Você está na página 1de 97

..

MANUAL DEFESA DA FÉ CRISTÃ

CONTRA OS ATAQUES DO ISLAMISMO


(Questões de Impossível Conciliação Com A Bíblia
& Em Contradição Com As Fontes da Religião)
.

Seria o deus do Alcorão o mesmo Deus bíblico?


E Maomé: um profeta do Deus Altíssimo?? Pode mesmo o
Alcorão ser considerado Palavra do Deus da Bíblia??? Sobre a
escritura tida por sagrada pelo Islamismo: seria um livro perfeito na sua
"revelação" e compilação, conforme o apurado nas Tradições
islâmicas? E saberia mesmo o Islamismo responder QUAL O
ALCORÃO VERDADEIRO? Se um dos que foram queimados ou a sobra
do que restou. Seria a Caaba o primeiro templo (supostamente)
monoteísta construído na Terra & aceitáveis ao Deus bíblico as formas
de culto corânico-islâmicas??? E JESUS? Não seria Deus, como
supõe o Alcorão?? Nem teria Se identificado, nas Escrituras, como tal???
Além de não ter ido à Cruz, como supõe quer a religião de
Maomé??????? Esta série de artigos em forma de estudos questiona e
refuta as principais suposições do Islamismo. E serve, pois, como

um MANUAL BÁSICO para o necessário -


enfrentamento dos principais pressupostos da religião, cujos adeptos
nos dias de hoje (em todos os níveis e de todas as maneiras) mais

combatem a fé cristã. OBJETIVO : à luz das escrituras tidas


por sagradas pelos monoteístas e pelos da religião de Maomé, não

apenas apontar; mas, sobre tudo: IDENTIFICAR


& RESOLVER CONFLITOS
TEOLÓGICOS. Conflitos esses, gerados que foram
pelo Islamismo e tornados de impossível conciliação com as Sagradas
Escrituras (Leia-se Bíblia.) e até mesmo com as suas fontes históricas da
religião árabe.
M. (Marcos) Madsaiin Dias / 2017
VOL. 02
“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” – JESUS (em João 8:32.)

.
.

ÍNDICE
.

- Epígrafes
- Introdução:
ISLAM: O MÍNIMO QUE TODO CRISTÃO PRECISA SABER.

- Vol. 02
(Outras Questões):
1 - A QUESTÃO SURA 4:157-158:
- QUESTÃO:
Como pode ser verdadeira uma Sura
desmentida na Bíblia desde a eternidade???
Nota: A Sura 4:157-158 tenta negar a morte redentora de Jesus.
.
2 - A QUESTÃO SURA 7:157
.
- QUESTÃO:
.
Seria verdadeira a Sura 7:157
.
& Maomé teria sido mesmo predito na Torá????
.
3 - A QUESTÃO SURA 61:6
.
- QUESTÃO:
.
Seria verdadeira a Sura 61:6
& Maomé teria sido mesmo predito no Evangelho???
.

4 - A QUESTÃO SURA 65:4 (HN)


.
- QUESTÃO:
Pode uma abominação (A pedofilia.)
ser romantizada & transformada em virtude???
.
5 - A QUESTÃO SURA 2:34
.
- QUESTÃO:
Que "deus" é esse
que teria ordenado a morte dos "idólatras" na Terra
& a prática da idolatria no Céu???
.
6 – A QUESTÃO
.
SURAS 4:136; 6:34; 5:46-48, 65-66; 7:157; 10:94; 61:6, etc.:
.
- QUESTÕES:
.
i - Seria correto o conceito
corânico-islâmico de escrituras sagradas?
.
ii - Existiria (no Alcorão) base para a acusação
de alguma suposta alteração/adulteração da Bíblia??
.
iii – E a acusação de uma suposta adulteração:
pode ser desmentida através do próprio Alcorão???
.
7 - A QUESTÃO SURA 5:116
.
- QUESTÕES:
.
i - Quem escreveu o Alcorão sabia exatamente sobre o quê estava
falando, ao se referir ao termo & ao conceito Trindade?
.
ii - Demonstra suficiente conhecimento da história da Igreja cristã &
dos credos da Igreja Católica??
.
iii - Ou: ao confundir uma com a outra, apenas
repete os falsos mestres dos tempos apostólicos:
"pretendendo passar por mestres (...), não
compreendendo, todavia, nem o que dizem, nem os
assuntos sobre os quais fazem ousadas asseverações."
(I CARTA A TIMÓTEO 1:7)???
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

EPÍGRAFES
.
.

1/ "POR UMA QUESTÃO DA VERDADE:

Quando há OPINIÕES EM CONFLITO sobre um mesmo


assunto, alguém (ou alguma religião) está mentindo.
A concepção do que sejam Deus, profeta e livro sagrado de
cristãos e islâmicos não é a mesma. Logo, não há como as
duas confissões serem verdadeiras.
Um bom CRITÉRIO: a dignidade ou a indignidade de suas
principais testemunhas. P. ex., quem é Jesus e quem foi
Maomé???
Mas, isso somente interessa aos que têm A VERDADE POR
VALOR ABSOLUTO (E, jamais, relativo.) e capaz de lhes
determinar a salvação ou a perdição eterna. Porque, no
Dia do Juízo, assim se fará. Para estes, DE NADA VALE A
UNIDADE EM TORNO DE UMA MENTIRA. E a verdade
(Mas apenas por argumentos e demonstrações
irrefutáveis, fundamentados nas escrituras.) precisa
prevalecer.
Escrevo, portanto, tão somente para os amantes da
verdade. Porque sei qual será o fim e também identificar
àqueles que, por amarem a mentira (Ou... mais a religião
do que à verdade.) irão se perder. Isso está posto, há mais
de dois mil anos, nas Sagradas Escrituras (Leia-se:
Bíblia.), estando em seu pleno cumprimento.
Conforme está escrito (SEGUNDA CARTA AOS
TESSALONICENSES 2:11-12), serão julgados ou entregues
aos seus próprios enganos “todos quantos não deram
crédito á verdade; antes, se deleitaram com a injustiça.” E
com todos ou tudo o que for injusto: seja deus, profeta e
livros tidos por sagrados.” M. (Marcos) Madsaiin Dias
.
.
.
.

.
.

2/ FUNDAMENTAÇÃO TEOLÓGICA:
"Amados, embora estivesse muito ansioso por lhes
escrever acerca da salvação que compartilhamos, senti que
era necessário escrever-lhes insistindo que batalhassem
pela fé uma vez por todas confiada aos santos.
Pois certos homens, cuja condenação já estava sentenciada
há muito tempo, infiltraram-se dissimuladamente no meio
de vocês. Estes são ímpios, e transformam a graça de nosso
Deus em libertinagem e negam Jesus Cristo, nosso único
Soberano e Senhor."
(CARTA DE JUDAS, O Irmão do Senhor, 1:3-4)
.

3/ BASES PARA UMA AÇÃO PRÁTICA:


"A polêmica é uma dentre outras possibilidades da
Apologia. E esta, nada mais que uma forma de diálogo,
através do qual se busca o convencimento da outra parte. É
preciso, então, que fique bem claro aos desavisados e
àqueles que se apressam em formar juízo sobre o que
deveriam melhor se inteirar: o ministério apologético,
óbvio que passível de incompreensões, não fomenta o ódio
entre religiões ou coisa quaisquer do gênero. Antes, pelo
contrário, empenha-se no necessário estabelecimento da
verdade, em seu caráter de valor absoluto, jamais relativo,
quando há opiniões em conflito".
M. (Marcos) Madsaiin Dias (RESPOSTA AO
ISLÃ (O Que Todo Cristão Precisa Saber Sobre O
islamismo & Sobre A Sua Própria Fé) - Vol. 02.)
.
.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
INTRODUÇÃO:
ISLAM:
O MÍNIMO QUE TODO CRISTÃO PRECISA SABER.
.
1 - O ISLAMISMO
foi fundado por MUHAMMAD (570-632 d.C.), mais conhecido no
Ocidente por MAOMÉ. Ele alegou ter recebido do anjo Anjo Gabriel
os versos que compõem o Alcorão, livro tido por sagrado pela
religião. O ano de 622 d.C. marca o início do CALENDÁRIO
ISLÂMICO. Neste ano, o primeiro do Islamismo, teria se dado
a HÁGIRA (Exílio, em Árabe.): Maomé teria deixado a politeísta
cidade de MECA, onde nasceu, partindo para MEDINA, onde
ergueria a primeira mesquita. Posteriormente, numa condição de
triunfo, ele voltaria à Meca; a qual se tornaria a capital do
Islamismo, visto estar ali localizada a Caaba. Segundo a religião,
local do primeiro templo (supostamente) monoteísta erguido na
Terra. Embora nem as Sagradas Escrituras (Leia: Bíblia.) e nem a
História confirme a afirmação. A Caaba guardaria a Pedra Negra,
que teria vindo do céu e conservada desde Adão.
.
2 - O ALCORÃO
é um livro mais ou menos do tamanho no Novo Testamento. E O
SEU TEOR, antibíblico e anticristão: tenta negar a Deidade
(condição divina) de Jesus Cristo e a Redenção feita por Ele,
através de Sua Morte e Ressurreição. Além disso, as supostas
revelações de Maomé são caracterizadas da seguinte forma: as de
Meca (610-622 d.C.) e as de Medina (622-632 d.C.), cidades da
Arábia onde ele teria vivido a maior parte de sua vida.
EM MECA, no início de sua carreira, Maomé ainda não detinha o
controle político e militar da Arábia. Condição que viria lhe dar o
status de “senhor da vida e da morte” de uma população composta
por árabes (pagãos e/ou futuros conversos), judeus e cristãos.
Logo, AS “REVELAÇÕES” SÃO MAIS CONCILIADORAS (para
com o Judaísmo e o Cristianismo). E o Islamismo, não seria, até
então, uma religião impositiva e compulsória.
JÁ EM MEDINA, quando a situação era outra (Os assaltos a
caravanas e as guerras contra inimigos não declarados lhe dariam o
poder.), AS “REVELAÇÕES” SÃO DE GUERRA DECLARADA.
Contra todos que se opõem ou simplesmente rejeitam o Islam. Não
importava se pagãos, monoteístas ou supostos idólatras, como
seriam acusados os cristãos (trinitarianos).
Das referidas revelações constam os MAIS DE CENTO E
CINQUENTA VERSOS SANGUINÁRIOS do Alcorão e a
exponencial SURA 61:9. O verso afirma que Maomé teria sido
enviado com a religião “para fazê-la prevalecer sobre todas as
demais”. Além de seu caráter beligerante, há no Islamismo, o
conceito da TAQIYYA: a utilização da mentira como estratégia de
guerra e para o crescimento da fé (SURAS 3:28 e 16:106). Então,
os seus adeptos podem fazer como fez Maomé: mostrarem-se
pacíficos até chegar (ou tomarem) o poder. E, EM RAZÃO DE TAIS
VERSOS, da Sura 61:9 e do conceito de Taqiyya ocorreriam na
Arábia: 1 - guerras e ataques a inimigos não declarados; 2 -
desrespeitos às convenções; 3 - estupros coletivos cometidos por
tropas muçulmanas; 4 - deportações e execuções em massa; 5 -
governo através de assassinato; 5 - morticínio de prisioneiros; 6 - as
conversões forçadas; 7 - E todo tipo imaginável e inimaginável de
atrocidades. O que hoje tem cometido os integrantes do Terror
serve de exemplo. Até porque apenas repetem a Maomé, exemplo
e inspiração.
Uma concisa, mas, substancial fonte de informações destas
ocorrências (Como eu sempre afirmo, obras do Diabo, feitas em
nome de Deus. Ou pior: de um suposto Deus.) é o livro A VIDA
REAL DE MAOMÉ, de W.H.T. Gairdner, fidedigno estudioso das
Tradições Islâmicas.
.
3 – A CONFISSÃO ISLÂMICA
(“Não há Deus, senão Allah, e Maomé é o seu profeta.”)
simplesmente não encontra respaldo nas Sagradas Escrituras
(Leia-se: Bíblia). Em verdade e conforme demonstro nos meus
escritos, ALLAH, MAOMÉ, ALCORÃO, ISLAMISMO, CAABA
(Suposto primeiro templo monoteísta, que teria sido construído por
Abraão, na companhia de Ismael.), etc. e etc. SEQUER SÃO
MENCIONADOS NA BÍBLIA.
A essência de um ministério apologético, na defesa da fé cristã,
está em saber refutar as suposições corânico-islâmicas. Além,
obviamente, de algumas de suas práticas, principalmente as
sexuais.
E por quê?
Porque, estranha e curiosamente, o Islamismo quer que a Bíblia
confira autoridade ao Alcorão. Autoridade, óbvio, que tal livro nas
Sagradas Escrituras jamais encontra. A Bíblia desmascara e refuta
as suposições corânico-islâmicas com séculos e milênios de
antecedência. E Já estava formada (De 1450 a.C. a 90 d.C.) seis
séculos antes do Alcorão ter sido compilado.
QUANTO À CONFISSÃO
acima transcrita, estranhamente ela não aparece completa no
Alcorão; apenas por partes. Nas SURAS 2:225, 28:88, 112:1-4
encontra-se a suposta deidade de Allah. E já nas 33:40, 48:29 e
64:8, a condição de Maomé. Conclusão: a PRIMEIRA PRÁTICA
(Dinn) do Islamismo não aparece claramente no princípio da
religião. E a declaração completa, conforme transcrevemos são
encontradas apenas nas Tradições séculos depois.
.
4 – PRÁTICAS ISLÂMICAS:
i - Além da CONFISSÃO (Shahada), faz parte das práticas
islâmicas as ORAÇÕES (Salat) diárias.
Todavia, não há nem mesmo no Alcorão concordância quanto ao
seu número: duas (SURA 17:78) ou três (2:238). E, conforme nos
informa Jay Smith, outro estudioso fidedigno das Tradições,
somente depois de 200 anos de Maomé (Século IX) que BUKHARI
institui mais duas. Atualmente, são cinco orações diárias.
A PERGUNTA QUE FICA: Se Maomé, como supõe o Islam, seria o
“selo da revelação”, porque que nem a CONFISSÃO e nem o
número das ORAÇÕES estão completos no Alcorão?
O Islamismo (Pra variar.) não tem resposta.
ii - Além das Orações, há também o JEJUM (Sawn), em
observância à SURA 2:183-187. Durante o conhecido mês do
RAMADAN (Nono mês.), durante vinte nove ou trinta dias, o
Alcorão é recitado por inteiro. E nenhuma comida é ingerida ou
atividade sexual praticada durante a luz do dia.
iii – E além destas dessas práticas, há ainda o ZAKAT (Esmolas.),
em observância às SURAS 2:43,110,177, 277 e 9:5. São feitas (ou
pagas) anualmente, no valor de 2,5% do patrimônio adquirido.
Porém, entregues, normalmente, nas mesquitas.
E para finalizar, tem a HAJJ (Peregrinação à Meca por seis dias.),
recomendada aos mais ricos, pelo menos uma vez na vida.
ESTANDO EM MECA,
há todo um conjunto de práticas (Circuambulações, orações,
sacrifícios, corridas, etc.) a serem cumpridas. Estudiosos
fidedignos das Tradições observam que NÃO HÁ NADA DE
TEOLÓGICO EM TAIS RITOS. E, sim, a perpetuação de um
conjunto de costumes pagãos. Meca um era santuário pagão, antes
do Islamismo. Maomé ou quem em verdade escreveu o Alcorão,
assim como os primeiros muçulmanos, tentaram outorgar
significados religiosos às práticas pagãs ali observadas. E, pior:
quiseram ligá-las a Abraão, que teria sido o “primeiro muçulmano”;
visando granjear a religião alguma legitimidade das Escrituras
bíblicas. Impossível.
..
5 – NO CONJUNTO DE CRENÇAS do Islamismo, temos:
- A crença em DEUS (que a religião supõe ser Allah);
- Nos PROFETAS (Alguns bíblicos e outros, apenas corânicos.);
- Nos LIVROS tidos por sagrados;
- Nos ANJOS e demônios (No caso, Jiins.);
- Na PREDESTINAÇÃO e, aqui, cabe salientar: temos um
Determinismo X Livre-arbítrio. Além, de um estranho deus (Allah), o
qual desvirtuaria da salvação alguns (SURA 7:178-179). Como se
vê, bem ao contrário do Deus bíblico, o qual “quer que todos
sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da
verdade” (PRIMEIRA CARTA A TIMÓTEO 2:3-4).
- E a crença no JULGAMENTO (Espécie de Juízo Final).
O PARAÍSO CORÂNICO é uma espécie de jardim de delícias, que
mais parece UM HARÉM; principalmente, para os mártires da
religião. E que tal um homem-bomba? Embora Jesus tenha sido
taxativo que na Ressurreição “não se casa e nem se dá em
casamento, porque são todos como os anjos no
Céu”(EVANGELHO DE MATEUS 22:30).
Curiosamente, O VINHO NO ALCORÃO seria uma invenção do
Diabo (SURA 2:219 e 5:90). Mas, no tal paraíso, haveria rios de
vinho e bebidas alcoólicas (47:15 e 83:25 - HN). Esta, todavia, é
UMA CONTRADIÇÃO MUITO AMENA, diante da concepção
absurda (Pra não dizer satânica.) de Deus, profetas e livros
sagrados. Principal razão de ser das minhas refutações.
.
6 – AS ESCRITURAS,
tidas ou não por sagradas hão de merecer especial atenção.
O Islamismo considera que teriam sido revelação do deus Allah,
além do ALCORÃO (Qur’an) , escrituras bíblicas como a TORÁ
(Tawrut) e o Evangelho (Injil). O Alcorão, contraditoriamente,
reconhece a JESUS (Issa) como o Messias e o Verbo de Deus
(3:45). E faz referência a DAVI, SALOMÃO, JOÃO BATISTA e aos
primeiros discípulos de Jesus. Supõe-se que os DOZE apóstolos e
aos demais, mencionados nos Evangelhos.
Aqui surgem OUTRAS CONTRADIÇÕES, tratadas com
pormenores neste Manual Defesa da Fé Cristã: primeiro porque
Jesus reconhece a todos os Profetas bíblicos e os livros dos que
foram também escritores. E, depois, porque o teor do ensino e dos
escritos dos apóstolos (e das pessoas ligadas aos mesmos) refutam
o Alcorão. Caso, principalmente, da negação da Deidade e da
Redenção em Cristo Jesus intentada pelo Islamismo.
ALIÁS,
quanto a esses dois temas, o leitor verá: o próprio Jesus refuta o
Alcorão com mais de cinco séculos de antecedência. Assim como o
Sistema de Sacrifícios Substitutivos, observado desde o início do
mundo, também o refuta. E a Torá, com mais de dois mil anos de
antecedência, faz o mesmo.
AS TRADIÇÕES ISLÂMICAS,
embora escritas séculos depois da morte de Maomé, esclarecem
um pouco ao maçante, obscuro e contraditório livro da religião.
P.ex.: TAFSIR traz comentários dos versos corânicos e/ou sobre as
circunstâncias que teriam sido revelados. AL TABARI, do Século X,
é um dos seus preeminente autores.
A SIRAT (Biografia de Maomé.) tem em IBN ISHAQ, que morreu
em 767 d.C. tem o seu mais antigo escritor. Hoje as biografias
sobre Maomé passam de mil; porém, as cópias das mais antigas
datam do Século IX.
Os HADITH (Ditos e feitos do profeta.) são de extrema importância
para o Islamismo sunita, principal corrente, reunindo cerca de 90%
dos adeptos da religião.
Por quê?
Os sunitas acreditam na SHARIA (Lei islâmica.); e tal lei se
fundamenta no Alcorão e nos Hadith. BUKHARI e MUSLIM, dentre
outros, são, para os sunitas, os mais importantes compiladores.
Bukhari, todavia, escreveu em cerca de 250 anos depois dos fatos.
SÃO DATAS TARDIAS
as das fontes de informação do Islamismo. E mesmo o Alcorão;
embora se afirme ter sido compilado por ordem do terceiro califa
(após a morte de Maomé), Uthman, entre 644 e 656 d.C.; estudos
paleográficos questionam e refutam a informação. Uma das
evidências: o tipo de escrita (Kufic), constante dos principais
códices tidos por uthmânicos (TOPKAPI e o famoso
SAMARGAND), somente seria utilizado primeiramente fora da
Arábia e no final do Século VIII.
“É muito importante saber que não há vogais nos
primeiros manuscritos do Qur’an. O árabe escrito não
possui vogais — só séculos depois é que foram adicionadas
vogais ao Qur’an. Os manuscritos mais velhos do Qur’an
que chegaram aos nossos dias não têm mais do que cem ou
cinqüenta anos mais do que a morte de Maomé, e foi
escrito na escrita al-ma’il de Medina. A maioria dos outros
manuscritos restantes estão na escrita kufic, uma espécie
de escrita mais legível originária de Kufa, no Iraque.
Afirma-se hoje que os manuscritos uthmânicos
sobreviveram, e teriam até manchas de sangue na página
que Uthman lia quando foi assassinado. Um desses
manuscritos está no Museu Topkapi, em Istambul, e outro
é o famoso Códice Smarqand de Tashkent. Ambos estão na
escrita kufic, e datam de mais de um século depois da
época em que Uthman viveu.
Como já foi dito, o argumento predileto dos muçulmanos
para sustentar a hipótese de que o texto atual do Qur’an é
uma réplica exata e fiel aos originais é que as únicas
variações existentes no início eram na pronúncia dos
dialetos. As evidências provam conclusivamente o
contrário.” (Extraído de Enfrentando O Desafio Mulçumano, de
John Gilchirist , pág. 32).
.
7 – O ISLAMISMO HOJE
possui cerca de 1,6 de bilhão de seguidores. Trata-se de uma
religião compulsória nos países árabes ou de maioria islâmica;
sendo os seus adeptos penalizados (Pena de morte, prisão
perpétua, perseguição, etc.) caso a abandonem. O seu grande
“crescimento” se deve, não apenas à prática obrigatória; mas,
também à alta taxa de nascimentos verificada entre os seus
praticantes. Um dado incontestável: é a religião que mais matou e
continua assassinando cristãos no mundo. Um simples acesso às
redes sociais e se pode tomar conhecimento das atrocidades
cometidas.
NO OCIDENTE,
e, principalmente na Europa, como eu sempre afirmo: vai o
Islamismo ocupando o vazio espiritual deixado por uma igreja
refratária ao avivamento. Igreja cristã apenas nominal e, por isso
mesmo, sem o amor (apologético) pela verdade. Todavia, as
principais notícias sobre a religião dizem respeito ao Terror (dentro
e fora do Oriente); à perseguição e mortes de cristãos em seus
territórios; ao ódio declarado ao povo judeu; e, nesses últimos
anos, ao uso das redes sociais. Tanto para ganhar adeptos quanto
para combater a fé cristã, nos grupos de discussão e outros, nos
quais se infiltram.
O QUE ACABO DE INFORMAR
trata-se, a meu ver, do MÍNIMO DO MÍNIMO que um cristão deveria
saber sobre o Islamismo. O mínimo seria o que consta dos três
volumes deste Manual Defesa da Fé Cristã. Já o BÁSICO
talvez seja o que condensa a minha obra, constante agora de cinco
livros, sendo dois deles em três volumes. Porém, o
CONHECIMENTO DESEJÁVEL (Porque aprofundado.) todos
podem adquirir: consultando a bibliografia que se encontra
nas Fontes de Estudos e de Pesquisas, ao final desta obra.
NESSES
CINCO ANOS DE MINISTÉRIO APOLOGÉTICO,
eu conheci, dialoguei e debati com centenas de muçulmanos.
Desde iletrados a acadêmicos; de pessoas de boa vontade a
radicais e violentos e ameaçadores até numa simples discussão;
de ingênuos e desinformados aos, como eu costume definir,
intencionadamente mal informados. Para este Manual (Veja o seu
ÍNDICE.), escolhi os temas mais recorrentes nos debates. O
reconhecimento dos mesmos e a forma de abordagem me são
muito peculiares. Pode ser que não agrade a todos o estilo, assim
digamos, combativo; e, ora, em ser por demais didático. Peço,
todavia, ao Senhor Jesus para que lhes seja útil. E suplico ainda
mais: que cada irmão, nesses dias tão trabalhosos, elabore o seu
próprio manual. E crie um banco de dados a que possa recorrer, na
defesa (apologética) da fé cristã. Antes que seja abordado, ou
mesmo bombardeado, e não saiba como responder sobre estes e
tantos outros temas. Estarão em evidência nesse Fim dos Tempos;
em que se salvarão apenas os que possuem amor pela verdade
(SEGUNDA CARTA AOS TESSALONICENSES, Capítulo
Segundo).

Belo Horizonte, Abril de 2017.


.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

. - VOL. 02
(OUTRAS QUESTÕES):
.

1 - A QUESTÃO SURA 4:157-158:


- QUESTÃO:
COMO PODE SER VERDADEIRA UMA SURA
DESMENTIDA NAS ESCRITURAS DESDE A ETERNIDADE???
Obs.: A Sura 4:157-158 tenta negar a morte redentora de Jesus.

.
SOBRE A SURA 4:157-158,
PROVAS BÍBLICAS QUE O ALCORÃO MENTE (I, II e III)..
.
A SURA EM QUESTÃO
& AS IMPLICAÇÕES INICIAIS DOS SEUS DIZERES.
.
- ALCORÃO, Sura 4:157-158:
“E por dizerem: Matamos o Messias, Jesus, filho de
Maria, o Mensageiro de Deus, embora não sendo, na
realidade, certo que o mataram, nem o crucificaram,
senão que isso lhes foi simulado. E aqueles que
discordam, quanto a isso, estão na dúvida, porque não
possuem conhecimento algum, abstraindo-se tão-somente
em conjecturas; porém, o fato é que não o mataram.
Outrossim, Deus fê-lo ascender até Ele, porque é
Poderoso, Prudentíssimo.”
.

Nota:
Como sempre questiono, nos meus inúmeros debates com
islâmicos nas redes sociais: se até o deus corânico se assume um
dissimulador (Mentiroso.), como poderia ser verdadeiro o profeta?
E como pode ser o livro considerado a Palavra da Verdade?
E sei que não resta ao Islam nada além do que o silêncio ou que as
contradições corânicas como resposta. Embora também não faltem,
nos referidos debates, o estardalhaço das palavras de efeito,
porém, vazias; e as objeções sem o menor sentido.
.
I - SOBRE A SURA 4:157-158,
PROVAS BÍBLICAS DE QUE O ALCORÃO MENTE (01):.

1 – A SURA 4:157-158 É DESMENTIDA PELA TORÁ


E PELO SISTEMA DE SACRIFÍCIOS SUBSTITUTIVOS, observado
desde que o homem pecou (LIVROS DE GÊNESIS E DE
LEVÍTICO, principalmente.). O Sistema anunciava simbólica e
profeticamente a Morte e a Ressurreição de Jesus, “o cordeiro de
Deus que tira o pecado do mundo”.
.
DEMONSTRAÇÃO 01:
- “Quando alguém for culpado de qualquer dessas coisas,
confessará em que pecou
e, pelo pecado que cometeu, trará ao Senhor uma ovelha
ou uma cabra do rebanho como oferta de reparação; e em
favor dele o sacerdote fará propiciação pelo pecado.
"Se não tiver recursos para oferecer uma ovelha, trará pela
culpa do seu pecado duas rolinhas ou dois pombinhos ao
Senhor: um como oferta pelo pecado e o outro como
holocausto.” (LIVRO DE LEVÍTICO 5:5-7)
.
DEMONSTRAÇÃO 02:
- "Se for alguém da comunidade que pecar sem intenção,
fazendo o que é proibido em qualquer dos mandamentos
do Senhor seu Deus, será culpado.
Quando o conscientizarem do seu pecado, trará como
oferta pelo pecado que cometeu uma cabra sem defeito.
Porá a mão sobre a cabeça do animal da oferta pelo
pecado, que será morto no lugar dos holocaustos.
Então o sacerdote pegará com o dedo um pouco do sangue,
o porá nas pontas do altar dos holocaustos e derramará o
restante do sangue na base do altar.
Então retirará toda a gordura, como se retira a gordura do
sacrifício de comunhão; o sacerdote a queimará no altar
como aroma agradável ao Senhor. Assim o sacerdote fará
propiciação por esse homem, e ele será perdoado.”
(4:27-31)
DEMONSTRAÇÃO 03:
- “De fato, segundo a Lei, quase todas as coisas são
purificadas com sangue, e sem derramamento de sangue
não há perdão.” (CARTA AOS HEBREUS 9:22).
.
CONCLUSÃO INICIAL & IMPLICAÇÕES
(Nas palavras de JOÃO BATISTA, profeta reconhecido até pelo
Alcorão, em seu TESTEMUNHO SOBRE JESUS CRISTO):
.
- “No dia seguinte João viu Jesus aproximando-se e disse:
"Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do
mundo!” (EVANGELHO DE JOÃO 1:29 E 36).
.
i - O SISTEMA DE SACRIFÍCIOS SUBSTITUTIVOS, foi observado
desde o princípio do mundo, por causa da Queda (a entrada do
pecado na vida da humanidade). Tratava-se de ÚNICA FORMA DE
CULTO ACEITA POR DEUS; nada tendo a ver com o culto que
seria observado na suposta e ainda inexistente Caaba.
Logo, o Sistema bíblico desmente uma outra Sura, a 3:96.
O Sistema de Sacrifícios Substitutivo permaneceu até à vinda do
“cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”.
Poucas décadas depois da Crucificação, ele seria cessado, em
virtude da Destruição do Templo de Jerusalém, em 70 d.C. Jesus a
havia predito (EVANGELHO DE MATEUS 24:1-2, etc.). E, além do
mais, oferecer sacrifícios já não fazia mais sentido.
- CARTA AOS HEBREUS 9:27-28:
“Se assim fosse, Cristo precisaria sofrer muitas vezes,
desde o começo do mundo. Mas agora ELE APARECEU
UMA VEZ POR TODAS NO FIM DOS TEMPOS, PARA
ANIQUILAR O PECADO MEDIANTE O SACRIFÍCIO DE SI
MESMO.
Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer
uma só vez e depois disso enfrentar o juízo,
assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única
vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda
vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos
que o aguardam.”
.
ii - NA VERSÃO CORÂNICA DO DR. HELMI NARS,
página 161, veja o que se lê, numa de suas notas:
“O Islão prega que não foi Jesus crucificado, mas o foi, em
seu lugar, um sósia.”
ESSA NOTA
ENFATIZA O ENGANO TEOLÓGICO DA SURA 4:157-158; estando
tal engano em desacordo tanto com o Evangelho quanto com a
Torá. E tenhamos sempre em vista que o deus corânico alega
(Mentirosamente, óbvio.) os ter revelado (SURA 5:46-48).
OUTRA SÉRIA QUESTÃO:
A Sura 4:157-158 intenta passar uma concepção absurda (Pra não
dizer, satânica.) de Deus. Como se ao mesmo fosse possível
imputar o agir com dissimulação (Dolo, mentira, engano.). E, de
fato, nas SURAS 3:28 e 16:106, o Allah corânico até ordena que os
homens mintam. Porém, isso é tão revelador do seu caráter
(Enganador.) quanto do fato dele JAMAIS poder mesmo ser o Deus
bíblico.
.
iii - A TORÁ, da qual consta o Livro de Gênesis, foi escrita cerca
1450 anos antes de Jesus vir. Já o Alcorão, teria sido escrito 700
anos depois. LOGO, A TORÁ DESMENTE O ALCORÃO COM
MAIS DE DOIS MIL ANOS DE ANTECEDÊNCIA.
E AINDA:
A MORTE E RESSURREIÇÃO redentoras de Jesus estavam
PREVISTAS, de acordo com as Sagradas Escrituras (Leia-se:
Bíblia) ANTES MESMO DA CRIAÇÃO. De modo que é corretíssimo
dizer: O ALCORÃO É DESMENTIDO POR DEUS DESDE A
ETERNIDADE.
- “Uma vez que vocês chamam Pai aquele que julga
imparcialmente as obras de cada um, portem-se com
temor durante a jornada terrena de vocês.
Pois vocês sabem que não foi por meio de coisas perecíveis
como prata ou ouro que vocês foram redimidos da sua
maneira vazia de viver que lhes foi transmitida por seus
antepassados,
mas pelo precioso sangue de Cristo, COMO DE UM
CORDEIRO sem mancha e sem defeito,
CONHECIDO ANTES DA CRIAÇÃO DO MUNDO, revelado
nestes últimos tempos em favor de vocês.”.
(PRIMEIRA CARTA DE PEDRO 1:17-20)
.

- “E adoraram-na (A BESTA) todos os que habitam sobre a


terra, esses cujos nomes não estão escritos no LIVRO DA
VIDA DO CORDEIRO QUE FOI MORTO DESDE A
FUNDAÇÃO DO MUNDO.” ( APOCALIPSE 13:8)
.

“Antes vocês estavam separados de Deus e, em suas


mentes, eram inimigos por causa do mau procedimento de
vocês.
Mas agora ELE OS RECONCILIOU PELO CORPO FÍSICO
DE CRISTO, MEDIANTE A MORTE, para apresentá-los
diante dele santos, inculpáveis e livres de qualquer
acusação,
(...) O MISTÉRIO QUE ESTEVE OCULTO DURANTE
ÉPOCAS E GERAÇÕES, mas que agora foi manifestado a
seus santos.
A eles quis Deus dar a conhecer entre os gentios a gloriosa
riqueza deste mistério, que é Cristo em vocês, a esperança
da glória.” (CARTA AOS COLOSSENSES 1:21-27)
.
I I - SOBRE A SURA 4:157-158,
PROVAS BÍBLICAS DE QUE O ALCORÃO MENTE 02:

- ALCORÃO, Sura 4:157-158:


“E por dizerem: Matamos o Messias, Jesus, filho de
Maria, o Mensageiro de Deus, embora não sendo, na
realidade, certo que o mataram, nem o crucificaram,
senão que isso lhes foi simulado. E aqueles que
discordam, quanto a isso, estão na dúvida, porque não
possuem conhecimento algum, abstraindo-se tão-somente
em conjecturas; porém, o fato é que não o mataram.
Outrossim, Deus fê-lo ascender até Ele, porque é
Poderoso, Prudentíssimo.”
.
2 – O ALCORÃO É TAMBÉM DESMENTIDO
PELOS PROFETAS DO AT & PELOS APÓSTOLOS DO NT.
.

i – CONSTAM DO Antigo Testamento cerca de 300 PROFECIAS


SOBRE O MESSIAS (Jesus Cristo). Vinte cinco delas (Ou seja:
quase dez por cento.) em torno da Sua Morte e Ressurreição
redentoras.
Os Evangelhos e todo o Novo Testamento dão testemunho destes
acontecimentos. Além de proclamá-los como um GRANDE
TRIUNFO. O triunfo supremo do bem contra a maldade, explicitado
na vitória de Jesus Cristo sobre os principais inimigos de Deus e do
ser humano:
- SOBRE O PECADO: o qual Ele venceu, tendo uma vida
imaculada;
- SOBRE A MORTE: a qual Ele venceu, ressuscitando, para não
mais morrer;
- E SOBRE SATANÁS: através de quem o pecado e a morte
entraram no mundo. E com os mesmos, o risco da Segunda Morte,
a perdição eterna. É o que está reservado para aqueles que não
reconhecem em Jesus o Redentor.
A DEVIDA COMPREENSÃO DO MESSIAS (Jesus Cristo) como o
Redentor, além de apontada no Sistema de Sacrifícios Substitutivos
(Lei), foi demonstrada pelos Profetas. O próprio Jesus fez questão
de esclarecer os Seus discípulos quanto a isso:
.

- “Enquanto falavam sobre isso, o próprio Jesus


apresentou-se entre eles e lhes disse: "Paz seja com vocês!
" Eles ficaram assustados e com medo, pensando que
estavam vendo um espírito.
Ele lhes disse: "Por que vocês estão perturbados e por que
se levantam dúvidas em seus corações?
Vejam as minhas mãos e os meus pés. Sou eu mesmo!
Toquem-me e vejam; um espírito não tem carne nem
ossos, como vocês estão vendo que eu tenho".
Tendo dito isso, mostrou-lhes as mãos e os pés.
E por não crerem ainda, tão cheios estavam de alegria e de
espanto, ele lhes perguntou: "Vocês têm aqui algo para
comer? "
Deram-lhe um pedaço de peixe assado,
e ele o comeu na presença deles.
E disse-lhes: "Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda
estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o
que a meu respeito estava escrito na Lei de Moisés, nos
Profetas e nos Salmos".
Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem
compreender as Escrituras.”
(EVANGELHO DE LUCAS 24:36-45)
.
ii – TESTEMUNHO DOS PROFETAS
& PROFECIAS DO ANTIGO TESTAMENTO SOBRE JESUS:

(Esperava pelo Redentor cerca de DOIS MIL ANOS ANTES DE
JESUS CRISTO VIR. E antes mesmo da Lei ser instituída por
Moisés, ele já OBSERVAVA O SISTEMA DE SACRIFÍCIOS
SUBSTITUTIVOS. Sistema, como temos dito, que apontava
profética e simbolicamente para a Pessoa e Obra de Cristo):
.

- “Terminado um período de banquetes, Jó mandava


chamá-los e fazia com que se purificassem. De madrugada
ELE OFERECIA HOLOCAUSTO em favor de cada um deles,
pois pensava: "Talvez os meus filhos tenham lá no íntimo
pecado e amaldiçoado a Deus". Essa era a prática
constante de Jó.” (LIVRO DE JÓ 1:5)
.

- “Quem dera as minhas palavras fossem registradas!


Quem dera fossem escritas num livro,
fossem talhadas a ferro no chumbo, ou gravadas para
sempre na rocha!
EU SEI QUE O MEU REDENTOR VIVE, e que no fim se
levantará sobre a terra.
E depois que o meu corpo estiver destruído e sem carne,
verei a Deus. Eu o verei, com os meus próprios olhos; eu
mesmo, e não outro! Como anseia no meu peito o
coração!” (LIVRO DE JÓ 19: 23-27)
.
- “Depois que O SENHOR DISSE essas palavras a Jó, disse
também ao Elifaz, de Temã: "Estou indignado com você e
com os seus dois amigos, pois vocês não falaram o que é
certo a meu respeito, como fez meu servo Jó.
Vão agora até meu servo Jó, levem sete novilhos e sete
carneiros, e com eles APRESENTEM HOLOCAUSTOS EM
FAVOR DE VOCÊS MESMOS. Meu servo Jó orará por
vocês; eu aceitarei a oração dele e não farei com vocês o
que vocês merecem pela loucura que cometeram. Vocês
não falaram o que é certo a meu respeito, como fez meu
servo Jó". (LIVRO DE JÓ 42:7-8)
.

DAVI
(Descreve CENAS DA CRUCIFICAÇÃO MIL ANOS ANTES):
.

- “Cães me rodearam! Um bando de homens maus me


cercou! PERFURARAM MINHAS MÃOS E MEUS PÉS.
Posso contar todos os meus ossos, mas eles me encaram
com desprezo.
Dividiram as minhas roupas entre si, e tiraram sortes
pelas minhas vestes.” (LIVRO DOS SALMOS 22:16-18)
- “Caçoam de mim todos os que me vêem; balançando a
cabeça, lançam insultos contra mim, dizendo:
"Recorra ao Senhor! Que o Senhor o liberte! Que ele o
livre, já que lhe quer bem! " (22:7-8)
- “Puseram fel na minha comida e PARA MATAR-ME A
SEDE DERAM-ME VINAGRE.
(...)
Sejam eles tirados do livro da vida e não sejam incluídos
no rol dos justos. (69: 21 e 28)
.

ISAÍAS
(Descreve A RAZÃO DA CRUCIFICAÇÃO 750 ANOS ANTES.
E Tudo de Acordo Com Sistema de Sacrifícios Substitutivos):
.

- “QUEM CREU EM NOSSA MENSAGEM e a quem foi


revelado o braço do Senhor?
Ele cresceu diante dele como um broto tenro, e como uma
raiz saída de uma terra seca. Ele não tinha qualquer beleza
ou majestade que nos atraísse, nada em sua aparência
para que o desejássemos.
Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de
tristeza e familiarizado com o sofrimento. Como alguém de
quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós
não o tínhamos em estima.
Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e
sobre si levou as nossas doenças, contudo NÓS O
CONSIDERAMOS CASTIGADO POR DEUS, por ele atingido
e afligido.
MAS ELE FOI TRASPASSADO POR CAUSA DAS NOSSAS
TRANSGRESSÕES, foi esmagado por causa de nossas
iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele,
e pelas suas feridas fomos curados.
Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de
nós se voltou para o seu próprio caminho; e O SENHOR
FEZ CAIR SOBRE ELE A INIQUIDADE DE TODOS NÓS.”
(LIVRO DO PROFETA ISAÍAS 53:1-6)
.

UM EXEMPLO INSOFISMÁVEL, COMO CONCLUSÃO:


A conversão do primeiro africano à fé cristã se deu através da
leitura do Livro do Profeta Isaías. E exatamente na passagem que
trata da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, no capítulo 53:
.

- “Um anjo do Senhor disse a Filipe: "Vá para o sul, para a


estrada deserta que desce de Jerusalém a Gaza".
Ele se levantou e partiu. No caminho encontrou um
eunuco etíope, um oficial importante, encarregado de
todos os tesouros de Candace, rainha dos etíopes. Esse
homem viera a Jerusalém para adorar a Deus e,
de volta para casa, sentado em sua carruagem, lia o livro
do profeta Isaías.
E o Espírito disse a Filipe: "Aproxime-se dessa carruagem
e acompanhe-a".
Então Filipe correu para a carruagem, ouviu o homem
lendo o profeta Isaías e lhe perguntou: "O senhor entende
o que está lendo? "
Ele respondeu: "Como posso entender se alguém não me
explicar? " Assim, convidou Filipe para subir e sentar-se ao
seu lado.
O eunuco estava lendo esta passagem da Escritura: "Ele foi
levado como ovelha para o matadouro, e como cordeiro mudo
diante do tosquiador, ele não abriu a sua boca.
Em sua humilhação foi privado de justiça. Quem pode falar dos
seus descendentes? Pois a sua vida foi tirada da terra".
O eunuco perguntou a Filipe: "Diga-me, por favor: de
quem o profeta está falando? De si próprio ou de outro? "
ENTÃO FILIPE, COMEÇANDO COM AQUELA PASSAGEM
DA ESCRITRURA, ANUNCIOU-LHE AS BOAS NOVAS DE
JESUS.
Prosseguindo pela estrada, chegaram a um lugar onde
havia água. O eunuco disse: "Olhe, aqui há água. Que me
impede de ser batizado? "
Disse Filipe: "Você pode, se crê de todo o coração". O
eunuco respondeu: "Creio que Jesus Cristo é o Filho de
Deus".
Assim, deu ordem para parar a carruagem. Então Filipe e o
eunuco desceram à água, e Filipe o batizou.”
(LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS 8:26-38)
Nota:
O texto transcrito em Atos dos Apóstolos, do Livro do Profeta Isaías
(53: 7-8) e lido pelo africano, dá continuidade ao texto reproduzido
anteriormente.
.

iii – O CUMPRIMENTO DAS PROFECIAS NO EVANGELHO


& Sua Proclamação Pelos Apóstolos & Discípulos de Jesus:
JOÃO
(Testemunha ocular, junto com as mulheres, da Crucificação):
.
- “PERTO DA CRUZ DE JESUS ESTAVAM sua mãe, a irmã
dela, Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena.
Quando Jesus viu sua mãe ali, e, perto dela, o discípulo a
quem ele amava, disse à sua mãe: "Aí está o seu filho",
e ao discípulo: "Aí está a sua mãe". Daquela hora em
diante, o discípulo a levou para casa.
Mais tarde, sabendo então que tudo estava concluído, para
que a Escritura se cumprisse, Jesus disse: "Tenho sede".
Estava ali uma vasilha cheia de vinagre. Então embeberam
uma esponja nela, colocaram a esponja na ponta de um
caniço de hissopo e a ergueram até os lábios de Jesus.
Tendo-o provado, JESUS DISSE: "ESTÁ CONSUMADO! "
COM ISSO , CURVOU A CABEÇA E ENTREGOU O
ESPÍRITO.” (EVANGELHO DE JOÃO 19:25-30)
.

MATEUS
(Também conhecido por Levi e um dos Doze apóstolos):
.

- “Depois do sábado, tendo começado o primeiro dia da


semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o
sepulcro.
E eis que sobreveio um grande terremoto, pois um anjo do
Senhor desceu do céu e, chegando ao sepulcro, rolou a
pedra da entrada e assentou-se sobre ela.
Sua aparência era como um relâmpago, e suas vestes eram
brancas como a neve.
Os guardas tremeram de medo e ficaram como mortos.
O anjo disse às mulheres: "Não tenham medo! SEI QUE
VOCÊS ESTÃO PROCURANDO JESUS, QUE FOI
CRUCIFICADO.
ELE NÃO ESTÁ AQUI; RESSUSCITOU, COMO TINHA
DITO. Venham ver o lugar onde ele jazia.
Vão depressa e digam aos discípulos dele: ‘Ele ressuscitou
dentre os mortos e está indo adiante de vocês para a
Galiléia. Lá vocês o verão’. Notem que eu já os
avisei".(EVANGELHO DE MATEUS 28:1-7)
.

PAULO
(A quem Jesus apareceu em espírito na estrada de Damasco,
quando ele ia numa perseguição feroz aos cristãos. Tendo se
tornado, depois de convertido, um dos mais exemplares seguidores
de Cristo. Até porque, conforme LIVRO DOS ATOS DOS
APÓSTOLOS 9: 10-16, Paulo foi comissionado por Jesus a levar o
Evangelho do Senhor aos não-judeus e às altas autoridades da
época):
.
- “Porque primeiramente vos entreguei o que também
recebi: que CRISTO MORREU POR NOSSOS PECADOS,
SEGUNDO AS ESCRITURAS,
E que foi sepultado, e que RESSUSCITOU AO TERCEIRO
DIA, SEGUNDO AS ESCRITURAS.”
(PRIMEIRA CARTA AOS CORÍNTIOS 15:3-4)
Notas:
i - ISLÂMICOS DESINFORMADOS (ou intencionadamente mal
informados) COSTUMAM QUESTIONAR PAULO, visto não ter sido
ele um dos Doze.
Todavia, NEM JESUS FEZ ISSO. Antes, o comissionou (Conforme
já dissemos e apontamos o texto bíblico.) para uma grande tarefa
missionária.
E mesmo dentre os Doze (ou demais discípulos) ninguém
questionou Paulo. Antes, pelo contrário: O PRINCIPAL DOS
APÓSTOLOS RECONHECE a sabedoria divina e o caráter de
escritura inspirada de suas Cartas.
.

- “Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da


Escritura é de particular interpretação.
Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de
homem algum, mas os homens SANTOS HOMENS DE
DEUS FALARAM INSPIRADOS PELO ESPÍRITO SANTO.”
(SEGUNDA CARTA DE PEDRO 1:20-21)
- “Tenham em mente que a paciência de nosso Senhor
significa salvação, como também O NOSSO AMADO
IRMÃO PAULO LHES ESCREVEU, COM A SABEDORIA
QUE DEUS LHE DEU.
Ele escreve da mesma forma em todas as suas cartas,
falando nelas destes assuntos. Suas cartas contêm algumas
coisas difíceis de entender, as quais os ignorantes e
instáveis torcem, como também o fazem com as demais
Escrituras, para a própria destruição deles.” (3:15-16)
.

ii – O QUE OS ISLÂMICOS DESINFORMADOS NÃO SABEM:


No Alcorão, Allah alega ter feito os discípulos prevalecer.
Fisicamente, como supõe o conceito corânico do ministério dos
profetas. Além da evidente desinformação sobre o martírio de todos
os apóstolos, segundo somos informados pela História.
Ora, quem de verdade escreveu O ALCORÃO demonstra
desconhecer o teor dos Evangelhos. Pois DÁ TESTEMUNHO
FAVORÁVEL SOBRE AQUELES QUE AO ALCORÃO
(Principalmente à Sura 4:157-158.) DESMENTEM:
- SURA 61:14:
“Ó fiéis, sede os auxiliadores de Deus, como disse Jesus,
filho de Maria, aos discípulos: Quem são os meus
auxiliadores, na causa de Deus? Responderam: Nós somos
os auxiliadores de Deus! Acreditou, então, uma parte dos
israelitas, e outra desacreditou; então, socorremos os fiéis
contra seus inimigos, e eles saíram vitoriosos.”
.

iii – DIANTE DO EXPOSTO, temos a Sura 4:157-158 sendo


DESMENTIDA:
1 - Desde a Eternidade, ANTES DA CRIAÇÃO do mundo;
2 - POR JÓ, antes mesmo da Lei e cerca de 2000 anos antes de
Cristo;
3 - POR MOISÉS E PELA LEI, na qual foi instituído o Sistema de
Sacrifícios Substitutivos (cerca de 1450 a.C.);
4 - POR DAVI, cerca de mil anos antes da Crucificação;
5 - POR ISAÍAS, cerca de 750 anos antes do fato;
6 - PELOS PROFETAS E PROFECIAS DO AT;
7 - E PELOS APÓSTOLOS E O TESTEMUNHO DO NT.
E QUEM MAIS FALTARIA para desmentir tal Sura, senão o próprio
Jesus??? É o que comprovaremos, a partir de agora.
.
III - SOBRE A SURA 4:157-158,
PROVAS BÍBLICAS DE QUE O ALCORÃO MENTE 03:
.
- ALCORÃO, Sura 4:157-158:
“E por dizerem: Matamos o Messias, Jesus, filho de
Maria, o Mensageiro de Deus, embora não sendo, na
realidade, certo que o mataram, nem o crucificaram,
senão que isso lhes foi simulado. E aqueles que
discordam, quanto a isso, estão na dúvida, porque não
possuem conhecimento algum, abstraindo-se tão-somente
em conjecturas; porém, o fato é que não o mataram.
Outrossim, Deus fê-lo ascender até Ele, porque é
Poderoso, Prudentíssimo.”

3 – O ALCORÃO É TAMBÉM DESMENTIDO POR JESUS:


.
i – O ALCORÃO (Sura 4:157-158) É DESMENTIDO POR JESUS:
- ANTES MESMO DE SUA MORTE E RESSURREIÇÃO
REDENTORAS. E, principalmente, quando do estabelecimento da
Nova Aliança (ou Novo Testamento) e da Ceia do Senhor.
- “Desde aquele momento Jesus começou a explicar aos
seus discípulos que ERA NECESSÁRIO que ele fosse para
Jerusalém e sofresse muitas coisas nas mãos dos líderes
religiosos, dos chefes dos sacerdotes e dos mestres da lei, e
FOSSE MORTO E RESSUSCITASSE AO TERCEIRO DIA.”
(EVANGELHO DE MATEUS 16:21)
- “E começou a ensinar-lhes que IMPORTAVA QUE O
FILHO DO HOMEM padecesse muito, e que fosse rejeitado
pelos anciãos e príncipes dos sacerdotes, e pelos escribas,
e que FOSSE MORTO, MAS QUE DEPOIS DE TRÊS DIAS
RESSUSCITARIA.”(EVANGELHO DE MARCOS 8:31)
- “Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia,
dizendo: Este cálice é o novo testamento NO MEU
SANGUE, DERRAMADO POR VÓS.”
(EVANGELHO DE LUCAS 22:20 – ACRF)
.
.ii – O ALCORÃO (Sura 4:157-158) É DESMENTIDO POR JESUS:
- DEPOIS DE SUA MORTE E RESSURREIÇÃO REDENTORAS.
As quais Ele mesmo fez questão de demonstrar aos discípulos.
.
- “Enquanto falavam sobre isso, o próprio Jesus
apresentou-se entre eles e lhes disse: “Paz seja com vocês!
"
Eles ficaram assustados e com medo, pensando que
estavam vendo um espírito.
Ele lhes disse: "Por que vocês estão perturbados e por que
se levantam dúvidas em seus corações?
VEJAM AS MINHAS MÃOS E OS MEUS PÉS. SOU EU
MESMO! Toquem-me e vejam; um espírito não tem carne
nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho".
Tendo dito isso, MOSTROU-LHES AS MÃOS E OS PÉS.
E por não crerem ainda, tão cheios estavam de alegria e de
espanto, ele lhes perguntou: "Vocês têm aqui algo para
comer? "
Deram-lhe um pedaço de peixe assado,
e ele o comeu na presença deles.
E disse-lhes: "Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda
estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o
que a meu respeito estava escrito na Lei de Moisés, nos
Profetas e nos Salmos". (EVANGELHO DE LUCAS 24:36-44)
.

- “Os outros discípulos lhe disseram: "Vimos o Senhor! "


Mas ele lhes disse: "Se eu não vir as marcas dos pregos nas
suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os
pregos e não puser a minha mão no seu lado, não crerei".
Uma semana mais tarde, os seus discípulos estavam outra
vez ali, e Tomé com eles. Apesar de estarem trancadas as
portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: "Paz
seja com vocês! "
E Jesus disse a Tomé: "COLOQUE O SEU DEDO AQUI;
VEJA AS MINHAS MÃOS. ESTENDA A MÃO E COLOQUE-
A NO MEU LADO. PARE DE DUVIDAR E CREIA".
Disse-lhe Tomé: "Senhor meu e Deus meu! "
Então Jesus lhe disse: "Porque me viu, você creu? Felizes
os que não viram e creram".
(EVANGELHO DE JOÃO 20:25-29)
.

- “Quando Jesus ressuscitou, na madrugada do primeiro


dia da semana, apareceu primeiramente a Maria
Madalena, de quem havia expulsado sete demônios.
Ela foi e contou aos que com ele tinham estado; eles
estavam lamentando e chorando.
Quando ouviram que Jesus estava vivo e fora visto por ela,
não creram.
Depois Jesus apareceu noutra forma a dois deles, estando
eles a caminho do campo.
Eles voltaram e relataram isso aos outros; mas também
nestes eles não creram.
Mais tarde Jesus apareceu aos Onze enquanto eles
comiam; censurou-lhes a incredulidade e a dureza de
coração, porque não acreditaram nos que o tinham visto
depois de ressurreto.
E disse-lhes: "Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho
a todas as pessoas.
Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer
será condenado.” (EVANGELHO DE MARCOS 16:12-15)
.
iii – O ALCORÃO (Sura 4:157-158) É DESMENTIDO POR JESUS:
- DEPOIS DA SUA GLORIFICAÇÃO (Ascensão aos Céus.), quando
da revelação do Livro do Apocalipse, o último da Bíblia.
.

- “Eu, João, que também sou vosso irmão, e companheiro


na aflição, e no reino, e paciência de Jesus Cristo, estava
na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus, e
pelo testemunho de Jesus Cristo.
Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi
detrás de mim uma grande voz, como de trombeta,
Que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o
derradeiro; e o que vês, escreve-o num livro, e envia-o às
sete igrejas que estão na Ásia: a Éfeso, e a Esmirna, e a
Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a Filadélfia, e a
Laodicéia.
E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, vi
sete castiçais de ouro;
E no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do
homem, vestido até aos pés de uma roupa comprida, e
cingido pelos peitos com um cinto de ouro.
E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca,
como a neve, e os seus olhos como chama de fogo;
E os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se
tivessem sido refinados numa fornalha, e a sua voz como a
voz de muitas águas.
E ele tinha na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía
uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o
sol, quando na sua força resplandece.
E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs
sobre mim a sua destra, dizendo-me: NÃO TEMAS; EU
SOU O PRIMEIRO E O ÚLTIMO;
E O QUE VIVO E FUI MORTO, MAS EIS AQUI ESTOU
VIVO PARA TODO O SEMPRE. AMÉM. E TENHO AS
CHAVES DA MORTE E DO INFERNO.
Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que
depois destas hão de acontecer;”
(LIVRO DO APOCALIPSE 1:9-19)
Nota:
Precisa dizer mais?
.

2 - A QUESTÃO SURA 7:157


- QUESTÃO:
SERIA VERDADEIRA A SURA 7:157
& MAOMÉ TERIA SIDO MESMO PREDITO NA TORÁ????.

.
I – PARA A COMPREENSÃO E REFUTAÇÃO DA SURA 7:157:
.
i – Nesta sura, MAOMÉ ALEGA ter sido predito na Torá.
Mas....
Na Torá, a única previsão sobre um profeta, assim como Moisés, se
encontra no LIVRO DE DEUTERONÔMIO 18:18:
.
- “Levantarei do meio dos seus irmãos um profeta como
você; porei minhas palavras na sua boca, e ele lhes dirá
tudo o que eu lhe ordenar.
Se alguém não ouvir as minhas palavras, que o profeta
falará em meu nome, eu mesmo lhe pedirei contas.” (NVI)
.
PROBLEMA NÚMERO 01
(para o Islamismo): Biblicamente falando, a expressão DO MEIO
DE SEUS IRMÃOS, está se referindo apenas ao POVO JUDEU.
Visto ter sido este formado de DOZE TRIBOS CO-IRMÃS. Elas
foram originadas dos filhos e netos (Filhos de José.) do patriarca
Jacó (LIVRO DOS NÚMEROS, capitulo 01 e GÊNESIS 48:11-14).
.
ii - PROBLEMA NÚMERO 02
(para o Islamismo): Jesus atribui a Si mesmo a profecia:
.
- “Se vocês cressem em Moisés, creriam em mim, pois ele
escreveu a meu respeito.
Visto, porém, que não crêem no que ele escreveu, como
crerão no que eu digo?" (EVANGELHO DE JOÃO 5:46-47)
Nota:
Moisés NÃO escreveu sobre mais de um profeta. E este profeta é
Jesus. Logo, não pode Deuteronômio 18:18 ser referência a
Maomé.
Além disso, Maomé jamais poder ser considerado profeta do Deus
bíblico, sendo mentiroso, abusador de mulheres e (Conforme
BUKHARI, VOL. 04, LIVRO 05, NÚMERO 220.) um terrorista
assumido. O Deus bíblico jamais teria profeta com tal conduta.
.
iii - PROBLEMA NÚMERO 03
(para o Islamismo): os apóstolos reconheceram o cumprimento da
profecia em Jesus. E como eu sempre demonstro: Allah, Maomé,
Alcorão, Islamismo e a Caaba (Local de origem do culto islâmico.)
sequer são mencionados nas Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.).
.
.“Pois disse Moisés: ‘O Senhor Deus lhes levantará dentre
seus irmãos um profeta como eu; ouçam-no em tudo o que
ele lhes disser.
Quem não ouvir esse profeta, será eliminado do meio do
seu povo’.
"De fato, todos os profetas, de Samuel em diante, um por
um, falaram e predisseram estes dias.”
(LIVRO DE ATOS DOS APÓSTOLOS 3:22-24).
Nota:
A profecia tinha se cumprindo naqueles dias, quando veio Jesus;
tendo morrido e ressuscitado (vencendo em definitivo a morte) e,
depois, ascendido aos Céus.
Maomé, porém, somente iria nascer 500 anos DEPOIS.
.
II - A EXATA COMPREENSÃO DA EXPRESSÃO
"DO MEIO DE SEUS IRMÃOS" & A REFUTAÇÃO DEFINITIVA DA
SUPOSIÇÃO CORÂNICO-ISLÂMICA.
.
1 - TEXTO E CONTEXTO NA PERSPECTIVA DA TORÁ:
.
- LIVRO DE DEUTERONÔMIO 17:15:
“Porás certamente sobre ti como rei aquele que o Senhor
teu Deus escolher. Porás um dentre teus irmãos como rei
sobre ti; não poderás pôr sobre ti um estrangeiro, homem
que não seja de teus irmãos.”
Notas:
1 - Está claro, pelo contexto, que Deus não aceitava um NÃO judeu
como autoridade espiritual sobre a nação, tornada Estado
teocrático, quando do estabelecimento da Antiga Aliança.
2 - O rei era considerado representante de Deus e autoridade
espiritual, assim como os profetas e os sacerdotes. E todos eles
deveriam ser escolhidos dentre os membros de uma das doze tribos
co-irmãs formadoras da nação. Não há na Antiga Aliança um só
profeta verdadeiro que fale em nome de Deus ao povo de Israel,
não sendo judeu!!! E o único não judeu mencionado, Balaão, é tido
por falso; sendo, por isso mesmo e pelo mal que causou povo,
exterminado.
3 – E qual a explicação, na perspectiva das Sagradas Escrituras?
É simples: aos israelitas foram confiados os oráculos divinos e a
forma aceitável de culto (João 4:19-22, Romanos 3:1-2 e 9:4-5,
Hebreus 8:3-6); já com às demais nações, o mesmo NÃO ocorre.
.
2 - TEXTO E CONTEXTO FORA DA TORÀ, PORÉM, AINDA
DENTRO DA PERSPECTIVA E CONTEXTO BÍBLICOS:
.
- LIVRO DOS JUÍZES 20:12-13:
“Então as tribos de Israel enviaram homens por toda a
tribo de Benjamim, para lhe dizerem: Que maldade é essa
que se fez entre vós?
Entregai-nos, pois, agora aqueles homens, filhos de Belial,
que estão em Gibeá, para que os matemos, e extirpemos de
Israel este
mal. Mas os filhos de Benjamim não quiseram dar ouvidos
à voz de seus irmãos, os filhos de Israel;”
.
3 - TEXTO E CONTEXTO NA PERSPECTIVA DO PRÓPRIO
CAPÍTULO DO LIVRO DE DEUTERONÔMIO:
- 18:1-2:
“Os levitas sacerdotes, e toda a tribo de Levi, não terão
parte nem herança com Israel. Comerão das ofertas
queimadas do Senhor e da herança dele. Não terão
herança no meio de seus irmãos; o Senhor é a sua herança,
como lhes tem dito.”
EXTRAÍDO
de RESPOSTA AO ISLÃ (O Que Todo Cristão Precisa Saber
Sobre O Islamismo & Sobre A Sua Própria Fé) - Vol. 02.
.
III - EM TEMPO
(E Para Maiores Esclarecimentos): Mesmo diante das evidências
bíblicas (O testemunho de Jesus e dos apóstolos.), islâmicos
desinformados e/ou intencionadamente mal informados poderiam
objetar: POR QUE, ENTÃO, OS JUDEUS NÃO RECONHECERAM
A JESUS COMO PROFETA?
Cabe, então, esclarecer:
.
i - Grande parcela do povo judeus RECONHECEU, SIM, a Jesus
como profeta. E muitos dos líderes religiosos também O
reconheceram, além de profeta, também o Messias prometido.
.
- "Ainda assim, muitos líderes dos judeus creram nele.
Mas, por causa dos fariseus, não confessavam a sua fé,
com medo de serem expulsos da sinagoga;
pois preferiam a aprovação dos homens do que a
aprovação de Deus." (EVANGELHO DE JOÃO 12:42-43)
.
- "Naquele mesmo dia, dois deles estavam indo para um
povoado chamado Emaús, a onze quilômetros de
Jerusalém.
No caminho, conversavam a respeito de tudo o que havia
acontecido.
Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se
aproximou e começou a caminhar com eles;
mas os olhos deles foram impedidos de reconhecê-lo.
Ele lhes perguntou: "Sobre o que vocês estão discutindo
enquanto caminham? " Eles pararam, com os rostos
entristecidos.
Um deles, chamado Cleopas, perguntou-lhe: "Você é o
único visitante em Jerusalém que não sabe das coisas que
ali aconteceram nestes dias? "
"Que coisas? ", perguntou ele. "O que aconteceu com Jesus
de Nazaré", responderam eles. "Ele era um profeta,
poderoso em palavras e em obras diante de Deus e de todo
o povo.
Os chefes dos sacerdotes e as nossas autoridades o
entregaram para ser condenado à morte, e o
crucificaram;"(EVANGELHO DE LUCAS 24:13-20)
.
ii - A REJEIÇÃO PELOS LÍDERES RELIGIOSOS, QUE A ISSO
INCITARAM O POVO, FOI TAMBÉM PREVISTA nas Sagradas
Escrituras (Leia-se: Bíblia.) e pelo próprio Jesus:
.
- "Quem creu em nossa mensagem e a quem foi revelado o
braço do Senhor?
Ele cresceu diante dele como um broto tenro, e como uma
raiz saída de uma terra seca. Ele não tinha qualquer beleza
ou majestade que nos atraísse, nada em sua aparência
para que o desejássemos.
Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de
tristeza e familiarizado com o sofrimento. Como alguém de
quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós
não o tínhamos em estima.
Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e
sobre si levou as nossas doenças, contudo nós o
consideramos castigado por Deus, por ele atingido e
afligido.
Mas ele foi transpassado por causa das nossas
transgressões, foi esmagado por causa de nossas
iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele,
e pelas suas feridas fomos curados."
(LIVRO DO PROFETA ISAÍAS 53:1-5 / JOÃO 12: 37-38)
Nota:
O profeta Isaías escreveu cerca de 750 anos antes do fato.
.
- "‘É necessário que o Filho do homem seja entregue nas
mãos de homens pecadores, seja crucificado e ressuscite
no terceiro dia’. ". (EVANGELHO DE LUCAS 24:7)
.
iii - O RECONHECIMENTO DE JESUS PELOS JUDEUS, num
futuro, que espero próximo, TAMBÉM FOI PREDITO. E Isso cerca
de 450 anos antes dEle ter vindo:
.
- "Naquele dia farei que os líderes de Judá sejam
semelhantes a um braseiro no meio de um monte de lenha,
como uma tocha incandescente entre gravetos. Eles
consumirão à direita e à esquerda todos os povos ao redor,
mas Jerusalém permanecerá intacta em seu lugar.
"O Senhor salvará primeiro as tendas de Judá, para que a
honra da família de Davi e dos habitantes de Jerusalém
não seja superior à de Judá.
Naquele dia o Senhor protegerá os que vivem em
Jerusalém, de forma que o mais fraco dentre eles será
como Davi, e a família de Davi será como Deus, como o
anjo do Senhor que vai adiante deles.
"NAQUELE DIA PROCURAREI DESTRUIR TODAS AS
NAÇÕES QUE ATACAREM JERUSALÉM.
E derramarei sobre a família de Davi e sobre os habitantes
de Jerusalém um espírito de ação de graças e de súplicas.
OLHARÃO PARA MIM, AQUELE A QUEM
TRASPASSARAM, E CHORARÃO por ele como quem chora
a perda de um filho único, e lamentarão amargamente por
ele como quem lamenta a perda do filho mais velho."
(LIVRO DO PROFETA ZACARIAS 12:6-10)
.
Notas:
1 - "Olharão para mim, aquele a quem traspassaram, e
chorarão", diz o Senhor Deus.
2 - João, O Apóstolo, nos seus dias, teve a exata compreensão de
quem era Jesus e da implicação da sua, embora prevista, rejeição:
.
- “Mesmo depois que Jesus fez todos aqueles sinais
miraculosos, não creram nele.
Isso aconteceu para se cumprir a palavra do profeta Isaías,
que disse: "Senhor, quem creu em nossa mensagem, e a
quem foi revelado o braço do Senhor? "
Por esta razão eles não podiam crer, porque, como disse
Isaías noutro lugar:
"Cegou os seus olhos e endureceu os seus corações, para
que não vejam com os olhos nem entendam com o coração,
nem se convertam, e eu os cure".
Isaías disse isso porque viu a glória de Jesus e falou sobre
ele.” (EVANGELHO DE JOÃO 12:37-41)
EM TEMPO:
A EXATA COMPREENSÃO DA PESSOA E OBRA (REDENTORA)
DE JESUS fica evidente, quando se pergunta: A quem profeta
chama de Senhor e de quem viu ele a glória?
A resposta encontra-se no capítulo sexto do seu livro.
Lembrando-se de que Isaías é um dos profetas mais citados por
Jesus e em todo o Novo Testamento.
.
.
.
.
.

3 - A QUESTÃO SURA 61:6


- QUESTÃO:
SERIA VERDADEIRA A SURA 61:6
& MAOMÉ TERIA SIDO MESMO PREDITO NO EVANGELHO???

.
I – OS DIZERES
(Falsos ou Verdadeiros?) DA SURA 61:6-a:.
- “E de quando Jesus, filho de Maria, disse: Ó israelitas, em
verdade, sou o mensageiro de Deus, enviado a vós,
corroborante de tudo quanto a Tora antecipou no
tocante às predições, e alvissareiro de um Mensageiro que
virá depois de mim, cujo nome será Ahmad!”Notas:
Nota:
EM NENHUM EVANGELHO BÍBLICO é encontrada uma (suposta)
predição sobre a vinda de algum mensageiro ou profeta, depois do
próprio Jesus.
Nele e com Ele, a revelação das Sagradas Escrituras (Leia-se:
Bíblia.), que foi progressiva, se fez perfeita. E é o que se infere da
leitura da CARTA AOS HEBREUS 1:1-4 e do próprio EVANGELHO
DE JOÃO 1:18.
Logo, O ISLAMISMO NÃO TEM COMO COMPROVAR A TAL
SUPOSIÇÃO (ou a “predição” da Sura 61:6), a respeito de Maomé.
A referida suposição apenas aparece num também suposto
"EVANGELHO" DE BARNABÉ.
.
1/ ALGUNS ESCLARECIMENTOS
SOBRE O SUPOSTO EVANGELHO DE BARNABÉ:
.
1 – O SUPOSTO EVANGELHO DE BARNABÉ é reconhecido como
sendo UMA FARSA até por islâmicos: Cyril Glasse, The Concise
Encyclopedia Of Islam. San Francisco (EUA), Harper & Row,
1989, pág. 065.
.

2 – NO SUPOSTO EVANGELHO DE BARNABÉ, Jesus teria falado


as mesmas palavras que João Batista diz sobre si mesmo, no
EVANGELHO DE JOÃO: não seria o Messias; e que o Messias viria
após Ele. (Págs. 42 e 82).
E QUEM SERIA O MESSIAS,
NO SUPOSTO EVANGELHO DE BARNABÉ???
R – Seria Maomé, conforme o que se encontra na página 97.
Allah (Alega o suposto evangelho.) teria dito: “Esperai por
Maomé”, e outros blá-blá-blás. Só não sabiam que seriam pegos
(Allah e o suposto Evangelho.) noutra comprovável contradição:
- ALCORÃO, Sura 3:45-a (HN):
“Lembra-lhes de quando os anjos disseram: “Ó Maria! Por
certo Allah te alvíssara um Verbo, vindo dEle; seu nome é
O Messias, Jesus, Filho de Maria...”.
.

3 - CONCLUSÃO
(E UM GRANDE PROBLEMA PARA O ISLAMISMO):
i – O suposto evangelho de Barnabé é tão MENTIROSO quanto as
SURAS 61:6 e 7;157, as quais alegam ter sido Maomé predito na
Torá e no Evangelho.
ii - O Alcorão reconhece a Jesus como o Messias (SURA 3:45).
iii – E, ao reconhecer em Jesus o Messias, O PRÓPRIO ALCORÃO
DESMENTE O SUPOSTO EVANGELHO DE BARNABÉ.
Todavia, não será nenhuma novidade encontrarmos islâmicos
desinformados sobre a questão. E o que estes fazem? Tentam
contestar a autenticidade e a autoridade dos Evangelhos bíblicos.
E, por desconhecimento do próprio Alcorão, querem provar a
autoridade e autenticidade inexistentes no suposto Evangelho de
Barnabé. Até porque seria o único em que se encontra tal profecia
(Mentirosa, óbvio.) sobre Maomé.
EM TEMPO:
Caso queira melhor se informar sobre o SUPOSTO EVANGELHO
DE BARNABÉ e suas inúmeras contradições, uma indicação de
leitura: Enfrentando O Desafio Muçulmano, de John Gilcrhist .

.
2/ NOS EVANGELHOS VERDADEIROS, Jesus prevê a Sua
volta (Ou Segunda Vinda.). Não mais como Redentor; porém,
na condição de Juiz dos vivos e dos mortos. Além de,
conforme é enfatizado na SEGUNDA CARTA AOS
TESSALONICENSES (1:6-10), sentenciador dos que não Lhe
obedeceram e ao Seu Evangelho:
.
.
- “É justo da parte de Deus retribuir com tribulação aos
que lhes causam tribulação,
e dar alívio a vocês, que estão sendo atribulados, e a nós
também. Isso acontecerá quando o Senhor Jesus for
revelado lá do céu, com os seus anjos poderosos, em meio
a chamas flamejantes.
ELE PUNIRÁ OS QUE NÃO CONHECEM A DEUS E OS QUE
NÃO OBEDECEM AO EVANGELHO DE NOSSO SENHOR
JESUS.
Eles sofrerão a pena de destruição eterna, a separação da
presença do Senhor e da majestade do seu poder.
Isso acontecerá no dia em que ele vier para ser glorificado
em seus santos e admirado em todos os que creram,
inclusive vocês que creram em nosso testemunho.”
.
3/
.
i - Além disso, JESUS JAMAIS PREVIU OUTRO PROFETA;
ANTES, PREVIU É QUE VIRIAM FALSOS PROFETAS.
E estes, disse o Senhor, enganariam a muitos (EVANGELHO DE
MATEUS, capítulo 24, etc.).
É nessa categoria que a Bíblia identifica pessoas do passado,
conforme estamos comprovando sobre Maomé. E também
indivíduos do presente, como, p.ex., um Kacou Philippe.
Sobre este último, segue o LINK de artigo meu, fazendo a devida
refutação:
http://missaoimpactar.blogspot.com.br/2017/02/em-defesa-da-fe-
crista-refutacao-kacou.html
.
ii – JESUS JAMAIS PREVIU OUTRO PROFETA. ANTES, ELE
PREVIU A SUA SEGUNDA VINDA.
.
iii – JESUS JAMAIS PREVIU OUTRO PROFETA E DISSE MAIS:
NÃO HAVERIA MAIS PROFETAS (COMO NO PASSADO).
Jesus assegurou que, com a Sua primeira vinda, não mais haveria
profetas como os do Antigo Testamento. O último foi JOÃO
BATISTA, que sequer deixou livro. E, mesmo assim, foi considerado
pelo próprio Jesus MAIS IMPORTANTE QUE MOISÉS:
.
- “Digo-lhes a verdade: Entre os nascidos de mulher não
surgiu ninguém maior do que João Batista; todavia, o
menor no Reino dos céus é maior do que ele.
Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é
tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele.
Pois todos os Profetas e a Lei profetizaram até
João.”(EVANGELHO DE MATEUS 11:11-12)
Notas:
Quando JESUS diz que “todos os Profetas e a Lei
profetizaram até João”, ele REFUTA a Sura 61:6.
O Evangelho DESMASCARA A SUPOSIÇÃO CORÂNICA, com
seiscentos anos de antecedência.
E POR QUE Jesus disse ter sido João Batista o homem e o profeta
mais importante da Terra, até aquela data???
R – João Batista foi o precursor (Melhor: foi anunciador.) da vinda
do próprio Deus, o Senhor, para cumprimento das Escrituras.
.
- LIVRO DO PROFETA MALAQUIAS 3:1:
"Vejam, eu enviarei o meu mensageiro, que PREPARARÁ
O CAMINHO DIANTE DE MIM. E então, de repente,
O SENHOR QUE VOCÊS BUSCAM VIRÁ PARA O SEU
TEMPLO; o mensageiro da aliança, aquele que vocês
desejam, virá", diz o Senhor dos Exércitos.”
.
E QUE FIQUE BEM CLARO:
.
1 - O SENHOR , a quem os judeus buscavam e que viria ao Seu
templo em Jerusalém, É O PRÓPRIO JESUS.
.
2 - Ele é o mensageiro da aliança. E a Aliança é o Novo Testamento
no Seu sangue, conforme o EVANGELHO DE LUCAS 22:20. E tudo
para cumprimento das Escrituras, de acordo com o predito, p.ex.,
no LIVRO DO PROFETA JEREMIAS (31:31-34):
.
3 – TUDO ISSO (A Nova Aliança e a vinda do Senhor ao Templo de
Jerusalém, etc.) EXPLICA o porquê de João Batista ser
considerado o mais importante ser humano (e profeta) nascido até a
vinda de Jesus (O Senhor). Como também explica a razão do mais
humilde dos autênticos cristãos ser mais importante do que João
Batista.
ATÉ JOÃO, os verdadeiros monoteístas seguiam aos profetas
(Moisés, Elias, o próprio João Batista, etc.).
MAS...
DEPOIS DE JOÃO, COM A VINDA DO MESSIAS, eles seguem o
próprio Deus (O Senhor.), na pessoa de Jesus Cristo.
.
SOBRE A NOVA ALIANÇA:
- “Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia,
dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue,
que é derramado por vós.” (EVANGELHO DE LUCAS)
- “Estão chegando os dias", declara o Senhor, "quando
farei uma nova aliança com a comunidade de Israel e com
a comunidade de Judá".
"Não será como a aliança que fiz com os seus antepassados
quando os tomei pela mão para tirá-los do Egito; porque
quebraram a minha aliança, apesar de eu ser o Senhor
deles", diz o Senhor.
"Esta é a aliança que farei com a comunidade de Israel
depois daqueles dias", declara o Senhor: "Porei a minha lei
no íntimo deles e a escreverei nos seus corações. Serei o
Deus deles, e eles serão o meu povo.
Ninguém mais ensinará ao seu próximo nem ao seu irmão,
dizendo: ‘Conheça ao Senhor’, porque todos eles me
conhecerão, desde o menor até o maior", diz o Senhor.
"Porque eu lhes perdoarei a maldade e não me lembrarei
mais dos seus pecados." (LIVRO DO PROFETA JEREMIAS)
.
.
II – A COMPREENSÃO BÍBLICA DA EXPRESSÃO “OUTRO
CONSOLADOR” E DO EVANGELHO DE JOÃO 14:16-17. .

No desespero de fazer de Maomé um profeta supostamente predito


por Jesus e tornar “verdadeira” a Sura 61:6, o que faz o Islamismo?
Tendo contra si todo o até aqui exposto, apega-se à expressão
utilizada por Jesus no Evangelho de João.
Porém, a análise mais simples da expressão, no seu contexto
bíblico, desfaz os sofismas e refuta a suposição.
Extraído de
MAOMÉ: PREDITO NA BÍBLIA? (O Que Dizem As Sagradas
Escrituras):
.
“REFUTAÇÃO (Textos Afins):
João 14:16-17, Em Sua Interpretação
Correta. .“Eu (JESUS) rogarei ao Pai, e ele vos dará outro
Consolador, a fim que esteja para sempre convosco, o
Espírito (SANTO) da verdade, que o mundo que o mundo
não pode receber, porque não o conhece; vós o conheceis,
ele habita convosco e estará em vós."
.
QUESTÕES:
1 – Por que Jesus usa a expressão “outro Consolador “?
Ele mesmo, JESUS, era o Consolador (e/ou Conselheiro e também
Advogado, na perspectiva de Isaías 9:6 e 1João 2:1) que ESTAVA
COM OS DISCÍPULOS fisicamente. Mas, iria deixá-los. E deixá-los,
para estar, não apenas com os mesmos, conforme prometeu
(Mateus 28:20); mas, ESTAR TAMBÉM NOS MESMOS, através do
Espírito Santo. Por isso, Ele iria acrescentar um pouco mais adiante
(Versículo 20):“Naquele dia. vós conhecereis que estou em
meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós.”
.
(...)
A EXPRESSÃO “OUTRO CONSOLADOR” É USADA PARA
ENFATIZAR A PRESENÇA DE DEUS NA VIDA DOS DISCÍPULOS
NUMA EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL MAIS AMPLA.
Ele não mais estaria com os mesmos, na Sua forma humanizada.
Estaria, quando do cumprimento da promessa, na forma espírito. E
isso traria um MAIOR GANHO ESPIRITUAL: habitaria a todos eles,
e em todos os tempos e para sempre (Atos 2:37-40). No Antigo
Testamento, apenas sacerdotes, profetas, reis e alguns líderes e
piedosos recebiam o Espírito Santo (presença plena de Deus). No
Novo, todos os cristãos autênticos, são Dele santuário:“Acaso,
não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo,
que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não
sois de vós mesmos.”
(PRIMEIRA CARTA AOS CORÍNTIOS 6:19)
(...)
.
2 – “a fim que esteja para sempre convosco”:
Para estar sempre com os discípulos de Jesus de todos os tempos,
além de ter que já existir àquela época (500 anos antes do
Islamismo), teria também que sobreviver ao período de existência
humana de Maomé. Maomé teria nascido em 570 e morrido em 632
d.C., segundo o Islã. Não podia recuar no tempo; e nem avançar
para além sua existência humana. Tais palavras não poderiam ser
aplicadas a ele, um mero mortal, evidentemente.
.
3 - "O Espírito da verdade":
Maomé era espírito e, sendo humano, poderia pré-existir 500 anos
antes do seu nascimento, em 570 d.C.?
NAO, em absoluto!
.
4 - "Que o mundo (OS HOMENS) não pode receber, porque
não o vê, nem o conhece; vós o conheceis...”:
Maomé poderia ser visto e conhecido dos discípulos, tendo nascido
570 depois?
Não, em absoluto..
.
5 – “porque ele habita convosco”:
Estava ou poderia Maomé ter convivido com os apóstolos, estando
(habitando) entre eles?
Não, em absoluto.
Quanto a Jesus, estava, na Sua forma humanizada com os
discípulos; fazendo cumprir o que fora dito no Livro do Profeta
Isaías (7:14), ao anunciá-lo como o Emanuel: Deus conosco, ou,
entre os homens.
.
6 – “e estará em vós”:
Poderia Maomé, na condição de mero ser humano, habitar outro ser
humano?
Não, em absoluto.
(...)
De fato, um ser humano não pode habitar espiritualmente outro ser
humano. E nem milhares ou milhões ao mesmo tempo. Apenas
Deus pode fazê-lo. Logo, AS PALAVRAS DE JESUS EVIDENCIAM
A SUA DEIDADE e a do Espírito Santo; jamais a suposição islâmica
em questão.
.
7 - Além da REFUTAÇÃO À SUPOSIÇÃO CORÂNICA, A
AFIRMAÇÃO DA DEIDADE DE JESUS E DO ESPÍRITO está
explicitada não apenas nos versículos analisados até aqui; mas, ao
longo do próprio Evangelho de João e em todo o Novo Testamento.
A compreensão deste fato; e do seu ganho, em se tratando de
experiência espiritual, foi descrita pelo apóstolo Paulo, como a
compreensão do maior mistério revelado nas Sagradas Escrituras
(Leia-se: Bíblia).
CARTA DE PAULO AOS COLOSSENSES 1:26-27:
.
- “o mistério que esteve oculto dos séculos, e das gerações;
mas agora foi manifesto aos seus santos, a quem Deus quis
fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste
mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, a esperança
da glória;”
LINK:
http://missaoimpactar.blogspot.com.br/2016/04/livro-completo-
maome-predito-na-biblia.html
.
.
III – CONCLUSÕES & DEMONSTRAÇÕES BÍBLICAS
SOBRE O ESPÍRITO SANTO DA VERDADE, O CONSOLADOR:
.
i - Na Torá (LIVRO DO ÊXODO 11:25-29); no Evangelho (JOÃO
20:22-23); e no Novo Testamento, quando do cumprimento da
promessa de Jesus sobre o Consolador (LIVRO DOS ATOS DOS
APÓSTOLOS 2:2-4 e 16-18); o que se verifica?
O ESPÍRITO SANTO, dada a Sua condição divina, pode habitar
VÁRIOS SERES HUMANOS AO MESMO TEMPO.
No caso, os cristãos autênticos. Para que estes tenham a
capacidade de fazer o bem, produzindo o Seu fruto:
.
- “Por isso digo: vivam pelo Espírito, e de modo nenhum
satisfarão os desejos da carne.
Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o
Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito
um com o outro, de modo que vocês não fazem o que
desejam.
Mas, se vocês são guiados pelo Espírito, não estão debaixo
da lei.
Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual,
impureza e libertinagem;
idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo,
dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas
semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti, que
os que praticam essas coisas não herdarão o Reino de
Deus.
Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência,
amabilidade, bondade, fidelidade,
mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há
lei.
Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com
as suas paixões e os seus desejos.”(CARTA AOS GÁLATAS
5:16-24)
.
ii - Diferentemente do Espírito Santo, OS ESPÍRITOS (JIINS)
MALIGNOS somente podem possuir (ou habitar, demonizando)
UMA PESSOA APENAS, por vez.
Pode também, como no caso de homem que foi liberto por Jesus de
uma legião (EVANGELHO DE MARCOS 5:1-19), muitos deles
habitar um só indivíduo. E isso torna o estado do possesso
obviamente deplorável.
E enquanto as EVIDÊNCIAS do Espírito Santo geram na pessoa a
capacidade de fazer o bem e GESTOS DE BONDADE, o que fazem
os espíritos malignos???? Demonizam os indivíduos por eles
escravizados, levando-os a cometer ATROCIDADES.

.
iii – EVIDÊNCIAS / DEMONSTRAÇÕES
(do Espírito Santo habitando várias pessoas ao mesmo tempo,
dada a Sua condição divina):
.
- TORÁ:
“O Senhor desceu na nuvem e lhe falou, e tirou do Espírito
que estava sobre ele e o pôs sobre as setenta autoridades.
Quando o Espírito veio sobre eles, profetizaram, mas
depois nunca mais tornaram a fazê-lo.
(...)
Então, certo jovem correu e contou a Moisés: "Eldade e
Medade estão profetizando no acampamento".
Josué, filho de Num, que desde jovem era auxiliar de
Moisés, interferiu e disse: "Moisés, meu senhor, proíba-os!
"
Mas Moisés respondeu: "Você está com ciúmes por mim?
Quem dera todo o povo do Senhor fosse profeta e que o
Senhor pusesse o seu Espírito sobre eles!"
(LIVRO DOS NÚMEROS 11:25-29)
.
- EVANGELHO:
“Tendo dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os
discípulos alegraram-se quando viram o Senhor.
(...) E com isso, soprou sobre eles e disse: "Recebam o
Espírito Santo. Se perdoarem os pecados de alguém,
estarão perdoados; se não os perdoarem, não estarão
perdoados". (JOÃO 20:20-23)
.
- NOVO TESTAMENTO:
“De repente veio do céu um som, como de um vento muito
forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados.
E viram o que parecia línguas de fogo, que se separaram e
pousaram sobre cada um deles.
Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a
falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava.”
.
“Pelo contrário, isto é o que foi predito pelo profeta Joel:
‘Nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito
sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas
profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão
sonhos.
Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do
meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão.”
(LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS 2: 2-4 e 16-18)
.
EM RESUMO:
Diante do exposto, qual a possibilidade de Maomé ser o Espírito
Santo da Verdade, o Consolador? Nenhuma!
1 – Ele NUNCA FOI ESPÍRITO; tratava-se apenas de um mero ser
humano.
2 - Maomé JAMAIS FOI VERDADEIRO, porque também mentiu,
dizendo-se predito (ALCORÃO, Sura 7:157) numa profecia da Torá
já cumprida em Jesus (DEUTERONÔMIO 18:18 / EVANGELHO
DE JOÃO 5:45-46 e ATOS DOS APÓSTOLOS 3:22-24).
3 – Maomé também NÃO FOI PREDITO POR JESUS, o qual
sequer previu outro profeta; antes, o surgimento de falsos profetas.
Categoria em que, biblicamente, Maomé deve ser enquadrado por
aqueles que conhecem as Sagradas Escrituras.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

4 - A QUESTÃO SURA 65:4 (HN)


- QUESTÃO:
PODE UMA ABOMINAÇÃO (A Pedofilia.)
SER ROMANTIZADA & TRANSFORMADA EM VIRTUDE???
.
I – O CASO AISHA: “ROMANTIZAÇÃO” DE UMA PRÁTICA
INACEITÁVEL?
.
Nas TRADIÇÕES ISLÂMICAS, o Caso Aisha tende a romantizar
algo que na cultura ainda acontece, sem o devido repúdio.
Recentemente, em meus debates com alguns islâmicos,
compartilhava UM VÍDEO que encontrei nas redes.
Naquele vídeo, um já idoso líder religioso irariano lasca, em
público, DEMORADO BEIJO NA BOCA DE UMA CRIANÇA de
cerca de cinco anos. Obviamente que, por pressão, a publicação foi
retirada. Mas lembro-me do olhar complacente (e certamente
amedrontado) da idosa que presenciou o ato libidinoso e nojento
daquele religioso com a menina. Um fato e um dado
EMBLEMÁTICOS do nosso tempo. Também nas páginas de O
GLOBO.COM foi veiculada, anos atrás, a notícia da MORTE DE
UMA MENINA EM PLENA LUA DE MEL com o seu marido, também
adulto. O caso se deu no Yemén.
(http://oglobo.globo.com/mundo/menina-de-oito-anos-morre-
apos-lua-de-mel-com-marido-de-40-9902004)
O “CASAMENTO” DE ADULTOS OU DE IDOSOS COM
CRIANÇAS tem uma tradição, que remonta a Moamé. E eis o que
se apura nos Hadith dos principais compiladores do Islamismo:
.
SAHIH MUSLIM (LIVRO 008, NÚMERO 3310):
- Aisha (Alá esteja satisfeito com ela) relatou: “O apóstolo
de Alá (que a paz esteja sobre ele) se casou comigo quando
eu tinha seis anos, e eu fui admitida em sua casa quando
eu tinha nove anos”.
.
SAHIH BUKHARI (VOL. O7, LIVRO 62, NÚMERO 64):
- Relatou Aisha: que o profeta se casou com ela quando ela
tinha seis anos de idade e consumou o matrimônio quando
ela tinha nove anos, e daí ela permaneceu com ele por nove
anos (até sua morte).
.
SAHIH BUKHARI (VOL. 07, LIVRO 62, NÚMERO 65):
- Relatou Aisha: que o profeta se casou com ela quando ela
tinha seis anos e consumou seu casamento quando ela
tinha nove anos. Hisham disse: “eu tenho sido informado
que Aisha ficou com o profeta por nove anos (até a sua
morte).”
.
SAHIH BUKHARI (VOLUME 07, LIVRO 62, NÚMERO 88):
- Relatou Ursa: O profeta escreveu o contrato de
casamento com Aisha quando ela tinha seis anos e
consumou seu casamento com ela quando ela tinha nove
anos de idade; e ela permaneceu com ele por nove anos
(até a sua morte).
Notas:
Estamos falando de um senhor cinquentão, levando pra sua casa
(Ou levaram-na a ele.) uma menina de apenas seis anos de idade,
para vir a ser uma de suas futuras esposas. E que se teria
consumado o “casamento”, no ato sexual com a mesma, aos nove
de idade dela.
E,
GERALMENTE, NOS DEBATES que tenho tido com islâmicos
(desinformados ou intencionadamente mal informado), verifico da
parte dos mesmos DUAS REAÇÕES extremas.
A primeira é da NEGAÇÃO do fato. Isso com os desinformados
apelando para a suposta bondade e santidade do profeta do
islamismo. Como se, nas mesmas Tradições, não se apurasse o
estupro (Inclusive em massa.) e até a Necrofilia (Sexo com
defuntas.).
A segunda é a TENTATIVA DE “JUSTIFICAÇÃO” da Pedofilia. Hoje
muito praticada pelos integrantes do Terror; por certo os islâmicos
mais autênticos seguidores de Maomé. E apelam (os
intencionadamente mal informados) para razões culturais, etc.
“Esquecidos”, óbvio, de que Deus (O verdadeiro.) subverteu
Sodoma e Gomorra e a humanidade inteira no Dilúvio (Torá /
LIVRO DE GÊNESIS) por perversões bem menos abomináveis.
Em verdade, nas Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.), a
PEDOFILIA (Assim como a NECROFILIA.) não são atribuídas nem
aos piores pagãos. E SEQUER CONSTAM DAS ABOMINAÇÕES
DESCRITAS NO CAPÍTULO 18 DO LIVRO DE LEVÍTICO.
E o silêncio de Deus implica em aprovação????
Jamais.
Deus, nas Sagradas Escrituras ordena PUNIÇÃO EXEMPLAR A
SIMPLES ADÚLTEROS. Os quais, quando da Conquista de Canaã,
deixaram-se seduzir por mulheres também adultas. Instigadas que
foram estas pelo falso profeta Balaão (LIVRO DE NÚMEROS,
capítulo 25.)
Em verdade, todo falso profeta tenderá a praticar ou a instigar a
libertinagem e a perversão sexual (LIVRO DO APOCALIPSE 2:20 /
PRIMEIRA CARTA A TIMÓTEO 4:1-5). No meu artigo “ALGUMAS
PRÁTICAS SEXUAIS: COMO ENTENDER O SILÊNCIO DE
DEUS?”, a visão bíblica sobre tais práticas e perversões sexuais é
analisada com pormenores. Recomendo, portanto, aos leitores.
.
II – NO ALCORÃO (SURA 65:4), QUANDO A VERSÃO É MAIS
HONESTA, A PEDOFILIA PODE TAMBÉM SER APURADA.
.
As VERSÕES ELETRÔNICAS, disponibilizadas na internet, tendem
a ser POLITICAMENTE CORRETAS. E mascaram o fato; do
mesmo modo que também tentam dissimular (ou atenuar) os erros
científicos encontrados no livro tido por sagrado pelos islâmicos.
Mas, quando lemos o Alcorão numa VERSÃO MAIS HONESTA,
como, p.ex., a do Dr. Helmi Nars, temos, então, elementos para
concluir: o Caso Aisha apenas romantiza uma prática, desde então
generalizada. E o mais triste: ainda persistente (em alguns setores
da cultura).
.
- ALCORÃO, Sura 65:4
(Versão eletrônica):
- “Quanto àquelas, das vossas mulheres, que tiverem
chegado à menopausa, se tiverdes dúvida quanto a isso, o
seu período prescrito será de três meses; o mesmo se
diga, com respeito àquelas que ainda não tiverem chegado
a tal condição; e, quanto às grávidas, o seu período estará
terminado quando derem à luz. Mas, a quem temer a
Deus, Ele lhe aplainará o assunto.”
Notas:
1 - Fonte digital: Centro Cultural Beneficente Árabe Islâmico de Foz
do Iguaçu, num download feito por mim em 2014.
2 - O texto, quando lido no seu contexto, classifica o tipo de
mulheres de quem, após o cumprimento de certo trâmite, se podia
Maomé e os islâmicos das mesmas se DIVORCIAR.
Nessa tradução, são elas as “que tiverem chegado à
menopausa”, as “que ainda não chegaram a tal
condição” e as grávidas.
E tudo leva supor tratar-se apenas de mulheres adultas.
3 - Mas... NÃO É ISSO que uma versão mais honesta nos mostra.
.
- ALCORÃO, Sura 65:4
(Versão Corânica Dr. Helmi NARS):
- “E, aquelas de vossas mulheres, que não mais esperam o
menstruo, sua ciddah, se duvidais, será de três meses e,
assim também, a das que não menstruam (2). E as
mulheres grávidas, seu termo será o deporem (3) suas
cargas. E quem teme a Allah, Ele lhe fará facilidade em sua
condição.”
Notas:
1 - Este verso, lido no seu contexto, classifica as mulheres de quem
se podia divorciar.
2 - E são três as categorias:
a) as “que não mais esperam o menstruo” (IDOSAS);
b) as mulheres GRÁVIDAS;
c) e as “que não menstruam”.
Estas últimas, segundo a nota 02, à página 945, da versão do Dr.
Helmi Nars, são as IMPÚBERES: meninas que ainda não se
menstruaram. E se pode também engravidar meninas.
3 - FICA EVIDENTE A PEDOFILIA como uma prática usual e coisa
ordinária. O que nos leva inferir que o Caso Aisha teria sido
romantizado para encobrir uma prática social generalizada.
.
III – RECAPITULANDO, EM TERMOS DE CONCLUSÃO:
A Pedofilia no Islamismo não está somente nos Hadith; está
também no Alcorão.
Nos debates em que participo, não falta seguidores de Maomé que
a queiram ignorá-la, minimizá-la e justificá-la (possível fosse).
Apelam os mesmos para pressupostos culturais. Ignoram que, por
muito menos, a humanidade quase que por completo pereceu no
Dilúvio; e que Sodoma e Gomorra foram reduzidas a cinzas
(LIVRO DE GÊNESIS, capítulos 6, 7 e 19).
Tanto é praticada e aceita em setores da cultura, assim pelos os
mais autênticos seguidores de Maomé nos dias de hoje, os
integrantes do Terror.
INFELIZMENTE: assim como os autênticos cristãos são discípulos
de Jesus, seguem Dele o exemplo, sendo capazes de perdoar e
suplicar perdão para o seus assassinos (LIVRO DOS ATOS DOS
APÓSTOLOS, capítulo 7:54-60)... os discípulos de Maomé sempre
fizeram, estão fazendo e farão o mesmo que o profeta do
Islamismo: cometer atrocidades e se dar a práticas sexuais
biblicamente execráveis.
AGORA: duro é ter que ouvir de algum islâmico (Geralmente,
desinformado, quando não intencionadamente mal informado.),
discursos hipócritas, em nome de valores morais e familiares, numa
religião cujo valores foram, desde o início, distorcidos.
SAIBA MAIS:
http://www.exmuculmanos.com/aisha-a-noiva-crianca-de-maome/
.

.
5 - A QUESTÃO SURA 2:34
- QUESTÃO: QUE "DEUS" É ESSE
QUE TERIA ORDENADO A MORTE DOS "IDÓLATRAS"
NA TERRA E A PRÁTICA DA IDOLATRIA NO CÉU???
.
- ALCORÃO, Sura 2:34:
“E quando dissemos aos anjos: Prostrai-vos ante Adão!
Todos se prostraram, exceto Lúcifer que, ensoberbecido,
se negou, e incluiu-se entre os incrédulos.”
Nota:
NO ALCORÃO, OS CRISTÃOS SÃO ACUSADOS DE IDÓLATRAS.
E isso porque, na limitada capacidade de compreensão teológica de
quem o escreveu, eles adorariam três deuses (SURA 5:73).
LAMENTAVELMENTE,
a infundada acusação serviu de “justificativa” para que se lhe
fossem feitas guerras. E tais guerras, no banho de sangue que
Maomé fez derramar na Arábia do Século VII, resultaram no
extermínio de clãs inteiros.
MAS...
o mesmo aconteceu aos judeus; e estes, assim como os islâmicos,
também não aceitam o testemunho das Escrituras de que Jesus é
Deus. Logo, percebe-se que tal acusação, mentirosa, apenas serviu
de vergonhosa "justificativa" às atrocidades que foram cometidas.
Mesmo diante do horror do passado, A GRANDE DESGRAÇA DOS
NOSSOS DIAS é que: fundamentados novamente em tais
suposições; alimentadas agora pelas guerras religiosas com
pseudo-cristãos, ao longo da História, a partir das Cruzadas; os
mais autênticos seguidores de Maomé (os integrantes do Terror
islâmico) repetem as atrocidades cometidas pelo profeta do
Islamismo.
E O QUE É PIOR: com o mesmo aval dos MAIS DE CEM VERSOS
SANGUINÁRIOS do Alcorão e das outras escrituras, as Tradições
Islâmicas.
TODAVIA...
Quando o TEMA IDOLATRIA é discutido com o rigor (bíblico)
necessário; e as CONTRADIÇÕES CORÂNICO-ISLÂMICAS são
analisadas à luz da verdade; CONCLUSÕES SURPREENDENTES
podem ser tiradas. E elas geram TRÊS PERGUNTAS que o
Islamismo não tem como responder; senão com o silêncio ou
entrando em flagrante contradição.
.
I – ALLAH É MESMO DEUS? E HÁ MONOTEÍSMO, SEM
SEQUER A ADORAÇÃO AO DEUS VERDADEIRO???
.
A resposta bíblica é Não!
Pois, Deus nas Sagradas Escrituras é bem mais que o nome (ou
título) Deus, atribuído a qualquer outro ser. E O BÁSICO DA
ARGUMENTAÇÃO de que o deus corânico NÃO é o mesmo Deus
bíblico é o seguinte:
O ALLAH jamais poderia ser considerado o Deus verdadeiro, dado
o fato de possuir o caráter satânico da mentira. Assume-se
DIS/SIMULADOR (Mentiroso.), nas Suras 4:157-158, 3:55, 3:96, )
e MANDA MENTIR, nas 3:28 e16:106. E, segundo as Sagradas
Escrituras (Leia-se: Bíblia.), ISSO É COISA DE QUEM TEM PARTE
COM O DIABO, até podendo ser o próprio.
PALAVRAS DE JESUS:
"Ele (O DIABO ) foi homicida desde o princípio e jamais se
firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando
ele profere mentira, fala do que é próprio, porque é
mentiroso e pai da mentira." (EVANGELHO DE JOÃO 8:44-b)
.
É evidente que a argumentação não fica apenas nisso. E ela está
pormenorizada no capítulo QUESTÃO 01. E, do mesmo modo, a
concepção do seja Deus, profeta e escritura sagrada evidenciada
nos meus escritos (principalmente nesta obra) dão sustentação ao
que digo.
.
.
II - A FINAL, QUE “DEUS” É ESSE, QUE TERIA ORDENADO A
MORTE DOS “IDÓLATRAS” NA TERRA E A PRÁTICA DA
IDOLATRIA NO CÉU???
.
- ALCORÃO, Sura 2:34:
“E quando dissemos aos anjos: Prostrai-vos ante Adão!
Todos se prostraram, exceto Lúcifer que, ensoberbecido,
se negou, e incluiu-se entre os incrédulos.”
Notas:
1 – Esta estória (e não história) é mais uma das muitas estórias
corânicas que não se encontram na Bíblia, visto que o Alcorão
também reconta ao seu modo muitas delas. Trata-se na verdade de
um ABSURDO TEOLÓGICO (ou mais um, dentre tantos).
E nem mesmo se trata de uma suposição (Diriam os islâmicos,
“revelação”.) original; a fonte deste plágio é talmúdica.
2 – Nas minhas discussões com islâmicos, deparo com algumas
DESCULPAS:
i – A PRIMEIRA seria de que o ato de prostrar-se (ou prosternar-se,
dependendo da versão) NÃO SERIA ADORAÇÃO; MAS,
REVERÊNCIA. É evidente que o texto corânico não está inferindo
isso. E, nas Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.), quando se dá
algum encontro entre essas criaturas, acontece exatamente o
contrário. São os homens que reverenciam os anjos; alguns,
temerosos, até querem se prostrar. E são impedidos pelos anjos de
tal ato. COM O AGRAVANTE de que a ordem para o ato idólatra
teria sido dada por Deus, a quem o Islamismo supõe ser Allah.
ii – A SEGUNDA desculpa é de que seria (a ordem para adorar
Adão) UM TESTE À OBEDIÊNCIA dos anjos. Ora, se teria sido
mesmo um teste, seria aprovado quem se recusasse ao ato
idólatra. E aceitável a justificativa de que a adoração se presta
somente a Deus.
iii – A CONTRADIÇÃO FICA AINDA MAIOR porque o ato (idólatra)
teria sido ordenado por Deus. E Satanás, ao recusar-se em adorar
outra criatura, teria feito o que é correto. Logo (ou pelo menos por
isso), não deveria ser penalizado: incluído ou contado com os
incrédulos, diz o contraditório Alcorão.
E NÃO FICA SÓ NISSO a extensão da contradição: tal estória
corânica sequer se trata de uma nova “revelação”; é, antes,
plagiada do Talmude. Confirme nos informa Jay Smith, estudioso
da cultura, no seu O Corão, Uma Análise Apologética.
.
III - E... POR FALAR EM IDOLATRIA, NA PRÁTICA:
.
1 – O ALCORÃO DIZ (Sura 21:66):
“Porventura, adorareis, em vez de Deus, quem não pode
beneficiar-vos ou prejudicar-vos em nada?”.
2 – MAS...
SE ERA UM O COMPORTAMENTO DE MAOMÉ EM PÚBLICO...
.
- Narrou Ibn Abbas
Quando o Apóstolo de Allah veio a Meca, ele se recusou a
entrar na Kaaba com os ídolos dentro. Ele ordenou (que os
ídolos fossem retirados). Assim, eles foram retirados. As
pessoas tomaram as imagens de Abraão e Ismael
segurando Azlams com suas mãos. O Apóstolo de Allah
disse, “Que Allah amaldiçoe essas pessoas. Por Allah, tanto
Abraão quanto Ismael nunca fizeram jogo de sortes com
Azlams.” Então, ele entrou na Kaaba e recitou Takbir nos
cantos, mas não ofereceu oração.
(BUKHARI, VOL. 02, LIVRO 26, NÚMERO 671)
.
3 – OUTRO ERA O SEU COMPORTAMENTO, EM PARTICULAR:
.
- Salim narrou que seu pai disse:
Eu vi Apóstolo de Allah chegar a Meca, ELE PRIMEIRO
BEIJOU O CANTO DA PEDRA NEGRA, enquanto fazia
Tawaf e fez ramal nas primeiras três voltas das sete voltas
(de Tawaf).
(BUKHARI, VOL. 02, LIVRO 26, NÚMERO 673)
- Narrou Az-Zubair bin ‘Arabi:
Um homem perguntou a Ibn ‘Umar sobre tocar a Pedra
Negra. Ibn ‘Umar disse, “Eu vi o Apóstolo de Allah tocando
e beijando-a.” O que perguntava disse, “Mas, e se houver
uma multidão (muitos à volta) em torno da Kaaba e as
pessoas me impedirem, (o que devo fazer?)” Ele respondeu
com raiva, “Fique no Iêmen (já que esse homem era do
Iêmen). EU VI O APÓSTOLO DE ALLAH TOCANDO E
BEIJANDO-A [a pedra negra]”.
(BUKHARI, VOL. 02, LIVRO 26, NÚMERO 680)
- Narrou Rabia 'bin Abis:
'Umar veio perto da Pedra Negra, beijou-a e disse: "Sem
dúvida, eu sei que você é uma pedra E QUE NÃO PODE
BENEFICIAR NEM PREJUDICAR NINGUÉM. Se eu não
tivesse visto o beijo do Apóstolo de Allah, eu não teria te
beijado".
(BUKHARI, VOL. 02, LIVRO 26, NÚMERO 667)
CONCLUSÃO:
A religião que mais matou idólatras ou supostos idólatras (Caso dos
cristãos.) na História da humanidade:
a – Sequer pode dizer que adora o Deus das Sagradas Escrituras
(Leia-se: Bíblia);
b – Não tem como justificar a matança de idólatras e de supostos
idólatras na terra e um ato coletivo de idolatria no Céu, o qual teria
sido ordenado pelo próprio Deus (Mas... como???);
c – E pior: tem no seu profeta (O qual beijava e conversava com
uma pedra.) um exemplo nada exemplar de Monoteísmo.
A PERGUNTA QUE FICA:
E como resolver tamanhas contradições, tendo-se em vista o
verdadeiro Monoteísmo? Poderia mesmo o Islamismo fazê-lo???
.
.

6 - A QUESTÃO
- SURAS 4:136; 6:34; 5:46-48, 65-66; 7:157; 10:94; 61:6, etc.:
.
1 - SERIA CORRETO O CONCEITO
CORÂNICO-ISLÂMICO DE ESCRITURAS SAGRADAS?
.
2 - EXISTIRIA (NO ALCORÃO) BASE PARA A ACUSAÇÃO
DE UMA SUPOSTA ALTERAÇÃO/ADULTERAÇÃO DA BÍBLIA??
.
3 - E A ACUSAÇÃO DE UMA SUPOSTA ADULTERAÇÃO:
PODE SER DESMENTIDA ATRAVÉS DO ALCORÃO???

.
I – SOBRE O CONCEITO ISLÂMICO DE ESCRITURAS
SAGRADAS: Seria Biblicamente Correto???
Resposta: Não!
.
i – A BÍBLIA NÃO RECONHECE O ALCORÃO:
Em termos estritamente bíblicos, Allah NÃO é o Deus das
Sagradas Escrituras; Maomé NÃO é profeta do Deus bíblico; e,
consequentemente, NÃO pode ser o Alcorão considerado Palavra
do Deus da Bíblia. Em verdade, Allah, Alcorão, Maomé, Islamismo,
Caaba (Local onde teria originado o culto islâmico.), sequer são
mencionados nas Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.).
(Assim como a cidade de MECA. Embora islâmicos desinformados
insistam, Pasmem-se!, em dizer que o vale de Baca, nas antigas
versões do SALMO 84:6, seria uma referência à cidade. Cidade
inexistente nas Escrituras, na Antiguidade bíblica e da própria
História. No Salmo, um judeu está se dirigindo ao Templo _ “Casa
do meu Deus”. _ de Jerusalém: “Sião.”. E que necessidade ele teria
de sair de Israel e passar pela Arábia para chegar à Jerusalém?
Nenhuma. Tal suposição, dentre tantas, apenas evidenciam o
desespero islâmico em querer buscar na Bíblia a autoridade que o
livro sagrado ao Alcorão jamais confere.)
A BÍBLIA NÃO CORROBORA O ALCORÃO;
nem é corroborada (em se tratando das suas principais doutrinas)
pelo mesmo; e nem disso precisa. Tendo, inclusive, terminada a
sua formação cerca de 700 anos antes. O Alcorão é que,
contraditoriamente, faz referência à Bíblia; supondo afirmar uma
autoridade que o mesmo não possui e que as Sagradas Escrituras
nem em uma só linha lhes conferiu..
.
ii – PRIMEIRA CONTRADIÇÃO:
O ALCORÃO RECONHECE APENAS EM PARTE A BÍBLIA.
.
1 - DA BÍBLIA CONSIDERADA SAGRADA, a que engloba os 39
livros da Bíblia Hebraica (NT) e os 27 do Novo Testamento, o
Alcorão textualmente somente reconhece o EVANGELHO e a
TORÁ.
2 - SOBRE OS EVANGELHOS: quem de verdade escreveu o
Alcorão não sabia exatamente sobre o quê estava falando, ao se
referir a eles. Sabe-se: embora sendo quatro, os Evangelhos são
considerados partes de um mesmo livro: A Palavra de Deus.
Ou livros que compõem uma mesma biblioteca sagrada: A Bíblia.
O verdadeiro autor da Bíblia é o Espírito Santo (SEGUNDA CARTA
DE PEDRO 1:19-21 / LIVRO DE ATOS DOS APÓSTOLOS 28: 23-
29). Enquanto que os autores dos livros (Profetas, Historiadores,
Salmistas, Evangelistas, Missivistas, dentre outros.) funcionam
como escritores por Ele inspirados. Logo, quando se usa o termo
EVANGELHO NO SINGULAR está se referindo a todos eles, pois,
preservam, no seu conjunto, a história da primeira Vinda e os
ensinamentos do Messias Jesus Cristo, com a promessa da Sua
volta. Quando se quer identificar um dos quatro Evangelhos,
menciona-se, então, o autor. E quando se refere a eles em seu
conjunto, identifica-os em o EVANGELHO DE JESUS CRISTO.
NO ALCORÃO, PORÉM...
É usado o termo EVANGELHO, mas, fica evidente: quem teria
“revelado” o Alcorão e alega ter ajudado os discípulos de Jesus
(SURA 61:14) desconhece o teor dos mesmos. Pois estes,
PROCLAMAM A DEIDADE E AOBRA REDENTORA DE JESUS
CRISTO; enquanto que a escritura islâmica intenta negá-las. Sem
sucesso, obviamente.
EM TEMPO:
Esta questão é tratada com pormenores num dos capítulos do
meu A BÍBLIA & O ISLÃ: 50 PERGUNTAS, intitulado SABIA
MAOMÉ (Ou Quem Em Verdade Escreveu O Alcorão)
SOBRE O QUÊ EXATAMENTE ESTAVA FALANDO,
QUANDO FAZ REFERÊNCIA AO EVANGLHO (Injil)?
.
3 – Além de somente aceitar o EVANGELHO (Mas, qual ou todos?)
e a TORÁ, o Alcorão reconhece alguns profetas bíblicos: João
Batista, Jó, Davi e Salomão. E, daí, surge OUTRA
CONTRADIÇÃO: a de ter por profeta escritores como Davi e
Salomão e fazer referência a Jó, sem, porém, reconhecer os seus
escritos (LIVRO DOS SALMOS, CANTARES, ECLESIASTES,
LIVRO DOS PROVÉRBIOS e o LIVRO DE JÓ.) Trata-se
evidentemente de algo inexplicável.
.
iii – A CONTRADIÇÃO MAIOR:
JESUS (Reconhecido também no Alcorão como o Verbo divino e o
Messias esperado pelos judeus.) NÃO ACEITARIA O CONCEITO
ISLÂMICO DE ESCRITURAS SAGRADAS.
De fato, Ele não reconhece apenas a Torá, mas, também os
(escritos dos) Profetas. E, na prática, todo o Antigo Testamento.
PARA A DEVIDA COMPREENSÃO E EXEMPLIFICAÇÃO:
.
.

“ANTIGO TESTAMENTO:
SE JESUS NÃO O QUESTIONOU, QUEM PODERIA?
.
1 – Aquele Que Poderia Questionar, Não O Fez; Pelo
Contrário, Ratificou. E, Fazendo Isso, Confere
Confiabilidade Ainda Maior Ao Antigo Testamento.
Os primeiros livros do ANTIGO TESTAMENTO são quase 1500
anos mais antigos que o Novo Testamento. E os últimos (Caso
de Zacarias e Malaquias.), cerca de 500. E, se há alguém que
poderia questionar a confiabilidade dos livros do AT, quando
esteve entre nós, este seria JESUS. Ele, porém, não o fez;
antes, RATIFICOU de certo modo, ao não questionar as
Escrituras anteriores à Sua vinda. Como, também, ao fazer
referência à grande parcela da mesma.
JESUS É O VERBO DE DEUS E O MESSIAS esperado (Embora,
como fora previsto, rejeitado.) pelos judeus. E até o Alcorão,
mesmo NÃO podendo ser aceito como escritura sagrada por
quem conhece a Bíblia, também O reconhece como tal (SURA
3:45).
Jesus iniciou o Seu ministério público, fazendo a leitura (como
era de Seu costume) do LIVRO DO PROFETA ISAÍAS. A cópia
do livro que Jesus leu (Evangelho de Lucas, capítulo Quarto)
NÃO era, obviamente, a composição (Manuscrito.) original
daquele livro sagrado. Isaías tinha vivido 750 anos antes. E em
virtude do PAPIRO, o manuscrito que o Senhor manuseou
seria, no mínimo, o produto de uma terceira série transcrições
do original. E o original do livro de Isaías havia se
desintegrado, há pelo menos 500 anos.
.
- QUESTÃO DE ORDEM PRÁTICA
(Ou quais as implicações, em termos de
ilustração)?
O FATOR TEMPO, contado entre a data em que o profeta,
inspirado pelo Espírito Santo escreveu o livro e a data em que
Jesus o manuseou, NÃO SERVIU DE PRETEXTO para o
questionamento à confiabilidade daquela Escritura Sagrada. E,
LOGICAMENTE, A AUSÊNCIA DO MANUSCRITO ORIGINAL,
desintegrado há séculos. Ao contrário de ter sido preservado
por um “obrigatório” milagre.
Eis, em se tratando dos livros do Antigo Testamento o que
deveria ser a primeira regra. Pois a conservação de um texto
sagrado por tanto tempo, sem ser questionado por quem de
direito deveria (O Senhor Jesus.), já se pressupõe um milagre:
o do agir soberano de Deus na História. E na história da escrita
e conservação destes mesmos livros. Além, óbvio, de sua
também aceitação como sagrados por aqueles de direito: os
seus primeiros destinatários. No caso do AT, os judeus.
.
Jesus também conhecia o NÍVEL DE EXCELÊNCIA (Não,
todavia, perfeição.) que os judeus adquiriram, desde Moisés,
na transmissão e NA CONSERVAÇÃO DAS ESCRITURAS
Sagradas. Afinal, eram 1500 anos de ofício. E a isso se juntava
a força que continuou tendo entre os mesmos a TRADIÇÃO
ORAL, com rabinos capazes de memorizar livros inteiros,
principalmente a Torá.
.
Somente apelam para a ARGUMENTAÇÃO TACANHA, de que
a ausência da composição original teria implicado
necessariamente na adulteração da mensagem dos livros
bíblicos, indivíduos que:
a – estão DESINFORMADOS (ou intencionadamente mal
informados) dos PROCESSOS TECNOLÓGICOS, observados
ao longo da História, na conservação dos mesmos. Um saber
que se resolve basicamente em quatro palavras: PAPIRO,
PERGAMINHO, PAPEL, IMPRENSA.
b – No que diz respeito às Sagradas Escrituras (Leia-se:
Bíblia.), são pessoas com uma CONCEPÇÃO TAMBÉM
TACANHA DE DEUS. Para os tais, falo dentro da perspectiva
teológica, Deus NÃO age soberanamente na História. E o
homem (através das religiões e/ou do Estado) teria a
capacidade de alterar a revelação pela qual Ele, o próprio Deus,
vela para fazê-la se cumprir (Livro do Profeta Jeremias 1:12) .
Neste caso, teríamos UM “DEUS” DESPROVIDO DE
ONIPOTÊNCIA, sem condição de prover os meios de
impedimentos e/ou de correção. Como também, UM “DEUS”
DESPROVIDO DA ONISCIÊNCIA; o qual, teria recomendado (em
algum momento da História) a observância de escrituras
(sagradas) adulteradas no seu sentido, como se não o fosse. E
ele mesmo também não o soubesse. Convenhamos: isso é
advogar a ESTUPIDEZ TEOLÓGICA.
c – São, enfim, pessoas DESPROVIDAS DE UM SABER
COMPARATIVO/ILUSTRATIVO do grande diferencial existente
entre os textos bíblicos (No caso, aqui, para ilustração, O
NOVO TESTAMENTO.) e algumas das principais obras da
literatura universal.
(...)
2 – Referências do Antigo Testamento no Novo.
.
A BÍBLIA PROTESTANTE, quando se trata do Antigo
Testamento, reúne os mesmos livros da Hebraica. E os livros
do AT considerados inspirados (em número de 39), foram
definidos com tal pelos judeus, no Concílio de Jamnia. Isso se
deu por volta dos Anos 100 d.C.
(...)
O cânon judaico das Antigas Escrituras recebeu o nome de
TANACH. E os OUTROS CRITÉRIOS seriam a aceitação
somente de livros escritos dentro do território judaico e que
não contrariassem a Torá.
.
- QUESTÃO DE ORDEM PRÁTICA:
A Septuaginta é também PROVA DOCUMENTAL da existência
de cópias manuscritas dos livros integrantes do AT, em pelo
menos 200 anos, antes de Jesus. Embora, somente no final do
Século I é que foram definidos, num concílio (reunindo
fariseus, saduceus e essênios), quais os considerados
inspirados.
CABE, TAMBÉM, OBSERVAR: no Cânone Judaico, os 39 livros
estão reunidos como se fossem apenas 24. Eles são agrupados
em TRÊS CONJUNTOS: A Lei, Os Profetas e Os Escritos.
Nessa forma de agrupamento, I e II Samuel formam um só; o
mesmo acontece com I e II Reis; e o mesmo ocorre com Esdras
e Neemias . Os profetas considerados “menores”, formam
também um só livro: Os 12 profetas.
.
- QUESTÃO DE ORDEM PRÁTICA (02):
Tendo os seus livros citados numa quase totalidade, a
CONFIABILIDADE do Antigo Testamento é atestada pelo
Novo?
Sem dúvida.
Antes do Novo Testamento ser formado, entre os anos 40 a 90
d.C., o Antigo foi utilizado pelos cristãos na evangelização. E
estes, teriam que convencer ao mundo, a começar dos judeus,
de que Jesus era o Cristo (o Messias esperado). E dos 39 livros
apenas Esdras, Neemias, Ester, Eclesiastes e Cantares de
Salomão NÃO estão citados no NT. Ora, se o Novo Testamento
confere tamanha autoridade ao Antigo, nenhuma outra
escritura supostamente sagrada (Como é o caso do Alcorão.)
poderia dizer o contrário.
- QUESTÃO DE ORDEM PRÁTICA (03):
E Jesus, quantos são os livros do Antigo Testamento que
Ele faz/aceita referência?
O total é de Vinte (20). E se considerarmos que I e II Livro de
Samuel, assim como I e II Reis formam, na Bíblia Hebraica, um
só volume e que Ele faz referência a Salomão, escritor (e/ou
compilador) também dos Provérbios, do Livro do Eclesiastes e
dos Cânticos, teríamos, então, Vinte e Cinco (25).
JESUS FAZ REFERÊNCIA A:
01 – Livro de Gênesis 1:27, etc. (em Mateus 19:4, etc);
02 – Livro do Êxodo 3:13-15, etc. (em Mateus 22:32, etc.);
03 – Livro de Levítico 19:12, etc. (em Mateus 5:33, etc.);
04 – Livro dos Números (em Mateus 9:36);
05 – Livro de Deuteronômio 18:18, etc. (em João 5:45-47, etc.);
06 – I Livro de Samuel 21:1-6 (em Marcos 2:23-26, etc.);
lembrando que, na Bíblia Hebraica, os dois livros de Samuel
formam apenas um.
07 – II Livro dos Reis 1:10-11 (em Mateus 9:54 e Apocalipse
20:9), lembrando que, na Bíblia Hebraica, os dos livros de Reis
formam um só volume.
08 – I Livro das Crônicas 17:13 (em Apocalipse 21:7);
09 – II Livro das Crônicas 18:6 e 30:2 (em Marcos 6:34);
10 – Livro de Jó 16:19 (em João 5:36-37, etc.);
11 – Livros dos Salmos 22:11, etc. (em Marcos 15:34, etc.);
12 – Livros do Profeta Isaías (em todos os Evangelhos);
13 – Livro do Profeta Jeremias 7:11, etc. (em Marcos 11:17,
etc.);
14 – Livro do Profeta Ezequiel 37:5 e 10, etc. (em Apocalipse
11:11, etc.)
15 – Livro do Profeta Daniel 11:31, etc. (em Marcos 13:14, etc.);
16 – Livro do Profeta Oséias 6:6 (em Mateus 9:13, etc.);
17 - Livro do Profeta Jonas 2:17 (em Mateus 12:40);
18 – Livro do Profeta Miquéias 7:6 (em Mateus 10:35-36);
19 – Livro do Profeta Zacarias 9:9, etc. (em Mateus 21:1-11,
etc.);
20 – Livro do Profeta Malaquias 3:1 (em Lucas 7:27, etc.).
CONCLUSÃO:
SÃO 3500 ANOS DE HISTÓRIA destes 39 livros. Eles NÃO
foram questionados por Jesus e são citados, na sua quase
totalidade, no Novo Testamento, recém-formado no final do
Século I. OS CRITÉRIOS de escolha, assim como aconteceu
com o NT, são INDISCUTÍVEIS. Pode-se alegar que os judeus
de Jamnia tinham rejeitado a Jesus e que aquele Concílio era
anti-Cristão. Mas, ninguém pode ignorar também DOIS FATOS
IMPORTANTES: a rejeição ao Messias fora prevista desde mil
anos antes (Davi, Isaías, Daniel, Zacarias, etc.); e naquele
concílio também apenas se ratificaria uma tradição, vinda de
quando a última Escritura (Livro do Profeta Malaquias.) fora
entregue por Deus.”
.
Extraído de
EM DEFESA DA BÍBLIA (03): Resolvendo & Refutando
Conceitos Sobre Supostas Alterações, Na Perspectiva
Teológica do Que Sejam Deus & Escrituras Sagradas.
(http://missaoimpactar.blogspot.com.br/2016/11/em-defesa-da-
biblia-03-parte-i.html)
.
II – O TESTEMUNHO DO ALCORÃO SOBRE AS ESCRITURAS
BÍBLICAS.
.
Estudiosos das Tradições Islâmicas, como John Gilchrist, nos
informam: os primeiros e RENOMADOS TRADICIONALISTAS
islâmicos, como Al-Tabari, Abu Hamid Al-Ghazzali e Fakhruddin
Razzi, NÃO QUESTIONARAM A BÍBLIA (na sua autoridade e
autenticidade).
Até porque NÃO HÁ BASE CORÂNICA PARA ISSO.
A acusação leviana de que a Bíblia teria sido adulterada (Sem que
se comprove quando, onde exatamente e por quem.) termina por
deixar em evidência MAIS OUTRA CONTRADIÇÃO do Islam
moderno: fazer suposições com as quais nem mesmo o seu livro
tido por sagrado concorda.
GERALMENTE, QUANDO EM DEBATE e algum islâmico insiste
em tais acusações, EU LHES FAÇO UM DESAFIO e o cumpro:
desmentir-lhe, a partir do próprio Alcorão.
Na parte final deste artigo, demonstrarei como. Por ora, importa
mostrar que O TESTEMUNHO CORÂNICO SOBRE AS
ESCRITURAS BÍBLICAS não sustenta a acusação de adulteração
das mesmas. Antes, pelo contrário.
.
i - SURAS 5:46-47 e 68:
- “E depois deles (profetas), enviamos Jesus, filho de
Maria, corroborando a Tora que o precedeu; e lhe
concedemos o Evangelho, que encerra orientação e luz,
corroborante do que foi revelado na Tora e exortação para
os tementes.
Que os adeptos do Evangelho julguem segundo o que
Deus nele revelou, porque aqueles que não julgarem
conforme o que Deus revelou serão depravados.”
.
- “Ó adeptos do Livro, em nada vos fundamentareis,
enquanto não observardes os ensinamentos da Tora, do
Evangelho e do que foi revelado por vosso Senhor! Porém,
o que te foi revelado por teu Senhor, exacerbará a
transgressão e a incredulidade de muitos deles. Que não
te penalizem os incrédulos.”
Nota:
1 - O Evangelho encerraria “LUZ E ORIENTAÇÃO”.
2 – Os cristãos deveriam julgar pelo o que nele está revelado.
Logo, O AUTOR CORÂNICO ADMITE A EXISTÊNCIA MATERIAL
DO LIVRO (ou livros inseridos na Bíblia, séculos antes do
Islamismo ser fundado). Os Evangelhos, comprovadamente, já
estavam reunidos nos principais manuscritos e nas versões antigas
da Bíblia, desde o Século II e III.
3 – O autor corânico também RECONHECE A REVELAÇÃO
DIVINA do Evangelho. E a única conclusão aceitável, tendo-se em
vista o tempo e o espaço da declaração, é a de que sejam os
Evangelhos bíblicos: MATEUS, MARCOS, LUCAS e o de JOÃO .
.
ii - SURA 4:136:
“Ó fiéis, crede em Deus, em Seu Mensageiro, no Livro
que Ele lhe revelou e no Livro que havia sido revelado
anteriormente. Em verdade, quem renegar Deus, Seus
anjos, Seus Livros,
Seus mensageiros e o Dia do Juízo Final, desviar-se-á
profundamente.”
Nota:
Por esta sura (verso), OS PRÓPRIOS MUÇULMANOS DEVEM
CRER NAS ESCRITURAS BÍBLICAS. E como, então, acreditar em
escrituras supostamente alteradas? Ao Islamismo somente restam
o silencio ou as contradições.
.
iii - SURA 29:46:
“E não disputeis com os adeptos do Livro, senão da
melhor forma, exceto com os iníquos, dentre eles. Dizei-
lhes: Cremos no que nos foi revelado, assim como no que
vos foi revelado antes; nosso Deus e o vosso são Um e a Ele
nos submetemos.”
1 - Notas:
OS “ADEPTOS DO LIVRO”: JUDEUS E CRISTÃOS. E o Livro,
somente pode ser A BÍBLIA, na sua reunião do Novo e do Antigo
Testamento num só volume.
2 - Há PROVAS HISTÓRICAS E DOCUMENTAIS IRREFUTÁVEIS
quanto a isso. Pois os livros da Bíblia em circulação no mundo, nos
tempos de Maomé, eram os mesmos em circulação desde o século
I até os nossos dias. E não há como o profeta do Islamismo ter feito
referência a outras escrituras tidas por sagradas, de posse de
judeus e cristãos. Ainda que se possa, através do próprio Alcorão,
comprovar a ignorância de Maomé sobre o tema.
3 - INDICAÇÕES DE LEITURA: A Bíblia e o Alcorão, Uma
Comparação Histórica e Evidências Para A Autoridade da
Bíblia, ambas as obras de Jay Smith; e o meu RESPOSTA AO
ISLÃ (O que todo cristão precisa saber sobre o Islamismo e
sobre a sua própria fé) – Vol. 01.
.
iv - SURAS 10:94 e 21:7:
- “Porém, se estás em dúvida sobre o que te temos
revelado, consulta aqueles que leram o Livro antes de ti.
Sem dúvida que te chegou a verdade do teu Senhor; não
sejas, pois, dos que estão em dúvida.”
.
- “Antes de ti não enviamos nada além de homens, que
inspiramos. Perguntai-o, pois, aos adeptos da Mensagem,
se o ignorais!”
Notas:
1 - Os muçulmanos (e o próprio Maomé) DEVERIAM, NO CASO DE
DÚVIDAS, RECORRER AOS JUDEUS E AOS CRISTÃOS.
2 – É preciso observar que o Alcorão somente seria compilado, de
acordo com a tradição sunita, depois da morte de Maomé.
Logo, estas Suras são, também, O RECONHECIMENTO DA
EXISTÊNCIA MATERIAL DAS ESCRITURAS BÍBLICAS, antes do
Alcorão existir como livro. E, como seria possível consultar e
através delas tirar as dúvidas, inclusive de Maomé, em livros
(bíblicos) supostamente inexistentes ou adulterados???
Óbvio que os acusadores islâmicos do nosso tempo só podem se
recolher ao silêncio ou recorrer a inúmeras contradições.
3 – Os adeptos do Livro, em outras versões e versos, “os sábios da
Mensagem”, são, como já informei os judeus e os cristãos. E estes,
tinham em guarda os seus respectivos livros sagrados: o Antigo e o
Novo Testamento que hoje conhecemos.
.
v - ALCORÃO, Suras 6:34; 50:28-28 e 61:14:
- “Já outros mensageiros, anteriores a ti, foram
desmentidos; porém, suportaram abnegadamente os
vexames e os ultrajes, até que Nosso socorro lhes chegou.
Nossas decisões são inexoráveis; e conheces a história dos
Nossos mensageiros anteriores.” (6:34)
Nota:
Na versão corânica do Dr. Helmi Nars, diz:
“Não há quem troque as palavras de Allah”.
.
- “Dir-lhes-á (Deus): Não disputeis em Minha presença,
uma vez que nos enviei antecipadamente a advertência.
A palavra é insubstituível perante Mim, e jamais sou
injusto para com os Meus servos.” (50:28-29)
Nota:
Na versão do Dr. Helmi Nars, diz: “O Dito não se altera.”
.
- “Ó fiéis, sede os auxiliadores de Deus, como disse
Jesus, filho de Maria, aos discípulos: Quem são os
meus auxiliadores, na causa de Deus? Responderam: Nós
somos os auxiliadores de Deus! Acreditou, então, uma
parte dos israelitas, e outra desacreditou; então,
socorremos os fiéis contra seus inimigos, e eles saíram
vitoriosos.” (61:14)
Nota:
SE A PALAVRA DE DEUS NÃO MUDA; conforme também alega o
Alcorão (Suras 6:34 e 50: 28-29); COMO PODE UM ISLÂMICO
INSISTIR NA TESE DE QUE A BÍBLIA Ou livros da mesma que o
Islam alega teria sido revelados pelo deus corânico.), apenas
conteriam a Palavra de Deus, porque TERIA SIDO ADULTERADA?
ISSO NOS LEVA, INICIALMENTE, A QUESTÕES (CRUCIAIS):
.
1 - Será que o deus corânico não poderia agir (Como o Deus da
Bíblia.), soberanamente na história, na preservação da revelação
que alega teria dado?
2 – E o deus corânico não deveria, TAL COMO o Deus da Bíblia (I
Reis 19: 14-18.), ter em todos os tempos os seus fiéis, para que
estes preservassem inalterada a guarda de Seus preceitos?
.
3 - O Islamismo alega que o deus corânico teria revelado apenas a
Torá e o Evangelho (Mas qual?). E entra em conflito com a Bíblia e
também com o próprio Jesus Cristo (a quem, contraditoriamente, O
Alcorão reconhece como o Messias e o Verbo divino). É sabido:
tanto Jesus quanto os Seus discípulos, os escritores do NT,
reconheciam não apenas a Torá, mas todo o Antigo Testamento.
CONCLUSÃO:
JESUS E OS ESCRITORES DO NT DESMENTEM O ALCORÃO
COM UMA ANTECEDÊNCIA DE 600 ANOS.
E como pode o deus corânico:
a - Além de não agir soberanamente na História, para a
preservação da revelação que alega teria dado;
b - Aprovar e ajudar pessoas (Os discípulos de Jesus.) cujos
ensinamentos contradizem frontalmente as doutrinas
do livro tido por sagrado pelo Islamismo?
c – E SERÁ que a maioria dos islâmicos sabe ser ERRÔNEO O
PENSAMENTO de que seria O HOMEM CAPAZ DE ALTERAR A
PALAVRA DE DEUS? E que, além de não encontrar respaldo no
próprio Alcorão, tal pensamento somente viria ganhar força na sua
religião séculos depois da compilação de tal livro?
.
vi – SURA 61:6-a (HN):
- “E quando Jesus, filho de Maria, disse: “Ó filhos de
Israel! Por certo, sou para vós o Mensageiro de Allah, para
confirmar a Torá, que havia antes de mim, e anunciar um
Mensageiro, que virá depois de mim, cujo nome é Ahmad.”
Notas:
1 – Jesus JAMAIS PREVIU a vinda de outro profeta ou ser
meramente humano. Previu a vinda do Espírito Santo, o qual, nas
Sagradas Escrituras, é reconhecido (Chamado literalmente.) como
Deus (LIVRO DE ATOS 5:1-4). Jesus predisse o Espírito para
àqueles dias (Os dias seguintes aos Dele na Terra.) e Maomé
somente iria nascer 500 anos depois.
.
2 - A contradição islâmica, ao querer fazer supor ter sido a Bíblia
alterada chega ao extremo. Maomé, então, teria sido predito num
Evangelho adulterado. Inexistente ou sem rastro, como alegam
alguns, ainda mais irrefletidamente. E como os cristãos poderiam
confirmar a veracidade da profecia (SURA 61:6)?
3 – Nada resta ao Islamismo, senão o silêncio e a contradição. Os
quais se tornam ainda mais evidentes, quando esse tipo de
questionamento é aprofundado, conforme se verá mais adiante.
O aprofundamento faz parte do DESAFIO que faço, de desmentir a
acusação de uma suposta adulteração da Bíblia, a partir do próprio
Alcorão.
.
vii – SURA 7:157-a (HN):
- “Os que seguem o Mensageiro, O Profeta iletrado – que
eles encontram escrito junto deles, na Torá e no Evangelho
_ o qual lhes ordena o que é conveniente...”
Nota:
O questionamento a ser feito é o mesmo da Nota 2 do item anterior.
.
III – DESAFIO:
DESMENTINDO A ACUSAÇÃO ISLÂMICA (De Uma Suposta
Adulteração da Bíblia), A PARTIR DO PRÓPRIO ALCORÃO.
.
“Sete Questões Advindas de Um Debate Que Se
Tornou Inevitável.
.

Como eu disse, as SETE QUESTÕES que proporei a seguir


foram colocadas em um longo e intenso debate. E, mesmo
NÃO tendo como responder a nenhuma delas (Senão com
silêncio e contradições.), meu oponente recusou-se a
reconhecer as implicações e a falta de fundamento do que
anda a repercutir, irrefletidamente. Eu havia antes lhe avisado
de que iria fazer UM DESMENTIDO de suas suposições, a partir
do próprio Alcorão. É o que se segue, com a adaptação de
redação para esta série de artigos.
.

- A QUESTÃO 01:
Não desde o seu início (no Século VII); mas, a partir do Século
X; o Islamismo passou a alegar que as Sagradas Escrituras
(Leia-se: Bíblia.) teriam sofrido adulterações.
PRIMEIRO: o Alcorão concorda realmente com isso?
SEGUNDO: Quais são e quem as teria feito?
Nota:
Em resposta a esta questão inicial, o meu contendor
asseguraria que estava agindo de acordo com o livro tido por
sagrado pela sua religião. Não sabendo que eu haveria de
demonstrar as terríveis implicações que tais suposições
trazem para o Islamismo.
.
- A QUESTÃO 02
(Sobre supostas alterações nas Sagradas
Escrituras):
.
Adeptos do Islamismo apontam o Evangelho como alvo de
supostas adulterações. Todavia, parecem se esquecer de que:
a – Allah, o deus corânico, ALEGA TER DADO O EVANGELHO
e a Torá (Sura 5:46-48);
b – Allah também teria dito (Mas, com que margem de
segurança?) QUE A SUA PALAVRA NÃO PODE SER
ALTERADA (Sura 6:34 e 115 e 10:6).
c) Então, cabe a pergunta: SE HOUVE MESMO
ADULTERAÇÕES, QUEM MENTE e quem estaria dizendo a
verdade?
- Os acusadores ou o deus que NÃO pode ser onipotente o
bastante para evitar ??
- E não seria o caso de haver mentira de ambas as partes?
De Allah por, biblicamente falando, NÃO ser Deus; e pelo fato
de que a Palavra de Deus não poder mesmo ser alterada.
.
Questão Adicional:
ALLAH TERIA ALEGADO TER DADO SOMENTE A TORÁ E O
EVANGELHO. Embora o Alcorão, além dos mesmos, citar Davi
e Salomão, autores dos Salmos e Provérbios, dentre outros.
Não há clareza quanto aos escritos de Davi e de Salomão.
O PROBLEMA:
o Alcorão reconhece a Jesus como profeta, o Verbo (Palavra)
de Deus e o Messias prometido (desde a Torá) aos judeus
(Sura 3:45). PORÉM, JESUS, não reconhece apenas a Torá
(João 5:46) e o Evangelho (Mateus 24:14): RECONHECE
TAMBÉM OS PROFETAS. Cita-os (E também o Livro dos
Salmos.) e, inclusive, fez uma leitura pública do Livro do
Profeta Isaías, na Sinagoga de Nazaré (Lucas 4: 16-21, 24:25-27,
etc.).
COMO PODE o Alcorão dar tal testemunho sobre Jesus e não
reconhecer os Profetas (do AT), todos eles reconhecidos por
Ele?
.
- A QUESTÃO 03:
.
ENTÃO ALLAH NÃO SABIA das supostas alterações nas
Sagradas Escrituras, quando o deus corânico teria dado as
Suras 5:46-48?
O que as Suras dizem?
QUE O EVANGELHO E A TORÁ ENCERRAM LUZ E
ORIENTAÇÃO!
MAS...
Se teria havido alteração no que Allah alega ter dado, mesmo
afirmando que sua palavra NÃO pode ser alterada (Sura 6:34),
CADÊ A ONISCIÊNCIA do já não onipotente deus Allah?
.

- Questões Advindas:
PARA DESMENTIR (E FAZER O LEITOR ENTENDER)
AS SUPOSIÇÕES 01:
.
- ALCORÃO, Sura 5:46
“E depois deles (profetas), enviamos Jesus, filho de
Maria, corroborando a Tora que o precedeu; e lhe
concedemos o Evangelho, que encerra orientação e luz,
corroborante do que foi revelado na Tora e exortação para
os tementes.”
NOTA:
Esta Sura, escrita 500 a 600 anos depois de Jesus, apenas
prova o seguinte: não podia ser referida como “luz e
orientação” uma escritura bíblica considerada alterada, nos
tempos de Maomé. E os CÓDICES (Alexandrino, Sináitico e do
Vaticano), existentes 300 anos antes do islamismo, SÃO A
PROVA DOCUMENTAL de que os Evangelhos são os mesmos,
sem alteração de sentido.
.
PARA DESMENTIR (E FAZER O LEITOR ENTENDER)
AS SUPOSIÇÕES 02:
.
Islâmicos desinformados costumam afirmar (como se deu no
debate) que nenhum dos autores dos Evangelhos (Mateus,
Marcos, Lucas e João) não teria conhecido a Jesus e que os
mesmos não seriam obras de testemunhas oculares.
REFUTAÇÃO:
.
- JOÃO e MATEUS, também conhecido por Levi, são
APÓSTOLOS e testemunhas oculares (Evangelho de João
21:24, Mateus 10: 1-4).
- MARCOS ERA PRIMO DE BARNABÉ, o qual pertenceu à igreja
inicial formada apenas 50 dias depois da Ascensão de Jesus
aos Céus (Carta aos Colossenses 4:10). Marcos também era
MORADOR DE JERUSALÉM, onde Jesus esteve por várias
vezes (Livro dos Atos dos Apóstolos 12:12).
- Somente de Lucas se poderia pensar (Mas, não afirmar
concretamente.) não ter visto Jesus.
Mas...
LUCAS É UM COMPILADOR IGUAL A ZAID IBN THABIT,
compilador do Alcorão imposto pelo terceiro califa, Uthman.
IMPORTANTE:
Até nisso o Alcorão leva desvantagem em relação à Bíblia:
- João e Mateus são testemunhas oculares;
- Marcos viu Jesus e conviveu com os Doze primeiros
apóstolos, de cuja boca certamente recebeu informações que
não presenciou pessoalmente.
- Lucas fez uma compilação igual o caso do Alcorão, em que
Zaid ibn Thabit, sendo jovem quando Maomé vivia, teria
compilado versos guardado de memória, não por ele (Zaid)
mas, pelos outros.
.
PARA DESMENTIR (E FAZER O LEITOR ENTENDER)
AS SUPOSIÇÕES 03:
Islâmicos desinformados também costumam afirmar que teria
sido a Igreja Católica que declarou canônicos os QUATRO
EVANGELHOS e o restante, heréticos. E que desde então, e só
por isso, eles foram considerados Palavra de Deus.
.
REFUTAÇÃO:
1 – Os Concílios do Século IV (Anos Trezentos), apenas
RATIFICARAM uma tradição vinda do Século I. Esta tradição,
iniciada com cristãos apostólicos, passando pelos pós-
apostólicos (sentido de tempo), até chegar nos pré-
Catolicismo, conservou as datas e a autoria dos 27 livros do
NT.
2 - E PARA SEREM DECLARADOS CANÔNICOS (ou
inspirados), quais foram os principais critérios?.
a) ESTAR EM CIRCULAÇÃO DESDE O SÉCULO I, nas igrejas
cristãs. São, portanto, livros escritos enquanto estivesse vivo
pelo menos um dos DOZE primeiros apóstolos. Somente estes
poderiam refutá-los.
b) LIVROS ESCRITOS PELOS DOZE OU POR PESSOAS
LIGADAS AOS MESMOS. E todos os demais escritores são:
Paulo, Lucas, Marcos, Tiago e Judas (Filhos, estes dois
últimos, de Maria com José). Isso porque tantos estes, como
aqueles, receberam o Espírito Santo. O mesmo Espírito que os
inspirou (João 14:25-26, Atos 28:23-29, etc.) é o mesmo que
nos dá a iluminação para compreensão dos livros por Ele
inspirados (Primeira Carta de João 2:27, etc.).
c) LIVROS, como acontece até hoje, transformadores de vida e
SEM NENHUMA CONTRADIÇÃO COM O ENSINO DE JESUS.
.
- A QUESTÃO 04:
.
a) Teria Allah cometido a INSENSATEZ de afirmar que MAOMÉ
estava PREDITO NUMA ESCRITURA ADULTERADA?
b) Como, então, entender a acusação de que não havia
nenhum rastro do Evangelho original?
c) Neste caso:
- Allah que NÃO FOI ONIPOTENTE para impedir alterações ou
a perda completa da revelação que alega ter dado (6:34);
- e NEM FOI ONISCIENTE, ao ponto de dizer que um Evangelho
tido por adulterado (como supõe alguns desinformados)
encerrava luz e orientação (Sura 5:46);
- TAMBÉM COMETEU A ESTUPIDEZ de dizer que o profeta do
Islamismo fora PREDITO NUM LIVRO QUE SEQUER
EXISTIA???.
- ALCORÃO, Sura 61: 6-a (versão eletrônica) :
“E de quando Jesus, filho de Maria, disse: Ó israelitas, em
verdade, sou o mensageiro de Deus, enviado a vós,
corroborante de tudo quanto a Tora antecipou no tocante
às predições, e alvissareiro de um Mensageiro que virá
depois de mim, cujo nome será Ahmad!”.
- SURA 7:157-a:
“São aqueles que seguem o Mensageiro, o Profeta
iletrado, o qual encontram mencionado em sua Tora e no
Evangelho, o qual lhes recomenda o bem e que proíbe o
ilícito, prescreve-lhes todo o bem e vedalhes o imundo,
alivia-os dos seus fardos e livra-os dos grilhões que o
deprimem.”
CONCLUSÃO:
Como pode Allah, sem onipotência e onisciência e também com
tamanha ESTUPIDEZ TEOLÓGICA, ser considerado Deus?
.
- A QUESTÃO 05:
.
- ALCORÃO, Sura 5:47 (Versão eletrônica):“Que os adeptos do
Evangelho julguem segundo o que Deus nele revelou,
porque aqueles que não julgarem conforme o que Deus
revelou serão depravados.”
.
a) SE... nem teria ficado rastro do suposto Injil corânico
(Evangelho), como afirmam alguns desinformados, de que modo
poderiam os cristãos JULGAR pelo mesmo?
b) Será mesmo que Maomé (Ou quem de verdade escreveu o
Alcorão) sabia mesmo o que estava falando, quando se referiu ao
Evangelho?
.
- A QUESTÃO 06:
.
a) SE... na SURA 5:43, Allah teria dito que, nos tempos de
Maomé, OS JUDEUS TINHAM A TORÁ; e, na SURA 5:47, que
deveriam OS CRISTÃOS JULGAR PELO EVANGELHO, somente
podemos concluir que estes livros estavam intactos e sem
alteração.
b) SE... na SURA 5:65-66, Allah teria descrito JUDEUS E
CRISTÃO “COMO POVO (ou seguidores) DO LIVRO”, a
conclusão óbvia é de que (pelo menos) a Torá e os
Evangelhos, inalterados, estavam num só volume.
E que LIVRO, portanto, seria este, reunindo escrituras do
Antigo e do Novo Testamento? A resposta óbvia é que se
tratava da Bíblia, também já traduzida para o Árabe, conforme
somos informados.
c – A QUESTÃO:
- Na Sura 10:94, Allah teria dito para MAOMÉ TIRAR AS
DÚVIDAS QUE TIVESSE COM JUDEUS E CRISTÃOS.
- Nesse tempo, o Alcorão ainda não estaria compilado. De
acordo com a história (OU estória?) sunita, isso teria
acontecido depois da morte dele. Então, O LIVRO QUE SE
PODIA LER era obviamente os dois Testamentos num só
volume (A Bíblia dos cristãos.) ou apenas o Antigo (No caso
dos judeus.). E QUAL A PROVA DOCUMENTAL? Os Códices
(Alexandrino, Sináitico e do Vaticano), existentes cerca de
trezentos anos antes do Islamismo e do Alcorão, além de
outras tantas EVIDÊNCIAS MANUSCRITAS.
- MAS... CADÊ A ONISCIÊNCIA DE ALLAH???
PERGUNTA: como, então, Allah ordena ao seu profeta e aos
muçulmanos tirar as dúvidas que tivessem com quem teria
uma Escritura Sagrada (Possível fosse.) inexistente e outra
corrompida???.
- ALCORÃO, Sura10:94 (Versão eletrônica):
“Porém, se estás em dúvida sobre o que te temos
revelado, consulta aqueles que leram o Livro antes de
ti.Sem dúvida que te chegou a verdade do teu Senhor; não
sejas, pois, dos que estão em dúvida.” )
- “E, se estás em dúvida acerca do que fizemos descer para
ti, Muhamad, pergunta aos que antes de ti leram o
Livro.” (Versão corânica do Dr. Helmi Nars)
.
- SURA 5:65-66:
“Mas se os adeptos do Livro tivessem acreditado (em Nós)
e temido, tê-los-íamos absolvido dos pecados, tê-los-íamos
introduzido nos jardins do prazer.
E se tivessem sido observantes da Tora, do Evangelho e de
tudo quanto lhes foi revelado por seu Senhor, alimentar-
se-iam com o que está acima deles e do que se encontra sob
seus pés. Entre eles, há alguns moderados; porém, quão
péssimo é o que faz a maioria deles!” (Versão eletrônica)
.
- A QUESTÃO 07 (Três Perguntas Cruciais):
.
- EM SE CONSIDERANDO QUE MAOMÉ TRUCIDOU E
SAQUEOU OS CRISTÃOS DA ARÁBIA: NÃO TERIA ELE
TAMBÉM LHES SAQUEADO O SUPOSTO INJIL CORÂNICO?
.
- EM SE CONSIDERANDO QUE MAOMÉ TRUCIDOU E
SAQUEOU OS CRISTÃOS DA ARÁBIA: NÃO TERIA ELE, COMO
O SUPOSTO SELO DA REVELAÇÃO, A OBRIGAÇÃO DE VELAR
PARA QUE TODA A REVELAÇÃO PERMANECESSE INTACTA?
SE NÃO O FEZ, COMO EXPLICAR TAL FATO, já que o suposto
Inijl (Evangelho) teria existido e estava em circulação na Arábia
de seu tempo?
.
- NÃO TERIA, ENTÃO, MAOMÉ ASSENHORADO E, DEPOIS,
DESTRUÍDO PARCELA DA REVELAÇÃO? Mas isso não se trata
de um (Mais um.) crime? E de ordem teológica?
.
CONCLUSÃO ÓBVIA:
se alguém precisa (Fosse mesmo o caso.) de dar conta de
quaisquer Escrituras bíblicas que teriam sido corrompidas é o
próprio Islamismo. Pois teria tido a oportunidade histórica de
impedir que tal acontecesse. E não apenas no que diz respeito
ao Evangelho (Quer dizer, o Novo Testamento.) na guarda dos
cristãos; como, também, da Torá (Melhor dizendo: o Antigo
Testamento.) que estava na guarda dos judeus. E estes, outro
povo também trucidado por Maomé e suas tropas, no banho de
sangue derramado na Arábia.
Nota:
Com estas três perguntas e considerações, eu encerro o um
dos capítulos do meu livro A BÍBLIA & O ISLÃ: 50
PERGUNTAS (Cujas Respostas Precisam Soar Mais Altas
Que O Silêncio Islâmico & do Que As Contradições
Corânicas). E questiono: sabia mesmo Maomé (ou quem em
verdade escreveu o alcorão) sobre o quê exatamente estava
falando, quando faz referência ao Evangelho (injil)? A resposta
será na dada na próxima parte deste artigo, na qual reproduzo
na íntegra o texto citado.”
.
Extraído de
EM DEFESA DA BÍBLIA (05): Resolvendo & Refutando
Conceitos Sobre Supostas Alterações, Na Perspectiva
Teológica do Que Sejam Deus & Escrituras Sagradas.
LINK:
http://missaoimpactar.blogspot.com.br/2016/11/em-defesa-da-biblia-
05-resolvendo_28.html
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

.
.

7 - A QUESTÃO SURA 5:116


.
- QUESTÃO:
1 - QUEM ESCREVEU O ALCORÃO
SABIA EXATAMENTE SOBRE O QUÊ ESTAVA FALANDO,
AO REFERIR AO TERMO & AO CONCEITO TRINDADE?
.
2 - DEMONSTRA SUFICIENTE CONHECIMENTO DA HISTÓRIA
DA IGREJA CRISTÃ & DOS CREDOS DA IGREJA CATÓLICA??
.
3 - OU: AO CONFUNDIR UMA COM A OUTRA, APENAS
REPETE OS FALSOS MESTRES DOS TEMPOS APOSTÓLICOS:
"Pretendendo passar por mestres (...), não compreendendo,
todavia, nem o que dizem, nem os assuntos sobre os quais
fazem ousadas asseverações." (I CARTA A TIMÓTEO 1:7)???

I – A QUESTÃO (Sura 5:116, etc.), SIMPLIFICADA AO MÁXIMO.


.
1 - A SURA 5:116
& O EVIDENTE ENGANO TEOLÓGICO DO SEU AUTOR:
.
- “E recordar-te de quando Deus disse: Ó Jesus, filho de
Maria! Foste tu quem disseste aos homens: Tomai a mim e
a minha mãe por duas divindades, em vez de Deus?
Respondeu: Glorificado sejas! É inconcebível que eu tenha
dito o que por direito não me corresponde. Se tivesse dito,
tê-lo-ias sabido, porque Tu conheces a natureza da minha
mente, ao passo que ignoro o que encerra a Tua. Somente
Tu és Conhecedor do incognoscível.”
Notas:
i - Nas Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.), Jesus jamais faria tal
declaração, no que diz respeito a uma suposta divindade de Maria.
Todavia, no quando se trata de Si mesmo, está claro na Bíblia que
Ele, por atos, gestos e palavras declarou-se Deus.
ii – O QUE ESTÁ EVIDENTE, na Sura 5:116 e afins, é que o autor
corânico não sabia exatamente sobre o quê estava falando, ao
referir ao termo e ao conceito Trindade. E que o mesmo, no seu
ENGANO TEOLÓGICO, supunha referir-se também à mãe (terrena)
de Jesus.
iii – As demais declarações também atribuídas a Cristo, na sura
corânica, não estão de acordo com o ensinamento dEle. E
qualquer leitor da Bíblia sabe: Jesus é a revelação mais perfeita de
Deus aos homens; pois, como diz o autor da CARTA AOS
HEBREUS (1:3), “Ele é a expressão exata do seu Ser”.
.
2 – SURAS AFINS & SEUS EQUÍVOCOS:
.
- ALCORÃO, Sura 5:73-a (HN):
"Com efeito, são renegadores da Fé os que dizem: "Por
certo, Allah é o terceiro de três."
Nota:
A desinformação é tanta que Allah, caso mesmo fosse Deus, é
também colocado numa ordem de inversa: o terceiro.
.
- ALCORÃO, Sura 4:171;
"Crede, pois, em Deus e em Seus mensageiros e (NÃO)
digais: Trindade! Abstende-vos disso...”
Notas:
i - Thalathatun = Três.
ii – EM VERDADE, O QUE DISSE MAOMÉ?
“NÃO DIGA TRÊS! Abstende-vos disso”.
É evidente que ele se mostra contra e entende o termo e o conceito
Trindade por TRÊS. E por que ele não usou o termo TRINDADE
corretamente? Simplesmente porque ele NÃO SABIA.
.
3 - OS CRISTÃOS ADORARIAM TRÊS DEUSES???
.
i – NÃO É O QUE A BÍBLIA DIZ.
Quem alega isso é o Alcorão. Porque quem o escreveu não sabia o
que estava falando, quando se referiu ao termo e ao conceito
doutrinário Trindade.
ii - O QUE FICA EVIDENTE: a concepção bíblica de Deus não
pode ser entendida com uma mentalidade corânica. Porque tal
mentalidade limita o Todo-Poderoso. Este, pode (E por que não?)
existir nas pessoas do "Pai, do Filho e do Espírito Santo", sem
deixar de ser UM E ÚNICO e, também, não deixar de ser O
MESMO Deus.
.
iii – A EXPRESSÃO “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito
Santo” foi usada pelo próprio Jesus (EVANGELHO DE MATEUS,
capítulo 28). E Jesus jamais passou a ideia da adoração a três
Deus (ou deuses). Nem os cristãos que (Antes mesmo do
Catolicismo ser fundado.) criaram o termo Trindade, tinham um
conceito diferente. Em todos os Credos, posteriormente ratificados,
está expressa a crença no único Deus (bíblico).
CONCLUSÕES:
Deus pode tudo; menos ser outro ser.
Por exemplo: O Allah corânico.
Isso porque o deus corânico, ao se assumir um dissimulador (SURA
4:157-18) e mandar mentir (16:106), revela, NÃO o atributo divino
da verdade; MAS... o caráter satânico da mentira (EVANGELHO DE
JOÃO 8:43-44).
Logo, o deus corânico é outro. Enquanto Jesus diz “Eu e o pai
somos um.” E, em qual sentido? O Mesmo. Em outras palavras,
diria Jesus: Eu e o pai somos um (Ou o mesmo) Ser: o Deus
bíblico. .
EVANGELHO DE JOÃO 14:6-9:
“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida;
ninguém VEM ao Pai, senão por mim.
Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a
meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto.
Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos
basta.
Disse-lhe Jesus: ESTOU HÁ TANTO TEMPO CONVOSCO, e
não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o
Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?”
.
O Céu não ficou vazio, quando Jesus humanizou-se. E nem Deus
morreu, quando Ele deixou-se crucificar. Na Bíblia, morrer jamais
significou deixar de existir. A Crucificação, seguida da Ressurreição
na Bíblia, implica num ATO DE AMOR E DE RESGATE de
criaturas antes condenadas ao Inferno:
- LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS 20:28:
“ Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o
qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para
pastorearem a igreja de Deus, que ele comprou com o seu
próprio sangue.”
.
II – EXTRAÍDO DE
RESPOSTA BÍBLICA A TRÊS SUPOSIÇÕES ISLÂMICAS (II):
Sobre A Expressão O FILHO DE DEUS; Sobre O Termo
TRINDADE; E Sobre Um SUPOSTO INJIL (Evangelho) em
Aramaico:
.
“ – VALE A PENA (NA INTRODUÇÃO) DIZER DE NOVO:
.
“Por Uma Questão de Verdade:
Quando há OPINIÕES EM CONFLITO sobre um mesmo
assunto, alguém (ou alguma religião) está mentindo.
A concepção do que sejam Deus, profeta e livro sagrado de
cristãos e islâmicos não é a mesma. Logo, não há como as
duas confissões serem verdadeiras.
Um bom CRITÉRIO: a dignidade ou a indignidade de suas
principais testemunhas. P. ex., quem é Jesus e quem foi
Maomé???
Mas... isso somente interessa a quem tem A VERDADE
POR VALOR ABSOLUTO e capaz de lhes determinar a
salvação ou a perdição eterna. Porque, no Dia do Juízo,
assim se fará.
Para estes, DE NADA VALE A UNIDADE EM TORNO DE
UMA MENTIRA. E a verdade (Mas apenas por argumentos
e demonstrações irrefutáveis.) precisa prevalecer.
Escrevo, portanto, tão somente para os amantes da
verdade. Porque sei qual será o fim e também identificar
àqueles que, por amarem a mentira (Ou... mais religião do
que à verdade.) irão se perder. Isso está posto, há mais de
dois mil anos, nas Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.),
estando em seu pleno cumprimento.
Conforme está escrito (SEGUNDA CARTA AOS
TESSALONICENSES 2:11-12), serão julgados ou entregues
aos seus próprios enganos “todos quantos não deram
crédito á verdade; antes, se deleitaram com a injustiça.” E
tudo e/ou que for injusto: seja deus, profeta e livros tidos
por sagrados.”
.

II – ASPECTOS DA IGNORÂNCIA COMO ARMA DE


GUERRA.
.
NO ALCORÃO, OS CRISTÃOS SÃO ACUSADOS DE
IDÓLATRAS. E isso porque, na limitada capacidade de
compreensão teológica de quem o escreveu, eles adorariam
três deuses. LAMENTAVELMENTE, a infundada acusação
serviu de “justificativa” para que se lhe fossem feitas guerras.
E tais guerras, no banho de sangue que Maomé fez derramar
na Arábia do Século VII, resultaram no extermínio de clãs
inteiros.
MAS...
o mesmo aconteceu aos judeus; e estes, assim como os
islâmicos, também não aceitam o testemunho das Escrituras
de que Jesus é Deus. Logo, percebe-se que tal acusação,
mentirosa, apenas serviu de vergonhosa "justificativa" às
atrocidades que foram cometidas. Cabe aqui esclarecer que,
estranhamente e por falta de conhecimento das Escrituras, o
Alcorão (Sura 3:45) aceita a Jesus não apenas como profeta,
mas, também (Ou sobre tudo?) como o Verbo de Deus e o
Messias prometido. E quanto aos judeus, embora tenham
rejeitado a Jesus no passado, está previsto (E creio eu que
para um futuro breve.) que irão reconhecê-lo como Ele é: Deus.
Assim como estava prevista a rejeição dEle, no passado.
(...)
CONCLUSÃO: a guerra e o extermínio de judeus, cristãos e
dos próprios árabes que NÃO aceitaram a suposta autoridade
profética de Maomé (Preferiram o Paganismo Árabe um _ Digo
em termos estritamente bíblicos. _ Satanismo, travestido de
religião monoteísta.) foram baseados em:
a – num ato de ESTUPIDEZ TEOLÓGICA;
b – num ERRO CRASSO DE TRADUÇÃO;
c – e na FALTA DE CONHECIMENTO DA HISTÓRIA da Igreja
Cristã, suas doutrinas, como do termo e do conceito Trindade.
Mesmo diante do horror do passado, A GRANDE DESGRAÇA
DOS NOSSOS DIAS é que: fundamentados novamente em tais
suposições; alimentadas agora pelas guerras religiosas com
pseudo-cristãos, ao longo da História, a partir das Cruzadas;
os mais autênticos seguidores de Maomé (os integrantes do
Terror islâmico) repetem as atrocidades cometidas pelo profeta
do Islamismo. E O QUE É PIOR: com o mesmo aval dos MAIS
DE CEM VERSOS SANGUINÁRIOS do Alcorão e das outras
escrituras, as Tradições Islâmicas.
.
III – UM ERRO CRASSO DE TRADUÇÃO COMO ARMA DE
GUERRA:
.
1/ QUEM DISSE que os cristãos adorariam três deuses: a
Bíblia ou o Alcorão?
Resposta: O Alcorão; e... por estupidez teológica de quem o
escreveu. A pergunta acima é a primeira que faço, quando num
debate. Obviamente que não há fundamento bíblico para a
suposição corânica. E a indagação, fica, em virtude disso
mesmo, sem resposta. Ora, O DISCURSO CORÂNICO SOBRE
O TEMA TRINDADE não passa de uma vã tentativa de negar o
testemunho das Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.) sobre a
Deidade (condição divina) de Jesus Cristo.
(...)
Com que boa consciência (nenhuma) Maomé trucidaria
cristãos e judeus monoteístas e de moral infinitamente
superior à dele? Somente a compreensão exata da sua
ESTUPIDEZ TEOLÓGICA (ou de quem em verdade escreveu o
Alcorão) pode nos explicar o diabólico ocorrido. E o faremos,
comparando as suposições corânicas com a realidade dos
fatos históricos, teológico, lógicos, etc.
.
2/ NO ALCORÃO O TERMO TRINDADE SE TRADUZ POR
“TRÊS”.
E... está correto? Não!
O termo TRINDADE é uma forma abreviada para expressão
utilizada por Jesus, no último capítulo do EVANGELHO DE
MATEUS: “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”
E nem mesmo nos CREDOS católicos é entendido como
querem a suposição e o crasso erro de tradução corânico. Em
todos os credos (NICENO, etc.) se lê: “Cremos em um só
Deus, Criador dos Céus e da Terra.”. Embora o termo NÃO
seja bíblico, ninguém pode negar que a expressão (Em nome
do Pai, do Filho e do Espírito Santo.) o seja. E nem que a
Cristo e ao Espírito Santo a Criação e a Redenção sejam
também atribuídas.
CONCLUSÃO: quem em verdade escreveu o Alcorão
confundiu TRI-UNIDADE (ou Unidade Trina, etc.) com
TRITEÍSMO. Estou lançando mão de conceitos teológicos, tão
somente como facilitadores à compreensão deste artigo. Pois o
termo TRINDADE, conforme criado e utilizado por Tertuliano,
teólogo africano, jamais se traduziria (e se aplicaria ao Deus
bíblico) numeral que não fosse UM (de único). E,
posteriormente, quando RATIFICADO nos concílios católicos,
NÃO seria modificado. E nem Maria, como quis o
DESINFORMADO AUTOR CORÂNICO, foi incorporada ao
mesmo.
QUE LIÇÃO TIRARMOS? Quando em algumas Suras, como a
exponencial 5: 72-73 e 116, o Alcorão traduz Trindade por Três,
o que o suposto livro sagrado está cometendo? Um erro de
tradução tão grosseiro, como traduzir Jesus por Issa. A palavra
árabe usada para Trindade é THALATHAH, sempre significando
Três. E, em função do grotesco erro de tradução e de outros
fatores históricos, gerou-se no Islamismo a inapropriada
compreensão do conceito.
.
3/ TRINDADE NÃO É “TRÊS” E NEM JESUS É “ISSA”.
.
Jesus (Josué, Jesua ou Jeoshua) significa Deus-Salvador ou
o Senhor salva. Já Issa, significa rubro (vermelho) e faz
referência a um personagem bíblico obscuro e nada exemplar:
Esaú (LIVRO DE GÊNESIS 25:19-26). Era irmão do patriarca
Jacó e, portanto, filho de Isaque (irmão de Ismael) e neto de
Abraão. E o tal ESAÚ em nada lembra ou faz referência ao
Messias, por ter sido um profano.
NO ALCORÃO, porém: 1 - a despeito dos islâmicos
alegarem ser a última palavra (de Deus) sobre tudo; 2 – a
despeito de tal obra ostentar-se a “Mãe dos livros
revelados” (Sura 13:39); 3 - e a despeito de tal livro dizer-se
preexistente e “preservado em placas eternas, custodiadas
no céu” (85:22); apura-se ERROS CRASSOS DE TRADUÇÃO
como estes. Assim como ERROS CIENTÍFICOS;
ANACRONISMO; ABSURDOS; FALSAS PROFECIAS; VÁRIAS
SUPOSIÇÕES TEOLÓGICAS (do mesmo naipe); COPIDESQUE
DA BÍBLIA E DE FONTES EXTRA-BÍBLIA e ATÉ MESMO ERRO
DE CÁLCULO MATEMÁTICO. Logo, quem o teria “revelado”
NÃO pode mesmo ser Deus. Ou... seria Deus um estúpido
teológico???
.
IV – A ESTUPIDEZ TEOLÓGICA COMO ARMA DE
GUERRA.
.
1/ UM EQUÍVOCO CORÂNICO DO PASSADO:
Quem de fato escreveu o Alcorão, não apenas traduziu
Trindade por “Três” e Jesus por “Issa” (Esaú). Também
comete a estupidez de falar do conceito doutrinário, como se o
mesmo fizesse referência ao Pai, ao Filho e a... Maria (Sura
5:116-a)!
.
- “E lembra-lhes de quando Allah dirá: “Ó Jesus, filho de
Maria! Disseste tu aos homens: ‘Tomai-me e a minha mãe
por dois deuses, além de Allah?’”.
.
E... está correto? Não, em absoluto!
Somente este equívoco é O SUFICIENTE PARA DETERMINAR
A NÃO ONISCIÊNCIA DO AUTOR CORÂNICO. Ora, até para
condenarmos o que não concordamos faz-se preciso que
saibamos com suficiência sobre o quê exatamente estamos
falando. Mas, porém, todavia: não é esse o caso do autor do
livro tido por sagrado pelo Islã: seja ele Maomé, Allah ou seja
quem for. E o mesmo acontece quando se trata do Evangelho
(Injil), conforme iremos também demonstrar, no terceiro artigo
desta série.
.
2 / AS CONSEQUÊNCIAS DO EQUÍVOCO NO PRESENTE:
Não é novidade que islâmicos tão desinformados quanto o
autor do Alcorão tracem SUPOSTOS PARALELOS, em virtude
do que (não) entendem do termo e do conceito Trindade. Por
isso mesmo acusam o Cristianismo de ter relação com
doutrinas pagãs, cujos deuses a formariam. E erram por NÃO
saber que a fé cristã (ou o Cristianismo autenticamente bíblico)
existe, nas Sagradas Escrituras, antes mesmo da Criação do
mundo (PRIMEIRA CARTA DE PEDRO 1:18-20, etc.); e estava
previsto desde a primeira profecia bíblica sobre o Messias
(Jesus Cristo), na Torá. Assim como no SISTEMA DE
SACRIFÍCIOS SUBSTITUTIVO, observado desde o princípio do
mundo, após a Queda (GÊNESIS 3:4-15; 4:3-4; 8:20, etc. e etc.).
E sendo Cristianismo autenticamente bíblico (Nada a ver com,
p.ex., o Catolicismo.) anterior à Criação e predito na Torá, não
pode ser imitação de religião nenhuma. Antes, pelo contrário
UM DOS SUPOSTOS PARALELOS está na ligação que o
conceito Trindade teria com a tríade egípcia OSÍRES, ÍSIS E
HÓRUS. É mentira! A tríade egípcia compõe-se de uma família
(Pai, mãe e filho.); mas, o termo e o conceito Trindade não. A
religião egípcia também NÃO é trinitariana e suas “divindades”
não partilham de uma unidade absoluta.
OUTRO SUPOSTO PARALELO está em querer ligar o
conceito de Trindade à TRIMURTI HINDU: Brahma, Visnu e
Shiva. Ora, nos conceitos hindus, simplesmente NÃO há
relacionamento particular de tais divindades uma com as
outras. E mais: além daquelas, existiriam inúmeras outras. Sem
contar O MAIS IMPORTANTE, conforma nos informa John
Gilchrist: O CONCEITO DA TRIMURTI somente seria
encontrado em Sânscrito moderno, não podendo, portanto, ser
anterior ao Século V d.C. Enquanto que o termo Trindade foi
criado bem antes. E criado em função do conceito já formado
por cristãos apostólicos, pós-apostólicos e pré-Catolicismo a
respeito da Doutrina Deus, conforme o revelado nas Sagradas
Escrituras.
UMA TERCEIRA SUPOSIÇÃO dos desinformados está em
querer ligar o termo Trindade ao CATOLICISMO romano.
Mesmo sabendo (Ou... não sabendo?) que tal religião somente
iria ser fundada trezentos anos depois de Jesus e da formação
do Novo Testamento. CONCLUSÃO: não há como a ignorância
corânica levar ninguém a um só acerto teológico; mas,
somente a suposições equivocadas, que seu autor, por
estupidez e falta de onisciência, poderia conceber.
.
3 / O QUE A “ONISCIÊNCIA” DO AUTOR CORÂNICO NÃO
SABIA...
Como já dissemos, o termo Trindade serve de abreviação
para a expressão “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito
Santo”, utilizada por Jesus. E, conceitualmente está na
confissão das igrejas cristãs, expresso da seguinte forma:
“Cremos em um só Deus, criador Céu e da Terra.”
O termo foi usado primeiramente TERTULIANO (160-220
d.C.), teólogo africano, e, portanto, mais de CEM ANOS ANTES
DO CATOLICISMO. O cenário para a sua criação e da
conceituação da doutrina era a defesa da FÉ APOSTÓLICA
contra as heresias surgidas no seio das igrejas cristãs.
Algumas vinham (e foram combatidas) pelos escritores do NT;
outras surgiriam, do Século II em diante, em maior número. E
consta da fé apostólica, fundamentada no TESTEMUNHO DAS
ESCRITURAS: a Deidade (condição divina) de Jesus Cristo e
do Espírito Santo.
MAS...
COMO DEUS É UM (E ÚNICO) E JESUS E O ESPÍRITO SANTO
SÃO DEUS???
- EM PRIMEIRO LUGAR: este é o testemunho da Bíblia, desde
a Torá ao Novo Testamento. E se alguém quer crer em Deus, de
acordo com as Sagradas Escrituras, terá que crer exatamente
assim, racionalizando um mistério, compreendido somente por
revelação do Espírito.
- EM SEGUNDO LUGAR: Não foi a igreja quem criou a
doutrina. Ela apenas a discerniu, através do estudo das
Escrituras.
A TÍTULO DE ILUSTRAÇÃO: na Torá, no Livro de Gênesis, foi
profetizado que o Messias (Jesus Cristo) iria humanizar-se (3:4-
15). E nesse mesmo livro (49:8-12), Ele seria rei eterno (“O
cetro não arredará de Judá.”) e obedecido por todos os
povos (“A ele obedecerão os povos.”), conforme se prevê na
sua Segunda Vinda. Nota-se que a Deidade do Messias começa
a ser delineada, até se chegar ao Livro do Profeta Isaías, onde
Ele é apresentado como PAI DA ETERNIDADE (ou Eterno) e
DEUS-FORTE (ou Todo-Poderoso). E exatamente como o
Senhor e o Todo-Poderoso é que Jesus se identifica,
literalmente, no Evangelho e no Livro do Apocalipse. Em
resumo: se o termo e o conceito Trindade põem em evidência o
testemunho das Escrituras sobre o fato do Messias (Jesus
Cristo) ser Deus, eles estão corretos. E mais: totalmente de
acordo com o que foi ensinado por Jesus e pelos apóstolos no
Evangelho e profetizado no Antigo Testamento.
MAS...
parece que somente o autor corânico não sabia disso. E ele
ainda comete a estupidez (teológica) de dizer que teria ajudado
e feito Jesus e seus discípulos vitoriosos fisicamente (Contra
quem???), na SURA 61:14. Prova evidente de que não conhecia
o teor (Deidade e Redenção, através da morte e ressurreição de
Jesus Cristo.) do Evangelho que alega (Mentirosamente,
óbvio.) ter revelado.
- E EM TERCEIRO LUGAR: a Bíblia sempre esteve mais
preocupada em nos revelar o caráter (não satânico) de Deus e
a importância do nosso relacionamento com Ele do que defini-
lo com clareza. E, como está escrito:
.
- “As coisas encobertas pertencem ao Senhor, ao nosso
Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos
para sempre, para que sigamos todas as palavras desta
lei.”
(LIVRO DE DEUTERONÔMIO 29:29)
.
POR QUE SERÁ?
Ora, se Deus pudesse ser compreendido pela limitada lógica
humana, não seria preciso fé. E, de fato, o SER DEUS está além
da nossa compreensão daquilo que é espiritual. Portanto, não
é fazendo especulações e suposições ao estilo corânico que
iremos conhecê-lo; mas, nos prendendo ao testemunho das
Escrituras. E o mais perfeito e completo testemunho das
Sagradas Escrituras (Leia-se: Bíblia.) sobre Deus é a pessoa
Jesus Cristo. Na Carta aos Hebreus, o Messias é definido como
A EXPRESSÃO EXATA DO SEU SER (1:1-4).
TODAVIA... quem escreveu o Alcorão não foi onisciente o
suficiente para saber que: a) Trindade não poderia ser vertida
para o Árabe com o uso da palavra Thalathah (Três); b) A
doutrina NÃO faz referência à Maria (Sura 5:116); e... c) Nas
Sagradas Escrituras, Jesus é apresentado e a Si mesmo se
identifica literalmente como Deus.
.
V – A FALTA DE CONHECIMENTO COMO ARMA DE
GUERRA.
.
Conhecesse o autor do Alcorão o mínimo da História da
Igreja Cristã não teria cometido erros tão crassos e nem faria
tantas infundadas suposições sobre o termo e o conceito.
Além do mais, O CONCEITO DOUTRINÁRIO JÁ ERA
DEVIDAMENTE CONHECIDO NA ARÁBIA, ANTES MESMO DE
MAOMÉ. John Gilchrist também nos informa que Edward
Glasser descobriu, em suas explorações no Yémen, em 1888, a
inscrição da narrativa de uma revolta contra o domínio etíope.
A data da referida inscrição: 524 d.C. Portanto, quase trinta
anos antes de Maomé (570-632) nascer.
E O QUÊ ESTAVA ESCRITO sem vogais, na escrita árabe
antiga?
“(No poder do) Compassivo, do Messias e do Espírito
Santo”.
De modo que o conceito era conhecido bem antes do Alcorão
ser compilado. E já não se pode atribuir a Deus as suposições
do livro, produto da estupidez teológica de quem em verdade o
escreveu.
Além do completo desconhecimento do termo e do conceito
doutrinário, é bem possível que a exagerada veneração à Maria
pela Igreja Católica tenha influenciado nas suposições de
Maomé. Mas, porém, todavia e entretanto: não consta que
nenhuma igreja cristã (ou já, àquela altura do tempo, desviada
do Cristianismo autenticamente bíblico) fizesse referência à
Maria como Deus ou a incorporasse na Trindade. O fato de
Maomé (ou quem em verdade escreveu o Alcorão) ver no
conceito uma família natural, por certo que o fez confundir
relacionamento carnal com o que somente pode ser entendido
ao nível do espiritual. Mas isso é recorrente no Alcorão.
PIOR QUE AS SUPOSIÇÕES foi (e ainda é) o uso da
ignorância como arma de guerra. Pressupondo-se mais ou
melhor monoteísta que os judeus e os cristãos, Maomé achou-
se direito de combatê-los. Do mesmo modo que hoje os
integrantes do Terror o fazem. E, ambos, escudados em versos
corânicos, enfatizando informações completamente falsas,
sobre tudo a respeito de um termo e conceito doutrinário que
por estupidez desconhecem. E, por isso mesmo, infelizmente,
se fez e se está fazendo, OBRAS DO DIABO EM NOME DE
DEUS. Mentiras e mais mentiras e suposições corânicas
biblicamente desmentidas com milênios e séculos de
antecedência, como a exponencial que se segue:
.
- SURA 61:9:
“Ele é Quem enviou Seu Mensageiro, com a Orientação e a
religião da Verdade, para fazê-la prevalecer sobre todas as
religiões, ainda que o odeiem os idólatras.” (HN)
.
Mais esta ilusória suposição corânica será completamente
desfeita, quando se cumprir LIVRO DO PROFETA ZACARIAS,
capítulo 12, dentre tantas outras profecias do Antigo e do Novo
Testamento.
.
VI – EXPLICAR DEUS? SERIA MESMO HUMANAMENTE
POSSÍVEL???
.
1/ RESPONDENDO AO IMPASSE (01)
De acordo com a Bíblia, Deus é revelado através da natureza
(CARTA AOS ROMANOS 1:18-20), através das próprias
Escrituras (SEGUNDA CARTA DE PEDRO 1:19-20) e,
perfeitamente revelado, somente através de Jesus Cristo, a
expressão exata do seu ser (CARTA AOS HEBREUS 1:1-40,
EVANGELHO DE JOÃO 1:18).
MAS...
Como explicar o Deus bíblico a quem possui uma
mentalidade corânica? EU, PARTICULARMENTE, ACHO ISSO
IMPOSSÍVEL. Por questão de princípio, não tenho a menor
disposição em explicá-lo a quem, por limitação teológica e falta
de boa vontade, não O queira entender. Então, LIMITO-ME À
DEFESA DA FÉ CRISTÃ E DO TESTEMUNHO DAS
ESCRITURAS contra as inúmeras suposições.
- COMO EXPLICAR DEUS a quem NÃO crê no testemunho
das Escrituras bíblicas (No caso, Torá, Evangelho e os Salmos
de Davi.)? Escrituras que Allah alega (Mentirosamente, óbvio.)
ter revelado.
- COMO EXPLICAR DEUS a quem supõe que Ele possa ter
parte com o Diabo, até podendo ser o próprio? No Alcorão,
Allah mente (Sura 4:157-158, etc.) e ordena aos homens mentir
(16:106).
Ora, sobre o caráter NÃO satânico de Deus, Jesus foi
categórico:
.
- “Por que a minha linguagem não é clara para vocês?
Porque são incapazes de ouvir o que eu digo.
"Vocês pertencem ao pai de vocês, o diabo, e querem
realizar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio e
não se apegou à verdade, pois não há verdade nele.
Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso
e pai da mentira.” (EVANGELHO DE JOÃO 8:43-44)
.
- COMO EXPLICAR DEUS a quem supõe, de acordo com o
Alcorão (Suras 68:4 e 33:21-23), que um indivíduo de conduta
biblicamente abominável possa ser elevado á condição de
(suposto) padrão moral para a humanidade? E mais: tal pessoa
seria capaz de enfrentar o Juízo Final de cabeça erguida, como
que inculpável. Ou que qualquer pecador, passando pelo
julgamento da santidade e justiça de Deus, pudesse mesmo ser
salvar (por boas obras).
A estupidez teológica do autor corânico é tanta que ele nem
sabe que os seguidores de Jesus já têm os seus nomes
escritos no Livro da Vida (EVANGELHO DE LUCAS 10:17-20,
CARTA AOS FILIPENSES 4:3, etc.). E, logo, sequer pelo Juízo
Final, no qual ninguém inocentado será, irão os mesmos
passar.
Ora, ninguém com uma percepção tão distorcida do Deus
bíblico, o qual é “Santo, Santo, Santo” (LIVRO DO PROFETA
ISAÍAS, capítulo 6); e sem a iluminação do Espírito (o autor e
revelador das Escrituras aos homens, LIVRO DE ATOS DOS
APÓSTOLOS 28:23-28); estaria em condição de permitir que o
próprio Deus a ele se revele. Porque, na Bíblia, em primeira e
última instância é o próprio Deus quem Se revela aos que são
humildes e Dele têm sede. Lamentavelmente, a percepção
desta revelação (nas palavras do próprio Jesus) está dentro do
conceito que o Alcorão supõe poder (ou saber) combater:
.
- PALAVRAS DE JESUS:
“Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém
conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o
quiser revelar.” (EVANGELHO DE MATEUS 11:27-b)
.
2/ RESPONDENDO AO IMPASSE (02):
ACHO POR DEMAIS INÚTIL INVOCAR E APROFUNDAR-ME
EM CONCEITOS TEOLÓGICOS numa discussão como essa.
Quem de fato escreveu o Alcorão, ao combater o termo e o
conceito Trindade (Já o comprovei.), sequer sabia do que
estava falando. E não podemos esperar de seus seguidores ir
além das suposições daquele livro. Resultaria em perda de
tempo, como é próprio das discussões estéreis. Razão pela
qual, evito conceituações, típicas, p.ex., a do CREDO
ATANASIANO: “Adoramos um Deus em Trindade, e
Trindade em Unidade, sem confundir as Pessoas, sem
separar a substância”.
PREFIRO SIMPLIFICAR AO MÁXIMO A DISCUSSÃO,
demonstrando o que Jesus disse (inclusive de Si mesmo) e o
que Deus é: O Todo-Poderoso!
- JESUS DISSE:
“Eu e Pai somo um.” E, ao apóstolo Filipe: “Quem me vê a
mim vê o Pai; como tu dizes: Mostra-nos o Pai?”
(EVANGELHO DE JOÃO 10:30 e 14:9-b, respectivamente).
Ora, Jesus NÃO disse “Eu e o Pai somos dois ou três ou
outro”. E se o Alcorão O tem mesmo por profeta (A boca de
Deus), e o Verbo divino (O agir e a comunicação perfeita Dele
com o ser humano.) e o Messias prometido, NÃO pode
contestar o que Jesus disse. Sem, com isso, comprometer-se
seriamente, óbvio. Um islâmico, porém, poderia recusar a
literalidade do que Jesus falou e buscar, nas suposições
corânicas, outra (E, já por isso mesmo, errônea.) interpretação.
Mas...
.
- JESUS, O QUE DIZ A BÍBLIA QUE ELE FALOU SOBRE SI
MESMO???
a) Além de ser chamado Deus no Antigo Testamento;
b) Além de ser chamado de Deus no Novo Testamento;
c) Além de perdoar pecados, de modo geral e irrestrito, como
a parte primeiramente ofendida pelos mesmos;
c) Além de receber adoração;
e) Além de aceitar ser chamado de Deus (nome genérico);
f) Além de aceitar ser chamado de O SENHOR (nome pessoal
e eterno;
g) Disse: Eu sou o Senhor.
EVANGELHO DE JOÃO 13:13:
- "Vós me chamais Mestre e SENHOR; e dizeis bem,
porque eu o sou."
EM TERMO DE CONCLUSÃO:
Somente por desconhecimento da Bíblia e tamanha
ESTUPIDEZ TEOLÓGICA, alguém, poderia dizer que Jesus não
disse Eu sou Deus. Jesus Se disse O SENHOR; e o significado
teológico desta informação O revela como Deus, não apenas
dos Cristãos, mas, também dos judeus.
Existem EVIDÊNCIAS quanto a isso nos Evangelhos?
PALAVRAS DE JESUS (em dois exemplos):
- "Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e
apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis
reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus
pintinhos debaixo de suas asas, mas vocês não quiseram!”
(EVANGELHO DE MATEUS 23:37-38)
Nota:
Cristo está falando da ação de Deus, no passado, ao enviar
Seus profetas aos judeus. E ELE FALA AGORA NA PRIMEIRA
PESSOA DO SINGULAR. Fala, portanto, como o próprio Deus,
sendo que isto está posto literalmente!!!
- “Abraão, pai de vocês, regozijou-se porque veria o meu
dia; ele o viu e alegrou-se".
Disseram-lhe os judeus: "Você ainda não tem cinqüenta
anos, e viu Abraão? "
Respondeu Jesus: "Eu lhes afirmo que antes de Abraão
nascer, Eu Sou! " (EVANGELHO DE JOÃO João 8:56-58)
.
Nota 02:
Somente por ESTUPIDEZ TEOLÓGICA, ousaria alguém não
relacionar a condição divina (Deidade.) de Jesus Cristo com a
Sua obra Redentora. Ambos os fatos estão profetizados no AT
e proclamados no NT, sendo a seguinte a compreensão
apostólica:
- “Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o
qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para
pastorearem a igreja de Deus, que ele (DEUS) comprou com
o seu próprio sangue.
Sei que, depois da minha partida, lobos ferozes penetrarão
no meio de vocês e não pouparão o rebanho.
E dentre vocês mesmos se levantarão homens que torcerão
a verdade, a fim de atrair os discípulos.”
( LIVRO DE ATOS DOS APÓSTOLOS 20:28-31)
.

Nota 03:
Na compreensão bíblico-apostólica Deus, Ele próprio,
comprou (Resgatou, em termos de Redenção.) a Igreja com o
Seu próprio Sangue. Pois somente Ele, dada a Sua perfeita
justiça e santidade poderia fazê-lo, com o sacrifício perfeito de
Si mesmo.
CONCLUSÃO FINAL: O amor de Deus (Ao ponto dEle doar-se
a Si mesmo numa Cruz, para resgatar a criatura por Ele criada
do Inferno de fogo.) parece lógico? Não, necessariamente.
Porém, se fosse totalmente lógico, não precisaria de fé. E nem
mesmo que as Sagradas Escrituras isso profetizasse, desde a
Torá (SISTEMA DE SACRIFÍCIOS SUBSTITUTIVOS, etc.) aos
Profetas; e nem que os Evangelhos e o NT “loucamente” o
proclamasse. Mais ilógico (além de totalmente inaceitável) do
que isso é um Deus que NÃO seja Deus, porém, um outro.
Melhor dizendo: o Outro. Aquele que se fez adversário de Deus
e de todos os homens, instando por condenar estes últimos ao
Inferno de fogo.
.

3/ RESPONDENDO AO IMPASSE 03:


NO FINAL DE TODA DISCUSSÃO entre quem é o Deus bíblico
e o deus corânico, tendo já ficado em evidência de que NÃO
são os mesmos, o impasse permanecerá. Podendo ser bem ou
mal resolvido pela LÓGICA DA FÉ NUM DEUS AMOROSO ou
na SUPOSIÇÃO DE UM “DEUS” SATÂNICO, o qual possa ter
parte com o Pai da Mentira, e até podendo ser o próprio. A obra
redentora de Jesus X as atrocidades cometidas por Maomé
exemplificam bem isso. De modo que: Deus é o Todo-
Poderoso ou seria um (outro) ser, somente compreendido e
aceito por uma concepção absurda (Pra não dizer satânica.) do
que sejam Deus, profetas e livro sagrado.
Por isso, ao contrário de tentar explicá-lo (Sabendo que
jamais poderia fazê-lo com a apropriada exatidão.),
PROPONHO-ME A COMPARAR O DEUS BÍBLICO COM ALLAH,
nos termos a seguir.
E O QUÊ SE VERIFICA NESSA COMPARAÇÃO? A fé cristã
até pode aceitar ao que se parece ilógico; não, porém, ao que é
teológica e biblicamente absurdo, além de contrariar as
Sagradas Escrituras.
.
A – O DEUS BÍBLICO É O TODO-PODEROSO, como Jesus a
Si mesmo identifica-se no LIVRO DO APOCALIPSE (1:8). De
modo que, sendo UM SER PLURI-DIMENSIONAL (E não
unidimensional como os humanos) pode até ser o Pai, o Filho e
o Espírito Santo sem deixar de UM (e ÚNICO), conforme
testemunham as Sagradas Escrituras. Até porque são nelas
CHAMADO LITERALMENTE DEUS. Tendo, portanto, A MESMA
IDENTIDADE (Substância ou a exata expressão do ser Deus.);
O MESMO CARÁTER (Santo e não satânico.); e fazendo AS
MESMAS E PRINCIPAIS OBRAS divinas: Criação e Redenção.
Além de identificados com o PRINCIPAL ATRIBUTO DIVINO, do
qual todos os demais decorrem: ETERNO. No sentido deídico
do termo: preexistente a todos os seres e coisas; existente por
si mesmo; sem início ou fim de existência; tão diferentemente
das criaturas (anjos, homens e anjos que se tornaram
demônios), as quais, depois de terem sido criadas, tornam-se
também eterna, mas, não no sentido aplicável somente a Deus.
Elas tiveram um início de existência; Deus não. Eis a
DOUTRINA BÍBLICA DE DEUS simplificada ao máximo.
.
B - Deus somente NÃO pode ser (e jamais seria) aquilo que o
deus corânico se assume: MENTIROSO (Suras 4:157-158,
16:106, etc.
Por quê???
Porque tal caráter e identidade não existem em referência a
Deus, mas, somente ao Diabo (EVANGELHO DE JOÃO 8:43-44).
Ser o Diabo é JAMAIS ser Deus; mas, porém, todavia e
entretanto; ser um outro (e maligno) ser. De acordo com as
Escrituras, qualquer outro que NÃO seja Deus é apenas (mais)
uma criatura. E a criaturas NÃO se adora. Ainda que o Allah
corânico teria ordenado que se adorasse a Adão (Sura 2:34), no
Céu. E isso também foi escrito por ESTUPIDEZ TEOLÓGICA de
quem de verdade escreveu tal livro. E lógico que NÃO foi Deus.
.
C - CONCLUSÃO: Assim como a lógica humana pode não
alcançar que Deus que seja o Pai, o Filho e o Espírito Santo,
sem deixar de ser um e o único. Muito menos que Ele seja, ao
mesmo, tempo, Deus e o Diabo. E nem mesmo que tenha parte
com Satã. A fé existe para que creiamos naquilo que à lógica
humana parece inaceitável. Resta saber em quê ou em quem
acreditar: num Deus Todo-Poderoso ou... num conceito de
Deus absurdo (Pra não dizer satânico).
E QUE TAL tomarmos os atos de Jesus ou as atrocidades
cometidas por e o Terror islâmico Maomé como exemplificação
das ações e do caráter do verdadeiro Deus???”
.
III – ALGUNS CONCEITOS BÍBLICO-TEOLÓGICOS & LINKs:
.
1 - O Criador (EVANGELHO DE JOÃO 1:1-3) não pode ser
criatura. Criaturas não criam outros seres e nem o universo na
Bíblia; apenas Deus.
- “No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com
Deus, e era Deus.
Ela estava com Deus no princípio.
Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele,
nada do que existe teria sido feito.”
.
2 - O Pai da Eternidade (ou Eterno) e Deus-Forte (Todo-Poderoso),
segundo o LIVRO DO PROFETA ISAÍAS 9:6, não poderia sê-lo,
sendo uma criatura apenas. O sentido de Eternidade e o atributo da
onipotência somente são aplicáveis a Deus. Pois isso implica, no
sentido do termo Eterno, o existir desde e para todo o sempre.
.
-“Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o
governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado
Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno,
Príncipe da Paz.”
.
3 - A expressão "Hoje te gerei" (SALMOS E CARTA AOS
HEBREUS) não diz respeito a uma suposta criação de Jesus, mas,
sim, à ressurreição de Cristo, conforme LIVRO DE ATOS 13:32-33.
Logo, aplica-se primariamente à GERAÇÃO DO CORPO
RESSURRETO E GLORIFICADO de Jesus, o primeiro de uma
nova criação (unindo a Deidade à humanidade, num corpo
glorificado).
DEMONSTRAÇÃO:
- "Nós lhes anunciamos as boas novas: o que Deus
prometeu a nossos antepassados
ele cumpriu para nós, seus filhos, ressuscitando Jesus,
como está escrito no Salmo segundo: ‘Tu és meu filho; eu
hoje te gerei’.
-
O fato de que Deus o ressuscitou dos mortos, para que
nunca entrasse em decomposição, é declarado nestas
palavras: ‘Eu lhes dou as santas e fiéis bênçãos prometidas
a Davi’.
Assim ele diz noutra passagem: ‘Não permitirás que o teu
Santo sofra decomposição’.
"Tendo, pois, Davi servido ao propósito de Deus em sua
geração, adormeceu, foi sepultado com os seus
antepassados e seu corpo se decompôs.”
(LIVRO DE ATOS DOS APÓSTOLOS 13: 32-33)
.
4 - A expressão "PRINCÍPIO da criação de Deus" não significa
primeira criatura, mas, ORIGEM de toda a Criação. E a origem de
toda criação é Deus e jamais uma criatura. Ser criatura implica em
ter uma origem. E é preciso entender uma mesma palavra na Bíblia
tem vários significados. Alguns aplicados a criaturas e outros
somente a Deus, como é o caso de LIVRO DO APOCALIPSE 3:14:
.
- “E ao anjo da igreja de Laodicéia escreve: Isto diz o
Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da
criação de Deus” .
.
5 - A expressão PRIMOGÊNITO (dentre os mortos ou dentre
muitos irmãos) indica que Ele, após a ressurreição, tornou-se o
primeiro a vencer a morte e ressuscitar para não mais morrer.
Assim como os cristãos irão ressuscitar e não mais morrer.
Está em evidência a RESSURREIÇÃO NUM CORPO
GLORIFICADO (Como os dos anjos, e que aparecia e sumia,
atravessava paredes, porém, comia normalmente, etc. ) E JAMAIS
UMA SUPOSTA CRIAÇÃO DE JESUS. Nesse sentido, Ele que já
existia como o PAI ETERNO (Isaías 9:6), apenas tornou-se, melhor:
adquiriu, a forma que os humanos terão (corpos celestiais) na
Eternidade.
.
- “E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o
primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a
preeminência.” (CARTA AOS COLOSSENSES 1:18)
Nota:
Antes do termo ligado à Redenção (Primogênito dentre os mortos),
vem o termo ligado à Criação (Ele é o princípio.). E não há tal
possibilidade de ser, não sendo o próprio Deus.
.
6 - A expressão PRIMOGÊNITO, quando ou não empregada de
entre muitos irmãos ou dentre os mortos e, sobre tudo, da Criação
(CARTA AOS COLOSSENSES 1:15), jamais significou a suposta
criação de um ser que é, na Bíblia, ETERNO (Existe desde e para
todo o sempre.). Antes, AQUELE QUE TEM A PRIMAZIA.
Exatamente por ser quem é: Deus.
Como está escrito, “para que em tudo tenha a preeminência”
(1:18), ou seja a primazia.
.

7 – Sobre a expressão UNIGÊNITO:


- “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que
está no seio do Pai, esse o revelou.”
(EVANGELHO DE JOÃO 1:18)
Nota:
"O termo 'unigênito' não significa que Cristo foi um ser
criado. Pelo contrário, é DECLARAÇÃO, refere-se a um
relacionamento exclusivo com o Pai, ie, ao fato Dele ser o
Filho de Deus desde a Eternidade."
(Bíblia de Estudo Pentecostal, 1995, CPAD, pág. 1570.)
TANTO QUE:
i - Os judeus consideraram ser uma blasfêmia Jesus declarar-se o
O Filho de Deus, porque sabiam a implicação do fato
(EVANGELHO DE JOÃO 5:18): o ser (igual a) Deus.
ii - CARTA AOS FILIPENSES 2:5-11: Jesus não teve por
usurpação o ser (igual a) Deus, pelo simples fato de que, ao
contrário de Satanás (LVIRO DO PROFETA ISAÍAS 14:12-14), Ele
jamais precisou usurpar-se a ser ... o que sempre foi: Deus.
E, como Ele se identifica no Apocalipse, “O TODO-PODEROSO
(que há de vir)”.
iii - DEMONSTRAÇÃO:
- "que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual
a Deus era algo a que devia apegar-se; " (FILIPENSES 2:6)
.
CONCLUSÃO:
QUEM FALOU QUE JESUS NUNCA DISSE " EU SOU
DEUS".? (Quem Disse Isso, de Acordo com As Sagradas
Escrituras, Está Mentindo. Logo, É Um Filho do Diabo)
https://www.facebook.com/groups/Biblia.Alcorao/permalink/695850
613896586
.
Seria bíblica a doutrina ou o conceito Trindade?
O leitor verificará não ser nenhuma novidade adeptos do Islamismo,
assim como ateus e defensores de outras filosofias e religiões,
confundir o Cristianismo apostólico (O único biblicamente
defensável.) com o Catolicismo. Muitos, por desinformação; já
outros, com intencional má informação. E querem atribuir à religião
romana a criação do Novo Testamento. No caso do Islã, trata-se,
em verdade, de uma tática que seus militantes modernos
encontraram, supondo ser a mesma eficaz no combate à Doutrina
bíblica de Deus. Partindo de tal pressuposto, alegam ter havido
manipulação dos ensinamentos originais de Jesus; e que a
concepção de Sua pessoa e obra (de que dá testemunho o Novo
Testamento), teria sido não a proclamada; mas, atribuída aos
apóstolos. No terceiro volume de RESPOSTA AO ISLÃ (O Que
Todo Cristão Precisa Saber Sobre O Islamismo & A Sua
Própria Fé), procuro responder à pergunta formulada no início
deste parágrafo. Para isso, utilizo tanto do Antigo quanto do Novo
Testamento; tendo-se em visa que a Doutrina de Deus é única: do
Gênesis ao Apocalipse.
.
.
.
.
.
.
.
.

FONTES DE ESTUDOS E DE CONSULTAS:


.
.
1 – A BÍBLIA SAGRADA:
- Bíblia Online NVI;
- Bíblia Sagrada RA. RC e outras versões impressas.
2 - ALCORÃO:
- Fonte digital: Centro Cultural Beneficente Árabe Islâmico de Foz
do Iguaçu (RocketEdition);
- Tradução de Sentido do NOBRE ALCORÃO Para A Língua
Portuguesa, realizada por Dr. Helmi NASR. (Por ordem e às
expensas do Rei Fahd, da Arábia Saudita).
3 – AUTORES:
. Andrew Rippin:
- Muçulmanos Suas Crenças e Práticas.
. Don Richardson:
- Segredos do Alcorão.
. John Gilchrist:
- Enfrentando O Desafio Muçulmano.
. Joshua Lingel:
- Reconsiderando a Vocação.
. Lee Strobel:
- Em Defesa de Cristo.
M. (Marcos) Madsaiin Dias:
- Resposta Ao Islã (O que todo cristão precisa saber sobre o
Islamismo & sobre a sua própria fé) – Vols. 01, 02 e 03;
- A Bíblia & O Islã: 50 Perguntas (Cujas respostas precisam soar
mais alto do que o silêncio islâmico & do que as contradições
corânicas);
- Maomé: Predito Na Bíblia?(O Que Dizem As Sagradas Escrituras);
- Manual Defesa da Fé Cristã (Contra Os Ataques do Islamismo) –
Vol. 01;
- Crer ou Crer na Trindade (Implicações & Apontamentos Históricos)
*
. Toby Lester:
- O Que é O Corão? Uma Análise Histórico-arqueológica.
. W.H.T. Gairdner:
- A Vida Real de Maomé.
. Jay Smith:
- A Bíblia e o Corão, Uma Comparação Histórica;
- Evidências Para A Autoridade da Bíblia – Uma Apologética Cristã;
- Autoridade do Corão – Uma Crítica Interna;
- O Corão: Uma Análise Apologética;
- Maomé – Uma Apologética Cristã;
- OUSARÍAMOS CONFRONTAR? Um chamado a um novo
paradigma de evangelismo a muçulmanos.
- Apostilas e DVDs da Amal (M3), Curso de missões e
evangelismo.
- Artigos publicados originalmente no blog MISSÃO
IMPACTAR e no grupo Bíblia & Alcorão / Facebook.
(*) Obra em preparo.
.
(Primeira Edição digital: Maio de 2017)

.
LEIA TAMBÉM:
.

- VOL. 01
.
(Sete Questões):
- Epígrafes
- Introdução
O "MANUAL DEFESA DA FÉ CRISTÃ"
(& Sobre O Risco Que A Igreja, A Família & A Nação Estão
Correndo)
.

- QUESTÃO 01
(Demonstração em três tempos):
Allah é mesmo Deus? E há monoteísmo, sem sequer a adoração
ao Deus verdadeiro???
- QUESTÃO 02:
Maomé: profeta do Deus bíblico verdadeiro???
- QUESTÃO 03:
(Demonstração em três tempos ):
Pode mesmo o Alcorão ser considerado revelação do
Deus da bíblia???
- QUESTÃO 04:
E qual seria o alcorão verdadeiro,
se foram mais de dez os seus compiladores???
- QUESTÃO 05:
O islamismo pode mesmo responder
“Qual seria o alcorão verdadeiro???”,
O sobrou ou... um dos que foram queimados?
- QUESTÃO 06:
Seria verdadeira a sura 3:96?
E aceitáveis ao Deus bíblico o culto & as práticas islâmicos???
- QUESTÃO 07:
Diante da contradição teológica da sura 5:116,
quem, em verdade, escreveu alcorão:
i - Demonstra mesmo capacidade para negar a Deidade de Jesus
Cristo?
ii - Diz a verdade, quando afirma que Jesus nunca teria afirmado
que ser Deus??
iii - Dá testemunho verdadeiro, quando nega a morte e
ressurreição redentoras do Messias???
.

. - VOL. 03
(Sete Artigos):
- Epígrafes
- Introdução
ESTES SETE ARTIGOS E A INDA OUTROS
.
1 - SETE RESPOSTAS BÍBLICAS AO “CRESCIMENTO” DO
ISLAMISMO (Como de Qualquer Outra Religião Sem o Redentor).

2 - SETE RESPOSTAS BÍBLICAS À VIOLÊNCIA & AO TERROR..

3 – RESPOSTA BÍBLICA A TRÊS SUPOSIÇÕES ISLÂMICAS (III):


Sobre A Expressão O FILHO DE DEUS; Sobre O Termo
TRINDADE; E Sobre Um SUPOSTO INJIL (Evangelho) em
Aramaico.

4 - ALGUMAS PRÁTICAS SEXUAIS: COMO ENTENDER O


SILÊNCIO BÍBLICO DE DEUS?

5 - Desperta Igreja! O ISLÃ DISTORCE A BÍBLIA. (E, Para Validar


Suposições do Alcorão, Apela Até Aos Réprobos.)

6 - SENDO DEUS, JESUS FOI À CRUZ. POR QUÊ? FRAQUEZA


OU FORÇA, NA EVIDÊNCIA DA SUA VITÓRIA EM NÍVEL
CÓSMICO???

7 - POR QUE TANTOS PASTORES E LÍDERES OMISSOS,

NA DEFESA DE NOSSA FÉ, DIANTE DO MAIOR DESAFIO?

(Acaso Possuem Mais Unção Que A dos Apóstolos?) / APÊNDICE


.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.