Você está na página 1de 3

Comprometimento no trabalho

1. INTRODUÇÃO

Comprometimento no trabalho é um dos temas que a psicologia organizacional


concentra esforços para buscar a compreensão, e modificar com o intuito de alcançar
resultados positivos para todos os envolvidos. Ao fazer uso da ferramenta de pesquisa
para entender o contexto na qual será trabalhado o comprometimento, o psicólogo
coleta informações imprescindíveis sobre a organização e os colaboradores para
desenvolver as medidas correspondentes à situação em vigor.

O objetivo desse trabalho é pesquisar noções a respeito do comprometimento,


com a finalidade de fundamentar a prática que será aplicada. No desenvolvimento da
pesquisa, procurar-se-á entender o contexto dos labutadores em geral, bem como as
circunstâncias atuais que influenciam e fazem parte das instituições, das quais,
aqueles estão inseridos.

O comprometimento no trabalho é um termo que se refere ao aspecto atitudinal,


que se dá no parâmetro das ideias e percepções que o sujeito possui, e por
consequência influenciam a postura que esse toma perante as situações e eventos, e
se revela através de suas ações. Essa postura vai se moldar também, com o vínculo
que o empregado cria com a empresa, e esse é produto da internalização do clima
organizacional que faz parte da corporação que este está inserido. O desenvolvimento
do comprometimento que o indivíduo tem com a organização, acontece naquilo que
esse se empenha em dar algo de si, para que assim, consiga contribuir com o seu
trabalho. (DEMO, 2003)

Para Chiavenato (2004), existem fatores internos e externos que induzem o


comportamento do ser humano, e no âmbito do comprometimento no trabalho, um
desses é a motivação. O motivo é a gênese da impulsão sobre um determinado
comportamento, que pode aparecer por ocorrências que venham do exterior ou
interior do sujeito. Já a motivação em si, é a cognição sobre os fatos que são
acontecimentos extrínsecos, e valores que por sua vez, são informações intrínsecas.
Os fatos e valores separados podem ser considerados motivos, a forma como o sujeito
junta esses dois estímulos formulados pelo pensamento, é chamado de motivação e
determinará a sua ação.

A motivação começa com a necessidade, essa leva o sujeito a ter uma ação
para supri-la. A partir do momento em que um comportamento gerou o resultado
esperado que satisfez a necessidade, a tendência é que o indivíduo agirá da mesma
forma para continuar a obter a consequência que deseja. Quando a expectativa não
é correspondida, gera uma frustração que leva a uma tensão, e essa pode aparecer
nas formas de agressão, indiferença, apatia entre outras. No entanto, a insatisfação
de uma insuficiência, pode ser suprida ao conseguir consequências almejadas dentro
de uma outra necessidade (CHIAVENATO), 2004).

O comprometimento no trabalho é um tema bastante complexo, e torna-se


subjetivo pelo fato de que o objeto de estudo e aplicação é o ser humano. É essencial,
ao desenvolver estratégias com essa temática levar em consideração o
comportamento humano e os fatores que o influenciam. Dentre esses, pode se
destacar a motivação que gera no sujeito, os comportamentos que ocorrem no âmbito
social, da qual faz parte o ambiente de trabalho.

Há uma necessidade fundamental da existência de pesquisas e aplicações


dentro do tema comprometimento no trabalho. É essencial para as empresas terem
acesso a essas informações e as ferramentas que podem ser utilizadas para que haja
uma evolução na relação sujeito e organização e assim, a produção tenha uma
progressão. A relevância desse trabalho, também atinge os funcionários, que podem
através dos saberes adquiridos, ter um autoconhecimento e tornar-se mais eficiente e
eficaz em seu ofício. Ainda, estudantes, profissionais e pessoas interessadas podem
estar tendo acesso e se beneficiando com a teoria e prática descritas nesse trabalho.
Referencias:

DEMO, Gisela. Comprometimento no Trabalho: uma Síntese do Estado da Arte e uma Revisão da
Produção Nacional. (não achei a revista de publicação), jul-dez, n 3, pp., 185-213, 2003.