Você está na página 1de 2

A aspiração é a aplicação de sucção ao trato respiratório do paciente para ajudá-lo a

remover secreções líquidas ou espessas das vias aéreas superiores e inferiores, quando o
paciente não tem condições de removê-las sozinho. A aspiração das vias aéreas superiores
pode envolver o nariz, boca e orofaringe. A aspiração das vias aéreas inferiores envolve
basicamente a traqueia e, ocasionalmente, a aspiração profunda envolve os brônquios
direito e esquerdo.
Geralmente, tal procedimento é executado por enfermeiros treinados ou até mesmo por fisioterapeutas, em
Unidades de Terapia Intensiva.
visa manter a troca gasosa efetiva, repercutindo na melhora da oxigenação arterial e da função pulmonar
A aspiração deve ser efetuada quando há ausculta de sons pulmonares adventícios (roncos) ou aumento do pico
da pressão inspiratória no ventilador mecânico, ou ainda quando a movimentação de secreções é audível
durante a respiração e queda na saturação de O2.
A aspiração endotraqueal deve ser realizada por demanda, ou seja, quando necessário, e não em horários
preestabelecidos. O procedimento de aspiração endotraqueal somente deve ser realizado caso se comprove o
comprometimento e prejuízo da oxigenação. Assim, os pacientes ficam menos expostos às sérias complicações
decorrentes do procedimento, incluindo hipoxemia, bradicardias, hipertensão arterial, infecções e cianose.

 Colocar um cadarço nos “furinhos” da cânula de traqueostomia, solicitar a ajuda de outra pessoa para firmar a cânula
enquanto você estiver colocando o cadarço para evitar que a pessoa acabe tossindo e a cânula saia do lugar. Em
crianças ou mesmo em adultos nós recomendamos que você utilize cadarços coloridos ou “com bichinhos”. Tente
transformar esse momento em um momento de divertimento / descontração.
 Realizar a troca do cadarço sempre que tiver sujo ou úmido.
 Quando for trocar fique ao lado do paciente, evite deixar seu rosto à frente pois pode ocorrer um episódio de tosse
inesperado e a secreção virá em seu rosto.

MATERIAL - Bandeja auxiliar contendo: - material para aspiração traqueal (sondas, gazes e luvas), um metro de
cadarço, uma lâmina de bisturi ou tesoura, uma seringa de 5ml para insuflar o cuff, se necessário; um par de
luvas; Aspirador montado.

 PROCEDIMENTO: 1- Lavar as mãos. 2- Explicar o procedimento e finalidade ao paciente.


3 - reunir o material 4- Colocar o paciente e decúbito dorsal, elevado 45º. 5- Calçar luvas.
6- Aspirar a cânula endotraqueal e a boca do paciente.
7- Desinsuflar o cuff da cânula endotraqueal e posicioná-la no meio da boca.
8- Insuflar o cuff da cânula endotraqueal, com auxílio de uma seringa.
9- Iniciar amarração do cadarço, passando-o pela região occipital, acima das orelhas, continuando pela face até a
metade do lábio superior, onde se dá uma laçada e em seguida três nós, tipo “trança”.
10- Passar o cadarço em seguida na parte inferior da cânula endotraqueal, amarrando-a por baixo e a seguir por
cima, duas ou mais vezes, até que a cânula esteja realmente fixa.
11- Cotar o cadarço que sobrou com a lâmina de bisturi ou a tesoura.
12- retirar as luvas 13- lavas as mãos. 14- recompor a unidade e recolher o material.
15- Deixar o paciente em ordem. 16- Anotar no prontuário o procedimento feito.
4.6- Troca e/ ou Fixação do Cadarço da Cânula Endotraqueal - Realizado pela equipe de enfermagem
FINALIDADE: Fixar cânula endotraqueal; Evitar a formação de escaras na boca; Aliviar o desconforto do paciente;
Prevenir infecção.
OBSERVAÇÕES.: 1- Remover o cadarço antigo, preferencialmente após a fixação do novo; caso não seja
possível, proceder á técnica com duas pessoas, a fim de eu uma delas segure firmemente a cânula, evitando que a
mesma se desloque do local certo.
2- Ao utilizar lâmina de bisturi para cortar o cadarço antigo, tomar o cuidado para não cortar a cânula endotraqueal.
3- Ao fazer a troca do cadarço da sonda endotraqueal, sempre com o aspirador de secreções montado e ligado,
pois poderá ocorrer vômito.
4- Para pacientes conscientes, não se deve fixar a cânula endotraqueal no meio da boca, pois causa desconforto,
acúmulo de salivação e dificuldade para paciente deglutir. Neste caso, fixá-la na lateral da boca.
7- A troca do cadarço do tubo endotraqueal deve ser feita quando necessário e não de rotina.
10- Não amarrar a cânula muito apertada para não obstruí-la.
16- registrar possíveis intercorrências.

4.7- Aspiração Traqueal = Realizado por fisioterapeutas, enfermeiro e técnico


FINALIDADE: Manter as vias aéreas livres e permeáveis; garantir ventilação e oxigenação adequadas; Prevenir
complicações no quadro clínico geral do paciente, provocada por acúmulo de secreções nos pulmões; Assegurar
a tranqüilidade do paciente
PONTOS IMPORTANATES: 1- estar atento ao tempo de aspiração, o qual terá que ser inferior ao padronizado.
6- Sondas de aspiração muito calibrosas podem produzir excessivas pressão negativa, lesar a mucosa traqueal,
além de piorar a hipóxia que a aspiração normalmente já provoca.
7- Não retirar a sonda da embalagem antes do momento da aspiração, para não contaminá-la.
8- Prevenir hipóxia, uma vez que a aspiração traqueal reduz a pressão arterial de oxigênio cerca de 35mmhg.
Cada hiperinsuflação deve durar cerca de 5 segundos.
9- Prevenir contaminação seguindo técnica asséptica.

4.20- Troca de conjunto de Cânula de Traqueostomia - Realizado pela equipe de enfermagem


FINALIDADE - Prevenir infecção, Manter a via aérea desobstruída; Assegurar a tranqüilidade do paciente.