Você está na página 1de 23

GOVERNO FEDERAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA
PARAÍBA
CAMPUS MONTEIRO
Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifício

Relatório de Estágio Supervisionado

Aluno: Gabriel Fernando Silva

Monteiro
Agosto / 2016
Gabriel Fernando Silva

Relatório de Estágio Supervisionado

Relatório de Estágio apresentado ao


Instituto Federal de Educação, Ciência
e Tecnologia da Paraíba Campus
Monteiro, como requisito parcial para
conclusão do Curso Superior de
Tecnologia em Construção de Edifício.

Professora Orientadora: Esp. Sara


Fragoso Pereira.
Período: Junho a Setembro de 2015

Monteiro
2016
Aprovado em ____/_____/______

BANCA EXAMINADORA

__________________________________________
Prof. Esp. Sara Fragoso Pereira
Orientadora

__________________________________________
Prof. Me. Whelson Oliveira de Brito
Examinador

__________________________________________
Prof. Esp. Daniela Barreto Nobrega de Almeida
Examinadora
AGRADECIMENTOS
IDENTIFICAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGIO

Identificação da Empresa:
Nome: Prefeitura Municipal de Sertânia - PE
Prefeito: Gustavo Maciel Lins de Albuquerque
Endereço: Rua Ver. João Chaves, 20
Bairro: Centro
CEP: 56600-000
Cidade/Estado: Sertânia - Pernambuco

Área na empresa onde foi realizado o estágio: Setor de Tributos


Supervisor: Vinnícius Cordeiro Virgíneo
Início: 01 de Junho de 2015
Término: 18 de Setembro de 2015
Carga Horária Semanal: 30 horas
Carga Horária Total: 400 horas
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO............................................................................................07
2. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS...............................................................08
2.1. Descrições das Atividades Executadas no Estágio....................................08
2.1.1. Treinamento................................................................................................08
2.1.2. Atualizações dos Dados Cadastrais dos Imóveis e Terrenos (através do
recadastramento imobiliário)..................................................................................09
2.1.3. Realização de Novo Cadastro e Exclusão de Cadastro Antigo..................13
2.1.4. Desmembramento.......................................................................................15
2.1.5. Separação e Entrega de IPTU’s..................................................................16
2.1.6. Revisão de Medições..................................................................................18
3. DIFICULDADES ENCONTRADAS.............................................................19
4. CONCLUSÕES...........................................................................................20
REFERÊNCIAS......................................................................................................21
ANEXOS................................................................................................................22
7

1. INTRODUÇÃO
No ano de 2015 a Prefeitura Municipal de Sertânia, junto com o Setor de
Tributos realizou o processo de recadastramento imobiliário na cidade de Sertânia,
vinculado com o programa de estágio entre a Prefeitura e o Instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - Campus Monteiro.
A cidade de Sertânia fica localizada no sertão de Pernambuco distante
314 km da capital Recife, conta com uma área territorial de 2.421,527 km² e uma
população de 33.787 habitantes de acordo com informações fornecidas pelo IBGE
(2010). Ainda de acordo com os dados do IBGE o município conta com cinco
distritos: Sede; Algodões; Henrique Dias; Rio da Barra e Albuquerque-Né. O
município de Sertânia está sob gestão do atual prefeito Gustavo Maciel Lins de
Albuquerque.
O processo de recadastramento foi realizado no distrito sede do município
o qual é dividido em quatro setores. De acordo com informações fornecidas pelo
Setor de Tributos, o último processo de recadastramento realizado no município foi
no ano de 1998.
A realização do estágio ocorreu junto ao Setor de Tributos da Prefeitura
Municipal de Sertânia, no período de 01 Junho de 2015 e estendeu-se até o dia 18
de Setembro de 2015, totalizando 3 meses e 18 dias de estágio com carga horaria
semanal de 30 horas.
O estágio foi realizado com a orientação da professora Sara Fragoso
Pereira, supervisionado pelo funcionário encarregado pelo Setor de Tributos
Vinnícius Cordeiro Virgíneo e com o auxilio dos fiscais Allysson Passos Silva e José
Leandro de Lima.
8

2. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS
Para iniciar as atividades do estágio, foi realizada pela coordenação do
setor de tributos uma reunião com todos os estagiários que participaram do
processo de seleção e que foram convocados para participar do processo de
recadastramento imobiliário da cidade de Sertânia - PE. A reunião teve como
objetivo apresentar toda a equipe que apoiaria o processo e passar as primeiras
informações sobre as atividades que seriam realizadas pelos estagiários. A equipe
da coordenação cedeu informações úteis e facilitadoras do trabalho dos estagiários,
como mapas de alguns setores do distrito sede e alertas para as possíveis
dificuldades que os alunos iriam encontrar durante a realização dos seus trabalhos.
As atividades desenvolvidas durante a realização do estágio foram
divididas em três momentos, os quais estão descritos a seguir:
No Primeiro Momento as atividades relacionadas foram:
 Treinamento
 Atualizações dos Dados cadastrais dos Imóveis e Terrenos (através
do recadastramento imobiliário)
 Realização de Novo Cadastro e Exclusão de cadastro Antigo
 Desmembramento
No Segundo Momento as atividades relacionadas foram:
 Separação e Entrega de IPTU’s
No Terceiro Momento as atividades relacionadas foram:
 Revisão de Medições

2.1 Descrições das Atividades Executadas no Estágio

2.1.1 Treinamento

Na etapa de treinamento os estagiários foram para as ruas


acompanhados do supervisor Vinnícius Cordeiro e dos fiscais Allysson Passos e
José Leandro, onde foram entregues os materiais que seriam utilizados durante a
execução do recadastramento. O processo de treinamento se deu através da
atualização de algumas quadras de cadastro imobiliário do setor 1, onde todos
acompanhavam como era realizado o processo de atualização dos dados cadastrais
dos imóveis, e através da obtenção das medidas e dos dados do proprietário era
realizado o preenchimento da nova ficha de cadastro imobiliário, realizando assim a
9

atualização dos dados do imóvel. As dúvidas que por ventura surgiam durante o
processo eram imediatamente esclarecidas pelos fiscais que davam apoio.
Esta etapa teve duração de dois dias, e foi possível aprender como era
feita a atualização dos cadastros antigos, através do preenchimento das fichas de
cadastro imobiliário e das medidas obtidas dos imóveis.

2.1.2 Atualizações dos Dados Cadastrais dos Imóveis e Terrenos (através do


recadastramento imobiliário)
Após a etapa de treinamento deu-se início o processo de
recadastramento imobiliário da cidade de Sertânia. A equipe composta por quinze
pessoas foi dividida em grupos de três, formando assim cinco grupos que iriam
realizar o recadastramento do distrito sede. Após serem formados os definitivos
grupos cada um deles recebeu os equipamentos necessários para a realização do
trabalho, trena, fichas de cadastro imobiliário, calculadora, lápis, borracha, quadras
de cadastro imobiliário e seus respectivos extratos de débitos. (Figuras 1, 2 e 3
Anexos A e B).

Figura 1: Fichas de Cadastro Imobiliário

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)


10

Figura 2: Quadra de Cadastro Imobiliário

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)

Figura 3: Extrato de Débitos

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)

Com os equipamentos em mãos, as equipes se direcionavam para o


endereço das ruas que constavam nas quadras entregues, e com o auxílio das
antigas fichas de cadastro e dos extratos que continham a relação dos débitos dos
imóveis cadastrados, os estagiários identificavam os imóveis e chamavam os
proprietários, a fim de explicar-lhes que a equipe estava a serviço da prefeitura e
que teria que realizar a atualização dos dados do imóvel, pedindo-lhes a permissão
para conferir as medidas e os dados do proprietário. Todas essas informações eram
preenchidas nas novas fichas de cadastro imobiliário e após atualização dos dados,
11

as fichas eram anexadas as antigas fichas de cadastro de cada imóvel. (Figuras 4, 5


e 6).

Figura 4: Medições dos Imóveis

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)

Figura 5: Medições dos Imóveis

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)


12

Figura 6: Fichas de Cadastro Anexadas às Antigas Fichas Após a Atualização de Dados

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)

A etapa de atualização dos dados cadastrais foi a de maior duração, o


distrito sede onde foi realizado o trabalho é composto de quatro setores como pode
ser visto na Figura 7 e na Tabela 1.

Figura 7: Distribuição dos Setores do Distrito Sede

Fonte: Adaptado do Google Earth (2016)


13

Tabela I: Quantitativo de Quadras por Setor

DISTRITO SEDE
Setor Quantitativo de Quadras
Setor 1 137
Setor 2 34
Setor 3 38
Setor 4 92
Total: 301
Fonte: Setor de Tributos (2015)

2.1.3. Realização de Novo Cadastro e Exclusão de Cadastro Antigo


Ainda com relação ao processo de atualização dos dados cadastrais dos
imóveis, outra atividade que foi frequentemente desenvolvida foi a realização de
novos cadastros e exclusões de cadastros antigos.
Durante a atualização dos dados as equipes deparavam-se com alguns
casos em que o imóvel ou terreno localizado em determinado ponto da cidade não
constava-se devidamente cadastrado, nessas situações as equipes coletavam as
informações com os proprietários e realizavam assim o preenchimento de uma ficha
de cadastro para aquele imóvel, a fim de gerar um novo cadastro junto ao sistema.
Nesses casos era solicitado aos proprietários o número de CPF para que fosse
possível se realizar o cadastro. (Figura 8)
Figura 8: Novo Cadastro

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)


14

Com relação à exclusão de cadastro, o mesmo ocorria quando, durante o


processo de atualização dos dados cadastrais dos imóveis, eram identificados
números de cadastro que não existia o imóvel ou terreno referente, ou quando
ocorria a unificação de dois imóveis em um único número de cadastro, necessitando
assim que fossem feitas observações de exclusão, relatando o motivo pelo qual o
mesmo teria sido excluído, como se pode ver nas figuras 9, 10 e 11.

Figura 9: Cadastro Unificado

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)

Figura 10: Observação de Exclusão de Cadastro

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)


15

Figura 11: Imóvel não Existe

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)

2.1.4. Desmembramento
Segundo o artigo 2º no § 2º da Lei 6.766, que dispõe sobre o
Parcelamento do Solo Urbano e dá outras Providências, de 19 de dezembro de
1979:
Considera-se desmembramento a subdivisão de gleba em lotes destinados
a edificação, com aproveitamento do sistema viário existente, desde que
não implique na abertura de novas vias e logradouros públicos, nem no
prolongamento, modificação ou ampliação dos já existentes.
(BRASIL,1979).

O desmembramento foi outra atividade realizada durante o processo de


atualização dos dados. Esse processo se dava quando ao conferir as medidas de
alguns imóveis, os proprietários relatavam que o terreno havia sido dividido e não o
pertencia totalmente, porém o processo de desmembramento ainda não tinha sido
realizado, onde através da coleta de informações e das medidas do terreno o
mesmo era atualizado e se gerava um novo cadastro com os dados do novo
proprietário para a parte do terreno que teria sido desmembrado. (Figura 12)
16

Figura 12: Observação de Desmembramento do Imóvel

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)

2.1.5. Separação e Entrega de IPTU’s


O Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) é um imposto brasileiro
instituído pelo artigo 156 da Constituição de 1988, cuja incidência se dá sobre a
posse de propriedade imóvel localizada em zona urbana ou extensão urbana. Em
caso de áreas rurais, o imposto sobre a propriedade do imóvel é o ITR (Imposto
Territorial Rural). Os contribuintes do imposto são as pessoas
físicas ou jurídicas que mantém a posse do imóvel, por justo título. A função do IPTU
é tipicamente fiscal, embora também possua função social. Sua finalidade principal é
a obtenção de recursos financeiros para os municípios, embora ele também possa
ser utilizado como instrumento urbanístico de controle do preço da terra. Em muitos
casos, esse imposto também é utilizado para melhoria em outras áreas do
município. A base de cálculo do IPTU é o valor venal do imóvel sobre o qual o
imposto incide.
Diante do exposto, após a conclusão do processo de recadastramento
imobiliário, deu-se início o processo de separação dos IPTU’s referentes ao ano de
2015 que também foram entregues pelos estagiários. A coordenação do setor de
tributos optou para que essa atividade fosse realizada pelos estagiários por motivo
de agilidade na realização dessa etapa, pois o período de entrega geralmente é
realizado no início do ano e por causa do recadastramento esse processo acabou
ficando para o fim do ano, e o prazo para que esses IPTU’s fossem entregues já
estava esgotado.
17

À medida que os lotes com os IPTU’s impressos iam chegando à


secretaria de setor de tributos, os mesmos eram repassados para os estagiários, os
quais a princípio tinham que realizar a separação por rua, de acordo com o endereço
de entrega. (Figura 13)

Figura 13: Separação dos IPTU's para Entrega

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)

Após a separação dos lotes, os mesmos eram entregues. (Figura 14)


18

Figura 14: Entrega dos IPTU's

Fonte: Arquivo Pessoal (2015)

A realização dessa atividade durou em média 20 dias, os IPTU’s que não


eram entregues por causa da não localização do endereço de correspondência ou
por a falta de informações, eram levados de volta para a prefeitura onde lá eram
guardados em local separado dos outros que ainda seriam entregues.

2.1.6. Revisão de Medições


A última atividade realizada foi a revisão das medições. Após a entrega
dos IPTU’s, muitos proprietários procuravam o setor de tributos solicitando que se
fosse feita a medição do seu imóvel novamente a fim de conferir as medidas que
tinham sido colocada nas fichas. Após a solicitação da revisão das medidas pelo
proprietário, a coordenação do setor de tributos marcava com o solicitante o dia e
horário para que a revisão fosse feita, o estagiário levava o IPTU e as fichas de
cadastro do imóvel e lá refaziam as medições e as alterações quando necessárias.
Ao ser detectado algum erro de medida, após corrigi-las imediatamente nas fichas
19

de cadastro, os estagiários retornavam para a prefeitura e lá emitiam um novo IPTU


do imóvel, dessa vez com as medidas corretas e retornavam até a residência do
proprietário para a entrega do mesmo.

3. DIFICULDADES ENCONTRADAS
Durante a realização do estágio, ocorreram algumas dificuldades com
relação ao desenvolvimento das atividades, principalmente no que diz respeito à
falta de conscientização e aceitação por parte de alguns proprietários, os quais
impediam a realização correta da atualização dos dados. Surgiram também
problemas relacionados com a falta de fichas de cadastro imobiliário e atraso na
impressão dos IPTU’s referentes ao ano de 2015, este último também proporcionou
o atraso na entrega dos mesmos.
20

4. CONCLUSÃO
O estágio, realizado junto à secretaria do setor de tributos da cidade de
Sertânia proporcionou uma série de benefícios, principalmente no que diz respeito
ao trabalho em equipe que foi realizado e na experiência técnica adquirida. Durante
a realização do estágio, foi possível colocar em prática algumas teorias vista em sala
de aula, e testar os conhecimentos com relação a leitura e interpretação de projetos,
plantas de locação de imóveis e bairros, topografia dos terrenos, assim como ter
contato com algumas das principais leis que regem o município.
Outro importante benefício proporcionado pelo estágio diz respeito ao
modo que é feito o cadastro de imóveis e terrenos, os quais servem de base para o
calculo dos IPTU’s, imposto esse, que tem sua função não só fiscal, mas também
social, podendo ser utilizado em melhorias para o município.
Lidar com as responsabilidades, deveres e desafios submetidos,
proporcionam experiências únicas e promovem um expressivo crescimento
profissional. Diante disso, é de suma importância a realização do estágio
supervisionado como requisito parcial para conclusão do curso, pois através do
mesmo é possível que o aluno adquira experiências enriquecedoras, que sem
dúvida vão lhe auxiliar nas suas escolhas e direcionar o seu rumo profissional.
21

REFERÊNCIAS
1. ARAÚJO, João Vítor Brito De. Relatório de estágio supervisionado. Curso de
Tecnologia em Construção de Edifícios, IFPB, João Pessoa, 2012.

2. BRASIL, Lei Nº. 6.766 de 19 de dezembro de 1979: Dispõe sobre o


parcelamento do solo urbano, e dá outras providências. Brasília: Senado
Federal, 1979.

3. FEDERAL, Senado. Constituição da república federativa do Brasil. Brasília:


Senado, 1988.

4. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, infográficos


IBGE 2010.

5. RANGEL, Edson de Souza. Relatório de estágio supervisionado. Curso de


Tecnologia em Construção de Edifícios, IFPB, Monteiro, 2015.
22

ANEXOS

ANEXO A – Extrato de Débitos

Fonte: Setor de Tributos (2015)


23

ANEXO B – Ficha de Cadastro Imobiliário

Fonte: Setor de Tributos (2015)

Interesses relacionados