Você está na página 1de 47

MICHEL OLIVEIRA GOUVEIA

www.michelgouveia.adv.br

Michel Gouveia (não respondo no messenger)

Prof. Michel Gouveia

Professor Michel Gouveia / Previtube

michelogouveia

michel@michelgouveia.adv.br
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 COMO IDENTIFICAR POSSÍVEIS REVISÕES DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS.

 PRIMEIRO DE TUDO É PEDIR PARA O CLIENTE A CÓPIA INTEGRAL DO PROCESSO


ADMINISTRATIVO.

 PODEMOS IDENTIFICAR REVISÕES COM A CARTA DE CONCESSÃO, MAS SE


DESCOBRE SE HÁ OU NÃO REVISÕES, ANALISANDO O PROCESSO ADMINISTRATIVO.

 EXISTEM REVISÕES QUE O PRÓPRIO INSS JÁ AS RECONHECEM, TAIS COMO:


TETO, ART. 29,II, ORT/BTN, ENTRE OUTRAS.
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 FORA O PROCESSO ADMINISTRATIVO, SE FAZ NECESSÁRIO CONHECER O DIREITO


MATERIAL DOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS.

 NÃO EXISTEM MODELOS PADRÕES, COM EXCEÇÃO AS TESES REVISIONAIS, MAS


REVISÃO MESMO, IDENTIFICAMOS QUANDO CONHECEMOS O DIREITO DO
SEGURADO E UMA MINUCIOSA ANÁLISE DO PROCESSO ADMINISTRATIVO DO
BENEFÍCIO.

 TODO E QUALQUER BENEFÍCIO TÊM PROCESSO ADMINISTRATIVO. NÃO EXISTE


CONCESSÃO DE BENEFÍCIO SEM A INSTAURAÇÃO DO PROCESSO ADMINISTRATIVO.

 VAMOS AS REVISÕES RECONHECIDAS PELO INSS.


REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 PRIMEIRO PASSO:

 REQUERER A CÓPIA DO PROCESSO ADMINISTRATIVO.

 DE POSSE DA CÓPIA DO PA, ANALISE-O COM CALMA E MUITA TRANQUILIDADE, SEM


PRESSA, NESTE MOMENTO, DEVE-SE ESQUECER DO CELULAR, DESLIGUE-O!!!!

 QUANDO FOR REQUERER A CÓPIA DO PROCESSO ADMINISTRATIVO, JÁ REQUEIRAM


AS SEGUINTES TELAS DO SISTEMA PLENUS DO INSS:

 REVSIT
 CONBAS
 INFBEM
 CONREAJ
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 INICIANDO:

 ANALISANDO AS PROVÁVEIS REVISÕES RECONHECIDAS PELO INSS E IGNORADAS


PELO MESMO.

 É O MOMENTO DE CONHECER O REVSIT

 REVSIT É UMA TELA DOS SISTEMA DO INSS, ONDE CONTÉM AS SITUAÇÕES DE


REVISÕES DOS BENEFÍCIOS.

 O REVSIT SERVE DE PARÂMETRO, NÃO DEVENDO FICAR RESTRITO AS SUAS


INFORMAÇÕES.
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

REVSIT
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

REVSIT
REVISÃO DA ORTN/OTN
REVISÃO DA ORTN-OTN

 Cabível para os benefícios previdenciários de APOSENTADORIA


POR IDADE, TEMPO DE SERVIÇO, ESPECIAL E ABONO DE
PERMANÊNCIA E SERVIÇO concedidos entre JUNHO DE 1977 E
OUTUBRO DE 1988.

 POSSÍVEL ESTENDER À PENSÃO POR MORTE QUANDO


PRECEDIDA DE ALGUNS DESTES BENEFÍCIOS SUPRA CITADOS.
REVISÃO DA ORTN-OTN

 Os aposentados a partir de 17/06/1977, até a promulgação


da Constituição Federal, foram prejudicados quando da
apuração da RMI do benefício previdenciário, em face da
não aplicação dos índices da ORTN para correção das 24
(vinte quatro) contribuições mais antigas dos 36 (trinta e
seis) últimos salários-de-contribuição.
REVISÃO DA ORTN-OTN

 A melhor forma de identificar quem tem direito a esta revisão


é olhando a Tabela da Justiça Federal de Santa Catarina.

 O que deve-se levar em consideração é a data do início do


benefício – DIB.

 Confiram:
REVISÃO DA ORTN-OTN
BURACO NEGRO

Aos benefícios concedidos durante


o período de 05/10/1988 A
05/04/1991, denominado de "buraco
negro", aplica-se o disposto no art.
144, caput e parágrafo único, da Lei
nº 8.213/91.
FUNDAMENTO LEGAL

 LEI 8.213 de 25/07/91


 Art. 144. Até 1° de junho de 1992, todos os benefícios
de prestação continuada concedidos pela
Previdência Social, entre 5 de outubro de 1988 e 5 de
abril de 1991, devem ter sua renda mensal inicial
recalculada e reajustada, de acordo com as regras
estabelecidas nesta Lei.

 Parágrafo único. A renda mensal recalculada de


acordo com o disposto no caput deste artigo,
substituirá para todos os efeitos a que prevalecia até
então, não sendo devido, entretanto, o pagamento de
quaisquer diferenças decorrentes da aplicação deste
artigo referentes às competências de outubro de
1988 a maio de 1992.
REVISÃO DO IRSM

Com o surgimento do Real, a forma de de atualização


dos salários-de-contribuição era vinculada ao IRSM, o
qual fora substituído pela URV, partindo o novo
indexador em fevereiro/94 segundo interpretação do
INSS.

Logo, todos os benefícios com PBC passando por


fev/1994, tem direito a revisão do IRSM.
REVISÃO DO IRSM
 Por sua vez, a Lei n 8.880/94, em seu artigo 21 e § 1º,
dispõe:

 Art. 21. Nos benefícios concedidos com base na Lei nº 8.213,


de 1991, com data de início a partir de 01 de março de 1994,
o salário-de-benefício será calculado nos termos do artigo 29
da referida Lei, tomando-se os salários-de-contribuição
expressos em URV.

§ 1º. Para fins do disposto neste artigo, os salários-de-


contribuição referentes às competências anteriores a março
de 1994 serão corrigidos monetariamente, até o mês de
fevereiro de 1994, pelos índices previstos no artigo 31 da Lei
nº 8.213, de 1991, com as alterações da Lei nº 8.542, de 1992
e convertidos em URV, pelo valor em cruzeiros reais do
equivalente em URV no dia 28 de fevereiro de 1994.
REVISÃO DO IRSM
 No entanto, o INSS, descumprindo a regra, apenas converteu
o salário-de-contribuição de fevereiro/94, sem qualquer
atualização, ignorando a variação do IRSM do mês referido.

 O percentual do IRSM de fevereiro/94 foi de 39,67%, e a falta


de inclusão desse índice no cálculo do benefício acabou
refletindo negativamente na atualização das competências
anteriores que compõem o cálculo, e, conseqüentemente,
prejudicando os benefícios concedidos aos segurados.
REVISÃO DO TETO

EC 20/98 E 41/03
REVISÃO DO TETO

 Trata-se de revisão para manutenção do salário de


benefício calculado quando da concessão do benefício ao
segurado, devendo ser aplicado os novos limitadores do
Regime Geral.

 Desta forma, alterando o valor limite teto dos benefícios, o


novo reajuste deverá ser aplicado sobre o salário de
benefício na DIB.
REVISÃO DO TETO

 Em julho de 1988, estipulou-se que os benefícios


previdenciários do RGPS seriam limitados, de maneira
que o pagamento do benefício não pudesse ultrapassar
um valor máximo definido.

 Esse valor limite (teto) foi sendo reajustado no decorrer


dos anos, culminando com a edição da Emenda
Constitucional 20/98, publicada no Diário Oficial da União
de 16/12/1998, que elevou o teto do INSS de R$ 1.081,50
(um mil e oitenta e um reais e cinqüenta centavos) para R$
1.200,00 (um mil e duzentos reais).
REVISÃO DO TETO

 Posteriormente, da mesma forma, a EC nº 41/03 elevou o


teto do INSS para R$ 2.400,00.

 Na tentativa de evitar o pagamento de parte desse valor, o


Ministério da Previdência e Assistência Social editou, na
data imediatamente posterior as citadas Emendas
Constitucionais, normas internas estabelecendo que os
novos tetos não seriam utilizados para os benefícios em
manutenção, ou seja, que já estavam sendo pagos.

 Esta situação causou enorme gravame aos beneficiários,


representando uma afronta as disposições normativas em
vigor, haja vista que, em momento algum, autorizaram a
existência de dois limitadores para os benefícios mantidos
pelo RGPS.
REVISÃO DO TETO
 O STF, decidiu a matéria, mandando o INSS fazer a revisão do
teto para todos os segurados.

 DIREITOS CONSTITUCIONAL E PREVIDENCIÁRIO. REVISÃO DE


BENEFÍCIO. ALTERAÇÃO NO TETO DOS BENEFÍCIOS DO REGIME
GERAL DE PREVIDÊNCIA. REFLEXOS NOS BENEFÍCIOS
CONCEDIDOS ANTES DA ALTERAÇÃO. EMENDAS
CONSTITUCIONAIS N. 20/1998 E 41/2003. DIREITO
INTERTEMPORAL: ATO JURÍDICO PERFEITO. NECESSIDADE DE
INTERPRETAÇÃO DA LEI INFRACONSTITUCIONAL. AUSÊNCIA DE
OFENSA AO PRINCÍPIO DA IRRETROATIVIDADE DAS LEIS.
RECURSO EXTRAORDINÁRIO A QUE SE NEGA PROVIMENTO.
(RE 564354, CÁRMEN LÚCIA, STF)
REVISÃO DO TETO
 Quem tem direito:

 1º. Benefícios com data de início entre a Constituição Federal


(05/10/88) até 30/12/03;

 2º. Benefícios que tenha sido limitados ao teto na data da


concessão;
ART. 29, II DA LEI Nº 8.213/91
BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

24
 Essa revisão consiste em desconsiderar as 20%
menores contribuições para a concessão dos benefícios
por incapacidade.

 Para benefícios concedidos entre 29/11/99 e 19/08/2009.

 Essa revisão é feita administrativamente.


FUNDAMENTO LEGAL
 Artigo 29, II, da 8213/91.

 Art. 29. O salário-de-benefício consiste:

25
 II - para os benefícios de que tratam as alíneas a, d, e e
h do inciso I do art. 18, na média aritmética simples dos
maiores salários-de-contribuição correspondentes a
oitenta por cento de todo o período contributivo.

 O pedido é para desconsiderar as 20% piores


contribuições do PBC.
A TESE DO MELHOR BENEFÍCIO
REVISÃO DO MELHOR BENEFÍCIO
 Tema com repercussão geral reconhecida (RE 630.501), diz
respeito ao direito do aposentado ao recebimento do melhor
benefício desde a data em que preencheu os pressupostos
de concessão para a aposentação.

 O INSS, segundo a tese defendida, deve apresentar todas as


possibilidades de cálculo da RMI, mês a mês, a contar da
data do surgimento do direito adquirido, até a data do
requerimento administrativo.

 O STF decidiu que todos os seguradores tem o direito ao


melhor benefício previdenciário.
REVISÃO DO MELHOR BENEFÍCIO

 Exemplo: pessoa que adquiriu o direito à aposentadoria


proporcional em 01/1980 e pediu a integral em 01/1985.

 O INSS deve calcular a aposentadoria a partir de 01/1980,


mês a mês, reajustando o valor da RMI até a data do pedido.
O benefício concedido deve ser o financeiramente mais
vantajoso.

 Tese possível no judiciário, visto que o INSS não concede.

 É de suma importância analisar o processo administrativo


previdenciário.
ARTIGO 58 ADCT

 Por força do Art. 58 do Atos das Disposições

29
Constitucionais Transitórias, todos os benefícios
previdenciários mantidos pela Previdência Social
na data da promulgação da Constituição Federal,
deveriam ser revistos no sentido de equiparar o
valor real ao invés de se fazer paridade com o
número de salários mínimos que tinham na data da
Concessão a partir de 04/89.
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 OLHOU O REVSIT E VIU QUE SEU CLIENTE TEM REVISÃO E O INSS NÃO FEZ?

 BASTA FAZER O AGENDAMENTO DO PEDIDO DE REVISÃO E PROTOCOLAR O


REQUERIMENTO DA REVISÃO DO BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO, RECONHECIDA PELO

INSS E NÃO REALIZADA OU FAZER USO DO GUICHÊ EXCLUSIVO DO ADVOGADO.

 CONSTA NO REVSIT QUE O SEGURADO TEM DIREITO A REVISÃO E ESSA JÁ FOI


REALIZADA. CUIDADO COM ESSA INFORMAÇÃO, PARA TER CERTEZA, PEÇA PARA O
SERVIDOR IMPRIMIR A TELA DO CONREV. ESSA TELA DEMONSTRA AS
INFORMAÇÕES DO BENEFÍCIO REVISADO.
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

CONREV
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 REVIST OK E CONREV OK, O QUE PODE FAZER?

 REFAZER A REVISÃO, PARA TANTO SE FAZ NECESSÁRIO CONHECER O DIREITO DO


SEGURADO.

 NÃO TEM COMO FAZER REVISÕES, SEM CONHECER O DIREITO DO SEGURADO.

 NÃO DÁ PARA CONFIAR 100% NO REVSIT, POR ISSO QUE É IMPORTANTE


CONHECER O DIREITO MATERIAL DO SEGURADO.
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 OUTRA TELA IMPORTANTE QUE DEVE SER ANALISADA É TELA DO INFBEN.

 O INFBEN TRAZ AS INFORMAÇÕES DO SEGURADO E DO BENEFÍCIO.

 TRAZ A IDADE DO SEGURADO, NO MOMENTO DA APOSENTADORIA, INFORMA O


SEXO DO SEGURADO (IMPORTANTE OBSERVAR – O INSS ERRA), O TIPO DE
BENEFÍCIO QUE FOI CONCEDIDO E OUTRAS COISAS MAIS.

 VAMOS ANALISAR O INFBEM:


REVISÃO PREVIDENCIÁRA
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 IGUALMENTE AO INFBEN, É IMPORTANTE ANALISAR O CONBAS

 O CONBAS DEMONSTRA AS INFORAÇÕES BÁSICAS DO BENEFÍCIO, TAIS COMO:

 DATA DE SUA CONCESSÃO.


 O VALOR DA RENDA MENSAL INICIAL
 O VALOR DA RENDA ATUALMENTE PAGA
 A DATA DE INÍCIO DO PAGAMENTO DO BENEFÍCIO

 VAMOS ANALISÁ-LO:
REVISÃO PREVIDENCIÁRA
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 COM EXCEÇÃO DAS REVISÕES RECONHECIDAS ADMINISTRATIVAMENTE PELO


INSS, SÓ IDENTIFICAREMOS REVISÕES SE CONHECERMOS O DIREITO DO
SEGURADO.

 SABER O QUE ELE TEM DIREITO OU NÃO.

 ISSO É COM A PARTICIPAÇÃO EM CURSOS DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO.

 HOJE PONTUAREMOS ALGUMAS REVISÕES, COM EXCEÇÃO DAS ADMINISTRATIVAS,


RECONHECIDAS PELO INSS.
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 REVISÃO QUE POUCOS SE PREOCUPAM É COM A REVISÃO DOS ÍNDICES DE


REAJUSTAMENTO DOS BENEFÍCIOS.

 É SEMPRE RECOMENDÁVEL QUE SE BUSQUE NO INSS A TELA DO CONREAJ, ESSA


TELA INFORMAR TODOS OS ÍNDICES DE REAJUSTAMENTO DO BENEFÍCIO.

 AS VEZES O DECRETO DE REAJUSTAMENTO MANDA CORRIGIR OS BENEFÍCIOS EM


10% E O INSS REAJUSTA APENAS 9%. SÓ É POSSÍVEL IDENTIFICAR COM A TELA
DO CONREAJ E ATUALIZANDO O BENEFÍCIO DO SEGURADO!
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

1º Hipótese:

 SEGURADO INGRESSA COM AÇÃO TRABALHISTA. AÇÃO TRAMITOU POR 8 ANOS. NO


TRÂMITE DO PROCESSO TRABALHISTA, SEGURADO SE APOSENTOU, O QUE FAZER

PARA MELHORAR O BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA DELE OU MELHOR: É POSSÍVEL

FAZER ALGUMA COISA?


REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 SIM, NESTE CASO, SERÁ NECESSÁRIO APRESENTAÇÃO DA CÓPIA INTEGRAL DO


PROCESSO TRABALHISTA JUNTO AO INSS.

 DEVE SER REALIZADO O AGENDAMENTO DE REVISÃO DO BENEFÍCIO E QUANDO DO


PROTOCOLO, INFORMAR QUE SE FAZ NECESSÁRIO A INCLUSÃO DE CERTO

PERÍODO OU A RETIFICAÇÃO DOS SALÁRIOS DE CONTRIBUIÇÕES.


REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 2.º HIPÓTESE:

 SEGURANDO QUANDO REQUEREU SUA APOSENTADORIA, RECEBIA O BENEFÍCIO DE


AUXÍLIO-ACIDENTE. OCORRE QUE, QUANDO DA CONCESSÃO DA APOSENTADORIA O
BENEFÍCIO DE AUXÍLIO-ACIDENTE FORA CESSADO.

 ISSO É LEGAL? O QUE PODE SER FEITO?


REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 O BENEFÍCIO SERÁ CESSADO, NÃO É POSSÍVEL CUMULAR.

 TODAVIA, O INSS, DEVERÁ CONSIDERAR NO PERÍODO BÁSICO DE CÁLCULO, PARA


FINS DE APURAÇÃO DO SALÁRIO DE BENEFÍCIO DA APOSENTADORIA, O VALOR QUE

O SEGURADO RECEBIA DE AUXÍLIO-ACIDENTE, EXEMPLIFICANDO:

 SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO = R$ 2.000,00

 AUXÍLIO-ACIDENTE = R$ 250,00

 SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO QUE DEVERIA TER SIDO CONSIDERADO PARA


APURAÇÃO DO SALÁRIO DE BENEFÍCIO = R$ 2.250,00)
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 3.º HIPÓTESE:

 O SEGURADO LABOROU EM ATIVIDADES ESPECIAIS E O INSS NÃO CONSIDEROU


TAIS ATIVIDADES, O QUE DEVE SER FEITO?
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 ESTA HIPÓTESE EXIGE UM POUCO MAIS DE CONHECIMENTO DO DIREITO MATERIAL


DO SEGURADO.

 NESTE CASO, SE FAZ NECESSÁRIO ANALISAR DETALHADAMENTE O PROCESSO


ADMINISTRATIVO, EIS QUE SOMENTE ANALISANDO O PROCESSO, SERÁ POSSÍVEL

IDENTIFICAR ONDE FOI O ERRO DO INSS.

 SEM ANALISAR O PA, FICARÁ PRATICAMENTE IMPOSSÍVEL DE SE CHEGAR NA


CONCLUSÃO DO ERRO ADMINISTRATIVO.
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 TEMOS A TESE DA REVISÃO DA VIDA TODA.

 ESSA REVISÃO DISCUTE A POSSIBILIDADE DE INCLUIR NO PERÍODO BÁSICO DE


CÁLCULO TODAS AS CONTRIBUIÇÕES DO SEGURANDO, NÃO SE LIMITANDO AO

MARCO TEMPORAL ENTRE 07/1994 ATÉ A DER.

 A TESE É PARA QUEBRAR ESSA BARREIRA, UMA VEZ QUE SE TRATA DE REGRA DE
TRANSIÇÃO.
REVISÃO PREVIDENCIÁRIA

 POR FIM, RECOMENDA-SE QUE ANTES DE QUALQUER REQUERIMENTO E/OU


AJUIZAMENTO DE REVISÕES, O ADVOGADO ANÁLISE COM CALMA E CUIDADO O

PROCESSO ADMINISTRATIVO, EIS QUE O DIREITO VIOLADO ESTARÁ NA SUA FRENTE

E VOCÊ NÃO ENCONTRARÁ.

 ANÁLISE DE PA É MOMENTO ÚNICO, SÓ SEU... SE DESLIGUE DO MUNDO E SE


LIGUE NO PA...

 ATÉ A PRÓXIMA TURMA!!!!!!!!!!!!!!

Você também pode gostar