Você está na página 1de 315

Aula 00

Geografia p/ Polícia Militar-PE


Professor: Sergio Henrique Lima Reis
Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

SUMÁRIO
00. Bate papo inicial. Pág. 02
1. Formação territorial de Pernambuco. Pág. 04
2. A região Nordeste. Pág. 05
3. As sub-regiões nordestinas. Pág. 11
3.1 – Zona da Mata. Pág. 12
3.2 – Agreste. Pág. 13
3.3 – Sertão. Pág. 13
3.4 – Meio Norte. Pág. 14
4. O estado de Pernambuco. Pág. 14
5. As sub-regiões do estado de Pernambuco. Pág. 15
5.1 A região metropolitana de Recife. Pág. 15
6. O que são mesorregiões. Pág. 16
7. Características principais das mesorregiões Pág. 19
de PE.
8. Exercícios Resolvidos. Pág. 22
9. Exercícios Propostos. Pág. 29
10. Considerações finais. Pág. 39

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 1

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

00. BATE PAPO INICIAL.

Olá querido amigo concurseiro. Está tentando ingressar na


segurança pública, uma área que atrai por várias razões: Tanto pela
estabilidade e possibilidades de progressão na carreira quanto pelo viés
cidadão de ocupar uma vaga de um cargo importante para a sociedade.
São várias as motivações pelas quais você está tentando. Um salário
melhor, estabilidade para cuidar da família ... enfim. São tantas coisas.
E elas devem te acompanhar a todo o momento de preparação. É onde
você encontrará motivação nas horas mais difíceis, quando até
mesmo podemos ter a ideia absurda de desistir. A motivação é o
combustível necessário para a sua preparação. Motivação associada à
disciplina de estudos é a chave do sucesso.
São 1.500 vagas para soldado e isso também é bastante
motivador, afinal dessa forma você sabe que as chances são bem
razoáveis. Então é preciso conhecimento, selecionado e de qualidade
para que você adquira competência para realizar sua prova. São 10
questões de Geografia e 10 de História. É fundamental um bom
desempenho para tentar garantir sua vaga. Os temas são ligados
principalmente às características do Estado de Pernambuco: Suas
divisões administrativas, sua estrutura econômica, social e ambiental.
São temas bastante diversificados com o enfoque nas particularidades
estaduais. Então para que possamos estabelecer um conhecimento
sólido, vou usar o seguinte recurso: Vou te levar do macro ao micro,
ou seja, vamos inicialmente contextualizar a região nordeste e suas
sub-regiões. Então vamos regionalizar o nosso “bate papo geográfico”
nas mesorregiões estaduais, que estudaremos adiante. A banca
contratada para realizar o concurso é a IAUPE (instituto de apoio a
universidade de Pernambuco). Realiza vários concursos estaduais, e o
vestibular da universidade de Pernambuco, UPE. Vou usar várias
questões da banca para que você se familiarize ao tipo de abordagem
da instituição. Então quando você ver na banca da questão UPE ou

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 2

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

IAUPE, estamos nos referindo ao mesmo grupo que produz as


questões. O Instituto de apoio realiza o vestibular da universidade
estadual e se especializou na realização de processos seletivos públicos
com a sigla IAUPE, mas essencialmente são as mesmas abordagens. É
uma forma de entrarmos em contato com todos os possíveis raciocínios
da banca, e rechear suas questões. Como o nosso curso é totalmente
voltado para o concurso da PM-PE, também usaremos questões de
grandes instituições pernambucanas que tiverem um bom conteúdo.
Selecionar e saber tudo isso é estratégia.
Motivação, Disciplina e Estratégia. É o tripé do sucesso e
estou aqui com a equipe Estratégia Concursos para levá-lo ao
sucesso e alcançar seus objetivos. Vamos logo, pois não temos tempo
a perder. Nosso tempo é valioso. Mas fique tranquilo. O nosso conteúdo
tem uma quantidade razoável de assuntos, mas que distribuídos em
07 aulas vamos estudar tudo, bem detalhadamente, então pode
conter a ansiedade. Tudo vai correr bem e foi devidamente distribuído
para que você possa alcançar seu almejado sucesso. Leia e releia suas
aulas. Faça e refaça seus exercícios. A repetição é a mãe do
aprendizado. A memorização deve vir da repetição dos exercícios e do
acúmulo das leituras. É a melhor forma de memorizar o conteúdo. Aos
poucos e através da repetição. Então vamos ao trabalho. É um convite
aos estudos. Venha comigo.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 3

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

1. FORMAÇÃO TERRITORIAL DE PERNAMBUCO.


 Processos de formação.
 Mesorregiões.

Primeiramente vamos compreender o contexto regional em que


o estado de Pernambuco se insere.

O IBGE divide o território em 5 regiões fisiografias, ou seja, de


acordo com critérios naturais e sócio econômicos. E sabemos que a
distribuição do desenvolvimento no espaço não é homogênea (igual,
bem distribuído) algumas regiões são caracterizadas por seus aspectos
gerais, mas mesmo que os limites dos territórios estaduais não
coincidam com o predominante no estado, a divisão por regiões
fisiografias segue os limites de cada estado. A região nordeste tem
limites com a região sudeste (norte de minas e norte do espirito santo),
com o centro oeste (goiás) e região norte (Tocantins e Pará). Note que
Pernambuco só faz limites com estados da região nordeste. Observe o
mapa e cada um dos limites estaduais. É importante que o mapa seja
analisado o mais detalhadamente possível. Quanto mais você analisa,

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 4

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

mais informações consegue extrair do mapa. Quanto mais observa os


mapas, mais detalhes você perceberá. Isso é importante. Faça isso
agora antes de continuarmos.

2. A REGIÃO NORDESTE.

É a região do país com os piores indicadores sociais e a região


com menor IDH. A concentração fundiária é a causa de muitos conflitos
que provocam mortes, sobretudo no sertão. E as grandes cidades
crescem desordenadamente desde a década de 70 quando o país passa
por uma modernização agrícola e a introdução do agronegócio. Além
disso o sertão com seus rigores climáticos e ambientes inóspitos (onde
não se pode viver, ambiente rude) ao desenvolvimento agrícola e
povoamento humano são grandes áreas dispersoras de população para
as metrópoles nordestinas e para a região sudeste.
Observe os índices atentamente no mapa. Os dados coincidem
com o do censo de 2010 e tendências de hoje.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 5

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 6

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 7

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

A renda per capta é um indicador que possui um problema para


a análise bem grande. Apesar de ser um indicador médio e ter
importantes usos analíticos que podem permitir traçar perfis gerais, ele
omite as desigualdades sociais. A renda per capta é calculada
PIB/POP, em que o numerador é produto interno bruto e o
denominador população total do país – pop. absoluta. Existem 1794
municípios e é a região com maior número deles. O IBGE considera
duas possibilidades de classificação da urbanização: Por número de
municípios e pelo desenvolvimento da malha urbana. Quanto ao
número de municípios é a região mais urbanizada do pais. Quanto ao
desenvolvimento da malha urbana e da população é ocupada na
indústria e nos serviços, perde para a região sudeste e sul.

São 9 estados com uma área que corresponde à 18,2% do


território.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 8

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

O índice de analfabetismo é maior que 16%, a maior taxa do país


e a mortalidade infantil é a mais alta também, mas de acordo com o
censo de 2010 a mortalidade infantil diminuiu bem como a miséria e
as desigualdades sociais. Mesmo assim o quadro social é preocupante
e somente 50% dos domicílios na região Nordeste é atendido por rede
de água canalizada. A população é predominantemente urbana (74%),
mas é a menor do país. O grande destaque urbano é a região
metropolitana de recife que se consolida como centro de excelência em
eletroeletrônica e informática em razão das pesquisas da Universidade
Federal de Pernambuco.
A região nordeste é a segunda maior produção de petróleo do
Brasil (atrás apenas da região sudeste). A agricultura e a pecuária
sofrem com os longos períodos de seca, e, destacadamente com o
problema da desertificação. A boa adaptação das cabras ao clima local
faz do Nordeste o maior rebanho caprino do país com mais de 8,5
milhões de cabeças. Os maiores rebanhos estão no PI, BA e PE. A
produção de mel começa a ganhar força, principalmente nos municípios
de Araripina/PE. O mais destacado produto agrícola é a cana de
açúcar, que é cultivada desde os primeiros engenhos instalados na
época da colônia. O cultivo de frutas é um dos maiores destaques nos
últimos anos, pois ganhou muita força com a proliferação do
agronegócio e tem substituído as culturas tradicionais como a do feijão.
Juazeiro (Ba) e Petrolina (PE) são os líderes na produção nordestina

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 9

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

O rio São Francisco está sendo transposto em dois eixos


principais (eixo leste e eixo norte) ambos no estado de Pernambuco.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 10

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

O eixo norte captará água, Cabrobró (PE) para levá-la ao sertão de


Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. O eixo leste
colherá as águas em Petrolândia (PE), beneficiando o sertão e o
agreste de Pernambuco e Paraíba. A transposição do Rio São Francisco
é um projeto polêmico. Entre as polêmicas podemos destacar:

 O Rio São Francisco já tem seu potencial hidrelétrico


bastante aproveitado e um grande projeto de irrigação e
agronegócio. Os impactos ambientais já são grandes e em
grande parte está assoreado (perdeu profundidade).
Transpor o rio é forçar um rio que já está esgotado.
 O rio São Francisco é perene e será transposto para rios
intermitentes. Não se sabe se dará certo. É um risco o rio
transposto secar.
 Impactos nos ecossistemas dos rios receptores, com a
introdução de novas espécies provenientes do São
Francisco.
 Deslocamentos populacionais nas regiões das obras.

3. AS SUB-REGIÕES NORDESTINAS.

A região nordeste ocupa uma área de 1.558.000 km² e o


desenvolvimento regional é muito desigual. O desenvolvimento é
concentrado principalmente na zona da mata e no agreste, enquanto
no meio norte e sertão nordestino a miséria alcança índices
alarmantes.

Podemos dividir a região nordeste em sub-regiões, cada uma


com características físicas e sócio econômicas parecidas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 11

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

Observe as 4 sub-regiões: zona da mata, agreste, sertão e meio norte.

3.1- ZONA DA MATA.

É região mais desenvolvida do Nordeste. É a de ocupação


humana mais antiga, quando foi introduzido o cultivo da cana de açúcar
no século XVI, destacadamente a capitania de Pernambuco. O solo e o
clima foram propícios ao cultivo (mais detalhes nas próximas aulas). É
onde hoje estão as grandes cidades e capitais nordestinas em que a
industrialização é maior e mais desenvolvida. O Nordeste é a segunda
maior produção de petróleo do pais. Principalmente na Bahia, em
Camaçari e Ilheus. As terras são principalmente voltadas ao
agronegócio e predomina o plantation: latifúndios, monocultores
agroexportadores. É a mais populosa e urbanizada.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 12

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

Seu clima é tropical úmido, com chuvas no inverno e a vegetação


é de mata atlântica. Mais detalhes das caraterísticas climáticas das
regiões nordestinas veremos nas próximas aulas, centrando a análise
em PE.

3.2- AGRESTE.

Predomina no agreste a estrutura agrícola de propriedades


pequenas e médias. A concentração de renda é menor que no sertão e
na zona da mata é o celeiro agrícola nordestino, ou seja, possui uma
grande produção de alimentos. É o grande fornecedor de alimentos
para o sertão e a zona da mata. Não é a maior produção agrícola, que
é maior no plantation da zona da mata e do vale do rio São Francisco,
mas a maior produção de alimentos. O plantation é especializado em
monoculturas. Alimentos são produzidos em policulturas, normalmente
pequenas propriedades, nos cinturões agrícolas das cidades.

É a faixa de transição entre a zona da mata e a caatinga, de clima


semiárido.

3.3- SERTÃO.

É a região mais pobre do Nordeste e ocupa a maior área de


Pernambucana. Predomina a grande propriedade e há muitos conflitos
em razão da posse da terra. Junto do plantation há uma agricultura
precária, muitas vezes itinerante, realizada pelos sertanejos. Sofre

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 13

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

ambientalmente o problema da desertificação (mais detalhes nas


próximas aulas). Seu clima é o semiárido e a vegetação de caatinga.

3.4- MEIO NORTE.

O meio norte possui uma importante área vegetal de transição


que é a Mata dos Cocais, Principalmente no Maranhão e Piauí.

O Estado de Pernambuco é cortado por três sub regiões


nordestinas: Zona da Mata, Agreste e Sertão.

4. O ESTADO DE PERNAMBUCO

Faz limites com os estados da região nordeste e seu espaço


geográfico é profundamente desigual e com a riqueza mal distribuída.
Possui territórios na Zona da Mata, que é dominada pela região
metropolitana de Recife, pelo agreste, pelo sertão e pelo alto são
Francisco, parte por razões naturais, parte por motivos político
econômicos, que estudaremos nas próximas aulas. Nos últimos 30
anos, Pernambuco passou por profundas transformações. Por exemplo
seu perfil econômico. Deixou de ser agrícola para se tornar um centro
de referência em informática.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 14

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

5. AS SUB-REGIÕES DO ESTADO DE PERNAMBUCO.

5.1 A REGIÃO METROPOLITANA DE RECIFE.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 15

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

Recife é uma grande metrópole nordestina. Atrás em influência


somente de Salvador. Uma região metropolitana é composta por várias
cidades que se uniram. Quando cidades crescem e se unem é o
fenômeno da conurbação. Recife cresceu demais a partir dos anos 70,
em razão da modernização agrícola e dos fluxos migratórios do sertão.
Devido ao crescimento desordenado o espaço urbano é profundamente
desigual e com muitos núcleos de pobreza. Destaca-se pelo seu
dinamismo econômico e pela industrialização, destacadamente a têxtil
e alimentícia.

6. O QUE SÃO MESORREGIÕES?

São subdivisões do espaço estadual para caracterizá-los melhor


regionalmente, distinguindo um perfil regional e possibilitando políticas

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 16

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

públicas mais adequadas. É uma divisão administrativa. As


mesorregiões são ainda divididas em microrregiões (que veremos na
próxima aula).
O estado de Pernambuco Possui 5 mesorregiões. É importante
memoriza-las, mas lembre-se da orientação: memorização pela
repetição de leitura e exercícios.
Você vai perceber agora que das 5 você já sabe distinguir ao
menos 3 delas:

1- Vale do Rio São Francisco (região de Petrolina).

2- Sertão.

3- Agreste.

4- Zona da Mata.

5- Região metropolitana de Recife.

Primeiramente vamos identificá-las no mapa:

É muito importante saber estas identificações pois a banca da


UPE, a IAUPE já cobrou esse assunto assim:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 17

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

(UPE 2015) Uma das unidades de ensino superior da Universidade de


Pernambuco (UPE) situa-se na mesorregião indicada no mapa a seguir
pela seta 1. Essa mesorregião destaca-se no espaço geográfico
pernambucano, sobretudo pelas atividades agrícolas nela
desenvolvidas.

Assinale entre as alternativas a seguir aquela que corresponde a essa


Mesorregião.
a) Mesorregião do Sertão de Petrolina
b) Mesorregião do Baixo São Francisco
c) Mesorregião do Sertão Pernambucano
d) Mesorregião de Petrolina-Juazeiro
e) Mesorregião do São Francisco Pernambucano

[E]
A mesorregião destacada é a São Francisco Pernambuco,
uma vez que se trata da área por onde passa o rio São Francisco
na divisa com a Bahia. Nela, destaca-se a agricultura irrigada
(frutas, uva e vinho) em municípios como Petrolina. A letra (A)
podemos excluir devido ao termo sertão de Petrolina. O sertão
é ao norte e Petrolina está no vale do São Francisco. O termo
baixo, o se tratar de um rio, refere-se à sua foz. É como dizer
que a foz (onde o rio desagua) do São Francisco é ali. É no
litoral, então cortamos a (B). Sabemos que o sertão é ao norte

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 18

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

então podemos cortar a (C). As mesorregiões são divisões


administrativas estaduais, então não pode ser a d pois Petrolina
é em Pernambuco e Juazeiro na Bahia, cortamos a letra (D). E
é isso aí pessoal. Tranquilo não foi.

Vamos lá. Então primeiro passo é memorizar as mesorregiões, depois


é só encaixar os conhecimentos que já temos e organizá-los. Vem que
te ajudo.

7. CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DAS MESORREGIÕES DE PE.

1- Vale do Rio São Francisco (região de Petrolina).

Uma região que se desenvolveu muito em razão do agronegócio


em que a fruticultura irrigada ocupa um lugar especial. Realizada as
margens do rio São Francisco. O vale do rio são Francisco (que está

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 19

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

localizado em uma depressão Interplanáltica – uma depressão entre


dois planaltos) é um importante fator do desenvolvimento local. Pois
além do agronegócio, na região temos os eixos de transposição do São
Francisco pernambucano, área doadora de águas. É onde está a cidade
de Petrolina, importante destaque regional.

2- Sertão.

Predomina a grande propriedade, agricultura rudimentar do


sertanejo, os piores índices sociais e econômicos do estado. As
condições climáticas tornam a área muito difícil para a habitação. A
maior parte dos pequenos rios que temos ali são intermitentes, ou seja,
secam quando vem o período da seca. O solo bastante frágil está
sujeito à desertificação, um dos principais problemas ambientais do
local. É uma região historicamente dispersora de mão de obra, mas
que nos últimos anos apresentou uma diminuição das desigualdades
sociais e aumentou a retenção populacional, pois os fluxos migratórios
diminuíram. Seu clima é o semiárido e vegetação de caatinga.

3- Agreste.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 20

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

É a zona de transição entre a zona da mata e o sertão, em que


predomina a pequena e média propriedade e abastece o sertão, a zona
da mata e a região metropolitana de Recife de alimentos. Os índices
sociais são melhores que os do sertão e piores que a zona da mata. É
grande a criação de caprinos. Destaque para a pecuária extensiva.

4- Zona da Mata.

É a região mais rica do estado, em que estão as maiores


aglomerações populacionais, as grandes cidades, inclusive Recife, as
indústrias e o desenvolvimento tecnológico. Possui uma indústria
bastante diversificada e tem se destacado o setor tecnológico.

5- Região metropolitana de recife.

Está na região da Zona da Mata e tem uma divisão administrativa


à parte. É A mesorregião mais rica, populosa e industrializada, centro
econômico e destaque tecnológico. Também podemos destacar a
região do porto de SUAPE, ao sul e o mais importante porto do Estado
e um dos mais importantes do pais.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 21

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

Agora vamos ver como esse conhecimento é cobrado em provas.


Vou resolver algumas questões da banca com cuidado. Acompanhe a
resolução. Ao final tente fazer os propostos e repetir a leitura e os
exercícios. Muitos assuntos abordados aqui, serão aprofundados nas
próximas aulas.

8. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS.
1. (IAUPE concurso soldado) Sobre as atividades econômicas no Estado
de Pernambuco, podemos afirmar corretamente que

A) os grandes projetos de irrigação no Sertão do São Francisco foram


implantados com o apoio da Comissão de Desenvolvimento do Vale do
São Francisco (CODEVASF), com investimentos voltados ao mercado
interno regional.

B) o fechamento de diversas usinas e destilarias de açúcar em


Pernambuco que se encontram, sobretudo, na Zona da Mata e do
Agreste do Estado tem contribuído para o agravamento das tensões
sociais no campo.

C) a cana-de-açúcar continua a ser o principal produto agrícola de


Pernambuco em área cultivada e em volume de produção, dominando
as regiões de Mata e alguns municípios da região Metropolitana do
Recife.

D) as lavouras de milho e de algodão no Estado de Pernambuco vêm


perdendo expressão econômica, face ao avanço na região do Agreste
da pecuária leiteira e pela praga do bicudo, que está dizimando essas
culturas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 22

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

E) no Estado de Pernambuco, as grandes propriedades rurais, ou seja,


os latifúndios, se dedicam basicamente às atividades agrícolas, como
a criação de animais e a produção da policultura para abastecimento
dos centros urbanos.

Vamos lá concurseiro. Se você assinalou a alternativa (A)


quase acertou, mas qual o erro? Devemos lembrar que a região
do vale do Rio São Francisco abriga um grande agronegócio
ligado a agricultura irrigada mas a produção intensiva tem
como principal objetivo atender a agroindústria (produção do
suco – mercado interno) e exportação. O maior volume da
produção é exportado, lembrando que o Brasil é um grande
exportador de frutas tropicais.

A alternativa (B) faz uma relação entre fechamento de


destilarias e aumento de conflitos no campo que não existe.
Mas é verdade que o sertão tem muitos conflitos ligados à posse
da terra.

A alternativa (C) está errada pois a cana não é o principal


produto da região metropolitana (espaço urbano) de Recife.

A alternativa (D) está correta. Perceba que a IAUPE


aplicou esta questão em 2015 e refere-se a um problema
econômico que é a praga do bicudo, que destruiu lavouras de
algodão no sertão. O milho também foi atingido. Tem que estar
ligado nas atualidades econômicas do estado.

A alternativa (E) está errada pois a policultura está ligada


a produção de alimentos e ocorre principalmente nas pequenas
propriedades. Os grandes latifúndios são organizados no
modelo de plantation: latifúndios, monocultores e
agroexportadores. Achou a questão difícil? Não é,
principalmente para nossos alunos. É que nesses exercícios

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 23

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

resolvidos estamos usando conhecimentos que serão


aprofundados nas próximas aulas.

2. (IAUPE concurso soldado) Segundo ANDRADE (2003) “As condições


naturais, a posição geográfica e a formação econômica – social que
modelaram o território pernambucano determinaram a sua divisão em
três grandes regiões geográficas, aceitas pelo consenso: o Litoral–
Mata, o Agreste e o Sertão”. Não são características destas regiões,
exceto

A) o Agreste está situado num clima tropical úmido e subúmido, onde


domina atividades econômicas ligadas à pecuária intensiva e à
diversidade de produção de frutas e horticulturas.

B) a região canavieira se desenvolveu no domínio do litoral, onde as


condições de clima e solos arenosos foram favoráveis ao seu cultivo na
forma de agricultura irrigada, além de uma pecuária intensiva.

C) o Agreste compreende a porção sobre o Planalto da Borborema,


onde há uma variação do clima quente e subúmido e dominam culturas
diversificadas e uma pecuária em moldes semi-intensivos.

D) o Sertão compreende uma área de clima quente e árido e está


delimitado pela área de monocultura canavieira e pelo sertão do São
Francisco, onde se situa Petrolina, a cidade mais promissora do Estado.

E) a Zona da Mata está situada entre a Região Metropolitana do Recife


e os limites do clima tropical de semi-aridez acentuada do Sertão
Pernambucano, uma área sob o domínio de monocultura canavieira.

A IAUPE neste exercícios faz uma jogada linguística na


interpretação da pergunta: “Não são características, exceto”.
Dá na mesma que perguntar quais são as características. É um
exemplo de como deve estar bem atento ao enunciado e à

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 24

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

interpretação da questão. Por isso vale a pena ler até entender.


Isso não é perda de tempo, na verdade, ganha segurança.

O agreste é uma região de transição entre o clima


semiárido e o tropical úmido da zona da mata. Predomina a
pecuária extensiva, por isso eliminamos a alternativa (A).

A (B) podemos eliminar pois o litoral desenvolveu-se com


a cana enquanto a pecuária no interior, destacadamente o
agreste. Não era agricultura irrigada e o solo de massapê é
argiloso e muito fértil.

A alternativa (C) está errada pois predomina a pecuária


extensiva – apesar de um avanço da semi-intensiva.

A alternativa (D) está totalmente correta e descreve uma


realidade: a promissora produção agrícola do vale do São
Francisco e a importância da cidade de Petrolina, um centro
regional. E o semiárido possui um grande cultivo de cana.

A alternativa (E) está errada pois a transição do clima


úmido para o semiárido é no agreste.

Mais conhecimentos sobre as características climáticas de


cada região, nas próximas aulas.

3. (IAUPE)

O mapa a seguir apresenta as mesorregiões de Pernambuco.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 25

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

A linha escura indica uma dessas messorregiões. Assinale-a.


A) Mesorregião do Agreste Pernambucano.
B) Messorregião do Agreste Setentrional.
D) Mesorregião do Sertão Oriental.
C) Mesorregião da Mata Seca Pernambucana.

E) Mesorregião de Garanhuns.

A área indicada mostra a mesorregião do agreste, entre a


Zona da Mata e o Sertão. A há maior número de pequenas e
médias propriedades, e é uma importante área produtora de
alimentos, que abastecem o sertão e a Zona da Mata. Essa foi
bem direta. Alternativa (A).

4. (IALUP - Upe 2014) Leia o texto a seguir:

O sertão vai virar mar?

Carinhosamente chamado de Velho Chico, o rio São Francisco,


considerado o rio da unidade nacional por ligar a região Sudeste à Zona
da Mata nordestina, tem sido ponto de discórdia nos últimos tempos
porque o governo ressuscitou um antigo projeto dos tempos imperiais:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 26

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

o de aproveitar suas águas para minorar os efeitos da seca no


semiárido nordestino. A providência terá repercussão positiva na vida
de 12 milhões de brasileiros, que passarão a ter condições, ao menos,
de manter a higiene pessoal e de desenvolver a agricultura de
subsistência - fatores essenciais para que ultrapassem a linha da
pobreza absoluta.

Fonte: Revista Desenvolvimento Regional, 2005. Adaptado.

Do ponto de vista socioeconômico, as ações necessárias à implantação


do Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias do Nordeste
Setentrional poderão ter resultados negativos.
Sobre esses resultados, analise os seguintes itens:

I. Perda de áreas produtivas e deslocamento de populações para a


implantação dos canais e dos reservatórios. (Correto. Assim como
a implantação de uma hidrelétrica desloca populações, assim
também procede com a transposição, que criará grandes
canais e reservatórios na obra).
II. Ampliação de riscos socioculturais, tais como os de
comprometimento do Patrimônio Arqueológico e de interferência em
comunidades indígenas. (Correto. Para o licenciamento de obras
deste porte é necessário o levantamento arqueológico prévio,
mas que sem dúvidas acarretará perdas de patrimônio
arqueológico e deslocamentos populacionais, entre eles de
comunidades indígenas).
III. Risco de redução da biodiversidade das comunidades biológicas
aquáticas nativas nas bacias receptoras. (Correto. O Rio São
Francisco possui uma grande variedade de peixes que vão

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 27

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

competir pelo espaço das comunidades biológicas nos rios


receptores, de menor diversidade)
IV. Risco de introdução de espécies de peixes potencialmente daninhas
às pessoas nas bacias receptoras. (Não há dúvidas do rico de
espécies daninhas que possam prejudicar os ecossistemas
dos rios receptores)
V. Modificação do regime fluvial das drenagens receptoras, tornando
bem maior o caráter sazonal intermitente dos rios. (Incorreto. Os
rios receptores são na maior parte intermitentes (não
possuem lençol freático e secam na seca). O regime de
abastecimento destes rios mudará pois as águas do São
Francisco estão sendo transpostas, e não mais serão
intermitentes, vão ficar perenes. Esta é uma das grandes
polêmicas envolvendo a transposição, pois não há como
certificar que a transposição para rios intermitentes dará
certo).

Estão CORRETOS
a) I e II, apenas.
b) II e III, apenas.
c) III, IV e V, apenas.
d) I, II, III e IV, apenas.
e) I, II, III, IV e V.

Alternativa (D)

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 28

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

9. EXERCÍCIOS PROPOSTOS.

1. (ifpe 2014) O texto e a figura a seguir apresentam informações


recentes sobre a transposição das águas do Rio São Francisco.

No sul do CE, obras de transposição do Rio São Francisco


estão paradas. Esperança de água para lavouras e criações é
cada vez menor. Em Mauriti, as obras estão paradas há quase
dois anos.
Do Globo Rural (11/07/2013)

Francisco Siqueira mora em Mauriti, extremo-sul do Ceará, e aos 53


anos de idade vislumbra desolado a obra parada que tanto sonha ver
concluída: a transposição das águas do Rio São Francisco.
Segundo o ministério da Integração Nacional, Mauriti está incluído na
chamada meta 3N do projeto, no eixo norte da transposição, onde se
encontra a maior parte das obras no Ceará com 38 quilômetros de
extensão. O orçamento inicial em 2007 era de R$ 4,5 bilhões, mas
atualmente o valor corresponde a quase o dobro: R$8,2 bilhões.
O lote 6 tem um trecho das obras paralisadas há pelo menos 1 ano e
4 meses. O canal corta pelo menos 15 localidades e de acordo com a
associação dos trabalhadores rurais da região, com as obras paradas
pelo menos 400 pessoas estão prejudicadas. Não há nem serviço
para ocupar a mão de obra local, nem água suficiente para irrigar
plantações, consumo humano e dos animais.

Disponível
em:<http://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2013/07/n
o-sul-do-ce-obras-de-transposic ao-do-rio-sao-francisco- estao-
paradas.html>. Acesso em: 04set.2013.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 29

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

A partir da análise do texto e do mapa, somada aos seus


conhecimentos, julgue as afirmações a seguir como verdadeiras ou
falsas.

I. Através da transposição, as águas do Rio São Francisco chegarão a


diversas bacias hidrográficas temporárias da região Nordeste.
II. Esta obra representa a solução definitiva do problema de deficit
hídrico do Sertão, pois toda esta sub-região nordestina será
contemplada.
III. Pode-se observar que o governo vem dando atenção prioritária ao
programa pelo volume de dinheiro estimado para ser aplicado na
obra.

Assinale a alternativa correta.


a) Apenas I é verdadeira
b) Apenas II é verdadeira
c) Apenas III é verdadeira
d) Apenas I e II são verdadeiras

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 30

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

e) Apenas II e III são verdadeiras

Resposta:

[A]

2. (Ufpe 2001) "O Rio São Francisco tem sido uma presença
constante na vida nacional. Inicialmente, ele foi a grande via fluvial
que ligava áreas do centro do Brasil à porção litorânea do Nordeste,
tendo sido palco de lutas entre indígenas e colonizadores pela
conquista e posse da terra, onde se traçaram os caminhos de gado"
(Manuel Correia de Andrade - "Jornal do Commércio", 10/9/2000)

Sobre o tema referido no texto, não podemos dizer que:

a) O principal rio da bacia do São Francisco, embora esta se situe


inteiramente no domínio morfoclimático do semiárido, tem um
regime fluvial permanente.
b) O Projeto de Transferência de águas do São Francisco visa
beneficiar bacias de rios intermitentes dos Estados da Paraíba, Rio
Grande do Norte, Ceará e Pernambuco.
c) O rio São Francisco serviu como caminho de bandeirantes e
pioneiros que se deslocaram de São Paulo para combater os índios
na "guerra dos bárbaros".
d) O São Francisco, em face das características geomorfológicas
dominantes ao longo da maior parte do seu percurso, pode ser tido
como um "rio de planalto".

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 31

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

e) O Projeto de Transferência do São Francisco está localizado em


trecho não navegável do rio, não afetando a navegabilidade da área
entre Pirapora e Petrolina.

Resposta:

[A]

3. (Ufpe 2008) O Estado de Pernambuco corresponde a apenas


1,16% do espaço territorial nacional, apesar de ser um dos mais
povoados. Sobre as características geográficas desse Estado, é
correto afirmar que:

a) A União Política representa a fase em que o bloco, além de


apresentar definições legais da União Monetária, tem unificada as
políticas de relações internacionais, defesa, segurança interna e
externa.
b) durante muito tempo, o Planalto da Borborema constituiu uma
barreira que separava o núcleo canavieiro da parte oriental do
núcleo pastoril e produtor de algodão da porção ocidental.
c) a parte oriental do Estado possui um regime pluviométrico
determinado pelas invasões de sistemas atmosféricos tropicais e
extratropicais.
d) nas "áreas de exceção" do Agreste foi instalado um sistema
agrícola policultor, representado, sobretudo, por culturas de frutas,
mandioca e de tomate. Nessas áreas, há grande difusão da
pequena propriedade.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 32

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

e) a maior parte do Estado desenvolve-se sobre uma estrutura


geológica do tipo bacia sedimentar, que foi arrasada por
prolongadas fases de pediplanação.

Resposta:

V, V, V, V, F.

4. (Ufg 2013) Leia o texto a seguir.

[...]
Pensei que seguindo o rio
eu jamais me perderia:
ele é o caminho mais certo,
de todos o melhor guia.
Mas como segui-lo agora
que interrompeu a descida?
Vejo que o Capibaribe,
como os rios lá de cima,
é tão pobre que nem sempre
pode cumprir sua sina
e no verão também corta,
com pernas que não caminham.
[…]

MELO NETO, João Cabral de. Morte e Vida Severina. Recife: Fundaj,
Editora Massangana, 2009. p. 14. (Adaptado).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 33

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

No trecho do poema, o retirante faz alusão a uma característica


comum a vários cursos d'água que drenam o sertão nordestino, que
os diferencia em relação ao padrão mais comum no território
brasileiro. Essa característica compreende a
a) velocidade do fluxo das águas nas terras altas.
b) perenidade do fluxo das águas durante todo o ano.
c) intermitência do fluxo das águas na estiagem.
d) exogenia do fluxo das águas em direção ao mar.
e) endogenia do fluxo das águas em direção ao interior.

Resposta:

[C]

5. (Pucrj 2009)

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 34

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

"[...] Trata-se de uma divisão regional efetuada em termos político-


administrativos e não corresponde à zona semi-árida, pois apresenta
diferentes zonas geográficas com distintos índices de aridez, indo
desde áreas com características estritamente de seca, com paisagem
típica de semideserto a áreas com balanço hídrico positivo [...]"
(grifo nosso)

http://www.codevasf.gov.br/osvales/vale-do-sao-francisco/poligono-
das-secas

De acordo com o fragmento e a figura acima, marque a única opção


que apresenta uma justificativa VERDADEIRA para incorporação de
áreas com balanço hídrico positivo nessa região de planejamento

a) A necessidade de destruição de barragens e açudes em áreas onde


chova ao longo do ano para suprir outras onde as precipitações são
inferiores a 200 milímetros.
b) A amenização pelo poder público local do problema da falta d'água
com a redistribuição, via carros pipas, desse recurso, que é restrito
a poucas pessoas dessa região.
c) A compra de votos pela esfera federal para a eleição dos
representantes locais, substituindo-se as práticas assistencialistas
regionais dos velhos coronéis.
d) A construção de reservatórios e açudes que substituam as bombas
hidráulicas usadas como "moeda de troca" na transferência de
recursos públicos para os governos regionais.
e) A captura de recursos públicos provenientes do governo federal
pelas oligarquias nordestinas, especialmente as sertanejas, que
conjugam seu poder à delimitação da área de atuação dos órgãos
de combate às secas.

Resposta:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 35

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

[E]

6. (Pucrs 2008) INSTRUÇÃO: Para responder à questão, considere as


afirmativas a seguir, sobre a Região Nordeste do Brasil.

I. A região Nordeste é a maior região do país, concentrando mais de


50% da população brasileira.

II. A sub-região nordestina do Sertão é caracterizada pelo clima


semiárido, com a predominância de rios intermitentes.

III. A transposição do Rio São Francisco tem causado muita polêmica,


pois há temor de que a transferência das águas possa destruir de vez
esse ecossistema.

IV. Os maiores problemas sociais do Nordeste estão no Agreste, onde


há concentração de miséria associada a subemprego e a baixos
salários, principalmente nas metrópoles, como Recife e Salvador.

As afirmativas corretas são, apenas,

a) I e II.
b) I e III.
c) I e IV.
d) II e III.
e) II, III e IV.

Resposta:

[D]

7. (Ufmg 2006) Considerando-se a posição geoeconômica e política

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 36

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

ocupada pela Região Nordeste, hoje, no Brasil, é INCORRETO afirmar


que essa região se caracteriza por

a) significativa mobilidade intra-regional de populações atraídas pelo


maior dinamismo econômico das metrópoles Salvador, Recife e
Fortaleza.
b) autonomia no controle de suas atividades econômicas, que se
traduz em independência em relação à região de economia mais
dinâmica do País.
c) importância, no plano político nacional, desproporcional a seu peso
econômico quando comparada ao papel exercido pelo Centro-Sul do
País.
d) relativo declínio da participação de seu setor agropecuário no
contexto nacional, sobretudo no que se refere à produção de
algodão e de cana-de-açúcar.

Resposta:

[B]

10. (Upe 2012) A dimensão econômica recente nos cenários da


economia regional do Nordeste está associada a atividades dinâmicas
e em expansão, correspondentes à integração de elos importantes da
cadeia produtiva dessa região. Dentre as oportunidades que se
apresentam para a promoção do desenvolvimento econômico da
região Nordeste, podem ser consideradas:

I. A existência de um mercado regional.


II. A expansão do polo de turismo como fonte geradora de renda,
emprego e divisas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 37

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

III. A consolidação do terciário moderno e de polos dinâmicos de


serviços.
IV. A expansão e consolidação de atividades vinculadas à moderna
produção agrícola irrigada.
V. A existência de um polo de tecnologia de ponta no Litoral Norte,
produtor de softwares e sofisticados programas de computadores.

Apenas está correto o que se afirma em


a) I.
b) III.
c) I e II.
d) I, III e V.
e) I, II, III e IV.

Resposta:

[E]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 38

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Mesorregiões.
Prof. Sérgio Henrique.

10. CONSIDERAÇÕES FINAIS.

É isso aí meu amigo concurseiro. No decorrer do curso vamos


aprofundar em alguns temas. As aulas virão te orientar nos
conhecimentos geográficos do estado de Pernambuco. Leia e Releia a
teoria. Faça e refaça os exercícios. A repetição é a mãe do aprendizado.
Vai valer muito a pena. Nós da equipe Estratégia Concursos vamos
guiá-lo ao caminho da aprovação.

Motivação, Disciplina e Estratégia.

Um grande abraço.

Bons estudos.

Foco no Sucesso.

Prof. Sérgio Henrique Lima Reis.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 39

Aula 00 Geografia PM/PE – Prof. Sérgio Henrique.


Aula 01

Geografia p/ Polícia Militar-PE


Professor: Sergio Henrique Lima Reis
Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

SUMÁRIO

00. Bate papo inicial. Pág. 03

1. O estado de Pernambuco, meso e microrregiões. Pág. 04

2. Agreste. Pág. 07

3. As sub-regiões do Agreste. Pág. 07


-3.1 Vale do Ipanema Pág. 07
-3.2 Vale do Ipojuca. Pág. 07
-3.3 Alto Capiberibe. Pág. 08

-3.4 Médio Capiberibe. Pág. 08

-3.5 Garanhus. Pág. 09

-3.6 Brejos Pernambucanos. Pág. 09

4. A zona da Mata. Pág. 10

5. As microrregiões da Mata. Pág. 10


-5.1 A zona da Mata setentrional (norte). Pág. 10
-5.2 A zona da Mata meridional (sul). Pág. 11
-5.3 Vitória de Santo Antão. Pág. 11
-5.4 Suape. Pág. 11
-5.5 Itamaracá. Pág. 12
-5.6 Região Metropolitana de Recife. Pág. 12

6. O Sertão. Pág. 13

7. Microregiões do Sertão. Pág. 13


-7.1 Araripina. Pág. 13
-7.2 Moxotó. Pág. 13
-7.3 Petrolina. Pág. 14
-7.4 Itaparica. Pág. 14
-7.5 Salgueiro. Pág. 14
-7.6 Vale do Pajeú. Pág. 15

8. Exercícios Resolvidos. Pág. 16

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 1

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

9. Exercícios Propostos. Pág. 19

10. Considerações finais. Pág. 34

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 2

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

00. BATE PAPO INICIAL.


Olá amigo concurseiro. É com muita alegria que o recebo
novamente para falarmos de geografia. Estudar a aula 00 é
fundamental para que você possa compreender muitas das coisas que
vamos tratar aqui. Leia com atenção seu texto de apoio, releia e p
,0,0,ratique exercícios. Aos poucos o conteúdo básico vai ficar retido na
sua memória. Claro que para isso é muito importante você fazer suas
próprias anotações, ou em forma de resumo ou anotações nos
exercícios, não importa, você escolhe. O importante é estudarmos
bastante e nos concentrarmos nos estudos. Estimule sua disciplina e
procure motivação pensando em seus sonhos. Bons estudos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 3

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

1. O ESTADO DE PERNAMBUCO, MESO E MICROREGIÕES.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 4

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

Pernambuco está localizado no centro-leste da região nordeste. É


um dos menores Estados brasileiros com uma área total de 2770 452
Km². Os limites do estaduais são os estados do Ceará e paraíba ao
norte, Piauí a Oeste, Bahia e Alagoas ao sul e a leste, o oceano Atlântico.
As paisagens naturais são bastante diversas, com três paisagens
principais (que são territórios correspondentes às mesorregiões), zona

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 5

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

da mata (mata atlântica), sertão (caatinga) e Agreste (transição). São


importantes cidades Recife (capital), Olinda, Jaboatão dos Guararapes,
Paulista e Camaragibe. O arquipélago de Fernando de Noronha faz parte
do território de Pernambuco e possui 21 ilhas, consideradas patrimônio
natural. Na nossa aula introdutória mostramos como o Nordeste possui
sub-regiões. Nesta aula pretendo mostrar que os padrões são os
mesmos no Estado de Pernambuco. Que possui a zona da mata, o
agreste e o sertão. Vamos caracterizá-los e conhecer as regiões
especificas do estado de Pernambuco. São 185 munícipios com um total
populacional de 8.796.032.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 6

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

2. AGRESTE.

É uma mesorregião pernambucana que é a transição da zona da


Mata para o Sertão. Está localizado sobre o planalto da Borborema.
Seus solos são bastantes depauperados, rasos e erodidos usados
principalmente para a produção e cereais. Seu clima possui médias
pluviométricas maiores que a do sertão, mas está sujeita a secas
periódicas.

Milho, feijão, mandioca e pecuária leiteira (semi- intensiva).

3. SUB-REGIÕES DO AGRESTE.

3.1 VALE DO IPANEMA.

Ocupa uma área de 5.274 km², possui clima semiárido, chuvas


escassas e mal distribuídas, rios intermitentes (temporários), altas
temperaturas e é formada por 6 municípios. Os mais populosos são
Aguas Belas e Buíque. Predomina a pecuária extensiva nos extensos
pediplanos (vamos saber mais na aula de relevo, e agricultura de
subsistência.

3.2 VALE DO IPOJUCA.

Composta por 16 municípios, é a microrregião que possui a


estrutura urbana mais consolidada e um dinamismo comercial e

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 7

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

industrial destacado. Sua mais importante cidade á a Caruaru, a maior


cidade do interior com industrias no setor têxtil e alimentício, também
pesqueira e Belo Jardim. Seus cultivos mais importantes são tomate,
beterraba, repolho, alface, pimentão e outros alimentos, que são
plantados nos brejos. As cidades de maior destaque: Caruaru, Brejo
da Madre Deus e Gravatá.

3.3 ALTO CAPIBERIBE.

Possui 9 municípios e uma área de 1608 km² e representa 1,68%


do território. As cidades são sobretudo dependentes do setor rural e em
termos urbanos destacam-se as cidades de Santa Cruz do Capiberibe e
Surubim, que possuem 70% da população urbana da região. A cidade
de Santa Cruz do Capiberibe possui um padrão de desenvolvimento bem
diferente das outras cidades da região, pois há 056 um grande
desenvolvimento da indústria têxtil, na confecção de vestuário, desde a
década de 70, que é a base da economia da cidade e a principal
geradora de empregos.

3.4 MÉDIO CAPIBERIBE.

Possui uma área de 1781 Km2, 10 municípios e sua principal


cidade é a de Limoeiro. Sua atividade pecuária é mista, com a criação
extensiva (gado de corte) e semiintensiva (gado leiteiro). Sua atividade
agrícola é fundamentalmente de subsistência com as principais

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 8

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

produções de milho, feijão e mandioca. A cidade de Passira é um grande


destaque em razão do artesanato produzido, com bordados muito
populares nos mercados pernambucanos.

3.5 GARANHUNS.

Possui 19 municípios e uma área de 5028 km2. Sua principal


atividade econômica é a criação de gado, tanto leiteiro, quanto de
corte. Lá é a bacia leiteira de Pernambuco. Sua lavoura em geral é de
subsistência, e nas áreas de brejo há cultivos de café, frutas e
hortaliças. Suas principais áreas comerciais são os municípios de
Lajedo e Garanhuns principalmente este último pois há a exploração
da atividade turística, principalmente devido às temperaturas mais
baixas.

3.6 BREJOS PERNAMBUCANOS.

Possui 11 municípios e uma área de 2462 Km². Ao lado das


regiões de clima semiárido e vegetação de caatinga, em razão das
maiores altitudes (do planalto da Borborema) e influência dos
ventos dos ventos alísios do sudeste, suas temperaturas são mais
amenas, com a vegetação mais densa e maior pluviosidade. Seus
principais municípios são Panela, Bonito e Altinho. A agricultura
nos brejos temos cafeicultura, fruticultura e produção de
hortaliças. A maior parte das propriedades praticam agricultura de
subsistência e a criação extensiva de gado.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 9

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

4. A ZONA DA MATA.

É uma das regiões mais férteis de Pernambuco. Predomina o solo


de Massapê e o clima Tropical úmido. Foi lá que foram introduzidos os
primeiros engenhos de açúcar no século XVI. A atividade econômica é
fundamentalmente baseada na agroindústria canavieira que emprega
em torno de 70.000 trabalhadores permanentes e 90 mil temporários.
Não está sujeita a secas periódicas, há rios perenes (que nunca secam)
e as médias pluviométricas são bem altas se comparadas com as outras
regiões do Estado. É a região mais populosa (número de habitantes) e
mais povoada (densidade demográfica) com um média em torno de
212 habitantes por Km², enquanto a média das outras regiões gira em
torno de 70 habitantes por Km². São seis suas microrregiões.

5. MICROREGIÕES DA MATA.

5.1 A ZONA DA MATA SETENTRIONAL (NORTE).

Formada por 17 municípios em que os maiores destaques são


Goiana, Timbaúba e carpina. Respectivamente são importantes por ser
o mais populoso, o segundo devido a produção calçadista, têxtil e
artesanal e o terceiro por suas atividades agrícolas e industriais. A
lavoura canavieira é menos desenvolvida.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 10

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

5.2 A ZONA DA MATA MERIDIONAL (SUL).


0567 816 2659

Formada por 21 municípios é a principal produção de açúcar e


álcool da zona da mata. Seu clima é mais úmido e o solo de massapê.
Destaca-se também no turismo em razão de suas belas praias (todo o
litoral, mas é o destaque regional sul pernambucana no turismo).

5.3 VITÓRIA DE SANTO ANTÃO.

Microrregião formada por 5 municípios em que o mais importante


e populoso é Vitória de Santo Antão. Possui estreitas ligações
comerciais com a zona da mata e um grande dinamismo comercial.

Sua economia é comercial e baseada na lavoura canavieira.

5.4 SUAPE.

Microrregião formada por dois munícipios: Cabo e Ipojuca. Seu


destaque é o complexo industrial e portuário de Suape o maior do
nordeste e um principais portos do país.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 11

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

5.5 ITAMARACÁ.

Araçoiaba, Itamaracá, Itapissuma e Igaraçu. Integram a região


metropolitana de recife. É bastante urbanizada.

5.6 REGIÃO METROPOLITANA DE RECIFE.

O arquipélago de Fernando de Noronha faz parte da microrregião


administrativa de recife. É um parque nacional desde 1988 e em 2001
a UNESCO considerou o arquipélago um patrimônio natural da
humanidade. Em razão de sua posição estratégica e a participação do
Brasil na segunda guerra mundial, tornou-se uma base militar
avançada e um território federal (sigla FN). Com a constituição de 1988
foi reincorporada ao estado de Pernambuco. Seu governador é indicado
pelo governo do estado de Pernambuco e é um distrito estadual.
A região metropolitana de recife possui 14 municípios, uma
importante área litorânea e é bastante irrigada por rios permanentes.
Suas indústrias estão principalmente concentradas na capital,
Jaboatão, Paulista e Abreu Lima. É um polo tecnológico e do
agronegócio.
O que é uma metrópole? Vamos estudar em mais detalhes na
aula 5, mas já vamos a uma dica. São regiões metropolitanas aquelas
em que as malhas urbanas de vários municípios diferentes se unem,
devido ao dinamismo econômico e ao crescimento das malhas urbanas.
Uma metrópole pode ter um número variável de cidades. Para
administrar a vida urbana é necessário que os vários municípios que
compõe a metrópole realizem em conjunto uma série de medidas com
transito, coleta de lixo e transporte público. Para tanto existe o estatuto
metropolitano, a lei que regula as regiões metropolitanas para a
realização de políticas comuns.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 12

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

6. O SERTÃO.
É principal paisagem de Pernambuco e ocupa cerca de 70% do
território estadual. Possui 6 microrregiões: Pajeú, Araripina, Salgueiro,
Moxotó, Petrolina e Itaparica. É a região mais castigada pelas secas.
Em Itaparica há uma usina da CHESF e a região de Petrolina e a maior
produção de fruticultura do estado, com águas drenadas para irrigação
do Rio São Francisco. Suas médias pluviométricas são muito baixas e
as médias térmicas muito grandes, com secas prolongadas e rios
temporários (intermitentes).

7. MICRORREGIÕES DO SERTÃO.

7.1 ARARIPINA.
A Microrregião do Araripe possui dez municípios e corresponde
a 11% da área do estado. Seu clima é o semiárido, e a vegetação de
xerófitas. Na chapada do Araripe as temperaturas são mais amenas.
Seus destaques regionais são: Araripina, Ipubi, Trindade, Bodocó e
Ouricuri e sua produção gesseira que fornece para todo o pais. A há
grande concentração de terras, agricultura de subsistência e pecuária
extensiva. Seus destaques municipais são Ouricuri e Araripina.

7.2 MOXOTÓ.

A microrregião do Sertão do Moxotó possui 7 municípios.


Predomina o clima semiárido. A economia é comercial e importante
centro educacional e possui várias entidades administrativas do sertão
desenvolvida em que o destaque é a cidade de Arcoverde que á a mais
dinâmica e populosa da região.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 13

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

7.3 PETROLINA.
A Microrregião de Petrolina está próxima às margens do Rio
São Francisco, no estado de Pernambuco. Possui oito municípios,
ocupando mais de 15% do território do estado. A economia da região é
a mais desenvolvida do sertão, devido ao agronegócio, principalmente
ligado à fruticultura. Possui aeroporto com capacidade de
movimentação de cargas e realiza grandes trocas com a zona da mata.

7.4 ITAPARICA.

Possui sete municípios, e o Rio São Francisco banha grande parte


de seu território. O que possibilita a atividade agrícola intensamente
como em Petrolina. Também é banhada pelo Rio São Francisco em grande
parte de seu território, e ao longo do rio intensa atividade agrícola é
praticada, como na microrregião de Petrolina. Temos lá a usina de
Itaparica.

7.5 SALGUEIRO.
A microrregião de salgueiro possui 7 cidades com clima semiárido,
vegetação xerófila, agricultura de subsistência e pecuária extensiva.
Destaca-se a o município de Sagueiro e a produção de couro local.
Outro destaque é José do Belmonte que possui importantes jazidas de
ferro.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 14

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

7.6 VALE DO PAJEÚ.

A Microrregião do Pajeú está ao norte de Pernambuco e possui


17 municípios que estão majoritariamente no clima semiárido, exceto
os brejos. É a pecuária mais importante da mesorregião e sua
economia é comercial e agrícola, com lavouras de subsistência. Possui
um importante rebanho caprino e nos brejos temos a prática da
fruticultura. Seus destaques urbanos são Serra Talhada e Afogados da
Ingazeira. É cortada pelo Rio Pajeú que passa pelos 17 municípios.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 15

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

8. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS.

1.(IAUPE) Com base nas informações do mapa a seguir, assinale a


alternativa correta.

A. Paulista tem como limite ao Norte os municípios de Itamaracá,


Igarassu e Abreu e Lima.

B. Paulista está localizado ao Sul de Região Metropolitana do Recife.


0567 816 2659

C. A sede municipal do Paulista está situada na orla litorânea.

D. Os municípios de Camaragibe, Olinda e Recife se limitam ao Sul com


Paulista.

E. O município do Paulista, situado no litoral norte de Pernambuco,


possui tempera-tura média alta amenizada pela presença do oceano
Atlântico.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 16

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

Este exercício da IAUPE exige poucos conhecimentos, na


verdade noções de orientação, e o conhecimento dos pontos
cardeais e colaterais. Todas as alternativas poderiam ser
eliminadas analisando o mapa e observando as localizações. Daí
vai uma dica: Com tantos nomes e microregiões, será necessário
decorar tudo? Em geral não, pois a banca exige que você saiba
localizar as principais mesorregiões e as características gerais,
bem básicas das microregiões. Quanto mais souber melhor, mas
não se desespere, que vamos repetir bastante. Quando a
questão fala de limites, refere-se as “fronteiras” entre as
cidades. A cidade é litorânea, mas a sede administrativa não
está na orla (proximidades da praia).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 17

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

2. (IAUPE) A partir das representações espaciais, é possível a análise,


a interpretação e a compreensão do espaço geográfico.

Observe o mapa abaixo.

Nele não é possível identificar.

A. A organização do espaço urbano-rural e o processo de ocupação


do município de Paulista.

B. As noções dos limites político-administrativos entre municípios,


mesorregiões, microrregiões e estados.

C. A localização do município de Paulista através da rede de


coordenada geográfica e identificação dos pontos cardeais e colaterais.
D. As escalas gráficas e numéricas, facilitando o entendimento da
relação entre o real e a sua representação.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 18

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

E. Noções sobre a área territorial e a determinação da distância


entre as redes municipais.

É uma representação cartográfica (mapa) político, que


mostra os limites entre cidades e mesorregiões. Temos
referências dos pontos cardeais (que nos dão as coordenadas de
latitude e longitude, mesmo que não diretamente expressas), e
também nos fornece as escalas, que nos permitem estabelecer
as proporções entre a distância real e no mapa. Só não é possível
observarmos os processos de formação.

9. EXERCICIOS PROPOSTOS.

1. Novos caminhos pelo mar

Mesmo com a economia brasileira crescendo pouco, um setor se


gzrcpfg"fg"hqtoc"xkiqtquc."eqo"vczcu"ÐejkpgucuÑ<"c"ecdqvcigo."qw"
q" transporte interno de cargas pelo mar, que avançou 7,7% só nos
primeiros nove meses de 2013, frente ao mesmo período de 2012. O
incremento é mais sentido na área nobre do setor de cargas, os
produtos transportados por contêineres, nos quais está o maior valor
agregado. No período, a taxa de expansão desse segmento foi de 28%.

0567 816 2659

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 19

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

Com base nos dados apresentados, o ritmo do crescimento da


cabotagem pode ser explicado pela característica da organização
socioespacial brasileira indicada em:
a) portos separados por distância reduzida
b) estradas presentes ao longo do território
c) cultivos direcionados ao mercado mundial
d) populações concentradas em faixa litorânea 05678162659

2. Com investimentos de US$ 50 bi, Nordeste vira rota de


grandes empresas

Já se foi o tempo em que as belas praias impulsionavam quase


solitariamente a economia do Nordeste. Nos últimos anos, a região
deixou de apenas atrair turistas e passou a ser receptora também de
investimentos de peso, ajudando os Estados a se industrializarem.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 20

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

Fonte: http://economia.uol.com.br/noticias/
redacao/2013/02/19/com-investimentos-de-mais-de-r-100-
binordeste-vira-rota-de-grandes-empresas.htm. Acesso: 01/08/2013.

Comprovam a informação fornecida na matéria:


a) A ampliação da rede hoteleira em Alagoas com a conclusão do
complexo de Sauípe.
b) A consolidação da agroindústria e setor sucro-alcooleiro no sul da
Bahia.
c) A instalação de uma indústria automobilística em Sergipe e Rio
Grande do Norte.
d) A instalação de complexos industrial-portuários em Suape (PE).
e) A migração da indústria siderúrgica do Sudeste para o Nordeste.

3. Leia com atenção o texto a seguir.

O modelo de urbanização brasileiro produziu nas últimas décadas


cidades caracterizadas pela fragmentação do espaço e pela exclusão
social e territorial. Cidades que contêm espaços que se opõem em
termos de acessibilidade a equipamentos urbanos, infraestruturas e
serviços. Espaços marcados por ocupações em áreas de risco
(encostas, áreas inundáveis, por exemplo) ao lado de habitações de 0567 816 2659

elevados padrões construtivos. Constata-se o mais sofisticado ao lado


do mais rudimentar, caracterizando o que Milton Santos denominou de
coexistências. O sistema de cidades se realiza em uma base territorial
que não é neutra socialmente e cujos interesses se movem através de
redes e fluxos em diferentes escalas. Essas redes assumem níveis de
densidades elevados através do desenvolvimento das tecnologias e
numa velocidade sem precedentes. Tal qual a letra da música do cantor

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 21

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

Cazuza, se verifica na atualidade a concretude da expreuu«q"Ðq"vgorq"


p«q"rctcÑ."gzgornkhkecpfq"q"swg"owkvqu"ig„itchqu"fgpqokpco"vgorq
" e espaço comprimidos. É nas grandes cidades, onde se evidencia com
mais força esses fenômenos.
Considerando os aspectos ressaltados no texto e observando a figura
abaixo, é possível concluir que:

( ) A principal região metropolitana de Pernambuco é Recife.


( ) Recife é uma metrópole desde a década de 70 e é uma das
0567 816 2659

primeiras regiões metropolitanas do país. urbana. O seu advento


representa um avanço no direito à cidade.
( )
Pc"Tgik«q"Ogvtqrqnkvcpc"fq"Tgekhg"Ðq"vgorq"p«q"rctcÑ."qw"ugl
c." cresce consideravelmente nas últimas décadas. Esta região
conurbada se expande compreendendo em seu território 9

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 22

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

municípios, o Porto de Suape, além do circuito turístico de Gravata


e o polo da moda de Caruaru.

4. ÐCniwocu"ekfcfgu"pcuekfcu"g"etguekfcu"go"hwp›«q" fc" hqt›c"g"fc"


importância de suas feiras e de seu multivariado comércio têm
adquirido uma admirável conjuntura urbana. Cidades como Campina
Grande, Feira de Santana, Mossoró, Caruaru, Crato, Sobral,
Garanhuns, entre outras, possuem uma expressão regional
eqpuqnkfcfc"rgnq"p¿ogtq"g"rgnc"swcnkhkec›«q"fg"uwcu"hwp›‰guÑ0

CDÓU‘DGT."C¦k¦0 Os domínios de natureza no Brasil: potencialidades


paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003. p.93

Pode-se afirmar que, das cidades citadas no texto:

I. Estão todas localizadas na zona do agreste e tiveram em suas feiras


de gado e de cereais a base inicial da formação dos seus núcleos e
de suas economias.
II. Todas ocupam na hierarquia urbana dos seus respectivos estados o
rcrgn" fg" xgtfcfgktcu" Ðecrkvcku" tgikqpckuÑ." rgnc" qhgtvc" fg"
dgpu" g" serviços que prestam às regiões por elas polarizadas.
III. Campina Grande, Caruaru e Feira de Santana guardam
semelhanças de localização e de processo histórico de formação.
Todas
guvtcvgikecogpvg"nqecnk¦cfcu"pc"Ðdqec"fq"ugtv«qÑ"fqu"ugwu"
respectivos estados transformaram-se em caminhos obrigatórios e
pouso de gado dos que se dirigiam para a Zona da Mata, mas
também para tropeiros e mascates. 0 567 8162 659

IV. A zona da mata onde está Recife e Olinda é o grande destaque


na produção de alimentos do estado

Estão corretas
a) Apenas as proposições III e IV

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 23

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

b) Apenas as proposições I e II
c) Apenas as proposições II e IV
d) Apenas as proposições II, e III
e) Todas as proposições

5. Uma sub-região de Pernambuco apresenta uma zona de transição


entre o litoral, Zona da Mata (úmido) e o Sertão (semiárido). É uma
faixa de região de clima semiúmido que pratica a policultura em
minifúndios e atrai população aumentando a densidade demográfica.
Dentro deste contexto cresceram cidades como: Campina Grande,
Caruaru, Garanhuns, que funcionam como autênticas capitais regionais
dessa zona.
Trata-se de uma sub-região do Nordeste conhecida como

a) Zona dos Cocais.


b) Agreste.
c) Caatinga.
d) Juazeiro.
e) Palmares.

6. Nos últimos anos, algumas áreas do Nordeste do Brasil tornaramse


produtoras de uvas, com produção crescente quando comparada às
áreas de cultivo tradicional da fruta, como se pode observar no gráfico.

056

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 24

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

Quanto à localização da produção, às características de temperatura e


à utilização de técnicas de cultivo nas áreas produtoras de uvas do
Nordeste, assinale a alternativa que apresenta as correlações corretas.

a) Agreste, na Chapada Diamantina (BA) e Chapada da Borborema


(PE); temperaturas amenas; irrigação esporádica.
b) Zona da Mata Nordestina, em Feira de Santana (BA) e Garanhuns
(PE); temperaturas pouco variáveis; irrigação sistemática.
c) Vale Médio do rio São Francisco, em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA);
temperaturas elevadas; irrigação sistemática.
d) Zona do Recôncavo, em Camaçari (BA) e Olinda (PE); temperatura
variável; irrigação esporádica.
e) Planície Litorânea, em Ilhéus (BA) e Petrolândia (PE); temperaturas
constantes; irrigação esporádica.

7. Nos últimos anos várias áreas do Nordeste do Brasil foram irrigadas


e se tornaram excelentes produtoras de frutas. A produção de uva no
Nordeste tem localização definida e técnicas de cultivo diferenciadas
das tradicionais plantações da Região Sul do Brasil.

Quanto à prática da irrigação, às características de temperatura e aos


lugares de cultivo das videiras do Nordeste, assinale a alternativa
correta.

a) Irrigação esporádica, temperaturas amenas e cultivo


principalmente no Vale Médio do Rio São Francisco em Petrolândia
(PE) e Barreiras (BA). 05678162659

b) Irrigação sistemática, temperatura pouco variável e cultivo na


Zona da Mata, em Feira de Santana (BA) e Garanhuns (PE).
c) Irrigação sistemática, temperatura pouco variável, devido à
proximidade do litoral, e cultivo em lIhéus/Itabuna (BA) e Sobral
(CE).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 25

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

d) Irrigação sistemática, temperatura pouco variável e cultivo


principalmente no Vale Médio do Rio São Francisco, em Petrolina (PE)
e Juazeiro (BA).
e) Irrigação esporádica, temperatura mais baixa, devido às maiores
altitudes, e cultivo nas áreas do Agreste, na Chapada Diamantina
(BA) e na Chapada da Borborema (PB).

8. A produção de uva na região Nordeste tem localização definida e


características que a diferenciam das tradicionais plantações da Região
Sul brasileira. Apresenta:
a) irrigação sistemática, temperatura pouco variável e localização
no médio São Francisco, principalmente em Petrolina (PE) e Juazeiro
(BA).
b) irrigação esporádica, temperatura pouco variável e localização
em áreas de maior altitude como a Chapada Diamantina (BA) e
Borborema (PB).
c) irrigação sistemática, temperatura mais baixa decorrente de
maiores altitudes locais, especialmente em Vitória da Conquista (BA)
e Garanhuns (PE).
d) irrigação esporádica, temperatura mais baixa decorrente de
áreas de maiores altitudes, localizando-se principalmente em Vitória
da Conquista (BA) e Garanhuns (PE).
e) irrigação sistemática, temperatura pouco variável decorrente da
proximidade do litoral, especialmente em Ilhéus/Itabuna (BA) e
Garanhuns (PE).
0567 816 2659

9. Com relação à fruticultura na região do Vale do São Francisco no


Nordeste brasileiro, é correto afirmar que
a) a região tem terras férteis e adequadas à fruticultura graças à
inserção de projetos irrigáveis, o que compensa o clima seco e o alto
índice de insolação durante a maior parte do ano.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 26

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

b) a região tem clima úmido, com chuvas bem distribuídas ao longo


do ano, característica favorável à fruticultura.
c) a região é importante produtora de frutas, mas não foi possível
implantar a vitinicultura, apesar de várias tentativas, porque a
cultura não se adapta ao clima.
d) os maiores produtores de frutas tropicais da região e do país
encontram-se em polos agroindustriais dos municípios
pernambucanos de Juazeiro e Petrolina.

10. Os municípios de Petrolina-PE e Juazeiro-BA têm-se destacado no


Nordeste como agropolos destinados à produção comercial. Sobre a
produção e a destinação dos produtos nesses municípios do interior
nordestino, assinale a alternativa correta.
a) Fumo e cacau para o mercado nacional e internacional.
b) Mamona, dendê e caju para a produção de biodiesel.
c) Cana-de-açúcar e beterraba para a produção de álcool.
d) Algodão arbóreo para a indústria têxtil regional.
e) Uva para produção de vinho tipo exportação.

11. Do ponto de vista da organização social, o Agreste costuma ser


denominado "avesso do avesso", pois se diferencia tanto da Zona da
Mata como do Sertão Nordestino, destacando-se a predominância de:

a) pequenas propriedades; combinação de culturas de alimentos


com pequena criação de animais; núcleos urbanos que constituem
centros
de comércio integrados à Zona da Mata. 05678162659

b) pequenas propriedades; criação de gado extensiva; polos


agroindustriais controlados pelas cidades gêmeas de Petrolina (PE) e
Juazeiro (BA).
c) pequenas e médias propriedades; atividades agrícolas nas partes
mais úmidas e extrativismo no restante da sub-região; polos

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 27

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

agroindustriais controlados pelas cidades gêmeas de Petrolina (PE) e


Juazeiro (BA).
d) latifúndios; criação de gado extensiva; núcleos urbanos que
constituem centros de comércio integrados à Zona da Mata.
e) latifúndios; combinação de culturas de alimentos com pequena
criação de animais; núcleos urbanos que se organizam em torno de
atividades extrativas minerais e vegetais.

12. Observe o perfil topográfico a seguir.

O perfil acima corresponde ao arquipelago de Fernando de Noronha. A


respeito dele e de sua importância para o litoral brasileiro, assinale a
alternativa correta.
a) Trata-se de um arquipelago situado em uma extensão da
plataforma continental brasileira, muito importante para a produção
pesqueira e para o turismo. 05678162659

b) O arquipelago de Fernando de Noronha projeta-se a partir do


talude continental brasileiro e tem contribuído bastante com a
produção petrolífera brasileira atual.
c) As características geomorfológicas de Fernando de Noronha
assemelham-se às de outras ilhas costeiras, como Ilhabela, Ilha do
Governador e Ilha de Santa Catarina.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 28

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

d) Trata-se de um tipo de ilha oceânica, economicamente


importante pelo turismo e estrategicamente importante para a
delimitação das águas territoriais brasileiras.
e) O perfil apresentado caracteriza praticamente todas as ilhas
costeiras do Brasil. Sua importância atual justifica-se por sua
localização na Bacia de Santos, onde recentes descobertas de
petróleo na camada pré-sal foram anunciadas.

13. A constituição do Brasil, promulgada em 1988, alterou a divisão


territorial do País criando Estados, anexando territórios e
transformando território em Estado. Assim, a Região

a) Centro-Oeste foi a que mais modificou, pois teve anexado, o estado


de Tocantins.
b) Sul não sofreu nenhuma modificação, enquanto a região Sudeste
teve o estado do Espírito Santo incorporado à sua área.
c) Norte e a Centro-Oeste foram as que tiveram sua área mais
modificada, porque a Região Norte foi acrescida do Estado do Acre
e a Região Centro-Oeste, do Estado de Tocantins.
d) Nordeste sofreu pequena alteração, com a anexação do antigo
território de Fernando de Noronha ao Estado de Pernambuco.
e) Sudeste e a Centro-Oeste não sofreram modificações.

14. Existe, em diversos países do mundo, um sistema de criação que


0567 816 2659 é feito em amplas áreas cercadas, onde o gado é solto para se
alimentar da pastagem natural ou de restos de cultura, após a colheita
das mesmas. Qual a denominação que é dada, em Geografia Agrária,
a esse sistema de criação?

a) Pecuária Intensiva
b) Pecuária Ultra-extensiva
c) Pecuária Ultra-intensiva
d) Pecuária Nômade
e) Pecuária Extensiva

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 29

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

0567 816

GABARITO

Resposta da questão 1:
[D]

O crescimento do modal hidroviário na modalidade de


capotagem propicia a redução dos custos com o transporte de
carga, visto que as rodovias apresentam maior custo de
manutenção, maior consumo de energia e menor capacidade de
carga. Um dos fatores que estimula o desenvolvimento da
cabotagem é a grande concentração de população e áreas
urbanas e industriais na faixa litorânea do Brasil.

Resposta da questão 2:
[D]

Como mencionado corretamente na alternativa [D], a


instalação do complexo industrial-portuário em Pecém, Suape
e Camaçari integram a infraestrutura melhorada nas duas
últimas décadas, que, com um mercado de consumo crescente,
e incentivos fiscais explicam a atração de projetos industriais
para o nordeste.
Estão incorretas as alternativas:
[A], porque 056 781 626 59 os investimentos mencionados não estão
associados ao turismo;
[B], porque os investimentos estão associados às
indústrias;
[C], porque a montadora Fiat será instalada em
Pernambuco;
[E], porque as indústrias atraídas pela infraestrutura são
de bens de consumo e bens de capital.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 30

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

Resposta da questão 3:
V ÎV Î F.

FALSO A região metropolitana de Recife abrange 17 municípios


e os municípios citados não fazem parte dessa composição.

Resposta da questão 4:
[D]

[I] INCORRETA. Crato e Sobral estão inseridos no sertão


semiárido.
[II] CORRETA. As cidades citadas exercem polarização
regional em razão da estrutura de seu setor terciário.
[III] CORRETA. As cidades citadas situam-se no agreste.

Resposta da questão 5:
[B]

Resposta da questão 6:
[C]

Resposta da questão 7: 0567 816 2659

[D]

Resposta da questão 8:
[A]

Resposta da questão 9:
[A]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 31

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

Os avanços na tecnologia agrícola acabam relativizando o


papel da natureza na produção. No sertão nordestino, projetos
de irrigação proporcionam plantio em áreas de clima semiárido.
A fruticultura se destaca, pois, nas condições de insolação no
sertão é grande a qualidade do produto.
A alternativa [B] é falsa, a região tem clima tropical
semiárido.
A alternativa [C] é falsa, a viticultura (uvas) na região é
uma realidade devido a adaptações com espécies de alta
qualidade para o consumo direto e para a produção de vinhos.
A alternativa [D] é falsa, Juazeiro e Petrolina constituem-
se no maior polo fruticultor da região.

Resposta da questão 10:


[E]

Resposta da questão 11:


[A]

Resposta da questão 12:


[D]

A maioria das ilhas oceânicas do Atlântico é de origem


vulcânica como é o caso do arquipélago de Fernando de 05 678 162 659

Noronha (PE). A posse de ilhas no Atlântico é estratégica do


ponto de vista econômico e geopolítico pelo Brasil, uma vez que
garante soberania sobre a ZEE (Zona Econômica Exclusiva), rica
em recursos naturais.

Resposta da questão 13:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 32

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

[D]

Resposta da questão 14:


[E]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 33

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Formação territorial de Pernambuco/Microrregiões
Prof. Sérgio Henrique.

10. CONSIDERAÇÕES FINAIS.


Olá concurseiro. Muitos nomes, não é mesmo? Fique tranquilo
pois até o fim do curso vamos aos poucos organizando o conteúdo na
memória e através da repetição, o que parece agora bem complicado,
veremos que vamos conseguir aprender numa boa. Vamos lá. Bons
estudos e foco no sucesso.

0567 816 2659

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 34

Aula 01 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aula 02

Geografia p/ Polícia Militar-PE


Professor: Sergio Henrique Lima Reis
Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

SUMÁRIO

00. Bate papo inicial. Pág. 02

1. Atmosfera e sua dinâmica: tempo e clima. Pág. 03

- 1.1 Fatores estáticos que influenciam no clima. Pág. 04

- 1.2 Fatores dinâmicos que influenciam no clima. Pág. 05

- 1.3 Massas de ar, ventos e el nino (efeito enso). Pág. 06

2. Os tipos climáticos do estado de Pernambuco. Pág. 09

3. Domínios vegetais do brasil. Pág. 16

4. Domínios florestais pernambucanos: zona da Pág. 17


mata.

5. Caatinga. Pág. 20

6. Mangues (vegetação complexa. Litoral da Pág. 23


zona da mata).

7. Agreste. Pág. 26

8. Exercícios Resolvidos. Pág. 28

9. Exercícios Propostos. Pág. 37

10. Considerações finais. Pág. 54

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 1

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

00. BATE PAPO INICIAL.


Olá amigo concurseiro. É com muita alegria que o recebo
novamente para falarmos de geografia. Estudar as aulas anteriores é
fundamental para que você possa compreender muitas das coisas que
vamos tratar aqui. Leia com atenção seu texto de apoio, releia e
pratique exercícios. Aos poucos o conteúdo básico vai ficar retido na
sua memória. Claro que para isso é muito importante você fazer suas
próprias anotações, ou em forma de resumo ou anotações nos
exercícios, não importa, você escolhe. O importante é estudarmos
bastante e nos concentrarmos nos estudos. Estimule sua disciplina e
procure motivação pensando em seus sonhos. Bons estudos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 2

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

1. ATMOSFERA E SUA DINÂMICA: TEMPO E CLIMA.

O comportamento atmosférico é bastante complexo e possui


vários elementos. Não confunda clima e tempo.
Tempo são as condições metrológicas no dia.
Clima é o conjunto das condições metrológicas no ano. O clima
é muito dinâmico e vários elementos interferem no seu funcionamento.
Existem fatores estáticos e fatores dinâmicos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 3

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

1.1 FATORES ESTÁTICOS QUE INFLUENCIAM NO CLIMA:

Latitude: É a distância em graus medida a partir do equador,


que é latitude = 0°. Quanto mais próximo do equador, ou seja menor
a latitude, mais quente.
Pernambuco está em uma região baixas latitudes, ou seja, na zona
intertropical, próxima ao equador. O clima do estado oscila entre o
tropical úmido da mata ao semiárido do sertão.

Altitude:(quanto maior altitude, menor temperatura e maior


amplitude).
O agreste, que é a zona de transição entre a mata e o sertão,
está sobre o planalto da Borborema. Por estar em maiores altitudes as
temperaturas são mais baixas. Quanto maior a altitude do lugar, menor
a temperatura e maior a amplitude térmica.

Proximidade do mar: (marítimidade). A maritimidade


provoca dois efeitos fundamentais: aumenta a pluviosidade
(quantidade de chuvas) e diminui a amplitude térmica (a temperatura
oscila pouco anualmente, normalmente sempre quente. O litoral
pernambucano com suas belas praias, atrai tanto pela história quanto
pelo turismo de balneário, diante das excelentes condições climáticas
para o turismo. É sempre quente, possui chuvas bem distribuídas.

Relevo O relevo interfere de várias formas. Em Pernambuco, um


dos fatores geográficos responsáveis pela formação do clima semiárido
no sertão é o planalto da Borborema, pois impede a passagem de
umidade para o interior. Os ventos alísios também são um fator
responsável pelo clima semiárido.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 4

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

1.2 FATORES DINÂMICOS QUE INFLUENCIAM NO CLIMA:

Chuvas: há vários tipos de chuvas. Os três principais tipos são:


 Chuvas convectivas: formadas por correntes de convecção. O
ar quente sobe e o frio desce. Essa circulação permite que a água
em vapor suba até as mais altas camadas da atmosfera,
condense em nuvens e precipite quando estiver carregada. É o
tipo de chuva mais comum, provocada pelo próprio ciclo da água.

 Chuvas frontais: São o resultado do choque de uma massa de


ar quente e uma massa de ar fria. São chuvas bem fortes, e
normalmente as chuvas de inverno do clima tropical úmido, que
resultam do choque da massa polar atlântica com as massas de
ar quente que atuam no litoral. Ocorrem no agreste e zona da
mata.

 Chuvas orográficas (ou chuvas de relevo): São formadas em


planaltos que não permitem a passagem da umidade oceânica,
se acumulando ao redor do planalto, condensando e
precipitando. A face leste (voltada para o atlântico) do planalto
da Borborema provoca este tipo de chuvas na região da mata.

Chuva orográfica, na chapada do Araripe.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 5

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

1.3 MASSAS DE AR, VENTOS E EL NINO (EFEITO ENSO):


No Brasil atuam 5 mais importantes massas de ar. Em
Pernambuco vamos destacar a atuação de duas massas de ar: A massa
equatorial atlântica (MEA: quente e úmida) que atua no verão e a maior
parte do ano, e a massa polar atlântica (MPA: fria e úmida) que atua
durante o inverno provocando chuvas frontais na região da zona da
mata.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 6

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Ventos são os deslocamentos do ar atmosférico provocados pelo


movimento de rotação da terra. Em geral eles sopram de áreas de
baixa pressão (regiões frias) para áreas de alta pressão (regiões
quentes), como podemos observar na imagem abaixo.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 7

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Perceba que os ventos sopram dos polos para os trópicos e dos


trópicos para o equador. Pernambuco encontra-se na ZCIT (zona de
convergência intertropical), ou seja a zona de convergência
(encontro) dos ventos alísios. O estado também sofre grande influência
do efeito El Nino, que provoca maiores estiagens.

OBS: O ano de 2016 o fenômeno el nino, de acordo com vários


institutos de meteorologia será intenso, o que agrava os períodos de
estiagem no Nordeste. É um fenômeno causado pelo aquecimento
anormal das águas do oceano pacífico sul, que causa desequilíbrios por
todo o planeta.

O principal tipo climático brasileiro é o tropical com duas estações


bem definidas (verão úmido e inverno seco) e pequena amplitude
térmica anual (variação). Há variações do clima tropical: Equatorial, de
altitude e úmido, entre outros subtipos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 8

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

2. OS TIPOS CLIMÁTICOS DO ESTADO DE PERNAMBUCO.

Observe atentamente o mapa. Quanto mais escura a cor verde,


maior a precipitação (chuvas). Quanto mais vermelho menor
pluviosidade (menor precipitação). A zona da mata, sobretudo
a parte meridional (sul) é muito úmida. É fácil perceber com o
gráfico de pluviosidade, que o agreste é uma faixa de transição
climática. São poucas chuvas, mas ocorrem com certa
regularidade. Quanto mais próximo do sertão, as estiagens são
maiores.

Observe aqui a previsão do comportamento atmosférico para os


meses de abril, maio e junho desse ano. A sequência permite uma
melhor visualização das mudanças de pluviosidade na mata e as
estiagens do sertão.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 9

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 10

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

O clima tropical: Todo o estado de Pernambuco está na faixa


climática tropical. Em razão de seus aspectos físicos como: O planalto
da Borborema, estar na ZCIT (zona de convergência intertropical –
encontros dos ventos alísios), a atuação da MPA (massa polar
atlântica), há uma grande variação dentro dos tipos tropicais.
Pernambuco tem a predominância do clima tropical semiárido, e do
clima tropical úmido. O clima tropical possui alguns padrões:

 Alta média térmica.


 Baixa amplitude térmica.
 Período de chuvas concentrado no verão (tropical típico) ou no
inverno (tropical úmido).

O clima de Pernambuco na zona da mata é tropical úmido, que é


caracterizado pelo fato de que suas chuvas são concentradas no
inverno. O sertão e o agreste mais próximo ao sertão, possui o regime
de chuvas escasso. Os climas de Pernambuco são o Tropical úmido
(zona da mata), Tropical semiúmido (transição- agreste) e tropical
semiárido (sertão).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 11

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Tropical úmido: É o clima da zona da mata. Suas principais


características são:
 Quente (altas médias térmicas, baixa latitude).
 Úmido (marítimidade).
 Pequena amplitude térmica (baixa variação. Sempre quente. Um
dos efeitos da maritimidade).
 Chuvas de inverno provocadas pela MPA (massa polar atlântica).
 Duas estações bem definidas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 12

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Observe com atenção o gráfico. A linha azul é a de


temperatura. Perceba que a temperatura cai a partir de março,
até agosto, voltando a aumentar em setembro. É o
outono/inverno em que as temperaturas são mais baixas. As
colunas verde e vermelhas correspondem a pluviosidade.
Perceba que temos chuvas regulares, bem distribuídas no
decorrer no ano, mas os picos de pluviosidade, ou seja, período
em que chove mais, são os meses de junho/julho. As chuvas no
inverso são características do tropical úmido, e são provocadas
pela ação da MPA (massa polar atlântica, fria e úmida). Perceba
que a amplitude térmica (variação) é pequena (máx 26,3°C e
mim pouco mais de 23,5°C). Aproximando as temperaturas, a
variação foi de 3°C entre o verão e o inverno.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 13

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Esse é o climograma do Município de Gravatá. A cidade


está na zona da mata já na proximidade da transição para o
agreste e, próximo ao planalto da Borborema. Observe que a
linha vermelha é a temperatura, e sua variação no decorrer do
ano é mínima. Possui uma baixa amplitude térmica. Observe
também que as chuvas estão concentradas entre os meses de
março e julho.

Tropical semiárido. É o clima do Sertão. Suas principais


características são:
 Baixa pluviosidade.
 Altas médias térmicas.
 Baixa amplitude térmica.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 14

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 15

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

3. DOMÍNIOS VEGETAIS DO BRASIL.

Observe atentamente o mapa abaixo:

Ele nos apresenta a vegetação natural do Brasil. Claro que


atualmente ela não se encontra como neste mapa e está bastante
devastada, devido anos de exploração econômica.
Atualmente estaria aproximadamente assim

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 16

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Observe que o território de Pernambuco foi amplamente


antropizado (transformado pela ação humana).
As áreas marcadas em cor de rosa são áreas naturais destruídas
pela ação antrópica (antropo = homem, ação humana), seja através
de corte ilegal da madeira, pecuária, agricultura ou mineração. Perceba
que as áreas próximas ao litoral foram mais destruídas, isso ocorre
porque o processo de colonização do país começou pelo litoral
atlântico. Os elementos físicos que mais interferem na vegetação
brasileira são o clima e o solo.
O clima pernambucano é totalmente tropical. No litoral há o
clima tropical úmido, no interior o tropical semiárido com secas
prolongadas e o agreste, uma zona de transição, com o clima mais
ameno e mais chuvoso que o sertão, podemos classificado como
tropical semiúmido.
Podemos dividir as formações vegetais em formações florestais,
arbustivas, complexas e de transição. Vamos analisar as características
das principais formações vegetais de Pernambuco.

4. DOMÍNIOS FLORESTAIS PERNAMBUCANOS: ZONA DA MATA.


É o domínio da Mata atlântica. A vegetação nativa da mata
pernambucana e do território correspondente a RMR (Região
Metropolitana de Recife). É a vegetação mais destruída pela ação
antrópica, devido a colonização e a exploração do solo, desde o século
XVI.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 17

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

A zona da mata (mata atlântica) é:


Latifoliada: Que possui plantas com folhas grandes e largas.

Perenófila: Sempre verde e abundante


Densa: Mata muito fechada, com muitas variedades e de difícil
penetração.
Ombrófila: Sombria. As copas das árvores maiores fazem com
que o interior da floresta receba pouca luz.
Higrófila: Plantas adaptadas a alta pluviosidade (quantidade de
chuvas).
Heterogênea: Possui enorme diversidade. É considerada
Megadiversa.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 18

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Na imagem temo o caju, guajirú e a pitanga. Sabores muito


familiares ao pernambucano.

A mata atlântica se estende do litoral à borda oriental do planalto


da Borborema. Aproximadamente uns 75 km. Como espécies
importantes podemos destacar o Jequitibá, Visgueiro, jacarandá,
maçaranduba, pau-d’arco e pau brasil. Todas de grande porte,
chegando a alcançar 30 metros.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 19

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Olinda, Recife, Paulista, Jaboatão e Igarassu surgiram onde a


séculos atrás era vegetação original de mata atlântica.

5. CAATINGA.
A Caatinga ocupa a porção do sertão nordestino. O clima em que
se desenvolve é o semiárido. Em tupi-guarani significa “Mata Branca”.

Caracteriza-se por ser uma vegetação rasteira e arbustiva, com


espécies xerófitas: plantas com raízes profundas para captar água, já
que a atmosfera é seca (Por exemplo o xique-xique e o mandacaru).
Decíduas: perdem as folhas parcialmente ou totalmente na seca.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 20

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 21

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 22

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Aspecto da Caatinga ainda verde e úmida, no município de


Arcoverde

6. MANGUES (VEGETAÇÃO COMPLEXA. LITORAL DA ZONA DA


MATA).
Os Mangues são vegetações litorâneas encontradas do litoral do
Amapá ao Rio Grande do Sul. Estão bastante ameaçados devido à
poluição, pois os litorais brasileiros são densamente povoados. Se
caracterizam por plantas:

Halófitas (ou Halófila): Adaptadas à salinidade do mar


(lembre-se que em geral as plantas são prejudicadas pelo sal e poucas
são as espécies adaptadas à salinidade). O litoral pernambucano possui
270 Km2 de mangues, que se formam no encontro das aguas doces
com as águas salgadas do mar.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 23

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Pneumatóforas: Raízes aéreas.

O mangue é um ecossistema muito rico em vida marinha.


Muitos trabalhadores dependem dos caranguejos capturados
no mangue.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 24

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

A população ribeirinha que se estabeleceu no mangue ao longo


dos séculos, sobreviveu de sua grande biodiversidade com muitos
caranguejos, camarões, ostras, aratus, siris e vários peixes.

Ocupação humana ao longo do mangue, no rio Beberibe, na cidade de


Olinda.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 25

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

7. AGRESTE.

O agreste uma zona de transição entre a mata e o sertão. Está


sobre o planalto da Borborema e suas temperaturas, em razão da
altitude são mais baixas. No agreste temos os Brejos.
O desenho esquemático que mostra o planalto da Borborema
permite observarmos alguns elementos do clima. O planalto funciona
como uma barreira, dificultando que os ventos oceânicos cheguem ao
sertão. No esquema você pode observar também uma chuva
orográfica, ou seja, aquela provocada pelo relevo, que causa o
acúmulo da umidade que não deixa passar. Observe que na vertente
oriental (à leste, a face voltada para o mar) a pluviosidade é bem maior
que a vertente ocidental (à oeste, face voltada para o interior, sertão).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 26

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 27

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

8. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS.

1. Um dos principais sistemas produtores de chuva que atuam no


norte do Nordeste brasileiro é a Zona de Convergência Intertropical do
Atlântico – ZCIT. Este sistema
a) é o mais importante gerador de chuvas sobre a região equatorial
dos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico.
b) provoca chuvas convectivas intensas entre os meses de setembro e
outubro no litoral do Nordeste.
c) permanece quase todo o ano estacionado sobre as latitudes mais
próximas ao Trópico de Capricórnio.
d) não recebe a influência da umidade dos oceanos Atlântico e Pacífico,
mas sim da Amazônia.

Resposta:
[A]

Como mencionado corretamente na alternativa [A], o


ZCIT, zona de baixa pressão e convergência dos ventos alísios
é responsável pelas chuvas na área equatorial.
Estão incorretas as alternativas:
[B] Porque a conjugação da mTa com a mPa é a
responsável pelas chuvas no litoral nordestino;
[C] Porque a ZCIT se movimenta na região equatorial;
[D] Porque é alimentada também pela umidade oceânica.

2. Sobre o clima semiárido, analise as afirmações abaixo.

I. O principal sistema responsável pela maior parte da precipitação na


porção Norte do Nordeste do Brasil é a Zona de Convergência

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 28

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Intertropical.
II. As chuvas no semiárido brasileiro ocorrem predominantemente
entre os meses de fevereiro a maio.
III. O semiárido apresenta um regime pluviométrico que proporciona a
manutenção de drenagens perenes durante todo o ano.

Está correto o que se afirma apenas em


a) II.
b) I e III.
c) I e II.
d) III.

Resposta:
[C]

[III] Incorreto, uma vez que o clima semiárido apresenta


os menores índices pluviométricos do Brasil, entre 250 e 750
mm. Este tipo climático apresenta distribuição desigual das
chuvas ao longo do ano e do ponto de vista geográfico. Assim,
é caracterizado por secas prolongadas e rios intermitentes ou
temporários, ou seja, cujo leito seca durante a estiagem.

TEXTO PARA A QUESTÃO 3:


Leia o texto e observe o mapa. Eles serão a base para a resolução da(s)
quest(ões):

“Os sistemas da Sabesp na Grande São Paulo produzem 6 milhões de


m3 por dia de [água potável], mas quase metade vem de bacias fora

da zona metropolitana, como a bacia PCJ (rios Piracicaba, Capivari e


Jundiaí), que alimenta o [sistema] Cantareira. [Nessas bacias] as

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 29

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

chuvas estão há dois anos abaixo das médias mensais. No acumulado


de 2013, o pior ano, as represas registraram 1.090 mm de precipitação

– a média anual é de 1.566 mm."

(Tudo sobre: crise da água in Folha de S. Paulo, 14/09/2014, p. 6)

Considerando a dinâmica climática brasileira e a estiagem atual, pode


ser dito que
a) áreas menos suscetíveis a estiagem, como o sul do país, estão
vivendo-a com frequência, e logo as mudanças climáticas obrigar-
nos-ão a redesenhar o mapa climático do Brasil.
b) as mudanças climáticas criam paradoxos no mapa climático do
Brasil, com estiagens fortes nas regiões de climas úmidos e com
períodos chuvosos mais longos nas áreas de climas secos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 30

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

c) o Centro-Oeste brasileiro e os estados de São Paulo e de Minas


Gerais, que sempre tiveram seus territórios livres do problema da
estiagem, sofrem agora com esse problema em razão do
aquecimento global.
d) as regiões brasileiras influenciadas por frentes frias têm o clima mais
úmido do país e são aquelas que, nesse momento, estão livres das
estiagens que afetam algumas zonas metropolitanas e certas bacias
hidrográficas.
e) as áreas de climas úmidos que estão sob o efeito de situações de
estiagem que atingem o país não são áreas que estão em meio a
vastas zonas úmidas e sim nas proximidades de áreas e regiões que
registram climas mais secos.

Resposta:
[E]

A região atingida pela estiagem prolongada nos últimos


anos (2012-2015) corresponde a partes dos estados de Minas
Gerais e São Paulo (domínio dos mares de morros) que se
inserem na faixa de climas úmidos, no caso, o Tropical de
Altitude (verão chuvoso e inverno seco). Estas áreas estão
relativamente próximas as faixas com climas subúmidos
(Tropical típico no interior paulista e parte de Minas Gerais)
com volume pluviométrico um pouco mais baixo.

4. Estabeleça a relação entre os tipos de vegetação que aparecem


nas figuras com as características apresentadas e assinale a opção
correta.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 31

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

a) A figura I representa a caatinga, vegetação própria de ambientes de


temperaturas elevadas e chuvas escassas, que predomina na Zona
da Mata Nordestina e é um dos tipos mais preservados no Brasil.
b) A figura II representa os campos, os quais são formados por
vegetação rasteira ou herbácea. Esses, comuns no Rio Grande do
Sul, em clima do tipo tropical e terrenos elevados, são aproveitados
para criação de gado e desenvolvimento da rizicultura.
c) A figura II representa o cerrado, o qual é formado por restingas e
manguezais. Composto por vegetação arbustiva, desenvolve-se em
áreas de clima tropical e subtropical, e hoje está ameaçado pelo
avanço da urbanização.
d) A figura III representa a Mata Atlântica, a qual aparece ao longo do
litoral brasileiro e é formada por uma vegetação densa, de grande
porte e também arbustiva. Essa Mata foi drasticamente reduzida pela
exploração econômica e pela expansão urbana.
e) A figura IV representa a Mata dos Pinhais, a qual é nativa do Brasil,
própria de clima seco e desenvolve-se nas áreas baixas e arenosas
da região Sul. Valorizada pela indústria madeireira é, por isso, um
dos tipos mais preservados do Brasil.

Resposta:
[D]

A Mata Atlântica é uma floresta adaptada ao clima tropical


úmido e de altitude. A floresta se desenvolve tanto em planícies
litorâneas quanto em planaltos e serras. A floresta apresenta

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 32

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

alta biodiversidade, é latifoliada, perenifólia, higrófila, densa e


estratificada. Cerca de 93% do ecossistema foi devastado em
decorrência da densa ocupação demográfica e econômica da
faixa litorânea do Nordeste e das regiões Sudeste e Sul desde o
período colonial. As causas da devastação ao longo do tempo
foram: exploração do pau Brasil, ciclo da cana de açúcar, ciclo
do café, urbanização, expansão do turismo e industrialização.

5. Considerando as características hidrofitogeográficas do Brasil, é


correto afirmar que o domínio
a) da Mata Atlântica é caracterizado pela ocorrência de rios
intermitentes sazonais e por uma vegetação menos densa, com
predomínio de plantas de grande porte que recebem influências dos
ventos úmidos.
b) da Caatinga é caracterizado pela ocorrência de rios intermitentes
sazonais devido ao baixo índice de chuvas, e apresenta uma
vegetação composta por arbustos com galhos retorcidos e raízes
profundas, assim como cactos e bromélias.
c) da Floresta Equatorial ocupa o Planalto Meridional Brasileiro e é
caracterizado por rios que deságuam diretamente no Oceano
Atlântico, situando-se sua foz na Faixa Tropical.
d) do Cerrado ocupa áreas do Planalto Central Brasileiro e parte da
área de várzea da Amazônia, apresentando uma rede pluvial que
forma a bacia hidrográfica do Rio Paraná.
e) da Mata de Araucária, o mais preservado do país, possui uma
vegetação formada predominantemente pelo chamado pinheiro-do-
paraná, sofre influência do clima subtropical e da elevada altitude e
apresenta rios que congelam por longos períodos no inverno.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 33

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Resposta:
[B]

O domínio morfoclimático da Caatinga é caracterizado


pela dominância de depressões interplanálticas (entremeadas
por chapadas, cuestas e inselbergs), clima semiárido,
vegetação de caatinga (plantas xerófilas, inclusive cactáceas e
bromeliáceas, além de espécies caducifólias) e rios
intermitentes ou temporários (cujos leitos secam no período de
estiagem). Observação: galhos retorcidos é uma característica
mais comum no Cerrado.

6. Os três principais tipos de chuva são: 1) chuva frontal, 2) chuva


de relevo ou orográfica, e 3) chuva de convecção ou chuva de verão.
Analise as proposições sobre os tipos de chuva.

I. As chuvas orográficas ocorrem em alguns lugares do planeta onde


barreiras de relevo obrigam as massas de ar a atingir altitudes
superiores, o que causa queda de temperatura e condensação do
vapor.
II. Chuvas de convecção ocorrem quando o ar quente próximo à
superfície fica leve e sobe para as camadas superiores da atmosfera,
carregando umidade. Ao atingir altitudes superiores, a temperatura
diminui e o vapor se condensa em gotículas pequenas que
permanecem em suspensão. Esse processo se repete até formar
nuvens muito grandes, que se precipitam no final do dia.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 34

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

III. A chuva frontal acontece na zona de contato entre duas massas de


ar (frente) de características diferentes (uma fria e outra quente),
onde ocorrem a condensação do vapor e a precipitação da água.
IV. As chuvas de relevo costumam ser intermitentes e finas e são muito
comuns nas regiões Nordeste e Sudeste do Brasil, onde as serras e
chapadas dificultam a penetração, para o interior do continente, das
massas úmidas de ar provenientes do oceano Atlântico.
V. Chuvas de convecção são aquelas que ocorrem em dias quentes.

Assinale a alternativa correta.


a) Somente as afirmativas I e V são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.
d) Somente a afirmativa V é verdadeira.
e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

Resposta:
[E]

I. CORRETO. Chuvas orográficas ocorrem quando uma massa


de ar úmido se desloca ao encontrar uma formação rochosa.
Ao elevar-se, ocorre queda de temperatura e condensação de
vapor de água, precipitando-se em uma das vertentes da
formação.
II. CORRETO. Chuvas de convecção, ou “chuvas de verão”,
resultam do aquecimento rápido do ar, que, ao ascender,
encontra menores temperaturas, precipitando-se em forma
de pancadas de chuvas.
III. CORRETO. Chuvas frontais resultam do encontro de uma
massa de ar quente e uma massa de ar frio, que, ao formar

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 35

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

uma frente fria, precipitam-se por períodos mais


prolongados.
IV. CORRETO. A área litorânea do Brasil por possuir uma
formação de serras, chapadas e planaltos, quase contínua em
toda sua extensão, favorece a formação de chuvas
orográficas.
V. CORRETO. Chuvas de convecção são as chamadas “chuvas de
verão” e resultam do rápido aquecimento do ar e, portanto,
típicas de estações com temperaturas elevadas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 36

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

9. EXERCÍCIOS PROPOSTOS.

1. (IAUPE) Esta questão apresenta-se com uma proposição e uma


razão para a proposição, separadas pela palavra PORQUE. Leia-a.

As chuvas que acontecem na parte oriental do Nordeste brasileiro


concentram-se nos meses da primavera-verão
PORQUE
é nesse período que são mais intensos os fluxos da Frente Polar
Atlântica e das Ondas de Leste sobre essa região brasileira.

Assinale
a) se a proposição é uma afirmativa verdadeira, e a razão é uma
afirmativa falsa.
b) se a proposição e a razão são afirmativas verdadeiras, e a razão é
uma causa da proposição.
c) se a proposição e a razão são afirmativas verdadeiras, e a razão não
é a causa da proposição.
d) se a proposição é uma afirmativa falsa, e a razão é uma afirmativa
verdadeira.
e) se a proposição e a razão são afirmativas falsas.

2. (IAUPE) Observe com atenção o mapa a seguir:

É CORRETO afirmar que esse mapa é uma representação cartográfica


do seguinte fato geográfico:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 37

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

a) As principais bacias sedimentares.


b) Os grandes domínios climáticos segundo a classificação de W.
Koppen.
c) As principais áreas de expansão agrícola.
d) Os principais domínios fitogeográficos primitivos.
e) Os espaços geoeconômicos.

3. (IAUPE/UPE) Observe, com atenção, o mapa a seguir. As áreas


escuras correspondem, grosso modo, a um determinado aspecto
analisado de maneira enfática pela Geografia.

Em qual das alternativas a seguir, esse aspecto está mencionado?


a) Espaços fortemente atingidos pela seca de 2014.
b) Regiões naturais submetidas ao domínio de solos aluviais.
c) Áreas destacadamente antropizadas.
d) Espaços geográficos dominados pela forte emigração.
e) Regiões de marcado processo de conurbação.

4. (IAUPE/UPE) A temperatura do ar atmosférica e a precipitação


pluviométrica são elementos de grande importância à análise climato-
ambiental, sobretudo no mundo tropical. Esses elementos podem ser
representados num diagrama, como o que é apresentado a seguir.
Neste, a linha curva indica o andamento médio da temperatura ao
longo do ano, as barras inferiores correspondem às chuvas mensais, e
as letras são a abreviatura de cada mês do ano. Observe-o
atentamente.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 38

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Este diagrama permite que se chegue às seguintes conclusões:

1. Essa localidade situa-se no hemisfério norte, em pleno domínio


tropical, numa área elevada.
2. O clima dessa localidade é quente, mas seco, do tipo BSh, segundo
a Classificação Climática de W. Koppen.
3. Nessa localidade, a evapotranspiração potencial anual deve superar
a precipitação pluvial anual; há, assim, um deficit hídrico.
4. A localidade situa-se integralmente no hemisfério sul e possui um
clima de caráter subtropical.
5. As variações térmicas anuais e diárias nessa localidade são
insignificantes, o que significa dizer que ela se situa próxima do
Trópico de Capricórnio.
6. A localidade possui um regime de chuvas de primavera-verão,
provocado por invasões de anticlones móveis.

Estão corretas apenas


a) 2 e 3.
b) 2, 3 e 4.
c) 1, 2 e 3.
d) 3, 4 e 6.
e) 1, 2, 5 e 6.

5. O Brasil, devido a sua extensão territorial e a sua diversidade


climática, possui sistemas paisagísticos muito heterogêneos. Na
imagem abaixo, está representado um dos biomas mais ricos e
diversificados do território brasileiro. Sobre esse bioma, podemos
afirmar que

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 39

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

a) possui como característica marcante a presença de espécies


perenifoliadas, com a capacidade de armazenamento de água, como
as cactáceas, e uma grande diversidade faunística.
b) está localizado em ambiente semiárido, com índices pluviométricos
que variam entre 300 e 800 mm ao ano, com formações vegetais
predominantemente arbustivas, xerófilas, das quais muitas são
endêmicas.
c) seus solos são geralmente férteis, profundos e com pouca umidade,
o que dificulta a prática agrícola, apesar dessa ser uma das principais
atividades econômicas na região da Caatinga.
d) não sofreu grande pressão antrópica, devido ao seu aspecto
rudimentar, desse modo ainda possui mais de 70% da sua vegetação
preservada, sem evidência de grandes processos de degradação.
e) é encontrado em regiões de clima tropical e semiárido, dessa forma
se estende pelo Nordeste e Centro-Oeste brasileiro, assim como
também pode ser encontrado em alguns locais do continente
africano.

6. Existem formações vegetais nas áreas tropicais, que são adaptadas


aos ambientes que apresentam condições climáticas de muita umidade
e alta pluviosidade. No Brasil, há inúmeros exemplos de tais
formações, que são genericamente denominadas de:
a) xerófilas
b) ambrófilas
c) hiperxerófilas
d) apifitas
e) aciculifoliadas

7. Observe atentamente o mapa a seguir, onde estão delimitados os


grandes domínios climáticos do Brasil. Com relação aos domínios
indicados pelos números, é correto dizer que:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 40

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

a) o domínio 1 corresponde à área do país que apresenta um regime


pluviométrico profundamente subordinado às invasões de sistemas
frontais.
b) o domínio 2, cuja porção ocidental exibe um amplo mosaico de
paisagens vegetais xerófilas, tem um regime pluviométrico associado
a sistemas atmosféricos extratropicais.
c) o domínio 3, nitidamente semiárido, notabiliza-se pelas secas
periódicas, cuja causa principal é o fenômeno "La Niña", verificado
no Atlântico Sul.
d) o domínio 4 é típico de áreas de transição climática; representa a
área do país onde as mínimas térmicas são mais significativas.
e) o domínio 5 é notadamente tropical, mas encontra-se em pleno
domínio equatorial e se caracteriza por possuir uma estação seca
mais prolongada, o que favorece a ocorrência de cerrados.

8. Num relatório de trabalho de campo, realizado por um grupo de


alunos encarregados de estudar geograficamente uma determinada
área do Brasil, foi dito o seguinte:

"A área investigada, situada na Zona da Mata pernambucana,


apresenta um relevo dominantemente composto por colinas de perfil
convexo, em áreas cristalinas. Os solos são bem desenvolvidos e, nas
várzeas, são excelentes para o desenvolvimento de atividades
agrícolas. Essa área apresenta semelhanças notáveis com alguns
trechos da Região Sudeste do país, especialmente no que se refere às
condições de umidade atmosférica, pedológicas e cobertura vegetal.
Contudo o uso do solo e o processo de ocupação do espaço exibem
grandes diferenças quando comparadas com essa macrorregião
brasileira mencionada."

Que princípio da análise geográfica foi utilizado nesse texto?


a) Princípio do Atualismo
b) Princípio da Atividade

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 41

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

c) Princípio do Determinismo
d) Princípio da Causalidade
e) Princípio da Analogia

9. O Brasil é um país muito rico em biomas. Existem no território


brasileiro pelo menos cinco tipos de florestas, reunidos em dois grupos:
o das florestas ombrófilas e o das florestas estacionais. As florestas
estacionais são aquelas que:
a) se localizam em solos hidromórficos ou litólicos e não se prestam ao
extrativismo vegetal.
b) apresentam árvores que perdem parcialmente ou quase totalmente
as folhas na estação seca.
c) se localizam em áreas de elevada umidade, sem estação seca.
d) surgem apenas em áreas de clima subtropical.
e) apresentam árvores as quais mantêm as folhas em todas as
estações do ano.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:


"Os sertanejos davam conta da metade do serviço do campo. Batiam
na usina, aos bandos, contratando tarefas. Só queriam receber
dinheiro corrente, nada de vales. Metiam-se assim nos partidos, nas
limpas e, enquanto o eito da fazenda se mexia devagar, os sertanejos
raspavam terra com uma velocidade de máquina. Tiravam as tarefas
em três tempos. Agora com a falta de braços o serviço deles era
estimado por toda parte. Podiam até contar com os "corumbas" até
que para as bandas do sertão, os relâmpagos aclareassem, porque só
ficavam por ali esperando que as chuvas caíssem pelas suas caatingas.
Não havia pedidos que os contivessem. Com a chuva a terra deles era
um presente do céu."
(José Lins do Rego - Usina)

10. As chuvas que acontecem no Sertão da Paraíba, Estado que serviu


de cenário para a obra referida de José Lins do Rego, especialmente
nos finais do verão-outono, caracterizadas por aguaceiros convectivos,
são determinadas pelo(s) seguinte(s) sistema(s) atmosférico(s):
a) nuvens convectivas, formadas pelo fenômeno "La Niña", que
avançam de sudoeste.
b) Zona de Convergência lntertropical.
c) Ondas de Leste.
d) Frente Polar Atlântica.
e) Massa de ar Tropical Atlântica.

11. Em uma das suas músicas mais famosas, o cantor Jorge Bem Jor
diz: “moro num país tropical abençoado por Deus e bonito por

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 42

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

natureza”. Como 90% do território brasileiro encontra-se entre os


Trópicos de Câncer e Capricórnio, vivemos, sim, num país tropical. No
entanto, o espaço brasileiro não se limita apenas ao clima tropical,
existem outras variações climáticas. Os elementos mais utilizados para
definir os tipos de clima são o volume das precipitações e as médias
de temperaturas anuais.
De acordo com as informações do texto e seus conhecimentos sobre o
tema, os CLIMOGRAMAS abaixo retratam os climas:

a) equatorial e tropical de altitude


b) subtropical e semiárido
c) semiárido e tropical atlântico
d) subtropical e equatorial
e) equatorial e tropical de semiárido

12. O climograma é um tipo de gráfico, no qual se analisa dois


elementos climáticos (temperatura e pluviosidade), para determinar o
tipo de clima. A análise climática e meteorológica é muito importante
para a atividade agrícola, principalmente para o planejamento do
plantio, devido à necessidade hídrica da planta.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 43

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Um agricultor, ao analisar o climograma da cidade de Macau (RN),


conforme representado, percebe que o mês
a) com menor precipitação foi agosto, com uma temperatura de 25°.
b) de março, além de quente, foi o que teve maior precipitação.
c) de novembro, apesar da baixa temperatura, teve maior precipitação.
d) de abril, teve uma temperatura de 18 °C e uma precipitação alta.

13. O rio São Francisco sempre desempenhou um papel relevante no


cenário da conquista do interior do Brasil. Em 1813, José Hipólito da
Costa, no jornal Correio Brasiliense, destacou em seu artigo a
importância da construção de uma cidade central para a sede da Corte
portuguesa, às margens do rio São Francisco, que, em suas palavras,
afirmou ser um sítio ameno, fértil e regado por um rio navegável. Esta
ideia foi retomada por José Bonifácio, em 1823. Ao Velho Chico foi
atribuído, a partir de 1840, o papel de elemento unificador do país,
numa iniciativa de escravocratas e políticos que lutavam pela
centralização monárquica, com apoio dos representantes das
províncias banhadas pelo São Francisco.

(Vanessa Maria Brasil. Um rio, uma nação. Nossa História, ano 2, n°


18, 2005. Adaptado.)

Analise as afirmações.

I. Os climas predominantes na bacia do São Francisco são o tropical, o


tropical semiárido e o tropical úmido.
II. O rio São Francisco nasce em Minas Gerais e banha os estados da
Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas, desaguando no Oceano
Atlântico.
III. A unidade de relevo presente na maior parte da bacia é a
Depressão Sertaneja do São Francisco.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 44

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

IV. A bacia hidrográfica está inserida totalmente na macrorregião


geoeconômica do Norte.
V. O tipo de cobertura vegetal predominante é a floresta tropical, que
atualmente apresenta forte presença humana.

As afirmativas que melhor descrevem as características geográficas da


bacia do rio São Francisco são, apenas,
a) III e IV.
b) I e V.
c) IV e V.
d) I, II e III.
e) II, IV e V.

14. "Na zona costeira e litorânea cearense, a dinâmica atual é


caracterizada pela ocorrência de precipitações elevadas, em torno de
800 e 1500 mm anuais na faixa litorânea, e entre 750 e 1000 mm na
área costeira mais interiorizada. (...) A penetração de massas de ar
úmidas no estado (...) concentra-se largamente no primeiro semestre
do ano. Tal fato confere a muitos setores costeiros e litorâneos um
comportamento tendendo a aridez durante o segundo semestre do
ano."
(Sales, 2006.)

A oscilação pluvial a que se refere o texto está relacionada à Zona de


Convergência Intertropical que, no segundo semestre,
a) permanece estacionada no Ceará.
b) migra para o Hemisfério Norte.
c) penetra no Ceará.
d) migra para o sul do país.
e) desvia para o litoral de Pernambuco.

15. Observe na tabela os dados climáticos de algumas cidades


paraibanas. Auxiliado pela tabela e de posse dos seus conhecimentos
sobre a climatologia da Paraíba, analise as proposições.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 45

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

PRECIPIT TEMPERATURA
ALTIT AÇÃO ANUAL MESORRE
CIDADE
UDE ANUAL MÍNI MÁXI MÉD GIÃO
(MM) MA MA IA
JOÃO Mata
48,0m 1829,3 19,7 31,2 25,6
PESSOA Paraibana
ANDRADI Mata
49,0m 1867,0 19,3 30,0 25,1
NA Paraibana
Agreste
AREIA 445m 1367,1 17,5 31,0 21,6
Paraibano
BANANEI Agreste
700m 1187,9 16,8 31,4 22,4
RAS Paraibano
Agreste
ARARUNA 580 853,6 16,7 29,4 22,2
Paraibano
Agreste
CUITÉ 620 877,4 16,5 29,8 22,3
Paraibano
Agreste
INGÁ 144m 665,2 19,0 32,6 25,3
Paraibano
CAMPINA Agreste
508m 765,5 17,1 31,1 22,7
GRANDE Paraibano
CABACEIR
390m 316,6 17,9 30,0 24,2 Borborema
AS
S. JOÃO
DO 445m 384,8 17,7 30,0 24,0 Borborema
CARIRI
Sertão
PATOS 250m 698,9 19,0 34,6 27,2
Paraibano
Sertão
POMBAL 178m 724,9 19,5 35,1 27,0
Paraibano
Dados coletados in: <http://www.dca.ufcg.edu.br/clima/chuvapb/htm

I. Os índices pluviométricos e as temperaturas mais baixas do Brejo


Paraibano estão relacionados à altitude e à localização na frente
oriental do Planalto da Borborema, oposta às chuvas orográficas.
lI. Os municípios do Sertão Paraibano, por se localizarem numa
depressão, apresentam não só as menores amplitudes térmicas do
estado, mas também os menores índices pluviométricos.
III. Os municípios litorâneos sujeitos à maritimidade apresentam
amplitudes térmicas menores que os municípios do Cariri Paraibano,
os quais já sofrem a interferência de dois outros fatores climáticos:
a altitude e a continentalidade.
IV. lngá, localizada no sopé da Borborema, apresenta índices
pluviométricos e temperaturas mais semelhantes aos índices
sertanejos que os de outros municípios do Agreste da Borborema, o
que reforça a importância do planalto como um fator climático

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 46

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

importante.

Estão corretas apenas:


a) II e III
b) II e lV
c) I e IV
d) I, III e IV
e) II, III e IV

16. NÃO está corretamente caracterizada a seguinte subdivisão do


complexo regional do Nordeste:
a) Agreste: predomínio de médias e grandes propriedades,
monocultura de cacau e pecuária de corte.
b) Meio-Norte: mata de palmeiras nativas, relevo diversificado e
economia centrada no extrativismo vegetal.
c) Litoral: concentração da maior parte da população, principais
centros urbanos/industriais e alto índice de mortalidade infantil.
d) Sertão: baixas densidades demográficas, economia baseada na
pecuária extensiva de corte e crescimento expressivo da agricultura
irrigada de frutas.

17. Trata-se de uma área de topografia com baixas altitudes, que


sofre inundações por ocasião das cheias do rio principal e seus
afluentes. A vegetação é variada, apresentando espécies da floresta
amazônica, da caatinga, dos campos, das palmáceas e do cerrado. É a
cobertura vegetal mais heterogênea do Brasil, cobrindo ampla planície
e estendendo-se também para a Bolívia. O texto refere-se ao
a) Pantanal.
b) Agreste.
c) Chaco.
d) Mangue.
e) Pampa.

18. O Sertão do Nordeste brasileiro não é, na sua totalidade,


semiárido. Quando as encostas dos planaltos do ___(I)___ formam
gargantas ou vales voltados para o oceano, elas permitem a
penetração das massas de ar úmidas do litoral para determinados
pontos do interior, onde as chuvas propiciam a existência de
___(II)___ nessas áreas chamadas ___(III)___ .

Os termos que expressam melhor as lacunas enumeradas com I, II e


III são, respectivamente,
a) agreste; vegetação rala; chapadas.
b) litoral; pântanos; açudes.
c) litoral; pântanos; brejos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 47

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

d) sertão; vegetação xerófita; chapadas.


e) agreste; vegetação viçosa; brejos.

19. "A vida na fazenda se tornara difícil. Sinhá Vitória se benzia


tremendo, manejava o rosário, mexia os beiços rezando rezas
desesperadas. Encolhido no banco do copiar, Fabiano espiava a
caatinga amarela, onde as folhas secas se pulverizavam , trituradas
pelos redemoinhos, e os garranchos se torciam, negros, torrados".
(IN: RAMOS, Graciliano. VIDAS SECAS.)

Acerca do tipo de vegetação em destaque no texto anterior, é correto


afirmar que:
a) está associado à ocorrência do clima semiárido, predominante no
sertão nordestino.
b) vem-se expandindo em todas as sub-regiões do Nordeste, devido à
ação das secas periódicas.
c) justifica a chamada "indústria da seca", devido ao mau
aproveitamento dos seus recursos.
d) é uma consequência biogeográfica do fenômeno "El Niño", que
impede as chuvas no Nordeste.
e) ocorre, predominantemente, no Agreste, dificultando as atividades
produtivas e provocando migração.

20. Considere as seguintes afirmações sobre as características


climáticas da Região Nordeste do Brasil.

I - Os totais pluviométricos anuais mais elevados ocorrem na Zona da


Mata.
II - Os menores índices pluviométricos anuais ocorrem no Agreste.
III - Tanto no sertão como no Agreste as condições são de semi-aridez,
com totais pluviométricos anuais inferiores a 300mm.

Quais estão corretas?


a) Apenas I
b) Apenas II
c) Apenas III
d) Apenas I e II
e) I, II e III

21. O agreste alterna, de maneira geral, dois tipos de vegetação:


a) Cerrado e cocais.
b) Floresta equatorial e cerrado.
c) Floresta tropical e mangues.
d) Floresta tropical e caatinga.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 48

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

e) Floresta equatorial e cocais.

22. Analise o mapa e o texto que seguem.

Nas últimas décadas, o Brasil transformou-se em um dos maiores


produtores e fornecedores de alimentos e fibras para o mundo. A
retirada da cobertura vegetal natural está entre os fatores que
evidenciam o aumento da produção e da participação do país no
mercado mundial. A cultura da soja, por exemplo, é a principal
responsável pela retirada da cobertura vegetal natural para uso
agrícola.

Em relação a esse contexto, o bioma identificado pelo número


__________ corresponde __________, área mais afetada pela
retirada de cobertura vegetal natural para a produção de soja.
a) 1 - à caatinga
b) 2 - aos campos
c) 3 - à zona da mata
d) 4 - ao cerrado
e) 5 - ao pantanal

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 49

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Gabarito:

Resposta da questão 1:
[E]

As chuvas que ocorrem na parte oriental do Nordeste,


principalmente na Zona da Mata entre RN e BA, concentram-se no
inverno, período em que as frentes frias impulsionadas pela MPA
(massa polar atlântica) atingem o litoral nordestino.

Resposta da questão 2:
[D]

Trata-se da representação cartográfica da vegetação,


fitogeografia ou ecossistemas brasileiros, entre os quais: Amazônia,
Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Mata de Araucária e Pampa e
Formações Litorâneas (Mangue e Restinga).

Resposta da questão 3:
[C]

As áreas escuras foram “antropizadas”, isto é, transformadas


pelo homem ou pela sociedade. Portanto, foram desmatadas e se
transformaram em áreas rurais (agropecuária e silvicultura), vias de
circulação e áreas urbanas (indústria e atividades terciárias).

Resposta da questão 4:
[A]

1. INCORRETO. Os meses de verão, constatado pelas maiores


temperaturas no início e fim de ano indicam que o climograma
representa uma localidade do hemisfério sul. A elevada média
térmica inviabiliza a localização em áreas de altitudes elevadas.
2. CORRETO. A elevada média térmica e as chuvas escassas são
características do clima semiárido, classificado segundo Koppen
como BSh.
3. CORRETO. As chuvas escassas indicam que há deficit hídrico em
razão da evapotranspiração ser maior que a precipitação.
4. INCORRETO. As características do climograma o classificam como
o de um clima semiárido.
5. INCORRETO. As variações térmicas anuais são pequenas (5°C),
contudo, por ser um clima seco, ocorre amplitude térmica diária
elevada, haja vista que a umidade funciona como um regulador
térmico, e na sua ausência, registram-se variações significativas.
6. INCORRETO. As chuvas incidem nos meses de outono-inverno.

Resposta da questão 5:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 50

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

[B]

Como mencionado corretamente na alternativa [B], a Caatinga


está associada ao clima semiárido, presença de formação xerófita, e
solos rasos e pedregosos.
Estão incorretas as alternativas:
[A], porque a Caatinga registra a presença de espécies decíduas;
[C], porque seus solos são rasos e pedregosos;
[D], porque quase metade da área do bioma está desmatada;
[E], porque está associado ao clima semiárido.

Resposta da questão 6:
[B]

Resposta da questão 7:
FFFVV

Resposta da questão 8:
[E]

Resposta da questão 9:
[B]

Resposta da questão 10:


[B]

Resposta da questão 11:


[B]

O climograma da esquerda apresenta chuvas bem distribuídas


durante o ano, verões quentes e invernos amenos, ao passo que o
climograma da direita apresenta elevadas médias térmicas anuais com
chuvas escassas. Portanto, como mencionado corretamente na
alternativa [B], correspondem, respectivamente, aos climas
subtropical e semiárido.

Resposta da questão 12:


[B]

1. INCORRETA. A menor precipitação ocorreu no mês de setembro e


os meses de outubro e novembro registram ausência de
precipitação.
2. CORRETA. A maior temperatura e a maior pluviosidade ocorreram
no mês de março.
3. INCORRETA. O mês de novembro caracteriza ausência de
precipitação e alta temperatura.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 51

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

INCORRETA. O mês de abril caracteriza a temperatura de 27°C e o


segundo maior volume de chuvas do ano.

Resposta da questão 13:


[D]

O rio São Francisco percorre terras brasileiras no sentido sul –


norte. Tal disposição lhe conferiu um caráter de unificador nacional em
função das possibilidades de navegação e interligação do sudeste com
o nordeste.
As proposições [I], [II] e [III] estão corretas, pois em suas
nascentes (Serra da Canastra/MG) e foz (Alagoas e Sergipe)
predominam os tipos climáticos tropical e tropical úmido, ele percorre
o semiárido nordestino e é banhado pelos 5 estados brasileiros
indicados. A depressão sertaneja é a formação geomorfológica
predominante.
A proposição [IV] está incorreta pela referência à macrorregião
geoeconômica do Norte, pois se trata predominantemente do
Nordeste.
A proposição [V] está incorreta, uma vez que a formação vegetal
predominante é a caatinga, apesar da ocorrência de cerrados e
florestas tropicais em sua bacia.

Resposta da questão 14:


[B]

Resposta da questão 15:


[D]

Os municípios localizados no Sertão paraibano onde vigora o


semiárido apresentam maior amplitude térmica em decorrência da
continentalidade, ou seja, maior distância em relação ao mar. Pela
tabela, municípios da região do “Borborema” como Cabaceiras,
localizado a oeste da cadeia montanhosa, apresentam menor índice
pluviométrico.

Resposta da questão 16:


[A]

Resposta da questão 17:


[A]

Resposta da questão 18:


[E]

Resposta da questão 19:


[A]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 52

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

Resposta da questão 20:


[A]

Resposta da questão 21:


[D]

Resposta da questão 22:


[D]

Como mencionado corretamente na alternativa [D], a área mais


afetada pela expansão da produção de soja corresponde ao bioma do
cerrado, identificado no mapa com o n° 4.
Estão incorretas as alternativas:
[A], porque o bioma da caatinga corresponde ao n° 2;
[B], porque o bioma das pradarias ou campos não está indicado
por números no mapa;
[C], porque o n° 3 indica o bioma da Amazônia;
[E], porque o n° 5 indica o bioma da Araucária.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 53

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Clima e vegetação de Pernambuco.
Prof. Sérgio Henrique.

10. CONSIDERAÇÕES FINAIS.


Olá amigo concurseiro. Bem tranquila aula, não é mesmo? São muitos
nomes, mas cada um com sua importância e singularidade, o que faz
com que fique fácil de distinguir entre eles. Não se preocupe, com o
tempo e dedicação, todo o conteúdo ficará retido na sua memória. Não
se esqueçam de praticar bastante os exercícios, e estudar bastante a
teoria, cada passo é fundamental para o seu aprendizado. É isso aí
pessoal, até a próxima aula. Bons estudos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 54

Aula 02 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aula 03

Geografia p/ Polícia Militar-PE


Professor: Sergio Henrique Lima Reis
Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

SUMÁRIO
00. Bate papo inicial. Pág. 02
1. Aspectos físicos: relevo e hidrografia. Pág. 03
- 1.1 O relevo do estado de Pernambuco. Pág. 03
2. Planície litorânea sedimentar. Pág. 06
3. Planalto da Borborema. Pág. 07
4. Chapada do Araripe. Pág. 09
5. Depressão Sertaneja. Pág. 10
6. Hidrografia: conceitos fundamentais. Pág. 13
7. Rios de Pernambuco. Pág. 15
- 7.1 A bacia do Rio São Francisco. Pág. 15
8. A bacia do Atlântico Nordeste Oriental. Pág. 20
9. Exercícios Resolvidos. Pág. 21
10. Exercícios Propostos. Pág. 27
11. Considerações finais. Pág. 43

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 1

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

00. BATE PAPO INICIAL.


Olá amigo concurseiro. É com muita alegria que o recebo
novamente para falarmos de geografia. Estudar as aulas anteriores é
fundamental para que você possa compreender muitas das coisas que
vamos tratar aqui. Leia com atenção seu texto de apoio, releia e
pratique exercícios. Aos poucos o conteúdo básico vai ficar retido na
sua memória. Claro que para isso é muito importante você fazer suas
próprias anotações, ou em forma de resumo ou anotações nos
exercícios, não importa, você escolhe. O importante é estudarmos
bastante e nos concentrarmos nos estudos. Estimule sua disciplina e
procure motivação pensando em seus sonhos. Bons estudos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 2

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

1. ASPECTOS FÍSICOS: RELEVO E HIDROGRAFIA.

Este é um mapa hipsométrico, ou seja, de altitudes. De acordo


com a legenda podemos observas que quanto mais próximo do azul,
as altitudes são menores e quanto mais próximo do vermelho as
altitudes são maiores.

1.1 O RELEVO DO ESTADO DE PERNAMBUCO.


O relevo é o modelo da superfície terrestre. Ele é formado por
agentes internos ao planeta, como vulcanismo, mas no caso do estado
de Pernambuco, principalmente pela ação de agentes externos. Os
principais agentes externos modeladores do relevo (intemperismo)
podem ser físicos (intemperismo provocado pelos ventos e pela

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 3

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

variação de temperatura, que desgasta materiais rochosos) ou


químicos (provocado pela ação da água, como as chuvas e os rios). A
ação da atmosfera sobre a superfície rochosa (o intemperismo)
provoca a erosão (desgaste). No sertão a principal forma de erosão é
a eólica (ação dos ventos) e na zona da mata a química (ação das
águas).
Para podermos falar do relevo do estado é fundamental que
saibamos o conceito das principais formas de relevo:

 Planaltos: formas de relevo em que o processo de erosão


supera o de sedimentação.
 Planícies: formas de relevo em que o processo de sedimentação
supera a erosão.
 Depressão relativa: formas de relevo profundamente erodidas
(sofreram muita erosão) e são mais baixas que o relevo ao redor,
encaixadas entre planaltos.

Os principais compartimentos do revelo pernambucano são:


planície litorânea sedimentar, planalto da Borborema, e Depressão
sertaneja.
A altitude é a altura com relação ao nível do mar. Se afirmarmos
que determinada cidade possui 30 m de altitude, são trinta metros
acima do nível do mar. Recife e Olinda são cidades bastante próximas,
mas com altitudes bem diferentes: Recife possui 9m de altitude
enquanto Olinda possui 31,9m.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 4

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

O Bico do Papagaio, no município de triunfo (círculo vermelho),


é o ponto mais alto de Pernambuco com 1260m de altitude.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 5

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

2. PLANÍCIE LITORÂNEA SEDIMENTAR.


Ocupa as áreas do litoral e avança um pouco ao interior pelas
margens dos rios Capiberibe, Beberibe, Ipojuca e Jaboatão. Na planície
litorânea que ocorreu a ocupação humana no estado de Pernambuco e
a área que sofreu maior antropização (ação humana). Sua vegetação
e a vegetação litorânea dos mangues está bastante comprometida
devido à grande poluição das áreas costeiras. Estão na planície
litorânea: Recife e região metropolitana, Olinda, Jaboatão dos
Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Suape, Ipojuca.
Tabuleiros Litorâneos a planície arenosa é interrompida por
elevações bastante erodidas (desgastadas) pela ação das águas dos
rios, que podem chegar à 200m de altitude, mas em geral não
ultrapassam os 40m. Em Olinda, Recife e Paulista apresentam o topo
arredondado devido à maior ação das chuvas. Nestes municípios já
foram totalmente ocupados pelas atividades humanas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 6

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

3. PLANALTO DA BORBOREMA.
A estrutura de relevo planáltica, de estrutura cristalina, sobre a
qual está o agreste. Suas altitudes são modestas e não ultrapassa os
1.200 m de altitude suas áreas mais altas e o ponto mais alto é o pico
do papagaio com 1260m de altitude, mas as altitudes médias variam
entre 300m e 800m. As altitudes variam bastante pois áreas planálticas
com estrutura rochosa cristalina normalmente são desgastadas
lentamente pelo intemperismo químico (da água) e apresentam
superfície mais irregular que os planaltos sedimentares. A borda leste
da Borborema (em direção à zona da mata) é bastante desgastada pelo
intemperismo químico, principalmente em razão das chuvas
orográficas que ocorrem em suas escarpas (as bordas/as vertentes do
planalto). Há um debate sobre a sua influência do planalto da
Borborema na formação do semiárido do sertão. A tese predominante
é que interfere nas massas de ar que penetram no continente, mas
alguns geógrafos apontam que suas altitudes provocam chuvas
orográficas, mas não são capazes de barrar toda umidade que
atravessa para o interior a altitudes maiores. Nas provas de concurso
adotaremos a visão das bancas, que é a visão tradicional, já
consolidada. Pode vir uma questão trazendo o debate, mas não
obrigara certamente o concurseiro a se posicionar.
Brejos de altitude: São áreas sobre o planalto que possuem
uma menor temperatura, e são mais úmidos (principalmente devido às
chuvas orográficas). Suas condições climáticas permitem que existam
plantas típicas da mata atlântica e também da caatinga. São áreas
mais frias e úmidas e com vegetação mais variada e densa. Garanhuns,
Taquaritinga do norte e triunfo, são considerados brejos de altitude.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 7

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

O vale que observamos na imagem foi modelado pelo


desgaste provocado pelos rios, no decorrer de milhares de
anos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 8

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Serra Talhada, no município de mesmo nome.

4. CHAPADA DO ARARIPE.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 9

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Chapada do Araripe: É responsável pela produção de 95%


do gesso consumido no Brasil.

Chamamos chapadas os planaltos sedimentares com topo


plano. Em locais com estrutura rochosa sedimentar encontramos
riquezas minerais sedimentares como o gesso, que é
fundamentalmente uma rocha formada por sulfato de cálcio (CaSO4).
Também encontramos muitas rochas calcárias.
Por possuir uma estrutura predominantemente sedimentar, lá
são encontrados vários fósseis.

5. DEPRESSÃO SERTANEJA.
No Sertão a principal unidade de relevo é a Depressão Sertaneja
do Rio São Francisco, uma depressão Interplanáltica (entre planaltos).
As exceções são as Regiões do Rio Moxotó e Pajeú, que estão na região
do planalto da Borborema. As cotas altimetrias (a altitude) diminuem
na direção da Depressão do São Francisco, que é uma depressão
relativa ao planalto da Borborema.

Pediplanos e Inselbergs: Inselbergs são “morros testemunhos”.


Um testemunho de como era o relevo em um passado geológico muito
distante. São escarpas cristalinas em meio a planícies sedimentares
que se formou pela pediplanação. Eram planaltos que sofreram um
profundo processo erosivo físico, típico dos climas semiáridos. É a
erosão provocada pelo intemperismo físico (pela ação dos ventos e pela
dilatação e contração da rocha, que sofre assim rachaduras). Os
sedimentos liberados pediplanaram os arredores formando planícies
sedimentares.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 10

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

De acordo com o IBGE:

Inselberg Forma residual que apresenta feições variadas tais como


crista, cúpula domo e dorso de baleia e cujas encostas mostram
declives entre 500 e 600, dominando uma superfície de aplanamento
herdada ou funcional, com a qual forma uma ruptura de onde divergem
as rampas de erosão.

Observe na imagem um inselberg, com o entorno pediplanado.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 11

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Ainda de acordo com o IBGE, áreas pediplanadas.

Pediplanadas: Superfícies de aplanamento elaboradas durante fases


sucessivas de retomada de erosão, sem, no entanto, perder suas
características de aplanamento, cujos processos geram sistemas de
planos inclinados, às vezes levemente côncavos. Pode apresentar
cobertura detrítica e/ou encouraçamentos com mais de um metro de
espessura, indicando remanejamentos sucessivos (Pri), ou rochas
pouco alteradas truncadas pelos processos de aplanamento que
desnudaram o relevo (Pru). Ocorre nas depressões pediplanadas
interplanálticas e periféricas tabuliformes e no sopé de escarpas que
dominam os níveis de erosão inferiores e eventualmente nos topos de
planaltos e chapadas ao longo dos vales.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 12

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

6. HIDROGRAFIA: CONCEITOS FUNDAMENTAIS.


O que são Bacias hidrográficas? É o conjunto de rios formados
por um rio principal e por outros rios menores que o abastecem: os
rios afluentes.

Observe que neste esquema o rio nasce numa região planáltica


(a nascente é no alto do curso superior) e corre em direção às planícies
do litoral, desembocando no oceano com uma foz em estuário (possui
uma saída). Recebe afluentes e subafluentes (abastece os afluentes).

Os rios podem ser classificados:

Quanto ao relevo
 Rios de Planalto: Nascem e correm por regiões planálticas. São
de difícil navegação e possuem um alto potencial hidrelétrico.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 13

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

 Rios de Planícies: Nascem em regiões mais altas, e correm por


regiões de relevo plano e levemente ondulados. São importantes
para a navegação,

Quanto à drenagem
 Rios de drenagem exorréica: rio corre em direção ao oceano.
 Rios de drenagem endorréica: rio corre em direção ao interior.

Tipo de foz
 Estuário (uma grande desembocadura principal).
 Delta (o rio desemboca por várias saídas).

Quanto a permanência
 Rios perenes: permanecem sempre cheios, mesmo na seca,
pois possuem um rico abastecimento subterrâneo, ou seja,
possuem lençóis d’água que mantem o rio com água na seca.
 Rios intermitentes: temporários (secam com a chegada da
seca).

Quanto ao abastecimento
 Pluvial: abastecidos pelas chuvas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 14

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

7. RIOS DE PERNAMBUCO.

O estado de Pernambuco possui duas importantes Bacias


hidrográficas: A do Rio São Francisco e a bacia do Atlântico
nordeste oriental.

7.1 A BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO.


Todos os rios aqui descritos possuem sua foz, ou seja, desaguam
no rio São Francisco. São predominantemente rios intermitentes.

 Pajeú

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 15

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Sua nascente está localizada nos limites estaduais entre


Pernambuco e Paraíba, no município de Brejinho. É um afluente do rio
São Francisco. Percorre mais de 350 km até o lago Itaparica, que foi
construído para a usina hidroelétrica Luiz Gonzaga, em Petrolândia.

É uma grande reserva natural da Caatinga. Sua fauna e Flora.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 16

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Após quatro anos de seca o rio Pajeú em 2016 apresenta uma


cheia média. A imagem é do rio no município de Tuparetama. Junto
com Ingazeira, São José do Egito e Iguaracy, são os municípios que
a seca mais tem castigado.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 17

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

 Rio Moxótó.

O Rio Moxotó banha os estados de Pernambuco e Alagoas, e


serve de divisa entre os estados. É considerado um rio temporário e é
um afluente do São Francisco.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 18

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

 Brígida

Sua nascente está na chapada do Araripe e serve de limites entre


o estado do Piauí e Ceará. Possui várias barragens como a do
Cachimbo, entre montes, e a barragem do chapéu, que o perenizou (o
tornou perene, pois originalmente era intermitente). As barragens
foram muito importantes para a agricultura de subsistência da região,
possibilitando irrigá-las, e permitindo o cultivo de feijão, milho e a
prática da pecuária.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 19

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

8. A BACIA DO ATLÂNTICO NORDESTE ORIENTAL.


É formada por vários pequenos rios litorâneos. Desaguam no
oceano, em que na orla irrigam de agua doce os mangues de águas
salobras (salgadas do mar misturada com águas dos rios). Possuem
drenagem exorréica, ou seja, nascem no interior e correm para o
mar. Regime de abastecimento pluvial (correm entre as bordas do
agreste em direção à zona da mata). O planalto da Borborema é um
importante divisor de águas, pois separa a bacia do rio São Francisco
e do atlântico. A maioria dos rios possuem a nascente no planalto da
Borborema: Os principais rios São:
 Capiberibe.
 Ipojuca.
 Una.
 Jaboatão.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 20

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

9. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS.

1. (IAUPE – Prefeitura de Recife – Guarda Municipal – 2011)


Uma característica marcante da compartimentação do relevo do
Município do Recife é a presença de duas paisagens muito distintas:
os morros e a planície. Sobre a planície costeira, analise as
proposições a seguir:

I. A planície costeira do Recife se originou no período Terciário,


e nela deságuam importantes rios pernambucanos, como o
Capibaribe, Beberibe, Tejipió, Una e Jaboatão.
II. A planície costeira teve sua origem no Quaternário, por
processo de sedimentação marinha, em alguns trechos, e
por deposição fluvial, em outros.
III. Na planície costeira do Recife, são encontradas as planícies
marinhas e fluviais, as restingas, além de outras feições do
relevo, como os planaltos e as colinas formadas por terrenos
cristalinos de estrutura complexa.
IV. Recife foi edificada na planície flúvio-marinha. O
crescimento da cidade fez-se por meio de aterros em áreas
alagadas e em terras de planície de antigos engenhos de
açúcar.

Estão CORRETAS

(A) I, II e III.

(B) I, II, III e IV.

(C) II, III e IV.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 21

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

(D) II e IV.

(E) III e IV.

Resposta:

[D]

[I] está errada, pois não se formou no período terciário


(quando se formaram as mais importantes montanhas, e sim
no quaternário, quando se formaram as planícies
sedimentares). Os rios citados estão corretos. Observe a
imagem das eras geológicas. Não se preocupe em decorá-la,
ela serve para consulta. As regiões planálticas pernambucanas
são mais antigas e se formaram no final da era mesozoica e
início da cenozoica (terciário). As planícies litorâneas são de
sedimentação recente e se formaram no período quaternário
da era cenozoica.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 22

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

[II] está correta, pois a planície litorânea em todo o


Brasil, e no litoral Pernambuco, claro, se formou no período
quaternário da era cenozoica (geologicamente recentes) e
pela deposição e sedimentação de sedimentos marinhos e
fluviais (trazidos pelos rios).

[III] está errada, pois não há planaltos e colinas nas


planícies litorâneas, mas são paisagens típicas encontradas no
sertão.

[IV] está correta. A questão descreve corretamente a


ocupação do solo litorâneo em Pernambuco que se deu
através dos engenhos em áreas planas próximas ao litoral e

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 23

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

através de aterros de áreas alagadas, que se impôs com o


aumento da ocupação humana.

2. (IAUPE – Prefeitura de Abreu e Lima – Professor do


Ensino Fundamental – 2008) Assinale a alternativa que não
contém os compartimentos do relevo encontrados em Pernambuco.

(A) Planície e tabuleiros costeiros.

(B) Colinas da zona da mata e planície costeira.

(C) Planalto da Borborema e maciços residuais.

(D) Chapada do Araripe e Depressão Sertaneja

(E) Planalto da Bacia Jatobá e Chapada do Apodi.

Resposta:

[E]

A chapada do Apodi fica nos estados do Ceará e Rio


Grande do Norte, o planalto do Jatobá fica entre Bahia e
Pernambuco se estendendo até a região de Arcoverde. O
litoral são planícies litorâneas e tabuleiros profundamente
desgastados do período quaternário. A zona da mata está
numa região entre a Borborema e a planície litorânea e possui
relevo mamelonar, ou seja, ondulado. Maçiços residuais, são

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 24

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

elevações cristalinas, mais conhecidas como inselbergs. A


depressão sertaneja do rio São Francisco, inter planáltica, é
dos principais compartimentos do relevo pernambucano, junto
do planalto sedimentar do Araripe.

3. (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2009) Sobre as regiões de


Pernambuco, analise as afirmações abaixo.

I. Na Zona da Mata, o clima é quente e úmido; o relevo se


caracteriza por apresentar colinas convexas, que surgem
dominantemente em terrenos cristalinos da porção oriental
do estado, principalmente na Mata Sul assim como
apresenta médias anuais de chuvas superiores a 1.800mm,
com temperaturas anuais em torno de 24ºC.
II. No Sertão, sobretudo a partir de Arcoverde, o relevo se
mostra com predominância de superfície aplainada,
denominado de pediplanos, com relevos residuais, também
conhecidos como inselbergues. Apresenta precipitações
anuais iguais ou inferiores a 800mm. Também são
encontradas “ilhas de umidade”, ou brejos, onde se
observam índices de chuvas em torno de 900 a 1.000 mm.
III. O Agreste marca a transição entre a Zona da Mata e o
Sertão. A policultura e a pecuária de corte são as principais
atividades econômicas. Os rios são predominantemente
perenes, sendo constatados, apenas, pela forma do leito e
pela existência de alguns poços.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 25

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Somente está CORRETO o que se afirma em

(A) I e II.

(B) II e III.

(C) I e III.

(D) II.

(E) III.

Resposta:

[A]

[I] Correta. A zona da mata possui clima tropical úmido e


relevo ondulado. Relevo convexo (com colinas) e estrutura
cristalina.

[II] Correta. No sertão encontramos a predominância de


áreas planas (pediplanos) com a presença de inselbergs
(morros testemunhos ou residuais).

[III] errada, pois o agreste está sobre o planalto da


Borborema é um divisor de águas, ou seja, separa as bacias do
São Francisco e dos rios “borborêmicos” que possuem a
nascente no planalto e possuem drenagem exorréica (correm
para o mar). São predominantemente perenes (estão sempre
cheios, inclusive na estiagem). Desde sua nascente até a foz,
seu curso possui água. Constatamos a existência de um rio

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 26

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

pela cabeceira, forma do leito e alguns poços, quando


observamos um rio intermitente na estiagem.

10. EXERCÍCIOS PROPOSTOS.

1. (IAUPE/Upe 2014) O corte topográfico e geológico, mostrado a


seguir, representa, grosso modo, um perfil feito por um pesquisador
que se deslocou da área costeira para o interior do Brasil, objetivando
realizar um estudo integrado do meio ambiente de uma região do país.
Nesse corte, estão indicados pelos números 1 e 2 importantes
compartimentos regionais de relevo.

Considerando-se as informações contidas no gráfico, é CORRETO


afirmar que esses compartimentos são, respectivamente,
a) Chapada do Apodi e Planalto da Borborema.
b) Chapada do Araripe e Depressão Sertaneja.
c) Planalto de Diamantina e Bacia do Parnaíba.
d) Planalto da Borborema e Depressão Sertaneja.
e) Chapada do Araripe e Planalto do Meio Norte.

2. (IAUPE/Upe 2014) Leia o texto a seguir:

O sertão vai virar mar?

Carinhosamente chamado de Velho Chico, o rio São Francisco,


considerado o rio da unidade nacional por ligar a região Sudeste à Zona
da Mata nordestina, tem sido ponto de discórdia nos últimos tempos
porque o governo ressuscitou um antigo projeto dos tempos imperiais:
o de aproveitar suas águas para minorar os efeitos da seca no
semiárido nordestino. A providência terá repercussão positiva na vida

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 27

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

de 12 milhões de brasileiros, que passarão a ter condições, ao menos,


de manter a higiene pessoal e de desenvolver a agricultura de
subsistência - fatores essenciais para que ultrapassem a linha da
pobreza absoluta.

Fonte: Revista Desenvolvimento Regional, 2005. Adaptado.

Do ponto de vista socioeconômico, as ações necessárias à implantação


do Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias do Nordeste
Setentrional poderão ter resultados negativos.
Sobre esses resultados, analise os seguintes itens:

I. Perda de áreas produtivas e deslocamento de populações para a


implantação dos canais e dos reservatórios.
II. Ampliação de riscos socioculturais, tais como os de
comprometimento do Patrimônio Arqueológico e de interferência em
comunidades indígenas.
III. Risco de redução da biodiversidade das comunidades biológicas
aquáticas nativas nas bacias receptoras.
IV. Risco de introdução de espécies de peixes potencialmente daninhas
às pessoas nas bacias receptoras.
V. Modificação do regime fluvial das drenagens receptoras, tornando
bem maior o caráter sazonal intermitente dos rios.

Estão CORRETOS
a) I e II, apenas.
b) II e III, apenas.
c) III, IV e V, apenas.
d) I, II, III e IV, apenas.
e) I, II, III, IV e V.

3. (IAUPE/Upe 2012) Vários estudantes do terceiro ano do Ensino


Médio de uma determinada escola pernambucana formaram um grupo
de estudo para analisar um tema abordado em Geografia no Ensino
Médio. O tema refere-se à denominação do mapa a seguir:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 28

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Assinale a alternativa que contém esse tema.


a) Bacias Hidrográficas do Brasil.
b) Áreas Climáticas do Brasil.
c) Áreas de Produção Agrícola do Brasil.
d) Domínios Morfoclimáticos do Brasil.
e) Recursos Minerais do Brasil.

4. (IAUPE/Ufrgs 2000) O corte topográfico abaixo esquematiza o perfil


do relevo da Região Nordeste do Brasil entre o Planalto da Borborema
e a Bacia do Parnaíba.

As áreas identificadas pelos algarismos I e II correspondem,


respectivamente,
a) à Depressão Sertaneja e às falésias cristalinas.
b) à Depressão Sertaneja e aos tabuleiros litorâneos.
c) à Depressão Nordestina e aos tabuleiros litorâneos.
d) à Depressão Sertaneja e aos "inselbergs".

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 29

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

e) à Depressão Nordestina e às falésias sedimentares.

5. (Uern 2015) Observe o mapa.

No mapa, os pontos A e B representam uma região composta por


unidades de relevo, proposta pelo geólogo Jurandyr Ross. Indique a
alternativa que corresponde à unidade de relevo representada pelos
pontos A e B.

a)

b)

c)

d)

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 30

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

6. (Uern 2015) Analise os gráficos.

A partir da análise dos gráficos, pode-se inferir que


a) a região Norte concentra o maior potencial hídrico e uma das
menores populações.
b) nas últimas décadas, a questão das águas tem sido agravada pela
poluição e pela contaminação.
c) a região Nordeste apresenta pequena disparidade entre a oferta de
água e a concentração populacional.
d) nas áreas urbanas, o adensamento de construções, ruas e avenidas
impede a infiltração de água das chuvas no solo.

7. (Uema 2014) Analise a imagem abaixo.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 31

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Trata-se da Pedra da Tartaruga, situada no Parque Nacional de Sete


Cidades – PI, que retrata o resultado do processo da desagregação de
uma rocha. Nela, os minerais constituintes se dilatam quando
aquecidos e se contraem quando resfriados. Seus principais agentes
de intemperismos são a variação de temperatura e a cristalização que
ocorrem nas áreas de grande amplitude térmica, desérticas e
semiáridas.

O que caracterizou essa modelagem da Pedra da Tartaruga foi o


intemperismo
a) cratônico.
b) biológico.
c) químico.
d) fluvial.
e) físico.

8. (IAUPE/Upe 2013) O relevo terrestre é fortemente influenciado pela


estrutura geológica. Por exemplo, o tipo de rocha e a sua disposição
na parte superficial da litosfera exercem um papel destacado na
definição das morfoestruturas, como pode ser observado na fotografia
a seguir.

Pelas características morfológicas e estruturais, é CORRETO afirmar


que esse compartimento de relevo é do tipo
a) Morfoestrutura tabular.
b) Morfoestrutura dômica.
c) Morfoescultura de planície lacustre.
d) Morfoescultura de crista dissecada.
e) Morfoestrutura de arqueamento.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 32

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

9. (Uepb 2012) Assinale com V ou com F as proposições conforme


sejam respectivamente verdadeiras ou falsas em relação aos
elementos mostrados na foto abaixo.

( ) A Ilha da Restinga, onde predominam manguezais, pela localização


estratégica na foz do rio Paraíba, serviu, segundo alguns
historiadores, de base para a ocupação da capitania da Parahyba
com a construção de um fortim de madeira.
( ) A cidade de Cabedelo está localizada em uma restinga – faixa de
areia resultante do trabalho fluvio-marinho – que faz parte da
unidade geomorfológica denominada Baixada Litorânea. Apesar da
degradação provocada pela especulação imobiliária ainda preserva
manguezais e resquícios da mata de restinga.
( ) O porto de Cabedelo, com capacidade para receber navios de
grandes portes, tem essa vantagem graças a sua localização, pois
é um ancoradouro natural e profundo, condição muito comum nas
formações de ria – vale profundo e submerso, talhado em litoral
escarpado – além da proteção fornecida pelo quebra- mar
constituído pelo cordão litorâneo de Areia Vermelha.
( ) A cidade de Cabedelo, localizada na região metropolitana de João
Pessoa, com a qual é conurbada, apesar de ser uma cidade
dormitório, possui um dos maiores PIBs da Paraíba, o que se deve
à presença do porto e do turismo de mar e sol. A cidade ainda
dispõe de objetos culturais e ecológicos, que precisam e poderiam
ser mais bem explorados.

A sequência correta das assertivas é:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 33

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

a) V – V – F – V
b) F – F – V – F
c) V – V – V – V
d) V – V – F – F
e) F – F – V – V

10. (Ufpe 2005) Observe o desenho esquemático a seguir.

Sobre essa paisagem, é correto afirmar que:


a) ela não apresenta vestígios de tectonismo.
b) a área 1 representa um talvegue, que, pelas características
morfológicas, não apresenta erosão.
c) a área 2 funciona como nível de base para a erosão.
d) no talvegue 3, não estão ocorrendo processos erosivos, mas,
apenas, deposicionais.
e) ela não exibe marcas de processos morfogenéticos fluviais.

11. (Ufpe 1996) Observe a figura e estabeleça a correspondência entre


os pontos numerados no mapa e seu significado:

( ) Leito menor.
( ) Vertente.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 34

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

( ) Divisor de água.
( ) Leito maior.

A sequência correta é:
a) 2, 1, 3 e 4;
b) 4, 2, 1 e 3;
c) 3, 1, 4 e 2;
d) 4, 1, 2 e 3;
e) 1, 3, 4 e 2.

12. (Ufrgs 2000) O corte topográfico abaixo esquematiza o perfil do


relevo da Região Nordeste do Brasil entre o Planalto da Borborema e a
Bacia do Parnaíba.

As áreas identificadas pelos algarismos I e II correspondem,


respectivamente,
a) à Depressão Sertaneja e às falésias cristalinas.
b) à Depressão Sertaneja e aos tabuleiros litorâneos.
c) à Depressão Nordestina e aos tabuleiros litorâneos.
d) à Depressão Sertaneja e aos "inselbergs".
e) à Depressão Nordestina e às falésias sedimentares.

13. (Pucpr 2007) Leia com atenção o texto a seguir:


"Um projeto do Ceará foi aprovado na semana passada pela
Unesco para ser o primeiro a receber o selo de geoparque no hemisfério
Sul. Isso significa uma área de proteção especial a riquezas geológicas
e paleontológicas, como reconhecimento internacional.(...) O
geoparque cearense será sediado na chapada do Araripe, no sul do
Estado, onde há mais de um terço de todos os pterossauros (répteis
alados) descritos no planeta e mais de 20 ordens diferentes de insetos
fossilizados, com idade estimada entre 70 milhões e 120 milhões de
anos. (...) Os fósseis da chapada do Araripe reconstroem a quebra do
supercontinente de Gonduana (que unia todas as terras emersas do

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 35

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Sul), completada há cerca de 120 milhões de anos. Fósseis do peixe


Dastilbe, encontrados tanto na África quanto no Ceará, são tidos como
uma prova de que ambos os continentes eram unidos. Além dos
pterossauros, foram descritos na região pelo menos dois dinossauros,
o Santanaraptor e o Irritator."
(FERMANDES, K. Chapada do Araripe vira parque geológico in
"Folha de São Paulo", 26 de Setembro de 2006.)

A respeito das informações apresentadas no texto jornalístico, pode-


se constatar que as afirmações apresentadas nas alternativas adiante
estão corretas, EXCETO uma delas.
Assinale a alternativa que apresenta-se INCORRETA:
a) A grande quantidade de fósseis presentes nas rochas da chapada do
Araripe sugere que a estrutura geológica local é de bacia sedimentar.
b) O supercontinente de Gondwana (ou Gonduana, como apresentado
no texto), originou-se a partir da divisão da massa continental
denominada pelos geólogos de Pangeia.
c) A presença de fósseis de grandes répteis, os dinossauros, na
chapada do Araripe, revelam que esses depósitos rochosos
correspondem na tabela geológica à última era, a Cenozoica ou
Terciária, que se estende até a atualidade.
d) A Chapada do Araripe, situada no sul do Ceará, bem como a da
Dimantina, na Bahia e o Planalto da Borborema, em Pernambuco e
Paraíba, constituem importantes formações geomorfológicas do
Planalto Nordestino.
e) Da mesma forma que as importantes descobertas arqueológicas da
Serra da Capivara abriram uma nova opção econômica para a região
de São Raimundo Nonato, no sul do Piauí, focada no turismo cultural,
a criação do primeiro parque geológico do país, com seu rico acervo
paleontológico, pode também oferecer uma alternativa econômica
sustentável para a região da Chapada do Araripe.

14 . (G1 1996) Araripe e Apodi, na Região Nordeste, são:


a) Serras cristalinas.
b) Chapadas sedimentares.
c) Planícies.
d) Colinas litorâneas.
e) Brejos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 36

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

15. (Ufrgs 2012) Observe o mapa e o perfil esquemático abaixo.

Os compartimentos de relevo destacados no perfil (A — A’) com as


letras A, B e C indicam, respectivamente,
a) a Planície e o Pantanal Mato-grossense — o Planalto e a Chapada
dos Parecis — a Depressão do Tocantins.
b) a Depressão da Amazônia Ocidental a Depressão Cuiabana — a
Planície do Rio Araguaia.
c) a Depressão do Araguaia — o Planalto e as Serras de Goiás/Minas
— as Planícies Litorâneas.
d) a Depressão Sertaneja — o Planalto da Borborema — as Planícies e
os Tabuleiros Costeiros.
e) os Planaltos e a Chapada dos Parecis — a Depressão Periférica — a
Depressão do Miranda.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 37

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

16. (Ufu 2006) Na obra "Os Sertões", ao descrever a travessia da


caatinga por um viajante, Euclides da Cunha escreveu que:
"[...] a caatinga o afoga; abrevia-lhe o olhar; agride-o e estonteia-o;
enlança-o na trama espinescente e não o atrai; repulsa-o com as folhas
urticantes, com o espinho, com os gravetos estalados em lanças; o
desdobra-se-lhe na frente léguas e léguas, imutável no aspecto
desolado: árvores sem folhas, de galhos estorcidos e secos, revoltos,
entrecruzados, apontando rijamente no espaço ou estirando-se
flexuosos pelo solo, lembrando um bracejar imenso, de tortura, da flora
agonizante."
CUNHA, Euclides da. "Os Sertões". Rio de Janeiro: Francisco
Alves, 1989.

Sobre as principais características do domínio morfoclimatobotânico


mencionado, é correto afirmar que
a) esse constitui-se como área de transição na qual se destaca uma
vegetação típica de clima tropical, com elevada temperatura.
b) predominam extensos planaltos e chapadas sedimentares cobertas
por solos ácidos e profundos.
c) o relevo é formado basicamente por planaltos (planaltos da Bacia
do Parnaíba e da Borborema) e por depressões (Depressão Sertaneja
e do São Francisco).
d) possui solos profundos e formas mamelonares resultantes da ação
do intemperismo químico.

17. (Fgv 2013) Estes rios fazem parte da paisagem e do dia a dia do
homem do Nordeste, servindo como fonte de água, áreas de recreação,
cultivo de vegetais e criação de animais. O sertanejo apresenta
estratégias de sobrevivência durante os períodos de estiagem, que são
resultado direto de suas percepções sobre as variações no fluxo de
água desses rios. Estes ambientes fazem parte da cultura do sertanejo
sendo citados em sua produção artística por grandes escritores como
Euclides da Cunha, João Cabral de Melo Neto, José Lins do Rego e
Guimarães Rosa.

(www.ecodebate.com.br/2012/09/03/reducao-de-apps-compromete-
rios-e--biomas-brasileiros-entrevista-com-o-biologo-elvio-sergio-
medeiros)

O texto faz referência a dois elementos naturais de grande importância


na região Nordeste. São eles os rios
a) efêmeros e a paisagem de colinas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 38

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

b) cársticos e a paisagem de chapadas.


c) intermitentes e a paisagem de caatingas.
d) de talvegue e a paisagem de cerrados.
e) temporários e a paisagem de terras baixas.

18. (Uff 1999) O controle e a distribuição da água, por meio de obras


de engenharia, tem sido a forma pela qual os governos vêm
enfrentando a questão da seca no Nordeste semiárido. Seguindo este
modelo histórico, a solução desta questão refere-se, atualmente, à:
a) canalização e perenização dos rios Jaguaribe e Parnaíba;
b) criação de grandes represas nos rios temporários da região;
c) transposição das águas do rio São Francisco para outras áreas do
semiárido;
d) perfuração e multiplicação de poços artesianos pela zona semi-
árida;
e) irrigação das várzeas criadas pelo curso do rio São Francisco.

19. (Fuvest 1996) "Lá um dia, para as cordas das nascentes do


Paraíba, via-se, quase rente do horizonte, um abrir longínquo e
espaçado de relâmpago era inverno na certa no alto sertão. As
experiências confirmavam que com duas semanas de inverno o Paraíba
apontaria na várzea com sua primeira cabeça d'água. O rio no verão
ficava seco de se atravessar a pé enxuto. Apenas, aqui e ali, pelo seu
leito, formavam-se grandes poços, que venciam a estiagem."
[J. L. do Rego - MENINO DE ENGENHO, cap. 13]

O texto anterior faz referência, direta e indiretamente, a aspectos da


paisagem natural observados na sub-região do Sertão Nordestino, tais
como:
a) clima tropical semiárido, predominância de rios intermitentes, com
padrão de drenagem exorréica.
b) clima tropical úmido a leste e semiárido a oeste, rios perenes e
intermitentes, com padrão de drenagem endorréica.
c) clima tropical, rios predominantemente perenes, com padrão de
drenagem exorréica.
d) clima tropical semiárido a leste e úmido a oeste, rios temporários,
com padrão de drenagem endorréica.
e) clima tropical mais úmido no inverno e mais seco no verão, rios
temporários, com padrão de drenagem arréica.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 39

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Gabarito:

Resposta da questão 1:
[D]

As unidades de relevo são:


1 – Planalto da Borborema com geologia cristalina e formado por
morros e serras.
2 – Depressão Sertaneja com geologia cristalina e formado por
superfícies aplainadas e morros residuais denominados de
inselbergues.

Resposta da questão 2:
[D]

O item [V] está incorreto, considerando como drenagens


receptoras os rios intermitentes que receberão água da transposição
do São Francisco. Assim, estes rios terão mais água, diminuindo seu
caráter intermitente e sazonal.

Resposta da questão 3:
[A]

O mapa mostra as principais bacias hidrográficas do Brasil, como


citado corretamente na alternativa [A].
Estão incorretas as alternativas restantes porque os temas
abordados por elas sugerem diferentes formas de classificação do
espaço.

Resposta da questão 4:
[B]

Resposta da questão 5:
[A]

Na linha A-B, as unidades de relevo são: Planaltos e Chapadas


da Bacia do Parnaíba (não apenas o rio Parnaíba), Depressão Sertaneja
e do São Francisco, Planalto da Borborema, Planícies & Tabuleiros
Litorâneos. Por fim, a referência ao Oceano Atlântico.

Resposta da questão 6:
[A]

A região Norte apresenta o maior potencial hídrico do Brasil, uma


vez que apresenta clima equatorial (chuvas abundantes e bem

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 40

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

distribuídas) e a bacia hidrográfica do rio Amazonas, a maior do


mundo. Porém, é a segunda região com menor população absoluta e a
com menor densidade demográfica do país.

Resposta da questão 7:
[E]

Como mencionado corretamente na alternativa [E], o processo


de degradação da rocha resultante da alternância de dilatação e
contração do material causado pela amplitude térmica define-se como
intemperismo físico.
Estão incorretas as alternativas:
[A], porque cratons são estruturas geológicas e não processos
de modelagem;
[B], porque o intemperismo biológico resulta da ação de micro-
organismos;
[C], porque o intemperismo químico resulta da ação da água
sobre a estrutura rochosa;
[D], porque fluvial não é tipo de intemperismo, mas erosão.

Resposta da questão 8:
[A]

Observação: o uso do termo morfoestrutura está incorreto, visto


que as morfoestruturas são unidades de relevo de escala mais
abrangente e determinadas pela geologia, a exemplo de uma Bacia
Sedimentar ou de um Dobramento Moderno. A foto é da Chapada dos
Guimarães (MT) que apresenta a dominância de rochas sedimentares.
Esta chapada é a borda noroeste dos Planaltos e Chapadas da Bacia do
Paraná. O topo aplainado e as vertentes abruptas foram esculpidos
pela erosão, portanto o termo mais apropriado é “morfoescultura
tabular”.

Resposta da questão 9:
[A]

O terceiro item é falso, (F), visto que o porto de Cabedelo está


localizado no lado externo de uma restinga (faixa de areia resultante
de deposição de material arenoso pelas correntes marinhas), portanto,
não se localiza em área de litoral escarpado (íngreme). A área
apresenta de baixa para média profundidade e não é caracterizada por
escarpas íngremes, tampouco constitui um vale profundo.

Resposta da questão 10:


[C]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 41

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

Resposta da questão 11:


[B]

Resposta da questão 12:


[B]

Resposta da questão 13:


[C]

Resposta da questão 14:


[B]

Resposta da questão 15:


[D]

Como mencionado corretamente na alternativa [D], o perfil de


relevo representa: a Depressão Sertaneja cujas características são a
extensão de um pediplano com vales estreitos cujas vertentes são
fortemente dissecadas; o Planalto da Borborema, área montanhosa
com altitudes medianas por volta de 400 metros, embora em pequenas
porções chegue a 1000 metros; as Planícies e os Tabuleiros Costeiros,
faixa estreita de formação cenozoica, que abrange grande parte do
litoral brasileiro.

Resposta da questão 16:


[C]

Resposta da questão 17:


[C]

No Sertão do Nordeste, o “domínio morfoclimático da Caatinga”,


prevalecem o clima semiárido, os rios intermitentes (temporários), a
vegetação de Caatinga (plantas xerófilas), os solos pouco
desenvolvidos e o relevo dominado por depressões intercaladas por
chapadas, planaltos cristalinos e inselbergs (morros isolados).

Resposta da questão 18:


[C]

Resposta da questão 19:


[A]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 42

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Relevo e hidrografia.
Prof. Sérgio Henrique.

11. CONSIDERAÇÕES FINAIS.


Olá amigo concurseiro. Bem tranquila aula, não é mesmo? São
muitos nomes, mas cada um com sua importância e singularidade, o
que faz com que fique fácil de distinguir entre eles. Não se preocupe,
com o tempo e dedicação, todo o conteúdo ficará retido na sua
memória. Não se esqueçam de praticar bastante os exercícios, e
estudar bastante a teoria, cada passo é fundamental para o seu
aprendizado. É isso aí pessoal, até a próxima aula. Bons estudos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 43

Aula 03 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aula 04

Geografia p/ Polícia Militar-PE


Professor: Sergio Henrique
Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

SUMÁRIO

00. Bate papo inicial. Pág. 02

1. Aspectos demográficos: conceitos Pág. 03


fundamentais.

2. População. Pág. 04

3. Crescimento vegetativo. Pág. 08

4. Fatores de queda do crescimento. Pág. 09

5. Urbanização e perfil socioeconômico da Pág. 11


população.

6. Indicadores sociais. Pág. 13

7. A PEA (população economicamente ativa). Pág. 15

8. O IDH (o índice de desenvolvimento Pág. 17


humano).

9. Exercícios Resolvidos. Pág. 19

10. Exercícios Propostos. Pág. 27

11. Considerações finais. Pág. 47

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 1

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

00. BATE PAPO INICIAL.


Olá amigo concurseiro. É com muita alegria que o recebo
novamente para falarmos de geografia. Estudar as aulas anteriores é
fundamental para que você possa compreender muitas das coisas que
vamos tratar aqui. Leia com atenção seu texto de apoio, releia e
pratique exercícios. Aos poucos o conteúdo básico vai ficar retido na
sua memória. Claro que para isso é muito importante você fazer suas
próprias anotações, ou em forma de resumo ou anotações nos
exercícios, não importa, você escolhe. O importante é estudarmos
bastante e nos concentrarmos nos estudos. Estimule sua disciplina e
procure motivação pensando em seus sonhos. Bons estudos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 2

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

1. ASPECTOS DEMOGRÁFICOS: CONCEITOS FUNDAMENTAIS.

Olá querido concurseiro. Todos os dados usados nesta aula são


provenientes do site do IBGE. O instituto realiza contagens
populacionais frequentes, e realiza projeções estimativas.
Objetivamente os dados que são usados para a realização de políticas
públicas, ou para o estabelecimento de qualquer atividade que
dependa de contagens populacionais são usados os dados levantados
oficialmente pelo último censo, neste caso o de 2010. É muito comum
que alguns alunos tenham dúvida sobre dados e suas atualizações.
Para que possamos verificar uma mudança perceptível no perfil da
população, é necessário um período de tempo para que possamos
observar como ocorreu a dinâmica da população, traçar seu perfil e
projetar tendências. As bancas costumam usar os dados oficiais do
IBGE e as tabelas que trago para vocês. Em geral há dúvidas muito
comuns: Tenho que decorar os dados? E outra: Vou ser avaliado pelos
dados que tenho memorizados? Para as duas perguntas a resposta é
não. Dados devem ser usados para trabalharmos e desenvolvermos a
capacidade analítica, conhecer conceitos e interpretá-los.
Normalmente os dados são sempre fornecidos pela banca que exigirá
que você saiba interpretá-los. Vamos agora compreender os conceitos
fundamentais sobre população.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 3

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

2. POPULAÇÃO.

O território brasileiro possui de habitantes (duzentos e dois


milhões, somos um país bastante populoso (205.779.999 até
19/04/2016.). Mas devido ao nosso processo de formação territorial, a
maioria da população concentra-se nas regiões próximas ao litoral.
Observe o mapa com atenção:

Densidade demográfica é
a razão entre Hab/Km2. Veja
a legenda: as áreas mais
claras são menos povoadas e
as mais escuras as mais
povoadas.

Podemos perceber que a população é mal distribuída. A maioria


concentra-se na região sudeste e litoral nordestino e possuímos regiões
muito pouco povoadas que consideramos como “vazios
demográficos”, como podemos observar na região da Amazônia
Ocidental (oeste da Amazônia).

O estado de Pernambuco é populoso (9.396.532 até


19/04/2016)) e bastante povoado (89,62hab/km2), mas sua
população concentra-se no agreste e na mata. A densidade
demográfica do sertão é menor, ou seja, é menor o povoamento.
Observando o gráfico podemos observar que há uma tendência ao
aumento populacional.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 4

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

A Renda per capta é R$ 822, um valor considerado baixo, e ainda


temos um fator complicador: é calculada dividindo a o PIB (produto
interno bruto) sobre a população absoluta. Então este número omite
as desigualdades sociais, pois há milhares de pessoas que não
possuem esta renda, e um pequeno grupo que ganha muito mais.

Observe atentamente a pirâmide etária. Todo o gráfico deve ser


analisado bem tranquila e cuidadosamente. Observe a legenda e veja
que as linhas laranjas correspondem ao Brasil e as azuis correspondem
ao estado de Pernambuco. O tamanho de cada linha indica a
quantidade de pessoas. Podemos analisar os dados por gênero, pois
um lado refere-se aos dados da população masculina e o outro da
feminina. Na coluna temos as diferentes idades. Quanto mais perto do
topo, mais idosos. Isso significa que observando as dimensões do topo
podemos identificar quantos idosos existem e comparar graficamente
com o número de adultos e crianças. É simples. Quanto mais largo o
topo da sua pirâmide etária, mais pessoas estão envelhecendo, e
portanto ocorreu uma melhoria na qualidade de vida e nas condições
sanitárias gerais, que permita o envelhecimento destas pessoas.
Quanto mais larga a base maior o número de nascimentos. Quanto
mais estreita, menor o número de nascimentos. Quanto aos adultos,
quanto mais gordinho for o meio da pirâmide, maior a quantidade de
população adulta. Podemos adotar como padrão para separarmos
idosos de adultos e jovens/crianças as faixas etárias acima de 60 anos
e a população até 15/19 anos. Observe e compare quais as
características e tendências:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 5

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

1- A base da pirâmide pernambucana é mais larga que a do


Brasil. Isso indica uma maior natalidade.
2- A população jovens e crianças é maior proporcionalmente
que a nacional.
3- A partir de 45/49 anos a expectativa de vida no estado é
menor que a do país.
4- A população idosa feminina é maior que a masculina.
5- Há uma tendência à diminuição da natalidade.
6- Há uma tendência ao aumento da expectativa de vida.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 6

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

Podemos perceber com clareza neste gráfico que há uma


tendência ao aumento do número de idosos na população e diminuir a
de jovens.

Também há uma tendência ao aumento da população feminina,


principalmente nas idades mais avançadas. Entre os motivos temos o
cultural, em que as mulheres cuidam mais da própria saúde e os grupos
que hoje estão acima dos 50 anos cresceram num mundo mais rural,
que o atual e a expectativa de vida da população masculina nas áreas
menos urbanizadas é maior em razão dos rigores do trabalho
agropecuário. Nas regiões metropolitanas há uma pequena vantagem
para a população feminina, pois a mortalidade na adolescência é maior
entre homens e geralmente ligados à violência urbana.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 7

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

3. CRESCIMENTO VEGETATIVO.

CV=TN-TM (taxa de natalidade – taxa de mortalidade).

O gráfico indica que o número da população absoluta é cada vez


maior (a população continua a crescer), mas a um ritmo cada vez
menor, ou seja, reduziu a taxa de crescimento, mais conhecido como
crescimento vegetativo. De acordo com o gráfico até 2024 a taxa de
crescimento de Pernambuco é menor que a taxa média do país (isso é
um bom indicador).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 8

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

4. FATORES DE QUEDA DO CRESCIMENTO.

 Industrialização.
 Urbanização.
 Casamentos tardios.
 Entrada da mulher no mercado de trabalho.
 Aumento do planejamento familiar.
 Queda da fecundidade.

Como assim industrialização? É mais sentido na zona da mata,


sobretudo região metropolitana, pois com o desenvolvimento da
economia no setor secundário e o crescimento das cidades e uma
consequência direta. Onde ocorre um processo de industrialização um
dos primeiros efeitos no espaço é justamente a urbanização. Com a
industrialização e a urbanização o perfil dos empregos muda. Enquanto
nas regiões rurais as ocupações são predominantemente masculinas,
nos espaços urbanizados ela é mista, permitindo uma maior
participação da mulher no mercado de trabalho. Com as mulheres
trabalhando fora e cada vez mais independentes, tem ocorrido uma
mudança no perfil das famílias e a natalidade tem caído bem rápido. O
número de mulheres matriculadas e concluintes do ensino básico
(ensino médio) é maior que o de homens, e essa tendência se repete
nas matrículas no ensino superior. Dessa forma as mulheres têm
deixado seus casamentos mais tardios e isso provocara uma queda na
fertilidade e na fecundidade.

Fertilidade: Idade fértil da mulher, que efetivamente a média


feminina tem seus filhos. Hoje a fertilidade é muito menor que a
algumas décadas, mas isso não tem nada a ver com capacidade
reprodutiva. Casava-se muito jovem, próximo aos 15 anos pro
exemplo e até os 35 anos (em média uma idade saudável para ter

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 9

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

filhos), a fertilidade era de 20 anos. Hoje a fertilidade caiu. Imagine a


mulher que resolve casar e ter filhos depois de passar num concurso e
estabiliza na carreira. Se ela fizer isso até os 25 anos a fertilidade será
de 10 anos.

Fecundidade: Número de filhos por mulher. Tende a diminuir com a


industrialização e urbanização, devido à entrada da mulher no mercado
de trabalho e o planejamento familiar.

Observe a tabela abaixo e analise-a:

O estado de Pernambuco apresentou uma queda na taxa de


natalidade maior que a brasileira até 2012. E a tendência é continuar
caindo. É o resultado da melhoria das condições médias de vida da
população, pois indica maior planejamento e dedicação ao trabalho. A
expectativa de vida apresentou uma melhora pequena e tem a
tendência de manter-se menor que a do Brasil, até 2030.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 10

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

5. URBANIZAÇÃO E PERFIL SOCIOECONÔMICO DA POPULAÇÃO.

De olho no conceito:

Urbanização: quando a população urbana cresce num ritmo


maior que a rural. Urbanização refere-se ao ritmo de crescimento da
população urbana. Observe a tabela:

É só observarmos o total de população para verificarmos se o


local é ou não urbanizado. Se a população urbana é maior que a rural,
o perfil é urbano. Isso pode confundir, pois se num pequeno município
mais da metade da população morar na cidade o perfil populacional é
urbano, mesmo com uma enorme população rural.

Observe o perfil populacional em cada mesorregião. Observe


seus perfis, se são rurais ou urbanos

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 11

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

Qual das mesorregiões é a mais populosa e a mais urbanizada?


Cuidado com uma comum confusão. A RMR está geograficamente na
região da Mata, mas é uma mesorregião administrativa, mas suas
características naturais originalmente são as da mata, mas foram
profundamente desmatados tornando a paisagem quase totalmente
antropizada, ou seja transformada pelo homem. A mais populosa é
também a mesorregião mais urbanizada que á a mesorregião
administrativa da RMR (região metropolitana de recife). Na sequência
a mesorregião mais populosa urbanizada é o agreste.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 12

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

6. INDICADORES SOCIAIS.

Natalidade e mortalidade:

As taxas de natalidade de Pernambuco em 2000 eram maiores


que a do Brasil. Apresentou uma queda e hoje sintoniza com a média
nacional. A mortalidade também teve uma pequena queda. Indica uma
melhoria na qualidade de vida e das condições sanitárias da população.

Expectativa de Vida:

A tendência observada é o aumento da expectativa de vida com


uma vantagem para as mulheres. Isso ocorre devido ao motivo já
informado. As mulheres possuem um maior cuidado com a saúde.

Mortalidade infantil:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 13

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

A mortalidade infantil é o principal índice que indica uma


melhoria na qualidade de vida e sanitária da população. Quanto menor
a mortalidade infantil é um indicativo de maior acesso a saúde, como
vacinação e também a nutrição alimentar.

Fecundidade e taxa de envelhecimento.

O número de filhos por mulher tem caído. A maior queda


podemos observar entre 2000 e 2006. A tendência é que ela se
estabilizem a partir de 2016. O índice de envelhecimento no país é
maior que no estado, significa que há desafios na melhoria da
qualidade de vida da população para que sua expectativa de vida
aumente e possam envelhecer com qualidade de vida.

O perfil populacional pernambucano é de uma população em


envelhecimento. Está ficando cada vez mais adulta em razão da
diminuição do número de jovens devido à queda da natalidade. A
população é predominantemente urbana.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 14

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

7. A PEA (POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA).

A População economicamente ativa no Brasil é a população entre


10 e 65 anos. Sabemos que quanto mais pobre a região, maior a
ocorrência de trabalho infantil e poucos podem parar de trabalhar aos
sessenta anos. Cuidado com uma pegadinha. E os desempregado? São
ou não PEA? Claro que são. Estão em idade produtiva, mas
provisoriamente afastados do mercado de trabalho.

A população ativa atua em três setores da economia:

 Setor primário: agricultura.


 Setor secundário: indústria.
 Setor terciário: serviços.

Na zona da Mata e Região Metropolitana de Recife a PEA está


empregada principalmente no setor terciário (comércio e serviços) e
no setor secundário (indústria). Nos últimos anos ocorreu um aumento
da PEA empregada no setor secundário em razão do maior
desenvolvimento econômico e industrial. Podemos citar alguns fatores
que aumentaram a população ativa no setor secundário:

 A desconcentração industrial pela qual passa o Brasil tem


beneficiado o estado.
 Obras no Porto de Suape.
 Construção da Refinaria Abreu Lima.
 Montagem da fábrica da FIAT.

A maior parte da população ocupada está no setor terciário. Em


razão do grande crescimento urbano ocorreu um grande aumento da
população empregada no setor terciário. A este processo chamamos
terciarização da economia (ampliação de empregados no setor
terciário). O setor de serviços tem passado por uma hipertrofia, ou
seja o mesmo que terciarização, mas isso não é um bom indicador,

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 15

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

pois é contabilizado o trabalho informal no terciário. Trabalho informal


é o trabalho sem registro. Não paga impostos e também não recolhe
benefícios. Quanto mais ao interior do estado, em que adentramos ao
agreste e sertão, a economia se ruraliza e aumenta a população
empregada na agricultura.

A terceirização no linguajar corporativo é delegar parte do


processo produtivo à uma terceira pessoa (física-prestadores de
serviços, ou jurídica-empresas). Uma tendência que tem ocorrido,
sobretudo em recife que é um polo de desenvolvimento regional com
produção de tecnologias é o aumento da terceirização. Para alguns
geógrafos é uma grande tendência que está se estendendo ao trabalho.
Em 2015 foi aprovada a lei de terceirização, que permite terceirizar
todo o tipo de trabalho realizado e prestado pela e para a empresa.
Observe o mapa de pessoas ocupadas, ou seja de PEA em atividade.
Observe que a maior quantidade de pessoas ocupadas, estão também
em áreas de economia mais dinâmica como na Zona da Mata, RMR e
Petrolina.

Razão de Dependência - peso da população considerada


inativa (0 a 14 anos e 65 anos e mais de idade) sobre a população
potencialmente ativa (15 a 64 anos de idade).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 16

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

A razão de dependência em no estado de Pernambuco está


diminuindo. É consequência da queda da natalidade e um aumento da
população adulta ativa. A natalidade diminui em quantidade maior de
pessoas que a expectativa de vida, então o número de dependentes
em relação aos ativos está diminuindo.

8. O IDH (ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO).

É um índice que mede a qualidade de vida (média da população).

Considera fundamentalmente 3 fatores:

 Saúde.
 Educação.
 Renda per capta.

O índice varia de 0 a 1 Quanto mais perto de 1 maior a qualidade


de vida. Pernambuco nas últimas pesquisas de tendência do IBGE
apresentou uma melhoria no IDH, que é a tendência estadual para o
próximo censo.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 17

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

Índice de Gini - medida do grau de concentração de uma


distribuição, cujo valor varia de zero (perfeita igualdade) até um (a
desigualdade máxima).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 18

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

9. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS.

1. (IAUPE/Upe 2014) De acordo com os resultados dos mapas


apresentados abaixo, sobre o Índice de Desenvolvimento Humano
Municipal (IDHM) do Brasil, analise os itens a seguir:

I. O IDHM é um índice divulgado pelo Programa das Nações Unidas


para o Desenvolvimento (PNUD), composto pelo conjunto de três
indicadores de desenvolvimento humano: a longevidade, a educação
e a renda dos municípios.
II. Apesar da evolução do IDHM no Brasil, o Nordeste ainda tem 95%
dos municípios na faixa de “muito baixo” desenvolvimento humano,
e a região Norte já apresenta 80% das cidades na classificação “alto”
e “muito alto”.
III. Em 20 anos, 85% dos municípios do Brasil saíram da faixa de “alto
para o desenvolvimento humano” para “muito alto”, segundo a
classificação criada pelo PNUD. A categoria que mais encolheu entre
as décadas de 1990 e 2010 foi a de “médio desenvolvimento”.
IV. Os municípios das regiões brasileiras Sul e Sudeste estão
concentrados, em sua maioria, na faixa de “alto desenvolvimento

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 19

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

humano”. No Centro-Oeste, os resultados ainda apresentam a


maioria dos municípios na categoria “médio desenvolvimento”.

Está CORRETO o que se afirma em


a) I, apenas.
b) II, apenas.
c) III e IV, apenas.
d) I e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

Resposta:

[D]

Os itens incorretos são:


[II] Em 2010, o Nordeste e o Norte têm a maioria de seus
municípios na categoria “baixo”).
[III] Entre 1991 e 2010, houve uma melhora do IDHM dos
municípios brasileiros, muitos passaram do “muito baixo”
para categorias como “médio” e “alto”.

2. (IAUPE/Upe 2014) A desregulamentação, que aumenta no mercado


de trabalho brasileiro, faz crescer um fenômeno econômico que vem
sendo bastante estudado pela Geografia Humana e Econômica. Com
esse fenômeno, proliferam as pequenas empresas sem funcionários
com vínculo empregatício que prestam serviços. De 2002 a 2008, esse

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 20

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

fenômeno cresceu aproximadamente 22% nas regiões metropolitanas


do país.

A que fenômeno estamos nos referindo?


a) Desqualificação Profissional
b) Crescimento do Setor Binário
c) Expansão da Terceirização
d) Desregulamentação Terciária da População Inativa
e) Globalização do Setor Secundário

Resposta:

[C]

O neoliberalismo levou a uma precarização do mercado de


trabalho e diminuição do poder dos sindicatos, assim,
expandiu-se a flexibilização da legislação trabalhista,
permitindo contratos temporários e terceirização.

3. (IAUPE/Upe 2013) Analise o gráfico a seguir:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 21

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

Considerando os indicadores apresentados no gráfico e as atuais


mudanças no processo de envelhecimento da população brasileira, é
CORRETO afirmar que
a) a expectativa de vida no Brasil vem aumentando muito célere,
consequentemente apresentando taxas de longevidade acima da de
países com índice de desenvolvimento humano elevado em aspectos,
como saúde, escolarização e nutrição.
b) de acordo com os indicadores demográficos, o Brasil se encontra no
início do estágio de transição de país jovem para país maduro. O
percentual de idosos é semelhante ao de países, como Suécia, Itália
e Serra Leoa.
c) apesar das mudanças ocorridas na estrutura etária da população
brasileira, entre as décadas de 1960 e 2010, o país continua
demograficamente jovem, com elevadas taxas de natalidade e de
mortalidade e com uma baixa expectativa de vida para a população
em geral.
d) a taxa de fecundidade no Brasil vem declinando, e a proporção de
idosos vem crescendo mais rapidamente que a proporção de
crianças. Contudo, esse processo de envelhecimento populacional
não ocorre de maneira uniforme, em todas as regiões brasileiras.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 22

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

e) o envelhecimento da população brasileira é oriundo do intenso


processo de urbanização em todas as suas regiões. Por isso, o
aspecto triangular da pirâmide etária vem apresentando, nas últimas
décadas, um aumento percentual do bônus demográfico de homens
e mulheres.

Resposta:

[D]
Entre 1960 e 2010, houve uma queda das taxas de
natalidade e de fecundidade, fazendo com que houvesse uma
redução da proporção de jovens, incluindo as crianças. Também
ocorreu um aumento na proporção de adultos. Devido à
elevação da expectativa de vida, houve uma elevação do
percentual da população de terceira idade.

4. (Ufpe 2013) O Decreto nº 4.887, de 20 de novembro de 2003,


regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento,
delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por
remanescentes das comunidades dos quilombos de que trata o artigo
68, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. A partir do
Decreto 4883/03, ficou transferida do Ministério da Cultura para o
INCRA a competência para a delimitação das terras dos remanescentes
das comunidades dos quilombos, bem como a determinação de suas
demarcações e titulações.
Sobre esse tema, podemos afirmar que:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 23

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

( ) Fruto do Movimento Negro brasileiro, a Fundação Cultural


Palmares foi o primeiro órgão federal criado para promover a
preservação, a proteção e a disseminação da cultura negra. Em
seu planejamento estratégico, a instituição reconhece como
valores fundamentais o comprometimento, a cidadania e a
diversidade.
( ) As comunidades quilombolas são grupos étnicos –
predominantemente constituídos pela população negra rural ou
urbana –, que são definidos segundo uma comissão
governamental a partir das relações com a terra, o parentesco, o
território, a ancestralidade, as tradições e as práticas culturais
próprias.
( ) Em toda a América, as comunidades afrorrurais constituíram-se
como um contraponto à escravização de povos africanos e de seus
descendentes no Novo Mundo. Muitos países latino-americanos
reconheceram legalmente a relevância de suas comunidades
afrorrurais.
( ) No Brasil, os Territórios Quilombolas são titulados de forma
coletiva e indivisa, ou seja, o território titulado – que já não era
desmembrado – continua não podendo sê-lo posteriormente. Tal
medida se dá em proveito da manutenção desse território para as
futuras gerações. É uma terra que, uma vez reconhecida, poderá
ser vendida, quer na sua totalidade, quer aos pedaços.
( ) Em inúmeras comunidades quilombolas, pode-se identificar um
conjunto de práticas comuns de cultivo, organizadas a partir das
famílias, articuladas com regras de apropriação privada. O produto
do trabalho sobre a terra tem apropriação individualizada, pelos
grupos familiares. Os bens oferecidos pela natureza – recursos
hídricos, matas, dentre outros – são de usufruto de todos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 24

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

Resposta:

V – F – V – F – V.

VERDADEIRA. Criada em 1988, a Fundação Cultural


Palmares é uma instituição pública vinculada ao Ministério da
Cultura que tem por finalidade promover e preservar a cultura
afro-brasileira.
FALSA. Conforme o Decreto nº 4887/03,
as comunidades quilombolas são grupos étnico-raciais,
segundo critérios de auto atribuição, com trajetória histórica
própria, dotados de relações territoriais específicas e com
ancestralidade negra relacionada com a resistência
à opressão histórica sofrida. Portanto, não são definidos pelo
Estado.
VERDADEIRA. Comunidades afro rurais são a evidência da
extremada exclusão socioeconômica a que foram submetidos
os afro-americanos.
FALSA. A terra que pertence ao Território Quilombola não
pode ser vendida.
VERDADEIRA. As comunidades quilombolas caracterizam-
se por sua organização coletiva da produção.

5. (Ufpe 2000) As afirmativas a seguir fazem referência à distribuição


da população brasileira. Analise-as.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 25

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

( ) A ocupação da zona litorânea pode ser entendida como uma


decorrência de fatores da história econômica, pelas ligações
realizadas com o exterior.
( ) A necessidade de criação de gado para força motora dos
engenhos, alimentação dos colonos e transportes provocou a
ocupação do interior e a penetração de amplos trechos do Sertão.
( ) Das migrações inter-regionais no Brasil resultaram saldos
positivos para uns Estados ou regiões e negativos para outros.
( ) As elevadas densidades demográficas verificadas no Nordeste
decorrem exclusivamente das altas taxas de crescimento
vegetativo e da implantação da economia açucareira na Zona da
Mata.

Resposta:

[A]

[I] CORRETA: O estreitamento da base da pirâmide atesta a


redução da proporção de jovens na população do país.
[II] CORRETA: A redução da base da pirâmide indica menor
taxa de natalidade.
[III] INCORRETA: A pirâmide aponta para um processo
contrário, haja vista a redução da proporção de jovens.
[IV] INCORRETA: A proporção de idosos está aumentando e a
de jovens diminuindo.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 26

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

10. EXERCICIOS PROPOSTOS.

1. (Fuvest 2016) Observe os mapas.

Dentre as seguintes alternativas, a única que apresenta a principal


causa para o correspondente fluxo migratório é:
a) I: procura por postos de trabalho formais no setor primário.
b) II: necessidade de mão de obra rural, devido ao avanço do cultivo
do arroz.
c) III: necessidade de mão de obra no cultivo da soja no Ceará e em
Pernambuco.
d) IV: procura por postos de trabalho no setor aeroespacial.
e) V: migração de retorno.

2. (Uerj 2007)

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 27

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

No gráfico são indicadas variações nas taxas de migração para a cidade


do Rio de Janeiro. Considerando as desigualdades regionais brasileiras,
a alternativa que descreve uma causa adequada para as variações
observadas é:

a) a elevação do percentual de migrantes do Ceará foi provocada pela


dinâmica do clima desértico em seu território.
b) a mudança nos fluxos de Minas Gerais decorreu do avanço das
condições de vida nesse Estado em comparação com os demais.
c) o crescente número de migrantes capixabas resultou de proximidade
geográfica entre o Espírito Santo e a atual capital fluminense.
d) o aumento da proporção de nordestinos verificou-se pela melhoria
recente das estradas de ligação entre Nordeste e Rio de Janeiro.

3. (Uerj 2016) O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-


M) é composto por três indicadores: longevidade, educação e renda.
No Brasil, o IDH-M cresceu 47,5% entre 1991 e 2010, conforme os
mapas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 28

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

Geograficamente, o desenvolvimento humano no Brasil apresenta


mudanças decorrentes dos seguintes fatores principais:
a) erradicação do analfabetismo – elevação do PIB
b) desaceleração do desemprego – incremento da industrialização
c) decréscimo da natalidade – crescimento da qualificação profissional
d) diminuição da mortalidade infantil – aumento da expectativa de vida

4. (G1 - ifsp 2012) Analise a sequência dos mapas.

Sobre a evolução do IDH no Brasil, pode-se concluir que foi

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 29

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

a) menor nos estados da região Nordeste, embora seja a de ocupação


mais antiga.
b) mais rápida na região Sul, devido à influência do clima temperado.
c) pequena na região Norte, pois seus estados têm economia
extrativista.
d) grande na região Sudeste, que apresentava baixo IDH em 1970.
e) grande somente na parte sul do país, de economia moderna.

5. (Ufc 2001) O índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é adotado


pela ONU, para medir as condições de vida e o desenvolvimento dos
países. As variáveis utilizadas são esperança de vida ao nascer, grau
de educação e renda, com valores de 0 a 1. Quanto mais próximo de
1, melhor o desenvolvimento.

Com base nessa informação e na figura abaixo, assinale a alternativa


correta.

a) O Brasil possui níveis de pobreza e desigualdades sociais muito


acentuadas em razão de uma adequada distribuição de renda na
agricultura.
b) As baixas condições de vida indicadas são resultado do último Plano
de Desenvolvimento Econômico implantado no país.
c) O elevado IDH de parte da Região Nordeste decorre diretamente das
condições climáticas que interferem no desempenho da economia.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 30

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

d) A área correspondente ao IDH de 0,7 a 0,8 possui um melhor


desenvolvimento em função da homogeneidade de suas condições
naturais.
e) Os valores de IDH superiores a 0,8 correspondem a áreas onde a
economia, a política e a cultura possuem um melhor desempenho.

6. (Uel 2001) O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) brasileiro


vem se alterando nas últimas décadas, como se pode observar na
tabela abaixo.

A respeito desse índice e dos dados da tabela, é correto afirmar:

a) O IDH brasileiro poderia ter se elevado mais rapidamente nas


últimas décadas, não fosse o declínio da esperança de vida nos anos
80 e 90, em função da crise econômica.
b) Os indicadores usados para o cálculo do IDH são: condições de
moradia, saúde, educação e renda per capita.
c) O IDH é elaborado por um grupo de técnicos e cientistas sociais
contratados pelo FMI e BIRD, e visa servir de critério para orientar
esses organismos na concessão de empréstimos a países em
desenvolvimento.
d) O IDH brasileiro ainda é considerado baixo, igualando-se ao dos
países africanos. Isso se deve ao crescente número de analfabetos
no país.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 31

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

e) Um dos problemas que o IDH não revela é o nível de concentração


de renda no país.

7. (Uepb 2014) Nos meses de setembro e outubro, período em que


ocorre o corte da cana na Mata pernambucana, trabalhadores rurais do
Agreste da Paraíba chamados de “corumbas” ou “catingueiros” migram
para trabalhar nas usinas da Zona canavieira do Estado de
Pernambuco, onde permanecem precariamente instalados, até o fim
da colheita, nos meses de março ou abril, quando caem as primeiras
chuvas do Agreste e estes retornam para suas casas e seus roçados.

Este tipo de migração ainda presente no estado da Paraíba é do tipo:


a) Nomadismo
b) Pendular
c) Êxodo rural
d) Forçada
e) Sazonal

8. (Uepb 2012) “A MIGRAÇÃO SAZONAL DO AGRESTE do Estado da


Paraíba para a plantation canavieira na Mata Seca do Estado de
Pernambuco remonta pelo menos até princípios do século XX. Apesar
desta longa tradição, tem ocorrido uma intensificação do uso de
‘trabalhadores migrantes’ Iocalmente chamados corumbas desde a
década de 80. [...] Durante a safra, um número maior de trabalhadores
é necessário. [...] para atender esta demanda [...] ” (grifo nosso)

(Menezes Marilda Aparecida de. Experiência social e identidades:


trabalhadores migrantes na plantation canavieira. p.49. História Oral,
3, 2000, p. 49-68. Disponível in:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 32

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

http://revista.historiaoral.org.br/index.php?journal=rho&Page=article
&op=viewFile&path[]=22&path[]=1)

A migração abordada pela autora é do tipo:


a) Commuting
b) Pendular
c) Transumância
d) Êxodo rural
e) Nomadismo

9. (Pucpr 2007) Leia com atenção o texto:

"O senso comum costuma levar as pessoas a culpar a pobreza


pela violência. Assim, Manari, no Polígono das Secas, em Pernambuco,
que tem o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) entre as
cidades brasileiras, com renda per capita de apenas 30 reais mensais,
deveria ser a campeã em crimes violentos. Mas o recorde não fica com
a pacata cidade do sertão nordestino, com 13 mil habitantes, mas na
periferia das grandes metrópoles brasileiras, onde são piores os
serviços públicos, como educação, saúde, segurança e saneamento
urbano."

(FERNANDES JR., Ottoni "Onde mora a violência in Desafios do


desenvolvimento" n.24, IPEA, , julho de 2006.)

De acordo com seu texto a respeito da violência urbana, o autor afirma


que:

a) Há uma relação direta e proporcional entre os índices de pobreza e


o de criminalidade de um município ou região.
b) O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) revela não apenas a
posição ocupada por uma cidade no ranking dos aspectos

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 33

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

socioeconômicos, mas também o grau de violência existente nessa


cidade.
c) A periferia das metrópoles brasileiras estão apresentando melhores
resultados em relação à redução da violência urbana, fator esse que
vem contribuindo para um melhor desempenho desses municípios no
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
d) Os dados socioeconômicos por si só não explicam o grau de violência
de uma dada localidade.
e) A população da cidade de Manari se caracteriza por ser pacata, não
se organizando em sua coletividade para deter a criminalidade local,
proporcionalmente a mais elevada do país.

10. (Unisc 2016) A imagem abaixo apresenta a Pirâmide Etária


brasileira, produzida por meio dos dados do Censo Demográfico de
2010. Tendo em vista suas informações e conhecimentos relativos às
populações, analise as afirmativas que se seguem:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 34

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

I. O número de idosos no Brasil, de acordo com a Pirâmide Etária, é


baixo em relação ao número de jovens e adultos. Deste modo,
podemos afirmar que se trata de uma pirâmide jovem.
II. De acordo com a Pirâmide Etária, no Brasil, a expectativa de vida
das mulheres é maior que a dos homens.
III. A pirâmide etária brasileira assemelha-se às pirâmides da maioria
dos países desenvolvidos, tendo em vista que sua base é mais larga
que o seu topo.
IV. Considerando a pirâmide etária brasileira, pode-se dizer que a
população, nos próximos anos, tende a ser cada vez mais jovem.

Assinale a alternativa correta.


a) Somente as afirmativas I, II e III estão corretas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 35

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

b) Somente as afirmativas I e II estão corretas.


c) Somente as afirmativas I e III estão corretas.
d) Somente as afirmativas II e IV estão corretas.
e) Todas as afirmativas estão corretas.

11. (G1 - cftmg 2015) A questão refere-se às imagens a seguir.

A análise das duas pirâmides etárias permite afirmar que se trata de


um país pertencente
a) ao grupo dos emergentes, pela melhoria nos índices de expectativa
de vida.
b) ao bloco das nações desenvolvidas, pela redução recente nas taxas
de natalidade.
c) à porção da África subsaariana, pela explosão demográfica ocorrida
na última década.
d) às regiões de conflitos do Oriente Médio, pela ampliação das taxas
de mortalidade infantil.

12. (Ufrn 2013) O Brasil vivencia uma mudança na estrutura etária de


sua população que repercute nas políticas estatais. As pirâmides

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 36

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

etárias constituem uma forma de representação de dados importante


para planejar e implementar políticas que visem à melhoria da
qualidade de vida da população.
Observe as pirâmides abaixo.

Levando em conta as informações das pirâmides e as perspectivas de


melhoria da qualidade de vida da população brasileira, as políticas
governamentais atuais devem considerar
a) o aumento da população de idosos, que gera demandas de
aposentadorias e adequações no sistema de saúde.
b) o aumento da população de crianças, que implica a necessidade de
ampliação da rede de escolas e creches.
c) a diminuição da população de crianças, que exige a adoção de
programas de incentivo à natalidade e de distribuição de renda.
d) a diminuição da população de idosos, que requer a melhoria no
sistema de previdência e assistência social.

13. (Ufpr 2012) Os gráficos abaixo representam as pirâmides etárias


da população brasileira das décadas de 1980 e 2000 e projeções para
2020 e 2040.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 37

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

Com base nessas pirâmides etárias, considere as seguintes


afirmativas:

1. Nas ordenadas estão o contingente populacional e nas abscissas os


grupos de idade.
2. A base larga da pirâmide em todo o período analisado revela que o
Brasil continuará a ser um país de jovens e reforça a necessidade do
incremento de políticas públicas de atenção a tais camadas da
população brasileira.
3. A estrutura etária da população representada nos gráficos tem
relação com a economia e mostra a transformação da população
economicamente ativa, definida como aquela que compreende o
potencial de mão de obra com que pode contar o setor produtivo,
isto é, a população ocupada e a população desocupada.
4. As transformações nas pirâmides no Brasil ao longo do tempo
revelam a transição demográfica, explicada pela combinação de
fatores como baixas taxas de natalidade, redução das taxas de
mortalidade, elevação na expectativa de vida, redução na taxa de
fecundidade e maior acesso e assistência à saúde.

Assinale a alternativa correta.


a) Somente a afirmativa 3 é verdadeira.
b) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 38

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

c) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.


d) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.
e) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

14. (Interbits 2012) O IBGE divulgou os dados do Censo 2010 e muitas


mudanças foram observadas na população brasileira. A figura a seguir
representa a evolução da pirâmide etária do Brasil nos últimos censos.

A partir da interpretação das pirâmides, nota-se:


a) o aumento da taxa de natalidade e a redução do porcentual de
terceira idade.
b) a elevação da taxa de fecundidade e o aumento da expectativa de
vida.
c) uma redução da taxa de natalidade e a elevação da expectativa de
vida.
d) o predomínio da população jovem e masculina na terceira idade.
e) a prevalência da população idosa e feminina na faixa etária adulta.

15. (Uel 2011) Observe as pirâmides etárias da população brasileira

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 39

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

em diferentes décadas.

Com base nas pirâmides e nos conhecimentos sobre a dinâmica


demográfica brasileira, considere as afirmativas a seguir.

I. As transformações recentes na dinâmica demográfica projetam


profundas alterações na estrutura etária do país, a exemplo da
proporção de jovens sobre a população total, que diminui
gradativamente.
II. O Brasil está passando pelo processo de transição demográfica, isto
é, a população brasileira ainda cresce, mas de forma lenta.
III. A dinâmica demográfica brasileira mudou ao longo das décadas,
acentuando os riscos de uma explosão demográfica em 2020, pois o
crescimento vegetativo da população começou a aumentar,
gradativamente, na década de 1970.
IV. A proporção de idosos sobre a população total está diminuindo
gradativamente, enquanto que a proporção de jovens está
aumentando rapidamente, o que indica a necessidade de se
aumentar o número de vagas nas escolas brasileiras.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 40

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

Assinale a alternativa correta.


a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 41

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

Gabarito:

Resposta da questão 1:
[E]
Como mencionado corretamente na alternativa [E], o mapa V
indica a migração de retorno, ou seja, o deslocamento dos migrantes
nordestinos para sua área de origem em razão do processo de
desconcentração industrial e da saturação do mercado nas grandes
metrópoles do Sudeste.
Estão incorretas as alternativas:
[A] e [B], porque a migração para o sudeste não se caracteriza
pela demanda da mão de obra do setor primário;
[C], porque os estados citados não são expressivos na produção
de soja;
[D], porque o setor aeroespacial não atrai mão de obra
nordestina.

Resposta da questão 2:
[B]

Resposta da questão 3:
[D]
A elevação do IDH-M no país decorreu de fatores como a redução
da mortalidade infantil e o aumento da expectativa de vida, o que
indica investimentos sociais mais consistentes.
Estão incorretas as alternativas:
[A], porque o analfabetismo não foi erradicado;
[B], porque a questão do desemprego e da industrialização são
fatores indiretos na melhoria social, porém não são contabilizados
como variáveis no cálculo do indicador;

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 42

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

[C], porque a qualificação do mercado de trabalho é um fator


indireto na melhoria social, porém não é contabilizado como variável
no cálculo do indicador.

Resposta da questão 4:
[A]
A análise dos mapas indica que nas três décadas, os estados da
região nordeste apresentaram os menores valores do IDH, citado
corretamente na alternativa [A].
Estão incorretas as alternativas:
[B], pois o clima não é determinante para o desenvolvimento
humano e o sul não foi a única região que apresentou maior evolução
do IDH;
[C], pois a região norte apresentou uma considerável elevação
do indicador;
[D], pois na década de 1970 os estados de São Paulo e Rio de
Janeiro já apresentavam melhores índices do IDH;
[E], pois a evolução do IDH ocorreu na maior parte das regiões
do país.

Resposta da questão 5:
[E]

Resposta da questão 6:
[E]

Resposta da questão 7:
[E]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 43

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

A migração sazonal com motivação socioeconômica (com retorno


a origem) de boias frias ou corumbas do Agreste para a Zona da Mata
ocorre em razão da oferta de empregos temporários no período de
colheita da cana de açúcar.

Resposta da questão 8:
[C]

Resposta da questão 9:
[D]

Resposta da questão 10:


[B]

Os itens incorretos são: [III] (a pirâmide etária do Brasil é


intermediária, típica de país emergente em transição demográfica com
queda da natalidade e crescimento da expectativa de vida, ou seja,
entre o mundo desenvolvido e o mundo subdesenvolvido) e [IV] (com
a queda da taxa de fecundidade e avanço na expectativa de vida, a
tendência é de elevação nas proporções de adultos e de idosos com
redução no porcentual de jovens).

Resposta da questão 11:


[A]

Os países emergentes como Brasil tiveram transformações


importantes nas últimas décadas como a queda da pobreza, o
crescimento da classe média, além da melhoria dos padrões de saúde.
Um dos indicadores favoráveis foi a elevação da expectativa de vida e

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 44

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

consequentemente no porcentual de população de terceira idade.


Também houve queda da taxa de natalidade.

Resposta da questão 12:


[A]

Entre 1980 e 2010, houve uma redução do crescimento


populacional devido à queda da taxa de natalidade e da taxa de
fecundidade. Aconteceu uma diminuição do porcentual de jovens
concomitante a uma elevação do porcentual de adultos e de idosos.
Portanto, a perspectiva é de uma elevação dos gastos com a
previdência social e a saúde pública.

Resposta da questão 13:


[C]

1. Incorreta. Há uma inversão dos eixos da pirâmide. O enunciado


ainda poderia apresentar o significado de uma pirâmide etária, como
um gráfico que representa a população por quantidade e distribuída
por faixas etárias. Seria mais fácil para o aluno relembrar e
desenvolver raciocínio.
2. Incorreta. A pirâmide etária não revela em todo o período analisado
que o Brasil é um país de jovens, pelo contrário ela demonstra que o
Brasil é um país em transição demográfica.

Resposta da questão 14:


[C]

Entre 1991, 2000 e 2010, observa-se uma redução dos jovens


associada à redução da taxa de natalidade, a um aumento da

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 45

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

proporção de adultos e a uma elevação do porcentual de idosos em


decorrência do aumento da expectativa de vida.

Resposta da questão 15:

VVVF

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 46

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aspectos demográficos.
Prof. Sérgio Henrique.

11. CONSIDERAÇÕES FINAIS.


Muito bem, querido concurseiro. Se chegou até aqui é um bom
sinal: o de que tentou praticar todos os exercícios. Não se esqueça da
importância de ler a teoria completa e sempre consultá-la. Não esqueça
dos seus objetivos e dedique-se com toda a força para alcança-los.
Sonhe alto, pois “quem sente o impulso de voar, nunca mais se
contentará em rastejar”. Te encontro na nossa próxima aula.
Bons estudos, um grande abraço e foco no sucesso.

Até logo...

Prof. Sérgio Henrique Lima Reis.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 47

Aula 04 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aula 05

Geografia p/ Polícia Militar-PE


Professor: Sergio Henrique
Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

SUMÁRIO

00. Bate papo inicial. Pág. 02

1. O espaço rural: a organização da estrutura Pág. 03


agrária.

2. Principais produtos. Pág. 04

3. Urbanização e perfil socioeconômico da Pág. 12


população.

4. Tabela para consulta. Pág. 16

5. Exercícios Resolvidos. Pág. 24

6. Exercícios Propostos. Pág. 32

7. Considerações finais. Pág. 36

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 1

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

00. BATE PAPO INICIAL.


Olá amigo concurseiro. É com muita alegria que o recebo
novamente para falarmos de geografia. Estudar as aulas anteriores é
fundamental para que você possa compreender muitas das coisas que
vamos tratar aqui. Leia com atenção seu texto de apoio, releia e
pratique exercícios. Aos poucos o conteúdo básico vai ficar retido na
sua memória. Claro que para isso é muito importante você fazer suas
próprias anotações, ou em forma de resumo ou anotações nos
exercícios, não importa, você escolhe. O importante é estudarmos
bastante e nos concentrarmos nos estudos. Estimule sua disciplina e
procure motivação pensando em seus sonhos. Bons estudos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 2

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

1. O ESPAÇO RURAL: A ORGANIZAÇÃO DA ESTRUTURA


AGRÁRIA.

A modernização agrícola possui efeitos muito amplos na


sociedade e as transformações agrícolas pelas quais passou pelos
últimos anos. Com a mecanização da agricultura principalmente na
grande lavoura na zona da mata e no Vale do Rio São Francisco, o
panorama foi:

 Um grande aumento na produtividade.


 Dispensa de mão de obra, causando êxodo rural, o que está
diretamente relacionado ao crescimento desordenado das
cidades.
 A agricultura irrigada transformou regiões do sertão em áreas
com uma produtividade agrícola alta e desenvolveu polos
regionais.
 A fruticultura e a cana de açúcar são os principais cultivos.
 O modelo agrícola predominante é o plantation, ou seja, grandes
latifúndios monocultores que produzem para exportação, ou
seja, o mercado interno.
 A fruticultura nas cidades no vale do rio são Francisco são
lavouras comerciais de exportação, ou seja, plantation.

No agreste e no interior do sertão há o predomínio da agricultura


de subsistência e familiar. Normalmente associadas à produção de
alimentos. A produtividade é menor, bem como o tamanho médio das
propriedades. Alguns cultivos chamamos de lavouras perenes, ou
seja, aquele que dá em árvores, plantas com raízes profundas e longo
tempo de duração e produção, como café, cacau, látex. Lavouras
temporárias são aquelas que dão em ramos e são de colheita anual,
retirando toda a planta do solo. Cultivos permanentes são menos
impactantes pois provocam menos erosão, isso porque a terra não é

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 3

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

arada todo o ano. De acordo com o novo código florestal não pode
plantar cultivos temporários em topos de morros. Justamente para
evitar a erosão e o assoreamento dos rios. A legislação ambiental
também prevê que devem ser preservados ao menos 15 metros da
mata ciliar. Se o rio for de maior porte este valor aumenta.

2. PRINCIPAIS PRODUTOS.

Lavouras permanentes:

Observe que o algodão, nem mesmo dados disponíveis possui.


Alguns produtos são muito importantes em algumas épocas, sendo o
principal produto, em outras ele é inexpressivo. Observe que
atualmente o algodão não tem representatividade nenhuma na
produção agrícola atual. Observe na próxima tabela a produção de
látex (borracha). Tem também uma expressiva produção de café,
principalmente nos brejos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 4

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 5

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Há produtos agrícolas típicos como a castanha de caju. A


produção agrícola, você pode observar na tabela abaixo, que uma
produção de 2.745 toneladas de castanhas, rendeu 3.430 mil reais.
1,25 mil a tonelada. É um produto que após o beneficiamento e
industrialização possui maior valor agregado sendo vendido nos
mercados consumidores urbanos a um alto preço, mas na lavoura
trata-se de um produto agrícola, como qualquer outro no campo,
possui baixo valor agregado. Quanto maior a quantidade de trabalho
embutida no produto, aumenta seu valor agregado. Por exemplo, a
castanha embalada vale mais que in natura, se for embalagem
metálica, maior o valor agregado. Passou por uma campanha
publicitária para aumentar as vendas ... aumenta o valor agregado.
Quanto mais trabalhado mais valioso.

A fruticultura é o maior destaque da agricultura e nela o maior


destaque é a produção da goiaba, manga, maracujá e uva (logo
abaixo).

O limão possui no estado uma maior importância que a laranja.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 6

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 7

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Lavouras temporárias:

A cana de açucar é o cultivo mais tradicional de Pernambuco, e


a história do estado, na colônia se confunde com a história da produção
da cana de açúcar. Cultivada sobretudo na zona da mata
(modernizada) e sertão (convivência de lavouras modernas e
arcaicas). Atualmente é a segunda produção nordestina, atrás da
produção canavieira de Alagoas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 8

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 9

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

A pecuária:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 10

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 11

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

3. URBANIZAÇÃO E PERFIL SOCIOECONÔMICO DA POPULAÇÃO.

De olho no conceito:

Urbanização: quando a população urbana cresce num ritmo


maior que a rural. Urbanização refere-se ao ritmo de crescimento da
população urbana. Observe a tabela:

É só observarmos o total de população para verificarmos se o


local é ou não urbanizado. Se a população urbana é maior que a rural,
o perfil é urbano. Isso pode confundir, pois se num pequeno município
mais da metade da população morar na cidade o perfil populacional é
urbano, mesmo com uma enorme população rural.

Observe o perfil populacional em cada mesorregião. Observe


seus perfis, se são rurais ou urbanos

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 12

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Qual das mesorregiões é a mais populosa e a mais urbanizada?


Cuidado com uma comum confusão. A RMR está geograficamente na
região da Mata, mas é uma mesorregião administrativa, mas suas
características naturais originalmente são as da mata, mas foram
profundamente desmatados tornando a paisagem quase totalmente
antropizada, ou seja, transformada pelo homem. A mais populosa é
também a mesorregião mais urbanizada que á a mesorregião
administrativa da RMR (região metropolitana de recife). Na sequência
a mesorregião mais populosa urbanizada é o agreste.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 13

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

O que é uma região metropolitana?


É quando a malha urbana de dois ou mais municípios se junta. A
esse processo de união das malhas urbanas chamamos de
conurbação, ou metropolitanização. Uma região metropolitana
também é uma área administrativa, e deve criar políticas públicas em
conjunto e para tanto temos o Estatuto Metropolitano, que rege as
políticas comuns a serem tomadas pelos municípios da metrópole,
como por exemplo transporte público, coleta de lixo, segurança pública
e mobilidade urbana. Tudo que envolver problemas em comum.

A RIDE Petrolina/Juazeiro (Região Integrada de Desenvolvimento do


Polo Petrolina/PE e Juazeiro/BA) é composta por municípios das
unidades da federação Pernambuco e Bahia;

Uma população do tamanho da Região metropolitana de Recife,


com os ritmos de crescimento desordenado nos últimos anos, (toda a
área urbana conurbada, ou seja as cidades unidas na malha da
metrópole) e do município (enquanto menor unidade administrativa,
município de Recife), não há dúvidas, que considerando os problemas
do subdesenvolvimento do país, no decorrer do crescimento urbano
foram surgindo inúmeros problemas de ocupação do espaço urbano
e nas formas de sociabilidade (as formas pelas quais as pessoas se
integram na sociedade) e convivência (violência, mobilidade, conflitos
culturais, etc.). A distribuição da riqueza no estado, destacadamente
na RMR é ruim, com uma grande concentração de riqueza, em poucas
famílias. Há muitos núcleos muito pobres e com maior quantidade de
aglomerados subnormais, mas eles são encontrados por todo o

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 14

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

município. São aglomerados subnormais cortiços, favelas e áreas de


ocupação irregular no espaço urbano, motivados pela extrema
pobreza. A região metropolitana de Recife influência por todo o
território do estado, não somente por sua grande população, mas
também por ser um grande polo econômico e concentrar a maior parte
do capital investido e em circulação do estado.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 15

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

BDE - BASE DE DADOS DO ESTADO DE PERNAMBUCO


Indicadores
demográficos

4. TABELA PARA CONSULTA.

2010

Taxa média
Municípios Densidade
Taxa de geométrica de
demográfica ¹
urbanização (%) incremento anual
(hab/km²)
(% aa)

Abreu e Lima 724,90 91,74 0,59

Afogados da
92,90 78,10 0,64
Ingazeira

Afrânio 11,80 33,33 1,59

Agrestina 112,58 74,77 1,25

Água Preta 62,05 56,66 1,49

Águas Belas 45,41 61,05 0,94

Alagoinha 63,16 56,46 0,94

Aliança 137,16 54,11 0,06

Altinho 49,18 57,16 0,10

Amaraji 93,38 73,13 0,29

Angelim 86,43 59,66 1,17

Araçoiaba 196,74 84,09 1,85

Araripina 40,84 60,68 0,87

Arcoverde 196,05 91,10 1,11

Barra de
111,44 89,15 1,56
Guabiraba

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 16

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Barreiros 174,54 83,43 0,40

Belém de Maria 153,96 70,39 0,66

Belém do São
11,06 62,12 0,02
Francisco

Belo Jardim 111,83 80,40 0,53

Betânia 9,65 30,93 0,60

Bezerros 119,53 84,78 0,22

Bodocó 21,75 36,48 1,03

Bom Conselho 57,44 65,44 0,78

Bom Jardim 173,17 40,17 0,22

Bonito 94,96 69,77 -0,05

Brejão 55,35 40,30 -0,08

Brejinho 68,76 46,34 0,04

Brejo da Madre de
59,26 77,74 1,72
Deus

Buenos Aires 134,54 63,15 0,43

Buíque 38,66 40,68 1,67

Cabo de Santo
414,32 90,68 1,92
Agostinho

Cabrobó 18,62 64,13 1,45

Cachoeirinha 104,98 80,80 1,00

Caetés 80,66 28,30 0,97

Calçado 91,23 34,25 -0,51

Calumbi 31,50 38,60 -2,23

Camaragibe 2.821,93 100,00 1,16

Camocim de São
236,00 83,76 1,24
Félix

Camutanga 217,39 80,11 0,39

Canhotinho 57,96 57,53 -0,16

Capoeiras 58,26 31,97 0,02

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 17

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Carnaíba 43,42 41,05 0,49

Carnaubeira da
11,73 16,82 1,25
Penha

Carpina 516,51 96,26 1,61

Caruaru 342,07 88,78 2,19

Casinhas 118,81 12,38 0,31

Catende 182,49 76,31 1,92

Cedro 62,79 58,37 1,22

Chã de Alegria 255,98 77,11 1,12

Chã Grande 237,33 67,99 0,90

Condado 270,87 93,23 1,09

Correntes 53,00 59,30 0,22

Cortês 122,90 63,45 -0,18

Cumaru 58,80 46,78 -4,59

Cupira 221,58 88,87 0,44

Custódia 24,11 64,14 1,23

Dormentes 11,00 35,49 1,62

Escada 183,07 84,96 1,03

Exu 23,65 51,53 -0,25

Feira Nova 190,96 79,30 0,87

Fernando de
154,55 100,00 2,52
Noronha

Ferreiros 127,93 80,16 0,64

Flores 22,27 42,24 0,63

Floresta 8,04 68,20 1,71

Frei Miguelinho 67,20 23,71 0,97

Gameleira 109,05 69,88 1,52

Garanhuns 282,21 89,14 0,95

Glória do Goitá 125,17 53,19 0,52

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 18

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Goiana 150,72 76,71 0,61

Granito 13,13 46,36 1,16

Gravatá 151,36 89,44 1,29

Iati 28,91 42,04 0,37

Ibimirim 13,79 55,26 1,03

Ibirajuba 39,74 41,68 0,13

Igarassu 333,88 92,07 2,17

Iguaracy 14,05 51,87 0,25

Inajá 16,14 41,71 3,69

Ingazeira 18,45 54,63 -0,16

Ipojuca 151,39 74,06 3,12

Ipubi 32,64 61,44 2,01

Itacuruba 10,16 84,87 1,76

Itaíba 24,23 36,90 -0,20

Ilha de Itamaracá 328,18 77,65 3,27

Itambé 116,13 83,12 0,12

Itapetim 34,29 60,70 -0,62

Itapissuma 320,19 77,08 1,68

Itaquitinga 151,73 76,88 0,49

Jaboatão dos
2.493,06 97,82 1,03
Guararapes

Jaqueira 131,88 61,58 -0,13

Jataúba 23,53 58,06 0,77

Jatobá 50,25 43,56 0,60

João Alfredo 222,34 48,86 1,30

Joaquim Nabuco 129,39 72,93 -0,10

Jucati 87,92 26,67 0,90

Jupi 130,54 60,97 1,06

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 19

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Jurema 98,08 60,20 0,57

Lagoa do Carro 229,77 72,67 -2,29

Lagoa de Itaenga 360,65 82,86 4,65

Lagoa do Ouro 61,04 49,70 1,01

Lagoa dos Gatos 70,06 55,34 -0,31

Lagoa Grande 12,29 45,76 1,75

Lajedo 193,70 72,06 1,29

Limoeiro 202,53 80,38 -0,16

Macaparana 221,43 62,00 0,62

Machados 226,46 62,18 3,30

Manari 47,43 21,11 3,33

Maraial 61,19 69,98 -1,35

Mirandiba 17,41 49,91 0,87

Moreno 289,16 88,54 1,43

Nazaré da Mata 204,95 88,26 0,52

Olinda 9.068,36 98,03 0,27

Orobó 164,99 35,99 0,18

Orocó 23,76 35,03 1,99

Ouricuri 26,56 50,65 1,27

Palmares 175,44 78,77 0,65

Palmeirina 51,82 63,23 -1,51

Panelas 69,14 54,45 -0,09

Paranatama 47,65 20,37 0,61

Parnamirim 7,79 41,42 0,47

Passira 87,61 48,71 -0,17

Paudalho 185,07 70,74 1,30

Paulista 3.086,01 100,00 1,37

Pedra 26,08 57,29 0,34

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 20

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Pesqueira 63,21 71,71 0,87

Petrolândia 30,75 72,70 1,75

Petrolina 64,49 74,57 3,01

Poção 45,56 62,16 0,06

Pombos 117,84 66,58 0,29

Primavera 121,97 63,84 1,59

Quipapá 104,88 48,84 0,89

Quixaba 31,98 37,02 -0,17

Recife 7.037,61 100,00 0,78

Riacho das Almas 61,03 45,73 0,55

Ribeirão 154,36 76,52 0,70

Rio Formoso 97,39 60,37 0,65

Sairé 58,85 56,09 -1,92

Salgadinho 104,84 32,88 2,69

Salgueiro 33,57 80,72 0,94

Saloá 60,73 50,09 0,20

Sanharó 81,71 56,93 3,29

Santa Cruz 10,82 32,71 1,90

Santa Cruz da
102,39 44,84 0,78
Baixa Verde

Santa Cruz do
261,23 97,73 4,02
Capibaribe

Santa Filomena 13,30 16,65 0,99

Santa Maria da
13,14 37,72 0,66
Boa Vista

Santa Maria do
141,31 25,15 1,04
Cambucá

Santa Terezinha 56,20 62,56 0,70

São Benedito do
86,87 51,34 2,90
Sul

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 21

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

São Bento do Una 74,03 52,40 1,62

São Caitano 92,23 76,77 0,54

São João 82,50 45,31 0,77

São Joaquim do
88,39 68,93 0,32
Monte

São José da Coroa


262,19 73,91 2,67
Grande

São José do
22,13 49,57 0,30
Belmonte

São José do Egito 39,84 65,85 0,77

São Lourenço da
392,49 94,05 1,30
Mata

São Vicente
149,14 65,89 0,61
Ferrer

Serra Talhada 26,59 77,34 1,12

Serrita 12,10 34,67 0,27

Sertânia 13,95 54,92 0,65

Sirinhaém 109,18 53,32 2,00

Moreilândia 27,52 61,43 0,01

Solidão 41,50 31,88 0,38

Surubim 231,42 75,26 1,52

Tabira 68,11 74,81 0,94

Tacaimbó 55,91 55,68 -0,16

Tacaratu 17,45 41,65 2,59

Tamandaré 96,66 73,23 1,83

Taquaritinga do
52,41 72,12 2,34
Norte

Terezinha 44,48 42,45 0,67

Terra Nova 28,87 54,04 2,13

Timbaúba 184,16 86,14 -0,56

Toritama 1.383,21 95,98 5,01

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 22

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Tracunhaém 110,27 84,02 0,52

Trindade 113,77 86,02 1,76

Triunfo 78,35 52,94 -0,09

Tupanatinga 27,62 34,94 1,62

Tuparetama 44,38 80,14 0,20

Venturosa 50,05 64,43 1,78

Verdejante 19,20 29,45 0,33

Vertente do Lério 106,93 23,03 -0,81

Vertentes 92,82 71,02 1,99

Vicência 134,78 44,92 0,64

Vitória de Santo
349,58 87,27 1,00
Antão

Xexéu 127,18 65,07 0,36

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e Agência


Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco.
Nota: As taxas de crescimento da população apresentadas no ano de
2010, corresponde ao período de 2000 a 2010, a de 2000 ao período
de 1991 a 2000. (1 ) A densidade demográfica de 2010 é do IBGE -
Sinopse do Censo Demográfico 2010.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 23

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

5. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS.

1. (G1 - ifpe 2014) Analise os textos a seguir.

“A estrutura fundiária do Brasil continua a mesma do período colonial”.


A afirmação de Gilmar Mauro, dirigente nacional do Movimento dos
Trabalhadores Rurais Sem Terra, o MST, não é mera retórica. Está
calcada em estudos que comprovam que pouco se avançou em termos
de distribuição da terra desde os tempos da Coroa Portuguesa. O
coeficiente de Gini, índice utilizado em pesquisas científicas para medir
o grau de desigualdade social, revela que a concentração de terra no
país até aumentou, se os dados analisados forem os do Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Disponível em:<http://guebala.blogspot.com.br/2011/11/estrutura-
fundiaria-do-brasil-continua.html>
Acesso em: 04set.2013.

Com base nas informações acima e nos seus conhecimentos sobre a


estrutura fundiária brasileira, assinale a alternativa correta.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 24

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

a) Constitui uma questão primordial para a sociedade brasileira que,


no entanto, não avança no que diz respeito à aplicação efetiva de
uma ampla reforma agrária.
b) Tal como vem ocorrendo nas últimas décadas, tem promovido a
inclusão social dos trabalhadores rurais e sua absorção pelo mercado
de trabalho.
c) Tem contribuído para aumentar a capacidade produtiva das
pequenas propriedades rurais, garantindo, assim, as condições de
subsistência para a agricultura familiar.
d) Contribui para acentuar a degradação ambiental, provocada pelas
monoculturas de exportação, realizadas, em geral, nas pequenas e
médias propriedades.
e) A legislação agrária proibiu a compra de terras por empresas
estrangeiras, de modo que as áreas agrícolas ociosas passaram a ser
ocupadas pelos trabalhadores rurais, democratizando o acesso à
terra.

Resposta:

[A]

Como mencionado corretamente na alternativa [A], a


questão fundiária envolve aspectos sociais e produtivos,
entretanto, ao longo da história tem permanecido inalterada em
sua tendência de concentração.
Estão incorretas as alternativas:
[B], [C] e [D], porque em razão da concentração fundiária,
ou seja, do predomínio das grandes propriedades comerciais,
posterga-se a exclusão social do trabalhador rural, reduz-se

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 25

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

investimento e capacidade da agricultura familiar, e


potencializa-se a degradação ambiental;
[E], porque a terra é uma mercadoria e tal qual, tem valor
de mercado, o que impossibilita o acesso democrático a ela.

2. (IAUPE/Upe 2013) Leia o texto a seguir:

No Brasil e em boa parte da América Latina, o crescimento da produção


agrícola foi baseado na expansão da fronteira, ou seja, o crescimento
sempre foi feito a partir da exploração contínua de terras e recursos
naturais, que eram percebidos como infinitos. O problema continua até
hoje. E a questão fundiária está intimamente ligada a esse processo,
em que a terra dá status e poder, com o decorrente avanço da fronteira
da produção agrícola, que rumou para a Amazônia, nos últimos anos.

Berta Becker, IPEA, 2012.

Com base no texto e no conhecimento sobre a expansão da fronteira


agrícola no Brasil, é CORRETO afirmar que
a) a agropecuária modernizada no Brasil priorizou a produção de
alimentos em detrimento dos gêneros agrícolas de exportação. Esse
fato contribuiu para o avanço das fronteiras agrícolas em parte da
Amazônia localizada no Meio-Norte.
b) houve grande destruição tanto das florestas como da biodiversidade
genética, ambas causadas pelas transformações da produção
agrícola monocultora, além de complexos impactos socioeconômicos
determinados pelo modelo agroexportador.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 26

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

c) a maior parte das terras ocupadas no Brasil concentra-se nas mãos


de pequeno número de proprietários os quais vêm desenvolvendo
mecanismos tecnológicos para evitar os impactos ambientais
causados pelo avanço do cinturão verde, sobretudo no Sul do Piauí.
d) as atividades do agrobusiness no Brasil, com destaque para a
produção de soja, vêm provocando uma rápida expansão agrícola do
Rio Grande do Sul até o Vale do São Francisco, sem causarem
prejuízo aos seus recursos naturais.
e) com o aumento da concentração fundiária nas últimas décadas, a
expansão das terras cultivadas obteve uma grande retração
agropecuária em decorrência das inovações tecnológicas,
desenvolvidas no campo brasileiro, apesar dos impactos ambientais.

Resposta:

[B]

Nas últimas décadas, a expansão da fronteira agrícola do


Brasil avançou sobre os domínios do Cerrado e Amazônico,
causando expressiva devastação dos ecossistemas e perda de
biodiversidade. No caso da Amazônia, a atual fronteira agrícola,
20% da floresta foi destruída devido à expansão da pecuária
bovina de corte e dos cultivos de soja destinados às
exportações para países desenvolvidos e emergentes.

3. (G1 - ifpe 2016) O processo de modernização de alguns países


subdesenvolvidos é marcado pela concentração de renda, propriedades
e serviços, o que acarretou uma precariedade da moradia urbana para

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 27

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

a maior parcela da população, sobretudo nas grandes cidades. Isso


pode ser observado na imagem abaixo, que retrata a realidade
contrastante entre os bairros de Paraisópolis (no primeiro plano) e
Morumbi (no segundo plano), na cidade de São Paulo.

A imagem e o texto retratam um processo conhecido como


a) especulação imobiliária.
b) desmetropolização.
c) conurbação.
d) favelização.
e) segregação espacial.

Resposta:

[E]

Como mencionado corretamente na alternativa [E], a


imagem remete ao conceito de segregação espacial, ou seja, a
concentração de setores da sociedade em espaços definidos por
sua faixa de renda.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 28

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Estão incorretas as alternativas:


[A], porque especulação imobiliária é a reserva de
espaços em áreas privilegiadas das cidades objetivando o
aumento do valor de mercado;
[B], porque desmetropolização é o processo de redução
do ritmo de crescimento das metrópoles em detrimento do
crescimento das cidades médias;
[C], porque conurbação é o processo de integração físico-
espacial entre duas ou mais cidades;
[D], porque o texto e a figura indicam a desigualdade
socioeconômica do espaço urbano e não somente a favelização.

4. (IAUPE/Upe 2015) “Nenhum aspecto da sociedade brasileira poderá


ser jamais explicado/compreendido, se não for considerada a enorme
desigualdade econômica e de poder político, que ocorre em nossa
sociedade. O maior problema do Brasil não é a pobreza, mas, a
desigualdade e a injustiça a ela associada. Desigualdade econômica e
desigualdade de poder político. Daí decorre a importância da
segregação na análise do espaço urbano de nossas metrópoles, pois a
segregação é a mais importante manifestação espacial-urbana da
desigualdade que impera em nossa sociedade.”

(VILLAÇA, Flávio. São Paulo: segregação urbana e desigualdade.


Estudos. Avançados. vol. 25 N°. 71, São Paulo, jan./abr. 2011)

Com relação às medidas a serem adotadas pelo Poder Público para


combater a segregação no espaço urbano referida no texto, analise os
itens a seguir:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 29

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

I. Expansão dos serviços de coleta de lixo e limpeza de ruas


II. Aumento da rede de esgotos
III. Avanço do controle da segurança
IV. Expansão da infraestrutura de transportes
V. Incremento dos serviços de educação

Estão CORRETOS
a) apenas I e V.
b) apenas II e V.
c) apenas I, II e III.
d) apenas II, III e IV.
e) I, II, III, IV e V.

Resposta:

[E]

O Brasil é caracterizado por uma profunda desigualdade


social e pela segregação socioespacial dos mais pobres nos
centros urbanos. Assim, as medidas do poder público para
combater a segregação envolvem a melhoria de acesso ao
saneamento básico (água potável, rede coletora de esgotos e
coleta de lixo), moradia, segurança pública, transporte coletivo
de qualidade, além de educação e saúde.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 30

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

5. (IAUPE/Upe 2014) Observe o diagrama e analise os itens a seguir:

I. O crescimento das metrópoles brasileiras teve seu círculo concêntrico


organizado a partir do centro em direção às periferias, fato que
agravou, consideravelmente, até os dias atuais, a mobilidade da
população.
II. Em países pobres, as periferias tiveram seus círculos concêntricos
organizados territorialmente em grupos comunitários de bairros
afastados dos grandes centros e próximos dos polos modais de
transporte público.
III. Somente após a década de 1950, o planejamento urbano das
grandes metrópoles brasileiras foi organizado, considerando-se os
postos de trabalho situados em locais próximos às moradias dos
trabalhadores.
IV. Os núcleos metropolitanos possuem seus círculos concêntricos
organizados a partir das periferias para os grandes centros urbanos.
Essa dinâmica no espaço geográfico brasileiro dificultou a mobilidade
diária da população.

Está CORRETO o que se afirma em


a) I.
b) II.
c) I e III.
d) II, III e IV.
e) I, II, III e IV.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 31

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

Resposta:

[A]

Os itens incorretos são:


[II] Nos países subdesenvolvidos, o crescimento da periferia
das cidades foi desordenado com graves problemas de
mobilidade urbana devido à precariedade do transporte
coletivo.
[III] Após a década de 1950, a urbanização foi acelerada e com
graves problemas de moradia, a exemplo da favelização.
[IV] Os núcleos metropolitanos são formados por uma cidade
principal e cidades vizinhas, muitas delas conurbadas.

6. EXERCÍCIOS PROPOSTOS.

1. (Ufpe 2005) Existe, em diversos países do mundo, um sistema de


criação que é feito em amplas áreas cercadas, onde o gado é solto para
se alimentar da pastagem natural ou de restos de cultura, após a
colheita das mesmas. Qual a denominação que é dada, em Geografia
Agrária, a esse sistema de criação?

a) Pecuária Intensiva
b) Pecuária Ultra-extensiva
c) Pecuária Ultra-intensiva
d) Pecuária Nômade

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 32

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

e) Pecuária Extensiva

Resposta:

[E]

2. (Unifesp 2009) A cana de açúcar produzida nos estados de São Paulo


e do Paraná alcança produtividade mais elevada por hectare, quando
comparada à produzida nos estados de Pernambuco, Paraíba e
Alagoas. A desvantagem que se verifica no Nordeste deve-se:
a) Aos baixos investimentos na melhoria genética das plantas.
b) À introdução recente daquela cultura nessa região do país.
c) Às frequentes secas que assolam o semiárido nordestino.
d) À estrutura fundiária concentrada naquela área do Brasil.
e) À baixa altitude do relevo, que dificulta a mecanização.

Resposta:

[A]

3. (Pucsp 2006) Leia com atenção:

"Um novo, desconhecido e próspero Nordeste, uma nova fronteira


agrícola que se consolida ano a ano com a produção de grãos no oeste
da Bahia, sul do Maranhão e sudeste do Piauí. É esta a nova aposta da
Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN) para tirar do papel o secular

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 33

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

projeto da Transnordestina. Com investimentos de R$ 4,5 bilhões em


reforma ou ampliação de 1.860 quilômetros de trilhos, o governo
federal planeja interligar as áreas produtoras de soja, milho e algodão
aos Portos de Suape, em Pernambuco, e de Pecém, no Ceará."
("Jornal do Comércio. Nova fronteira agrícola aguarda a
Transnordestina". 14/05/2006).

Sobre essa nova realidade nordestina, é correto afirmar que

a) os grãos mais produzidos nessa área são o milho e o algodão, por


serem lavouras que se adaptam melhor ao cerrado do que a soja.
b) o progresso agrícola na região mencionada é uma demonstração da
adaptação das lavouras modernas às regiões de caatinga e à seca.
c) os investimentos na ferrovia serão bem-vindos, mas não precisarão
ser muito grandes em razão da proximidade das áreas de plantio em
relação ao litoral.
d) no cerrado nordestino as chuvas são regulares, em especial nas
chapadas; os terrenos são planos e facilitam a mecanização das
lavouras. Essas são virtudes importantes da área.
e) embora a ferrovia seja um bom investimento por garantir um acesso
direto a portos marítimos dos produtos agrícolas, a região já está
bem assistida por rodovias federais.

Resposta:

[B]

4. (Ufpe 2003) No último quartel do século XX, particularmente na


década de 90, uma nova forma de organização empresarial tem

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 34

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

agregado os centros de formação de pessoal de alto nível às unidades


de produção e de serviços, empregando os mais modernos recursos de
microeletrônica. Em tais centros estão se implantando atividades de
alta tecnologia, como em Campinas e São José dos Campos, na região
Sudeste do Brasil.

Qual a denominação dada a esses centros?

a) centros megalopolitanos
b) centros-acrópoles
c) regiões metropolitanas
d) tecnopolos
e) edifícios empresariais urbanos

Resposta:

[D]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 35

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Urbanização e perfil socioeconômico da população.
Prof. Sérgio Henrique.

7. CONSIDERAÇÕES FINAIS.
Muito bem, querido concurseiro. Se chegou até aqui é um bom
sinal: o de que tentou praticar todos os exercícios. Não se esqueça da
importância de ler a teoria completa e sempre consultá-la. Não esqueça
dos seus objetivos e dedique-se com toda a força para alcança-los.
Sonhe alto, pois “quem sente o impulso de voar, nunca mais se
contentará em rastejar”. Te encontro na nossa próxima aula.
Bons estudos, um grande abraço e foco no sucesso.

Até logo...

Prof. Sérgio Henrique Lima Reis.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 36

Aula 05 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Aula 06

Geografia p/ Polícia Militar-PE


Professor: Sergio Henrique
Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

Olá pessoal,

Venho aqui para tratar de dois assuntos:

1º Eu alterei a ordem do cronograma, por ser a última aula teórica que


teremos e gostaria de aprofundar o máximo possível nessa última parte,
para que fique completa, didática e não deixe dúvidas. A aula será
regularizada dia 30/04.

2º Deixarei aqui adiantado, os exercícios que seriam postados na aula


07, por dois motivos. Primeiro para que vocês já possam ir treinando, e
segundo, como tive alguns pedidos referentes a vídeo aula, resolvi fazer
uma coisa que será de grande ajuda para todos:

Na próxima semana, estarei no estúdio do Estratégia para gravar


vídeo aulas de exercícios para vocês, e gostaria de pedir aqui, uma ajuda
que acho que será algo que trará bons resultados:

Gostaria que vocês escolhessem dentre essas questões abaixo,


algumas questões que vocês mais gostaram, ou que tiveram mais
dificuldade de responder, ou que ficou alguma dúvida. O que acharem
melhor. Me mandem o número das questões escolhidas (no máximo 3).
Dessa forma irei ver quais questões foram mais recorrentes em pedidos, o
que significa que foram as que mais deixaram dúvidas. Escolherei 10
questões para gravar e explicar da melhor maneira possível para vocês.

Desde já agradeço, e espero que isso ajude vocês a trilharem o


caminho para o sucesso, e que faça com que esse caminho seja o mais
simples possível.

Desejo a cada um de vocês uma boa sorte na realização da prova, e


um ótimo resultado, para chegar onde vocês desejam.

Grande abraço, bons estudos e foco no sucesso.

EXERCÍCIOS

1ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Recife – Guarda Municipal –


2011) Uma característica marcante da compartimentação do relevo do
Município do Recife é a presença de duas paisagens muito distintas: os

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 1

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

morros e a planície. Sobre a planície costeira, analise as proposições a


seguir:

I. A planície costeira do Recife se originou no período Terciário, e


nela deságuam importantes rios pernambucanos, como o
Capibaribe, Beberibe, Tejipió, Una e Jaboatão.
II. A planície costeira teve sua origem no Quaternário, por processo
de sedimentação marinha, em alguns trechos, e por deposição
fluvial, em outros.
III. Na planície costeira do Recife, são encontradas as planícies
marinhas e fluviais, as restingas, além de outras feições do
relevo, como os planaltos e as colinas formadas por terrenos
cristalinos de estrutura complexa. 5
IV. Recife foi edificada na planície flúvio-marinha. O crescimento da
cidade fez-se por meio de aterros em áreas alagadas e em
terras de planície de antigos engenhos de açúcar.

Estão CORRETAS

(A) I, II e III.
(B) I, II, III e IV.
(C) II, III e IV.
(D) II e IV.
(E) III e IV.

Resposta certa, alternativa d).

2ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Recife – Guarda Municipal –


2011) De acordo com o Plano Diretor do Recife, na cidade, são detectados
vários problemas socioambientais, como:

I. A ocupação desordenada das áreas de encostas que contribui


para impactos ambientais negativos, como erosões e ruptura de
taludes e supressão da vegetação.
II. A erosão costeira que, em anos recentes, se intensificou nas
praias da Zona Sul, com avanços expressivos da linha de costa
e perda da faixa litorânea.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 2

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

III. A substituição gradativa de edificações multifamiliares por


edificações unifamiliares está sobrecarregando a infraestrutura
existente.
IV. O aumento da frota de veículos circulantes e o consequente
aumento da emissão de gases poluentes.
V. O lançamento de esgotos não tratado e o lixo nos corpos d’água
pela população pobre, contribuindo para a poluição hídrica dos
canais, a baixa qualidade da água dos rios e a balneabilidade das
praias.

Estão CORRETOS

(A) I, II, III, IV e V.


(B) I, II, III e V.
(C) I, II e IV.
(D) III e V.
(E) III e IV.

Resposta certa, alternativa c).

3ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Recife – Guarda Municipal –


2011) Sobre a divisão do território do Recife, analise as proposições a
seguir:

I. A Microrregião do Recife faz parte da Mesorregião Metropolitana


de Recife, que é composta por 14 municípios e um distrito
estadual - Fernando de Noronha.
II. A população do Recife, que, segundo o IBGE, em 2010, era de
1.537.704hab., encontra-se desigualmente distribuída em seus
94 bairros, pois ocorre uma maior concentração na Zona Sul da
cidade.
III. O Recife possui uma divisão territorial em seis Regiões Político-
Administrativas – RPA’s que, foram subdivididas para efeito de
planejamento, em três microrregiões que não obedecem às
delimitações dos bairros.
IV. Alguns Bairros, como Recife, Santo Antônio, São José, Boa Vista,
Coelhos, Ilha do Leite e Santo Amaro, estão localizados na
Microrregião do Recife e inseridos na Região Político-

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 3

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

Administrativa 1 (RPA1) Centro, onde predominam atividades


financeiras, comerciais e de serviços.

Estão CORRETAS

(A) I, II e III.
(B) I e IV.
(C) III e IV.
(D) II e III.
(E) II e IV.

Resposta certa, alternativa b).

4ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Recife – Guarda Municipal –


2011) O Recife possui algumas áreas de interesse ambiental e paisagístico,
necessárias à preservação das condições de amenização do ambiente, com
características excepcionais de matas, mangues, açudes e cursos de água,
como as Zonas Especiais de Proteção Ambiental (ZEP(A), dentre as quais
podemos destacar, EXCETO:

(A) Lagoa do Araçá/Imbiribeira.


(B) Parque dos Manguezais.
(C) Mata do Engenho Uchôa.
(D) Jardim Botânico do Curado.
(E) Mata de Caetés.

Resposta certa, alternativa e).

5ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Recife – Guarda Municipal –


2011) Recife é considerado, hoje, um dos maiores centros de produção
cultural do Nordeste. Entre as manifestações culturais, a música tem se
destacado, sobretudo, após o resgate de sons regionais misturados com a
música pop, chamando a atenção da mídia nacional para o som regional,
por meio do movimento

(A) Tropicalista.
(B) Funk.
(C) Mangue Beat.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 4

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

(D) Bossa Nova.


(E) Clube da Esquina.

Resposta certa, alternativa c).

6ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes –


Guarda Municipal – 2014) As grandes porções de terras emersas da
crosta terrestre, limitadas por oceanos e mares, são denominadas de
continentes. Acerca dos continentes, seus limites e configurações, assinale
a alternativa INCORRETA.

(A) No passado, a Ásia e a África eram unidas pelo istmo de Suez. Com
a construção do Canal de Suez, inaugurado em 1869, essas porções
terrestres emersas tornaram-se separadas.
(B) Avaliando-se o critério histórico-cultural, o continente Euro-Afro-
Asiático subdivide-se em três continentes: Europa, África e Ásia.
(C) Cercado pelo Oceano Antártico, não se considera o território da
Antártida como um continente, uma vez que ela é formada por porções
permanentes de gelo e condições desfavoráveis para a manutenção de
várias formas de vida.
(D) As porções de terras que formam a Europa podem ser concebidas
como uma extensa península, pois se configuram como um prolongamento
natural da Ásia. Em face disso, alguns autores chamam esse conjunto de
terras emersas de Continente Euro-asiático ou Eurásia.
(E) Com extensão alongada no sentido Norte-Sul, o Continente
Americano é cortado pelo Círculo Polar Ártico, Trópico de Câncer, Equador
e Trópico de Capricórnio.

Resposta certa, alternativa c).

7ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes –


Guarda Municipal – 2014) No que se refere à população mundial, analise
as afirmativas e assinale a CORRETA.

(A) A população humana apresenta uma distribuição essencialmente


homogênea, uma vez que a atual tecnologia permite modelos de ocupação
e movimentos demográficos semelhantes.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 5

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

(B) A Ásia é o primeiro continente no ranking dos mais populosos do


Planeta, seguido da Europa, África, América e Oceania.
(C) Conforme estudos demográficos, ao final do século XXI, haverá
taxas de crescimento populacional mundiais cada vez maiores, uma vez
que países subdesenvolvidos não apresentam políticas eficientes de
controle de natalidade, tampouco condições sociais.
(D) Ao menos dois fatores justificam o padrão de distribuição da
população mundial: o de ordem natural e o de ordem histórico-econômica.
(E) Para a obtenção da densidade demográfica de determinada região,
multiplica-se o quantitativo populacional pela sua extensão territorial.

Resposta certa, alternativa d).

8ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes –


Guarda Municipal – 2014) O Município do Jaboatão dos Guararapes
localiza-se na Região Metropolitana do Recife – RMR. Sobre esse
Município, coloque nos parênteses V para as afirmativas Verdadeiras e F
para as Falsas.

( ) Possui monumentos decretados como integrantes de Patrimônio


Histórico de Pernambuco, como exemplos, a Igreja de Nossa Senhora da
Piedade, Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, Parque Histórico Nacional
dos Guararapes, dentre outros.
( ) É o segundo município mais populoso de Pernambuco. Limita-se
ao Norte com o Recife e São Lourenço da Mata; ao Sul, com o Cabo de
Santo Agostinho; a Leste, com o Oceano Atlântico e a Oeste, basicamente,
com o município de Moreno.
( ) Contempla, em seu território, as praias de Piedade, Candeias e
Barra de Jangada, com hidrografia onde se destacam os rios Jaboatão e
Tejipió.
( ) Apresenta clima subtropical do tipo As’, com significativa
influência dos ventos umedecidos do Oceano Atlântico.
( ) Congrega a Festa de Nossa Senhora dos Prazeres, realizada todos
os anos, no Parque Histórico Nacional dos Guararapes, conhecida
popularmente como Festa da Pitomba.

Assinale a alternativa que contém a sequência CORRETA.

(A) V-V-V-F-V

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 6

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

(B) V-F-F-V-V
(C) V-V-V-V-V
(D) V-F-V-V-V
(E) V-V-V-F-F

Resposta certa, alternativa a).

9ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes –


Guarda Municipal – 2014) A poluição atmosférica é um dos sérios
problemas, quando o assunto é degradação do meio ambiente. Sobre isso,
analise as afirmativas abaixo:

1. A Organização das Nações Unidas – ONU realizou uma convenção


em 1997, no Japão. Tal evento gerou o chamado Protocolo de Quioto, no
qual as nações desenvolvidas assumiram o compromisso de reduzir suas
taxas de poluição nos anos subsequentes. Esse fato culminou no marco
histórico de redução progressiva dos principais gases poluentes emitidos
na atmosfera.
2. Em zonas rurais, os principais agentes poluidores da atmosfera são
a prática de queimadas em canaviais, visando facilitar a colheita e incêndios
em áreas de vegetação para a comercialização de madeiras e/ou práticas
agropecuárias.
3. A produção de gases, como dióxido de enxofre, monóxido de
carbono e óxidos de azoto, em larga escala, por atividades antrópicas,
pode trazer sérios problemas de saúde aos seres humanos.
4. Efeito estufa é um típico exemplo de fenômeno artificial que se
desenvolve a partir das atividades humanas, nas metrópoles. Sua dinâmica
baseia-se na retenção de calor gerado em dias quentes, aumentando as
médias térmicas nessas metrópoles.
5. Problemas da ordem de contaminação atmosférica são comuns em
cidades, gerados, sobretudo, por indústrias e usinas termelétricas, além de
existir, ainda, a emissão de poluentes por veículos que utilizam
combustíveis fósseis.

Estão INCORRETAS apenas

(A) 1 e 4.
(B) 3 e 5.
(C) 1, 4 e 5.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 7

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

(D) 2, 3 e 4.
(E) 1, 2 e 5.

Resposta certa, alternativa a).

10ª Questão) (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2004) Sobre o


crescimento demográfico dos continentes, analise a tabela abaixo e
assinale a alternativa INCORRETA.

(A) Nos continentes mais pobres, a explosão demográfica alcançou


índices mais altos entre 1970 e 1985, ficando a média do crescimento acima
de 2,0 % ao ano.
(B) O continente africano é o único que mantém um ritmo acelerado
de crescimento demográfico, embora venha apresentando uma queda a
partir de 1990.
(C) Nos países ricos do continente europeu, há uma verdadeira
estagnação demográfica, e a natalidade e a fecundidade, em geral, estão
bastante reduzidas.
(D) A América Latina e a Ásia vêm apresentando taxas reduzidas de
crescimento da natalidade e da fecundidade, sobretudo a partir de 1985,
como resultado do crescimento da economia, elevando as condições de vida
e diminuindo os desníveis na distribuição de renda.
(E) As taxas de natalidade na Ásia vêm sendo reduzidas graças a um
rigoroso programa de controle de natalidade.

Resposta certa, alternativa d).

11ª Questão) (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2004) Sobre o processo


migratório no Brasil, é INCORRETO afirmar.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 8

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

(A) Os imigrantes alemães fundaram os núcleos urbanos de São


Leopoldo e de Novo Hamburgo no Rio Grande do Sul e Joinville e Blumenau
em Santa Catarina.
(B) Os colonos italianos fundaram os núcleos de Bento Gonçalves e de
Garibaldi em São Paulo, onde a maior parte deles se dedicou à vinicultura.
(C) Um forte surto imigratório ocorreu no Brasil, incentivado pelo
governo e pelos produtores de café, no século XIX, para substituir o escravo
nas lavouras cafeeiras.
(D) A imigração japonesa se estabeleceu, sobretudo, em São Paulo,
onde se dedicou ao cultivo de hortaliças, algodão, arroz e introduziu o
cultivo do chá.
(E) Nos últimos decênios, a imigração no Brasil diminuiu
significativamente, pois deixou de ser um mercado de trabalho atraente,
sobretudo para os migrantes europeus.

Resposta certa, alternativa b).

12ª Questão) (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2004) Sobre a Área de


Livre Comércio das Américas (ALC(A), podemos afirmar.

I. A implantação da Alca favorece, sobretudo, os Estados Unidos


que exercerão hegemonia, face ao poder de competição da sua
economia.
II. O interesse da Alca para os Estados Unidos consiste em ampliar
as importações de bens de alta tecnologia e de serviços para as
principais economias da América do Sul.
III. A Alca tem por finalidade a formação de uma união aduaneira,
um mercado comum e a constituição de uma zona de livre
comércio.
IV. No Brasil, há opiniões divergentes sobre a decisão entre a
adesão ou a recusa, em ingressar no bloco, pelo receio de uma
dependência ainda mais acentuada de capitais e tecnologias
externas.

Os itens incorretos são

(A) apenas I, II e III.


(B) apenas II, III e IV.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 9

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

(C) apenas III e IV.


(D) apenas II e III.
(E) apenas I, III e IV.

Resposta certa, alternativa d).

13ª Questão) (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2004) Sobre as


atividades econômicas no Estado de Pernambuco, podemos AFIRMAR
corretamente que

(A) os grandes projetos de irrigação no Sertão do São Francisco f oram


implantados com o apoio da Comissão de Desenvolvimento do Vale do São
Francisco (CODEVASF), com investimentos voltados ao mercado interno
regional.
(B) o fechamento de diversas usinas e destilarias de açúcar em
Pernambuco que se encontram, sobretudo, na Zona da Mata e do Agreste
do Estado tem contribuído para o agravamento das tensões sociais no
campo.
(C) a cana-de-açúcar continua a ser o principal produto agrícola de
Pernambuco em área cultivada e em volume de produção, dominando as
regiões da Mata e alguns municípios da região Metropolitana do Recife.
(D) as lavouras de milho e de algodão no Estado de Pernambuco vêm
perdendo expressão econômica, face ao avanço na região do Agreste da
pecuária leiteira e pela praga do bicudo, que está dizimando essas culturas.
(E) no Estado de Pernambuco, as grandes propriedades rurais, ou seja,
os latifúndios, se dedicam basicamente às atividades agrícolas, como a
criação de animais e a produção da policultura para abastecimento dos
centros urbanos.

Resposta certa, alternativa c).

14ª Questão) (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2004) Segundo


ANDRADE (2003) “As condições naturais, a posição geográfica e a formação
econômica – social que modelaram o território pernambucano
determinaram a sua divisão em três grandes regiões geográficas, aceitas
pelo consenso: o Litoral–Mata, o Agreste e o Sertão”.

Não são características destas regiões, EXCETO:

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 10

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

(A) o Agreste está situado num clima tropical úmido e subúmido, onde
domina atividades econômicas ligadas à pecuária intensiva e à diversidade
de produção de frutas e horticulturas.
(B) a região canavieira se desenvolveu no domínio do litoral, onde as
condições de clima e solos arenosos foram favoráveis ao seu cultivo na
forma de agricultura irrigada, além de uma pecuária intensiva.
(C) o Agreste compreende a porção sobre o Planalto da Borborema,
onde há uma variação do clima quente e subúmido e dominam culturas
diversificadas e uma pecuária em moldes semi-intensivos.
(D) o Sertão compreende uma área de clima quente e árido e está
delimitado pela área de monocultura canavieira e pelo sertão do São
Francisco, onde se situa Petrolina, a cidade mais promissora do Estado.
(E) a Zona da Mata está situada entre a Região Metropolitana do Recife
e os limites do clima tropical de semi-aridez acentuada do Sertão
Pernambucano, uma área sob o domínio de monocultura canavieira.

Resposta certa, alternativa c).

Resposta certa, alternativa e).

15ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Garanhuns – Guarda


Municipal – 2015) Geograficamente falando, a produção do açúcar em
Pernambuco se restringiu, por questões climáticas e geológicas, à região
do

(A) Litoral.
(B) Sertão.
(C) Agreste.
(D) Litoral e Zona da Mata.
(E) Agreste Setentrional.

Resposta certa, alternativa d).

16ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Abreu e Lima – Professor


do Ensino Fundamental – 2008) A natureza sempre constituiu uma das

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 11

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

bases sobre a qual se estruturou o conhecimento geográfico. Em seu


estudo, é necessário ressaltar, EXCETO.

(A) A natureza em sua dinâmica própria, ou seja, as múltiplas relações


que se processam dentro do quadro natural.
(B) A visão integrada e de conjunto da sociedade com a natureza.
(C) A preocupação em compreender a sua dinâmica permanentemente
transformada pelo homem ao longo de um processo histórico.
(D) O espaço geográfico como fruto das relações sociais não contém a
natureza no processo de sua estrutura espacial.
(E) A natureza como totalidade e não, apenas, a soma das partes
(elementos) que a contêm.

Resposta certa, alternativa d).

17ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Abreu e Lima – Professor


do Ensino Fundamental – 2008) Assinale a alternativa que não contém
os compartimentos do relevo encontrados em Pernambuco.

(A) Planície e tabuleiros costeiros.


(B) Colinas da zona da mata e planície costeira.
(C) Planalto da Borborema e maciços residuais.
(D) Chapada do Araripe e Depressão Sertaneja
(E) Planalto da Bacia Jatobá e Chapada do Apodi.

Resposta certa, alternativa e).

18ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Abreu e Lima – Professor


do Ensino Fundamental – 2008) Na economia pernambucana, destaca-
se a existência de regiões e pólos específicos de produção industrial e
agrícola, localizados em diversas áreas do Estado. Sobre isso, assinale a
alternativa incorreta.

(A) O pólo graniteiro, uma área produtora de pedras ornamentais, com


destaque para o granito, e o pólo gesseiro, com a exploração de gipsita,
concentrados, espacialmente, na mesorregião do Sertão pernambucano.
(B) A concentração de unidades industriais, representadas pelas
usinas de açúcar e destilarias, encontra-se nas mesorregiões da Mata

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 12

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

Pernambucana e Metropolitana do Recife, face as condições naturais de


clima e solo aí dominantes.
(C) A agricultura irrigada no Sertão do São Francisco, com grandes
projetos e altos investimentos aplicados em uma produção voltada,
sobretudo, para o mercado externo.
(D) O Complexo Industrial e Portuário de Suape, devido à magnitude
e importância, é considerado um Pólo Econômico regional e conta com um
dos mais importantes portos da América do Sul em decorrência da sua
localização estratégica.
(E) Os Pólos Médicos e de Informática vêm se destacando nos últimos
anos como uma moderna atividade de serviços no Estado de Pernambuco.

Resposta certa, alternativa a).

19ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Abreu e Lima – Professor


do Ensino Fundamental – 2008) Sobre a vegetação de Pernambuco, é
incorreto afirmar.

(A) A vegetação de transição floresta/caatinga localiza-se na Chapada


do Araripe.
(B) Os manguezais dispõem-se nas áreas, predominantemente de
água doce dos rios, num ambiente totalmente livre dos avanços diários das
marés.
(C) O cerrado ocorrem em uma pequena porção da Zona da Mata
Setentrional; caracteriza-se por uma vegetação arbórea de caules
retorcidos e tortuosos.
(D) As Florestas ocorrem nas áreas situadas imediatamente após os
terrenos litorâneos, ou seja, na Zona da Mata.
(E) A caatinga é a formação que ocupa maior espaço pernambucano.
É característica das zonas fisiográficas do Agreste e do Sertão.

Resposta certa, alternativa b).

20ª Questão) (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2009) Sobre a


urbanização brasileira, analise as afirmativas abaixo.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 13

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

I. No Brasil, desenvolveu-se uma urbanização concentradora, isto


é, com a formação de grandes cidades e metrópoles. O censo de
2000 mostra grande concentração da população nas grandes
cidades e metrópoles. No entanto, a população das capitais
estaduais vem crescendo mais lentamente do que a do país.
II. A industrialização, a oferta de empregos, o crescimento das
cidades e as mudanças que repercutiram no meio rural explicam
o crescente esvaziamento populacional do campo no Brasil.
III. A atividade mineradora foi responsável pelo primeiro surto de
urbanização, o que contribuiu para a transferência da capital da
colônia, de Salvador para o Rio de Janeiro assim como o
deslocamento do eixo produtivo do Nordeste açucareiro para o
Sudeste aurífero, promovendo a interiorização do crescimento
econômico do país.
IV. A área central do município de São Paulo urbanizou-se,
principalmente, graças às atividades ligadas ao extrativismo
vegetal: agências bancárias, casas de vendas e de importação.
V. A partir da segunda metade da década de 1990, a população
rural se estabilizou ou sofreu um grande aumento em todas as
regiões. Isso se deve, em parte, ao programa de reforma
agrária, à diminuição da oferta de empregos rurais não-agrícola
em hotéis-fazenda, spas, pesqueiros, pousadas e reservas
ecológicas.

Estão INCORRETAS

(A) I e II, apenas.


(B) III e IV, apenas.
(C) IV e V, apenas.
(D) II, III e IV, apenas.
(E) I e IV, apenas.

Resposta certa, alternativa c).

21ª Questão) (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2009) Sobre as


migrações, é INCORRETO afirmar que

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 14

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

(A) uma das formas mais comuns de migrações temporárias é a


sazonal de caráter cíclico. Originalmente, essa migração estava ligada à
economia agrícola.
(B) a migração definitiva mais importante é a decorrente do êxodo
rural. Os habitantes de área rural, atraídos pela esperança de melhoria da
qualidade de vida, deixam o campo e mudam-se para as áreas onde se
concentram atividades industriais e de serviços.
(C) as migrações de natureza política são consequências de guerras e
conflitos étnicos ou religiosos e sempre acarretam migrações forçadas.
Nesse tipo de deslocamento, temos os que ocorrem por coerção e os que
resultam de fugas, ambos apresentando consequências trágicas, com
grande número de mortos.
(D) as migrações de natureza econômica decorrem, principalmente,
das disparidades econômicas entre os países. Nas migrações forçadas, os
trabalhadores emigram à procura de um emprego, o de melhor renda, e
acabam tornando-se mão-de-obra especializada, qualificada e valorizada
nos países onde chegam.
(E) nos países ricos, as migrações definitivas ocorrem entre as
diferentes zonas urbanas ou suburbanas, deslocando-se pelo território
nacional, em busca de emprego ou de melhores salários.

Resposta certa, alternativa d).

22ª Questão) (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2009) Sobre a


população, analise as proposições abaixo.

I. Atualmente, a distribuição desigual da população pela superfície


do planeta depende mais de fatores naturais do que de fatores
históricos, econômicos e sociais.
II. Em alguns países desenvolvidos, as alterações comportamentais
criadas pela urbanização e a melhoria do padrão de vida
causaram uma queda acentuada dos índices de natalidade que,
em certos períodos, o crescimento vegetativo chega a ser
negativo.
III. Nos países desenvolvidos, o percentual da população
economicamente ativa no conjunto da população é em torno dos
50%. Já nos países subdesenvolvidos, o número costuma ser
maior que 50%, já que muitos jovens e idosos são obrigados a
trabalhar.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 15

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

IV. Nos países desenvolvidos, o crescimento com índice negativo


gera problemas, porque, se a expectativa de vida é baixa, e a
taxa de mortalidade é alta, aumenta a participação de idosos no
conjunto total da população.

Somente está CORRETO o que se afirma em

(A) I e II
(B) II e III.
(C) I, III e IV.
(D) II, III e IV.
(E) III e IV.

Resposta certa, alternativa b).

23ª Questão) (IAUPE – PM/PE – Soldado – 2009) Sobre as regiões


de Pernambuco, analise as afirmações abaixo.

I. Na Zona da Mata, o clima é quente e úmido; o relevo se


caracteriza por apresentar colinas convexas, que surgem
dominantemente em terrenos cristalinos da porção oriental do
estado, principalmente na Mata Sul assim como apresenta
médias anuais de chuvas superiores a 1.800mm, com
temperaturas anuais em torno de 24ºC.
II. No Sertão, sobretudo a partir de Arcoverde, o relevo se mostra
com predominância de superfície aplainada, denominado de
pediplanos, com relevos residuais, também conhecidos como
inselbergues. Apresenta precipitações anuais iguais ou inferiores
a 800mm. Também são encontradas “ilhas de umidade”, ou
brejos, onde se observam índices de chuvas em torno de 900 a
1.000 mm.
III. O Agreste marca a transição entre a Zona da Mata e o Sertão. A
policultura e a pecuária de corte são as principais atividades
econômicas. Os rios são predominantemente perenes, sendo

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 16

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Geografia de Pernambuco. PMPE
Prof. Sérgio Henrique

constatados, apenas, pela forma do leito e pela existência de


alguns poços.

Somente está CORRETO o que se afirma em

(A) I e II.
(B) II e III.
(C) I e III.
(D) II.
(E) III.

Resposta certa, alternativa a).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 17

Aula 07 PM PE – Prof. Sérgio Henrique.


Aula 07

Geografia p/ Polícia Militar-PE


Professor: Sergio Henrique
Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

SUMÁRIO

00. Bate papo inicial. Pág. 02

1. Efeito estufa. Pág. 03

2. Chuva ácida. Pág. 05

3. Inversão térmica. Pág. 06

4. Ilha de calor. Pág. 07

5. Sertão: desertificação. Pág. 08

6. Contaminação dos recursos hídricos. Pág. 09

7. Precariedade do sistema de esgoto sanitário. Pág. 09

8. Assoreamento e contaminação do solo. Pág. 10

9. Código ambiental de Pernambuco. Pág. 10

10. Exercícios Resolvidos. Pág. 11

11. Exercícios Propostos. Pág. 16

12. Considerações finais. Pág. 36

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 1

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

00. BATE PAPO INICIAL.

Olá amigo concurseiro. É com muita alegria que o recebo


novamente para falarmos de geografia. Estudar as aulas anteriores, é
fundamental para que você possa compreender muitas das coisas que
vamos tratar aqui. Leia com atenção seu texto de apoio, releia e
pratique exercícios. Aos poucos o conteúdo básico vai ficar retido na
sua memória. Claro que para isso é muito importante você fazer suas
próprias anotações, ou em forma de resumo ou anotações nos
exercícios, não importa, você escolhe. O importante é estudarmos
bastante e nos concentrarmos nos estudos. Estimule sua disciplina e
procure motivação pensando em seus sonhos. Bons estudos.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 2

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

Meio Ambiente:

O estado de Pernambuco possui uma ocupação humana antiga,


então sua superfície é bastante antropizada, ou seja, foi transformada
pelo homem. A região da zona da mata e RMR possuem os maiores
adensamentos populacionais e urbanos, então alguns dos problemas
enfrentados são típicos dos centros urbanos como ilhas de calor e
chuvas ácidas. A vegetação litorânea dos mangues é extremamente
frágil e muito atingida por localizar-se justamente onde há maior
urbanização, então sujeita aos dejetos despejados irregularmente no
mar. Os mangues e os recifes de corais são frágeis e muito atingidos.

1. EFEITO ESTUFA.

O efeito estufa é um efeito natural, ou seja, existe


independentemente da ação humana. É ele que mantêm as

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 3

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

temperaturas médias da terra em torno de 25°C. A atividade antrópica


(humana) provoca desequilíbrios e agrava o aquecimento do planeta.
O efeito é o seguinte. Alguns gases acumulados na atmosfera,
principalmente o CO2 (gás carbônico), possuem a propriedade química
de reter calor. Com a industrialização a partir do século XVIII a emissão
de gás carbônico na atmosfera aumentou muito e desde lá podemos
identificar um aumento da temperatura média do planeta. Alguns
cientistas, chamados céticos, questionam a hipótese de o aquecimento
global ser provocado pelo homem. Questionam que é possível que seja
um ciclo natural de alteração da temperatura do planeta. Concordam
que ele está aquecendo, mas não quanto as causas do aquecimento.

O gás carbônico é o mais conhecido, mas não é o único. São


também gases estufa o CH4 (metano), SO2 (dióxido de enxofre,
também causador da chuva ácida) e o vapor d’agua.

Há uma discussão sobre as causas do aquecimento global e qual


o caminho que deve ser tomado para lidar om ele. A ONU já realizou
várias tentativas de acordos e encontros internacionais sobre o clima.
Talvez o mais conhecido seja o protocolo de Kyoto e 1997. A proposta
era diminuir as emissões em 05% das emissões até 2010, tendo por
base o ano do acordo. O acordo contou com o apoio da maior parte das
nações do mundo, mas não foi aprovado por oposição dos EUA, que
desestimularam a participação de outros países, inclusive porque são
sozinhos os responsáveis por quase metade das emissões de gás
carbônico na atmosfera. Argumentaram que não colocariam em risco
o desenvolvimento industrial do país e que não estaria comprovado
que é a industrialização e a emissão de gás carbônico na atmosfera
sejam os principais responsáveis. Sugeriram que eram os rebanhos
bovinos da Índia e Nova Zelândia, que emitem muito metano na
atmosfera pela flatulência (o pum do bovino). O metano possui um
poder de reter calor vinte vezes maior que o gás carbônico.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 4

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

2. CHUVA ÁCIDA.

A Chuva ácida ocorre em locais bastante poluídos. A grande


quantidade de poluentes na atmosfera faz com que alguns deles
reajam com a água da atmosfera formando ácidos. Os principais
componentes da chuva ácida é o ácido nítrico (HNO3) e o ácido sulfúrico
(H2SO4). As chuvas ácidas são formadas nos grandes centros urbanos,
mas a circulação atmosférica pode levar as nuvens ácidas para zonas
rurais em que a chuva ácida atinge plantações prejudicando-as e
acidificando o solo, que assim diminui a fertilidade. Também provoca
prejuízos ao patrimônio histórico.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 5

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

3. INVERSÃO TÉRMICA.

Observe bem a imagem. Para compreendê-la melhor, temos que


saber como é o comportamento da atmosfera. Em geral ela está em
constante movimento, pois é muito dinâmica. O ar mais quente fica
mais próximo da atmosfera e quanto sobe resfria. Quando está perto
do solo a densidade do ar quente é menor. A densidade o ar frio é
maior. Em períodos muito poluídos, a camada de gases poluentes
impede a movimentação do ar. Ocorre principalmente em dias sem ou
com pouco vento. O ar quente não sobe porque é bloqueado pelos
poluentes resfriando perto da superfície, ficando mais denso e mais
difícil de dispersar. A camada de poluentes provoca uma inversão
térmica na atmosférica.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 6

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

4. ILHA DE CALOR.

Observe o gráfico com atenção. Quanto mais próximo do centro


da cidade, maior a temperatura. Quanto mais próximo da zona rural a
temperatura é menor. Isso ocorre pois nos centros urbanos em geral
são desmatados e impermeabilizados pelo asfalto, além de possuírem
grandes construções. O asfalto e o concreto são materiais que retêm
calor e as grandes construções impendem a circulação do ar. Nas zonas
rurais a temperatura é sempre mais fresca em razão da maior
circulação dos ventos e da vegetação, que retêm umidade e mantêm
a temperatura mais amena.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 7

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

5. SERTÃO: DESERTIFICAÇÃO.

A desertificação é um dos grandes problemas ambientais das


regiões semiáridas do planeta. No sertão pernambucano temos uma
área sensível à desertificação. É basicamente a expansão de desertos,
ou a perda abrupta de biodiversidade. São as causas fundamentais: o
clima semiárido, o desmatamento, o desgaste do solo pela agricultura.
A principal solução para conter a desertificação é o reflorestamento de
áreas degradadas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 8

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

6. CONTAMINAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS.

São duas as principais formas de contaminação dos recursos


hídricos: o intenso uso de agrotóxicos na agricultura do plantation, e a
contaminação do solo urbano, e a destinação inadequada de resíduos
sólidos. O esgoto, que é descartado nos rios ou no litoral, atinge
diretamente os Mangues e os recifes de corais, que são formações
típicas de clima tropical e são profundamente atingidas pela
contaminação das águas.

7. PRECARIEDADE DO SISTEMA DE ESGOTO SANITÁRIO.

É um problema nacional e está ligado ao crescimento


desordenado dos centros urbanos, que não conseguiu oferecer serviços
básicos de saneamento básico e fornecimento de água para toda a
população. Cobertura no abastecimento de água 94%, 22% de
saneamento para o estado e 33% para a RMR. São números muito
aquém das necessidades da população. A carência na estrutura de
saneamento básico está diretamente ligada aos racionamentos de água
e algumas doenças como verminoses, leptospirose, dermatites e focos
de proliferação do Aedes aegypti que é o transmissor do vírus da
dengue, e também do Zika vírus e Chikungunya. A carência na
infraestrutura de distribuição e tratamento de água e esgoto é um
indicativo do desenvolvimento. Algumas doenças são diretamente
expostas à população pobre que é mais sujeita à contaminação.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 9

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

8. ASSOREAMENTO E CONTAMINAÇÃO DO SOLO.

O assoreamento ocorre quando há o desmatamento da mata


ciliar (a vegetação às margens dos rios, formando “cílios” ), expondo
o solo das margens e acelerando o processo de erosão. As margens
desbarrancam e o leito do rio perde profundidade. O São Francisco
possui vários trechos profundamente assoreados.

9. CÓDIGO AMBIENTAL DE PERNAMBUCO.

O código ambiental pauta-se na ideia de desenvolvimento


sustentável: Podemos definir como a exploração dos recursos naturais
do planeta, garantindo às gerações futuras o direito de fazer o mesmo.
Então envolve práticas conservacionistas, como a criação de reservas,
implantação de um manejo adequado à agricultura e a proteção das
águas combater o assoreamento e poluição dos recursos hídricos. O
plano diretor de recife por exemplo prevê a manutenção e a
preservação dos recursos hídricos.

- Fernando de Noronha: carbono neutro.

- 218 milhões de recursos captados.

- 80 reservas.

- Projeto engorda areias da praia.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 10

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

10. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS.

(1ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Recife – Guarda Municipal –


2011) De acordo com o Plano Diretor do Recife, na cidade, são
detectados vários problemas socioambientais, como:

I. A ocupação desordenada das áreas de encostas que contribui


para impactos ambientais negativos, como erosões e ruptura de
taludes e supressão da vegetação.

Verdadeira. Taludes são os nomes técnico das encostas


dos morros. Com o desmatamento e a ocupação desordenada
com a criação de aglomerados habitacionais em áreas de risco
sujeitas à desmoronamento, sobretudos nas regiões
planálticas.

II. A erosão costeira que, em anos recentes, se intensificou nas


praias da Zona Sul, com avanços expressivos da linha de costa e perda
da faixa litorânea.

Verdadeiro. Entre os efeitos da erosão é perder faixa


litorânea por acumulo de sedimentos.

III. A substituição gradativa de edificações multifamiliares por


edificações unifamiliares está sobrecarregando a infraestrutura
existente.

Falsa: Edificações multifamiliares são normalmente


precárias e em aglomerados subnormais, cortiços. Não
possuem infraestrutura adequada. Edificações unifamiliares,
são as que vivem uma só família está diretamente ligada a
áreas com maior desenvolvimento e maior infraestrutura. Não
há uma correspondência direta entre aumento das edificações
unifamiliares e a sobrecarga que existe na infraestrutura.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 11

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

IV. O aumento da frota de veículos circulantes e o consequente


aumento da emissão de gases poluentes.

Verdadeiro. Nos últimos anos ocorreu um aumento


expressivo da frota de veículos e isso consequentemente
aumenta a emissão de gases.

V. O lançamento de esgotos não tratado e o lixo nos corpos


d’água pela população pobre, contribuindo para a poluição hídrica dos
canais, a baixa qualidade da água dos rios e a balneabilidade das
praias.

Falsa: É verdade que os recursos hídricos estão sendo


poluídos impactando inclusive a balnealidade, ou seja, o
potencial para explorar o turismo balneário, mas é um erro
associar isso a poluição da população pobre.

Estão CORRETOS

(A) I, II, III, IV e V.

(B) I, II, III e V.

(C) I, II e IV.

(D) III e V.

(E) III e IV.

Resposta certa, alternativa c).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 12

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

(2ª Questão) (IAUPE – Prefeitura de Recife – Guarda Municipal –


2011) O Recife possui algumas áreas de interesse ambiental e
paisagístico, necessárias à preservação das condições de amenização
do ambiente, com características excepcionais de matas, mangues,
açudes e cursos de água, como as Zonas Especiais de Proteção
Ambiental (ZEP(A), dentre as quais podemos destacar, EXCETO:

(A) Lagoa do Araçá/Imbiribeira.

(B) Parque dos Manguezais.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 13

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

(C) Mata do Engenho Uchôa.

(D) Jardim Botânico do Curado.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 14

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

(E) Mata de Caetés.

Essa foi bem complicada, pois cobra detalhes. Todos os


exemplos citados são zonas de proteção ambiental, exceto a
mata dos Caetés que é uma estação ecológica. Qual diferença:
A zona especial de proteção pode ser explorada turisticamente,
mas é mais restrito que uma estação ecológica. Ambas possuem
o mesmo objetivo que é conservar um trecho de vegetação
natural.

Resposta certa, alternativa e).

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 15

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

11. EXERCÍCIOS PROPOSTOS.

1. (Upe 2015) “A pressão sobre a Biodiversidade do planeta advém,


principalmente, de um padrão de desenvolvimento econômico,
baseado na superexploração dos recursos naturais. Para tentar impor
limites ao uso indiscriminado e predatório do meio ambiente, a
Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento da
Organização das Nações Unidas (ONU) apresentou, na década de
1980, o importante conceito norteador para esses limites...”

(Texto adaptado. Fonte: Geografia - Vestibular, Guia do Estudante,


2012, Ed. Abril)

Assinale a alternativa que contém esse conceito norteador.


a) Hotspots ambientais
b) Pegada Ecológica
c) Desenvolvimento Sustentável
d) Capital Verde
e) Capital Natural

2. (Upe 2014) O desmatamento é a atividade humana, que afeta


diretamente as maiores áreas na parte florestada da Amazônia
brasileira. A área desmatada é maior que a França.

Philipe Fearnside

Diversas mudanças ambientais, decorrentes do desmatamento


referido pelo pesquisador, afetam negativamente os seres humanos
na Amazônia.

Sobre elas, analise os itens a seguir:

I. Redução de ciclagem d’água


II. Perda da capacidade produtiva dos ecossistemas
III. Decréscimo no armazenamento do carbono
IV. Alteração na formação de nuvens e na química da atmosfera
V. Aumento do assoreamento de cursos fluviais

Estão CORRETOS
a) apenas II e V.
b) apenas I, II e III.
c) apenas I, IV e V.
d) apenas II, III e V.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 16

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

e) I, II, III, IV e V.

3. (Ufpe 2012) Observe, com atenção, a fotografia a seguir.

Sobre o fenômeno mostrado na fotografia, é correto afirmar que:


( ) os processos de erosão exibidos são típicos de áreas de
cerrados, onde a ação eólica gera notáveis feições erosivas do
tipo dunas, em geral migratórias.
( ) a paisagem encontra-se nitidamente atravessando um
expressivo processo de desertificação, decorrente do
aquecimento global, que é marcante no Meio Norte,
especialmente no Piauí.
( ) o parâmetro erosão acelerada do solo é considerado como um
dos principais indicadores de áreas de desertificação no Nordeste
brasileiro.
( ) o fenômeno é de origem predominantemente antrópica,
caracterizado pela rápida remoção de solos e/ou fragmentos
maiores de rochas, em face da atuação intensificada dos agentes
erosivos em áreas onde o equilíbrio natural foi rompido.
( ) a área fotografada apresenta restrições à formação de solos e
mostra cicatrizes de feições de relevo escavadas pelo escoamento
concentrado das águas.

4. (Ufpe 2011) A despeito dos avanços tecnológicos nos processos


de produção e da importância do setor agropecuário em algumas
regiões do Brasil, muitos procedimentos ainda são adotados e
acarretam prejuízos ambientais, como por exemplo:
( ) muitas das áreas de plantio estão às margens dos rios, em
locais que deveriam ser protegidos, favorecendo a contaminação
das águas superficiais e subterrâneas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 17

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

( ) a poluição do ar, pelas queimadas nas zonas canavieiras e


também por compostos sulfurosos, como no caso das indústrias
de celulose, provoca danos à saúde da população.
( ) a falta de uso mais intensivo de agrotóxicos, sobretudo nas
áreas de encostas, proporciona o desenvolvimento de pragas
que, em pouco tempo, destroem muitas áreas plantadas,
sobretudo cafezais.
( ) a diminuição das áreas de vegetação nativa, substituídas por
monoculturas, implica em perda de biodiversidade.
( ) as técnicas incorretas de exploração do solo propiciam a
aceleração da erosão, o assoreamento dos cursos d’água e a
perda de áreas agriculturáveis.

5. (Ufpe 2011) A Desertificação é um dos temas exaustivamente


abordados na atualidade pela Geografia. Trata-se de fato originado
pela intensa pressão exercida pelas atividades humanas sobre
ecossistemas frágeis de baixa capacidade de regeneração. No
Nordeste brasileiro, existem diversas áreas onde esse fenômeno já se
manifesta. Em geral, nessas áreas observam-se os seguintes
problemas:
( ) baixos índices de evapotranspiração e elevada insolação, o que
acarreta sérios prejuízos às atividades agrícolas.
( ) desmatamentos resultantes da pecuária extensiva e do uso de
madeiras para fins energéticos.
( ) salinização dos solos decorrentes do manejo inadequado no
pastoreio e na agricultura.
( ) fraca capacidade de reorganizar a estrutura produtiva das
áreas semiáridas.
( ) forte imigração, em decorrência da pressão demográfica
existente nesses espaços secos e improdutivos.

6. (Ufpe 2003) A degradação da qualidade ambiental urbana torna-


se cada vez mais visível em diversas cidades brasileiras que se
encontram expostas a todo tipo de impactos e danos ambientais.
Sobre esse assunto, podemos afirmar que:

( ) esses impactos e agressões são, em geral, provenientes da


intensa concentração populacional nos grandes centros e do
contínuo processo de urbanização e industrialização.
( ) as atividades antrópicas na cidade, se não são realizadas de
forma disciplinada e seguindo os parâmetros urbanísticos e
ambientais, provocam vários tipos de poluição, com prejuízos à
qualidade de vida.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 18

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

( ) os loteamentos e as construções, os diversos serviços de


infraestrutura e atividades industriais acabam acarretando
alterações nas características ambientais das cidades.
( ) pode ser considerado dano ambiental às cidades apenas a
poluição que afete as condições estéticas e sanitárias do meio
ambiente.
( ) em algumas cidades brasileiras, a retirada da cobertura
florestal tem contribuído para a estabilização das vertentes, antes
sujeitas a movimentos de massa rápidos.

7. (Ufpe 2000) A agroindústria de açúcar e álcool tem provocado, em


diversas áreas do Brasil, algumas alterações ao meio ambiente.
Dentre essas alterações, podemos mencionar as seguintes, EXCETO:
a) desmatamento de áreas naturais.
b) poluição dos cursos d'água.
c) poluição do ar.
d) contaminação do solo.
e) mudança do regime de chuvas.

8. (Ufpe 2000) Cerca de um terço da superfície das terras emersas


encontra-se ocupado por desertos e semidesertos e mais de 15% da
população mundial habita nesses espaços onde o investimento
agrícola é por demais oneroso. A Geografia, atualmente, dedica
bastante atenção a esse tema, especialmente ao fenômeno conhecido
como "desertificação".
Analise as afirmativas a seguir que se referem ao tema mencionado.

( ) A desertificação é um fenômeno mais comum nas áreas


periféricas aos desertos, sobretudo no continente africano, mas
vem sendo observado também em outras regiões do planeta,
inclusive em ambientes úmidos.
( ) A desertificação é um fenômeno eminentemente natural que
decorre exclusivamente das alterações climáticas globais.
( ) Os solos das áreas desérticas são muito impregnados de sais
de sódio e potássio e outros minerais solúveis que os processos
erosivos fazem desprender-se das crostas rochosas.
( ) A desertificação pode ser compreendida como o ressecamento
ambiental acarretado pelo impacto advindo das atividades
antrópicas que causam a degradação de terras antes produtivas.
( ) A derrubada ou queimada generalizada da cobertura vegetal, o
uso inadequado do solo e a criação extensiva de gado, em
ecossistemas frágeis, podem ser algumas das causas
responsáveis pela desertificação.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 19

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

9. (Fuvest 2007) O mapa 1 representa áreas da região nordeste do


Brasil com diversas características físicas. O mapa 2 detalha a
hidrografia atual e a rede de canais artificiais que poderá resultar da
transposição do rio São Francisco.

a) Identifique a área anotada com a letra B, no mapa 1, e


caracterize-a do ponto de vista climático e hidrográfico.
b) Apresente um argumento favorável ou contrário à obra da
transposição do rio São Francisco, considerando características físicas
e socioeconômicas da área B. Justifique.

10. (Unesp 2006) O mapa representa área do território brasileiro


objeto de um grande e polêmico projeto que, desde o período
imperial, visa a solucionar o problema da falta de água na região.

a) Qual é o projeto e qual o seu objetivo?

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 20

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

b) Cite duas principais razões que inviabilizam sua execução.

11. (Ufes 2006) ENERGIA, SOCIEDADE E CULTURA


TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Nas discussões sobre a questão da transposição de águas do


São Francisco para o setor norte do Nordeste seco, existem alguns
argumentos tão fantasiosos e mentirosos que merecem ser corrigidos
em primeiro lugar. Referimo-nos ao fato de que a transposição das
águas resolveria os grandes problemas sociais existentes na região
semi-árida do Brasil. Trata-se de um argumento completamente
infeliz. O Nordeste seco abrange um espaço da ordem de 750.000
km2, enquanto a área que pretensamente receberá grandes
benefícios abrange dois projetos lineares que somam apenas alguns
milhares de quilômetros.
O risco final é que, atravessando acidentes geográficos
consideráveis, como a elevação da escarpa sul da chapada do
Araripe, com grande gasto de energia, a transposição acabe por
significar apenas um canal tímido de água, de duvidosa validade
econômica e interesse social e de grande custo, o que acabaria por
movimentar o mercado especulativo da terra e da política. No fim,
tudo apareceria como um movimento de transformar todo o espaço
em mercadoria.
(AB' SABER, Aziz Nacib. Sobre a transposição do São Francisco:
As águas do rio não são a panaceia para os problemas do semiárido.
"Scientific American Brazil". 2005. Adaptado.)

O São Francisco já está com suas águas comprometidas na


geração de energia e irrigação. A explicação é a seguinte: a vazão
média do rio é de 2.800 m3/seg. Para gerar energia, são necessários
cerca de 2.100 m3/seg. Portanto restam 700 m3/seg. O potencial das
áreas irrigáveis do São Francisco é de 3.000.000 de ha. Se
considerarmos 0,5 litro/seg/ha como um número razoável para fins
de cálculo da irrigação, seriam necessários 1.500 m3/seg para irrigar
aquela área potencial. Ocorre que não temos esse volume disponível
no rio. Temos apenas 700 m3/seg que permitem irrigar somente
cerca de 1.400.000 ha. Certamente, não vamos ter água suficiente
para gerar energia, irrigar e abastecer as cidades do semiárido
nordestino, conforme se está pretendendo. Se já é triste morrer de
sede, mais triste ainda é morrer de sede no escuro.
(SUASSUNA, João. "Transposição: impactos na bacia do rio São
Francisco". Disponível em: <www.fundas.gov.br>. Acesso em: 27 jul.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 21

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

2005. Modificado.)

Sobre a implantação do projeto de transposição das águas do rio São


Francisco, É CORRETO afirmar que:
a) causará danos ambientais com o desmatamento e a perda de
áreas de vegetação nativa.
b) alterará o curso natural dos rios, isolando os peixes da bacia do
São Francisco dos demais.
c) aumentará o volume de água doce despejada no oceano Atlântico
pelo São Francisco.
d) influirá na manutenção das reservas de água subterrânea do
aquífero Guarani.
e) fará com que todos os estados da região Nordeste sejam banhados
pelas águas do rio São Francisco.

12. (Ufpe 2006) A Bacia do São Francisco possui uma área da ordem
de 639.000 km2, na qual vivem milhões de pessoas. A extensão
desse importante rio é de 2.700km. Atualmente, o São Francisco vem
sendo objeto de muita polêmica. Sobre esse assunto, é correto
afirmar que:

( ) o São Francisco se desloca, em todo seu percurso, de oeste


para leste, atravessando diferentes domínios morfoclimáticos.
( ) o São Francisco é um rio notadamente de planície, mas com
regime fluvial do tipo semiárido.
( ) o projeto de transposição do São Francisco prevê a construção
de dois canais: um na direção norte, que abastecerá os Estados
do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, e outro,
na direção leste.
( ) o Alto São Francisco, que compreende o trecho que vai de
Paulo Afonso até a Foz, entre Sergipe e Alagoas, desenvolve-se,
predominantemente, em áreas de florestas e cerrados.
( ) o declínio da navegação fluvial do São Francisco tem como
origem: causas ambientais, falta de manutenção da hidrovia e
sucateamento da frota.

13. (Ufrj 2005) As Águas do São Francisco

O rio São Francisco é a principal fonte de água para irrigação e


geração de energia no Nordeste Brasileiro. Ele atravessa a zona semi-
árida, que vem apresentando um acelerado processo de crescimento
urbano, em função da migração campo-cidade provocada pela crise
do complexo gado-algodão-lavouras alimentares.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 22

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

Nos dias atuais, o "Velho Chico" - denominação cunhada pelos


ribeirinhos - está no centro das atenções devido ao projeto de
transposição de suas águas para as bacias hidrográficas do Sertão
Setentrional. Esse projeto é considerado, por muitos, a melhor
alternativa para minimizar o problema da vulnerabilidade climática e
da tensão social no Nordeste Semiárido.

a) Explique as razões para o conflito entre o uso das águas para


irrigação e o seu aproveitamento na geração de energia elétrica no
vale do São Francisco.
b) Apresente uma crítica feita pelos movimentos ambientalistas à
transposição de águas do São Francisco para as bacias do Nordeste
Setentrional.

14. (Ufsm 2003) Brasil: Monitoramento Orbital de Queimadas (Julho


- Novembro de 1999)

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 23

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

MOREIRA, C. e SENE, E. de. "Geografia para o ensino médio:


geografia geral e do Brasil". São Paulo: Scipione, 2002. p. 177.
(adaptado)

Observando o mapa das queimadas no Brasil entre julho e novembro


de 1999, está INCORRETA a alternativa:
a) As queimadas assumem proporções muito maiores nas áreas de
expansão das fronteiras agropecuárias do que no restante do país.
b) A linha diagonal de maior número de pontos de queimadas
estende-se do Maranhão e Pará ao sudoeste do Mato Grosso do Sul.
c) As áreas com o menor número de pontos de queimadas ocorrem
na maior parte do Sul, Norte e Nordeste do Brasil.
d) A concentração máxima de pontos de queimadas ocorre nos
estados de Pará, Maranhão, Mato Grosso, Tocantins e Mato Grosso
do Sul.
e) Os estados de Piauí, Ceará, Paraíba e Pernambuco não registram
ponto de queimadas.

15. (Ufrgs 1997) Considere as associações a seguir, entre o tipo de


problema ambiental e a respectiva área de ocorrência no litoral
brasileiro:

I - Efluentes carboníferos - Litoral do Paraná


II - Poluição dos rios pelo vinhoto - Litoral de Pernambuco
III - Dejetos industriais nos mangues - Litoral do Rio Grande do Sul

Quais estão corretas?


a) Apenas I
b) Apenas II
c) Apenas III

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 24

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

d) Apenas I e II
e) I, II e III

16. (Upf 2014) Estabeleça a relação entre os tipos de vegetação que


aparecem nas figuras com as características apresentadas e assinale
a opção correta.

a) A figura I representa a caatinga, vegetação própria de ambientes


de temperaturas elevadas e chuvas escassas, que predomina na
Zona da Mata Nordestina e é um dos tipos mais preservados no
Brasil.
b) A figura II representa os campos, os quais são formados por
vegetação rasteira ou herbácea. Esses, comuns no Rio Grande do
Sul, em clima do tipo tropical e terrenos elevados, são aproveitados
para criação de gado e desenvolvimento da rizicultura.
c) A figura II representa o cerrado, o qual é formado por restingas e
manguezais. Composto por vegetação arbustiva, desenvolve-se em
áreas de clima tropical e subtropical, e hoje está ameaçado pelo
avanço da urbanização.
d) A figura III representa a Mata Atlântica, a qual aparece ao longo
do litoral brasileiro e é formada por uma vegetação densa, de
grande porte e também arbustiva. Essa Mata foi drasticamente
reduzida pela exploração econômica e pela expansão urbana.
e) A figura IV representa a Mata dos Pinhais, a qual é nativa do
Brasil, própria de clima seco e desenvolve-se nas áreas baixas e
arenosas da região Sul. Valorizada pela indústria madeireira é, por
isso, um dos tipos mais preservados do Brasil.

17. (Ufba 2006) Os manguezais são ecossistemas de alta


produtividade biológica, sendo responsáveis por parte considerável
dos recursos marinhos. Ocupam grande extensão dos litorais tropicais
e subtropicais, porém, apesar de sua grande relevância para a vida
dos oceanos, estão entre os ecossistemas mais devastados do
planeta.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 25

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

Com base nessas informações e na análise da ilustração, indique as


características ambientais dos mangues, quanto ao solo e à
vegetação, e cite duas ações predatórias provocadas pelo homem.

18. (Ufrn 2004) A partir das duas últimas décadas do século XX, vem
se intensificando a utilização de áreas de mangues para a prática da
carcinicultura. Essa atividade é importante para a economia do Rio
Grande do Norte, tendo motivado amplas discussões, quer seja pela
sua condição de atividade geradora de emprego, quer pelos
problemas ambientais provocados.

Explique por que a intensificação da carcinicultura provoca alterações


no ecossistema dos mangues.

19. (Pucsp 2001) "Junto à orla marítima, as planícies litorâneas são


ponteadas por morros isolados e estreitam-se ao norte do litoral
paulista, onde estão muitas vezes subdivididas por esporões da serra
que avançam até o mar. É aí que se podem observar terraços
marinhos, de rios e de lagunas formados por camadas sucessivas de
areias e argilas, com espessura de dezenas de metros, depositadas
durante as flutuações do nível do mar [...] os manguezais ocupam
terrenos baixos, abrigados geralmente em baías, estuários e lagunas,
expostos às marés. São formados por lodos e abrigam flora e fauna
riquíssimas. Neles a água salgada aglutinou em massa especial
argilas e matéria orgânica."
(Notícias da Serra do Mar & Mata Atlântica número 5 -
publicado pela Secretária dos Negócios dos Transportes do Estado de
São Paulo, 1994.)

Revista "Ciência Hoje", "Eco-Brasil", volume especial, p.30, maio


1992.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 26

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

Considerando que zona costeira (ambiente litorâneo ou orla


marítima) define-se como a interface entre o oceano (ou mar) e o
continente, assinale a AFIRMAÇÃO CORRETA.
a) Os ambientes litorâneos são, em geral, áreas relativamente
instáveis, pois neles estão em curso processos constantes,
acelerados e intensos de sedimentação e erosão, podendo, por isso,
ser facilmente desequilibrados pela ação humana.
b) Os mangues, pelas suas características peculiares, acabam sendo
ecossistemas litorâneos preservados, em função da impossibilidade
humana de transformar aqueles terrenos e também pela sua
resistência natural às diversas formas de poluição.
c) Os ambientes litorâneos, apesar do delicado equilíbrio, acabam
sendo pouco degradados pelo homem, pois, à exceção da pesca,
em geral realizada em alto mar, não se apresentam como áreas de
ocorrência de outros recursos naturais, sendo por isso pouco
sobrecarregados.
d) Os processos naturais predominantes no litoral brasileiro são os
erosivos, causados tanto pelas águas dos oceanos quanto pelas
chuvas abundantes, daí a generalização da ocorrência de falésias
por quase toda a orla marítima da costa brasileira.
e) Dentre as áreas litorâneas brasileiras, aquelas que apresentam
uma condição menor de instabilidade encontram-se na região
Sudeste (e parte do Sul), em função de presença da Serra do Mar,
formação geológica estável, que resiste mais a ações
desequilibradoras do ser humano.

20. (Ufal 2000) Na região Nordeste, o litoral alagoano destaca-se por


suas lagoas costeiras. A lagoa do Mundaú, em especial, apresenta um
importante conjunto de ecossistemas, agrupando manguezais,
restingas e campos de dunas, tornando a lagoa um grande viveiro de
peixes. Sua proximidade da capital Maceió e o crescimento econômico
e urbano do Estado, no entanto, tem afetado diretamente esse
ecossistema devido ao

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 27

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

a) uso dessa lagoa como fonte para irrigação da cultura da cana,


pelas usinas de açúcar e álcool de Maceió e municípios próximos.
b) incremento da pesca artesanal, motivado pelo aumento no
consumo de pescados e frutos do mar.
c) lançamento dos esgotos urbanos, dos resíduos industriais e das
usinas de açúcar e álcool.
d) "efeito estufa", provocado pelo lançamento de resíduos das usinas
de açúcar e álcool na atmosfera.
e) aumento das áreas plantadas com coco, motivado pelo crescente
consumo desta fruta nos mercados do Sudeste e Sul.

21. (Unirio 2000) "Manguezal ameaçado - A construção de um aterro


às margens da Linha Vermelha pode ameaçar uma das últimas áreas
de manguezal da Baía de Guanabara (...)"
("Jornal do Brasil" - 10/09/99.)

Os constantes aterros e os despejos de esgoto residencial e industrial


são as maiores ameaças aos manguezais cariocas. Quanto à
importância desse ecossistema, é correto afirmar que:
a) são verdadeiros berçários da vida marinha, pois muitos peixes e
crustáceos têm, nos manguezais, o estágio inicial de sua cadeia
alimentar.
b) servem de proteção às áreas de restinga, pois diminuem os
processos de sedimentação marinha.
c) constituem essenciais fornecedores de enxofre para a atividade
petroquímica do Estado do Rio de Janeiro.
d) desempenham a função de catalisadores de oxigênio para a
formação dos bancos de coral.
e) possuem uma vegetação rica em madeira de lei, muito utilizada na
fabricação de móveis.

22. (Uece 1999) Tratando-se do ecossistema dos manguezais,


assinale a alternativa verdadeira
a) tem biodiversidade pobre em função da grande homogeneidade de
espécies arbóreas.
b) o ambiente é estável, equilibrado e tem baixa vulnerabilidade à
ocupação.
c) os manguezais recobrem solos de planícies fluviomarinhas.
d) tem pouca importância para a reprodução de peixes e crustáceos.

23. (Ufpe 2003) As ações antrópicas, em face da expansão da


agropecuária e da industrialização, são as principais responsáveis
pelo rompimento do equilíbrio dos geossistemas, com graves
consequências para as propriedades do solo e para a qualidade das

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 28

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

águas superficiais. Sobre esse tema, podemos afirmar:

( ) o solo funciona como um reservatório de água, cuja dinâmica é


fundamental para o entendimento da participação da superfície
terrestre no ciclo hidrológico.
( ) o uso e o manejo adequado do solo, com vistas à conservação
de suas características físicas, químicas e biológicas, têm um
papel essencial nos processos de conservação da qualidade e da
quantidade de água.
( ) os processos de erosão do solo advindos de práticas agrícolas
incorretas podem desencadear um outro processo denominado
assoreamento, que se verifica nos reservatórios de água.
( ) as indústrias extrativas minerais, por empregarem uma
pequena quantidade de mão de obra, não provocam erosão dos
solos; esse fato pode ser constatado na Região Norte do Brasil.
( ) a utilização da vegetação natural e plantada nas encostas pode
ser uma alternativa de proteção ao solo contra os processos
erosivos decorrentes das atividades agrícolas.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 29

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

Gabarito:

Resposta da questão 1:
[C]

Desenvolvimento sustentável é conciliar a prosperidade


econômica com a conservação do meio ambiente e dos recursos
naturais para as gerações futuras.

Resposta da questão 2:
[E]

O desmatamento causa impactos ambientais diversos como:


- mudanças no ciclo da água o aumento do escoamento superficial e
redução da infiltração no solo;
- diminuição na fitomassa e da biodiversidade;
- diminuição da evapotranspiração, da formação de nuvens e das
chuvas;
- aumento da erosão e do assoreamento dos rios.

Resposta da questão 3:
F - F - V - V - V.

FALSO – A imagem exibe um tipo de erosão classificada como


ravinamento que ocorre em razão da fragilidade do solo, escassa
vegetação, e concentração de chuvas que provoca enxurradas
desnudando o solo.
FALSO – A área apontada na imagem está sujeita ao processo de
desertificação resultante das práticas de uso do solo aliada a um
ecossistema frágil, não se podendo, portanto, relacionar o processo ao
aquecimento global.
VERDADEIRO – A erosão constitui um dos impactos mais imediatos do
processo de desertificação expondo o solo ao processo de intenso
desgaste e transporte de material sedimentar.
VERDADEIRO – O processo de ravinamento ocorre como resultado do
uso incorreto do solo, da retirada da cobertura vegetal, do pisoteio do
gado, de cultivos inadequados ou sistema de irrigação inapropriado.
Tais processos geram o desgaste do solo.
VERDADEIRO – O ravinamento mostrado na figura é condicionado pelo
escoamento da água superficial (erosão linear) e pode evoluir para a
forma de voçorocas caso o lençol freático aflore no fundo do canal
erodido.

Resposta da questão 4:
V – V – F – V – V.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 30

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

VERDADEIRO – Ao se praticar o plantio em áreas de várzeas, os


insumos utilizados pela agricultura como defensivos agrícolas e
fertilizantes sofrem infiltração ou escoamento comprometendo a
qualidade da água.
VERDADEIRO – A emissão de poluentes fica em suspensão na
atmosfera implicando em queda da qualidade do ar e
consequentemente em aumento de doenças como as respiratórias.
FALSO – As áreas de encostas não são, como sugere a afirmação, mais
susceptíveis às pragas do que áreas planas. As áreas de encostas não
são indicadas para produção agrícola. O uso intensivo de agrotóxicos é
questionável em razão do grande dano causado ao meio ambiente.
VERDADEIRO – Independente da prática adotada na propriedade –
monocultura ou policultura – o desmatamento por si só resulta em
perda de biodiversidade.
VERDADEIRO – A prática incorreta da produção implica em perda do
solo por erosão e assoreamento e em queda da fertilidade natural
reduzindo a área e a produtividade das regiões agrícolas.

Resposta da questão 5:
F – V – V – V – F.

FALSO – Nas áreas de desertificação ocorre elevada insolação, e a


quantidade de água perdida no processo de evapotranspiração é maior
do que a quantidade de água infiltrada no solo.
VERDADEIRO – A retirada da cobertura vegetal atende à pecuária e à
produção de carvão vegetal para as termoelétricas, desnudando o solo
e intensificando sua fragilidade.
VERDADEIRO – As atividades agropecuárias causam impacto sobre os
solos já fragilizados pelas condições naturais o que levará ao aumento
da salinização.
VERDADEIRO – A ausência de políticas dotadas de seriedade que visem
ao desenvolvimento da região resulta em baixos investimentos
financeiros e técnicos, agravando a exploração inadequada e o
processo de desertificação e a pobreza.
FALSO – Embora haja imigração, o que a determina são as condições
naturais e a baixa produtividade da área e não a pressão demográfica.

Resposta da questão 6:
VVVFF

Resposta da questão 7:
[E]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 31

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

Resposta da questão 8:
VFVVV

Resposta da questão 9:

a) A área B identificada no mapa corresponde ao sertão nordestino,


com clima predominante semiárido, caracterizado por altas
temperaturas o ano todo, baixa pluviosidade e chuvas irregulares, com
médias pluviométricas anuais em torno de 750 mm. A hidrografia é
caracterizada por rios intermitentes, com suas calhas aproveitadas
pela agricultura de subsistência nos períodos de ausência de vazão.

b) O fator favorável é assegurar uma oferta regular de água em uma


região marcada pela escassez e pela irregularidade das chuvas,
eliminando um dos obstáculos para o desenvolvimento regional. Como
fator desfavorável, deve-se ressaltar que o alto custo da transposição
e a rápida evaporação da água transposta encarecem esse recurso,
tornando-o viável apenas para o grande capital do agronegócio, o qual
tem como característica a elevada mecanização e a baixa oferta de
empregos, não gerando grandes benefícios para a população mais
pobre do Sertão. Em termos ambientais, a expansão de áreas irrigadas
em ambientes áridos e semiáridos pode provocar a salinização do solo.

Resposta da questão 10:

a) Projeto de Transposição do Rio São Francisco ou Projeto de


Integração do São Francisco, cujo objetivo é transpor parte da água do
rio São Francisco para a porção setentrional do semiárido, na região
do Sertão, possibilitando o abastecimento rural e ou urbano dos
estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba.

b) As principais razões que dificultam o projeto, que no entanto não o


inviabilizam, são:
- a qualidade das águas utilizadas que recebem grande carga de
poluentes no alto São Francisco.
- o comprometimento das nascentes do São Francisco, devido ao
processo de degradação da vegetação com produção de carvão vegetal
e expansão agropecuária.
- falta de estudos aprofundados sobre as condições de fornecimento
de água à jusante dos pontos de captação do projeto.
- a produção de energia hidrelétrica pode ser afetada. O São Francisco
produz 95% da energia do NE.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 32

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

- danos ambientais e possibilidade de queda de vazão do rio a longo


prazo.
- o destino da água para o semiárido é duvidoso, porque na região há
problemas fundiários, e os riscos de crescimento urbano não foram
estimados.
- a população pobre será pouco beneficiada.
- o bombeamento da água usará muita energia.
- o uso de energia implicará em altos custos para obtenção de água,
o que, em tese, beneficiaria apenas os grandes proprietários e
produtores locais.
- a água será levada por adutores em longos trajetos, com forte
evaporação.

Resposta da questão 11:


[A]

Resposta da questão 12:


FFVFV

Resposta da questão 13:

a) A localização geográfica das principais áreas irrigadas à montante


da sequência de quedas d'água no Rio São Francisco, onde estão
situadas as usinas de Paulo Afonso I, II, III e IV, Moxotó, Itaparica e
Xingó, faz com que a expansão da irrigação, que demanda cada vez
mais água, esteja competindo com a geração de energia. O aumento
da área irrigada no vale, conjugada com a demanda de água para a
transposição, pode vir a comprometer a vazão mínima necessária para
a geração de energia.

b) Entre as principais críticas dos movimentos ambientalistas contra o


projeto da transposição temos: existem soluções menos custosas e
mais sustentáveis para sanar o problema da falta de água no
semiárido, como a construção de poços e cisternas; o regime fluvial e
a vazão do Rio São Francisco já estão bastante comprometidos pelo
desmatamento em suas cabeceiras e de seus formadores e a
transposição seria um golpe mortal na vida do rio; a transposição
comprometeria a vazão do rio para a jusante, aumentando a salinidade
em sua foz, o que afeta a vida nos manguezais; a transferência das
águas do São Francisco, com os seres vivos que nele vivem, para os
rios do Nordeste Setentrional, poderia afetar seriamente os
ecossistemas fluviais do semiárido.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 33

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

Resposta da questão 14:


[E]

Resposta da questão 15:


[B]

Resposta da questão 16:


[D]

A Mata Atlântica é uma floresta adaptada ao clima tropical úmido


e de altitude. A floresta se desenvolve tanto em planícies litorâneas
quanto em planaltos e serras. A floresta apresenta alta biodiversidade,
é latifoliada, perenifólia, higrófila, densa e estratificada. Cerca de 93%
do ecossistema foi devastado em decorrência da densa ocupação
demográfica e econômica da faixa litorânea do Nordeste e das regiões
Sudeste e Sul desde o período colonial. As causas da devastação ao
longo do tempo foram: exploração do pau Brasil, ciclo da cana de
açúcar, ciclo do café, urbanização, expansão do turismo e
industrialização.

Resposta da questão 17:

Os manguezais se desenvolvem em áreas de águas pouco


movimentadas ou alagadas nas reentrâncias dos litorais (baías,
enseadas, estuários e deltas) com solos ricos em matéria orgânica.
Vegetação com grande capacidade de adaptação a duas condições
adversas: a salinidade do solo e a deficiência de oxigênio, em virtude
do alagamento pelas oscilações das marés. Por essa razão, são
espécies arbustivas e arbóreas com raízes aéreas (pneumatóforas)
para absorver oxigênio. O intenso processo de urbanização das áreas
litorâneas tem levado à degradação desse ecossistema, como o
desmatamento, os aterros para expansão imobiliária e a contaminação
por resíduos sólidos, esgotos, vazamentos de navios (petroleiros e
outros), efluentes e/ou vazamentos industriais.

Resposta da questão 18:

Devido a práticas descontroladas, como a captura de caranguejos


indiscriminada, o que favorece o desequilíbrio na cadeia alimentar
começando a provocar o escasseamento de espécies.

Resposta da questão 19:


[A]

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 34

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

Resposta da questão 20:


[C]

Resposta da questão 21:


[A]

Resposta da questão 22:


[C]

Resposta da questão 23:


VVVFV

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 35

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.


Meio ambiente.
Prof. Sérgio Henrique.

12. CONSIDERAÇÕES FINAIS.

Olá querido concurseiro. Chegamos aqui a última aula do nosso


curso preparatório. Estude com carinho. Leia e releia sua teoria,
sobretudo a que diz respeito especificamente ao estado de Pernambuco
pois será nosso diferencial. Todo o edital foi abordado com o cuidado
de abranger o máximo de informações possíveis de serem cobradas.
Pratique seus exercícios e fique ligado nas dicas que receberão por e-
mail ou artigos. Vou acompanha-los o tempo todo na sua preparação.
Envie sempre suas perguntas e não deixe de tirar suas dúvidas no
fórum. É muito importante agora a disciplina e a tranquilidade para
enfrentar o concurso. Mantenha ritmo, procure cuidar da sua rotina
para dormir bem e descansar para que os estudos rendam mais. É
muito importante cuidar da alimentação, do sono e lembrar que todo
o esforço é recompensado e o seu será, certamente ocupando um
cargo na segurança pública do estado de Pernambuco. Disciplina,
motivação e Estratégia. Acredite e se esforce que você chegará lá.
Estou aqui para ajuda-lo e conte comigo nesta reta final.

Bons estudos

Grande abraço

Foco no sucesso.

Prof. Sérgio Henrique.

WWW.ESTRATEGIACONCURSOS.COM.BR 36

Aula 06 Geografia PM/PE Prof. Sérgio Henrique.