Você está na página 1de 32

QUESTÕES DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL

1. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) A Portaria do Ministério da Saúde que, em seu artigo 2º, define que os recursos
orçamentários devem correr por conta do Orçamento do Ministério da Saúde, onerando os programas de Piso de Atenção
Básica Variável – Saúde da Família, Piso de Atenção Básica Fixo, Atenção à Saúde Bucal, estruturação da Rede de Serviços
de Atenção Básica de Saúde e construção de Unidades Básicas de Saúde – UBS é a de:
A) n. 648, de 28 de março de 2006.
B) n. 154, de 24 de janeiro de 2008.
C) n. 2.843, de 20 de setembro de 2010.
D) n. 2.488, de 21 de outubro de 2011.

2. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) Estimular a participação dos usuários como forma de ampliar sua autonomia e
capacidade na construção do cuidado em relação à própria saúde e à das pessoas e coletividades do território, no
enfrentamento dos determinantes e condicionantes de saúde, na organização e orientação dos serviços de saúde com base
em lógicas mais centradas no usuário e no exercício do controle social, são fundamentos e diretrizes da:
A) Política Nacional de Humanização.
B) Atenção Primária da Saúde.
C) Política Nacional de Gestão Estratégica e Participativa do SUS.
D) Atenção Secundária da Saúde.

3. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) A definição de atenção primária como “uma atenção à saúde essencial, baseada em
métodos e tecnologias práticas, cientificamente comprovadas e socialmente aceitáveis, cujo acesso seja garantido a todas
as pessoas e famílias mediante sua plena participação [...]” foi referência para o lema “Saúde para todos no ano 2000” da
Conferência Mundial de Saúde realizada em:
A) Ottawa.
B) Bogotá.
C) Alma Ata.
D) Adelaide.

4. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) Segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), trata-se de
princípio da Atenção Primária da Saúde:
A) O caráter substitutivo.
B) A universalidade.
C) A equidade.
D) O registro adequado.

5. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) Na Política Nacional de Promoção da Saúde, particularmente na Atenção Primária
da Saúde, os acessos geográfico e sócio-organizacional são componentes:
A) Da integralidade.
B) Do primeiro contato.
C) Da longitudinalidade.
D) Da coordenação.

6. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) É peculiar aos objetivos da Medicina Baseada em Evidências:
A) a competência cultural, que trata da capacidade das equipes de saúde em reconhecer as múltiplas particularidades e
necessidades específicas das subpopulações, que podem estar afastadas dos serviços pelas peculiaridades culturais.
B) o entendimento de que as necessidades em saúde dos indivíduos, das famílias e das populações relacionam-se ao
contexto social.
C) a lógica para decidir que os serviços de saúde a oferecer devem se pautar nas necessidades da população e nos
resultados a serem alcançados.
D) a classificação dos artigos e suas conclusões em um nível hierárquico, constituindo as meta-análises o nível mais alto, e
a opinião de especialistas o nível mais baixo, qualificando a opinião dos profissionais de saúde em relação aos estudos
disponíveis.

7. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) Por intermédio de entidades integrantes da sociedade civil foram apresentadas
sugestões para desatar os nós que impedem que o SUS avance em que afirmam “só deixaremos de ser um país com
contrastes gritantes entre a riqueza produzida e a qualidade de vida da população quando dermos passos definitivos para
garantir o direito à saúde”. Estas sugestões originaram:
A) o Sistema de Serviços à Saúde.
B) a Conferência Nacional de Saúde.
C) a Agenda Estratégica para Saúde.
D) os Serviços de Saúde de Qualidade.
8. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) Com a finalidade de criar as condições para a implementação do Sistema Nacional
de Informação em Saúde (SNIS), foi criado o Departamento de Informação e Informática em Saúde no Ministério da Saúde
(MS), o que se constitui em marco histórico na consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS). A atribuição ao MS de forma
legal e específica de organizar o Sistema Nacional de Informação em Saúde (SNIS) é pertinente:
A) À Lei n. 8.080, de 19 de setembro de 1990.
B) À Portaria n. 687 MS/GM, de 30 de março de 2006.
C) À Portaria GM n. 399, de 22 de fevereiro de 2006.
D) Ao Decreto n. 7.508, de 28 de junho de 2011.

9. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) Segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), “A urgência é a
principal causa de insatisfação da população que utiliza o sistema de atenção à saúde. Sempre haverá uma demanda por
serviços maior que a oferta e o aumento da oferta sempre acarreta aumento da demanda, criando-se, assim, um sistema de
difícil equilíbrio”. A solução proposta pelo governo tem sido a:
A) Construção de alternativas de racionalização da oferta ou estratégias regulatórias.
B) Construção de uma linguagem que permeie todo o sistema.
C) Utilização de modelos de triagem em urgências e emergências.
D) Utilização de mecanismos de controle da demanda por serviços, menor que a oferta.

10. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) O Conselho Nacional de Saúde definiu pela utilização de um instrumento para
normatizar a gestão do trabalho no SUS. Este instrumento denomina-se:
A) Norma Operacional Básica (NOB).
B) NOB/RH/SUS.
C) Lei Orgânica da Saúde.
D) Carta Política.

11. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) A Comissão Intergestores Tripartite, na primeira reunião ordinária, ocorrida em
28 de fevereiro de 2013, pactuou premissas que nortearam a seleção das diretrizes, dos objetivos, metas e indicadores
para o período 2013-2015, com vistas:
A) Ao rol de indicadores para pactuação nacional.
B) Ao acesso e à qualidade da organização em redes.
C) Ao fortalecimento do planejamento do SUS e à implementação do Contrato Organizativo da Ação Pública da Saúde
(Coap).
D) Aos indicadores específicos que expressem as características epidemiológicas regionais e de organização do sistema.

12. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) A Lei n. 8.080, de 19 de setembro de 1990, que dispõe sobre a organização do
Sistema Único de Saúde (SUS), o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa é
regulamentada pelo:
A) Decreto n. 5.886, de 6 de setembro de 2006.
B) Decreto n. 6.378, 19 de fevereiro de 2008.
C) Decreto n. 7.468, de 28 de abril de 2011.
D) Decreto n. 7.508, de 28 de junho de 2011.

13 (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) No Brasil, a Campanha de Erradicação da Varíola (CEV) − 1966-1973 inspirou a
Fundação Serviços de Saúde Pública que possibilitou o futuro desenvolvimento de ações de impacto. O principal êxito
relacionado a esse esforço foi:
A) O primeiro Manual de Vigilância Epidemiológica.
B) O controle da poliomielite no Brasil, na década de 1980, e a erradicação alcançada em 1994.
C) O Sistema Único de Saúde (SUS).
D) A 5ª Conferência Nacional de Saúde em 1975.

14. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) Segundo as boas práticas de abastecimento de água, que asseguram a potabilidade
da água para consumo humano, nos termos definidos, “o projeto, a construção e, sobretudo, a operação dessas unidades
sejam desenvolvidos com a preocupação de minimizar riscos à saúde”. Esta determinação é pertinente à:
A) Resolução Conama n. 357, de 17 de março de 2005.
B) Portaria MS n. 518, de 25 de março de 2004.
C) Lei n. 9.984, de 17 de julho de 2000.
D) Portaria MS n. 443/BSB, de 3 de outubro de 1978.

15. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2013) De acordo com a Vigilância em Saúde do Trabalhador, para implementação, no
Brasil, da Convenção n. 187, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), adotada em Genebra, em 15 de junho de
2006, e que trata da Estrutura de Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho, o objetivo de avaliar e propor medidas é
estabelecido:
A) na Comissão Tripartite de Saúde e Segurança no Trabalho (CT-SST).
B) no Conselho de Administração da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
C) no Plano de Ação Global em Saúde do Trabalhador.
D) no Programa Nacional de Saúde e Segurança no Trabalho.

16. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Que indicador de saúde NÃO inclui em seu cálculo o número de nascidos vivos de
uma determinada população?
A) Mortalidade Perinatal.
B) Mortalidade Infantil Proporcional.
C) Coeficiente de Natimortalidade.
D) Mortalidade Neonatal.

17. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Um estudo foi conduzido entre doadores de sangue que se apresentaram em uma
unidade de atendimento. Durante um período de três meses, esses doadores foram rastreados para investigar a presença
de anticorpos contra o vírus da hepatite C. Ao mesmo tempo foi aplicado um questionário padronizado para a identificação
de prováveis fatores de risco. Este é um exemplo de um estudo epidemiológico do tipo:
A) Caso-controle.
B) Coorte.
C) Experimental.
D) Prevalência

18. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Na comparação de coeficientes de mortalidade geral de dois países, é importante
para uma interpretação correta desse coeficiente o conhecimento:
A) Da dimensão territorial do país.
B) Do tamanho da população.
C) Da distribuição urbana e rural da população.
D) Da distribuição etária da população.

19. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) No que se refere a indicadores de saúde, pode-se afirmar que:
A) Os coeficientes de incidência e de prevalência são coeficientes de morbidade e, no caso das doenças crônicas,
apresentam valores iguais.
B) O coeficiente de mortalidade infantil é impróprio para comparar níveis de saúde de regiões diferentes.
C) O coeficiente de mortalidade infantil proporcional mostra a relação de óbitos de menores de um ano de ida- de e a
população total e é expresso em percentual.
D) O coeficiente de prevalência é o melhor indicador de morbidade em doenças crônicas.

20. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Um novo tratamento é usado em uma determinada doença e concorre para a
melhora do seu prognóstico, mas não para a sua cura. Nessa situação específica, a:
A) Prevalência da doença diminui.
B) Prevalência da doença aumenta.
C) Incidência da doença aumenta.
D) Incidência da doença diminui.

21. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) A letalidade encontrada para uma determinada doença é bem mais alta que a
letalidade esperada. Esse fato deve-se, provavelmente, à:
A) Subnotificação de casos.
B) Igualdade entre incidência e prevalência da doença.
C) Baixa mortalidade pela doença.
D) Notificação de casos suspeitos.

22. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Para identificar necessidades de saúde de uma população e definir prioridades em
saúde, utilizam-se medidas e indicadores de saúde, tal como a taxa de mortalidade infantil. Esse indicador:
A) Expressa a proporção de óbitos de menores de um ano em relação ao total de óbitos ocorridos em uma população.
B) Requer, para o cálculo do coeficiente, o conhecimento do número de crianças de 0 a 1 ano de idade em uma
determinada população.
C) Mostra a relação entre óbitos de menores de cinco anos e o número de nascidos vivos de uma determinada população.
D) Mede o risco de uma criança morrer antes de completar um ano de vida.

23. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) A incidência de uma doença é cinco vezes maior em homens do que em mulheres,
mas a prevalência não difere entre os sexos. Qual a explicação mais provável para esse fato?
A) O coeficiente de mortalidade seria maior em mulheres.
B) A letalidade seria maior em mulheres.
C) A duração da doença seria maior em mulheres.
D) A assistência médica destinada às mulheres seria pior que a dos homens.

24. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Com referência a indicadores de saúde, a relação entre o número de:
A) óbitos por tétano que ocorreram em determinado lugar e ano pelo número de casos de tétano representa o coeficiente
de mortalidade por tétano, neste local.
B) casos agudos de Doença de Chagas diagnosticados em determinado lugar e ano pela população de risco representa o
coeficiente de prevalência da doença, no local.
C) óbitos por meningites que ocorreram em determinado lugar e ano pelo número de casos da mesma doença representa a
taxa de letalidade dessa doença.
D) casos de tétano neonatal que ocorreram em determinado lugar e ano pelo número de mulheres grávidas representa o
coeficiente de prevalência do tétano neonatal, no local.

25. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) O artigo “Mortalidade por desnutrição em idosos, região Sudeste do Brasil, 1980 –
1997”. (Otero UB, et al. Rev. Saúde Pública, 2002;36(2):141148) apresenta a seguinte descrição em metodologia: Foram
selecionados indivíduos com 60 anos ou mais de ambos os sexos, dos municípios da região Sudeste, entre 1980 e 1997. As
fontes de dados foram o registro de óbitos do Sistema de Informação Sobre Mortalidade (19801998) e a população
estimada pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional. Para classificação dos óbitos, empregou-se a CID-9
(260 a 263.9), para os anos de 1980 até 1995, e a CID-10 (E40 a E46), para os anos mais recentes. Taxas de mortalidade
proporcional e mortalidade por sexo e faixa etária foram calculadas e apresentadas como resultado do trabalho. Esse texto
apresenta um estudo do tipo:
A) Coorte.
B) Descritivo.
C) Prevalência.
D) Caso-controle.

26. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) O coeficiente que pode ser considerado um coeficiente de prevalência é:
A) Número de mulheres com esfregaço cervical positivo para câncer cervical/total de mulheres examinadas.
B) Número de óbitos por sarampo em um ano/total de casos de sarampo no mesmo ano.
C) Número de casos de tuberculose diagnosticados em um ano/população existente no meio do mesmo ano.
D) Número de óbitos por diarreia em um ano/total de óbitos neste mesmo ano.

27. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Leia o texto a seguir. “O processo saúde-doença é determinado pelo modo como o
Homem se apropria da natureza em um dado momento, apropriação que se realiza por meio do processo de trabalho
baseado em determinado desenvolvimento das forças produtivas e relações sociais de produção”. BARATA, Rita de Cássia
Barradas. Historicidade do conceito de causa, Ensp/Abrasco,1985.
Esse texto ilustra a teoria de causalidade denominada:
A) Determinação social das doenças.
B) Multicausalidade das doenças.
C) Unicausalidade das doenças.
D) Determinação ecológica das doenças.

28. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) A epidemiologia descritiva constitui a primeira etapa da aplicação do método
epidemiológico com o objetivo de compreender o comportamento de um agravo à saúde em uma população. A
epidemiologia descritiva:
A) É utilizada para descrever padrões de ocorrência de doenças de acordo com o tempo e espaço.
B) Quantifica o risco de desenvolver determinada doença.
C) Visa, na maioria das vezes, estabelecer inferências a respeito de associações entre duas ou mais variáveis,
especialmente associações de exposição e efeito, portanto, associações causais.
D) Abrange os chamados estudos de intervenção, que apresentam como característica principal o fato de o pesquisador
controlar as condições do experimento.

29. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) A vigilância epidemiológica fornece orientação técnica per- manente às Secretarias
Municipais de Saúde e a outros órgãos que possuam responsabilidade na execução do controle e prevenção das doenças.
No processo de vigilância epidemiológica:
A) A notificação compulsória de certas doenças pelas unidades e profissionais de saúde é um exemplo de vigilância ativa.
B) A subnotificação e o preenchimento incompleto das fichas são limitações de sistemas ativos de vigilância
epidemiológica.
C) As atividades são realizadas de forma pontual, ou seja, só são desenvolvidas durante a ocorrência de epidemias.
D) A severidade e a magnitude da doença são dois dos principais aspectos para se determinar a existência de um sistema
de vigilância da mesma.

30. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Os indicadores de morbidade repousam sobre as observações individuais, as quais
são em seguida agregadas, de forma a fornecer uma medida da doença de um grupo ou de uma população. Em indicadores
de morbidade:
A) Números absolutos são específicos para comparação entre populações diferentes.
B) Aumentos na incidência de uma doença podem levar a aumentos da prevalência dessa doença.
C) Coeficientes de incidência são específicos para doenças crônicas.
D) Coeficientes de prevalência são específicos para descrição de ocorrência de casos novos de determinada doença.
31. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) São consideradas medidas preventivas aquelas utilizadas para evitar as doenças
ou suas consequências. Dentre elas, rastreamento, exames periódicos de saúde, autoexame e diagnóstico precoce são
classificados como medidas de:
A) Prevenção primária.
B) Prevenção secundária.
C) Prevenção terciária.
D) Proteção específica.

32. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) O diagnóstico coletivo de saúde:
A) Independe das características individuais dos participantes de uma determinada comunidade.
B) É pouco influenciado pelas condições e desigualdades socioeconômicas.
C) Tem base de dados muito limitada, o que não permite a geração de indicadores confiáveis.
D) Inclui as condições de habitação e saneamento ambiental, componentes dos aspectos ecológicos e sociopolíticos
indispensáveis para a sua realização.

33. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) No contexto do Sistema Único de Saúde:
A) A Constituição e as Leis Orgânicas da Saúde (LOS) constituem instrumentos de regulamentação do setor saúde.
B) O Conselho Nacional de Saúde é uma instância de discussão das questões da área, sem caráter deliberativo.
C) A Lei n. 8080 e a Lei n. 8142, editadas em 1988, representam o principal dispositivo de regulamentação sobre a saúde e
complementam a Constituição de 1966.
D) As comissões intergestores tripartite e bipartite são comissões de âmbito estadual e municipal com objetivos de
negociação e pactuação permanente entre os gestores da saúde, no processo de municipalização da saúde.

34. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) As chamadas “Doenças e Agravos Não Transmissíveis” (DANTs) constituem um
grupo de causas de adoecimento e mortes que apresentam uma importância crescente na atualidade e apresentam custos
econômicos e sociais crescentes. As DANTs:
A) Têm na redução da exposição aos fatores de risco o melhor caminho para prevenção e controle.
B) Apresentam baixo impacto quando se utiliza como marcador a Expectativa de Vida ao Nascer (EVN).
C) Apresentam, no Brasil, as mesmas tendências históricas da mortalidade infantil.
D) Excluem de seu escopo, as lesões produzidas por acidentes e violências.

35. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) A vigilância epidemiológica depende da disponibilidade de dados. Com relação à
produção de “informação para a ação”, pode-se afirmar que:
A) Os Sistemas de Informações em Saúde possuem cará- ter meramente administrativo.
B) A qualidade da informação independe dos dados gerados no local em que o evento ocorreu.
C) Os “sistemas sentinelas” de informações servem para monitorar indicadores-chave em grupos populacionais específicos
e não devem ser utilizados na população geral.
D) As chamadas “notificações negativas” funcionam como um indicador de eficiência do sistema de informações em saúde.

36. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) As profundas alterações demográficas ocorridas no país nas últimas décadas, tais
como a maior fixação urbana da população e o crescente peso relativo de estratos mais velhos, impõem mudanças na
organização dos serviços de saúde. Assim, na organização desses serviços, deve- se considerar que:
A) A capacidade funcional, embora seja um importante componente da saúde do idoso, não deve ser utiliza- da para a
formulação de conceitos em saúde coletiva.
B) As doenças mais prevalentes nos idosos são quase sempre crônicas e de baixo custo para os serviços de saúde.
C) A idade cronológica é um robusto preditor de mortalidade.
D) Os “screenings populacionais” nas populações idosas e urbanas substituíram os estudos que utilizam a “percepção da
própria saúde” como indicador para a organização dos sistemas e dos serviços de saúde.

37. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Nos termos da Constituição Federal e da Lei Orgânica da Saúde, na organização do
Sistema Único de Saúde NÃO se inclui o seguinte princípio:
A) Universalidade do acesso aos serviços de saúde.
B) Integralidade da assistência.
C) Participação da comunidade.
D) Modelo de atenção baseado no Programa de Saúde da Família.

38. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) A legislação brasileira, quanto à participação da iniciativa privada na assistência à
saúde, faculta:
A) A destinação de recursos públicos para subvenções às instituições privadas com fins lucrativos.
B) A participação complementar de instituições privadas no SUS, tendo preferência as filantrópicas e as sem fins
lucrativos.
C) A participação de empresas estrangeiras na assistência à saúde, no país.
D) A comercialização de órgãos e tecidos humanos para fins de transplantes, desde que tenham os devidos registros na
ANVISA.
39. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Em saúde pública, “epidemia lenta” refere-se: A) À doença espacialmente
localizada, temporariamente limitada e com incidência situada dentro de limites considerados “normais”.
B) À ocorrência de doença em grande número de pessoas ao mesmo tempo, ultrapassando os valores previamente
encontrados em um curto espaço de tempo.
C) Às doenças de ocorrência gradualizada, geralmente com longos períodos de incubação.
D) Às ocorrências de doença restrita a um espaço delimitado.

40. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Em texto recente, Sarah Escore afirma que equidade não era uma categoria
utilizada no discurso do movimento sanitário e que não fez parte do Relatório Final da 8ª Conferência Nacional de Saúde
(exceto como equidade no acesso). Posterior- mente, o princípio da equidade transborda do acesso aos serviços de saúde
para princípio orientador das políticas. Nesse contexto, equidade:
A) É a garantia de saúde segundo as leis e os méritos.
B) Incorpora a igualdade como princípio orientador das políticas.
C) Tende à homogeneização, como parte da vontade geral da população.
D) Significa a incorporação da ideia de discriminação positiva.

41. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) A existência real de um serviço de saúde ao alcance do usuário, disponibilidade, e a
acessibilidade a esse serviço – referente aos custos diretos e indiretos dos cuidados, sem falar da capacidade de pagar ou
ter o serviço disponível quando se é preciso ou entende-se como necessário – são considerados fatores perceptíveis
relevantes do acesso aos serviços de saúde. No Brasil, a concretização do acesso universal aos serviços de saúde implica,
necessariamente:
A) A presença de Equipes de Saúde da Família em todos os bairros.
B) A existência de programas garantidores de renda mínima, propiciando assim capacidades para compra de serviços não
oferecidos na rede pública de saúde.
C) A implantação de serviços seletivos para responder a determinadas queixas e tecnologicamente dirigidos ao usuário de
baixa renda.
D) A compreensão da saúde e da doença como fenômenos sociais que envolvem dimensões individuais e coletivas.

42. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) Uma das diretrizes referentes à assistência em saúde mental, no Brasil, é:
A) Articulação do hospital com a rede comunitária de saúde mental.
B) Substituição dos médicos psiquiatras por psicólogos nas equipes de atenção primária à saúde.
C) Acesso prévio da equipe cuidadora às correspondências dos pacientes internados.
D) Registro adequado, em prontuários específicos para cada profissional, dos procedimentos diagnósticos e terapêuticos a
que os pacientes foram submetidos.

43. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFG 2010) No Brasil, na última década, a mortalidade proporcional por grupos de causas
apresentou:
A) Aumento das Neoplasias e Doenças Infecciosas e Parasitárias.
B) Maior peso relativo do grupo “Doenças Endócrinas, Nutricionais e Metabólicas”, no sexo feminino.
C) Pesos equivalentes para ambos os sexos quando considerado o grupo “Causas Externas”.
D) Causas relacionadas à gravidez, ao parto e puerpério entre os cinco maiores grupos.

44. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2012) A Norma Operacional Básica – NOB 1/96 – do SUS descreve que a atenção à saúde
encerra todo o conjunto de ações levadas a efeito pelo SUS, em todos os níveis de governo, para o atendimento das
demandas pessoais e das exigências ambientais. A NOB 1/96 compreende três grandes campos:
A) Assistência, intervenções vetoriais e política interna de saúde.
B) Assistência, intervenções ambientais e política externa de saúde.
C) Assistência, intervenções sociais e política de avaliação de vetores.
D) Assistência, intervenções ambientais e política interna de saúde.

45. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2012) A participação da comunidade na Gestão do SUS será feita conforme a lei Nº 8.142,
de 28/12/1990, envolvendo:
A) A Conferência de Saúde e o Conselho de Saúde.
B) A Comunidade de Saúde Municipal e o Conselho Federal de Saúde.
C) A Conferência Interestadual de Saúde e o Conselho Federal de Medicina.
D) A Conferência Intermunicipal de Saúde e o Conselho Federal de Medicina.

46. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2012) São as principais diretrizes do SUS:
A) A centralização dos serviços de saúde, a participação da comunidade, a regionalização e integralidade dos serviços
prestados.
B) As ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, a centralização político administrativa, com direção única em
cada esfera de governo e a participação da comunidade.
C) A descentralização político-administrativa, com direção única em cada esfera do governo; integralidade das ações à
saúde e a participação da comunidade.
D) O sistema integrado de atenção à saúde, a centralização dos serviços básicos de saúde e a política de integração e
participação da comunidade.

47. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2012) O Conselho de Saúde é composto por:
A) Representantes do Estado, profissionais de saúde e educação, estudantes e usuários.
B) Representantes do Governo, profissionais de saúde, órgãos estudantis e clientes.
C) Representantes do Governo e do Congresso, representantes da comunidade e usuários.
D) Representantes do Governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários.

48. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2012) O pacto pela vida, em defesa do SUS e de gestão é o compromisso entre os gestores
do SUS em torno de prioridades que apresentam impacto sobre a situação de saúde da população brasileira. Os estados, as
regiões e os municípios devem pactuar as ações necessárias para o alcance das metas e dos objetivos propostos. Assinale a
alternativa correta dentre as prioridades pactuadas:
A) Saúde do idoso, redução da mortalidade infantil e materna, fortalecimento da atenção básica.
B) Controle do câncer de colo de útero e de mama, combate ao tabagismo, fortalecimento da atenção hospitalar.
C) Fortalecimento da capacidade de respostas às doenças emergentes, controle da obesidade entre adultos e idosos,
controle das DCNT.
D) Promoção da Saúde, controle do câncer de próstata, redução da mortalidade infantil e materna.

49. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2012) De acordo com o pacto pela vida, em defesa do SUS e de gestão, assinale a
alternativa correta, em relação às responsabilidades na gestão do trabalho e educação na saúde, no que compete aos
municípios:
A) Promover, de forma independente, processos de educação permanente em saúde.
B) Transferir a organização e funcionamento dos Polos de Educação Permanente em Saúde para o Estado.
C) Promover ações de educação permanente dos profissionais de saúde atendendo aos princípios do modelo médico-
hospitalar.
D) Formular e promover a gestão da educação permanente em saúde e processos relativos à mesma, orientado pela
integralidade da atenção à saúde.

50. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2012) As ações do Pacto em Defesa do SUS devem contemplar:
I Articulação e apoio à mobilização social pela promoção e desenvolvimento da cidadania, tendo a questão da saúde como
um direito.
II Estabelecimento de diálogo com a sociedade, cumprindo os princípios da Lei Orgânica do município.
III Ampliação e fortalecimento das relações com os movimentos sociais, em especial com os que lutam pelos direitos da
saúde e cidadania. De acordo com as afirmativas acima assinale a alternativa correta:
A) I e II estão corretas.
B) I, II, III estão corretas.
C) I e III estão corretas.
D) II e III estão corretas.

51. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2012) A Lei Nº 8.080/90 (SUS) dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e
recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes. No Art. 6º estão incluídas
diferentes ações no campo de atuação do Sistema Único de Saúde (SUS). Neste sentido, escolha a alternativa correta:
A) A participação na formulação da política e na execução de ações de saneamento básico.
B) A formação de recursos humanos na área de saúde.
C) A fiscalização na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho.
D) O armazenamento e controle de alimentos, água e bebidas para consumo humano.

52. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2012) Quanto à participação e funcionamento nos Serviços Privados de Assistência à
Saúde, a Lei 8080/90 (SUS), nos Art. 20, 21, 22 e 23 dispõe:
I Os serviços privados de assistência à saúde caracterizam-se pela atuação, por iniciativa própria, de profissionais liberais,
legalmente habilitados, e de pessoas jurídicas de direito privado na promoção, proteção e recuperação da saúde.
II A assistência à saúde é livre à iniciativa privada.
III Na prestação de serviços privados de assistência à saúde serão observados os princípios éticos e as normas expedidas
pelo órgão de direção do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto às condições para seu funcionamento.
IV É facultada a participação direta ou indireta de empresas ou de capitais estrangeiros na assistência à saúde, salvo
através de doações de organismos internacionais vinculados à Organização das Nações Unidas, de entidades de
cooperação técnica e de financiamento e empréstimos.
Assinale a alternativa correta em relação ao texto:
A) As alternativas II e IV estão corretas.
B) As alternativas I e IV estão corretas.
C) As alternativas I, III e IV estão corretas.
D) As alternativas I, II e III estão corretas.

53. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFGD 2012) Ao estabelecer o HumanizaSUS, o Ministério da Saúde definiu:
A) Os programas de humanização da rede de atendimentos, priorizando a criança (Hospital amigo da criança), a mulher
gestante (o parto humanizado), o idoso e o deficiente, que são os segmentos sociais que mais precisam de proteção devido
à sua vulnerabilidade.
B) Uma Política Nacional de estratégia transversal, pactuada no âmbito do Ministério da Saúde, mas que deve abranger
todos os níveis de gestão, todas as áreas de conhecimento, bem como todas as relações, sejam elas entre pacientes,
trabalhadores, gestores e controle social.
C) Que humanizar é ofertar um serviço de melhor qualidade, com mais rapidez e eficiência, nas esferas do acolhimento, da
articulação da referência e contrarreferência e da vinculação entre trabalhador de saúde e usuário.
D) A humanização como um programa para aprofundar relações verticais, em que são estabelecidas normativas a serem
aplicadas e operacionalizadas. Isso significa desenvolver ações pautadas em índices a serem cumpridos e em metas a
serem alcançadas com resolutividade e qualidade.
E) A humanização como processo de compreensão do fator humano na organização do SUS, dentro de uma vertente
holística de práticas e construção de saberes.

54. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFGD 2012) Leia o texto a seguir. A Portaria nº 940, de 28 de abril de 2011, Regulamenta o
Sistema Cartão Nacional de Saúde (Sistema Cartão). Os objetivos do cartão SUS são (Art. 4º):
I - identificar o usuário das ações e serviços de saúde;
II - possibilitar o cadastramento dos usuários das ações e serviços de saúde, com validade nacional e base de vinculação
territorial fundada no domicílio residencial do seu titular;
III - garantir a segurança tecnológica da base de dados, respeitando-se o direito constitucional à intimidade, à vida privada,
à integralidade das informações e à confidencialidade;
IV - fundamentar a vinculação do usuário ao registro eletrônico de saúde para o SUS; e
V - possibilitar o acesso do usuário do SUS aos seus dados.
Para atingir esses objetivos, será necessário:
A) Que, além de todos os usuários, os profissionais e estabelecimentos de Saúde responsáveis pelas ações efetivem
também seus cadastros.
B) Que o usuário tenha seu atendimento atrelado ao registro de seu território, para que a gestão possa evitar seu
deslocamento e impedir a multiplicidade de registros.
C) Garantir a integralidade no sistema de referência e contrarreferência das ações e dos serviços de saúde.
D) Conferir os dados do usuário para certificar que seu endereço físico corresponde ao eleitoral, combatendo fraudes e
fortalecendo a territorialização e a hierarquização.
E) Realizar uma forte campanha informativa, mostrando que, a partir de uma data limite, os atendimentos em Saúde serão
realizados, exclusivamente, aos portadores do Cartão SUS.

55. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFGD 2012) Leia o texto a seguir. O Movimento da Reforma Sanitária surgiu no início dos
anos 1960 da indignação de setores técnicos e intelectuais com o quadro da Saúde no Brasil. Um marco histórico da luta
desse movimento se deu com a 8ª Conferência Nacional de Saúde, acontecimento que incluiu a sociedade civil organizada
no processo de construção de um novo ideário para a Saúde. O conceito de “saúde” sustentado pela Reforma Sanitária tem
como diretriz:
A) Combater às epidemias históricas do país, como a esquistossomose, a febre amarela e a dengue que afetam as
populações trabalhadoras e menos privilegiadas economicamente.
B) Desospitalizar e desinstitucionalizar as ações de Saúde, compreendendo que as formas de tratamento da Hanseníase, da
Tuberculose e dos Transtornos Mentais, bem como a Atenção à Saúde da população excluída dos quadros do trabalho
formal compunham um projeto eugenista.
C) Controlar a Saúde de toda a população, por meio dos mecanismos de vigilância sanitária, vigilância epidemiológica e dos
dispositivos da Atenção Básica, na prevenção e promoção da Saúde.
D) Ratificar a qualidade de vida como uma conquista histórica da capacidade de criar e manter uma vida digna; o acesso à
moradia, transporte, trabalho, lazer e alimentação, que permitam o desenvolvimento integral do sujeito; a educação de
qualidade, que inclui todos numa sociedade mais equânime.
E) Permitir o funcionamento do organismo dentro da excelência de suas possibilidades, o bem-estar social e a integridade
psíquica.

56. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFGD 2012) A Gestão da Saúde se faz por meio de divisões de responsabilidade nas três
esferas, mas também implica na participação popular e nos mecanismos administrativos voltados ao financiamento, ao
controle e ao desenvolvimento da regulação, do planejamento, da educação, entre outras atividades do setor. A estratégia
atual de Gestão que envolve compromissos de financiamento, gestão e fortalecimento da participação popular está
expressa no compromisso denominado:
A) Gestão Plena da Saúde.
B) Gestão Participativa da Saúde.
(C) Regionalização e Hierarquização cooperativas.
D) O Pacto pela Saúde. Proposta preconizada em três dimensões: o Pacto pela Vida, o Pacto de Gestão do SUS e o Pacto em
Defesa do SUS.
E) Programa de Avaliação Continuada da Eficiência, Eficácia e Efetividade da gestão do SUS.
57. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFGD 2012) O Distrito Sanitário pode ser definido como um modelo de organização de
serviços – orientado para um espaço etnocultural dinâmico, geográfico, populacional e administrativo bem delimitado –,
que contempla um conjunto de atividades técnicas, visando medidas de atenção à saúde, promovendo a reordenação da
rede de saúde e das práticas sanitárias e desenvolvendo atividades administrativo- gerenciais necessárias à prestação da
assistência, com controle social. Nesse sentido, a população, área geográfica com sua cultura, a disponibilidade de serviços,
recursos humanos e infraestruturas associados definem:
A) A comunidade.
B) A rede de Saúde.
C) A regional de Saúde.
D) O território.

58. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) O surgimento das primeiras Caixas de Aposentadorias e Pensões (CAPs) é o
marco inicial da atividade estatal em relação à assistência médica. A Lei de 1923, na qual o governo instituiu e
regulamentou tais entidades, foi a:
A) Lei Carlos Chagas.
B) Lei Eloy Chaves.
C) Lei Orgânica da Saúde nº 8080.
D) Lei Orgânica da Saúde nº 8142.

59. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) “Modalidade de intervenção específica do Estado na área social adotada em
vários países desenvolvidos, principalmente no pós-guerra, caracterizada pela distribuição de benefícios, ações e serviços
a todos os cidadãos de uma nação, abrangendo previdência, saúde, assistência social, educação e outros Direitos sociais”
(Viana & Levcovitz, 2005). Esse enunciado refere-se ao conceito de:
A) Seguridade Social.
B) Universalidade.
C) Segurança Alimentar.
D) Descentralização.

60. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) Em relação à participação da comunidade na gestão do SUS, em cada esfera de
governo, foram instituídas as instâncias colegiadas do SUS. São elas:
A) Conferência de Saúde e Secretaria de Saúde.
B) Conferência de Saúde e Plano de Saúde.
C) Conselho tutelar e Conselho Gestor.
D) Conferência de Saúde e Conselho de Saúde.

61. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) Quanto aos recursos para o financiamento do Sistema Único de Saúde, a
normatização deu- se a partir da Emenda Constitucional nº 29, a qual estabeleceu que:
A) O repasse dos recursos da esfera federal para a estadual e a municipal dar-se-á por dois critérios. O primeiro considera
o número de habitantes (com 50% dos recursos) e o segundo critério, com os outros 50% dos recursos, toma como base os
aspectos demográficos e epidemiológicos.
B) Os estados devem destinar 25% de suas receitas e os municípios, 20% para o financiamento dos serviços de saúde
enquanto as despesas da união serão baseadas nos gastos e na variação nominal anual do PIB.
C) Os municípios devem destinar 15% de suas receitas e os estados, 12% para o financiamento dos serviços de saúde
enquanto as despesas da união serão baseadas nos recursos utilizados em 2000, acrescidos da variação nominal anual do
PIB.
D) O repasse de recurso da esfera federal para a estadual e a municipal dar-se-á por meio de convênio a ser firmado entre
os gestores, mediante algumas exigências como: formação de Conselhos de saúde, criação dos fundos de saúde e
elaboração dos planos estaduais e municipais de saúde.

62. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) Sobre o Pacto pela Saúde, considere as afirmativas a seguir.
I Trata-se de um acordo interfederativo de pactuação das responsabilidades entre os três gestores do SUS (municípios,
estados e união) no campo da gestão, do sistema e da atenção à saúde.
II O pacto pela vida foi estabelecido através de um compromisso firmado entre os gestores do SUS em relação às
prioridades que apresentam impacto sobre a saúde da população brasileira.
III O pacto de gestão tem como objetivo discutir a questão da saúde pública e da repolitização do SUS, buscando a
consolidação da política pública de saúde como política de estado e não de governo.
IV O pacto em defesa do SUS estabelece as responsabilidades claras de cada ente federado, de forma a diminuir as
competências concorrentes e a tornar mais claro quem deve fazer o quê, contribuindo, assim, para o fortalecimento da
gestão compartilhada e solidária do SUS.
Estão corretas as afirmativas:
A) II e IV.
B) I e III.
C) I e II.
D) III e IV.
63. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) Atualmente, o Ministério da Saúde reconhece a Estratégia de Saúde da Família
(ESF) como modelo substitutivo e reorganizador da Atenção Primária à Saúde, atribuindo-lhe, predominantemente a
responsabilidade por colocar em prática os fundamentos desse nível de atenção. Um desses fundamentos é:
A) Ter acesso universal e contínuo a serviços de saúde de qualidade e resolutivos, caracterizados como porta de entrada
principal do sistema de saúde, em território adscrito.
B) Desenvolver uma relação de vínculo entre as equipes e a população, garantindo o cuidado na atenção básica,
referenciando e transferindo a responsabilidade da atenção secundária e terciária aos demais níveis de atenção.
C) Prestar atendimento em todos os níveis de atenção (baixa, média e alta complexidade) de forma integral, focalizando os
grupos de risco e as minorias.
D) Promover a família como o núcleo básico da abordagem no atendimento à saúde da população, numa abordagem clínica
e voltada para as principais doenças e agravos de importância epidemiológica.

64. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) A estrutura populacional no mundo e no Brasil tem sido alterada pela transição
demográfica, que é resultante das mudanças no ritmo de crescimento da:
A) Morbidade e da mortalidade da população por doenças infectocontagiosas e por doenças crônicas.
B) Expectativa de vida e da população infantil e jovem.
C) Urbanização e da globalização, que resultaram em mudanças substanciais nos hábitos alimentares.
D) Fecundidade, da natalidade e da mortalidade.

65. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) De acordo com o Ministério da Saúde (2012), as mudanças das sociedades,
caracterizadas pelas transições epidemiológica e demográfica, requerem uma necessária reformulação do modelo de
atenção à saúde. Para que haja essa reformulação, o MS propõe a Atenção Domiciliar (AD), que se constitui em uma
modalidade de atenção à saúde:
A) Substitutiva ou complementar às existentes, caracterizada por um conjunto de ações de atenção básica (promoção à
saúde e proteção específica) prestadas em domicílio, ou em instituições (abrigos, casas de apoio), com garantia de
continuidade de cuidados e integrada às redes de atenção à saúde.
B) Substitutiva ou complementar às existentes, caracterizada por um conjunto de ações de promoção à saúde, prevenção e
tratamento de doenças e reabilitação prestadas em domicílio, com garantia de continuidade de cuidados e integrada às
redes de atenção à saúde.
C) De caráter estritamente complementar às existentes, caracterizada por um conjunto de ações na atenção aos cuidados
paliativos aos pacientes em fase terminal de doenças, prestadas em domicílio, como garantia de condições mais humanas
no processo de morte e morrer.
D) De caráter estritamente complementar às existentes, caracterizada por um conjunto de ações no tratamento de doenças
e reabilitação prestadas em domicílio ou em instituições (abrigos, casas de apoio), com garantia de continuidade de
cuidados e integrada à atenção básica de saúde.

66. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) Sobre o atual perfil de mortalidade no Brasil, é correto afirmar:
A) As doenças do aparelho circulatório são a terceira causa de mortalidade no Brasil
B) A mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias está entre os grupos das principais causas de óbito, sendo,
proporcionalmente, o grupo de menor magnitude.
C) As doenças do aparelho respiratório são a principal causa de óbitos no Brasil.
D) A mortalidade proporcional por causas externas possui uma elevada frequência, exceto na população masculina jovem.

67. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRN 2012) Entre os diversos tipos de desenhos de pesquisa em Epidemiologia, há um que
tem, como unidade de análise, conjuntos de indivíduos, denominados agregados, que geralmente correspondem a áreas
geográficas. Esse tipo de desenho é identificado como:
A) Estudos ecológicos.
B) Estudos transversais.
C) Estudos de intervenção.
D) Estudos de coorte.

68. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFU 2011) Conforme estabelecido pela Lei Orgânica da Saúde 8080/90, a saúde dos cidadãos
é:
A) Obrigação das empresas, em relação à população inserida formalmente no mercado de trabalho e, do Estado, em
relação à população não-economicamente ocupada.
B) Obrigação exclusiva do Estado e é privativa.
C) Dever do Estado, mas não exclui o dever das pessoas, da família, das empresas e da sociedade.
D) Obrigação, em primeiro lugar, das entidades representativas da sociedade civil organizada, devendo o Estado agir de
forma complementar.

69. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFU 2011) Referem-se às fortalezas da descentralização dos sistemas de serviços de saúde,
EXCETO:
A) A melhoria das atividades intersetoriais.
B) A maior transparência e legitimidade derivadas da participação da população no processo de tomada de decisão.
C) O incremento dos custos de transação e o clientelismo local.
D) A inovação e a adaptação às condições locais.

70. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFU 2011) A descentralização política brasileira pós regime militar, consolidada pelo (a)
_____________________________, gerou o fenômeno do federalismo municipal, caracterizado pelo status de membros da
federação, concedido aos municípios, e pela repartição de recursos da União e dos estados para os municípios, impactando
a descentralização destes recursos para o Sistema Único de Saúde. Com base no texto, assinale a alternativa que completa
corretamente o enunciado:
A) Constituição de 1988.
B) Pacto pela Saúde.
C) Norma Operacional Básica – NOB 01/91.
D) Programação Pactuada Integrada – PPI.

71. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFU 2011) São objetivos da epidemiologia, EXCETO:
A) Proporcionar dados essenciais para o planejamento, execução e avaliação das ações de prevenção, controle e
tratamento das doenças.
B) Descrever a distribuição e a magnitude dos problemas de saúde nas populações humanas.
C) Explicar os fatores físicos e químicos responsáveis pela origem, desenvolvimento e continuação da vida.
D) Identificar fatores etiológicos na gênese das enfermidades.

72. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFU 2011) No Brasil, a utilização da epidemiologia no desenvolvimento de ações e serviços de
saúde é previsto pela Lei 8080 de 1990, e tem por finalidade:
A) Estabelecer maior eficiência alocativa dos recursos pela influência dos usuários locais.
B) Estabelecer prioridades, alocar recursos e orientar programaticamente.
C) Promover maior qualidade, transparência, responsabilidade e legitimidade, por meio da participação da população no
processo de tomada de decisão.
D) Promover maior integração entre agências governamentais e não governamentais e dar ênfase no clientelismo.

73. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFU 2011) Assinale a alternativa que contém o evento que NÃO influencia a prevalência de
doenças em comunidades:
A) Doentes que emigram.
B) Óbitos.
C) Doentes que imigram.
D) Diminuição do período de incubação da doença.

74. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) Dentre as alternativas abaixo, assinale o modelo de assistência à saúde no Brasil:
A) Modelo de mercado livre.
B) Modelo universal custeado por meio de impostos.
C) Modelo de segurança social misto.
D) Modelo universal.

75. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) De acordo com a Constituição Brasileira, pode-se dizer que todas as atribuições a
seguir são de competência do Sistema Único de Saúde, exceto:
A) Controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse para a saúde, além de participar da produção
de medicamentos, equipamentos, imunobiológicos, hemoderivados e inspecionar os alimentos, bebidas e águas para
consumo humano.
B) Realizar as ações de vigilância sanitária, epidemiológica, da saúde do trabalhador, a formação de recursos humanos na
área de saúde, da formulação da política e da execução das ações de saneamento básico.
C) Incrementar, em sua área de atuação, o desenvolvimento científico e tecnológico e humano.
D) Participar do controle e da fiscalização de produção, transporte, guarda, utilização de substâncias, produtos psicoativos,
tóxicos, além de fiscalizar a produção de elementos radioativos e a sua dispersão ao meio ambiente.

76. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) Os princípios que regem a organização das ações do - SUS estão numa das
alternativas a seguir. Assinale-a:
A) Regionalização, hierarquização descentralização, integralidade.
B) Universalidade, equidade, hierarquização e integralidade.
C) Participação da comunidade, regionalização, hierarquização descentralização e integralidade.
D) Universalidade e equidade.

77. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) De acordo com a Lei Orgânica da Saúde (lei 8.080/1990), são objetivos do SUS,
exceto:
A) Identificação e divulgação dos fatores condicionantes e determinantes da saúde.
B) Formulação de política de saúde destinada a promover, nos campos econômico e social, a observância do disposto no §
1º do art. 2º dessa lei.
C) Formação de recursos humanos na área de saúde.
D) Assistência às pessoas por intermédio de ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, com a realização
integrada das ações assistenciais e das atividades preventivas.

78. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) Em relação ao SUS, é incorreto afirmar que:
A) A gestão e a gerência dos serviços de assistência à saúde da Atenção Básica não podem ser terceirizados.
B) Os serviços de média e de alta complexidade não podem ser terceirizados por sua rede complementar.
C) As entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos terão preferência secundária para participar do Sistema.
D) Esse Sistema poderá recorrer aos serviços ofertados pela iniciativa privada somente mediante contrato de direito
público ou convênios.

79. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) No que diz respeito ao financiamento do Sistema Único de Saúde – SUS, todas as
afirmativas estão corretas, exceto que:
A) O sistema é financiado por toda sociedade de forma direta ou indireta, mediante recursos provenientes dos orçamentos
da União, dos Estados e do Distrito Federal e dos Municípios.
B) A lei 8.142/1990 estabelece as regras de transferências de recursos intergovernamentais dos recursos financeiros na
área da saúde, inclusive sobre os ressarcimentos ao SUS dos assegurados de planos de saúde quando atendidos pelas
instituições do Sistema.
C) O Sistema é também financiado pelo empregador e trabalhador.
D) A emenda constitucional nº 29 estabelece os recursos mínimos para o financiamento das ações e serviços públicos de
saúde.

80. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) Considerando-se que a direção do Sistema Único de Saúde - SUS é única em cada
esfera de governo, assinale a alternativa incorreta:
A) No âmbito da União, é exercida pelo Ministério da Saúde.
B) No âmbito dos Estados, é exercida pela respectiva Secretaria de Saúde ou órgão equivalente.
C) No âmbito do Distrito Federal, é exercida pela respectiva Secretaria de Saúde ou órgão equivalente.
D) No âmbito dos Municípios, é exercida pelo Conselho de Gestor de Saúde Municipal.

81. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) Quanto à participação da iniciativa privada na assistência à saúde, conforme as
disposições da Lei nº 8080/90, assinale a afirmativa verdadeira:
A) As entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos terão preferência para participar do Sistema Único de Saúde.
B) Os princípios éticos e as normas que regem o seu funcionamento devem ser submetidos à apreciação pelo órgão de
direção do Sistema Único de Saúde.
C) Os critérios e valores para a remuneração de serviços e os parâmetros de cobertura assistencial serão estabelecidos
mediante negociação das tabelas praticadas, visando a atingir uma média de valores de mercado.
D) O cargo de chefia ou função de confiança no Sistema Único de Saúde não é vedado aos proprietários, administradores e
dirigentes de entidades ou instituições que prestam serviços contratados pelo sistema público de saúde.

82. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) Sobre a responsabilidade dos gestores do Sistema Único de Saúde – SUS, as
alternativas a seguir caracterizam improbidade administrativa, prevista na Lei nº 8.429/92, exceto:
A) negar publicidade aos atos oficiais.
B) deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo.
C) praticar ato visando fim proibido em lei.
D) isentar os gestores das sanções previstas, por serem agentes políticos, submetendo-se, então, às penas por crimes
orçamentários.

83. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFF 2011) De acordo com a lei 8.080/1990 compete à direção estadual do SUS, dentre outras
ações, coordenar e, em caráter complementar, executar ações e serviços nas seguintes áreas, exceto a de:
A) vigilância epidemiológica e sanitária.
B) alimentação e nutrição.
C) saúde do trabalhador.
D) saúde da criança e adolescente.

84. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) Por meio da Lei Eloy Chaves (1923), deu-se o nascimento da legislação
trabalhista no Brasil, criando:
A) Institutos de Aposentadorias e Pensões (IAPS).
B) Instituto Nacional de Previdência Social (INPS).
C) Instituto Nacional de Assistência Médica e Previdência Social (INAMPS).
D) Fundo de Assistência à Saúde (FAS).
E) Caixas de Aposentadorias e Pensões (CAPS).

85. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) A idealização do direito universal à saúde teve a sua expansão a partir do Projeto
de Reforma Sanitária, na década de 80. Na década posterior, a Política de Saúde sofreu determinações dos ajustes
econômicos e sociais neoliberais, que apontaram na direção:
A) Priorização de um Sistema Único voltados para os menos favorecidos financeiramente.
B) Aprimoramento do Sistema Único de Saúde, já que possibilita o co-financiamento para programas, projetos e serviços.
C) Fortalecimento da Seguridade Social, já que menciona a articulação entre a previdência social, saúde e assistência social.
D) Desmonte do projeto de Reforma Sanitária, com a saúde voltada para os interesses do mercado.
E) Melhorias de condições de vida e de saúde da população brasileira.

86 (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) São princípios do Sistema Único de Saúde (SUS),
A) Universalidade.
B) Participação Social.
C) Capacidade econômica dos municípios.
D) Equidade.
E) Integralidade.

87. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) Não é de competência do Sistema Único de Saúde (SUS):
A) Participar do controle e fiscalização de produção, transporte, guarda e utilização de substâncias de produtos
psicoativos, tóxicos e radiológicos.
B) Comercializar órgãos, tecidos e substâncias para fins de transplantes, pesquisas e tratamentos.
C) Incrementar em sua área de atuação o desenvolvimento científico e tecnológico.
D) Ordenar a formação de recursos humanos na área de saúde.
E) Controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse para a saúde.

88. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) Segundo a Lei Orgânica de Saúde, de setembro de 1990, que dispõe sobre o
Sistema Único de Saúde, não é da competência do nível municipal:
A) Normalizar a vigilância sanitária dos portos, aeroportos e fronteiras.
B) Planejar, organizar, controlar e avaliar as ações e os serviços de saúde.
C) Executar serviços de vigilância epidemiológica.
D) Gerir laboratórios públicos e hemocentros.
E) Controlar e fiscalizar os procedimentos dos serviços privados de saúde.

89. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) Sobre os Conselhos de Saúde, é incorreto afirmar:
A) Constituem instâncias de controle social do Sistema Único de Saúde.
B) Possuem caráter apenas consultivo.
C) Possuem caráter permanente.
D) São formados por representantes do governo, prestadores de serviços, profissionais de saúde e usuários.
E) Possuem caráter deliberativo.

90. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) De acordo com a Lei Orgânica da Saúde (8.080/90), a “um conjunto de ações que
proporcionam conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes
de saúde individual e coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças
ou agravos”, denominamos:
A) Avaliação do impacto ambiental.
B) Vigilância sanitária.
C) Vigilância epidemiológica.
D) Saúde do trabalhador.
E) Vigilância ambiental.

91. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) A vigilância sanitária consiste em um conjunto de ações:
A) Programadas para avaliação e controle do valor nutricional dos alimentos.
B) Destinadas à fiscalização do meio ambiente, sobretudo em regiões afetadas por grandes estiagens.
C) Voltadas exclusivamente à fiscalização de alimentos destinados aos centros de distribuição.
D) Capazes de eliminar, diminuir e prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio
ambiente.
E) Destinados à detecção de determinadas doenças que afetam as comunidades da periferia urbana.

92. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) Pela Lei 8.080/90, os recursos financeiros do SUS terão movimentação
fiscalizadora pelo (a):
A) Fundo Nacional de Saúde.
B) Secretarias Estaduais de Saúde.
C) Ministério da Saúde.
D) Secretarias Municipais de Saúde.
E) Conselhos de Saúde.

93. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) A Norma Operacional Básica do Sistema de Saúde Único de Saúde (SUS) tem
como finalidade primordial:
A) Utilização em casos de calamidade pública.
B) Harmonização de interesses regionais e municipais.
C) Normalizar diretrizes para celebração de contratos celebrados pelo poder público.
D) Promover e consolidar o pleno exercício, por parte do poder público municipal e do Distrito Federal, da função de
gestor da atenção à saúde dos seus munícipes.

94. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) Em relação às Normas Operacionais Básicas (NOBs), é incorreto afirmar:
A) São instrumentos de regulação do processo de descentralização.
B) Normatizam a transferência de serviços, responsabilidades, poder e recursos da união para estados e municípios.
C) Possuem diferenças no contexto de sua elaboração.
D) Não possuem caráter transitório.
E) Aprofundam e reorientam a implementação do Sistema Único de Saúde.

95. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) O Plano Diretor de Regionalização (PDR), deverá ser elaborado na perspectiva
de garantir:
A) Programas de erradicação da pobreza.
B) Eliminação do trabalho infantil.
C) O acesso aos cidadãos, o mais próximo possível de sua referência, a um conjunto de ações e serviços.
D) Diminuição das desigualdades sociais.
E) Programas de erradicação da fome.

96. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) O Pacto pela Saúde, instituído pela Portaria nº 399/ 2006, implica no exercício
simultâneo de definições de prioridades articuladas em três eixos distintos, denominados:
A) Pacto pela Saúde do Trabalhador, Pacto pela Vida e Pacto em Defesa do SUS.
B) Pacto pela Vida, Pacto em Defesa do SUS e Pacto de Gestão do SUS.
C) Pacto em Defesa do SUS, Pacto de Gestão do SUS e Pacto em Defesa da Atenção Básica.
D) Pacto em Defesa da Humanização, Pacto pela Vida e Pacto em Defesa do SUS.
E) Pacto em Defesa do SUS, Pacto em Defesa da Atenção Básica e Pacto pela Saúde do trabalhador.

97. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) Mudanças significativas para a execução do Sistema Único de Saúde (SUS), com a
substituição do processo de habilitação pela adesão aos termos de compromisso de gestão, pela regionalização solidária e
pelo processo de descentralização, apresentam impacto sobre a situação de saúde da população, assegurado no Pacto pela
Saúde por meio do:
A) Pacto de Gestão do SUS.
B) Pacto em Defesa do SUS.
C) Pacto pela Vida.
D) Pacto pela Solidariedade do SUS.

98. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) São características da Atenção Básica em Saúde, exceto:
A) A produção do cuidado longitudinal.
B) Centralização na demanda do atendimento.
C) A coordenação dos serviços de saúde.
D) A integralidade.
E) Orientação na comunidade.

99. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) Em 1920, o documento Informe Dawson sobre o futuro dos serviços médicos e
afins, publicado pelo governo inglês, propõe pela primeira vez a organização dos serviços de saúde em níveis de
complexidade e com apoio mútuo entre eles, devendo-se contemplar:
A) Sistemas de saúde de base hospitalar, mantendo-se somente centros de saúde secundários.
B) Centros de atenção primária à saúde e secundários, para atuação de especialistas, com abolição total dos hospitais.
C) Centros de atenção primária à saúde e secundários, para atuação de especialistas, além de hospitais-escola para as
doenças incomuns e complicadas.
D) Sistemas de saúde de base especializada, com ênfase nos ambulatórios intra e extrahospitalares.
E) Centros de atenção primária à saúde para atuação de generalistas, além de hospitaisescola para as doenças
complicadas.

100. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) No período pré-SUS, a assistência médica era desvinculada do restante da
política nacional de saúde por constituir-se como forma de benefício da Previdência Social, que, no Brasil, foi
implementada de acordo com a seguinte ordem cronológica de institucionalização:
A) CAPS – IAPS – INPS.
B) IAPS – CAPS – INAMPS.
C) CAPS – INPS – IAPS.
D) IAPS – INAMPS – CAPS.
E) INAMPS – INPS – IAPS.
101. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) No que tange aos princípios doutrinários e diretrizes organizativas do SUS,
sabe-se que foram fruto de um longo processo histórico de reforma sanitária que culminou na 8ª Conferência Nacional de
Saúde, sendo então incorporados na legislação brasileira. Sobre esse tema, considere as seguintes afirmativas:
1. Equidade é a priorização das ações e serviços de saúde em função de maiores riscos de adoecer e morrer.
2. Integralidade é garantia, ao usuário, de acesso a todos os níveis de complexidade do sistema de saúde.
3. Universalidade significa o direito de acesso, de todos os cidadãos brasileiros, a todo o conjunto de ações e serviços
ofertados pelo sistema de saúde.
4. Equidade é a disponibilização de recursos e serviços de saúde de forma justa, de acordo com as necessidades de cada
um.
Assinale a alternativa correta.
A) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.
B) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.
C) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.
D) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.
E) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

102. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) Os conselhos de saúde foram criados pela Lei Orgânica da Saúde de 1990, a fim
de se institucionalizar a participação popular garantida na Constituição de 1988. Ao longo do tempo, eles vêm tendo sua
importância política cada vez mais definida no arcabouço do SUS. De acordo com a legislação e a normatização correntes
no país, são atribuições dos conselhos de saúde, EXCETO:
A) a defesa permanente dos princípios e diretrizes do SUS.
B) a seleção e o recrutamento de pessoal para os serviços de saúde.
C) O acompanhamento da proposta orçamentária e da execução financeira em saúde, mediante prestações de contas
periódicas.
D) A apreciação de denúncias e irregularidades supostamente ocorridas nos serviços de saúde.
E) a participação no planejamento das ações de saúde do território de abrangência.

103. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) Em meados dos anos 2000, o Ministério da Saúde inaugurou a Política Nacional
de Educação Permanente em Saúde (EPS), uma nova abordagem no tocante ao trabalho em saúde. As tradicionais
capacitações, úteis ao preparar teórica e tecnicamente os trabalhadores para o enfrentamento dos problemas práticos,
mostravam-se insuficientes para transformar o processo de trabalho. Em decorrência disso, um dos recursos básicos
utilizados pela EPS passou a ser a chamada aprendizagem significativa, que vem a ser:
A) uma nova técnica pedagógica para o ensino fundamental.
B) o uso de metodologias mnemônicas que facilitam a memorização de informações.
C) a aprendizagem a partir dos incômodos vivenciados por adultos nos problemas do cotidiano, bem como dos saberes
prévios de cada um.
D) o ensino a distância com o uso da internet para fóruns e teleconferências.
E) a educação continuada dos profissionais de saúde.

104. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) Correlacione as estratégias de saúde contidas na Carta de Ottawa, apresentadas
nos números, com os objetivos dessas estratégias, apresentados nos parênteses.
1. Políticas públicas.
2. Habilidades pessoais.
3. Ações comunitárias.
4. Serviços de saúde.
( ) Apoiar ações eficazes na definição de prioridades, tomada de decisões e planejamento de estratégias e implementá-las
para atingir melhor padrão de saúde.
( ) Redirecionar o modelo de atenção da responsabilidade de oferecer serviços clínicos e curativos para a meta de ganhos
em saúde.
( ) Ampliar a disseminação de informações para promover compreensão, e apoiar o desenvolvimento de habilidades
pessoais, sociais e políticas que capacitem indivíduos a tomar atitudes de promoção de saúde.
( ) Focalizar a atenção no impacto em saúde das políticas públicas de todos os setores e não somente do setor da saúde.
Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta na coluna da direita, de cima para baixo.
A) 2 – 3 – 4 – 1.
B) 3 – 4 – 2 – 1.
C) 4 – 1 – 3 – 2.
D) 3 – 1 – 2 – 4.
E) 3 – 4 – 1 – 2.

105. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) A Política Nacional de Promoção da Saúde tem como objetivos específicos:
1. Prevenir fatores determinantes e/ou condicionantes de doenças e agravos à saúde.
2. Incorporar e implementar ações de promoção da saúde, com ênfase na atenção hospitalar.
3. Contribuir para o aumento da resolubilidade do Sistema, garantindo qualidade, eficácia, eficiência e segurança das ações
de promoção da saúde.
4. Estimular alternativas inovadoras e socialmente inclusivas/contributivas no âmbito das ações de promoção da saúde.
5. Contribuir para a elaboração e implementação de políticas públicas integradas que visem à melhoria da qualidade de
vida no planejamento de espaços urbanos e rurais.
Assinale a alternativa correta.
A) Somente as afirmativas 1, 4 e 5 são verdadeiras.
B) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.
C) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.
D) Somente as afirmativas 1, 3, 4 e 5 são verdadeiras.
E) As afirmativas 1, 2, 3, 4 e 5 são verdadeiras.

106. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) Em relação às Diretrizes do Plano Nacional de Promoção da Saúde, identifique
os itens a seguir como verdadeiros (V) ou falsos (F):
( ) Reconhecer na Promoção da Saúde uma parte fundamental da busca da equidade, da melhoria da qualidade de vida e de
saúde.
( ) Estimular as ações intersetoriais, buscando parcerias que propiciem o desenvolvimento integral das ações de Promoção
da Saúde.
( ) Fortalecer a participação social como fundamental na consecução de resultados de Promoção da Saúde, em especial a
equidade e o empoderamento individual e comunitário.
( ) Promover mudanças na cultura organizacional, com vistas à adoção de práticas verticais de gestão.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.
A) V – V – V – F.
B) F – F – V – F.
C) F – F – V – V.
D) V – F – F – V.
E) V – V – F – V.

107. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) Visando à operacionalização da Atenção Básica, NÃO são definidas como áreas
estratégicas para atuação em todo o território nacional:
A) O controle da hanseníase e a eliminação da tuberculose.
B) O controle da hipertensão arterial e do diabetes mellitus.
C) A eliminação da desnutrição infantil.
D) A atenção à saúde da criança, da mulher e do idoso.

108. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) O conceito de Vigilância em Saúde inclui:
1. Vigilância e controle das doenças transmissíveis.
2. Vigilância das doenças e agravos não transmissíveis.
3. Vigilância da situação de saúde.
4. Vigilância ambiental em saúde.
Estão corretos os itens:
A) 1 e 2 apenas.
B) 2 e 4 apenas.
C) 2, 3 e 4 apenas.
D) 1, 3 e 4 apenas.
E) 1, 2, 3 e 4.

109. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) Na questão da Vigilância em Saúde, temos observado profundas mudanças nos
perfis epidemiológicos das populações ao longo das últimas décadas, que são:
A) declínio das taxas de mortalidade por doenças crônico-degenerativas e manutenção dos índices de mortes pelas
doenças infecciosas e parasitárias.
B) declínio das taxas de mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias e crescente aumento das mortes pelas doenças
crônico-degenerativas.
C) declínio das taxas de mortalidade por causas externas e crescente aumento das mortes por doenças crônico-
degenerativas.
D) declínio das taxas de mortalidade por doenças crônico-degenerativas e crescente aumento das mortes por causas
externas.
E) declínio das taxas de mortalidade por neoplasias e crescente aumento das mortes por doenças infecciosas e
parasitárias.

110. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) A Vigilância Epidemiológica é um conjunto de ações que proporcionam o
conhecimento, a detecção ou a prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes da saúde
individual ou coletiva e tem como função:
1. a coleta, o processamento, a análise e a interpretação dos dados epidemiológicos.
2. o controle da prestação de serviços que se relacionam direta ou indiretamente com a saúde.
3. a investigação epidemiológica de casos e surtos.
4. a recomendação e promoção das medidas de controle como formas de prevenção de doenças.
Assinale a alternativa correta.
A) Somente os itens 1 e 2 são verdadeiros.
B) Somente os itens 1 e 3 são verdadeiros.
C) Somente os itens 2 e 4 são verdadeiros.
D) Somente os itens 1, 3 e 4 são verdadeiros.
E) Os itens 1, 2, 3 e 4 são verdadeiros.

111. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) Na Estratégia em Saúde da família, são atribuições básicas de uma equipe de
saúde:
1. Conhecer a realidade das famílias, com ênfase nas características socioeconômicas, psicoculturais, demográficas e
epidemiológicas.
2. Executar, de acordo com a qualificação de cada profissional, os procedimentos de vigilância à saúde e de vigilância
epidemiológica.
3. Prestar assistência integral, promovendo a saúde através da educação sanitária.
4. Encaminhar a maior parte dos problemas de saúde através da referência.
Estão corretos os itens:
A) 2 e 3 apenas.
B) 1 e 2 apenas.
C) 1, 2 e 3 apenas.
D) 1, 3 e 4 apenas.
E) 2, 3 e 4 apenas.

112. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPR 2011) Para a Comissão Nacional sobre os Determinantes Sociais da Saúde (CNDSS),
DSS são os seguintes fatores que influenciam a ocorrência de problemas de saúde:
A) habitacionais, econômicos, ambientais, étnicos/raciais, psicológicos e educacionais.
B) sociais, ambientais, culturais, étnicos/raciais, ergométricos e educacionais.
C) sociais, econômicos, ambientais, étnicos/raciais, ergométricos e comportamentais.
D) habitacionais, econômicos, culturais, étnicos/raciais, psicológicos e educacionais.
E) sociais, econômicos, culturais, étnicos/raciais, psicológicos e comportamentais.

113. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFMA 2011) São desafios institucionais para expandir e qualificar a atenção básica no
contexto da Saúde Pública no Brasil:
1. A expansão e estruturação de uma rede hospitalar de saúde que permita a atuação das equipes na média e alta
complexidade.
2. A revisão dos processos de trabalho das equipes de saúde da família, com reforço das estruturas gerenciais nos
municípios e estados.
3. A elaboração de protocolos assistenciais integrados (promoção, prevenção, recuperação e reabilitação) dirigidos aos
problemas mais frequentes do estado de saúde da população.
4. A revisão dos processos de formação e educação em saúde, com ênfase na educação permanente das equipes,
coordenações e gestores.
Estão corretos os desafios apresentados nos itens:
A) 2 e 3 apenas.
B) 1 e 2 apenas.
C) 1, 3 e 4 apenas.
D) 2, 3 e 4 apenas.
E) 1, 2, 3 e 4.

114. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2012) Chamamos de Sistema Único de Saúde (SUS) ao conjunto de:
A) Políticas públicas de saúde, prestadas a todos os brasileiros, por meio da integralidade dos recursos da área da saúde e
das ações do Poder Público.
B) Fatores que determinam a saúde da população, Vigilância Epidemiológica, Farmacêutica, Nutricional, Ambiental e
Tecnológica, garantindo-as.
C) Sistemas que funciona de forma única e centralizada para a prestação da Assistência à saúde da população, garantindo
também a gratuidade.
D) Metas para saúde estabelecidas pelo Estado, em caráter permanente e eventual, que determina a saúde de todos os
brasileiros, assim como de vigilância sanitária.
E) Ações e serviços de saúde, prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais, da
Administração direta e indireta e das fundações mantidas pelo Poder Público.

115. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2012) Em relação à Gestão Financeira do Sistema Único de Saúde (SUS), são critérios
no estabelecimento de valores a serem transferidos a Estados, Distrito Federal e Municípios:
A) Desempenho técnico, econômico e financeiro no período anterior.
B) Aprovação do Conselho Técnico e Administrativo do Sistema Único de Saúde e cronograma de desempenho.
C) Identificação com divulgação dos fatores condicionantes e determinantes de Saúde.
D) Assistência às pessoas por intermédio de ações de proteção, promoção e atenção em Saúde e cronograma financeiro.
E) Cronograma de desembolso e de financeiro proposto.
116. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2012) São DIRETRIZES do Sistema Único de Saúde (SUS):
A) Centralização dos Serviços de Saúde, Participação da Comunidade, Regionalização e Integralidade dos serviços
prestados.
B) Ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, Centralização políticoadministrativa com direção única em cada
esfera de governo e Integralidade dos Serviços.
C) Descentralização político administrativa com direção única em cada esfera do governo, Integralidade das ações à saúde
e à Participação da Comunidade.
D) Sistema Integrado de Atenção à Saúde, Centralização dos Serviços Básicos de Saúde e Política de Integração e
Participação da Comunidade.
E) Centralização político-administrativa e dos serviços básicos de saúde.

117. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2012) O Conselho de Saúde é composto por:
A) Representantes do Governo, profissionais de saúde, órgãos estudantis e clientes.
B) Representantes do Estado, profissionais de saúde e educação, estudantes e usuários.
C) Representantes do Governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários.
D) Representantes do governo e do Congresso, representantes da comunidade e usuários.
E) Representantes de classe, estudantes de nível superior, pacientes e profissionais.

118. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2012) São Princípios Norteadores da Política Nacional de Humanização –
HumanizaSUS, EXCETO:
A) Valorização da dimensão subjetiva e social em todas as práticas de atenção e gestão.
B) Estímulo a processos comprometidos com a produção de saúde e com a produção de sujeitos.
C) Utilização da informação, da comunicação, da educação permanente e dos espaços da gestão.
D) Atuação em rede com alta conectividade, de modo cooperativo e solidário, em conformidade com as diretrizes do SUS.
E) Fortalecimento de trabalho em equipe multiprofissional, evitando a transdisciplinaridade e a grupalidade.

119. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) A Norma Operacional da Assistência à Saúde (NOAS-SUS 01/02), baseada nos
objetivos de definição de prioridades de intervenção com as necessidades de saúde da população e a garantia de acesso
dos cidadãos a todos os níveis da atenção determina como instrumento de ordenação da regionalização da assistência em
cada estado e no Distrito Federal. Este instrumento é conhecido como:
A) PMS – Política Municipal de Saúde.
B) PDI – Programa Diretor de Investimento.
C) PPA – Programação Pactuada e Ampliada.
D) PDR – Plano Diretor de Regionalização.
E) PES – Planejamento Estratégico Situacional.

120. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) No âmbito do Sistema Único de Saúde, o entendimento de que um conjunto de
ações e serviços ambulatoriais e hospitalares que visam a atender os principais problemas de saúde da população, cuja
prática clínica demande a disponibilidade de profissionais especializados e a atualização de recursos tecnológicos de apoio
diagnóstico e terapêutico, que não justifique a sua oferta em todos os municípios do país, enquadra-se na definição da
Atenção de:
A) Primária de saúde.
B) Alta complexidade.
C) Média complexidade.
D) Terciária em saúde.
E) Urgência e emergência.

121. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) Em 2006, decorrente da análise da situação de saúde no Brasil, o Pacto pela Vida
destacou com uma das prioridades sanitárias:
A) A redistribuição de profissionais de saúde nas regiões norte e nordeste do país.
B) A conjugação das vacinas Sabin e anti-sarampo para crianças menores de um ano.
C) A expansão da Estratégia de Saúde da Família para as regiões urbanas.
D) A interiorização das Unidades de Urgência e Emergência no país.
E) O controle do câncer de colo de útero e de mama.

122. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) Segundo o Pacto de Gestão (2006), a regionalização apresenta-se como:
A) Meta e estratégia gerencial.
B) Princípio e base protocolar.
C) Objetivo e linha de operacionalização.
D) Diretriz e eixo estruturante.
E) Fundamento organizacional e financeiro.

123. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) Segundo a regulamentação da Lei 8080/1990, pelo Decreto 7508/2011, o acesso
universal e igualitário às ações e aos serviços de saúde será ordenado:
A) Pelos Conselhos Municipais de Saúde.
B) Pela Atenção Primária.
C) Pelas Comissões Intergestoras de Saúde.
D) Pelos centros de regulação de vagas para internação.
E) Pelas Unidades de Pronto Atendimento.

124. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) Considerando a Norma Operacional do SUS01/1996. Constitui-se um fórum de
negociação e de integração entre os responsáveis dos sistemas municipais e o estadual de saúde:
A) As Conferências Estaduais de Saúde.
B) O Conselho Municipal de Saúde.
C) A Comissão Intergestora Bipartite.
D) O Conselho Estadual de Saúde.
E) A Comissão Intergestora Tripartite.

125. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) Pelo Decreto nº 7.508/11, o acordo de colaboração firmado entre entes
federativos com a finalidade de organizar e de integrar as ações e os serviços de saúde na rede regionalizada e
hierarquizada, com definição de responsabilidade, indicadores e metas, denomina-se:
A) Contrato Organizativo da Ação Pública de Saúde.
B) Programação Pactuada e Integrada.
C) Regulamento da Agência Nacional de Saúde.
D) Contrato de Rede da Atenção à Saúde.
E) Convênio Distrital de Saúde.

126. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) No Sistema Único de Saúde, a partir de 2011, há documento que estabelece
critérios para o diagnóstico da doença ou do agravo, tratamento preconizado, medicamentos, posologias,
acompanhamento e verificação dos resultados a serem seguidos. Este documento é conhecido como:
A) Protocolo clínico e diretriz terapêutica.
B) Resolução conjunta nº 8.142/11 dos conselhos profissionais em saúde.
C) Portarias nº 399 e 699/GM do Conselho Nacional de Saúde.
D) Relação Nacional de Ações e Serviços de Saúde – RENASES e mapa da saúde.
E) Relatório da Gestão Plena de Sistema Municipal – GPSM.

127. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) Em conformidade com o Decreto nº 7508/11, afirma-se que atenção primária, de
urgência e emergência, atenção psicossocial e especiais de acesso aberto são:
A) O critério para habilitação ao modelo de gestão municipal.
B) A porta de entrada na rede.
C) A base para o financiamento das ações e de serviços.
D) Os elementos essenciais do sistema suplementar de saúde.
E) O sistema local de saúde.

128. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFRJ 2013) Considerando os princípios do Sistema Único de Saúde, é correto afirmar que:
A) a universalidade garante o acesso a todas as pessoas que declarem não possuir plano de saúde.
B) a integralidade corresponde a uma concepção holística da assistência à saúde.
C) o direito à informação é concedido, apenas, aos profissionais com a finalidade de planejarem as ações e os serviços de
saúde.
D) a epidemiologia se caracteriza como um recurso para estabelecer prioridades, alocação de recursos e de orientação
programática.

129. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) A Saúde é reconhecida como um direito fundamental do ser humano, cabendo
ao Estado garantir as condições indispensáveis ao seu pleno exercício e o acesso à atenção e assistência à saúde em todos
os níveis de complexidade. Assinale a alternativa que corresponde ao Princípio do SUS acima descrito:
A) Equidade.
B) Integralidade.
C) Resolutividade.
D) Universalidade.
E) Participação Popular.

130. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) São características do processo de trabalho das equipes de Atenção Básica:
1. desenvolvimento de ações educativas que possam interferir no processo de saúde-doença da população e ampliação do
controle social na defesa da qualidade de vida.
2. desenvolvimento de ações focalizadas sobre os grupos de risco e fatores de risco comportamentais, alimentares e/ou
ambientais, com a finalidade de prevenir o aparecimento ou a manutenção de doenças e danos evitáveis.
3. assistência básica integral e contínua, organizada à população adscrita, com garantia de acesso ao apoio diagnóstico e
laboratorial.
4. implementação das diretrizes da Política Nacional de Humanização, incluindo o acolhimento.
Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.
A) É correta apenas a afirmativa 3.
B) São corretas apenas as afirmativas 2 e 4.
C) São corretas apenas as afirmativas 3 e 4.
D) São corretas apenas as afirmativas 1, 3 e 4.
E) São corretas as afirmativas 1, 2, 3 e 4.

131. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) Sobre as doenças/eventos/agravos de notificação compulsória, é correto
afirmar:
1. A notificação compulsória é obrigatória a todos os profissionais de saúde médicos, enfermeiros, odontólogos, médicos
veterinários, biólogos, biomédicos, farmacêuticos e outros no exercício da profissão, bem como os responsáveis por
organizações e estabelecimentos públicos e particulares de saúde e de ensino.
2. É obrigatória a notificação de Botulismo, Carbúnculo ou Antraz, Cólera, Coqueluche, Dengue (apenas a hemorrágica) e
Difteria.
3. Dentre as doenças/agravos/eventos de notificação compulsória estão: Diabetes Gestacional, Paralisia Flácida Aguda,
Peste, Poliomielite, Raiva Humana, Rubéola, Sífilis Adquirida, Sífilis Congênita e Sífilis em Gestante.
4. A notificação compulsória inclui a informação aos órgãos competentes de casos de acidentes com animais peçonhentos,
como cobras, escorpiões e aranhas; atendimento antirrábico decorrente de ataques de cães, gatos e morcegos;
esquistossomose; intoxicações exógenas por substâncias químicas, incluindo agrotóxicos e metais pesados; e Síndrome do
Corrimento Uretral Masculino.
Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.
A) São corretas apenas as afirmativas 1 e 4.
B) São corretas apenas as afirmativas 2 e 3.
C) São corretas apenas as afirmativas 2 e 4.
D) São corretas apenas as afirmativas 3 e 4.
E) São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 4.

132. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) A Estratégia de Saúde da Família (ESF) visa à reorganização da Atenção Básica
no País, de acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde. Além dos princípios gerais da Atenção Básica, a estratégia
de Saúde da Família deve:
1. ter um caráter complementar em relação à rede de Atenção Básica tradicional, nos territórios em que as Equipes de
Saúde da Família atuam.
2. atuar no território, realizando cadastramento domiciliar, diagnóstico situacional, ações dirigidas aos problemas de
saúde de maneira pactuada com a comunidade onde atua, buscando o cuidado dos indivíduos e das famílias ao longo do
tempo, mantendo sempre postura pró-ativa frente aos problemas de saúde-doença da população.
3. ter como foco principal a saúde individual com ênfase no atendimento às doenças e seu tratamento com base no modelo
biomédico de atenção à saúde.
4. ser um espaço de construção de cidadania.
Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.
A) São corretas apenas as afirmativas 1 e 3.
B) São corretas apenas as afirmativas 2 e 4.
C) São corretas apenas as afirmativas 3 e 4.
D) São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 3.
E) São corretas as afirmativas 1, 2, 3 e 4.

133. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) No contexto do SUS, o conjunto de procedimentos que envolve alta tecnologia e
alto custo, objetivando propiciar à população acesso a serviços qualificados, integrando-os aos demais níveis de atenção à
Saúde é denominado:
A) Atenção Básica.
B) Atenção Domiciliar.
C) Alta Complexidade.
D) Média Complexidade.
E) Atenção em Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24h).

134. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) Sobre o processo de trabalho das equipes da Estratégia de Saúde da Família
(ESF), é correto afirmar:
A) As equipes de saúde da família são responsáveis pela promoção da saúde; atendimento da demanda espontânea e
programada; por atividades de prevenção de doenças; manutenção de saúde e atenção em fases específicas do ciclo de
vida.
B) O processo de trabalho das equipes da ESF tem por principal fundamento a atenção à demanda espontânea, voltando-se
para as condições agudas de saúde.
C) O atendimento às necessidades de saúde da população, na ESF, deve ser realizado a partir do modelo médico centrado
no diagnóstico e tratamento das doenças.
D) A multiprofissionalidade é condição fundamental na ESF. As equipes mínimas da ESF devem contar com pelo menos:
médico generalista e pediatra, enfermeiro e técnico de enfermagem, assistente social, psicólogo, nutricionista e
profissional de educação física.
E) As equipes da ESF organizam seu trabalho a partir do acolhimento, que considera que as unidades básicas de saúde
constituem-se a única porta de acesso da população ao Sistema Único de Saúde, excetuando as situações de emergência.

135. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) A Lei no 8080 de 19/09/1990 dispõe sobre:
A) A extinção do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social.
B) A regulamentação do Sistema Nacional de Auditoria no âmbito do Sistema Único de Saúde.
C) As condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços
correspondentes e dá outras providências.
D) A aprovação de normas e diretrizes do Programa de Agentes Comunitários de Saúde e do Programa Saúde da Família.
E) A participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde e sobre as transferências de recursos
intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências.

136. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) Em relação à Política Pública da Alta Complexidade, são atribuições do
Ministério da Saúde:
1. Definir as normas nacionais.
2. Estabelecer as estratégias que possibilitam o acesso mais equânime, diminuindo as diferenças regionais na alocação dos
serviços.
3. Coordenar o processo de garantia de acesso para a população de referência entre municípios.
4. Realizar a vistoria de serviços, quando lhe couber, de acordo com as normas de cadastramento estabelecidas pelo
próprio SUS.
Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.
A) É correta apenas a afirmativa 4.
B) São corretas apenas as afirmativas 2 e 4.
C) São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 3.
D) São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 4.
E) São corretas as afirmativas 1, 2, 3 e 4.

137. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) Relacione as colunas 1 e 2 abaixo:
Coluna 1
Sistema de Informação 1.
SIM 2.
SINASC 3.
SINAN 4.
SIH 5.
SIA

Coluna 2
Evento ( )
Nascidos Vivos ( )
Informação Hospitalar ( )
Óbito ( )
Produção Ambulatorial ( )
Agravos sob Notificação
Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.
A) 1 – 2 – 3 – 4 – 5
B) 2 – 4 – 1 – 5 – 3
C) 3 – 5 – 2 – 3 – 1
D) 4 – 1 – 5 – 3 – 2
E) 5 – 3 – 4 – 1 – 2

138. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) Os gastos realizados com o atendimento das necessidades da área de saúde
pública devem observar as diretrizes e os princípios do SUS. As despesas com saúde não devem ser confundidas com as
relacionadas a outras políticas públicas que atuam sobre determinantes sociais e econômicas, ainda que incidentes sobre
as condições de saúde. As despesas com ações e serviços constantes da Programação Pactuada e Integrada (PPI),
aprovados pelos Conselhos de Saúde executados pelo respectivo nível de gestão, incluem:
A) Pagamento de pensões, limpeza urbana e hospitais do corpo de bombeiros.
B) Pagamento de pessoal inativo, hospitais da polícia militar e limpeza urbana.
C) Pagamento de aposentadorias, remoção de lixo e merenda escolar.
D) Educação para a saúde, capacitação de recursos humanos do SUS e saúde do trabalhador.
E) Merenda escolar, pagamento de aposentadorias e remoção de lixo.

139. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) Processo constitutivo das práticas de produção e promoção de saúde que
implica responsabilização do trabalhador/equipe pelo usuário, desde a sua chegada até a sua saída,ouvindo sua queixa,
considerando suas preocupações e angústias, fazendo uso de uma escuta qualificada que possibilite analisar a demanda e,
colocando os limites necessários, garantir atenção integral, resolutiva e responsável por meio do acionamento/articulação
das redes internas dos serviços (visando à horizontalidade do cuidado) e redes externas, com outros serviços de saúde,
para continuidade da assistência quando necessário.
Assinale a alternativa que indica corretamente o processo detalhado no texto.
A) Ouvidoria
B) Acolhimento
C) Ambiência
D) Integralidade
E) Apoio institucional

140. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) A Portaria no 1.600, de 7 de julho de 2011, reformula a Política Nacional de
Atenção às Urgências e institui a Rede de Atenção às Urgências no Sistema Único de Saúde (SUS). A Rede de Atenção às
Urgências é constituída por vários componentes. O Componente será constituído pelas Portas Hospitalares de Urgência,
pelas enfermarias de retaguarda, pelos leitos de cuidados intensivos, pelos serviços de diagnóstico por imagem e de
laboratório e pelas linhas de cuidados prioritárias. Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna do texto.
A) Hospitalar.
B) Atenção Domiciliar.
C) Atenção Básica em Saúde.
D) Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) e suas Centrais de Regulação Médica das Urgências.
E) Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24h) e o conjunto de serviços de urgência 24 horas.

141. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) Cabe à Vigilância Sanitária desenvolver ações relacionadas a:
1. medicamentos de uso humano, suas substâncias ativas e demais insumos.
2. cosméticos, produtos de higiene pessoal e perfumes.
3. equipamentos e materiais médico-hospitalares, odontológicos, hemoterápicos e de diagnóstico laboratorial e por
imagem.
4. cigarros, cigarrilhas, charutos e qualquer produto fumígero, derivado ou não do tabaco.
Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.
A) É correta apenas a afirmativa 1.
B) São corretas apenas as afirmativas 1 e 3.
C) São corretas apenas as afirmativas 1 e 4.
D) São corretas apenas as afirmativas 2 e 3.
E) São corretas as afirmativas 1, 2, 3 e 4.

142. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Dentre as características do processo de trabalho das equipes de Atenção Básica
está a realização da atenção domiciliar. A visita domiciliar é destinada a usuários:
A) Com problemas graves de saúde.
B) Descontrolados, descompensados e ou sem uso contínuo de medicação.
C) Que necessitam de cuidados com grande frequência e alta complexidade de recursos de saúde.
D) Compensados e com dificuldade ou impossibilidade física de locomoção até uma unidade de saúde.
E) Acamados e ou internados em hospitais.

143. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) De acordo com a Portaria GM/MS nº 204, de 29 de janeiro de 2007, que
regulamenta o financiamento e a transferência dos recursos federais para as ações e os serviços de saúde, com o
respectivo monitoramento e controle, os recursos federais destinados às ações e aos serviços de saúde são organizados e
transferidos na forma de blocos de financiamento. Sobre os blocos de financiamento, é correto afirmar:
A) São seis os blocos de financiamento: atenção básica, atenção de média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar;
vigilância em saúde; assistência farmacêutica; gestão do SUS e investimentos na rede de serviços de saúde.
B) São cinco os blocos de financiamento: atenção básica, atenção de média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar;
vigilância em saúde; gestão do SUS e educação permanente dos profissionais para o SUS.
C) São cinco os blocos de financiamento: atenção básica, atenção de média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar;
vigilância em saúde; assistência farmacêutica; gestão do SUS.
D) São quatro os blocos de financiamento: atenção básica, atenção de média e alta complexidade ambulatorial; vigilância
em saúde, assistência farmacêutica e assistência hospitalar.
E) São dois os blocos de financiamento: atenção básica e atenção de média complexidade ambulatorial e hospitalar.

144. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFSC 2011) Assinale a alternativa correta:
A) A Classificação de Risco tem como objetivo fazer um diagnóstico prévio.
B) A Classificação de Risco deve ser realizada sempre por profissional médico com a utilização de protocolos técnicos.
C) A realização da Classificação de Risco isoladamente garante uma melhoria na qualidade da assistência.
D) Os serviços de uma mesma região devem trabalhar com critérios de classificação de risco diferentes.
E) Classificação de Risco (Avaliação de Risco) é a mudança na lógica do atendimento, permitindo que o critério de
priorização da atenção seja o agravo à saúde e/ou grau de sofrimento e não mais a ordem de chegada.
145. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) A portaria n 2.488 de 21/10/2011, aprova a Política Nacional de Atenção
Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da
Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS), assim pode ser considerado como verdadeiro:
A) A estratégia saúde da família é vista como estratégia de expansão, qualificação e consolidação da Atenção Básica por
favorecer uma reorientação do processo de trabalho com maior potencial de aprofundar os princípios, diretrizes e
fundamentos da atenção básica.
B) Cada equipe de saúde da família deve ser responsável por, no máximo, 4.000 pessoas.
C) A Atenção Básica tem como fundamentos e diretrizes ter território adstrito, de forma a permitir o planejamento, a
programação descentralizada e o desenvolvimento de ações setoriais e intersetoriais com impacto na situação, nos
condicionantes e determinantes da saúde das coletividades que constituem aquele território sempre em consonância com
o princípio da equidade.
D) É responsabilidade comum de todas as esferas de governo, divulgar as informações e os resultados alcançados pela
atenção básica.
E) Todas as alternativas acima estão corretas.

146. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) O acesso universal, igualitário e ordenado às ações e serviços de saúde se
inicia pelas portas de entrada do SUS se completa na rede regionalizada e hierarquizada, de acordo com a complexidade do
serviço, assim essas portas de entrada as ações e aos serviços de saúde são: de atenção primária, de atenção de urgência e
emergência, de atenção psicossocial, especiais de acesso aberto. Identifica-se essas portas de entradas em:
A) Decreto n° 7.508 de 28/06/2011.
B) Portaria n°4.279 de 30/12/2010.
C) Portaria n° 2.488 de 21/10/2011.
D) Portaria n° 1.996 de 20/08/2007.
E) Todas estão incorretas.

147. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) A Hanseníase é uma doença na qual a vigilância epidemiológica no Brasil
utiliza essencialmente o sistema universal e passivo, baseado na notificação dos casos confirmados. Dentro dos aspectos
epidemiológicos está a investigação de contato o que é correto afirmar:
A) A investigação consiste no exame dermatoneurológico de todos os contatos intradomiciliares dos casos detectados.
B) A investigação consiste no exame dermatológico de todos os contatos intradomiciliares dos casos detectados.
C) A investigação consiste no exame apenas no exame neurológico de todos os contatos intradomiciliares dos casos
detectados.
D) A investigação consiste apenas em uma entrevista com todos os contatos intradomiciliares dos casos detectados.
E) A investigação consiste no exame dermatológico de todos os contatos intradomiciliares e extradomiciliares dos casos
detectados.

148. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) A associação medicamentosa adequada, as doses corretas e o uso por tempo
suficiente são os princípios básicos para o adequado tratamento, evitando a persistência bacteriana e o desenvolvimento
aos fármacos, assegurando, assim, a cura do paciente. A esses princípios soma-se o tratamento diretamente observado
(TOD) como estratégia fundamental para assegurar a cura do doente. O texto acima refere-se a que patologia:
A) Hanseníase.
B) Tuberculose.
C) Hipertensão arterial.
D) Diabetes Mellitus.
E) Não existe alternativa correta.

149. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Propõe a introduzir inovações nas relações intergovernamentais no SUS
produzindo uma reforma na institucionalidade vigente tendo em vista superar os entraves que se acumulam no processo
de descentralização. Identifica-se esse objetivo no:
A) Pacto pela vida.
B) Pacto em defesa do SUS.
C) Pacto pelo desenvolvimento coletivo.
D) Pacto de sustentabilidade ambiental.
E) Pacto de gestão.

150. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Focaliza os que têm sequelas de doenças ou acidentes e objetivam a sua
recuperação ou a sua manutenção em equilíbrio funcional. Levando em consideração os níveis de medidas preventivas,
avalie a situação acima e aponte o nível verdadeiro:
A) Prevenção primária.
B) Prevenção secundária.
C) Prevenção quaternária.
D) Prevenção terciária.
E) Prevenção terciária e quartenária.
151. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Conforme os princípios do Sistema Único de Saúde: Implica considerar as
várias dimensões do processo saúde-doença que afetam os indivíduos e as coletividades e pressupõe a prestação
continuada do conjunto de ações e serviços visando garantir a promoção, a proteção, a cura e a reabilitação dos indivíduos
e dos coletivos. Identifica-se que principio do SUS descrito acima:
A) Universalidade.
B) Integralidade.
C) Equidade.
D) Regionalização.
E) Todas alternativas acima estão incorretas.

152. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Surge no âmbito da crise do sistema social da década de 1970, cujo modelo
hospitalocêntrico com suas práticas médico-centradas e curativas, sustentado pelo paradigma da biomedicina, segue
hegemônico. Fala-se acima da:
A) Saúde coletiva.
B) Políticas de saúde centrada no âmbito hospitalar.
C) Saúde do adulto e idoso.
D) Saúde da criança e adolescente.
E) Todas alternativas acima estão incorretas.

153. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) 9) A Portaria GM/MS nº 1.996, de 20 de agosto de 2007 dispõe sobre:
A) Diretrizes para organização do sistema único de saúde.
B) Diretrizes para o planejamento da vigilância epidemiológica.
C) Diretrizes para a implementação da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde.
D) Diretrizes para organização da vigilância sanitária.
E) Todas alternativas acima estão incorretas.

154. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Sobre as Diretrizes e recomendações para o cuidado integral de doenças
crônicas não-transmissíveis (DCNT) é verdadeiro afirmar:
A) Sensibilizar e subsidiar gestores e trabalhadores do sistema de saúde frente ao compromisso com o desenvolvimento
de estratégias setoriais e intersetoriais para o cuidado integral das doenças crônicas não-transmissíveis.
B) Fortalecer ações sinérgicas entre as três esferas de gestão do SUS no que se refere ao cuidado integral de DCNT e seus
fatores de risco.
C) Subsidiar gestores e trabalhadores do SUS para o planejamento de iniciativas de cuidado integral de DCNT e excluindo
os seus fatores de risco.
D) Cooperar tecnicamente para a elaboração dos termos de compromisso de gestão no SUS quanto ao cuidado integral de
DCNT e excluindo os seus fatores de risco.
E) São corretas apenas as A e B.

155. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Conforme a Constituição da República Federativa do Brasil no seu artigo 200
que fala do sistema único de saúde e suas competências e atribuições, é correto afirmar:
A) Executar as ações de vigilância sanitária e excluindo a epidemiológica, bem como as de saúde do trabalhador.
B) Executar as ações de vigilância epidemiológica e excluindo a sanitária, bem como as de saúde do trabalhador.
C) Executar as ações de vigilância epidemiológica e a sanitária, excluindo as de saúde do trabalhador.
D) Executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como as de saúde do trabalhador.
E) Todas alternativas acima estão incorretas.

156. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) O conceito epidemiológico definido como: “A ocorrência coletiva de uma
doença que no decorrer de um largo período histórico, acomete sistematicamente grupos humanos distribuídos em espaço
delimitados e caracterizados mantém sua incidência constante”, se refere:
A) Endemia.
B) Prevalência.
C) Pandemia.
D) Surto epidêmico.
E) Epidemia.

157. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Conforme Andrade, Barreto, & Martins, (2003) a estratégia de Saúde da
Família é considerada um modelo de APS focado na unidade familiar e construído operacionalmente na esfera
comunitária, dessa forma. A sigla APS a que os autores se referem significa:
A) Atenção ao programa de saúde.
B) Atenção aos profissionais de saúde.
C) Atenção primária de saúde.
D) Atenção á população.
E) Atenção á promoção da saúde.
158. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) A Lei que dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação
da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes, e dá outras providências é:
A) Lei nº 8.080, de 10 de setembro 1990.
B) Lei nº 8.080, de 19 de setembro 1990.
C) Lei nº,8.080 de 22 de dezembro de 2009.
D) Lei nº8.080 de 23 de dezembro de 2009.
E) Nenhuma resposta anterior.

159. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) São características da Atenção Básica consideradas pela Portaria Nº 2.488, de
21 de outubro de 2011:
A) Conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, abrangendo a promoção e a proteção da saúde, a
prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação.
B) Conjunto de ações focadas somente no âmbito individual e coletivo.
C) Somente a promoção à proteção da saúde, e prevenção de danos.
D) Somente promoção da saúde.
E) Conjunto de ações no âmbito individual.

160. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Conforme o decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011 o qual considera Rede
de Atenção à Saúde:
A) Conjunto de ações e serviços de saúde articulados em níveis de complexidade crescente, com a finalidade de garantir a
integralidade da assistência á saúde.
B) Conjunto de ações somente com a finalidade de garantir a saúde da população.
C) Garante apenas os níveis de complexidade.
D) Conjunto de ações assistenciais.
E) Somente ações e serviços.

161. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Esta mesma portaria acima citada considera como porta de entrada as ações e
aos serviços nas redes de atenção à saúde os seguintes serviços:
A) Atenção primária, de urgência e emergência, atenção psicossocial.
B) Planejamento, serviços de clinicas, e Urgência.
C) Apenas atenção primária.
D) Somente atenção á saúde.
E) Apenas atenção psicossocial.

162. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Conforme Gastão Wagner (2007), a saúde coletiva trabalha com:
A) Agrupamentos populacionais, faixa etária, vulnerabilidade, problemas de saúde da coletividade, ações de promoção.
B) Somente com a doença e o processo do adoecer.
C) Apenas com o sujeito.
D) Somente a inclusão do sujeito.
E) Apenas com os agrupamentos.

163. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Gastão Wagner (2007) afirma que a doença e o processo de adoecer são:
A) O objeto da clínica e da saúde coletiva.
B) Fatores biológicos, e doença.
C) Somente o sofrimento.
D) A doença e os agravos.
E) Apenas o sofrimento.

164. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Em saúde coletiva o diagnóstico objetivo realiza-se com base em:
A) Com base somente no usuário.
B) Apenas com base no diagnóstico.
C) Morbidade e mortalidade basicamente e dados epidemiológicos.
D) Com base na demanda e morbidade.
E) Apenas nos fatores qualitativos.

165 (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) São ações pertinentes à saúde coletiva:
A) Apoio e recomendações técnicas.
B) Apenas trabalho clínico.
C) Educação em saúde, imunização, projetos de intervenção sobre a saúde e doença.
D) Somente gerenciamento do serviço público.
E) Apenas apoio técnico.

166. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) Dentre as correntes da saúde coletiva encontra-se a corrente da vigilância em
saúde, esta apresenta como entendimento de saúde:
A) Conhecimento de saúde e epidemiologia como soberano para o atendimento comunitário.
B) Diagnóstico ambiental e de saúde como base para o conhecimento dos problemas de saúde coletiva.
C) Resultado de acumulação social, expresso em um estado de saúde.
D) Resultado de desgaste mental e ambiental com prejuízo no biológico.
E) Resultado da eficácia do sistema de saúde que se consolida com ações de promoção da saúde.

167. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) O movimento da saúde coletiva no Brasil surge no âmbito da crise social da
década de 1970, em que setores sociais questionam a insuficiência do modelo hospilacêntrico, com suas práticas médico-
centradas e curativas, o que abriu espaço para outras propostas, neste sentido, projeto preventista fundamenta suas
propostas em:
A) Modelo da história natural das doenças, na teoria da unicausalidade e modelo ecológico de saúde-doença.
B) Modelo da história natural das doenças, no conceito ecológico de saúde-doença e na teoria da multicausalidade.
C) Modelo da história natural das doenças, no conceito ecológico de saúde-doença e na teoria do determinismo social.
D) Modelo da história natural das doenças, no conceito ecológico de saúde-doença e na teoria das necessidades humanas
básicas.
E) Modelo da história natural das doenças, na teoria ecológica de saúde-doença e na teoria da multicausalidade.

168. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIFAP 2012) A promoção da saúde foi denominada assim pela primeira vez no início do
século XX, mas, o termo ganha destaque com a publicação do relatório de Lalonde (1974), a partir desta data nasce no
campo da saúde as discussões sobre a temática e diretrizes para se implementar a promoção da saúde. Na publicação do
referido relatório, foram definidos princípios para o que se entendia na época sobre promoção da saúde. Dentre estes
princípios pode-se citar:
A) Defendia uma política pública saudável de produção alimentar.
B) Classificava diferentes iniciativas de promoção da saúde no passado e no presente.
C) Dirigida para a ação sobre os determinantes ou causalidade social, econômica, cultural, política e ambiental a saúde.
D) Envolve a população em suas particularidades epidemiológicas para traçar perfil ambiental.
E) Limita os fatores do controle e estilo de vida do indivíduo, família e comunidade.

169. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2009) Sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS),
é correto afirmar que:
A) O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) tem caráter deliberativo sobre as decisões a respeito do SUS no
âmbito federal.
B) O Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems) tem caráter deliberativo sobre as decisões a
respeito do SUS no âmbito federal.
C) Os Conselhos de Saúde, incluindo os municipais, estaduais e nacional, têm caráter permanente e deliberativo e se
compõem de representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários, para atuar na
formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde na instância correspondente.
D) As Comissões Intergestores Bipartite têm caráter deliberativo sobre as decisões a respeito do SUS no âmbito estadual.
E) A Comissão Intergestores Tripartite tem caráter deliberativo sobre as decisões a respeito do SUS no âmbito federal.

170 (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2009) Segundo legislação vigente, o processo de planejamento e orçamento no âmbito
do SUS deve ser:
A) Centralizado no nível federal.
B) Centralizado no nível estadual.
C) Centralizado no nível municipal.
D) Descendente, do nível federal até o local.
E) Ascendente, do nível local até o federal.

171. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2009) Recentemente, tem-se observado o empenho do Conselho Nacional de Saúde na
luta pela regulamentação da Emenda Constitucional nº 29, aprovada desde 13 de setembro de 2000. Essa legislação:
A) Determina os recursos mínimos, da União, Estados, Municípios e Distrito Federal, para o financiamento das ações e
serviços públicos de saúde.
B) Institui a Contribuição Social para a Saúde (CSS), que incidirá sobre a movimentação financeira realizada nos bancos
pelas pessoas e empresas, para financiar as despesas com ações e serviços de saúde.
C) Flexibiliza a Lei de Responsabilidade Fiscal para a área de saúde, de modo a garantir o direito à saúde em sua plenitude,
criando para os gestores condições para superar a precarização do trabalho e qualificar a gestão.
D) Institui o Serviço Civil em Saúde, estabelecendo que profissionais de saúde graduados em Universidades Públicas
devem, após concluído o curso, trabalhar durante um determinado período no SUS, de acordo com as necessidades do
sistema previamente diagnosticadas.

172. (CERCON - 2010 - Prefeitura de Igaci/AL – Enfermeiro): Acerca da NOB 96 assinale a alternativa CORRETA:
A) Norma Operacional Básica tem por finalidade primordial promover e consolidar o pleno exercício, por parte do poder
público municipal e do Distrito Federal, da função de gestor da atenção à saúde dos seus munícipes (Artigo 30, incisos V e
VII, e Artigo 32, Parágrafo 1º, da Constituição Federal), com a consequente redefinição das responsabilidades dos Estados,
do Distrito Federal e da União, avançando na consolidação dos princípios do SUS.
B) A NOB 96 regula, em todo o território nacional, as ações e serviços de saúde, executados isolada ou conjuntamente, em
caráter permanente ou eventual, por pessoas naturais ou jurídicas de direito público ou privado.
C) Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências
intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências.
D) A NOB 96 regulamenta o Sistema Único de Saúde - SUS, estabelecido pela Constituição Federal de 1988, que agrega
todos os serviços estatais − das esferas federal, estadual e municipal − e os serviços privados (desde que contratados ou
conveniados) e que é responsabilizado, ainda que sem exclusividade, pela concretização dos princípios constitucionais.

173. (AOCP - 2013 - COREN/SC – Enfermeiro): De acordo com a Norma Operacional Básica do SUS de 1996 (NOB-SUS/96),
a Comissão Intergestores Tripartite (CIT) é composta, paritariamente, por representação:
A) Do Ministério da Saúde (MS), do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS) e do Conselho Nacional
de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS).
B) Do Ministério da Saúde (MS), da Conferência Estadual de Saúde (CES), da Comissão Intergestores Transitória (CITr).
C) Dos intermediadores do governo, prestadores de serviços conveniados ao SUS e profissionais de saúde.
D) Dos prestadores de serviços conveniados ao SUS; profissionais de saúde liberais e usuários representantes dos
Conselhos.

174. (CERCON - 2009 - Prefeitura de Matriz de Camaragibe/AL – Enfermeiro): Os municípios já habilitados nas condições
de gestão da NOB 01/96 estarão aptos a receber o PAB-Ampliado, após avaliação das Secretarias de Estado da Saúde,
aprovação da CIB, e homologação da CIT, em relação aos seguintes aspectos, EXCETO:
A) Plano Municipal de Saúde sem vinculações à programação físico-financeira.
B) Alimentação regular dos bancos de dados nacionais do SUS.
C) Desempenho dos indicadores de avaliação da atenção básica no ano anterior.
D) Estabelecimento do pacto de melhoria dos indicadores de atenção básica no ano subsequente.

175. (CERCON - 2010 - Prefeitura de Igaci/AL – Enfermeiro): Acerca do incentivo previsto na NOB 96, para o Programa de
Agentes Comunitários de Saúde, assinale a alternativa CORRETA:
A) Acréscimo de 4% para cada 9% da população coberta entre 90% e 100% da população total do município.
B) Acréscimo de 3% para cada 12% da população coberta entre 90% e 100% da população e acréscimo de 1% sobre o
valor do PAB para cada 5% da população coberta até atingir 60% da população total do município.
C) Acréscimo de 2% para cada 5% da população coberta entre 60% e 90% da população total do município.
D) Acréscimo de 1% para cada 9% da população coberta entre 90% e 100% da população total do município.

176. (CERCON - 2010 - Prefeitura de Igaci/AL – Enfermeiro): A quem deverá ser submetido, nos termos da NOAS 2001, o
processo de qualificação das microrregiões na assistência à saúde que deverá ser detalhado em regulamentação
complementar da Secretaria de Assistência à Saúde?
A) Comissão Intergestores Tripartite.
B) Comissão Intergestores Bipartite.
C) Conselho Nacional de Saúde.
D) Conselho Estadual de Saúde.

177. (CERCON - 2009 - Prefeitura de Matriz de Camaragibe/AL – Enfermeiro): Assinale a alternativa incorreta. No que diz
respeito à assistência, o Plano Diretor de Regionalização deverá ser elaborado na perspectiva de garantir, o acesso aos
cidadãos, o mais próximo possível de sua residência, a um conjunto de ações e serviços vinculados às seguintes
responsabilidades mínimas, EXCETO:
A) Assistência pré-natal, parto e puerpério.
B) Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil.
C) Cobertura regional do esquema preconizado pelo Programa Nacional de Imunizações, apenas para a faixa etária de
idosos, preferencialmente.
D) Ações de promoção da saúde e prevenção de doenças.

178. (IBFC - 2013 - Fundação Hemominas – Enfermeiro): Sobre a Norma Operacional de Assistência à Saúde (NOAS) de
2002, município que, apresente papel de referência para outros municípios, em qualquer nível de atenção é denominado:
A) Município Sede.
B) Unidade territorial de qualificação na assistência à saúde.
C) Município Polo.
D) Município Piloto.

179. (Resid. Mult. Prof. Saúde UNIRIO 2011) Na política de Humanização do SUS, a classificação de risco tem como
objetivos, EXCETO:
A) Avaliar o paciente logo na sua chegada ao pronto socorro, humanizando o atendimento.
B) Diminuir a sobrecarga no pronto socorro.
C) Reduzir o tempo de atendimento do médico para que este possa atender mais pacientes.
D) Promover ampla informação sobre o serviço aos usuários.
180. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2010) O Decreto n° 7.508, de 28 de junho de 2011, define região de saúde como o
espaço geográfico contínuo constituído por agrupamentos de municípios limítrofes, delimitado a partir de identidades
culturais, econômicas e sociais e de redes de comunicação e infraestrutura de transportes compartilhados, com a
finalidade de integrar a organização, o planejamento e a execução de ações e serviços de saúde. Em relação às regiões de
saúde é correto afirmar que:
A) Para ser instituída a Região de Saúde deve conter, no mínimo, ações e serviços de atenção primária e de urgência e
emergência.
B) A instituição das Regiões de Saúde observará cronograma pactuado pelos Conselhos de Saúde.
C) As Regiões de Saúde serão referência para as transferências de recursos entre os entes federativos
D) As Redes de Atenção à Saúde estarão compreendidas no âmbito de uma Região de Saúde, ou de várias delas, em
consonância com diretrizes pactuadas nas Conferências de Saúde.

181. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2012) Considerando o processo de organização e planejamento do SUS, analise as
sentenças abaixo:
1. A distritalização sanitária preconizada na Lei 8080/90 está designada no Decreto 7508/11 como regionalização da
atenção à saúde.
2. Com a decisão de considerar os serviços da atenção primária à saúde como a única porta de entrada nas redes de
atenção à saúde, o Decreto 7508/11 orienta a eficácia e eficiência do SUS.
3. O Decreto 7508/11 fortalece acertadamente as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde ao destituir os Colegiados
Intergestores e firmar uma relação direta entre essas instâncias e o Ministério da Saúde para elaboração de um acordo de
colaboração entre os entes federativos para a organização da rede interfederativa de atenção à saúde.
4. A integralidade das ações de promoção, proteção e recuperação da saúde prevista na Lei 8080/90 deve se configurar
nas redes de atenção à saúde prevista pelo Decreto 7508/11.
5. Com a publicação do Decreto 7508/11 que regulamenta e, portanto, atualiza a Lei Orgânica da Saúde 8080/90, ficam
suprimidos os instrumentos básicos de planejamento do SUS: o plano de saúde, a programação anual de saúde e o
relatório anual de gestão.
Estão CORRETAS:
A) 1 e 4.
B) 1, 2 e 3.
C) 3 e 4.
D) 4 e 5.
E) 2 e 3.

182. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFJF 2011) Com base na Lei Complementar no 141/2012, que regulamenta o § 3.º do artigo
198 da CF, assinale a opção correta:
A) Para a transferência de recursos do Fundo Nacional de Saúde para os fundos de saúde estaduais, destinados a atender
despesas com ações e serviços de saúde, é necessária a celebração de convênios ou acordos jurídicos entre o estado
pleiteante e a União.
B) Não cabe à auditoria do SUS fiscalizar o cumprimento, pelo ente federativo, das metas para a saúde estabelecidas na lei
de diretrizes orçamentárias, competência exclusiva do Poder Executivo estadual.
C) Integra a base de cálculo dos percentuais a serem aplicados pelos estados em ações e serviços públicos de saúde, o
percentual mínimo de 15% referente, exclusivamente, ao produto da arrecadação indireta de impostos recebidos das
grandes empresas.
D) A transferência de recursos dos estados para os municípios deve ser realizada a partir de um rateio que obedeça à
necessidade de saúde da população de cada região, considerados aspectos epidemiológicos, demográficos,
socioeconômicos, espaciais, bem como a capacidade de oferta de ações e de serviços de saúde, de modo a se reduzirem as
diferenças regionais.

183. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Assinale a alternativa que corresponde ao aparato legal, que regula a
participação da comunidade no SUS, instituindo os Conselhos de Saúde e as Conferências de Saúde.
A) Lei 8.080, de setembro de 1990.
B) Lei 8.142, de dezembro de 1990.
C) Lei 8.212, de julho de 1991.
D) Lei 8.069, de julho de 1990.
E) Emenda Constitucional 29, de setembro de 2000.

184. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) No que se refere aos Conselhos Municipais de Saúde, assinale a alternativa
INCORRETA.
A) São órgãos permanentes.
B) Possuem poder deliberativo.
C) São compostos por representantes do Governo, dos prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários.
D) Atuam na formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde.
E) Os aspectos econômicos e financeiros das políticas municipais de saúde não são de seu interesse.
185. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Assinale a alternativa que corresponde à seguinte definição: “Administração de
uma unidade (simples ou complexa) ou de um órgão de saúde que se caracteriza como prestador de serviço”.
A) Gerência.
B) Gestão.
C) Regulação.
D) Auditoria.
E) Controle Social.

186. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) A primeira Norma Operacional Básica, NOB/1991, foi editada pela Presidência
do INAMPS (Resolução Nº 258, de 7 de janeiro de 1991) e reeditada com alterações pela Resolução Nº 273, de 17 de
janeiro de 1991. Sobre as suas principais características, analise os itens abaixo:
I. Foi escrita, segundo a cultura prevalecente naquela instituição de assistência médica e, portanto, tinha forte conotação
centralista.
II. Nos estados, a função de gestão passou a ser muito evidente. Deixaram de exercer a função de prestadores.
III. Houve consolidação da municipalização, com as transferências de Unidades Básicas Estaduais e até mesmo federais
para a gerência dos municípios, somando–se àquelas já existentes, mediante a construção de redes de atenção à saúde.
Assinale a alternativa CORRETA:
A) I, II e III estão corretos.
B) I e II estão corretos.
C) II e III estão corretos.
D) I está correto.
E) I, II e III estão incorretos.

187. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) No que se refere à NOB de 1992, ainda editada pelo INAMPS, por meio da
Portaria da Secretaria Nacional de Assistência à Saúde/MS, Nº 234, de 7 de fevereiro de 1992, em relação aos principais
objetivos, assinale a alternativa CORRETA.
A) Estimular a implantação, o desenvolvimento e o funcionamento do sistema sem normatizar a assistência à saúde no
SUS.
B) Dar forma concreta e fornecer instrumentos operacionais à não efetivação dos preceitos constitucionais da saúde.
C) Desinstituir o Índice de Valorização de Qualidade (IVQ), que era concedido e repassado aos hospitais que integravam a
rede SUS.
D) Criar o Prosaúde, programa que tinha por objetivo a reorganização dos serviços de saúde com a participação das três
esferas de governo.
E) O INAMPS deixar de ser o órgão responsável pelo repasse dos recursos financeiros aos estados e municípios, dando
continuidade às linhas gerais definidas na NOB–1991

188. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) A NOB de 1993 foi editada por meio da Portaria GM/MS Nº 545, de 20 de maio
de 1993. Nesta, o Ministério da Saúde formalizou os princípios aprovados na IX Conferência Nacional de Saúde. Sobre essa
normativa, assinale a alternativa INCORRETA.
A) Institucionalizou as Comissões Intergestores Tripartite e Bipartite.
B) Definiu, de forma clara, o papel dos estados, que deixaram de assumir seu papel de gestor do sistema estadual de saúde.
C) Impulsionou a municipalização.
D) Criou a transferência regular e automática fundo a fundo do teto global da assistência para municípios em gestão
semiplena.
E) Habilitou os municípios como gestores, criando a terceira instância do SUS.

189. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Considerando as ações do Programa Nacional de Controle de Mama no Brasil,
analise as questões abaixo:
I. A mamografia, a ultrassonografia, a autopalpação e o exame clínico das mamas são os métodos preconizados para o
rastreamento na rotina de atenção integral à saúde da mulher.
II. A recomendação para o rastreamento de mulheres com risco elevado de câncer de mama, cuja rotina de exames deve se
iniciar aos 35 anos, com exame clínico das mamas e mamografia anuais.
III. A prática de atividade física e o aleitamento materno exclusivo são considerados fatores protetores para o câncer de
mama.
IV. O câncer de mama de caráter hereditário (predisposição genética) corresponde a cerca de 50% do total de casos.
Estão CORRETAS:
A) I, II e IV, apenas.
B) II, III e IV, apenas.
C) I, III e IV, apenas.
D) II e III, apenas.
E) I e IV, apenas.

190. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Relativo ao acolhimento e à assistência à mulher vítima de violência sexual,
assinale a alternativa INCORRETA:
A) Deve-se optar pela contracepção de emergência com o levonorgestrel quando o ritonavir estiver incluso no esquema, já
que esse antirretroviral reduz, significativamente, os níveis séricos dos estrogênios.
B) A inserção do dispositivo intrauterino (DIU) de cobre, como anticoncepção de emergência, não é recomendada devido
ao risco potencial de infecção genital agravado pela violência sexual.
C) A anticoncepção de emergência deve ser indicada até 72 horas após a relação sexual desprotegida.
D) O esquema de 1ª escolha para prevenção da infecção do HIV para mulheres adultas e adolescentes deve ser composto
por zidovudina (AZT) + lamivudina + lopinavir/ritonavir.
E) Não está recomendada profilaxia para o HIV no caso de violência sexual em que a mulher, a criança ou a adolescente
apresente exposição crônica e repetida ao mesmo agressor.

191. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) No início do ano de 2006, foi aprovado o Pacto pela Saúde – Consolidação do
SUS, através da Portaria GM/MS Nº 399, de 22 de fevereiro de 2006, um movimento de mudança, que não foi uma norma
operacional, mas, um acordo interfederativo articulado em três dimensões, que são:
A) O Pacto pela Vida, o Pacto em Defesa do SUS e o Pacto de Gestão.
B) O Pacto pela Vida, o Pacto em Defesa do SUS e o Pacto pela Saúde Suplementar.
C) O Pacto pela Saúde, o Pacto em Defesa do SUS e o Pacto de Gestão.
D) O Pacto pela Saúde, o Pacto em Defesa do SUS e o Pacto pela Saúde Suplementar.
E) O Pacto contra a Violência, o Pacto em Defesa da Vida e o Pacto de Gestão.

192. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Questões, como a poluição do ar, da água, dos solos, os desastres provocados
por produtos perigosos, são constantemente objeto de intervenção da Vigilância Sanitária. Assim, órgãos de Vigilância
Sanitária podem se agregar à área de meio ambiente e de ambientes de trabalho. Tal atitude justifica-se pela necessidade
de otimizar recursos e promover a integração das intervenções. Essa situação é mais frequente:
A) No âmbito Federal.
B) No âmbito Estadual.
C) No âmbito Municipal.
D) Em situação de emergência.
E) Em situação de calamidade pública.

193. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Dentre as prioridades inicialmente definidas através do Pacto pela Vida (2006),
destaca-se:
A) Saúde do Homem.
B) Saúde do Idoso.
C) Saúde do Trabalhador.
D) Saúde Mental.
E) Fortalecimento da Média e Alta Complexidade.

194. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Como objetivos para o fortalecimento da Atenção Primária à Saúde, pode-se
destacar diversas ações, EXCETO:
A) assumir a estratégia de saúde da família como via principal da atenção primária, devendo seu desenvolvimento
considerar as diferenças locorregionais.
B) desenvolver ações de qualificação e educação continuada dos profissionais da atenção.
C) consolidar e qualificar a estratégia de saúde da família nos pequenos e médios municípios.
D) reduzir a estratégia de saúde da família nos grandes centros urbanos.
E) garantir a infraestrutura necessária ao funcionamento das Unidades Básicas de Saúde, dotando-as de recursos
materiais, equipamentos e insumos.

195. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Foi (Foram) demanda(s) do Movimento Sanitário:
A) Saúde entendida exclusivamente como resultado de políticas sociais.
B) Saúde como direito de todos e opção do Estado.
C) Irrelevância pública das ações e dos serviços de saúde.
D) Criação de mais de um sistema único de saúde.
E) Princípios da descentralização, do atendimento integral e da participação da comunidade.

196. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) O Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) existe desde os anos 90.
Contribuiu para o aprimoramento e a consolidação do SUS, além de ser considerado uma importante estratégia transitória
para implantação do Programa de Saúde da Família. O desenvolvimento das ações desse programa se dá por meio da
atuação do Agente Comunitário de Saúde (ACS). Dentre suas atribuições, destaca-se:
A) Visitar, no mínimo, 1 vez por mês, cada família da sua comunidade.
B) Pesar, medir e prescrever medicação para as crianças menores de 2 anos, registrando essas informações no Cartão da
criança.
C) Identificar as gestantes e realizar o pré-natal.
D) Realizar ações educativas e curativas para a prevenção e o tratamento do câncer cérvico-uterino e de mama.
E) Realizar atividades de educação em saúde bucal na família, com exceção dos idosos.
197. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) A Portaria Nº 2.488, de 21 de outubro de 2011 aprovou a Política Nacional de
Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia
Saúde da Família (ESF) e para o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Sobre a Atenção Básica, assinale a
alternativa INCORRETA.
A) Deve ser a base do sistema de saúde, com elevado grau de centralização e capilaridade.
B) Deve ser resolutiva, identificando riscos, necessidades e demandas de saúde.
C) Deve utilizar e articular diferentes tecnologias de cuidado individual e coletivo na perspectiva de ampliação dos graus
de autonomia dos indivíduos e grupos sociais.
D) Deve coordenar o cuidado, elaborando, acompanhando e gerindo projetos terapêuticos singulares.
E) Deve ordenar as Redes de Atenção à Saúde.

198. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) A organização de Redes de Atenção à Saúde (RAS) pode ser definida como
estratégia para um cuidado integral e direcionada às necessidades de saúde de uma população. Nesse sentido, as RAS
constituem-se em:
A) arranjos corporativistas e organizados em função dos prestadores de serviços.
B) um conjunto formado por ações e serviços de saúde com diferentes configurações tecnológicas e missões assistenciais.
C) serviços articulados de forma complementar e sem base territorial alguma.
D) atributos de uma atenção básica estruturada como ponto secundário ou terciário de cuidado e principal porta de saída
do sistema.
E) equipes multidisciplinares que cobrem, apenas, uma parte da população, atendendo, exclusivamente, os doentes graves.

199. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) A estratégia de Saúde da Família visa à reorganização da Atenção Básica no País,
de acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde. Sobre a estratégia Saúde da Família, assinale a alternativa
CORRETA.
A) Existência de equipe multiprofissional composta por, no mínimo, médico, enfermeiro, auxiliar ou técnico de
enfermagem.
B) O número de ACS deve ser suficiente para cobrir, pelo menos, 50% da população cadastrada.
C) A relação recomendada é de, no máximo, 750 pessoas por ACS e de 12 ACS por equipe de Saúde da Família.
D) Quanto maior o grau de vulnerabilidade, maior deverá ser a quantidade de pessoas por equipe.
E) Inserção integral sem exceção, com carga horária de 40 (quarenta) horas semanais para todos os profissionais de saúde
membros da equipe de saúde da Família.

200. (Resid. Mult. Prof. Saúde UFPE 2013) Considerando a Política Nacional de Atenção Básica (Portaria Nº 2.488, de
2011), o número máximo e a média de pessoas recomendadas para cada equipe de Saúde da Família devem ser,
respectivamente de:
A) 5.000 pessoas e 4.000 pessoas.
B) 4.000 pessoas e 3.000 pessoas.
C) 3.000 pessoas e 2.000 pessoas.
D) 6.000 pessoas e 4.000 pessoas.
E) 7500 pessoas e 6.000 pessoas.

1 C 51 A 101 E 151 B
2 B 52 D 102 B 152 E
3 C 53 B 103 C 153 C
4 A 54 A 104 B 154 E
5 B 55 D 105 D 155 D
6 D 56 D 106 A 156 A
7 C 57 D 107 A 157 C
8 A 58 B 108 E 158 B
9 A 59 A 109 B 159 A
10 B 60 D 110 D 160 A
11 C 61 C 111 C 161 A
12 D 62 C 112 E 162 A
13 B 63 A 113 D 163 A
14 B 64 D 114 E 164 C
15 A 65 B 115 A 165 C
16 B 66 A 116 C 166 E
17 D 67 A 117 C 167 E
18 D 68 C 118 E 168 C
19 D 69 C 119 D 169 C
20 B 70 A 120 C 170 E
21 A 71 C 121 E 171 A
22 D 72 B 122 D 172 A
23 C 73 D 123 B 173 A
24 C 74 C 124 C 174 A
25 B 75 D 125 A 175 C
26 A 76 C 126 A 176 A
27 A 77 C 127 B 177 C
28 A 78 C 128 D 178 C
29 D 79 B 129 D 179 C
30 B 80 D 130 E 180 C
31 B 81 A 131 A 181 A
32 D 82 D 132 B 182 D
33 A 83 D 133 C 183 B
34 A 84 E 134 A 184 E
35 D 85 D 135 C 185 A
36 C 86 C 136 D 186 D
37 D 87 B 137 B 187 D
38 B 88 A 138 D 188 B
39 C 89 B 139 B 189 D
40 D 90 C 140 A 190 C
41 D 91 D 141 E 191 A
42 A 92 E 142 D 192 C
43 B 93 D 143 C 193 B
44 B 94 D 144 E 194 D
45 A 95 C 145 E 195 E
46 C 96 B 146 A 196 A
47 D 97 A 147 A 197 A
48 A 98 B 148 B 198 B
49 D 99 C 149 E 199 C
50 C 100 A 150 D 200 B