Você está na página 1de 2

Associação Arte de Aprender

Av. João de Belas, 29-B, Belas


2605- Belas
Cont: 514070455

Assunto: processo nº 0177/ET/17, candidatura nº 1168434

Exmos Senhores:

Recebemos a notificação de intenção de indeferimento relativa ao processo em assunto


e datada de 27-09-2017. A notificação apresenta como justificação para a intenção de
indeferimento a impossibilidade de verificar a situação da Associação em apreço
perante a Autoridade Tributária e a Segurança Social (1) e o facto de o estágio
configurar uma situação de substituição de posto de trabalho (2), não cumprindo assim o
disposto no nº2 do Artigo 1º alínea c), no nº1 do Artigo 5º, no nº 4 do Artigo 19º e no
nº1 do Artigo 23º da Portaria nº 131/2017, de 7 de Abril, bem como com o ponto 9.1 nº
4 do Regulamento da Medida Estágios Profissionais.

Vimos por este meio responder à notificação supra mencionada, no intuito de esclarecer
e precisar os motivos que estão na origem desta candidatura bem como certificar a
conformidade da mesma com a legislação em vigor.Isto sem deixar de reconhecer as
falhas e imprecisões que estiveram na origem desta intenção de indeferimento, resultado
da nossa inexperiência pelo facto de ser a primeira vez que concorremos a uma medida
deste tipo.

Relembramos que somos uma Associação com forte implantação no local e que presta
um serviço social de importância central para os nossos sócios – pais e encarregados de
educação – trabalhando com jovens dos seis aos dezoito anos de uma forma abrangente,
que integra não apenas a componente pedagógica e científica no apoio às atividades
escolares, mas também ao nível da formação de cidadãos com espírito crítico e
intervenção cívica ativa. O nosso trabalho é francamente conhecido e reconhecido não
só por pais, como por professores, escolas e outras forças vivas locais. É por isso num
espírito de lealdade, boa fé e humildade que nos apraz responder a esta intenção de
indeferimento, no sentido de corrigir as eventuais falhas que estiveram na sua origem.

Assim, no que diz respeito ao primeiro motivo mencionado - impossibilidade de


verificar a situação perante a Autoridade Tributária e a Segurança Social – cumpre-nos
enviar em anexo os documentos que comprovam a regularidade da situação desta
Associação perante as duas entidades referidas, certificando deste modo a
conformidade da entidade promotora com o disposto no nº1 do Artigo 5º da Portaria nº
131/2017, de 7 de Abril.

No que diz respeito ao segundo motivo indicado - o facto de o estágio configurar uma
situação de substituição de posto de trabalho – cumpre-nos esclarecer e precisar o
seguinte:

1) O estágio em apreço não configura uma situação de substituição de posto de


trabalho pois o estagiário estará permanentemente acompanhado pelo orientador (esse
sim, funcionário da entidade promotora) em todas as atividades de acompanhamento ao
estudo, realização de trabalhos de casa e preparação dos alunos para momentos de
avaliação.

2) A atividade do estagiário será, primeiramente, de observação e acompanhamento


constante do trabalho realizado pelo orientador junto dos jovens. Apenas numa segunda
fase, e de acordo com o ritmo de aprendizagem do estagiário, este será autorizado a
apoiar diretamente os alunos e a facultar recursos didáticos necessários ao estudo
acompanhado, mas sempre na presença e sob a supervisão permanente do orientador,
que atestará junto do mesmo da pertinência ou validade das estratégias ou materiais
utilizados.

3) O orientador realizará o acompanhamento técnico e pedagógico do estagiário,


supervisionando o seu progresso face às atividades indicadas no plano individual de
estágio, e avaliará os resultados obtidos pelo estagiário durante e no final do estágio,
preenchendo o “Relatório de Acompanhamento e Avaliação do Estagiário – Orientador”
respetivamente no âmbito da apresentação do pedido de reembolso e no final do período
de estágio, de acordo com o disposto no Artigo 7º da Portaria nº 131/2017, de 7 de Abril
e com o disposto no ponto 5 do Regulamento da Medida Estágios Profissionais.

4) Espera-se que no final do estágio, no caso de avaliação claramente positiva do


estagiário, este esteja preparado para integrar o mercado de trabalho, integrando
naturalmente os quadros da entidade promotora, respeitando assim os objetivos do
estágio de acordo com o estipulado nos pontos 1 e 2 do Artigo 1º e nos pontos 1 e 2 do
Artigo 2º da da Portaria nº 131/2017, de 7 de Abril.

5) É nossa convicção que o supra mencionado nos pontos 1), 2) e 3) e 4) garante a


coerência do estágio e a conformidade desta candidatura com o nº2 do Artigo 1º alínea
c) da Portaria nº 131/2017, de 7 de Abril, bem como com o ponto 9.1 nº 4 do
Regulamento da Medida Estágios Profissionais.

Finalmente, estamos igualmente em crer que, certificada a situação perante a Autoridade


Tributária e a Segurança Social, e esclarecendo que o dito estágio não configura uma
situação de substituição de posto de trabalho, esta candidatura se coloca em
conformidade com o disposto no nº 4 do Artigo 19º e no nº1 do Artigo 23º da Portaria nº
131/2017, de 7 de Abril.

Estamos ao vosso dispor para mais esclarecimentos que considerem necessários. Somos
uma Associação empenhada em transformar a realidade social envolvente, contribuindo
para a igualdade de oportunidades dos jovens no acesso à educação, ao lazer e à cultura.
Esse espírito - que o IEFP poderá confirmar mediante uma visita às nossas instalações,
se assim o solicitar - move a nossa atuação, e é sob compromisso de honra que
atestamos a veracidade de tudo o que aqui declaramos.

Agradecendo a atenção dispensada, ficamos a aguardar uma resposta.

Como os melhores cumprimentos