Você está na página 1de 9

10/05/2018

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA


CAMPUS AVANÇADO DE GOVERNADOR VALADARES
DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA Questionamentos iniciais...
DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE FISIOTERAPIA

Atenção básica/primária
A atuação da Fisioterapia
nos diferentes níveis de
atenção à saúde

Profa. Cristina Martins Coelho

Questionamentos iniciais... Questionamentos iniciais...


Atenção secundária Atenção terciária

Questionamentos iniciais... O Sistema Único de Saúde (SUS)


 Então é simples assim???  A Constituição Federal de 1988 definiu
Atenção primária = UBS que “a saúde é direito de todos e dever
Atenção secundária = Clínicas do Estado”.
Atenção terciária = Hospitais
 A lei federal no 8.080/1990, que
regulamentou o Sistema Único de Saúde
 Como o fisioterapeuta atua em cada um
(SUS), prevê, em seu artigo 7º, como
destes níveis de atenção?
princípios do sistema, entre outros:

1
10/05/2018

O Sistema Único de Saúde (SUS) O Sistema Único de Saúde (SUS)


I. Universalidade de acesso aos serviços de  Nesses termos, fica explícito que o Brasil
saúde em todos os níveis de optou por um sistema público e
assistência;
universal de saúde, que deve garantir
atendimento integral para todos os
II. Integralidade de assistência, entendida
como conjunto articulado e contínuo das cidadãos.
ações e dos serviços preventivos e
curativos, individuais e coletivos,
exigidos para cada caso, em todos os níveis
de complexidade do sistema; (...).

O Sistema Único de Saúde (SUS) O Sistema Único de Saúde (SUS)


 Com relação à organização da  Hierarquização
prestação da assistência, o SUS baseia-
se em duas diretrizes fundamentais: ◦ Diretriz organizadora do SUS que parte da
classificação dos serviços, considerando o
tipo de cuidado prestado e a complexidade
◦ Regionalização tecnológica de cada um deles.
 Determinação de territórios para organizar os
serviços em rede. ◦ Foram determinados três níveis de atenção à
saúde: básico (ou primário), secundário e
terciário, os quais, atualmente, são chamados de
◦ Hierarquização baixa, média e alta complexidade.

Atenção Básica Atenção Básica


 Portaria do Ministério da Saúde no 2436, de 21 de  Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
setembro de 2017 - Política Nacional de Atenção
Básica (PNAB)
§1º: A Atenção Básica será a principal porta
Art. 2º: A Atenção Básica é o conjunto de ações de de entrada e centro de comunicação da
saúde individuais, familiares e coletivas que Rede de Atenção à Saúde, coordenadora do
envolvem promoção, prevenção, proteção, cuidado e ordenadora das ações e serviços
diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de disponibilizados na rede.
danos, cuidados paliativos e vigilância em saúde,
(...) realizada com equipe multiprofissional e dirigida
à população em território definido, sobre as quais as
equipes assumem responsabilidade sanitária.

2
10/05/2018

Atenção Básica Atenção Básica


 A atenção básica é o primeiro nível de  Observação:
atenção à saúde. ◦ Por tecnologia de baixa densidade deve-se
entender que a atenção básica inclui um rol
 Deve ser a porta de entrada no sistema e de procedimentos menos complexos,
estar preparada para resolver até 85% dos capazes de atender à maior parte dos
problemas de saúde da população. problemas comuns de saúde da
comunidade, embora sua organização, seu
 Utiliza tecnologias de baixa densidade desenvolvimento e sua aplicação possam
(mais simples e baratas), mas que atendem demandar estudos de alta complexidade
à maioria das necessidades de saúde da teórica e profundo conhecimento da
população. realidade.

Atenção Básica Atenção Básica


 Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)  Estratégia Saúde da Família
Art. 4º: A PNAB tem na Saúde da Família sua
estratégia prioritária para expansão e ◦ A Estratégia Saúde da Família visa à reorganização
consolidação da Atenção Básica. da atenção básica no País, de acordo com os
preceitos do Sistema Único de Saúde.
Parágrafo único. Serão reconhecidas outras
estratégias de Atenção Básica, desde que ◦ Cada equipe de Saúde da Família deve ser
observados os princípios e diretrizes previstos
nesta portaria e tenham caráter transitório, responsável por, no máximo, 4.000 pessoas de
devendo ser estimulada sua conversão em uma determinada área.
Estratégia Saúde da Família.

Atenção Básica Atenção Básica


 Estratégia Saúde da Família  Estratégia Saúde da Família

◦ Entre as atividades básicas da equipe de Saúde da ◦ Entre as atividades básicas da equipe de Saúde da
Família estão:
Família estão:
 Conhecer a realidade das famílias pelas quais são
responsáveis e identificar os problemas de saúde mais  Garantir a continuidade do tratamento, pela adequada
comuns e situações de risco aos quais a população está referência do caso;
exposta;
 Prestar assistência integral, respondendo de forma
 Executar, de acordo com a qualificação de cada profissional, contínua e racionalizada à demanda, buscando contatos
os procedimentos de vigilância à saúde e de com indivíduos sadios ou doentes, visando promover
vigilância epidemiológica, nos diversos ciclos da vida;
a saúde por meio da educação sanitária.

3
10/05/2018

Atenção Básica Atenção Básica


 Composição mínima da Equipe de Saúde da Família:  Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção
Básica (NASF-AB):
Médico, preferencialmente da especialidade medicina
de família e comunidade; enfermeiro,
preferencialmente especialista em saúde da família; ◦ Constitui uma equipe multiprofissional e
auxiliar e/ou técnico de enfermagem e agente interdisciplinar composta por categorias de
comunitário de saúde (ACS).
profissionais da saúde, complementar às equipes
que atuam na Atenção Básica.
Podem fazer parte da equipe o agente de
combate às endemias (ACE) e os profissionais de
saúde bucal: cirurgião-dentista, preferencialmente ◦ É formada por diferentes profissões e especialidades da
especialista em saúde da família, e auxiliar ou área da saúde, atuando de maneira integrada para
técnico em saúde bucal. dar suporte aos profissionais das equipes de Saúde da
Família e de Atenção Básica.

Atenção Básica Atenção Básica


 Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica  Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção
(NASF-AB):
Básica (NASF-AB):
Poderão compor os NASF-AB as ocupações na área
de saúde: Médico Acupunturista; Assistente Social;
Profissional/Professor de Educação Física; Farmacêutico; ◦ Objetivo: aumentar a resolutividade e a qualidade
Fisioterapeuta; Fonoaudiólogo; Médico da Atenção Básica, ampliando seu repertório de
Ginecologista/Obstetra; Médico Homeopata; ações e o acesso da população a ofertas mais
Nutricionista; Médico Pediatra; Psicólogo; Médico abrangentes e próximas das suas necessidades.
Psiquiatra;Terapeuta Ocupacional; Médico Geriatra;
Médico Internista (clinica médica), Médico do Trabalho,
Médico Veterinário, profissional com formação em arte ◦ A definição das categorias profissionais é de
e educação (arte educador) e profissional de saúde
sanitarista. autonomia do gestor local, devendo ser escolhida
de acordo com as necessidades do território.

Atenção Básica Atenção Secundária


 Embora a Atenção Básica seja entendida como  A média complexidade são serviços e ações
a base orientadora do sistema, sua porta que agregam profissionais e recursos
de entrada preferencial e que deva ter visão tecnológicos especializados, e visam
integral da assistência à saúde para sua atender às demandas de saúde que não
população adscrita, os procedimentos podem ser devidamente sanadas por
realizados diretamente em seus serviços não tecnologias de baixa densidade.
esgotam as necessidades dos usuários do
SUS.  Serviços e ações usualmente ocorrem em
policlínicas/ambulatórios e nos hospitais
gerais.

4
10/05/2018

Atenção Secundária Atenção Terciária


 A média complexidade ambulatorial é  A alta complexidade é definida como os
composta por ações e serviços que visam procedimentos que envolvem alta
atender aos principais problemas e agravos de tecnologia, com muitos equipamentos e
saúde da população, cuja complexidade da profissionais com conhecimento
assistência na prática clínica demande a extremamente especializado.
disponibilidade de profissionais
especializados e a utilização de recursos  São, assim, de alto custo, devendo ser
tecnológicos, para o apoio diagnóstico e integrados com a Atenção Básica e os
tratamento. serviços de média complexidade.

SIA: Sistema de Informações Ambulatoriais

Atenção Terciária Atenção Terciária

Hierarquização Referência e contrarreferência


 Modo de o usuário “caminhar” dentro dos
serviços de saúde.

◦ Pode ocorrer dentro do mesmo nível de


complexidade ou para outros níveis.

5
10/05/2018

Referência e contrarreferência Fisioterapia na Atenção Básica


 Exemplo:  Foco principal → ações coletivas de
◦ O usuário precisa de um exame, da opinião de um promoção, prevenção, proteção e
especialista ou de um tratamento não disponível na vigilância em saúde.
Atenção Básica (AB). Ele é encaminhado por um
profissional da AB, por meio de um relatório de
referência, para um serviço mais complexo.  Também são possíveis ações individualizadas,
◦ Quando é atendido no outro local, o usuário deve porém com foco na educação em saúde e
entregar esse relatório ao profissional, que fará a no autocuidado.
sua avaliação e tomará uma conduta, a qual deve
ser comunicada no mesmo relatório para o
profissional que solicitou a avaliação
(contrarreferência).

Fisioterapia na Atenção Básica Fisioterapia na Atenção Básica


 Ações coletivas  Ações coletivas

◦ Grupos ◦ Programas ergonômicos

Fisioterapia na Atenção Básica Fisioterapia na Atenção Básica


 Ações coletivas  Ações coletivas

◦ Ginástica Laboral ◦ Educação em Saúde

6
10/05/2018

Fisioterapia na Atenção Básica Fisioterapia na Atenção Básica


 Ações coletivas  Ações individualizadas

◦ Visitas domiciliares ◦ Educação / autocuidado

Fisioterapia na Atenção Secundária Fisioterapia na Atenção Secundária


 Foco principal → ações individualizadas de  Ações individualizadas
reabilitação.

 Ações de prevenção e promoção em


saúde também devem ser realizadas,
objetivando o cuidado integral do indivíduo.

Fisioterapia na Atenção Secundária Fisioterapia na Atenção Secundária


 Ações individualizadas  Ações individualizadas

7
10/05/2018

Fisioterapia na Atenção Terciária Fisioterapia na Atenção Terciária


 Foco principal → ações individualizadas de  Ações individualizadas
reabilitação de elevada complexidade.

 Ações de prevenção e promoção em saúde


também devem ser realizadas, objetivando o
cuidado integral do indivíduo.

Fisioterapia na Atenção Terciária Fisioterapia na Atenção Terciária


 Ações individualizadas  Ações individualizadas

Atividade para casa Atividade para casa


 Considere um(a) paciente fictício, atendido  Dicas:
por você na atenção primária, que necessita
ser encaminhado para a atenção secundária ◦ Início: identificação do paciente, motivo do
ou terciária. encaminhamento e especialidade/profissional para
a/o qual se está encaminhando;
 Elabore um relatório de referência deste
paciente para o profissional/especialidade de ◦ Meio: relato sucinto dos aspectos relevantes da
história do paciente;
sua escolha.
◦ Fim: solicitação de avaliação e conduta e
agradecimento.

8
10/05/2018

Referências
Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde.
Assistência de Média e Alta Complexidade no SUS
1 ed. Brasília: CONASS, 2011.

Política Nacional de Atenção Básica - Portaria do


Ministério da Saúde nº 2.436, de 21 de setembro
de 2017.

Solha, R. K. t. Sistema Único de Saúde:


componentes, diretrizes e politicas públicas.1. ed.
São Paulo: Érica, 2014.