Você está na página 1de 15

PÓS-GRADUAÇÃO EM MBA EM COACHING E GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

VERÔNICA DUARTE DOS SANTOS

AS CONTRIBUIÇÕES DOS FUNDAMENTOS DO COACHING PARA


A EDUCAÇÃO CORPORATIVA

Feira de Santana-BA
2018
1

VERÔNICA DUARTE DOS SANTOS

AS CONTRIBUIÇÕES DOS FUNDAMENTOS DO COACHING PARA A


EDUCAÇÃO CORPORATIVA

Trabalho de Conclusão de Curso, sob a forma de


Artigo Científico, apresentado a Universidade
Candido Mendes (UCAM), como requisito obrigatório
para a conclusão do curso de Pós-graduação Lato
Sensu em MBA em Coaching e Gestão por
Competências.

Orientador (a):

Feira de Santana-BA
2018
2

AS CONTRIBUIÇÕES DOS FUNDAMENTOS DO COACHING PARA A


EDUCAÇÃO CORPORATIVA

1
Verônica Duarte dos Santos

RESUMO

A abordagem do Coaching tem se tornado relevante no cenário empresarial por impulsionar


processos que promovem o aprimoramento de habilidades e o desenvolvimento pessoal/profissional
de uma pessoa. Ao reconhecer a sua validade, questiona-se como os fundamentos do Coaching
podem agregar recursos capazes de aperfeiçoar a educação corporativa e viabilizar o bom
desenvolvimento de uma empresa e de seus colaboradores. O objetivo geral configura da análise de
como os Fundamentos do Coaching podem contribuir para o desenvolvimento da Educação
Corporativa; os específicos configuram de uma apresentação do conceito e os fundamentos do
Coaching, relacionando sua aplicabilidade a educação corporativa, mostrando como esta (a
educação corporativa) pode contribuir para o desenvolvimento do quadro funcional possibilitando que
a empresa e o colaborador obtenham vantagens no mercado; e verificar como os programas
educacionais são desenvolvidos a partir de necessidades específicas da organização e com
flexibilidade na forma e conteúdo, ajustando-se às estratégias organizacionais e ao desenvolvimento
de competências. Na condução deste estudo foi empregada a pesquisa bibliográfica com uma
abordagem qualitativa, tomando como instrumento de coleta de dados, o levantamento bibliográfico
onde se destacam as contribuições de Tellez (2017), Moscardino e Klein (2015) e Knowles et. al.
(2011). Espera-se que este estudo possa contribuir para a condução de mecanismos que favoreçam
o reconhecimento do Coaching como ferramenta de aprimoramento do capital humano e otimização
dos resultados de uma organização.

Palavras-chave: Coaching. Educação Corporativa. Aprimoramento.

INTRODUÇÃO

Considerando que as pessoas constituem um capital essencial para o


funcionamento de uma empresa, trazer elementos do Coaching para promover a
educação corporativa de forma que a pessoa (enquanto colaborador) e a empresa
sejam beneficiadas, justifica a relevância de uma pesquisa neste âmbito.
Partindo do princípio de que o ato de educar objetiva alcançar a
aprendizagem como resultado individual, o resultado deste processo é interessante
para o desempenho de uma organização, visto que o aprendizado e os
conhecimentos adquiridos pelo colaborador irão agregar elementos positivos ao
patrimônio da organização. Assim pretende-se verificar como o Coaching, através de
seus fundamentos pode nortear o ensino dentro de ambiente corporativo.

1
Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Estadual do Piauí – UESPI.
3

A abordagem do Coaching tem se tornado relevante no cenário empresarial


por impulsionar processos que promovem o aprimoramento de habilidades e o
desenvolvimento pessoal/profissional de uma pessoa. Ao reconhecer a sua validade,
questiona-se como os fundamentos do Coaching podem agregar recursos capazes
de aperfeiçoar a educação corporativa e viabilizar o bom desenvolvimento de uma
empresa e de seus colaboradores?
Tem-se como objetivo geral a análise de como os Fundamentos do
Coaching podem contribuir para o desenvolvimento da Educação Corporativa; os
específicos configuram de uma apresentação do conceito e os fundamentos do
Coaching, relacionando sua aplicabilidade a educação corporativa, mostrando como
esta (a educação corporativa) pode contribuir para o desenvolvimento do quadro
funcional possibilitando que a empresa e o colaborador obtenham vantagens no
mercado. Objetiva-se também verificar como os programas educacionais são
desenvolvidos a partir de necessidades específicas da organização e com
flexibilidade na forma e conteúdo, ajustando-se às estratégias organizacionais e ao
desenvolvimento de competências.
Os tópicos abordados estão assim dispostos: o primeiro trata do coaching e
educação corporativa, trazendo o conceito e fundamentos do coaching e as
definições de educação corporativa; o segundo discorre a educação corporativa nas
empresas, no terceiro são apresentados os fundamentos do coaching na promoção
da educação corporativa, seguido da metodologia e das considerações finais.
Espera-se que este estudo possa contribuir para a condução de
mecanismos que favoreçam o reconhecimento do Coaching como ferramenta de
aprimoramento do capital humano e otimização dos resultados de uma organização.

COACHING E EDUCAÇÃO CORPORATIVA

A proposta de aliar o Coaching com a Educação Corporativa mostra-se


viável (e necessária) ao se guiar pela percepção da configuração que o mercado
está assumindo diante do comportamento das pessoas e dos avanços tecnológicos.
A tendência de que as empresas tenham seus colaboradores não como meros
executores de serviços, mas como integrante com que se pode compartilhar as
responsabilidades, os desafios e os resultados. Cada vez mais a formação do
4

profissional exige que haja elementos além da instrumentalização para o trabalho, e


requer que o know how2 seja administrado para desenvolver as habilidades do
profissional em beneficio próprio e da empresa.

Nas palavras de Marques (2016) no âmbito organizacional o capital


intelectual, que compreende o conhecimento coletivo e as habilidades criativas e
inventivas possibilita que as empresas desenvolvam novas de atuar; e isso contribui
para que as organizações soluções assertivas aos seus clientes e a se adaptarem
ao contexto do mercado. Assim a qualificação profissional do colaborador quando
direcionada ao desenvolvimento em alta performance favorece o alcance das metas
estabelecidas pela empresa e pelo profissional. Entende-se que a inserção dessa
cultura de aperfeiçoamento reflete numa inovação constante e contínua, o que
favorece o crescimento e a plena manutenção das atividades, por acompanhar as
tendências de mercado.

Nesse sentido o coaching se insere neste contexto como um mecanismo de


aperfeiçoamento que visa o alcance de excelência na execução/prestação de
serviços e na performance profissional do colaborador.

CONCEITO E FUNDAMENTOS DO COACHING

O termo Coaching era usado desde a idade média para designar o condutor
de carruagens (cocheiro: aquele que conduz o coche), sendo este responsável por
conduzir os passageiros até o destino desejado. Assim o termo hoje empregado
assume essa alusão ao processo de condução e se define como um processo que
visa aumentar o desempenho de um indivíduo, grupo ou empresa, ampliando os
resultados positivos, por meio de metodologias, ferramentas e técnicas conduzidas

2
Know-how é um termo em inglês que significa “saber como” ou “saber fazer”. Refere-se ao conjunto
de conhecimentos técnicos e práticos (fórmulas, tecnologias, técnicas, procedimentos, etc.) a respeito
de uma determinada atividade. Esse é um termo muito utilizado no universo corporativo, podendo ser
aplicado ao profissional ou à empresa. Disponível em: http://www.ibccoaching.com.br/portal/vida-
profissional/o-que-e-know-how/. Acesso: 16/03/2018.
5

por um profissional (coach) em uma parceria sinérgica e dinâmica com o cliente (o


coachee)3.
Nessa perspectiva o Coaching trata da condução num percursos entre um
ponto de partida (que seria o estado em que a pessoa se encontra) e o ponto de
chegada (correspondentes ao estado pré-definido como meta) propondo uma
ampliação de percepção do mundo.
Sua metodologia busca proporcionar uma expansão significativa do
desempenho profissional e da produtividade pessoal, articulando alguns elementos
(conforme figura 01) imprescindíveis ao êxito do processo.

Figura 01: Elementos do processo de Coaching

Fonte: Elaborado pelo autor

Essa figura mostra o Coaching com um processo contínuo que requer o


pleno alinhamento de seus elementos para obtenção de resultados. Cada elemento
mobiliza habilidades que agregam expertise a quem se propõe ingressar nesse
processo. As competências são aprimoradas a medida que o foco é definido num
percurso de investigação, reflexão e conscientização, onde se identifica pontos que
carecem de melhoria e os potenciais que devem ser explorados. A ação dentro
coaching impulsiona a sensibilização para a inserção de valor a cada ação
executada, nisso a aprendizagem configura peça fundamental para o crescimento, a
evolução contínua e a aquisição de resultados consistentes.

3
MARQUES, José Roberto. O que é Coaching e como funciona?. JRM Coaching. 2016. Disponível
em: http://www.jrmcoaching.com.br/blog/o-que-e-coaching-e-como-funciona/. Acesso em 19/04/2018.
6

Atualmente o coaching tem sido aplicado em diversos segmentos, sendo


que os tipos existentes apenas diferem quanto ao objetivo do coachee, mas em
essência eles seguem os mesmos princípios. Tellez (2017, p. 22) aponta os
principais tipos de coaching na área executivo – organizacional:

 Coaching Empresarial: As iniciativas de coaching em grande escala estão


ligadas, geralmente, a objetivos organizacionais específicos, enquanto são
executados nas diferentes divisões dentro da organização. São
acompanhadas por um ou mais responsáveis pelas decisões estratégicas,
que ajustam o foco e os objetivos do coaching e monitoram a evolução do
processo.
 Coaching Executivo: Dá suporte a executivos de elevado potencial, de
rápido crescimento ou recém promovidos; a indivíduos chave ou que estão
sendo considerados no planejamento de sucessão dentro da organização,
com o objetivo de desenvolver as competências de liderança, potencializar
suas habilidades e melhorar tanto seu desempenho quanto o uso das suas
forças pessoais.
 Coaching de desenvolvimento pessoal: Direcionado para as competências
em outras áreas além da profissional. Neste sentido, o processo pode atingir
temas como: ser mais decisivo, melhorar a administração do tempo, valorizar
diversidade, desenvolver potenciais, resolver conflitos, aumentar
autoconfiança, comunicar-se com mais eficiência, entre outros.
 Coaching de Suporte a Treinamentos e Consultorias: Dá o suporte
necessário para aplicar na empresa as habilidades e as ferramentas
adquiridas nos programas de treinamento ou consultorias. Fornece a
oportunidade para discussões focalizadas one-to-one, sobre como aplicar os
novos conceitos e sobre como internalizar estes conhecimentos,
maximizando os benefícios desses programas, tanto para o indivíduo, quanto
para a organização.
 Coaching Ativo: Ocorre quando o cliente está em ação, no seu dia-a-dia ou
em reuniões de trabalho, com a presença do coach. O objetivo é que este
profissional observe possibilidades de melhora da atuação do cliente e, em
outro momento apropriado e a sós, dê o feedback para ele.
7

 Coaching de Intermediação: É semelhante ao coaching ativo, porém, aqui o


coach também atua, quando necessário, como facilitador da comunicação
entre as partes, favorecendo melhores acordos e minimizando distorções e
perda de foco dos objetivos pretendidos. Em reuniões onde se supõe que
possa haver conflito ou onde este já existe, esta intermediação é altamente
produtiva.

Para que o processo de coaching atenda a perspectiva de aprimoramento de


performance e obtenção de resultados, este se fundamenta dentro de seis
parâmetros gerais (os 6 W’s)4 oriundos de indagações cujas respostas serão
empregadas na condução do coaching, a saber:
1° W: Where is the person now? Onde está o coachee no momento? (Exemplo:
cargo, conquistas e desafios a nível pessoal e profissional?)
2° W: Where does the person want to be? Aonde o coachee quer chegar?
(Exemplo: metas pessoais e profissionais, ambições, planos?)
3° W: What are the obstacles to this? Quais são os obstáculos para isso?
(Exemplo: fatores pessoais e profissionais, crenças ou medos que possam estar
atrapalhando?)
4° W: What are the person’s strengths? Quais são os pontos fortes da pessoa?
(Exemplo: que virtudes pessoais e profissionais podem ser aproveitadas para ganho
e desenvolvimento?)
5° W: What are the best strategies to get there? Quais são as melhores
estratégias para chegar lá? Como podemos utilizar um desses pontos fortes para
superar um desses obstáculos? (Exemplo: mudança de comportamento, mudança
de crenças, desenvolvimento de habilidades e competências?)
6° W: What are the measures of success? Como vamos medir o sucesso?
(Exemplo: alterações específicas de comportamento, os objetivos específicos foram
alcançados dentro de um período de tempo indicado?)

Com base nas informações obtidas nestas questões o coach define quais
técnicas utilizará para executar o coaching

4
ACADEMIA BRASILEIRA DE COACHING. Técnicas de Coaching. 2015. Disponível em:
http://abracoaching.com.br/wp-content/uploads/2015/06/ApostilaCoaching-ok.pdf. Acesso:
16/03/2018.
8

DEFINIÇÕES DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA

O conceito de educação corporativa parte do entendimento que o


aprendizado se efetiva por meio da experiência, de acordo com o Ministério do
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (2011):

Educação Corporativa pode ser definida como uma prática


coordenada de gestão de pessoas e de gestão do conhecimento
tendo como orientação a estratégia de longo prazo de uma
organização. Educação corporativa é mais do que treinamento
empresarial ou qualificação de mão-de-obra. Trata-se de articular
coerentemente as competências individuais e organizacionais no
contexto mais amplo da empresa. Nesse sentido, práticas de
educação corporativa estão intrinsecamente relacionadas ao
processo de inovação nas empresas e ao aumento da
competitividade de seus produtos (bens ou serviços).

Nas palavras de Marques (2013) a educação corporativa objetiva


institucionalizar uma cultura de aprendizagem contínua, ocasionando a aquisição de
novas habilidades e conhecimentos vinculados às estratégias corporativas e assim
torná-las competitivas.5 O referido autor complementa:

A Educação Corporativa deve estar associada a um plano de


carreira, pois o profissional envolvido no processo educativo buscará
melhores colocações. Ela tem um papel muito forte no
desenvolvimento e disseminação da cultura de cada organização,
com foco em resultados corporativos, quando presente em todas as
áreas e alcançando todos os profissionais envolvidos em cada
processo. (MARQUES, 2013)

Diante disso entende-se que esta possibilita a maximização de


competências individuais, e isso lhe confere uma dimensão mais ampla dentro de
uma empresa. Assim ela não configura um mero treinamento de mão de obra, pois
se trata de um processo educativo onde os colaboradores são guiados a se
posicionar estrategicamente de maneira que empresa e colaborador alcancem bons
resultados.

5
MARQUES, José Roberto. Educação Corporativa: qualificando sua equipe!. Instituto Brasileiro de
Coaching. 2013. Disponível em: https://www.ibccoaching.com.br/portal/rh-gestao-pessoas/educacao-
corporativa-qualificando-equipe/. Acesso: 16/03/2018.
9

EDUCAÇÃO CORPORATIVA NAS EMPRESAS

A inserção da educação corporativa nas empresas faz com que o


colaborador se veja como coautor das ações da empresa, e ao reforçar este vínculo
se impulsiona o processo produtivo contribuindo para o desenvolvimento do quadro
funcional possibilitando que a empresa e o colaborador obtenham vantagens no
mercado.
Com frequência, ignora-se o fato de que a maior parte da
aprendizagem que ocorre no ingresso organizacional requer
habilidades de aprendizagem que são fundamentalmente diferentes
daquelas cultivadas na faculdade. Primeiramente, muitas coisas
somente podem ser aprendidas por meio da interação com outras
pessoas, por isso as habilidades de aprendizagem social são
extremamente importantes. Segundo, o processo de aprendizagem é
geralmente experiencial, porque ocorre na prática, em projetos do
trabalho. Terceiro, a aprendizagem autodirigida torna-se comum
porque os recém-chegados têm de tomar a iniciativa para aprender
além do conhecimento de tarefas para realizar seu trabalho. Quarto,
a aprendizagem é desestruturada, pois não há sinais definidos de
começo e fim. (KNOWLES et. al. 2011, p. 306)

Os programas educacionais possibilitam que sejam atendidas necessidades


específicas da organização e desenvolver competências de colaboradores, em se
tratando de educação corporativa Perin (2006) afirma que esta promove a inovação
baseada em novos paradigmas e impulsiona a organização para além da hábil
resposta às mudanças do ambiente, refletindo o valor que a organização dá para o
desafio das asserções que modelam o seu relacionamento com o ambiente.
Moscardino e Klein (2015, p. 91) defendem que Educação Corporativa
precisa privilegiar programas que proporcionem o aprendizado por meio da ação,
fazendo com que o indivíduo aprenda e dê continuidade ao seu processo de
desenvolvimento quando aplicar na prática o que aprendeu. Prima-se pelo
desenvolvimento de competências capaz de oferecer ao colaborador ferramentas
que aperfeiçoem o seu trabalho e ampliem sua visão de negócio.
Nos últimos anos muitas empresas tem encontrado se diferencial
competitivo no aprimoramento da capacitação, conhecimento e comprometimento de
sua equipe. Essa forma mais abrangente de olhar a estrutura da organização,
considerando a possibilidade de mudar a dinâmica e o foco dos treinamentos,
comprovadamente agregam valor aos resultados. Para Martins e Fuerth (2008) [a
10

educação corporativa] trata-se, portanto, de um processo de educação continuada,


que visa ensinar às pessoas o processo de aprender a aprender.

FUNDAMENTOS DO COACHING NA PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO


CORPORATIVA

A aprendizagem no mundo corporativo acontece numa dinâmica permeada


de especificidades, pois trata-se de pessoas adultas com uma bagagem cognitiva
consistente. O coaching se insere nesse cenário como um facilitador dessas novas
aquisições, pois as técnicas que desenvolve permite uma internalização mais
significativa das informações.

O processo de coaching permite aos profissionais comunicar-se


melhor, persuadir e negociar com mais eficiência, e ser mais
assertivos. Ao mesmo tempo, promove a capacidade de trabalhar
eficientemente em equipes, e o aumento da capacidade de liderança,
da motivação e da satisfação no trabalho (TELLEZ, 2017. p. 24)

Aliando o coaching a educação corporativa pode-se obter um modelo de


ensino-aprendizagem que se adequa ao perfil de cada colaborador, e no decorrer do
processo se evidenciam as potencialidades, permitindo que estes alinhem o seu
propósito com o da empresa. Nessa trajetória o reforço e a motivação são
constantes para que o foco não fique disperso, a cada meta alcançada a ênfase é
dada a satisfação e caso haja algum ponto negativo, é tratado como reforço a
aprendizagem e não como fracasso.
Entende-se aqui o aprendizado como algo que abrange tanto o
desenvolvimento intelectual como o emocional, com isso o processo sempre inicia
com a definição clara e objetiva do que se deseja alcançar. As experiências de
aprendizagem envolvem situações reais, de modo a efetivar a aquisição de
conhecimento. Leva-se em consideração as peculiaridade de cada pessoa para
nivelar a dinâmica do processo. Teodoro e Cruz (2016) defendem que o coaching
evidencia a importância do colaborador para a empresa, e que tê-lo como elemento
substituível pode não ser vantajoso, pois implica riscos quanto ao desempenho do
colaborador.
11

Dentre os benefícios do coaching destaca-se aqui o aumento do


desempenho conforme a melhoria da performance pessoal que por sua vez, se
converte em melhoria do desempenho dentro da empresa.
De acordo com Tarapanoff (2004, p. 14) em organizações bem sucedidas no
processo de aprendizagem, a aprendizagem individual é contínua, o conhecimento é
compartilhado e a cultura organizacional apoia a aprendizagem.
No cenário atual onde as tecnologias imperam, a educação e a qualificação
da força de trabalho são diferencias que garantem vantagem competitiva. Evidencia-
se a necessidade de:

Evitar que o profissional se desatualize técnica, cultural e


profissionalmente, e perca sua capacidade de exercer a profissão
com competência e eficiência, causando desprestígio à profissão,
além do sentimento de incapacidade profissional. Educação
corporativa é, portanto, o conjunto de práticas educacionais
planejadas para promover oportunidades de desenvolvimento do
funcionário, com a finalidade de ajudá-lo a atuar mais efetiva e
eficazmente na sua vida institucional. (MUNDIM, 2002, p. 63)

Além de habilidades pertinentes a função que exerce, o indivíduo deve


adquirir um amplo conjunto de habilidades que permitam a adaptação/adequação as
novas demandas do mercado.

METODOLOGIA

Na condução deste estudo foi empregada a pesquisa bibliográfica, com o


intuído de levantar informações que possam proporcionar uma melhor compreensão
da problemática abordada, tomando como base o referencial teórico existente. A
pesquisa teve uma abordagem qualitativa, dada a viabilidade de verificar a interação
entre os elementos pertinentes ao estudo.
Quanto aos instrumentos que foram utilizados para a coleta de dados, o
levantamento bibliográfico se adequa por este possibilitar o acesso a estudos já
desenvolvidos nesta área de uma forma mais ampla. Com as leituras foi possível
delinear um breve histórico sobre o Coaching e a Educação Corporativa, verificando
se no referencial de pesquisa há respostas aos problemas formulados.
12

Por meio da revisão crítica, foram analisadas as propostas de inserção do


Coaching no âmbito corporativo, através da construção educativa dos
colaboradores.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A proposta deste estudo foi alcançada, considerando que no referencial


consultado constatou-se que essa integração (coaching e educação corporativa)
oferece vantagens as empresas e aos colaboradores, constituindo uma
oportunidade de investir em capital humano, possibilitando a empresa o aumento de
sua capacidade competitiva. A educação corporativa e o coaching tem tido uma
evolução considerável dentro do mundo corporativo, sendo que muitos estudos
estão sendo feitos no entorno delas com a finalidade contribuir para o crescimento
das empresas, inovando maneira como colaborador e empresa se relacionam.
O material pesquisado mostrou que os moldes em que a educação
corporativa é conduzida tem tomado novas configurações, não se limitando a
treinamento para executar ações. As teorias apresentadas confirmam o quão é
vantajoso promover a uma continuidade no aprendizado do colaborador e mantê-lo
como um aliado nas ações da empresa e que isso proporciona amplos benefícios
para ambos.
Revelou-se também que o coaching estimula o envolvimento do colaborador
com a empresa, fazendo com este trabalhe não apenas pelo retorno financeiro, mas
se situe como participante ativo da organização.
O presente estudo permitiu compreender os conceitos da temática abordada
e confirmou as hipóteses de que o coaching (e seus fundamentos) oferece recursos
valiosos para o desenvolvimento de uma educação corporativa capaz de habilitar
profissionais para alto desempenho e amplo comprometimento com os resultados
que se propõe alcançar.

REFERÊNCIAS

ARAÚJO, A. Coach: um parceiro para seu sucesso. São Paulo: Gente; 2009.
13

EASTERBY-SMITH, Mark; BURGOYNE, John; ARAUJO, Luis. Aprendizagem


organizacional e organização da aprendizagem: desenvolvimento na teoria e
na prática. Tradução: Sylvia Maria Azevedo Roesch. São Paulo: Atlas, 2001.

EBOLI, Marisa. Educação Corporativa no Brasil: mitos e verdades. São Paulo:


Gente, 2004.

KNOWLES, Malcolm S.; HOLTON III, Elwood F.; SWANSON, Richard A.


Aprendizagem de resultados: uma abordagem prática para aumentar a
efetividade da educação corporativa. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

MARQUES, José Roberto. O que é khow how. Instituto Brasileiro de Coaching.


2016. Disponível em: http://www.ibccoaching.com.br/portal/vida-profissional/o-que-e-
know-how/. Acesso em: 20 mar. 2018.

MARTINS, A.; FUERTH, L. R. A educação corporativa e o processo de


requalificação profissional das empresas brasileiras. 2008.
http://www.gruposeculus.com.br/educacao/wp-content/uploads/Artigo-
Educa%C3%A7%C3%A3o-Corporativa1.pdf. Acesso em: 06 jun. 2018.

MILARE, S.A. Manual do Programa de Coaching. Korum Consultoria. Manuscrito.


S.P. 2010.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR.


Educação Corporativa. Disponível em: http://www.mdic.gov.br/legislacao/9-
assuntos/categ-comercio-exterior/602-educacao-corporativa. Acesso em: 06 jun.
2018.

MOSCARDINI, Ticiana; KLEIN, Amarolinda Zanela. Estratégias de Educação


Corporativa e suas relações com os diferentes níveis de Aprendizagem
Organizacional. Rev. Adm. UFSM, Santa Maria, v. 8, número 1, p. 89-102, MAR.
2015.

MUNDIM, Ana Paula Freitas. Desenvolvimento de produtos e educação


corporativa. São Paulo: Atlas, 2002.

PERIN, Marcelo Gattermann et. al. Processo de Aprendizagem Organizacional e


Desempenho Empresarial: o caso da indústria eletroeletrônica no Brasil. RAE-
eletrônica, v. 5, n. 2, Art. 14, jul./dez. 2006. Disponível em:
http://www.rae.com.br/eletronica/index.cfm?FuseAction=Artigo&ID=3348&Secao=AR
TIGOS&Volume=5&Numero=2&Ano=2006. Acesso em: 06 jun. 2018.

TARAPANOFF, Kira. Panorama da educação corporativa no contexto internacional.


In: SECRETARIA DE TECNOLOGIA INDUSTRIAL (org.). Educação Corporativa:
contribuição para a competitividade. Brasília: Petróleo Brasileiro e CNI, 2004. P.
11-84.

TELLEZ, Gloria. Coaching na prática. 2017. Disponível em


http://www.cpv.org.br/wp-content/uploads/2017/09/Coaching-na-pratica.pdf. Acesso
em: 22 abr. 2018.
14

TEODORO, Francielle de Nazaré Fernandes; CRUZ, Helio Alves da. A importância


do processo de coaching interno no desenvolvimento do colaborador e no
alcance dos resultados. 2016. Disponível em:
https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos16/32724380.pdf. Acesso em: 06 jun.
2018.

Você também pode gostar