Você está na página 1de 194

Manual do

Proprietário,
Garantia e Manutenção

FordF-350 / F-4000
AC35 19A321 BE

Capa F-350-F-4000.pmd 1 3/3/2010, 13:50


Centro de Atendimento Ford

0800-703-FORD
Digite 0800-703 e depois as
teclas que têm as letras
FORD no seu aparelho

FORD DEF
3
MNO
6
PQRS
7
DEF
3

2 3 4 Capa M Proprietario F-350 - F-4000LWB.pmd


2 3/3/2010, 13:51
2 3 4 Capa M Proprietario F-350 - F-4000LWB.pmd
3 3/3/2010, 13:51
INFORMAÇÕES ÚTEIS NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO
Capacidade do tanque de combustível:..........................110l (F-350)
150l (F-4000)

Capacidade do cárter incluindo troca do filtro: 10,5 l


Capacidade do líquido de arrefecimento do motor: 19 l (aprox.)

Óleo do motor recomendado:


Motorcraft SAE 15W40 - CI-4
Eixo traseiro convencional: Motorcraft SAE 85W140
Eixo traseiro anti-derrapante: Texaco Multigear LS SAE 85W140GLS
Fluido da embreagem: DOT 3 Especificação - SAE J1703
Fluido de freio: DOT 4
Fluido da transmissão: Motorcraft SAE 80W90 - API GL 4

PRESSÃO DOS PNEUS DIANT. TRAS.


F-350 LT 265/75R16 - 123/120R 40 40
F-4000 7,50R X 16F - 12PR 75 75

2 3 4 Capa M Proprietario F-350 - F-4000LWB.pmd


4 3/3/2010, 13:51
Prezado (a) Cliente,

A Ford Motor Company Brasil tem se empenhado em


desenvolver políticas que priorizam o meio-ambiente e a educação
nas comunidades nas quais atua, por reconhecer que o respeito ao
ser humano e à natureza são premissas fundamentais para o
desenvolvimento econômico sustentável e para uma sociedade mais
justa.
Por isso a Ford reafirma seu compromisso com o meio-ambiente e
sua responsabilidade social e passa a utilizar, em todas as
literaturas de bordo de seus veículos, papel reciclado.
O papel reciclado é o resultado de um processo que oferece
benefícios à natureza e à sociedade, uma vez que gera economia de
energia, de água e produtos industriais, além de reduzir a
quantidade de materiais descartados no meio ambiente.
A Ford acredita que as empresas têm a capacidade e o dever de
agir de forma ambiental e socialmente responsável, gerando o menor
impacto possível na natureza e contribuindo para o desenvolvimento
econômico e social. Temos orgulho de fazer parte do grupo de
empresas que utiliza o papel reciclado em larga escala no Brasil, e
esperamos que este grupo só aumente. Isso porque acreditamos
que ações como essa podem, de fato, tornar o mundo em que
vivemos melhor.

Cap 1 Apresentacao.pmd 1 11/5/2010, 15:28


Apresentação
Identificação
Identificação do Veículo Data da aquisição

Nº de série

T.M.A 123
Modelo do veículo
123
123
123
Identificação do Proprietário
Nome

Endereço

Nº Complemento
1234
1234
1234
Cidade 1234
Estado
1234
1234
1234
DDD Telefone
123 CEP
123
123 123
123 123 -
E-mail

Identificação do Distribuidor
Código

Nome

Cidade Estado
1234
1234
1234
DDD 123
Telefone
123
123 -
123
E-mail

1-2

Cap 1 Apresentacao.pmd 2 11/5/2010, 15:28


Apresentação

Ao Proprietário

Parabéns pela aquisição do seu Ford F-350 / F-4000.


Bem vindo à uma nova definição de qualidade.
Este veículo foi projetado com a mais moderna tecnologia, reunindo num
só veículo estilo, excelente dirigibilidade e dinamismo.
O seu melhor conhecimento permitirá que você usufrua ao máximo tudo
o que um Ford F-350 / F-4000 pode oferecer. Por esta razão,
recomendamos a leitura cuidadosa das publicações entregues com o
veículo.
Além das informações aqui contidas, a Ford coloca à sua disposição o
Disk Ford Caminhões, para auxiliá-lo de forma personalizada, o SOS
Ford - programa de assistência 24 horas para situações de imobilização
do veículo, além da rede de Distribuidores Ford altamente treinada.

MP F-350 / F-4000 - Edição Julho 2010

1-3

Cap 1 Apresentacao.pmd 3 11/5/2010, 15:28


Apresentação
IMPORTANTE A Ford Motor Company Brasil
Ltda. reserva-se o direito de, a
As informações aqui contidas
qualquer tempo, revisar, modificar,
referem-se a um veículo Ford
descontinuar ou alterar qualquer
F-350 / F-4000 equipado com
característica de seus produtos,
todos os opcionais e
sem prévio aviso.
equipamentos disponíveis.
Nenhuma dessas ações gerará por
O seu Ford F-350 / F-4000
poderá não dispor de todos os si qualquer obrigação ou
equipamentos mostrados neste responsabilidade para a Ford ou
manual. para o vendedor face ao cliente.
Os dados contidos no manual são Fica proibida a reprodução total ou
meramente informativos do modo parcial desta publicação, assim
de usar cada equipamento, não como de suas ilustrações ou ainda
constituindo qualquer garantia traduções, gravações e fotocópias
quanto à existência, às da mesma, por meios mecânicos
características técnicas ou a ou eletrônicos, sem a permissão
forma deles em seu veículo. prévia da Ford Motor Company
As ilustrações, informações Brasil Ltda.
técnicas e especificações desta
publicação eram as vigentes até o
momento de sua impressão.

1-4

Cap 1 Apresentacao.pmd 4 11/5/2010, 15:28


Apresentação
CENTRO DE ATENDIMENTO ACESSÓRIOS
FORD ORIGINAIS FORD

O SOS Ford Caminhões é o seu


canal direto com a Ford para obter
informações e tirar dúvidas.
Dispõe de uma ampla estrutura,
atendendo 24 horas por dia, 365 A Ford oferece uma linha completa
dias por ano. de acessórios para equipar o seu
Você pode contatá-lo através do veículo.
telefone 0800-703 FORD . “Qualidade, garantia, procedência
e preço competitivo” é o que você
ganha ao optar por acessórios
Centro de Atendimento Ford originais Ford, os quais são
desenvolvidos dentro da mais alta
0800-703-FORD qualidade e tecnologia.
Digite 0800-703 e depois as Consulte um Distribuidor Ford ou
teclas que têm as letras pelo site: www.ford.com.br
FORD no seu aparelho

FORD DEF
3
MNO
6
PQRS
7
DEF
3

1-5

Cap 1 Apresentacao.pmd 5 11/5/2010, 15:28


Apresentação
SITES FORD www.forddistribuidores.com.br
Neste site, encontre o Distribuidor
Para estreitar ainda mais o
mais próximo de você e
relacionamento com os seus
informações sobre os serviços e
clientes, a Ford possui
promoções de nossa rede.
diversos websites que
atendem diferentes www.fordkids.com.br Site com
necessidades. De configurador games educativos e outras
de velocidade a preços de atrações para as crianças, futuros
acessórios e lista de consumidores Ford.
distribuidores, você encontra www.classicosford.com.br Site
tudo em nossos websites. Veja que reúne informações sobre a
um resumo do que cada um história da Ford, a comemoração
deles oferece: de seu centenário e outros dados
www.ford.com.br Site para amantes da marca.
institucional da Ford, portal de www.fordcaminhoes.com.br
acesso a todos os sites da marca, Site institucional da área de
com informações institucionais, de Caminhões, com informações para
produtos, serviços e rede de empresas e caminhoneiros. Possui
distribuidores, entre outras. Possui configurador de veículos, para
configurador de veículos e de ajudar você a fazer melhor negócio
acessórios e informações em transporte.
detalhadas de toda a linha Ford,
www.fordcredit.com.br Site
com imagens externas, internas e
institucional da Ford Credit, braço
fotos 360º, para que os clientes
financeiro da Ford, para
possam escolher o produto que
interessados em serviços
mais se adequa às suas
financeiros. Possui simulador de
necessidades.
financiamento e diversas
www.clubedopicapeiro.com.br informações sobre promoções e
Desenvolvido para os outras atividades da empresa.
consumidores Raça Forte, é a
www.consorcionacionalford.com.br
comunidade virtual dos picapeiros
Site para interessados em
Ford e conta com as dicas de
consórcio, com informações
trilhas, promoções especiais e
detalhadas e serviços, como o
notícias exclusivas. A inscrição no
acompanhamento online dos
Clube é gratuita e só é feita pelo
leilões.
site.

1-6

Cap 1 Apresentacao.pmd 6 11/5/2010, 15:28


Apresentação
PEÇAS GENUÍNAS FORD

Ao fazer uma revisão ou


manutenção em um Distribuidor
Ford você conta com um grande
diferencial: Peças Genuínas
Ford.
Ao instalar peças genuínas Ford
você adquire além de qualidade,
garantia e tranquilidade.
A Ford oferece também as
melhores ofertas do mercado para
suas peças, com profissionais
treinados e qualificados para uma
instalação segura e rápida.
Para maiores informações procure
um Distribuidor Ford.

* Garantia de 12 meses para todas as peças


genuínas Ford somente compradas e instaladas
nos Distribuidores Ford. Esta garantia não se
enquadra quando caracterizado desgaste natural e
/ou mau uso da peça.

1-7

Cap 1 Apresentacao.pmd 7 11/5/2010, 15:28


Cap 1 Apresentacao.pmd 8 11/5/2010, 15:28
Capítulo 2

Conteúdo

Cap 2 Conteudo.pmd 1 11/5/2010, 15:28


Cap 2 Conteudo.pmd 2 11/5/2010, 15:28
Conteúdo

Conheça antes de dirigir


Introdução Cap. 3
3
Painel de instrumentos Cap. 4

Comandos e equipamentos Cap. 5

Bancos e sistemas de proteção Cap. 6

Partida e condução do veículo


Partida Cap. 7

Condução Cap. 8

Dados e informações importantes


O que fazer numa emergência Cap. 9
,
Manutenção e conservação Cap. 10

Dados técnicos Cap. 11

Tabela de lubrificação e manutenção Cap. 12

Garantia do produto Cap. 13

Controle de poluição ambiental Cap. 14

Plano de manutenção preventiva Cap. 15

Índice Cap. 16

2-3

Cap 2 Conteudo.pmd 3 11/5/2010, 15:28


Cap 2 Conteudo.pmd 4 11/5/2010, 15:28
Capítulo 3

Introdução

Cap 3 Introducao.pmd 1 11/5/2010, 15:29


Introdução
MANUAIS QUE COMPÕEM MANUAL BÁSICO DE
A LITERATURA DE BORDO SEGURANÇA NO TRÂNSITO
MANUAL DO PROPRIETÁRIO, Elaborado pela ABETRAN -
GARANTIA E MANUTENÇÃO Associação Brasileira de
Educadores de Trânsito, contém
Contém informações sobre o normas de circulação, infrações,
manuseio do veículo, conselhos e penalidades, noções de direção
indicações para se obter uma defensiva e primeiros socorros.
condução mais econômica e
segura, dados sobre a garantia do
produto e as operações de LISTA DE DISTRIBUIDORES
manutenção nas revisões, bem FORD
como os intervalos em que estas Contém endereços e telefones dos
deverão ser efetuadas. Distribuidores Ford, além de
Antes de dirigir o seu Ford F-350 / serviços adicionais disponíveis na
F-4000 pela primeira vez, é data da publicação. Mantenha-o
recomendável a leitura cuidadosa sempre a mão e consulte-o
deste manual, o qual descreve, sempre que necessitar.
independentemente do modelo,
todos os equipamentos que SÍMBOLOS DE AVISO NAS
possam vir a equipá-lo, ou não, LITERATURAS DE BORDO
para familiarização. Este símbolo aparecerá
Deve lembrar-se que o não sempre que cuidados
cumprimento do programa regular especiais, na execução de
de revisão, lubrificação e determinada operação, forem
manutenção implica na perda da necessários.
validade da garantia. É, portanto, Este símbolo indica
de fundamental importância cuidados especiais para a
submeter o veículo às revisões preservação do meio ambiente.
periódicas, nos períodos indicados A defesa do meio ambiente é
na “Tabela de lubrificação e responsabilidade de todos.
manutenção”.
i Este símbolo aparecerá
sempre que houver
necessidade de se consultar o
capítulo indicado para executar
determinada operação.

3-2

Cap 3 Introducao.pmd 2 11/5/2010, 15:29


Introdução
SÍMBOLO DE AVISO NO SÍMBOLOS DE AVISO NA
VEÍCULO BATERIA
Ao encontrar no veículo Alguns dos símbolos abaixo
estes símbolos poderão estar na bateria do seu
combinados, leia as veículo.
respectivas instruções, neste
manual, antes de tocar em algo ou Na recarga da bateria
tentar fazer qualquer reparo. forma-se uma mistura de
gases altamente explosivas.
Estes símbolos
combinados alertam sobre
A bateria deverá ser
as peças de alta tensão.
guardada fora do alcance de
Jamais toque nestas peças
crianças.
com o motor ou a ignição ligados.
O eletrólito da bateria
Estes símbolos combinados, (ácido) é fortemente
representam que o manual corrosivo. Use sempre luvas
! deve ser consultado para e óculos de proteção. Na
informações sobre os eventualidade de contato de
componentes da caixa de fusíveis. eletrólito com os olhos, lave-os
imediatamente com água fria e
procure, em seguida, por cuidados
médicos. Na eventualidade de
ingestão de eletrólito procure
imediatamente por cuidados
médicos.
É proibido provocar faíscas
ou fumar próximo da
bateria. No manuseio de cabos e
aparelhos elétricos evitar a
formação de faíscas e curto-
circuitos. Jamais feche os
circuitos entre os pólos da bateria.
Perigo de lesão provocada por
faísca com elevada descarga
elétrica.

3-3

Cap 3 Introducao.pmd 3 11/5/2010, 15:29


Introdução
PRIORIDADE AO MEIO "Este veículo está em
AMBIENTE conformidade com a
legislação vigente de controle
A defesa do meio ambiente
da poluição sonora para
é responsabilidade de todos.
A utilização correta do veículo e a veículos automotores".
destinação adequada de produtos Limite máximo de ruído para
de limpeza e lubrificantes usados, fiscalização de veículo em
contribuem para atenuar de forma circulação:
ativa a poluição do meio
ambiente. Os textos marcados Motor
com o símbolo acima fornecem as Motor Cummins 3.9 l
informações necessárias a este F-350/F-4000.................96,0 dB(A)
respeito. (3/4 da velocidade da potência
A correta manutenção do veículo, máxima do motor)
de acordo com as recomendações
do fabricante, é fator indispensável Amaciamento
à redução da poluição do ar Não existe recomendações
ambiente, conforme resolução específicas para o amaciamento
CONAMA Nº 18/86 e 15/95. do seu veículo. Deve-se
Em atendimento ao estabelecido simplesmente evitar dirigir de
pela Legislação vigente, seu
forma severa durante os primeiros
veículo está equipado com um
sistema que elimina a emissão de 1.500 km.
poluentes resultantes da Deve-se variar frequentemente de
evaporação do combustível. velocidades e passar para as
Mantenha a tampa do bocal de relações de transmissão mais altas
abastecimento sempre bem no momento adequado. Isto
fechada. A substituição da referida contribuirá para o amaciamento
tampa por uma outra de diferente dos componentes. Deve-se evitar
modelo poderá comprometer a freadas violentas. Para tanto:
eficácia do controle de emissões,
visto que a tampa é dotada de  Verifique cuidadosamente as
válvulas especiais. condições de tráfego de maneira
Os demais componentes do a antecipar as paradas;
sistema dispensam manutenção.
 inicie a frenagem
Na hipótese de ser necessária a
realização de reparos no sistema, antecipadamente;
tais trabalhos deverão ser  aplique os freios de maneira
efetuados por um Distribuidor gradual;
Ford.
3-4

Cap 3 Introducao.pmd 4 11/5/2010, 15:29


Introdução

O tempo necessário para o correto Aviso aos proprietários de


assentamento das guarnições do veículo F-350 / F-4000
freio é de 150 km no uso urbano O veículo F-350 / F-4000 de
ou 1.500 km na estrada. acordo com a Lei nº 9.503, de 23
A partir dos primeiros 1.500 km, de setembro de 1997 (Código de
pode-se aumentar gradualmente a Trânsito Brasileiro), tem a
velocidade de condução até os classificação "caminhão", na
valores máximos permitidos. espécie veículo de carga, estando
sujeito a todas as restrições legais
Aviso aos proprietários de de circulação e estacionamento
veículo do tipo utilitário impostas a tais veículos, inclusive
em relação a obrigatoriedade de
Antes de dirigir o veículo, leia com pesagem em balanças e à
atenção este Manual do exigência de que o seu condutor
Proprietário. O veículo não é do possua a CNH - Carteira Nacional
tipo passeio. Do mesmo modo de Habilitação da categoria "C".
que para outros veículos desse
tipo, a operação incorreta do
SISTEMA DE LOCALIZAÇÃO E
mesmo pode resultar em perda de
BLOQUEIO DO VEÍCULO
controle ou em acidente.
Em cumprimento a Resolução
Veículos utilitários possuem CONTRAN nº245, Portarias
centro de gravidade mais DENATRAN nº47, 102 e 253 e
elevado do que a maioria dos deliberações do DENATRAN 82/09
automóveis. Devido a essa e 83/09, este veículo esta
característica, esses veículos equipado com um sistema de
apresentam comportamento localização e bloqueio. Para
diferenciado dos automóveis. maiores informações sobre o
Assim, especialmente nas sistema, consultar o livreto em
curvas ou mudanças de faixa de anexo "Sistema de localização
rolamento, o risco de e bloqueio do veículo".
capotagem é maior, devendo o
condutor ter maior atenção e
prudência nessas situações.

3-5

Cap 3 Introducao.pmd 5 11/5/2010, 15:29


Introdução
Manual do Implementador
Outras informações podem ser
obtidas consultando-se o Manual
do Implementador disponível no
site: www.fordcaminhoes.com.br
O Manual do Implementador traz,
entre outras informações,
especificações técnicas,
instalação de implementos e
equipamentos, circuitos de freios
e de combustível e diagramas
elétricos dos Caminhões Ford.

3-6

Cap 3 Introducao.pmd 6 11/5/2010, 15:29


Capítulo 4

Painel de
instrumentos

Cap 4 Painel.pmd 1 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos
Controle do indicador direcional
Controles do limpador / lavador Conjunto de
do pára-brisa instrumentos
Saídas pág. 5-4 pág. 4-4
de ar
pág. 5-5

( ! )

Interruptor
dos faróis Caixa de
pág. 5-2 fusíveis
pág. 9-3
Controle da
intensidade luminosa
do painel
pág 5-2

4-2

Cap 4 Painel.pmd 2 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos

Compartimento
do rádio
Controle de tração
pág. 5-10

Sistema de Cinzeiro
controle pág. 5-9
climático
pág. 5-5 Acendedor
de cigarros
pág. 5-9

4-3

Cap 4 Painel.pmd 3 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos
INSTRUMENTOS
F-350
( ! )

F-4000

( ! )

4x4

! 4x4
LOW

BAIXO NÍVEL DE LUZ INDICADORA DO


COMBUSTÍVEL SISTEMA DE LOCALIZAÇÃO E
BLOQUEIO DO VEÍCULO

Acende-se como advertência


antecipada de uma condição de
!
Quando a ignição é ligada, a luz
baixo nível de combustível, acende-se por instantes para
mostrada no indicador de confirmar que o sistema está
combustível. A luz acende-se operacional. Se permanecer acesa
quando aproximadamente 1/16 da ou piscando, pode estar indicando
capacidade do reservatório estiver uma falha no sistema de
indicada no indicador de localização e bloqueio. Para
combustível (consulte Indicador de maiores informações sobre a luz
combustível, neste capítulo, para indicadora do sistema de
maiores informações). A chave de localização e bloqueio, consulte o
ignição deverá estar na posição adendo anexo.
LIGADO. A luz irá acender-se
também por alguns segundos após
a chave de ignição ser girada para a
posição LIGADO, independentemente
do nível de combustível.

4-4

Cap 4 Painel.pmd 4 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos
LUZ DE ADVERTÊNCIA DE Deixar a água no sistema
ÁGUA NO COMBUSTÍVEL pode resultar em sérios
(DIESEL) danos ou falha no sistema de
injeção de combustível.

Não escoe a água do


filtro separador com o
motor funcionando. O
combustível pode inflamar.
Acende com a chave de ignição
na posição LIGADO indicando que LUZ DE ADVERTÊNCIA DO
o sistema está operacional, SISTEMA DE FREIOS
apagando em seguida.

(!(
Durante o reabastecimento, é
possível que óleo diesel
contaminado por água seja
bombeado para o reservatório de
combustível. O sistema de
combustível do veículo é equipado A luz de advertência do sistema
com um filtro de combustível/ de freios acende-se quando a
separador de água. A luz chave de ignição for girada para a
indicadora no painel acende posição LIGADO indicando estar o
quando o filtro de combustível/ sistema de freio operacional,
separador de água tiver uma apagando-se em seguida. Se a luz
quantidade significativa de água. acender com o veículo em
Se a luz acender com o motor em movimento indica baixo nível de
funcionamento, pare o veículo fluido de freio.
assim que possível, desligue o Complete o nível se necessário,
motor e escoe a água do filtro. conforme indicado no capítulo
Para maiores informações, "Manutenção e conservação", item
consulte o item "Filtro separador "fluido de freio". Se permanecer
de água", no capítulo acesa procure um Distribuidor
"Manutenção e conservação". Ford.

4-5

Cap 4 Painel.pmd 5 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos
LUZ DE ADVERTÊNCIA DO FARÓIS ALTOS
FREIO DE ESTACIONAMENTO

(P( Acende-se quando os faróis altos


Apaga-se quando o freio de forem ligados.
estacionamento é liberado.
INDICADOR DIRECIONAL SISTEMA DE CARGA

Acende-se quando for acionado o


indicador direcional para a Acende-se quando a chave de
esquerda ou para a direita, ou ignição for girada para a posição
quando as luzes externas de LIGADO e o motor estiver
advertência (pisca-alerta) forem desligado. A luz também acende
ligadas. Se um ou ambos os quando o sistema de carga não
indicadores acenderem-se estiver carregando a bateria,
continuamente ou piscarem mais havendo necessidade de reparo
rapidamente, verifique se há no sistema elétrico.
alguma lâmpada do indicador
direcional queimada. Consulte LUZ INDICADORA DO
Substituição das lâmpadas, no TACÓGRAFO
capítulo Manutenção e (se equipado)
conservação.

PORTA ABERTA

Acende-se para indicar a


existência de mensagens no
tacógrafo. Consulte o manual de
instruções de serviço do
Acende-se quando a chave de equipamento.
ignição estiver na posição LIGADO
ou PARTIDA e qualquer porta
estiver aberta.

4-6

Cap 4 Painel.pmd 6 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos
LUZ INDICADORA DE Se a luz de advertência
TRAÇÃO NAS QUATRO permanecer acesa mesmo
RODAS (se equipado) após ter sido completado até o
nível MÁX., não continue a
4x4 viagem. Encaminhe o veículo a
um Distribuidor Ford para a
Acende quando a tração nas
verificação do motor.
quatro rodas sem reduzida for
ativada.
LUZ DE ADVERTÊNCIA DE
LUZ INDICADORA DE TEMPERATURA
TRAÇÃO NAS QUATRO
RODAS - REDUZIDA
(se equipado)

4x4
Quando a ignição é ligada, a luz
Low acende-se por instantes para
Acende quando a tração nas confirmar que o sistema está
quatro rodas com reduzida for operacional.
ativada. Esta lâmpada acende Se acender com o motor em
junto com a 4 x 4. funcionamento, o motor estará em
superaquecimento. Pare
LUZ DE ADVERTÊNCIA DE
imediatamente e desligue a
PRESSÃO DO ÓLEO
ignição. Aguarde até que o motor
esfrie e, se necessário, complete o
nível do líquido de arrefecimento.
Se o motor voltar a superaquecer,
Se a luz acender com o motor em procure um Distribuidor Ford.
funcionamento, pare
imediatamente, Nunca retire a tampa do
desligue a ignição e verifique o reservatório do líquido de
nível do óleo do motor. Complete arrefecimento enquanto o motor
imediatamente se estiver abaixo estiver quente. Não dê partida
do nível MÍN. Consulte óleo do no motor sem ter solucionado o
motor, no capítulo manutenção e problema.
conservação.

4-7

Cap 4 Painel.pmd 7 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos
INDICADORES

( ! )

INDICADOR DE
AVISO SONORO DE
COMBUSTÍVEL
ADVERTÊNCIA DE CHAVE NA
IGNIÇÃO
Soa quando a chave for deixada
na ignição nas posições
DESLIGADO/TRAVA ou ACC e a
porta do motorista for aberta.

AVISO SONORO DE Indica aproximadamente a


ADVERTÊNCIA DOS FARÓIS quantidade de combustível
ACESOS remanescente no reservatório
(quando a ignição estiver na
Soa quando os faróis ou as luzes
posição LIGADO). O indicador de
de posição estiverem ligados, a
combustível pode variar
ignição na posição DESLIGADO (e
ligeiramente com o veículo em
a chave não estiver na ignição) e a
movimento. A ignição deve estar
porta do motorista for aberta.
na posição DESLIGADO enquanto
o veículo for reabastecido. Quando
o instrumento indicar vazio, ainda
existe uma pequena quantidade
de combustível no reservatório.
Quando se reabastecer o veículo
com indicação de vazio, a
quantidade de combustível a ser
acrescida será menor que a
capacidade total indicada no
manual, devido à reserva de
combustível.
4-8

Cap 4 Painel.pmd 8 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos
INDICADOR DA Este medidor indica a temperatura
TEMPERATURA DO LÍQUIDO do líquido de arrefecimento do
DE ARREFECIMENTO DO motor e não o nível do líquido. Se
MOTOR o líquido de arrefecimento não
estiver no nível correto, a
indicação do medidor não será
precisa.

De modo a atender os
novos níveis de emissões
gasosas, em condições normais
de funcionamento, o motor do
À temperatura normal de seu veículo trabalha em
funcionamento, o ponteiro deve temperaturas mais elevadas,
permanecer dentro da faixa podendo o ponteiro do indicador
normal. Se entrar na faixa de temperatura operar próximo
vermelha, o motor está super- da faixa vermelha, sem que isto
aquecido. Pare o veículo em lugar represente risco ao motor. Caso
seguro, desligue imediatamente o o ponteiro atinja o início da faixa
motor e deixe-o esfriar. Consulte vermelha do indicador, a luz
Líquido de arrefecimento do correspondente no painel dos
motor, no capítulo Manutenção e instrumentos acenderá. Neste
conservação. caso pare o veículo em local
seguro e verifique o sistema de
arrefecimento conforme indicado
Nunca remova a tampa do no capítulo Manutenção e
reservatório do líquido de conservação do Manual do
arrefecimento enquanto o motor Proprietário. Se a luz voltar a
estiver funcionando ou quente. acender procure os serviços de
um Distribuidor Ford.

4-9

Cap 4 Painel.pmd 9 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos
VELOCÍMETRO
F-350 F-4000

Hodômetro total Hodômetro parcial

Registra a quilometragem total O hodômetro parcial registra o


percorrida pelo veículo, com a total de quilômetros percorridos
chave de ignição na posição pelo veículo num determinado
LIGADO. percurso.

 Para verificar a distância


percorrida, pressione o botão
uma vez em menos de 2
segundos, para alterar a
indicação de modo
"relógio digital" para modo
"hodômetro parcial".
 Para zerar o hodômetro parcial,
pressione o botão e mantenha-o
pressionado.

4-10

Cap 4 Painel.pmd 10 11/5/2010, 15:28


Painel de instrumentos
TACÔMETRO TACÓGRAFO - SEMANAL
(se equipado)
Incorpora hodômetro,
velocímetro e relógio

Indica a rotação do motor em rpm.


O funcionamento do motor na faixa
vermelha, por períodos
prolongados, pode causar danos
ao mesmo. Localiza-se atrás do banco do
RELÓGIO DIGITAL motorista, e é acessado
rebatendo-se o mesmo.
Os discos de controle do
tacógrafo devem ser substituídos
ao término do período pré-
estabelecido de acordo com o tipo
do instrumento, ou seja, a cada 24
horas para tacógrafos diários e a
Pressione uma vez em menos de 2 cada sete dias para tacógrafos
segundos, para alterar a indicação semanais.
de modo "hodômetro parcial para Para maiores detalhes de
o modo "relógio digital". operação e funcionamento vide o
Pressione o botão e mantenha-o Manual de instruções fornecido
pressionado até que os digitos pelo fabricante do Instrumento.
das horas fiquem na posição de
ajuste (intermitente), acerte as
horas pressionando o botão.
Pressione o botão e mantenha-o
até que os digitos dos minutos
fiquem na posição de ajuste
(intermitente), acerte minutos
pressionando o botão.
Pressione novamente o botão para
a memorização dos ajustes.

4-11

Cap 4 Painel.pmd 11 11/5/2010, 15:28


Cap 4 Painel.pmd 12 11/5/2010, 15:28
Capítulo 5

Comandos e
equipamentos

Cap 5 Comandos.pmd 1 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
CONTATO E PARTIDA INTERRUPTOR DAS LUZES

1. ACESSÓRIOS –permite que os


acessórios elétricos, tais como o Gire o interruptor dos faróis para a
rádio, funcionem enquanto o primeira posição , para ligar as
motor não estiver funcionando. luzes de posição somente. Gire
para a segunda posição para
2. TRAVAMENTO – trava o ligar também os faróis baixos.
volante da direção, e permite a
remoção da chave.
CONTROLE DA INTENSIDADE
3. DESLIGADO – desliga o motor e
LUMINOSA DO PAINEL
todos os acessórios sem travar
o volante da direção.
4. LIGADO – todos os circuitos
elétricos estão operacionais. As
luzes de advertência acendem-se.
É a posição da chave durante a
condução.
5. PARTIDA – dá partida ao
motor. Solte a chave assim que Utilizado para reduzir ou aumentar
o motor funcionar. a intensidade luminosa do painel
de instrumentos durante o
funcionamento dos faróis e das
luzes de posição.
 Gire para cima para aumentar a
intensidade.
 Gire para baixo para diminuir a
intensidade.
 Gire para cima até ouvir um
estalo (click), característico para
acender a luz de cortesia interna.

5-2

Cap 5 Comandos.pmd 2 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
LUZ DE CORTESIA -
ACIONAMENTO MANUAL
A luz de cortesia pode ser
manualmente ligada / desligada
pelo controle da intensidade
luminosa do painel. Gire o rostato
de iluminação do painel até ouvir
um estalo característico para
acender a iluminação de cortesia.
O sistema economizador de
bateria desligará a iluminação
automaticamente se ela
permanecer acesa por 10 minutos.

Luz de cortesia - acionamento


automático
A luz de cortesia acende-se
automaticamente em duas
situações distintas:
1 - Quando uma ou mais portas
forem abertas, se a porta for
fechada, a luz será desligada
após 25 segundos. Se a porta
permanecer aberta, o
economizador de bateria
desligará a luz de cortesia após
10 minutos.
2- Quando a chave for retirada da
ignição o sistema é
automaticamente desligado
após 25 segundos, ou quando
a chave for reinserida na
ignição.

5-3

Cap 5 Comandos.pmd 3 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
FARÓIS ALTOS CONTROLES DO LIMPADOR/
LAVADOR DO PÁRA-BRISA

Empurre a alavanca para frente


para acioná-los.
LAMPEJADOR DE FAROL ALTO

Gire o controle do limpador do


pára-brisa para a posição de alta
ou baixa velocidade.
As barras de comprimento
diferente referem-se ao ajuste de
intermitência. Gire o controle para
cima para intervalos mais rápidos,
Puxe a alavanca em sua direção
e para baixo para intervalos mais
para acionar e solte para
lentos, conforme a necessidade.
desativar.
Pressione o controle na
extremidade da alavanca para
CONTROLE DO INDICADOR
acionar o lavador. Pressione e
DIRECIONAL
segure para obter um ciclo de
lavagem mais longo. O lavador irá
desligar-se automaticamente após
dez segundos de uso contínuo.

 Empurre para baixo para acionar


o indicador direcional para a
esquerda.
 Empurre para cima para acionar
o indicador direcional para a
direita.

5-4

Cap 5 Comandos.pmd 4 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
VENTILAÇÃO E AQUECIMENTO CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO
DO FLUXO DE AR

CONTROLE DE VELOCIDADE Controla a direção do fluxo de ar


DO FLUXO DE AR existente no interior do veículo.

 - Distribui o ar externo
através dos difusores do painel de
instrumentos.
 OFF (DESLIGADO) - O ar externo
Controla o volume de ar que é cortado e o ventilador não irá
circula na parte interna do veículo. funcionar.
 - Distribui o ar externo
CONTROLE DA através dos difusores do painel de
TEMPERATURA DO FLUXO DE instrumentos e dos dutos no
AR (se equipado) assoalho.
 - Permite o aquecimento
máximo. Distribui o ar externo
através dos dutos no assoalho.
 - Distribui o ar externo
através dos dutos no assoalho e
Controla a temperatura do fluxo de dos dutos do desembaçador do
ar na parte interna do veículo. Nos pára-brisa.
sistemas de aquecimento
somente, o ar não pode ser  - Distribui o ar externo
esfriado abaixo da temperatura do através dos dutos na parte inferior
ar externo. do pára-brisa. Use esta posição
para o desembaçamento do
pára-brisa.

5-5

Cap 5 Comandos.pmd 5 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
Sugestões de utilização AR-CONDICIONADO
(se equipado)

 Em clima úmido, selecione a CONTROLE DE VELOCIDADE


posição antes de dirigir. Isto DO FLUXO DE AR
evitará o embaçamento do
pára-brisa. Após alguns minutos
de condução do veículo
selecione qualquer posição
desejada.
 Para evitar o acúmulo de Controla o volume de ar que
umidade dentro do veículo, não circula na parte interna do veículo.
dirija com o sistema de controle
climático na posição CONTROLE DE TEMPERATURA
OFF (DESLIGADO). DO FLUXO DE AR

 Remova folhas de árvore da


área de admissão de ar (na
parte inferior do pára-brisa, sob
o capuz).
 Quando colocar objetos sobre o Controla a temperatura do fluxo de
painel de instrumentos, tome ar na parte interna do veículo.
cuidado para não colocá-los
sobre as saídas do
desembaçador.
Esses objetos podem obstruir o
fluxo de ar e reduzir a
visibilidade pelo pára-brisa,
bem como poderão cair através
das saídas do desembaçador e
obstruir o fluxo de ar,
possivelmente danificando
o sistema de controle climático.

5-6

Cap 5 Comandos.pmd 6 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO  - Utiliza o ar recirculado para
DO FLUXO esfriar o interior do veículo. é
mais ruidoso de que A/C; todavia,
é mais econômico e esfria a parte
interna do veículo mais
rapidamente. O fluxo de ar
dar-se-á pelos difusores do
Controla a direção do fluxo de ar painel de instrumentos. Este
na parte interna do veículo. modo pode também ser utilizado
para evitar odores indesejáveis no
O compressor do ar-condicionado
interior do veículo.
funciona em todo os modos,
exceto nas posições e  A/C - Utiliza o ar externo para
Todavia, o ar- condicionado esfriar o veículo. É menos
somente funcionará se a ruidoso do que o . O fluxo de
temperatura externa estiver acima ar será dirigido aos difusores do
de 10°C. painel de instrumentos.
Uma vez que o ar-condicionado
 - Distribui o ar externo
remove uma quantidade
considerável de umidade do ar através dos difusores do painel
durante o funcionamento, é normal de instrumentos. Todavia, o ar
que haja gotas de água no chão, não será esfriado abaixo da
sob o dreno do ar-condicionado, temperatura externa, pois o ar-
enquanto o sistema estiver condicionado não funciona
funcionando ou mesmo após ter nesse modo.
parado o veículo.  OFF (DESLIGADO) - O ar externo
Em condições normais, o sistema será cortado e o ventilador não
de controle climático do veículo funciona.
deve ser deixado em qualquer
posição, exceto ou OFF, quando
o veículo estiver parado. Isto
permite que o veículo “respire”
através do duto de entrada do ar
externo.

5-7

Cap 5 Comandos.pmd 7 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
 - Distribui o ar externo  - Distribui o ar externo
através dos difusores do painel através dos dutos do
de instrumentos e dos dutos no desembaçador do pára-brisa.
assoalho. O sistema de Pode ser usado para eliminar
aquecimento e de ar- condicionado áreas de embaçamento do
funcionam nesse modo. Para pára-brisa (se a temperatura
aumentar o conforto, quando o estiver acima de 10°C, o ar-
botão de controle de condicionado retira a umidade do
temperatura estiver em qualquer
ar para evitar embaçamento).
posição entre quente máximo e
frio máximo, o ar distribuído Sugestões de utilização
através dos dutos no assoalho
 Em clima úmido, selecione a
estará ligeiramente mais
aquecido que o ar enviado aos posição antes de dirigir. Isto
difusores do painel de evitará o embaçamento do pára-
instrumentos. brisa. Após alguns minutos de
condução do veículo, selecione
 - Permite o aquecimento qualquer posição desejada.
máximo, distribuindo o ar
 Para evitar o acúmulo de
externo através dos dutos no
assoalho. Todavia, o ar não será umidade no interior do veículo,
esfriado abaixo da temperatura não dirija com o sistema de
externa, pois o ar-condicionado controle climático na posição
não funciona nesse modo. OFF (DESLIGADO).
 Remova as folhas de árvore da
 - Distribui o ar externo
através dos dutos do área de admissão de ar (na parte
desembaçador do pára-brisa e inferior do pára-brisa, sob o
dos dutos no assoalho. Os capuz).
sistemas de aquecimento e de  Se o veículo foi estacionado com
ar-condicionado funcionam todos os vidros fechados em
nesse modo. Para maior o clima quente, o ar-condicionado
conforto, o ar distribuído através será mais eficiente e rápido se o
dos dutos no assoalho estará veículo for conduzido por dois ou
ligeiramente mais aquecido que três minutos com os vidros
o ar enviado aos difusores do abertos. Isto forçará a saída da
painel de instrumentos. Se a maior parte do ar quente e
temperatura estiver acima de viciado. Em seguida feche os
10°C, o ar-condicionado retira a vidro e, funcione o ar-
umidade do ar para evitar condicionado na posição de
embaçamento. costume.

5-8

Cap 5 Comandos.pmd 8 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
 Quando colocar objetos sobre o ACENDEDOR DE CIGARROS
painel de instrumentos, tome
cuidado para não colocá-los
sobre as saídas do
desembaçador. Esses objetos
podem obstruir o fluxo de
Para acioná-lo, pressione o
ar e reduzir a visibilidade pelo
interruptor contra o receptáculo até
pára-brisa. Além disso, esses
ficar retido no fundo. Ele voltará à
objetos podem cair através das
posição inicial quando estiver
saídas do desembaçador e
pronto para ser utilizado. Puxe-o
obstruir o fluxo de ar,
para fora do receptáculo.
possivelmente danificando o
sistema de controle climático.
 Habitue-se a desligar a O acendedor, quando
refrigeração e deixar apenas a pronto para ser utilizado,
ventilação ligada alguns minutos apresenta temperaturas
antes de desligar o motor do elevadas, podendo causar
veículo. Isto evitará o acúmulo queimaduras se utilizado de
de umidade no sistema de forma incorreta.
ar-condicionado e,
consequentemente, CINZEIRO
odores desagradáveis. Para retirar o cinzeiro, abra-o por
completo e levante-o.

5-9

Cap 5 Comandos.pmd 9 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
AJUSTE DA ALTURA DO CONTROLE DE TRAÇÃO
VOLANTE (se equipado) NAS 4 RODAS
(se equipado)

Este controle opera a tração nas 4


rodas. Para maiores informações,
Puxe a alavanca da coluna em sua consulte o item "Controle de
direção para levantar ou abaixar o tração nas quatro rodas (4 x 4)",
volante da direção. Segure a no capítulo "Condução".
alavanca enquanto estiver
regulando o volante para a posição
desejada; em seguida, solte o
controle para travar o volante da
direção na posição.

Nunca regule a altura do


volante com o veículo em
movimento.

PISCA-ALERTA
Para informações adicionais sobre
o controle do pisca-alerta, consulte
Interruptor das luzes de
advertência, no capítulo "O que
fazer numa Emergências".

5-10

Cap 5 Comandos.pmd 10 11/5/2010, 15:27


Comandos e equipamentos
ESPELHOS RETROVISORES TRAVA DE SEGURANÇA PARA
EXTERNOS CRIANÇAS NAS PORTAS
Os espelhos externos são TRASEIRAS (se equipado)
ajustáveis manualmente.

Encaminhe o veículo a um
Distribuidor Ford caso haja
necessidade de reaperto nos
parafusos e porcas dos
espelhos externos. O aperto
correto, segundo
procedimento específico, é
fundamental para que os
espelhos atendam à legislação Movimente o controle para cima,
aplicável. para acionar a trava. A porta
somente poderá ser aberta pelo
lado externo do veículo. Para
liberar, movimente o controle para
baixo.

5-11

Cap 5 Comandos.pmd 11 11/5/2010, 15:27


Cap 5 Comandos.pmd 12 11/5/2010, 15:27
Capítulo 6

Bancos e
sistema de
proteção

Cap 6 Bancos.pmd 1 11/5/2010, 15:29


Bancos e sistemas de proteção
BANCOS 1/3 2/3 Rebatimento do encosto dos
bancos
Ajuste longitudinal do banco
do motorista

rebatimento banco do passageiro

Alavanca de ajuste
longitudinal do banco do
motorista

Mova a alavanca para a esquerda,


desloque o banco para frente ou rebatimento banco do motorista
para trás e solte a alavanca.
Certifique-se de que o banco Levante a alavanca de liberação,
esteja travado no lugar. para rebater rapidamente o
encosto do banco para frente.
Ajuste da inclinação do Desse modo pode-se acessar o
encosto do banco do Motorista macaco, o triângulo de segurança
e a chave de roda.

Gire a manopla, localizada na


lateral do banco, para encontrar a
melhor posição do encosto.
Sentar na posição mais
vertical possível, com o
encosto do banco inclinado em
no máximo 30º.

6-2

Cap 6 Bancos.pmd 2 11/5/2010, 15:29


Bancos e sistemas de proteção
TRIÂNGULO DE SEGURANÇA É proibido o transporte de
O triângulo de segurança está passageiros no
localizado atrás do banco do compartimento de carga, aberto
passageiro. Para acessá-lo, rebata ou fechado. Em uma colisão, as
o banco. pessoas que viajam nessa área
estão mais sujeitas a sérios
EQUIPAMENTOS DE ferimentos. Não permita que os
SEGURANÇA passageiros viajem em qualquer
área do veículo que não esteja
Precauções com os equipada com bancos e cintos
equipamentos de segurança de segurança. Certifique-se de
que todos os usuários do
Conduza e viaje sempre
veículo estejam num banco e
com o cinto de segurança
utilizando o cinto de segurança
ajustado sobre os quadris.
corretamente.
Nunca permita que Cada banco do veículo
passageiros segurem possui um conjunto
criança no colo com o veículo específico de cinto de
em movimento. O passageiro segurança, o qual consiste de
não poderá proteger a criança uma fivela e uma lingüeta
em caso de colisão. projetados para uso em
conjunto.
Todos os ocupantes do 1) Utilize o cinto de ombro
veículo, inclusive o somente no ombro externo.
motorista, devem usar seus Nunca coloque o cinto de ombro
cintos de segurança sob o braço.
corretamente. 2) Nunca passe o cinto em volta
do seu pescoço por cima do
ombro interno.
3) Nunca utilize o mesmo cinto
para mais de uma pessoa.

6-3

Cap 6 Bancos.pmd 3 11/5/2010, 15:29


Bancos e sistemas de proteção
CINTOS DE SEGURANÇA DE MODO SENSÍVEL AO VEÍCULO
TRÊS PONTOS
O modo sensível do veículo é o
modo normal retrátil, permitindo a
ajustagem livre do comprimento
do cinto de ombro aos seus
movimentos, e travando em
resposta ao movimento do veículo.
Por exemplo, se o motorista frear
bruscamente ou efetuar uma curva
1. Introduza a lingüeta do cinto na fechada, ou o veículo receber um
fivela correta até ouvir e sentir o impacto a 8km/h ou mais, os
seu travamento. Certifique-se de cintos de segurança de três
que a lingüeta esteja pontos combinados travarão para
corretamente presa na fivela. ajudar a reduzir o movimento para
frente do motorista e dos
passageiros.

2. Para soltar, empurre o botão de


liberação e remova a lingüeta da
fivela.
Os cintos de segurança dos
bancos possuem o seguinte modo
de travamento, conforme descrito
abaixo:

6-4

Cap 6 Bancos.pmd 4 11/5/2010, 15:29


Bancos e sistemas de proteção
CINTOS SUBABDOMINAIS MANUTENÇÃO DO CINTO DE
SEGURANÇA
AJUSTE DO CINTO
ABDOMINAL Inspecione o sistema de cinto de
segurança periodicamente, para
O cinto de segurança abdominal
certificar-se de que esteja
não é ajustado automaticamente.
funcionando corretamente e sem
danos. Inspecione os cintos de
segurança quanto a rachaduras,
desgastes ou cortes, substituindo-
os se necessário. Após qualquer
colisão, inspecione todos os
conjuntos de cinto de segurança,
Os cintos de segurança inclusive os retratores, fivelas,
devem ser ajustados o conjuntos de fivelas dos cintos de
mais baixo possível em volta segurança dianteiros, ajustadores
dos quadris, não em volta da de altura do cinto de ombro (se
cintura. equipado), e fixações.
Insira a lingüeta na fivela correta. Recomenda-se que todos os
Para alongar o cinto de segurança, conjuntos de cinto de segurança
gire a lingüeta em ângulo reto em utilizados nos veículos envolvidos
relação ao cinto e puxe-o até numa colisão sejam inspecionados
alcançar a fivela. Para apertar o e, se necessário, substituídos
cinto de segurança, puxe a (inclusive os não utilizados quando
extremidade solta do mesmo da colisão).
através da lingüeta, até ficar justo Se a inspeção e a
nos quadris. substituição do cinto de
segurança sob as condições
acima for negligenciada, há
risco de sérios ferimentos em
caso de nova colisão.
Consulte Limpeza e manutenção
dos cintos de segurança, na seção
Recolha e encaixe o cinto de
"Manutenção e Conservação".
segurança quando não estiver em
uso.

6-5

Cap 6 Bancos.pmd 5 11/5/2010, 15:29


Bancos e sistemas de proteção
Extintor de incêndio
Está localizado na frente do banco
do passageiro, fixado à estrutura
do banco. Sua remoção se dá
puxando a alça da presilha de
fixação.

As instruções para seu uso


são encontradas no
próprio extintor. Sua manutenção
é de responsabilidade do
proprietário, portanto, deverá
ser feita seguindo as instruções
do fabricante impressas no
equipamento.
Deve-se fazer inspeção visual
mensalmente, verificando se o
indicador e a carcaça não estão
danificados, se o gatilho está em
condições de operação e se não
há qualquer obstrução na saída do
extintor.
Deve-se respeitar o prazo de
validade que se encontra no
extintor, observando as
recomendações de verificação no
mesmo.
Se o plástico transparente que
envolve o extintor para o transporte
ainda estiver colocado, remova-o
para que não cause obstrução em
caso de eventual utilização do
extintor. Ao substituí-lo, certifique-
se que seja por um extintor de
incêndio com carga de pó ABC.

6-6

Cap 6 Bancos.pmd 6 11/5/2010, 15:29


Capítulo 7

Partida

Cap 7 Partida.pmd 1 11/5/2010, 15:27


Partida

PREPARAÇÃO PARA
Partida
PARTIDA DO VEÍCULO
Ao dar partida no motor Diesel,
evite pressionar o acelerador antes
ou durante a partida. Utilize o 4.empurre o pedal da embreagem
acelerador somente quando tiver até o final de seu curso e
dificuldade em dar partida. Para certifique-se de que não há
maiores informações, consulte o nenhuma marcha engatada,
item "Partida do motor", neste deixando a alavanca em ponto-
capítulo. morto;

Coloque o cinto de
segurança somente quando
o veículo estiver parado, nunca
com o veículo em movimento.

ANTES DE DAR PARTIDA


AO MOTOR:
5.gire a chave de ignição para a
1.Certifique-se de que todos os posição 4 (Ligado);
ocupantes do veículos estejam 6.certifique-se de que as
com seus cintos de segurança; respectativas luzes do painel de
2.certifique-se de que os faróis e instrumentos acendem
os acessórios do veículo brevemente. Se uma das luzes
estejam desligados; não acender, procure os
serviços um Distribuidor Ford
para verificação o mais breve
possível.

3.certifique-se de que o freio de


estacionamento esteja aplicado;

7-2

Cap 7 Partida.pmd 2 11/5/2010, 15:27


Partida
PARTIDA DO MOTOR Não acione o motor de partida por
mais de sete segundos
Não ponha o motor em consecutivos pois, sendo ele um
funcionamento em lugares grande consumidor de corrente, a
fechados; os gases de bateria poderá ser descarregada.
escapamento contêm monóxido Se o motor não pegar, espere dez
de carbono, altamente nocivos a segundos antes de tentar
saúde. novamente.

Verifique sempre o nível do óleo


lubrificante do motor, antes de dar Não acelere o motor nem
a partida. exija dele sua potência
máxima enquanto frio.
Nunca dê a partida no motor se o
nível do óleo estiver abaixo da
marca MÍN. ou acima da marca Informação importante sobre
MÁX. ventilação
Com a alavanca de mudanças em
ponto morto:
 pressione o pedal da embreagem
até o final do curso, para reduzir
o arrasto da transmissão.
 gire a chave de ignição para a Se o motor estiver em marcha
posição LIGADO; lenta com o veículo parado numa
 aos primeiros sinais de área aberta por longos períodos,
funcionamento, solte a chave e abaixe o vidro no mínimo 3 cm.
os pedais do acelerador e da Ajuste o sistema de aquecimento
embreagem. ou de ar-condicionado (se
disponível), para permitir a entrada
de ar fresco.
Mantenha a máxima eficiência do
sistema de ventilação do veículo
mantendo a tomada de ar livre de
folhas de árvore e outras
impurezas.

7-3

Cap 7 Partida.pmd 3 11/5/2010, 15:27


Partida
TURBO-COMPRESSOR Uma vez em funcionamento,
Partida mantenha o motor em marcha
Cuidado com o Turbo lenta por aproximadamente quinze
compressor. Nunca acelere segundos, após a luz de
ou desligue o motor antes de advertência da pressão do óleo
mantê-lo em marcha lenta por 30 ter-se apagado ou o indicador ter
segundos, no mínimo. registrado a pressão especificada
além da faixa vermelha. Antes de
Para proteger os mancais do desligar o motor, mantenha-o em
turbo- compressor durante a marcha lenta por 30 segundos, no
partida do motor, não acelere ou mínimo.
movimente o veículo até que o
indicador da pressão do óleo PROTEGENDO-SE CONTRA
registre pressão normal além da GASES DE ESCAPAMENTO
faixa vermelha -
Apesar de não ter cheiro e cor, o
ou a luz de advertência se apague.
monóxido de carbono está
No caso da imobilização do motor
presente nos gases de
por uma semana ou mais, ou
escapamento. Tome as devidas
quando o sistema de lubrificação
precauções para evitar os efeitos
ou filtro tiver sido esgotado,
causados a saúde.
desconecte o chicote do solenóide
de corte do combustível e faça o Se perceber em qualquer
motor girar por dez segundos para momento cheiro de gases
que haja pressão de óleo de escapamento no interior do
suficiente. veículo, leve imediatamente o
Se não houver registro de pressão, veículo a um Distribuidor Ford.
aguarde dez segundos e repita o
procedimento. Após três Verifique os sistemas de
tentativas, o sistema do turbo- escapamento e de ventilação da
compressor deve ser sangrado carroceria sempre que:
manualmente.  o veículo for levantado para
manutenção;
 o ruído do sistema de
escapamento se alterar;
 o veículo tiver sido danificado
numa colisão.

7-4

Cap 7 Partida.pmd 4 11/5/2010, 15:27


Capítulo 8

Condução

Cap 8 Conducao.pmd 1 11/5/2010, 15:26


Condução
FREIOS VÁLVULA SENSÍVEL A CARGA
(se equipado)
Os freios de serviço são auto-
ajustáveis. Consulte o Manual de O freio de serviço possui uma
Garantia e Manutenção para válvula sensível a carga localizada
informações sobre os intervalos de no eixo traseiro do veículo. Esta
inspeção e manutenção dos freios válvula tem a função de
do veículo. proporcionar melhor modulação do
freio traseiro.
Ruído ocasional do freio é normal
O veículo sai de fábrica com a
e geralmente não indica um
válvula devidamente regulada para
problema de desempenho com o
a condição “vazio”, que se adequa
sistema de freios do veículo. Em
à carga transportada, garantindo
funcionamento normal, os
eficiência de frenagem em todas
sistemas de freios podem emitir
as condições de carga, desde que
chiados ou roncos ocasionais
respeitada a capacidade de carga
quando aplicados. Tais ruídos são
especificada para o veículo.
normalmente ouvidos durante as
A válvula sensível a carga não
primeiras aplicações
necessita de regulagem ao longo
dos freios pela manhã; todavia, os
da vida útil do veículo, exceto
mesmos podem ser ouvidos a
quando da necessidade de
qualquer tempo quando da
reparos na válvula ou substituição
frenagem e podem ser agravados
da mesma.
pelas condições ambientais tais
Nestes casos, devem ser
como frio, calor, umidade, poeira
obedecidos os valores de
de estrada ou barro. Se houver
regulagem especificados na tabela
ruídos, tais como “metal-com-
abaixo para as condições “vazio”,
metal”, “ruído rascante contínuo”
“vazio com carroceria” e
ou “chiado contínuo” presentes
“carregado”.
durante a frenagem, as lonas dos
freios podem estar gastas e
devem ser inspecionadas num
distribuidor Ford.

8-2

Cap 8 Conducao.pmd 2 11/5/2010, 15:26


Condução

F-4000: Para este veículo a Uma válvula não devidamente


regulagem da válvula somente regulada pode resultar em
poderá ser feita sem carroceria. perda de eficiência de frenagem,
Para tanto procure os serviços de podendo ocorrer travamento
um Distribuidor Ford. prematuro das rodas traseiras e
consequente perda de estabilidade
do veículo.

Valores de regulagens da
válvula sensível a carga

(M)

F-350 F-350 F-4000


cabine dupla
M X M X M X
(kg) (mm) (kg) (mm) (kg) (mm)
Vazio 937 332 1030 333 1160 comp. livre com 10 mm de folga*
Vazio com
carroceria 1487 338 1580 339 1790 comp. livre com 3 mm de folga*

Carregado 3047 358 2720 354 4700 372

* Para a regulagem da válvula, nestas condições, procure os serviços de um


Distribuidor Ford.

8-3

Cap 8 Conducao.pmd 3 11/5/2010, 15:26


Condução
PROCEDIMENTO DE AUTO APLICANDO OS FREIOS
AJUSTE DO FREIO TRASEIRO
Aplique o pedal de freio de
Caso o pedal do veículo esteja maneira graudal. Posicione o pedal
baixo, é sinal que as sapatas do do freio com um esforço contínuo,
freio traseiro necessitam ser aumentando gradualmente a força.
ajustadas. Para tal, conduza o Esta técnica permite que as rodas
veículo em marcha ré a uma continuem a girar, enquanto a
velocidade aproximadamente de velocidade do veículo diminui.
10 km/h e aplique os freios até a
parada total do veículo. Repita Não dirija com o pé apoiado
esta operação por 10 a 15 vezes. sobre o pedal do freio: as
Se o pedal do freio "baixa" guarnições desgastarão
frequentemente durante a desnecessariamente e
operação normal do veículo, é sinal prematuramente devido ao
que o sistema de freio precisa ser aumento da temperatura,
verificado e/ou reparado. aumentando a distância de
frenagem do veículo. Os discos
"SE O FREIO PUXA" e tambores de freio também
poderão ser danificados.
Verifique a pressão dos pneus. Quando o veículo for conduzido
Efetue o ajuste das lonas do freio sob longos declives, selecione
traseiro, conforme procedimento uma marcha mais reduzida para
descrito acima. auxiliar a ação de frenagem ao
Se tal ocorrência se fizer presente invés de utilizar somente o freio
nos primeiros 800 km do veículo, de serviço.
efetue 10 frenagens moderadas à
partir de 60 km/h e, a seguir efetue
o procedimento de auto ajuste
descrito para permitir o correto
assentamento das guarnições do
freio.

8-4

Cap 8 Conducao.pmd 4 11/5/2010, 15:26


Condução
FREIO DE ESTACIONAMENTO

O freio de estacionamento não é


Aplique o freio de estacionamento recomendado para parar o veículo
sempre que o veículo estiver em movimento. Todavia, se os
parado. Para aplicá-lo, pressione freios de serviço falharem, o freio
o pedal do freio de de estacionamento pode ser
estacionamento, localizado à utilizado para parar o veículo em
esquerda do pedal da uma emergência. Como o freio de
embreagem, totalmente para estacionamento se aplica somente
baixo, até a parada. nas rodas traseiras, a distância de
A luz de advertência dos freios no parada do veículo irá aumentar
conjunto de instrumentos acende- consideravelmente e o controle do
se e permanece acesa (quando a veículo será prejudicado.
chave de ignição estiver na
posição LIGADO) até que o freio Puxe a alavanca de liberação para
de estacionamento seja liberado. soltar o freio. A condução com o
freio de estacionamento aplicado

(P(
causará desgaste rápido dos freios
e aumento no consumo de
combustível.

Aplique sempre o freio de


estacionamento totalmente,
e certifique-se de que a alavanca
de mudança esteja em 1ª
marcha.

8-5

Cap 8 Conducao.pmd 5 11/5/2010, 15:26


Condução
ESTERÇAMENTO DO VEÍCULO EIXO TRASEIRO ANTI-
DERRAPANTE (se equipado)
A direção hidráulica utiliza energia
do motor para auxiliar no Este eixo oferece tração adicional
esterçamento da direção. em superfícies escorregadias,
Nunca segure o volante de direção particularmente quando uma das
para as posições de extrema rodas estiver em superfície de
direita ou extrema esquerda por pouca tração. Sob condições
mais de que alguns segundos, normais, o eixo anti-derrapante
com o motor funcionando. Isto funciona como um eixo traseiro
pode danificar a bomba da normal.
direção hidráulica. O uso por longo período de tempo
Se o esforço necessário para de pneus cuja medida não seja a
esterçar o veículo mudar em especificada num eixo traseiro
velocidade constante do veículo, anti-derrapante, poderá causar
verifique o sistema da direção redução permanente da eficiência.
hidráulica. Se o sistema da direção Esta perda de eficiência não afeta
hidráulica falhar (ou se o motor for a condução normal e não é
desligado), pode-se esterçar o percebida pelo motorista.
veículo manualmente, porém será
necessário maior esforço. Para evitar ferimentos,
Após algum impacto sério, como nunca funcione o motor
queda em buracos profundos, com uma das rodas longe do
batida em guias de estradas solo, tal como quando da troca
escorregadiças ou colisão de um pneu.
envolvendo a frente do veículo,
leve o veículo para verificar a
suspensão dianteira e o sistema
de direção quanto a possíveis
danos.

8-6

Cap 8 Conducao.pmd 6 11/5/2010, 15:26


Condução
FUNCIONAMENTO DA
TRANSMISSÃO
Uso da Embreagem

4. girar a chave de ignição para a


posição 5 (PARTIDA) para dar
partida ao motor. Deixe o motor
Quando se der a partida veículo em marcha lenta por alguns
deve-se: segundos e, em seguida, mude
a marcha;
1. colocar a alavanca de
5. desaplique o pedal do freio;
mudanças em ponto-morto;
6. solte vagarosamente a
2. aplicar o pedal do freio;
embreagem enquanto pressiona
3. pressionar o pedal da devagar o pedal do acelerador.
embreagem;
 Não dirija deixando o pé sobre o
pedal da embreagem e não
utilize a embreagem para
segurar o veículo parado
enquanto estiver num aclive.
Essas ações podem
comprometer seriamente a vida
útil da embreagem.

Velocidades máximas para


cada marcha: Velocidade máxima (km/h)
1ª 2ª 3ª 4ª 5ª
F-350 19 34 62 98 125
F-4000 17 32 54 86 111

8-7

Cap 8 Conducao.pmd 7 11/5/2010, 15:26


Condução
Estacionamento do Veículo

4. Gire a chave de ignição para a


posição 3 (DESLIGADO).

Não estacione o veículo


1. Aplique o freio e coloque em com a alavanca de
ponto-morto. mudanças em ponto-morto.
Utilize a 1ª marcha e aplique
totalmente o freio de
estacionamento.

2. Aplique o freio de
estacionamento.
3. Mude a alavanca de mudanças
para a 1ª marcha.

8-8

Cap 8 Conducao.pmd 8 11/5/2010, 15:26


Condução
Marcha à ré Remoção da chave de ignição

 Gire a chave de ignição até o


Certifique-se de que o veículo limite.
esteja totalmente parado antes de  Empurre para frente a alavanca
mudar a alavanca de mudanças de liberação, gire a chave em
para R (marcha à ré). Caso sua direção e remova-a.
contrário, isto pode danificar a
transmissão.
Coloque a alavanca de mudanças
em ponto-morto e espere no
mínimo três segundos antes de
mudar para R (marcha à ré).
Pode-se mudar para R (marcha à
ré) somente movendo-se a
alavanca de mudanças para a
esquerda da 3ª e 4ª antes de
mudar para R (marcha à ré). Este é
um dispositivo de travamento
especial que evita que se mude
acidentalmente para R (marcha à
ré) quando mudar para a 5ª
marcha.

8-9

Cap 8 Conducao.pmd 9 11/5/2010, 15:26


Condução
Roda Livre Modo automático (AUTO)
Visando economia de combustível
Nesta condição, enquanto o
e evitar o desgaste desnecessário
interruptor do painel estiver na
de componentes internos, as
posição 4x2, as rodas dianteiras
rodas dianteiras podem ser
estarão desacopladas do eixo
desconectadas do eixo dianteiro
dianteiro, podendo rodar
enquanto o veículo operar na
livremente. Ao serem acionadas as
condição 4x2.
opções 4x4 ou 4x4 Low, no painel
dos instrumentos, ocorrerá o
A roda livre pode ser engatada ou
acoplamento das rodas dianteiras
desengatada automaticamente
e o tracionamento destas pelo eixo
acionando-se a trava localizada no
dianteiro.
centro das rodas dianteiras.
Ao retornar o interruptor para a
posição 4 x 2 as rodas são
liberadas e passam a virar
▲ AUTO
LOCK ▲ livremente, sem contato com o
sistema de transmissão.

AU Modo LOCK

TO
CK
LO

Nesta condição as rodas estarão


permanentemente acopladas ao
eixo dianteiro, independente da
posição do interruptor do painel
(4x2, 4x4 ou 4x4 Low).

8-10

Cap 8 Conducao.pmd 10 11/5/2010, 15:26


Condução
CONTROLE DE TRAÇÃO NAS Posições do interruptor
QUATRO RODAS - 4 X 4
(se equipado) 4 x 2 – tração somente no eixo
traseiro.
Quando a tração nas quatro rodas
4 x 4 for engatada, a força de 4 x 4 HIGH – a tração é fornecida
tração também é fornecida às aos eixos dianteiro e traseiro.
rodas dianteiras através da caixa 4 x 4 LOW (reduzida) – maior
de transferência. força de tração aos eixos dianteiro
Todos os veículos do tipo utilitário e traseiro do que na condição 4x4
com tração nas quatro rodas high.
dispõem de equipamento
especiais que possibilitam Luzes de advertência do
aplicações fora de estrada. Estes sistema 4 x 4
veículos apresentam centros de
Se as luzes acenderem durante a
gravidade mais altos que
condução normal (4 x 2), procure
automóveis ou pickups leves com
os serviços de um Distribuidor
tração em duas rodas.
Ford para verificação do sistema.
Os veículos do tipo As luzes indicadoras do sistema
utilitário, com tração nas 4 x 4 acendem somente sob as
quatro rodas, não são seguintes condições:
projetados para o esterçamento • 4 x 4 – acende quando
em velocidades altas quanto os a chave de ignição está ligada e
veículos de passageiros, assim o 4x4 é engatada.
como os automóveis
esportivos, de suspensão • 4 x 4 Low (reduzida) –
rebaixada, não apresentam acende se o veículo estiver
desempenho satisfatório sob parado, a chave de ignição
condições fora de estrada. Evite ligada e o 4x4 low (4x4 reduzida)
esterçamentos ou manobras engatado. Se o interruptor for
bruscas com o veículo. colocado na posição 4x4 low
A operação 4 x 4 não é com o veículo em movimento, a
recomendada em pavimentos luz de indicação permanecerá
secos. Se isto ocorrer, poderá piscando, indicando que o 4x4
haver desgaste anormal da caixa low ainda não está engatado.
de transferência, aumentando o Para engatar é mandatório parar
desgaste dos pneus e o consumo o veículo
de combustível.

8-11

Cap 8 Conducao.pmd 11 11/5/2010, 15:26


Condução
OPERAÇÃO DOS SISTEMA Pode ocorrer um retardo no
desacoplamento da caixa de
Mudando de 4 x 2 para transferência e dos cubos de roda
4x4 HIGH dianteiros, devido a carga
aplicada ao conjunto, causado por
4X4
HIGH 4X4 dirigir em superfície seca com alta
2WD LOW
aderência ou em curvas fechadas
durante a utilização do sistema 4 x 4.
Não é necessário engatar marcha
à ré para desengatar as rodas
dianteiras.
Mudando de 4 x 2 ou
4x4 para 4 x 4 LOW
Mova o interruptor de 4 x 2 para (reduzida) e vice-versa
4 x 4 HIGH (4 x 4 alta) em
velocidades de até 80 km/h. 4X4 4X4
HIGH LOW
2WD
O
Em temperaturas abaixo de 0 C,
as mudanças de 4 x 2 para 4 x 4
alta não devem ser executas em
velocidade acima de 70 km/h.

Não mude para 4 x 4 com Para aplicação do uso 4 x 4 LOW


as rodas traseiras (reduzido) o veículo deve estar
patinando. necessariamente parado. Proceda
conforme a seguir:
Mudando de 4x4 para 1. Pare o veículo;
4x2 2. mova o interruptor para
4x4 LOW (reduzida).
4X4 4X4
2WD
HIGH LOW Se o veículo for posicionado na
condição 4 x 4 LOW com o veículo
em movimento, o sistema não será
acoplado evitando danos ao
sistema.
A luz de indicação de 4 x 4 Low
Mova o interruptor 4 x 4 para permanecerá piscando até que o
4 x 2 em qualquer marcha para veículo seja parado e só então a
frente. reduzida será engatada.
8-12

Cap 8 Conducao.pmd 12 11/5/2010, 15:26


Condução
CONDUÇÃO FORA DE Se o veículo atolar
ESTRADA (se equipado veículos 4 x 2
com 4 x 4)
Se o veículo atolar, o mesmo pode
ser removido mudando as
O veículo tem capacidade de
marchas para frente e para trás,
trafegar em terrenos arenosos,
parando entre as mudanças de
neve, barro e terrenos irregulares,
marchas numa ordem estável.
e possui características
Pressione levemente o acelerador
operacionais ligeiramente
em cada marcha.
diferentes dos veículos de tração
Não vá para a frente e para trás
simples, tanto em estrada como
por mais que alguns minutos. A
fora de estrada.
transmissão e os pneus podem
Mantenha sempre o controle do danificar-se ou poderá haver
volante da direção, especialmente super-aquecimento do motor.
em terrenos irregulares. Mudanças
repentinas em terrenos irregulares
Veículos 4 x 4
podem provocar movimentos Neste caso, estando o veículo
bruscos no volante da direção. parado acione a chave
Segure o volante apenas pela moduladora no painel de
parte externa do mesmo e nunca instrumentos para acionar a tração
pelos raios. Dirija com cuidado 4 x 4. Se estiver numa ladeira,
para evitar danos ao veículo por utilize a opção "low".
pedras e tocos.
Não patine as rodas a mais
Informe-se previamente sobre o de 50 km/h. Poderá haver
terreno ou examine os mapas da danos aos pneus.
área antes da condução.
Familiarize-se antes de dirigir em Areia
locais desconhecidos.
Quando dirigir em terrenos
arenosos, tente manter as quatro
rodas na parte mais sólida da
trilha. Não reduza a pressão dos
pneus. Mude para uma marcha
mais baixa e dirija de maneira
estável pelo terreno. Aplique
levemente o acelerador e evite a
patinação das rodas.
8-13

Cap 8 Conducao.pmd 13 11/5/2010, 15:26


Condução
Barro e água O excesso de barro nos pneus e
nos eixos de acionamento causa
Se for necessário dirigir em terreno
desequilíbrio, que pode danificar
com alto nível de água, dirija
os componentes de transmissão.
vagarosamente. A capacidade de
Se a caixa de câmbio ou o eixo
tração ou frenagem pode ficar
traseiro forem submersos em
limitada.
água, os seus fluidos devem ser
Quando dirigir em poças de água,
verificados e se necessário,
procure determinar a profundidade;
trocados. A penetração de água na
evite o nível de água mais alto de
transmissão pode danificar a
que a parte inferior dos cubos (se
mesma. Substitua os lubrificantes
possível) e prossiga
dos eixos dianteiro e traseiro
vagarosamente.
sempre que os eixos forem
Uma vez fora da água,
submersos em água.
experimente sempre os freios.
Freios molhados não seguram o Condução em aclives ou
veículo tão eficientemente quanto declives
freios secos. A secagem pode ser
melhorada movimentando-se o Quando dirigir em aclives, evite
veículo vagarosamente enquanto fazê-lo transversalmente ou
se aplica uma leve pressão no esterçar a direção em declives
pedal do freio. íngremes. Pode haver perda da
Se for necessário o uso de tração e patinação lateral. Dirija
correntes, ao utilizar o veículo em linha reta para cima ou para
(F-4000) em regiões de terrenos baixo, ou evite completamente o
elameados, colocá-las apenas nos aclive.
pneus externos da rodagem dupla, Quando subir uma colina íngreme,
para evitar possível interferência inicie por uma marcha baixa. Isto
com os flexíveis de freio. reduz o esforço do motor e a
Após a condução em terrenos possibilidade de parada do mesmo.
barrentos, limpe os resíduos Quando descer de uma colina
depositados nos eixos de íngreme, evite frenagem súbita.
acionamentos e nos pneus. Pequenos toques no pedal do freio
auxiliarão a redução da velocidade
do veículo e facilitarão o controle
do volante da direção.

8-14

Cap 8 Conducao.pmd 14 11/5/2010, 15:26


Condução
CARREGAMENTO DO VEÍCULO  PBTC (Peso Bruto Total
Combinado): Peso máximo
Antes de carregar o veículo,
combinado do veículo com
familiarize-se com os seguintes
reboque (incluindo passageiros
termos:
e carga) e o reboque. O PBTC
 Peso do Veículo em Ordem de indica o peso máximo de carga
Marcha: Peso do veículo que o veículo pode rebocar.
incluindo os equipamentos
Não exceda o PBT ou o
padrão, fluidos, lubrificantes etc.
PBME.
Não inclui passageiros nem
equipamentos instalados após
venda. Não utilize pneus de reposição
 Carga Útil: Combinação do com capacidade de peso menor
peso máximo permissível para que os originais, pois eles podem
carga, passageiros e reduzir os limites do PBT e do
equipamento opcional. A carga PBME do veículo.
útil é igual ao peso bruto total
do veículo menos o peso do Cálculo da carga que o veículo
veículo em ordem de marcha. pode carregar/rebocar
 Peso Bruto do Veículo: Peso
1. Utilize a tabela de peso bruto
básico do veículo em ordem de
total combinado (PBTC) para o
marcha mais a carga útil. O
tipo de motor e a relação do
peso bruto do veículo não é um
eixo traseiro do veículo.
limite nem uma especificação.
2. Pese o veículo do mesmo modo
 PBT (Peso Bruto Total do
que normalmente ele é operado
Veículo): Peso total máximo do
sem carga. Para obter pesos
veículo básico, passageiros,
corretos, encaminhe o veículo a
equipamento opcional e carga.
uma empresa de transporte ou
O PBT é específico para cada
uma oficina de inspeção de
veículo.
caminhões.
 PBME (Peso Bruto Máximo
por Eixo): Capacidade de carga
de cada sistema de eixo. O
PBME é específico para cada
veículo.

8-15

Cap 8 Conducao.pmd 15 11/5/2010, 15:26


Condução

Sempre respeite os limites Recomendação na instalação


de carga especificados de implementos
para o seu veículo. A utilização O alongamento do chassi,
de cargas acima do através de emendas nas
especificado poderá acarretar longarinas, pode comprometer a
desgaste prematuro e ou dirigibilidade do veículo,
falhas estruturais nos afetando a geometria de direção
componentes do conjunto e o sistema de freios. Verifique
motor, embreagem, transmissão com o implementador do seu
e eixo traseiro. Os danos veículo se as modificações
decorrentes de sobrecarga, foram realizadas conforme
uma vez comprovados, não especificado no manual de
serão cobertos em garantia. instalação de implementos da
A prática de sobrecarga pode Ford.
também comprometer o
funcionamento e a durabilidade
de componentes dos sistemas
de freios e direção, podendo
colocar em risco a segurança
do motorista, passageiros e
terceiros.

8-16

Cap 8 Conducao.pmd 16 11/5/2010, 15:26


Capítulo 9

O que fazer
numa
emergência

Cap 9 Emergencia.pmd 1 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
INTERRUPTOR DAS LUZES DE FUSÍVEIS E RELÉS
ADVERTÊNCIA Fusíveis
(PISCA-ALERTA)

Se algum componente elétrico do


veículo não estiver funcionando,
Utilize somente em caso de seu fusível correspondente pode
emergência para avisar o tráfego estar queimado. Os fusíveis
quanto a veículo avariado, queimados podem ser
aproximação de perigo, etc. Os identificados pela ruptura do
piscas alertas podem ser condutor dentro dos mesmos.
acionados com a ignição Verifique os fusíveis apropriados,
desligada. antes de substituir qualquer
 O interruptor das luzes de componente elétrico.
advertência está localizado na
parte superior da coluna de Substitua sempre o fusível
direção. por um de mesma
capacidade de corrente
 Pressione o interruptor das
especificada. A utilização de
luzes de advertência para ativar
fusível de maior capacidade de
todos os piscas-alerta
corrente pode causar sérios
simultaneamente.
danos ao chicote elétrico e pode
 Pressione novamente o causar incêndios.
interruptor para apagá-los.

9-2

Cap 9 Emergencia.pmd 2 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Capacidade de corrente e cor
padrão de fusíveis

Fusível Cor
Mini fusível de 5 A castanho claro
Mini fusível de 7,5 A marrom
Mini fusível de 10 A vermelho
Mini fusível de 15 A azul
Mini fusível de 20 A amarelo
Maxi fusível de 20 A amarelo
Mini fusível de 25 A natural
Mini fusível de 30 A verde
Maxi fusível de 30 A verde
Maxi fusível de 40 A laranja
Maxi fusível de 50 A vermelho
Maxi fusível de 60 A azul
Maxi fusível de 70 A castanho claro
Maxi fusível de 80 A natural

Caixa de fusíveis sob o painel


de instrumentos

A caixa de fusíveis está localizado


abaixo e à esquerda da coluna de
direção, próxima ao pedal de freio.
Remova a cobertura da caixa para
acessar os fusíveis.

9-3

Cap 9 Emergencia.pmd 3 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Remoção dos fusíveis

Para a remoção dos fusíveis utilize


o sacador na cor laranja que está
fixado dentro da caixa de fusíveis.

9-4

Cap 9 Emergencia.pmd 4 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Os fusíveis são codificados como segue:

Localização do Capacidade Descrição


fusível/relé de corrente
do fusível
1 15A Buzina
2 20A Luz de freio
3 5A Módulo de anti-travamento das rodas
traseiras - RABS, tacógrafo, indicadores
de combustível e temperatura do motor
(painel de instrumentos
4 20A Conector de diagnóstico (OBDII)
5 20A Luzes indicadoras de direção /
emergência (seta / pisca alerta)
6 20A Acendedor de cigarros
7 15A Módulo do controle do 4 x4
8 10A Tacográfo
9 10A Módulo de controle do 4 x 4, painel de
instrumentos, tacográfo, módulo de
conforto (GEM)
10 30A Circuito de acessórios
11 10A Thermal Switch, relê de indicação de
água no combustível (WIF)
12 - Não utilizado
13 10A Luzes indicadoras de direção /
emergência, Interruptor do ar-
condicionado, controle da distribuição
de ar, controle de temperatura, módulo
de anti-travamento das rodas traseiras
RABS
14 10A Bobina do motor da ventilação
15 - Não utilizado
16 15A Relé do motor de partida

9-5

Cap 9 Emergencia.pmd 5 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Localização do Capacidade Descrição
fusível/relé de corrente
do fusível
17 5A Iluminação do rádio, luz indicadora de
porta aberta (painel de instrumentos),
módulo de conforto GEM, Módulo de
controle do 4 x 4
18 3A Limpador do pára-brisa
19 15A Luz de ré
20 15A Motor da bomba vácuo, Solenóide do
4x4
21 10A Conversor do sinal de velocidade (para
veículo sem tacográfo)
22 15A Lanternas, iluminação do painel de
instrumentos, função "alarme de farol
aceso" do módulo de conforto GEM
23 20A Tomada de força
24 20A Rádio
25 25A Funções do módulo de conforto (GEM):
relé da buzina, luz de cortesia e
iluminação da caçamba
26 15A Funções do módulo de conforto (GEM):
e buzina
27 – Não utilizado
28 – Não utilizado
29 5A Sistema de localização e bloqueio
30 15A Farol alto e luz indicadora de farol alto
(painel de instrumentos)
31 a 37 – Não utilizado

9-6

Cap 9 Emergencia.pmd 6 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Localização do Capacidade Descrição
relés de corrente
do fusível
CB1 – não utilizado
R1 – não utilizado
R2 – Relé das luzes indicadora de direção /
emergência (setas / pisca-alerta)
R3 e R4 – não utilizado

9-7

Cap 9 Emergencia.pmd 7 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
CENTRAL DE DISTRIBUIÇÃO ELÉTRICA

Localização da central elétrica


A central da distribuição elétrica
está localizada no compartimento
do motor.

9-8

Cap 9 Emergencia.pmd 8 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
CENTRAL DE DISTRIBUIÇÃO Qualquer serviço nos
ELÉTRICA fusíveis de alta
A central de distribuição elétrica e correntedeve ser efetuado num
conjuntos de relés está localizada Distribuidor Ford somente.
no compartimento do motor,
próximo ao cilindro mestre de Os fusíveis e relés de alta corrente
freio. são codificados como segue:
A central de distribuição elétrica
contém fusíveis de alta corrente,
que protegem os sistema elétricos
principais do veículo de
sobrecargas.

Localização do Capacidade Descrição


fusível/Relé de corrente
do fusível
1 30A Farol alto e baixo
2 40A Módulo do sistema de anti-travamento
das rodas traseiras - RABS
3 40A Motor do ventilador A/C
4 40A Rádio, tomada de energia, lanternas,
iluminação do painel de instrumentos,
função "alarme de farol aceso" do
módulo de conforto GEM
5 40A Módulo de conforto GEM
6 40A Módulo de controle do 4 x 4, Luz de
freio, Conector de diagnóstico, Relé
das luzes de indicação de direção,
Acendedor de cigarros
7 40A Limpador do pára-brisa
8 – não utilizado
9 30A Relé 4 x 4

9-9

Cap 9 Emergencia.pmd 9 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência

Localização do Capacidade Descrição


fusível/Relé de corrente
do fusível
10 40A Chave de ignição
11 40A Chave de ignição
12 a 14 – Não utilizado
15 10A Farol baixo esquerdo
16 10A Farol baixo direito
17 a 29 – Não utilizado
30 25A Limpador do pára-brisa
31 e 32 – Não utilizado

Localização do Capacidade Descrição


diodo/Relé de corrente
do fusível
D1 Diodo Diodo da embreagem do A/C
D2 e D3 – Não utilizado
R1 – Não utilizado
R2 40A Relé do motor do ventilador A/C
R3 40A Relé 4 x 4 Low
R4 40A Relé 4 x 4 High
R5 eR6 – Não utilizado
R7 – Relé de indicação de água no
combustível (WIF)
R8 a R10 – Não utilizado

9-10

Cap 9 Emergencia.pmd 10 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
TROCA DE PNEUS A reparação de pneus
pode comprometer a
Os pneus fazem parte do integridade dos mesmos, alterar
projeto da suspensão do suas características e o
veículo e têm influência direta em desempenho.
seu desempenho. Na reposição,
utilize apenas pneus de mesma Se, durante condução do veículo,
medida e mesma capacidade de houver algum pneu furado, não
carga. Não misture pneus de aplique o freio abruptamente. Em
marca e modelo diferentes em vez disto, diminua a velocidade
um mesmo eixo. Evite usar gradualmente. Segure o volante de
pneus de marca / modelo direção firmemente e,
diferentes entre eixos dianteiro e vagarosamente, leve o veículo
traseiro. para o acostamento.

Localização do pneu
sobressalente e ferramentas
O pneu sobressalente e as
ferramentas do veículo estão
localizados nos seguintes locais:

Ferramenta Localização
Pneu sobressalente (F-350) Na longarina direita do veículo.
(F-4000) Na longarina esquerda do veículo.
Macaco, cabo do Fixado no painel do assoalho, atrás do
macaco e chave de rodas. banco, no lado do passageiro.

9-11

Cap 9 Emergencia.pmd 11 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Remoção do pneu Recolocação do pneu
sobressalente sobressalente

1
1

1. Solte as porcas de fixação da – Posicione o pneu no suporte


chapa de retenção do pneu externo (1) e incline-o de modo
sobressalente. a possibilitar o seu
2. Empurre o pneu em direção ao posicionamento nos suportes
chassi, de modo que fique internos (2).
apoiado apenas pelo suporte – Puxe o estepe em direção
externo (1). oposta ao chassi, de modo a
3. Quando o pneu estiver livre, posicioná-lo nos suportes
incline-o e remova-o, internos.
desencaixando-o do suporte – Instale e fixe as porcas de
externo (1). fixação da chapa de retenção.

9-12

Cap 9 Emergencia.pmd 12 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Procedimento de troca de 4. Utilize a ponta da chave de
pneu rodas para remover a calota (se
instalada).
5. Solte as porcas da roda meia
volta em sentido anti-horário,
porém sem removê-las, até que
a roda seja levantada do chão.

1. Estacione o veículo sobre uma


superfície nivelada, acione o
pisca alerta e aplique o freio de
estacionamento.
Quando uma das rodas
 coloque a alavanca de traseiras estiver levantada
mudanças em ré. do chão, a transmissão sozinha
não evitará que o veículo se
movimente ou se deslize do
macaco, mesmo que a
transmissão esteja em ré. Para
evitar que o veículo se
Para evitar que o veículo se
movimente durante a troca do
movimente durante a troca
pneu, certifique-se de que o
do pneu, certifique-se de que o
freio de estacionamento esteja
freio de estacionamento esteja
aplicado e a roda
aplicado, depois calce a roda
diagonalmente oposta calçada.
(nas duas direções)
diagonalmente oposta ao pneu
que está sendo trocado. Se o veículo deslizar do
macaco, poderá haver
2. Calce a roda diagonalmente sérios acidentes.
oposta (calço não fornecido).
3. Remova o macaco, o cabo do
macaco, a chave de rodas e o
pneu sobressalente de seu local
de armazenamento.
9-13

Cap 9 Emergencia.pmd 13 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Procedimento para utilização 3. Insira o cabo do macaco na
do macaco (F-350) articulação da bomba.
4. Levante e abaixe o cabo do
macaco para levantar
totalmente a roda do chão.

1. Deslize a extremidade fendada


do cabo do macaco sobre a
válvula de alívio e utilize o cabo
para deslizar o macaco sob o Os macacos hidráulicos
veículo. Certifique-se de que a são equipados com uma
válvula esteja fechada, girando- válvula de pressão, para evitar
a em sentido horário. cargas de levantamento
superiores à capacidade do
2. Posicione o macaco de acordo
macaco.
com as seguintes orientações:
 Frente 5. Remova as porcas da roda
com a chave de roda.
6. Substitua o pneu esvaziado
pelo sobressalente,
certificando-se de que a
válvula de enchimento esteja
voltada para fora. Instale
novamente as porcas até que a
 Traseira roda encoste contra o cubo.
Não aperte totalmente as
porcas antes de ter abaixado a
roda.
7. Abaixe a roda, girando a
válvula de alívio vagarosamente
em sentido anti-horário.

9-14

Cap 9 Emergencia.pmd 14 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
2. Posicione o macaco com as
seguintes orientações:
 Frente

8. Remova o macaco e aperte


completamente as porcas na
ordem mostrada, se dispuser
de um torquímetro, aplique o
torque de 200 ± 30 N.m.
9. Guarde o pneu vazio.
10.Aloje o macaco, o cabo do
macaco e a chave de rodas.
Certifique-se de que o macaco
esteja firmemente preso para  Traseira
não fazer barulho durante a
viagem.
11.Remova os calços das rodas.
Procedimento para utilização
do macaco (F-4000)

3. Insira o cabo do macaco na


articulação da bomba.
4. Levante e abaixe o cabo do
macaco para levantar
1. Deslize a extremidade fendada totalmente a roda do chão.
do cabo do macaco sobre a
válvula de alívio e utilize o cabo
para deslizar o macaco sob o
veículo. Certifique-se de que a
válvula esteja fechada girando
em sentido horário.
9-15

Cap 9 Emergencia.pmd 15 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência

Os macacos hidráulicos
são equipados com uma As seguintes etapas se aplicam
válvula de pressão, para evitar para todos os veículos:
cargas de levantamento
superiores à capacidade do 8. Remova o macaco e aperte
macaco. completamente as porcas na
ordem mostrada, se dispuser
5. Remova as porcas com a chave de um torquímetro, aplique o
de rodas. torque de 360 ± 36 N.m. .
6. Substitua o pneu esvaziado 9. Guarde o pneu vazio.
pelo sobressalente, 10.Aloje o macaco, o cabo do
certificando-se de que a macaco e a chave de rodas.
válvula de enchimento esteja Certifique-se de que o macaco
voltada para fora em todos as esteja firmemente preso para
rodas dianteiras e rodas duplas não fazer barulho durante a
traseiras. Se estiver viagem.
substituindo uma roda traseira
externa, a válvula de 11.Remova os calços das rodas.
enchimento deve estar voltada
para dentro. Instale novamente
as porcas até que a roda
encoste no cubo. Não aperte
totalmente as porcas até ter
abaixado a roda.
7. Abaixe a roda, girando
vagarosamente a válvula de
alívio em sentido anti-horário.
Abrindo a válvula de alívio
vagarosamente, haverá uma
descida mais controlada.

9-16

Cap 9 Emergencia.pmd 16 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Procedimento de partida do 4. Verifique todos os terminais de
motor com bateria auxiliar bateria e limpe qualquer
vestígio de corrosão antes de
Os gases em volta da ligar os cabos da bateria.
bateria podem explodir se
forem expostos a chamas, 5. Ligue os ventiladores internos
faíscas ou cigarros acesos. de ambos os veículos, para
proteger contra qualquer
sobretensão elétrica. Desligue
Preparação do veículo
todos os outros acessórios.
1. Utilize somente alimentação de
12 Volts para dar partida no
veículo. Se conectar a bateria
do veículo numa fonte de
24 Volts, haverá danos ao motor
de partida, o sistema de ignição
e outros componentes elétricos.
2. Não desconecte a bateria do
veículo avariado, uma vez que
isso poderá danificar o sistema
elétrico do mesmo.
3. Estacione o veículo de socorro
perto do compartimento do
motor do veículo avariado,
certificando-se de que os
veículos não se toquem.
Aplique o freio de
estacionamento de ambos os
veículos. Afaste-se do
ventilador de arrefecimento do
motor e de outras peças em
movimento.

9-17

Cap 9 Emergencia.pmd 17 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Conexão dos cabos auxiliares Não conecte a extremidade
do cabo ao terminal
negativo (-) da bateria a ser
atendida. Uma faísca pode
causar explosão dos gases
provenientes da bateria.
Partida auxiliar
1. Dê partida no veículo de socorro
e funcione o motor numa rotação
razoavelmente alta.
1. Posicione os veículos de modo
2. Dê partida ao motor do veículo
que não se toquem.
com a bateria descarregada.
2. Pare o motor. Desligue qualquer
equipamento elétrico 3. Após ter dado partida no motor,
desnecessário. desconecte os cabos auxiliares
das baterias e funcione ambos os
3. Conecte o terminal positivo (+) motores por mais três minutos.
da bateria do veículo (1) ao
terminal positivo (+) da bateria
auxiliar (2).
4. Conecte uma extremidade do
segundo cabo ao terminal
negativo (-) da bateria auxiliar
(3) e a outra extremidade numa
parte metálica do motor a ser
acionado (4), não ao terminal
negativo (-) da bateria
descarregada.
5. Certifique-se de que os cabos
auxiliares estejam afastados de
peças móveis do motor.

9-18

Cap 9 Emergencia.pmd 18 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Remoção dos cabos auxiliares Procedimento para
partida após "pane seca"
(veículo sem combustível)
1. Adicionar combustível no
tanque.
2. Fazer a sangria do ar no sistema
de combustível pelo filtro
separador.
3. Iniciar a ignição até a partida do
1. Remova os cabos auxiliares em motor sem acionar o pedal do
ordem inversa. Desconecte acelerador.
primeiro o cabo da parte 4. Caso o motor não dê a partida,
metálica do motor (1), em efetuar os passos 2 e 3
seguida o cabo do terminal novamente.
negativo (-) da bateria auxiliar (2).
5. Aguardar a marcha-lenta
2. Remova o cabo do terminal estabilizar sem acionar o pedal
positivo (+) da bateria auxiliar (3) do acelerador.
e depois da bateria
descarregada (4). 6. O veículo estará disponível para
utilização normal, após a
3. Com o veículo em estabilização da marcha-lenta.
funcionamento, deixe-o por
algum tempo com o motor
acelerado para que a bateria
volte a carregar.

9-19

Cap 9 Emergencia.pmd 19 11/5/2010, 15:26


O que fazer numa emergência
Guinchamento
Se for preciso guinchar o veículo,
contrate um serviço de reboque
profissional ou um centro de
assistência de rodovias.
Caso seja necessário o seu
veículo pode ser guinchado com
as rodas dianteiras no chão e as
rodas traseiras levantadas. Nos
veículos 4 x 4 a roda livre deve
estar obrigatoriamente na posição
automático para evitar danos na
transmissão do veículo.
4 x 2 / 4 x 4 - Se for necessário
guinchar o veículo levantado as
rodas dianteiras e deixando as
traseiras rodando, é necessário
remover antes a árvore longitudinal
(cardã) para evitar-se danos a
transmissão do veículo.

9-20

Cap 9 Emergencia.pmd 20 11/5/2010, 15:26


Capítulo 10

Manutenção e
conservação

Cap 10 Manutencao.pmd 1 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
RECOMENDAÇÕES PARA  com o motor em funcionamento,
SERVIÇO evite a utilização de roupa
Para auxiliar na manutenção do folgada, jóias ou cabelo
veículo: comprido que possam enroscar
em peças em movimento;
 destacamos os itens cuja
 não trabalhe no veículo com o
manutenção é de
motor funcionando em ambiente
responsabilidade do
fechado;
proprietário, no compartimento
do motor, para fácil localização.  mantenha cigarros acesos,
chamas e outro material em
Se o veículo necessitar de serviço,
brasa afastados da bateria e de
o Distribuidor Ford pode fornecer
todas as peças relacionadas
as peças e o serviço necessário.
com combustível.
Verifique o Manual de Garantia e
Manutenção, que relaciona quais
TRABALHANDO COM O
peças e serviços são cobertos.
MOTOR PARADO
Utilize somente combustíveis,
lubrificantes, fluidos e peças de 1. Aplique os freios de
reposição recomendados de estacionamento.
acordo com as especificações. As
2. Pressione o pedal de
peças Motorcraft são projetadas e
embreagem e coloque a
fabricadas para proporcionar o
alavanca de mudanças em
melhor desempenho do veículo.
primeira marcha.
PRECAUÇÕES DURANTE A 3. Pare o motor e remova a chave.
MANUTENÇÃO DO VEÍCULO
4. Calce as rodas para evitar que
Cuidados especiais devem ser o veículo se movimente
tomados quando inspecionar ou acidentalmente.
efetuar serviços no veículo:
 não trabalhe sobre o motor
quente;

10-2

Cap 10 Manutencao.pmd 2 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
TRABALHANDO COM O
MOTOR FUNCIONANDO
1. Aplique o freio de
estacionamento, pressione o
pedal da embreagem e coloque
a alavanca de mudanças em
ponto-morto.
2. Pela frente do veículo, solte o
2. Calce as rodas para evitar que
trinco auxiliar localizado sob o
o veículo se movimente
centro do capuz. Deslize a
acidentalmente. manopla para liberar o trinco
auxiliar.
Não dê partida no motor
com o filtro de ar 3. Levante o capuz até que os
removido, e não remova-o com cilindros de levantamento
o motor funcionando. mantenham-no aberto.

ABERTURA DO CAPUZ

1. Do interior do veículo, puxe a


manopla de liberação do capuz,
localizada sob o canto esquerdo
inferior do painel de
instrumentos.

10-3

Cap 10 Manutencao.pmd 3 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
IDENTIFICAÇÃO DE COMPONENTES NO COMPARTIMENTO DO
MOTOR – 3.9 l TURBO DIESEL, 4 CILINDROS

1. Vareta de medição do nível de


óleo do motor
2. Reservatório de fluido da
embreagem
3. Reservatório do fluido de freio
4. Central de distribuição elétrica
5. Reservatório de fluido da
direção hidráulica
6. Conjunto do filtro de ar
7. Reservatório do líquido de
arrefecimento do motor
8. Reservatório de fluido do
lavador do pára-brisa
9. Bateria
10. Tampa do bocal de
enchimento do óleo do motor.

10-4

Cap 10 Manutencao.pmd 4 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
ÓLEO DO MOTOR 6. Limpe o indicador. Insira-o
totalmente, e remova-o
Verificação do óleo do motor
novamente.
Consulte o Manual de Garantia e
 Se o nível de óleo estiver entre
Manutenção quanto aos intervalos
as marcas MIN e MAX, o nível
apropriados para verificação do
de óleo é aceitável. NÃO
óleo do motor.
ACRESCENTE ÓLEO.
1. Certifique-se de que o veículo  Se o nível de óleo estiver abaixo
esteja sobre uma superfície da marca MIN, acrescente óleo
nivelada. suficiente para elevar o nível
2. Pare o motor e aguarde alguns entre a escala MIN-MAX.
minutos para que todo o óleo
 Níveis de óleo acima da marca
desça para o cárter.
MAX podem danificar o motor.
3. Aplique o freio de Um pouco de óleo deve ser
estacionamento e certifique-se removido do motor por um
de que a alavanca de técnico de serviço.
mudanças esteja firmemente
7. Coloque de volta o indicador e
engatada em primeira marcha.
certifique-se de que esteja
totalmente assentado.
4. Abra o capuz. Proteja-se contra
o calor do motor.

5. Localize e remova
cuidadosamente o indicador de
nível do óleo (vareta de
medição) do motor.

10-5

Cap 10 Manutencao.pmd 5 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
Adição de óleo ao motor Recomendações para o óleo e
o filtro do motor
1. Verifique o nível de óleo do
motor. Para instruções, consulte A especificação Ford de óleo é
Verificação do Óleo do Motor, WSE-M2C906-A.
neste capítulo.
Utilize óleo Motorcraft SAE 15W40
2. Se o nível de óleo do motor não (CI4) para motores diesel.
estiver dentro da escala MIN e Não utilize aditivos suplementares
MAX, acrescente somente óleo no óleo de motor, tratamentos de
para motor na viscosidade óleo ou tratamentos de motor.
recomendada. Remova a tampa
do bocal de enchimento e utilize Estes são desnecessários e
um funil no bocal para podem, sob certas condições,
completar o nível. danificar o motor, o que não é
coberto pela garantia.
3. Verifique novamente o nível de
Troque o óleo e o filtro do motor de
óleo do motor. Certifique-se de
acordo com a programação
que o nível de óleo não esteja
relacionada no Manual de Garantia
acima da marca MAX na vareta
e Manutenção.
de medição.
Os filtros de óleo Motorcraft são
projetados para oferecer proteção
adicional e longa vida ao motor. Se
for utilizado um filtro de óleo que
não satisfaça às especificações
Ford, poderão ocorrer barulhos ou
batidas no motor.
Recomenda-se, pois, a utilização
de filtro de óleo Motorcraft (ou de
outra marca que satisfaça às
especificações Ford) para
aplicação no motor.

10-6

Cap 10 Manutencao.pmd 6 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO Filtro de combustível

A legislação vigente
estabelece que a bomba
injetora saia da fábrica lacrada,
para proporcionar eficiência
máxima com os menores níveis
de emissão de fumaça. Dirija-se
a um Distribuidor Ford quando
necessitar de qualquer reparo ou Localizado próximo aos bicos
regulagem. injetores, retém impurezas que
tenham passado pelo filtro
Antes de chegar ao motor, o
separador de água, em elementos
combustível passa pelo filtro
de papel especial.
separador de água e filtro de
combustível.
Filtro separador de água

Localizado no lado interno


esquerdo do chassi. Deverá ser
drenado periodicamente ou
quando a luz de advertência no
conjunto de luzes do painel
acender, indicando essa condição.
Para drená-lo, solte o bujão
inferior. Para a limpeza,
desrosqueie o corpo do filtro
lavando-o, a seguir, com o óleo
diesel limpo. Após a montagem,
fazer a sangria do sistema.

10-7

Cap 10 Manutencao.pmd 7 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
Substituição FLUIDO DE FREIO
Verificação e acréscimo de
fluido de freio

O filtro deve ser trocado nos


períodos indicados no Plano de
manutenção. Para tanto:
 remova o filtro;
 limpe a área ao redor do
cabeçote do filtro;
 abasteça o novo filtro com
óleo diesel limpo; O fluido de freio deve ser
verificado e o nível completado
 lubrifique as juntas com óleo
conforme necessário. Consulte o
para o motor;
Manual de Garantia e Manutenção
 substitua os anéis de vedação; quanto aos intervalos
 rosqueie o filtro com as mãos, recomendados.
até que a junta faça contato. 1. Limpe a tampa do reservatório
Aperte mais 1/2 a 3/4 de volta. antes de removê-la, para evitar
O aperto do filtro com ferramentas a penetração de sujeira ou água
pode causar espanamento da no reservatório.
rosca, ou esmagamento do anel 2. Verifique visualmente o nível de
de vedação. fluido.
3. Se necessário, acrescente fluido
para freio até que o nível
alcance a marca MAX. Não
encha acima desta linha.

10-8

Cap 10 Manutencao.pmd 8 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
4. Utilize somente fluido para freio Uso em terrenos fora de
DOT 4 que satisfaça às estrada (Off-Road)
especificações Ford. Consulte F-4000 - 4x4
Especificações de Lubrificante, A utilização do veículo em terrenos
no capítulo de Capacidades e fora de estrada, onde a lama, areia
Especificações. ou água salgada estiverem
presentes, faz com que certos
O fluido de freio é tóxico e cuidados especiais devam ser
também danifica a pintura adotados um destes diz respeito à
do veículo. lavagem do veículo após o uso
nestes ambientes, de forma a
Se utilizar fluido de freio remover toda a sujeira acumulada
que não seja DOT 4, o principalmente nas partes
inferiores do veículo.
sistema de freio será danificado.
Durante a manutenção periódica, o
Não permita que o sistema de freio deve ser
reservatório do cilindro cuidadosamente limpo, de forma a
mestre fique vazio. Isto causará remover os contaminantes dos
falha nos freios. seus componentes, a fim de evitar
desgaste excessivo. O freio a
disco dianteiro permite a limpeza
com relativa facilidade; o freio a
tambor traseiro, no entanto, requer
a remoção do tambor a fim de
realizar a limpeza do seu
mecanismo.

10-9

Cap 10 Manutencao.pmd 9 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
FLUIDO DA EMBREAGEM FLUIDO DO LAVADOR DO
PÁRA-BRISA
Verificação e acréscimo de
fluido do lavador do pára-brisa

Verifique o nível do fluido da


embreagem. Consulte o Manual de Verifique o fluido do lavador
Garantia e Manutenção quanto aos sempre que parar para abastecer
intervalos recomendados. com combustível. O reservatório é
Utilize somente fluido para freio identificado com o símbolo .
DOT 3 que satisfaça a Se o nível estiver baixo, adicione
especificação SAE J1703. fluido suficiente para encher o
Consulte Capacidades e reservatório. Em climas muito
Especificações. frios, não encha o reservatório
Durante a operação normal, o nível totalmente.
de fluido no reservatório da
embreagem se elevará Não coloque líquido de
vagarosamente. Se o nível de arrefecimento do motor
fluido abaixar, mantenha o nível de no reservatório de fluido para
fluido na faixa do reservatório. lavador de pára-brisa.
1. Limpe a tampa do reservatório
antes de removê-la, para evitar
a penetração de sujeira ou água
no mesmo.
2. Remova a tampa.
3. Adicione fluido até que o nível
alcance a linha FULL.

10-10

Cap 10 Manutencao.pmd 10 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO Adição de líquido de
DO MOTOR arrefecimento para motor
Não coloque líquido de
arrefecimento para motor
no reservatório do lavador de
pára-brisa.

Utilize somente o tipo de líquido


de arrefecimento o qual o veículo
foi originalmente equipado. Se não
tiver certeza de qual tipo de
líquido de arrefecimento o veículo
necessita, consulte o Distribuidor
Verifique o nível de líquido de Ford.
arrefecimento do motor no Quando o motor estiver frio,
reservatório. Consulte o Manual de adicione líquido de arrefecimento
Garantia e Manutenção quanto aos para motor no reservatório do
intervalos programados. Vide motor conforme descrito no
Precauções durante a manutenção capítulo "Combustível e
do veículo, neste capítulo. lubrificantes".
NÃO ADICIONE DIRETAMENTE AO
Se o líquido de arrefecimento do RADIADOR. Adicionar água pura
motor não foi verificado nos somente em caso de emergência.
intervalos recomendados acima, o
reservatório poderá esvaziar-se.
Se isto ocorrer, adicione líquido de
arrefecimento no reservatório. Para
informações adicionais sobre a
manutenção do líquido de
arrefecimento do motor, consulte
Adição de Líquido de
Arrefecimento do Motor, neste
capítulo.

10-11

Cap 10 Manutencao.pmd 11 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação

Nunca remova a tampa do Substitua o líquido de


reservatório do líquido de arrefecimento do motor de acordo
arrefecimento com o motor com a programação relacionada no
funcionando ou quente. Manual de Garantia e Manutenção.
Utilize como aditivo etileno-glicol
Se for preciso remover a tampa do que satisfaça à especificação Ford
reservatório do líquido de ESE-M97B44-A.
arrefecimento, obedeça as Não utilize anti-congelante à base
seguintes etapas para evitar de álcool ou metanol, ou qualquer
ferimentos: líquido de arrefecimento para motor
misturado com anti-congelante à
1. antes de remover a tampa, pare base de álcool ou metanol. Não
o motor e deixe-o esfriar; utilize aditivos suplementares para
2. quando estiver frio, envolva a líquido de arrefecimento. Esses
tampa com um pano grosso. aditivos podem prejudicar o
Gire vagarosamente a tampa sistema de arrefecimento do motor.
em sentido anti-horário até a A utilização de líquido de
aliviar a pressão; arrefecimento inadequado pode
anular a garantia do sistema de
3. afaste-se um pouco enquanto a arrefecimento do motor.
pressão estiver sendo aliviada;
Descarte sempre os
4. após toda a pressão ter sido fluidos automotivos
aliviada, utilizando sempre o usados de maneira responsável.
pano, gire ainda mais em
sentido anti-horário e remova a
tampa.

10-12

Cap 10 Manutencao.pmd 12 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
VERIFICAÇÃO E ACRÉSCIMO 4. Verifique o nível de fluido no
DE FLUIDO DE DIREÇÃO reservatório. Este deve estar
HIDRÁULICA entre as linhas ADD/MIN e MAX.
Não acrescente fluido se o nível
estiver dentro desta faixa.
5. Se o nível estiver baixo,
adicione fluido em pequenas
quantidades, verificando
continuamente o nível, até que
este alcance a faixa entre as
linhas ADD/MIN e MAX.
Certifique-se de que tenha
instalado novamente a tampa
Verifique o fluido da direção do reservatório.
hidráulica. Consulte o Manual de
Garantia e Manutenção quanto aos
intervalos recomendados. Se for
necessário adicionar fluido, utilize
somente fluido Motorcraft ATF.
1. Dê partida no motor e deixe-o
funcionar até atingir sua
temperatura normal de
funcionamento (o ponteiro do
indicador de temperatura do
líquido de arrefecimento ficará
dentro da área normal.
2. Durante a marcha lenta do
motor, gire o volante de direção
para a direita e para a esquerda
várias vezes.
3. Pare o motor.

10-13

Cap 10 Manutencao.pmd 13 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
VERIFICAÇÃO E ACRÉSCIMO BATERIA
DE FLUIDO PARA
TRANSMISSÃO

A bateria de seu veículo é livre de


manutenção (não requer adição de
1. Limpe o bujão de enchimento. água). Para operação adequada da
bateria, mantenha-a limpa e seca,
2. Remova o bujão de enchimento e assegure-se de que os cabos
e verifique o nível de fluido. estejam firmemente conectados
3. O nível do fluido deve estar na aos terminais da bateria.
parte inferior da abertura.
4. Adicione fluido suficiente O contato com
através da abertura de componentes químicos
enchimento, até que o nível internos da bateria pode causar
atinja a parte inferior da danos severos à saúde.
abertura.
5. Instale e aperte firmemente o Devolva a bateria usada ao
bujão de enchimento. revendedor no ato da
troca, conforme Resolução
Utilize somente fluido que
Conama 257/99 de 30.06.99.
satisfaça à especificação Ford.
Consulte o capítulo Capacidades
e Especificações.
JUNTAS UNIVERSAIS DOS
EIXOS DE TRANSMISSÃO
O veículo pode estar equipado
com juntas universais que
necessitem lubrificação. Caso as
juntas universais originais sejam
substituídas por juntas universais
equipadas com graxeiras, haverá
necessidade de lubrificação.

10-14

Cap 10 Manutencao.pmd 14 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação

Todo consumidor/usuário RISCOS DO CONTATO COM A


final é obrigado a devolver SOLUÇÃO ÁCIDA E COM O
sua bateria usada a um ponto de CHUMBO:
venda. Não descarte no lixo. Os
pontos de venda são obrigados
a aceitar a devolução de sua
bateria usada e a devolvê-la ao
fabricante para reciclagem.
Se houver algum sinal de corrosão
sobre a bateria ou os terminais, A solução ácida e o chumbo
remova os cabos dos terminais e contidos na bateria, se
limpe com uma escova de aço. O descartados na natureza de forma
ácido pode ser neutralizado com incorreta, poderão contaminar o
uma solução de bicarbonato de solo, o sub-solo e as águas, bem
sódio e água. Instale novamente como causar riscos à saúde do ser
os cabos após tê-los limpados. humano.
Normalmente, as baterias No caso de contato acidental com
produzem gases os olhos ou com a pele, lavar
explosivos que podem causar imediatamente com água corrente
ferimentos. Portanto, não e procurar orientação médica.
aproxime da bateria chamas,
faíscas ou substâncias acesas. Ao levantar uma bateria de
Ao trabalhar próximo a uma caixa plástica, o excessode
bateria, proteja sempre o rosto pressão das paredes laterais
e os olhos. Providencie sempre podem causar o vazamento de
ventilação apropriada. ácido através das tampas de
ventilação, resultando em
Antes de executar serviços ferimentos e/ou danos ao
de solda no veículo, seguir veículo ou bateria. Levante a
os seguintes passos: bateria com um transportador
- Desligar o cabo positivo da de bateria ou com as mãos nos
bateria. cantos opostos.
- Desligar o cabo positivo do
alternador.
- Conectar o cabo terra do
equipamento próximo do ponto
de execução da solda.
10-15

Cap 10 Manutencao.pmd 15 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação

Mantenha as baterias SUBSTITUIÇÃO DAS


longe do alcance das PALHETAS DO LIMPADOR DO
crianças. Baterias contém ácido PÁRA-BRISA
sulfúrico. Evite o contato com a
pele, olhos ou vestimentas.
Proteja os olhos quando estiver
trabalhando próximo à bateria
contra possível borrifo da
solução de ácido. No caso de
contato de ácido com a pele ou
os olhos, lave imediatamente
com água por no mínimo 15
minutos, e procure assistência
médica logo. Se o ácido for
ingerido, chame imediatamente Para substituir as palhetas:
um médico.
1. afaste o braço do limpador do
PALHETAS DO LIMPADOR DO pára-brisa e trave-o na posição
PÁRA-BRISA de manutenção;
Verifique as palhetas do limpador 2. incline a palheta em um ângulo
no mínimo duas vezes por ano, ou do braço do limpador. Empurre
quando perderem eficiência. o pino de trava manualmente
Substâncias como seiva de para liberar a palheta e puxe
árvores e alguns tratamentos de esta para baixo em direção ao
cera quente utilizados por pára-brisa para removê-la do
lavadores comerciais de carros braço;
reduzem a eficiência das palhetas.
3. instale a nova palheta no braço
VERIFICAÇÃO DAS PALHETAS do limpador e pressione-a no
DO LIMPADOR lugar até ouvir o ruído de
encaixe.
Se as palhetas não limpam
corretamente, limpe o pára-brisa e
as palhetas utilizando detergente
neutro. Enxague bem com água
limpa. Para evitar danos às
palhetas, não utilize combustível,
querosene, solvente de tinta ou
similares.

10-16

Cap 10 Manutencao.pmd 16 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
PNEUS Pneus com pressão acima da
recomendada prejudicam o
PARA SUA SEGURANÇA conforto, pois aumentam, em lugar
Sempre que abastecer o veículo, de reduzir, os efeitos de pisos
verifique a pressão dos pneus a irregulares. Além disso, são mais
frio (lembre-se de incluir o pneu susceptíveis a danos provocados
sobressalente). Consulte a seção por impactos em superfícies
irregulares de rodagem.
Dados técnicos, item "Pressão
dos pneus". Se for necessário subir o veículo
no meio-fio, faça-o devagar e, se
É indispensável manter a pressão
correta dos pneus, especialmente possível, em ângulo reto. Evite
em situações com o veículo obstáculos íngremes e
totalmente carregado ou altas pontiagudos.
velocidades. Ao estacionar o veículo, não
Não esqueça que o uso esfregue a face lateral dos pneus.
prolongado dos pneus nessas Examine a superfície da banda de
condições aumenta rodagem periodicamente, a fim de
consideravelmente a pressão dos verificar a existência de cortes,
mesmos. Dessa forma, nunca objetos estranhos ou desgaste não
esvazie um pneu nessas uniforme. Um perfil irregular indica
condições logo após ter parado o necessidade de alinhamento das
veículo, pois a pressão estará rodas. O desempenho e a
muito acima do normal. segurança do pneu tendem a
diminuir após aproximadamente 3
Pneus danificados ou mm de redução na profundidade
gastos são perigosos! Não dos sulcos.
dirija o veículo se houver pneus
excessivamente gastos, Maior será o risco de
danificados ou com pressão aquaplanagem quanto menor a
incorreta. profundidade do sulco.
Também inspecione regularmente
Baixas pressões nos pneus as paredes laterais dos pneus
reduzem a estabilidade, quanto a indícios de deformação
aumentam a resistência de ou danos, especialmente bolhas e
rolagem, provocam
cortes. Pneus nestas condições
superaquecimento dos pneus,
devem ser substituídos.
aceleram o desgaste, aumentam o
consumo de combustível e podem
provocar acidentes.
10-17

Cap 10 Manutencao.pmd 17 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
Boas práticas de direção INFORMAÇÕES SOBRE GRAU
contribuem para menor desgaste DE CLASSIFICAÇÃO DO PNEU
dos pneus. Dessa forma, deve-se
evitar freadas bruscas, fortes
acelerações partindo da
imobilidade, choques contra
calçadas, buracos e uso
prolongado em ruas ou estradas
acidentadas.
Exemplo:
Mas o fator mais importante para a Treadware 350 Traction A
vida longa dos pneus é manter a Temperature B
pressão nos valores
recomendados. Os pneus dos veículos
automotores possuem um Grau de
Seu veículo está equipado Classificação, que pode ser
com pneus radiais. Jamais encontrado na banda lateral do
faça rodízio cruzado. pneu, entre a banda de rodagem e
a seção de profundidade máxima.
O grau de classificação se aplica a
pneus novos para uso em veículos
de passeio. Não se aplica a
desgaste de pneus para veículos
de carga e desgaste profundo.

10-18

Cap 10 Manutencao.pmd 18 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
MANUTENÇÃO E O grau de tração é baseado em
ESPECIFICAÇÕES testes de tração de frenagem
direta e não inclui características
DESGASTE DO PNEU
de aceleração, curvas ou
(TREADWARE)
hidroplanagem.
O desgaste do pneu é um grau
TEMPERATURA A B C
comparativo, baseado na taxa de
(TEMPERATURE)
desgaste do pneu quando testado
sob condições controladas, em Os graus de temperatura são A (o
pista de teste especificada em maior), B e C, que representam a
norma. Um pneu classificado resistência do pneu à geração de
como 350 se desgasta três vezes calor e a sua capacidade de
e meia (3 ½) a mais que um pneu dissipá-lo quando testado sob
grau 100. Contudo, o desempenho condições controladas em
relativo dos pneus depende das laboratório. Altas temperaturas por
condições reais do uso, e pode ser período prolongado podem causar
significativamente diferente da degradação do material e reduzir a
norma devido às variações nos vida do pneu, e temperaturas
hábitos de direção, práticas de excessivas podem levar a danos
serviço, diferenças nas repentinos.
características da estrada e
condições ambientais. MANUTENÇÃO E
ESPECIFICAÇÕES
TRAÇÃO AA ABC (TRACTION)
O grau de temperatura é
Os graus de tração, desde o maior estabelecido para um pneu
até o menor são AA, A, B e C. Os devidamente calibrado e não em
graus representam a capacidade sobrecarga. Velocidades
do pneu de parar em pisos excessivas, calibração baixa do
molhados, medida em condições pneu ou excesso de carga podem
controladas, em teste especificado causar acúmulo de calor e
sobre superfícies de asfalto e possível dano ao pneu.
concreto. Um pneu com a marca C
apresenta desempenho de tração
menor.

10-19

Cap 10 Manutencao.pmd 19 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
VERIFICAÇÃO DA PRESSÃO Para garantir que os pneus se
DOS PNEUS desgastem por igual e durem
 Use um manômetro de precisão mais, realize o rodízio dos
para medir a pressão dos mesmos conforme indicado no
pneus. Manual de Garantia e Manutenção.
Se houver desgaste desigual dos
 Verifique a pressão com os pneus, verifique o alinhamento da
pneus frios, depois que o direção.
veículo tiver permanecido
parado pelo menos por uma hora O seguinte procedimento se aplica
ou tiver rodado menos de 5 km. para veículos equipados com
rodagem simples. Se o veículo
 Ajuste a pressão do pneu de estiver equipado com rodagem
acordo com as especificações dupla, recomenda-se que o rodízio
recomendadas neste Manual. seja feito somente nas rodas
dianteiras (lado a lado).
Pneus com calibração
incorreta podem afetar a (F-350)
dirigibilidade e causar falhas
repentinas, resultando em perda  Rodízio de quatro rodas
do controle do veículo.
BICOS DE ENCHIMENTO
(VÁLVULAS)
Mantenha as tampas dos bicos
sempre firmemente rosqueadas,
pois elas impedem a penetração
de sujeira nas válvulas. Ao calibrar
os pneus, verifique se não há  Rodízio incluindo o pneu
vazamentos pelo bico (há um sobressalente
"assobio" característico.)

RODÍZIO DOS PNEUS


Devido aos diferentes esforços
exigidos dos pneus do veículo,
estes podem se desgastar de
maneira diferente.

10-20

Cap 10 Manutencao.pmd 20 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
RODÍZIO DOS PNEUS SUBSTITUIÇÃO DOS PNEUS
(F-4000) Substitua os pneus quando a
banda de desgaste for visível pela
lateral do pneu.

pneus dianteiros pneus dianteiros


iguais aos pneus diferentes dos Indicador de limite de desgaste
traseiros pneus traseiros
O não-cumprimento destas
Para prolongar a durabilidade dos precauções afeta
pneus, é necessário que o adversamente a estabilidade do
desgaste dos mesmos seja veículo.
uniforme.
Pneus maiores ou menores que os
Quando da substituição por
originais do veículo também
novos, todos os pneus devem ser
afetam a precisão do velocímetro.
substituídos.
Portanto, utilize apenas pneus de
Sempre que efetuar o rodízio dos
reposição de mesma medida e
pneus, desmonte-os das rodas e
mesma capacidade de carga e
remonte-os ao contrário, a fim de
índice de velocidade.
manter o sentido de rotação dos
mesmos.

10-21

Cap 10 Manutencao.pmd 21 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
TAMPA DO TANQUE DE CONSUMO DE COMBUSTÍVEL
COMBUSTÍVEL O consumo depende dos
seguintes fatores:

VELOCIDADE DO VEÍCULO E
SELEÇÃO DE MARCHA

Consumo de combustível
2ª.
3ª.
Para abrir: 4ª.
5ª.
 Introduza a chave e gire no
Velocidade
sentido anti-horário;
 gire a tampa até destravá-la e O gráfico mostra a relação
remova. entre o consumo de
combustível, a velocidade e a
Para fechar: escolha de marchas. O consumo
 Inverta a sequência. de combustível aumenta se forem
mantidas marchas mais baixas
Fechar a tampa com a para melhorar a aceleração.
chave instalada.
DISTÂNCIA DA JORNADA E
Seu veículo está apto ao uso TEMPERATURA AMBIENTE
do Biodiesel B5 (mistura de Partidas a frio freqüentemente e
5% de biodiesel com diesel) pequenos percursos, durante os
conforme especificado pelas quais o motor não chega a
normas brasileiras vigentes. alcançar a temperatura normal de
serviço, resultam em elevado
consumo de combustível.

10-22

Cap 10 Manutencao.pmd 22 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
CONDIÇÕES DE TRÂNSITO DE • Utilize óleo recomendado para
ESTRADA motor. Consulte Especificações
de Lubrificantes.
Trânsito lento, dirigir em aclive,
muitas curvas e estrada em más • Efetue todos os itens de
condições aumentam o consumo manutenção regular programada,
de combustível. especificados no Manual de
Garantia e Manutenção.
HÁBITOS DE DIRIGIR
CONDIÇÕES
Seu veículo foi projetado para
proporcionar transporte seguro, • Veículo sobrecarregado terá a
confortável e econômico por economia de combustível
milhares de quilômetros. prejudicada em qualquer
Entretanto, nada substitui o velocidade.
cuidado e uso de boas práticas de • Transporte de peso
direção. desnecessário reduz a economia
Dirija com prudência, antecipando de combustível.
eventuais situações de perigo, e
mantenha distância de segurança • A economia será reduzida em
suficiente em relação ao veículo à baixas temperaturas durante os
sua frente. primeiros 10-15 km de
condução.
Se for necessária uma
espera longa em passagem • Terrenos planos melhoram a
de nível ou semáforos, aconselha- economia de combustível em
se desligar o motor. Três minutos comparação com os
de espera com o motor montanhosos.
funcionando em ponto morto • A transmissão do veículo oferece
equivalem a um percurso de melhor economia de combustível
aproximadamente 1 quilômetro. quando utilizadas em marchas
diretas, de velocidade
MANUTENÇÃO
constante, e com pressão
• Manter a pressão correta dos estável sobre o pedal do
pneus e utilizar somente as acelerador.
medidas recomendadas.
• Feche os vidros durante
• A operação do veículo com as
condução em velocidades
rodas desalinhadas aumenta o
elevadas.
consumo de combustível e
desgaste dos pneus.
10-23

Cap 10 Manutencao.pmd 23 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
SUBSTITUIÇÃO DAS FARÓIS
LÂMPADAS EXTERNAS
Verifique freqüentemente o
funcionamento das seguintes
lâmpadas:
• faróis; Lâmpadas de halogênio, H4 55/60W
• luzes delimitadoras da cabina; 1. Certifique-se de que o controle
• luzes dos freios; dos faróis esteja na posição
• indicadores direcionais; desligado;
• luzes da placa de licença; 2.abra o compartimento do motor;
• lanternas traseiras; solte o conector elétrico da
• luzes da marcha a ré. lâmpada e remova a luva de
borracha;
Verifique os respectivos fusíveis
antes de trocar qualquer lâmpada. 3.solte a presilha de fixação e
retire a lâmpada do conjunto;
Não remova as lâmpadas, a
menos que sejam imediatamente 4.instale a lâmpada nova,
substituídas por outras novas. Se observando o correto
alinhamento e fixação da
alguma lâmpada for removida por
presilha.
um longo período de tempo, pode
haver penetração de sujeira no LUZES DELIMITADORAS DA
soquete, afetando o CABINA
funcionamento.

Manuseie as lâmpadas
halógenas de farol com
cuidado e mantenha a mesma Para trocar as lâmpadas
longe do alcance de crianças. delimitadoras:
Segure a lâmpada somente pela
base plástica e não toque no 1. remova os parafusos e lentes
vidro. A oleosidade da pele do conjunto;
depositada no vidro pode 2. cuidadosamente puxe a
causar quebra da lâmpada ao lâmpada queimada para fora do
se acender os faróis. Limpe a soquete e instale a nova;
lâmpada com álcool se houver
3. instale as lentes no conjunto da
contato dos dedos com o
lanterna, pressionando as
bulbo.
mesmas até fixarem no local.
10-24

Cap 10 Manutencao.pmd 24 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
INDICADORES DIRECIONAIS LUZES DE POSICIONAMENTO
DIANTEIROS (LANTERNAS)
Lâmpada esférica, 21 W
1.solte o conector elétrico da
lâmpada;
2.gire o soquete no sentido anti-
horário, para removê-lo do
conjunto;
3.pressione levemente a lâmpada
e gire-a no sentido anti-horário Lâmpada de vidro em cunha, 5 W
para removê-la; 1. Solte o conector elétrico da
4.instale a lâmpada nova pela lâmpada;
ordem inversa à descrita, 2. gire o soquete no sentido
observando o correto horário e retire-o do conjunto do
alinhamento das travas de farol;
fixação.
3. remova a lâmpada da base;
4. instale a lâmpada nova pela
ordem inversa à descrita.

LANTERNA TRASEIRA

1
2
3

1. Luz de ré - 21 W
2. Luz indicadora de direção - 21 W
3. Luz de freio / posição - 21 W / 5 W
Remova os parafusos de fixação
da lente e remova-a. Para remover
a lâmpada, pressione-a e gire à
esquerda.

10-25

Cap 10 Manutencao.pmd 25 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
LIMPEZA E CUIDADO COM O Se for encerar o veículo num lava-
VEÍCULO rápido comercial, recomenda-se a
limpeza das palhetas dos
LAVAGEM DO VEÍCULO limpadores e o pára-brisa,
conforme descrito no capítulo
Limpeza das palhetas do limpador
e do pára-brisa.
Após a lavagem, aplique
levemente os freios várias vezes
com o veículo em movimento, para
secá-los.
Lave regularmente o veículo com
água fria ou morna. Nunca utilize ENCERAMENTO DO VEÍCULO
detergentes fortes ou sabão. Se o
veículo estiver muito sujo, utilize Encere somente quando não
um detergente para limpeza de houver mais gotas de água na
veículo de boa qualidade. Para superfície. Isto pode ser executado
obter melhores resultados, use a cada três ou quatro meses,
sempre uma esponja limpa, luvas dependendo das condições de
de limpeza ou dispositivos utilização do veículo.
similares e muita água. Para evitar Utilize somente ceras a base de
manchas, evite a lavagem quando carnaúba ou ceras sintéticas.
o capuz ainda estiver morno, Utilize um fluido para limpeza ou
imediatamente após ou durante a álcool num pano limpo para
exposição solar. remover insetos ou piche antes de
encerar o veículo. Utilize removedor
Ao lavar o motor, nunca para limpar pontos de piche.
direcione jatos d'água na
bomba injetora. Nunca aplique produtos
como querosene, álcool,
Remova os acessórios externos produtos ácidos, alcalinos,
(como a antena), e rebata os abrasivos ou à base de
espelhos retrovisores externos solventes. Estes produtos
antes de entrar num lava-rápido. atacam a pintura, os chicotes,
borrachas e acabamentos.

10-26

Cap 10 Manutencao.pmd 26 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
LIMPEZA DAS RODAS Deve-se evitar também limpeza
Lave com o mesmo detergente por meio de vapor de água.
utilizado para a parte externa do O condensador do ar-
veículo. Não utilize limpadores de condicionado e o radiador
rodas à base de ácidos ou álcool, possuem aletas de alumínio que
palha de aço, combustível ou podem se deformar quando
detergentes fortes. Nunca utilize lavadas com jatos d'água de alta
abrasivos que possam danificar o pressão.
acabamento das rodas. Utilize Para evitar danos somente lavar
removedor para retirar manchas de com jatos d'água de baixa
graxa e de piche. pressão.

LIMPEZA DO MOTOR LIMPEZA DAS PEÇAS


PLÁSTICAS EXTERNAS
A eficiência do motor será maior
se ele funcionar limpo, pois o Utilize um limpador de vinil para a
acúmulo de graxa e poeira causam limpeza rotineira. Limpe com
elevação da temperatura normal removedor, se necessário. Não
de funcionamento. Porém, quando limpe as peças plásticas com
lavar o motor, tenha cuidado em diluentes de tinta, solventes ou
não utilizar jatos fortes de água, e limpadores à base de petróleo.
nem borrife água fria, pois o
choque térmico com superfícies LIMPEZA DAS LUZES
aquecidas poderá provocar danos EXTERNAS
no motor.
Lave com o mesmo detergente
Nunca lave ou enxágue o motor utilizado para as partes externas
enquanto estiver funcionando: do veículo. Utilize limpa-vidros ou
a água no motor em funcionamento removedor, se necessário.
pode causar danos internos. Para evitar riscos às lentes, não
Devido à diversidade de materiais utilize toalha de papel seca,
existentes no compartimento do solventes químicos ou limpadores
motor, deve-se evitar a utilização abrasivos.
de produtos químicos de limpeza,
que podem ser agressivos a
determinados componentes.

10-27

Cap 10 Manutencao.pmd 27 11/5/2010, 15:23


Manutenção e conservação
LIMPEZA DAS PALHETAS DOS LIMPEZA DO PAINEL DE
LIMPADORES E PÁRA-BRISA INSTRUMENTOS
Se as palhetas dos limpadores Limpe com um pano úmido. Use
não limparem adequadamente, uma solução de detergente
limpe o elemento de borracha das doméstico neutro e água, se
palhetas com detergente neutro. necessário. Evite outros tipos de
Para evitar danos às palhetas, não limpadores ou vernizes.
utilize combustível, querosene ou LIMPEZA DO ESTOFAMENTO
solvente de tinta.
Remova a poeira ou sujeiras soltas
Se o limpador ainda não limpar com um espanador ou aspirador de
adequadamente, isto pode ser pó. Remova imediatamente as
causado por substâncias no pára- manchas recentes. Não utilize
brisa, tais como seiva de árvores limpadores domésticos ou de vidros.
e alguns tratamentos de cera Esses agentes podem manchar e
quentes utilizados pelos lava- descolorir o tecido. Use uma solução
rápidos comerciais. Limpe a parte de detergente doméstico neutro e
externa do pára-brisa com um água, se necessário.
limpador não abrasivo. Enxágue
completamente com água limpa. LIMPEZA E MANUTENÇÃO
Não utilize limpadores abrasivos DOS CINTOS DE SEGURANÇA
nos vidros, pois os mesmos Limpe os cintos de segurança com
podem causar riscos. O pára-brisa uma solução de sabão neutro
estará limpo se não se formarem recomendada para a limpeza de
gotas de água quando do enxágüe estofamento ou tapetes. Não alveje
do mesmo. O pára-brisa e as ou tinja os cintos, pois isto pode
palhetas dos limpadores devem enfraquecer a textura do cinto.
ser limpados regularmente e as Verifique periodicamente o sistema
palhetas ou os elementos de dos cintos de segurança, para
borracha substituídos quando certificar-se de que não haja dobras,
estiverem gastos. desgaste ou cortes. Se o veículo foi
envolvido em acidente, consulte a
seção da Manutenção dos cintos de
segurança, no capítulo Bancos e
equipamentos de segurança.

10-28

Cap 10 Manutencao.pmd 28 11/5/2010, 15:23


Capítulo 11

Dados
técnicos

Cap 11 Dados.pmd 1 11/5/2010, 15:23


Dados técnicos
IDENTIFICAÇÃO DO VEÍCULO

3 6 4 9 8

1
5

7 2

Gravação principal do número do Gravação VIS nos vidros – Pára-


chassi (VIN). Na aba inferior da brisa, vidros das portas e vigia
longarina, lado direito, próxima ao traseiro (5, 6, 7 e 8).
suporte dianteiro da mola traseira Plaqueta auto-destrutiva com o
(1). Não montar grampos e/ou ano de fabricação (coluna "B",
suportes de fixação da carroceria lado direito (9).
que impeça o acesso ao VIN.
Número do motor
Plaqueta indicadora de pesos –
Coluna "B", lado esquerdo (2). O número do motor (os últimos oito
algarismos do número de
Etiqueta auto-colante –
identificação do veículo) está
Compartimento do motor, lado
gravado no bloco do motor.
direito do painel frontal do
habitáculo (3).
Etiqueta auto-colante – Coluna
"B", lado direito (4).

11-2

Cap 11 Dados.pmd 2 11/5/2010, 15:23


Dados técnicos
CAPACIDADES DE ENCHIMENTO

Fluido Capacidade

Eixo traseiro (4x4) 4,0 l


(3,8 l óleo +
0,2 l aditivo
Sturaco PN Dana
# 40819)
Eixo dianteiro (4x4) 2,8 l
Eixo traseiro (4x2) 4,0 l
Caixa de transferência 2,0 l
Fluido para freio e embreagem 260 ml
Líquido de arrefecimento do motor 19 l (aprox.)
Óleo do motor (incluindo troca do filtro) 10,5 l
Fluido para direção hidráulica Encha até a
marca no
reservatório
Tanque de combustível F-350 110 l
Tanque de combustível F-4000 150 l
Fluido para transmissão 3,2 l
Fluido para lavador de pára-brisa 4,0 l
Gás refrigerante do ar-condicionado 1.140 kg

11-3

Cap 11 Dados.pmd 3 11/5/2010, 15:23


Dados técnicos
ESPECIFICAÇÕES DOS LUBRIFICANTES

Item Aditivo Especificação Período


(1) Eixo traseiro / dianteiro Motorcraft SAE 85W140 WLS-2C192-A Verificar o nível e
convencional completar se necessário.
(2) Eixo traseiro Texaco Multigear LS _______ Verificar o nível e
anti-derrapante SAE 85W140 GLS (contém completar se necessário.
aditivo modificador de
atrito)
Fluido da embreagem Fluido DOT 3 SAE J1703 Verificar o nível e
completar se necessário.
Fluido de Freio Fluido para Freio DOT4 SA-M6C9103-A Verificar o nível e
completar se necessário.

Sistema de arrefecimento Especificação Ford Drene e reabasteça o Verificar diariamente o


Aditivo anti-congelante WSS-M97B54-A reservatório obedecendo nível do líquido de
(etilenoglicol) a seguinte proporção : arrefecimento e
*Verificar com o 40% de aditivo anti-congelante completar se necessário.
Distribuidor Ford o (etilenoglicol) + 60% de água Trocar o líquido do
anti-congelante filtrada sistema de arrefecimento
recomendado a cada 12 meses.

Verificar a cada revisão


periódica a concentração
de aditivo anti-congelante
completar se necessário.

Fluido da transmissão Fluido para transmissão _______ Verificar o nível e


Motorcraft SAE 80W90, completar se necessário.
API GL4
Dobradiças, trincos, placas Graxa multi-função ESBM1C93-A ou Limpar e lubrificar.
dos batentes, dobradiças ESR-1C159-A
da porta do gargalo de
enchimento de combustível
e trilho dos bancos

Pivôs e articulações Graxa Premium ESA-1C75B Limpar e lubrificar.


da transmissão / direção /
freio de estacionamento, eixo
dos pedais da embreagem e
dos freios
Motor Diesel Motorcraft Verificar o nível e completar, 10,5 l
SAE 15W40 se necessário. Drenar com o com troca do filtro
CI 4 Especificação motor quente e reabastecer
Ford com óleo novo até a marca
WSE-M2C906-A MÁX. da vareta medidora

Caixa de Mudanças Motorcraft Verificar o nível e completar, 3,2 l


SAE 80W90 se necessário.
API GL 4

11-4

Cap 11 Dados.pmd 4 11/5/2010, 15:23


Dados técnicos
ESPECIFICAÇÕES DOS LUBRIFICANTES

Partes a lubrificar Lubrificante Operação Capacidade


Direção hidráulica Esepcificação Ford Verificar o nível e completar, Até a marca Máx.
WSA-M2C195-A se necessário.

Caixa de transferência Texaco Verificar o nível e completar, --------------------


1854 se necessário.
Dexron III

Seu veículo está apto ao uso do Biodiesel B5 (mistura de 5% de


biodiesel com diesel) conforme especificado pelas normas
brasileiras vigentes.

DIMENSÕES DO VEÍCULO

Dimensões F-350 F-350 F-4000


Cab. simples Cab. dupla

Comprimento máx. 5732 mm 6623 mm 6341 mm


Largura máx. 2025 mm 2023 mm 2210 mm
Alturas - Vazio 1942 mm 1960 mm 2031 mm
Alt. mínima do solo 206 mm - 203 mm
Distância entre-eixos 3581 mm 4475 mm 4181 mm

11-5

Cap 11 Dados.pmd 5 11/5/2010, 15:23


Dados técnicos

F-350 F-350 F-4000 F-4000


Pesos Cab. Cab. EE 4x4 EE
simples dupla 4181mm 4181mm
Peso em Ordem
de Marcha 2390 kg 2600 kg 2840 kg 3025 kg
Distrib. de Peso por
Eixo - eixo dianteiro 1470 kg 1590 kg 1690 kg 1845 kg
eixo traseiro 920 kg 1010 kg 1150 kg 1180 kg
Carga Útil Máxima
Indicada 2100 kg 1820 kg 3980 kg 3775 kg
Peso Bruto Total (PBT) 4500 kg 4500 kg 6800 kg 6800 kg
Capacidade Máx.
de Tração 5700 kg 5700 kg 10400 kg 10400 kg
Capacidade Máx. por
eixo - eixo dianteiro 1660 kg 1860 kg 2450 kg 2450 kg
eixo traseiro 3100 kg 3100 kg 4720 kg 4720 kg

PRESSÃO DOS PNEUS DIANT. TRAS.


F-350 LT 265/75R16 - 123/120R 40 80
F-4000 7,50R X 16F - 12 PR 75 75
F-4000 4X4 7,50R X 16F - 12 PR 75 75
EE 4181mm

11-6

Cap 11 Dados.pmd 6 11/5/2010, 15:23


Dados técnicos

Motor F-350 / F-4000


Tipo Cummins B 3,9 - 120 P5-0
Localização/Posição Dianteiro/longitudinal
Ciclo/tempos Diesel/4
Número e Disposição dos cilindros 4 em linha
Diâmetro dos cilindros 102,0 mm
Curso dos êmbolos 120,0 mm
Taxa de compressão 18:1
Cilindrada 3920 cm3
Potência do motor 88 kW (120 CV) @ 2800 rpm
Torque máx. 440 Nm @ 1500 rpm
Sistema de alimentação Bomba injetora rotativa Bosch VE
Combustível utilizado Diesel, referência PROCONVE P5
Sistema de ignição Ignição por compressão
Ordem de ignição 1-3-4-2

11-7

Cap 11 Dados.pmd 7 11/5/2010, 15:23


Dados técnicos

Transmissão - 4 x 2 Diferencial - 4 x 2
Tipo: manual, 5 marchas Redução
à frente, uma a ré F-350 4,10:1
Relações de engrenamento F-4000 4,63:1
1ª 5,08
2ª 2,60
Diferencial - F-4000 4 x 4
3ª 1,53
Redução
4ª 1,00
Dianteiro 4,10:1
5ª 0,77
Traseiro 4,10:1
Marcha a ré 4,66

Transmissão - F-4000 4 x 4 Embreagem


Tipo: manual, 5 marchas
à frente, uma a ré Acionamento: hidráulico

Relações de engrenamento
1ª 5,72:1
2ª 2,73:1
3ª 1,61:1
4ª 1,00:1
5ª 0,87:1
Marcha a ré 5,24:1

Suspensão
Dianteira Traseira
F-350 - "Twin-I-Beam", molas Eixo rígido com molas semi-elípticas
helicoidais, barra estabilizadora e amortecedores telescópicos
e amortecedores telescópicos hidráulicos.
hidráulicos.
F-4000 - Eixo rígido com barra Eixo rígido com barra estabilizadora
estabilizadora, feixe de molas feixe de molas principal semi-elípticas
parabólicas, amortecedores e auxiliar parabólicas amortecedores
telescópicos hidráulicos. telescópicos hidráulicos.

11-8

Cap 11 Dados.pmd 8 11/5/2010, 15:23


Dados técnicos

Freios De estacionamento:
De serviço: (F-350 - 4 x 2) / (F-4000 - 4 x 4)
Hidráulico, com servo freio, dois Mecânico, atuado nas rodas
circuitos independentes. traseiras por meio de cabos

F-350 Cabine simples: disco na (F-4000 - 4 x 2)


dianteira e tambor na traseira. Mecânico, atuado no cardãn
F-350 Cabine dupla / F-4000: através do cabo.
disco na dianteira e tambor na
traseira, válvula sensível a carga
nas rodas traseiras.

Direção
Hidráulica, com esferas
recirculantes. Geometria tipo
Haltenberger.

Ar-condicionado
Gás refrigerante R134a

11-9

Cap 11 Dados.pmd 9 11/5/2010, 15:23


Dados técnicos
Valores de alinhamento

F-350 Cáster Câmber


Nominal Tolerância Nominal Tolerância
Graus decimais 5,0º ± 2,0º 0,62º ± 1,0º
Graus e minutos 5º ± 2º 0º 37' ± 1º
Convergência total 0,0 a 2,0 mm
Nota: Para cáster e câmber, a máxima diferença entre as rodas
direita e esquerda não deve ser superior a 1,0º.

F-4000 Caster Camber


Nominal Tolerância Nominal Tolerância
Graus decimais 3,5º ± 2,0º 0,25º ± 1,0º
Graus e minutos 3º 30' ± 2º 0º 15' ± 1º
Convergência total 0,0 a 2,0 mm
Nota: Para cáster e câmber, a máxima diferença entre as rodas
direita e esquerda não deve ser superior a 1,0º.

Sistema de carga
Alternador: 14V/90A
Bateria: 12V, 78Ah, 750CCA

11-10

Cap 11 Dados.pmd 10 11/5/2010, 15:23


Capítulo 12

Tabela de
Lubrificação e
Manutenção

Cap 12 Tabela.pmd 1 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

12-2

Cap 12 Tabela.pmd 2 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
TABELA DE Quaisquer condições adversas
MANUTENÇÃO detectadas deverão ser levadas
ao conhecimento do seu
Informações gerais sobre Distribuidor Ford o mais
manutenção rapidamente possível, para que
sejam efetuadas as devidas
A Tabela de Manutenção descrita
correções. As verificações de
neste capítulo, constitui um item
responsabilidade do proprietário
essencial para a operação
não são normalmente cobertas
adequada e segura e o
pela garantia, ficando por conta do
desempenho correto de seu
proprietário os custos relativos à
veículo.
mão-de-obra, peças e
Para assegurar a durabilidade de lubrificantes utilizados.
seu veículo e do sistema de
emissões, é necessário que a Nas paradas para
manutenção periódica seja reabastecimento
efetuada dentro dos intervalos de  Verificar nível de óleo do motor;
revisões recomendados.
 verificar o nível do líquido de
A correta manutenção, de acordo arrefecimento no reservatório de
com as recomendações do expansão;
fabricante, é fator indispensável
para a redução da poluição do ar  verificar nível do líquido do
ambiente. reservatório do lavador do pára-
brisa;
VERIFICAÇÕES DE
 verificar os pneus quanto a
RESPONSABILIDADE DO
pressão baixa.
CLIENTE
Estão listadas a seguir as
verificações e inspeções de
manutenção de responsabilidade
do proprietário, a serem efetuadas
por técnicos qualificados, em
intervalos regulares. Eventuais
informações ou procedimentos
necessários às verificações
recomendadas estão descritos no
"Manual do Proprietário".

12-3

Cap 12 Tabela.pmd 3 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
Quando conduzir o  se houver evidências de caixa
veículo de mudanças patinando ou
qualquer problema operacional
 verificar quanto a ruídos com a mesma, verificar o nível
anormais do sistema de escape de fluido da caixa de mudanças
ou odores provenientes do manual;
sistema no interior do veículo;
 verificar quanto a vibrações no Verificações diárias
volante da direção. Verificar  verificar o nível do líquido de
ainda quanto a esforço arrefecimento no reservatório de
excessivo para girar o volante, expansão;
folga no sistema de direção ou
alterações na posição do Verificações semanais
volante, quando em linha reta;  verificar e corrigir a pressão dos
 verificar se o veículo tende a pneus, inclusive o pneu
"puxar" para um dos lados sobressalente;
quando trafega em uma  verificar a operação das
superfície lâmpadas, buzina, indicadores
nivelada; direcionais, limpador e lavador
 durante as frenagens, verificar do pára-brisa e sinalização de
quanto a ruídos anormais, advertência;
tendência a "puxar" para um  verificar o nível de fluido da
dos lados, pedal elástico e direção hidráulica;
curso excessivo do pedal de
freio ou esforço excessivo para  verificar o nível de fluido no
acionar o pedal; reservatório do cilindro-mestre
da embreagem;
 verificar a operação do freio de
estacionamento;  drenar o filtro separador de
água;
 verificar a operação da caixa de
mudanças e do sistema de  verificar o nível do óleo do motor.
embreagem;

12-4

Cap 12 Tabela.pmd 4 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
Verificações mensais Verificações semestrais
 verificar quanto a vazamentos de  limpar a carroceria e furos de
fluidos, inspecionando a drenos das portas;
superfície abaixo do veículo
 limpar completamente a parte
quanto a presença de óleo,
inferior do veículo;
líquido de arrefecimento ou
outros fluidos. A presença de  verificar os componentes
água limpa sob o dreno do inferiores do veículo quanto a
sistema de ar-condicionado é danos;
normal.  verificar o sistema de escape
 verificar o radiador, aquecedor e quanto a vazamentos, danos ou
ar-condicionado quanto a componentes soltos e remover
vazamentos ou danos; quaisquer materiais estranhos
aderidos aos mesmos;
 verificar a pressão dos pneus,
corrigindo se necessário e Nota: é normal a presença de
verificar os pneus quanto a umidade e sujeira ao redor das
desgaste; junções e soldas dos
silenciadores. A presença de
 verificar a bateria e terminais; fuligem, pequenas superfícies
corroídas ou com umidade não
 verificar a operação das
indicam um silenciador
lâmpadas, buzina, indicadores
defeituoso.
direcionais, limpador e lavador
do pára-brisa e sinalização de  verificar o sistema do freio de
advertência. estacionamento;
 verificar o alinhamento dos
faróis;
 verificar os cadarços e os
mecanismos dos cintos de
segurança;
 verificar a trava dos encostos
dos bancos quanto à correta
operação;

12-5

Cap 12 Tabela.pmd 5 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
Verificações anuais Tabelas de Manutenção
 Inspecionar o sistema de As páginas a seguir contém duas
arrefecimento, mangueiras e tabelas de manutenção: uma
fixações; verificar a eficiência do tabela de aplicação normal e outra
sistema de arrefecimento; tabela de aplicação severa.
 verificar e lubrificar as Aplicação normal
dobradiças das portas e da
Esta tabela deverá ser seguida
tampa do compartimento do
para a maioria das condições
motor;
normais de utilização do veículo no
 lubrificar as fechaduras e trincos dia-a-dia.
das portas e da tampa do
compartimento do motor;
Aplicação severa
 lubrificar adequadamente as Esta tabela, com intervalos de
guarnições das portas; verificações menores, deverá ser
seguida caso o veículo seja
Rodízio dos pneus utilizado frequentemente em
quaisquer das seguintes
O rodízio dos pneus deve ser
condições:
efetuado para aumentar vida dos
mesmos, evitando desgaste  percursos curtos (menos de

anormal. 15 km), onde o veículo não


chega a atingir a temperatura
 Efetuar o primeiro rodízio aos normal de funcionamento;
10.000 km ou antes deste
 rebocamento de cargas ou
período se os pneus
apresentarem desgaste trailer, carga sobre o teto ou
desigual. Este primeiro rodízio é utilização constante de carga
de extrema importância; máxima;
 utilização freqüente do veículo
 os rodízios subsequentes
em tráfego intenso, sob
deverão ser efetuados nos
condições de calor excessivo;
intervalos de 10.000 km da
 utilização frequente do veículo
tabela de manutenção.
em marcha-lenta - entregas
 verificar as seções referentes a porta a porta, por exemplo;
pneus, no Manual do
 utilização do veículo a altas
Proprietário, para maiores
velocidades, em condição de
detalhes.
plena carga.

12-6

Cap 12 Tabela.pmd 6 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
Revisões de manutenção Sistema de arrefecimento
Adicionalmente às verificações do A tampa do reservatório de
proprietário, o veículo deverá ser expansão do sistema de
submetido às revisões de arrefecimento deve ser
manutenção, nos Distribuidores inspecionada e limpa em
Ford, de acordo com os intervalos intervalos de aproximadamente 06
indicados no Plano de manutenção. meses ou a cada revisão. Caso
haja evidências de deterioração do
O item a seguir descreve as
anel de vedação, a tampa deverá
inspeções e os intervalos de
ser substituída.
execução das mesmas.
Revisões periódicas Sistema de freio
As revisões deverão ser efetuadas O fluido de freio deve ser
anualmente ou em intervalos de substituído a cada 2 anos. Utilize
5.000 km (aplicação severa), ou sempre o fluido de freio
10.000 km (aplicação normal). recomendado no capítulo
Lubrificantes e operações de
ITENS ADICIONAIS DE lubrificação.
MANUTENÇÃO Com a mesma frequência, ou
Os itens de manutenção indicados sempre que as pastilhas e/ou
a seguir são verificações lonas de freio forem substituídas,
adicionais, não abordados nas o que ocorrer primeiro, os
revisões periódicas, e devem ser componentes de borracha dos
efetuados nos intervalos de tempo freios também devem ser
descritos a seguir. inspecionados quanto à
deterioração ou fugas de fluido. Tal
verificação poderá envolver a
desmontagem dos conjuntos de
freio.
Caso haja indícios de
deterioração, o seu Distribuidor
Ford irá alertá-lo da necessidade
de efetuar uma revisão no
sistema. Recomenda-se, pois,
uma revisão completa do sistema.

12-7

Cap 12 Tabela.pmd 7 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
Tabela de manutenção periódica - aplicação normal

Motor

Trocar óleo do motor (ou cada 6 meses).


Substituir os filtros de combustível (separador, linha e principal).
Sistema de admissão de ar - verificar quanto a danos na tubagem de
admissão, braçadeiras soltas, mangueiras rachadas etc.
Verificar estado do filtro de ar, remover o elemento promário e limpar o
interior da carcaça com um pano úmido.
Filtro de ar - trocar o elemento primário.
Verificar alinhamento, folga e fixações do tensor da correia.
Verificar funcionamento da embreagem viscosa do ventilador.
Verificar tensão e o estado de conservação da correia.
Regular folga das válvulas.
Verificar o estado e aperto dos coxins do motor.
Trocar o líquido de arrefecimento (ou a cada 12 meses).
Turbo compressor - verificar quanto a sinais de vazamento, folgas etc.
Inspecionar a tampa do reservatório do sistema de arrefecimento
quanto ao correto funcionamento (trocar se necessário).
Inspecionar a tubulação de entrada de ar - estado e fixação.
Inspecionar ventilador de arrefecimento - estado e funcionamento.
Inspecionar tubo de respiro do cárter - impurezas.
Verificar nível de óleo do motor - completar se necessário.
Verificar o nível do líquido de arrefecimento - completar se necessário.
Drenar o purgador do filtro de ar.
Drenar o filtro separador de água.
Caixa de mudanças embreagem
Verificar o nível de óleo e limpar o respiro da caixa de mudanças.
Trocar o óleo da caixa de mudanças (ou a cada 06 meses).
Verificar o nível do fluido do sistema de embreagem.
Lubrificar o eixo de acionamento do rolamento da embreagem /
sapatas e garfo.
Trocar o fluido do sistema de embreagem.

12-8

Cap 12 Tabela.pmd 8 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

REVISÃO - NORMAL - KM RODADOS

120.000

240.000
100.000

130.000
140.000

170.000
180.000
160.000

190.000

210.000
220.000
110.000

150.000

200.000

230.000

250.000
10.000

40.000
50.000
30.000

80.000
20.000

90.000
60.000
70.000
                        

           

           

                        

                        

           

           

           

  

                        

  

           

                        

DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE

                        

      
                        

                        

A CADA 12 MESES

12-9

Cap 12 Tabela.pmd 9 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
Tabela de manutenção periódica - aplicação normal

Eixo traseiro e árvore de transmissão

Verificar o nível do óleo do eixo traseiro e limpar o respiro.


Trocar o óleo do eixo traseiro (ou a cada 06 meses).
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Lubrificar as juntas universais e os entalhados das árvores de
transmissão (cardã).
Direção
Trocar o fluido e o elemento filtrante do sistema da direção hidráulica.
Verificar o nível do fluido do sistema da direção hidráulica.
Inspecionar as articulações da direção quanto à folga dos terminais e
danos as coifas da borracha, suspensão e eixo cardã.
Lubrificar os terminais da direção (somente F-4000).
Verificar a geometria da direção / alinhamento.
Efetuar o rodízio dos pneus.
Eixo dianteiro
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Inspecionar e engraxar o rolamento do encosto.
Suspensão
Reapertar os grampos em "U" e as porcas das algemas das molas.
Lubrificar as articulações da suspensão dianteira e traseira.
Verificar o aperto das porcas das rodas.
Reapertar braços / barra estabilizadora / mola / suporte / jumelo.
Veículo sem carga e apoiado sobre seus eixos.
Freio
Verificar a espessura das lonas e pastilhas.
Trocar fluido de freio.
Sistema elétrico
Verificar as conexões elétricas do motor.
Limpar e reapertar os terminais das baterias - cobrir os bornes com
vaselina.

12-10

Cap 12 Tabela.pmd 10 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

REVISÃO - NORMAL - KM RODADOS

120.000

240.000
100.000

130.000
140.000

170.000
180.000
160.000

190.000

210.000
220.000
110.000

150.000

200.000

230.000

250.000
10.000

40.000
50.000
30.000

80.000
20.000

90.000
60.000
70.000
                        
   

    

SEMANALMENTE

     

SEMANALMENTE

                        

                        

                        

                        

           

           

                        

SEMANALMENTE
Aos primeiros 2.000 km e 100 km após a remoção de uma roda

Sempre que reapertar as fixações, suporte e jumelos

DIARIAMENTE
                        

A cada 02 anos

                        

                       

12-11

Cap 12 Tabela.pmd 11 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
Tabela de manutenção periódica - aplicação normal

Motor

Trocar óleo do motor (ou cada 6 meses).


Substituir os filtros de combustível (separador, linha e principal).
Sistema de admissão de ar - verificar quanto a danos na tubagem de
admissão, braçadeiras soltas, mangueiras rachadas etc.
Verificar estado do filtro de ar, remover o elemento promário e limpar o
interior da carcaça com um pano úmido.
Filtro de ar - trocar o elemento primário.
Verificar alinhamento, folga e fixações do tensor da correia.
Verificar funcionamento da embreagem viscosa do ventilador.
Verificar tensão e o estado de conservação da correia.
Regular folga das válvulas.
Verificar o estado e aperto dos coxins do motor.
Trocar o líquido de arrefecimento (ou a cada 12 meses).
Turbo compressor - verificar quanto a sinais de vazamento, folgas etc.
Inspecionar a tampa do reservatório do sistema de arrefecimento
quanto ao correto funcionamento (trocar se necessário).
Inspecionar a tubulação de entrada de ar - estado e fixação.
Inspecionar ventilador de arrefecimento - estado e funcionamento.
Inspecionar tubo de respiro do cárter - impurezas.
Verificar nível de óleo do motor - completar se necessário.
Verificar o nível do líquido de arrefecimento - completar se necessário.
Drenar o purgador do filtro de ar.
Drenar o filtro separador de água.
Caixa de mudanças embreagem
Verificar o nível de óleo e limpar o respiro da caixa de mudanças.
Trocar o óleo da caixa de mudanças (ou a cada 06 meses).
Verificar o nível do fluido do sistema de embreagem.
Lubrificar o eixo de acionamento do rolamento da embreagem /
sapatas e garfo.
Trocar o fluido do sistema de embreagem.

12-12

Cap 12 Tabela.pmd 12 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

REVISÃO - NORMAL - KM RODADOS


260.000

290.000
300.000
270.000

340.000
280.000

330.000

370.000

490.000
310.000
320.000

350.000

380.000
390.000

420.000
430.000
410.000

440.000

460.000
470.000
360.000

400.000

450.000

480.000

500.000
                        

            

            

                        

                        

           

           

           

   

                        

   

           

                        

DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE

                        

     
                        

                        

A CADA 12 MESES

12-13

Cap 12 Tabela.pmd 13 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
Tabela de manutenção periódica - aplicação normal

Eixo traseiro e árvore de transmissão

Verificar o nível do óleo do eixo traseiro e limpar o respiro.


Trocar o óleo do eixo traseiro (ou a cada 06 meses).
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Lubrificar as juntas universais e os entalhados das árvores de
transmissão (cardã).
Direção
Trocar o fluido e o elemento filtrante do sistema da direção hidráulica.
Verificar o nível do fluido do sistema da direção hidráulica.
Inspecionar as articulações da direção quanto à folga dos terminais e
danos as coifas da borracha, suspensão e eixo cardã.
Lubrificar os terminais da direção (somente F-4000).
Verificar a geometria da direção / alinhamento.
Efetuar o rodízio dos pneus.
Eixo dianteiro
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Inspecionar e engraxar o rolamento do encosto.
Suspensão
Reapertar os grampos em "U" e as porcas das algemas das molas.
Lubrificar as articulações da suspensão dianteira e traseira.
Verificar o aperto das porcas das rodas.
Reapertar braços / barra estabilizadora / mola / suporte / jumelo.
Veículo sem carga e apoiado sobre seus eixos.
Freio
Verificar a espessura das lonas e pastilhas.
Trocar fluido de freio.
Sistema elétrico
Verificar as conexões elétricas do motor.
Limpar e reapertar os terminais das baterias - cobrir os bornes com
vaselina.

12-14

Cap 12 Tabela.pmd 14 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

REVISÃO - NORMAL - KM RODADOS


260.000

290.000
300.000
270.000

340.000
280.000

330.000

370.000

490.000
310.000
320.000

350.000

380.000
390.000

420.000
430.000
410.000

440.000

460.000
470.000
360.000

400.000

450.000

480.000

500.000
                        
   

    

SEMANALMENTE

     

SEMANALMENTE

                        

                        

                        

                        

            

            

                        

SEMANALMENTE
Aos primeiros 2.000 km e 100 km após a remoção de uma roda

Sempre que reapertar as fixações, suporte e jumelos

DIARIAMENTE
                        

A cada 02 anos

                        

                        

12-15

Cap 12 Tabela.pmd 15 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

Km rodados
ou
Utilização Severa
Horas trabalhadas
ou
Componentes

Motor
Trocar óleo do motor (ou cada 6 meses).
Substituir os filtros de combustível (separador, linha e principal).
Sistema de admissão de ar - verificar quanto a danos na tubagem de admissão,
braçadeiras soltas, mangueiras rachadas etc.
Verificar estado do filtro de ar, remover o elemento promário e limpar o interior da
carcaça com um pano úmido.
Filtro de ar - trocar o elemento primário.
Verificar alinhamento, folga e fixações do tensor da correia.
Verificar funcionamento da embreagem viscosa do ventilador.
Verificar tensão e o estado de conservação da correia.
Regular folga das válvulas.
Verificar o estado e aperto dos coxins do motor.
Trocar o líquido de arrefecimento (ou a cada 12 meses).
Turbo compressor - verificar quanto a sinais de vazamento, folgas etc.
Inspecionar a tampa do reservatório do sistema de arrefecimento quanto ao
correto funcionamento (trocar se necessário).
Inspecionar a tubulação de entrada de ar - estado e fixação.
Inspecionar ventilador de arrefecimento - estado e funcionamento.
Inspecionar tubo de respiro do cárter - impurezas.
Verificar nível de óleo do motor - completar se necessário.
Verificar o nível do líquido de arrefecimento - completar se necessário.
Drenar o purgador do filtro de ar.
Drenar o filtro separador de água.
Caixa de mudanças embreagem
Verificar o nível de óleo e limpar o respiro da caixa de mudanças.
Trocar o óleo da caixa de mudanças (ou a cada 06 meses).
Verificar o nível do fluido do sistema de embreagem.
Lubrificar o eixo de acionamento do rolamento da embreagem / sapatas e garfo.
Trocar o fluido do sistema de embreagem.

12-16

Cap 12 Tabela.pmd 16 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
5.000
10.000
15.000
20.000
25.000
30.000
35.000
40.000
45.000
50.000
55.000
60.000
65.000
70.000
75.000
80.000
85.000
90.000
95.000
100.000
105.000
110.000
115.000
120.000
125.000
130.000
135.000
140.000
145.000
150.000
155.000
160.000
165.000
170
340
510
680
850
1.020
1.190
1.360
1.530
1.700
1.870
2.040
2.210
2.380
2.550
2.720
2.890
3.060
3.230
3.400
3.570
3.740

4.250
4.420
4.590
4.760
4.930
5.100
5.270
5.440
5.610
3.910
4.080
1.400
2.800
4.200
5.600
7.000
8.400
9.800
11.200
12.600
14.000
15.400
16.800
18.200
19.600
21.000
22.400
23.800
25.200
26.600
28.000
29.400
30.800

35.000
36.400
37.800
39.200
40.600
42.000
43.400
44.800
46.200
32.200
33.600
                                
               

               

                                

                                
               
               
               
   

                                
   
                

                                

DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE

                                
   
                                
                                

A cada 12 meses

12-17

Cap 12 Tabela.pmd 17 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

Km rodados
ou
Utilização Severa
Horas trabalhadas
ou
Componentes

Eixo traseiro e árvore de transmissão


Verificar o nível do óleo do eixo traseiro e limpar o respiro.
Trocar o óleo do eixo traseiro (ou a cada 06 meses).
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Lubrificar as juntas universais e os entalhados das árvores de transmissão
(cardã).
Direção
Trocar o fluido e o elemento filtrante do sistema da direção hidráulica.
Verificar o nível do fluido do sistema da direção hidráulica.
Inspecionar as articulações da direção quanto à folga dos terminais e danos
as coifas da borracha, suspensão e eixo cardã.
Lubrificar os terminais da direção (somente F-4000).
Verificar a geometria da direção / alinhamento.
Efetuar o rodízio dos pneus.
Eixo dianteiro
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Inspecionar e engraxar o rolamento do encosto.
Suspensão
Reapertar os grampos em "U" e as porcas das algemas das molas.
Lubrificar as articulações da suspensão dianteira e traseira.
Verificar o aperto das porcas das rodas.
Reapertar braços / barra estabilizadora / mola / suporte / jumelo. Veículo sem
carga e apoiado sobre seus eixos.
Freio
Verificar a espessura das lonas e pastilhas.
Trocar fluido de freio.
Sistema elétrico
Verificar as conexões elétricas do motor.
Limpar e reapertar os terminais das baterias - cobrir os bornes com vaselina.

12-18

Cap 12 Tabela.pmd 18 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
5.000
10.000
15.000
20.000
25.000
30.000
35.000
40.000
45.000
50.000
55.000
60.000
65.000
70.000
75.000
80.000
85.000
90.000
95.000
100.000
105.000
110.000
115.000
120.000
125.000
130.000
135.000
140.000
145.000
150.000
155.000
160.000
165.000
170
340
510
680
850
1.020
1.190
1.360
1.530
1.700
1.870
2.040
2.210
2.380
2.550
2.720
2.890
3.060
3.230
3.400
3.570
3.740

4.250
4.420
4.590
4.760
4.930
5.100
5.270
5.440
5.610
3.910
4.080
1.400
2.800
4.200
5.600
7.000
8.400
9.800
11.200
12.600
14.000
15.400
16.800
18.200
19.600
21.000
22.400
23.800
25.200
26.600
28.000
29.400
30.800

35.000
36.400
37.800
39.200
40.600
42.000
43.400
44.800
46.200
32.200
33.600
                                

  
     

SEMANALMENTE

       

SEMANALMENTE
                                

                                
                                

                                

               
               

                                

SEMANALMENTE
Aos primeiros 2.000 Km e 100 Km após a remoção de uma roda

Sempre que reapertar as fixações, suporte ou jumelos

                                
A cada 02 anos

                                
                                

12-19

Cap 12 Tabela.pmd 19 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

Km rodados
ou
Utilização Severa
Horas trabalhadas
ou
Componentes

Motor
Trocar óleo do motor (ou cada 6 meses).
Substituir os filtros de combustível (separador, linha e principal).
Sistema de admissão de ar - verificar quanto a danos na tubagem de admissão,
braçadeiras soltas, mangueiras rachadas etc.
Verificar estado do filtro de ar, remover o elemento promário e limpar o interior da
carcaça com um pano úmido.
Filtro de ar - trocar o elemento primário.
Verificar alinhamento, folga e fixações do tensor da correia.
Verificar funcionamento da embreagem viscosa do ventilador.
Verificar tensão e o estado de conservação da correia.
Regular folga das válvulas.
Verificar o estado e aperto dos coxins do motor.
Trocar o líquido de arrefecimento (ou a cada 12 meses).
Turbo compressor - verificar quanto a sinais de vazamento, folgas etc.
Inspecionar a tampa do reservatório do sistema de arrefecimento quanto ao
correto funcionamento (trocar se necessário).
Inspecionar a tubulação de entrada de ar - estado e fixação.
Inspecionar ventilador de arrefecimento - estado e funcionamento.
Inspecionar tubo de respiro do cárter - impurezas.
Verificar nível de óleo do motor - completar se necessário.
Verificar o nível do líquido de arrefecimento - completar se necessário.
Drenar o purgador do filtro de ar.
Drenar o filtro separador de água.
Caixa de mudanças embreagem
Verificar o nível de óleo e limpar o respiro da caixa de mudanças.
Trocar o óleo da caixa de mudanças (ou a cada 06 meses).
Verificar o nível do fluido do sistema de embreagem.
Lubrificar o eixo de acionamento do rolamento da embreagem / sapatas e garfo.
Trocar o fluido do sistema de embreagem.

12-20

Cap 12 Tabela.pmd 20 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
170.000
175.000
180.000
185.000
190.000
195.000
200.000
205.000
210.000
215.000
220.000
225.000
230.000
235.000
240.000
245.000
250.000
255.000
260.000
265.000
270.000
275.000
280.000
285.000
290.000
295.000
300.000
305.000
310.000
315.000
320.000
325.000
330.000
5.780
5.950
6.120
6.290
6.460
6.630
6.800
6.970
7.140
7.310
7.480
7.650
7.820
7.990
8.160
8.330
8.500
8.670
8.840
9.010
9.180
9.350

9.860
10.030
10.200
10.370
10.540
10.710
10.880
11.050
11.220
9.520
9.690
47.600
49.000
50.400
51.800
53.200
54.600
56.000
57.400
58.800
60.200
61.600
63.000
64.400
65.800
67.200
68.600
70.000
71.400
72.800
74.200
75.600
77.000

81.200
82.600
84.000
85.400
86.800
88.200
89.600
91.000
92.400
78.400
79.800
                                
               

               

                                

                                
               
               
               
    

                                
    
                

                                

DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE

                                
  
                                
                                

A cada 12 meses

12-21

Cap 12 Tabela.pmd 21 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

Km rodados
ou
Utilização Severa
Horas trabalhadas
ou
Componentes

Eixo traseiro e árvore de transmissão


Verificar o nível do óleo do eixo traseiro e limpar o respiro.
Trocar o óleo do eixo traseiro (ou a cada 06 meses).
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Lubrificar as juntas universais e os entalhados das árvores de transmissão
(cardã).
Direção
Trocar o fluido e o elemento filtrante do sistema da direção hidráulica.
Verificar o nível do fluido do sistema da direção hidráulica.
Inspecionar as articulações da direção quanto à folga dos terminais e danos
as coifas da borracha, suspensão e eixo cardã.
Lubrificar os terminais da direção (somente F-4000).
Verificar a geometria da direção / alinhamento.
Efetuar o rodízio dos pneus.
Eixo dianteiro
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Inspecionar e engraxar o rolamento do encosto.
Suspensão
Reapertar os grampos em "U" e as porcas das algemas das molas.
Lubrificar as articulações da suspensão dianteira e traseira.
Verificar o aperto das porcas das rodas.
Reapertar braços / barra estabilizadora / mola / suporte / jumelo. Veículo sem
carga e apoiado sobre seus eixos.
Freio
Verificar a espessura das lonas e pastilhas.
Trocar fluido de freio.
Sistema elétrico
Verificar as conexões elétricas do motor.
Limpar e reapertar os terminais das baterias - cobrir os bornes com vaselina.

12-22

Cap 12 Tabela.pmd 22 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
170.000
175.000
180.000
185.000
190.000
195.000
200.000
205.000
210.000
215.000
220.000
225.000
230.000
235.000
240.000
245.000
250.000
255.000
260.000
265.000
270.000
275.000
280.000
285.000
290.000
295.000
300.000
305.000
310.000
315.000
320.000
325.000
330.000
5.780
5.950
6.120
6.290
6.460
6.630
6.800
6.970
7.140
7.310
7.480
7.650
7.820
7.990
8.160
8.330
8.500
8.670
8.840
9.010
9.180
9.350

9.860
10.030
10.200
10.370
10.540
10.710
10.880
11.050
11.220
9.520
9.690
47.600
49.000
50.400
51.800
53.200
54.600
56.000
57.400
58.800
60.200
61.600
63.000
64.400
65.800
67.200
68.600
70.000
71.400
72.800
74.200
75.600
77.000

81.200
82.600
84.000
85.400
86.800
88.200
89.600
91.000
92.400
78.400
79.800
                                

  
      

SEMANALMENTE

         

SEMANALMENTE
                                

                                
                                

                                

                
                

                                

SEMANALMENTE
Aos primeiros 2.000 Km e 100 Km após a remoção de uma roda

Sempre que reapertar as fixações, suporte ou jumelos

                                
A cada 02 anos

                                
                                

12-23

Cap 12 Tabela.pmd 23 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

Km rodados
ou
Utilização Severa
Horas trabalhadas
ou
Componentes

Motor
Trocar óleo do motor (ou cada 6 meses).
Substituir os filtros de combustível (separador, linha e principal).
Sistema de admissão de ar - verificar quanto a danos na tubagem de admissão,
braçadeiras soltas, mangueiras rachadas etc.
Verificar estado do filtro de ar, remover o elemento promário e limpar o interior da
carcaça com um pano úmido.
Filtro de ar - trocar o elemento primário.
Verificar alinhamento, folga e fixações do tensor da correia.
Verificar funcionamento da embreagem viscosa do ventilador.
Verificar tensão e o estado de conservação da correia.
Regular folga das válvulas.
Verificar o estado e aperto dos coxins do motor.
Trocar o líquido de arrefecimento (ou a cada 12 meses).
Turbo compressor - verificar quanto a sinais de vazamento, folgas etc.
Inspecionar a tampa do reservatório do sistema de arrefecimento quanto ao
correto funcionamento (trocar se necessário).
Inspecionar a tubulação de entrada de ar - estado e fixação.
Inspecionar ventilador de arrefecimento - estado e funcionamento.
Inspecionar tubo de respiro do cárter - impurezas.
Verificar nível de óleo do motor - completar se necessário.
Verificar o nível do líquido de arrefecimento - completar se necessário.
Drenar o purgador do filtro de ar.
Drenar o filtro separador de água.
Caixa de mudanças embreagem
Verificar o nível de óleo e limpar o respiro da caixa de mudanças.
Trocar o óleo da caixa de mudanças (ou a cada 06 meses).
Verificar o nível do fluido do sistema de embreagem.
Lubrificar o eixo de acionamento do rolamento da embreagem / sapatas e garfo.
Trocar o fluido do sistema de embreagem.

12-24

Cap 12 Tabela.pmd 24 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
335.000
340.000
345.000
350.000
355.000
360.000
365.000
370.000
375.000
380.000
385.000
390.000
395.000
400.000
405.000
410.000
415.000
420.000
425.000
430.000
435.000
440.000
445.000
450.000
455.000
460.000
465.000
470.000
475.000
480.000
485.000
490.000
495.000
11.390
11.560
11.730
11.900
12.070
12.240
12.410
12.580
12.750
12.920
13.090
13.260
13.430
13.600
13.770
13.940
14.110
14.280
14.450
14.620
14.790
14.960

15.470
15.640
15.810
15.980
16.150
16.320
16.490
16.660
16.830
15.130
15.300
102.200
103.600
105.000
106.400
107.800
109.200
110.600
112.000
113.400
114.800
116.200
117.600
119.000
120.400
121.800
123.200

127.400
128.800
130.200
131.600
133.000
134.400
135.800
137.200
138.600
124.600
126.000
93.800
95.200
96.600
98.000
99.400
10.800

                                
               

               

                                

                                
               
               
               
    

                                
    
                

                                

DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE
DIARIAMENTE

                                
  
                                
                                

A cada 12 meses

12-25

Cap 12 Tabela.pmd 25 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção

Km rodados
ou
Utilização Severa
Horas trabalhadas
ou
Componentes

Eixo traseiro e árvore de transmissão


Verificar o nível do óleo do eixo traseiro e limpar o respiro.
Trocar o óleo do eixo traseiro (ou a cada 06 meses).
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Lubrificar as juntas universais e os entalhados das árvores de transmissão
(cardã).
Direção
Trocar o fluido e o elemento filtrante do sistema da direção hidráulica.
Verificar o nível do fluido do sistema da direção hidráulica.
Inspecionar as articulações da direção quanto à folga dos terminais e danos
as coifas da borracha, suspensão e eixo cardã.
Lubrificar os terminais da direção (somente F-4000).
Verificar a geometria da direção / alinhamento.
Efetuar o rodízio dos pneus.
Eixo dianteiro
Inspecionar, ajustar e engraxar - cubo / rolamento.
Inspecionar e engraxar o rolamento do encosto.
Suspensão
Reapertar os grampos em "U" e as porcas das algemas das molas.
Lubrificar as articulações da suspensão dianteira e traseira.
Verificar o aperto das porcas das rodas.
Reapertar braços / barra estabilizadora / mola / suporte / jumelo. Veículo sem
carga e apoiado sobre seus eixos.
Freio
Verificar a espessura das lonas e pastilhas.
Trocar fluido de freio.
Sistema elétrico
Verificar as conexões elétricas do motor.
Limpar e reapertar os terminais das baterias - cobrir os bornes com vaselina.

12-26

Cap 12 Tabela.pmd 26 11/5/2010, 15:23


Tabela de lubrificação e manutenção
335.000
340.000
345.000
350.000
355.000
360.000
365.000
370.000
375.000
380.000
385.000
390.000
395.000
400.000
405.000
410.000
415.000
420.000
425.000
430.000
435.000
440.000
445.000
450.000
455.000
460.000
465.000
470.000
475.000
480.000
485.000
490.000
495.000
11.390
11.560
11.730
11.900
12.070
12.240
12.410
12.580
12.750
12.920
13.090
13.260
13.430
13.600
13.770
13.940
14.110
14.280
14.450
14.620
14.790
14.960

15.470
15.640
15.810
15.980
16.150
16.320
16.490
16.660
16.830
15.130
15.300
102.200
103.600
105.000
106.400
107.800
109.200
110.600
112.000
113.400
114.800
116.200
117.600
119.000
120.400
121.800
123.200

127.400
128.800
130.200
131.600
133.000
134.400
135.800
137.200
138.600
124.600
126.000
93.800
95.200
96.600
98.000
99.400
10.800

                                

  
     

SEMANALMENTE

        

SEMANALMENTE
                                

                                
                                

                                

               
               

                                

SEMANALMENTE
Aos primeiros 2.000 Km e 100 Km após a remoção de uma roda

Sempre que reapertar as fixações, suporte ou jumelos

                                
A cada 02 anos

                                
                                

12-27

Cap 12 Tabela.pmd 27 11/5/2010, 15:23


Cap 12 Tabela.pmd 28 11/5/2010, 15:23
Capítulo 13

Garantia do
produto

Cap 13 Garantia do produto.pmd 1 11/5/2010, 15:23


Garantia do produto
AO PROPRIETÁRIO

As informações aqui contidas


incorporam as condições
essenciais de manutenção e
garantia para a operação
adequada e segura de seu
veículo.
É de fundamental importância
submetê-lo às revisões
periódicas, nos intervalos de
tempo ou nas quilometragens
indicadas, de acordo com os itens
estabelecidos na Tabela de
lubrificação e manutenção.
Lembre-se que o não cumprimento
do programa regular de revisão,
lubrificação e manutenção implica
na perda da validade da garantia
para os itens de verificação na
respectiva revisão.

Ford Motor Company Brasil


Ltda.

13-2

Cap 13 Garantia do produto.pmd 2 11/5/2010, 15:23


Garantia do produto
A Ford Motor Company Brasil Fica o Cliente desde já ciente que
Ltda., através de sua rede de a Ford Motor Company Brasil
Distribuidores, garante seu Ford Ltda. e o Distribuidor Ford não se
F-350 / F-4000 pelo prazo de 12 responsabilizam, em hipótese
meses, a partir do mês de alguma, por despesas relativas a
aquisição do veículo 0 km, sem óleo lubrificante, graxa, combustível
limite de quilometragem. Neste e similares e outras referentes a
prazo estão inclusos os três meses deslocamento de pessoal,
de garantia legal. reboque, socorro, imobilização do
Esta garantia cobre todas as veículo, danos materiais ou
peças do seu veículo que, em pessoais do Cliente ou terceiros
serviço e uso normal, em geral e de manutenção normal
apresentarem defeito de do veículo, como reapertos,
fabricação ou de material, limpezas, lavagens, lubrificações,
devidamente comprovado pelo verificações, regulagens etc.
Distribuidor Ford. As exceções O Cliente fica igualmente
estão descritas no item "O que cientificado de que a Ford Motor
não é coberto pela garantia." Company Brasil Ltda. poderá
Fica convencionado que a alterar as condições de garantia,
presente garantia não cobre conforme descrito no item
equipamentos instalados por "Esclarecimentos adicionais".
terceiros e equipamentos Exceto as responsabilidades ora
instalados pós-venda que não assumidas, nenhuma outra é
sejam originais. admitida nos termos desta
A obrigação do Distribuidor Ford garantia.
nos termos desta garantia consiste
na substituição gratuita, em seu
estabelecimento, de peças que
sejam por ele, Distribuidor Ford,
reconhecidas como defeituosas.
Esta garantia estará
automaticamente cancelada,
conforme descrito nos termos do
item "Cancelamento da
garantia".

13-3

Cap 13 Garantia do produto.pmd 3 11/5/2010, 15:23


Garantia do produto
Prazo da garantia  regulagens do motor - quando
ocorrer fora do período
A garantia inicia-se a partir do mês
determinado pela Revisão com
de aquisição do veículo 0 km pelo
mão-de-obra gratuita:
primeiro proprietário, no prazo
 limpeza do sistema de
abaixo indicado:
12 meses, sem limite de combustível;
quilometragem. Neste prazo estão  alinhamento da direção;

inclusos os três meses de garantia  balanceamento das rodas;


legal.  ajustes dos freios;

 substituição do filtro de óleo do

O que é coberto motor;


 substituição ou complemento do
A Ford Motor Company Brasil
Ltda., através de sua rede de óleo lubrificante do motor, da
Distribuidores, garante as peças caixa de mudanças e do eixo
de seu veículo que, em traseiro;
serviço e uso normal, apresentarem  substituição ou complemento do

defeitos de fabricação ou de fluido da direção hidráulica e/ou


material, devidamente comprovado sistema de freios;
pelo Distribuidor Ford.  reapertos, ajustes, verificações,

As exceções, exclusões ou regulagens em geral, lavagem,


limitações estão descritas no item graxa, combustível e similares;
"O que não é coberto pela  substituição do líquido do

garantia". sistema de arrefecimento;


 carga do gás refrigerante do

O que não é coberto pela sistema de ar-condicionado;


garantia  componentes do motor

danificados pela utilização de


Operações e itens considerados
combustível adulterado
como manutenção normal.
contaminado ou de má
As operações e os itens a seguir
qualidade.
são considerados como parte de
manutenção normal do veículo e • danos devido a sujeiras
aparentemente inofensivas como
devem, portanto, ser executados
detritos de origem animal ou
por conta do Cliente:
vegetal, insetos, marcas de
piche e resíduos de poluição
industrial, dentre outros.

13-4

Cap 13 Garantia do produto.pmd 4 11/5/2010, 15:23


Garantia do produto
Despesas com óleo lubrificante do Vidros
motor, óleo lubrificante da caixa de
Havendo vestígio de quebra em
mudanças, fluido de freio, fluido da
função de influência mecânica
caixa de direção hidráulica, graxas,
externa, a garantia fica
líquido do sistema de arrefecimento
automaticamente extinguida.
do motor e carga de gás refrigerante
do sistema de ar-condicionado, são CANCELAMENTO DA
cobertas somente quando feitas em GARANTIA
consequência de reparos A Garantia do veículo estará
executados em garantia. automaticamente cancelada:
A presente garantia não cobre custos
 Se o veículo for submetido
relacionados com lucros cessantes.
a abusos, sobrecargas ou
Peças de desgaste natural acidentes;
As peças a seguir são consideradas  se for empregado em
como de desgaste natural e devem, competições de qualquer
portanto, ser pagas pelo Cliente. As espécie ou natureza;
substituições dessas peças,  se for reparado fora das
necessárias em razão do fim de sua oficinas do Distribuidor
vida útil, são de única Ford;
responsabilidade do proprietário. O
 se os seus componentes
desgaste é visível nas peças assim
originais, acessórios e
caracterizadas, cuja duração está
intimamente ligada às condições de equipamentos forem
substituídos por outros
rodagem, quilometragem percorrida,
não fornecidos pela Ford
tipo de utilização e modo de dirigir:
filtros de ar, combustível e óleo, Motor Company Brasil Ltda;
pastilhas, tambores, lonas e discos  se forem utilizados
do freio, sistema de embreagem combustíveis, óleos ou
(platô, disco e rolamento), fluidos que não os
amortecedores, palhetas do recomendados neste
limpador do pára-brisa, velas de manual;
ignição, fusíveis, correias, lâmpadas  se for desrespeitada a
e pneus. proporção de 5% de
Se a substituição de alguma das Biodiesel na mistura B5
peças de desgaste natural ocorrer (Biodiesel + Diesel).
em razão de comprovado defeito de
material ou fabricação, esta é
normalmente coberta em garantia.

13-5

Cap 13 Garantia do produto.pmd 5 11/5/2010, 15:23


Garantia do produto
 se a estrutura técnica ou ONDE OBTER SERVIÇOS EM
mecânica do veículo for GARANTIA
modificada com a
Todo atendimento previsto nos
substituição e adição de
termos desta garantia será
componentes, peças,
executado preferencialmente no
acessórios ou equipamentos
Distribuidor Ford que efetuou a
originais por outros não
venda.
instalados originalmente de
Não obstante o disposto acima,
fábrica no veículo, ou de
fica esclarecido que qualquer
especificações diferentes,
Distribuidor Ford, titular de
mesmo que essa modificação
concessão para a comercialização
tenha sido realizada por um
de veículos Ford e/ou prestação
Distribuidor Ford, tais como
de assistência técnica a veículos
alarme, rádio toca-fitas e cd
Ford, deverá prestar assistência
players, onde subentende-se
técnica, independentemente de ter
que a modificação foi
comercializado o produto ao qual
realizada a pedido do Cliente,
se destina.
por sua conta e risco;
 se o veículo for submetido a REVISÕES COM MÃO-DE-OBRA
qualquer modificação que a GRATUITA
juízo exclusivo da Ford
Motor Company Brasil Todo veículo novo tem
Ltda., afetem seu direito aos serviços de
funcionamento, estabilidade, revisão com mão-de-obra
segurança e confiabilidade. gratuita dos itens constantes da
Tabela de Lubrificação e
Caso o programa regular Manutenção, para aplicação
de revisão, manutenção e normal 10.000 km e 20.000 km e
lubrificação seja negligenciado, aplicação severa 5.000 km e
ocorrerá perda da garantia para 10.000 km o que ocorrer
os itens de verificação na primeiro.
respectiva revisão.
Dos serviços prestados na
revisão com mão-de-obra
gratuita, excluem-se as despesas
descritas em "O que não é
coberto pela garantia", que
deverão ser pagas pelo
proprietário do veículo.

13-6

Cap 13 Garantia do produto.pmd 6 11/5/2010, 15:23


Garantia do produto
Excluem-se também, dos serviços GARANTIA DE PEÇAS DE
com mão-de-obra gratuita, os REPOSIÇÃO
solicitados pelo Cliente e os que
Peças *Genuínas Ford adquiridas e
não fazem parte das operações
instaladas num Distribuidor Ford
indicadas na Tabela de
têm garantia de 1 ano a partir da
Lubrificação e Manutenção.
emissão da Nota Fiscal de venda
Certifique-se de que o Distribuidor ao Cliente.
Ford que executou a revisão * Garantia de 12 meses para todas as peças
genuínas Ford somente compradas e instaladas
preencheu, carimbou e vistou o nos Distribuidores Ford. Esta garantia não se
quadro respectivo do Plano de enquadra quando caracterizado desgaste natural
e /ou mau uso da peça.
manutenção referente à revisão
efetuada, evitando assim, SERVIÇO FORD
problemas quando necessitar de Os Distribuidores Ford dispõem de
serviço em garantia. instalações, experiência e
REPAROS GRATUITOS compromisso com a satisfação do
Cliente, o que os torna a escolha
O Distribuidor Ford tem por mais inteligente para a manutenção
obrigação, nos termos desta e reparo dos veículos Ford, por
garantia, substituir gratuitamente, toda a sua vida útil.
em seu estabelecimento, as peças
que sejam por ele, Distribuidor Pessoas certas para o serviço
Ford, reconhecidas como Os técnicos dos Distribuidores
defeituosas. Ford são treinados na própria
DESPESAS DIVERSAS fábrica, recebendo informações
mais atualizadas sobre a
Despesas relativas a tecnologia dos veículos e
deslocamento de pessoal, procedimentos de serviço. Os
reboque, socorro, imobilização do Consultores Técnicos são
veículo, danos materiais ou treinados para proporcionar aos
pessoais do Cliente ou terceiros, Clientes o mais alto grau de
lucros cessantes ou danos cortesia e atenção.
alegadamente decorrentes de
avarias em geral não são cobertos
pela garantia.

13-7

Cap 13 Garantia do produto.pmd 7 11/5/2010, 15:23


Garantia do produto
Ferramentas certas para Por este motivo é que todas as
o serviço peças adquiridas e/ou instaladas
num Distribuidor Ford têm garantia
As oficinas dos Distribuidores Ford
são equipadas com uma ampla de fábrica. Além de contar com
gama de ferramentas especiais e toda a qualidade das peças
equipamentos de teste originais, você ainda vai encontrar
especificados pela Ford, incluindo preços excelentes de peças para a
os equipamentos de diagnóstico – manutenção do seu veículo.
a última palavra em tecnologia de Ao efetuar reparos em Garantia,
diagnóstico eletrônico exige-se que o Distribuidor Ford
computadorizado, projetado pela use apenas Peças Originais Ford e
Ford especialmente para os Motorcraft. Por exemplo, quando
sistemas eletrônicos de última se substituem as pastilhas de freio
geração instalados em seus em operações de reparo ou
veículos. serviço, o Cliente deve exigir que
as peças de reposição atendam
Uso de peças originais Ford e aos mais rígidos padrões de
Motorcraft desempenho e segurança. Para
Os Distribuidores Ford contam que isso aconteça, tais peças
com peças originais Ford e devem ser Originais Ford ou
Motorcraft, as mais adequadas Motorcraft.
para o reparo e manutenção dos
ESCLARECIMENTOS
veículos Ford.
ADICIONAIS
Durante a fase de projeto dos
A Ford Motor Company Brasil
veículos Ford, são efetuados
Ltda. poderá a qualquer tempo,
testes exaustivos em todos os
sem prévio aviso, revisar,
componentes, para assegurar que
modificar, descontinuar ou alterar
os mesmos atendam aos padrões
qualquer um de seus produtos,
de durabilidade e níveis de
bem como alterar as condições
desempenho exigidos.
padronizadas desta garantia, sem
As peças de reposição originais que tal fato origine-se direito à
Ford atendem aos mesmos reclamação de quem quer que
padrões de qualidade das seja. As obrigações assumidas
utilizadas na produção dos pela Ford em consequência desta
veículos Ford, proporcionando garantia limitam-se às
confiabilidade e tranqüilidade para expressamente incluídas no
o Cliente. "Certificado de garantia".

13-8

Cap 13 Garantia do produto.pmd 8 11/5/2010, 15:23


Capítulo 14

Controle de
poluição
ambiental

Cap 14 Controle de poluicao.pmd 1 11/5/2010, 15:23


Controle de poluição ambiental
Este capítulo tem por objetivo  Selecionar o tipo de caminhão
informar aos usuários dos considerando a capacidade e
veículos sobre a importância potência necessárias para sua
da condução econômica, aplicação.
qualidade do combustível e
 A qualidade do combustível
fornecer noções de gestão
ambiental utilizado é um dos fatores mais
importantes para o bom
CONDUÇÃO ECONÔMICA funcionamento do caminhão e
Existe uma série de fatores que para o meio ambiente.
afetam diretamente e indiretamente Condução
o consumo de combustível de um
caminhão. Elencamos abaixo A maneira de condução do
algumas recomendações para que motorista é também uma das
o seu caminhão atinja a faixa ideal variáveis que mais influencia no
de consumo de combustível. consumo de combustível do
caminhão. Um motorista bem
Tipo de veículo
treinado que conheça todos os
A preocupação com o consumo de comandos, equipamentos e as
combustível deve existir desde a características do caminhão pode
hora da compra do caminhão. A contribuir para uma redução
utilização do modelo mais adequado significativa do consumo de
para cada aplicação é fundamental, combustível.
para que o consumo de combustível
Além disso, a topografia da região
esteja o mais próximo possível do
por onde o caminhão trafega,
ideal. Abaixo estão relacionados
aliada às condições de
alguns dos fatores mais relevantes:
carregamento, também impactam
 Identificar as necessidades da no consumo de combustível. É
operação com as capacidades importante obedecer as
máximas de carga e de tração; capacidades máximas de carga e
de tração homologadas para cada
 Verificar o peso e requisitos do
veículo e obedecer a distribuição
implemento a ser instalado; de peso em cada eixo. Consulte o
 Verificar a capacidade necessária capítulo de Dados Técnicos deste
para partida em rampa visando Manual para obter maiores
selecionar a relação final do eixo informações.
traseiro, considerando o tipo de
pneu escolhido;
14-2

Cap 14 Controle de poluicao.pmd 2 11/5/2010, 15:23


Controle de poluição ambiental
A melhor condição de operação do Obs.: Para participar do
caminhão acontece com a rotação treinamento de Operação de
do motor dentro da faixa Veículos oferecido pela Ford,
econômica, em que o torque do entre em contato com o seu
motor é máximo e o consumo de Distribuidor Ford.
combustível é menor.
QUALIDADE DO
Para os caminhões com COMBUSTÍVEL
motorização eletrônica, a utilização
adequada do controle automático A utilização de combustível
da velocidade afeta diretamente o adulterado, contaminado e/ou de
consumo de combustível, má qualidade, danifica os
devendo ser utilizado, componentes internos do motor,
principalmente, em condições de tendo como consequência:
estrada plana para que a  ruído anormal do motor;
velocidade permaneça constante
 falha do motor em aceleração;
sem a necessidade de manter
pressionado o pedal do  perda de potência do motor;
acelerador. Consulte o capítulo  consumo elevado de combustível;
Condução deste Manual para
 consumo excessivo de óleo do
obter maiores informações.
motor;
Outra recomendação muito  carbonização dos pistões;
importante para os motores
 travamento dos anéis;
eletrônicos é não trafegar com o
veículo desengrenado  emissão excessiva de fumaça
(popularmente conhecido como pelo escapamento, aumentando
“banguela”), pois esta condição a poluição atmosférica.
aumenta o consumo de
combustível tornando-o igual
quando o veículo opera em
marcha lenta.
Ao contrário, quando opera-se o
caminhão engrenado, sem
pressionar o pedal do acelerador,
o consumo de combustível tende
a zero, devido à programação
eletrônica do motor.

14-3

Cap 14 Controle de poluicao.pmd 3 11/5/2010, 15:23


Controle de poluição ambiental

Abastecendo o caminhão Manutenção


Abastecer o caminhão com óleo A manutenção periódica dos itens
diesel contaminado aumenta o listados no capítulo “Tabela de
consumo e pode trazer muitos Lubrificação e Manutenção” são
aborrecimentos, tais como o rápido de fundamental importância para a
desgaste que se dá nos correta operação do caminhão e
componentes da bomba e bicos permitem manter o funcionamento
injetores, sendo comum ocorrer o do motor e o consumo de
travamento e consequente quebra combustível muito próximos do
dessas peças. Zelar pela ideal.
qualidade do diesel é
A troca de filtros de combustível e
responsabilidade de todos os
óleos lubrificantes, a regulagem
envolvidos no processo:
dos freios, o correto alinhamento e
refinadores, companhias
balanceamento de pneus e a
distribuidoras, transportadores,
utilização da correta pressão nos
postos de abastecimento e
pneus também são fatores que
consumidores.
influenciam diretamente na
economia de combustível.
Tacômetro
Visando atingir a faixa ideal de GESTÃO AMBIENTAL -
consumo de combustível deve-se Meio Ambiente:
operar o motor na rotação dentro da Meio ambiente pode ser definido
faixa verde, adequando a marcha como o conjunto de condições,
utilizada à velocidade, carga leis, influências e interações de
transportada e às condições da ordem física, química e biológica
estrada. O tacômetro é dividido em que permite, abriga e rege a vida
faixas operacionais, as quais em todas as suas formas (conceito
identificam o regime em que o motor extraído da Lei 6938/81, da Política
está operando, indicando as Nacional do Meio Ambiente).
rotações por minuto (rpm) do motor. A utilização correta do veículo e a
destinação adequada de produtos
de limpeza e lubrificantes usados,
contribuem para atenuar de forma
ativa a poluição do meio ambiente.

14-4

Cap 14 Controle de poluicao.pmd 4 11/5/2010, 15:23


Controle de poluição ambiental
Resíduos Líquidos A utilização de ácidos é única e
exclusiva em baterias e os
Resíduos líquidos quando
mesmos não devem ser removidos
descartados sem prévio tratamento,
ou substituídos. Em caso de
podem causar um grande impacto
vazamento, podem causar sérios
ambiental. Os resíduos de líquidos e
danos ao meio ambiente e em
fluidos se espalham facilmente
contato com a pele, oferecem
contaminando terrenos, rios, lagos e
riscos de queimaduras.
o lençol freático.
Outros resíduos podem ser
Óleos lubrificantes e fluidos de igualmente danosos. É o caso de
freio e embreagem são altamente combustíveis, solventes e líquido
contaminantes. de arrefecimento.
As baterias também possuem Em resumo, todos os resíduos
elementos contaminantes. São líquidos citados neste capítulo
basicamente três componentes: jamais devem ser descartados no
chumbo, propileno e ácido. esgoto comum ou no solo . Eles
Desses três componentes, apresentam características ácidas
somente o ácido apresenta maior e podem danificar a pintura dos
dificuldade de reciclagem, por veículos, além de representar sério
isso, jamais deve ser removido da risco de contaminação do solo e
bateria. lençol freático.

14-5

Cap 14 Controle de poluicao.pmd 5 11/5/2010, 15:23


Controle de poluição ambiental
ÍNDICE DE OPACIDADE
Os veículos estão em
conformidade com as Resoluções
CONAMA (Conselho Nacional do
Meio Ambiente) vigentes na data
de sua produção.
Os índices de fumaça em
aceleração livre estão em m-1
(coeficiente de
absorção de luz), conforme
ensaios realizados com
combustível de referência
especificada nas resoluções
vigentes do CONAMA.

Velocidade ângular Velocidade ângular Índice de fumaça


de marcha-lenta livre em aceleração livre
Modelo
Mínima Máxima Altitude Altitude
(rpm) (rpm) menor que maior que
3360 350 m 350 m
F-350 e
750 850 1,52 2,05
F-4000

14-6

Cap 14 Controle de poluicao.pmd 6 11/5/2010, 15:23


Controle de poluição ambiental
Valores máximos de emissão
de fuligem do motor
Cummins Série B 3.9 l
Limite máximos de emissão de
fuligem conforme resolução do
CONAMA 08/93.

Para altitudes menores a 350 m Para altitudes maiores a 350 m


rpm Unid. Bosch Coef. Abs. Unid. Bosch Coef. Abs.
(UB) Luz (m–1) UB Luz (m–1)
1200 4,61 2,20 5,11 2,89
1400 4,55 2,14 5,05 2,79
1600 1,46 2,04 4,96 2,66
1800 4,28 1,87 4,78 2,41
2000 4,22 1,81 4,72 2,33
2200 4,16 1,76 4,66 2,26
2400 4,03 1,65 4,53 2,11
2600 3,98 1,61 4,48 2,06
2800 3,93 1,58 4,43 2,01
3000 3,93 1,58 4,43 2,01

14-7

Cap 14 Controle de poluicao.pmd 7 11/5/2010, 15:23


Cap 14 Controle de poluicao.pmd 8 11/5/2010, 15:23
Capítulo 15

Plano de
Manutenção

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd 1 11/5/2010, 15:22


As revisões deverão ser efetuadas anualmente ou nos intervalos de quilometragem indicados, o que ocorrer primeiro.
O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar, preencher e vistar o quadro correspondente

15-2
a cada revisão efetuada.

10.000 20.000 30.000 40.000


(c/ mão-de-obra gratuita) (c/ mão-de-obra gratuita)
(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd


aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

2
O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

*TPR: 36 min. *TPR: 48 min. *TPR: 1 h e 18 min. *TPR: 1 h e 36 min.

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

50.000 60.000 70.000 80.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

11/5/2010, 15:22
*TPR: 36 min. *TPR: 1 h e 36 min. *TPR: 36 min. *TPR: 1 h e 54 min.
Plano de Manutenção Preventinva - Normal

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

* Tolerância máxima de 1 mês antes ou depois, ou 1.000 Km para mais ou para menos - TPR - Tempo padrão de revisão
As revisões deverão ser efetuadas anualmente ou nos intervalos de quilometragem indicados, o que ocorrer primeiro.
O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar, preencher e vistar o quadro correspondente
a cada revisão efetuada.

90.000 100.000 110.000 120.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd


aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

3
O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

*TPR: 36 min. *TPR: 30 min. *TPR: 48 min. TPR*: 1 h e 54 min.

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

130.000 140.000 150.000 160.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

11/5/2010, 15:22
*TPR: 36 min. *TPR: 48 min. *TPR: 1 h e 18 min. *TPR: 1 h e 36 min.
Plano de Manutenção Preventinva - Normal

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

15-3
* Tolerância máxima de 1 mês antes ou depois, ou 1.000 Km para mais ou para menos - TPR - Tempo padrão de revisão
As revisões deverão ser efetuadas anualmente ou nos intervalos de quilometragem indicados, o que ocorrer primeiro.
O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar, preencher e vistar o quadro correspondente

15-4
a cada revisão efetuada.

170.000 180.000 190.000 200.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd


aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

4
O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

*TPR: 36 min. *TPR: 1 h e 36 min. *TPR: 36 min. *TPR: 1 h e 54 min.

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

* Tolerância máxima de 1 mês antes ou depois, ou 1.000 Km para mais ou para menos - TPR - Tempo padrão de revisão

11/5/2010, 15:22
Plano de Manutenção Preventinva - Normal
As revisões deverão ser efetuadas anualmente ou nos intervalos de quilometragem indicados, o que ocorrer primeiro.
O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar, preencher e vistar o quadro correspondente
a cada revisão efetuada.

5.000 10.000 15.000 20.000


(c/ mão-de-obra gratuita) (c/ mão-de-obra gratuita)
(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd


aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

5
O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

*TPR: 36 min. *TPR: 48 min. *TPR: 18 min. *TPR: 1 h e 36 min.

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

25.000 30.000 35.000 40.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

11/5/2010, 15:22
*TPR: 1 h e 12 min. *TPR: 18 min. *TPR: 18 min. *TPR: 1 h e 54 min.
Plano de Manutenção Preventinva - Severa

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

15-5
* Tolerância máxima de 1 mês antes ou depois, ou 1.000 Km para mais ou para menos - TPR - Tempo padrão de revisão
As revisões deverão ser efetuadas anualmente ou nos intervalos de quilometragem indicados, o que ocorrer primeiro.
O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar, preencher e vistar o quadro correspondente

15-6
a cada revisão efetuada.

45.000 50.000 55.000 60.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd


aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

6
O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

*TPR: 36 min. *TPR: *TPR: 1 h e 54 min. *TPR: 48 min. TPR*: 18 min.

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

65.000 70.000 75.000 80.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

11/5/2010, 15:22
*TPR: 18 min. *TPR: 36 min. *TPR: 36 min. *TPR: 30 min.
Plano de Manutenção Preventinva - Severa

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

* Tolerância máxima de 1 mês antes ou depois, ou 1.000 Km para mais ou para menos - TPR - Tempo padrão de revisão
As revisões deverão ser efetuadas anualmente ou nos intervalos de quilometragem indicados, o que ocorrer primeiro.
O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar, preencher e vistar o quadro correspondente
a cada revisão efetuada.

85.000 90.000 95.000 100.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd


aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

7
O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

*TPR: 30 min. *TPR: 18 min. *TPR: 18 min. TPR*: 2 h e 12 min.

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

105.000 110.000 115.000 120.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

11/5/2010, 15:22
*TPR: 18 min. *TPR: 18 min. *TPR: 1 h e 54 min. *TPR: 36 min.
Plano de Manutenção Preventinva - Severa

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

15-7
* Tolerância máxima de 1 mês antes ou depois, ou 1.000 Km para mais ou para menos - TPR - Tempo padrão de revisão
As revisões deverão ser efetuadas anualmente ou nos intervalos de quilometragem indicados, o que ocorrer primeiro.
O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar, preencher e vistar o quadro correspondente

15-8
a cada revisão efetuada.

125.000 130.000 135.000 140.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd


aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

8
O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

*TPR: 36 min. *TPR: 48 min. *TPR: 18 min. TPR*: 1 h e 36 min.

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

145.000 150.000 155.000 160.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

11/5/2010, 15:22
*TPR: 1 h e 12 min. *TPR: 18 min. *TPR: 18 min. *TPR: 1 h e 54 min.
Plano de Manutenção Preventinva - Severa

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

* Tolerância máxima de 1 mês antes ou depois, ou 1.000 Km para mais ou para menos - TPR - Tempo padrão de revisão
As revisões deverão ser efetuadas anualmente ou nos intervalos de quilometragem indicados, o que ocorrer primeiro.
O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar, preencher e vistar o quadro correspondente
a cada revisão efetuada.

165.000 170.000 175.000 180.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd


aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

9
O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

*TPR: 36 min. *TPR: 1 h e 54 min. *TPR: 48 min. TPR*: 18 min.

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

185.000 190.000 195.000 200.000


(após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição (após a data de aquisição
do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km) do veículo 0 km)

aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km aos _____________Km

data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____ data ____/____/____

O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________ O.S. _________________

11/5/2010, 15:22
*TPR: 36 min. *TPR: 1 h e 36 min. *TPR: 36 min. *TPR: 1 h e 54 min.
Plano de Manutenção Preventinva - Severa

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

15-9
* Tolerância máxima de 1 mês antes ou depois, ou 1.000 Km para mais ou para menos - TPR - Tempo padrão de revisão
Plano de Manutenção

SUBSTITUIÇÃO
Carimbo do aos ____________km
distribuidor
DO VELOCÍMETRO
data ____/____/____

15-10

Cap 15 Plano de Manutencao.pmd 10 11/5/2010, 15:22


Capítulo 16

Índice

Cap 16 Indice.pmd 1 11/5/2010, 15:22


Índice
A Página B Página
Acendedor de cigarros .............. 5-9 - Remoção dos cabos
Ajuste da altura do volante ..... 5-10 auxiliares ........................... 9-19
Apresentação ............................ 1-3 Riscos do contato com a solução
Ar-condicionado ............... 5-6/11-9 ácida e com o chumbo ......... 10-15
- Controle de distribuição do Sistema de carga .................. 11-10
fluxo ....................................... 5-7
- Controle de temperatura do fluxo C Página
de ar ...................................... 5-6
Caixa de fusíveis ...................... 9-4
- Controle de velocidade do fluxo
Cálculo de carga que o veículo
de ar ...................................... 5-6
pode carregar / rebocar .......... 8-15
- Sugestões de utilização ......... 5-8
Capuz abertura ........................ 10-3
Aviso sonoro de advertência de
Capacidades de enchimento .. 11-3
chave na ignição ....................... 4-8
Carregamento do veículo ........ 8-15
Aviso sonoro de advertência dos
Central de distribuição
faróis acesos ............................. 4-8
elétrica ....................................... 9-8
Chave de roda ........................ 9-11
B Página
Chave remoção da ignição ........ 8-9
Bancos ...................................... 6-2 Cintos de segurança de três
- Ajuste da inclinação do encosto pontos ....................................... 6-4
do banco do motorista .......... 6-2 - Cintos subabdominais ........... 6-5
- Ajuste longitudinal do banco do - Ajuste do cinto abdomina ... 6-5
motorista ................................ 6-2 - Manutenção do cinto de
- Bancos 1/3-2/3 ...................... 6-2 segurança .............................. 6-5
- Rebatimento do encosto dos - Modo sensível ao veículo ...... 6-4
bancos ................................... 6-2 Cinzeiro ...................................... 5-9
Bateria .......................... 9-17/10-14 Comandos e equipamentos ...... 5-1
- Procedimento de partida do Combustível .......................... 10-22
motor com bateria auxiliar ... 9-17 - Consumo de
- Conexão dos cabos combustível ............ 10-22/10-23
auxiliares ........................... 9-18 Condução .................................. 8-1
- Partida auxiliar .................. 9-18 Contato e partida ...................... 5-2
- Preparação do veículo ...... 9-17 Conteúdo ................................... 2-3
- Procedimento para partida Controle da intensidade luminosa
após "pane seca" ............. 9-19 do painel ................................... 5-2

16-2

Cap 16 Indice.pmd 2 11/5/2010, 15:22


Índice
C Página F Página
Controle de poluição - Uso em terrenos fora de estrada
ambiental ................................ 14-1 (Off-Road) F-4000 - 4 x 4 .... 10-9
Controle de tração nas 4 - Verificação e acréscimo de
rodas ....................................... 5-10 fluido de freio ...................... 10-8
Fluido do lavador do
D Página pára-brisa ............................. 10-10
- Verificação e acréscimo de
Dados técnicos ....................... 11-1
fluido do lavador do
Diferencial ............................... 11-8
pára-brisa .......................... 10-10
Dimensões do veículo ............. 11-5
Fluido da transmissão ........... 10-14
Direção .................................... 11-9
- Juntas universais dos eixos de
transmissão ....................... 10-14
E Página
Freio de estacionamento ........... 8-6
Eixo traseiro anti-derrapante ..... 8-6 Freios ................................ 8-2/11-9
Embreagem ............................. 11-8 - Aplicando os freios ................ 8-4
Emergência ............................... 9-1 - Procedimento de auto ajuste do
Equipamentos de segurança .... 6-3 freio traseiro ........................... 8-4
Escapamento protegendo-se - Se o freio puxa ...................... 8-4
contra os gases ........................ 7-4 Fusíveis e relés .................. 9-2/9-3
Especificações dos
lubrificantes ............................ 11-4 G Página
Estacionamento do veículo ....... 8-8 Garantia do produto ................ 13-1
Espelhos retrovisores Guinchamento ......................... 9-20
externos .................................. 5-11
Extintor de incêndio .................. 6-6 H Página
F Página Hodômetro parcial ................... 4-10
Faróis altos ................................ 5-4
- Lampejador do farol alto ........ 5-4
I Página
Filtro de combustível ............... 10-7
- Substituição ......................... 10-8 Identificação .............................. 1-2
Filtro separador de água ......... 10-7 Identificação do veículo .......... 11-2
Fluido da direção hidráulica .. 10-13 indicador da temperatura do
Fluido da embreagem ........... 10-10 líquido de arrefecimento do
Fluido de freio ......................... 10-8 motor ......................................... 4-9

16-3

Cap 16 Indice.pmd 3 11/5/2010, 15:22


Índice
I Página L Página
Indicador direcional ................... 4-6 Limpador / lavador do
- Controle do indicador pára-brisa ................................. 5-4
direcional ............................... 5-4 Limpeza e cuidado com o
Indicador de combustível ......... 4-8 veículo ................................... 10-26
Indicadores ............................... 4-8 Líquido de arrefecimento do
Interruptor das luzes ................. 5-2 motor ..................................... 10-11
Introdução ................................. 3-2 - Adição do líquido de
Instrumentos ............................. 4-4 arrefecimento para motor .. 10-11
Luz de advertência de água no
L Página combustível .............................. 4-5
Luz de advertência de pressão do
Lâmpadas ............................. 10-24
óleo ............................................ 4-7
- Faróis ................................. 10-24
Luz de advertência de
- Lanterna traseira ................ 10-25
temperatura ............................... 4-7
- Luzes delimitadoras da
Luz de advertência do freio de
cabina ................................ 10-24
estacionamento ......................... 4-6
- Luzes de posicionamento
Luz de advertência do sistema de
(lanternas) .......................... 10-25
freios ......................................... 4-5
- Substituição lâmpadas
Luz de baixo nível de
externas ............................. 10-24
combustível .............................. 4-4
Lavagem do veículo .............. 11-26
Luz de cortesia - acionamento
- Enceramento do veículo .... 10-26
manual / automático .................. 5-3
- Limpeza das luzes
Luz dos faróis altos ................... 4-6
externas ............................. 10-27
Luz indicadora da bateria ......... 4-6
- Limpeza das palhetas dos
Luz indicadora de porta
limpadores e pára-brisa .... 10-28
aberta ........................................ 4-6
- Limpeza das peças plásticas
Luz indicadora de tração nas
externas ............................. 10-27
quatro rodas .............................. 4-7
- Limpeza das rodas ............ 10-27
Luz indicadora de tração nas
- Limpeza do estofamento ... 10-28
quatro rodas reduzida ............... 4-7
- Limpeza do motor .............. 10-27
Luz indicadora do tacógrafo ..... 4-6
- Limpeza do painel de
instrumentos ...................... 10-28
- Limpeza e manutenção dos
cintos de segurança .......... 10-28

16-4

Cap 16 Indice.pmd 4 11/5/2010, 15:22


Índice
M Página P Página
Macaco e cabo do macaco .... 9-11 - Substituição das palhetas do
- Procedimento para utilização do limpador do pára-brisa ...... 10-16
macaco (F-350) .................... 9-14 - Verificação das palhetas do
- Procedimento para utilização do limpador ............................. 10-16
macaco (F-4000) .................. 9-15 Partida ....................................... 7-2
Manutenção e conservação .... 10-2 - Antes de dar partida ao
- Precauções durante a motor ...................................... 7-2
manutenção do veículo ....... 10-2 - Informações importante sobre
- Recomendações para ventilação .............................. 7-4
serviço ................................. 10-2 - Partida do motor .................... 7-3
- Trabalhando com o motor - Preparação para partida do
funcionando ......................... 10-3 veículo ................................... 7-2
- Trabalhando com o motor - Procedimento de partida do
parado ................................. 10-2 motor com bateria auxiliar ... 9-17
Marcha à ré ............................... 8-9 - Conexão dos cabos
Motor dados técnicos ............. 11-7 auxiliares ........................... 9-18
Motor identificação dos - Partida auxiliar .................. 9-18
componentes do motor ........... 10-4 - Preparação do veículo ...... 9-17
- Procedimento para partida
N Página após "pane seca" ............. 9-19
- Remoção dos cabos
Número do motor .................... 11-2
auxiliares ........................... 9-19
Plano de Manutenção ............. 15-1
O Página
Pesos ...................................... 11-6
Óleo do motor ......................... 10-5 Pisca-alerta ...................... 5-10/9-2
- Adição do óleo do motor ..... 10-5 Pneus ........................... 9-11/10-17
- Recomendação para o óleo e - Bicos de enchimento ......... 10-20
filtro do motor ...................... 10-6 - Informações sobre grau de
- Verificação do óleo .............. 10-5 classificação do pneu ....... 10-18
- Manutenção e
P Página especificações .................. 10-19
- Para sua segurança ........... 10-17
Painel de instrumentos .............. 4-2 - Pneu sobressalente ............. 9-11
Palhetas do limpador do - Pressão dos pneus ............. 11-6
pára-brisa ............................. 10-16

16-5

Cap 16 Indice.pmd 5 11/5/2010, 15:22


Índice
P Página R Página
- Procedimento de troca de - Posições do interruptor ....... 8-11
pneu ..................................... 9-13 - Se o veículo atolar ............... 8-13
- Recolocação do pneu - Areia, barro, água ..... 8-13/8-14
sobressalente ...................... 9-12
- Remoção do pneu S Página
sobressalente ...................... 9-12
Sistema de alimentação .......... 10-4
- Rodízio dos pneus ............. 10-20
Suspensão dianteira /
- Substituição dos pneus ..... 10-21
traseira .................................... 11-8
- Troca de pneus .................... 9-11
- Verificação da pressão dos
pneus ................................. 10-20
T Página
R Página Tabela de lubrificação e
Recomendações na instalação de manutenção ............................ 12-1
implementos ........................... 8-16 Tacógrafo semanal .................. 4-11
Relés ......................................... 9-2 Tacômetro ................................. 4-2
Relógio digital ......................... 4-11 Tampa do tanque de
Roda livre ................................ 8-10 combustível .......................... 10-22
- Condução em aclives ou Transmissão ............................ 11-8
declives ............................... 8-14 Transmissão funcionamento ..... 8-7
- Condução fora de estrada - Uso da embreagem ............... 8-7
4 x 4 ..................................... 8-13 Trava de segurança para crianças
- Controle de tração nas quatro nas portas traseiras ................ 5-11
rodas 4 x 4 .......................... 8-11 Triângulo de segurança ............. 6-3
- Luzes de advertência do Turbo-compressor ..................... 7-4
sistema 4 x 4 ....................... 8-11
- Modo automático ................. 8-10 V Página
- Modo lock ............................ 8-10 Valores de alinhamento ......... 11-10
- Mudando de 4 x 2 para Válvula sensível a carga ........... 8-2
4 x 4 ..................................... 8-12 - Valores de regulagens da válvula
- Mudando de 4 x 4 para sensível a carga .................... 8-3
4 x 2 ..................................... 8-12 Velocidade máxima para cada
- Mudando de 4 x 2 ou 4 x 4 para marcha ...................................... 8-7
4 x 4 Low e vice-versa ........ 8-12 Velocímetro .............................. 4-10
- Operação do sistema .......... 8-12

16-6

Cap 16 Indice.pmd 6 11/5/2010, 15:22


Índice
V Página
Ventilação e aquecimento ......... 5-5
- Controle da temperatura do fluxo
de ar ...................................... 5-5
- Controle de velocidade do fluxo
de ar ...................................... 5-5
- Sugestões de utilização ......... 5-6

16-7

Cap 16 Indice.pmd 7 11/5/2010, 15:22


Cap 16 Indice.pmd 8 11/5/2010, 15:22
Cap 16 Indice.pmd 9 11/5/2010, 15:22
Cap 16 Indice.pmd 10 11/5/2010, 15:22