos

 Advertir terceiros
para não subir,
devido ao perigo
da alta tensão.
 Instaladas em torres,

pórticos e postes de
sustentação de
condutores
energizados

Delimitações de Segurança Sinalização de impedimento de energização

Identificação de equipamento ou
circuito impedido.
Inspeções de áreas,
serviços, ferramental e equipamento

12
9/18/2010

Objetivo Inspeções gerais


 Vigilância e controle das condições de segurança do  Realizadas anualmente, com o apoio dos
meio ambiente laboral; profissionais do SESMT e Supervisores das áreas
 Identificação de situações “perigosas” e “riscos” à envolvidas.
integridade física dos empregados, contratados,
visitantes e terceiros que adentrem a área de risco,  Estas inspeções atingem a empresa como um todo.
evitando assim que situações previsíveis possam levar  Algumas empresas já mantêm essa inspeção sob o
a ocorrência de acidentes. título de "auditoria", uma vez que é sistemática,
documentada e objetiva.

Inspeções parciais Inspeções periódicas


 Realizadas nos setores seguindo um cronograma  Realizadas com o objetivo de manter a
anual com escolha pré-determinada ou aleatória. regularidade para uma rastreabilidade ou estudo
 Quando se usam critérios de escolhas, estes estão complementar de possíveis incidentes.
relacionados com o grau de risco envolvido e com  Estão ligadas ao acompanhamento das medidas
as características do trabalho desenvolvido na de controle sugeridas para os riscos da área. São
área. utilizadas nos setores de produção e manutenção.
 São as inspeções mais comuns, atendem à
legislação e podem ser feitas por cipeiros no seu
próprio local de trabalho.

Inspeções por denúncia Inspeções cíclicas


 Através de denúncia anônima ou não, pode-se  Realizadas com intervalos de tempo pré-definidos,
solicitar uma inspeção em local onde há riscos de uma vez que exista um parâmetro que norteie esses
acidentes ou agentes agressivos a saúde e meio
ambiente. intervalos.
 Deve-se ainda efetuar levantamento detalhado sobre o  Exemplo: as inspeções realizadas no verão, onde
que de fato está acontecendo, buscando informações aumenta as atividades nos segmentos operacionais.
adicionais junto à: fabricantes, fornecedores, SESMT e
supervisor da área onde a situação ocorreu.
 Detectado o problema, cabe aos responsáveis
implementar medida de controle e acompanhar sua
efetiva implantação.

13
9/18/2010

Inspeções de rotina
 Realizadas em setores onde há a possibilidade de
ocorrer incidentes/acidentes.
 Esta inspeção não pode ser duradoura, ou seja, à
medida que os problemas forem regularizados, o
intervalo entre as inspeções será maior até que se
torne periódico.

14