Você está na página 1de 7

Jugo Suave e Fardo Leve

Mateus 11: 28-30

Vinde a mim todos que estais cansados e sobrecarregados/oprimidos, e eu vos

aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e

humilde de coração; e achareis descanso para vossas almas. Porque o meu jugo

é suave e o meu fardo é leve.

Temos vivido dias de muito cansaço, físico e mental/ psicológico. Temos vivido

dias em que dizemos muitas vezes “estou cansada disso, estou cansada

daquilo”. Alguns chegam a desejar morrer a ter que continuar cansado. Vejo pais

falando de seus filhos “estou cansado de você”, “você é um fardo pra mim”. “Meu

trabalho é um fardo pra mim”. Temos ficado cansadas das pessoas, temos ficado

cansadas de trabalhar na igreja, temos ficado cansadas de ouvir os problemas

dos outros, temos ficado cansadas de dar amor e não receber nada em troca.

Temos ficado cansadas de buscar ter as coisas, temos ficado cansadas de olhar

e não enxergar esperança. Temos ficado cansadas das pessoas não serem

como queremos. Temos cansado de tentar ter o controle de tudo, das pessoas,

do ambiente, das situações ao nosso redor. Temos ficado cansadas de ficar

cansadas. Temos cansado de ouvir saídas e cansado de ver que não são reais.

Temos cansado de tentar, tentar, tentar, fazer, brigar, ensinar, falar, ouvir, de

perder, de teimar, de desobedecer.

Jesus foi prometido desde o início, Ele é o messias esperado por tantas

gerações. Ele foi rejeitado pelos seus porque esperavam um rei que tirasse de
cima deles o jugo que a política da época impunha sobre eles. A partir do

momento que as pessoas entenderam que o foco dele não era a política, que o

reinado dele não era no espaço humano, não quiseram mais saber dele, não

aceitaram as suas palavras e ensinamentos e então o rejeitaram. Acharam suas

palavras duras demais, os ensinamentos dele confrontavam o caráter e o pecado

deles.

Jesus cita, uns versículos antes, (16-19) que, como crianças reclamonas, dizem

“ah, a gente tocou flauta e tu nem dançou, a gente cantou música triste e vocês

nem choraram”. Veio João Batista, aí falaram dele, ele não comia e nem bebia e

diziam “ah, não come nem bebe, vixi, tem bem demônio”, e depois veio o próprio

Jesus e comia e bebia e diziam “ah, come e bebe porque é um beberrão e

comilão”, então entendo que é como se ele dissesse “olha, se decidam, querem

alguém que come ou não? Que bebe ou não?”. Mas no fundo o que a gente quer

é reclamar, é aparecer, é ser visto como coitado e vítima. E olha, Deus não tolera

filho mimado não, para quem tem filho, se proponho a se colocar no lugar de Pai

de filho mimado, tudo a seu tempo, a seu jeito.

Aí eu pergunto: O que entendemos por jugo suave e fardo leve? Apenas

soluções para nossos problemas, para nossas angústias? Será que temos feito

exames de consciência e ao menos refletido qual a ajuda que realmente

queremos e precisamos?

Pois eu digo que nós não sabemos como pedir, e quando pedimos, pedimos mal,

apenas para saciar nossas vontades e desejos. E isso está lá em Tiago 4:1-4.
Quando Jesus diz “Vinde a mim”, irmãos, Ele está abrindo uma porta que

NINGUÉM tinha aberto antes. Ele chamou-nos para sua presença, para seu

abraço, como quem diz “vem, eu te protejo, te ensino, te ajudo”. Ele está se

colocando como única saída. Que com Ele é o melhor lugar para estarmos. Hoje,

quem é a pessoa ou lugar ou opção que temos que se coloque dessa forma? À

inteira disposição?

Enquanto Jesus diz “Vinde”, os fariseus diziam “Faça”. Eles obrigavam as

pessoas a seguir as leis, obrigavam as pessoas a carregar fardos que eles

mesmos não carregavam, apenas mandavam, não iam junto, não participavam.

Nós, por conta do nosso orgulho, nossa ignorância muitas vezes, nossas

vaidades, nos colocamos debaixo dessas situações. Se pararmos para pensar,

em quantas enrascadas nós mesmos nos colocamos por conta de birra, teimosia

e só nos damos conta que foi uma escolha errada quando começamos a

apanhar, e não conseguimos sair dela, será que caberia numa página de papel?

E no fim, qual é o nosso socorro? “Deus, me dirá daqui! Me ajuda”.

Nós, muitas vezes, somos aqueles filhos que metem o dedo na tomada, mesmo

nossos pais tendo nos dito que era perigoso, que era ruim. E Deus é o pai que

vai socorrer, dizer, que nos ama e beijar nossa mão para sarar logo, mesmo

depois de uns carões, é claro.

Nós estamos cansados. E na verdade estamos cansados de tentar ganhar a

salvação. Estamos cansados de tentar por nossas próprias mãos. Estamos

cansados de dar com os burros na agua. Estamos cansados porque estamos

indo pelo caminho errado. Estamos seguindo o que queremos seguir, enquanto

deveríamos olhar para Cristo. Deveríamos esperar em Cristo. Deveríamos ouvir


a Cristo. Nós, hoje, estamos há anos-luz dos homens que viveram antes de nós,

temos toda a palavra escrita em nossas mãos, temos oportunidade de estudar,

temos o Espírito Santo conosco. E ainda assim escolhemos colocar o dedo na

tomada.

O único que pode nos aliviar é Jesus Cristo. O único que pode nos mostrar a

saída, a solução, é Jesus Cristo. Ele é o pedagogo, ele é o aio, o professor. Mas

temos escolhido colocar o dedo na tomada.

Jesus nos faz um convite hoje. Você aceita? Você está cansado? Vinde a Cristo.

Você está sobrecarregado? Vinde a Cristo. Você precisa de alívio? Vinde a

Cristo.

“A verdadeira salvação vem através de uma única pessoa: Jesus Cristo. Aceitar

esse convite significa crer nEle. É um convite aberto a todos os que estão

cansados e sobrecarregados, exatamente como o povo se sentia sob o jugo do

legalismo fariseu.”

Depois que ouvimos o convite do “Vinde”, e nos achegamos a Cristo, vivemos

uma experiência profunda, quando nos aproximamos de Cristo pela Fé, ele nos

dá descanso. Então nós podemos aprender sobre entrega e obediência. Quando

nos aproximamos de Cristo nos tornamos discípulos e somos conduzidos por

ele.
Quando Jesus diz “Tomai sobre vós o meu jugo”, ele utiliza uma metáfora judia

relacionada com disciplina e discipulado. "Ponha seu pescoço sob o jugo, e deixe

a sua alma ser instruída" (Sir 51:26).

Estar com Cristo é um aprendizado constante. Aprendemos sobre as pessoas,

sobre o mundo, sobre Ele mesmo e aprendemos muito sobre nós. Estar com

Cristo é nos enxergar em terceira pessoa. Nos analisar, nos reformar se

necessário. Porque muitas reações que recebemos é devido algum

comportamento nosso, alguma palavra dita de maneira errada, alguma atitude

imprudente. Nós não temos como mudar os outros. Mas temos como mudar a

nós mesmos. E ainda que não consigamos nos mudar, lembre-se: Jesus é nosso

professor.

Com calma, pois é um processo. Não é de hoje pra amanhã. Não é até o ano

que vem. É uma vida. O único perfeito é ele. Quando nos propomos a aprender

algo, logo perdemos a paciência diante de tantas tentativas frustradas. Mas

tantas as tentativas nos ensinam também. Então, até as tentativas já são vitórias.

“Sou manso e humilde de coração.” Vocês perceberam que esse é o único

momento que Jesus fala de si? Então nisso devemos 1000% dar todo crédito.

Só Ele pode nos instruir em relação ao Pai, e nos dar o descanso para as almas,

um descanso envolvendo remoção da culpa do pecado e nos garantindo a

entrada na vida eterna.


A cruz nos dá o descanso. O descanso de que nossos pecados são perdoados

no sacrifício de Jesus, podemos ter paz porque o castigo que era para nós estava

sobre ele. Podemos ter paz porque Jesus nos ama, porque Ele se deu por nós

e nós podemos ter esperança por isso. Podemos ter esperança que nossa

família será alcançada, podemos ter esperança que nossos filhos serão

benditos, que nossos maridos serão alcançados, que nossos irmãos, pais,

nossos parentes serão alcançados. Estar com Jesus é ter fé, que essa paz

verdadeira, física e psicológica está ao nosso alcance, bastando apenas crer em

Jesus.

O jugo, a obrigação, compromisso que Jesus nos dá não é pesado, não é

penoso. E o que Ele pede de nós também não é pesado. Não é algo impossível

de dar. Meu fardo é leve, Ele diz. As obrigações envolvidas no Evangelho são

benditas, e com o jugo vem também a força para realizá-las.

O que ele pede é um apelo triplo:

"Vinde a mim; tomai o meu jugo; aprendei de mim".

Alcança toda extensão da vida cristã: salvação - serviço - santificação.

Salvação: nós damos o passo

Serviço: nós damos o passo, Jesus nos ensina

Santificação: nós damos o passo, Jesus ensina e Ele nos leva à santificação.

À medida que aprendemos mais dele, encontramos uma paz mais profunda, pois

confiamos nele cada vez mais. A vida é simplificada e unificada em torno da

pessoa de Cristo. O convite não é apenas para o povo de Israel, mas para todos.
O que Ele requer de nós é muito pouco, é apenas que tenhamos fé nele, e na

Sua obra expiatória sacrificial. Fé que sua morte e ressurreição nos alcançam,

nos dão paz e descanso.

Se você entendeu, quer ir a Cristo, não importa há quantos anos você está na

caminhada, convido você a ficar de pé, se você puder colocar a mão no seu

coração e dizer comigo:

Senhor, Jesus, eu estou cansada, estou muito cansada. Tenho andado mas não

tenho alcançado. Reconheço que tenho andado pela minha própria força.

Reconheço eu você é o único caminho verdadeiro. Eu quero, ir a Ti. Eu quero,

me dá o teu jugo, Eu quero, me ensina de Ti. Me dá o descanso, me dá o alívio.

Eu quero! No Teu poderoso nome, Jesus, é que te pedimos!

Aleluia!!!