Você está na página 1de 2

ESCOLA

NOME: TURMA: DATA: ____/____/____


RESUMO - ESFERA LITERÁRIA – TEXTO EXPOSITIVO
CB: CO: CG: ATIVIDADE AVALIATIVA 1 – REDAÇÃO
Competências Básicas (CB) – observação durante a atividade
1- Reconhecer num resumo ou esquema, em relação ao texto-base que lhe deu origem, recursos de sumarização.
Competências Operacionais (CO) – Serão avaliadas as marcações no texto-base
2- Selecionar de um texto-base os recursos de sumarização para elaboração de um resumo ou esquema.
Competência Global – (CG) – Será avaliado o texto final
3- Elaborar resumo ou esquema de um texto base, usando os recursos de sumarização.
Adaptado do livro “A arte de argumentar – [...]
gerenciando razão e emoção”, Antonio Suárez Abreu Condições da Argumentação
Argumentar, Convencer e Persuadir A primeira condição da argumentação é ter
Argumentar é a arte de convencer e definida uma tese e saber para que tipo de problema
persuadir. Convencer é saber gerenciar informação, essa tese é resposta. Se queremos vender um
é falar à razão do outro, demonstrando, provando. produto, nossa tese é o próprio produto. Mas isso
Etimologicamente, significa vencer junto com o outro não basta. É preciso saber qual a necessidade que
(com + vencer) e não contra o outro. Persuadir é o produto vai satisfazer. Um bom vendedor é alguém
saber gerenciar relação, é falar à emoção do outro. capaz de identificar necessidades e satisfazê-las.
A origem dessa palavra está ligada à preposição per, Um bom vendedor de carros saberá vender um
”por meio de” e a Suada, deusa romana da automóvel de passeio a um cliente que se locomove
persuasão. Significava ”fazer algo por meio do apenas no asfalto e um utilitário àquele que tem de
auxílio divino”. Mas em que convencer se diferencia enfrentar estradas de terra. No plano das ideias, as
de persuadir? Convencer é construir algo no campo teses são as próprias ideias, mas é preciso saber
das ideias. quais as perguntas que estão em sua origem. Se eu
Quando convencemos alguém, esse alguém quero vender a ideia de que é preciso sempre poupar
passa a pensar como nós. Persuadir é construir no um pouco de dinheiro, eu tenho de saber que a
terreno das emoções, é sensibilizar o outro para agir. pergunta básica é: — O que eu faço com o dinheiro
Quando persuadimos alguém, esse alguém realiza que recebo? Muitas pessoas se queixam de que, nas
algo que desejamos que ele realize. Muitas vezes, reuniões da empresa, suas boas ideias nunca são
conseguimos convencer as pessoas, mas não levadas em consideração. O que essas pessoas não
conseguimos persuadi-las. Podemos convencer um percebem é que essas ideias são respostas a
filho de que o estudo é importante e, apesar disso, perguntas que elas fizeram a si mesmas, dentro de
ele continuar negligenciando suas tarefas escolares. suas cabeças. Ora, de nada adianta lançar uma ideia
Podemos convencer um fumante de que o cigarro para um grupo que não conhece a pergunta. É
faz mal à saúde, e, apesar disso, ele continuar preciso primeiro fazer a pergunta ao grupo. Quando
fumando. todos estiverem procurando uma solução, aí sim, é o
Algumas vezes, uma pessoa já está momento de lançar a ideia, como se lança uma
persuadida a fazer alguma coisa e precisa apenas semente em um campo previamente adubado. 5.
ser convencida. Precisa de um empurrãozinho Rubem Alves, ”Cartas de Amor”, O Retorno e Temo,
racional de sua própria consciência ou da de outra pp. 4445
pessoa, para fazer o que deseja. É o caso de um Uma segunda condição da argumentação é
amigo que quer comprar um carro de luxo, tem ter uma ”linguagem comum” com o auditório. Somos
dinheiro para isso, mas hesita em fazê-lo, por achar nós que temos de nos adaptar às condições
mera vaidade. Precisamos apenas dar-lhe uma ”boa intelectuais e sociais daqueles que nos ouvem, e não
razão” para que ele faça o negócio. Às vezes, uma o contrário. Temos de ter um especial cuidado para
pessoa pode ser persuadida a fazer alguma coisa, não usar termos de informática para quem não é da
sem estar convencida. É o caso de alguém que área de informática, ou de engenharia, para quem
consulta uma cartomante ou vai a um curandeiro, não é da área de engenharia e assim por diante.
apesar de, racionalmente, não acreditar em nada Durante a campanha para a prefeitura de São Paulo,
disso. Argumentar é, pois, em última análise, a arte em 1985, Jânio Quadros contou com o apoio do
de, gerenciando informação, convencer o outro de deputado e ex-ministro Delfim Neto.
alguma coisa no plano das ideias e de, gerenciando Durante um comício para moradores de um
relação, persuadi-lo, no plano das emoções, a fazer bairro de periferia, Delfim terminou sua fala dizendo:
alguma coisa que nós desejamos que ele faça. ”- A grande causa do processo inflacionário é o déficit
orçamentário. Logo depois, Jânio chamou Delfim de
lado e disse: ”- Delfim, olhe para a cara daquele relação ao outro. Para ter credibilidade, basta
sujeito ali. O que você acha que ele entendeu do seu procurar a criança que existe dentro de nós. As
discurso? Ele não sabe o que é processo. Não sabe crianças não dizem aquilo em que não acreditam e
o que é inflacionário. Não sabe o que é déficit. E não não fingem o que não sentem. Se estão tristes, seus
tem a menor ideia do que é orçamentário. Da rostos refletem nitidamente a tristeza. Se estão
próxima vez, diga assim: - A causa da carestia é a alegres, refletem essa alegria. Ao longo da vida, nós,
roubalheira do governo. adultos, é que desaprendemos a espontaneidade,
Em um processo argumentativo, nós somos depois que outros adultos nos ensinaram a separar
os únicos responsáveis pela clareza de tudo aquilo nossa inteligência de nossas emoções.
que dissermos. Se houver alguma falha de
comunicação, a culpa é exclusivamente nossa! Por meio das técnicas de sumarização
A terceira condição da argumentação é ter elencadas abaixo, faça um resumo do texto-
um contato positivo com o auditório, com o outro. base lido.
Estamos falando outra vez de gerenciamento de
relação. Nunca diga, por exemplo, que vai usar cinco - Exclua trechos que são facilmente
minutos de alguém, se vai precisar de vinte minutos. depreendidos pelo contexto (Após uma longa
É preferível, nesse caso, dizer que vai usar meia tarde de conversas, o casal seguiu para casa onde
hora. Muitas vezes, há necessidade de respeitar
ela foi pedida em casamento)
hierarquias e agendas. Faça isso com sinceridade e
- Apague sequencias textuais de expressões
bom humor.
sinônimas ou meramente explicativas. (Em
Outra fonte de contato positivo com o outro é
saber ouvi-lo. Noventa e nove por cento das pessoas
termos de estrutura narrativa, isto é,
não sabe ouvir. A maior parte de nós tem a tendência a forma como são apresentados os fatos
de falar o tempo todo. É preciso desenvolver a narrados, o romance de 30 é, fundamentalmente,
capacidade da audiência empática. Pathos, em linear. (DACANAL, 2001, p. 17)
grego, além de enfermidade, significa sentimento. - Elimine exemplos (Uma característica
Em, preposição, significa dentro de. Ouvir com inovadora desta peça de Nelson Rodrigues está
empatia quer dizer, pois, ouvir dentro do sentimento no uso poético e provocador que ele faz
do outro. das rubricas, as indicações para a cena que o
As palavras são escolhidas autor põe no texto como orientação. Por exemplo,
inconscientemente. É preciso prestar atenção a elas. há homens e mulheres que são descritos como
É preciso prestar atenção também ao som da voz do
“inatuais”. O que quer dizer isso? A certa altura, a
rubrica diz que Alaíde apanha um ferro “ou coisa
outro! É por meio da voz que expressamos alegria,
que o valha” para malhar a cabeça de Pedro, seu
desespero, tristeza, medo ou raiva. Às vezes, a
marido. Que “coisa que o valha é essa?”.
maneira como uma pessoa usa sua voz nos dá muito
(AGUIAR, 2004, p. 85)
mais informações sobre ela do que o sentido lógico
- Apague justificativas para uma afirmação e
daquilo que diz. Devemos também aprender a ”ouvir”
mantenha a informação importante. (A principal
com nossos olhos! A postura corporal do outro, suas
suspeita do assassinato era a amante, que era
expressões faciais, a maneira como anda, como
gesticula e até mesmo a maneira como se veste nos
invejosa e interesseira)
dão informações preciosas. O poeta e semioticista - Não inclua trechos negativos que vão contra
Décio Pignatari costuma dizer que o homem precisa as ideias do autor ( A ditadura tem muitos
aprender a ”ouviver”, verbo que ele inventou a partir argumentos em seu favor, mas nada justifica uma
de ouvir, ver e viver. nova intervenção militar no Brasil)
Finalmente, a quarta condição e a mais - Reformule informações utilizando termos
importante delas: agir de forma ética. Isso quer dizer genéricos. Um certo Miguilim morava com a mãe,
que devemos argumentar com o outro, de forma seu pai e seus irmãos SUA FAMÍLIA, longe, longe
honesta e transparente. Caso contrário, daqui, muito depois da Vereda-do-Frango-d’Água
argumentação fica sendo sinônimo de manipulação. e de outras veredas sem nome ou pouco
O fato de agirmos com honestidade nos confere uma conhecidas, em um ponto remoto no Mutúm. (G.
característica importante em um processo Rosa)
argumentativo: a credibilidade. Para ter credibilidade - Conserve informações que não forem
é preciso apenas comportar-se de modo verdadeiro, resumíveis – O trecho é inteiro importante?
sem medo de revelar propósitos e emoções. Assim Mantenha-o.
como as pessoas possuem ”detectores Adaptado de
inconscientes” de interesse sexual em relação ao http://conversadeportugues.com.br/2015/03/suma
sexo oposto, capazes de decodificar posturas rizacao/
corporais, expressões faciais e tom de voz, elas
também possuem ”detectores de credibilidade” em