Você está na página 1de 37

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

CÂMPUS PATO BRANCO


DEPARTAMENTO DE AGRIMENSURA
CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADO EM AGRIMENSURA

GABRIELA AIOLFI

ANÁLISE DO TRANSPORTE DE COORDENADAS A PARTIR DA REDE


BRASILEIRA DE MONITORAMENTO CONTÍNUO E ANÁLISE DE AJUSTE DE
REDE GEODÉSICA

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

PATO BRANCO
2014
GABRIELA AIOLFI

ANÁLISE DO TRANSPORTE DE COORDENADAS A PARTIR DA REDE


BRASILEIRA DE MONITORAMENTO CONTÍNUO E ANÁLISE DE AJUSTE DE
REDE GEODÉSICA

Relatório apresentado à disciplina de


Sistema de Posicionamento Global, do
Curso Técnico de Nível Médio Integrado em
Agrimensura, da Universidade Tecnológica
Federal do Paraná - UTFPR, Câmpus Pato
Branco, realizado como requisito parcial
para obtenção de média bimestral.

Orientador: Prof. Dr. Claudinei Rodrigues de


Aguiar.

PATO BRANCO
2014
Ministério da Educação
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Diretoria do Câmpus Pato Branco

________________________________________________________________________

TERMO DE APROVAÇÃO

Título da Dissertação Nº 666

Título do programa que acompanha o projeto e que vai avaliar a apresentação


e todo o processo que envolve a aprovação do projeto. Dissertação: Análise
do Transporte de Coordenadas a Partir da RBMC e Análise de Ajuste de Rede
Geodésica

por

Gabriela Aiolfi

Esta dissertação foi apresentada às ________________08:00hs_____________ do


dia 14 de maio de 2015 como requisito parcial para a obtenção do título de MESTRE
EM KARATÊ, Linha de Pesquisa – Artes Milenares de Defesa, Programa de Pós-
Graduação em Lutas Marciais, Universidade Tecnológica Federal do Paraná. O
candidato foi arguido pela Banca Examinadora composta pelos professores abaixo
assinados. Após deliberação, a Banca Examinadora considerou o trabalho
______________________________aprovado______________________________
(aprovado, aprovado com restrições, ou reprovado)

______bruce______ _______JACKIE_______ _______JET_______


Bruce Lee Jackie Chan Jet Li
(Luta) (Luta também) (Luta como os outros)

_______CHUCK_______
Chuck Norris
(Luta muito)
Orientador
__________________________________________________________________________

UTFPR Via do Conhecimento, km 1 85503-390 Pato Branco-PR, Brasil


www.utfpr.edu.br Fone: +55 (46) 3220-2511 – Fax: +55 (46) 3220-2500
AGRADECIMENTOS

Certamente estes parágrafos não irão atender a todas as pessoas que


fizeram parte dessa importante fase de minha vida. Portanto, desde já peço
desculpas àquelas que não estão presentes entre essas palavras, mas elas podem
estar certas que fazem parte do meu pensamento e de minha gratidão.
Reverencio o Professor Dr. Claudinei Rodrigues de Aguiar por ter solicitado
um trabalho inteiro nas normas da Universidade no ano passado. No momento da
realização do trabalho reclamei, pois estávamos no final do ano, com muitas tarefas
e provas a serem feitas. Mas agora agradeço por ter solicitado o trabalho. Está
sendo bem mais fácil para a formatação de meus trabalhos atuais.
Agradeço minha colega de trabalho e amiga, Nadine Waterkemper pela
autorização concedida para que eu utilizasse este trabalho em outra disciplina.
Agradeço pela ajuda e companheirismo no momento do levantamento e na
construção da parte escrita do trabalho. Sofremos imensamente, mas valeu a pena.
A todos os colegas de turma gostaria de externar minha satisfação de poder
conviver com eles durante a realização deste estudo.
Agradeço aos estagiários do laboratório de Geoprocessamento e
Sensoriamento Remoto da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Câmus
Pato Branco, em especial a estagiária Amanda de Oliveira, que encontrou meu
cartão de memória perdido e que continha todos os dados do trabalho que será
apresentado a seguir.
Agradeço ao Professor Dr. Pablo Gauterio Cavalcanti por não ler a parte
textual deste trabalho e por não corrigir as incoerências textuais do mesmo.
Gostaria de deixar registrado também, o meu reconhecimento à minha
família, pois acredito que sem o apoio deles seria muito difícil vencer esse desafio.
RESUMO

BRANDÃO, Alessandro. Você sabia?. 2006. Disponível em:


<http://www.englishexperts.com.br/2006/10/13/did-you-know/> Acesso em: 09 mai.
2015.

Você sabia que aprender a pensar em outro idioma não é apenas um processo
mental: é uma habilidade que depende da respiração, coordenação motora,
oxigenação do cérebro e velocidade do pensamento? Como exemplo ilustrativo,
podemos analisar a célebre frase “The book is on the table”, cujo significado em
português é “O livro está sobre a mesa”. Compare a quantidade de letras das duas
frases – 19 letras em inglês e 20 letras em português – e compare também a
quantidade de sílabas – 6 em inglês e 10 em português! Levando em conta a
respiração, a frase em português é mais longa, pois possui mais sons (sílabas), do
que a sua versão em inglês. Se coordenarmos o pensamento com a linguagem,
certamente teremos que pensar mais rapidamente para falar em inglês, pois a frase
é falada em menos tempo (sílabas). E essa mudança de velocidade de fala e
pensamento é o que mais dificulta o desenvolvimento da competência de aprender a
pensar em inglês, pois será necessário alterar um condicionamento antigo e acelerar
a velocidade do próprio pensamento.

Palavras-chave: Idioma. Habilidade. Respiração. Velocidade.


ABSTRACT

BRANDÃO, Alessandro. Did you know?. 2006. Disponível em:


<http://www.englishexperts.com.br/2006/10/13/did-you-know/> Acesso em: 09 mai.
2015.

Did you know that learning to think in another language is not just a mental process.
It is an ability that depends on respiration, motor coordination, ventilation in the brain,
and the speed of thought? As an illustrative example, we can analyse the famous
sentence “The book is on the table” which means “O livro está sobre a mesa”, in
Portuguese. Compare the number of letters in the two sentences – 19 letters in
English and 20 in Portuguese. Also compare the number of syllables – 6 in English
and 10 in Portuguese! Taking respiration into account, the sentence in Portuguese is
longer, since it has more sounds (syllables) than the English version. If we coordinate
thought with language, we certainly have to think more rapidly to think in English
since the sentence is spoken in less time (fewer syllables). And this change in the
speed of speaking and thought is what is most difficult in developing competency in
learning and thinking in English, since it is necessary to alter an old conditioning and
accelerate the speed of one’s thoughts.

Keyword: Language. Ability. Respiration. Speed.


LISTA DE FIGURAS

Figura 1: Receptor GPS MagellanProMark 3. ........................................................... 10


Figura 2: Bastão de fibra de carbono. ....................................................................... 10
Figura 3: Tripé de metal. ........................................................................................... 10
Figura 4: Antena Ashtech NAP100............................................................................ 10
Figura 5: Interface de abertura do software GNSS Solutions. ................................... 11
Figura 6: Representação de uma rede geodésica. .................................................... 13
Figura 7: Localização aproximada dos pontos levantados. ....................................... 18
LISTA DE TABELAS

Tabela 1: Valores de coordenadas do ponto PRPB. ................................................. 16


Tabela 2: Discrepância entre as coordenadas verdadeiras e as coordenadas
encontradas............................................................................................................... 17
Tabela 3: Coordenadas dos pontos sem rede geodésica ajustada. .......................... 19
Tabela 4: Coordenadas dos pontos com rede geodésica ajustada. .......................... 19
Tabela 5: Discrepância das coordenadas com e sem rede geodésica ajustada. ...... 19
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ......................................................................................................... 9
2 MATERIAIS E MÉTODOS...................................................................................... 10
2.1 MATERIAIS ..................................................................................................... 10
2.2 MÉTODOS....................................................................................................... 12
2.2.1 Análise do Transporte de Coordenadas a Partir da RBMC ....................... 12
2.2.2 Análise do Ajuste de Rede Geodésica ...................................................... 12
3 LEVANTAMENTO DE CAMPO .............................................................................. 14
4 PROCESSAMENTO DOS DADOS ........................................................................ 15
5 RESULTADOS E ANÁLISES ................................................................................. 16
5.1 ANÁLISE DO TRANSPORTE DE COORDENADAS A PARTIR DA RBMC .... 16
5.2 ANÁLISE DO AJUSTE DE REDE GEODÉSICA ............................................. 18
6 CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................... 21
REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 22
APÊNDICES.............................................................................................................. 23
9

1 INTRODUÇÃO

O levantamento de coordenadas de pontos em um terreno pode ser


realizada de várias formas. As que exigem maiores precisões são feitas, na maioria
das vezes, através de posicionamento por GNSS (Global Navigation Satellite
System). Este posicionamento consiste em determinar a posição de objetos tendo
em vista um referencial específico.
Um dos sistemas mais empregados de GNSS é o GPS (Sistema de
Posicionamento Global - Global Positioning System), que é norte americano e
extremamente difundido no mundo, sendo o mais utilizado pelos usuários de GNSS.
Para estes posicionamentos, muitas vezes técnicas diferentes são utilizadas
para descobrir as coordenadas de um ponto ou até mesmo para garantir maior
confiabilidade aos resultados já conhecidos. Dentre estas técnicas encontram-se o
transporte de coordenadas e a realização de uma rede geodésica. O primeiro
consiste em calcular as coordenadas de um ponto com base em outro ponto já
conhecido. A rede geodésica nada mais é do que uma triangulação que assegura
melhores resultados nos dados obtidos em levantamentos.
Este trabalho consistiu em usar os dados anteriores de um ponto para
análise do transporte de coordenadas a partir da RBMC (Rede Brasileira de
Monitoramento Contínuo) com as estações de Chapecó-SC e Guarapuava-PR. A
segunda parte do trabalho consistiu em realizar uma rede geodésica com três
pontos levantados no Câmpus Pato Branco da Universidade Tecnológica Federal do
Paraná. O detalhamento dos processos e análises referentes ao levantamento
realizado encontra-se nas páginas a seguir.
10

2 MATERIAIS E MÉTODOS

2.1 MATERIAIS

Os materiais utilizados na realização do levantamento foram o receptor do


GPS MagellanProMark 3 (figura 1), com precisão nominal para levantamento
estático e pós-processado horizontal de ±0,005m + 1 ppm e vertical de ± 0,01 m +
2ppm, um bastão de fibra de carbono (figura 2) com precisão de 0º 8’ 0’’ e um tripé
de metal (figura 3) e uma antena NAP100 (figura 4). Para o processamento dos
dados foi usado o software GNSS Solutions 3.80.8 (figura 5) e para redigir o relatório
os programas Microsoft Word e Microsoft Excel.

Figura 1: Receptor GPS MagellanProMark 3. Figura 2: Bastão de fibra de carbono.


Fonte: JH ServiciosProfesionales (2014). Fonte: Fontenele Topografia (2014).

Figura 3: Tripé de metal.


Fonte: AleziTeodolini (2014). Figura 4: Antena Ashtech NAP100.
Fonte: Preciolandia (2014).
11

Figura 5: Interface de abertura do software GNSS Solutions.


Fonte: Ashgps (2014).

No processamento dos dados no software, já citado, GNSS Solutions 3.80.8,


a primeira etapa é a importação dos dados do receptor, o que é muito prático, pois
pode ser feito através de um cartão de memória e seu adaptador.
Ao vincular os dados do GPS com o software, o mesmo gera uma tabela
contendo todas as informações possíveis do ponto para cada tempo de coleta. Estas
informações são: Nome do ponto, Descrição, Hora do início, Intervalo de tempo,
Amostra (intervalo de coleta dos satélites), Tipo da Antena, Altura da Antena, Tipo
de Altura, Coordenada Este, Coordenada Norte, Altura da elipse, Tipo (ponto
registrado ou de controle), Latitude e Longitude da posição de controle, entre outros.
Possuindo todas essas informações é possível seguir para o processamento
dos dados – Definir pontos de controle, detecção de erros graves, processar todas
as baselines, processar as baselines não processadas; e aí então para o ajuste –
ajustar rede, verificar fecho do circuito. Por fim é exportado o relatório de
levantamento do terreno.
12

2.2 MÉTODOS

2.2.1 Análise do Transporte de Coordenadas a Partir da RBMC

O transporte de coordenadas é efetuado quando se deseja obter as


coordenadas de um ponto e se conhece a posição de outro ponto próximo a este. A
partir das coordenadas, distância e outros dados relativos ao posicionamento de um
ponto em relação ao que se deseja conhecer, o transporte de coordenadas é
possível.
O levantamento realizado foi o posicionamento relativo estático, com tempo
de coleta de 30 minutos e o intervalo de coleta do GPS de 10 segundos. O ponto em
questão, PRPB, um marco de centragem forçada da UTFPR - Pato Branco, havia
sido levantado em uma ocasião anterior e usado como base para tal levantamento.
No presente trabalho, os dados anteriormente recolhidos foram usados para
o transporte de coordenadas de duas estações da RBMC. As estações mais
próximas do ponto PRPB são a de Guarapuava-PR e Chapecó-SC.
Os arquivos referentes à essas duas estações foram baixados gratuitamente
do site do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, e correspondentes
aos dias que o ponto PRPB havia sido levantando.

2.2.2 Análise do Ajuste de Rede Geodésica

Uma rede geodésica consiste em uma rede de triângulos feita entre pontos
de interesse que são medidos através de métodos com maior exatidão, como
levantamentos terrestres por meio de GNSS ou por geodésia espacial. Com uma
rede estabelecida, as coordenadas dos pontos possuem maior nível de confiança, já
que estarão interligadas com a posição de outros pontos no espaço.
13

Para realizar a rede geodésica, todos os pontos devem ser ligados entre si,
formando triângulos, como no caso do levantamento em questão ilustrado na figura
6.

Figura 6: Representação de uma rede geodésica.


Fonte: Autoria própria.

Para realizar a rede geodésica foram levantados três pontos


simultaneamente, realizando o posicionamento relativo estático. O tempo de coleta
dos pontos foi de 30 minutos, com intervalo de coleta de 10 segundos.
Esses três pontos são os mesmos levantados em outra ocasião. O objetivo
de realizar uma rede geodésica com eles, é a maior precisão que a rede permite
obter.
Sendo assim, foram comparados os dados obtidos no levantamento passado
com os dados obtidos através da rede.
14

3 LEVANTAMENTO DE CAMPO

Nos métodos gerais de levantamento com GPS, independentemente do


estado do objeto, podem-se ter posicionamentos absoluto e relativo, e combinações
com a presença ou ausência de movimento. De acordo com Monico (2008), entre os
diversos tipos de posicionamento relativo estão: o posicionamento relativo estático e
o posicionamento relativo estático rápido.
No posicionamento relativo estático, dois ou mais receptores rastreiam
simultaneamente os satélites visíveis por um período de tempo longo, sendo o
mínimo vinte minutos. O posicionamento relativo estático rápido é muito semelhante
ao estático, porém possui um tempo de rastreio inferior a vinte minutos.
O levantamento realizado foi o posicionamento relativo estático e estático
rápido. Foram levantados 3 pontos, cada um com linha de base diferente, usando
como base o marco de centragem forçada PRPB da UTFPR de Pato Branco. Para
cada ponto foram feitas quatro tomadas de tempo: 5, 15, 30 e 60 minutos.
15

4 PROCESSAMENTO DOS DADOS

No processamento dos dados no software, já citado, GNSS Solutions 3.80.8,


a primeira etapa é a importação dos dados do receptor, o que é muito prático, pois
pode ser feito através de um cartão de memória e seu adaptador.
Ao vincular os dados do GPS com o software, o mesmo gera uma tabela
contendo todas as informações possíveis do ponto para cada tempo de coleta. Estas
informações são: Nome do ponto, Descrição, Hora do início, Intervalo de tempo,
Amostra (intervalo de coleta dos satélites), Tipo da Antena, Altura da Antena, Tipo
de Altura, Coordenada Este, Coordenada Norte, Altura da elipse, Tipo (ponto
registrado ou de controle), Latitude e Longitude da posição de controle, entre outros.
Possuindo todas essas informações é possível seguir para o processamento
dos dados – Definir pontos de controle, detecção de erros graves, processar todas
as baselines, processar as baselines não processadas; e aí então para o ajuste –
ajustar rede, verificar fecho do circuito. Por fim é exportado o relatório de
levantamento do terreno.
Como os dados foram divididos por dia de levantamento para o
processamento, independente de ponto ou tempo, foram gerados três relatórios pelo
software que estão nos apêndices A, B e C.
16

5 RESULTADOS E ANÁLISES

5.1 ANÁLISE DO TRANSPORTE DE COORDENADAS A PARTIR DA RBMC

Para que o transporte de coordenadas fosse possível, o ponto PRPB foi


levantado em campo. O ponto foi ocupado em outra ocasião, em três dias diferentes
(05/08/2014 – Dia 217, 08/08/2014 – Dia 220, 19/08/2014 – Dia 231). Estes dados
usados em outro trabalho, serviram para o transporte de coordenadas em questão.
Para os dias em que o ponto PRPB foi levantado, os arquivos referentes as
estações da RBMC de Chapecó e Guarapuava, disponibilizados na página do IBGE,
foram baixados, correspondendo aos dias de levantamento.
O software GNSS Solutions não permitiu que o processo fosse realizado
inteiramente em um projeto só, então três projetos foram criados, um para cada dia
de levantamento, com relatórios apresentados nos Apêndices A, B e C. Ao final
destes três projetos, as coordenadas obtidas foram somadas e as médias de cada
uma correspondem as coordenadas médias apresentadas na tabela 1.

Tabela 1: Valores de coordenadas do ponto PRPB.

Coordenadas Coordenadas
Dia 217 Dia 220 Dia 231
Médias Verdadeiras
E (m) 331304,120 331304,129 331303,997 331304,082 331304,136
N (m) 7101570,129 7101569,984 7101569,876 7101569,996 7101569,987
H (m) 783,359 782,290 782,141 782,597 782,729
Fonte: Autoria própria.

Através dos valores tabelados, percebe-se que há diferença entre os valores


encontrados e os valores verdadeiros das coordenadas do ponto. A discrepância
entre os números encontra-se a seguir, na tabela 2.
17

Tabela 2: Discrepância entre as coordenadas verdadeiras e as coordenadas encontradas.

Discrepância entre coordenadas verdadeiras e coordenadas encontradas


E (m) 0,054
N (m) 0,009
h (m) 0,132
Fonte: Autoria própria.

As coordenadas apresentaram maior erro na altura da elipse, que pode ser


explicado pela geometria da distribuição dos satélites no espaço, fator este que
influencia nesta característica.
O receptor, de simples frequência, utilizado neste processo também pode
ser fonte de erro, pois um equipamento de dupla frequência apresentaria melhores
resultados para as linhas de base que são longas, pois as estações RBMC oferecem
suporte para levantamentos de tal ordem.
Além disso, pode-se associar o erro ao tempo de ocupação de cada dia. Em
dias em que houve maior tempo de ocupação (chegando a três horas e meia), os
valores poderiam estar mais aproximados do real do que em uma ocupação menor
(de uma hora e meia). Como a média entre estes pontos foi feita para chegar ao
resultado final, esta maior aproximação pode ter sido anulada em virtude dos outros
valores.
Outro ponto que pode ser analisado é o de que apenas duas estações foram
utilizadas para o transporte. Na obtenção das coordenadas consideradas como
sendo verdadeiras, cinco estações foram utilizadas, dando maior confiabilidade aos
resultados. Apesar de possuir duas estações de confiança como referência, o
transporte de coordenadas apresentou bons resultados, tendo em vista que o erro
entre o resultado esperado e o encontrado não atingiu valores exorbitantes, mesmo
que estes sejam considerados altos dependendo da finalidade que se espera das
coordenadas obtidas.
18

5.2 ANÁLISE DO AJUSTE DE REDE GEODÉSICA

Uma rede geodésica tem como objetivo garantir maior precisão dos pontos
envolvidos no sistema de triângulos formado pelas linhas de base que ligam os
mesmos. Comparando este método com o da irradiação, onde um ponto de
coordenadas conhecidas tem linhas de base irradiadas até os pontos de interesse,
os resultados esperados são melhores do que se apenas a irradiação fosse
realizada.
Com o objetivo de estabelecer uma rede geodésica entre alguns pontos
localizados no Câmpus Pato Branco da Universidade Tecnológica Federal do
Paraná, foram realizados levantamentos de 30min com receptores GPS coletando
dados simultaneamente nos três pontos de interesse. Os pontos levantados são
demonstrados a seguir, na figura 7.

Figura 7: Localização aproximada dos pontos levantados.


Fonte: Adaptado de Google Earth (2014).
19

Para fins de análise de coordenadas, dados anteriormente obtidos


(08/08/2014 – Dia 220, 19/08/2014 – Dia 231) em levantamentos de também 30min
dos mesmos pontos foram utilizados. Estes, com coordenadas sem ajuste de rede
geodésica (apresentados na tabela 3) foram comparados aos dados recentemente
obtidos (05/11/2014 – Dia 309), com ajuste de rede geodésica (apresentados na
tabela 4).

Tabela 3: Coordenadas dos pontos sem rede geodésica ajustada.

Pontos sem Rede Geodésica Ajustada


Ponto 1 Ponto 2 Ponto 3
E (m) 331204,591 331046,351 331010,204
N (m) 7101626,741 7101563,484 7101380,263
H (m) 781,282 797,446 817,852
Fonte: Autoria Própria.

Tabela 4: Coordenadas dos pontos com rede geodésica ajustada.

Pontos com Rede Geodésica Ajustada


Ponto 1 Ponto 2 Ponto 3
E (m) 331204,415 331046,182 331010,062
N (m) 7101627,364 7101564,110 7101380,914
H (m) 796,047 812,195 832,638
Fonte: Autoria própria.

A discrepância entre as coordenadas encontradas para as duas situações foi


calculada, tendo como resultado os números apresentados na tabela 5.

Tabela 5: Discrepância das coordenadas com e sem rede geodésica ajustada.

Ponto 1 Ponto 2 Ponto 3


E (m) 0,176 0,169 0,142
N (m) 0,623 0,626 0,651
H (m) 14,765 14,749 14,786
Fonte: Autoria própria.

As coordenadas apresentaram uma diferença exorbitante para todas as


coordenadas e em todos os pontos. A principal causa deste resultado foi o
processamento no software GNSS Solutions. Por alguma razão desconhecida, o
software não ajustou as coordenadas de todos os arquivos inseridos no projeto,
sendo que as utilizadas para comparação são as que ficaram no estado “estimado”
20

ou “processado” (como pode ser visto no Apêndice D), quando o correto é a


utilização de dados “ajustados”.
Para tanto, outros motivos poderiam inserir erros mesmo que todo o
processamento fosse realizado de maneira correta. O número de satélites captados
pelo receptor nos dias de levantamento pode ter sido diferente, bem como a
disposição da geometria dos mesmos no espaço.
Se o tempo de ocupação fosse maior, é muito provável que os resultados
fossem melhorados, pois sabe-se que quanto mais tempo de ocupação um receptor
ficar em um ponto (em um levantamento do tipo estático), melhores serão os
resultados.
Outra análise pertinente a este caso, cabe à localização do ponto PRPB e do
ponto 1. Em campo, ambos estão quase que no mesmo nível de altura da elipse,
pois localizam-se em uma pista de atletismo, que é planejada para ser plana. No
item 3.1, foram apresentadas as coordenadas verdadeiras do ponto PRPB, e sua
altura é de 782,729m. Analisando os valores de altura do ponto 1, 781,282m (sem
ajuste de rede) e 796,047m (com ajuste de rede), percebe-se que o erro no
processamento influenciou muito neste resultado. Por este dado, pode-se dizer que
sem rede geodésica ajustada, os pontos tiveram coordenadas mais próximas do
verdadeiro, levando em consideração que os pontos com rede geodésica ajustada
tiveram interferência de um erro no sistema de processamento computacional dos
dados.
21

6 CONSIDERAÇÕES FINAIS

A partir das análises realizadas pode-se perceber nitidamente que ambos os


métodos empregados apresentaram resultados sem alta precisão.
O transporte de coordenadas, apesar de ter apresentado bons resultados,
não foi extremamente preciso. Se o tempo de rastreio fosse maior, o receptor GPS
fosse de dupla frequência e se mais estações da RBMC tivessem sido utilizados, os
resultados seriam muito melhorados em comparação com os apresentados.
O mesmo ocorre para o ajuste de rede geodésica. Contrariando a teoria, os
resultados obtidos com a rede ajustada foram muito piores do que os anteriores,
levantados através de irradiação. A principal razão para isso foi o mal funcionamento
do software de processamento. O tempo de ocupação e o número de satélites
rastreados pelo receptor pode ter influenciado neste erro, mas quando ajustados,
estas fontes podem ser suavizadas, o que não foi possível para este
processamento.
Quanto ao levantamento em campo, não houve nenhum tipo de dificuldade,
visto que o posicionamento estático é um dos métodos que não apresentam muita
complexidade para sua execução.
É importante salientar que, em situações normais, o transporte de
coordenadas e o ajuste de rede geodésica são métodos de extrema eficácia quanto
à precisão dos resultados. Quando executados com equipamentos corretos, estes
métodos são empregados nas mais diversas áreas, pois a precisão obtida através
destes atende até as maiores exigências. Por exemplo, o georreferenciamento de
imóveis utiliza do transporte de coordenadas da RBMC para fixar um ponto base
inicial.
22

REFERÊNCIAS

ALEZI TEODOLINI. Tripé de bastão. Disponível em:


<http://www.hezolinem.com/produto_det.cfm?id=75> Acesso em: 09 out. 2014.

ESPARTEL, Lélis et al. Manual de topografia e caderneta de campo. Porto Alegre:


Globo S.A., 1983.

FONTENELE TOPOGRAFIA. Produtos: Bastão GPS Carb. 2,0m. Disponível


em:<http://www.fontenelevendas.com.br/produtos.php?acao=todos&codcat=3&cods
ub=9> Acesso em: 09 out. 2014.

GOOGLETM EARTH. Estados Unidos: Google Inc., 2005.

JH SERVICIOS PROFESIONALES. Receptor GPS Promark 3. Disponível em:


<http://www.jhprofesionales.com/index.php/tecnologia/26-receptor-gps-promark-3>
Acesso em: 09 out. 2014.

MATOS, João. Fundamentos de informação geográfica. 5. ed. Lisboa, Portugal:


Lidel, 2008.

MONICO, J. F. G. Posicionamento pelo GNSS. Descrição, fundamentos e


aplicações. 2. ed. São Paulo: UNESP, 2008.

PRECIOLANDIA. GPS TopograficoPromark 3. Disponível em:


<http://www.preciolandia.com/br/gps-topografico-promark-3-7p17pw-a.html> Acesso
em: 09 out. 2014.
23

APÊNDICE A - Relatório de dados emitidos pelo software GNSS Solutions para


o transporte de coordenadas - Dia 220

Visão Geral do Levantamento de Terrenos

GNSS Solutions
(C) 2012 Trimble Navigation Limited. All rights reserved. Spectra Precision is a Division of
Trimble Navigation Limited.
19/11/2014 10:46:47
www.spectraprecision.com

Nome do Projecto: Projeto309


Sistema de Referência Espacial: BRAZIL/SIRGAS 2000/UTM zone 22S
Fuso Horário: (UTC-03:00) Brasília
Unidades Lineares: Metros

Resumo do Sistema de Coordenadas

Sistema de coordenadas
Nome: BRAZIL/SIRGAS 2000/UTM zone 22S
Tipo: Projectado
Nome da Unidade: Metros
Metros por unidade: 1
Datum Vertical: Elipsóide
Unidade vertical: Metros
Metros por unidade: 1

Dado
Nome: SIRGAS 2000=ITRF00,2000.4,SOAM
Nome da Elipsóide: GRS 1980
Eixo Semi-maior: 6378137.000 m
Achatamento Inverso: 298.257222101
DX para WGS84: 0.0000 m
DY para WGS84: 0.0000 m
DY para WGS84: 0.0000 m
RX para WGS84: -0.000000 "
RY para WGS84: -0.000000 "
RZ para WGS84: -0.000000 "
ppm para WGS84: 0.000000000000

Projecção
Classe da Projecção: Transverse_Mercator
latitude_of_origin 0° 00' 00.00000"N
central_meridian 51° 00' 00.00000"W
scale_factor 0.999600000000
false_easting 500000.000 m
false_northing 10000000.000 m

Pontos de Controlo : 6
Pontos de Referência : 0
Pontos Registados : 3
Pontos Alvo : 0
Pontos Intermédios: 0
24

Pontos de Controlo
95%
Nome Componentes Erro Estado Erro de Controlo
PRGU217 Este 450952.308 0.000 Fixo
Norte 7192442.097 0.000 Fixo
Altura da elipse 1043.160 0.000 Fixo
Descrição PRGU

PRGU220 Este 450952.308 0.000 Fixo


Norte 7192442.097 0.000 Fixo
Altura da elipse 1043.160 0.000 Fixo
Descrição PRGU

PRGU231 Este 450952.308 0.000 Fixo


Norte 7192442.097 0.000 Fixo
Altura da elipse 1043.160 0.000 Fixo
Descrição PRGU

SCCH217 Este 341486.093 0.000 Fixo


Norte 6997318.540 0.000 Fixo
Altura da elipse 744.240 0.000 Fixo
Descrição SCCH

SCCH220 Este 341486.093 0.000 Fixo


Norte 6997318.540 0.000 Fixo
Altura da elipse 744.240 0.000 Fixo
Descrição SCCH

SCCH231 Este 341486.093 0.000 Fixo


Norte 6997318.540 0.000 Fixo
Altura da elipse 744.240 0.000 Fixo
Descrição SCCH

Pontos Registados
95%
Nome Componentes Erro Estado
BASE217 Este 331304.165 0.138 Processado (Estático)
Norte 7101569.946 0.220 Processado (Estático)
Altura da elipse 782.310 0.447 Processado (Estático)
Descrição base123

BASE220 Este 331304.129 0.116 Ajustado


Norte 7101569.984 0.144 Ajustado
Altura da elipse 782.290 0.363 Ajustado
Descrição trevo

BASE231 Este 331304.305 0.135 Processado (Estático)


Norte 7101569.841 0.153 Processado (Estático)
Altura da elipse 782.162 0.365 Processado (Estático)
Descrição base3

Ficheiros
Nome Hora de InícioAmostragem ÉpocasTamanho (Kb) Tipo
BPM30B14.217 14/08/05 13:43:25 5 2271 1166 L1 GPS/WAAS
BPM36B14.220 14/08/08 13:41:10 10 1125 563 L1 GPS/WAAS
BPM35E14.231 14/08/19 13:43:50 10 392 197 L1 GPS/WAAS
25

prgu2171.14o 14/08/04 21:00:00 15 5760 4798 L1/L2 GPS/GLONASS


prgu2201.14o 14/08/07 21:00:00 15 5760 4810 L1/L2 GPS/GLONASS
prgu2311.14o 14/08/18 21:00:00 15 5760 4781 L1/L2 GPS/GLONASS
scch2171.14o 14/08/04 21:00:00 15 5760 5594 L1/L2 GPS/GLONASS
scch2201.14o 14/08/07 21:00:00 15 5760 5611 L1/L2 GPS/GLONASS
scch2311.14o 14/08/18 21:00:00 15 5760 5599 L1/L2 GPS/GLONASS

Ocupações
Local Hora de InícioIntervalo de horas Tipo Ficheiro
BASE217 5 agosto 2014 13:43:25.00 03:18:15.00 Static BPM30B14.217
BASE220 8 agosto 2014 13:41:10.00 03:12:40.00 Static BPM36B14.220
BASE231 19 agosto 2014 13:43:50.00 01:09:30.00 Static BPM35E14.231
PRGU217 4 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static prgu2171.14o
PRGU220 7 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static prgu2201.14o
PRGU231 18 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static prgu2311.14o
SCCH217 4 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static scch2171.14o
SCCH220 7 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static scch2201.14o
SCCH231 18 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static scch2311.14o

Processos
Referência Ficheiro de Referência Móvel Ficheiro Móvel Modo Núm
SCCH220 scch2201.14o BASE220 BPM36B14.220 Static 1
SCCH217 scch2171.14o BASE217 BPM30B14.217 Static 2
PRGU220 prgu2201.14o BASE220 BPM36B14.220 Static 3
PRGU231 prgu2311.14o BASE231 BPM35E14.231 Static 4
SCCH231 scch2311.14o BASE231 BPM35E14.231 Static 5
PRGU217 prgu2171.14o BASE217 BPM30B14.217 Static 6

Vectores processados
Vector 95% Vector 95%
Identificador de VectorComprimento Erro Componentes Erro SV PDOP QA Solução
PRGU217 - BASE217 150298.734 0.736 X -119200.195 0.299 10 2.0 No Fixo
14/08/05 13:43:25.00 Y -42957.884 0.299
+03:18:15.00 Z -80843.324 0.297

PRGU220 - BASE220 150298.808 0.747 X -119200.002 0.304 9 2.1 No Fixo


14/08/08 13:41:10.00 Y -42958.363 0.305
+03:12:40.00 Z -80843.492 0.300

PRGU231 - BASE231 150298.816 0.822 X -119200.298 0.330 10 2.2 No Fixo


14/08/19 13:43:50.00 Y -42958.323 0.341
+01:09:30.00 Z -80843.093 0.329

SCCH217 - BASE217 104766.372 0.512 X 21421.933 0.208 10 2.0 No Fixo


14/08/05 13:43:25.00 Y -42632.741 0.208
+03:18:15.00 Z 93271.340 0.207

SCCH220 - BASE220 104766.220 0.553 X 21421.546 0.228 6 6.8 No Fixo


14/08/08 13:41:10.00 Y -42631.895 0.229
+03:12:40.00 Z 93271.645 0.215

SCCH231 - BASE231 104766.012 0.596 X 21421.491 0.238 10 2.1 No Fixo


14/08/19 13:43:50.00 Y -42631.637 0.248
+01:09:30.00 Z 93271.542 0.239
26

Vectores ajustados
VectorComprimento Vector Tau
Identificador de Vector Comprimento Resid. Componentes Resid. Teste QA
PRGU220 - BASE220 150298.808 0.000 X -119200.002 0.000 No
14/08/08 13:41:10.00 Y -42958.363 0.000
Z -80843.492 0.000

SCCH220 - BASE220 104766.220 0.000 X 21421.546 0.000 No


14/08/08 13:41:10.00 Y -42631.895 0.000
Z 93271.645 0.000
27

APÊNDICE B - Relatório de dados emitidos pelo software GNSS Solutions para


o transporte de coordenadas - Dia 217

Visão Geral do Levantamento de Terrenos

GNSS Solutions
(C) 2012 Trimble Navigation Limited. All rights reserved. Spectra Precision is a Division of
Trimble Navigation Limited.
19/11/2014 10:43:38
www.spectraprecision.com

Nome do Projecto: Projeto3092


Sistema de Referência Espacial: BRAZIL/SIRGAS 2000/UTM zone 22S
Fuso Horário: (UTC-03:00) Brasília
Unidades Lineares: Metros

Resumo do Sistema de Coordenadas

Sistema de coordenadas
Nome: BRAZIL/SIRGAS 2000/UTM zone 22S
Tipo: Projectado
Nome da Unidade: Metros
Metros por unidade: 1
Datum Vertical: Elipsóide
Unidade vertical: Metros
Metros por unidade: 1

Dado
Nome: SIRGAS 2000=ITRF00,2000.4,SOAM
Nome da Elipsóide: GRS 1980
Eixo Semi-maior: 6378137.000 m
Achatamento Inverso: 298.257222101
DX para WGS84: 0.0000 m
DY para WGS84: 0.0000 m
DY para WGS84: 0.0000 m
RX para WGS84: -0.000000 "
RY para WGS84: -0.000000 "
RZ para WGS84: -0.000000 "
ppm para WGS84: 0.000000000000

Projecção
Classe da Projecção: Transverse_Mercator
latitude_of_origin 0° 00' 00.00000"N
central_meridian 51° 00' 00.00000"W
scale_factor 0.999600000000
false_easting 500000.000 m
false_northing 10000000.000 m

Pontos de Controlo : 2
Pontos de Referência : 0
Pontos Registados : 1
Pontos Alvo : 0
Pontos Intermédios: 0
28

Pontos de Controlo
95%
Nome Componentes Erro Estado Erro de Controlo
PRGU Este 450952.308 0.000 Fixo
Norte 7192442.097 0.000 Fixo
Altura da elipse 1043.160 0.000 Fixo
Descrição PRGU

SCCH Este 341486.093 0.000 Fixo


Norte 6997318.540 0.000 Fixo
Altura da elipse 744.240 0.000 Fixo
Descrição SCCH

Pontos Registados
95%
Nome Componentes Erro Estado
BASE Este 331304.120 0.110 Ajustado
Norte 7101570.129 0.138 Ajustado
Altura da elipse 783.359 0.332 Ajustado
Descrição base123

Ficheiros
Nome Hora de InícioAmostragem ÉpocasTamanho (Kb) Tipo
BPM30B14.217 14/08/05 13:43:25 5 2271 1166 L1 GPS/WAAS
prgu2171.14o 14/08/04 21:00:00 15 5760 4798 L1/L2 GPS/GLONASS
scch2171.14o 14/08/04 21:00:00 15 5760 5594 L1/L2 GPS/GLONASS

Ocupações
Local Hora de InícioIntervalo de horas Tipo Ficheiro
BASE 5 agosto 2014 13:43:25.00 03:18:15.00 Static BPM30B14.217
PRGU 4 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static prgu2171.14o
SCCH 4 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static scch2171.14o

Processos
Referência Ficheiro de Referência Móvel Ficheiro Móvel Modo Núm
SCCH scch2171.14o BASE BPM30B14.217 Static 1
PRGU prgu2171.14o BASE BPM30B14.217 Static 2

Vectores processados
Vector 95% Vector 95%
Identificador de VectorComprimento Erro Componentes Erro SV PDOP QA Solução
PRGU - BASE 150298.733 0.736 X -119200.193 0.299 10 2.0 No Fixo
14/08/05 13:43:25.00 Y -42957.885 0.299
+03:18:15.00 Z -80843.324 0.297

SCCH - BASE 104766.372 0.512 X 21421.933 0.208 10 2.0 No Fixo


14/08/05 13:43:25.00 Y -42632.741 0.208
+03:18:15.00 Z 93271.340 0.207

Vectores ajustados
29

VectorComprimento Vector Tau


Identificador de Vector Comprimento Resid. Componentes Resid. Teste QA
PRGU - BASE 150298.733 0.000 X -119200.193 0.000 No
14/08/05 13:43:25.00 Y -42957.885 0.000
Z -80843.324 0.000

SCCH - BASE 104766.372 0.000 X 21421.933 0.000 No


14/08/05 13:43:25.00 Y -42632.741 0.000
Z 93271.340 0.000
30

APÊNDICE C - Relatório de dados emitidos pelo software GNSS Solutions para


o transporte de coordenadas - Dia 231

Visão Geral do Levantamento de Terrenos

GNSS Solutions
(C) 2012 Trimble Navigation Limited. All rights reserved. Spectra Precision is a Division of
Trimble Navigation Limited.
19/11/2014 10:51:54
www.spectraprecision.com

Nome do Projecto: Projeto3093


Sistema de Referência Espacial: BRAZIL/SIRGAS 2000/UTM zone 22S
Fuso Horário: (UTC-03:00) Brasília
Unidades Lineares: Metros

Resumo do Sistema de Coordenadas

Sistema de coordenadas
Nome: BRAZIL/SIRGAS 2000/UTM zone 22S
Tipo: Projectado
Nome da Unidade: Metros
Metros por unidade: 1
Datum Vertical: Elipsóide
Unidade vertical: Metros
Metros por unidade: 1

Dado
Nome: SIRGAS 2000=ITRF00,2000.4,SOAM
Nome da Elipsóide: GRS 1980
Eixo Semi-maior: 6378137.000 m
Achatamento Inverso: 298.257222101
DX para WGS84: 0.0000 m
DY para WGS84: 0.0000 m
DY para WGS84: 0.0000 m
RX para WGS84: -0.000000 "
RY para WGS84: -0.000000 "
RZ para WGS84: -0.000000 "
ppm para WGS84: 0.000000000000

Projecção
Classe da Projecção: Transverse_Mercator
latitude_of_origin 0° 00' 00.00000"N
central_meridian 51° 00' 00.00000"W
scale_factor 0.999600000000
false_easting 500000.000 m
false_northing 10000000.000 m

Pontos de Controlo : 2
Pontos de Referência : 0
Pontos Registados : 1
Pontos Alvo : 0
Pontos Intermédios: 0
31

Pontos de Controlo
95%
Nome Componentes Erro Estado Erro de Controlo
PRGU Este 450952.308 0.000 Fixo
Norte 7192442.097 0.000 Fixo
Altura da elipse 1043.160 0.000 Fixo
Descrição PRGU

SCCH Este 341486.093 0.000 Fixo


Norte 6997318.540 0.000 Fixo
Altura da elipse 744.240 0.000 Fixo
Descrição SCCH

Pontos Registados
95%
Nome Componentes Erro Estado
BASE Este 331303.997 0.129 Ajustado
Norte 7101569.876 0.139 Ajustado
Altura da elipse 782.141 0.398 Ajustado
Descrição base3

Ficheiros
Nome Hora de InícioAmostragem ÉpocasTamanho (Kb) Tipo
prgu2311.14o 14/08/18 21:00:00 15 5760 4781 L1/L2 GPS/GLONASS
scch2311.14o 14/08/18 21:00:00 15 5760 5599 L1/L2 GPS/GLONASS
BPM35E14.231 14/08/19 13:43:50 10 392 197 L1 GPS/WAAS

Ocupações
Local Hora de InícioIntervalo de horas Tipo Ficheiro
PRGU 18 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static prgu2311.14o
SCCH 18 agosto 2014 21:00:00.00 23:59:45.00 Static scch2311.14o
BASE 19 agosto 2014 13:43:50.00 01:09:30.00 Static BPM35E14.231

Processos
Referência Ficheiro de Referência Móvel Ficheiro Móvel Modo Núm
SCCH scch2311.14o BASE BPM35E14.231 Static 1
PRGU prgu2311.14o BASE BPM35E14.231 Static 2

Vectores processados
Vector 95% Vector 95%
Identificador de VectorComprimento Erro Componentes Erro SV PDOP QA Solução
PRGU - BASE 150298.816 0.822 X -119200.298 0.330 10 2.2 No Fixo
14/08/19 13:43:50.00 Y -42958.323 0.341
+01:09:30.00 Z -80843.093 0.329

SCCH - BASE 104766.012 0.596 X 21421.491 0.238 10 2.1 No Fixo


14/08/19 13:43:50.00 Y -42631.637 0.248
+01:09:30.00 Z 93271.542 0.239
32

Vectores ajustados
VectorComprimento Vector Tau
Identificador de Vector Comprimento Resid. Componentes Resid. Teste QA
PRGU - BASE 150298.816 0.000 X -119200.298 0.000 No
14/08/19 13:43:50.00 Y -42958.323 0.000
Z -80843.093 0.000

SCCH - BASE 104766.012 0.000 X 21421.491 0.000 No


14/08/19 13:43:50.00 Y -42631.637 0.000
Z 93271.542 0.000
33

APÊNDICE D - Relatório de dados emitidos pelo software GNSS Solutions para


ajuste de rede geodésica

Visão Geral do Levantamento de Terrenos

GNSS Solutions
(C) 2012 Trimble Navigation Limited. All rights reserved. Spectra Precision is a Division of
Trimble Navigation Limited.
19/11/2014 11:22:34
www.spectraprecision.com

Nome do Projecto: Projeto_Rede_Geodésica


Sistema de Referência Espacial: BRAZIL/SIRGAS 2000/UTM zone 22S
Fuso Horário: (UTC-03:00) Brasília
Unidades Lineares: Metros

Resumo do Sistema de Coordenadas

Sistema de coordenadas
Nome: BRAZIL/SIRGAS 2000/UTM zone 22S
Tipo: Projectado
Nome da Unidade: Metros
Metros por unidade: 1
Datum Vertical: Elipsóide
Unidade vertical: Metros
Metros por unidade: 1

Dado
Nome: SIRGAS 2000=ITRF00,2000.4,SOAM
Nome da Elipsóide: GRS 1980
Eixo Semi-maior: 6378137.000 m
Achatamento Inverso: 298.257222101
DX para WGS84: 0.0000 m
DY para WGS84: 0.0000 m
DY para WGS84: 0.0000 m
RX para WGS84: -0.000000 "
RY para WGS84: -0.000000 "
RZ para WGS84: -0.000000 "
ppm para WGS84: 0.000000000000

Projecção
Classe da Projecção: Transverse_Mercator
latitude_of_origin 0° 00' 00.00000"N
central_meridian 51° 00' 00.00000"W
scale_factor 0.999600000000
false_easting 500000.000 m
false_northing 10000000.000 m

Pontos de Controlo : 2
Pontos de Referência : 0
Pontos Registados : 6
Pontos Alvo : 0
Pontos Intermédios: 0
34

Pontos de Controlo
95%
Nome Componentes Erro Estado Erro de Controlo
BASE_220 Este 331304.136 0.000 Fixo
Norte 7101569.987 0.000 Fixo
Altura da elipse 782.729 0.000 Fixo
Descrição trevo

BASE_231 Este 331304.136 0.000 Fixo


Norte 7101569.987 0.000 Fixo
Altura da elipse 782.729 0.000 Fixo
Descrição base3

Pontos Registados
95%
Nome Componentes Erro Estado
P1 Este 331204.415 0.001 Processado (Estático)
Norte 7101627.364 0.001 Processado (Estático)
Altura da elipse 796.047 0.002 Processado (Estático)
Descrição PISTA

P1 Este 331304.136 0.002 Ajustado


Norte 7101569.987 0.002 Ajustado
Altura da elipse 782.729 0.002 Ajustado
Descrição PISTA

P2 Este 331046.182 20.721 Estimado


Norte 7101564.110 20.783 Estimado
Altura da elipse 812.195 20.455 Estimado
Descrição marco

P2 Este 331304.136 0.002 Ajustado


Norte 7101569.987 0.002 Ajustado
Altura da elipse 782.729 0.002 Ajustado
Descrição ARVORES

P3 Este 331010.062 0.001 Processado (Estático)


Norte 7101380.914 0.001 Processado (Estático)
Altura da elipse 832.638 0.003 Processado (Estático)
Descrição morro'

P3 Este 331304.136 0.002 Ajustado


Norte 7101569.987 0.002 Ajustado
Altura da elipse 782.729 0.002 Ajustado
Descrição morro10

Ficheiros
Nome Hora de InícioAmostragem ÉpocasTamanho (Kb) Tipo
B1234A14.220 14/08/08 13:53:20 10 180 79 L1 GPS/WAAS
BPM34A14.231 14/08/19 13:46:50 10 183 90 L1 GPS/WAAS
BPM32D14.220 14/08/08 15:33:40 10 183 79 L1 GPS/WAAS
BPM36B14.220 14/08/08 13:41:10 10 1125 563 L1 GPS/WAAS
BPM35E14.231 14/08/19 13:43:50 10 392 197 L1 GPS/WAAS
BPM34A14.309 14/11/05 13:53:20 10 216 81 L1 GPS/WAAS
BPM35B14.309 14/11/05 13:59:10 10 184 73 L1 GPS/WAAS
BPM36A14.309 14/11/05 13:35:50 10 365 150 L1 GPS/WAAS
35

Ocupações
Local Hora de InícioIntervalo de horas Tipo Ficheiro
P1 8 agosto 2014 13:53:20.00 00:31:10.00 Static B1234A14.220
P2 19 agosto 2014 13:46:50.00 00:32:20.00 Static BPM34A14.231
P3 8 agosto 2014 15:33:40.00 00:32:10.00 Static BPM32D14.220
BASE_220 8 agosto 2014 13:41:10.00 03:12:40.00 Static BPM36B14.220
BASE_231 19 agosto 2014 13:43:50.00 01:09:30.00 Static BPM35E14.231
P3 5 novembro 2014 13:53:20.00 00:37:30.00 Static BPM34A14.309
P1 5 novembro 2014 13:59:10.00 00:31:30.00 Static BPM35B14.309
P2 5 novembro 2014 13:35:50.00 01:03:00.00 Static BPM36A14.309

Processos
Referência Ficheiro de Referência Móvel Ficheiro Móvel Modo Núm
BASE_220 BPM36B14.220 P3 BPM32D14.220 Static 1
BASE_220 BPM36B14.220 P1 B1234A14.220 Static 2
BASE_231 BPM35E14.231 P2 BPM34A14.231 Static 3
P2 BPM36A14.309 P3 BPM34A14.309 Static 4
P2 BPM36A14.309 P1 BPM35B14.309 Static 5
P3 BPM34A14.309 P1 BPM35B14.309 Static 6

Vectores processados
Vector 95% Vector 95%
Identificador de VectorComprimento Erro Componentes Erro SV PDOP QA Solução
P2 - P1 171.203 0.009 X 134.127 0.004 8 2.2 Fixo
14/11/05 13:59:10.00 Y 86.437 0.004
+00:31:30.00 Z 62.042 0.003

P2 - P3 187.871 0.005 X -68.408 0.002 9 2.0 Fixo


14/11/05 13:53:20.00 Y 26.232 0.002
+00:37:30.00 Z -172.997 0.001

P3 - P1 316.042 0.003 X 202.524 0.001 9 2.0 Fixo


14/11/05 13:59:10.00 Y 60.217 0.001
+00:31:30.00 Z 235.033 0.001

BASE_220 - P1 114.616 0.001 X -63.846 0.001 10 1.8 Fixo


14/08/08 13:53:20.00 Y -79.247 0.001
+00:31:10.00 Z 52.731 0.000

BASE_220 - P3 351.664 0.003 X -266.412 0.001 10 2.0 Fixo


14/08/08 15:33:40.00 Y -139.465 0.001
+00:32:10.00 Z -182.322 0.001

BASE_231 - P2 258.331 0.009 X -197.956 0.004 12 1.5 Fixo


14/08/19 13:46:50.00 Y -165.715 0.004
+00:32:20.00 Z -9.320 0.003

Vectores ajustados
VectorComprimento Vector Tau
Identificador de Vector Comprimento Resid. Componentes Resid. Teste QA
P2 - P1 171.203 0.000 X 134.127 0.000
14/11/05 13:59:10.00 Y 86.437 0.000
Z 62.042 0.000
P2 - P3 187.871 0.000 X -68.408 0.000
14/11/05 13:53:20.00 Y 26.232 0.000
Z -172.997 0.000
36

P3 - P1 316.042 0.000 X 202.524 0.000


14/11/05 13:59:10.00 Y 60.217 0.000
Z 235.033 0.000

BASE_220 - P1 114.616 0.000 X -63.846 0.000


14/08/08 13:53:20.00 Y -79.247 0.000
Z 52.731 0.000

BASE_220 - P3 351.664 0.000 X -266.412 0.000


14/08/08 15:33:40.00 Y -139.465 0.000
Z -182.322 0.000

BASE_231 - P2 258.331 0.000 X -197.956 0.000


14/08/19 13:46:50.00 Y -165.715 0.000
Z -9.320 0.000 0.000

Você também pode gostar