Você está na página 1de 30

PROJETO GENTILEZA GERA GENTILEZA

JUSTIFICATIVA:

O convívio social precisa ter sua base na família e ter sua continuidade na
escola, a gentileza é algo que vem se perdendo no decorrer do dia a dia corrido
das pessoas da nossa sociedade atualmente e isso está se estendendo às
crianças em sala de aula, tornando-se comum a não prática da gentileza em
nosso cotidiano escolar. Visando a amenização de tal problemática encontrada
em sala de aula, este projeto visa o desenvolvimento de ações que
demonstrem a gentileza ao próximo, tais como: a prática do desenvolvimento
de afeto ao próximo, de escutar o outro com carinho e atenção, de dizer
palavras que façam bem ao outro e praticar atitudes que tragam amorosidade.
A gentileza deve ser praticada em todos os espaços, e esta deve ser uma
aprendizagem que precisa ser ensinada não somente no ambiente familiar,
mas principalmente no ambiente escolar, pois a educação abrange o
desenvolvimento afetivo-social também. É necessário que a gentileza seja
praticada em todas as situações do nosso cotidiano, quer seja na rua, em casa,
na escola, em um clube, etc., em todos esses lugares é possível aprender as
relações de respeito e atenção com o outro, gerando vínculos saudáveis. Tal
ação sendo desenvolvida na escola estender-se-á por toda a sociedade
atingindo todos os grupos sociais existentes.

OBJETIVOS

GERAL

Aprender 20 formas de praticar a gentileza na sala de aula, entendendo que


essa prática precisa ir além da sala de aula e da escola.

ESPECÍFICOS

· Praticar a gentileza na sala de aula e estendê-la para além da sala e da


escola.
· Aprender a desenvolver competências gentis através das atividades
realizadas no decorrer do projeto.
· Refletir na gentileza como uma prática que beneficia não só o próximo,
mas a si mesmo.
· Compreender que as ações de ouvir, doar, agradecer, pedir, receber,
perdoar, tocar, cumprimentar e alegrar estão ligadas a prática da gentileza em
relação ao nosso próximo.
CONTEÚDOS

· Conceituais: Conhecer a origem da gentileza e perceber que é muito


bom realizar boas ações, e que isto nos faz sermos pessoas melhores,
aprendendo 20 formas de praticá-la em nosso dia a dia.
· Procedimentais: Confecção de murais, colagens, confecção de cartazes
sobre o tema gentileza em sala de aula, confeccionar quadrinhos do bem,
arrumar a sala de aula, exercitar os cumprimentos do dia a dia etc.
· Atitudinais: Participação nas atividades propostas; respeito ao próximo e
aos mais velhos, adquirir o ato das boas ações de forma espontânea e
rotineira, homenagear o próximo, ajudar o próximo, dividir o alimento, respeitar
a família, desenvolver o hábito de elogiar, aprender a ouvir e praticar a
solidariedade.

ABRANGÊNCIAS
Língua Portuguesa, Matemática e Ensino Religioso.

METODOLOGIA
Levando-se em conta o grande interesse que as crianças nesta faixa etária
apresentam por desenvolver sua criatividade e produzir matérias interessantes
e que sejam do seu interesse, optamos por despertar e sensibilizar os alunos à
prática da Gentileza em sala de aula através de atividades em grupo,
individuais e em duplas para que haja uma socialização conjunta do conceito a
ser desenvolvido sobre a Gentileza.
A realização e aplicação do projeto decorrerá da práticas das atividade
proposta no mesmo sempre ao som de músicas infantis que ressaltem práticas
da gentileza, seguindo a sequência da realização de cada atividade, onde os
alunos verão não somente a teoria da Gentileza, mas também a prática, pois
serão levados a praticá-la com o seu
coleguinha em sala de aula, por meio das atividades que serão em grupo, em
duplas ou individuais, porém as individuais terão seu foco em alguém especial
podendo ser da escola, da família ou alguém que os alunos admirem, no
entanto nunca tiveram a oportunidade de se aproximar, e esta será uma grande
oportunidade.
Depois de todas as atividades realizadas em sala de aula, encerraremos o
nosso projeto com a atividade salada de frutas entre amigos, onde faremos um
piquenique ao ar livre no ambiente da escola dando a oportunidade de mais um
momento descontraído e de socialização entre os alunos, neste momento os
alunos serão estimulados a compartilhar sobre qual a atividade que ele (ela)
mais gostou de realizar durante o projeto e o que ele (ela) pode aprender sobre
a gentileza em sala de aula.

ATIVIDADES PREVISTAS

1. Pesquisando Gentileza:Por meio de vários questionamentos, o


educador estimula os educandos a pensar sobre a gentileza. Pode-se
perguntar a eles sobre qual o significado de “gentileza” em uma palavra; quais
são as atitudes gentis; o que é ser gentil com o outro; como fazer para ser
gentil, e eles se consideram pessoas gentis, etc. depois desse diálogo, o
educador explica-lhes que eles, agora, irão ser pesquisadores sobre a
gentileza. Para isso, eles receberão um cartão com a seguinte pergunta: “O
que é gentileza?” e deverão levá-lo para casa. No caminho, em casa, na rua,
com os familiares e amigos eles irão fazer essa pergunta às pessoas e ouvir as
respostas. No outro dia, o educador conduz uma conversa sobre o que os
educandos conseguiram aprender por meio das respostas das pessoas
pesquisadas.
2. Hora de Cumprimentar: Seguindo a orientação do educador, cada
educando, em sua vez, levanta e diz bom dia para a turma. Todos respondem à
saudação, olhando para quem falou: “Bom-dia, (nome do educando)”. Outro
educando faz o mesmo procedimento até toda a turma ter sido envolvida.
Depois, o educador pergunta aos alunos o que eles sentiram ao ouvir seu
nome durante a saudação coletiva e por que é importante falar “bom-dia” e
cumprimentar sempre os colegas.

3. Arrumando a sala: Os educandos são convidados a viver um desafio.


Eles terão que tirar todos os objetos da sala (exceto os materiais muito
pesados) e coloca-los fora da sala. Haverá regras principais: sempre terão de
ajudar alguém e não poderão ficar sozinhos. Isto vale mesmo para os objetos
que são leves. Depois que estiver tudo lá fora, o educador fará um círculo
dentro da sala e perguntará aos educandos como foi realizar essa tarefa, quais
problemas aconteceram e o que pode ser feito para melhorar. Agora, ele
convida a todos para arrumarem a sala como estava antes. As mesmas regras
devem ser mantidas. Ao final, o educador avalia os educandos novamente,
com questionamentos, e fecha a atividade, anotando no quadro as palavras
importantes que foram utilizadas no momento em que eles trabalharam juntos.
4. Mais agradecer e Mais gostar: O educador prepara um envelope para
cada educando, contendo o nome de um colega, em letras grandes, e um
bombom. Entrega um envelope a eles e explica-lhes que, quando o abrirem,
terão de ler o nome do educando (com a ajuda do educador), pegar algo que
tem dentro e entregar para o educando cujo nome foi lido. É importante dizer a
seguinte frase na hora da entrega: “Eu gosto muito de você, (nome do
educando)”. O outro educando que recebe terá de falar: “Obrigado (a)”. Por fim,
o primeiro educando responde: “De nada” e os dois se abraçam. O educando
que recebeu o presente vai, agora, abrir o seu envelope, faz o mesmo
procedimento com o outro e assim sucessivamente até terminar os
participantes. É importante dialogar depois sobre o que mais se aprendeu
nesta atividade, em uma conversa simples. Para terminar, o educador pede
para que cada um faça um desenho em uma folha A4, que será um presente
para alguém que vive com ele em casa. O educando terá de entregar o
desenho e falar para as pessoas escolhidas: “Eu gosto muito de você, (nome
da Pessoa)”. No outro dia, o educador deve perguntar como foi a entrega em
casa para proporcionar alguma reflexão sobre o assunto.
5. Jogo das Amizades: O educador divide a turma. As duplas formam duas
filas, uma de frente para outra. O educador explica que, ao seu sinal, as duplas
irão se encontrar e fazer de conta que são dois amigos que veem depois de
muito tempo. Devem agir dessa forma duas vezes. Depois agem como se
fossem dois aniversariantes que parabenizam alegremente um ao outro, duas
vezes. Por fim, são dois amigos que se vão despedir e repete. Antes de se
sentarem devem agradecer ao colega com um abraço. O educador pergunta à
turma sobre o que mais se aprendeu com a atividade, que palavras foram ditas
para o outro. O educador vai lembrando, junto à turma, os momentos
marcantes e fazendo uma lista de termos gentis. Depois de ler a lista para a
turma, questiona-a sobre a importância desses termos na convivência diária.

6. O doente e o ajudante:Divide-se a turma em duplas. Um educando da


dupla será o número 1 e o outro, o número 2. O educador explica que o
número 1 será o doente, e o número 2, a pessoa que vai ajudar o doente.
Explica-lhes que, quando o sinal for dado eles irão se encontrar. O número 1
vai fazer de conta que está algo doendo e o número 2 vai se preocupar com ele
e ajudá-lo, levando-o para o hospital. O educador separa um lugar na sala
onde pode ser considerado o hospital. Ao chegar ao hospital, os educandos
invertem os papéis, repetindo a atividade até que a turma toda participe. Ao
final da atividade, dialogam sobre a importância de ajudar o próximo gerando
questionamentos sobre o que cada um já ajudou e como foi.

7. Jogos dos toques: Esta atividade é uma brincadeira com música. Com a
turma em pé, o educador explica-lhes que ele vai colocar uma música e que os
educandos terão de andar enquanto ela estiver tocando. Quando a música
parar, eles terão de fazer algo que foi pedido pelo educador. A primeira tarefa é
segurar nas duas mãos de um colega. Fazem isso duas vezes. Mudam para
abraçar um colega de frente e repetem os movimentos. Depois, abraçam o
colega de lado e, por fim, pega na mão dele, andam pela sala e repetem os
gestos. Os educandos sentam-se e o educador questiona-os sobre o que foi
difícil e o que foi fácil realizar e porque é importante aprender a tocar o próximo
e viver com ele.

8. Painel Coletivo:Esta atividade é uma construção de um grande painel


coletivo. O educador estende no chão um papel grande e explica à turma que
cada um vai construir o painel com tintas e pincéis, seguindo a imaginação
livre. Haverá quatro regras: escolher um lugar e começa a fazer o seu desenho;
respeitar sempre o colega; e quem atrapalhar a atividade irá ser convidado e,
apenas observar. O educador explica quais sãos materiais e as quantidades
mínimas que cada um poderá pegar e deixá-los livres para a confecção. Esta
atividade pode ser realizada com outros de tipos de materiais como cola papel,
tesoura com ponta arredondada, elementos de reciclagem etc.; para serem
usados pelos educandos da forma com quiserem no painel. É importante não
interromper a atividade, pois tudo que vai acontecer mesmo parecendo caótico
será um aprendizado, e o educador deve ficar atento à atividade anotando
tudo. Ao final todos vão apreciar o que fizeram e deixar o trabalho exposto no
ambiente educativo. Os educandos podem fazer uma reflexão sobre o que
aconteceu de bom e de ruim, o que os deixou felizes ou tristes e podem
argumentar sobre o que aprenderam com essa experiência.

9. Cantinho da Família: Um dia antes da atividade, o educador solicita a


cada um da turma que traga para a aula do dia seguinte duas fotos da família,
algum objeto pequeno de casa e outro objeto pessoal. No dia da atividade, o
educador pede para que cada um desenhe em um papel A4 uma imagem de
sua casa e das pessoas que vivem dentro dela. Depois, explica-lhes que cada
educando vai montar em cima de sua mesa um “cantinho da família” expondo
as fotos e os objetos que trouxeram junto ao desenho, em uma arrumação do
jeito que cada um queira dar. Os educando, à frente da sala, observa as
arrumações. O educador esclarece que todos, agora, vão participar de uma
visita a um local de exposição e que irão se deslocar para perto das cadeira e
mesas, um de cada vez. Ao chegar ao local, o educando que fez o cantinho
explica aos demais tudo que está exposto, podendo contar alguma história dos
objetos. Todos estão livres para fazer alguma pergunta depois que o educando-
expositor falar. Ao final, recolhe-se os materiais e pergunta-se ao educandos o
que eles se sentiram realizados nesta atividade, qual a importância de viver em
família, de que eles mais gostam na família e por quê.

10. Círculo do Elogiar:Toda a turma será dividida em grupo de quatro ou


cinco educandos. Pede-se para que eles fiquem de mãos dadas em círculo e
se enumerem de 1 a 4 (ou 5). Explica-se que cada um vai ter que ir ao centro
do círculo ao sinal do educador e os outros vão elogiá-lo, falando bem da
roupa, do seu jeito, das coisas boas que eles fazem, etc. cada um deve elogiar
o outro com calma. O educando vai dizendo os números que deve ir ao meio
dando os sinais de início e fim. Quando todos terminarem é importante refletir
sobre a necessidade de falar bem do outro de ver coisas boas. O educador
deve questionar se eles fazem isso no cotidiano. Para finalizar, o educador
orienta-os a escolher um pessoa que viva na casa deles. A seguir, deve elogiá-
la e, no dia seguinte contar para a turma como foi a experiência.
11. Entrega de flor: O educador vai levar para sala várias flores, que serão
dadas uma a cada educando. A seguir, explica-lhes que eles irão doar essa flor
a uma pessoa, mas o educador só falará quem é depois que os educandos
fizerem um cartão muito bonito. Dessa forma, são disponibilizado os matérias
para eles construírem um cartão com papel A4, quando todos terminarem, o
educador explica-lhes que eles levarão a flor e o cartão para casa e deverão
entrega-los a uma pessoa completamente desconhecida. Pode ser alguém na
rua, na vizinhança, etc. Na hora de entregar terão de falar: “Este presente é pra
você. Seja muito feliz”. O educador deve deixar bem claro qual foi o acordo
firmado e o que eles deverão cumprir no outro dia, todos conversam sobre
como foi a entrega, quais foram as reações das pessoas e como eles se
sentiram fazendo isso.

12. Túnel Festivo: Pede-se à turma para criar um túnel, com educandos de
um lado e do outro no pátio da escola, o educador explica que cada um irá
passar pelo túnel e, nesse momento, todos deverão se transformar em uma
grande torcida para o educando que se encontra no túnel, como se este fosse
o campeão poderão bater palmas, gritar o nome dele, parabenizar, elogiar,
sempre com palavras ou com ações que o façam feliz. A regra é: não pode
tocar no educando que está passando. Solicita-se a cada educando que, em
sua vez passe bem devagar pelo meio do túnel, sem desistir e, apenas,
ouvindo os colegas. O educador segue chamando cada um, até todos
terminarem a passagem. Ao final, o educador questiona-os sobre qual a
sensação de passar no meio, de ouvir seu nome, etc.; e quais as dificuldades e
as conquistas do grupo em fazer esta atividade. É importante destacar a
valorização do outro com suas diferenças e particularidades.
13. Montanha coletiva:Cada educando receberá uma um cubo na forma
planificada feito de cartolina, em cada parte do cubo os educando terão que
desenhar algo que represente uma ação de gentileza, ao término dos
desenhos, os mesmos irão colorir seu desenho realizado. Após todos terem
concluído seus desenhos, os alunos serão incentivados a montarem seu cubo
colocando-os na forma sólida, em seguida os alunos montarão a frente da
turma uma montanha com os cubinhos representando diversas ações da
gentileza, a montanha coletiva dessas ações ficará exposta na sala de aula até
o término e conclusão do projeto.

14. Cartazes da Gentileza: Nesta atividade os educandos irão trabalhar com


a confecção de cartazes. A ideia é que seja produzida 8 cartazes com
cartolinas, cada uma com as seguintes frases: Por favor, Desculpe-me; Muito
obrigado(a); Bom Dia; Boa Tarde; Boa Noite; Com sua licença e Eu Te Amo. Os
cartazes serão confeccionados na sala de aula e, depois, os educandos
colocarão em exposição na sala de aula, além disso, esta atividade deverá ser
feita em duplas e a aprendizagem da mesma sobre a frase deverá ser
compartilhada com todos da turma, explicando aos colegas em que situação
essa frases são utilizadas para praticar a gentileza.

15. Desenho em duplas:O educador divide a turma em duplas e explica-lhes


que eles farão um desenho conjuntamente. Para isso, são distribuídos os
materiais para o desenho e a regra vai ser um faz e o outro completa. O
educador explica que cada vez que ele der o sinal, o que está fazendo o
desenho para e o outro continua. É importante ficar muito atento ao que o outro
está fazendo e construir algo que seja sempre uma complementação. O tema é
livre e para decidir quem vai começar será feito um sorteio entre os dois. Inicia-
se o trabalho e, em um intervalo de um minuto o educador vai dando o sinal
para trocarem. Passando um tempo, quando o educando perceber que estão
finalizando, ele solicita-lhes que encerrem o desenho e coloque o nome dos
dois na parte debaixo da folha. Cada dupla mostra e explica seu desenho para
o grupo. O educador vai perguntando-lhes sobre as dificuldades de se trabalhar
com o outro, e o que foi mais interessante, como foi esperar completar e o que
eles aprenderam com esta atividade.
16. Vai um abraço: Os educandos ganharão dez pequenas fichas e eles
deverão desenhar nelas ou enfeitá-las de qualquer forma, e escrever a frase:
“Vale apena um abraço”. O educador explica que essa ficha vai ser um vale
algo que vai ser trocado com um abraço, ou seja, vai ser entregue para uma
pessoa e esta vai receber um abraço. Quando entregar à pessoa, pede-se para
que ela repasse o vale para outra. Exercita-se isso na sala de aula, com cada
um entregando uma ficha ao outro, após o sinal do educador. Das dez fichas
três eles devem passar na instituição e a outras sete, devem levar para casa e
usá-las com diversas pessoas. No dia seguinte, o educador pergunta a todos
como foi a atividade, a reação das pessoas e qual a importância e a
necessidade de se abraçar o outro.

17. Depoimento na TV:O educador pergunta se os alunos da turma gostam


de ouvir as pessoas falando que gostam deles e o que mais gostam de ouvir.
Então, os alunos vão lembrando o que os pais, irmãos, avós falam para eles.
Com as respostas dadas, o educador pede a cada um que escolha uma
pessoa da família a qual gostaria de dar um depoimento agradável e amoroso.
Ele vai perguntando a cada um qual foi à escolha e por que. Depois, explica
que eles farão esse depoimento em uma TV e que será transmitido para todas
as casas. Após a euforia o educador explica que vai chamar a equipe de TV.
Sai da sala e traz uma TV de papelão que tem um furo no meio para que eles
coloquem o rosto. O educador explica que cada um vai fazer de conta que está
dando um depoimento para as pessoas escolhidas e terá de ficar dentro da TV
e falar. Vai sorteando os educando e cada um vai para o loca e dá seu
depoimento. É importante o educador valorizar o momento de cada um e a
escuta de todos, estimulando-os para que fale o máximo possível. Após todos
terem participado, devem conversar sobre a experiência de dá um depoimento
e como é importante se declarar para uma pessoa amada. O educador faz um
contrato com eles para que, quando voltarem para casa, escolha um momento
e repita esse depoimento para o familiar escolhido.
18. Fio do Amor: o educador inicia a atividade conversando com a turma
sobre a saudade e o que é este sentimento. Ele vai perguntando sobre alguma
pessoa de quem os educandos sentem saudade; com é ficar distante das
pessoas; como se mantém o vínculo. O educador explica que todos vão fazer
de conta que o vínculo que existe entre duas pessoas, mesmo distante, é um
fio de amor que as ligam. Pede para que eles escolham uma pessoa distante
que eles sintam saudade. Com isso, distribuem para todos um pedaço de
barbante de um metro e explica que eles vão colar no fio do amor, palavras,
desenhos, frases, etc., que mostram ou o vínculo que tem por essa pessoa
distante. Para isso o educador disponibiliza materiais de desenho, tesouras,
cola, etc. Vai de um em um explicando melhor a atividade e dando as
coordenadas para eles colarem a produção no fio do amor. Ao final, cada um
vai mostrar seu fio explicando o que colaram nele. Após essa apresentação, o
educador sobre o que é agora o fio de amor, a importância de valorizar a
saudade e cuidar com carinho das pessoas, mesmo distantes. É importante
deixar exposto do amor na sala, por alguns dias, para eles pensarem mais no
assunto.
19. Salada de frutas entre amigos: Um dia antes dessa atividade deverá ser
pedido a cada educando elementos da receita de uma sala de frutas, tais
como: creme de leite, leite condensado, mamão, laranja, uva etc. Nesta
atividade os alunos serão convidados a praticarem a receita em sala de aula
sendo mediada pelo (a) educador (a). Após a realização da receita de forma
coletiva, os educandos serão levados para um círculo fora da sala de aula (o
círculo será feito sobre um toalha estendida sobre o pátio da escola simulando
um pequeno piquenique) para a degustação da salada de frutas produzida
pelos próprios educandos, durante a degustação, os mesmos terão a
oportunidade de conversar um pouco sobre suas experiências e aprendizagens
aprendida por meio da aplicação do projeto sobre a prática da gentileza em
sala de aula.

20. Fotos da Gentileza: Esta atividade será realizada após dois dias do
término da realização do projeto, pois será necessário a revelação de algumas
fotos dos momentos que foram marcantes durante a realização das atividades.
O educador deverá ter as fotos em mãos para que elas sejam dividas entre os
alunos, cada aluno criará uma legenda para a foto que recebeu, relembrando
os melhores momentos do projeto aplicado. Após a criação das legendas de
todas as fotos entregues aos alunos, educador (a) e educando construirão um
belíssimo mural para a exposição dos melhores momentos do projeto. Essa
atividade despertará nos alunos o espírito de cooperatividade e satisfação
pelas atividades que eles praticaram e as novas aprendizagens que eles
aprenderam para prática de sua vida enquanto aluno, filho, amigo, enquanto
cidadão.

RECURSOS

Recursos Materiais:
Caixinha de som;
Músicas infantis;
17 Cartões com o questionamento: “O que é gentileza? ;
2 folhas de papel 40 quilos (painel coletivo);
Tintas guache;
Pincéis hidro cor;
Fotos da família;
Objeto pessoais que lembrem a família;
17 flores;
1 pacote de papel A4;
17 Cubos na forma planificada feitos de cartolina;
8 cartolinas;
1 caixa de papelão (para confecção da TV);
Tesouras;
2 Tubos de cola;
10 metros de barbante ou lã;
1 lata de creme de leite;
1 leite condensado;
Frutas (mamões, laranjas, uvas, maçãs, banana etc.;
1 toalha grande (para ser estendida no chão para o piquenique);
5 Bastões de cola quente finos;
1 pistola de cola quente.
Recursos Humanos
Estudantes;
Professores;
Coordenadora Pedagógica;
Orientadora Educacional;
Coordenadora de Disciplina:
Diretor Escolar;
Monitores;
Porteiro;
Tesoureiro;
Equipe dos funcionários de limpeza.

AVALIAÇÃO
A Avaliação será feita através da observação participativa, bem como os
debates em sala de aula sobre as ações de gentileza praticadas no dia a dia
desenvolvidas a partir do projeto. Toda a avaliação será processual de acordo
com o andamento e cumprimento das atividades propostas no projeto,
observando e analisando a produção e participação dos alunos no andamento
da produção dos recursos que serão utilizados na culminância de cada
atividade referente à prática da Gentileza na sala de aula.

REFERÊNCIAS

Wendell, Ney. Praticando a Gentileza em sala de aula. Prazer de ler:


Acreditando no futuro de Brasil. Recife-PE. 2012.
Projeto Gentileza gera Gentileza- Aprendendo a conviver na escola.

Apresentação

Este projeto tem por finalidade promover a construção de uma cidadania sadia,
critica, comparativa, consciente e de cooperação nos educandos, tornando-os
participativos como cidadãos no desempenho do seu papel, frente aos seus
direitos e deveres, e respeitosos perante os direitos e deveres dos seus
semelhantes na sociedade em que vivem.

Justificativa

Resgatar os valores morais e culturais que parecem adormecidos ou


esquecidos em prol de uma modernidade sem limites, materialista, que tira do
jovem o direito de sonhar, ter esperança e acreditar em uma perspectiva de
vida, onde haja uma convivência pacifica e harmoniosa, começando pela
relação família, comunidade e escola.
Na sociedade globalizada, convivem pessoas de culturas diferentes com
distintos valores e convicções religiosas. A educação, como uma das instâncias
da sociedade, possui uma dimensão moral, que tem a intenção de realizar uma
educação na perspectiva do desenvolvimento da capacidade de autonomia das
crianças e jovens com que se trabalha. A moral já se encontra presente na
prática educativa que se desenvolve nas escolas. No cotidiano escolar, os
valores se traduzem no regulamento escolar e nas finalidades do ensino e
aprendizagem, tornando-se necessário que se reflita sobre esses princípios e
essas regras, para que se instalem no ambiente escolar, ações e relações
democráticas.
O desafio que se apresenta à escola é trabalhar com crianças e adolescentes
de maneira , responsável e comprometida, do ponto de vista ético,
proporcionando as aprendizagens de conteúdos e desenvolvendo capacidades
que possam transformar a comunidade de que fazem parte, fazendo valer o
princípio da dignidade e criando espaços de possibilidade para a construção de
uma sociedade na qual a questão da moralidade deva ser uma questão de
todos e de cada um.

Objetivo geral

Resgatar a convivência do aluno com o aluno, do aluno com professores,


direção e demais funcionários, através de atitudes que demonstrem reflexão e
mudança no seu agir cotidiano.

Objetivos específicos
 Direcionar os valores como fonte geradora de paz, segurança, dignidade
e evolução social.
 Reconhecer a importância, compreender, valorizar e utilizar as regras
mínimas de boa convivência.
 Dispor-se a buscar soluções pacíficas para os problemas, de forma
individual e coletiva.
 Resolver conflitos sem brigar, procurando controlar a impulsividade.
 Estabelecer relações mais equilibradas e construtivas com os colegas e
todos os funcionários da escola, comportando-se de maneira solidária.
DESENVOLVIMENTO
Os professores levantaram como valores que deverão ser trabalhados: a
disciplina, responsabilidade, amizade, respeito, dignidade, honestidade,
cooperação, fraternidade, solidariedade, igualdade, equilíbrio, confiança, amor,
perseverança, justiça, esperança, obediência, paz, consciência, felicidade,
bondade, otimismo, família, igreja, sociedade, escola.
Cada turma terá sua atividade diferenciada, enfocando o que de maior
necessidade for diagnosticado ali, como também atividades coletivas havendo
a integração de todos os alunos.
Ação dos professores
Além de trabalhar os valores dentro da disciplina, ocorrerão atividades
específicas relacionadas com o tema, onde as turmas farão comentários,
produções, dramatizações, etc...
 Matemática: gráficos e estatísticas das conseqüências da violência no
estado e no país.
 Língua Portuguesa: conceito e dramatização da realidade de um dos
valores e produções textuais.( Cada ano escolar escolherá um)
 Inglês: tradução de letras de musicas, elaboração de história em
quadrinhos e dicionário de acordo com o tema selecionado.
 Geografia: valorização das relações entre as pessoas e textos sobre
valores.
 História: relatório sobre filmes assistidos.
 Ciências: valores ambientais.
 Arte: confecção de artigos para a decoração da escola visando à
observação do trabalho cooperativo.
 Ensino religioso: desenvolvimento atividades referentes a valorização à
vida,amor ao próximo,estímulo aos bons sentimentos e atitudes.
 Educação física: expressão corporal
A abertura do projeto vai ser realizada com a participação de todos os alunos e
recepção dos mesmo pelos professores, estimulando o desejo de participar do
aluno. Ainda serão desenvolvidas atividades coletivas como:
 Circuito de palestras e  Gincana
apresentações  Passeios
 Filmes  Visitas
 Apresentações
Conclusão do projeto
A culminância do projeto acontecerá nas datas 28 de maio, 29 de agosto e 21
de novembro com alunos e professores.

Avaliação
Os alunos serão avaliados por seu engajamento nas atividades, sua
participação, suas contribuições positivas, suas colocações e questionamentos
durante todo o projeto. Também será avaliada em sua postura nas diferentes
situações e locais, sua capacidade de trabalho em pequeno e grande grupo.

Projeto Gentileza Gera Gentileza

ANO: 3º ( 3º B, 3º C)
PROFESSORA: Silsiane Fardin
Tema gerador: Gentileza Gera Gentileza
Questão geradora Geral: De que forma podemos levar os alunos e a
comunidade em geral a entender que a Gentileza, é um valor necessário a
convivência social harmoniosa.
Questão geradora específica: De que forma a Tecnomídia pode levar o aluno
a compreender que a Gentileza, é um valor necessário a convivência social
harmoniosa.
COMPETÊNCIAS: Resolver problemas e forma viável e eficaz; Avaliar
criticamente dados, situações e fenômenos; Utilizar adequadamente diversas
linguagens humanas, verbais e não verbais.
ATITUDES: Cooperação com o grupo nas diferentes atividades propostas;
Valorização dos recursos tecnológicos como instrumento de aprendizagem.
VALORES: Gentileza; Amor; Autonomia; Cooperação, Persistência, Respeito,
Solidariedade e responsabilidade.
OBJETIVO GERAL: Oportunizar situações de aprendizagem para o
desenvolvimento integral dos sujeitos, por meio do uso de multimídias,
estimulando os alunos praticarem a Gentileza, como valor necessário a
convivência social harmoniosa.
Conceitos: Valores, Letramento Digital; (Palavra/Texto; Imagem; Som; Vídeo);
Autonomia; Emancipação Digital; Espaço Tempo; Comunicação; Informação.
HABILIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS:
- Participar e vivenciar situações de aprendizagem, adotando atitudes
cooperativas, colaborativas, solidárias, humanas e respeitosas ao relacionar-se
com o grupo, transformando e socializando os conhecimentos desenvolvidos.
- Resolver situações-problema que envolvem a utilização de tecnologias de
forma ativa e participativa na construção do conhecimento, superando a
condições de mero consumidor de informação.
CRITÉRIOS QUALITATIVOS DE AVALIÇÃO
- Participa e vivência de forma satisfatória situações de aprendizagem,
adotando atitudes cooperativas, colaborativas, solidárias, humanas e
respeitosas ao relacionar-se com o grupo, transformando e socializando os
conhecimentos desenvolvidos.
- Resolve adequadamente situações problema que envolvem a utilização
tecnologias de forma ativa e participativa na construção do conhecimento,
superando a condições de mero consumidor de informação.
ESTUDO DA REALIDADE : Um novo pensar sobre nossa realidade
(Conhecendo Gentileza- O Poeta)
 Assistir ao Documentário ou contar a história do Profeta Gentileza
 Após a exibição do vídeo, discutir com os alunos as questões
relacionadas ao vídeo, solicitando que as respostas sejam acompanhadas de
justificativas:
- Por que alguém resolve viver com esta filosofia de vida?
- O que ações como as do "Profeta" podem gerar nas pessoas?
- Você diria que ele é sonhador?
Trazer o debate da temática para a realidade dos alunos:
- O que é gentileza?
- Como está a questão da gentileza no mundo? E na escola?
- Existe espaço para a gentileza no mundo atual? E na escola?
- A gentileza é um ato em extinção?
- Gentileza gera gentileza?
- Que atos de gentileza são possíveis identificar na escola?
- O que podemos fazer, na prática, para se ter um mundo mais gentil?
- O que podemos fazer na escola para que tenhamos um ambiente onde as
pessoas sejam mais gentis?
ORGANIZAÇÃO DO CONHECIMENTO
 Assistir o Videoclipe: Gentileza Gera Gentileza (Life Vest Inside).
 Narrativas do cotidiano de pequenos gestos de gentileza
- Após comentários, no kolou paint, criar ilustrações com atos de gentileza.
 Trabalhar com fábulas que tem como princípio central a gentileza,
( anexo).
- No editor de texto, criar uma fábula sobre gestos de gentileza.
 Discutir sobre os 10 mandamentos da gentileza (anexo).
- Criar quadrinhos com cada mandamento sobre gentilezas.
 Vídeos sobre o tema Gentileza.
- Criar ilustrações com atos de gentileza.
 Elaborar material informativo (cartazes, panfletos, etc) sobre gentileza
na escola.
 Criação de poemas/histórias sobre o tema gentileza.
 Fazer um mural como fazia o profeta da gentileza, divulgando o amor e
a gentileza
 Sessão do filme Sempre Amigos ou Corrente do Bem, seguido de
reflexão e debate.
APLICAÇÃO DO CONHECIMENTO
 Produzir um vídeo com dicas de Gentileza e socializar com as demais
turmas.
 Pintar murais como fazia o Profeta, divulgando o amor e a gentileza.
AVALIAÇÃO
A avaliação será realizada no decorrer das atividades. Inicialmente
observando a aprendizagem dos estudantes, analisando seus questionamentos
e intervenções, procurando, através do diálogo, perceber se houve apropriação
dos conteúdos propostos e uma mudança de postura frente aos problemas
levantados, no que se refere à pratica da gentileza e como cada um pode, com
atitudes simples, colaborar para que isso ocorra. Posteriormente, o professor
acompanhará as produções dos estudantes para a apresentação dos
resultados, fazendo as intervenções necessárias.
Fábulas sobre Gentileza

O Leão e o Rato

Autor: Esopo

Não é possível medir a gratidão pelo tamanho do Benfeitor

Boas ações feitas, bons frutos criados...

Um Leão dormia sossegado, quando foi despertado por um Rato, que passou
correndo sobre seu rosto.

Com um bote ágil ele o pegou, e estava pronto para matá-lo, ao que o Rato
suplicou:

"Ora, veja bem, se o senhor me poupasse, tenho certeza que um dia poderia
retribuir sua bondade."

Apesar de rir por achar ridícula tal possibilidade, ainda assim, como não tinha
nada a perder, ele resolveu libertá-lo.

Aconteceu que, pouco tempo depois, o Leão caiu numa armadilha colocada por
caçadores. Assim, preso ao chão, amarrado por fortes cordas, completamente
indefeso e refém do fatídico destino que certamente o aguardava, sequer podia
mexer-se.

O Rato, reconhecendo seu rugido, se aproximou e roeu as cordas até deixá-lo


livre. Então disse:

"O senhor riu da simples ideia de que eu seria capaz, um dia, de retribuir seu
favor. Mas agora sabe, que mesmo um pequeno Rato é capaz de fazer um
favor a um poderoso Leão."

Moral da História:
Nenhum ato de gentileza é coisa vã. Não podemos julgar a importância de um
favor, pela aparência do benfeitor.
Salvo pela Gentileza

Conta-se uma história de um empregado em um frigorífico da Noruega. Certo dia, ao


término do trabalho, foi inspecionar a câmara frigorífica. Inexplicavelmente, a porta se
fechou e ele ficou preso dentro da câmara. Bateu na porta com força, gritou por socorro,
mas ninguém o ouviu, todos já haviam saído para suas casas e era impossível que
alguém pudesse escutá-lo. Já estava quase cinco horas preso, debilitado com a
temperatura insuportável.

De repente a porta se abriu e o vigia entrou na câmara e o resgatou com vida.

Depois de salvar a vida do homem, perguntaram ao vigia por que ele foi abrir a porta da
câmara se isto não fazia parte da sua rotina de trabalho...

Ele explicou:

- Trabalho nesta empresa há 35 anos, centenas de empregados entram e saem daqui


todos os dias e o Senhor é o único que me cumprimenta ao chegar pela manhã e se
despede de mim ao sair. Hoje pela manhã disse “Bom dia” quando chegou. Entretanto
não se despediu de mim na hora da saída. Imaginei que poderia ter lhe acontecido algo.
Por isto o procurei e o encontrei...

A Fábula do Sol e do Vento

O sol e o vento discutiam sobre qual dos dois era o mais forte, e o vento
disse: “Provarei que sou o mais forte. Vê aquele velho que vem lá embaixo com
um casaco? Aposto como posso fazer com que ele tire o casaco mais depressa
do que você”.

O sol recolheu-se atrás de uma nuvem e o vento soprou até quase se tornar
um furacão, mas quanto mais ele soprava, mais o velho segurava o casaco
junto de si.

Finalmente acalmou-se e foi embora; então o sol saiu de trás da nuvem e sorriu
bondosamente para o velho. Imediatamente, ele esfregou o rosto e tirou o
casaco. O sol disse então ao vento que a gentileza e a amizade eram sempre
mais fortes que a fúria e a força.
Como dizia Shakespeare

“É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada”.

A Formiga e a Pomba (Fábula de Esopo)


Uma formiga foi à margem do rio para beber água, no entanto, de forma
inesperada, acabou sendo arrastada por uma forte correnteza, estando prestes
a se afogar.

Uma pomba, que estava numa árvore sobre a água observando a tudo, arranca
uma folha e a deixa cair na correnteza perto da mesma.

Então, subindo na folha a formiga pode flutuar em segurança até a margem


mais próxima.

Eis que pouco tempo depois, um caçador de pássaros, escondido sob a densa
folhagem da árvore, se prepara para capturar a pomba.

Ele, cuidadosamente, coloca visgo no galho onde ela repousa, sem que a
mesma perceba o iminente perigo.

A formiga, percebendo sua má intenção, imediatamente dá-lhe uma forte


ferroada no pé. Tomado pelo susto e gritando de dor, ele assim deixa cair sua
armadilha de visgo, e isso dá chance para que a Pomba desperte e voe para
longe, se pondo finalmente a salvo.

Esta história nos mostra claramente a lei de ação e reação agindo em nossas
vidas, e a importância da gratidão.

Gentileza gera gentileza, portanto plante sempre o melhor, pois assim você
atrairá coisas boas na sua vida.

OS DEZ MANDAMENTOS DA GENTILEZA

1º Tente se colocar no lugar do outro. Isso o ajuda a entender melhor as


pessoas, seu modo de pensar e agir.

2º Aprenda a escutar. Ouvir é muito importante para solucionar qualquer


desavença ou problema.

3º Pratique a arte da paciência. Evite julgamentos e ações precipitadas.


4º Peça desculpas. Isso pode prevenir a violência e salvar relacionamentos.

5º Pense positivo. Procure valorizar o que a situação e o outro têm de bom e


perceba que este hábito pode promover verdadeiros milagres.

6º Respeite as pessoas quando elas pensarem e agirem de modo diferente de


você. As diferenças são uma verdadeira riqueza para todos.

7º Seja solidário e companheiro. Demonstre interesse pelo outro, por seus


sentimentos e por sua realidade de vida.

8º Analise a situação. Alcançar soluções pacíficas depende de se descobrir a


raiz do problema.

9º Faça justiça. Esforce-se para compreender as diferenças e não para ganhar,


como se as eventuais desavenças fossem jogos ou guerras.

10º Mude a sua maneira de ver os conflitos. A gentileza nos mostra que o
conflito pode ter resultados positivos e ainda tornar a convivência mais íntima e
confiável.
(escritora Rosana Braga)
Gentileza gera gentileza - trabalhando as boas relações no ambiente
escolar
20/09/2014
Autor e Coautor(es)

Autor: KLENIO ANTONIO SOUSA

UBERLANDIA - MG ESC DE EDUCACAO BASICA


Coautor(es):

Elizabet Rezende de Faria, Leandro Rezende


Estrutura Curricular

MODALIDADE / NÍVEL DE COMPONENTE


TEMA
ENSINO CURRICULAR

Ensino Fundamental Inicial Pluralidade Cultural Cidadania: diferenças e desigualdades

Ensino Fundamental Inicial Pluralidade Cultural Espaço e pluralidade

Ensino Fundamental Final Saúde Valorização dos vínculos afetivos

Ser humano como agente social e produtor de


Ensino Fundamental Final Pluralidade Cultural
cultura

Ensino Fundamental Final Saúde Construção da identidade e da auto-estima

Ensino Fundamental Final Saúde Relações sociais, acordos e limites

Direitos humanos, direitos de cidadania e


Ensino Fundamental Final Pluralidade Cultural
pluralidade

Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

- Planejar ações conjuntas para a melhoria do "clima" e da convivência no ambiente escolar.


- Analisar o "clima da escola", no que se refere às relações entre os pares na escola.
- Conhecer a proposta do Dia Mundial pelos Atos de Gentileza.
- Discutir sobre a presença da gentileza na escola como estratégia para melhoria do ambiente escolar.
Duração das atividades

5 aulas de 50 minutos.

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Não serão necessários conhecimentos prévios.


Estratégias e recursos da aula

O objetivo desta aula é resgatar a boa convivência, a paciência e boa vontade no ambiente escolar em
meio a tanta correria do dia a dia, em um mundo dominado pela tecnologia que tem afastado as pessoas
do convívio diário e de atividades tradicionais coletivas, levando nossos alunos cada vez mais ao
individualismo e isolamento.

Aula 1 - Conhecendo Gentileza - o poeta

a. Leve a turma para o Laboratório de Informática.


b. Explique para a turma que irão conhecer um poeta cuja luta pessoal é em função de as pessoas
exercitarem seu lado gentil que, como uma corrente, gera mais gentileza entre elas. O vídeo apresentará
uma entrevista com este poeta explicando sua filosofia de vida e sua trajetória.
c. Para isto, solicite que acessem o vídeo Profeta Gentileza - Documentário, duração de 8min56seg.,
disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=1Cs883NS88E, acesso em 10 de setembro de 2014.
d. Peça que assistam ao vídeo em trios para melhor discussão do conteúdo.
e. Após a exibição do vídeo, discuta com os alunos as questões abaixo solicitando que as respostas
sejam acompanhadas de justificativas:
- Por que alguém resolve viver com esta filosofia de vida?
- O que ações como as do "Profeta" podem gerar nas pessoas?
- Você diria que ele é sonhador?
f. Proponha agora uma transposição da temática para a realidade dos alunos:
- o que é gentileza?
- Como está a questão da gentileza no mundo? E na escola?
- Existe espaço para a gentileza no mundo atual? E na escola?
- A gentileza é um ato em extinção?
- Gentileza gera gentileza?
- Que atos de gentileza são possíveis identificar na escola?
- Dia 13 de novembro é o Dia Mundial pelos Atos de Gentileza. O que pensam sobre isto?
- O que podemos fazer, na prática, para se ter um mundo mais gentil?
- O que podemos fazer na escola para que tenhamos um ambiente onde as pessoas sejam mais gentis?
g. Terminada a discussão, solicite que acesse um videoclipe para ouvir e assistir o clip Marisa Monte
- Gentileza (Videoclip), disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=mpDHQVhyUrY. Duração:
3min2seg. Acesso em 10 de setembro de 2014. O objetivo é mostrar para os alunos o quanto é difícil a
luta por algo de bom para todos, o quanto é trabalhoso ao poeta espalhar suas ideias, uma vez que
pintam os muros onde sua poesia fora escrita.
h. Distribua a letra para que os alunos possam cantar a música juntamente com a exibição do
videoclipe. Sugestão de site com a letra disponível: http://letras.mus.br/marisa-monte/47282/, acesso em
18 de setembro de 2014.
i. Reflita com os alunos a letra desta música que é um protesto contra o fato de terem apagado a poesia
de Gentileza. Esta reflexão pode ser estendida para o fato de que ser gentil hoje pode estar em extinção,
ou o mundo não valoriza pequenos atos de gentileza.
j. Dê aos alunos um tempo de 30 minutos para que registrem toda a discussão e seus pensamentos em
forma de síntese para que possam utilizar este material na campanha que irão desenvolver.

Imagem disponível em: http://spb.fotolog.com/photo/27/21/112/dsgeneration/1257220807999_f.jpg.


Acesso em 08 de setembro de 2014.

Aulas 2 a 4

Para início desta aula, o professor trabalhará o filme A Corrente do bem.


Este filme retrata uma tarefa de um professor cuja intenção é espalhar a gentileza como o poeta da
atividade anterior. O objetivo é mais uma vez mostrar para os alunos que, como o poeta pensava, a
gentileza pode ser contagiante, o bem pode tocar as pessoas que podem reproduzir o que de bom
recebem.
a. Leve a turma para a Sala de Vídeo.
b. Exiba para os alunos o filme A Corrente do bem, disponível
em: http://www.filmesonlinegratis.net/assistir-a-corrente-do-bem-dublado-online.html. Duração 123min.
Acesso em 10 de setembro de 2014.
Título: A Corrente do Bem.
Duração: 123min.
Direção: Mimi Leder.
Ano: 2000.
c. Terminada a exibição do filme, proponha um debate sobre a temática a partir do filme, provocando a
turma no sentido de encontrar os pontos traumáticos das relações e a necessidade de se fazer algum
trabalho para melhoria do clima escolar:
- Vocês acham que isto seria possível na vida real (corrente de boas ações)?
- Vocês acham que a escola necessita de uma campanha semelhante?
- Se sim, de que forma poderia ser feita? Se não, em quais aspectos das nossas relações vocês acham
que podemos melhorar a convivência? Ou será que temos uma escola perfeita em suas relações?

d. Divida a turma em grupos de 5 ou 6 alunos.


e. Cada grupo irá pensar em uma campanha de gentileza que poderá ser executada na escola.
f. Peça aos grupos que desenhem um rascunho de como seria esta campanha e destine 15 minutos para
cada um apresentar a sua proposta.

Imagem disponível em: https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?


q=tbn:ANd9GcRrN1bys2tCRpaW84hZwyKMd94kc-gqdrUMHF7Sop4FgQOnsWqt. Acesso em 08 de
setembro de 2014.
Aula 5 - A campanha de gentileza no ambiente escolar.

Nesta etapa, o professor irá trabalhar com a turma a campanha de boas maneiras e sua organização.
Antes, apresente para os alunos o Dia Mundial pelos Atos de Gentileza:
A Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV), que no Brasil representa o Movimento Mundial
pela Gentileza, criado no Japão em 1996, a partir de constatações científicas destacam que a gentileza
faz bem também a quem é gentil. (Dados disponíveis no site Seleções; texto de BUCKIS,
Claire. Gentileza, o segredo da felicidade. Disponível em: http://www.selecoes.com.br/mundo-
melhor/gentileza-o-segredo-da-felicidade_3152.htm, acesso em 15 de setembro de 2014).
As pesquisas demonstram, por exemplo, que essas pessoas são mais saudáveis e longevas, além de
terem relacionamentos melhores e mais duradouros. No trabalho, são mais produtivas e alcançam
melhores cargos em suas funções, sucesso e felicidade, consequentemente.
a. Trabalhe com os alunos o blog 13 de novembro - Dia Mundial pelos Atos de Gentileza, criado para
homenagear o poeta Gentileza, disponível em: http://gentilezagera.blogspot.com.br/, acesso em 09 de
setembro de 2014. Neste blog, os alunos encontrarão informação para fazer uma síntese do que vem a
ser esta data.
b. Solicite que os alunos, no Laboratório de Informática, façam uma busca de possíveis ações no Dia da
gentileza na escola.
c. A ideia é que cada grupo desenvolva uma atividade diferente para este dia.
d. Sugestão de ações:

 Grupo 1 - trabalhará as ações de gentileza na escola entre funcionários, corpo docente e


discente.

 Grupo 2 - trabalhará a confecção de cartazes com recados de gentileza e informativo sobre a


campanha Gentileza gera Gentileza.

 Grupo 3 - trabalhará a logística da campanha: dia, local, horário, fazendo reserva na agenda
da escola.
 Grupo 4 - trabalhará as ações de gentileza com a comunidade.

 Grupo 5 - fará o registro de toda a campanha em vídeos, depoimentos, imagens etc.

Sugestão de sites para fomentar a campanha:

 Consultar o site da Prefeitura de Sapucaia, Projeto Gentileza gera gentileza "movimentando a


escola", disponível em: http://www.sapucaia.rj.gov.br/site/index.php/educacao/388-projeto-
gentileza-gera-gentileza-motivando-a-escola, acesso em 15 de setembro de 2014.

 Consultar site Hoje é Dia Mundial da Boa Ação, disponível


em: http://www.imaginarium.com.br/blog/tag/boas-acoes/, acesso em 15 de setembro de 2014.

Sugestão de Campanha:

Título: Melhorando o clima escolar


Público-alvo: alunos das séries finais do fundamental
Objetivos: promover ações estratégicas para propiciar atos de gentileza
Atividades:
- Campanha com cartazes promovendo a gentileza.
- Exibição do vídeo do poeta gentileza em local e horário combinados na escola.
- Campanha de ações solidárias em instituições como: asilo, creches, hospitais etc.
- Competição da turma mais gentil, ou que demonstrar mais gentileza no ambiente escolar.
Instrumento de avaliação: formulário com questionário sobre as ações realizadas e sugestões de
campanhas futuras.
Questões:
- Quais ações achou importante?
- Você tem sugestão de ações futuras?
- De que forma a campanha pode ser prolongada no ambiente escolar?
- Você acha que as ações surtiram efeitos duradouros no ambiente escolar?
e. A socialização desta campanha será feita a um número máximo de professores, diretor, coordenador
pedagógico, assessores, funcionários, para que os motivem a apoiar a campanha com sugestões de
melhorias.

Imagem disponível em: https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQQjc9pW5S4TpCVWl-


PnondFDH8hAUZM0OMBByU0Guyl3ku2BrAag. Acesso em 08 de setembro de 2014.
Recursos Complementares

1. SOUSA, Marcia. 13 de novembro - Dia Mundial da Gentileza, disponível


em: http://ciclovivo.com.br/noticia/13-de-novembro-dia-mundial-da-gentileza, acesso em 10 de setembro
de 2014.

2. BRAGA, R. O poder da gentileza. Qualitymark. Rio de Janeiro: 2010.


Avaliação

Avalie a capacidade, responsabilidade e disponibilidade dos alunos para realizarem pesquisa e


trabalharem em grupo; verifique se houve a compreensão dos conceitos estudados alunos através da
observação, acompanhamento e material produzido durante processo de construção e realização da
Campanha da Gentileza como estratégia para melhoria da convivência no ambiente escolar.

Você também pode gostar