Você está na página 1de 3

Ao longo desse capítulo o autor apresenta as consequências da chamada Revolução

Cognitiva para o desenvolvimento social do homo sapiens. Entre 70 e 30 mil anos novas
formas de pensar constituíram essa revolução, possível através de modificações nas
conexões cerebrais que ocasionalmente afetaram os homens da nossa espécie.
Ela nos permitiu criar uma nova linguagem capaz de produzir um número infinito de
frases que nos possibilitou armazenar e transmitir uma maior quantidade de informações
sobre o nosso cotidiano, o mundo ao nosso redor e sobre coisas inexistentes.
Segundo o autor ela teria se desenvolvido em forma de fofoca sobre seus próprios
comportamentos. Sendo ela, importante para que os membros de grupos distintos
estabelecessem relações de confiança e colaborassem um com os outros em prol de
objetivos comuns. Um outro ponto relevante para essa discussão seria a capacidade
essencialmente humana de criar e transmitir informações sobre coisas que não existem.
Originam-se então as os mitos, as lendas, os Deuses e as religiões, que nos permitiram
agir coletivamente em grupos com uma maior quantidade de membros, estabelecer
relações comerciais com sapiens de diferentes regiões, o uso de novas técnicas de caça, o
surgimento das culturas e a construção da história.
Para entendermos nossa natureza, devemos pensar como nossos ancestrais.
Durante muito tempo os homens da nossa espécie viveram como caçadores-
coletores, entretanto nos últimos 200 anos um número cada vez maior de
homens ganha o pão de cada dia trabalhando. apesar de existir essa tecnologia
toda hoje em dia especialistas afirma que nosso cerebro e nossa mente ainda
estão adaptadas para essa vida de caça e coleta.
Ha diversos fatores para diferenciar a natureza de hoje para a natureza de
decadas passadas como por exemplo onde os bandos não eram compostas por
familias e que as mulheres poderiam ter relações com diversos homens e ao
mesmo tempo todos os adultos do bando cooperavam para a criação as crianças
sem saber quais eram seus filhos. Apesar de existir poucas certezas sobre a
vida dos nossos antigos ancestrais por não existir registros escritos da epoca e
apenas existindo evidencias arqueologicas consistente em ossos fosilados. Dai
surge uma pergunta questonavel: de onde será que vem essa ideia de idade da
pedra se a maioria dos ferramentos que usavam eram todos feitos de madeiras
e a mão?
Podemos perceber que existe uma grande e perceptivel diferença entre os
ancestrais modernos e os antigos e um exemplo a ser dado seria a forma de
como eles caçavam e se mudavam de determinadas áreas levando consigo
todos os seus pertences sem precisar de algum transporte, bandos de individuos
humanos incluindo animais como cachorros que eram criados juntos com o
humano com o intuito de proteger o bando e em relação a esse convivio de
humanos e cachorros hoje em dia os cachorros são domesticados tornando-se
bem mais afetuosos onde que por muitas vezes esse proprio animal é tratado
como humano ou ate melhor existindo uma manipulação desse animal para fazer
suas proprias necessidades e como o modo de trata-los era muito similar ao do
humano que chegaram casos de cachorros serem enterrados com cerimonias
tornando-os diferentes pelos seus costumes e habilidades.
Os ancestrais precisavam conhecer suas habilidades para aprender a
fabricar seus proprios pertences e armas para a caça tornando assim um
caçador-coletor que supostamente os mesmos teriam conhecimentos mais
abrangentes do que a maioria dos descendentes modernos tornando assim
evidente principalmente nas areas industrias onde os mesmos não precisa saber
muito para sobreviver fazendo com que esses caçadores coletores se tornem o
povo mais conhecido e habilidoso da historia.
Os caçadores-coletores viviam para si mesmo, fazendo e contruindo
pertences para si mesmo contrario da modernidade de hoje onde tudo já esta
pronto, e que ate mesmo afeta o corpo humano sentindo uma grande diferença
tornando tambem pessoas que eram bem menos afetados por doenças
infeccioas por eles andarem em pequenos bandos onde não alimentavam
epidemias e que por muitas vezes a taxa de mortalidade infantil era ,uito alta pelo
fato da dificuldade e privação.
Não podemos saber qual a religião dos antigos caçadores-coletores mas
presumiram que eles fossem animistas que era de certa forma uma manifestação
do proprio espirito e a sociedade com uma cultura bem apavoradora que como
toda a sociedade humana era muito complexa pois ele tinha como um
ritual/cultura que se uma criança tivesse uma aperencia engraçada eles
matavam-a.
Assim como não existe uma barreira entre os humanos e outros seres tampouco
uma hierarquia rigida existindo o minimismo sem tornar uma religião especifica
e um nome generico de crença diferentes tornando-se animista a sua maneira
de encarar o mundo. Não apenas exista um único estilo de vida naturak para os
sapiens, existe apenas escolhas culturais dentro de um conjunto de
possibilidades.