Você está na página 1de 7

ESQUEMAS DE TELEPROTEÇÃO

Objetivo da teleproteção é conseguir atuações seletivas e rápida em 100% da linha.


Na graduação normal a zona 1 do relé é ajustada para cobrir aproximadamente 85% da linha,
com atuação instantânea (sem qualquer temporização). Já as demais zonas sobrealcançam a
linha. As zonas mais altas enxergam impedâncias maiores e são gradativamente temporizadas
com intervalos típicos de 0,2 a 0,4 s.
Tomando como exemplo a figura baixo, um curto próximo de A será visto pela Z1 (A), que
atuará instantaneamente, no entanto em B só será visto pela Z2 (B), e o tempo de atuação
será retardado pela temporização da zona.
Um esquema de teleproteção aqui, poderia mandar um sinal de A para B , fazendo B atuar
imediatamente, sem a temporização.
Existem vário esquemas de teleproteção que são caracterizados de duas formas, de sub e
sobrealcance.

Esquemas de subalcanço

Em esquemas de subalcanço, os relés são ajustados com uma característica de graduação


normal (tal como na figura acima). Nesses esquemas, se detectada a falta na Zona 1 em um
dos reles, ele enviará um sinal de transferência de Trip para o outro. O outro rele, recebendo
este sinal, tomará então a decisão se deverá ou não atuar.
• PUTT (Permissive Under reach Transfer Trip) por Pickup
• PUTT por aceleração por Z1B
• PUTT por tranferência direta

Esses esquemas são todos permissíveis (liberação), ou seja, o sinal recebido do outro relé
libera o processo de detecção e atuação.
PUTT por pickup, ao receber o sinal do outro relé, o relé só atuará se os níveis de medição
atingiram os limites de pickup. O pickup em relé de distancia pode ser por sobrecorrente,
sobrecorrente dependentes das tensões (subtensão), subimpedância, etc.
PUTT por aceleração por Z1B, ao receber o sinal do outro relé, o relé só atuará se a
impedância medida por ele estiver dentro da zona 1 estendida (Z1B), ajustada geralmente em
cerca se 120% do comprimento da linha. O sinal recebido habilita a detecção por Z1B (uma
entrada binária alocada para esta habilitação), configurada para atuar sem qualquer
temporização.

PUTT por transferência direta, o relé atua imediatamente ao receber o sinal do outro relé,
sem qualquer verificação.

Note que a diferença nesses três casos, não esta no circuito de teleproteção, e sim na forma
detectado pelo relé, que por sua vez vai depender das características da linha e
disponibilidades do relé de proteção. Em PUTT por transferência direta, se caracteriza por ser
mais rápida, pois não há a necessidade de outras medidas, atuando mesmo se do outro lada
estiver sem alimentação ou com níveis de tensões baixos, que podem comprometer a
detecção da falta. Por outro lado, se por algum defeito na transmissão o relé receber um
sinal indevido, ele atuará sem qualquer análise. Isso é evitado usando pickup ou Z1B. A
melhor condição entre Z1B ou pickup vão depender das características da linha e filosofia de
proteção adotada. Em linhas por exemplo em que os níveis de correntes são capazes de
caracterizar bem a falta, a detecção por pickup (sobrecorrente, ou sobrecorrente dependente
da tensão) é suficiente.
Em todas elas a zona 1 deverá enxergar para frente da linha (forward), caracterizando bem a
necessidade em se abrir o disjuntor do outro lado, e de forma alguma Z1 poderá
sobrealcançar a linha.
Dependendo do relé, tal como pode ser visto nos desenhos acima (tirados do manual do
usuário do 7SA6 da SIEMENS). Os sinais de transmissão podem ser prolongados por um tempo
Ts para compensar possíveis diferenças no tempo do pickup. Um tempo também Tv na Direta
pode ser usado para questionar o sinal recebido, que deverá ser mantido por um tempo
superior a este, evitando que algum tipo de ruído na transmissão provoque uma atuação
indevido.

Esquemas de Sobrealcanço

Já os esquemas de sobrealcanço, é usado principalmente em linhas muito curtas, onde o


ajuste seguro para Z1 a 85% da linha não é possível. O trip rápido é garantido pelo
teleproteção. Geralmente a detecção da falta é iniciada por Z1B (também é usado a detecção
por pickup direcional) , o sinal é então enviado ao outro relé, liberando a atuação caso a falta
também esteja dentro de sua zona Z1B (ou nas condições adequadas do pickup direcional) .
Por outro lado o relé que enviou o sinal também depende de um sinal de liberação do outro
relé, para a atuação.
Tomando então a figura acima como exemplo, uma falta na linha (entre A e B) é vista tanto
por Z1B de A como Z1B de B. O relé A envia o sinal de liberação para o relé B, que por sua vez
também envia um sinal de liberação para A e como ambos recebem sinais de liberação do
terminal oposto e ambos estão dentro de Z1B, ambos atuarão.
Tomando então como exemplo a figura abaixo. Se a falta estiver fora da região entre A e B,
porem dentro da região Z1B de um dos relés, no exemplo Z1B de A. O relé A enviará o sinal
para B. No entanto B não vai enviar sinal para A (portanto A não receberá o sinal de liberação
e não vai atuar), como B também não vai atuar porque a falta não esta dentro de Z1B de B.

Alguns esquemas de sobrealcance são de bloqueio, ou seja os sinais enviados bloqueiam a


atuação do outro relé ao invés de liberar.
Entre os esquemas permissíveis (de liberação) de sobrealcance temos:
• POTT (Permissive Over reach Transfer Trip), por Z1B
• Pickup de comparação direcional
• Desbloqueio por Z1B
Entre os de bloqueio, tamos:
• Bloqueio por Z1B
O POTT funciona exatamente como mostrado nas duas figuras anteriores. A detecção é
iniciada por Z1B, que envia o sinal para o outro relé. Este outro relé só deverá atuar se a falta
for detectada por sua zona Z1B, ele também devera sinalizar para que o outro relé atue. Um
pré requisito é que Z1B em ambos os relés seja ajustados para frente (Forward).
O pickup de comparação direcional é bem parecido com o esquema anterior. Apenas a
detecção da falta é inicializada por pickup suplementada por um elemento direcional. Assim o
sinal é enviado apenas se atingir o níveis de pickup e se for vista para frente (Forward) pelo
relé. Esse relé então envia o sinal para o outro, que só deverá atuar se também exceder os
níveis de pickup e se a falta estiver a sua frente (Forward ). O outro relé, também dependerá
da sinalização do relé do lado oposto.

Já o esquema de desbloqueio por Z1B, a detecção é iniciada por Z1B. Neste na verdade o
circuito de transmissão trabalha com o envio de dois sinais em frequências diferentes. Uma
frequência de monitoramento fO e uma frequência de desbloqueio fU. fO é enviada o tempo
todo, e serve para indicar que a transmissão esta correta. Se fO não chegar será sinalizado o
erro. Se a falta for detectada por Z1B em um dos relés ele enviará o sinal fU. O outro relé
recebendo fU vai atuar se a falta também estiver dentro de sua zona Z1B, como também vai
enviar para o outro um sinal fU.
No bloqueio por Z1B, o canal de transmissão é usado para enviar um sinal de bloqueio. Assim
se o sinal não chegar por falha na transmissão não vai atrapalhar a atuação dos relé, como no
caso dos sinais de liberação.
Um sinal de bloqueio é enviado assim que a falta é detectada pelo relé, no entanto ele para
imediatamente caso a falta esteja a frente do relé (forward). No mesmo relé a falta é
detectado por Z1B, que neste caso atuará caso não receba do outro relé o sinal de bloqueio.
Assim, os sinais enviados por ambos os relé são de bloqueio, e que só serão mantidos caso for
uma falta reversa.

É importante neste caso que o pickup dos relés sejam capazes de enxergar as faltas dentro de
toda a região Z1B dele e do outro relé. Z1B também deverá ser ajustada pra frente (forward).
Uma falta entre A e B, é vista pelo pickup nos dois relés, iniciando o sinal de bloqueio. Como
no entanto nos dois a falta esta a frente (forward), visto pelo elemento direcional, o sinal de
bloqueio é abortado em ambos. então os dois estarão livres para atuar por Z1B.
Uma falta fora de A-B, mas que ainda esteja dentro de Z1B de um dos relés, vai iniciar o
bloqueio em ambos. Para o relé cuja a falta esta dentro de Z1B, e portanto a sua frente, o
sinal de bloqueio é retirado, no entanto para o outro isso não importa, pois a falta estará na
sua região reversa, e portanto fora de sua zona Z1B. E como esta na sua região reversa, o seu
sinal de bloqueio não será retirado, impedindo a atuação do primeiro relé, cuja a falta esta
em Z1B.

Você também pode gostar