Você está na página 1de 12

Simulado de Filosofia I

Etapa

Questão 01 – O primeiro e o segundo período da filosofia são chamados:

a) Cosmogônico e cosmológico.
b) Cosmogônico e moralista.
c) Cosmológico e antropológico.
d) Cosmogônico e socrático.
e) Cosmológico e helenístico.

Questão 02 – Tal como a filosofia, o mito revela, exceto:

a) A origem de algum acontecimento.


b) O resultado simbólico do acontecimento.
c) O resultado inconsciente do acontecimento.
d) Sentido e percepção, independente de explicação científica.
e) Sentido e percepção, dependente de explicação científica.

Questão 03 – Para filósofos como Tales de Mileto e Pitágoras de Samos qual era,
respectivamente, a essência de tudo?

a) A verdade e a justiça.
b) A Filosofia e a mitologia.
c) A Filosofia e os números.
d) O cosmos e a physis.
e) A água e os números.

Questão 04 – “Tales foi o iniciador da filosofia da psysis, pois foi o primeiro a afirmar a
existência de um princípio originário único, causa de todas as coisas que existem. Essa
proposta é importantíssima... podendo com boa dose de razão ser qualificada como a primeira
proposta filosófica daquilo que se costuma chamar civilização ocidental”.

A filosofia surgiu na Grécia, no século VII AC. Seus primeiros filósofos foram os chamados
pré-socráticos. De acordo com o texto, assinale a alternativa que expressa o principal
problema por eles investigado.

a) A ética, enquanto investigação racional do agir humano.


b) A estética, enquanto estudo sobre o belo na arte.
c) A epistemologia, como avaliação dos procedimentos científicos.
d) A cosmologia, como investigação acerca da origem e da ordem do mundo.
e) A filosofia política, enquanto análise do Estado e sua legislação.

Questão 05 – (Enem 2012) Para Platão, o que havia de verdadeiro em Parmênides era que o
objeto de conhecimento é um objeto de razão e não de sensação, e era preciso estabelecer uma
relação entre objeto racional e objeto sensível ou material que privilegiasse o primeiro em
detrimento do segundo. Lenta, mas irresistivelmente, a Doutrina das Ideias formava-se em sua
mente. ZINGANO, M.. Platão e Aristóteles: o fascínio da filosofia. São Paulo: Odysseus,
2012 (adaptado).

O texto faz referência à relação entre razão e sensação, um aspecto essencial da Doutrina das
Ideias de Platão (427 a.C.-346 a.C.). De acordo com o texto, como Platão se situa diante dessa
relação?

a) Estabelecendo um abismo intransponível entre as duas.


b) Privilegiando os sentidos e subordinando o conhecimento a eles.
c) Atendo-se à posição de Parmênides de que razão e sensação são inseparáveis.
d) Afirmando que a razão é capaz de gerar conhecimento, mas a sensação não.
e) Rejeitando a posição de Parmênides de que a sensação é superior à razão.

Questão 06 – (Enem 2009) Segundo Aristóteles, “na cidade com o melhor conjunto de
normas e naquela dotada de homens absolutamente justos, os cidadãos não devem viver uma
vida de trabalho trivial ou de negócios — esses tipos de vida são desprezíveis e incompatíveis
com as qualidades morais —, tampouco devem ser agricultores os aspirantes à cidadania, pois
o lazer é indispensável ao desenvolvimento das qualidades morais e à prática das atividades
políticas”. VAN ACKER, T. Grécia.. A vida cotidiana na Cidade-Estado. São Paulo: Atual,
1994.
O trecho, retirado da obra Política, de Aristóteles, permite compreender que a cidadania:

a) Possui uma dimensão histórica que deve ser criticada, pois é condenável que os políticos de
qualquer época fiquem entregues à ociosidade, enquanto o resto dos cidadãos tem de
trabalhar.
b) Era entendida como uma dignidade própria dos grupos sociais superiores, fruto de uma
concepção política profundamente hierarquizada da sociedade.
c) Estava vinculada, na Grécia Antiga, a uma percepção política democrática, que levava
todos os habitantes da pólis a participarem da vida cívica.
d) Tinha profundas conexões com a justiça, razão pela qual o tempo livre dos cidadãos
deveria ser dedicado às atividades vinculadas aos tribunais.
e) Vivida pelos atenienses era, de fato, restrita àqueles que se dedicavam à política e que
tinham tempo para resolver os problemas da cidade.

Questão 07 – Podemos dizer que a lógica de Platão é a lógica:

a) Empírica
b) Racionalista
c) Experimental
d) Dialética
e) Silogística

Questão 08 – Podemos dizer que a lógica de Aristóteles é a lógica:

a) Empírica
b) Racionalista
c) Experimental
d) Dialética
e) Silogística

Questão 09 – Ao longo de vários diálogos, Platão discute ou supõe diretamente o que se


tornou comum chamar de teoria das Ideias. A partir do conjunto de diálogos em que Platão
discute ou supõe diretamente esta teoria podemos depreender um conjunto de afirmações
indiscutivelmente verdadeiras sobre teoria das Ideias.

Analise as afirmativas abaixo sobre esta teoria:

I. As Ideias não têm nenhuma relação com os entes sensíveis.


II. As Ideias não se relacionam entre si.
III. As entidades matemáticas não são Ideias.
IV. As Ideias são entidades puramente mentais.
V. No diálogo República, a Ideia do bem é determinada como estando além da essência.
VI. Ao longo de vários diálogos, Platão usa diversos termos, tais como "forma", "paradigma"
e "essência", como sinônimos do termo "Ideia".
VII. Para Platão, "Demiurgo" é o nome da divindade que molda o mundo sensível a partir das
Ideias.

Agora, assinale a alternativa correta:


a) Somente as afirmativas V, VI e VII são corretas.
b) Somente as afirmativas I, V, e VI são corretas.
c) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas IV, V e VI são corretas.
e) Somente as afirmativas I, VI e VII são corretas.

Para as duas questões seguintes, considere o trecho extraído da Apologia de Sócrates, de


Platão.

“Tendo ido certa vez a Delfos, (Querefonte) ousou inquirir o oráculo com esta questão (peço-
vos não perturbeis com o que vou dizer) – se haveria alguém mais sábio do que eu. A Pítia
respondeu-lhe que ninguém me superava em sabedoria.[...] Quando tive notícia da resposta do
oráculo, interroguei-me a mim mesmo: _ ‘que significa o oráculo do deus, que sentido oculto
há em suas palavras? Por mim estou cônscio de que não sou sábio, nem muito nem pouco.
Que pretende ele significar, ao afirmar que sou o mais sábio? Ele certamente não pode mentir,
isso lhe é impossível’ E durante muito tempo fiquei perplexo, sem atinar com o significado do
oráculo. Por fim, e com grande relutância, decidi-me a investigar isso [...]”. Platão. Apologia
de Sócrates. Lisboa: Guimarães Editores, 1993. p. 39-40. Tradução de Pinharanda Gomes.

Questão 10 – Como resultado de sua investigação, Sócrates concluiu que:

a) Pouco valor ou nenhum tem a sabedoria humana.


b) Os atenienses eram incapazes de aprender filosofia.
c) O seu método de ensino era mais eficaz do que o dos sofistas.
d) O deus estava enganado, pois ele, Sócrates, não era, definitivamente, um sábio.
e) Sua sabedoria consistia em saber que nada sabia para estar sempre pronto a saber mais.

Questão 11 – No processo formal contra Sócrates, ele é acusado de:

a) Agir como traidor numa batalha naval e corromper os jovens.


b) Liderar uma nova seita religiosa e organizar uma rebelião política.
c) Não crer nos deuses reconhecidos pela cidade e corromper a mocidade.
d) Praticar a sofística e a pederastia.
e) Ensinar filosofia fora da escola.

Questão 12 – Platão nasceu em Atenas, provavelmente em 427 a.C. e morreu em 347 a.C. É
considerado um dos principais pensadores gregos, pois influenciou profundamente a filosofia
ocidental.

Sobre este filósofo pode-se afirmar:

I. Suas idéias baseiam-se na diferenciação do mundo entre as coisas sensíveis (mundo das
idéias e a inteligência) e as coisas visíveis (seres vivos e a matéria).
II. Platão não valorizava os métodos de debate e conversação como formas de alcançar o
conhecimento.
III. Fundou a Academia, uma escola de filosofia com o propósito de recuperar e desenvolver
as idéias e pensamentos socráticos.
IV. Foi um dos maiores críticos da democracia do seu tempo. Pelo menos daquela que era
praticada em Atenas e que ele conheceu de perto.
V. Como já em Sócrates, assim em Platão a filosofia tem um fim prático, moral; é a grande
ciência que resolve o problema da vida. Este fim prático realiza-se, no entanto,
materialmente, através da especulação, do conhecimento da ciência.

Estão corretas as proposições:

a) I, II e III, apenas.
b) II, IV e V, apenas.
c) II, III e IV, apenas.
d) I, III e IV, apenas.
e) I, II, III, IV e V.

Questão 13 – O Período Helenístico inicia-se com a conquista macedônica das cidades-


Estado gregas. As correntes filosóficas desse período surgem como tentativas de remediar os
sofrimentos da condição humana individual. Neste sentido avalie as sentenças abaixo:

I - Os estóicos, acreditando na idéia de um cosmo harmonioso governado por uma razão


universal, afirmaram que virtuoso e feliz é o homem que vive de acordo com a natureza e a
razão.
II - Conforme a moral estóica, nossos juízos e paixões dependem de nós, e a importância das
coisas provém da opinião que delas temos.
III - Para o epicurismo, a felicidade é o prazer, mas o verdadeiro prazer é aquele
proporcionado pela ausência de sofrimentos do corpo e de perturbações da alma.
IV - Para Epicuro, não se deve temer a morte, porque nada é para nós enquanto vivemos e,
quando ela nos sobrevém, somos nós que deixamos de ser.
V - O ceticismo de Pirro sustentou que, porque todas as opiniões são igualmente válidas e
nossas sensações não são verdadeiras nem falsas, nada se deve afirmar com certeza absoluta,
e da suspensão do juízo advém a paz e a tranqüilidade da alma.

Estão corretas:

a) I e II
b) II e III
c) I, III e IV
d) III, IV e V
e) Todas as afirmativas.

Questão 14 – O helenismo é um período da história da filosofia que se caracteriza pela:

a) Exclusividade que dá à dimensão prática da filosofia, em contraposição à dimensão


investigativa das filosofias platônica e aristotélica.
b) Importância que confere à lógica, à ética e à estética, como investigações necessárias para
se alcançar a satisfação individual ou felicidade.
c) Centralidade que atribui à ética, em meio a significativas teorizações sobre a natureza, em
um momento de crescente desagregação da pólis grega.
d) Valorização do indivíduo e sua ação, em detrimento da investigação lógica, fundamental
em uma perspectiva como a de Aristóteles.
e) Predominância de sistemas metafísicos voltados para a busca do bem comum, em oposição
às perspectivas epistemológicas de Platão e Aristóteles.
Questão 15 – Para os estóicos, as ações convenientes são:

a) Aquelas que, em tudo e por tudo, são cumpridas segundo o logos.


b) Aquelas que, embora não sendo prejudiciais, não são conformes à natureza.
c) As menos elevadas e desejáveis ações morais, próprias do homem sábio.
d) As que são feitas tendo em vista apenas a vantagem de seu autor.
e) Intermediárias entre as ações perfeitas e as viciosas, ou seja, deveres.

A Construção do conhecimento lógico matemático começou quando o homem deu conta das
relações quantitativas que podiam ser estabelecidas entre os objetos, levando em consideração
um conjunto de suas características, como “forma” e “tamanho”. Daí surgiu a Matemática,
elaborada de acordo com o modo que os homens resolviam problemas surgidos no cotidiano.
Lidar com quantidades exige do sujeito certas forma de raciocínio lógico, conectadas com o
desenvolvimento do conceito de número e das relações entre números.

Questão 16 – (Fatec 2011/2012) Aristóteles (384 – 322 a.C.) é considerado pioneiro na


investigação sistemática da lógica. Em seus estudos, estabeleceu regras para relacionar
proposições dadas (premissas) a uma conclusão. Um exemplo é o argumento válido, a seguir,
atribuído a Aristóteles:

Todos os homens são mortais.


Sócrates é homem.
Logo, Sócrates é mortal.

A validade de um argumento depende exclusivamente da relação existente entre as premissas


e a conclusão. Portanto, a validade de um argumento resulta apenas de sua estrutura lógica
(forma) e não do conteúdo do enunciado.

Considerando verdadeiras as premissas:

Todo M é P.
Algum S é M.

Pode-se concluir que:

a) Todo S é P.
b) Algum S é P.
c) Nenhum S é P.
d) Algum M é não P.
e) Todo não M é não P.

Questão 17 – O nascimento da reflexão filosófica na Grécia antiga está associado aos


pensadores que antecederam a Sócrates, os chamados pré-socráticos. As questões
fundamentais propostas por esses filósofos são de âmbito eminentemente:

a) Moral.
b) Político.
c) Físico.
d) Educacional.
e) Religioso.
Questão 18 - Os sofistas, mestres da retórica e da oratória, opunham-se aos pressupostos de
que as leis e os costumes sociais eram de caráter divino e universal.

Deu-se, assim, entre eles, o:


a) Naturalismo.
b) Relativismo.
c) Ceticismo filosófico.
d) Cientificismo.
e) Racionalismo.

Questão 19 – A filosofia de Sócrates se estrutura em torno da sua crítica aos sofistas, que,
segundo ele, não amavam a sabedoria nem respeitavam a verdade. O ataque de Sócrates à
sofística NÃO tem como pressuposto a ideia de que:

a) O conhecimento verdadeiro só pode ser resultado de um diálogo contínuo do homem com


os outros e consigo mesmo.
b) O confronto de opiniões na política democrática afasta a possibilidade de se alcançar a
sabedoria.
c) A verdade das coisas é obtida na vida cotidiana dos homens e, portanto, pode ser múltipla e
inacabada.
d) O autoconhecimento é a condição primária de todos os outros conhecimentos verdadeiros.
e) A ciência (epistéme) é acessível a todos os homens, contanto que estejam dispostos a
renunciar ao mundo das sensações.

Questão 20 - A Escola de Atenas, pintura renascentista de Rafael de Sanzio, retrata um dos


maiores conflitos filosóficos de todas as épocas. No meio da tela estão Platão, apontando para
cima, e Aristóteles, com a mão espalmada para baixo.
A obra indica o conflito entre:

a) O céu e o inferno.
b) O divino e o mundano.
c) O intangível e o tangível.
d) A virtude (no alto) e o vício (no chão).
e) O conhecimento inteligível e o sensível.

Questão 21 - Platão lançou mão tanto da ironia quanto da maiêutica socráticas,


transformando-as em um procedimento por ele denominado de dialética, o método mais
profícuo de aproximação em direção às ideias universais.

Na versão platônica, esse método consiste em:

a) Trabalhar expondo e examinado teses contrárias sobre um mesmo assunto, com o intuito de
descobrir qual dentre elas era falsa e deveria portanto ser abandonada em prol da tese
verdadeira, que deveria ser mantida.
b) Examinar detidamente as raízes socioeconômicas nas quais as ideias tiveram origem, isto é,
trata-se de descobrir as leis fundamentais que definem a forma organizativa dos homens em
sociedade para, assim, identificar as teses verdadeiras.
c) Dialogar longamente utilizando técnicas de persuasão ou convencimento - retóricas - com o
objetivo de convencer a audiência da veracidade dos argumentos.
d) Estimular o processo de proliferação de ideias férteis através do mecanismo tese (primeira
afirmação sobre o ser) - antítese (a negação da afirmação precedente) - síntese (a negação da
negação, momento no qual tese e antítese aparecem reformuladas).
e) Defender que a prática da atividade filosófica não pode prescindir da prática do diálogo e
que somente através dele seria possível entender a realidade como essencialmente
contraditória e em permanente transformação.

Questão 22 - (UEL-2003) Ainda sobre o mesmo tema, é correto afirmar que a filosofia:

a) Surgiu como um discurso teórico, sem embasamento na realidade sensível, e em


oposição aos mitos gregos.
b) Retomou os temas da mitologia grega, mas de forma racional, formulando hipóteses
lógico-argumentativas.
c) Reafirmou a aspiração ateísta dos gregos, vetando qualquer prova da existência de
alguma força divina.
d) Desprezou os conhecimentos produzidos por outros povos, graças à supremacia
cultural dos gregos.
e) Estabeleceu-se como um discurso acrítico e teve suas teses endossadas pela força da
tradição.

Questão 23 - (UEL-2004) “Mais que saber identificar a natureza das contribuições


substantivas dos primeiros filósofos é fundamental perceber a guinada de atitude que
representam. A proliferação de óticas que deixam de ser endossadas acriticamente, por
força da tradição ou da ‘imposição religiosa’, é o que mais merece ser destacado entre
as propriedades que definem a filosoficidade” (OLIVA, Alberto; GUERREIRO, Mario. Pré-
socráticos: a invenção da filosofia. Campinas: Papirus, 2000. p. 24).
Assinale a alternativa que apresenta a “guinada de atitude” que o texto afirma ter sido
promovida pelos primeiros filósofos.

a) A aceitação acrítica das explicações tradicionais relativas aos acontecimentos


naturais.
b) A discussão crítica das idéias e posições, que podem ser modificadas ou
reformuladas.
c) A busca por uma verdade única e inquestionável, que pudesse substituir a verdade
imposta pela religião.
d) A confiança na tradição e na “imposição religiosa” como fundamentos para o
conhecimento.
e) A desconfiança na capacidade da razão em virtude da “proliferação de óticas”
conflitantes entre si.

Questão 24 - (UEL – 2007) “A filosofia grega parece começar com uma idéia absurda,
com a proposição: a água é a origem e a matriz de todas as coisas. Será mesmo
necessário deter-nos nela e levá-la a sério? Sim, e por três razões: em primeiro lugar,
porque essa proposição enuncia algo sobre a origem das coisas; em segundo lugar,
porque faz sem imagem e fabulação; e enfim, em terceiro lugar, porque nela, embora
apenas em estado de crisálida, está contido o pensamento: ‘Tudo é um’. A razão citada
em primeiro lugar deixa Tales ainda em comunidade com os religiosos e supersticiosos,
a segunda o tira dessa sociedade e no-lo mostra como investigador da natureza, mas, em
virtude da terceira, Tales se torna o primeiro filósofo grego”. Fonte: NIETZSCHE, F. Crítica
Moderna. In: Os Pré-Socráticos. Tradução de Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Nova Cultural, 1999. p. 43.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre Tales e o surgimento da filosofia,


considere as afirmativas a seguir.

I. Com a proposição sobre a água, Tales reduz a multiplicidade das coisas e fenômenos
a um único princípio do qual todas as coisas e fenômenos derivam.
II. A proposição de Tales sobre a água compreende a proposição ‘Tudo é um’.
III. A segunda razão pela qual a proposição sobre a água merece ser levada a sério
mostra o aspecto filosófico do pensamento de Tales.
IV. O Pensamento de Tales gira em torno do problema fundamental da origem da
virtude.

A alternativa que contém todas as afirmativas corretas é:

a) I e II
b) II e III
c) I e IV
d) I, II e IV
e) II, III e IV

Questão 25 - O método argumentativo de Sócrates (469-399 a.C.) consistia em dois


momentos distintos: a ironia e a maiêutica. Sobre a ironia socrática, pode-se afirmar
que:

I- tornava o interlocutor um mestre na argumentação sofística.


II- levava o interlocutor à consciência de que seu saber era baseado em reflexões, cujo
conteúdo era repleto de conceitos vagos e imprecisos.
III- tinha um caráter purificador, à medida que levava o interlocutor a confessar suas
próprias contradições e ignorâncias.
IV- tinha um sentido depreciativo e sarcástico da posição do interlocutor.

Assinale:

a) Se apenas a afirmação III é correta.


b) Se as afirmações I e IV são corretas.
c) Se apenas a afirmação IV é correta.
d) Se as afirmações II e III são corretas.
e) Se todas são corretas.

Questão 26 - (UFU-2007) Platão (428 – 347 a.C.), discípulo de Sócrates e mestre de


Aristóteles, fundador da Academia, é até hoje um dos filósofos mais importantes da
história da filosofia. Círculos culturais e intelectuais no mundo inteiro dedicam-se a
estudar sua obra.

Sobre o modo como Platão expressou seu pensamento, assinale a alternativa correta.

a) Platão jamais escreveu textos filosóficos.


b) Platão escreveu textos filosóficos na forma de romances.
c) Platão escreveu textos filosóficos na forma de diálogos.
d) Platão escreveu textos filosóficos na forma de poemas.
e) Platão tinha discípulos para escrever por ele.

Questão 27 - (INSAF- 2005) Através da Filosofia, os gregos instituíram para o


Ocidente europeu as bases e os princípios fundamentais do que chamamos razão,
racionalidade, ciência, ética, política, técnica, arte (Marilena Chauí, Convite à
Filosofia). Com base nessa afirmação, podemos afirmar, exceto:

a) Através dos mitos, os gregos antigos procuravam explicar a origem do mundo e dos
fenômenos naturais. Aos poucos, estas explicações foram sendo substituídas por
categorias lógicas e racionais.
b) Os primeiros filósofos gregos procuravam respostas para as questões sobre a origem
ou o fundamento do mundo. Estes fazem parte da primeira fase da filosofia grega,
conhecida como pré-socrática ou cosmológica.
c) No final do século V a.C. teve início a segunda fase da filosofia grega, conhecida
como socrática ou antropológica. Nesse período, os filósofos passaram a se preocupar
também com os problemas relacionados ao indivíduo e à organização da humanidade.
d) Sócrates foi um dos filósofos mais procurados na Grécia Antiga, por ajudar as
pessoas a resolverem seus problemas, levando-as a encontrarem suas próprias respostas.
Por incentivar o raciocínio, foi perseguido pelas autoridades atenienses, julgado e
condenado à morte.
e) A filosofia grega tem em Heráclito de Éfeso o principal representante do que se
configurou chamar de período sistemático, situado no século IV a.C.

Questão 28 – Leia o texto a seguir:


“Você está acompanhando, Sofia? E agora vem Platão. Ele se interessava tanto pelo que
é eterno e imutável na natureza quanto pelo que é eterno e imutável na moral e na
sociedade. Sim... para Platão tratava-se, em ambos os casos, de uma mesma coisa. Ele
tentava entender uma ‘realidade’ que fosse eterna e imutável. E, para ser franco, é para
isto que os filósofos existem. Eles não estão preocupados em eleger a mulher mais
bonita do ano, ou os tomates mais baratos da feira (e exatamente por isso nem sempre
são vistos com bons olhos). Os filósofos não se interessam muito por essas coisas
efêmeras e cotidianas. Eles tentam mostrar o que é ‘eternamente verdadeiro’,
‘eternamente belo’ e ’eternamente bom’.” (GAARDER, Jostein. O Mundo de Sofia. Trad. de João
Azenha Jr. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. p. 98).

Com base no texto acima e nos seus conhecimentos sobre a teoria das idéias de Platão,
assinale a alternativa correta.

a) Platão considerava que tudo aquilo que pode ser percebido diretamente pelos sentidos
constitui a própria realidade das coisas.
b) Para Platão, o mundo das idéias é o mundo do “eternamente verdadeiro”,
“eternamente belo” e “eternamente bom” e é distinto do mundo sensível no qual
vivemos.
c) Platão considerava impossível que o homem pudesse ter idéias verdadeiras sobre
qualquer coisa, seja sobre a natureza, a moral ou a sociedade, porque tudo é sonho e
ilusão.
d) Para Platão, as idéias sobre a natureza, a moral e a sociedade podem ser explicadas a
partir das diferentes opiniões das pessoas.
e) De acordo com Platão, o filósofo deve preocupar-se com as coisas efêmeras e
cotidianas do mundo, tidas por ele como as mais importantes.

Questão 29 - Com relação à Filosofia Primeira ou Teologia, Aristóteles oferece:

a) Quatro definições, referindo-se à investigação das causas e princípios primeiros e


supremos; ao ser enquanto ser; à substância; e a Deus ou substância supra-sensível.
b) Quatro definições, referindo-se a Deus, substância supra-sensível; ao ser enquanto ser; às
causas e princípios primeiros; à crítica à teoria das Formas de Platão.
c) Três definições, referindo-se à investigação de Deus ou à substância supra-sensível; ao ser
enquanto ser; à substância, ao ato e à potência.
d) Três definições, referindo-se à investigação das causas e princípios últimos; ao ser
enquanto ser; à substância, ao ato e à potência.
e) Uma única definição, que resume todas as outras e que diz respeito ao ser enquanto ser e
seu significado único.

Questão 30 - Historicamente existem duas tendências filosóficas de análise da relação entre


os mitos e a filosofia grega. Uma, representada especialmente por John Burnet, fala do
milagre grego, enfatizando a ruptura radical da filosofia em relação à mitologia, não apenas
da cultura grega, mas da mitologia em geral. A outra tendência, representada especialmente
por Francis Cornford, fala de uma transição gradual e multifacetada do mito à filosofia.

Tendo estas duas tendências em vista, analise as afirmativas abaixo sobre a relação histórica e
filosófica entre mito e filosofia:
I. A filosofia grega, a começar pelos pré-socráticos, representa o surgimento consciente de
uma atitude teórica marcada pela racionalidade.
II. A filosofia nunca teve qualquer relação com o mito que precede e envolve seu nascimento
no mundo grego pré-socrático.
III. A filosofia não se diferencia da mitologia.
IV. Os filósofos pré-socráticos discutem questões que elaboraram tanto a partir de uma
leitura crítica das explicações mitológicas quanto de sua observação racional dos
fenômenos naturais.
V. O uso que Platão faz dos mitos mostra que há uma relação entre filosofia e mitologia no
pensamento grego ao menos até a época clássica.

Assinale a alternativa CORRETA:

a) Somente as afirmativas I e V são corretas.


b) Somente as afirmativas I, IV e V são corretas.
c) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas III e V são corretas.
e) Somente as afirmativas I, III e V são corretas.

Profº. Carlos Alberto de Lima


Cursinho Etapa - 1º Semestre de 2015