Você está na página 1de 9

ATO INSTITUCIONAL NQ 5, DE 13 DE DEZEMBRO DE I968

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA FEDERATIVA

DO BRASIL o u v i d o o Conselho de Segu

rança N a c i o n a l , e

CONSIDERANDO que a Revolução B r a s i l e i _

r a de 31 de março de 1964 t e v e , conforme d e c o r r e dos Atos com

os q u a i s se i n s t i t u c i o n a l i z o u , fundamentos e propósitos que

visavam a d a r ao país um regime que, atendendo às exigências

de um s i s t e m a jurídico e político, a s s e g u r a s s e autêntica o r -

dem democrática, baseada na l i b e r d a d e , no r e s p e i t o à d i g n i d a -

de da pessoa humana, no combate a subversão e às i d e o l o g i a s

contrárias às tradições de nosso povo, na l u t a c o n t r a a cor-

rupção, buscando, d e s t e modo, " os meios indispensáveis à obra

de reconstrução econômica, f i n a n c e i r a política e moral do B r a

sil, de maneira a poder e n f r e n t a r , de modo d i r e t o e i m e d i a t o ,

os g r a v e s e u r g e n t e s problemas de que dependem a restauração

da ordem i n t e r n a e do prestígio i n t e r n a c i o n a l da nossa pá-

tria" (Preâmbulo do Ato I n s t i t u c i o n a l n9 1, de 9 de abril

de 1964);
-2-

CONSIDERANDO que o Governo da Repúbli-

ca responsável p e l a execução d a q u e l e s o b j e t i v o s e p e l a ordem e

se urança i n t e r n a s , não só não pode p e r m i t i r que pessoas ou

grupos anti-revolucionários c o n t r a e l a t r a b a l h e m , tramem ou

ajam, sob pena de e s t a r f a l t a n d o a compromissos que assumiu

com o povo b r a s i l e i r o , bem como porque o Poder Revolucionário,

ao e d i t a r o Ato I n s t i t u c i o n a l n9 2, a f i r m o u , categoricamente,

que "não se d i s s e que a Revolução f o i , mas que é e continuará"

e, p o r t a n t o , o processo revolucionário em d e s e n v o l v i m e n t o não

pode s e r d e t i d o ;

CONSIDERANDO que esse mesmo Poder Revo

lucionário, e x e r c i d o p e l o P r e s i d e n t e da República, ao convocar

o Congresso N a c i o n a l p a r a d i s c u t i r , v o t a r e promulgar a nova

Constituição, e s t a b e l e c e u que e s t a , além de r e p r e s e n t a r "a i n s

titucionalização dos i d e a i s e princípios da Revolução", deve-

r i a " a s s e g u r a r a c o n t i n u i d a d e da obra revolucionária" ( A t o I n s

t i t u c i o n a l n9 4, de 7 de dezembro de 1966);

CONSIDERANDO, no e n t a n t o , que a t o s n i -

tidamente s u b v e r s i v o s , o r i u n d o s dos mais d i s t i n t o s s e t o r e s po-

líticos e c u l t u r a i s , comprovam que os i n s t r u m e n t o s jurídicos,

que a Revolução v i t o r i o s a outorgou à Nação p a r a s u a d e f e s a , de_

s e n v o l v i m e n t o e bem e s t a r de seu povo, estão s e r v i n d o de meios

para combatê-la e destruí-la;

CONSIDERANDO que, assim, se t o r n a impe

/ r i o s a a adoção de medidas que impeçam sejam f r u s t r a d o s os


-5-

i d e a i s s u p e r i o r e s da Revolução, preservando a ordem, a seguran

ça, a tranqüilidade, o d e s e n v o l v i m e n t o econômico e c u l t u r a l e

a harmonia política e s o c i a l do país comprometidos por p r o c e s -

sos s u b v e r s i v o s e de g u e r r a revolucionária;

CONSIDERANDO que todos esses f a t o s per.

t u r b a d o r e s da ordem são contrários aos i d e a i s e à consolidação

do Movimento de março de 1964, obrigando os que p o r e l e se re_s

p o n s a b i l i z a r a m e juraram defendê-lo, a adotarem as providên-

c i a s necessárias, que e v i t e m sua destruição,

Resolve e d i t a r o seguinte

ATO INSTITUCIONAL;

A r t . 19 - São mantidas a Constituição

de 24 de j a n e i r o de 1967 e as Constituições E s t a d u a i s , com as

modificações c o n s t a n t e s d e s t e A t o I n s t i t u c i o n a l .

A r t . 29 - 0 P r e s i d e n t e da República

poderá d e c r e t a r o r e c e s s o do Congresso N a c i o n a l , das Assem -

bléias L e g i s l a t i v a s e das câmaras de V e r e a d o r e s , p o r Ato Com-

plementar, em estado de sítio ou f o r a d e l e , só v o l t a n d o os mes

f u n c i o n a r quando convocados p e l o P r e s i d e n t e da República.


_4-

§ 1.9 - Decretado o r e c e s s o parlamentar,

o Poder E x e c u t i v o correspondente f i c a autorizado a l e g i s l a r em

todas as matérias e e x e r c e r as atribuições p r e v i s t a s nas C o n s t i

tuições ou na L e i Orgânica dos Municípios.

§ 29 - Durante o período de r e c e s s o , os

Senadores, os Deputados f e d e r a i s , e s t a d u a i s e os vereadores só

perceberão a p a r t e f i x a de seus subsídios.

§ 39 - Em caso de r e c e s s o da Câmara Mu-

n i c i p a l , a fiscalização f i n a n c e i r a e orçamentária dos Municípios

que não possuam T r i b u n a l de Contas, será e x e r c i d a pe^o do respeç_


t i v o Estado, estendendo sua ação às funções de a u d i t o r i a , julga-

mento das contas dos a d m i n i s t r a d o r e s e demais responsáveis por

bens e v a l o r e s públicos.

Art. 3 9 - 0 P r e s i d e n t e da República, no

i n t e r e s s e n a c i o n a l , poderá d e c r e t a r a intervenção nos Estados e

Municípios, sem as limitações p r e v i s t a s na Constituição.

Parágrafo Único - Os i n t e r v e n t o r e s nos

Estados e Municípios serão nomeados p e l o P r e s i d e n t e da República

e exercerão todas as funções e atribuições que c a i b a m , r e s p e c t i v a

mente, aos Governadores ou P r e f e i t o s , e gozarão das p r e r r o g a t i v a s ,

vencimentos e vantagens f i x a d o s em l e i .
-5-

A r t . 49 - No i n t e r e s s e de p r e s e r v a r a

Revolução, o P r e s i d e n t e da República, ouvido o Conselho de Se-

gurança N a c i o n a l , e sem as limitações p r e v i s t a s na C o n s t i t u i -

ção, poderá suspender os d i r e i t o s políticos de q u a i s q u e r cida-

dãos p e l o prazo de 10 anos e c a s s a r mandatos e l e t i v o s f e d e r a i s ,

estaduais e municipais.

Parágrafo Único - Aos Membros dos Le-

g i s l a t i v o s f e d e r a l , e s t a d u a i s e m u n i c i p a i s , que t i v e r e m seus

mandatos cassados, não serão dados s u b s t i t u t o s , determinando-

se o quorum p a r l a m e n t a r em função dos l u g a r e s e f e t i v a m e n t e pre

enchidos.

A r t . 59 - A suspensão dos d i r e i t o s p_o

líticos, com base neste Ato, i m p o r t a , simultaneamente, em:

I - cessação de privilégio de f o r o por

p r e r r o g a t i v a de função;

I I - suspensão do d i r e i t o de v o t a r e de

s e r votado nas eleições s i n d i c a i s ;

I I I - proibição de a t i v i d a d e s õu manifes_

tação sobre assunto de n a t u r e z a política;

J\J^o IV - aplicação, quando necessária das

"seguintes medidas de segurança«


a) - l i b e r d a d e v i g i a d a ;

b) - proibição de freqüentar d e t e r m i n a
dos l u g a r e s ;

c) - domicílio determinado.

§ 1? - 0 a t o que d e c r e t a r a suspensão

dos d i r e i t o s políticos poderá f i x a r restrições ou proibições

r e l a t i v a m e n t e ao exercício de q u a i s q u e r o u t r o s d i r e i t o s públi-

cos ou p r i v a d o s .

§ 29 - As medidas de segurança de que

t r a t a o i t e m IV d e s t e a r t i g o , serão a p l i c a d a s p e l o M i n i s t r o de

Estado da Justiça, d e f e s a a apreciação de seu a t o p e l o Poder

Judiciário.

A r t . 69 - Picam suspensas as g a r a n t i a s

c o n s t i t u c i o n a i s ou l e g a i s de: vitaliciedade, inamovibilidade e

e s t a b i l i d a d e , bem como a de exercício em funções p o r prazo certo.

§ 19 - 0 P r e s i d e n t e da República pode-

rá, mediante d e c r e t o , d e m i t i r , remover, a p o s e n t a r ou pôr em d i s

p o n i b i l i d a d e q u a i s q u e r t i t u l a r e s das g a r a n t i a s r e f e r i d a s neste

a r t i g o , assim como empregados de a u t a r q u i a s , empresas públicas

ou s o c i e d a d e s de economia m i s t a , e d e m i t i r , t r a n s f e r i r para a

re&erva ou r e f o r m a r m i l i t a r e s ou membros das polícias m i l i t a r e s ,

assegurados, quando f o r o caso, os vencimentos e vantagens p r o -


p o r c i o n a i s ao tempo de serviço.

§ 29 - 0 d i s p o s t o neste a r t i g o e seu

parágrafo 19, a p l i c a - s e também, nos E s t a d o s , Municípios, D i s -

t r i t o f e d e r a l e Territórios.

A r t . ?9 - 0 P r e s i d e n t e da República,

em qualquer dos casos p r e v i s t o s na Constituição, poderá d e c r e

t a r o e s t a d o de sítio e p r o r r o g a - l o , f i x a n d o o r e s p e c t i v o p r a

zo.

A r t . 89 - 0 P r e s i d e n t e da República

poderá, após investigação d e c r e t a r o c o n f i s c o de bens de t o -

dos quantos tenham e n r i q u e c i d o , i l i c i t a m e n t e , no exercício de

cargo ou função pública, i n c l u s i v e de a u t a r q u i a s , empresas pjú

b l i c a s e sociedades de economia m i s t a , sem p r e j u i z o das san

ções p e n a i s cabíveis.

Parágrafo Único - Provada a l e g i t i m i

dade da aquisição dos bens, far-se-á sua restituição.

A r t . 99 - 0 P r e s i d e n t e da República

poderá b a i x a r A t o s Complementares para a execução d e s t e Ato

I n s t i t u c i o n a l , bem como a d o t a r , se necessário à d e f e s a da Re-

uaão, as medidas p r e v i s t a s nas alíneas "d" e "e", do pará-

g r a f o 29 do a r t i g o 152 da Constituição.
-8-

Art. 10 - F i c a suspensa a g a r a n t i a de

habeas corpus, nos casos de c r i m e s políticos, c o n t r a a segurança

n a c i o n a l , a ordem econômica e s o c i a l e a economia . p o p u l a r .

Art. 11 - Excluem-se de q u a l q u e r apre

ciação j u d i c i a l todos os a t o s p r a t i c a d o s de acordo com e s t e Ato

I n s t i t u c i o n a l e seus Atos Complementares, bem como os r e s p e c t i v o s

efeitos.

. A r t . 12 - 0 presente Ato I n s t i t u c i o -

n a l e n t r a em v i g o r n e s t a d a t a , revogadas as disposições em con-

trário.

Brasília, DF, 13 de dezembro de 1968;

147? da Independência e 809 da República.

tf
/

Você também pode gostar