Você está na página 1de 7

Ref.

: Requerimento nº____
Requerente_________________

Assunto: PARECER TÉCNICO JURÍDICO

PARECER Nº__________

EMENTA: PARECER TÉCNICO JURÍDICO. PROCESSO LICITATÓRIO


Nº____. TOMADA DE PREÇOS Nº___. PEDIDO DE REVISÃO CONTRATUAL.
MANUTENÇÃO DO EQUILIBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO c ∕ c
REAJUSTE. DEFERIMENTO PARCIAL.

Senhor Secretário de____:

Em atenção ao pedido de Parecer Jurídico dirigido a esta Secretaria dos


Negócios Jurídicos, referente ao Requerimento nº ___ de __ de __ 2011, protocolado
por _____________, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ n.____, com
sede à Rua_______, n.___, Bairro___, na cidade de ______, informamos o que segue:
A requerente foi contratada pelo município de Ladário para a Execução de Obra
de ________, conforme Processo Licitatório em epígrafe, nos termos Lei Federal n.
8666 ∕ 93.
Alega a Requerente que o preço do concreto, que será utilizado na obra,
especialmente para ____, sofreu um aumento considerável, fora dos padrões de aumento
inflacionário dos demais materiais de construção, fato que supostamente causou o
desequilíbrio econômico-financeiro do contrato unicamente em relação a este item,
razão pela qual, requer o realinhamento contratual no importe de no mínimo __%,
elevando o preço do concreto de R$______( ) para R$ ___________(___).
Alega ainda que o contrato deve guardar o equilíbrio econômico-financeiro
inicial através de reajuste periódico. Utiliza-se como parâmetro o INCC-M (Índice
Nacional de Custo da Construção de Mercado), que no período acumulado de 12 meses
teve um aumento de ___%, enquanto o INPC ∕ FGV, teve um aumento de __% em
relação ao período anterior, razão pela qual o Requerente solicita o reajuste contratual
do período de 12 meses ( a ) no importe de __% por se tratar da média entre os
índices.
Em que pese os argumentos da Requerente, este merecem ser parcialmente
acolhidos, pelos motivos de fato e de direito a seguir expostos.

DO REALINHAMENTO CONTRATUAL – ITEM CONCRETO

Primeiramente, pedimos vênia para transcrever preceitos legais pertinentes que


regulam a matéria contida na Lei 8666 ∕ 93:

Art. 65. Os contratos regidos por esta Lei poderão ser alterados, com as
devidas justificativas, nos seguintes casos:

[...]

II - por acordo das partes:

[...]

d) para restabelecer a relação que as partes pactuaram inicialmente entre os


encargos do contratado e a retribuição da administração para a justa
remuneração da obra, serviço ou fornecimento, objetivando a manutenção
do equilíbrio econômico-financeiro inicial do contrato, na hipótese de
sobrevirem fatos imprevisíveis, ou previsíveis porém de conseqüências
incalculáveis, retardadores ou impeditivos da execução do ajustado, ou,
ainda, em caso de força maior, caso fortuito ou fato do príncipe,
configurando álea econômica extraordinária e extracontratual.

A revisão do preço, embora objetive o reequilíbrio contratual, deriva da


ocorrência de um fato superveniente, novo, desconhecido das partes contratantes
quando firmaram o ajuste.
A previsão legal acima colacionada menciona como fatos justificadores do
reajuste contratual, além de fatos imprevisíveis ou previsíveis, mas de consequências
incalculáveis, a ocorrência dos seguintes fenômenos:
Fato do Príncipe: é todo acontecimento externo ao contrato provocado pela
entidade contratante, sob titulação jurídica diversa da contratual, como o aumento de
determinado tributo por exemplo.
Caso Fortuito ou Força Maior: à margem de divergência doutrinária
conceitual, o primeiro ocorre de eventos da natureza, como catástrofes, ciclones,
tempestades, e o segundo é resultado de um fato causado pela vontade humana, como é
o caso da greve.
Álea econômica (teoria da imprevisão): se refere a um acontecimento externo
ao contrato, de cunho econômico e estranho à vontade das partes, imprevisível e
inevitável que seja causador do desequilíbrio contratual.
Neste último caso, seguindo os ensinamentos do professor Alexandre Mazza 1,
tem-se que a recomposição decorrente desse fato imprevisível está intimamente ligada à
aplicação no âmbito dos contratos administrativos da teoria da imprevisão, que
necessariamente possui como requisitos de caracterização: 1) a imprevisibilidade
quanto à sua ocorrência e ao alcance; 2) que seja estranho à vontade das partes; 3)
seja inevitável; 4) cause significativo desequilíbrio ao contrato;
Ocorrendo tais situações, rompe-se o equilíbrio contratual, porque uma das
partes passa a sofrer um encargo extremamente oneroso, sem ter dado causa para tanto.
É evidente que será impossível exigir-se dela o cumprimento da obrigação, até porque
essa exigência seria incompatível com a cláusula rebus sic stantibus, que a propósito, se
demonstra perfeitamente aplicável ao presente caso.
Na situação do contrato em exame, verifica-se que há aproximadamente 1 (um)
ano, a Requerente adquiriu o item concreto mediante o pagamento do preço de ___R$
por m3, conforme informa a nota fiscal em anexo. Entretanto, o mesmo item,
atualmente, custa R$___ o m3, conforme orçamento juntado pela Requerente também
constante em anexo.
Esta Secretaria de Negócios solicitou ao Departamento de Compras e Licitações
deste Município, que procedesse a pesquisa de mercado do item concreto (conforme
especificações técnicas constantes na Planilha de Quantidade e Orçamento da Obra),
com fim de se constatar a veracidade das informações alegadas pela Requerente, sendo
que os resultados juntados nos autos do presente processo administrativo.
Nesse diapasão, o resultado da pesquisa realizada pelo Departamento de
Compras e Licitação foi:

O orçamento da Requerente teve o seguinte resultado:

Conforme se observa na pesquisa realizada pelo Departamento competente desta


municipalidade, realmente há uma similaridade nos valores alegados pela Requerente e

1
MAZZA, Alexandre. Manual de Direito Administrativo. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2012
constatados pela Prefeitura Municipal de Ladário, uma vez que, os preços do Concreto
são bem parecidos levando em consideração os três orçamentos analisados.
Portanto, exigir que a Requerente suporte sozinha esse aumento considerável,
posterior, embora previsível, mas de consequências incalculáveis do item concreto,
seria, além de injusto, também ilegal, uma vez que haveria por parte do Município um
enriquecimento sem causa, o que é proibido pela nossa Lei Civil.
Constata-se que realmente houve um desequilíbrio da equação econômico-
financeira inicial do referido contrato, já que o item concreto passou, no período de 01
(um) ano de R$ ___ por m3 para R$ _____ por m3, conforme orçamento de menor
valor.
A Lei 8666 ∕ 93 é clara ao permitir que, se houver uma àlea extraordinária, que
pode até mesmo consistir num fato conhecido, como o aumento constante no preço dos
materiais de construção, mas de consequências incalculáveis, como foi o aumento do
preço especificamente do elemento concreto, é possível o realinhamento contratual com
base na teoria da imprevisão, nos termos do preceito legal colacionado anteriormente.
É de se salientar que a Lei 8666 ∕ 93 proíbe terminantemente o realinhamento
contratual linear, geral, indiscriminado sobre todo o valor do contrato, sem especificar
os motivos que ensejaram o aumento de cada item constante na Planilha de Orçamento,
uma vez que, para manter a correção monetária do contrato, há previsão de reajuste a
cada 12 (doze) meses.
No caso em tela, esse fenômeno não ocorre, pois o Requerente pleiteia o
aumento acima dos índices inflacionários somente no que diz respeito ao elemento
concreto e não sobre os demais itens constantes na Planilha Orçamentária.
Ante o exposto, vislumbramos a possibilidade de realinhamento contratual
unicamente sobre o item concreto (lançado sobre o lastro de 5 cm de britas, apiloado,
fck = 20 mpa com 6 cm de espessura, polido mecanicamente com as necessárias juntas
de dilatação), levando-se em consideração o menor orçamento apresentado pelo
Departamento de Compras e Licitação, no importe de R$_____(___).

DO REAJUSTE DO VALOR DO CONTRATO

Inicialmente é necessário observar os preceitos legais contidos na Lei 8666 ∕ 93


acerca da temática em discussão:
Art. 55. São cláusulas necessárias em todo contrato as que estabeleçam:
[...]

III - o preço e as condições de pagamento, os critérios, data-base e


periodicidade do reajustamento de preços, os critérios de atualização
monetária entre a data do adimplemento das obrigações e a do efetivo
pagamento;

Art. 57. A duração dos contratos regidos por esta Lei ficará adstrita à
vigência dos respectivos créditos orçamentários, exceto quanto aos relativos:
[...]

II - à prestação de serviços a serem executados de forma contínua, que


poderão ter a sua duração prorrogada por iguais e sucessivos períodos com
vistas à obtenção de preços e condições mais vantajosas para a
administração, limitada a sessenta meses;

§ 2o Toda prorrogação de prazo deverá ser justificada por escrito e


previamente autorizada pela autoridade competente para celebrar o
contrato.

Art. 65. Os contratos regidos por esta Lei poderão ser alterados, com as
devidas justificativas, nos seguintes casos:

[...]

§ 8o A variação do valor contratual para fazer face ao reajuste de preços


previsto no próprio contrato, as atualizações, compensações ou penalizações
financeiras decorrentes das condições de pagamento nele previstas, bem
como o empenho de dotações orçamentárias suplementares até o limite do
seu valor corrigido, não caracterizam alteração do mesmo, podendo ser
registrados por simples apostila, dispensando a celebração de aditamento.

Do exposto percebe-se que o reajuste nada mais é uma cláusula preventiva


presente em contratos administrativos objetivando a preservação do valor do contrato
em razão da inflação (art. 55, III, da Lei 8.666/1993).
O reajuste é normalmente utilizado e aceito pela doutrina e jurisprudência dos
Tribunais de Conta e do Poder Judiciário, nos contratos com prazo de vigência superior
a 12 (doze) meses ou quando ocorre prorrogação do contrato, pois como a inflação
reduz, pelo transcurso do tempo, o poder aquisitivo da moeda, as partes estabelecem no
instrumento contratual um índice de atualização idôneo a tal objetivo.
Observa-se no contrato em análise, especificamente na Cláusula Quinta, que há
previsão de reajuste do valor acordado com base no índice do INPC ∕ IBGE verificado
no período, portanto, em caso de prorrogação do referido contrato, não haveria óbice
para o implemento da correção monetária.
Esta Secretaria de Negócios Jurídicos, fazendo a intelecção do processo
licitatório em epígrafe, observou que há a presença de documentos que indicaram a
possibilidade formal das prorrogações ocorridas no referido contrato, pois nos termos
do preceito legal acima colacionado, é necessário que haja também a justificativa
por escrito e prévia autorização pela autoridade competente.
Há de se destacar, ainda, que o contrato celebrado entre as partes prevê
expressamente na Cláusula __ que o índice de correção monetária a ser utilizado em
caso de reajuste é o INPC ∕ IBGE, sendo que a Minuta do Contrato já estava prevista no
Edital do Processo Licitatório em exame, fazendo a lei entre as partes, razão pela qual a
adoção desse índice em caso de reajuste do valor do Contrato é de caráter obrigatório,
não havendo a possibilidade de se adotar outro índice, sob pena de se ferir o princípio
da legalidade.
Conforme pesquisa em anexo, retirada do Banco Central do Brasil (www.
bcb.gov.br), no período de julho ∕ 2010 a julho ∕ 2011, o índice alcançado oi de __%,
devendo ser este a ser aplicado para reajustar o contrato em exame.

CONCLUSÃO

Diante do exposto e por tudo mais que dos Autos do Requerimento nº____ e do
Processo Licitatório em epígrafe constam, o Parecer Técnico-jurídico opinativo desta
Secretaria dos Negócios Jurídicos é na possibilidade de realinhamento contratual
unicamente sobre o item concreto (lançado sobre o lastro de 5 cm de britas, apiloado,
fck = 20 mpa com 6 cm de espessura, polido mecanicamente com as necessárias juntas
de dilatação), levando-se em consideração o menor orçamento apresentado pelo
Departamento de Compras e Licitação, no importe de R$___(___), perfazendo um
aumento de___% (___). Desta forma, a Tabela de Orçamento ficará da seguinte forma
com respeito a este item especificamente:
Concreto lançado sobre
o lastro de 5 cm de
britas, apiloado, fck =
20 mpa com 6 cm de
M2 910,37 35,14 31.994,22
espessura, polido
mecanicamente com as
necessárias juntas de
dilatação
Apontamos, ainda, a possibilidade de reajuste do contrato em exame, no período
de julho de 2010 a julho de 2011, com base no INPC ∕ IBGE no importe de ___% (__),
conforme pesquisa em anexo, retirada do site do Banco Central do Brasil
(www.bcb.gov.br).
Por fim, todos os documentos que instruem o Requerimento ______ deverão ser
juntados ao Processo Licitatório em epígrafe.
É o nosso parecer,

Ladário, 24 de abril de 2016.

Franklin Gonçalves Batista


Procurador Municipal