Você está na página 1de 9

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO

Guilherme do Lago Zenni – RA00175422


MA3 Direito Comercial I
Seminário – 2º Bimestre

1) O que é a teoria dos atos do comércio? Explique


A teoria dos atos de comércio caracteriza o momento histórico de
codificação das regulamentações comerciais, transitando de um período
marcado pelo predomínio das corporações de ofício para uma objetivazação
jurídica. O direito comercial deixou de ser apenas o direito de uma certa
categoria de profissionais e passou a se tornar um conjunto de atos que
inicialmente poderiam ser praticados por qualquer cidadão (relação de
atividades econômicas).
2) O que é a teoria da empresa? Explique.
A teoria da empresa representa um período de decodificação, ao qual se
obteve uma certa unificação entre as normas de direito privado (civil, comercial
e trabalhista). O núcleo conceitual do direito comercial passa a ser a empresa.
A empresa é uma atividade cuja marca essencial é a obtenção de lucros com o
oferecimento ao mercado de bens e serviços. Empresa não se confunde com
empresário (sujeito), nem com o estabelecimento empresarial (coisa).
3) Qual a teoria adotada pelo Código Civil hoje em dia? Explique e
fundamente.
O Código Civil brasileiro em vigor adota atualmente a teoria da empresa,
definindo o empresário como o profissional exercente de atividade econômica
organizada para a produção ou circulação de bens ou de serviços.
4) Quais são os fatores de produção no sistema capitalista? Explique.
Os fatores de produção no sistema capitalista são 4, sendo eles: o capital,
que será utilizado no empreendimento; a matéria-prima, que é o insumo que o
empresário utiliza no seu negócio; a mão-de-obra, que é a força de trabalho do
empreendedor; e o know-how, que é o conhecimento que o empresário tem na
organização e administração de seu empreendimento.
5) Qual a distinção entre pessoa física e pessoa jurídica. Explique.
Pessoa Física é basicamente todo ser humano com certidão de nascimento
e CPF (certidão de pessoa física), já a Pessoa Jurídica é um conjunto de pessoas
organizadas com uma finalidade em comum, como prestação de serviços,
administração, produção e comercialização de produtos.
6) Conceitue e explique os requisitos para ser empresário.
São 3 os requisitos para que uma pessoa se torne empresário, sendo eles:
capacidade jurídica, que ocorre quando o indivíduo estiver em pleno gozo da
capacidade civil (artigos 3o e 4o do CC); ausência de impedimento legal, que é
uma proibição fundada em razoes de ordem pública; e exercício profissional da
empresa, que resume-se no art. 966 do Código Civil.
7) Diferencie sociedade empresária de empresário individual.
A principal diferença consiste no fato de que no caso do empresário
individual, os bens individuais e pessoais do indivíduo se confundem na
atividade empresarial, uma vez que não há uma nova pessoa constituída. Na
sociedade empresarial, a responsabilidade dos sócios é limitada, enquanto que
no caso do empresário individual não.

8) Quais são as obrigações gerais dos empresários? Mencione as três


principais obrigações.
Obrigações gerais dos empresários: Registrar-se na junta comercial antes de
dar início à exploração de sua atividade; manter escrituração regular de seus
negócios; e levantar demonstrações contábeis periódicas.

9) Cite três espécies de pessoas jurídicas existentes no sistema


brasileiro.
Pessoa Jurídica de Direito Público Interno (União, Estados, Municípios); Pessoa
Jurídica de Direito Público Externo (Estados estrangeiros e Organizações
internacionais); e Pessoa Jurídica de Direito Privado (Associações, Fundações e
Sociedades).

10) Quais as três principais consequências que decorrem da


personificação das sociedades empresárias? Explique cada uma delas.
As três principais consequências que decorrem da personificação das
sociedades empresárias são: titularidade negocial, assumindo um dos polos da
relação negocial; titularidade processual, podendo demandar e ser demandada em
juízo; e responsabilidade patrimonial, tendo seu patrimônio inconfundível e
incomunicável com o patrimônio de cada um de seus sócios.

11) O que é estabelecimento empresarial? Explique e fundamente.

Estabelecimento empresarial é o conjunto de bens que o empresário reúne


para a exploração de sua atividade econômica, compreendendo os elementos
indispensáveis ou úteis ao desenvolvimento da empresa, como as mercadorias em
estoque, máquinas, veículos, marca e outros sinais distintivos, tecnologia, etc. Não
é possível dar início a qualquer atividade empresarial sem a organização de um
estabelecimento.
12) Quais os elementos que compõem o estabelecimento
empresarial? Explique.
Bens corpóreos móveis (mercadorias e acessórios) e imóveis (ex: depósito,
armazém...); Bens incorpóreos (ponto empresarial, nome empresarial,
propriedade industrial).
13) Quais os atributos do estabelecimento? Explique.
Os atributos do estabelecimento são dois, sendo eles: o aviamento, que é
o resultado do conjunto de vários fatores de ordem material ou imaterial que lhe
conferem capacidade ou aptidão de gerar lucros; e a clientela, que é o conjunto de
pessoas que consomem habitualmente os serviços prestados pelo empresário.
14) O que é estabelecimento virtual? Explique
Para Fábio Ulhôa Coelho, o estabelecimento virtual possui idêntica natureza
que o físico, uma vez que agrega um complexo de bens organizados para o
exercício da empresa, mesmo que bens apenas incorpóreos, pois o site possui uma
localização (domínio), uma marca, bens imateriais, entre outros.
15) O que é cláusula de não restabelecimento? Explique.
Cláusula de não restabelecimento é a vedação do alienante em fazer
concorrência ao adquirente do estabelecimento empresarial, sem a autorização
deste último. Tal determinação está contida no artigo 1.147 do novo Código Civil,
que versa que “Não havendo autorização expressa, o alienante do estabelecimento
não pode fazer concorrência ao adquirente, nos cinco anos subsequentes à
transferência”.
16) Há limites para a extensão dos efeitos da cláusula de não
restabelecimento nos contratos de trespasse? Explique.
O artigo 1.147 do Código Civil não autoriza o estabelecimento de prazo
indeterminado para o restabelecimento do antigo proprietário, ou seja, não pode
o novo proprietário impor ao antigo, por cláusula contratual, a impossibilidade de
voltar a exercer atividade empresarial (por prazo indeterminado) naquela área de
concorrência.
17) O que é a cláusula de raio? Explique.
A denominada “cláusula de raio” é uma disposição inserida no contrato de
locação de espaço em shopping center ou, ainda, prevista nas Normas Gerais, por
meio da qual o lojista fica impedido de exercer a mesma atividade ou atividade
similar àquela praticada no shopping, dentro de certo raio, quer seja uma loja na
rua ou em outro shopping center.
18) Há distância definida por lei para a cláusula de raio? Explique

A cláusula de raio não tem distancia definida por lei, ficando definida por
acordo entre as partes envolvidas, desde que não exista abuso.
19) Após o trespasse, o comprador assume todas as dívidas, mesmo
as não contabilizadas (passivo oculto)?
Segundo o artigo 1.146 do Código Civil, o adquirente do estabelecimento
responde pelo pagamento dos débitos desde que regularmente contabilizados.

20) Quais os pressupostos necessários para que o locatário tenha


direito à renovação compulsória? Explique e fundamente.

O artigo 51 da Lei n. 8.245 de 1991 determina que o locatário terá direito a


renovação do contrato, por igual prazo, desde que, o contrato a renovar tenha sido
celebrado por escrito e com prazo determinado; o prazo mínimo do contrato a
renovar ou a soma dos prazos ininterruptos dos contratos escritos seja de 5 anos;
e o locatário esteja explorando seu comércio, no mesmo ramo, pelo prazo mínimo
e ininterrupto de 3 anos.

26) Conceitue contrato de franquia.


Franquia empresarial é um sistema pelo qual o franqueador cede ao
franqueado o direito ao uso da marca ou patente, associado ao direito de
distribuição exclusiva ou semi-exclusiva de produtos ou serviços, e
eventualmente, também ao direito de uso de tecnologia de implantação e
administração de negócio ou sistema operacional desenvolvidos ou detidos pelo
franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem que, no entanto, fique
caracterizado vínculo empregatício.

27) Cite e explique duas cláusulas que usualmente são utilizadas nos
contratos de locação em shopping center.

As cláusulas mais comuns nos contratos de locação em shopping centers são


aquelas que determinam obrigações de natureza pecuniária assumidas pelo
locatário. Uma delas é a res sperata, que corresponde a uma prestação retributiva
de se estabelecer num complexo comercial que já possui uma clientela constituída.
Por outro lado, existe a cláusula de raio, que é um instrumento contratual que
obriga o lojista locatário de ponto comercial em shopping a não exercer as mesmas
atividades em estabelecimentos que estejam situados a um raio de distância pré-
determinado.

31) As regras previstas na lei 8245/91 são integralmente


aplicáveis aos contratos de locação em espaços de shopping
center? Explique e fundamente.
Não, mesmo a Lei 8.245/91 dispondo sobre algumas regras sobre os contratos
de locação em shopping center, esses contratos são regidos majoritariamente pelo
acordo entre as partes envolvidas, que devem respeitar a Escritura Declaratória
de Normas Gerais Complementares, o Regimento Interno do shopping center, e o
Estatuto da Associação do Lojistas. No artigo 54 da Lei de Locação, fica explícito
que prevalecerão as condições livremente pactuadas entre as partes no contrato
de locação.

32) Os contratos de franquia devem ser averbados no INPI?


Explique.
Os contratos de franquia devem ser registrados no INPI, por exigência da lei
(art. 211 da Lei n. 9.279/1996). O registro é essencial para que o negócio produza
efeitos perante terceiros, em especial o fisco e as autoridades monetárias. Sem o
registro da franquia, não se admite a dedução fiscal dos royalties, pagos pela
licença de uso da marca, nem a remessa de dinheiro para o exterior.

33) Que contratos estão envolvidos na organização


empresarial que o franqueador se obriga a prestar ao
franquiado? Explique cada um deles.
O franqueador se obriga a prestar ao franqueado: o menagement,
relacionado com os sistemas de controle de estoque, de custos e treinamento
de pessoal; o engineering, que diz respeito à organização do espaço do
estabelecimento do empresário; e o marketing, relacionado às técnicas de
colocação do produto ou serviço junto ao consumidor.

34) Cite e explique três cláusulas que normalmente integram


os contratos de franquia.
Exclusividade em determinada zona geográfica; pagamentos de taxas de
filiação e royalties de utilização da marca; supervisionar e monitorar
constantemente a rede de franquia.

35) Assim que o contrato de trespasse é assinado pelo


alienante e adquirente ele já produz efeitos em relação à
terceiros? Explique e fundamente.
Não, para produzir efeitos em relação à terceiros o contrato de alienação do
estabelecimento empresarial deve ser levado a registro na Junta Comercial e
publicado na imprensa oficial.

36) “Todo estabelecimento empresarial integra o patrimônio


de seu titular, mas este não se reduz àquele necessariamente”.
Esta afirmação é falsa ou verdadeira? Explique.
A afirmação é verdadeira, uma vez que o estabelecimento empresarial integra
sim o patrimônio do seu titular, patrimônio este que pode não se resumir apenas
ao estabelecimento empresarial, podendo ser composto por outros imóveis e bens.

37) Quais os pressupostos necessários para que o locador de


imóvel comercial deve preencher para ingressar com a ação
renovatória? Explique cada um deles e fundamente sua
resposta.
O locador de imóvel comercial não pode ingressar com ação renovatória, uma
vez que esse instrumento foi criado com o intuito de proteger o locatário, já que,
se não existisse, o locador poderia cobrar um preço exorbitante sobre o locatário
para renovar o contrato de locação, e esse, por sua vez, ficaria quase que obrigado
a arcar com esse valor para não perder o ponto comercial e a clientela que adquiriu
ao longo dos anos.

38) O que é Circular de Oferta de Franquia? Explique e


mencione algumas obrigações das partes envolvidas.
A Circular de Oferta de Franquia é um instrumento fundamental para a
formação válida do vínculo entre franqueador e franqueado, nele reúnem-se as
informações, dados, elementos e documentos capazes de apresentar aos
interessados na franquia um completo quadro da situação em que se encontra a
rede e a exata extensão das obrigações que serão assumidas pelas partes, caso
vingue o contrato.

39) Mencione e explique 4 classificações doutrinárias


referentes aos contratos de franquia.
Segundo a doutrina, os contratos de franquia são: bilaterais, mistos, onerosos
e atípicos. São considerados bilaterais pelo fato de que as duas partes do contrato
possuem direitos e deveres; mistos por envolverem duas formas e obrigações de
contratar, onde se uma das obrigações for descumprida, o contrato pode vir a ser
dissolvido; onerosos já que nos contratos de franquia as partes têm reciprocidade
de deveres e vantagens; por fim, são considerados atípicos por não possuírem
forma geral totalmente definida em lei, estando sujeitos aos acordos entre os
contratantes.

40) “Não se considera empresário quem exerce profissão


intelectual, de natureza científica, literária ou artística,
mesmo contando com o concurso de auxiliadores ou
colaboradores e ainda que o exercício da respectiva profissão
constitua elemento de empresa. ” A assertiva é falsa ou
verdadeira? Explique e fundamente sua resposta.
A assertiva é falsa, pois o artigo 966, parágrafo único, do Código Civil
brasileiro deixa claro que não se considera empresário os casos referidos na
frase acima, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa.

41) O que significa acessio temporis? Explique e apresente a


posição da jurisprudência.
Acessio temporis é a soma dos períodos ininterruptos dos contratos de
locação para se alcançar a prazo mínimo de 5 anos exigido, pelo entendimento
do STJ, para o pedido de renovação do contrato de locação.

42) O que significa “res sperata”? Explique.


Res sperata é uma prestação devida pelos lojistas de shoppings centers
retributiva das vantagens de se estabelecer num complexo comercial que já
possui uma clientela constituída.