Você está na página 1de 86

PETER WEST

GRAFOLOGIA
ENTENDA O QUE A CALIGRAFIA REVELA
Como determinar o caráter
e teu potencial pela escrita

hemus
PETER WEST

GRAFOLOGIA
ENTENDA O QUE
A CALIGRAFIA REVELA
Como determinar o caráter
e seu potencial pela escrita

Supervisão da Série
MAXIM BEHAR
NORBERTO DE PAULA LIMA
Tradução:
Claudete Agua de Melo

Composição, Revisão e Arte:


Estúdio Behar

Título original:
GRAPHOLOGY
© Copyright 1981 by Pentagon
ISBN 0 85030 260 9
© Copyright 1983 by Hemus Editora Ltda.
Mediante contrato firmado com The Aquarian Press

Todos os direitos adquiridos para a língua portuguesa


e reservada a propriedade literária desta publicação pela

hemus editora limitado


01510 ru a d a g lo ria 312 lib e rd a d e ca ixa p o s ta l 9 6 8 6
fone 2799911 p o b x telex (011) 3 2 0 0 5 e d il br
endereço telegráfico hetec soo p a u lo sp brasil

Impresso no Brasil/Printed in Brazil


Conteúdo

Introdução..................................................................................... 9
Requisitos para a análise —A regra de o u r o .............................. 10
1. A visão geral........................................................................... 11
2. Tamanho, forma e ligações.................................................. 31
3. Direção: Inclinação da escrita.............................................. 39
4. As zo n as................................................................................ 47
5. Letras maiúsculas................................................................. 55
6. Pressão e velocidade: Indicadores de saúde e hum or.......... 59
7. Letras reveladoras................................................................. 63
8. Primeira e última letras.......................................................... 73
9. Assinaturas.............................................................................. 83
10. Endereçamento de envelope................................................ 87
Introdução
Uma das definições de grafologia é o estudo e análise da letra com
a finalidade de interpretar o caráter e a personalidade. Análises grafo-
lógicas são bastante comumente usadas para orientação vocacional,
seleção pessoal e compatibilidade pré-marital ou marital.
Nenhuma percepção extra-sensorial é requerida; não se pode pre­
dizer o futuro, apesar de que um grafologista poderá estar apto a
predizer as reações de uma pessoa em particular a cuja letra ele esteja
familiarizado e quando surgem certas condições ou circunstâncias.
Mas isto poderá requerer grande experiência e um estudo profundo
por parte do grafologista; ela pode também, portanto, ser encarada
pelo estudioso ou amador em grafologia como um instrumento útil
para a avaliação da personalidade.
Entretanto, deve também ser lembrado que a grafologia é somente
um instrumento na determinação do modo de ser de uma personali­
dade individual e deve ser usada em conjunto com outros métodos
de avaliação se uma análise inteira e precisa for requerida. Por exem­
plo, a grafologia não pode ser utilizada para se detetar a idade da
pessoa que escreveu, apesar de ser possível discernir a idade avançada
ou a escrita do muito jovem; mas mesmo isso pode ser difícil. Da
mesma forma, o sexo do escritor pode não ser óbvio. Ë agora aceito
que certas características femininas podem ocorrer na letra de um
homem, e que uma mulher possa exibir tendências masculinas.
Basicamente, a letra reflete o humor ou os processos de pensa­
mento ao tempo dat escrita. Entretanto, a letra da mesma pessoa
variará de acordo com o modo como ele ou ela esteja se sentindo
na época em que a escrita é executada: humor, saúde, velocidade,
até mesmo a importância do assunto — tudo isso terá importância
na formação da letra.
Um exercício útil para o aluno de grafologia seria o de escrever
umas linhas quando seu humor mudar ou, melhor ainda, passar os
olhos através de suas anotações e observar mudanças de humor à
medida que seus estudos progridam. Em particular, se você puder
rever notas feitas ao tempo em que dificilmente foram encontradas,
você será capaz de notar mudanças em sua letra “normal” durante
aquelas épocas.
Entretanto, está além da competência deste livro entrar em signi­
ficados e interpretações mais profundas em análises psicológicas.
Este livro pretende ser um guia básico e simples, uma introdução
para o fascinante mundo da grafologia.

9
Requisitos para a análise
Idealmente, uma amostra deverá constar de pelo menos cem pala­
vras escritas por extenso, em uma folha de papel sem pauta, de prefe­
rência que seja de pelo menos 10" X 8", e deve, sempre que possível,
incluir a assinatura.
O escritor deve usar sua caneta normal, esferográfica ou tinteiro,
mas não uma com ponta de fibra, e nunca um lápis. O texto não
deverá ser copiado de um livro ou revista e deve ser em forma de
prosa, não de poesia. Entretanto, obviamente, a amostra ideal será
uma que o escritor tenha executado naturalmente - uma carta
recente, por exemplo —e não uma que ele tenha escrito especifica­
mente com a finalidade da análise.
Quando começar sua análise, inicie pelo final da amostra e traba­
lhe em direção do começo. Este pode parecer um conselho estranho,
mas não é. Freqüentemente a amostra foi escrita especificamente
para análise, e quem escreveu pode tender a se sentir tolhido no
começo de sua escrita, mas é provável que ele se desembarace à
medida que escreve. Até mesmo uma carta escrita para amigos tende
a ser mais consciosamente executada em seu começo do que quando
termina: uma vez que a pessoa que escreve se tome mais envolvida
pelo conteúdo ou pela mensagem da comunicação, ela se toma
menos consciente da maneira pela qual ela está formando suas pala­
vras escritas.

A regra de ouro
É importante lembrar que cada característica da personalidade
revelada na letra é somente um indício e não pode ser considerada
isoladamente ou como representando a soma total da personalidade
que está sendo considerada. Um sinal ocasional pode, por exemplo,
ser exatamente isto: uma ocasional tendência para uma caracterís­
tica particular. Também, todas as características, indícios e sinais
possuem aspectos positivos e negativos, e esta faceta deve, da mesma
maneira, ser levada em consideração.
Um grafologista disciplinado jamais se lançará a conclusões; ele
observará e avaliará a amostra inteira com muito cuidado, tendo em
mente que ela irá refletir sempre o humor do escritor à época da
escrita. Ele poderá até pegar uma caneta e traçar uma linha ou escre­
ver uma palavra para determinar como a escrita foi originalmente
executada; ele aprenderá a balançar e contrabalançar cada faceta da
escrita até que sinta que possui uma imagem razoável da personali­
dade inteira assim revelada. Então, e somente então, o grafologista
experimentado prepara seu relatório.

10
I A visão geral

Quando alguém olha para um exemplo de escrita, a visão geral —


a maneira pela qual a escrita é feita no papel e a largura das margens
— é a primeira coisa que se nota. Então, sua atenção se voltará para
a legibilidade, inclinação e a consistência da própria escrita.

Margens
Algumas pessoas possuem um bom padrão de percepção visual
que é refletido na maneira pela qual elas colocam sua escrita na
página. Sua escrita é de proporções equilibradas e elas aderem estri­
tamente às margens iguais, indicando uma direção razoavelmente
meticulosa e um bom sentido de simetria e forma. Essas pessoas
podem ter inteligência acima da média e seus padrões culturais
podem ser igualmente altos.
Tal alto padrão de apresentação não é comumente encontrado,
mas, uma vez visto, não será esquecido porque seu efeito é bastante
agradável. (Ver Figura 1.)

11
Figura 1
Uma margem larga do lado esquerdo do papel indica uma perso­
nalidade basicamente amigável, atenciosa. Essas pessoas podem pos­
suir uma certa quantidade de reserva em suas personalidades totais,
apesar de serem sujeitas a mostrar às vezes certa tendência à extra­
vagância.

Figura 2.
Quando a margem direita é a mais larga, isso mostra a preocupa­
ção de quem escreveu com questões pertinentes a eventos futuros.
Não sendo naturalmente muito sociável, tal indivíduo pode demons­
trar falta de espontaneidade em acesso e resposta, subestimando sua
própria capacidade e sendo incapaz de se expressar bem.

Figura 3.

14
Quando a margem de cima da escrita é muito larga, isso mostra
certa tendência à indiferença. Usualmente a pessoa que escreve em
uma página desta maneira possui uma atitude de falta de imagina­
ção diante de outras pessoas e da vida em geral.

Figura 4.

15
Uma margem larga no final da página indica falta de habilidade
para planejamento e, algumas vezes, uma falta geral de previsão.
Freqüentemente essa imprudência manifesta-se no trato com outras
pessoas, podendo resultar em mal-entendidos e dificuldades de rela­
cionamento.

Figura 5.

16
Uma margem direita estreita é indicativo de uma natureza inibi­
da. Impulsivas e atrevidas, tais pessoas podem ser um pouco super-
enfáticas às vezes. A despeito disso, entretanto, elas manifestam
atitudes fortes, de bom senso em relação a problemas, apesar de
algumas vezes tenderem a tomar atalhos para resolvê-los.

Figura 6.

17
É bastante usual que a margem direita de uma amostra de escrita
seja a que se apresenta desigual e desalinhada. Assim, apesar disso ser
considerado como “normal” , indica uma certa falta de prudência na
personalidade.

Figura 7.
Uma margem esquerda desigual, entretanto, implica uma natureza
menos controlada e bem mais espontânea. Essas pessoas manifestam
uma pequena reserva inicial em seu trato com as outras pessoas e
suas idéias fluem de maneira fácil e razoavelmente rápida.

Figura 8.

19
Uma margem esquerda que se toma progressivamente mais estrei­
ta em direção ao final da página, indica uma preocupação com a
economia. Essas pessoas têm tendência a parar e pensar sobre os
planos pretendidos. Elas se tomam mais cuidadosas à medida que os
projetos progridem e não gostam de cometer erros de nenhum tipo.
%

Figura 9

20
Entretanto, quando a margem esquerda se alarga de modo cres­
cente do alto da página para o final, revela o reverso daquelas carac­
terísticas. Tais pessoas apresentam pressa, impulsividade e impaciên­
cia. Elas podem gastar prodigamente em presentes e luxo, e tendem
em geral a não se preocuparem demais com os custos.

Figura 10.

21
Se a margem direita se toma progressivamente mais estreita, isso
implica que qualquer timidez ou reserva na personalidade do escritor
se tomará menos aparente com a familiaridade. Esses indivíduos ten­
dem a reterem-se um pouco quando iniciam um relacionamento, mas
logo perdem essa reserva inicial.

Figura 11.

22
Uma amostra de escrita que quase preenche toda a folha de papel,
deixando margens muito estreitas, indica duas características de
personalidade quase conflitantes. Pode ser uma indicação de mesqui­
nhez, austeridade e uma natureza cobiçosa. No entanto, tais pessoas
freqüentemente mostram generosidade para com instituições carita­
tivas e sua cobiça em um grande número de vezes se manifesta no
excessivo apego ao luxo.

Figura 12.

23
Margens muito largas por toda a página indicam um sentido de
isolamento. Esses indivíduos geralmente parecem ser altivos e reser­
vados; eles podem se afastar da sociedade normal e são freqüente­
mente reservados sobre seus assuntos pessoais. E muito freqüente­
mente, com certeza, essas características levam à solidão.

Figura 13.

24
Algumas vezes, mas raramente, encontra-se uma amostra de
escrita onde todas as margens são irregulares, o que é indicativo de
falta de cuidado e de atenção. Entretanto, tais pessoas, apesar de
desorganizadas, são geralmente bastante versáteis, adaptáveis e mos­
tram tolerância, mesmo quando sob crítica.

Figura 14.

25
Inclinação da linha
Uma das razões pelas quais uma amostra de escrita deve ser exe­
cutada em papel sem pauta é que assim o grafologista pode estudar
a consistência das linhas da escrita. Algumas vezes as linhas da escrita
inclinam-se para cima ou para baixo em direção a uma linha-base
horizontal e imaginária; ou talvez as palavras individuais são executa­
das de maneira desigual. Nos dois casos a inclinação de linha ou da
palavra representará outro indício para a análise do caráter total do
escritor.
Quando toda a escrita parece inclinar-se ou subir no final de cada
linha, é isto uma indicação de otimismo e contentamento interior
geral. Tais pessoas possuem um grau marcante de autoconfiança e
bem-estar, criando uma impressão geral de calor e afeição. Elas não
são facilmente desencorajadas, não permanecem deprimidas por
longo tempo e possuem a habilidade de se recobrarem após qual­
quer revés, por causa de sua natureza de forte poder de recuperação.

/ Je

Figura 15.

Ao contrário, uma escrita com inclinação descendente é indica­


tivo de tendências opostas. Esses escritores mostram pessimismo e
desalento e podem permanecer desencorajados por mais tempo do

26
que é bom para eles: algumas vezes até o ponto de afetarem sua
saúde física. De fato, esse estilo de escrita é freqüentemente encon­
trado quando a pessoa está vergada ao peso de muitos problemas ou
fisicamente cansada.

3« 0 OniX

-4-t— 4vj etj» 9 k"


»juC '-yOXv

+rU~U, Bivo. oj-vA


a -t-o
ÍVi.1’"UL\, S-5X* _^ cí_j

Figura 16.

Linhas de escrita consistentemente horizontais indicam uma natu­


reza digna de confiança, equilibrada, autocontrolada. Apesar do fato
de tais pessoas parecerem apagadas e desinteressantes, elas possuem
um grau marcante de firmeza e bondade, além de sólidos poderes de
raciocínio; essas são as pessoas para as quais os outros se voltam
quando têm problemas a resolver ou trabalhos de rotina que eles
desejam que sejam completados.

4 * k K itr ÿ o C fL . Kj4 o Xo l a c I t^ o J t caaí cU x*^ I

K/&WW UaXí-M.*ÍÍ>d Tv> C\OtbL Ck


So o^úbd fisdl i/úu
cUoitf ti kâjp íXKjltv ^ ^
^ lo cÄWd jtyovioto CaCJvjCfl cw

Figura 1 7.

Algumas vezes toda a escrita parece curvar-se ou arquear-se no


centro: cada linha se levanta no começo, mas inclina-se no final for­
mando um arco definido. Esses escritores começam projetos com
grande vivacidade, mas usualmente perdem o interesse uma vez que

27
seu entusiasmo inicial declina. Eles logo se aborrecem com seus mui­
tos e variados empreendimentos e, conseqüentemente, raramente os
completam.

X X ^ ^ - a £/-■■■
a ív M j J t* r
QmJ- Mbjftol Jhk** a* c/U<iÚíH*~y

Figura 18.

A formação da linha ao contrário, com um efeito côncavo, impli­


ca um tipo de personalidade também ao contrário. Esse é o indivíduo
que encara cada projeto com extrema cautela e ligeira apreensão,
mas que se toma crescentemente entuasiasmado e otimista sobre o
resultado final à medida que o esquema ou o plano progride. Inicia­
dores morosos, esses escritores acompanham todos os seus empreen­
dimentos até o final.

<^\ Ct.CCOO«d-C. oo

9, 4-Ou oc c *8 Avvv UrtK^ CL C WIW w

w tk unx^. .

Figura 19.

Inclinação da palavra
Uma amostra de escrita algumas vezes parece ao primeiro olhar
ser completamente regular, com cada linha seguindo um curso hori­
zontal através da página. Entretanto, um exame mais acurado pode
tomar aparente que cada palavra é executada de uma maneira incli­
nada, a despeito do visual de uniformidade geral das linhas da
escrita.

28
Quando cada palavra descende, isso implica uma falta de auto­
confiança da parte do escritor. Tais pessoas necessitam constantes
afirmações de segurança e encorajamento e, se elas faltam, essas pes­
soas tendem a se tomarem facilmente deprimidas.

U/iy dh/ /£ ^

4Û /k

#
*k<

Figura 20.

Se cada linha da escrita for ascendente apesar da aparência geral


de constância da linha de base, isso indica uma natureza otimista.
Esses escritores possuem muito entusiasmo e confiança, apesar de
algumas vezes mostrarem falta de resistência física.

jiíl W u iiL i ' f

Figura 21.

Legibilidade
Uma vez que a aparência geral da amostra da escrita foi avaliada,
o próximo passo será considerar se ela é ou não legível: é ela facil­
mente lida ou não?
Basicamente, é razoável supor que alguém que deseja ser enten­
dido, pensa claramente e que seja razoavelmente sincero, executará

29

4
sua escrita de uma maneira legível. Entretanto, existem fatores posi­
tivos e negativos em todas as características da letra, de forma que
não é seguro fazer suposição contrária. Escrita boa e clara não se
refere sempre a bom caráter, e nem a legibilidade pobre implica
necessariamente pobres características de personalidade.
Um indivíduo que possua boas características pode muito bem
estar submetido a pressões externas e influências que causem con­
flitos internos, mesmo que de natureza temporária. Em tal situa­
ção, essas tensões internas se manifestarão nas palavras escritas
da pessoa: sua letra sofrerá, refletindo algo de sua pressão ou tensão
escondidas.
Da mesma maneira, a legibilidade não é necessariamente relacio­
nada à inteligência do escritor. As pessoas freqüentemente se preo­
cupam sem necessidade sobre a impressão que os outros terão de sua
letra, sentindo que eles os considerarão não inteligentes ou não
educados, enquanto que, muito freqüentemente, a causa real do pro­
blema é a velocidade com que a escrita foi executada. Este último
ponto será tratado de forma mais completa no capítulo sobre veloci­
dade e pressão.

30
Tamanho, forma e ligações

Muito pode ser deduzido a respeito da auto-estima do escritor e,


numa extensão menor, de suas habilidades criativas, pela totalidade
do tamanho e forma de sua letra e a maneira pela qual ele junta as
letras ou, para usar um termo grafológico, as ligações.

Tamanho
Falando de maneira geral, as letras da “zona central” de uma
escrita normal são de aproximadamente 3 mm (1/8"). Letras da zona
central são aquelas tais como o n, m, o, e, etc.; em outras palavras,
letras que não possuem laços para cima ou para baixo. Então, letras
da zona central maiores do que 3 mm poderão ser consideradas
como escritas grandes, e aquelas que meçam menos seriam tidas
como pequenas.
Basicamente, escrita grande refere-se a expansividade. Pessoas
com letra grande (Figura 22) geralmente possuem um grande desejo
de liberdade pessoal e se sentem bastante ofendidas com qualquer
tipo de restrição. Elas possuem uma larga visão da vida em geral e
suas ambições tendem a ser em larga escala, de acordo com sua per-

Figura 22.

31
sonalidade expansiva. Entretanto, essas pessoas abertas, autoconfian-
tes, são geralmente desinteressadas de trabalho muito detalhado e
rapidamente se aborrecem com isso.
Escrita pequena refere-se a criatividade e um sentido de detalhe.
Esses escritores são socialmente adaptáveis e tendem a se ajustarem
facilmente em muitos meios. Eles tendem a ser ligeiramente reserva­
dos e modestos por natureza e usualmente não pedem ativamente
aprovação e não possuem grandes ambições. De fato, a tais pessoas
muito freqüentemente falta autoconfiança e podem algumas vezes
ser um pouco desejosas demais de se ajustarem aos meios e esquemas
das outras pessoas.
‘■'-—t. («wft, ^
rU* r w C />wvív
^ H*-è—~ «Ut

Figura 23.

Forma
Às vezes uma letra possui uma aparência global onde a primeira
coisa que se nota não é o tamanho, a altura ou a pequenez. As letras
são executadas de maneira ligeiramente alongada e parecem estar se
dirigindo para cima. Esse estilo de escrita indica falta de objetividade
e de consideração para com as outras pessoas. Tais escritores podem
dar a impressão de contentamento ou autoconfiança às custas dos
outros.

*r /• / /' / / V

/ / y / / / í l ^

'e a ,

S É e e / / //d e c /
* / . / V / ^ y
Figura 24.

32
A largura da letra indica o quanto de espaço vital o escritor deseja
para si; e uma escrita larga ou aberta implica uma natureza vaidosa.
Esses indivíduos possuem egotismo, orgulho e franqueza —freqüen­
temente até o ponto da brusquidão; no entanto, eles usualmente
apresentam para os outros uma imagem amigável e geralmente mos­
tram um forte desejo de viajar.

Figura 25.

Escrita estreita significa inibição, conservação e economia. Tais


escritores são geralmente tímidos e exercem autodisciplina; eles são
relutantes em mostrar sua natureza interna para os outros porque
são desconfiados de seus motivos. Se a escrita é tão estreita que
parece “espremida”, essas características se tomam exageradas até o
ponto da estreiteza de espírito.

?7> 4 -0 yc.y

CK* 'c' cju

Figura 26.

Aparência
Escrita fina — isto é, aquela que tem uma aparência geral de
“aranhas” — indica puritanismo e falta de sensualidade. Esses indi­
víduos são principalmente não preocupados ou não interessados nos

33

aspectos mais materiais ou terrenos da vida. Eles concentram seus


esforços em ocupações intelectuais ou espirituais, enfatizando o
desenvolvimento do lado mais estético de sua natureza.

/? /

C/ / / tf L'
/ y/C Í Í

Figura 27.

Escrita grossa, de linhas pesadas —freqüentemente referida como


pastosa pelos grafologistas - é indicativo de auto-indulgência. Essas
pessoas gostam das coisas boas da vida e são indulgentes de maneira
ativa com o aspecto mais material de sua personalidade. Se levadas
ao extremo, essas atitudes podem resultar em gula, egoísmo, sensua­
lidade e arrogância, freqüentemente combinados com uma falta de
gosto artístico.

— J

Figura 28.

Escrita angular mostra uma certa dureza na personalidade do


escritor. Apesar de serem idealistas e imaginativas, essas pessoas ten­
dem a exibir uma ligeira atitude de agressividade para com os outros.

34

A
Freqüentemente não possuem habilidade ou inclinação para adaptar
seus fortemente seguros pontos de vista, algumas vezes até o ponto
onde a obstinação se desenvolve em preconceito direto.

I Figura 29.
(a ! a i t

Algumas vezes uma escrita parece ser composta inteiramente de


uma série de arcos. Esse estilo é conhecido como arcada e significa
falta de espontaneidade. Notados por sua diplomacia e bom plane­
jamento, tais escritores dão muita importância à impressão que cau­
sam aos outros. Eles tendem a esconder seus pensamentos interiores
e sentimentos e podem, portanto, apresentar falta de sinceridade.

Figura 30.

Oposta à arcada é a escrita em forma de grinalda, que parece uma


fileira de arcos invertidos. Esses indivíduos possuem natureza quieta,
atenciosa, simpática e apresentam para os outros uma imagem de
pacatos, amigáveis, ligeiramente extrovertidos. Basicamente amantes
da paz, essas pessoas são facilmente enganadas por outras que ten­
dem a tirar vantagem de suas naturezas obviamente boas.

Figura 31.

35
Uma escrita de aparência quadrada mostra uma concentração de
esforços e tais escritores freqüentemente possuem uma aptidão para
empreendimentos mecânicos ou técnicos. Eles mostram atitudes sen­
síveis, de bom senso, e necessitam de bases firmes para que pos­
sam construir seus ideais, e são geralmente cuidadosos com todos os
aspectos da matéria em consideração antes de anunciar uma opinião
ou fazer um julgamento.

JoalA Ute. íx> Sou hcruJ tn u c h


e /T /n je d khe. c o n c e rt

Figura 32.

A formação de “cópia de livro” — um estilo de escrita simples,


sem enfeites — é indicativo de ortodoxia e convenção. Essas pessoas
não são fortemente imaginativas, tendendo mais a serem conserva­
doras, mas se adaptam bem a quase qualquer circunstância ou meio.
Sofrendo de falta de poder de lutar para ter as coisas que deseja, e
de falta de ambição, essas personalidades algo desinteressantes, mas
dignas de confiança, são freqüentemente o sustentáculo do escritório
ou da fábrica.

t~ & \ 6 m ) ) C -X. -

À.c /
9 )" >x~
n i )-> \ ^ i m
,

' \ jCt V \ cka f

u. ■— Ca-NC. Ck

( TrC'-b^> C C ^L y L i,mí 1 O-
Figura 33.

Ligações
Uma escrita com uma aparência agradável e regular, com cada
letra bem construída e ligada, indica uma personalidade bem-ajus-
tada. Pessoas que executam esse tipo de escrita são geralmente cal­
mas atenciosas, exercem autodisciplina e moderação. Entretanto,
suas vidas tendem a ser bastante monótonas e desinteressantes, e
podem parecer tristes e aborrecidas para as outras pessoas.

Af i h jH è fu M ú ip ú l
. l \ ,' /U .Í<-A Ú " ÍT s J Í k t 0 L u J r t - O \J
w d jL Ú ly J m íi

Figura 34.

Escrita desconexa significa características completamente contrá­


rias. A essas pessoas falta controle e são facilmente distraídas, parti­
cularmente da rotina de trabalhos que não retêm seu interesse por
muito tempo. Sua imaginação parece nunca parar de funcionar:
numerosas idéias rivalizam-se por atenção o tempo todo. Isso pode
resultar em um método de pensar desconexo e interrompido, levan­
do à falta de confiança.

h o u Ç 'ç d f f h<Jjl£ ciou hcLclC( reao


/• hop •e ckcu / / ' ta cr
k (x ii c-h t yvvrtl c >
'cspuXcif , / / - àrmj i p r to b C u (
Figura 35.

Uma forma de ligação totalmente diferente, mas facilmente reco­


nhecível, é a do tipo linha. Essas pessoas são extremamente adaptá­
veis e possuem uma grande afinidade mental. São possuidoras de for­
tes sentimentos de autopreservação e altamente capazes de cuidarem
de seusinteresses, mostrando um sentido quase animal de astúcia,
se isso for necessário para tomar ações evasivas.

' <bvu . —;

Figura 36.

37
Observações gerais
Basicamente uma letra dará uma impressão total de arredonda­
mento ou angularidade, e fornecerá um indício da atitude mais
importante do escritor.
Quanto mais arredondada for a escrita, maior a inclinação do
autor para ser cordial e afetuoso. Uma natureza passiva e receptiva
será a característica dominante dessa personalidade, apesar de que,
em alguns casos, uma maior demonstração de afeição poderá ser
mostrada. Inversamente, quanto mais angular ou quadrada for a apa­
rência da escrita, mais inoperante e crítica provavelmente será a
natureza básica da pessoa.
Freqüentemente, um aspecto particular de uma escrita muda con­
sideravelmente ao final da amostra e isso é indicativo de tentativas
do escritor no sentido de esconder seu verdadeiro caráter.
Por exemplo, a escrita pode começar grande e diminuir gradual­
mente em tamanho, ou vice-versa. Isso é particularmente notado
muitas vezes em um pedido de emprego, especialmente se o candida­
to se sente totalmente incerto de suas habilidades para obter o cargo.
Entretanto, obviamente, é da maior importância estudar qualquer
amostra de escrita de maneira extremamente cuidadosa: considerar
todos os aspectos revelados, pesá-los cuidadosamente e nunca tirar
conclusões apressadas —você poderá estar enganado.

38
Direção: Inclinaçao da escrita

O ângulo ou inclinação de uma letra é uma expressão visível da


abordagem emocional e resposta a outras pessoas. Ele mostrará se a
pessoa é basicamente impessoal e reservada: comunicativa e afetuosa;
ou altiva, e autocontida. A extensão da atitude predominante será
determinada pelo grau de inclinação da escrita.
Inclinação para a frente em uma escrita denota tipos afetuosos e
gregários; aqueles que são fundamentalmente extrovertidos por natu­
reza. O relacionamento humano possui um significado muito grande
para esses indivíduos, que usualmente escolherão vocações ou ocupa­
ções que os colocarão em contato com outras pessoas.
Aqueles cuja escrita é basicamente reta ou vertical são mais reser­
vados e autocontidos; sua cabeça tende a governar seu coração.
Essas pessoas são socialmente equilibradas, polidas e charmosas, mas
são inclinadas a não darem muito de si nos relacionamentos. Realis­
tas, elas escolhem seus amigos cuidadosamente.
Uma inclinação para a esquerda indica tendências reprimidas. Tais
escritores não se misturam, por natureza, facilmente com as outras
pessoas e, sendo algo inibidos, freqüentemente criam uma impressão
de frio distanciamento. Entretanto, uma vez que sua confiança foi
ganha, essas pessoas fazem amigos seguros, leais e duradouros.
Algumas vezes um indivíduo exibirá dois estilos distintos de
escrita: talvez escrevendo com uma inclinação natural para a frente
na maioria das vezes, mas com um estilo afetado e reto de vez em
quando. Isso revela versatilidade. A emoção prevalecente do autor
ao tempo da escrita ditará o estilo, que variará de acordo com o
humor e as circunstâncias.
Enquanto a direção da inclinação da escrita indicará as carac­
terísticas básicas da personalidade do escritor, o grau ou ângulo de
inclinação refletirá o grau de resposta emocional ao tempo da escrita.
Esse ângulo total de inclinação da escrita pode ser avaliado pela ilus­
tração da Figura 3 7.

39
A Seletivo e particular
B Dificuldade de adaptação
C Forte autocontrole
D Ligeira reserva
E Controle normal
F Menos lógico, mais emocional
G Impulsividade
H Autocontrole deficiente, extrema sensibilidade
Figura 37.

Escrita vertical
Independência, julgamento frio e estabilidade são as caracterís­
ticas reveladas por uma escrita que é executada de maneira consis-
tentemente reta ou vertical. Entretanto, é raro que se encontre uma
escrita perfeitamente reta. Um desconto de aproximadamente cinco
graus para qualquer um dos lados da vertical seria, portanto, classifi­
cado como reta para o propósito da análise grafológica.
Apesar de poderem ser emocionalmente intensos, tais escritores
são bem capazes de conter seus impulsos e apresentarem uma ima­
gem fundamentalmente equilibrada para as outras pessoas. Eminen­
temente autocontroladas, pode-se contar com essas pessoas para que
mantenham o controle em uma crise.

tt» k x jv t lÁ C tM ia m -
Figura 38.

40
Esse modo controlado, intelectual, leva esses indivíduos a faze-
rem-se bons supervisores, gerentes e outras atividades do gênero.
Porque, apesar de tais pessoas poderem trabalhar com sucesso fazen­
do parte de uma equipe, elas preferem trabalhar sozinhas, uma vez
que valorizam sua independência. Portanto, essas personalidades se
ajustam, por temperamento, a posições de responsabilidade, que as
capacitam a utilizarem essas habilidades para melhores vantagens.
Como foi dito anteriormente, uma letra perfeitamente vertical
não é comum e até mesmo uma inclinação mínima para a esquerda
ou para a direita descobrirá características que se distanciam entre si

Figura 39.

ligeiramente. Uma escrita que se inclina um pouco para a direita, por


exemplo {Figura 40), indica certa tendência para ser ligeiramente
mais aberta que uma inclinação para a esquerda, mais reservada
(.Figura 39).

dC oC cüJcir /r^c Co trr-zcí' /w /m


(X c íd r -C -L í y c u *. C clua

^ 0 .1 lÁ . li- fí tW B . J 'X (

Figura 40.

Similarmente, a pressão com que uma escrita vertical é executada


pode fornecer informação adicional sobre o escritor. Apesar de a
velocidade e a pressão serem tratadas de modo mais amplo em outro
capítulo, talvez valha a pena notar que pressão forte em uma escrita
predominantemente reta denota uma personalidade um pouco mais
emocional.

Figura 41.

Pressão fraca na escrita refere-se a conflitos interiores e freqüente­


mente tal escritor pode ter um pouco menos de controle sobre suas
emoções. Tais pessoas podem, quando a tensão se toma grande
demais, mostrar pequenas e agudas explosões de temperamento -
algumas vezes surpreendendo a si mesmas e aos outros.

Figura 42.

Inclinação à direita
Uma escrita consistentemente inclinada para a frente ou para a
direita é bastante usual: de fato, é o ângulo mais natural para uma
pessoa destra usar. Essa inclinação denota uma personalidade mais
extrovertida que a da escrita reta, e quanto mais agudo o ângulo,
mais intensamente emocional e reativo o escritor provavelmente será.

5 2 /

Figura 43.

42

Escrita com uma inclinação à direita de aproximadamente 60°


denota uma personalidade cordial, amigável e receptiva. Esses indiví­
duos são razoavelmente autoconfiantes e capazes de expressarem
suas opiniões e convicções de maneira natural e aceitável. Seu auto­
controle é normal e, apesar de serem bastante entusiasmadas, essas
pessoas usualmente não reagem fortemente e nem mostram emocio-
nalismo excessivo.

r fik y e t/ ^ \M j Á â u

Figura 44.

Quando a inclinação para a frente é executada com um ângulo


menor que 60° da horizontal, isso indica um caráter menos auto-
controlado e mais impulsivo. Tais escritores tendem a confiar nos
outros por estimulação e procuram ativamente a companhia de seus
companheiros.
De fato, o relacionamento humano toma a maior parte da vida
desses indivíduos inquietos, ativos e sociáveis que tendem a se preo­
cuparem indevidamente sobre acontecimentos futuros e suas habili­
dades para lidar com eles. No entanto, eles possuem um razoável
grau de iniciativa e, desde que trabalhem em ambientes alegres, são
capazes de expressar todo o seu potencial.

/fy y í/ó ^

z í4 / \íc é /u e S ã.

/Â t, :
Figura 45.

Uma extrema inclinação para a direita —de menos de 45° - signi­


fica uma falta de autocontrole e um poder de reação superativo.
Intensas e freqüentemente supersensíveis, essas personalidades ten­
dem a se comportar de maneira impulsiva, mais irracional, dando,
às vezes, a falsa impressão de extrema confiança.

43
Não sempre confiáveis em alguns aspectos, tais pessoas tendem a
apresentar falta de habilidade de acompanhar os projetos até o
final e freqüentemente abandonam esquemas e interesses tão logo
eles tenham começado. Usualmente de humor inteligente e rápido,
além de ativos, eles se tomam rapidamente aborrecidos com detalhes .
e obtêm mais sucesso em ocupações que requerem uma resposta
imediata.

Figura 46.

Inclinação à esquerda
Uma escrita com inclinação para trás ou para a esquerda é indica­
tiva de introversão. Isso denota uma tendência para a pessoa se res­
guardar, escondendo do mundo todo seus verdadeiros sentimentos e
opiniões. Tais escritores constroem uma concha protetora ao seu
redor e apresentam uma aura de auto-repressão e uma falta de reação
emocional para as pessoas estranhas.

Figura 47.

Esses indivíduos são muito reprimidos e cuidadosos em não exibir


suas emoções, a menos que eles conheçam a outra pessoa extrema­
mente bem, porque estão sempre cônscios de sua própria vulnera­
bilidade.
Autocontrolados, esses indivíduos são algo inibidos e tendem a
temer uma mostra exterior de emoção, seja deles próprios ou dos
outros. Eles são, portanto, usualmente não-impulsivos, apesar de

44
que, em raras ocasiões, a máscara poderá cair e o observador poderá
ficar grandemente surpreendido com a profundidade dos sentimen­
tos assim revelados.

\ ' v \

g . . ^ . . \ V
v } \^ w v^ (*A,v 0
V—•
('•
CV^

Figura 48.

‘Quanto mais uma inclinação para trás for tombada para a esquer­
da, mais essas características são acentuadas. Tais escritores provavel­
mente são reprimidos demais e experimentam uma crescente dificul­
dade de se expressarem fisicamente. Esses indivíduos são freqüente­
mente objetivos e não consideram fácil a adaptação a novas pessoas,
circunstâncias ou meios.
Eles possuem uma tendência para serem super-reservados na
escolha de amigos por causa de sua inibição e seu desejo esmagador
de esconder suas emoções. Apesar de basicamente independentes
e das aparências externas, essas pessoas são com freqüência profun­
damente emocionais e muito sensíveis.

'
Figura 49.

Uma inclinação extrema para a esquerda enfatiza as tendências


repressivas do escritor. Essas características, quando levadas ao extre­
mo, podem resultar na tentativa por parte da pessoa de se evadir
rnteiramente da realidade e da responsabilidade.
Tais escritores às vezes parecem frios e sem coração, apesar de
essa aparente indiferença poder meramente refletir o desejo do indi-

45
víduo de não se tornar emocionalmente envolvido demais. Freqüen­
temente, experiências anteriores fizeram com que tais personalidades
se tomassem reprimidas e, infelizmente, essa aparente insociabilidade
pode resultar em real isolação.

Variedade de inclinação
Às vezes uma letra exibe uma variedade de inclinação: algumas
palavras ou letras são executadas com um ângulo para a esquerda,
outras são retas, poucas são inclinadas para a direita. Tal maneira
indisciplinada de escrever reflete uma natureza em geral imprognos-
ticável.
Versáteis, espontâneos e temperamentais, esses escritores são fre­
qüentemente tão emotivos que têm dificuldade em exercer qualquer
autocontrole. Essa falta de moderação provém de seus humores osci­
lantes e da abrupta profundidade de suas emoções. Apesar de algu­
mas vezes fazerem esforços para controlar seus caprichos e sentimen­
tos fortes, essas pessoas consideram virtualmente impossível persistir
nesses esforços por muito tempo.
Sua natureza é muito inconstante, sujeita demais a influências
exteriores e às atrações de diferentes empreendimentos; eles preci­
sam de variedade em tudo o que fazem. Sua reação é pronta e, usual­
mente, de vida curta; mas, por causa de sua versatilidade básica, essas
pessoas se dão bem em ocupações que oferecem variedade e reque­
rem somente responsabilidade limitada.

Figura 50.

46
As zonas

Tradicionalmente, a letra é classificada em três zonas ou áreas


grafológicas — superior, central e inferior — e todas as formações de
letras entram ou ocupam uma ou mais dessas zonas. Cada zona é atri­
buída a um aspecto particular da personalidade, e quanto mais
aquela zona particular é enfatizada, mais esse conjunto particular
de características associadas predominará. Esse é especialmente o
caso quando a letra entra em uma zona à qual não é normalmente
associada.

Figura 51.

A zona superior refere-se à inspiração, ambição, questões inte­


lectuais ou espirituais. As letras principalmente envolvidas são b, d ,
f, h, k, I e t, as quais entram normalmente na área superior. Rigoro­
samente, o exemplo inferior i cai nessa seção por causa de seu ponto,
mas uma interpretação mais ampla dessas indicações está incluída
no capítulo referente a essas e outras letras especiais (págs. 65 a 70).
Letras da zona central - aquelas sem ascendentes ou descenden­
tes —são a, c, e, m, n, o, r, s, u ,v ,w e x Essas letras, que são normal­
mente formuladas sem laços ascendentes ou descendentes, demons­
tram as reações e atitudes do escritor em relação às questões munda­
nas do dia-a-dia, relacionamentos, meio e seus padrões gerais de com­
portamento.
A zona inferior significa os desejos mais instintivos da pessoa: dis­
posição sexual e biológica, interesse por esportes, possessividade e
materialismo. As letrasg,/, p , q , y e z caem nessa categoria.Também,

47
apesar de incluído na zona superior, a letra /e n tra na zona inferior,
sendo, portanto, referida nesse contexto.

A zona superior
As letras da zona superior indicam em que extensão um escritor
persegue suas ambições, sonhos e ideais. Elas mostram o quanto ele
reflete, se possui ou não uma imaginação vívida, o quão idealísticos
ou ambiciosos são seus objetivos.
Uma escrita que enfatiza essa esfera superior, em detrimento das
zonas central e inferior, significa que à pessoa em questão pode faltar
praticabilidade em seu modo de se dirigir e na atitude em relação à
vida.
Quando os laços da zona superior —os ascendentes —são executa­
dos de uma maneira mais ou menos convencional {Figura 52), isso
indica que os desejos, objetivos e ambições, esperanças e vontades do
escritor são os normais. Não há ênfase particular colocada no lado
mais ideológico de sua natureza; suas ambições e ideais são de acordo
com as normas aceitas ; seus pontos de vista em geral são sensíveis e
equilibrados. Tal escritor é, de fato, um realista.

Figura 52.

Se, entretanto, esses laços superiores forem mais acentuados que


os das letras da zona central, significa que a personalidade é quase
inteiramente preocupada com a busca intelectual. Essas pessoas são
idealistas, sonhadoras; a elas falta praticabilidade e às vezes se tor­
nam tão fora da realidade que elas são vaidosas, orgulhosas e super­
sensíveis à crítica. Apesar disso, esses são os indivíduos criativos e
imaginativos; os visionários que podem inspirar outras pessoas com
seus sonhos e ambições.

Figura 53.

48
Quando esses laços são pequenos, revela que a luta do indivíduo
na perseguição ambiciosa e intelectual é menor do que a média. Tais
pessoas podem tender a mostrar falta de equilíbrio em questões
mundanas, do dia-a-dia; um senso de proporção parece estar ausente
de seu caráter. Apesar do fato de essas pessoas poderem apresentar
boas idéias e serem mentalmente alertas, elas são algumas vezes inca­
pazes de aplicar suas idéias na prática por causa de uma falta de aten­
ção aos detalhes.

-, pcxT K

."o

Figura 54.

Algumas vezes vê-se uma amostra de letra em que os ascendentes


são tão pequenos que são virtualmente inexistentes. Tal formação
é indicativa de uma personalidade que é tão cautelosa em sua atitude
mental que ela reluta em permitir à sua imaginação qualquer liber­
dade de expressão. Ela tenderá a concentrar seus esforços em ques­
tões mais cotidianas, faltando-lhes a habilidade de trocar idéias com
as outras pessoas.
ThL chuth to joofe abcv?- th- .
Figura 55.

Extensões superiores que são compreendidas de laços muito


estreitos ou linhas retas usualmente se referem a uma falta de pensa­
mento criativo. Esses indivíduos não são imaginativos ou idealistas;
eles são basicamente lógicos e metódicos. Tais escritores são freqüen­
temente bons planejadores, capazes de planejar os detalhes de um
esquema de forma que ele possa ser implementado na prática. Racio­
nais e realistas, essas pessoas usualmente exibem julgamento bom e
sólido.
A zona central
Quando as letras da zona central de uma escrita são acentuadas,
indica um desejo do esöritor de impressionar outras pessoas. Tais
pessoas querem ser notadas, ser o centro das atenções e algumas
vezes se tomam imperiosas para adquirirem o que desejam.
Essas características são particularmente enfatizadas quando a
escrita da zona central domina as outras duas zonas. Essas pessoas
tendem a viver para o presente; elas são sociáveis e gostam de compa­
nhia — e atenção —dos outros. Conttído, elas não são materialistas
em demasia; são basicamente desinteressadas de ganharem ou rete­
rem dinheiro e estão mais interessadas em impressionar outras pes­
soas com a força de sua personalidade que com suas possessões.

a sfaerr o ftr h tViAnk~y(


i ^rv fhe ImUjaifó ytfM jtn l' ji
y n 4 v Iw J v u . T h /d c m j-

v t w í Uw k i 4 / 0 I nsui
Figura 57.

Quando as letras da zona central sobrepujam as letras da zona


inferior, isso significa que a personalidade da pessoa é algo superfi­
cial. Tais escritores não são particularmente influenciados pelo lado
mais instintivo de sua natureza. Sua auto-expressão é, entretanto,
marcante, e essas pessoas são autoconfiantes, capazes e ativamente
ambiciosas no sentido puramente prático. Socialmente, elas apresen­
tam uma imagem agradável e simpática e são boas companhias.

h A d /L íx - z v / C Á .# -*

y Am tu d ' CLc# ü J-
•L te e ( s ' J A jc ^ í co e C .cu v c w rc u ^

,-fO-V 0 L u ^ e .r - y / iS i f .i '

Figura 58.

50
Escrita da zona central que parece distintamente mínima em com­
paração com a das outras zonas, denota uma personalidade prática e
terra-a-terra. Esses indivíduos possuem abundante bom-senso, boa
resistência física e, freqüentemente, viva habilidade para os negócios.
Entretanto, eles podem sentir uma certa insatisfação com sua carrei­
ra atual, vida social ou sexual e estão ativamente procurando novos
campos para conquistar; geralmente com resultados bem-sucedidos.

Figura 59.

A zona inferior
Ênfase na zona inferior denota um caráter basicamente terra-a-
terra. Essas pessoas geralmente acumulam realizações materiais ou
possessões, mas são perfeitamente preparadas para trabalhar duro
a fim de conquistar suas ambições. Quanto maiores forem esses laços
inferiores, provavelmente maiores serão os apetites básicos do escri­
tor. Tais indivíduos estão predominantemente interessados em ativi­
dades físicas ou externas. Seu apetite sexual é forte; e eles tendem
a ser bastante materialistas.

xrujLúC Jb& U 'ú

Figura 60.

Às vezes vê-se uma letra onde os laços inferiores são tão compri­
dos que eles se tomam emaranhados com a escrita da linha de baixo.
Isso indica uma falta de ordem e julgamento na feitura básica da
personalidade. Essas pessoas usualmente apresentam falta de habili­
dade de pensar lógica e metodicamente e são inclinadas a serem algo
desorganizadas em suas vidas diárias, tendendo a confundir tudo.
Freqüentemente sendo do tipo esportivo e preferindo a vida ao ar
livre, esses escritores concentram seus esforços em passatempos mais
naturais.

Figura 61.

Uma atitude briguenta é revelada quando os laços inferiores são


formados com bases largas, particularmente se essas bases são um
tanto angulares na aparência. E, quanto mais longos esses laços,
maior a tendência do escritor para exagerar. Tais indivíduos são
impulsivos, freqüentemente irrefletidos e presunçosos. Eles tendem
a se oporem a qualquer coisa nova, usualmente sem darem à questão
qualquer consideração prévia: quase como uma questão de princípio.

Figura 62.

Formações incomuns de laços inferiores freqüentemente signifi­


cam excentricidade, particularmente no que diz respeito a assuntos
sexuais. Tais laços podem se referir a repressão sexual ou atitudes e
desejos físicos incomuns. Se essas formações aparecem freqüente­
mente em uma amostra de letra, isso é supostamente indicativo de
um amante apaixonado incomum.

Figura 63.

52
U m a falta de laços, ou lin h a s sim p les e re ta s n a zo n a inferior, revela bom
ju lg a m e n to e u m a econom ia de expressão. Os tra ç o s m o d erad o s d e n o ta m u m c a rá te r
lacônico e ligeiram ente tac itu rn o ; m as, freq u en tem en te, tal p e sso a tem tam b ém u m a
m a rc a n te h ab ilid ad e m u sica l ou m atem ática.

O u tra s in d ic a ç õ e s

C u rio sam en te, m a s com frequência, foi n o tad o que tra ç o s inferiores ou ex ten sõ es
su p e rio re s que parecem q u e b ra d o s ou não p erfeitam en te form ados referem -se a
m em b ro s q u e b ra d o s ou deform ados. O casionalm ente esse tipo de traço incom pleto
so m en te s e rá produzido d u ra n te u m a d o e n ça te m p o rá ria envolvendo a p e rd a do u so de
u m m em bro; q u a se com o se e s s a s ex ten sõ es de e sc rita refletem o estad o d a s p ró p rias
ex ten sõ es d a p essoa.

A lgum as vezes u m escrito r fa rá s e u s a sc e n d e n te s e d e sc e n d e n te s de tal m a n e ira


que p a re ç a h av er laços d en tro de laços. E sta form atação b a s ta n te o rn a m e n ta d a d e n o ta
p e rsistê n c ia ten a z chegando ao ponto d a com pulsão. E s s a s p e sso a s c o n tin u a rã o a
a c o m p a n h a r q u e stõ e s a té bem depois que não for m ais necessário; elas são, de fato,
p e rs iste n te s p o r n a tu re z a .

Figura 66.

53
Em termos gerais, um laço pode ser descrito como uma avenida
de emoções e ele oferece um indício da maneira pela qual um escri­
tor irá expressar sua individualidade interna para as outras pessoas.
Quanto mais largo for o laço, por exemplo, mais expansivo e exterior
é a personalidade do indivíduo em questão. Um artista, por exemplo,
freqüentemente produz laços superiores e inferiores largos, expres­
sando, assim, sua sensibilidade.

54
Letras maiúsculas

As letras maiúsculas podem ser pontos reveladores na análise das


características da personalidade. Esses exemplos de letras maiores
significam a força básica e a natureza do ego do indivíduo. Se claras
e simples, elaboradas e ornamentadas, grandes ou pequenas em rela­
ção ao restante da escrita, elas proporcionam um guia de autocon­
fiança do escritor e de sua atitude em relação à autoridade.

Tamanho
Em termos gerais, maior a letra maiúscula, maior será, provavel­
mente, o amor-próprio da pessoa que assim escreve. Inversamente,
letras maiúsculas pequenas indicam modéstia e até humildade.
Por exemplo, uma letra maiúscula alta mas estreita significa que,
apesar do fato de a pessoa exibir certo grau de timidez em relação
aos outros, ela possuirá auto-segurança. Tal formação, entretanto,
ilustra a dualidade de natureza do escritor: sua confiança e amor-
próprio interiores e a imagem que eles desejam apresentar para o
mundo exterior.

iL w c
fe h r
Figura 67. ^

Uma letra maiúscula larga que destoa do restante da escrita revela


uma natureza expansiva. Essas pessoas são muito confiantes e ten­
dem a impor suas opiniões sobre as outras pessoas. Se esse tipo de
letra maiúscula for também bastante ornamentada, essas caracterís­
ticas serão enfatizadas. Em tal caso, o escritor será provavelmente
um pouco vaidoso e “atrevido” , talvez até o ponto da vulgaridade.

^ L m t í? a Á
Figura 68.

Letras maiúsculas pequenas ou baixas denotam uma personali­


dade basicamente modesta, descomplicada. Tais pessoas são usual­
mente convencionais, reservadas e ligeiramente antiquadas em suas

55
idéias. Naturalmente modestas, essas pessoas às vezes experimentam
dificuldades em se expressarem; mas essa falta de auto-agressividade
será verificada por outras indicações na letra.

Figura 69.

Letras maiúsculas muito pequenas — aquelas que são do mesmo


tamanho das letras do restante da escrita ou até menores —indicam
um caráter retraído, não pretensioso e não desejoso de impor suas
idéias. Usualmente, esses exemplos de letras maiúsculas muito peque­
nas são também formados de uma maneira muito simples, sem ador­
no, significando que ao escritor falta autoconfiança e ele tende a
subestimar suas próprias habilidades e valor.
\2 jü CÍVWU/
uOcvAcÀ UYlv_ -tc. C < bC f cX O v/uft
Figura 70.

Ornamentação
Em geral, quanto mais ornamentada a letra maiúscula, mais extra­
vagante é a personalidade do escritor; e maior será sua necessidade de
afirmar sua personalidade e impressionar as outras pessoas.
Por exemplo, todas as letras maiúsculas com um traço extra vindo
da esquerda indica um sentido adicional de importância no conceito
do escritor sobre si mesmo. Esses traços podem ser considerados
como suportes para o escritor, como o são também todas as formas
de exagero em uma letra. Quando tal traço adicional se origina na
zona central ou na zona inferior, significa vaidade ou orgulho físico.

/
56
* Uma letra maiúscula que é ornamentada por um traço extra vindo
da zona superior denota vaidade intelectual. Tais pessoas possuem
alto conceito sobre si mesmas: elas não somente pensam que são
superiores aos outros, elas “sabem” que são. Usualmente intratáveis,
} esses indivíduos são raramente influenciados por idéias ou modos de
outras pessoas por causa da autoconsideração por si próprios e por
suas habilidades.

Figura 72.

Um laço exagerado à esquerda de uma letra maiúscula revela


egoísmo e sensualidade. Quando tal traço é também ornamentado,
essas características são enfatizadas, às vezes até o extremo da vora­
cidade, egotismo e, em alguns casos, tendências homossexuais. Deve
ser lembrado, entretanto, que outras indicações na escrita podem
negar ou aliviar essas tendências extremas.

ÍÔ u u J C .
Figura 73.

Outras formações
Algumas vezes um escritor exagerará a parte de cima de sua letra
maiúscula de tal modo que ela circundará o restante da palavra. Essa
formação significa autodramatização e certa tendência para patro­
cinar outras pessoas em virtude de seus instintos autoprotetores.
Tais escritores podem, portanto, exibir uma certa dose de insinceri­
dade e provar serem pouco dignos de confiança.

Figura 74.

57
A formação inversa daquela acima mencionada — onde a parte
inferior da letra maiúscula é usada para sublinhar o restante da pala­
vra - enfatiza a vaidade e auto-aprovação do escritor. Novamente,
ele está tentando chamar a atenção das outras pessoas para o Ego —
o Eu —e esse desejo inconsciente é refletido no modo pelo qual essas
letras maiúsculas acentuam as palavras escritas.

Figura 75.

Uma letra maiúscula que começa na zona inferior — abaixo da


linha estabelecida de escrita — e segue até a zona superior, indica
uma natureza agressiva e muito exigente. Essas pessoas são muito
confiantes e determinadas a estabelecer suas opiniões e métodos nos
outros por causa de seu sentido inato de que seus meios são os cor­
retos.

Figura 76.

Ocasionalmente, encontra-se uma escrita onde a letra maiúscula


aparece no lugar errado : no meio de uma sentença ou até mesmo no
meio de uma palavra. Essas letras mal colocadas indicam o estado
intranqüilo do escritor ao tempo da escrita. —Ele não está pensando
claramente —e usualmente se refere a problema temporário ou um
aborrecimento emocional que esteja perturbando os poderes de con­
centração da pessoa.

- ÁC t-v J ,^- x u c ^

* /• /Vx

Figura 77.

58
Pressão e velocidade:
Indicadores de saúde e humor

A principal vantagem de se colher amostras da letra de uma pes­


soa durante um período de temp® é que elas mostrarão variações de
humor e flutuações no seu estado geral. Se somente uma amostra
estiver disponível para análise, a tarefa do grafologista será muito
mais difícil: certas dificuldades se evidenciarão, certamente, mas
avaliações mais positivas não serão praticáveis ou aconselháveis.
Entretanto, períodos de tensão, momentos despreocupados,
saúde física e transformações emocionais terão alguma influência na
maneira pela qual um indivíduo formula sua escrita. Por exemplo, a
pressão e a velocidade de uma amostra fornecerão indícios do humor
e da saúde do escritor ao tempo da escrita.

Pressão
Os grafologistas medem a intensidade do humor, da vitalidade e
da determinação de uma pessoa pela quantidade de pressão que ela
exerce em sua letra. Entretanto, poucas pessoas percebem justa­
mente o quão pesada ou levemente elas movem suas canetas através
de uma página —isso é quase sempre uma ação puramente subcons­
ciente.
Uma caneta-tinteiro ou uma com ponta de feltro revelarão a
quantidade de pressão usada pelo modo como os traços são distri­
buídos, às vezes criando uma imagem confusa, ou indistinta. Entre­
tanto, nesse tempo de canetas esferográficas, a pressão é mais fre­
qüentemente sentida que vista.
Pressão pesada refere-se a libido forte, persistência e resistência à
exaustão. Força emocional e entusiasmo são outros fatores positivos
denotados por uma escrita fortemente pressionada, particularmente
se acompanhada de velocidade no escrever. Tal letra irá, então, trans­
mitir a impressão de se ter originado de um indivíduo equilibrado,
fisicamente são e confiante.
Entretanto, se tal pressão forte for observada em uma letra execu­
tada lentamente, isso significa que as energias do escritor estão cana­
lizadas de modo doentio e podem indicar uma personalidade depri­
mida ou frustrada. Essas características são enfatizadas quando tal
pressão aparece intermitentemente por toda a amostra da letra.
Pressão intermitente se refere a um complexo de inferioridade e

59
autodireção incontrolada e pouco segura. Tal pressão irregular fre­
qüentemente reflete uma personalidade caprichosa; alguém cujos
conflitos internos e tensões combinadas com instabilidade emocional
resultam em sentimentos de insegurança e reações inconsistentes.
Velocidade
Ambas, velocidade e pressão, são evidentes quando o escritor está
seguindo uma idéia, enquanto que a escrita será executada numa
velocidade menor, assim que seus pensamentos diminuam ou quando
ele encontra uma passagem difícil. Este é um fator importante que
deve ser levado em consideração, particularmente quando se está
avaliando as qualidades de um candidato a um emprego.
A velocidade é, portanto, uma indicação de uma mente alerta, e
pessoas que pensam devagar raramente produzem uma escrita rápida.
Aqueles que possuem mentes rápidas, vivas, penetrantes, escrevem
rapidamente e seu modo espontâneo é usualmente indicado por uma
escrita com inclinação para a frente com as barras dos t e os pingos
dos i à direita.
Apesar de que a margem direita de uma escrita executada com
rapidez possa ser completamente irregular, uma margem esquerda
que aumenta em direção do final da página é uma boa indicação de
velocidade. Outro indicador menor é a posição dos pontos finais: à
medida que aumenta a velocidade da escrita, esses pontos se tomam
mais e mais distantes, para a direita —tomando-se separados do res­
tante da sentença.
Uma escrita executada vagarosamente — com os pingos dos i
cuidadosamente colocados a baixa pressão — denota uma personali­
dade emocionalmente controlada. Tais pessoas não são usualmente
inclinadas a caprichos e tendem a apresentar para as outras pessoas
uma imagem consistente, apesar de talvez ligeiramente reservadas,
particularmente se a escrita for mais ou menos vertical.
Uma escrita vagarosa e com fraca pressão não se refere necessaria­
mente a saúde fraca, mas pode significar um delicado estado da
mente ou do corpo ao tempo da escrita. Isso é especialmente verda­
deiro se o escritor estiver se sentindo ligeiramente hesitante, seja
mental ou fisicamente, naquela época.
Basicamente, uma letra que é executada de modo constante
denota continuidade de pensamento e auto-expressão adequada.
Esses indivíduos são capazes de transmitir suas idéias para os outros
de uma maneira direta e confiante, e se sua escrita for também de
pressão igualmente distribuída, sua auto-segurança será sólida.
Saúde e humor
Velocidade e pressão combinadas transmitirão, portanto, o estado

60
físico e emocional da pessoa ao tempo da escrita. E, sem contar
quaisquer indicações menores de cansaço ou má saúde temporária,
pressão firme e velocidade constante refletem uma mente alerta e
sadia em um corpo fisicamente ativo.
Má saúde física é, entretanto, freqüentemente revelada pela angu­
laridade de uma escrita. Tal escrita parece pontuda e pode ser tam­
bém executada de modo fraco e hesitante. Quando uma escrita é tão
desalinhada que parece ir para todas as direções ao mesmo tempo,
é isso uma indicação de tensão emocional ou pressão mental. Certas
formas de incapacidade são às vezes mostradas por laços quebrados
na zona superior ou na zona inferior: um braço quebrado pode ser
revelado por laços malformados ou quebrados na zona superior, ou
um membro inferior quebrado ou fraturado pode ser refletido em
laços quebrados ou pobremente executados na zona inferior.
O humor do momento pode ser revelado pela aparência côncava
ou convexa da linha de base —uma linha imaginária onde a escrita é
colocada. Apesar de todo o esforço empregado para escrever em uma
linha reta, esta é, de fato, uma tarefa extremamente difícil. Então,
quando tal escrita nivelada aparece, isso denota uma forte deter­
minação e livre-arbítrio. Esses indivíduos controlarão suas emoções
com sucesso através da aplicação da razão e da lógica; eles são prova­
velmente de temperamento equilibrado e confiáveis.
De maneira inversa, uma aparência ondulada das linhas da escrita
significa falta de equilíbrio emocional. Tais personalidades são facil­
mente distraídas e sua escrita freqüentemente ondula, apesar do uso
de papel pautado. Apesar de essas pessoas poderem ser bem mais
interessantes que as pessoas mais resolutas, elas são provavelmente
menos confiáveis e tendem ao mau humor.
Linhas de escrita muito desalinhadas associadas a palavras e letras
desiguais denota imprognosticabilidade e não-conformidade. Outros
fatores na escrita indicarão o grau de intensidade dessas caracterís­
ticas mas, basicamente, essas são aquele tipo de pessoa que estão
sujeitas a extremos de humor. Elas são indignas de confiança, fre­
qüentemente não-convencionais e pode ser impossível seguir suas
idéias, ambições, ações e reações.

61
Letras reveladoras

O estudo da letra pode ser uma operação muito complexa e onde


isso é mais vividamente ilustrado é pelas numerosas maneiras dife­
rentes de formação das letras a, o , i e t. Cada variação dessas quatro
letras descobriu-se estar ligada a uma característica específica, e elas
merecem, portanto, ser examinadas mais detalhadamente.
Obviamente, cada um de nós escreve em um estilo diferente e
toda escrita é, portanto, completamente individual. No entanto, um
estudo dessas letras particulares provará ser de grande ajuda na
análise das características da personalidade de um indivíduo. Deve-
se, entretanto, ter sempre em mente que as outras indicações da
escrita devem ser levadas também em consideração para que se faça
uma interpretação completa.

(1) AS LETRAS “a” E “o”


As letras a e o são conhecidas como letras “fechadas” e demons­
tram o grau de abertura na personalidade, como o fazem as seções
da zona central das letras d e g. Em uma ocasião ou outra entra­
mos em contato com pessoas que podem ser consideradas possui­
doras de naturezas abertas ou fechadas e um estudo desses exemplos
menores de letras particulares oferecerá um indício para a avaliação
das características dominantes.
Certamente, há ocasiões em que nós mesmos somos mais francos
e comunicativos com nossos amigos e colegas que em outras. Às
vezes, exercemos maior discrição e guardamos algumas informações
para nós, e nos tomamos um pouco misteriosos e defensivos. A
extensão em que exibimos essas tendências é revelada pela maneira
como formamos as letras a e o; e, em maior extensão, as letras d eg.

Formações fechadas
Essas letras, quando escritas com a parte de cima fechada, deno­
tam uma personalidade bastante cautelosa. Tais escritores não são de
maneira alguma enganadores, mas simplesmente muito reservados em
sua atitude geral. Eles possuem certa tendência para conservar seu
próprio conselho até que estejam completamente seguros de seus

63
fundamentos e não são inclinados a revelar detalhes pessoais ou
discutir questões de negócios que eles não conheçam muito bem.
ojoçoxj

s\ Ca- C
Figura 78.

Algumas vezes o traço final da letra a e da letra o se curva de tal


maneira que ele circunda essas letras completamente. Essa formação
significa uma natureza supercautelosa, particularmente ao nível
íntimo. Esses indivíduos podem se comunicar bem em questões
impessoais, mas, por causa de seus sentimentos internos de insegu­
rança, eles tendem a se fecharem ao relacionamento ou compromis­
sos pessoais.

Figura 79.

Um exemplo mais extremo dessa formação cercada é quando a


parte de cima das letras parece estar selada com um pequeno laço ou
nó. Tais pessoas são muito autocontidas e reservadas; preferem con­
servar-se para si mesmas; e tendem a fugir de propostas amigáveis.
Sua auto-expressão é usualmente um tanto limitada e elas podem
experimentar dificuldade em reagir às outras pessoas.

V Ò 7? y / q y v 'f d / Z '
Figura 80.

Formação mista
É bastante comum encontrar-se ambas as formações, abertas e
fechadas, na mesma escrita, e isso é simplesmente uma questão de
se exercer o senso comum quando se está analisando uma amostra de
letra. Obviamente, há ocasiões em que é mais proveitoso ser aberto
e franco em nossos negócios; igualmente, há ocasiões em que é neces­
sário usar de uma certa discrição.
A discrição é claramente indicada por uma escrita que inclua
ambas as formações, abertas e fechadas, dessas letras reveladoras.

64 V
Entretanto, um estudo cuidadoso da escrita será necessário para
determinar se a pessoa está sendo franca ou cautelosa nos tempos
certos e pelas razões corretas.

& A U U sí U a < l

c W vsjO-
Figura 81.

Formações abertas
Uma escrita onde a parte superior dessas letras for predominante­
mente aberta, mostra uma personalidade geralmente franca e aberta.
Tais pessoas são fáceis de se darem bem com as outras; elas se comu­
nicam bem e são pessoas basicamente não-complicadas. Diretos e
honestos em sua maneira de abordar as outras pessoas, esses indiví­
duos fazem amigos facilmente e se adaptam bem a muitos meios em
virtude de sua maneira aberta e amigável.

;
i. r ? c j : /~ r /

Figura 82.

Formações abertas na linha de base denotam uma natureza ligeira­


mente hipócrita. Pode ser considerado imprudente confiar-se com­
pletamente em tais escritores para todas as questões, porque eles
podem estar tentando disfarçar seus motivos reais pela apresentação
de uma imagem um tanto falsa.

Tal falta de confiabilidade é acentuada se o a e o o forem forma­


dos com uma abertura à esquerda da letra. Semelhante a um ego-

65
tista, esse tipo de pessoa tenderá para a avidez e egoísmo; certamen­
te colocará suas necessidades antes das dos outros e, como resultado,
pode provar ser indigno de confiança.

L
Figura 84.

Quando as seções da zona central do d e g são deixadas abertas,


ou essas letras parecerem ter sido escritas em duas partes distintas,
isso significa um grau de loquacidade. Se tal formação aberta da
letra g for combinada com um laço inferior longo, essa tendência
será acentuada até o ponto da tagarelice; essas pessoas são simples­
mente incapazes de guardarem qualquer coisa para si! Igualmente
falador é o indivíduo que faz um d aberto com um laço superior
comprido; mas ele provavelmente terá a habilidade de entrar nas
situações, bem como sair-se bem delas.

Outras formações
Sendo abertas ou fechadas, quando essas letras reveladoras —a, o,
d e g — são muito estreitas, isso significa mistério. Muito ocasional­
mente vê-se uma escrita onde essas letras são formadas de modo tão
apertado que as configurações circulares se tomam preenchidas —
quase parecidas com borrões de tinta — e isso indica uma natureza
basicamente sensual.

(2) AS LETRAS “I” E “í”


O I maiúsculo é a configuração onde procuramos por sinais da
imagem do ego: a projeção da individualidade. Certamente seu com­
plementar minúsculo pode ser igualmente revelador. Confiança, equi­
líbrio e segurança podem ser detetados pela forma e pelo pingo dessa
letra. Outras características a considerar em adição às já mencionadas
são precisão, auto-importância e competência mental.
Obviamente, não seria praticável ilustrar todas as diferentes for­
mações dessa letra na medida em que ela reflete a individualidade
do escritor em tão alto grau. Entretanto, as formações abaixo rela­
cionadas são as mais comumente encontradas em uma escrita e
fornecerão alguma orientação para o aluno.

66
A letra maiúscula “I” (chave para exemplos de letras: Figura 85)
(a) Linhas horizontais no alto e embaixo —como o numerai roma­
no I: pensamento construtivamente claro; usualmente disposto;
possível aptidão para mecânica ou engenharia.
(b) Um traço vertical reto, simples e único: maturidade;concisão;
dedicação ao essencial.
(c) Laço superior mais inteiramente formado que o inferior;
auto-importância intelectual.
(d) Laço inferior mais inteiramente formado que o superior;
auto-importância física.
(e) Laço superior retraçado : timidez; não gosta de falar de si ou de
chamar a atenção sobre sua pessoa.
(f) Tamanho exagerado (independência de formação): ego exage­
rado; excessivamente seguro de si.
(g) Pequeno, do mesmo tamanho do restante da escrita: má
opinião sobre si mesmo.
(h) Arco à esquerda na base da letra: evita responsabilidades.
(i) Começando do lado direito: senso de humor; disposição aberta
e amigável.

(a) X (0
;
(b) 1 (g) 9
(c) JL (h)

(<i)
y (i)
?
/
(e)
j

Figura 85.

O “i” minúsculo (chave para exemplos de letras: Figura 86)


(j) Pingo exato : precisão ; exatidão ; moderação.
(k) Pingo omitido : preguiça ; fraqueza ou negligência.
(1) Pingo colocado à esquerda: prudência; procrastinação; intro­
versão.
(m) Pingo colocado à direita: entusiasmo; pensamento rápido;
extroversão.
(n) Pingo semicircular à esquerda: ultra-sensibilídade; introspec­
ção.

67
(o) Pingo semicircular à direita: observação; percepção.
(p) Pingo circular : excentricidade ; individualismo ; um pouco irrea­
lista; caprichoso.
(q) Pingo em forma de V invertido: natureza fortemente crítica
tanto para consigo próprio como para com os outros.
(r) Pingo em forma de V : materialista ; sarcástico.
(s) Pingo colocado bem ao alto: imaginativo; idealista; irrealista,
(t) Pingo colocado bem baixo: aptidão para trabalhos precisos e
altamente detalhados.
(u) Pingo ligado à letra em qualquer dos lados: inteligência; men­
talidade astuta.
/ 0
(i) c (p) C
A
(k) 1 (q) C
V
0) 'c (r) L
*

(m)
i
/
(s) O
t i

(n) L (t) V
*
(o) c (u)

Figura 86.

Inclinação da letra
Quando o / se inclina na direção oposta da do restante da escrita,
isso significa um grau de egoísmo ou autocentrismo na natureza.
Isso é particularmente enfatizado quando o / se inclina para a direita
em uma escrita inclinada para trás, indicando sempre uma atitude de
“eu primeiro” . Entretanto, quando o I se inclina para a esquerda e
a escrita para a direita, esse autocentrismo é mais introspectivo;
essas pessoas tendem à controversão e à autocrítica.

(3) A LETRA “T”


Há provavelmente mais variações da letra T e em sua complemen­
tar minúscula que em qualquer outra letra do alfabeto. A maneira
pela qual essa letra é formada indicará as pressões emocionais ao

68
tempo da escrita, e também a força do poder da vontade, gosto,
saúde e ambições.
A barra que corta o t — bastante semelhante ao i e seu pingo —
tem uma formação livre: não há uma maneira preestabelecida de
formá-lo. Por essa razão, talvez, ela dá ao escritor uma oportunidade
breve de expressar sua individualidade, ainda que subconsciente­
mente.
A haste dessa letra identifica o grau de idealismo; a altura da barra
denota o nível de ambição do escritor; e seu comprimento se refere à
quantidade de autocontrole na personalidade.
Como com a letra /, há variações possíveis demais para que
possam todas ser numeradas aqui, mas a seleção seguinte contém
as configurações mais comumente encontradas.

O “T” maiúsculo (chave para exemplos de letras: Figura 87)


(a) Barra horizontal longa: defensor das boas maneiras; instintos
autoprotetores.
(b) Laço na barra: tendência para a crítica; sensibilidade; astúcia.
(c) Formação espalhafatosa ou ornamentada: gosto artístico
pobre.
(d) Curva tendendo para a esquerda na base: tendência para viver
no passado em detrimento do presente.

(a) (C)

(b) */ (d) 7
Figura 87.

O “t” minúsculo (chave para amostras de letras: Figura 88)


(e) Barra curta: falta de autocontrole; não gosta de disciplinas
impostas.
(f) Ausência de barra: distorção ; preocupação ou negligência.
(g) Barra curvada: autocontrole; moderação; possivelmente um
pouco inibido.
(h) Barra com gancho à esquerda: natureza aquisitiva; materia­
lismo.
(i) Barra com gancho à direita : tenacidade ; resolução.
(j) Barra ascendente: otimismo; agressão; um grau de ambição.

69
(k) Barra descendente : determinação ; caprichoso ou sombrio.
(1) Barra alta : gosta de mandar ; fortemente ambicioso.
(m) Barra em arco vindo da base da haste: natureza enganadora;
um oportunista.
(n) Barra à direita: pensamento rápido ; mentalmente astuto.
(o) Barra à esquerda: natureza cautelosa; procrastinação.
(p) Barra ondulada: senso de humor; personalidade amante da
diversão.
(q) Formação simples em “x” : visão para pequenos detalhes; ten­
dência a não se preocupar muito com grandes despesas.
(r) Formação em estrela: responsabilidade; integridade; senso
comum.
(s) Estrela com um laço: persistência; tenacidade; materialmente
possessivo.
(t) Barra longa ligando duas letras ou palavras: agilidade mental;
boa habilidade prática de planejamento.
(u) Cortado por trás: inveja; egotismo; autopiedade.
(v) Haste dobrada ou separada: preguiça; pensamentos ou ações
vagarosos.
(w) Haste com laço: loquacidade; sensibilidade; vaidade; precon­
ceito ; tendências não-conformistas.
(x) Haste longa : idealismo ; dotado intelectualmente.
(y) Haste curta: timidez; natureza conservadora e convencional.

(e) t o) z (s)

(f) í (m)
r (t) Uvjt
(g) t
(n) (r (u) *

(h) (o) i (V)

(P)
(i) £ (w)
&
(j) (q) a (X)
í
00 (r)
* (y) t,
Figura 88.

70
Variedade de formação
Algumas vezes um escritor fará várias formações diferentes do t
na mesma escrita. Apesar de tal variedade indicar versatilidade, isso
também significa uma certa inconsciência de autocontrole e força de
vontade. Não é difícil que apareçam cinco ou seis versões diferentes
e, desde que elas sejam avaliadas em relação ao restante da escrita,
tratar-se-á, basicamente, de uma questão de se exercer o bom senso
quando da análise.

71
Primeira e última letras

A primeira e a última letra de uma palavra escrita fornecerão


indícios do grau de confiança ou agressividade na personalidade; elas
mostrarão se o escritor é basicamente tímido ou impulsivo. Elas tam­
bém podem indicar se a pessoa possui um forte senso de responsa­
bilidade ou se tende para confundir as situações. Os traços iniciais e
finais possuem, portanto, uma importância especial na avaliação dos
padrões comportamentais básicos nos relacionamentos do indivíduo.

Traços iniciais
Os vários traços introdutórios de uma palavra, sentença ou pará­
grafo denotam o quão rapidamente —se tanto — o escritor se ajus­
tará a situações novas ou reagirá a novos relacionamentos, em seu
círculo social e em seu meio de trabalho. As iniciais podem ser do
mesmo tamanho, maiores ou menores que o restante da escrita;
elas podem ser sem enfeites ou adornadas; o escritor poderá até
enfeitá-la com floreios adicionais ou sublinhá-las. Mas, como quer
que sejam executadas, elas fornecerão alguma indicação da feitura
do caráter do escritor.
Um traço adicional no começo de uma letra inicial denota uma
personalidade que tem uma preocupação com detalhes. Tais pessoas
são em geral moderadamente autoconfiantes em suas atitudes e em
seu modo de abordar os outros.

w ? .jfy a îc iZ
Figura 89.

Essas características são, entretanto, exageradas quando o traço


inicial é longo. Esse escritor é provavelmente um pouco exigente,
ligado a detalhes e um indivíduo superconfiante que bem pode mos­
trar certa agressividade.

Figura 90.

73
Quando o traço inicial de uma letra da zona inferior —como o g,
p ou y — faz uma formação em arco para a esquerda, isso significa
um grau de autopreservação. Essas pessoas tendem a evitar responsa­
bilidades sempre que possível.

U
Figura 91.

Se, entretanto, o laço inferior de tal letra for aumentado até a


forma de um triângulo grande ou tem uma aparência angular, esse é
um sinal de vaidade. Esse tipo de pessoa vai querer sempre tudo colo­
cado em bases profundamente materialistas.

Figura 92.
Um laço superior que pareça grande em proporção ao restante da
letra inicial significa que o escritor é um sonhador, um idealista,
talvez até um pouco confuso: o tipo de pessoa que tende a entrar em
uma situação sem ter idéia precisa de como lidar com seu objetivo
desejado.

Figura 93.

Quando a primeira parte de uma letra, assim como o Aí, se levanta,


isso usualmente se refere a falta de confiança. Essas pessoas tendem a
sofrer de um complexo de inferioridade em um grau maior ou menor
e necessitam de constantes provas de confiança e encorajamento para
fazer frente à sua insegurança interna.

Figura 94.

74
Um traço inicial descendente com tal letra denota, ao contrário,
orgulho e arrogância. Usualmente, aqueles que executam seus traços
iniciais desse modo possuem pouca consideração pelos pensamentos,
sentimentos ou ações das outras pessoas, tendendo a colocar suas
próprias necessidades e desejos em primeiro lugar.

Figura 95.

Às vezes o começo de uma letra é separado em duas partes distin­


tas, significando um desejo de ser diferente dos demais. Esses indiví­
duos são independentes; tendem a ser algo singulares em seus pensa­
mentos e ações; e são freqüentemente bastante prudentes em seus
negócios.

Figura 96.

Letra inicial ornamentada pode revelar uma certa dose de arrogân­


cia ou vulgaridade no temperamento. Ornamentação na zona supe­
rior denota imprudência; enquanto uma letra da zona inferior enfa­
tizada dessa forma se refere a uma grosseria que pode, se acentuada,
tomar-se inaceitável para os outros.

Figura 97.

Letras introdutórias altas ou finas significam uma personalidade


basicamente tímida. Timidez física está implicada se tal formação
aparece na zona inferior; quando na zona superior, ela se refere
ao tipo de pessoa que tem freqüentemente boas idéias, mas falta-

75
lhes suficiente coragem para apresentá-las aos outros ou para imple­
mentá-las.

**u o f o
vnq c lm ^m a ^ c / c iíiv c ,
y», ' /» ■ /
rr< ir (M O Cl fc 'n c j U lj

Figura 98.

Uma mente rápida e penetrante é indicada quando a letra inicial


não possui nenhum traço adicional. Freqüentemente tais pessoas são
naturalmente impulsivas e inclinadas a praticarem ações sem consi­
deração para com as conseqüências futuras.

VÃÍOaÁCI tefe fc/W>cA V tj VA.

M < yi. cJLrlí^

Figura 99.

Traços finais
A última letra de uma palavra é usualmente um bom indicador do
nível de atenção empregado ao tempo da escrita. Isso é particular­
mente evidente com palavras que finalizem sentenças, linhas, pará­
grafos e páginas, porque essas áreas são aquelas onde oscilações de
velocidade são mais prováveis de serem aparentes.
Uma escrita clara e equilibrada do começo ao fim de uma amostra
significa um certo nível de competência; habilidade de planejar inte­
ligentemente e capacidade de implementar e manter essa qualidade.
Portanto, irregularidades de velocidade e apresentação capacitarão
o aluno a avaliar os poderes de concentração e controle do escritor.
Quando o equilíbrio de uma escrita é refletido nas letras finais da
escrita sem que se recorra a extensões ou compressões para manter as
margens uniformes, isso mostra que essas qualidades estão presentes.
Tal escritor provavelmente possui um nível adequado de controle e

76
compreensão em todos os seus negócios, e também a habilidade de
transigir, quando necessário.

fisiL JUk*cx/l^ U -ut (4ul Cd y ct

<&JLL M L kA)

c W y U frtv>dU O- *-uuòXo>-

IV itUjUfcíi*^ ibUj

Figura 100.

Se, entretanto, a escrita tiver uma aparência desigual, ou se o fmal


de uma linha necessita ser levantado ou baixado para que caiba a
última palavra, significa o inverso dessas qualidades. A essas pessoas
falta a habilidade de planejar o futuro; seu controle será mínimo;
e fracos os seus poderes de concentração.

itsji, ( jd f£'*'v 6 'v i

I w iK c L slX k ^ & ***


to J p L U L^LXLC K r>

Figura 101.

Se o traço final de uma palavra curva-se para cima, à esquerda,


denota um tipo de personalidade que tende a curvar as regras para
servi-lo. O humor ou as circunstâncias do momento terão prioridade
para esse indivíduo, que bem poderá distorcer a verdade se isso servir
aos seus propósitos àquela época.

O vkcO
'tx r ò
C^VvU. 0Û
Figura 102.

77
Um traço final que se curva firmemente para baixo, sob a palavra,
significa um temperamento quente, e um caráter agressivo. Esses
escritores tendem a perder o controle à menor provocação e tomam
uma atitude de intransigência em suas relações pessoais e em seus
negócios.

A /6 aàU sSUftCtl
o rtM j ájL

Figura 103.

Quando o adorno final de uma palavra se estende horizontal­


mente para a direita, isso significa que o escritor possui uma natureza
generosa. Tais pessoas são usualmente afetuosas, amigáveis, gostam
de sair; elas têm um modo simpático e criam uma impressão agradá­
vel nos outros.

T ,

Figura 104.

Se, entretanto, a última palavra de uma linha mostra tal versão,


mas de maneira exagerada, de modo que o último traço se estende
até a borda da página, isso denota medo ou desconfiança. Esse tipo
de indivíduo pode ir a extremos desnecessários para proteger suas
propriedades e possessões.

*0] nÍW
Figura 105.
Uma maneira bem mais comum de finalizar uma palavra é aquela
em que o traço final curva-se para cima e para a direita —diagonal­
mente vindo da linha-base. Essa formação se refere a um grau de
intolerância no caráter total e, quanto maior a extensão, essa carac­
terística provavelmente será mais pronunciada.

ív w u h */
Figura 106.

Diminuição das últimas letras revela diplomacia e tato. Maturi­


dade é outra característica associada a esses escritores cujas palavras
parecem decrescer em tamanho ao terminarem. Entretanto é neces­
sário cuidado em não confundir esse estilo de formação com outro
no qual a letra final tem uma aparência apertada ou “espremida”.

Figura 107.

A configuração ao contrário — quando a última letra parece


aumentar — indica uma certa ingenuidade na feitura da personali­
dade. Tais pessoas possuem uma simplicidade quase infantil; elas pos­
suem naturalmente caráteres abertos e francos.

f f ije é íy w Q U c ti

fh w s , a t u í i 'j t r t .

C U iW i, 0 M oM m “
Figura 108.

79
Uma ausência completa de traços finais pode se referir a uma falta
de refinamento nos relacionamentos sociais. Esses indivíduos tendem
a ser bruscos e podem ser bastante exigentes, ganhando, assim, a
reputação de pessoas “difíceis” .
ftlre l \>/U cr U jo w (K

(fU*. C J ltfu d
Figura 109.

Quando a letra final de uma palavra é ornamentada com um laço


pequeno na zona superior, isso indica que o escritor é, de alguma
maneira, criativo. Tais pessoas são imaginativas e freqüentemente uti­
lizam sua criatividade em ocupações artísticas.

l/d c J J ík Q '
Figura 110.

Quando letras que normalmente possuem laço — como o g, y , /


ou / — são escritas sem um laço final, denota concentração. O grau
dessa característica é refletido pelo ângulo do traço; quanto mais ver­
tical for o traço, provavelmente maior será o controle do escritor.

á i s á fc -

ffh .

Figura 111.

Um laço final triangular nessas letras, particularmente o g e o y ,


algumas vezes indica que o escritor possui certos problemas sexuais.
Isso pode se referir, por exemplo, a uma falta de energia sexual ou a
um desapontamento físico.

« jjj.

P isem !
Figura

80
Um laço duplo na parte inferior do g ou do y pode refletir um
grau de excentricidade ou afetação. Tal escritor pode, por exemplo,
vestir-se de modo não convencional ou mostrar maneirismos físicos
curiosos.

Figura 113.

Cansaço ou fraqueza física ao tempo da escrita é freqüentemente


demonstrado pelos traços finais que se parecem com caudas para bai­
xo em uma escrita que tenha uma aparência geral irregular ou fraca.

I ^ ^ O ' /vft t ”l\£ c ( ^ \ à * «

tfi

Figura 114.

Resumo
Quase invariavelmente, o começo de uma comunicação escrita
será visivelmente mais cuidadosamente executado do que sua termi­
nação. Nós todos começamos com as melhores intenções de impres­
sionar o destinatário mas, à medida que a escrita progride, nos toma­
mos crescentemente absorvidos pela mensagem e decrescentemente
cientes de nós mesmos: tomamo-nos de fato. menos autoconscientes.
A parte final de uma amostra de escrita tenderá, portanto, a ser
mais caracteristicamente nossa escrita “normal” do que a secção
inicial, e refletirá nossas qualidades verdadeiras em uma maior exten­
são. Este mesmo princípio — mas num grau menor — pode ser
aplicado a cada palavra: a última letra freqüentemente revela mais do
escritor do que o faz a primeira letra, porque aquela é provavelmente
executada menos conscientemente.
Então, quando estudamos uma escrita para se verificar a avaliação
de um caráter, a parte final da amostra merece um exame mais
acurado. Em análise final, deve-se, literalmente, deixar que a última
letra tenha a última palavra!

81
Assinaturas

Num sentido amplo, o corpo principal de uma carta ou nota escri­


tas à mão fornecerão informações sobre o físico da pessoa, o estado
mental e emocional ao tempo da escrita — ele refletirá o homem
interior. Por outro lado, a assinatura revelará o modo pelo qual o
escritor deseja ser visto pelos outros - a imagem exterior.
Freqüentemente, os indivíduos usarão duas assinaturas diferentes,
uma para negócios ou cartas formais, e outra para comunicações
privadas ou pessoais. Por essa razão, uma certa dose de cautela deve
ser empregada quando da avaliação de uma assinatura simples, parti­
cularmente se mais exemplos da letra não estiverem disponíveis para
análise.
Por razões óbvias, não é possível usar-se assinaturas reais como
exemplos para consideração. Entretanto, as descrições seguintes dos
aspectos gerais a serem observados e interpretações de seu significado
podem ser de alguma ajuda ao estudioso de grafologia.

Tamanho
Assinaturas grandes e claras denotam personalidades confiantes e
seguras. Esse tipo de indivíduo está normalmente à vontade em
quase todos os ambientes e muito freqüentemente possui boas
qualidades de liderança. Um razoável grau de inteligência é provavel­
mente outra característica.
Assinaturas pequenas e insignificantes indicam autoconsciência.
Essas pessoas freqüentemente sofrem de falta de confiança, tenden­
do a subestimar seu valor e exigem pouco reconhecimento para seus
esforços. Entretanto, elas usualmente se dão perfeitamente bem
quando deixadas com seus próprios projetos.
Uma natureza razoavelmente equilibrada é refletida por uma
assinatura que é aproximadamente do mesmo tamanho que o res­
tante da escrita. Tal escritor não é nem muito atrevido nem muito
retraído, mas projetará sua imagem de um modo tranqüilamente
confiante que de alguma forma não poderá ser ignorada.

Legibilidade
Uma assinatura claramente legível é quase sempre um sinal de
sinceridade e honestidade nos procedimentos, tanto pessoais quanto
de negócios. Esses indivíduos possuem uma maneira amável e direta;

83

eles são finos, naturais, gostam de sair e não gostam de agitação.


De modo inverso, uma assinatura totalmente ilegível onde nem
mesmo a letra inicial pode ser identificada, significa que o escritor
pode, literalmente, ter algo a esconder. Ele pode não cumprir com
sua palavra, apesar de assegurar o contrário; provavelmente tem
fortes reservas ;e possivelmente teme falsificações.
Curiosamente, esse temor que foi mencionado acima é infundado.
O tipo de assinatura mais fácil de se imitar é o rabisco superficial­
mente complicado e ilegível. Uma assinatura executada de maneira
bem simples é extremamente difícil de se copiar com exatidão e
fluência.

Ênfase
Se ambos, o nome e o sobrenome, forem incluídos na assinatura,
e forem de tamanhos iguais, isso indica um razoável equilíbrio entre
os aspectos interiores e exteriores do caráter. Mas não é raro que um
escritor dê ênfase a uma parte de seu nome de preferência à outra.
Um nome enfatizado significa uma certa delicadeza de aborda­
gem. Tal escritor pode estar sutilmente chamando a atenção para o
fato de que ele prefere ser chamado pelo seu nome de batismo; ou
pode ser somente uma alusão à vaidade em sua natureza.
Quando o sobrenome é acentuado, isso indica uma falta de con­
fiança e pouca autoconsciência. Essa ênfase reflete a tentativa do
escritor de se projetar com um pouco mais de afirmação do que ele
realmente sente, para impressionar sua imagem nas outras pessoas.

Ornamentação
Uma indicação muito mais positiva de auto-afirmação é um ponto
colocado depois da assinatura. Essas pessoas estão tentando chamar
a atenção dos outros para si, e se analisado por outras indicações
na escrita, esse ponto pode identificar os tipos que não tolerarão
oposição.
O fato de sublinhar é também uma tentativa de enfatizar a perso­
nalidade. Uma linha reta traçada sob a assinatura inteira significa
auto-importância; uma linha pequena sob o sobrenome significa
apenas os esforços do escritor para aumentar sua reputação; e uma
linha sob o nome indica apenas seu desejo de atrair a atenção para o
lado mais pessoal de sua natureza.
Algumas vezes tal sublinhado é embelezado, e quanto mais ador­
nado for, mais atenção o escritor estará chamando para sua indivi­
dualidade. Autoconsciência, estima e vaidade são indicadas em seus
vários graus, pela quantidade de ornamentação incorporada à assina­
tura. Essas características são acentuadas quando floreios, encaraco-

84
lados e anelados ornamentam a letra inicial, ou quando o sublinhado
é embelezado em uma extensão visível.
Adições de ornamentos a uma assinatura podem refletir uma pai­
xão à mudança e à variedade e deve ser avaliado de acordo com a
zona à qual eles se referem. Mas, qualquer forma de traço que é feito
sobre a assinatura, criando a impressão de um teto sobre os nomes,
indica o desejo do escritor de proteger-se de influências exteriores.

Outras formações
Em termos gerais, uma assinatura angular indica um grau maior
de agressão e tensão do que a versão mais suave e arredondada de
uma personalidade mais afável. Extrema agressão, em forma de rebel­
dia, é às vezes indicada por uma escrita onde a assinatura é riscada.
Similarmente, o espaço total de uma assinatura dará um indício
da natureza básica do escritor. Por exemplo, uma assinatura apertada
sugere inibição, introversão e tensão interna; se largamente espaçada,
significa expansividade, extroversão e livre de tensão.
Um traço inicial longo à esquerda pode indicar que o indivíduo é
incapaz de livrar-se de certas memórias antigas. Estas às vezes se
desenvolvem em fixações que influenciarão sua atitude geral e a
abordagem dos outros em seu meio.
Um traço final à direita oferece interpretações alternativas de
acordo com sua formação. Um traço suave e extenso denota genero­
sidade; um traço pontudo significa agressão; e uma linha reta e hori­
zontal para a borda da página refere-se a tendências defensivas.

Posição
Nas comunicações de negócios, a posição da assinatura é freqüen­
temente limitada pelas normas da convenção. Mas, quando assinando
uma carta privada ou uma nota pessoal, o escritor tem liberdade de
escolha na questão e irá, com maior freqüência, colocar a assinatura,
automaticamente, numa área particular da página, sempre que pos­
sível.
Quando colocada no centro, sob o corpo principal da escrita, a
assinatura denotará o desejo do indivíduo por segurança intema. Tal
pessoa pode ser ligeiramente acanhada em suas maneiras e bastante
cautelosa em seu comportamento.
Essas características são acentuadas se a assinatura é colocada à
extrema esquerda da página. Facilmente desapontado e com uma
natureza retraída, tal escritor é inclinado a fugir da realidade.
Ao contrário, uma assinatura à extrema direita da página sugere
uma personalidade bem mais extrovertida. Essas pessoas são muito

85
ativas, sempre em movimento, basicamente amam a vida —e preten­
dem aproveitar totalmente cada minuto dela.

Estilos de escrita
Quando considerando assinaturas, é muito importante ter em
mente que elas refletirão o estilo geral da escrita em uma certa exten­
são. Países e culturas diferentes adotam técnicas específicas que são
ensinadas nas escolas, como o básico estilo “copiador” daquele siste­
ma particular.
À medida que as pessoas crescem, amadurecem e desenvolvem
características de personalidade mais fortes, sua letra refletirá essas
características. No entanto, a escrita sempre reterá alguns elementos
do estilo copiador que lhe foi ensinado em um país ou sistema edu­
cacional particular. Ë aconselhável, portanto, ter esses pontos em
mente, particularmente se a assinatura de uma amostra de letra
parecer ser a de um estrangeiro.

86

j
Endereçamento de envelope

Freqüentemente a primeira impressão que recebemos de um escri­


tor é criada somente pela maneira pela qual ele endereça o envelope
contendo sua comunicação. O modo pelo qual o nome e o endereço
são escritos e a posição deles no espaço disponível causará um impac­
to visual instantâneo no destinatário, sendo, portanto, matéria que
merece alguma consideração do ponto de vista grafológico.

Estilo
Freqüentemente, a escrita em um envelope é ligeiramente dife­
rente da mensagem que ele contém. Usualmente, ela é um pouco
maior, como se o escritor estivesse tentando aumentar um pouco o
seu ego; isso pode se dar por causa de uma ligeira falta de autocon­
fiança que ele está tentando esconder. Ao contrário, quando a escrita
no envelope é menor que a de seu conteúdo, isso pode se referir a
uma pequena falsa modéstia; tal escritor é freqüentemente mais
autoconfiante do que ele deseja revelar.
Em consideração com aqueles que não estão familiarizados com
as características pessoais de nossa letra, devemos nos esforçar para
fazer o nome e o endereço o mais legíveis possível. Portanto, escrita
ilegível —particularmente em um envelope —deve ser avaliada como
evidente falta de boas maneiras.
Muitas pessoas são culpadas de fazerem vista grossa a esse peque­
no mas importante detalhe e podem estar inconscientes de sua falta
de cortesia. Isso é, entretanto, uma indicação de descuido, também.
Uma pessoa de pensamentos claros, cuidadosa e atenciosa, irá sem­
pre fazer o possível para que o nome e o endereço sejam legíveis e
exatos —após o correto código postal.

Posição
A posição tradicionalmente aceita para o nome e o endereço é a
mais central possível, mas bem poucas pessoas endereçam seus enve­
lopes dessa maneira. Entretanto, quando essa informação é colocada

87
firmemente no centro do espaço disponível, isso denota equilíbrio e
discernimento.

1\aa

Figura 115.

Um envelope cujo endereçamento está colocado no canto supe­


rior esquerdo, significa uma mentalidade indagadora e curiosa, mas
associada a um certo grau de neutralidade. A esses escritores falta
autoconfiança, e eles tendem a ser supercautelosos e algo reservados
em sua reação às outras pessoas.

L\a a j .

Figura 116.

Essas tendências tendem a ser acentuadas quando o endereça­


mento aparece bem baixo, no canto direito do envelope. Tais pessoas

88
são, às vezes, cautelosas e reservadas até o ponto da desconfiança, e é
provável que sejam um pouco materialistas em sua atitude geral.

I N A a a / w v m , . _________________________________________________________________________________

I\A x a A \_

U \J \a a j^

V A a_A A ^

l/\/\ •

Figura 117.

Também materialistas são aqueles escritores que colocam o ende­


reço no quarto inferior direito do envelope. Esses indivíduos são
basicamente realistas e materialistas, têm poucas ilusões e são usual­
mente mais interessados nos aspectos práticos da vida.

Figura 118.
Um endereçamento no alto do canto direito de um envelope
denota um desejo de independência e liberdade. Personalidades
extrovertidas, esses escritores possuem a habilidade de encarar os
acontecimentos futuros com confiança e exibem uma atitude aberta,
de auto-segurança.

Números
Outro indicador menor do caráter básico do escritor é a maneira
pela qual ele executa os números em um envelope endereçado.
Números claramente formados, de tamanho médio, denotam
praticabilidade financeira; por outro lado, números grandes signifi­
cam impraticabilidade, talvez até o ponto da avidez.
Numerais que são menores do que o restante da escrita indicam
uma inclinação para as ciências. Essas pessoas são cautelosas com as
finanças, possuindo, freqüentemente, habilidades matemáticas, e
podem fazer, com sucesso, carreira em contabilidade.
Aqueles que executam mal os números, entretanto, não devem
receber a confiança de outras pessoas no referente a dinheiro. Eles
não possuem necessariamente tendências desonestas, mas muito
provavelmente serão descuidados e não-práticos nas questões mone­
tárias.
Qualquer embelezamento, adorno, ou traços adicionais nos núme­
ros indica que o escritor pode estar sofrendo de alguma ansiedade
com respeito a sua situação financeira pessoal ao tempo da escrita.

Primeiras impressões
Todos os pontos mencionados neste capítulo tiveram a intenção
de fornecer somente uma ligeira orientação observável. É obviamente

90
impossível fazer uma avaliação detalhada somente pela informação
colhida de um envelope, apesar de que isso criará uma impressão
visual imediata. Entretanto, julgamentos apressados não devem ser
feitos; uma comparação cuidadosa com a escrita da carta ou nota
contida no envelope é essencial para uma análise completa.

91
índice

Introdução..................................................................................... 9

Requisitos para a análise —A regra de o u r o .............................. 10

1 A visão geral
Margens — Inclinação da linha —Inclinação da palavra —Legi­
bilidade ........................................................................................ 11

2 Tamanho, forma e ligações


Tamanho — Forma —Aparência — Ligações — Observações
g e rais............................................................................................. 31

3 Direção : Inclinação da escrita


Escrita vertical — Inclinação à direita — Inclinação à esquerda
— Variedade de inclinação.......................................................... 39

4 As zonas
A zona superior —A zona central — A zona inferior —Outras
indicações..................................................................................... 47

5 Letras maiúsculas
Tamanho —Ornamentação —Outras form ações....................... 55

6 Pressão e velocidade: Indicadores de saúde e humor


Pressão — Velocidade —Saúde e h u m o r................................... 59

7 Letras reveladoras
(1) As letras “a” e “o” — Formações fechadas — Formação
mista —Formações abertas —Outras formações —(2) As letras
“I” e “i” — A letra maiúscula “ I” — O “i” minúsculo —Incli­
nação da letra — (3) A letra “T” —O “T” maiúsculo — O “T”
minúsculo —Variedade de formação ........................................ 63

93
8 Primeira e última letras
Traços iniciais —Traços finais — R esu m o ................................. 73

9 Assinaturas
Tamanho — Legibilidade — Ênfase - Ornamentação —Outras
formações - Posição —Estilos de escrita................................... 83

10 Endereçamento de envelope
Estilo —Posição - Números - Primeiras im pressões............... 87

94