Você está na página 1de 9

29/11/2017 Legislação Mineira - DECRETO 43194, de 14/02/2003 - Assembleia de Minas

LEGISLAÇÃO MINEIRA

NORMA: DECRETO 43194, DE 14/02/2003

INFORMAÇÕES REFERENCIAIS

Ementa:
CONTÉM O REGULAMENTO DAS MEDALHAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE MINAS GERAIS, CRIADAS PELA LEI Nº 14.487, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2002.

Origem:
EXECUTIVO

Fonte:
- PUBLICAÇÃO - MINAS GERAIS DIÁRIO DO EXECUTIVO - 15/02/2003 PÁG. 10 COL. 2

Indexação:
REGULAMENTO, CRITÉRIOS, PRAZO, CONCESSÃO, MEDALHA, CORPO DE BOMBEIROS MILITAR.

Assunto Geral:
HOMENAGEM.

Contém o Regulamento das Medalhas do Corpo de Bombeiros Militar de Minas


Gerais, criadas pela Lei nº 14.487, de 9 de dezembro de 2002.

O Governador do Estado de Minas Gerais, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 90, inciso VII da
Constituição Estadual,

DECRETA:

CAPÍTULO 1

DA MEDALHA DA ORDEM DO MÉRITO IMPERADOR D. PEDRO II

Seção I

Da Finalidade, Característica e Uso

Art. 1º - A Medalha da Ordem do Mérito Imperador D. Pedro II, destina-se a galardoar militares e civis,
brasileiros e estrangeiros, credores de reconhecimento por suas atividades profissionais e sociais, e aquele que,
por suas qualidades ou valor em relação à corporação, for julgado merecedor desta honraria, dentro da sua
hierarquia profissional e social, observando-se as normas do Cerimonial Público, contidas no Decreto Federal nº
70.274, de 9 de março de 1972, que regula o Cerimonial Público e a Ordem Geral de Precedência.

Parágrafo único - A medalha de que trata este artigo constitui a maior honraria dentre as condecorações, medalhas
e demais homenagens a serem prestadas pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais - CBMMG.

Art. 2º - A Medalha da Ordem do Mérito Imperador D. Pedro II, com a fita respectiva, a passadeira e o diploma
terão, conforme os Anexos I e II deste Decreto, as seguintes especificações:

§ 1º - A medalha deverá ter 60 mm de diâmetro e 1,5 mm de espessura, na forma circular, sendo cunhada em metal
prateado e as suas partes complementares cunhadas na cor dourada e conterá:

I - no anverso: no conjunto do lado externo, uma coroa de louros na cor dourada, ao centro será ornamentado por um
polígono estrelado de 12 pontos na dor dourada, sobreposto pelo Brasão das Armas do Corpo de Bombeiros Militar.
Tendo acima a inscrição em negrito e em relevo da sigla “CBMMG” e abaixo a inscrição em negrito e em relevo “ORDEM
DO MÉRITO D. PEDRO II”.

II - no reverso da medalha, no semi-círculo superior, o nome oficial do Estado de Minas; no semicírculo inferior,
o nome da Corporação “Corpo de Bombeiros Militar” e ao centro a inscrição “Ordem do Mérito”.

§ 2º - Quando usada no pescoço, terá uma fita de seda de 45 mm de comprimento com três listras verticais de 1cm
cada uma, nas cores vermelho galês, amarelo-ouro e vermelho galês respectivamente, sustentando a peça principal da
honraria.

§ 3º- A passadeira terá as cores amarelo-ouro à direita e vermelho galês à esquerda e ao centro da peça uma
insígnia representativa da medalha em miniatura. Nos casos em que o Regulamento de Uniformes permitir, bem como as
cerimônias em que for dispensado o uso das medalhas e condecorações, usar-se-á a passadeira.

https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=DEC&num=43194&comp=&ano=2003&aba=js_textoOriginal#texto 1/9
29/11/2017 Legislação Mineira - DECRETO 43194, de 14/02/2003 - Assembleia de Minas
§ 4º - O diploma obedecerá às especificações contidas no artigo 45 deste Decreto.

Seção II

Da Data para a Concessão da Medalha da Ordem do Mérito Imperador D. Pedro II

Art. 3º - A medalha será concedida anualmente, na solenidade em que se comemora o Dia Nacional do Bombeiro.

Seção III

Da Concessão da Medalha da Ordem do Mérito Imperador D. Pedro II e sua Delegação

Art. 4º - Será concedida a Medalha da Ordem do Mérito Imperador D. Pedro II às autoridades, aos militares e civis
que:

I - tenham prestado bons e leais serviços ao Corpo de Bombeiros Militar;

II - tenham sido considerados pelo Alto Comando do CBMMG merecedor da Medalha da Ordem do Mérito Imperador D.
Pedro II;

III - tenha sido reconhecida sua importância no crescimento e desenvolvimento da Corporação através de convênios,
parcerias e/ou relevantes serviços prestados.

Art. 5º - Fica delegada ao Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar competência para a concessão da Medalha
da Ordem do Mérito Imperador D. Pedro II às pessoas indicadas conforme o previsto no artigo 4º deste Decreto.

CAPÍTULO II

DA MEDALHA DO MÉRITO MILITAR

Seção I

Da Finalidade, Característica e Uso

Art. 6º - A Medalha do Mérito Militar, destina-se a distinguir e premiar os militares do Corpo de Bombeiros
Militar de Minas Gerais, como reconhecimento aos bons e leais serviços que prestaram ao longo da carreira.

Art. 7º - A Medalha do Mérito Militar será classificada em bronze, prata e ouro, conforme se destine àqueles que,
satisfeitas as condições previstas neste Decreto, tenham completado respectivamente dez, vinte e vinte e oito anos
de efetivo serviço.

Ar. 8º- A Medalha do Mérito Militar, com a fita respectiva, a passadeira e o diploma terão, conforme os Anexos III
e IV deste Decreto, as seguintes especificações:

§ 1º - A medalha deverá ter 35 mm de diâmetro e 1,5 mm de espessura, na forma circular, sendo cunhada em metal
brônzeo, prateado ou dourado e conterá:

I - no anverso: uma roseta em metal dourado sobreposta pelo Brasão das Armas do Corpo de Bombeiros Militar;

II - no reverso ao centro, os dizeres “Mérito Militar”, circundados acima pelos dizeres “Estado de Minas Gerais” e
abaixo “Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais”.

§ 2º - As passadeiras (barretas) das medalhas terão 35 mm de comprimento, 10 mm de largura e 1,5 mm de espessura e


possuirão as cores heráldicas da Corporação que são o vermelho galês e o amarelo-ouro assim distribuídas:

I - passadeira da Medalha do Mérito Militar bronze: as cores serão divididas em três partes iguais tendo o
vermelho galês nas extremidades, o amarelo-ouro ao centro que receberá afixado um filamento de metal brônzeo;

II - passadeira da Medalha do Mérito Militar prata: as cores serão divididas em três partes iguais tendo o
amarelo-ouro nas extremidades que receberá afixadas duas miniaturas do brasão da corporação e ao centro o vermelho
galês. A peça será circundada por um filamento de metal prateado;

III - passadeira da Medalha do Mérito Militar ouro: possuirá a cor vermelha galês em toda extensão que receberá
afixado, uniformemente distribuídos, três miniaturas do brasão da corporação sendo circundado em sua borda por um
filamento de metal dourado.

§ 3º - O número de símbolos ou brasões em miniatura, afixados na passadeira corresponderão a cada decênio de


efetivo serviço prestado ao Corpo de Bombeiros Militar.

§ 4º - A fita da medalha será de seda e terá 45 mm de comprimento com três listas verticais de 1 cm cada uma, nas
cores vermelho galês, amarelo-ouro e vermelho galês respectivamente.

§ 5º - O diploma obedecerá às especificações contidas no artigo 45 deste Decreto.

Seção II

Do Direito à Medalha do Mérito Militar

https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=DEC&num=43194&comp=&ano=2003&aba=js_textoOriginal#texto 2/9
29/11/2017 Legislação Mineira - DECRETO 43194, de 14/02/2003 - Assembleia de Minas
Art. 9º - Tem direito à Medalha do Mérito Militar nos graus bronze e prata, correspondentes respectivamente aos
dois primeiros decênios de bons serviços prestados e no grau ouro, correspondente aos próximos oito anos de bons
serviços prestados, o militar que nos termos do artigo 6º deste Decreto:

I - tenha completado, o período previsto para cada medalha de efetivo serviço prestado ao Corpo de Bombeiros
Militar de Minas Gerais, contado na forma estabelecida neste Decreto;

II - tenha prestado bons e leais serviços nas funções desempenhadas durante o decênio em causa;

III - tenha sido considerado pelo Comandante, Diretor ou Chefe respectivo, merecedor da Medalha do Mérito Militar;

IV - não tenha sofrido sentença condenatória, passada em julgado, ainda que beneficiado por graça, indulto ou
perdão;

V - não se encontre em situação da qual possa resultar punição ou pena de qualquer natureza;

VI - não tenha sofrido punição disciplinar nos últimos 5 (cinco) anos ou, se a tiver, que tenha sido cancelada.

Art. 10 - A praça que, observado o disposto no artigo anterior, e as disposições contidas na Lei nº 200, de 8 de
outubro de 1937, alterada pela Lei nº 11.317, de 7 de dezembro de 1993, tiver contado 20 anos de efetivo serviço,
fará jus às medalhas de bronze e prata, devendo ser agraciado com a segunda somente no ano do exercício posterior
ao recebimento da primeira.

Parágrafo único - A Medalha do Mérito Militar será gradual e sucessiva, isto é, bronze, prata e ouro, sendo vedada
a concessão da medalha de grau superior ao militar que não tenha feito jus ao recebimento da anterior.

Art. 11 - Tem direito à Medalha de que trata este Decreto o militar que, transferido para a reserva ou reformado
após a vigência da Lei nº 14.487, de 9 de dezembro de 2002, tenha satisfeito, ainda na ativa, às exigências
contidas neste Decreto.

Parágrafo único - O militar transferido para a reserva e posteriormente convocado para o serviço ativo contará,
para efeito da Medalha do Mérito Militar, o tempo da convocação, sendo observadas enquanto permanecer convocado,
as prescrições deste Decreto como se da ativa fosse.

Seção III

Da Habilitação

Art. 12 - A habilitação do militar à Medalha do Mérito Militar tem início na data da sua inclusão.

Art. 13 - A organização do processo de habilitação será “ex-officio”, cabendo ao Comandante, Diretor ou Chefe
imediato do interessado tomar as providências necessárias à formação desse processo, tão logo se complete o
período respectivo exigido.

Parágrafo único - É facultativo ao interessado, mediante requerimento, provocar a abertura de seu processo de
habilitação.

Art. 14 - Constituem elementos essenciais da organização do processo de habilitação:

I - o Atestado de Mérito, exarado pelo Comandante, Diretor ou Chefe que, baseado na documentação constante dos
registros do militar e na legislação em vigor, atestará se reúne condições ou não de receber a Medalha proposta;

II - a Declaração do Chefe da Seção de Pessoal ou do Secretário, à vista dos registros constantes da ficha do
militar:

a) se já possui a medalha solicitada;

b) a medalha recebida anteriormente;

c) se há registro de punições nos últimos 5 anos ou que não tenham sido canceladas:

d) se os demais dados constantes do processo conferem com os registros.

III - a cópia autêntica dos elogios individuais, notas meritórias, referências ou citações nominais, se for o
caso.

Art. 15 - O tempo de serviço computável, para efeito da concessão da Medalha do Mérito Militar, será o tempo de
efetivo serviço prestado às Corporações Militares do Estado.

§ 1º - Não serão computáveis, para os efeitos deste artigo:

I - os períodos passados em comissões civis de qualquer natureza, mesmo naquelas em que o militar contar o tempo
como de efetivo serviço, salvo quando essas comissões forem de natureza policial ou bombeiro militar e não
ultrapassarem o limite de 910 (novecentos e dez) dias em cada decênio;

II - o tempo que o militar passar licenciado para tratar de interesse particular ou em disponibilidade;

https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=DEC&num=43194&comp=&ano=2003&aba=js_textoOriginal#texto 3/9
29/11/2017 Legislação Mineira - DECRETO 43194, de 14/02/2003 - Assembleia de Minas
III - o tempo que o militar passar afastado do serviço por motivo de doença, exceto quando esse afastamento tiver
sido em conseqüência de acidente ou moléstia adquirida em serviço, devidamente comprovado em Inquérito Policial
Militar ou Atestado de Origem;

IV - o tempo correspondente às prisões de qualquer natureza;

V - as dispensas do serviço, quando não consideradas como recompensa ou não descontadas das férias regulamentares;

VI - o tempo passado sem aproveitamento em cursos que isentem o matriculado de quaisquer outros serviços;

VII - o tempo passado no desempenho de funções civis na Corporação, antes da nomeação como militar.

§ 2º- Será computado como de efetivo serviço aquele em que o militar anistiado ou revertido tenha estado preso,
afastado em disponibilidade, transferido para a reserva ou reformado, desde que a lei ou decreto de anistia ou o
ato de reversão tenha tido lugar a fim de reparar injustiça ou erro judiciário.

Art. 16 - Preparados os documentos especificados no artigo 14, o Comandante, Diretor ou Chefe elaborará, de
próprio punho, o “Atestado de Mérito” do interessado, baseando-se, para esse fim, nos Extratos de Registros
Funcionais do militar e em suas observações pessoais.

§ 1º - No caso de o interessado ser o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar, não haverá tal “Atestado de
Mérito”.

§ 2º- O “Atestado de Mérito” dos Coronéis será elaborado pelo Chefe do Estado-Maior.

§ 3º - Se o interessado for militar da reserva ou reformado, oficial ou praça, o “Atestado de Mérito” será
elaborado pelo Diretor de Recursos Humanos.

Art. 17 - Os documentos descritos no artigo 14 constituirão o processo da habilitação, que será Remetido à
Comissão Permanente de Medalhas do Corpo de Bombeiros Militar.

Art. 18 - Recebido o processo de habilitação, caberá à Comissão Permanente de Medalhas:

I - caso o militar não tenha obtido juízo favorável no “Atestado de Mérito”, mas satisfaça as demais condições
estabelecidas neste Decreto, a Comissão deverá deliberar a respeito, incluindo na documentação uma “Apreciação”,
concordante ou não com o conceito desfavorável expresso;

II - pronunciar-se sobre os processos de habitação, remetendo ao Comandante-Geral aqueles que, ao seu parecer,
estão em condições de merecer a proposta de agraciamento, arquivando os demais;

III - comunicar, respectivamente, ao Comandante, Diretor ou Chefe e ao interessado, sobre o arquivamento do


processo de habilitação, com um resumo dos motivos que lhe deram causa;

IV - preparar os diplomas e os atos de agraciamento referentes aos processos que mereceram aprovação.

Art. 19 - O militar cujo processo de habilitação tiver sido arquivado em razão de “Atestado de Mérito”
desfavorável, poderá solicitar abertura de novo processo, decorridos dois anos da data em que foi iniciado o
anterior.

Seção IV

Da Delegação para Concessão da Medalha do Mérito Militar

Art. 20 - Fica delegada ao Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar competência para a concessão da Medalha
do Mérito aos integrantes da Corporação que, nos termos deste Decreto, devam ser agraciados.

Parágrafo único - Essa delegação não terá efeito quando o processo se referir ao próprio Comandante-Geral.

CAPÍTULO III

DA MEDALHA DO MÉRITO PROFISSIONAL

Seção I

Da Finalidade, Característica e Uso

Art. 21 - A Medalha do Mérito Profissional, destina-se a galardoar atos de bravura e ações meritórias ou
relevantes serviços prestados na atividade-meio, por servidores da ativa, da reserva ou reformados do Corpo de
Bombeiros Militar de Minas Gerais.

§ 1º - Entende-se por ato de bravura a ação praticada de maneira consciente e voluntária com evidente risco de
vida e cujo mérito transcenda em valor, audácia e coragem a quaisquer considerações de natureza negativa, quanto à
imprudência ou impulsividade porventura cometidas.

§ 2º - Não se considera o ato de bravura quando o agente tenha o dever profissional de enfrentar o perigo, sendo
razoável a exigência do sacrifício nos termos da legislação penal.

https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=DEC&num=43194&comp=&ano=2003&aba=js_textoOriginal#texto 4/9
29/11/2017 Legislação Mineira - DECRETO 43194, de 14/02/2003 - Assembleia de Minas
§ 3º - Não se considera ato de bravura do qual se beneficiou o agente ou pessoa de seu parentesco até o 4º grau,
inclusive.

§ 4º - Após apuração em Sindicância Regular, ouvido o Conselho de Ética e Disciplina dos Militares da Unidade -
CEDMU, o reconhecimento do ato de bravura será procedido pelo Comandante-Geral.

§ 5º - O Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar poderá, à vista da apuração a que se refere o parágrafo
anterior, deixar de reconhecer a prática de ato de bravura, por falta de requisitos básicos, mas admitir a prática
da ação meritória, para os fins de concessão da Medalha do Mérito Profissional.

§ 6º - Entende-se como atividade-meio a ação de apoio administrativo e logístico desenvolvida em seção ou


repartição de unidade que integre o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais.

Art. 22 - A Medalha do Mérito Profissional, a fita, a passadeira e o diploma terão, conforme os Anexos V e VI
deste Decreto, as seguintes especificações:

§ 1º - A Medalha do Mérito Profissional será cunhada em bronze e possuirá:

I - 35 mm de diâmetro na parte interna, 1,5 mm de espessura com desenho possuindo bordas em relevo externo com
altura de 35 mm e largura de 35 mm na parte superior e 20 mm na parte inferior;

II - no anverso: a figura de uma engrenagem na cor azul royal, representando o trabalho em equipe, a capacidade e
dedicação profissional, tendo ainda a Rosa-dos-ventos com os pontos cardeais em metal amarelo simbolizando a
extensão territorial do Estado de Minas Gerais sobreposto pelo Brasão das Armas do Corpo de Bombeiros Militar;

III - no anverso: no semi-círculo superior o nome oficial “Estado de Minas Gerais” e no semi-círculo inferior o
nome oficial da Corporação “Corpo de Bombeiros Militar”. Ao centro do círculo o nome da honraria “Mérito
Profissional”.

§ 2º - A fita terá o comprimento de 45mm e a largura de 30 mm, na forma cilíndrica, confeccionada em seda e na cor
vermelho galês. A extremidade destinada a fixação da medalha terá forma de ângulo e a outra extremidade em reta.

§ 3º - A passadeira terá o cumprimento de 35 mm e a largura de 10 mm, na forma retangular e na cor vermelho galês,
circundada por uma tarja amarelo-ouro, contendo ao centro o Brasão das Armas do Corpo de Bombeiros Militar.

§ 4º - O diploma obedecerá as especificações contidas no artigo 45 deste Decreto.

Seção II

Da Concessão e Delegação

Art. 23 - A Medalha do Mérito Profissional será concedida mediante processamento da Comissão Permanente de
Medalhas do CBMMG, observando-se o seguinte:

I - dará início ao processamento a publicação no Diário Oficial de Minas Gerais ou no Boletim Geral Bombeiro
Militar - BGBM, do ato do Governador do Estado ou Comandante-Geral que:

a) reconheça o ato de bravura e, em conseqüência, promova o servidor da Corporação nos termos da legislação
específica;

b) não reconheça o ato de bravura, mas admita a prática de ação meritória para fins de elogio e agraciamento.

II - o processamento até a fase de que trata o item anterior seguirá o rito da apuração do ato de bravura para
efeito de promoção;

III - de posse da sindicância regular, a Comissão Permanente de Medalhas confeccionará a minuta do ato de
concessão e o diploma e os encaminhará ao Comandante-Geral.

Art. 24 - Fica delegada ao Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar competência para a concessão da Medalha
do Mérito Profissional, observando-se o disposto no artigo anterior.

Art. 25 - O reconhecimento do ato de bravura ou de ação meritória praticados pelo Comandante-Geral é da


competência do Governador do Estado à vista de apuração em sindicância regular, feita por autoridade especialmente
designada e após avaliação do Conselho de Ética e Disciplina dos Militares da Unidade - CEDMU.

CAPÍTULO IV

DA MEDALHA DO MÉRITO INTELECTUAL

Seção I

Da Finalidade, Destinação, Concessão e Delegação

Art. 26 - A Medalha do Mérito Intelectual, destina-se a galardoar o militar que obtiver o primeiro lugar em cursos
profissionais realizados no Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais.

Parágrafo único - A medalha de que trata este artigo será entregue na solenidade de formatura pelo paraninfo da
turma ou outra autoridade, a critério do Comandante-Geral.

https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=DEC&num=43194&comp=&ano=2003&aba=js_textoOriginal#texto 5/9
29/11/2017 Legislação Mineira - DECRETO 43194, de 14/02/2003 - Assembleia de Minas
Art. 27 - São considerados Cursos de Formação e Aperfeiçoamento Profissional, para efeito de concessão da medalha,
os seguintes cursos do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais:

I - Curso de Gestão Estratégica em Segurança Pública - CEGESP;

II - Curso de Especialização em Segurança Pública e Defesa Civil - CESP-DC;

III - Curso de Formação de Oficiais - CFO;

IV - Curso de Habilitação de Oficial - CHO;

V - Curso de Aperfeiçoamento em Segurança Pública - CASP;

VI - Cursos de Formação de Sargento - CFS e CIFS;

VII - Cursos correspondentes devidamente reconhecidos pelo CBMMG.

Parágrafo único - Quando se realizarem, simultaneamente, o mesmo curso em diferentes Unidades, a medalha será
destinada apenas àquele que, dentre todos, obtiver maior média.

Art. 28 - O Comandante da Unidade na qual está subordinado o aluno, remeterá os documentos necessários à Diretoria
de Recursos Humanos do CBMMG, até 10 (dez) dias antes da data de formatura, que contenham as seguintes
informações:

I - dados cadastrais do agraciado;

II - dados da formatura;

III - média final;

IV - curso concluído.

Art. 29 - A Diretoria de Recursos Humanos, de posse das informações especificadas no artigo anterior,
providenciará o diploma e o ato agraciador, encaminhando-os ao Comandante-Geral para aprovação e, em seguida, os
remeterá ao Comandante da Unidade onde ocorrerá o agraciamento, juntamente com a medalha.

Art. 30 - Fica delegada ao Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar competência para a concessão da Medalha
do Mérito Intelectual aos militares concluintes dos cursos especificados no artigo 27 deste Decreto, classificados
em 1º lugar.

A Art. 31 - A concessão da Medalha do Mérito Intelectual se estende aos atuais militares da ativa que, ao longo da
carreira, obtiveram o 1º lugar nos cursos descritos no artigo 27 deste Decreto, realizados no Corpo de Bombeiros
Militar de Minas Gerais.

Art. 32 - A Medalha do Mérito Intelectual será outorgada ao militar que a ela fizer jus, mesmo que já a tenha
recebido anteriormente, por mérito em outro curso.

Seção II

Das Características

Art. 33 - A medalha, a fita, a passadeira e o diploma, conforme os Anexos VII e VIII deste Decreto, têm forma
delineada pelo conjunto com compõe seu anverso e verso, com as seguintes características:

§ 1º - No anverso:

I - sobre uma base metálica de cor azul, de 1,5 mm de espessura, fosca, tem-se um disco de metal prateado
brilhante de 35 mm de diâmetro e bordas recortadas. Sua superfície é composta de dezenas de raios formados por
ângulos de igual valor, compondo lâminas bifacetadas, cuja extremidade externa forma pontas com largura máxima de
2 mm;

II - o fundo prateado-fosco aparece contornando o disco e as pontas das lâminas formadas pelos raios, distando
destas 5 mm;

III - na parte central do disco, sobrepondo-o, é colocado um livro aberto ao meio, ligeiramente em perspectiva e
com suas páginas de um lado, simétricas com as do outro lado, ambas esculpidas em alto-relevo, em metal maciço e
prateado brilhante. O livro ocupa o espaço de um trapézio regular cuja base maior mede 25 mm, a base menor 20 mm e
altura igual a 18 mm;

IV - sobre o livro e formando com este uma peça única, tem-se esculpida, em alto-relevo e em metal maciço e
prateada brilhante, uma pena em posição diagonal ao livro, com uma ponta voltada para a direita da medalha (lado
esquerdo do observador) a pena mede 36 mm de comprimento e 7 mm de largura máxima;

V - o conjunto formado pelo livro e pena simbolizam o aprimoramento, o destaque e o mérito intelectual que se
pretende enfocar com a medalha em questão e devem estar sobrepostos ao triângulo na cor vermelho galês que
representa o Estado de Minas Gerais;

https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=DEC&num=43194&comp=&ano=2003&aba=js_textoOriginal#texto 6/9
29/11/2017 Legislação Mineira - DECRETO 43194, de 14/02/2003 - Assembleia de Minas
VI - no disco descrito, em sua parte superior possuirá a inscrição da sigla “CBMMG” na cor preta que identifica a
Corporação;

VII - na parte superior da medalha é fundido um anel para fixação da fita.

§ 2 º - No reverso:

I - o reverso da medalha tem o formato de base definido pelo contorno em sua parte anterior e sua superfície
possui a cor prateada-fosca e todas as inscrições existentes no verso da medalha são em alto-relevo;

II - contornando a parte posterior do disco, em forma de circunferência e a 3 mm de sua borda, está a linha
imaginária que limita a parte superior da medalha em letras maiúsculas, com 1 mm por 1,5 mm cada uma, separadas
umas das outras em 1 mm, em média, registrando o nome da Corporação “Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais”;

III - ao centro do disco e sobre duas linhas imaginárias e paralelas uma a outra e em posição horizontal em
relação à medalha, tem-se a legenda “MÉRITO INTELECTUAL” estando uma palavra em cada linha imaginária mencionada;
cada letra possui 1,5 mm de largura por 2 mm de altura, separadas uma das outras em 1 mm, em média; a palavra
“MÉRITO” está afastada da palavra “INTELECTUAL” em 3 mm, de forma que a linha imaginária da base da segunda
palavra passe pelo ponto central do disco mencionado;

V - o espaço deixado abaixo da palavra “INTELECTUAL” é destinado a gravação manual, em baixo relevo, da
especificação do curso e do registro do 1º lugar resultando o mencionado registro em letras e algarismos prateados
brilhantes numa base de cor prateada fosca.

§ 3º - A Fita:

I - é confeccionada em cetim ou tecido similar azul, com 30 mm de largura por 45 mm de comprimento; a extremidade
da fita onde é presa a medalha, tem suas laterais dobradas formando uma ponta que define um ângulo de 45º
(quarenta e cinco graus) em relação a sua largura, onde é preso o anel que unirá a fita à medalha;

II - na parte oposta da fita, em relação a ponta presa à medalha é afixada uma pequena barra em metal dourado. A
barra tem 30 mm de comprimento por 10 mm de largura, envolvendo a fita na frente e verso, sendo na parte posterior
da barra preso a um alfinete para sua fixação no vestuário.

§ 1º- A passadeira possui 35 mm de comprimento por 10 mm de largura e 2 mm de espessura possuindo ao centro uma
miniatura do símbolo da medalha.

CAPÍTULO V

DO USO

Art. 34 - As Medalhas previstas neste regulamento serão usadas obrigatoriamente:

I - nos uniformes de gala;

II - nas paradas e desfiles das grandes datas cívicas, qualquer que seja o uniforme determinado;

III - por ocasião de solenidades eventuais, se determinado pela autoridade competente.

Art. 35 - Para uso nos uniformes e em substituição às medalhas, acompanha a estas, passadeiras em metal,
envolvidas em tecido igual ao da fita e nas cores e disposições previstas neste Decreto, podendo a fita ser
substituída por esmalte ou qualquer outro material mais durável.

Parágrafo único - A passadeira pode ser presa à camisa ou túnica dos uniformes por meio de pinos metálicos com
presilhas ou em suporte próprio, junto com outras passadeiras.

Art. 36 - O militar condecorado com mais de uma Medalha do Mérito Intelectual usará somente a correspondente ao
curso de nível mais elevado.

Art. 37 - A Medalha da Ordem do Mérito D. Pedro II será usada pendente por fita ao pescoço e as demais serão
usadas pendente no peito do lado esquerdo.

CAPÍTULO VI

DA CASSAÇÃO

Art. 38 - Perderá o direito de uso das Medalhas o agraciado que:

I - vier a sofrer a perda da função pública, qualquer que seja a pena principal a que for condenado, desde que
passada em julgado.

II - vier a sofrer pena de perda do posto e da patente, ou da graduação ou, ainda, se for excluído
disciplinarmente da Corporação;

III - sendo inativo, for proibido de usar uniformes.

Art. 39 - A cassação será feita por ato do Comandante-Geral, no qual serão expostos, sucintamente, os motivos que
a determinaram.

https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=DEC&num=43194&comp=&ano=2003&aba=js_textoOriginal#texto 7/9
29/11/2017 Legislação Mineira - DECRETO 43194, de 14/02/2003 - Assembleia de Minas
Art. 40 - O militar atingido pela cassação deverá restituir, no prazo de 30 (trinta) dias, a Medalha do Mérito
Militar, a passadeira e o diploma que tiver anteriormente recebido.

CAPÍTULO VII

DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 41 - O Conselho das Medalhas da Ordem do Mérito Imperador D. Pedro II e do Mérito Profissional será composto
pelos Coronéis que integram o Alto Comando do CBMMG, cabendo ao Comandante-Geral nomeá-lo e presidi-lo.

Art. 42 - A nomeação de Comissão Permanente de Medalhas para avaliação do merecimento das Medalhas do Mérito
Profissional e do Mérito Militar competirá ao Comandante-Geral.

Parágrafo único - As decisões exauridas pela Comissão obedecerão ao princípio da publicidade dos atos
administrativos.

Art. 43 - Poderá o Comandante-Geral criar subcomissões instrutivas nos Comandos Operacionais ou Diretorias para
subsidiar os trabalhos da Comissão Permanente de Medalhas.

Art. 44 - Todas as autoridades participantes do Conselho da Medalha da Ordem do Mérito Imperador D. Pedro II
receberão a Medalha “ex-officio”.

Art. 45 - Para conferir a destinação das medalhas, acompanha um diploma confeccionado em papel encorpado de boa
qualidade, fundo branco, tendo 320 mm de comprimento, por 230 mm de largura, com características próprias,
representativas de cada medalha, conforme os Anexos II, IV, VI e VIII deste Decreto.

Parágrafo único - A cada medalha corresponderá um diploma assinado pelo Comandante-Geral.

Art. 46 - As medalhas, passadeiras e as fitas serão fornecidos pelo Estado, sem ônus para os agraciados.

Art. 47 - A entrega da medalha, da passadeira e do diploma a ela referente, será feita pelo Comandante-Geral,
observando-se o prescrito neste Decreto.

§ 1º - A entrega ocorrerá observando-se o dispositivo para condecorações e medalhas, obedecidas as formalidades


regulamentares de honras e continências, em datas cívicas ou de significado para a Corporação.

§ 2º - O Comandante-Geral do CBMMG poderá delegar a entrega das Medalhas ao Chefe do Estado-Maior, respectivo
Comandante, Diretor e/ou Chefe do agraciado, observando o seguinte:

I - quando o agraciado for Coronel a entrega será feita pelo Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar;

II - quando o agraciado o Comandante, Diretor ou Chefe, a entrega será feita, em princípio, pelo seu Comandante
imediatamente superior;

III - no caso de o agraciado ser militar da reserva ou reformado, a entrega será feita, tanto na Capital quanto no
interior do Estado, por qualquer Comandante, Diretor ou Chefe, desde que tenha posto superior ou igual ao do
agraciado, aproveitando-se, para esse efeito, a mesma solenidade que estiver prevista para militar da ativa.

§ 3º - No caso de falecimento do agraciado, a medalha será entregue à viúva (o) ou a algum de seus herdeiros,
respeitada a linha de sucessão.

§ 4º - No caso do agraciado ser o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar a entrega será feita pelo
Governador do Estado ou por seu representante por este determinado.

§ 5º - Quando o militar inativo não puder participar da solenidade de agraciamento ou dispensá-la, a entrega será
feita pelo Diretor de Recursos Humanos na respectiva Diretoria.

Art. 48 - Caberá ao Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar, por intermédio dos órgãos competentes, tomar
as medidas de ordem administrativa para a efetivação do que institui o presente Decreto, inclusive a confecção das
medalhas, conforme seus Anexos.

Art. 49 - As medalhas e condecorações que possuam reconhecimento legal, recebidas em agraciamento por outras
Corporações, a qualquer tempo, poderão ser usadas em concomitância com as do CBMMG.

Art. 50 - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, aos 14 de fevereiro de 2003; 212º da Inconfidência Mineira.

Aécio Neves - Governador do Estado

Danilo de Castro

Antônio Augusto Junho Anastasia

José Bonifácio Borges de Andrada

Obs.: Anexos não digitados por impossibilidade técnica.

https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=DEC&num=43194&comp=&ano=2003&aba=js_textoOriginal#texto 8/9
29/11/2017 Legislação Mineira - DECRETO 43194, de 14/02/2003 - Assembleia de Minas

https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=DEC&num=43194&comp=&ano=2003&aba=js_textoOriginal#texto 9/9

Você também pode gostar