Você está na página 1de 10

Estatuto

Entidade Nacional de Estudantes de Biologia


TÍTULO I
Da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia – ENEBio

Art. 1º A ENEBio é a entidade representativa, a partir de suas instâncias horizontais


democráticas, de todos/as os/as estudantes de graduação em Ciências
Biológicas/Biologia do Brasil, sem sede fixa, desvinculada do Estado, de partidos
políticos e religiões, sem fins lucrativos e de caráter permanente.

Art. 2º A ENEBio tem por finalidade representar e integrar estudantes de graduação em


Ciências Biológicas/Biologia, bem como aproximar estudantes de áreas afins, tanto de
graduação quanto de pós-graduação de todo o território nacional, visando promover uma
reflexão crítica sobre a sociedade e sua relação com a natureza, podendo atuar junto a
outros órgãos, instituições e entidades de interesse, além de executar as deliberações de
suas instâncias deliberativas.

Art. 3º As ações da ENEBio serão sempre orientadas por este estatuto e pela Carta de
Princípios da Entidade.

Art. 4º Uma escola é um conjunto de estudantes de graduação em Ciências


Biológicas/Biologia de um mesmo campus de uma instituição de ensino superior.

§ 1º As escolas são representadas por Entidades de Base da Biologia – Centros e


Diretórios Acadêmicos (CAs e DAs) – e de maneira provisória pelos coletivos.

§ 2º Coletivo é o conjunto de estudantes de uma escola que estão articulando-se para


a construção da ENEBio quando não há representatividade do CA ou DA dentro da
Entidade.

§ 3º O Coletivo poderá responder pela sua respectiva escola por até três anos
consecutivos, podendo ser estendido mediante justificativa em Assembleia Nacional,
objetivando a participação das Entidades de Base da Biologia na ENEBio.

Art. 5º A ENEBio terá sua sede vinculada à(s) escola(s) eleita(s) como organizadora(s)
do Encontro Nacional de Estudantes de Biologia (ENEB). Findo o encontro, a sede será
automaticamente transferida para a(s) escola(s) organizadora(s) do encontro seguinte,
assim que for(em) definida(s).

§ 1º A escola sede deverá ser eleita entre as escolas participantes do encontro que o
antecedeu.

§ 2º Em caso de ausência de definição de uma nova escola sede do ENEB, ficará a


cargo do Conselho Nacional de Entidades de Biologia (CONEBio), ordinário e/ou
extraordinário, propor uma solução.

Estatuto da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia (ENEBio)


§ 3º A convocação do CONEBio (ordinário e/ou extraordinário) será feita pela
Assembleia Nacional do ENEB ou Articulação Nacional da ENEBio.

§ 4º As escolas sedes dos ENEBs e dos Encontros Regionais de Estudantes de Biologia


(EREBs) são responsáveis pela organização e repasse de registros históricos do
Movimento Estudantil de Biologia (MEBio) para as próximas escolas sedes dos
encontros, por meio da Articulação de Comunicação (AC).

TÍTULO II
Da Estrutura da ENEBio

Art. 6º São instâncias de deliberações políticas e administrativas da ENEBio:

I – Em âmbito nacional:
a) Encontro Nacional de Estudantes de Biologia (ENEB);
b) Conselho Nacional de Entidades de Biologia (CONEBio).

II – Em âmbito regional:
a) Encontros Regionais de Estudantes de Biologia (EREBs);
b) Conselhos Regionais de Entidades de Biologia (COREBios).

III – Em âmbito local:


a) Entidades de Base da Biologia – Centros e Diretórios Acadêmicos (CAs e DAs);
b) Coletivos.

Art. 7º São instâncias executivas da ENEBio:

I – Articulação Nacional (AN);


II – Articulações Regionais (ARs);
III – Entidades de Base da Biologia – Centros e Diretórios Acadêmicos (CAs e
DAs);
IV – Coletivos.

Art 8º Os Grupos Temáticos Permanentes (GTPs), ferramentas contínuas, são fóruns de


discussão e mobilização locais que têm por finalidade gerar acúmulo para a ENEBio,
aproximando a escola da Entidade.

§ 1º Os informes das escolas que se propõem a construir os GTPs devem ser


apresentados em Assembleia Nacional do ENEB. Os GTPs têm duração até o ENEB do
ano seguinte.

§ 2º Todas as ações dos GTPs devem carregar consigo a bandeira da ENEBio.

Estatuto da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia (ENEBio)


§ 3º Os resultados dos GTPs devem ser informados na Assembleia Nacional do ENEB
e suas prestações políticas devem ser tornadas públicas através das mídias da ENEBio,
por meio da AC.

§ 4º A criação ou a extinção de um GTP será realizada em Assembleia Nacional do


ENEB.

TÍTULO III
Do Fundo Nacional

Art. 9º O Fundo Nacional representa o patrimônio financeiro da ENEBio. Possui caráter


prioritariamente público, sendo suas verbas provenientes de eventuais lucros de
Encontros e Conselhos ou de outras fontes deliberadas pela Entidade. A sua
administração (prestação de contas) será de responsabilidade da Articulação Nacional.

Parágrafo único. Fica a cargo da AN garantir a transparência do Fundo Nacional,


tornando público sua administração (prestação de contas) por meio das mídias da
ENEBio.

Art. 10. A aplicação dos valores provenientes do Fundo Nacional será direcionada na
Assembleia Nacional e/ou no CONEBio, de acordo com os seguintes critérios:

§ 1º Os saldos positivos provenientes de cada EREB serão destinados segundo os


percentuais de:

I – 20% para a(s) escola(s) sede do Encontro;


II – 50% para a Articulação Regional;
III – 30% para o Fundo Nacional.

§ 2º O saldo positivo proveniente do ENEB será destinado segundo os percentuais de:

I – 30% para a(s) escola(s) sede do Encontro;


II – 70% para o Fundo Nacional.

Art. 11. Fica estipulado que o Fundo Nacional terá um saldo mínimo de seis salários
mínimos.

§ 1º A liberação de verba para cobrir eventuais prejuízos oriundos de Encontros deverá


ser imediata uma vez que a organização do Encontro comprove o prejuízo, através de
prestação de contas, à Articulação Nacional da ENEBio, desde que o Fundo Nacional
não seja menor do que um salário mínimo, sendo este o limite mínimo de saldo.

§ 2º Todos os eventuais prejuízos serão ressarcidos no valor máximo de um salário


mínimo.

Estatuto da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia (ENEBio)


TÍTULO IV
Do Encontro Nacional de Estudantes de Biologia – ENEB

Art. 12. O ENEB é o fórum máximo de discussões e deliberações da ENEBio, de


periodicidade anual. Cabe a esse constituir uma Assembleia Nacional que tenha como
princípio o consenso e onde o voto possua caráter universal. Caso o consenso não seja
atingido, que a decisão seja tomada pela maioria simples (50% + 1) dos/as estudantes de
Biologia inscritos/as no ENEB e presentes na Assembleia Nacional.

Art. 13. A organização do ENEB será de responsabilidade da(s) escola(s) que sediará(ão)
o próximo Encontro Nacional, com auxílio da(s) escola(s) sede do último, além de
qualquer estudante de graduação em Ciências Biológicas/Biologia regularmente
matriculado/a em outra instituição do Brasil.

§ 1º As escolas candidatas a sediar quaisquer instâncias da ENEBio não votam no


pleito ao qual concorrem.

§ 2º A Comissão Organizadora (CO) do ENEB será formada por estudantes de


graduação em Ciências Biológicas/Biologia, podendo também ser composta por egressos
de Ciências Biológicas/Biologia e/ou estudantes de graduação de áreas afins ao Encontro,
mediante a demanda dos estudantes de graduação da(s) escola(s) sede.

TÍTULO V
Do Conselho Nacional de Entidades de Biologia – CONEBio

Art. 14. O CONEBio é composto por representantes das escolas de Ciências


Biológicas/Biologia do Brasil. As deliberações têm como princípio o consenso. Caso o
consenso não seja atingido, cada escola participante terá direito a um voto, sendo que as
decisões se darão por maioria simples (50% + 1) dos votos válidos das escolas
participantes.

Art. 15. O/A(s) representante(s) de cada escola deve(m) ser escolhido/a(s) a priori numa
Assembleia de Curso em cada escola.

§ 1º Em caso de Assembleia de Curso inviabilizada, os/as representantes poderão ser


indicados/as pelas escolas, por meio da apresentação de ata da sua reunião.

§ 2º A Comissão Organizadora do CONEBio deve anexar à relatoria as atas de


assembleia/reunião das escolas que legitimem a sua participação no Conselho e torná-la
pública.

Art. 16. O CONEBio será realizado anualmente entre os ENEBs, sendo sua sede
escolhida pela Assembleia Nacional do ENEB e podendo ser convocado em caráter
extraordinário pela Articulação Nacional da ENEBio.

Estatuto da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia (ENEBio)


Art. 17. O CONEBio é uma instância deliberativa da ENEBio.

§ 1º Ao CONEBio compete:

I – Construção coletiva do ENEB;


II – Planejar as atividades da Articulação Nacional, de acordo com as deliberações
da Assembleia Nacional do ENEB;
III – Prestação política do ENEB (relatório final dos espaços de discussão
realizados no encontro e relatório da Assembleia Nacional);
IV – Prestação financeira do ENEB (apresentação de planilhas e pranchas dos
gastos e arrecadações gerais e específicos, objetivando a transparência);
V – Deliberar sobre o montante do Fundo Nacional;
VI – Assuntos que a Assembleia Nacional encaminhar ao CONEBio.

§ 2º Não compete ao CONEBio deliberar sobre a estrutura do Fundo Nacional. Apenas


a Assembleia Nacional delibera sobre esse ponto.

§ 3º O CONEBio poderá convocar extraordinariamente um outro CONEBio.

§ 4º Nas regiões onde não exista COREBio, a prestação política e financeira do EREB
deverá ser feita no CONEBio.

TÍTULO VI
Dos Encontros Regionais de Estudantes de Biologia – EREBs

Art. 18. O EREB é uma instância deliberativa a nível regional, enfocando o contexto de
sua região geopolítica.

Art. 19. A escolha da(s) escola(s) que sediará(ão) o EREB deverá ser feita na Assembleia
Regional do último Encontro Regional realizado ou, em caso de impossibilidade, na
Assembleia Nacional do ENEB.

Parágrafo único. A escolha da(s) escola(s) deve ser informada no ENEB.

Art. 20. A organização do EREB será de responsabilidade da(s) escola(s) sede do último
e a(s) escola(s) que sediará(ão) o próximo Encontro Regional, além de qualquer estudante
de graduação em Ciências Biológicas/Biologia regularmente matriculado/a em outra
instituição da região.

§ 1º As escolas candidatas a sediar quaisquer instâncias da ENEBio não votam no


pleito ao qual concorrem.

§ 2º A Comissão Organizadora (CO) do EREB será formada por estudantes de


graduação em Ciências Biológicas/Biologia, podendo também ser composta por egressos

Estatuto da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia (ENEBio)


de Ciências Biológicas/Biologia e/ou estudantes de graduação de áreas afins ao Encontro,
mediante a demanda dos estudantes de graduação da(s) escola(s) sede.

TÍTULO VII
Dos Conselhos Regionais de Entidades de Biologia – COREBios

Art. 21. O COREBio é composto por representantes das escolas de Ciências


Biológicas/Biologia de cada região geopolítica do Brasil, que devem ser escolhidos/as a
priori numa Assembleia de Curso em cada escola.

§ 1º Em caso de Assembleia de Curso inviabilizada, os/as representantes poderão ser


indicados/as pelas escolas, por meio da apresentação de ata da reunião.

§ 2º A Comissão Organizadora do COREBio deve anexar à relatoria as atas de


assembleia/reunião das escolas que legitimem a sua participação no Conselho e torná-la
pública.

Art 22. O COREBio será realizado de acordo com a decisão da Assembleia Regional do
EREB, podendo ser convocado em caráter extraordinário pela Articulação Regional da
região.

Art. 23. O COREBio é uma instância deliberativa da ENEBio.

§ 1º Ao COREBio compete:

I – Construção coletiva do EREB;


II – Planejar as atividades da Articulação Regional, de acordo com as deliberações
da Assembleia Regional do EREB;
III – Prestação política do EREB (relatório final dos espaços de discussão
realizados no encontro e relatório da Assembleia Regional);
IV – Prestação financeira do EREB (apresentação de planilhas e pranchas dos
gastos e arrecadações gerais e específicos, objetivando a transparência);
V – Deliberar sobre o montante destinado à Articulação Regional;
VI – Assuntos que a Assembleia Regional encaminhar ao COREBio.

§ 2º O COREBio poderá convocar extraordinariamente um outro COREBio.

TÍTULO VIII
Da Articulação Nacional – AN

Art. 24. A AN será formada por escola(s) de Ciências Biológicas/Biologia definida(s) na


Assembleia Nacional do ENEB, preferencialmente ao menos uma escola por região
geopolítica do Brasil, com duração até a Assembleia Nacional do ENEB seguinte.

Estatuto da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia (ENEBio)


§ 1º As escolas devem indicar-se a compor a Articulação Nacional, sendo essas
responsáveis por desenvolver as atividades da mesma. Cada escola que compõe a AN
deve apresentar dois nomes de estudantes (um titular e um suplente), a priori
referendados em Assembleia Local de curso, como referência para que todas as escolas
possam acompanhar os trabalhos da AN.

I – Em caso de Assembleia de Curso inviabilizada, os/as representantes poderão


ser indicados/as pelas escolas, por meio da apresentação de ata da reunião.

§ 2º A AN trabalha em sistema de cogestão com as Articulações Regionais, as quais


têm o papel de acompanhar e fiscalizar as atividades da AN.

§ 3º Caso nenhuma escola se proponha a ser AN, suas funções serão realizadas pelas
ARs, que possuem autonomia para distribuí-las entre si.

Art. 25. Compete à Articulação Nacional:

I – Compor a AC;
II – Gerir o Fundo Nacional, com base nas deliberações da Assembleia Nacional,
bem como elaborar propostas de arrecadação de recursos para a ENEBio;
III – Acompanhar o funcionamento dos GTPs;
IV – Acompanhar e assessorar o trabalho das ARs;
V – Aproximar o MEBio de outros Movimentos Sociais, garantindo os princípios
e autonomia da ENEBio.

Art. 26. O CONEBio planejará as atividades da AN de acordo com as deliberações da


Assembleia Nacional.

TÍTULO IX
Das Articulações Regionais – ARs

Art. 27. As Articulações Regionais serão formadas por escolas de Ciências


Biológicas/Biologia definidas nas Assembleias Regionais dos EREBs com duração até a
Assembleia Regional do EREB seguinte.

Parágrafo único. Em caso de impossibilidade, as ARs serão definidas ou terão escolas


acrescentadas na Assembleia Nacional do ENEB.

Art. 28. As Articulações Regionais têm por compromisso:

I – Manter contato constante com as escolas da região a fim de viabilizar uma real
articulação;
II – Incentivar e orientar o trabalho das escolas;
III – Elaborar material de divulgação e para a formação do MEBio a exemplo de
informes, cartilhas, textos;

Estatuto da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia (ENEBio)


IV – Acompanhar o funcionamento dos GTPs;
V – Contribuir na elaboração e organização dos EREBs;
VI – Promover articulação com as demais Articulações Regionais;
VII – Acompanhar e fiscalizar o trabalho da Articulação Nacional;
VIII – Realizar a visitação e/ou articular as escolas para divulgar o MEBio.

TÍTULO X
Da Articulação de Comunicação – AC

Art. 29. A Articulação de Comunicação (AC) é composta por escolas que se propuserem
na Assembleia Nacional do ENEB, além das Comissões Organizadoras dos Encontros
(EREBs e ENEB), das ARs e da AN.

§ 1º As Comissões Organizadoras vigentes de cada EREB e do ENEB devem indicar,


cada uma, dois estudantes de graduação em Ciências Biológicas/Biologia que a integram
para compor a AC.

§ 2º Cada AR deve indicar apenas duas pessoas, independentemente do número de


escolas que a compõem, para integrar a AC.

§ 3º A AN deve indicar apenas duas pessoas, independentemente do número de escolas


que a compõem, para integrar a AC.

Art. 30. Compete à Articulação de Comunicação:

I – Centralizar e buscar informações e documentos sobre atuação da ENEBio e do


MEBio;
II – Articular a comunicação entre as escolas do MEBio;
III – Atualizar constantemente as mídias da ENEBio, seguindo a Carta de
Princípios.

Art. 31. O CONEBio planejará as atividades prioritárias da AC de acordo com as


deliberações da Assembleia Nacional.

TÍTULO XI
Das Disposições Gerais

Art. 32. O pedido de reforma estatutária e/ou na Carta de Princípios poderá ser feito em
Assembleia Nacional por qualquer estudante de graduação em Ciências
Biológicas/Biologia regularmente matriculado e inscrito no ENEB. A proposta será
discutida em um CONEBio, cuja pauta prioritária seja o ponto em questão. A aprovação
da alteração será feita somente na Assembleia Nacional do ENEB posterior.

Estatuto da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia (ENEBio)


Art. 33. Todas as prestações financeiras, políticas, atas de assembleia e afins devem ser
tornadas públicas (via mídias da ENEBio por meio da AC), visando a transparência,
melhorando a comunicação e facilitando a integração entre estudantes, bem como ações
das entidades de base da ENEBio.

Art. 34. Os casos omissos do presente estatuto serão resolvidos na Assembleia Nacional.

Art. 35. O presente estatuto entra em vigor a partir da data de sua aprovação em
Assembleia Nacional no ENEB.

Assembleia Nacional de Estudantes de Biologia

Fortaleza/CE, sexta-feira, 13 de julho de 2018.

Estatuto da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia (ENEBio)