Você está na página 1de 32

PROF. DR.

BRUNO LEDEZMA

PRÁTICA DE CALCULO ESTRUTURAL DE CONCRETO ARMADO II (5 pontos)

Calculo de lajes e áreas de influências = 1


Calculo de lajes treliçadas =0,5
Áreas de influência=0,5
Compatibilização de momentos numa viga continua = 1
Cargas nas vigas=0,33
Simulação Ftools=0,33
4 Regras de compatibilização de momentos=0,33
Cálculo e armado do aço = 2
Cálculo do aço longitudinal=1,5
Valores Kc, Ks, As =0,25
Diâmetros das bitolas e alojamento horizontal=0,25
Lb,nec no canto=0,25
Lb, nec nos positivos e negativos=0,25
Aço extra=0,25
Tamanho total das barras =0,25
Cálculo do aço transversal=0,25
Verificação e/ou cálculo de estribos=0,25
Verificação Armacom=0,25
Cálculo e Armado de pilares = 1
Carga axial total e momentos de projeto majorados=0,25
Momento total (Md,tot)=0,25
ν,μ,w=0,25
Área de aço longitudinal e estribos=0,25

Matar árvores= - 0,25 Imprimir em papel RASGUNHO para não matar arvores
São Paulo-2016
O TRABALHO PRATICO (o que fazer)

Usando a planta da casa como base projetar um sobrado de dois andares com pé direito a escolha do aluno (neste
caso de 3 metros) e em lugar de telhado será instalada uma laje para aproveitar o espaço na cobertura

Não tem que reproduzir a casa do aluno o aluno tem que refazer a sua casa como se fosse um SOBRADO (usando a
planta como guia arquitetônica só) de acordo com as normas e os conhecimentos adquiridos na aula e se tiver
alguma excentricidade é possível eliminar a mesma para facilitar os cálculos

1 )DEFINIÇÂO DA ESTRUTURA (planta arquitetônica)

Foto do prédio, casa ou residência

Comprovante de residência (só da rua não o número)


O prédio foi dividido em 4 apartamentos de 9X6,75

Arquitetura aproximada do apartamento

Pede-se ao aluno projetar o seu próprio apartamento e/ou casa, no caso de apartamentos contíguos (como este
caso) projetar ambos dos apartamentos (assumindo como iguais) como será feito em continuação

2) Traço

Traço escolhido 1:2:3 com resistência de 25 Mpa, lembrando que estes valores são uma aproximação normalmente
usada no mercado sem levar em conta humidades e outras propriedades dos materiais, lembrando sempre que para

projetos grandes é só para a e pedir a resistência desejada


Cargas NBR 6120
Carga mínima de uso e manutenção é de 250 N/m2

Peso das paredes incluindo revestimentos

A parede de um tijolo tem aproximadamente 20 centímetros de espessura (paredes externas) enquanto as internas
são de uns 10 cm denominadas de meio tijolo (paredes internas)

Estas tabelas sobre paredes são relativas e existem muitos outros tipos de paredes e de diferentes tipos de
qualidades, cabe ao engenheiro escolher o tipo de parede a usar em função do isolamento térmico e sonoro

2) Pré-dimensionamentos e posicionamento (experiência do professor)

Pilares

Podemos pre-dimensionar os pilares de canto, lateral e interno com valores de 20X20 até 3 andares e até 5 andares
pilares laterais 20X20, laterais 20X25 e internos 20X30

Pilares devem ser alocados entre 3 a 5,7 metros de distância


Vigas

As vigas devem ser pre-dimensionadas de 20X40 até 5,7 metros de vão e usar o mesmo tamanho de vigas para todo
o prédio, quando o engenheiro ficar mais experiente pode usar 20X35 em função da arquitetura e vãos e quando o
engenheiro ficar mais ousado pode pre-dimensionar com vigas de 20X30 e menores (como as vigas planas)

Viga baldrame de 20X20 independente do vão

Lajes

Lamentavelmente lajes maciças estão aposentadas

Lajes treliçadas uni-direcionais (mais usadas) e lajes treliçadas bi-direcionais (entrando com força no mercado)
podemos projetar de até 10 metros (muito maior que os 5,5 que temos) porem usar como limite máximo 5,7 metros
quando for projetista iniciante)

Para este projeto recomenda-se lajes treliçadas em duas direções (dos 3 tipos principais vistos na aula)

As lajes treliçadas bidirecionais distribuem a carga entre os 4 apoios (vigas)

As lajes de uma direção deverão ser cruzadas, uma num sentido e a próxima no outro sentido para compensar a
inercia (recomendasse também projetar no menor vão) e a carga destas distribuísse entre só dois dos 4 apoios
(vigas)

Posicionamento dos pilares

Ver na sua casa a localização dos pilares que geralmente ficam na interseção das paredes e localizar estas num vão
máximo de 5.7 metros

Cabe ressaltar que existem paredes intermediarias (tipo do banheiro) que não tem pilares nem vigas na parte
superior, estas paredes intermediarias não devem encostar na laje superior por se correr o risco de modificar o
momento da laje (devesse deixar alguns milímetros de distância entre esta parede e a laje e ser preenchido com
silicone ou produto similar)
Posicionamento das vigas em função das lajes a serem colocadas (procurar vãos retangulares de vãos aproximados)

*Dado que este é um projeto acadêmico solicito ao aluno projetar só uma viga continua grande maior ou igual a 2
trechos, neste caso projetarei uma viga continua de 4 trechos (a viga central entre as setas vista no gráfico superior)

A interseção das vigas não sempre tem que ter pilar na parte inferior

Escadas estão engastadas nas vigas, mas estas serão vistas no final do curso e fora deste trabalho prático

3) CÁLCULO DE LAJES TRELIÇADAS

Numeração de lajes e projeto

As 8 lajes da cobertura serão da L1 até L8 e as 8 lajes da cobertura serão as lajes L9 a L16


As lajes L4, L6, L12 e L14 serão projetadas de tamanho máximo 4,06*5,34 como se não existisse o espaço
correspondente as escadas

Recomenda-se para simplificar cálculos e facilidade construtiva projetar tudo o andar com o mesmo tipo de laje pior
dos casos dois tipos de lajes por andar

A maioria das empresas usa o valor de KGF em quanto a NBR usa Newton

Dados necessários para o cálculo da laje

Para calcular uma laje treliçada preciso procurar as tabelas das fornecedoras de lajes (hoje em dia é feito via um
simples software que não é de domínio público, as empresas estão escondendo as tabelas dentro do software para
vc consultar com eles diretamente e fazer o orçamento). Nessa tabela solicitasse geralmente o VÂO máximo da laje e
a SOBRECARGA

A SOBRECARGA que inclui a carga acidental + carga de paredes encima da laje + outras cargas (pavimento, contra-
piso, impermeabilização, regularização, reboco e forro suspenso )

Geralmente a carga acidental é usada 150kgf/m2 e do revestimento 102,5 kgf/m2 (correspondente a 1,5cm de
pavimento+3cm de contrapiso +1 forro suspenso) fazendo um total de 252,5 kgf/m2

Alguns pesos especifico em kgf/m2 de (depende da fabrica):

Pavimento=1800 contra-piso=2100 impermeabilização=1200

Regularização=2100 reboco=2100 forro suspenso=1250

A este valor ainda temos que adicionar o valor das paredes sobre as lajes, (DIFERENTE QUE AS PAREDES SOBRE AS
VIGAS) e tem que ser estudado caso a caso

Temos que procurar a laje crítica (a que tem maior quantidade de paredes ACIMA da laje) e distribuir o peso entre a
área da laje
Temos um total de 1,66 (2,66-1metro de portas e/ou janelas) metros de paredes ACIMA das lajes que multiplicado
por um pé direito de 3m da um total de 5m2 de parede ACIMA das lajes

Na tabela fornecida anteriormente temos o peso das paredes por metro quadrado de 150,2kgf/m2 que multiplicado
por 5m2 da um total de 751Kgf que a sua vez dividido entre a área da laje (2,66*5,44) da um total de 51.9kgf/m2
que somados aos 252,5 kgf/m2 (carga acidental mais outros) da um total de 304,4 kgf/m2

Podemos tranquilamente usar uma carga de 300kgf/m2 para projetar esta laje, no caso de valores maiores será
necessário dividir a laje porque usar uma laje que suporte pesos maiores em todo o prédio será muito caro.

Recomenda-se também por as paredes no sentido das lajes treliçadas e acima da treliça

Usando esta técnica podemos assumir possíveis paredes sobre toda a estrutura, sendo esta decisão do projetista

Cabe ressaltar que o PESO PROPRIO ou carga permanente da laje não foi considerada, isto é, devido a que na tabela
fornece esse valor após projetar a laje

Vãos máximos

Vão máximo = 5,34

Tabelas dos fornecedores de lajes treliçadas bi-direcionais e unidirecionais

Pode ser

Unidirecional e

Carga de 350kgf/m2
Interessante

Pode ser

Viga treliçada em duas direções empresa Messi usando a carga acidental e o vão máximo

Todas as lajes serão H08 – LT12 7 cm de treliça e 5 cm de laje (outras empresas usam 8cm de treliça e 4 de aço) com
peso próprio de 170 kgf/m2 totalizando uma carga total distribuída de 470 kgf/m2
4) CALCULO DE VIGAS

Comprimento efetivo das vigas

Menor de :

Distância entre as faces do pilar + (largura pilar1)/2 + (largura do pilar 2)/2

Distância entre as faces do pilar + (0,3* altura da viga) + (0,3* altura da viga)
Como ambos pilares são pre-dimensionados de 20*20 a sua largura é 10 cm em ambos casos < 10.5cm (0,3*35) cm
então o vão teórico é igual ao vão geométrico (quase em todos os casos é assim)

Cargas nas vigas

Cargas vindas das lajes

Só será projetada uma viga continua (escolher uma que NÂO SEJA EXTERNA de preferência) e de dois ou mais
trechos

Como os vínculos estruturais de treliças em duas direções são apoios e as lajes são independentes as áreas de
influência são feitas usando linhas que saem a 45 graus dos eixos

Áreas de influência

O cálculo destas pode ser feita usando o comando área do


autocad ou geometricamente ou usando as fórmulas fornecidas
na sala de aula, estas devem ser feitas ao longo das vigas
continuas selecionadas (dois sentidos)

As áreas em amarelo são as correspondentes a viga continua


central escolhida enquanto que as cyan serão usadas no futuro
para o cálculo do pilar B1

A carga distribuída linear é calculada multiplicando a área de influência*carga distribuída quadrática/comprimento


da viga

Cargas do peso próprio

Viga 20*40 = 200kgf/m Viga 20*35 = 175kgf/m Viga 20*30 = 150kgf/m

Cargas da parede

=Pé direito*peso das paredes por m2

Simulação Ftools

Dado que esses valores irão no simulador estrutural Ftools, estes foram transformados a KN/m

https://www.youtube.com/watch?v=n5lduCC-FVU

Recomenda-se ver o vídeo, pausar, fazer, ver o vídeo, pausar e fazer passo a passo
Momentos compensados (4 regras)

Sistema Engastado

Sistema Apoiado

1)Máximos dos positivos de cada trecho entre ambas simulações (barriguinhas)

4,1>3,6 12,2>10,8 12,2>10,8 4,1>3,6

2) Negativos (picos) se a largura do pilar é fina (menor ao Pé direito/4) então usar os valores da simulação do
Sistema apoiado caso contrário usar os maiores valores da simulação do Sistema Engastado

3m/4=0.75m=75cm > 20cm usar TODOS OS NEGATIVOS DO Sistema Apoiado

3) Utilizar os dois valores dos cantos (arredondados em vermelho) correspondentes à Simulação Engastada e
multiplicar por um valor de correção (como ensinado na sala de aula)
𝑀𝑒𝑛𝑔𝑎𝑠𝑡𝑎𝑑𝑜 (𝑎𝑝𝑜𝑖𝑜𝑠 𝑒𝑥𝑡𝑟𝑒𝑚𝑜𝑠)
𝑀𝑎𝑝𝑜𝑖𝑜 𝑒𝑥𝑡𝑟𝑒𝑚𝑝𝑜 1 𝑒 2 =
𝐶𝑝 ∗ 𝑏𝑣 ∗ ℎ𝑣 3
+1
4 ∗ 𝐶𝑣 ∗ 𝑏𝑝 ∗ ℎ𝑝3
4) Para determinar o momento que passa ao pilar (a ser usado quando projetemos pilares) multiplicar os mesmos
valores do ponto 3 por um outro valor de correção
𝑀𝑒𝑛𝑔𝑎𝑠𝑡𝑎𝑑𝑜 (𝑎𝑝𝑜𝑖𝑜𝑠 𝑒𝑥𝑡𝑟𝑒𝑚𝑜𝑠)
𝑀𝑝𝑖𝑙𝑎𝑟𝑒𝑠 1 𝑒 2 =
𝐶𝑝 ∗ 𝑏𝑣 ∗ ℎ𝑣 3
+2
4 ∗ 𝐶𝑣 ∗ 𝑏𝑝 ∗ ℎ𝑝3
Casualmente neste caso toda a simulação corresponde ao sistema totalmente apoiado e como ambos dos cantos
são iguais, no caso do trabalho pratico do aluno geralmente estes valores são diferentes e por isso tem que
calcular ambos dos lados

A altura do pilar (hp) é a largura do pilar no sentido da viga continua (chamado h na parte de pilares)
𝐶𝑝∗𝑏𝑣∗ℎ𝑣 3 3∗20∗31.353
Recomendasse primeiro calcular = = 0,57
4∗𝐶𝑣∗𝑏𝑝∗ℎ𝑝3 4∗5∗20∗203
Mapoio extremo 1 e 2= 7.2 (do ftool) /1,57=4,6KNm

Mpilares 1 e 2=7,2 (do ftool)/2,57=2,8KN/m (para pilares)

Cortantes resultantes

Usaremos o valor da cortante máxima (em ambas das simulações) ressaltado em verde para o cálculo dos estribos
das vigas

Usaremos o valor das cortantes nos cantos (máximas entre ambas das simulações) ressaltados em vermelho para o
cálculo do comprimento de ancoragem necessário nos apoios extremos

Cálculo do aço longitudinal

Cobrimento NOMINAL (inclui 1 cm de folga)

O cobrimento total escolhido será 25 mm (praticamente sempre da este valor nas cidades não litorâneas)
Altura útil

A altura útil será determinada chutando estribos (θe )de 6 .4 mm e armadura longitudinal (θL ) de 10 mm (por
experiência):

d’ = Cobrimento+θe+θL/2 = 2,5+0,64+1,00/2= 3,64= 3,65

d= h-d’ = 35-3,65=31,35

Armadura de pele não se aplica (vigas com altura maior a 60 centímetros)

Cálculo usando tabels Kc Ks

Na parte superior da viga no apoio extremo precisamos 2 de 8

Todos os positivos serão 2 de 10


Os negativos podem ter várias configurações

O diâmetro das bitolas ficara desta forma

A armadura construtiva é de 6.4 milimetros

Alternativa de armado 1 (armado mais simples)

De canto a ponta 2 de 10 na parte superior e 2 de 10 na parte inferior e colocar AÇO EXTRA nos picos

Alternativa 2 (mais simples ainda)

4 de 12 (2 na parte superior e 2 na parte inferior) ressaltando que o aço no pico maior (2.58) é um pouco maior que
2 de 12 (2,47) mas praticamente o prédio não vai cair

Recomendasse ao aluno nos primeiros cálculos usar mínimo de 2 de 10 de ponta a ponta e fazer os cálculos em
função desta recomendação
A escolha das alternativas fica em função do engenheiro aqui escolhemos dar continuidade à alternativa 1 por ser
a mais complicada academicamente

Alojamento horizontal

Neste caso recomendasse usar feixes de 2 fios de 10 para o pico maior

Pico menor Pico maior Pico menor

(20-2,5-2,5-0,64-0,64-3*1)/2= 5,36 (20-2,5-2,5-0,64-0,64-2*1√2)=10,9

Ambos maiores que 2cm, maiores que 1,41cm (diâmetro do feixe) maiores que 1,2*diâmetro do agregado máximo
(4,5 cm como máximo) e deixando espaço para uma vibradora de diâmetro máximo 45 mm

Ancoragem

Comprimento de ancoragem básica (lb)

 Verificação do lb,nec nos apoios extremos (parte inferior de ambos dos cantos)

𝑙𝑏 (∅10, 𝑏𝑜𝑎 𝑎𝑑𝑒𝑟𝑒𝑛𝑐𝑖𝑎, 𝒄𝒐𝒎 𝑔𝑎𝑛𝑐ℎ𝑜, 𝐶25, 𝐶𝐴50)=26,3cm

Lb,disp=20-2,5=17,5cm
𝐶𝑜𝑟𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 𝑛𝑜 𝑎𝑝𝑜𝑖𝑜 𝑒𝑥𝑡𝑟𝑒𝑚𝑜(𝑁) 𝟏𝟓𝟗𝟎𝟎(𝑵)
𝑁 ∗10000 𝑵 ∗𝟏𝟎𝟎𝟎𝟎 𝒄𝒎𝟐
𝐴𝑠,𝑟𝑒𝑐𝑎𝑙 𝑓𝑦𝑑 (
𝑚2) 𝟒𝟑𝟒𝑬𝟔 ( )
𝒎𝟐
Lb,nec= 𝑙𝑏 ∗ = 𝑙𝑏 ∗ (𝑎ç𝑜 𝑑𝑒 2∅10)
= 26,3 cm* =6,17cm
𝐴𝑠,𝑒𝑓 𝟏,𝟓𝟕 𝒄𝒎𝟐

Como lb,disp é maior que o lb,nec então OK


 Comprimento de ancoragem para emenda positiva (vigas maiores a 12 metros)

Recomendasse fazer na zona de compressão de um tamanho igual a lb,nec no caso de não ter solda ou rosca usando
o maior dos As,cal, sendo neste caso 1,31 para as possíveis emendas em 1, 2, e 3

𝑙𝑏 (∅10, 𝑏𝑜𝑎 𝑎𝑑𝑒𝑟𝑒𝑛𝑐𝑖𝑎, 𝒔𝒆𝒎 𝑔𝑎𝑛𝑐ℎ𝑜, 𝐶25, 𝐶𝐴50)=37,6cm


1,31 𝑐𝑚2
Lb,nec= 𝑙𝑏 ∗ 𝐴𝑠,𝑐𝑎𝑙 = 𝑙𝑏 ∗ = 37,6* 0,8344= 31,3 = 31,5cm
𝐴𝑠,𝑒𝑓 1,57 𝑐𝑚2 (𝑎ç𝑜 𝑑𝑒 2∅10)

 Comprimento de ancoragem para emenda negativa (para emendas e calculo do aço extra)

As emendas devem ser realizadas nas zonas de compressão preferentemente (círculos verdes) de tamanho lb,nec
sinalizados

Temos que calcular todas as possibilidades de comprimento de ancoragem necessário

𝑙𝑏 (∅𝟏𝟎, 𝒎á 𝑎𝑑𝑒𝑟𝑒𝑛𝑐𝑖𝑎, 𝑠𝑒𝑚 𝑔𝑎𝑛𝑐ℎ𝑜, 𝐶25, 𝐶𝐴50)=53,7cm

Lb,nec= 𝑙𝑏 ∗ 𝐴𝑠,𝑐𝑎𝑙
𝐴𝑠,𝑒𝑓
=
1,84 𝑐𝑚2 2,58 𝑐𝑚2
53,7 ∗ 2,355 𝑐𝑚2 (𝑎ç𝑜 𝑑𝑒 𝟑∅𝟏𝟎) =41,95cm = 452cm 53,7 ∗ 3,14 𝑐𝑚2 (𝑎ç𝑜 𝑑𝑒 𝟒∅𝟏𝟎) =44,1cm = 45 cm

Melhor usar 45cm em tudo

Cálculo do “aço extra”

Cálculo do pico menor de 3 θ 10

Dividir o pico em 3

Determinar o valor de X a um valor de 2/3 da


base e 1/3 da ponta do pico

Usar o maior de:

2*Lb,nec+2*d

X+2*d*10*θ

X=45cm

2*0,45+2*,3= 1,5metros

0,45+2*0,3+2*0,1= 1,59= 1,25metros

Se tivermos que usar 2 de 10 e 1 de 12 ou outras combinações deverá se fazer uma regra de três na altura do momento
(pico) e o X estará na altura correspondente aos 2 de 10
Cálculo do pico menor de 4 θ 10

Dividir o pico em 2

Determinar o valor de X a um valor de 1/2


da base e 1/2 da ponta do pico

Usar o maior de:

2*Lb,nec+2*d

X+2*d*10*θ

X=80cm

2*0,45+2*,3= 1,5metros

0,8+2*0,3+2*0,1= 1,59= 1,6=1,6 metros

Usaremos para ambos dos picos 1,6 para simplificar o trabalho do cortador de aço

ARMADO

ARMADO FINAL Parte superior (incluindo apoios extremos)

O comprimento do gancho é

Distância entre as faces internas dos pilares = 1305cm (do autocad) +

2*Comprimento do aço dentro dos pilares = 2 * (t-cob+9,212*θ) = 2*(20-2,5+9,212*1) = 53,4cm

=1358,4cm=13,60cm que já incluem ganchos de 11,5* θ (11,5cm)

O valor de 13,4 foi tirado do autocad (comprimento total menos 2*cobrimento) e lembrar que 13,4+,12+,12 não vai
ser igual a 13,6 devido às dobras
Cortantes

Verificação da compressão da biela

0,01928*b*d*fck*(1-fck/250)= 0,01928*20*31,2*25*(1-25/250)=270KN=Vrd2

276KN> 1,4*33,4KN=47 KN (máxima cortante majorada) então OK

Parcela absorvida pelo concreto

=0,009*fck^(2/3)*b*d=0,009*25^(2/3)*20*31,2= 48KN (mais do que suficiente, maior que a cortante máxima)

Parcela absorvida pelo aço mínimo

0,3915*b*d*ρsw,min=0,3915*20*31,2*0,1026=25KN

Não é necessário maior cálculo para a cortante porque neste e a maioria dos casos a cortante é absorvida por os dois
itens anteriores

Área de aço= ρsw,min*b=0,1026*20=2,052cm2/m

Estribos por cálculo=

Área do estribo usando θ6 a da 2*π*0,642/4 = 0,65cm2

Número de estribos = 2,052/0,65=3,157 estribos por metro

Separação entre estribos = 100 cm/3,157 estribos= 31,7

Área do estribo usando θ5 a da 2*π*0,52/4 = 0,393cm2 (diâmetro mínimo)

Número de estribos = 2,052/0,393=5,22 estribos por metro

Separação entre estribos = 100 cm/5,22 estribos= 19,5

Os resultados teóricos seriam θ6c/32 ou θ5c/19 porem falta verificar a separação máxima de estribos

Separação máxima

Como a cortante máxima 47KN é menor que 0,67*270KN


(181KN) então a separação máxima será 0,6*31,2 =18,7cm=
19cm e menor a 30cm

Teoricamente o resultado seria θ5c/19 mas por efeitos práticos e recomendações podemos definir como estribo
θ6c/20 (porque todo mundo usa assim e se todo mundo pula da ponte nós também)

Recomendação de armado

Perto do nó usar a separação/4 (5 cm) o


primeiro estribo, o segundo e terceiro usar
a separação entre 2 (10 cm)

E depois usar a separação normal


Armacom

Existem softwares que podem calcular o aço e até armar, um deles é o Armacom bastante usado por ser de graça,
ele assim como o mercado brasileiro está em kgf*m assim que temos que transformar os momentos nessa unidade

https://youtu.be/6hMgMrLgUBs

Momentos majorados Cortante máxima majorada

24,1 kN*m *1000/9,8 = 2460kgfm 47 KN*1000/9,8=4796kgf

16,5 KN*m * 1000/9,8= 1683,7kgfm

12,2 KN*m * 1000/9,8= 1245kgfm

Concluímos que as áreas de aço longitudinais estão perfeitas mas os estribos não, assim como na laje do Zé que o
software não leva em conta a separação máxima.
PILARES

A força vinda da viga continua é muito grande para prédios pequenos e medianos (neste caso 2,8KN/m) e
geralmente muito maior que a criada pelo vento

*Carga de vento usando Ftools

A falta de estações pluviométricas podemos usar o gráfico de isopletas fornecido pela NBR

Vo=45m/s (SP)

Vk=Vo*S1*S2*S3=45*1*,74*,95=31,7m/s

Cv=0,613*Vk2= 0,613*31,7^2= 616 N/m2 = 0,62KN/m2


Escolhemos projetar um pilar lateral (ver figura)

O vento a aplicar (usando o ftool) no pilar em magenta


será 0,62KN/m2* Área de influência da parede
(3,5/2+5,34/2 metade de ambas das paredes) = 2.7 KN/m
usando o procedimento da NBR

https://youtu.be/VIBDUBocsLA

Usando ftool o momento no pilar da 0,8KNm com vento e usando as fórmulas da 2,8KN.m concluindo que a carga do
vento é muito pequena nestes casos

O cálculo de pilares tem que ser feito nos dois sentidos do pilar e escolher o que
de maior quantidade de aço
Para isto precisamos ter DUAS simulações estruturais das duas vigas continuas que atravessam o pilar por isso teremos
que refazer todos os procedimentos no outro pórtico:

Após o cálculo devemos ativar a opção REAÇÕES do Ftool para poder termos as forças axiais sobre o pilar a ser
projetado
Dado que este pilar é lateral o aço do cálculo no sentido pórtico menor (porque tem vigas que impedem a
movimentação do pilar) será o mínimo (4θ10 por ductilidade) por isso verificaremos o outro sentido no pórtico maior

Definir “h” do pilar

Como estamos verificando no sentido do pórtico maior escolhemos como “h” do pilar a face transversal no mesmo
sentido que o pórtico

Comprimento efetivo

Menor de:

Pé direito + altura da viga e

Pé direito + “h” do pilar

260+40=300

260+20=280

Le=280cm

Área inicial de concreto


Do Ftools as reações (forças axiais) dos dois pórticos da 15,9 e58 que somados dá o valor de Nk=73,9KN

Carga majorada =Nd=107,6KN

Dado que a área de 20*20 adotada é de 400cm2 poderíamos construir até outros 6,666 (400/60) andares iguais

acima a pesar de ter majorado as cargas, minorado a resistência e usar a carga conservadora da norma

Valores necessários para o calculo

d’/h

Cobrimento=2.5cm (igual que em vigas)

Diâmetro do estribo chutado= θ6

Diâmetro chutado de aço longitudinal=θ10

d’ = cob+θe+θt/2 = 2,5+0,64+1,00/2= 3,64= 3,65

d’/h = 3,65/20=0,18=0,2

Esbeltez λ=3,46*Le/h= 3,46*280/20=49 Esbeltes media (quase sempre da este valor) OK

Momento a usar

Momento mínimo= Nd*(1,5+0,03h)= 107,6(1,5+0,03*20)=226 KN.cm

Momento majorado e compatibilizado = 1,4*1,5*280KNcm = 588,2KN.cm

Usamos o maior dos dois anteriores M1d=588,2KN.cm

Verificação de momentos de segunda ordem

λ1= 25+12,5*((225,96/107,6)/h)= 26,35 = 35 Mínimo (quase sempre dá assim)

Como λ> λ1 então devem ser considerados os efeitos de 2a ordem (quase sempre)

Cálculo dos efeitos de segunda ordem


𝑁𝑑
𝑣= =0,15
𝑏∗𝑑∗𝑓𝑐𝑑
Nd=Cortante majorada em KN Fcd=Resistencia do concreto em KN/cm2 (MPa/10) b,d em cm

1/r para 𝑣<0,5 = 0,005/20= 0,00025

Momento final incluindo segunda ordem Md,tot=

= 1*588,2+107,6*2602/10*0,00025= 770KNcm

μ=ν*Md,tot = 0,15*770/20/107,6=0,053

h* Nd
Md,tot=KNcm; Nd=Cortante majorada em KN; h=cm

Usando os Ábacos de Venturi para projetar os pilares

Para nosso pilar de canto escolhemos a dupla A4 e A25 por ser d’/h=0,2, cabe ressaltar que não tem ábaco para
d’/h maiores que 0,1
A quantidade de aço necessária é praticamente nula (por ser só um sobrado os momentos são muito baixos)

ou

Para um CA50 = As=0,001643*w*Ac*fck w= tabela Ac área bruta em cm e fck em MPa

Área de aço total necessária = As= 0,001643*0,05*20*20*25=0,82cm2

Aço mínimo 1 Usar 4 θ 10 como mínimo =3,1416 cm2

Aço mínimo 2 0,15*Nd/fyd=0,00345*Nd= 0,00345*107,6=0,37 cm2 Nd em KN

Aço mínimo 3 0,004*(20*20)= 1,6 cm 2

AÇO LONGITUDINAL = 4θ10


Verificando no outro sentido (com o mínimo)

Esbeltez λ=3,46*Le/h= 3,46*280/20=49


Esbeltes media (quase sempre da este valor) OK

Momento mínimo= Nd*(0,015+0,03h)=


1,4*76,84(0,015+0,03*20)=226 KN.cm

Verificação de momentos de segunda ordem

λ1= 25+12,5*((226/107,6)/h)= 26,31 = 35 Mínimo

Devem ser considerados os efeitos de 2a ordem


(quase sempre)
14∗𝑁𝑑
𝑣= = 0,15 Nd=Cortante majorada em KN
𝑏∗𝑑∗𝑓𝑐𝑑
Fcd=Resistencia do concreto em Mpa b,d em cm

1/r para 𝑣<0,5 = 0,005/20= 0,00025

Momento final total Md,tot=

= 1*226+107,6*2602/10*0,00025= 407KNcm

μ=ν*Md,tot = 0,15*407/20/107,6=0,028

h* Nd

Usando o ábaco A25


Aço calculado = 0 nesse sentido

Aço mínimo 1 Usar 4 θ 10 como mínimo =3,1416 cm2

Aço mínimo 2 0,15*Nd/fyd=0,0345*Nd= 0,0345*107,6=0,32cm2 Nd em KN

Aço mínimo 3 0,004*(20*20)= 1,6 cm 2

Por tanto escolhemos o maior das duas simulações 4θ10

* por ser o mais usual

Estribo de 5c/20 mas como na viga recomendasse 6/20


ESCADA (chorinho extra)

Projetaremos uma escada num vão de 3,4 metros (altura de laje predimensionada de 12 cm) e pé direito é 3metros
(300cm)

Escolhemos um piso de 20 cm para temos um número inteiro 15 degraus (300/20).

Escolhemos a escada com um degrau no descanso ou patamar para termos uma escada de 6 degraus.

O espelho será de 30cm para termos tb um número redondo nos cálculos

Cuidadosamente armando a escada no autocad para termos patamares iguais desenhamos a viga representativa da
escada (em verde)

Cargas nos patamares Peso próprio laje = 0,12*25KN= 3 KN/m

Revestimento cerâmico = 0,85KN/m

Reboco= 0,2 KN/m

Pessoas= 2,5 KN/m

Carga total = 6,55 KN/m

Carga nos degraus Degraus = 7 * (0,2*0,2/2) * 25KN = 3,5KN/m

6,55 KN/m*(252,74m/210m) = 7,88KN/m

Carga total = 11,38 KN/m


Armadura principal (longitudinal)

Momento sem majorar=17,7 KN*m(100cm/1m)=1770KN*cm

Momento majorado = 1,4*1770=2478 KN*cm

d’=cobrimento +θL/2 = 2,5+1/2=3cm

d=12-3=9cm

Kc= 100*92/2478=3,27

Ks=0,026

As=0,026*2478/9=7,15cm2/m

Área usando θ10 a da π*12/4 = 0,785cm2

Número de barras=7,15/0,785=9,1 barras por metro

Separação = 100 cm/9,1= 11cm

As,min=(0,15/100)*(100*12)cm2=1,8cm2/m

Separação máxima = 2*12=24cm

Armadura longitudinal = θ10c/10

Armadura transversal

Maior de:

0,9 cm2/m

As,principal/5= 7,15/5= 1,43cm2/m

As,min/2= 1,8/2= 0,9cm2/m (coincidência mesmo valor que a primeira alternativa)

Área usando θ10 a da π*12/4 = 0,785cm2

Número de barras=1,43/0,785=1,82 barras por metro

Separação = 100 cm/1,82= 55cm

Área usando θ8 a da π*0,82/4 = 0,5cm2

Número de barras=1,43/0,5=2,86 barras por metro

Separação = 100 cm/2,86= 34,9cm

Armadura transversal = θ8c/25 (separação máxima)

𝑙𝑏 (∅10, 𝑏𝑜𝑎 𝑎𝑑𝑒𝑟𝑒𝑛𝑐𝑖𝑎, 𝒔𝒆𝒎 𝑔𝑎𝑛𝑐ℎ𝑜, 𝐶25, 𝐶𝐴50)=37,6cm


Ufa, FIM

Dúvidas, consultas, queixas, comentários, ameaças


tomabrunex yahoo.es

Interesses relacionados