Você está na página 1de 32

SISTEMA

RESPIRATÓRIO

Monitora:
Ana Carolina B. Silva
SISTEMA RESPIRATÓRIO

 Quase todas as células utilizam continuamente o


oxigênio (O2) para as reações metabólicas que liberam
energia a partir das moléculas dos nutrientes e
produzem ATP.

 Essas reações liberam dióxido de carbono (CO2), que


em quantidade excessiva produz acidez, condições
tóxica para as células e deve ser eliminado
rapidamente.

 Todo o processo de troca de gases no corpo,


denominado respiração, ocorre em três etapas
básicas:
a) Ventilação pulmonar ou respiração:
É o fluxo de ar para dentro e para fora dos pulmões.

b) Respiração externa: (alvéolos e sangue)


É a troca de gases entre os espaços aéreos
(alvéolos dos pulmões) e sangue, nos vasos capilares
pulmonares. Nesse processo, o sangue capilar
pulmonar recebe O2 e libera CO2.

c) Respiração interna: (capilares e tecidos)


É a troca de gases entre o sangue nos vasos
capilares sistêmicos e as células dos tecidos. O
sangue fornece O2 e recebe CO2.No interior das
células, as reações metabólicas que consomem O2 e
desprendem CO2, são denominadas de RESPIRAÇÃO
CELULAR.
 Como pode-se ver, dois sistemas cooperam para
suprir O2 e eliminar CO2, os sistemas circulatório e
respiratório.

 As duas primeiras etapas são da responsabilidade


do sistema respiratório, enquanto a terceira etapa é
uma função do sistema circulatório.
ÓRGÃOS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO

Estruturalmente, o sistema respiratório consiste em


duas partes:
 Sistema respiratório superior
-nariz
-faringe
-estruturas associadas
 Sistema respiratório inferior
-laringe
-traqueia
-brônquio
-pulmões
O SISTEMA RESPIRATÓRIO TAMBÉM PODE SER
DIVIDIDO EM DUAS PARTES, COM BASE EM SUA
FUNÇÃO:

PORÇÃO CONDUTORA PORÇÃO RESPIRATÓRIO:


(cavidades e tubos) • consiste nos tecidos
-nariz intrapulmonares em que
ocorre a troca de gases.
-faringe
-laringe
-bronquíolos respiratórios
-traqueia
-dúctos alveolares
-brônquios
-sáculos alveolares
-bronquíolos terminais
-alvéolos
A CAVIDADE NASAL OU FOSSAS NASAIS
Filtração do ar – pêlos e
cílios
Aquecimento do ar –
capilares sanguíneos
Umidificação do ar –
glândulas da mucosa

Tem, também ,capacidade


absortiva, podendo, desta
forma, a via nasal ser
utilizada como via de
administração de alguns
medicamentos
Serve tanto ao S.D. Quanto
FARINGE para o S.R.
• Permite a passagem do
bolo alimentar (sistema
digestivo);

Fossas • Permite a passagem do ar


nasais (sistema respiratório);

Boca Úvula

Epiglote Faringe
Faringe

Dupla função controlada pela


epiglote
Nasofaringe

Orofaringe

Laringofaringe
Protegem a entrada
do S. R e S.D. grupo de folículos
linfáticos,
localizados
estrategicamente
• faríngea
• palatinas
(amigdalas)
• lingual
LARINGE
Formada por tecido muscular e tecido cartilagíneo;

• É nela que se
encontra a epiglote
que impede a entrada
do bolo alimentar nas
vias respiratórias;
• Condutora do Ar e
participa da fonação.
TRAQUEIA

Situa-se à frente do esôfago;


• Constituída por anéis de cartilagem incompletos
na parte posterior;
• Revestida por glândulas produtoras de muco
(humidificação) e células ciliadas (filtração).
BRÔNQUIOS
• Resultam da bifurcação da
traqueia;
• Constituídos por anéis de
cartilagem completos;
• Revestidos por uma
mucosa lubrificante e
ciliada.

Quando atingem 0,5-1 mm de diâmetro


designam-se Bronquíolos
PULMÕES
• Localizados na caixa
torácica;
• Limitados anteriormente
pelo esterno,
posteriormente pela
coluna vertebral e
inferiormente pelo
diafragma;
PULMÕES

 Estão divididos em lobos


(pulmão direito – 3;
pulmão esquerdo – 2);

 Revestidos por uma


dupla membrana –
pleura – facilita a
aderência e o
escorregamento dos
pulmões na caixa
torácica.
PLEURA
 A pleura é uma dupla membrana serosa, brilhante e
escorregadia, que envolve o pulmão. A camada
externa está aderida à parede da cavidade toráxica e
ao diafragma, esta pleura é denominada pleura
parietal, que reflete-se na região do hilo pulmonar
para formar a pleura visceral.

 A pleura visceral é a camada interna, que reveste os


pulmões. Ela adere-se à superfície do pulmão e
penetra nas fissuras entre os lobos.
INSPIRAÇÃO/ EXPIRAÇÃO
 A inspiração é o processo de sugar o ar para dentro
do organismo, para depois liberá-lo para fora do corpo
através da expiração, realizando um ciclo respiratório.
MECANISMO DA RESPIRAÇÃO
 Após inspirado, entrando pelas narinas (cavidade
nasal), o ar passa para a faringe, uma região que
comunica o sistema digestório ao respiratório através
de uma válvula denominada epiglote.

 A cavidade nasal possui células epiteliais que a


revestem e protegem. Essas células produzem muco
que umedece as vias respiratórias e retém partículas
sólidas e bactérias presentes no ar que inspiramos
como se fosse um filtro. Portanto, é nas cavidades
nasais que o ar que inspiramos é filtrado, umedecido e
aquecido.
MECANISMO DA RESPIRAÇÃO

 Durante o processo respiratório, a epiglote permite a


passagem de ar de forma a não fechar a abertura de
acesso à laringe em relação à glote.

 Em seguida, o ar inspirado atinge então a região da


laringe (estrutura formada por cartilagem), local onde se
encontra as cordas vocais que proporcionam a voz, a
partir da emissão de uma corrente de ar que vibra as
pregas vocais produzindo o som.
 A epiglote se encontra no início da laringe e é uma
espécie de lâmina que se encontra por detrás
da língua e que serve para fechar a ligação
da faringe com a glote durante a deglutição. Essa
cartilagem evita a comunicação entre os aparelhos
respiratório e digestivo.

 A epiglote funciona como uma espécie de válvula


da laringe, que é um dos órgãos do aparelho
respiratório.
 Imediatamente o ar percorre a traqueia, que se divide
(bifurca) em dois ramos chamados brônquios, um em
direção ao pulmão direito (que contém três lóbulos) e o
outro para o pulmão esquerdo (com dois lóbulos).

 Dos brônquios partem numerosos canalículos (os


bronquíolos), e em suas terminações encontram-se os
alvéolos.

 Nos alvéolos ocorrem as hematoses, processo em que os


gases se difundem de acordo com o gradiente de
concentração (do meio de maior concentração para o de
menor concentração)
Artéria
pulmonar
Veia pulmonar
Bronquíolo

Bronquíolo
respiratório

Saco alveolar
A DIFUSÃO DO OXIGÊNIO DO PULMÃO PARA
O SANGUE E DO GÁS CARBÔNICO DO SANGUE
PARA O PULMÃO - HEMATOSE PULMONAR

 O oxigênio que é inspirado chega até os alvéolos


pulmonares, onde ocorre a troca gasosa (através de suas
finas paredes), com o sangue dos capilares, sendo que o
oxigênio presente nestas estruturas passa para a corrente
sanguínea (antes o sangue era venoso, passa a ser
arterial) e o gás carbônico presente nos capilares passa
para o interior dos alvéolos por difusão.

 Este gás, por sua vez, será eliminado para o ambiente


durante o movimento de expiração, passando por todo
o trato respiratório (bronquíolos,
brônquios, traqueia, laringe, faringe, fossas nasais ou pela
cavidade oral).
O TRANSPORTE SANGUÍNEO DO OXIGÊNIO AOS
TECIDOS E DO GÁS CARBÔNICO PROVENIENTE
DOS TECIDOS
 O oxigênio é transportado pelo sangue aos tecidos através de
dois mecanismos:(1) ligado à hemoglobina; (2) dissolvido na
água do sangue.

 A hemoglobina é uma proteína localizada no interior da célula


vermelha do sangue, chamada hemácia ou eritrócito. Ela é
responsável por carrear a maior parte do oxigênio no sangue,
cerca de 97% do total. O restante (3%) é transportado
dissolvido no plasma, que é a parte líquida do sangue.

 O gás carbônico é transportado dos tecidos para os pulmões


dissolvidos no sangue (apenas 7%) ou através de
combinações químicas com a água das hemácias (maior
parte), com a hemoglobina e com proteínas plasmáticas.
A REGULAÇÃO DA VENTILAÇÃO
 O centro respiratório é constituído por grupos
espalhados de neurônios localizados em duas regiões
do tronco cerebral, o bulbo e a ponte. Estes neurônios
estão divididos em três grupos principais:

 (1) o grupo respiratório dorsal (localização: bulbo;


função: regular a inspiração);

 (2) o grupo respiratório ventral (localização: bulbo;


função: regular tanto a inspiração quanto a expiração);

 (3) o centro pneumotáxico (localização: ponte; função:


regular a frequência e o padrão respiratórios).
A FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA, VOLUME
CORRENTE E VOLUME-MINUTO RESPIRATÓRIO

 A frequência respiratória equivale ao número de ciclos


respiratórios (inspiração + expiração) que ocorrem a
cada minuto e, numa respiração calma, situa-se em
torno de 12-20 ciclos por minuto, totalizando por volta de
23 000 ciclos por dia.

 O volume corrente é o volume de ar inspirado (ou


expirado) a cada ciclo respiratório (± 500ml).

 O volume-minuto respiratório é o resultado da


multiplicação do volume corrente pela frequência
respiratória, ou seja, corresponde ao volume de
ar inspirado (ou expirado) a cada minuto.
4

2 3

1
OBRIGADA PELA ATENÇÃO E
BONS ESTUDOS!