Você está na página 1de 65

TURBOBOMBAS

São máquinas nas quais a movimentação


do líquido é produzida por forças que se
desenvolvem na massa líquida, em
conseqüência da rotação de uma roda
(impulsor ou impelidor), que aumenta a
quantidade de movimento das partículas do
líquido.
TURBOBOMBAS

• BOMBAS DE CENTRÍFUGAS:
Neste equipamento, a energia fornecida ao líquido é
primordialmente cinética, sendo posteriormente convertida
em grande parte em energia de pressão através do difusor.

Impelidor de Fluxo Radial


TURBOBOMBAS

• BOMBAS DE FLUXO AXIAL:


Neste tipo de bomba toda energia é transmitida à massa
líquida por forças permanentemente de arrasto.
A direção de saída do líquido é paralela ao eixo da bomba.
Empregado quando se deseja elevadas vazões e cargas
(alturas) pequenas.

Impelidor de Fluxo Axial


TURBOBOMBAS

• BOMBAS DE FLUXO MISTO:


Neste tipo de bomba parte da energia é fornecida devido à
força centrífuga e parte devido à força de arrasto. A direção de
saída do líquido é inclinada em relação ao eixo da bomba.

Impelidor de Fluxo Misto


Q1. Cite as características da bomba acima representada.

Bombas Industriais – Edson Ezequiel Mattos e Reinaldo de Falco


Bomba Centrífuga
CX. SELAGEM
SELO CARCAÇA
CX. MANCAL
MECÂNICO

IMPELIDOR
7
Q2. a) Se ps=0 e pd=10bar  pcx.sel.=?
b) Se ps=10psia e pd=30psi  pcx.sel.=?
c) Se ps=Vácuo de 60% e pd=10,0psi  pcx.sel.=?
Bombas instaladas ao nível do mar.
7
Q2. d) Se ps=5psia e pd=10psi  pcx.sel.=?
e) Se ps=Vácuo de 40% e pd=10,0psi  pcx.sel.=?
Bombas instaladas ao nível do mar.
Q3. Dê nome aos componentes
numerados.
Tipos de
Impelidores
Presença
do Disco

Entrada
do fluido

Saída
do fluido
Tipos de Impelidores
• Impulsor ou Impelidor: consta essencialmente de palhetas
ou pás que têm a função de transformar energia mecânica
em energia de velocidade e alguma energia de pressão.

Mecânica da
bombas
Epaminondas Pio
Correia Lima
Mecânica da
bombas
Epaminondas Pio
Correia Lima
Mecânica da
bombas
Epaminondas Pio
Correia Lima
Mecânica da
bombas
Epaminondas Pio
Correia Lima
Mecânica da bombas
Epaminondas Pio Correia Lima
Q4. Como se classificam
os rotores da bomba
centrífuga quanto:
a- a presença do disco?
b- ao número de entradas
do fluido?
c- a direção de saída do
fluido?
d- a curvatura das
Mecânica da bombas
palhetas?
Epaminondas Pio Correia Lima
Mecânica da
bombas
Epaminondas Pio
Correia Lima
Q5. a- O que são difusores? b- Onde estão presentes
na BC de simples estágio e na de multi-estágio?

Mecânica da bombas
Epaminondas Pio Correia Lima
TURBO BOMBAS
• BOMBAS PERIFÉRICAS OU
REGENERATIVAS:
São aquelas em que o fluido é
arrastado através de um
impelidor com palhetas em sua
periferia. Empregado quando
se deseja uma carga elevada
com vazões baixas.

Bomba Periférica
Fonte: Catálogo da MEPCO
Macintyre - Bombas e Instalações de Bombeamento
Mecânica da
bombas
Epaminondas Pio
Correia Lima
COMPARAÇÃO
VOLUMÉTRICAS x DINÂMICAS
• Volumétricas:

- Relação constante entre a vazão de descarga e a


velocidade da bomba;

- A vazão bombeada praticamente independe da altura


e/ou pressão a serem vencidas;

- O órgão mecânico transmite energia ao líquido sob forma


exclusivamente de pressão;

- Podem iniciar seu funcionamento com a presença de ar


em seu interior.
COMPARAÇÃO VOLUMÉTRICAS x DINÂMICAS
• Dinâmicas:

- A vazão bombeada depende das características de


projeto da bomba, da rotação e das características do
sistema em que ela está operando;

- A energia é transmitida ao fluído pelo órgão mecânico


(impelidor), sob a forma cinética, que posteriormente é
convertida em energia de pressão;

- O início de funcionamento deve ser com a bomba cheia


de fluido (escorvada).
COMPARAÇÃO VOLUMÉTRICAS x DINÂMICAS

Sempre tenta-se a aplicação de uma bomba dinâmica, ao


invés de qualquer outra, pois apresenta:
• Menor custo de aquisição e manutenção;
• Maior confiabilidade e continuidade operacional.

Basicamente, somente duas características impedem o uso de


bombas dinâmicas:
• Vazões pequenas e pressões muito altas (aplicam-se
bombas alternativas);
• Líquidos muito viscosos (aplicam-se bombas rotativas).

Q6. a) Compare as bombas dinâmicas com as volumétricas; b) quais


os motivos da preferência pelas bombas dinâmicas? c) Que motivos
obrigam a escolha de outros tipos de bombas?
H - ........................................................................................................................
V - ....................................................................................................................
M - ...................................................................................................................
S - .....................................................................................................................

Q7. Descreva sobre as bombas acima apresentadas.

Mecânica da bombas
Epaminondas Pio Correia Lima
TURBO BOMBAS
Bombas Centrífugas Simples Estágio
9
5 6 7

Q8. Dê nome aos componentes numerados


8
Bomba Centrífuga de Simples Estágio – Fonte: Catálogo Flowserve
Bombas Centrífugas, Simples Estágio, Rotor em balanço
3 4 5a 5b 6 7 9
8
2

1
12

11 16
13

10

15 14

Q9. a- Quais as peças de sacrifício existentes nesta bomba? b- Onde estão


posicionadas? c- Dê nome aos itens numerados.
Adequado para bombear produtos com as seguintes características:
1. Alto conteúdo de sólido; 2.Baixa ou alta viscosidade; 3. Tixotrópicos e
dilatantes; 4. Sensíveis ao cisalhamento; 5. Lubrificantes ou não lubrificantes;
6. Quimicamente agressivo (pH14); 7. Abrasivos; 8. Adesivos.

Significado de Tixotropia

s.f. Fenômeno pelo qual certas


substâncias passam do estado de gel
para o estado líquido, após ligeira
agitação.

dicionário online de português


TURBOBOMBAS
Bombas Centrífugas de Simples Estágio, rotor de dupla sucção, entre mancais.

5 3 2
4 1
6 10

9
Q10. a- Cite as
principais
características
da bomba; b- Dê
nome aos
componentes
7 numerados.
8
Bombas Industriais – Edson Ezequiel Mattos e Reinaldo de Falco, fig. 12.21
TURBO BOMBAS
Bombas Centrífugas Simples Estágio com rotor de
dupla sucção, entre mancais.

Bomba Centrífuga Simples Estágio – Fonte: Catálogo KSB


TURBOBOMBAS Bombas Centrífugas Múltiplos Estágios

1
2
11
9
8 3 4 10
5

6
7

Q11. a- Descreva sobre as características da bomba; b) Dê nome aos itens


numerados; c- Descreva o diafragma quanto a forma física,
posicionamento, objetivo e selagem.
Bombas Industrias
Q12. Observando a
figura ao lado respon
da: a- Qual o lado da
admissão? b- Quan
tos impelidores e
quantos estágios tem
este compressor? c-
Os impelidores estão
balanceados axial-
mente?Justifique d- O
conjunto rotativo está
balanceado axialmen-
te? Como?
?

Bomba Centrífuga de Simples Estágio


Bomba Centrífuga Múltiplos Estágios
Bomba Centrífuga Múltiplos Estágios

Fonte, Catálogo Flowserve


Turbobombas Verticais

3
1
2 4

4 Q13. Dê nome aos componentes numerados.


TURBOBOMBAS VERTICAIS

Q14. Em que diferem as bombas acima apresentadas?


Parte externa de uma bomba vertical.
Turbobombas Verticais
9

3
4

2 10
1
Q15. a- Cite as principais
características da bomba
ao lado. b- Dê nome aos
6 7 componentes numerados
8 de 1 a 10.
•Aplicativos: Nuclear Service, Crude, Product and
CO2 Pipeline, Cooling Water (power), Extração de
condensação
•Indústrias: Oil and Gas, Power Generation

Operating Parameters
•Flows to 4600 m3/h (20 200 gpm)
•Heads to 500 m (1640 ft)
•Pressures to 50 bar (725 psi)
•Temperatures from -45°C (-50°F) to 95°C (200°F)
•Speeds to 1800 rpm

http://www.flowserve.com/pt_BR/Products/Pumps/Industries/Power-
Generation/Condensate-Extraction/APKD-Vertical-Double-Case%2C-Double-
Suction-Pump%2Cen_US
•Parâmetros de
operação
• Fluxos até
3.000 m3/h
(13.200
gpm)
• Pressões até
240 bar
(3500 psi)
• Temperatura
s até 450°C
(850°F)
• Viscosidades
de até 200
milhões de
ssu (40
milhões cps)
•Aplicativos: Lodos, Combustível, Graxas e gorduras, Polímeros de alta viscosidade,
Transferência e alimentação de óleo lubrificante, Xaropes, Circulação do reator,
Celulose e papel, Transferência de óleo bruto, Carga e descarga
•Indústrias: Oleoduto bruto, Manuseio e tratamento bruto, Craqueamento catalítico,
Óleo pesado e atualização http://www.flowserve.com/pt_BR/Products/Pumps/Positive-
Displacement/Multiphase/SierBath-Two-Screw%2C-TimedGear-
•Normas: Miscelânea: Rotary-Pump%2Cpt_BR
TURBOBOMBAS
Bombas Centrífugas Múltiplos Estágios

Bomba Centrífuga Múltiplos Estágios – Fabricante Sulzer


Carcaça Hidráulica
Promove o balanceamento
radial e transforma energia
cinética em pressão, através
dos difusores, devendo
operar completamente cheia
de líquido.
Mecânica da bombas
Epaminondas Pio Correia Lima
Bombas Industriais – Edson Ezequiel Mattos e Reinaldo de Falco
COMPONENTES DE BOMBAS CENTRÍFUGAS

Difusor de Bombas de Múltlipos Estágios

Fabricante Sulzer
Q16. Relacione os
procedimentos de
balanço radial hidráulico
do rotor da bomba
centrífuga de simples
estágio do melhor para o
pior.

Mecânica da bombas
Epaminondas Pio Correia Lima
Partição

Que bomba é esta?

Mecânica da bombas
Epaminondas Pio Correia Lima
Mecânica da bombas
Epaminondas Pio Correia Lima
Mecânica da bombas
Epaminondas Pio Correia Lima
Mecânica da bombas
Epaminondas Pio Correia Lima
COMPONENTES DE BOMBAS CENTRÍFUGAS

• Eixo: transmite o torque do acionador ao impelidor.

Eixos de Rotores
COMPONENTES DE BOMBAS CENTRÍFUGAS

• Luva Protetora do Eixo: protege o eixo contra corrosão,


erosão e desgaste, causado pelo líquido bombeado;
protege o eixo na região de engaxetamento.

Luva Protetora do Eixo


LUVA PROTETORA DO EIXO
A luva protetora do eixo tem a função de proteger o eixo contra
corrosão, erosão, e desgaste do líquido bombeado. Além disso, deve
proteger o eixo na região da caixa de selagem contra desgastes que
podem ser causado devido a excessivo aperto do preme gaxetas ou
problemas com o selo mecânico.
Há também luvas de eixo com outra finalidade. São as luvas
espaçadoras. São usadas entre os rotores nas bombas centrífugas de
multi-estágios.

LUVA

62
Bombas Industriais – Edson Ezequiel Mattos e Reinaldo de Falco
ANÉIS DE DESGASTES
Para o bom funcionamento da bomba, deve haver uma folga mínima e uniforme entre o rotor e a carcaça
a fim de limitar o fluxo de líquido da descarga para a sucção, tendo em vista que a pressão de descarga é
maior que a pressão de sucção.
O aumento desta folga vai implicar em maior passagem de líquido da descarga para a sucção, e reduzir a
eficiência da bomba.
Quando a folga entre o rotor e a carcaça ultrapassar certos limites, deve-se fazer a correção com a
substituição dos anéis de desgastes.

64
Fig 12.32 e .33 Anéis de Desgaste do Impelidor e da Carcaça

Q17. Quais as funções dos anéis de desgaste? Como e onde estão instalados?

Bombas Industriais – Edson Ezequiel Mattos e Reinaldo de Falco