Você está na página 1de 1

02 - PRUMADA VERTICAL

CÁLCULO DE DEMANDA. NTD04.CELG. REVISÃO 2 SEM ESCALA

CCM1 CCM2
PREVENÇÃO
COBERTURA
CONTRA INCÊNDIOS

DEMANDA DO BLOCO DE INTERNAÇÃO. DEMANDA DA PROTEÇÃO


COBERTURA
Equação de Demanda para o Bloco de Internação . Energia Normal. DEMANDA DO RAMAL DE ENTRADA. TRANSFORMADOR 1
(Dimensionamento segundo NTC04. Rev.03 Celg em tabela anexa, nesta planta)
A Demanda do Ramal de Entrada, DR1, será a mesma da
D1 = 156,90kVA Proteção deste transformador, Dpg1 uma vez que não há uma derivação exclusiva de serviço.
INTERNAÇÃO INTERNAÇÃO
QDFL 5. QDFL 6.
Corrente de Projeto (Ip) Equação de Demanda para Dimensionamento da Proteção Geral. TRANSFORMADOR 1 2º PAVIMENTO
EEM
2º PAVIMENTO
EEM
Ip = 156,90/(0,38*1,732) A Dpg1 será composta pelas Instalações Existentes e Bloco de Internação.
Ip = 238,38 A Dpg1 = D1 + D2 + DINSTALAÇÕES EXISTENTES (ENERGIA NORMAL + ENERGIA EMERGENCIAL) + DRESERVA AMPLIAÇÃO LAVANDERIA NA UNID. EXISTENTE NORMAL 2º PAVIMENTO
Dpg1 = 156,90 + 78,39 +(80 + 60,0) + (100,0)
Proteção Bloco Internação. Energia Normal. Dpg1 = 336,9 + 138,39 SALA CIR.1
DTM Tripolar 250A Dpg1 = 475,29 kVA
QDFL 15.

SALA CIR.2
Condutores INTERNAÇÃO INTERNAÇÃO CENTRO C. UTI UTI CENTRO C. QDFL 16.
Corrente de Projeto (Ip) QDFL 3. QDFL 4. QDFL 14. QDFL 8. QDFL 09. QDFL 13.
2X[3#120(120)]+T70mm²], EPR/XLPE 90° 0,6/1kV 1º PAVIMENTO 1º PAVIMENTO 1º PAVIMENTO 1º PAVIMENTO 1º PAVIMENTO
Ip = 722,13 A EEM EEM
1º PAVIMENTO
EN EEM EEM SALA CIR.3
Eletrodutos 2xØ100mm, 90° QDFL 17.

DTM Tripolar 800A NOBREAK (UTI) NOBREAK (C.C.) SALA CIR.4


QDFL 18. 1º PAVIMENTO
CAIXA DE CAIXA DE

Equação de Demanda para o Bloco de Internação . Energia Emergencial. Condutores TRAFO 2 CAIXA DE
QGF
TRAFO 2
PASSAGEM

CAIXA DE
PASSAGEM
CAIXA DE
PASSAGEM
500 KVA PASSAGEM
(GRUPO
(Ver dimensionamento segundo NTC04. Rev.03 Celg em tabela anexa, nesta planta) 4X[3#185(185)T95mm²], EPR/XLPE 90° 8,7/15kV GERADOR)
PASSAGEM

SUBESTAÇÃO
Eletrodutos EPR/XLPE 90° . 4xØ100mm ABRIGADA
QTA DERIVAÇÃO CARGA CARGA
QDFL
GERAL INTERNAÇÃO
QDFL
GERAL INTERNAÇÃO PRONTO AT. PRONTO AT. QDFL APOIO
QDFL
GERAL
PRONTO AT.
GERAL QDFL 10.
D2 = 78,39 kVA TRANSFORMADOR 500kVA TRAFO 1 CAIXA DE
QGF
TRAFO 1
DAS CARGAS
EXISTES E EMERGENCIAL NORMAL TRAFO 1 QDFL 1.
TÉRREO
TRAFO 1 QDFL 2.
TÉRREO
QDFL 12.
TÉRREO
QDFL 11.
TÉRREO
CAIXA DE
PASSAGEM TRAFO 2
QDFL 7.
TÉRREO
TRAFO 2
CAIXA DE
PASSAGEM
TÉRREO
500 KVA PASSAGEM
(GRUPO BLOCO A EXISTENTE EXISTENTE TÉRREO
EEM
TÉRREO
EEM NORMAL NORMAL TÉRREO NORMAL TÉRREO EEM
GERADOR) EMERGENCIAL NORMAL NORMAL EMERGENCIAL

Corrente de Projeto (Ip) CAIXA DE


CAIXA DE

Ip = (78,39/(0,38*1,732) DEMANDA DO RAMAL DE ENTRADA. TRANSFORMADOR 2


PASSAGEM
MÉDIA TENSÃO
PASSAGEM

TÉRREO
Ip = 119,10A

Proteção Bloco Internação. Energia Emergencial. A Demanda do Ramal de Entrada, DR2, será a mesma da
DTM Tripolar 125A Proteção deste transformador, Dpg2 uma vez que não há uma derivação exclusiva de serviço.
NOTA DPS:
Condutores Equação de Demanda para Dimensionamento da Proteção Geral. TRANSFORMADOR 2 1) Para os barramentos de fase em BT, é obrigatória a instalação de dispositivos de proteção contra sobretensões
[3#50(50)T25mm²], EPR/XLPE 90° 0,6/1kV A Dpg2 será composta pelos Blocos de Pronto Atendimento/ Centro Cirúrgico e Bloco de UTI/ Apoio. transitórias (DPSs), com as seguintes características:
Eletrodutos 1xØ65mm, 90° Dpg2 = D3 + D4 + D5 + D6 + D7 ZnO, Classe 1, Tensão Nominal de 275/ 280V, frequência de 60 Hz, corrente de impulso ≥ 25 kA (10/350μS).
Dpg2 = 87,24 + 88,66 + 43,06 + 22,05+ 46,56
Dpg2 = 152,35 kVA + 135,22 kVA
Dpg2 = 287,57 kVA
DEMANDA DO BLOCO DE PRONTO ATENDIMENTO/ CENTRO CIRÚRGICO.
Corrente de Projeto (Ip)
Ip = 436,92 A
Equação de Demanda para o Bloco de Pronto Atendimento/ Centro Cirúrgico . Energia Normal.
(Ver dimensionamento segundo NTC04. Rev.03 Celg em tabela anexa, nesta planta) DTM Tripolar 800A

D3 = 87,24kVA Condutores
4X[3#185(185)T95mm²], EPR/XLPE 90° 8,7/15kV
Corrente de Projeto (Ip) Eletrodutos
Ip = (87,24/(0,38*1,732) 4xØ100mm, EPR/XLPE 90°
Ip = 132,55 A TRANSFORMADOR 500kVA
Proteção Bloco de Pronto Atendimento/ Centro Cirúrgico. Energia Normal.
DTM Tripolar 150A
DEMANDA GERAL DO RAMAL DE ENTRADA.
Condutores C:\Users\casa.21\Dropbox\@Engenharia\Projetos\Públicas\@Centro Médico Muncipal\Plotagens\B.jpg
[3#150(150)T95mm²], EPR/XLPE 90° 0,6/1kV A Demanda do Ramal de Entrada, Dgeral, será a mesma da
Eletroduto 1xØ100mm, 90° Proteção Geral, Dpg uma vez que não há uma derivação exclusiva de serviço.
Equação de Demanda para Dimensionamento da Proteção Geral.
Equação de Demanda para o Pronto Atendimento/ Centro Cirúrgico . Energia Emergencial. Dgeral = Dpg1 + Dpg2
C:\Users\casa.21\Dropbox\@Engenharia\Projetos\Públicas\@Centro Médico Muncipal\Plotagens\A.jpg
(Ver dimensionamento segundo NTC04. Rev.03 Celg em tabela anexa, nesta planta) Dpg1 = 475,29 kVA
Dpg2 = 287,57 kVA
D4 = 88,66 kVA Dgeral = 762,86 kVA
Corrente de Projeto (Ip) Corrente de Projeto (Ip)
Ip = (88,66/(0,38*1,732) Ip = 1.159,05 A
Ip = 134,70A
DTM Tripolar, com relé secundário 50/51 e 50N/51N, 1250A.
Proteção Bloco Pronto Atendimento/ Centro Cirúrgico. Energia Emergencial.
DTM Tripolar 150A

Condutores
[3#95(95)T50mm²], EPR/XLPE 90° 0,6/1kV
CÁLCULO DA QUEDA DE TENSÃO
Eletrodutos 1xØ100mm, 90°
QUEDA DE TENSÃO NO ALIMENTADOR GERAL. TRANSFORMADOR 2

Alimentador 1 - Trecho 1 . Cabo 0,6/1kV EPR/ XLPE 90° 185mm²


[Circuito trifásico]
DEMANDA DOS BLOCOS DE UTI E APOIO.
Vt = d(km)xIn(A)xVu(V.A/km)
d = 0,015km
Equação de Demanda para o Bloco de Apoio. Energia Normal. In = (287,57kVA/(0,380x1,732))/4= 436,92/4 = 109,23A
(Ver dimensionamento segundo NTC04. Rev.03 Celg em tabela anexa, nesta planta)
D5 = 22,05kVA Vu = 0,27 V.A/Km [Tab. Pirelli, anexa.]
Corrente de Projeto (Ip) Vt1 = 0,015 x 109,23 x 0,27 = 0,4424V
Ip = (22,05/(0,38*1,732) Ip = 33,50 A
Proteção Bloco de Apoio. Energia Normal. Vt1 = [0,4424/380] x100 = 0,12%
DTM Tripolar 50A

Condutores QUEDA DE TENSÃO PROTEÇÃO GERAL 2 AO QDFL. GERAL TRAFO 2 (BLOCO B E C)


[3#16(16)T16mm²], EPR/XLPE 90° 0,6/1kV e Eletroduto 1xØ32mm, 90°
Alimentador do QGD - Trecho 2 . Cabo 0,6/1kV EPR/ XLPE 90° 120mm²
Equação de Demanda para o Bloco de UTI. Energia Normal. [Circuito trifásico]
(Ver dimensionamento segundo NTC04. Rev.03 Celg em tabela anexa, nesta planta)
D6 = 43,06kVA Vt = d(km)xIn(A)xVu(V.A/km) Nota. O projeto das instalações elétricas e de comunicação será
executado em etapas, sendo cada uma delas composta pelas pranchas
Corrente de Projeto (Ip) d = 0,085km abaixo relacionadas.
Ip = (43,06/(0,38*1,732) Ip = 65,42 A 1ª ETAPA. BLOCO A. Internação e Rampa. 2ª ETAPA. BLOCO B. Centro Cirúrgico e Pronto Atendimento e Subestação
Proteção Bloco de UTI. Energia Normal. In = (152,35kVA/(0,380x1,732))/2= 231,47/2 = 115,73A
Planta de Locação das Instalações Telefônicas.
1/12 SUBESTAÇÃO.
DTM Tripolar 75A Vu = 0,36 V.A/Km [Tab. Pirelli, anexa.] Internação Térreo. Legenda e Notas.
Planta de Locação de Áudio e Vídeo. Subestação com fornecimento em 13,8kV. Entrada Subterrânea. Instalação
2/12 Internação Térreo. Legenda e Notas. 1/5 Abrigada para dois Transformadores de 500kVA.Legenda e Notas.

Condutores Vt2 = 0,085 x 115,73 x 0,36 = 3,54V 3/12


Planta Baixa de Locação das Instalações Elétricas. Cálculos de Demanda, Cálculo de Queda de Tensão, Diagrama de Prumada e
Internação Térreo. Legenda e Notas. 2/5 Planta de Implantação. Legenda e Notas.
[3#70(70)T35mm²], EPR/XLPE 90° 0,6/1kV e Eletroduto 1xØ65mm, 90° Vt2 = [3,54/380] x100 = 0,93% 4/12
Planta Baixa das Instalações Elétricas.
Internação Térreo. Legenda e Notas. 3/5
Diagrama Unifilar do Ramal de Entrada.
Detalhes das Caixas de Passagem e de Aterramento. Notas.
Planta de Locação das Instalações Telefônicas. Detalhes de Grade de Proteção, Placa de Advertência, Venezianas em Paredes.
5/12 Internação 1º e 2º Pavimentos. Legenda e Notas. 4/5 Detalhes de Caixa de Proteção Geral e Dreno para Óleo..
Planta de Locação de Áudio e Vídeo.
QUEDA DE TENSÃO QDFL. GERAL TRAFO 2 AO QDFL.11 6/12 Internação 1º e 2º Pavimentos. Legenda e Notas. 5/5 Planta de Situação. Plantas de Fachadas e Cortes.

Equação de Demanda para o Bloco de UTI . Energia Emergencial. 7/12


Planta Baixa de Locação das Instalações Elétricas.
Internação 1º e 2º Pavimentos. Legenda e Notas.
(Ver dimensionamento segundo NTC04. Rev.03 Celg em tabela anexa, nesta planta) Trecho 3 . Cabo 0,6/1kV PVC 70° 150mm² 8/12
Planta Baixa das Instalações Elétricas.
Internação 1º e 2º Pavimentos. Legenda e Notas.
Diagrama Unifilar.
9/12
D7 = 46,56kVA [Circuito trifásico] Bloco A. Internação e Rampa. 3ª ETAPA. BLOCO C. Apoio e UTI. Unidade de Terapia Intensiva.
10/12
Memoriais de Cálculo, Relatórios de Cargas e Distribuição de Cargas nas
Planta de Locação das Instalações Telefônicas, de Áudio e Vídeo.
C:\Users\casa.21\Dropbox\@Engenharia\Projetos\Públicas\@Centro Médico Muncipal\Plotagens\C.jpg
Vt = d(km)xIn(A)xVu(V.A/km)
fases. Bloco A. Internação e Rampa 1/10 Apoio. Legenda e Notas.
Corrente de Projeto (Ip) 11/12
Cálculo Luminotécnico. Cálculo de Demanda.
Bloco A. Internação e Rampa. 2/10
Planta Baixa de Locação das Instalações Elétricas.
Apoio. Legenda e Notas.
Ip = (46,56 /(0,38*1,732) d = 0,035 km 12/12
Projeto telefônico/ PABX. Prumada Vertical, Diagrama de cabos telefônicos.
Planta Baixa das Instalações Elétricas.
Detalhe da caixa de entrada. Bloco A. Internação. Legendas e Notas. 3/10
Ip = 70,74A In =87,24 kVA/(0,38x1,732) = 132,55A
Apoio. Legenda e Notas.
Planta de Locação das Instalações Telefônicas, Áudio e Vídeo.
4/10 UTI. Legenda e Notas.
2ª ETAPA. BLOCO B. Centro Cirúrgico e Pronto Atendimento e Subestação
Proteção Bloco UTI. Energia Emergencial. Vu = 0,31 V.A/km [Tab. Pirelli, anexa.] 5/10
Planta Baixa de Locação das Instalações Elétricas.
UTI. Legenda e Notas.
DTM Tripolar 75A Vt3 = 0,035 x 132,55 x 0,31 = 1,44 V BLOCO B. CENTRO CIRÚRGICO E PRONTO ATENDIMENTO. 6/10
Planta Baixa das Instalações Elétricas.
UTI. Legenda e Notas.
Planta de Locação das Instalações Telefônicas.
1/11 Diagrama Unifilar.
Pronto Atendimento. Legenda e Notas. 7/10
Condutores Vt3 = [1,44/380] x100 =0,38% 2/11 Planta de Locação de Áudio e Vídeo.
Bloco C. Apoio e UTI.
Memoriais de Cálculo, Relatórios de Cargas e Distribuição de Cargas nas
[3#35(35)T25mm²], EPR/XLPE 90° 0,6/1kV Pronto Atendimento. Legenda e Notas. 8/10 fases. Bloco C. Apoio e UTI.
Planta Baixa de Locação das Instalações Elétricas.
Eletrodutos 1xØ32mm, 90° 3/11 Pronto Atendimento. Legenda e Notas. 9/10
Cálculo Luminotécnico. Cálculo de Demanda.
QUEDA DE TENSÃO QDFL.11 AO QGFL.12 Planta Baixa das Instalações Elétricas.
Bloco C. Apoio e UTI.
4/11 Pronto Atendimento. Legenda e Notas. 10/10
Projeto telefônico/ PABX. Prumada Vertical, Diagrama de cabos telefônicos.
Detalhe da caixa de entrada. Bloco C. Apoio e UTI. Legendas e Notas.
Planta de Locação das Instalações Telefônicas, Áudio e Vídeo.
Trecho 4 . Cabo 0,6/1kV PVC 70° 50mm² 5/11 Centro Cirúrgico. Legenda e Notas.
Planta Baixa de Locação das Instalações Elétricas.
6/11
TABELA DE QUEDA DE TENSÃO EM V/A.Km [Circuito trifásico] Centro Cirúrgico. Legenda e Notas.
Planta Baixa das Instalações Elétricas.
7/11 Centro Cirúrgico. Legenda e Notas.
Vt = d(km)xIn(A)xVu(V.A/km) Diagrama Unifilar.
8/11 Bloco B. Centro Cirúrgico e Pronto Atendimento.
d = 0,012km 9/11
Memoriais de Cálculo, Relatórios de Cargas e Distribuição de Cargas nas
fases. Bloco B. Centro Cirúrgico e Pronto Atendimento.
Cálculo Luminotécnico. Cálculo de Demanda.
In = (51,40VA/(0,38*1,732)) = 78,09A 10/11 Bloco B. Centro Cirúrgico e Pronto Atendimento.

Vu = 0,76V.A/km [Tab. Pirelli, anexa.] 11/11 Projeto telefônico/ PABX. Prumada Vertical, Diagrama de cabos telefônicos.
Detalhe da caixa de entrada. Bloco B. Centro Cirúrgico e Pronto Atendimento.
NOTA:
Legendas e Notas. A energização das instalações pela Celg D somente será efetuada mediante
Vt4 = 0,012 x 78,09 x 0,76 = 0,72 V a apresentação da ART de execução.
Vt4 = [0,72/380] x100 = 0,19 %

BLOCO A BLOCO C
QUEDA DE TENSÃO QDFL.12 AO CIRCUITO TERMINAL 23. AR CONDICIONADO ESPERA. 928,20 m² 813,75 m²

RAMPA
121,49 m²

Trecho 5 . Cabo 0,6/1kV PVC 70° 4mm² EXISTENTE


6052.27m²
PROJETO ELÉTRICO.
ESTABELECIMENTO ASSISTENCIAL DE SAÚDE. DATA AUTORIA DE PROJETOS
[Circuito trifásico] BLOCO B RUA JOAQUIM CAETANO, ESQUINA COM RUA CAIAPÔNIA. FEVEREIRO/2016
1.310,08 m²
BAIRRO DIVINO ESPÍRITO SANTO.
Vt = d(km)xIn(A)xVu(V.A/km) PROPRIETÁRIO JATAÍ-GO Engª Eletricista PATRÍCIA G. SOUZA FREITAS
FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE. CREA GO 12447/D
d = 0,025 km PAV. TÉRREO CENTRO MÉDICO MUNICIPAL SERAFIM DE CARVALHO. Arquiteto ALLAN SÁVIO FERREIRA DA SILVA
N CNPJ 12.053.489/0001-49 PRANCHA
CREA -GO 12080/D
In =6.521,74 kVA/(0,220) = 29,64 A CONTEÚDO

2/5
Resp. Técnico Eng. THALES AUGUSTO MACHADO
CÁLCULOS DE DEMANDA. CÁLCULOS DE QUEDA DE 6567/D CREA-GO
Vu = 7,79 V.A/km [Tab. Pirelli, anexa.] TENSÃO, DRIAGRADA DE PRUMADA E PLANTA DE
C. MÁQ./ IMPLANTAÇÃO.
Vt5 = 0,025 x 29,64 x 7,79 = 5,77 V BLOCO A BLOCO C BARRILETES QUADRO DE ÁREAS
647,08 m² 836,29 m²
NÚMERO DE PAVIMENTOS 03

Vt5 = [5,77/220] x100 = 2,62% RAMPA


121,49 m² BLOCO A
BLOCO A
38,38 m²
ÁREA DO TERRENO.
ÁREA A CONSTRUIR TÉRREA.
6173,88m²
892,75m²
PROJETOS ELÉTRICOS, DE ILUMINAÇÃO E AUTOMAÇÃO
676,94 m² TRAVESSA PLAZA CATALUÑA, 376 QD. 03 LT. 67
ÁREA A CONSTRUIR 1º PAV. 647,81m²
BLOCO B ÁREA A CONSTRUIR 2º PAV. 647,81m² RESIDENCIAL BARCELONA. JATAÍ-GO

QUEDA DE TENSÃO NO PONTO CRÍTICO 1.054,58 m² RESERV. ÁREA TOTAL DE CONSTRUÇÃO 2129,80m² (64)3632.4567/ 8409.4931
SUPERIOR casa.21@terra.com.br
ESCALAS INDICADAS
2º PAV.
Vtotal = Vt1 + Vt2 + Vt3 + Vt4 + Vt5= 4,24 < 5%
1º PAV.