Você está na página 1de 49

Android está liderando a revolução smartphone no mercado

ocidental. Mas o que sobre a China, o país com a maior base


de usuários móveis? Clientes Hong autor analisa o estado de
Wu Android na China - de fornecedores de chipset para
desenvolvedores de software - e como o dragão está
acordando.]
O artigo também está disponível em chinês.

Huaqiang Road, Shenzhen, Guangdong, China, um fim de


semana normais.

Às 10 horas da manhã, há poucos pedestres ao redor.


Saneamento trabalhadores estão a limpeza de centenas de
pacotes de telefonia móvel deserta e sacos de plástico perto
de supermercados do telefone móvel, juntamente com os
pacotes em pacotes de manuais de telefone celular, e até
algumas dezenas de CDs quebradas, com rótulos que
indiquem claramente as palavras "HTC" ou "SonyEricsson ".

Clerks em mais de uma dúzia de sucursais bancárias em


Huaqiang Road e Zhenhua estão ocupados recarga dinheiro
em seus caixas eletrônicos. Nos próximos 5 horas ou assim,
os bancários e caixas eletrônicos será responsável por
centenas de milhões de Yuan nas transacções em numerário.
Sim, os produtos dinheiro e ações são as regras de operação
aqui. Esta área de negócios comerciais, geralmente
conhecidas como "Huaqiangbei" (ou ao norte de Huaqiang), é
o local greve é rico para muitas classes populares pobres em
Shenzhen. O bairro tornou-se o centro mundial de eletrônicos
de consumo.

Android recentemente se tornou o tema quente no distrito


Huaqiangbei. Vendas de celulares com Android têm subido
em uma base diária em YuanWang Cidade Digital. A maioria
destes telefones Android usam chipset da Qualcomm,
enquanto que apenas algumas delas executar um chipset que
é feito na China.

Perto dali, na Mingtong Cidade Digital, é possível encontrar


montes de shanzhai (山寨) telefones móveis à venda
(shanzhai refere-se a imitação chinesa e marcas piratas e de
mercadorias, especialmente eletrônicos). Há apenas alguns
modelos de telefone Android em exposição, mas os clientes
continuam voltando a pedir mais. Entretanto, o mecanismo de
software que os smartphones shanzhai poderes mudou a
partir do Windows Mobile para Android e, mais do que eles
estão usando chipsets que são feitas na China.

A 15 minutos de Huaqiangbei área de negócios, em


CheGongMiao área de negócios, são a sede de dezenas de
empresas de telefonia móvel de design, que está no meio da
cadeia alimentar móvel. Em uma base diária, os engenheiros
da manivela aqui alguns telefones muito exótico protótipo
usando soluções de chipset MediaTek. Desde 2009, quando
Android pegou fogo, caras de vendas de MediaTek, HiSilicon,
Rockchip, Semi-acções, e outros fornecedores de chipset
estão chegando, dia após dia, esperando para vender suas
soluções e obter uma fatia do bolo da revolução Android.

Uma vez que o projeto da etiqueta Android baseado em


branco está fora, os telefones serão produzidos nas fábricas
de Bao'an Shenzhen e distritos Longgang. Os plásticos são
então marcadas com o direito de adesivos da marca de
varejo, e colocar na prateleira, no cruzamento de electrónica
de consumo que é Huaqiangbei.

A potência MediaTek
MediaTek (MTK) vende entre 3-400 chipsets de um ano para
aparelhos 2G, e é a força dominante por trás de telefones de
baixo custo na China. MTK incursão no mercado do
smartphone começou em fevereiro de 2009, quando eles
lançaram o projeto MT6516, naquele tempo baseados no
Windows Mobile 6.5 OS. MT6516 é uma solução dual core, o
processador é um aplicativo 9 ARM rodando a 416Mhz,
enquanto o processador de banda base é um ARM 7,
rodando a 280MHz, com suporte 2G (GSM / EDGE). Esta
solução sofre um pouco em termos de desempenho quando
comparado com a Qualcomm MSM7200, mas o seu BOM é
menor.

Um passo acima, a versão deluxe inclui um MT6516 2.8 "tela


de toque resistivo QVGA, câmera de 2MP, GPS, WiFi,
Bluetooth eo silício, com uma cotação de venda por atacado
$ 90. A versão básica MT6516 sem tela sensível ao toque ou
a câmera é cotado a US $ 60. Note-se que cerca de 10
dólares do que a citação vai em direção à taxa de licença do
Windows Mobile. Em outras palavras, esperar que os preços
descem consideravelmente com um projeto Android.

Apesar de sua mussle mercado, MediaTek não antecipamos


que a revolução Android chegará tão cedo. Por exemplo,
MediaTek não aderiram OHA até 2010, enquanto os
primeiros aparelhos MTK Android está apenas fazendo os
seus primeiros passos no mercado chinês (existe um boato
de que um dos principais OEM Android já havia veto'ed
entrada MTK's na OHA para evitar preços concorrência).

TongXinDa em Shenzhen tem sido o ODM primeiro a lançar


um telemóvel Android baseado na solução de MTK MT6516,
o "TongXinDa TOPS-A1. O telefone possui características
únicas, tais como cartões dual SIM (GSM e CDMA, e tanto
em estados ativos), um sistema dual boot (Windows Mobile
6.5 e Android 1,6 ambos armazenados em ROM) com 256MB
de RAM e ROM, e um 400 × 240 resolução da tela. O anúncio
do telefone é mostrada abaixo (note que o logotipo da HTC é
uma farsa).

Mas esses são apenas os primeiros passos do Android, uma


vez que desperta o dragão chinês. O total MTK Android 2,1
solução não estará fora de produção em massa até o final de
2010.

Mais concorrência em telefones de baixo custo Android

Rockchip, um vendedor de design baseado em Fuzhou,


China, apresentou a sua solução RK28 em Hong Kong
Electronics Show, em 2010, concentrando-se em tábuas e
smartphones Android.

Rockchip é uma empresa de design homegrown chipset que


conquistou o mercado de MP3 players portáteis de mídia com
a sua RK26 e RK27 série. Em 2009 Rockchip anunciou a sua
incursão no negócio smartphone com o Android RK2808
solução, mas não foi amplamente adotado devido a
problemas de aquecimento chip e problemas de
desempenho.

Em uma segunda tentativa no mercado de smartphone,


lançou sua solução Rockchip RK2816 em 2010, sendo
executado em um processo de aplicação ARM 9 de 600Mhz e
um chip baseband NXP. A série RK28 não é tão bem
integrado como MTK MT6516 é. MTK colocar os aplicativos e
banda em um único chip, enquanto RK28 Infineon usado para
sua banda. vantagem RK28 série está na sua herança de
tecnologias multimédia de Rockchip, com hardware de
decodificação de vídeo H.264 720p.
design Rockchip de RK28 foi tomada por Ramos (Blue Devil)
para alimentar um aparelho smartphone com o nome do
modelo W7. O aparelho roda o Android 1.5, um esporte 4.8
"800 × 480 tela de toque resistivo, e destina-se como
concorrente ao iPod Touch, com foco em características de
reprodução de mídia de vídeo. BuBuGao OEM é outro
planejamento para oferecer smartphones com a solução
barata RK28.

No espaço comprimido, Ações Semi-se projetar um novo


chipset baseado no kernel do MISP 74K, corrida Android 2.1.
Comercializado sob o nome EBox, a empresa pretende
competir cabeça a cabeça com o IPad com suporte para
H.264, MPEG-4, DivX e Xvid hardware de decodificação de
até 1080p. Tais especificações são desconhecidos entre os
actuais soluções Android.

Cerca de cinco anos atrás, telefones baseados no chipset


MTK agitou mercado de celulares chineses, que foi dominado
pela Nokia, Motorola, Samsung e outras marcas locais, como
Bird, TCL e XiaXin. MTK telefones habilitados para serem
vendidos a preços muito baixos e ainda ostentando
características avançadas, incluindo as exóticas como oito
alto-falantes estéreo ou 365 dias de duração da bateria em
espera.

Hoje, as marcas mais local já se foram, e os poucos


remanescentes voltaram a usar chipsets MTK para seus
telefones. marcas internacionais OEM tem que cortar os
preços em seus meados de ponta a ponta de baixo telefones,
a fim de competir neste mercado de celulares feroz. entrada
do MTK em smartphones de ponta com Android pode
certamente repetir a história que testemunhamos, há cinco
anos. Android funcionando FroYo vender por menos de $
100? Talvez apenas alguns meses de distância.

Os desenvolvedores do Android em alta demanda

Com um crescimento tão rápido das actividades relacionadas


com Android, os desenvolvedores do Android estão na
demanda quente hoje na China. A 2 anos pro Android pode
comandar até 20 mil yuans (cerca de US $ 3.000) por mês, e
que um veterano J2EE de 10 anos faz com que,
provavelmente, o mesmo vencimento, se não menos.
Empresas, grandes e pequenos, estão ocupados scouting
para o talento do Android, mas contestada devido ao
pequeno grupo de engenheiros qualificados.

Na ifanr.com que recentemente realizou uma pesquisa, com a


ajuda do grupo Android Dev China (mais de 1.400 membros,
18 mil mensagens, o grupo de discussão maior e mais activa
para os desenvolvedores Android chinês) para capturar os
dados demográficos de desenvolvedores Android na China.
Nossa pesquisa recebeu mais de 500 respostas válidas com
alguns dados reveladores sobre o estado de desenvolvedores
Android na China:

Em termos demográficos, mais de 80% dos entrevistados têm


entre 20 a 30 anos, enquanto outros 10% é entre 31 a 35
anos. Estes são muito jovens e dinâmicos grupos de
desenvolvedores.

Quando perguntado sobre quantos anos de experiência em


desenvolvimento de móveis que têm, quase 40% estão
apenas começando. E outro perto de 50% dos entrevistados
estão dentro de 0-2 anos de experiência, que é de se
esperar, dado que o Android é uma plataforma de dois anos
de idade.
Em termos de seu papel no desenvolvimento do Android,
37% dos entrevistados são os desenvolvedores a tempo
parcial, enquanto 40% são desenvolvedores profissionais.
Apenas 10% são estudantes, enquanto cerca de 15% ainda
estão segurando para ver como Android avança.

Também é importante ressaltar que mais de 60% dos


entrevistados são os desenvolvedores individuais, também
conhecido por equipes de um homem, enquanto 90% sobre o
trabalho em equipes compostas de menos de 50
desenvolvedores. Há empresas com mais de 100
colaboradores, a maioria provavelmente telecomunicações
grande como a China Mobile, bem como fabricantes de
celulares e de design houses.

Dado que nós alvo desenvolvedores Android, quase 80% dos


entrevistados têm desenvolvido no Android. Também vemos
partes saudáveis do IOS, J2ME, Windows Mobile e Symbian.
Com base nas tendências atuais, podemos prever Android e
IOS comandante maior quota de mercado daqui para frente,
enquanto J2ME, Windows Mobile e Symbian partes irá
encolher ainda mais.

Mais de 45% dos entrevistados ainda não publicado


aplicativos no Android Market do Google. Isto é
principalmente porque o Android Market do Google Checkout
e ainda não apoiar as regiões chinesas. Este é um problema
bem conhecido, há um grande número de desenvolvedores
na China querendo publicar aplicativos no mercado que não
pode, por exemplo, muitos deles a criação de uma conta
bancária no exterior, a fim de registrar e pagar para o
Mercado taxa de inscrição. É um dos principais problemas
para os desenvolvedores individuais, e onde esperamos que
o Google tem uma redução de oferta no futuro próximo
(integração PayPal, talvez?).

Em termos de modelos de receita, cerca de dois terços dos


aplicativos pagos estiver usando banners de anúncios,
enquanto o outro um terço são usando pay-per-download de
acordo com os resultados de nossa pesquisa. Quanto aos
tipos de redes ad usado, o Google AdSense sai na parte
superior com cerca de 50% dos votos. AdMob vem em
segundo, com votos de quase 30%. Wooboo, Youmi e Casee,
redes ad da China, também estão fazendo progressos aqui.

O nível de satisfação das receitas app está distribuída


uniformemente, de 20% dos entrevistados dizendo que não
estão fazendo bem e perder dinheiro, e 18% dizendo que eles
são extremamente satisfeito e fazendo bem ou optimista
quanto ao futuro (o restante 60% é para as pessoas que não
ganhar dinheiro com aplicativos).

Em termos de ir ao mercado de canais, o Android Market do


Google, tops com mais de metade da quota. China Mobile
Market (MM) é também popular entre os desenvolvedores.
MOTO SHOP4APPS é surpreendentemente recebendo 5%
(ou 10% dentre os apresentados).

Globalmente, o Android tem visto um crescimento explosivo


na China. mais e mais desenvolvedores estão juntando-se às
fileiras diariamente. No entanto, devido às limitações do
Android Market do Google Checkout e na China, muitos
desenvolvedores estão se voltando para mercados
alternativos e gateways de pagamento.
No campo do operador, a China Mobile está fazendo um
respingo grande tentando atrair desenvolvedores para o
Android a sua variante, a OMS plataforma OPhone /. HTC e
Motorola também estão empurrando a sua agenda própria
loja de aplicativos.

O ecossistema Android na China ainda é um dragão


adormecido, mas está acordando a cada dia. Haverá mais
redes de anúncios, mais lojas app e gateways de pagamento
mais próximos no futuro previsível antes de se move dentro
de consolidação Android na China é, provavelmente, na sua
fase mais emocionante agora.

- Hong

[Hong Wu é um desenvolvedor experiente app móvel


baseada em Silicon Valley, E.U.. Ele está atualmente
construindo um produto incrível que espera fazer TVs
agradável novamente. Ele também é membro do núcleo de
ifanr.com, os meios principais novo blog site na China, que se
concentra na indústria de Internet móvel, smartphones,
gadgets, e as partidas emocionantes na China. Você pode
entrar em contato em Hong lordhong / at / @ gmail.com ou
lordhong seguir no Twitter.]

posts similares
Baixo custo Android: atravessar a barreira dos US $ 100 (10
de fevereiro)
As muitas faces do Android fragmentação (10 de maio)
Mobile Developer Economia de 2010: A migração de
mindshare desenvolvedor (10 de julho)
O chumbo, inovar ou montar: três opções para OEMs telefone
móvel como começa a olhar como a indústria de PC (10 de
junho)
O futuro Wintel para dispositivos móveis: uma chamada
acordar para operadoras de rede (10 de março)
12 comentários twitter e-mail imprimir del.icio.us digg 12
Setembro
2010
A receita para uma estratégia bem sucedida para o seu
celular brandGuillaume Arth 835 exibições 3 rating
Carregando ...
0 comentários
0 pings
impressão
e-mail
ver licença
82
tweets
TOP1KRetweet [maioria das grandes empresas têm tentado
envolver os seus clientes através de seus telefones móveis,
mas nem toda a gente tem conseguido. autor fala do cliente
Guillaume Arth experiência de marca e móveis identifica os
passos para o desenvolvimento de uma estratégia bem
sucedida móvel]

"Receba em seu bolso e você terá em suas mentes" poderia


ser o slogan logo que sustentam qualquer manifesto de
marketing. Na verdade, o comércio móvel tornou-se central
para a estratégia de marcas mainstream uma vez que permite
novas formas de engajamento do cliente.

Mega Brands como o eBay tem tomado passos no celular


como uma extensão da sua presença on-line através de
websites e aplicações móveis. app eBay iPhone já foi baixado
11 milhões vezes. O gigante de leilões online espera ganhar
US $ 1,5 bilhão de celulares este ano, em comparação a US
$ 600 milhões em 2009. marcas como varejista Best Buy
apps usar para oferecer promoções específicas ou presentes
no processo de aprendizagem muito mais sobre os clientes.

Curiosamente, a mídia tradicional têm sido mais rápidos a


adoptar uma estratégia móvel como muitos orçamentos de
publicidade estão se movendo em linha. Desde este verão, o
Wall Street Journal, The Times e da revista Wired (para citar
alguns) lançaram apps IPad sinalizando uma mudança na
mídia de impressão premium. Da mesma forma, os canais de
TV como a MTV também estão abraçando interativa, social
apps, ou aplicativos projetado como companheiro ou versões
offline de conteúdo de TV. Conforme relatado pela
Advertising Age, recentemente, de marcas como MTV "foco
em duas abordagens para o seu apps IOS: primeiro, apps co-
visualização que captam a vibração social-media em torno de
TV e premiações e, segundo, para aplicações de vídeo em
movimento".

Além disso, as lições do Evangelho Quadrangular e


empréstimos de novos tipos de aplicativos Gowalla permitir
que 'check in' para programas de TV e filmes. Um bom
exemplo disso é o aplicativo conversa TV, que permite aos
utilizadores fazer a sua própria programação e interagir com o
Twitter transmissões ao vivo e post seu.

No entanto esta evolução promissora poderia ser, teremos


que esperar mais 12 a 18 meses para ver se a mídia
impressa e televisiva podem alavancar verdadeiramente no
celular.

Obtendo o seu direito de experiência de marca

Através de sua escala e presença na web prolongada EBay e


Best Buy tem enfrentado com sucesso o desafio da
integração multi-canal, bem como obter visibilidade e
"colocação" de suas aplicações de comércio móvel nas lojas.
Por estas razões, continuam a ser exceções. Como um
executivo de jogos móveis colocou-me recentemente: "você
tem que estar pelo menos no top 100 aplicativos no iTunes se
você quiser fazer qualquer tipo de dinheiro. Você tem de se
introduzir no mercado de uma forma que pode criar retenção
real, não apenas hype na parte traseira de um aplicativo
gratuito.

Na verdade, alguns apps livre pode desfrutar stats download


bom, mas estes não necessariamente se traduz em boas
opiniões e usuários recorrentes como o app Gucci mostrou
recentemente.

Alguns estrategistas da marca afirmam que ainda é «cedo» e


que uma abordagem de "esperar para ver n 'é mais sensível,
afinal de penetração de mercado de aparelhos mais
sofisticados como o iPhone e celulares com Android ainda é
apenas cerca de 5% de aparelhos vendidos no mundo inteiro
em H1 2010. No entanto, este valor esconde que estamos de
facto a falar de alto valor, clientes de alto ARPU com maior
propensão a realmente experimentar um aplicativo móvel de
marca. Além disso, com mais 150 milhões de smartphones
vendidos Nós passamos do ponto de apenas falar sobre early
adopters. Este é agora um fenômeno de massa, que abriu
novas rotas e mais directa aos consumidores para as marcas.

Assim como deve ir para uma marca sobre o


desenvolvimento de uma estratégia para celular?

Antes de se alistar um músico muito bem pagos para criar


uma experiência como DJ-app ou contratar um programador
top-notch para iniciar o código do software produzindo, é
importante considerar os fatores que tornam algumas
aplicações bem sucedidas e outras medíocres:

Em primeiro lugar, os usuários compreensão. A aplicação


bem sucedida irá capturar a imaginação por ser relevante, útil
e agradável. Na verdade os usuários tendem a desviar-se
rapidamente ao largo de qualquer outra coisa no
desapontamento assim compreender o que os torna
carrapato é muito importante. Afinal a sua marca está
tentando pegar um pedaço de agenda carregada de alguém.
Assim, primeiro piloto e, em seguida, escala adequada. Pode-
se extrair lições de jogos de sucesso que oferecem uma
base, mas a experiência viciante que é, então, reforçada com
um maior conjunto de recursos na fase 2. Então fica mais fácil
convencer os usuários existentes para voltar e,
eventualmente, pagar um prêmio pequeno (um bom exemplo
de que é "uma parte Hungry Shark 'e 2 jogos por Future of
London).

Em segundo lugar, uma compreensão profunda dos


dispositivos móveis como um meio essencial. Não importa o
quão incrível pode ser suas idéias, vale a pena manter em
mente que o celular é um meio tátil, impulsivo e íntimo que
não tolera muito fuzzing ": basicamente, os usuários
precisam" para obtê-lo "em questão de segundos e ... ele
precisa para trabalhar! Tendo conteúdo do site da marca e
"over-especificando" um app é provável falhar. Pode-se
pensar na aplicação de Roland Garros 2010, cujo design
falho e extremamente complexo conjunto de recursos
provavelmente não conseguir muito para a marca de tênis.
Aqui está um exemplo de como uma abordagem de falhas de
um aplicativo pode eventualmente danificar um grande
marca, especialmente quando os concorrentes ou seus pares
(os outros torneios de Grand Slam neste caso) têm feito um
trabalho muito melhor.
Com base em orientações um bom design, um aplicativo
móvel deve visar a criação de uma narrativa da marca que irá
trabalhar no quadro móvel, em vez de jogar mal concebida
"junk marketing" como se pode ler em muitas vezes opiniões
app. App marketing pode ser uma faca de dois gumes e por
causa de sua proximidade e interatividade, as marcas devem
ter suas orelhas no chão, aprender e reagir rapidamente
garantindo feedback negativo não espiral fora de controle.

Em terceiro lugar, com um roteiro de aplicação a longo prazo,


onde a extensão da marca móvel evolui e interage com seus
clientes. O roteiro app móvel deve crescer de forma gradual e
elegante, adicionando recursos e oportunidades de
envolvimento do cliente no caminho. Marcas podem construir
uma maior fidelidade ao deixar seu brilho essência através da
simplicidade de sua versão móvel.

Por último mas não menos importante: os preços. Um milhão


de downloads gratuitos igual a zero receitas directas e muitos
aplicativos estão fazendo gratuitamente difícil angariar
receitas directas através de aplicações de marca. Mas a
receita não deve ser o único objetivo de uma estratégia de
extensão da marca, o objetivo principal deve ser de noivado.
Afinal, quem estaria disposto a pé para pagar "em uma loja?
Não se deve repetir o mesmo erro como portais de
operadores móveis têm feito com os usuários para carregar
apenas navegar. Proporcionar uma experiência de entrada
livre "é uma questão importante, que pode ser seguido por
um prêmio (pago-para) a experiência.

Plantando sementes para compromissos mais profundo do


cliente

Com o celular, as marcas podem equipar-se com uma


plataforma de marketing poderoso e interativo que forma um
dos principais pilares de uma "multi-touch", presença na mídia
digital. A entrada de marcas no domínio móvel está sendo
incentivado por quatro desenvolvimentos recentes:

1. Uma nova geração de nativos móveis que têm maior


acesso, compreensão e confiança no meio móvel como uma
forma mais pessoal e menos mediada experiência "para fazer
compras ou entretenimento

2. Dispositivos evoluem em um ritmo muito rápido. Graças ao


apoio generalizado de XHML / HTML, Java script e CSS
(mais de 250 dispositivos apresentam agora o open-source
WebKit motor do navegador, como visto no Club 100 milhões)
e maior conjunto de APIs, dispositivos oferecem experiências
mais ricas de mídia: imagem, áudio, vídeo, social, messaging,
localização ... ea lista continua.

3. APIs A maior disponibilidade e acessibilidade da tecnologia


de cloud-based open source, bem como embalagens e
soluções de processamento para websites móveis, que os
novos operadores - marcas como - no mercado ("BK Render",
uma solução móvel de processamento do francês start-up
Backelite é um bom exemplo aqui)

4. O desenvolvimento acelerado das operações móveis da


facturação do operador para código de barras, I-Tunes,
Google Checkout, PayPal, NFC e outros.

"Marketing" Convergência "é a nova fronteira

No centro da nova economia móveis marcas e prestadores de


serviços são cada vez mais o poder de criar novas
experiências e novos modelos de negócio. Com a ressalva de
que não há corrente "write once, run anywhere", defendo que
as marcas estão melhor posicionados do que nunca para
trabalhar em torno dos consumidores e uma plataforma de
fragmentação através de "posicionamento convergente e
marketing. Essencialmente, ao invés de sentir intimidado pela
tecnologia, trata-se de olhar para aquilo que a marca está
tentando se comunicar e empurrar uma mensagem
consistente de todos os utilizadores através de qualquer meio
digital estão usando.

Usuários. Onde eles estão? Eles estão por toda parte e


"onipresença" é o seu destino. A viagem começa com um
usuário de telefone em cada bolso, a conectividade do
dispositivo e cresce aos ecossistemas digitais que medem
entre computadores tablet, desktops notebooks, TVs e muitos
mais locais amanhã. Isso cria um ambiente conectado de
oportunidades para as marcas se expressar e se introduzir no
mercado de novas maneiras, com aplicações sociais e blogs
na liderança. Custos e obstáculos à entrada digital estão
baixando e comercialização e distribuição de produtos digitais
está se tornando mainstream.

Além disso, nesta rua lotada nova alta, a Apple, Google,


Samsung e LG a uma extensão ea Sony estão envolvidos na
batalha para conquistar nossas salas de estar com os
serviços de TV pela internet, através de VOD, aplicações e
widgets. Actualmente, as comunicações e serviços comuns
de TV na Internet são serviços mais 'beta' na experimentação
com as operadoras como a Verizon (E.U.), Sonaecom
(Portugal) ou KT (Coréia do Sul). Orange assinou
recentemente uma parceria com a LG, Orange, onde fornece
o faturamento e atendimento ao cliente enquanto a LG
oferece serviços de IPTV.

Existem também aparelhos aplicativos que funcionam como


um controle remoto - Free.fr em França, por exemplo (Free.fr
app) - sinalizando que celular pode assumir como o último
"EPG (guia de programação eletrônica). Atualmente, 10-20%
de IPTVs está conectado a uma banda larga que vai até 50%
com maior penetração da banda larga. Samsung espera
vender 35 milhões de TVs a nível global em 2010. Em
comparação, a Microsoft demorou três anos para vender
tantas unidades do Xbox. Como continua a ser a TV mais
popular dispositivo eletrônico de consumo no lar este
apresenta oportunidades significativas para qualquer serviço
baseado em IP ou uma marca para o mercado procura-se
através de digitais. Com uma base instalada de milhões é
apenas uma questão de tempo antes que as lojas usuários
app móvel são migradas para o grande ecrã.

Aplicativos e serviços móveis são bom lugar para começar a


qualquer marca, mas como já vimos, é apenas o começo. Por
exemplo, a Nokia recentemente argumentou que "os
dispositivos de contexto, e as aplicações, será onde está o
dinheiro".

Com o interruptor digital sobre concluída na maioria dos


mercados desenvolvidos em 2012, "campanhas de marketing
convergente" em breve se tornará uma realidade. É claro que
ser bem-sucedido exigirá adaptações e alguns malabarismos
com a tecnologia, mas acredito que dentro de 18 meses, as
marcas, prestadores de serviços e os anunciantes serão na
intersecção de um fenômeno maior do que as lojas app como
digital cresce exponencialmente.

Agora é a hora para qualquer tipo de plano e alavancagem


sobre os desenvolvimentos emocionantes e - através do
envolvimento mais profundo do cliente - transformar as
experiências novas em novos fluxos de receita.

Guillaume.
[Guillaume Arth é um consultor de mídia móvel sediada em
Londres, Reino Unido. Com mais de 10 anos de experiência
neste espaço, que atualmente é especializada em estratégia
de serviços, vendas e marketing assessoria grandes e
pequenas organizações. Pode contactar Guillaume em: g / a /
cozmopolitanmedia.com ou você pode segui-lo no Twitter @
cozmedia]

posts similares
Por operadores móveis têm um papel crucial a desempenhar
na segunda onda de "inteligentes" apps (10 de março)
Por Adobe deveria mudar sua estratégia Mobile (outra vez)
(10 de março)
O Mobile App Store Paisagem cinco anos Ai (Depois do
iPhone) * (10 de janeiro)
Adobe defende a sua estratégia móvel (10 de março)
O futuro Wintel para dispositivos móveis: uma chamada
acordar para operadoras de rede (10 de março)
0 comentários twitter e-mail imprimir del.icio.us digg 06
Setembro
2010
Digite o Cloud PhoneVish Nandlall 1701 visualizações 3
rating
Carregando ...
9 comentários
0 pings
impressão
e-mail
ver licença
70
tweets
Retweet [Com a adopção de aplicações SaaS, realidade
aumentada, o reconhecimento visual e outros aplicativos do
telefone next-gen, o modelo de processamento smartphone
está procurando a ajuda do Cloud. autor convidado Vish
Nandlall introduz o conceito de telefone Cloud e os avanços
da tecnologia que pode fazer isso acontecer]

São smartphones convergentes com os laptops? Embora os


smartphones permitem ao usuário uma experiência rica,
existe uma ordem de magnitude lacuna na memória, poder de
computação, tela imobiliário e vida útil da bateria em relação
ao laptop ou ambiente de trabalho (ver tabela abaixo). Esta
disparidade torna toda a questão dos laptops smartphones vs
uma maçã vs debate laranjas. Ele também levanta a questão:
pode o smartphone já a ponte para o laptop?

Smatphones Laptops
Apple iPhone HTC 4 EVO ASUS 4G G73Jh-A2 Dell Precision
M6500
Apple CPU Scorpion A4 @ ~ @ 800MHz Qualcomm 1GHz
Intel Core i7-720QM
@ 2.80GHz Intel Core i7-920XM@2.0GHz
PowerVR SGX GPU 535 Adreno 200 N / A N / A
512MB de RAM LPDDR1 (?) 512 LPDDR1 4x2GB DDR3-
1333 4x2GB DDR3-1600
5.254Whr bateria integrada removível 5.5Whr 75Whr 90Wh

Fonte: websites vendedor

Por uma questão de física, a plataforma de comunicações


móveis e nómadas / presos serão sempre separados ao
longo da curva de potência de silício - em grande parte
impulsionado pelas dimensões físicas. O fator de forma
portátil simplesmente ser capaz de refrigerar um processador
de maior potência de acolhimento, uma tela maior imobiliária
ea casa de uma bateria maior eo sistema de memória do que
um smartphone.

Será que um smartphone precisa ser portátil?


Sim, é verdade ... ou, pelo menos, em breve. As restrições de
baixa potência de dispositivos móveis têm sido o argumento
oficial da Apple por trás da briga pela Apple Adobe recente - e
aquisição da Apple PA Semi é um testemunho ainda mais a
importância da otimização de hardware em dispositivos
móveis.

O envelope de processamento para aplicativos móveis está


se tornando esticada pelas exigências da próxima geração de
aplicações móveis, sempre sobre a sincronização de
contatos, documentos, atividades e relacionamentos ligada
ao meu tempo e do espaço, a adopção de aplicações de
Realidade Aumentada por prestadores de serviços
mainstream que empurra AR em uma primária "janela" do
telefone, os sistemas de gesto avançado como o sentido do
MIT "sexto" que combinam gesto interfaces baseadas com
reconhecimento de padrões e tecnologia de projeção,
reconhecimento de voz e reconhecimento visual de rostos e
ambientes que faz com que os telefones móveis uma ainda
mais intuitiva e controle remoto indispensável da nossa vida
diária. Todas estas aplicações requerem a combinação de um
smartphone "front-end" e um laptop "back-end" para perceber
- para não mencionar ter que correr várias aplicações em
paralelo.

O aparecimento destas aplicações de próxima geração


também irá criar uma maior responsabilidade para a
plataforma de aplicativos para celular: agora é importante
para monitorar vazamentos de memória e processos
dispersos sugando o poder, para detectar, isolar e resolver
intrusões maliciosas e divulgação de dados privados, e para
gerir aplicações que requerem dados de alto volume.
Então voltamos à pergunta, há uma maneira de "pular" a
calcular e dividir a memória entre dispositivos móveis e
amarrados? A resposta, despeja, pode estar nas nuvens.

Digite o telefone Cloud


O conceito de um telefone Cloud já foi discutido muitas vezes,
mais recentemente, sendo o tema de trabalhos de pesquisa
dos laboratórios da Intel e revisão técnica NTT DoCoMo.

O conceito por trás do telefone Cloud é perfeita execução off-


load de um smartphone com uma "nuvem" cluster de
processamento. O truque é evitar de ter que reescrever todas
as aplicações existentes para fornecer essa capacidade de
descarregamento. Isto é conseguido através da criação de
uma instância virtual do smartphone na nuvem.

O seguinte diagrama mostra conceito básico, em poucas


palavras (fonte: NTT DoCoMo revisão técnica)

A tecnologia de Cloud Phone foi trazido de volta em voga é


devido aos avanços em quatro áreas principais:

Baixo custo de processamento de energia, recursos de


computação de hoje são abundantes, e os centros de dados
têm tecnologias integradas para replicar e execução da
migração entre e dentro dos clusters de servidor ligado.
tecnologias robustas para check-apontando e migração de
aplicações, tecnologias, como a migração para máquinas
virtuais e checkpointing incremental surgiram a partir da sala
de aula e em redes de produção.
Latência reduzida over-the-air, a interface de rádio móveis
representa um desafio em termos de latência de transação.
Check-apontando e migração requer latências na ordem dos
50-80ms - nestes tempos de ida e volta pode ser alcançado
através HSPA atuais, mas será mais realista na próxima
geração de sistemas LTE. latência média em uma rede
"apartamento LTE são cerca de 50ms no gateway, que de
repente torna a perspectiva de acolher o pedido de
smartphone em uma transportadora de funcionamento"
nuvem "muito mais uma realidade. Note-se que após o
gateway, ou fora da rede da operadora, as latências-se muito
mais incontrolável e chegar facilmente a 120 ms ou mais.
Mobile Virtualization, esta tecnologia oferece a capacidade de
separar o sistema operacional móvel e de aplicação do
processador e da arquitetura de memória, permitindo que
aplicações e serviços a serem executados em "nuvem" os
servidores. Isto tornou-se uma área de intensa pesquisa em
design de dispositivos móveis, e foi coberto em um artigo
anterior por Steve Lab OK Subar de.
Um mecanismo de execução nuvem poderia fornecer off-
loading das tarefas smartphone, como o reconhecimento
visual, reconhecimento de voz, Realidade Aumentada e
aplicações de reconhecimento de padrões, efetivamente
superar o hardware smartphone e limitações de potência.
Este modelo permitiria também funções de manutenção
fundamental que requer exames intensivo de CPU para ser
executado em um smartphone virtual "espelho" na nuvem.
Isso também facilitará a verificação mácula e de prevenção
de vazamento de dados que têm sido muito utilizados no
domínio de PC para aumentar a robustez do sistema.

Outra consequência do modelo de telefone Cloud é que ele


oferece um novo "valor agregado" ponto para a
transportadora no ecossistema de aplicativos móveis. As
limitações de baixa latência exigirá otimizações na camada
de rede de acesso rádio que implica que a operadora de rede
é a melhor posicionada para extrair valor a partir do conceito
de telefone Cloud - operadores de mais centros de dados
pode colocar perto da borda sem fio que permite aplicações
de latência muito baixa para ser realizado . Isto não exclui
uma entrada do Google na batalha - na verdade, a aquisição
de Agnilux pode muito bem indicar uma estratégia para
construir um processador de servidor proprietário para
hospedar essas aplicações Cloud telefone.

A matéria-prima para o telefone Cloud estão caindo no lugar,


os usuários estão mais dirigidos para aplicações SaaS
baseados telefone, e HTML5 está sendo adotada por OEMs
telefone. Não há falta de pedidos à espera de explorar uma
plataforma cloud telefone: somente em julho, 54 aplicações
de realidade aumentada foram adicionados à Apple App
Store. Google também tem terra quebrada no espaço Phone
Cloud Cloud com a Messaging Device, que ajuda os
desenvolvedores a canal de dados a partir da nuvem para
suas aplicações em dispositivos Android.

Que outras aplicações Cloud Telefone vê no horizonte?


Quando você vê Cloud Celulares chegarão ao mercado?

- Vish

[Vish Nandlall é CTO no mercado norte-americano para a


Ericsson, e tem vindo a trabalhar na indústria de
telecomunicações nos últimos 18 anos. Ele foi anteriormente
CTO da divisão da Nortel Networks Carrier supervisionar as
normas e arquitetura de linhas de produtos móveis e sem
fios. Você pode ler seu blog em] www.theinvisibleinternet.net

posts similares
Mobile Virtualization - Vindo de um Smartphone Perto de
Você (10 de junho)
Economia Aumentada: Fazendo o dinheiro no Edge of Reality
(09 de setembro)
Quem pode salvar Palm? (09 de novembro)
Baixo custo Android: atravessar a barreira dos US $ 100 (10
de fevereiro)
Palm: $ 1.2B Down o Shredder (10 de abril)
9 comentários twitter e-mail imprimir del.icio.us digg 29
Agosto
2010
Como salvar a Nokia (a partir de si mesmo) Tucídides Sigs
3950 views 5 rating
Carregando ...
71 comentários
0 pings
impressão
e-mail
ver licença
75
tweets
TOP5KRetweet [Quem pode salvar Nokia a partir de uma
avaliação de mercado caindo, as margens em declínio e os
fracassos do produto? autor convidado Tucídides Sigs
desconstrói a cultura da Nokia e explica por que uma
aquisição seria o passo mais próximo de Nokia]

Quando o CEO Olli-Pekka Kallasvuo, assumiu o controle da


Nokia em 2006, o estoque estava em 25 dólares por ação. No
final de julho de 2010, o estoque era de cerca de US $ 8, o
mesmo nível que no final dos anos noventa. Ouch. Em
apenas quatro anos, dois terços do capital próprio está
desaparecido.

Se formos um pouco mais longe, e comparar capitalização de


mercado e vendas pelo número de unidades, observamos um
quadro ainda mais preocupante: a valorização da Nokia foi de
$ 33B de vendas de 125m celulares no último trimestre, os
mesmos valores para Motorola foi de $ 17B em 12M
aparelhos e RIM $ 31B em 10,6 milhões de handsets. A
matemática é bastante simples: Nokia é valorizado quase
tanto como a RIM, mas os navios menos 10 vezes mais
monofones.

A tendência não é bom olhar para a Nokia. Não é à toa que


temos visto reportagens do conselho finalmente à procura de
um novo CEO. CEO é uma mudança que é necessário para
corrigir Nokia? Será que vai fazer a diferença, se um
estrangeiro tem mais orgulho da empresa finlandesa? A
Nokia está para além de fixação - um dinossauro que não
pode sobreviver à mudança climática - ou há algo que pode
ser feito para transformar a empresa?

Eu não acho que a Nokia está unfixable. A Nokia tem um


enorme potencial: a marca do consumidor global incrível, uma
caixa de guerra muito forte IP e profunda compreensão de
que o mercado está indo.

Sim, a Nokia não sabe onde o mercado está indo e ele


sempre soube. Desde o lançamento do Nokia Communicator
em 1996 ... e tentando expandir-se para serviços (Ovi é a
última tentativa estratégica), a Nokia tem sabe onde ele
queria e precisava ir. Mas o problema foi e ainda é a
execução. O gigante finlandês não apenas para movimentar e
adaptar-se rápido o suficiente para o caótico, em rápida
evolução do mercado de software e internet.

O que está segurando a execução de volta? Mais do que


tudo, é a cultura da empresa. E antes de eu mergulhar nele
os detalhes, tenho que pedir desculpas antecipadamente,
como qualquer discussão de uma grande corporação ou de
uma cultura regional, tem de usar generalizações. Sim,
sempre há exceções, mas, se quisermos analisar a cultura é
preciso recorrer a generalizações. Alguns leitores podem
achar isto ofensivo. Não diga que você não foi avisado.

Nokia tem grande orgulho em ser "inteligente, Cold Blooded


Vikings". Pensativo e duro, estratégico e cuidadoso, que não
têm chances. Eles calcular, analisar e pensar antes de reagir.
E "se isso leva tempo, isso é bom". Essa abordagem é
admirável. Mas, como Google Shona Brown assinalou em
"Competir on the Edge: Strategy como Structured Chaos", se
você tentar analisar e gerenciar o caos (ou qualquer outro
ambiente que está mudando rapidamente em múltiplas
dimensões), que pode demorar um pouco. Além disso, se sua
análise leva mais tempo do que a taxa de mudança, na
verdade você está se movendo para trás. Na era da rápida
evolução da Internet e da web, as melhores estratégias estão
vindo de baixo para cima, e são melhor desenvolvidas
através da experimentação, em vez de longos ciclos de
análise.

Esta é a antítese do que a Nokia cultura é tudo. E, em grande


medida, a cultura vai além da Nokia, que está profundamente
enraizada no modo de vida finlandês. Nokia é uma empresa
finlandesa e eu diria que você não pode tirar o finlandês da
Nokia. Sim, alguns Nokians - especialmente aqueles que
passaram parte das suas carreiras os E.U. - sabe como, e
muitas vezes, funcionam de forma diferente. E nos últimos re-
org algumas boas "Nokia 2.0" pessoas já se mudaram para
cima.

Mas no geral, a Nokia é um reflexo da cultura finlandesa:


"Smart", sangue frio, estratégico, cauteloso, Vikings. Isto não
deve refletir como um comentário negativo sobre os
finlandeses: Assim como um camelo não pode sobreviver no
Ártico e um urso polar vai morrer no deserto, a cultura torna
uma empresa mais adequada para um tipo específico de
meio ambiente. Nokia tem uma grande tradição de excelência
na fabricação e logística através de um processo de
masterização. Esse DNA é diferente - e defendo que é a anti-
tese - do Internet & Serviços cultura.

Os rumores recentes sobre o Nokia procurando um outsider,


CEO finlandês não são interessantes - e um passo na
direcção certa. Mas será suficiente? Eu duvido que, tanto o
forte cultura existente irá alterar o CEO ou o CEO vai sair
dentro de alguns anos.

Assim, é possível mudar a cultura da Nokia e salvar a


empresa? Na minha opinião, para mudar uma cultura
profundamente enraizada, um tratamento de choque é
necessário. Três coisas precisam acontecer.

Em primeiro lugar, a Nokia precisa ser adquirido por uma


entidade estrangeira (chinesa? Americano?) Ou um grupo de
private equity. Com uma capitalização de mercado de US $
33B, é uma pechincha. Basta ligá-lo em outro Motorola vai
dobrar o valor. E se quem adquire o Nokia consegue gerar
receitas de serviços dos aparelhos vendidos 500 milhões por
ano (e uma direção interessante é que eles devem explorar
pagamentos por telemóvel) a avaliação será na ordem das
centenas de bilhões de dólares.

Se a Nokia estava a ser adquirido, causaria uma onda de


choque em toda a organização, o tipo de ondas de choque
que podem induzir uma rápida mudança cultural. Sim, haverá
um monte de ressentimento entre os Nokians da velha
guarda, muitos dos quais vão sair, mas essas são
exatamente as pessoas que devem trabalhar em setores que
não são tão rápido. E muitos dos Nokians mais recente - o
que chamamos de 2,0 Nokia executivos - que sofrem com a
cultura existente pode realmente apreciar e apoiar essa
iniciativa.

Em segundo lugar, para apostar ao vivo ou morrer Meego


(Nokia está em uma plataforma de software) para se tornar
uma alternativa viável para o Android, a liderança executiva
Meego fisicamente deve deslocar-se para o Vale do Silício.
Nós odeio admitir isso, mas quando se trata de um rápido
desenvolvimento de software e serviços, este é o lugar onde
a cultura direito existe e talento certo pode ser obtida. Esta
mudança física levará a uma mudança da atitude que toda e
qualquer decisão terá um impacto Nokia faz, e tudo o mais se
seguirão. Ao mudar-se para o Vale, Meego ficará mais
independente das suas raízes finlandês e será capaz de
trabalhar mais efetivamente com a Intel. Isso também daria a
Silicon Valley algo equipe de rali ao redor, e um claro objetivo
ambicioso que possam incidir sobre - que é como você
construir equipes eficazes e porque todas as tentativas
anteriores da Nokia para construir equipes de alto calibre no
Vale fracassaram. Sim, você pode ter escritórios satélites em
outros países (como o Android faz), mas só há um lugar onde
o software e serviços de inteligência devem ser colocadas, e
é no Vale do Silício.

Em terceiro lugar, os esforços de desenvolvimento da Nokia


celular precisa ser transformada a partir de uma máquina
gigantesca em pequenas, que se movem rapidamente (9-12
meses ciclo de desenvolvimento) de comando de unidades
de software integrado, hardware, mecânicos e especialistas
em design. A economia do espaço CE mudaram, e agora é
possível criar e testar protótipos muito mais rápido e mais
barato do que costumava ser. Esqueça o ciclo de
planejamento de 24 meses ... vamos várias equipes vêm com
idéias contrastantes, os protótipos e, em seguida, cereja
escolher os melhores para o teste de mercado e produção.
Ele irá construir uma cultura construtiva competitiva que irá
empurrar todos para a frente. Samsung faz isso hoje. Os
ODMs de Taiwan do que hoje. Nokia pode e deve igualar-se.

Nokia é uma grande empresa com grandes recursos e alguns


grandes pessoas que nela trabalham. Ele pode ser salvo de
se tornar o dinossauro do século 21 a sangue-frio. Para quem
salva Nokia - se conseguirem mudar a cultura - uma grande
recompensa está por vir.

Então, quem vai comprar Nokia? Comentário com o seu


melhor palpite abaixo ...

-TS

[Tucídides Sigs - um pseudônimo - tem muitos anos de


experiência malabarismo restrições computação, o software
móvel e necessidades dos consumidores. Com isso dito,
imagine ouvir uma sonata de violino não sabe quem é o
artista ou quem compôs. Você acaba tendo que ouvir mais
atentamente para fazer um julgamento. Ele pode ser
alcançado em Tucídides / cs / sigs [at] gmail [dot] com]

posts similares
Meego: Dois (M) onkeys não fazem um orilla (G). Mas eles se
fazem muito barulho (10 de fevereiro)
Mobile Virtualization - Vindo de um Smartphone Perto de
Você (10 de junho)
2010 em revista: do radar de tendências no Mobile World
Congress (10 de fevereiro)
Por handset OEMs não deve mexer com UX e outras lições
da indústria automóvel (10 de abril)
O futuro Wintel para dispositivos móveis: uma chamada
acordar para operadoras de rede (10 de março)
71 comentários twitter e-mail imprimir del.icio.us digg 02
Agosto
2010
Remapeamento do aparelho paisagem OEM: espremido
entre uma rocha e um duro placeVinay Kapoor 1701
visualizações 0 rating
Carregando ...
6 comentários
0 pings
impressão
e-mail
ver licença
53
tweets
TOP1KRetweet [Em uma corrida para os lucros, a indústria
de móveis encontra-se espremida entre os jogadores
verticalmente integrada como a Apple e os jogadores
horizontal como o Google. Qual é o destino de fabricantes de
celulares? autor convidado Vinay Kapoor tem uma espiada no
panorama futuro da indústria móvel]

A lista de top 5 OEM móveis foi recentemente abalada e


mexeu com a entrada da RIM na lista das top 5 e OEMs a
saída subseqüente da Motorola. Anteriormente, o top-5
leaderboard OEM foi estável durante meia década, e assim o
mais emoção que você poderia começar seria uma mudança
na posição relativa dos operadores.

Procurando hoje na venda de aparelhos comparativa da RIM,


Apple e Motorola, é claro que a saída da Motorola a partir
dessa lista de top 5 OEMs tem sido um bom tempo. Embora o
declínio nas vendas da Motorola pode ser revertido, não está
claro se o Android pode ajudar a impulsionar Motorola volta à
lista dos top-5.

Então, o que nos reserva o futuro? Se olharmos para o top 5


OEMs, Nokia, Samsung e LG são muito espaçadas não
esperar uma grande mudança em suas posições relativas,
assumindo a ausência de eventos negativos. No entanto, a
Apple ea Sony Ericsson estão muito mais próximos, apenas
1,5 milhões de unidades separadas.

Presidente da Sony Ericsson, Bert Nordberg declarou


recentemente que a Sony Ericsson está a tentar não ser um
jogador de volume, mas sim um jogador de valor e, como tal,
incidirá em smart phones. Esses produtos de alto valor e
maior lucro que eles trazem seria claramente ter preferência
sobre quotas de mercado. Esta não é uma coisa ruim, por
exemplo, Apple e RIM de comando a 3% do volume escasso
de dispositivos móveis, mas 55% dos lucros de acordo com
uma análise do Deutsche Bank. Se nada for feito, uma corrida
de un-volumes necessários para o crescimento e pode ter
conseqüências desastrosas.

Qualidade e os lucros são certamente mais importante do que


uma corrida cega para volumes sentido. Esta é uma razão
pela qual a lista de top 5 OEM, é apenas uma parte da
grande imagem. O posicionamento estratégico dos
fabricantes e fora dessa lista é igualmente importante e pode,
muitas vezes sinal de uma rápida mudança na sorte.

O que é claro é que no início de 2011 devemos ver Apple


deslocar Sony Ericsson a partir de 5 ª posição, fazendo a lista
dos top-5 do território de um produtor finlandês de massa,
dois burros de carga da Coreia do Sul e dois challengers na
América do Norte.

Aprender com os erros da indústria

Inspirada em uma erupção de um vulcão determinados na


Islândia (cujo nome não posso pronunciar!), A indústria está
passando por uma mudança na paisagem. Bem como os
resultados de uma erupção vulcânica, a paisagem eo mapa
chamamos-off dela, vai mudar num futuro previsível. Os dois
"erupção" no nosso caso tenha sido o aumento no
aparecimento de novas experiências verticalmente integrado
de produtos, como resultado de fenômenos de código aberto
da Apple e do sucesso da RIM, e disparado com a plataforma
Android do Google.

A Evolução

Do ponto de vista de software móvel, nós estamos em uma


nova fase de evolução desta paisagem.

Até o início do século, os OEMs construído em torno de


dispositivos de sistemas integrados verticalmente. Isso incluiu
participação em casa de uma solução completa de hardware
todo o caminho até as aplicações. Os pedidos se eram pouco
mais do que facilitadores da tecnologia subjacente, ou seja
software habilitado para hardware.

Durante 2002-2008, houve o surgimento de vários "horizontal"


jogadores de valor. Muita da tecnologia utilizada foi
proveniente de organizações que se especializou em
camadas de software componentizado, venda de middleware,
navegadores, estruturas de aplicativos e sistemas
operacionais. Este foi especialmente prevalente em
smartphones com os gostos do Windows Mobile e Symbian.

Desde por volta de 2009, os OEMs têm sido a construção de


sistemas em software e interfaces abertas. Isto não só é
verdade para o software (Android, Symbian, LiMo, Meego),
mas também as peças de hardware estão cada vez mais off-
the-shelf e commodities

O sucesso da Apple e RIM, sendo que ambos têm ofertas


integradas verticalmente (em diferentes graus) tem polarizado
a indústria, os fabricantes estão agora preso entre uma pedra
(oferta verticalmente integrada da Apple e RIM) e um lugar
duro (plataformas de software open source) .

Assim, em uma extremidade são os jogadores que estão


abraçando e condução de fonte aberta e fornecedores
commoditizing (Nokia, Motorola, LG), enquanto no outro
extremo estão os jogadores que acreditam no controle e na
casa-de integração vertical (Apple, RIM). Samsung, com a
sua camada de programação Bada está claramente
procurando replicar modelo da Apple e da RIM verticalmente
integrada. Sony Ericsson está se inclinando para a
extremidade aberta com Android e Symbian (5 de 8 produtos
no portfólio core)

Portanto, é a Apple e RIM modelo vertical de uma rua de


sentido único para todos a abraçar? Apple e RIM são,
essencialmente, capaz de dar ao luxo de uma solução
completa em casa por causa da relativa falta de manutenção
exigidas em seu software, devido a desvios relativamente
estreito em seus produtos (não é apenas um caso de arcar ..
eles também são compra de empresas para este efeito -
chipset por exemplo, redes ad no caso da Apple, QNX e
Dash, no caso da RIM).
Isto é evidente para o iPhone que a Apple é, essencialmente,
actualizar um produto único ano após ano. Mesmo no caso
da RIM, aparentemente com diversas variações sobre o
hardware Blackberry, eles lidam com um design principal de
baunilha Blackberry. Note que, nesse sentido, tanto a Apple
ea RIM estão ambos a jogar um jogo bastante arriscado,
mesmo que colocar seus ovos em uma cesta. Este risco é
administrável como Apple e RIM esporte ainda pontos de
venda exclusivos, design do produto best-in-class, serviços e
interface com o usuário, no caso da Apple e da solução de
mensageria proprietário, no caso da RIM.

No caso da Apple, o iPhone hardware e software é projetado


para impressionar o usuário. Uma combinação de valor da
marca Apple, marketing e perspicaz abordagem de design
centrado resultou em um produto desejável que se passa na
medida para sacrificar os recursos aparentemente importante
para manter as coisas simples para o usuário. No entanto, o
iPhone não seria este desejável ", não fosse a enorme
quantidade de aplicações, tanto boas como más, disponível
para o usuário. Que muito conteúdo significa que os usuários
tendem a não ficar entediado com as limitações dos poucos
construído em aplicações no dispositivo.

Blackberry, por outro lado tem a abordagem de criar uma


solução de mensagens que é extremamente simples de usar
e não necessita de instalação "complicado". O dispositivo é
claro valioso para as empresas com que é construída em
mecanismos de segurança e soluções corporativas
totalmente integrados. Mais uma vez, a experiência do
consumidor superior e foco no núcleo (usuários da empresa)
foi alcançado através da integração vertical da cadeia de
valor completa.
Para o handset OEMs, que compete necessidade de reduzir
o custo total de propriedade de software, que remonta aos
dias de 100% em software-house, não parece atraente a
todos. A enorme quantidade de trabalho necessário para
adaptar o software para 10s de SKUs hardware não é muito
apetitoso. Para estas fontes OEMs aberto é uma verdadeira
bênção que ajuda a bater em inovação e, ao mesmo tempo
reduzir os custos de software no núcleo de I & D. Esta é uma
razão, porque move Samsung Bada é muito ousada. Será
interessante ver como a Samsung consegue manter
competitivos Bada, sem o R & D custo da plataforma de
gestão que tenham impacto sobre a linha de fundo do
fabricante coreano.

Assim, parece que um universo polarizado é a única forma de


avançar com alguns jogadores apostam em código aberto e
hardware comoditizado, e outros sobre os sistemas vertical.

A luta pela diferenciação

Uma vez que a Sony Ericsson e Samsung finalmente


colocado as suas apostas com Bada e Android do
ecossistema acalmasse para este estado polarizado.

Os jogadores verticalmente integrada terá o privilégio de


manter uma alta barreira à entrada de qualquer novo
operador. Este suposto novo candidato terá de reproduzir o
que a Apple fez com o iPhone, que não é algo que você vê
com muita freqüência.

Os jogadores do ecossistema aberto, no entanto, ter a guarda


contra o rei de custo Shanzai (telefone falso) as marcas que
têm a possibilidade de impugnar OEMs estabelecido. O
pressuposto aqui é que uma unidade para sistemas abertos
vai diminuir a barreira à entrada. Quando qualquer pinto tom-
harry-e pode chover uma das várias pilhas de software de
fonte aberta em cima de um dos chipsets vários prontamente
apoio pilhas software, a necessidade de diferenciar-se
estender além do hardware e design de software. É muito
arriscado supor que o consumidor continuará comprometido
com uma marca apenas com base nestes fácil de replicar
características.

Então o que é que os OEMs podem usar para diferenciar as


suas ofertas? É preciso lembrar que a experiência dos
consumidores do produto e uma marca é uma amálgama de
vários pontos de contacto com a marca eo produto. O look
and feel do hardware, ea usabilidade do dispositivo são
apenas dois pontos de contacto. Um consumidor interage
com o dispositivo e da marca de muitas outras maneiras,
como através de um serviço de cloud fornecido com o
dispositivo, ou ligar para um call-center para suporte. A oferta
diferenciada vai evoluir, não apenas com base em interface
com o usuário, mas a experiência de usuário completo
(hardware, software, interface do usuário, serviços de cloud
serviço do cliente). Estas serão as defesas necessárias e
entraves que os operadores terão, a fim de proteger contra
ser reduzidos a commodities combates no preço. Podemos
ver OEMs posicionamento dos seus produtos com base
nesse pacote completo ao invés de simplesmente
deslumbrante publicidade hardware e design de interface do
usuário.

Aqueles que construir uma defesa sólida (o gorila) vai


comandar a paisagem através do seu tamanho e posição. O
super king-jogadores eficiente de custo-se um desafio com a
sua enorme agilidade e astúcia (as raposas). Fique tranqüilo,
quem está no meio (na selva) será preso em uma luta
constante pela sobrevivência. Que um grande final para o
conto de fadas!
- Vinay

[Vinay Kapoor é um diretor de desenvolvimento de negócios


no Tieto onde ele ajuda a criar novos fluxos de receitas e
contribui para definir a estratégia Tieto de dispositivos
móveis. Vinay tem sido um membro da indústria móvel para
mais de uma década e tem um ávido interesse nos
acontecimentos que forma esta indústria em constante
mutação. Você pode segui-lo no Twitter (www.twitter.com /
vinaykap) ou no seu blog
(http://wirelessmantra.blogspot.com)]

posts similares
Making Sense of Bada Samsung (09 de dezembro)
Atrás da mania Smartphone: redesenhar o mapa de
plataformas móveis (10 de janeiro)
Mobile Developer Economia de 2010: A migração de
mindshare desenvolvedor (10 de julho)
Quem pode salvar Palm? (09 de novembro)
O chumbo, inovar ou montar: três opções para OEMs telefone
móvel como começa a olhar como a indústria de PC (10 de
junho)
6 comentários twitter e-mail imprimir del.icio.us digg 26
Julho
2010
Desenvolvedor de Economia de 2010: o papel das redes de
Developer WorldJames Parton 836 exibições 3 rating
Carregando ...
2 comentários
0 pings
impressão
e-mail
ver licença
18
tweets
TOP5KRetweet [Na parte final de nossa série sobre as
nossas últimas pesquisas - Mobile Developer Economia 2010
e Mais Além - James Parton Telefonica discute os desafios
enfrentados pelos operadores de redes móveis em sua busca
para se manter relevante para os desenvolvedores de
aplicativos móveis. O relatório completo da investigação
disponíveis para download gratuitamente ou ver a parte 1,
parte 2 e parte 3 da série blog sobre economia desenvolvedor
móvel]
O artigo também está disponível em chinês.

Historicamente, os operadores têm sido uma das poucas


opções disponíveis para desenvolvedores quando trazendo
novas aplicações e serviços para o mercado. Normalmente,
esta tem sido a forma de colocação de pedidos no portal do
operador móvel ou através de um acordo de pré-carga
aparelho dentro do operador de software variante construir.

No entanto canais operador go-to-market tem sofrido com a


falta de transparência, longos processos burocráticos ea
arrogância inevitável de um gatekeeper dominante. A rápida
ascensão de lojas app foi completamente reescrito no livro de
regras, e agora oferece aos desenvolvedores independentes,
com uma forma mais aberta e democrática, para obter os
seus produtos na frente de potenciais clientes.

A Economia Developer 2010 graficamente relatório destaca


essa tendência, com menos de 5% dos 400 entrevistados
colaborador assíduo com o canal do operador. Claramente
lojas app ter entregue benefícios econômicos reais para os
desenvolvedores, com o tempo de prateleira para ser
reduzida em dois terços, e prazo de pagamento a ser
reduzido em 22 dias (ver a parte 2 da nossa série blog)
quando comparado com o canal do operador.

Existem algumas exceções para a tendência. Andrew Fisher,


CEO da Shazam, freqüentemente destaca o canal do
operador como uma das razões para o sucesso da Shazam
ampla, e recomenda que as empresas invistam no
desenvolvimento de parcerias operador. Christopher
Kassulke, CEO da HandyGames confirma que os
desenvolvedores de jogos importantes também preferem
investir na venda de jogos através de operadores, devido à
maior preço pontos per-download e sustentável, a receita
previsível que o canal oferece operador.

Oportunidade perdida?
Uma questão chave para as operadoras é "Tem a
possibilidade de distribuição app foi irreversivelmente
perdida?" Uma visão interessante do relatório Economia
Developer é que o fenômeno App Store talvez não seja tão
difundido como retratado. Além do iPhone e Android
ecossistemas dominados por lojas aplicativo nativo, há uma
diferença significativa no mercado dos operadores para
ajudar na distribuição de aplicativos e serviços. Isso é
especialmente significativo no setor de web app móvel
crescendo.

Claro escusado será dizer, a menos que os operadores


corrigir os problemas legados com seus longos processos
burocráticos ea atitude 'torre de marfim ", então a
oportunidade de distribuição permanecem inexplorados. Um
dos pontos de atrito interessante será o modelo de mercado
aberto contra cherry picking editorial seletiva de apps
favorecido por muitos operadores.

mercado aberto vs Cherry picking


Em um modelo de mercado aberto, não há um corpo editorial
de decidir o catálogo das candidaturas apresentadas aos
consumidores. Uma queixa ouvida frequentemente dos
desenvolvedores é: "Quem eles pensam que são, decidindo
se o meu aplicativo é bom o suficiente?" O cliente é
apresentado com a escolha filtrada disponibilizados por
qualquer e todos os desenvolvedores. A desvantagem desta
abordagem é o "perdido no meio do ruído" questão cada vez
mais expressas pelos desenvolvedores, a redução na
qualidade ou aumento de infringir direitos autorais apps e
confiar mais na sua aplicação constante do recomendado "ou
lista de top 10 relevante categorias de conteúdo de
downloads drive.

Operadores favorecendo o modelo de seleção editorial


("cherry picking") vai argumentar que menos é mais. Com
base em um entendimento de sua base de usuários, gestores
de conteúdo operador irá trabalhar com desenvolvedores
para selecionar os aplicativos mais atraentes e apropriados.
Este aborda directamente a "perdido no meio do ruído de
emissão" que o catálogo será muito menor contra uma loja
aberta modelo app. Esta abordagem deverá também fornecer
maiores taxas de conversão, se as aplicações estão
efetivamente corresponder às necessidades do público. Os
cínicos dirão que os gestores de conteúdo do operador não
estão qualificados para fazer as seleções de direito, e este
método favorece fortemente marcas estabelecidas como o
Facebook, que são "seguros" contra menos conhecidas
ofertas desenvolvedor independente, assim, sufocando a
inovação.

Agora os desenvolvedores precisam para descobrir como


fazer suas aplicações destacam-se entre a multidão. Dar o
seu aplicativo de graça só não vai cortá-la no longo prazo,
porque não há nenhum vínculo emocional ou financeiro entre
seu aplicativo eo usuário. Pinch Media pesquisa mostra que a
vida útil média de um iPhone livre app for inferior a 30 dias,
com apenas 20% dos usuários de retornar para a aplicação
após o primeiro dia de instalação. Você não quer ser o
equivalente app do Maio de curta Fly?

Fundamental para garantir a sua aplicação vai apelar para os


consumidores é trabalhar diretamente com seu público-alvo,
numa fase precoce. Porquê desperdiçar tempo e esforço, se
você não tem uma compreensão das seguintes questões
críticas:

Que recursos vão fazer a diferença para as pessoas?


Qual é o seu mercado-alvo?
Quanto as pessoas estão dispostas a pagar pelo seu
problema, se alguma coisa?
Esta lacuna insight marketing foi destaque no "Developer
Economia 2010", mostrando que talvez o setor app não é tão
maduro quanto o anteriormente presumida. É preocupante a
grande maioria dos desenvolvedores não investir em
qualquer pesquisa de mercado formal ou mesmo testes com
usuários, fora dos amigos e colegas.

Reconhecendo o pessoal de marketing que as empresas de


desenvolvimento de muitos não podem ter especializados ou
os recursos para realizar a investigação formal, o operador
pode ajudar a preencher esta lacuna através da abertura de
acesso à sua base de clientes para incentivar a co-criação e
testes com usuários finais reais, a título gratuito.

Este modelo de jogo fazendo desenvolvedores com usuários


finais foi defendido no Reino Unido no início de 2009, quando
lançamos Litmus O2. Esta nova abordagem rapidamente
ganhou reconhecimento pelo seu modelo inovador. Até à
data, mais de 7.600 clientes da O2 no Reino Unido se
voluntariaram para participar no desenvolvimento e teste de
aplicações com os desenvolvedores. Normalmente os níveis
de engajamento correr ao redor de 10% da base de teste a
trabalhar activamente com os desenvolvedores a qualquer
momento. Aproximando-100 apps individual beneficiaram de
co-criação do cliente em Litmus O2, gerando mais de 2.500
instalações de teste até à data.

Programação da rede
Eu tenho escrito previamente sobre a possibilidade de
Operador entregue facilitadores de rede (API's). Developer
Economia 2010 destaca o desafio que enfrenta a comunidade
operador efetivamente esta mensagem evangelizadora.
Apenas 5% dos inquiridos considerou que era o papel do
operador de rede para expor API's.

O ritmo de inovação tecnológica não está sendo compensada


pela inovação do modelo de negócio. Cada vez mais
desenvolvedores se sentir constrangido pelos modelos de
negócio em oferta. Pay-per-download domina (dois terços dos
inquiridos), com assinatura e depois de publicidade.

Isso sinaliza uma oportunidade significativa para os


operadores, e um ângulo importante para a exposição dos
facilitadores operador de rede. É fácil para limitar a conversa
em torno de facilitadores para a característica técnica de cada
conjunto ativador. A oportunidade de explorar tanto para os
desenvolvedores e operadoras está envolvendo a exposição
dos facilitadores com os novos modelos de negócio
inovadores, como parcela da receita do tráfego gerado
transacional

Se os desenvolvedores podem conectar fluxos de receitas


adicionais a partir do uso de estimuladores de operador, este
irá abordar tanto a falta de opções de rentabilização
comercial disponível para os desenvolvedores, ao mesmo
tempo que introduz uma funcionalidade mais rica para a sua
experiência app. Se executado corretamente Eu acredito que
este possa efetivamente resolver os problemas
desenvolvedor percepção destaque no relatório.

Vou fechar o post com uma citação desenvolvedor de


Developer Economia 2010, que resume perfeitamente a
oportunidade e desafio para os operadores móveis de hoje:

"A primeira empresa móvel para realmente chegar a


desenvolvedores web terá uma vantagem sobre a
concorrência, mas agora não vejo nenhum candidato, exceto
para o Google. Se o Google tornou-se um operador de nosso
s problemas seriam resolvidos "

- James
Chefe de comunidades de desenvolvedores Telefonica
Você deve seguir James no Twitter em @ jamesparton

[James é um comerciante Chartered especializada em


Mobile. Com uma premiada trajetória de entrega de produtos,
incluindo 25 maiores lançamentos, apresentando vigésimo
primeiro às realizações do mercado, incluindo MMS, vídeo
móvel, downloads de música móvel, no Reino Unido DVB-H
de transmissão experimental de TV em 2005, e os bilhetes e
os serviços interactivos de apoio A Arena O2, em Londres.
Reconhecido pela Revolução Magazine como uma das "50
Futuro", James é um orador indústria regular, palestrante,
juiz, blogueiro, e lecionou em Marketing e Desenvolvimento
de Novos Produtos na Universidade de Oxford, da Faculdade
de Educação Continuada e da Universidade de Reading.]

O relatório completo está disponível para download


gratuitamente, graças ao patrocínio da Telefonica tipo
Developer Comunidades. Você pode acompanhar Telefonica
Developer comunidades através de seu blog.

Você é um desenvolvedor de aplicações para dispositivos


móveis? Quer fazer parte da investigação VisionMobile do
colaborador próximo e voz a suas próprias opiniões? Tome
um momento de preencher o formulário de inscrição.

posts similares
Economia Mobile Developer: Tomar aplicações no mercado
(10 de julho)
Mobile Developer Economia de 2010: A migração de
mindshare desenvolvedor (10 de julho)
Por operadores móveis têm um papel crucial a desempenhar
na segunda onda de "inteligentes" apps (10 de março)
Economia Mobile Developer: Os blocos de construção de
aplicações móveis (10 de julho)
Apelo a todos os colaboradores: o que é um mundo
fragmentado (10 de fevereiro)
2 comentários twitter e-mail imprimir del.icio.us digg 20
Julho
2010
Mobile Developer Economia: Os blocos de construção de
móveis ApplicationsTor Björn Minde 1183 views 7 rating
Carregando ...
0 comentários
0 pings
impressão
e-mail
ver licença
26
tweets
TOP5KRetweet [Na parte 3 da série de quatro partes sobre a
nossa mais recente pesquisa - Mobile Developer Economia
2010 e Mais Além - autor convidado Tor Björn Minde tem um
olhar crítico sobre os sentimentos colaborador no
desenvolvimento de código, depuração e de apoio. O relatório
completo da investigação disponíveis para download
gratuitamente ou ver a parte 1 e parte 2 da série blog sobre
mobile] Economia do desenvolvedor.
O artigo também está disponível em chinês.

Do IOS e Android desfrutar de uma grande penetração no


mercado? VisionMobile pesquisa sugere que os
desenvolvedores pensam assim, mesmo se não for caso de
IOS e Android, por si só, o IOS eo Android estão disponíveis
em uma fração de dispositivos em relação ao Symbian e Java
ME.
posts similares
Mobile Developer Economia de 2010: A migração de
mindshare desenvolvedor (10 de julho)

2010

Carregando ...

0 pings
impressão
e-mail
ver licença
69
tweets

O artigo também está disponível em chinês.


Google Tradutor para:PesquisasVídeosE-mailTelefoneBate-papoNegócios
Sobre o Google TradutorDesativar tradução instantâneaPrivacidadeAjuda