Você está na página 1de 2

CURSO EXERCÍCIOS

TERAPÊUTICOS E TERAPIA
MANUAL NA BOLA SUÍÇA

Ministrante: Kalline Camboim

A partir dos casos clínicos abaixo trace exercícios terapêuticos que podem ser
realizados na bola suíça

1. Paciente atleta jogador de vôlei, 28 anos, do sexo masculino, com diagnóstico clinico
de tendinite do supra espinhoso em fase crônica, relatando dor no ombro quando
tenta realizar a abdução além dos 90º, ficando impossibilitado de jogar. Não relata
nenhum quadro álgico em coluna vertebral.
2. Um paciente motorista de ônibus, de 45 anos, relata dor lombar com parestesia que
irradia para face posterior da perna, relata também que as dores pioram na posição
sentada e quando coloca o tronco para frente. Fez uma ressonância magnética e
diagnosticou espondiloartrose lombar e protusão discal L4/L5/S1.
3. Paciente de 55 anos, magro e fumante apresenta muita dispnéia, necessita de um
trabalho de reeducação respiratória. Durante a avaliação postural observou-se
respiração do tipo torácica, com cabeça anteriorizada, ombros protusos e elevados e
com rotação interna, além da retificação da lombar.
4. Paciente idosa, 60 anos, hipertensa, com labirintite e com osteoporose, sem quadro
doloroso, mas com fraqueza muscular generalizada, déficit de equilíbrio e relata que
não consegue ficar muito tempo em pé ou subir escada.
5. Paciente foi submetido a uma artroscopia parcial do joelho esquerdo decorrente de
uma lesão ligamento cruzado anterior. Encontra-se na fase crônica necessitando de
ganho de ADM e de força muscular.
6. Adolescente de 16 anos asmática, apresenta escoliose em C, tóraco lombar, relata
muitas dores nas costas e quando fica muito tempo sentada ou em pé, durante a
avaliação foi observado também um hipercifose e um joelho varo.
1. Paciente atleta jogador de vôlei, 28 anos, do sexo masculino, com
diagnóstico clinico de tendinite do supra espinhoso em fase
crônica, relatando dor no ombro quando tenta realizar a abdução
além dos 90º, ficando impossibilitado de jogar. Não relata nenhum
quadro álgico em coluna vertebral.
2. Um paciente motorista de ônibus, de 45 anos, relata dor lombar
com parestesia que irradia para face posterior da perna, relata
também que as dores pioram na posição sentada e quando coloca o
tronco para frente. Fez uma ressonância magnética e diagnosticou
espondiloartrose lombar e protusão discal L4/L5/S1.
3. Paciente de 55 anos, magro e fumante apresenta muita dispnéia,
necessita de um trabalho de reeducação respiratória. Durante a
avaliação postural observou-se respiração do tipo torácica, com
cabeça anteriorizada, ombros protusos e elevados e com rotação
interna, além da retificação da lombar.
4. Paciente idosa, 60 anos, hipertensa, com labirintite e com
osteoporose, sem quadro doloroso, mas com fraqueza muscular
generalizada, déficit de equilíbrio e relata que não consegue ficar
muito tempo em pé ou subir escada.
5. Paciente foi submetido a uma artroscopia parcial do joelho
esquerdo decorrente de uma lesão ligamento cruzado anterior.
Encontra-se na fase crônica necessitando de ganho de ADM e de
força muscular.
6. Adolescente de 16 anos asmática, apresenta escoliose em C, tóraco
lombar, relata muitas dores nas costas e quando fica muito tempo
sentada ou em pé, durante a avaliação foi observado também um
hipercifose e um joelho varo.