Você está na página 1de 6

FONSECA, Márcio Alves da.

O indivíduo moderno in: Michel Foucault e a


constituição do sujeito moderno. São Paulo: EDUC, 2003. P.73-101

Daí considerar seu pensamento (Kant) como fundamento das duas


tradições críticas em que se dividiu a filosofia moderna. Em uma delas apoiou-
se na tradição que propôs a questão das condições sob as quais um
conhecimento verdadeiro é possível. Evidenciando-se depois do século XIX
como Analítica da Verdade. Na outra, que tem seu nascimento na elaboração da
“ Aufärung” e do sentido da revolução, estão formuladas essencialmente as
interrogações sobre o campo atual das experiências possíveis, constituindo-se
numa ontologia do presente ( 74)
O que Foucault tem diante de si quando escreve, e que direciona suas
escolhas e define seus percursos, é o seu próprio tempo. A problematização de
sua atualidade leva-o a outras formações históricas para buscar, diante delas,
as rupturas que permitiram a constituição do presente, tal como ele se apresenta
( 74)
Nessa atualidade aparece o indivíduo moderno, produto de uma
tecnologia, constituído enquanto objeto de saber e resultado das relações de
poder, marcado pela docilidade e utilidade que justificam o processo de sua
constituição. (74)
Há, com os mecanismos disciplinares, uma mudança do eixo político da
individualização, que de “ascendente” passa a ser “ descendente”(75) :

ASCENDENTE DESCENDETE
Aquele que se diferencia de outros por Se faz a partir de observações,
meio de rituais, discursos e fiscalizações, medidas comparativas
representações que o singularizam. e normalização de desvios destinadas
Esse eixo de individualização é aos homens comuns [...] produz-se a
identificado por Foucault em individualidade junto a estratos
sociedades de regime feudal. ocupados pelo homem comum,
observando e constituindo[...]
crianças, de doente, de louco..
A troca do eixo da individualização ocorre quando o indivíduo deixa de
ser formado por mecanismos históricos-rituais e passa a ser produzido por
mecanismos científicos-disciplinares, fazendo com que a individualidade do
homem memorável seja substituída pela individualidade do homem calculável (
76)
Análise de Foucault faz da Prisão se constitui num meio de fazer
aparecerem esses mecanismos científicos-disciplinares, produtores do indivíduo
moderno[...] Desde seu nascimento, a prisão comporta duas dimensões (76)

Dimensão Jurídica Dimensão Subliminar


Pode ser compreendida como Suplemento penitenciário : carácter
detenção, ou seja, a privação da de utilidade à privação da liberdade,
liberdade de quem a ela é confiado tornando-a produtiva [...]segundo
pela justiça penal. Foucault, três grandes esquemas: “ o
esquema político-mora do isolamento
individual e da hierarquia, o modelo
econômico da força aplicada a um
trabalho, o modelo técnico-médico da
cura e da normalização.

Se o que define o infrator é o seu ato, e, enquanto tal, a ação demarcada


no tempo e no espaço e já apreendida pelos mecanismos jurídico-penais que a
classificaram, julgaram e puniram, o que caracteriza o delinquente é a sua vida
inserida na delinquência.(78)
Se a delinquência constitui o fracasso da prisão, numa ótica jurídico-
penal, ela representa o seu sucesso enquanto uma produção de um dos muitos
lugares institucionais da sociedade disciplinar (78)
A disciplinarização da sociedade, conseguida pela generalização dos
mecanismo disciplinares dispersos pelo carcerário, tem como produto essencial
o indivíduo moderno. Esse é o seu maior efeito: produzir uma individualidade
que corresponda às expectativas de uma acumulação e uma gestão útil dos
homens, produzir o indivíduo comum, de todos os dias e de todos os lugares e
e não o indivíduo singularizado por atos e datas especiais produzir um indivíduo
que permita a extração de algo de todas as suas atividades e de seus momentos,
produzir enfim, indivíduos dóceis. (79)

A individualidade efeito-objeto de poder e saber revela o processo de


sua constituição. À medida que os mecanismos disciplinares realizam suas
funções, essa individualidade vai tomando suas formas, recebendo suas marcas
mais profundas e encontrando as características que determinarão suas
possibilidades e também seus limites. (80)
Foucault arrola quatro características da individualidade moderna:

orgânico

celular
Ind. genética
moderno

combinatór
ia

Celular: em função do quadriculamento do espaço e da distribuição dos


indivíduos sobre ele, cada sujeito é associado a um ponto preciso nesse espaço.
Orgânica: Indivíduo produzido para ser ativo, ou seja, útil, integrante de
diferentes quadros de produção, uma vez que cada um de seus atos são
previstos.
Genética: o indivíduo em sua memória e em seu corpo exercitado, é o meio que
possibilita a acumulação genética do tempo e sua repetição, todas as vezes que
necessário.
Combinatória: somente inserida em um conjunto é que a individualidade
adquire significado[...] em função da composição de forças, realizada pelos
mecanismos disciplinares, a fim de completar a estratégia posta em
funcionamento.

Contrariamente à ideia de massificação, que concebe uma uniformização da


sociedade e faz desaparecer as diferenças individuais, o poder disciplinar
distingue individualidades (Identidades). (82)

Vigiar e Punir Vontade de saber


Constituição do sujeito enquanto dócil Análise da constituição do indivíduo
e útil, como efeito e instrumento de moderno como sujeito, na medida em
certas formas históricas de poder. Ele que se estuda como esse indivíduo se
estuda as práticas que, dentro da constitui sujeito de uma sexualidade.
nossa cultura, tendem a constituir o
sujeito enquanto objeto.

Em oposição a uma forma de abordagem do sexo, do poder, da verdade,


do corpo e do indivíduo que partiria de uma distinção fundamental entre poder e
verdade, chamada por Foucault de hipótese repressiva, surge o conceito de
biopoder.(84)
Hipótese repressiva Biopoder
Século XVII: seria o início de uma Representa uma transformação
época de repressão[...] controlar a sua fundamental nos mecanismos de
livre circulação no discurso, bani-lo poder anteriores à época clássica,
das coisas ditas e extinguir as pois fazer aparecer mecanismos de
palavras que o tornam presente de incitação, controle e vigilância.
maneira demasiado sensível.( Elaboração e o aperfeiçoamento de
Foucault, 2014, p.19) tais mecanismos tem como
fundamento um interesse pela vida do
indivíduo e da espécie (90)
No século XIX a sexualidade passa a ser “objeto de investigação
cientifica, de controle administrativo e de preocupação social” (Medicina)(84)
Foucault chama de dispositivo de sexualidade [...] Este dispositivo é
simultaneamente efeito e instrumento da expansão das estratégias de poder que
colocam o indivíduo e a população na junção do biopoder.(84)
Incitação a falar sobre o sexo séculos XVIII,XIX e XX [...]a vida privada
e a esfera pública disputam o discurso sobre o sexo como objeto comum dentro
de uma variedade de formas, aparelhos e métodos para falar , escutar, registrar
e armazenar saber sobre esse objeto. (84-5)
Dispositivo da sexualidade : conjuntos estratégicos
Histerização do Pedagogização Socialização Psiquiatrização
corpo da mulher do sexo da das condutas do prazer
criança procriadoras perveso
Prática de análise Recondução A decisão e a Singularização do
exaustiva de um dessa prática da instinto sexual
corpo sexualidade para reprodução como instinto
considerado padrões recebem agora biológico e
integralmente “aceitáveis”[...] implicações de psíquico
saturado de combate rigoroso ordem autônomo.
sexualidade[...] às práticas de econômica,
patologia onanismo. política e médica.
intrínseca.

Enquanto o poder soberano ostenta o direito de matar, os poderes da


era da disciplina deixam viver para investirem sobre a vida.(90)
A confissão é a persuasão de que tal prática o levará a um
autoconhecimento. O desejo de conhecer a verdade sobre si mesmo exerce
sobre o indivíduo um poder que o seduz e o faz confessar. Confessar aos outros
e a si próprio. (92)
O desenvolvimento de métodos científicos permite a expansão da
confissão a domínios em que relações de poder e saber atuam no sentido de
tornar o indivíduo um objeto de conhecimento para si próprio e para os outros. (
97)
O biopoder, enquanto conjunto de relações de poder ligado à vida,
constituiu um elemento indispensável ao desenvolvimento do capitalismo, uma
vez que a sustentação desse sistema polítco-economico está diretamente ligada
à possibilidade de uma utilização controlada dos corpos no aparelho de produção
ao lado de uma adequação dos fenômenos populacionais aos processos
econômicos que tal sistema envolve. (99)
Caracterização do indivíduo moderno sobra tal fundamento. Constituída
enquanto objeto e sujeito, pelas estratégias das relações de poder presentes na
atualidade, a individualidade moderna é, acima de tudo, o resultado de um
investimento político sobre a vida. (99)

Você também pode gostar